Acústica em Reabilitação de Edifícios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Acústica em Reabilitação de Edifícios"

Transcrição

1 Reabilitação Parte 2-1 Reabilitação Acústica de edifícios 1+2 Condicionamento acústico interior 3 - Isolamento de sons aéreos 4 - Isolamento de ruídos de instalações 5 - Isolamento de ruídos de percussão 6 - Amortecimento de vibrações 2

2 Reabilitação Condicionamento acústico Interior Critérios de dimensionamento Ruído de fundo, com: Sistemas de climatização; Instalações eléctricas e hidráulicas; Ruído de espaços vizinhos e/ou do próprio espaço Tempo de reverberação ajustado Distribuição do campo sonoro uniformizado com amplificação (electroacústica) e/ou sem amplificação Inteligibilidade de sons e/ou de palavra RASTI Definição Claridade... 3 Reabilitação Parâmetros mais utilizados em condicionamento acústico interior (correcção acústica) - Tempo de reverberação (Tr) / Tempo de reverberação médio T (entre 500, 00 e 2000Hz) F. Sabine T = 0.16V α - Ruído de Fundo Curvas NC NC20, NC25, - Critérios de Inteligibilidade RASTI, D50, C80, Br, etc. - Distribuição do campo sonoro Mapa de níveis interiores => o mais uniforme possível, tendo em conta as exigências anteriores S i i Nível sonoro α Tempo de reverberação 60 db Ruído de fundo Duração aparente de reverberação 1 Material poroso Membrana Ressonador Solução mista 0, k 2 k 4 k 8 k Hz 4

3 Reabilitação Tratamento acústico interior (correcção acústica) => Ajuste dos valores dos parâmetros a valores de referência, em função do destino do espaço Situações correntes Limitação de Tr Tr (500Hz) (seg) Estudio de rádio Musica de igreja Sala de concertos para musica de orquestra Sala de concertos para musica ligeira Estudio de concertos Sala de dança Auditório Estudio de televisão Sala de opera Sala de conferências Situações específicas NC máximo - Minimização do ruído ambiente de fundo (sistemas de climatização, ruído proveniente do exterior, etc.) Critérios de Inteligibilidade Uniformização do campo sonoro no interior do espaço Volume da sala (m3) Tempos óptimos de reverberação, a 500 Hz, para diferentes tipos de utilizações 5 Reabilitação Soluções de elevada absorção acústica Painéis perfurados Painéis perfurados em gesso Painéis perfurados em madeira Elementos cerâmicos absorventes 6

4 Reabilitação Painéis perfurados em gesso cartonado com lã mineral na caixa de ar / Coeficientes de absorção sonora 7 Reabilitação Soluções de elevada absorção acústica Espumas / Mat. Fibrosos / Painéis metálicos Espumas Fibra de vidro Painéis metálicos perfurados / Malha distendida com lã de rocha na caixa de ar Têxteis 8

5 Reabilitação Exemplo de aplicação tendo em conta apenas a legislação em vigor (DL 96/2008) Dados: El. envolvente Pavimento Paredes rebocadas e pintadas Tecto falso liso Envidraçados Prateleiras Portas interiores Zona aberta Conjuntos de mesas c/ cadeiras Área (m 2 ) Condicionantes existentes: - Necessidade de aplicação de tecto falso de reforço de isolamento sonoro Restaurante 9 Reabilitação ª Hipótese: Tecto falso absorvente (com painéis perfurados em gesso cartonado com lã de rocha na caixa de ar) Geralmente mais fácil de executar e mais económica, mas neste caso, menos recomendada => execução de tecto falso duplo (tecto superior p/ isolamento + tecto inferior absorvente) A=70x x x x0.05+x0.+1.5x0.05+4x0.6+15x0.50 = 59.4 m 2 T = 0.16x2 / 59.4 = 0.57 s.

6 Reabilitação ª Hipótese: Cortinas + correcção lateral de parede (com painéis em MDF perfurados com lã de rocha na caixa de ar) Mais fácil neste caso Correcção apenas em cortinas Correcção em cortinas + paredes laterais S7 S7 S7 S7 11 Reabilitação Exemplo de requisitos específicos para acústica interior => Requisitos acústicos especificados no caderno de encargos, obtidos com base nas fichas de especificação particulares de projecto Qualidade Sonora Isolamento sonoro Local de referência - Receptor T30 [s] RASTI [%] (ou outros) LAeq / NC (ou RC) [dba] Local emissor L nt,w [db] DnT,w ou D2m,nT,w [db] Musica Sinfónica => 1.7<T30<1.9 C80 > -2 Espaços adjacentes < 35 > 70 Ópera => 1.3<T30<1.5 Central de Máquinas (G) < 30 > 75 Grande auditório 1ª plateia, 2ª plateia, tribuna e 1ª e 2ª ordem de camarotes Teatro => 0.7<T30<1.0 RASTI > 60 D50 > 0.70 Música de câmara => C80 > -0.5 LAeq< 25 / RC< 20 Circulação público relativamente aos camarotes Circulação público relativamente às plateias e tribunas < 35 < 35 > 55 > 60 Outros parâmetros exigidos: 3dB < G mid < 8 db 1.1 < BR < 1.45 LF > 0.1 a) Exterior > 65 12

7 Reabilitação Resultados obtidos através de Software específico Situação para musica sinfónica Cortina de ferro fechada, galerias ressonantes abertas e painéis de acústica variável com lado liso 13 Reabilitação Resultados obtidos através de Software específico Mapa de níveis sonoros Resultados por receptor (RASTI, D50 e SPL) 14

8 Reabilitação Resultados obtidos através de Software específico Situação para teatro Cortina de ferro aberta, galerias ressonantes fechadas e painéis de acústica variável todos com lado absorvente voltado para o auditório 15 Reabilitação Resultados obtidos através de Software específico Resultados por receptor (RASTI, D50 e SPL) 16

9 Parede Forro de parede em madeira com acabamento semelhante aos painéis giratórios R R A1 A3 E14 B8 E15 Painel fonoabsorvente fixo à parede (painel perfurado em madeira sobre painel de lã de rocha de 4cm de espessura). Painel fonoabsorvente fixo a um painel de madeira giratório (painel perfurado em madeira sobre painel de lã de rocha de 3cm de espessura). Painel de madeira giratório B4 C8 R20 R14 C4 D1 EL5 EL4 R21 D4 i~7º E1 E3 E4 R12 F4 G1 G3 G V C.05 Reabilitação Esquema com as soluções propostas Lado interior do auditório Reabilitação F1 R5 B1 C1 B2 C2 R4 D2 E2 G2 233.E S28 A2 B3 C3 D3 R8 F2F3 R11 cc3 F2 R1 R2 A4 B5 C5 D5 E5 F1 A5 B6 C6 D6 E6 F5 G5 G6 A6 B7 C7 D7 E7 R6 F6F7 R9 G7 226.E S27 A7 R3 D8 E8 R7 F8 G8 R F1 e F2 cerca de 2 m de altura e F2 a cerca de 3m de altura) R1,..., R11 - Localização dos receptores no GECA Controlo da Acústica da Igreja da Santíssima Trindade 18

10 Reabilitação Estado actual das obras na Igreja em Março de 2007 Controlo da acústica da sala durante a construção. Objectivo: validação/ajuste das simulações efectuadas em fase de projecto e permitir eventuais correcções durante a obra. 19 Reabilitação s s khz RT = 3.53 s db db Curva de decaimento obtida para a banda de oitava de 00 Hz, no ponto R6 com fonte em F1 db t (s) [com T=1ms) Reflectograma obtido para a banda de oitava de 00 Hz, no ponto R6 com fonte em F1 20

11 Reabilitação Quadro 1 - Tempos de reverberação [s.] obtidos no GECA. Receptor/Fonte 125 Hz 250 Hz 500 Hz 00 Hz 2000 Hz 4000 Hz R1 / F R1 / F R1 / F R1 / F R2 / F R2 / F R2 / F R2 / F Quadro 2 - Tempos de reverberação mais cedo EDT [s.] obtidos no GECA. ( ) Receptor/Fonte 125 Hz 250 Hz 500 Hz 00 Hz 2000 Hz 4000 Hz R1 / F R1 / F R1 / F R1 / F R2 / F R2 / F R2 / F R2 / F R3 / F Quadro 3 Resultados da Definição (D50) e dos índices RASTI [em %], obtidos no GECA. Receptor / Definição (D50) [%] RASTI Fonte 125 Hz 250 Hz 500 Hz 00 Hz 2000 Hz 4000 Hz [%] R1 / F R1 / F R1 / F R1 / F R2 / F R2 / F R2 / F R2 / F R3 / F Reabilitação B/R1 B/C B/R3 B/R2 B/R6 B/R7 B/R9 B/R 8 6 L [db(a)] LAeq Bandas de oitava Reduções nos valores de SPL, com fonte MA12 em FA B/R1 B/C B/R3 B/R2 B/R6 B/R7 B/R9 B/R 12 L [db(a)] LAeq Bandas de oitava Reduções nos valores de SPL, com fonte VT4888DP/VT4880", em FB. 22

Acústica em Reabilitação de Edifícios

Acústica em Reabilitação de Edifícios Reabilitação 009- Parte 5 - Reabilitação 009- Protecção contra o ruído de equipamentos colocados no exterior Silenciadores circulares p/ condutas de ventilação Grelhas atenuadoras (5 a 1 db) Atenuadores

Leia mais

Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS AVALIAÇÕES ACÚSTICAS

Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS AVALIAÇÕES ACÚSTICAS Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS Técnicas de Inspecção e Avaliação do Desempenho de Edifícios Paulo Amado

Leia mais

TRANSMISSÃO DO SOM TRANSMISSÃO DO SOM TRANSMISSÃO DO SOM 1º MODO DE VIBRAÇÃO ESTRUTURAL ÍNDICE DE REDUÇÃO SONORA DE ELEMENTOS DE CONSTRUÇÃO

TRANSMISSÃO DO SOM TRANSMISSÃO DO SOM TRANSMISSÃO DO SOM 1º MODO DE VIBRAÇÃO ESTRUTURAL ÍNDICE DE REDUÇÃO SONORA DE ELEMENTOS DE CONSTRUÇÃO A transmissão do som entre locais pode efectuar-se: por via aérea: quando a vibração do elemento é provocada pelo campo sonoro criado pela fonte no ar; por percussão: quando a vibração do elemento é provocada

Leia mais

ACÚSTICA AMBIENTAL E DE EDIFÍCIOS

ACÚSTICA AMBIENTAL E DE EDIFÍCIOS pág. i DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL T E X T O D E A P O I O À D I S C I P L I N A D E ACÚSTICA AMBIENTAL E DE EDIFÍCIOS A. P. Oliveira de Carvalho ÍNDICE pág. PREÂMBULO

Leia mais

Acústica nos edifícios

Acústica nos edifícios Acústica nos edifícios Som directo Som reflectido Anabela Moreira FC - Acústica de Edifícios 1 Os materiais ou sistemas absorventes sonoros podem ser classificados em: - materiais texturados; -Ressoadores

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS DE QUALIDADE SONORA NAS CAPELAS DA RECONCILIAÇÃO NO EDIFÍCIO DA NOVA IGREJA DO SANTUÁRIO DE FÁTIMA

AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS DE QUALIDADE SONORA NAS CAPELAS DA RECONCILIAÇÃO NO EDIFÍCIO DA NOVA IGREJA DO SANTUÁRIO DE FÁTIMA Acústica 2008 20-22 de Outubro, Coimbra, Portugal Universidade de Coimbra AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS DE QUALIDADE SONORA NAS CAPELAS DA RECONCILIAÇÃO NO EDIFÍCIO DA NOVA IGREJA DO SANTUÁRIO DE FÁTIMA Diogo

Leia mais

Conforto Ambiental I I Aula 04 Tratamento Acústico

Conforto Ambiental I I Aula 04 Tratamento Acústico Conforto Ambiental I I Aula 04 Tratamento Acústico Professores: Ana Cristina Hillesheim Karina Colet Marcela Cebalho Michelle de Almeida Costa TRATAMENTO ACÚSTICO Os sons classificam-se, segundo sua origem,

Leia mais

PROPOSTA DE CORREÇÃO ACÚSTICA DO AUDITÓRIO CENTRAL DO CAMPUS PALMAS DO IFTO 1

PROPOSTA DE CORREÇÃO ACÚSTICA DO AUDITÓRIO CENTRAL DO CAMPUS PALMAS DO IFTO 1 PROPOSTA DE CORREÇÃO ACÚSTICA DO AUDITÓRIO CENTRAL DO CAMPUS PALMAS DO IFTO 1 Liliane Flávia Guimarães da Silva 2 1 Pesquisa da autora 2 Graduada em Arquitetura e Urbanismo, Mestre em Desenvolvimento e

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão Disciplina ministrada ao IV semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT OBJETIVOS DA DISCIPLINA

Leia mais

Projetos Salas de Múltiplo uso. MSc. Keliane Castro

Projetos Salas de Múltiplo uso. MSc. Keliane Castro Projetos Salas de Múltiplo uso MSc. Keliane Castro Há dois critérios básicos a serem atendidos pelo projeto acústico: o isolamento e o condicionamento interno do ambiente. O primeiro, em síntese, bloqueia

Leia mais

K-FLEX K-FLEX K-FONIK SYSTEM 58 UMA NOVA GERAÇÃO DE MATERIAIS DE ISOLAMENTO

K-FLEX K-FLEX K-FONIK SYSTEM 58 UMA NOVA GERAÇÃO DE MATERIAIS DE ISOLAMENTO 58 UMA NOVA GERAÇÃO DE MATERIAIS DE ISOLAMENTO K-FONIK SYSTEM Aplicações: - Canalizações e sistemas de drenagem - Tubulação industrial, maquinaria civil e industrial - Isolamento acústico para paredes

Leia mais

Permissões de utilização do solo. Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios. Objectivos Principais

Permissões de utilização do solo. Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios. Objectivos Principais Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios Decreto - Lei 96/2008 de 1 Julho 1 Objectivos Principais Estabelecer um conjunto de critérios de desempenho exigências que potenciem condições de conforto

Leia mais

1.- SISTEMA ENVOLVENTE...

1.- SISTEMA ENVOLVENTE... ÍNDICE.- SISTEMA ENVOLVENTE.....- Pavimentos em contacto com o terreno......- Lajes térreas.....- Fachadas......- Parte opaca das fachadas......- Aberturas em fachada.....- Paredes meeiras... 5..- Coberturas...

Leia mais

Campo sonoro em espaços fechados

Campo sonoro em espaços fechados Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura AUT 0278 - Desempenho Acústico, Arquitetura e Urbanismo Ambientes fechados Ranny L. X. N. Michalski

Leia mais

Simpósio de Acústica e Vibrações 3 de fevereiro Coimbra

Simpósio de Acústica e Vibrações 3 de fevereiro Coimbra Simpósio de Acústica e Vibrações 3 de fevereiro Coimbra ESTUDO DA QUALIDADE ACÚSTICA EM AUDITÓRIOS MARCO A. OLIVEIRA 1, SANDRA M. SILVA 2,TANIA C. FORTES 3, LUIS M. BRAGANÇA 4 1: Escola de Engenharia da

Leia mais

Materiais. Conceitos para acústica arquitetônica. Marcelo Portela LVA/UFSC

Materiais. Conceitos para acústica arquitetônica. Marcelo Portela LVA/UFSC Materiais Acústicos Conceitos para acústica arquitetônica Marcelo Portela LVA/UFSC LEMBRANDO... ISOLAMENTO ACÚSTICO Capacidade de certos materiais formarem uma barreira, impedindo que a onda sonora passe

Leia mais

PROGRAMA DE CONFORTO ACÚSTICO EM EDIFÍCIOS

PROGRAMA DE CONFORTO ACÚSTICO EM EDIFÍCIOS Aplicação da Normalização Europeia e de Marcação CE à Caixilharia Exterior 16 de Setembro de 2009 Eng.ª Odete Domingues PROGRAMA DE CONFORTO ACÚSTICO EM EDIFÍCIOS ANÁLISE GERAL Local de implantação Conforto

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE MODELOS DE PREVISÃO DE ISOLAMENTO SONORO A SONS DE CONDUÇÃO AÉREA DE ELEMENTOS CONSTRUTIVOS

COMPARAÇÃO ENTRE MODELOS DE PREVISÃO DE ISOLAMENTO SONORO A SONS DE CONDUÇÃO AÉREA DE ELEMENTOS CONSTRUTIVOS COMPARAÇÃO ENTRE MODELOS DE PREVISÃO DE ISOLAMENTO SONORO A SONS DE CONDUÇÃO AÉREA DE ELEMENTOS CONSTRUTIVOS Luís Bragança, Francisco Correia da Silva Departamento de Engenharia Civil, Universidade do

Leia mais

Código: MS Revisão: 01 Data:04/04/2016. Página 1 de 8. Laudo Técnico

Código: MS Revisão: 01 Data:04/04/2016. Página 1 de 8. Laudo Técnico Página 1 de 8 Laudo Técnico Assunto: Ensaio acústico para Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado Ponderado (L ntw ), conforme determinado pela Norma de Desempenho de Edificações NBR 15.575, seguindo

Leia mais

Acústica nos edifícios. Acústica nos edifícios. Acústica nos edifícios. Som directo. Som reflectido. 6dB, quando se (2X) a distância à fonte

Acústica nos edifícios. Acústica nos edifícios. Acústica nos edifícios. Som directo. Som reflectido. 6dB, quando se (2X) a distância à fonte Som directo Som reflectido Anabela Moreira FC - Acústica de difícios 1 CAMPO ABRTO Nível sonoro SPAÇOS FCHADOS 6dB, quando se (2X) a distância à fonte nergia directamente nergia reflectida pelos obstáculos

Leia mais

Comunicado de Imprensa Ganhar em luminosidade com tetos OPTIMA Baffles da Armstrong

Comunicado de Imprensa Ganhar em luminosidade com tetos OPTIMA Baffles da Armstrong Ganhar em luminosidade com tetos OPTIMA Baffles da Armstrong A gama OPTIMA Baffles da Armstrong é composta por peças retangulares completamente revestidas com um velo e um acabamento de fábrica com pintura

Leia mais

Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo

Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo Diogo Mateus (dm@contraruido.com) Conteúdo da apresentação: Enquadramento e objectivos do trabalho Problemas típicos na execução de soluções construtivas

Leia mais

Mapesilent System. Sistema para o isolamento acústico contra o ruído de passos

Mapesilent System. Sistema para o isolamento acústico contra o ruído de passos Mapesilent System Sistema para o isolamento acústico contra o ruído de passos O sistema Mapesilent Ao longo dos últimos anos, o conhecimento do conceito de conforto habitacional, combinado com a utilização

Leia mais

ESTUDO DE CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DE UM ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO DE MÚSICA DA CONCEÇÃO À EXECUÇÃO

ESTUDO DE CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DE UM ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO DE MÚSICA DA CONCEÇÃO À EXECUÇÃO ESTUDO DE CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DE UM ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO DE MÚSICA DA CONCEÇÃO À EXECUÇÃO Diogo Mateus 1, Andreia Pereira 1, Luís Godinho 1 1 ISISE, Department of Civil Engineering, University of Coimbra,

Leia mais

Página 1 de 7. Código: MS Revisão: 01 Data: 14/12/2015. Laudo Técnico

Página 1 de 7. Código: MS Revisão: 01 Data: 14/12/2015. Laudo Técnico Página 1 de 7 Laudo Técnico Assunto: Ensaio acústico para Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado Ponderado (L ntw ), conforme determinado pela Norma de Desempenho de Edificações NBR 15.575, seguindo

Leia mais

Soluções de isolamento acústico: - Obra nova - Reabilitação - Estabelecimentos

Soluções de isolamento acústico: - Obra nova - Reabilitação - Estabelecimentos Soluções de isolamento acústico: - Obra nova - Reabilitação - Estabelecimentos Impermeabilização Isolamento Drenagens - Geotêxteis Clarabóias Índice OBRA NOVA... N. Pavimentos...... N.. Abaixo da betonilha

Leia mais

ESTUDO DE CONDICIONAMENTO ACÚSTICO INTERIOR DE UM AUDITÓRIO AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE QUALIDADE SONORA

ESTUDO DE CONDICIONAMENTO ACÚSTICO INTERIOR DE UM AUDITÓRIO AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE QUALIDADE SONORA Acústica 2008 20-22 de Outubro, Coimbra, Portugal Universidade de Coimbra ESTUDO DE CONDICIONAMENTO ACÚSTICO INTERIOR DE UM AUDITÓRIO AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE QUALIDADE SONORA Nuno M. Paulino 1, Andreia

Leia mais

DIMENSIONAMENTO E INSTALAÇÃO DE BARREIRAS ACÚSTICAS

DIMENSIONAMENTO E INSTALAÇÃO DE BARREIRAS ACÚSTICAS DIMENSIONAMENTO E INSTALAÇÃO DE BARREIRAS ACÚSTICAS 12 de Junho de 2002 Rute Roque OBJECTIVO E ENQUADRAMENTO LEGAL Cumprir o Decreto-Lei nº 292/2000 de 14 de Novembro (REGIME LEGAL SOBRE A POLUIÇÃO SONORA

Leia mais

Difusor de Alta Indução

Difusor de Alta Indução 2/8/P/2 Difusor de Alta Indução Série VD Ajustável, para Instalação em Locais com Altura > 3,80 m TROX DO BRASIL LTDA. Rua Alvarenga, 2 009-00 São Paulo SP Fone: (11) 303-3900 Fax: (11) 303-39 E-mail:

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA Marco Antônio Vecci Local: EXPOMINAS BH Data: 08/08/2016 FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO ESTUDO PRELIMINAR Consultoria e Ensaios Consultoria: Análise preliminar entre

Leia mais

Pladur FON+ Sistemas. Tetos falsos e contínuos FON + Soluciones Acústicas

Pladur FON+ Sistemas. Tetos falsos e contínuos FON + Soluciones Acústicas Sistemas Tetos falsos e contínuos FON + Soluciones Acústicas tetos falsos A gama de tetos suspensos perfurados Pladur FON + é única relativamente ao seu design e prestações: Modulação: 600 x 600 mm Grande

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Meias canas para isolamento de tubagens, com diâmetros variáveis.

FICHA TÉCNICA. Meias canas para isolamento de tubagens, com diâmetros variáveis. FICHA TÉCNICA 1. APRESENTAÇÃO DO PRODUTO Aglomex Acoustic é um produto resultante da aglomeração de espuma flexível de poliuretano de diferentes densidades que evidencia uma composição homogénea e estável.

Leia mais

Campo sonoro em espaços fechados

Campo sonoro em espaços fechados Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura AUT 0278 - Desempenho Acústico, Arquitetura e Urbanismo Ambientes fechados Alessandra Prata-Shimomura,

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE ABSORÇÃO SONORA

DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE ABSORÇÃO SONORA DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE ABSORÇÃO SONORA Placas de LecaMIX MAXIT, Préfabricação em Betão Leve S.A. Albergaria-a-Velha Dezembro de 2004 praceta da rua da república, nº 17, 2º dto. alagoas. 3810-160

Leia mais

Acústica em Reabilitação de Edifícios

Acústica em Reabilitação de Edifícios Reabilitação 09- Parte 8 - Desempenho Acústico de - Soluções Construtivas e Problemas típicos na Execução Reabilitação 09- Conteúdo da apresentação: Problemas típicos de soluções construtivas correntes

Leia mais

Acústica em Reabilitação de Edifícios

Acústica em Reabilitação de Edifícios Reabilitação 2009- Parte 7 - - Soluções de Reabilitação 1 Reabilitação 2009- Regulamento Geral do Ruído (RGR) Com as alterações do DL278/2007 de 1 Agosto DL 9/2007 de 17/01 (revoga o anterior RLPS, aprovado

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO NUMÉRICO-EXPERIMENTAL DE QUALIDADE ACÚSTICA DE AUDITÓRIOS

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO NUMÉRICO-EXPERIMENTAL DE QUALIDADE ACÚSTICA DE AUDITÓRIOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO NUMÉRICO-EXPERIMENTAL DE QUALIDADE ACÚSTICA DE AUDITÓRIOS VECCI, M.A. (1); FERRAZ, R.M. (2); HORTA, F.C. (3) (1) Departamento de Engenharia de Estruturas Universidade Federal

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Meias canas para isolamento de tubagens, com diâmetros variáveis.

FICHA TÉCNICA. Meias canas para isolamento de tubagens, com diâmetros variáveis. FICHA TÉCNICA 1. APRESENTAÇÃO DO PRODUTO Aglomex Acoustic é um produto resultante da aglomeração de espuma flexível de poliuretano de diferentes densidades, que evidencia uma composição homogénea e estável.

Leia mais

Qualidade de vida. Sustentabilidade. Tecnologia. Trabalhando a favor do bem-estar. Conforto acústico é saúde para todos.

Qualidade de vida. Sustentabilidade. Tecnologia. Trabalhando a favor do bem-estar. Conforto acústico é saúde para todos. Tecnologia Trabalhando a favor do bem-estar. Qualidade de vida Conforto acústico é saúde para todos. Sustentabilidade Respeito à vida, ao ser humano e ao planeta. Palestra Acústica Arquitetônica OFFICE

Leia mais

SonaSpray. A solução acústica e térmica definitiva. Celulose Projectada. Para tectos e paredes. Divisão de Isolamentos Acústicos

SonaSpray. A solução acústica e térmica definitiva. Celulose Projectada. Para tectos e paredes. Divisão de Isolamentos Acústicos SonaSpray Celulose Projectada A solução acústica e térmica definitiva Para tectos e paredes Representado e aplicado por Sociedade Técnica de Isolamentos e Energias Renováveis, Lda. Divisão de Isolamentos

Leia mais

FICHA TÉCNICA. IMPERALUM Manual de Acústica. nº 24. Nº Pág.s: Maio Copyright Construlink.com - Todos os direitos reservados.

FICHA TÉCNICA. IMPERALUM Manual de Acústica. nº 24. Nº Pág.s: Maio Copyright Construlink.com - Todos os direitos reservados. FICHA TÉCNICA IMPERALUM Manual de Acústica nº 24 Nº Pág.s: 10 24 04. Maio 2006 MANUAL DE ACÙSTICA IMPERSOM 01 1. MANUAL DE ACÙSTICA A gama acústica IMPERSOM Fruto de todo um trabalho de investigação e

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão Disciplina ministrada ao IV semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT OBJETIVOS DA DISCIPLINA

Leia mais

Caracterização acústica de salas de audiências em tribunais

Caracterização acústica de salas de audiências em tribunais paper ID: 0055 /p.1 Caracterização acústica de salas de audiências em tribunais Carlos A. Monteiro*; António P. O. Carvalho**; José F. Gomes* * Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPG Departamento

Leia mais

Pavimentos e revestimentos de pavimentos, isolamento a sons de percussão ÍNDICE

Pavimentos e revestimentos de pavimentos, isolamento a sons de percussão ÍNDICE Pavimentos e revestimentos de pavimentos, isolamento a sons de percussão ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 1 2 TERMINOLOGIA... 2 2.1 Considerações gerais... 2 2.2 Definições... 2 2.2.1 Índice de isolamento sonoro,

Leia mais

1.- SISTEMA ENVOLVENTE...

1.- SISTEMA ENVOLVENTE... ÍNDICE.- SISTEMA ENVOLVENTE.....- Envolvente exterior......- Fachadas.....- Muros abaixo da rasante.....- Pavimentos......- Lajes térreas.....- Coberturas......- Coberturas planas....5.- Aberturas verticais....-

Leia mais

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PEÇAS ESCRITAS: ÍNDICE 6.1 - INTRODUÇÃO... 1 6.2.1 BARREIRAS ACÚSTICAS... 2 6.2-1.1 LOCALIZAÇÃO... 2 6.2-1.2 CARACTERÍSTICAS ACÚSTICAS... 2 6.2-2.1.1 BARREIRA B1- BARREIRA REFLECTORA... 2 6.2-1.3 CONDIÇÕES

Leia mais

Decreto-Lei n.º 129/2002 de 11 de Maio REGULAMENTO DOS REQUISITOS ACÚSTICOS DOS EDIFÍCIOS...4

Decreto-Lei n.º 129/2002 de 11 de Maio REGULAMENTO DOS REQUISITOS ACÚSTICOS DOS EDIFÍCIOS...4 Decreto-Lei n.º 129/2002 de 11 de Maio Aprovação...3 Regiões Autónomas...3 Regime transitório...3 Entrada em vigor...3 REGULAMENTO DOS REQUISITOS ACÚSTICOS DOS EDIFÍCIOS...4 Disposições gerais...4 Objecto

Leia mais

PISO / PAREDE. Prof. Francisco Buarque

PISO / PAREDE. Prof. Francisco Buarque PISO / PAREDE 1 Parte 01: Requisitos Gerais; Parte 02: Requisitos para os sistemas estruturais; Parte 03: Requisitos para os sistemas de pisos; Parte 04: Requisitos para os sistemas de vedações verticais

Leia mais

45º CONGRESO ESPAÑOL DE ACÚSTICA 8º CONGRESO IBÉRICO DE ACÚSTICA EUROPEAN SYMPOSIUM ON SMART CITIES AND ENVIRONMENTAL ACOUSTICS

45º CONGRESO ESPAÑOL DE ACÚSTICA 8º CONGRESO IBÉRICO DE ACÚSTICA EUROPEAN SYMPOSIUM ON SMART CITIES AND ENVIRONMENTAL ACOUSTICS A INFLUÊNCIA DA COLMATAÇÃO DE FRINCHAS EM PORTAS DE SALAS DE AULAS PACS 43.55 Rg António P. O. Carvalho; Natália C. M. Cunha Laboratório de Acústica, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto R.

Leia mais

MESTRADO EM ARQUITECTURA

MESTRADO EM ARQUITECTURA MESTRADO EM ARQUITECTURA DISCIPLINA DE FÍSICA DAS CONSTRUÇÕES PARA ARQUITECTURA ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS Cristina Matos Silva CONCEITO DE SOM O som é o resultado de uma perturbação física (vibração) provocada

Leia mais

ISOLAMENTOS TÉRMICOS / ACÚSTICOS

ISOLAMENTOS TÉRMICOS / ACÚSTICOS ISOLAMENTOS TÉRMICOS / ACÚSTICOS Lã DE ROCHA A Lã de Rocha é um produto de excelência para o isolamento ao nível térmico e acústico. O silêncio é um bem precioso que convém manter no interior das nossas

Leia mais

Case study of acoustic performance of corrections in junctions of internal wall and curtain wall façade

Case study of acoustic performance of corrections in junctions of internal wall and curtain wall façade Buenos Aires 5 to 9 September 2016 Acoustics for the 21 st Century PROCEEDINGS of the 22 nd International Congress on Acoustics Architectural Acoustics Room and Building Acoustics: FIA2016-93 Case study

Leia mais

REQUISITOS ACÚSTICOS NOS EDIFÍCIOS

REQUISITOS ACÚSTICOS NOS EDIFÍCIOS REQUISITOS ACÚSTICOS NOS EDIFÍCIOS MODELOS DE PREVISÃO Albano Neves e Sousa 22 de Maio de 2009 ÍNDICE QUALIDADE ACÚSTICA DE ESPAÇOS FECHADOS Tempo de reverberação: EN 12354-6:2003 ISOLAMENTO SONORO Ruído

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura

Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura AUT 0278 - Desempenho Acústico, Arquitetura e Urbanismo Absorção Sonora Ranny L. X. N. Michalski

Leia mais

Apresentação. CAEd versão1.0. CAEd Cálculo Acústico de Edifícios. Jorge Patrício. Luís Santos Lopes

Apresentação. CAEd versão1.0. CAEd Cálculo Acústico de Edifícios. Jorge Patrício. Luís Santos Lopes CAEd Cálculo Acústico de Edifícios Autores: João Mariz Graça Jorge Patrício Luís Santos Lopes Lisboa, Junho de 2008 1 Introdução O programa CAEd foi desenvolvido por João Mariz da Graça, Jorge Patrício

Leia mais

CORREÇÃO. Resumo projeto, Abstract. preferred. obtaining applying

CORREÇÃO. Resumo projeto, Abstract. preferred. obtaining applying APLICABILIDADE DA FÓRMULA DE SABINE A ESPAÇOS COM ELEVADA ABSORÇÃO SONORA: PROPOSTA DE PRÉVIA CORREÇÃO DE COEFICIENTES DE ABSORÇÃO Diogo Mateus 1, André Marinho 2, Andreia Pereira 1 1 CICC, Universidade

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO 1. Para determinar a porosidade aberta de uma pedra calcária, utilizou-se um provete com as dimensões de 7.1 7.1 7.1 cm 3. Determinou-se a massa no estado

Leia mais

ÍNDICE 1. EMPRESA BREVES NOÇÕES PRINCIPAIS VANTAGENS ÂMBITO DE APLICAÇÃO INSTRUÇÕES SIMPLIFICADAS DE APLICAÇÃO...

ÍNDICE 1. EMPRESA BREVES NOÇÕES PRINCIPAIS VANTAGENS ÂMBITO DE APLICAÇÃO INSTRUÇÕES SIMPLIFICADAS DE APLICAÇÃO... DOSSIER INFORMATIVO ÍNDICE 1. EMPRESA... 3 2. BREVES NOÇÕES... 4 3. PRINCIPAIS VANTAGENS... 5 4. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 7 5. INSTRUÇÕES SIMPLIFICADAS DE APLICAÇÃO... 8 2 1. EMPRESA A FLEX2000 é uma empresa

Leia mais

ISOLAMENTO A SONS AÉREOS ISOLAMENTO AOS SONS SONS AÉREOS. Proveniência dos Sons Aéreos. Sons Aéreos. Isolamento. Sons de Percussão

ISOLAMENTO A SONS AÉREOS ISOLAMENTO AOS SONS SONS AÉREOS. Proveniência dos Sons Aéreos. Sons Aéreos. Isolamento. Sons de Percussão ISOLAMENTO A SONS AÉREOS ISOLAMENTO AOS SONS Isolamento Sons Aéreos Sons de Percussão A distinção entre sons aéreos e sons de percussão é importante porque o isolamento sonoro dos elementos de construção

Leia mais

APRESENTAÇÃO GRUPO ABSORSOR. MADRID c/ Lopez Aranda, Madrid Tel: Fax:

APRESENTAÇÃO GRUPO ABSORSOR. MADRID c/ Lopez Aranda, Madrid Tel: Fax: MONITORIZAÇÃO E CONTROLO DE RUÍDO E VIBRAÇÕES LISBOA Taguspark Edificío Tecnologia I, n.º 11 2780-920 Oeiras Tel: +351 214 228 950 Fax: +351 214 228 959 PORTO Zona Industrial da Maia I, Sector X, Lote

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS DA ALA ADMINISTRATIVA E DE GABINETES DE UMA UNIDADE ACADÊMICA NUMA IFES

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS DA ALA ADMINISTRATIVA E DE GABINETES DE UMA UNIDADE ACADÊMICA NUMA IFES AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS DA ALA ADMINISTRATIVA E DE GABINETES DE UMA UNIDADE ACADÊMICA NUMA IFES Júlia Barros Valadão (1); Antônio Cleber Gonçalves Tibiriçá (2) (1) Departamento de Engenharia

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Construção da Sede da Junta de Freguesia do Ameal 2. LOCALIZAÇÃO Lugar e Freguesia do Ameal 3. SCRIÇÃO GERAL ADMINISTRATIVA Terreno situado no gaveto entre a Rua da Fonte e

Leia mais

TRANSMISSÃO. Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora.

TRANSMISSÃO. Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora. TRANSMISSÃO Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora. PAREDES HOMOGÊNEAS obedecem à LEI DA MASSA : o isolamento sonoro aumenta de db a cada vez que

Leia mais

Decreto-Lei Nº 129/2002 de 11 de Maio - protecção acústica dos edifícios Gesetzesdekret Nr. 129 vom 11. Mai 2002 Lärmschutz bei Gebäuden

Decreto-Lei Nº 129/2002 de 11 de Maio - protecção acústica dos edifícios Gesetzesdekret Nr. 129 vom 11. Mai 2002 Lärmschutz bei Gebäuden Decreto-Lei Nº 129/2002 de 11 de Maio - protecção acústica dos edifícios Gesetzesdekret Nr. 129 vom 11. Mai 2002 Lärmschutz bei Gebäuden A área da acústica esteve ligada, desde muito cedo, ao sector da

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão Disciplina ministrada ao IV semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT OBJETIVOS DA DISCIPLINA

Leia mais

TECNOLOGIA DE EDIFÍCIOS

TECNOLOGIA DE EDIFÍCIOS Universidade do Algarve Instituto Superior de Engenharia TECNOLOGIA DE EDIFÍCIOS ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS António Morgado André UAlg-EST-ADEC aandre@ualg.pt 1 Exercício 2.1 Considere uma sala de aula de 4,5x

Leia mais

PAINEIS MÓVEIS ACÚSTICOS TYPE 100

PAINEIS MÓVEIS ACÚSTICOS TYPE 100 Documentação Índice Documentação Geral... 2 Especificações Type 100... 4 Painéis de Parede e de Porta... 5 Sistema de Parqueamento dos Painéis... 6 Calhas dos Painéis... 7 Detalhes dos Painéis... 8 Tipos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ACÚSTICA DE UM EDIFÍCIO MBT

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ACÚSTICA DE UM EDIFÍCIO MBT AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA ACÚSTICA DE UM EDIFÍCIO MBT PACS REFERENCE: 43.55 Bragança 1, Luís; Almeida 1, Manuela; Silva 1, Sandra; Patricio 2, Jorge 1 Department of Civil Engineering University of Minho,

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA E RESPETIVO ORÇAMENTO DESIGNAÇÃO: PROPOSTA DE INSTALAÇÃO SANITÁRIA MODULAR LOCAL: PARQUE VERDE FUNDÃO

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA E RESPETIVO ORÇAMENTO DESIGNAÇÃO: PROPOSTA DE INSTALAÇÃO SANITÁRIA MODULAR LOCAL: PARQUE VERDE FUNDÃO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA E RESPETIVO ORÇAMENTO DESIGNAÇÃO: PROPOSTA DE INSTALAÇÃO SANITÁRIA MODULAR LOCAL: PARQUE VERDE FUNDÃO 1 INDICE: 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESENVOLVIMENTO... 3 I) Descrição

Leia mais

Solução de compartimentação vertical, pré-fabricada, técnica e comercialmente viável

Solução de compartimentação vertical, pré-fabricada, técnica e comercialmente viável Isolamento Estrutura metálica Infra-estruturas Revestimento final Solução de compartimentação vertical, pré-fabricada, técnica e comercialmente viável Objectivos Competitividade no mercado Redução de tempos

Leia mais

ENTREPISOS DE MADEIRA REABILITAÇÃO ACÚSTICA

ENTREPISOS DE MADEIRA REABILITAÇÃO ACÚSTICA ENTREPISOS DE MADEIRA REABILITAÇÃO ACÚSTICA ENTREPISO DE MADEIRA DE ELEVADAS PRESTAÇÕES : Membrana de polietileno reticulado e lã mineral RHFM 7 8 IMPACTODAN Lã mineral VANTAGENS Isolamento a ruido aéreo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE ACÚSTICA PRÉ-OCUPAÇÃO PARA O SISTEMA DE PISO EM AMBIENTE CONSTRUÍDO DE UM APARTAMENTO RESIDENCIAL EM NITERÓI-RJ

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE ACÚSTICA PRÉ-OCUPAÇÃO PARA O SISTEMA DE PISO EM AMBIENTE CONSTRUÍDO DE UM APARTAMENTO RESIDENCIAL EM NITERÓI-RJ AVALIAÇÃO DA QUALIDADE ACÚSTICA PRÉ-OCUPAÇÃO PARA O SISTEMA DE PISO EM AMBIENTE CONSTRUÍDO DE UM APARTAMENTO RESIDENCIAL EM NITERÓI-RJ Área temática: Gestão Ambiental e Sustentabilidade Wlander Belém Martins

Leia mais

VII ENCONTRO TÉCNICO MAPAS DE RUÍDO E BARREIRAS ACÚSTICAS

VII ENCONTRO TÉCNICO MAPAS DE RUÍDO E BARREIRAS ACÚSTICAS VII ENCONTRO TÉCNICO MAPAS DE RUÍDO E BARREIRAS ACÚSTICAS Funchal, 2 de Junho de 2005 Rute Roque (isofonia@mail.telepac.pt) 1 1 ELABORAÇÃO DE MAPAS DE RUÍDO MAPA DE RUÍDO - Descritor dos níveis de exposição

Leia mais

Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios

Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios Decreto-Lei n.º 129/2002, de 11 de Maio A área da acústica esteve ligada, desde muito cedo, ao sector da edificação urbana, e, em especial, aos requisitos

Leia mais

Tectos Gab-on. Gama de Painéis Basculantes e Deslizantes. O especialista em Tectos perto de si

Tectos Gab-on. Gama de Painéis Basculantes e Deslizantes. O especialista em Tectos perto de si Tectos Gab-on Gama de Painéis Basculantes e Deslizantes Gab-on 2 L Gab-on 1 L Gab-on deslizante O especialista em Tectos perto de si Painéis de fácil manuseamento Painéis basculantes em ambos os lados

Leia mais

Parafuso autoperfurante TA 3,5x25mm. Massa para tratamento de juntas com fita de papel microperfurado. Fita de isolamento Montante

Parafuso autoperfurante TA 3,5x25mm. Massa para tratamento de juntas com fita de papel microperfurado. Fita de isolamento Montante Parede Knauf W111 - Detalhes Técnicos Corte Vertical Detalhe - Junta de chapas estrutura simples TA 3,5x25mm TA 3,5x25mm com fita de com fita de Detalhe - Encontro com parede TA 3,5x25mm Parafuso com bucha

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão Disciplina ministrada ao IV semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT OBJETIVOS DA DISCIPLINA

Leia mais

LINHA OPTIMA 4+ Tratamento térmico e acústico de ambientes

LINHA OPTIMA 4+ Tratamento térmico e acústico de ambientes LINHA OPTIMA 4 Tratamento térmico e acústico de ambientes LINHA OPTIMA A LINHA OPTIMA 4 é composta por painéis e feltros em uma nova geração de lã de vidro. Sua cor remete ao tom natural da terra e reforça

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 105894 (51) Classificação Internacional: E04C 2/284 (2006) E04C 2/292 (2006) E04C 2/296 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2011.09.22 (30) Prioridade(s):

Leia mais

IMPACTE DO NOVO DL 96/2008 NAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL

IMPACTE DO NOVO DL 96/2008 NAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL Acústica 28 2-22 de Outubro, Coimbra, Portugal Universidade de Coimbra IMPACTE DO NOVO DL 96/28 NAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL Clotilde A. Lages 1, Rodrigo A. Tomaz 1, Luís Conde Santos

Leia mais

CENTRO HISTÓRICO HOSTEL. praça alfandega SÍTIO CCMQ. igreja N.S. das Dores. pontos turísticos centro porto alegre. sítio e entorno CCMQ

CENTRO HISTÓRICO HOSTEL. praça alfandega SÍTIO CCMQ. igreja N.S. das Dores. pontos turísticos centro porto alegre. sítio e entorno CCMQ praça alfandega SÍTIO CCMQ igreja N.S. das Dores pontos turísticos centro porto alegre sítio e entorno r. siqueira campos/r. ge. bento martins r. siqueira campos/av. tomé av. mauá/ av. tomé av. mauá/r.

Leia mais

ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS / ENSAIOS / CORRECÇÕES A EFECTUAR NO AMBITO DO CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DE EDIFICIOS

ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS / ENSAIOS / CORRECÇÕES A EFECTUAR NO AMBITO DO CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DE EDIFICIOS paper ID: 0126 /p.1 CÚSTIC DE EDIFÍCIOS / ENSIOS / CORRECÇÕES EFECTUR NO MBITO DO CONDICIONMENTO CÚSTICO DE EDIFICIOS Jorge Nunes a a PROLB Laboratório de Ruído da Projecovas, projecovas@mail.telepac.pt,

Leia mais

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575 EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO

Leia mais

Historial da Legislação Acústica em Portugal

Historial da Legislação Acústica em Portugal Ruído Historial da Legislação Acústica em Portugal Lei 11/87: Lei de Bases do Ambiente (em vigor) DL 251/87: 1º Regulamento Geral Sobre o Ruído Revogado pelo 292/200 (alterado pelos DL 76/2002, DL 259/2002

Leia mais

Atenuadores Sonoros. Elevada redução de ruído no escoamento de fluidos INTRODUÇÃO. Descrição Técnica. Atenuadores Dissipativos

Atenuadores Sonoros. Elevada redução de ruído no escoamento de fluidos INTRODUÇÃO. Descrição Técnica. Atenuadores Dissipativos Elevada redução de ruído no escoamento de fluidos INTRODUÇÃO Os atenuadores são dispositivos acústicos projectados para garantirem a atenuação do ruído que se propaga no escoamento de fluidos. Algumas

Leia mais

MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS

MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS 1 Programa de Recuperação de Espaços Didáticos Pró-Reitoria de Graduação MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS 2 1. INTRODUÇÃO Adotou-se um processo de trabalho convencional, de desenvolvimento

Leia mais

LISTAGEM DE ACABAMENTOS 1

LISTAGEM DE ACABAMENTOS 1 LISTAGEM DE ACABAMENTOS 1 APARTAMENTOS GERAIS SALAS, QUARTOS E CIRC. Paredes estucadas e pintadas a branco Pavimento em Soalho de madeira de Afizélia com base acústica em lâmina de cortiça Rodapés em MDF

Leia mais

BARREIRAS ACÚSTICAS APLICAÇÃO PARA SISTEMAS LINEARES DE TRANSPORTE E INDÚSTRIAS. Palestrante: Maria Luiza Belderrain

BARREIRAS ACÚSTICAS APLICAÇÃO PARA SISTEMAS LINEARES DE TRANSPORTE E INDÚSTRIAS. Palestrante: Maria Luiza Belderrain BARREIRAS ACÚSTICAS APLICAÇÃO PARA SISTEMAS LINEARES DE TRANSPORTE E INDÚSTRIAS Palestrante: Maria Luiza Belderrain INTRODUÇÃO A 1ª Conferência Municipal de Ruído, Vibrações e Perturbação Sonora, realizada

Leia mais

Conforto Térmico Acústica Arquitetônica

Conforto Térmico Acústica Arquitetônica Abril de 2012 Conforto Térmico Acústica Arquitetônica MÓDULO II Acústica Arquitetônica Isolamento Acústico Prof. Dr. Eduardo Grala da Cunha Sino-Italian Ecological and Energy Efficient Building - SIEEB

Leia mais

LANÇAMENTO. Placo Phonique. Solução acústica para seu conforto e tranquilidade. AF-Folder Placo Phonique_23x21.indd 1

LANÇAMENTO. Placo Phonique. Solução acústica para seu conforto e tranquilidade. AF-Folder Placo Phonique_23x21.indd 1 Placo Phonique LANÇAMENTO Solução acústica para seu conforto e tranquilidade. AF-Folder Placo Phonique_23x21.indd 1 05/03/14 20:48 Ssshhh... o silêncio é ouro. O excesso de ruído é uma das principais queixas

Leia mais

... escute o silêncio...

... escute o silêncio... ...TCHUU Nas suas diferentes funções os edifícios encerram um conjunto de exigência funcionais das quais o comportamento acústico é, ao nível do conforto, um dos aspectos centrais. Quer se trate de edifícios

Leia mais

Os Nossos Parceiros. PORTUGAL Lisboa Porto Albergaria. ESPANHA Barcelona Madrid. GANA Acra. DINAMARCA Copenhaga. COLOMBIA Bogotá.

Os Nossos Parceiros. PORTUGAL Lisboa Porto Albergaria. ESPANHA Barcelona Madrid. GANA Acra. DINAMARCA Copenhaga. COLOMBIA Bogotá. Painéis sanduíche Os Nossos Parceiros PORTUGAL Lisboa Porto Albergaria ANGOLA Luanda MOÇAMBIQUE Maputo FRANÇA Paris ESPANHA Barcelona Madrid BRASIL São Paulo Rio de Janeiro Vitória Curitiba Belo Horizonte

Leia mais

BloCork Desenvolvimento de blocos de betão com cortiça

BloCork Desenvolvimento de blocos de betão com cortiça BloCork Desenvolvimento de blocos de betão com cortiça N. Simões, I. Castro, J. Nascimento, A. Nascimento SEMINÁRIO TECNOLOGIAS E SISTEMAS DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL - INVESTIGAÇÃO EM ACÇÃO - Viabilizar

Leia mais

DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES

DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS: UNISINOS INSTITUTO TECNOLÓGICO EM DESEMPENHO E CONSTRUÇÃO CIVIL NORMA DE DESEMPENHO E OS SISTEMAS VERTICAIS DE VEDAÇÃO DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES Prof. Dr. Bernardo

Leia mais

CONFORTO AMBIENTAL II

CONFORTO AMBIENTAL II UNIME - UNIÃO METROPOLITANA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FCT - FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CONFORTO AMBIENTAL II COMPATIBILIZAÇÃO ACÚSTICA DA SALA 03-C Adrielle G. Costa LAURO DE FREITAS ABRIL/2017

Leia mais

O espaço é a verdadeira obra de Arte, a Arquitectura existe meramente para moldá-lo. Porquê? Mies Van der Rohe

O espaço é a verdadeira obra de Arte, a Arquitectura existe meramente para moldá-lo. Porquê? Mies Van der Rohe Porquê? O espaço é a verdadeira obra de Arte, a Arquitectura existe meramente para moldá-lo Mies Van der Rohe As woodmood houses são adaptadas tendo em conta as necessidades e exigências individuais dos

Leia mais

Desempenho acústico de esquadrias e NBR

Desempenho acústico de esquadrias e NBR Desempenho acústico de esquadrias e NBR 15.575 Deixe o Excesso de Barulho do Lado de Fora A NBR 15.575 é a norma da ABNT com orientações referentes ao desempenho de edificações. A qualidade acústica das

Leia mais

ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS Conceitos e princípios pios elementares de projecto. António Moret Rodrigues IST

ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS Conceitos e princípios pios elementares de projecto. António Moret Rodrigues IST ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS Conceitos e princípios pios elementares de projecto António Moret Rodrigues IST ÍNDICE Conceito de som (2 slides) Propagação do som (3 slides) Grandezas acústicas (4 slides) Medição

Leia mais

Com foco em acústica a OWA Sonex atua no mercado desde 1988 oferecendo produtos inovadores de alta performance e design diferenciado.

Com foco em acústica a OWA Sonex atua no mercado desde 1988 oferecendo produtos inovadores de alta performance e design diferenciado. Com foco em acústica a OWA Sonex atua no mercado desde 1988 oferecendo produtos inovadores de alta performance e design diferenciado. Com uma variedade de linhas de produtos, apresentamos o Nexacustic,

Leia mais

CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DO TEATRO SÃO CARLOS EM CAXIAS DO SUL, RS

CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DO TEATRO SÃO CARLOS EM CAXIAS DO SUL, RS CONDICIONAMENTO ACÚSTICO DO TEATRO SÃO CARLOS EM CAXIAS DO SUL, RS F M SIMÕES Faculdades Integradas Ritter dos Reis Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia Rua Orfanotrófio, 555

Leia mais