INFORMAÇÕES SOBRE NEEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÕES SOBRE NEEM"

Transcrição

1 INFORMAÇÕES SOBRE NEEM Sua casca é receitada para febre, reumatismo, dores, lombares, etc. O óleo é usado no tratamento de tétano, urticária, eczema, escrófula, erisipelas, e nos estágios iniciais da lepra. O suco de folhas do neem é usado para expelir lombrigas, curar icterícia, e doenças da pele. Os pequenos galhos da árvore do neem são usados em muitas comunidades como as escovas de dentes descartáveis que ajudam na preservação dos dentes. Vento soprando nas folhas da árvore de neem é de grande beneficio para pessoas nas redondezas. A árvore é muito estimada pelos Indianos. Folhas de neem mantida entre roupas de lã ou de seda dobradas as protegem de insetos. Antes da era dos inseticidas sintéticos, o miolo do neem era usado para proteger as plantações contra ataque de insetos. Descrição A árvores do neem são frondosas e podem alcançar 30 m de altura e 2,5 m de circunferência. As distribuiçôes de seus galhos formam coroas de até 10 m de diâmetro Os galhos quase sempre permanecem cheios de folhas, exceto durante uma forte seca, quando as folhas podem cair. Seu tronco, geralmente reto e curto, tem uma casca grossa, forte e enrrugada. As raízes penetram profundamente no solo, e quando lesadas, produzem rebentos. Esses rebentos tendem a ser prolíficos em localidades secas. As pequenas flores brancas e bissexuais nascem em cachos e seu aroma parecido com o do mel atraem as abelhas. Seu fruto é macio e tem a forma elíptica e mede em torno de 2 cm de comprimento. Quando maduro fica amarelado e contém uma polpa doce envolvendo a semente. A semente é composta de uma concha e um miolo. As vezes 2 ou 3 miolos cada um pesando a metade do peso da semente. É o miolo o mais usado como pesticida. A árvore do neem normalmente começa a produzir frutos após 3 a 5 anos. Torna-se completamente produtiva em 10 anos e, daí em diante pode produzir até 50 quilos de frutas pôr ano. Esta árvore pode viver até 200 anos. Distribuição O neem é nativo em todo o subcontinente Indiano. É na India que a árvore é mais amplamente explorada. Ela é cultivada desde a ponta do Kerala até o Himalaia, em regiões tropicais e subtropicais, em regiões áridas até nas tropicais úmidas e desde o nível do mar até 700 m de altitude. O neem foi introduzido na África no inicio do século. Agora está sendo cultivado em pelo menos 30 países, principalmente naqueles ao longo da costa sul do deserto do Saara, onde se tornou um importante fornecedor de combustível e madeira. Foi introduzida em Fidji, Caribe, e em muitos países da América central e da América do sul.

2 Propagação A árvore é de fácil propagação, tanto sexual, quanto vegetativamente, pode ser plantada usando-se sementes, mudas, rebentos, ou cultura de tecidos. No entanto é normalmente cultivada a partir de sementes plantadas diretamente ou transplantadas como mudas de um viveiro. Problemas com o neem Fogo mata as mudas de neem instantaneamente. Fortes ventos são problemas em potencial. Árvores grandes frequentemente caem durante furacões, ciclones, ou tufões. A regenerações das mudas do neem sob galpões são sensíveis à súbita exposição de intensa luz solar. Em algumas localidades, ratos e porcos espinhos matam as árvores jovens roendo sua casca ao redor da base. Propriedades Fungicidas O neem provou ser eficaz contra certos fungos que infectam o corpo humano tais fungos são um problemas crescente e difíceis de serem controlados por fungicidas sintéticos. São exemplos de alguns fungos combatidos pelo neem- Trichophyto: Pé-de-atleta que infecta tanto a pele quanto a unhas. Epidermophyton : Micose que infecta o cabelo, a pele e as unhas do pé. Trichosporon : Um fungo do canal intestinal. Microsporum : Uma micose que infecta o cabelo a pele e as unhas. Geotrichum : Um fungo espumante que causa infecção nos brônquios, pulmões, e membranas da mucosa. Cândida : Um fungo que é parte da mucosa normal da flora, mas que pode ficar fora de controle e provocar lesões na boca, vagina e pulmões. Propriedades Anti- Bacterianas Óleo de Neem tem eliminado várias espécies de bactérias patogênicas, incluindo STAPHYLOCOCCUS AUREUS, que é uma fonte comum de intoxicação alimentar, e causadora de desarranjos. SALMONELLA TYPHOSA, esta bactéria muito temida que vive na comida e na água causa o tifo, envenenamento alimentar e uma variedade de infecções que incluem envenenamento sangüíneo e inflamação intestinal. Propriedades Anti-Viróticas A atividade anti-virótica do neem tem alta eficácia, particularmente contra doenças caracterizadas por erupções. Varíola, catapora, e verrugas, têm sido tradicionalmente

3 tratados com pasta de neem, esfregando-se a mesma na área afetada. O neem é um preventivo muito eficiente contra vírus, mas não é a cura. Propriedade Inseticida Dermatológica Neem é um remédio comum e popular contra piolho e vermes. No Haiti, por exemplo, as folhas do neem são esmagadas e esfregadas nos ferimentos infectados por vermes, e na Índia e Bangladesh, moradores de vilas aplicam o neem no cabelo para matar piolho, fatos observados com grande sucesso. Neem no Tratamento Dentário Tanto na India como na África milhões de pessoas usam pequenos galhos de neem como escovas de dentes todos os dias. Dentistas aprovam esta prática primitiva por acharem que realmente previne doenças periodônticas. Não está claro se o beneficio é devido á massagem regulares da gengiva, se por prevenir a formação de placas, se pelas propriedades antisépticas do neem, ou se pelas três hipóteses juntas. Companhias alemãs usam o neem como um ingrediente ativo em pastas dental. O neem se mostra muito eficaz na preservação e cura de inflamações nas gengivas e nas doenças periódicas. Neem como Preventivo da Doença de Chagas O parasita Trypanosoma crusi causa esta grave doença. Ele vive e se reproduz dentro das células nervosas e das células musculares, particularmente nas do coração, sugando toda a energia de sua vitimas. Extratos do neem atuam sobre o mosquito que transmite a Doença de Chagas. Os extratos não matam os insetos, ao invés, eles os imunizam contra parasitas que vivem dentro do inseto por um ciclo de sua vidas. Uma pesquisa foi realizada e mostrou que alimentando-se os mosquitos transmissores com neem, não só os libertam do parasitas, como também o azadirachta impedem o jovem inseto de mudar de pele e os adultos de se reproduzirem. Neem como Preventivo da Malária Profissionais indianos da medicina Ayurvedica tem preparado doses orais do neem e administrado em paciente portadores de malária a séculos. A atividade anti-malárica do neem está relatada nos livros de Ayurveda. Chá das folhas do neem é usado para tratar-la. Certos extratos das folhas e das sementes do neem, provaram sua eficiência contra os parasitas da malária. O neem reage tão bem quanto o quinino nas culturas de células afetadas pela malária. Neem como Analgésico e Anti-Térmico Neem é também muito eficaz como analgésico, antitérmico e antinflamatório, e um produto de baixo custo. O neem é usado para estes propósitos onde quer que seja cultivado.

4 Outras Propriedades Medicinais Extratos de águas das folhas e do óleo do neem provaram reduzir significativamente o açucar no sangue e impedir que a adrenalina produza hiperglicemia em animais de laboratório. O neem demostrou uma propriedade significativa de infertilidade em ratos machos sem interferir com os espermas atogenesis. Extratos alcoólicos das folhas provaram curar doenças cutâneas como o eczemas, impigem, etc. Nimbidim, um componente amargo extraído do óleo do neem provou possuir uma atividade analgésica e antipirética eficaz no tratamento de sarna e úlcera gastroduodenal crônica Ninbatikta. Um elemento completamente amargo do azadirachta indica também provou curar úlcera crônicas com eficácia o uso do óleo do neem intravaginal provou ser eficaz na prevenção da gravidez. Neem no Controle de Insetos Os indianos tem tradicionalmente esmagado as folhas do neem e esfregado as mesmas nos ferimentos expostos do gado para eliminar os vermes. Mosca de chifre. O azadirachta atravessa o canal digestivo do ruminante e lá permanece tempo suficiente para que as moscas de chifre não se desenvolvam no estrume. O Óleo e o extrato da semente do NIM impedem que a blow fly fêmea, Lucilia Sericata, de botar seus ovos em carneiros. No Sri Lanka, o óleo do neem é esfregado no gado como um repelente de insetos como a mosca-dechifre. O azadirachta também é capaz de exterminar os ovos da mosca stomoxys calcitrans. Neem no Controle de Bactérias A bactéria do staphylococcus aureus causa mastite, inflamação das glândulas mamarias em vacas. A aparente eficácia do neem em controlar certos tipos dessa bactérias pode, portanto, ser de grande importância econômica para fabricas de laticínios nas nações que cultivam o neem. A bactéria salmonella além de afetar a saúde humana, causa aborto em animais, gado, e carneiros, como também vários tipos de infeções em aves domésticas e gado, podendo, também, ser controlado pelo neem. Produtos Industriais do Neem Óleo do Neem - O óleo do neem é composto basicamente de triglicerideos de oleico, steárico, linoleico, e palmitico. O óleo de neem é usado principalmente em lamparinas, sabões, e outros produtos não comestíveis. É usado por fabricantes de sabão por ser barato. Cosméticos - o neem é tido na India como um produto de beleza. As folhas do neem pulverizadas são um componente fundamental de pelo menos um creme facial muito usado. O óleo do neem purificado é também usado em esmaltes e outros produtos. Lubrificantes - O óleo do neem é lubrificante e resiste a degradação melhor que a maioria dos óleos vegetais, nas zonas rurais da Índia, o óleo é usado com freqüência para lubrificar rodas de carroças. Fertilizante - O neem demostrou um potencial considerável como fertilizante 1 - A pasta no neem - é amplamente usada na Índia para fertilizar plantações com objetivos comerciais, especialmente a cana-de-açúcar e hortaliças, pois contém nitrogênio, fósforo,

5 cálcio, magnésio e potássio. Quando misturada na terra como adubo, protege as raízes das plantas de nematóides e formigas brancas. 2 - As folhas do neem - em algumas áreas do estado de Karnataka na India as pessoas cultivam a árvore especialmente por sua folhas verdes e galhos, os quais são jogados dentro dos arrozais encharcados, antes das mudas serem transplantadas. Madeira - As propriedades da madeira do neem se parecem com as do mogno. É relativamente pesado e quando é cortado do pé propaga um forte cheiro. Embora seja fácil de serrar, trabalhar, polir e colar, deve antes ser secado com cuidado por que geralmente se parte e empena. É uma madeira boa para construções e amplamentos usados na fabricação de carroças, ferramentas manuseáveis e implementos agrícolas. É também comum o seu uso nas fabricações de móveis. É raramente atacado por formigas brancas e é resistente ao cupim. Combustível - O neem produz diversos combustível úteis. Seu óleo é queimado em lamparina, sua madeira usada como lenha. A casca da semente que não possui óleo e é desperdiçada na fabricação de pesticidas é amplamente empregada como combustível. O carvão produzido da madeira do neem é de excelente qualidade. Outros Produtos Existem outros produtos o quais são derivados do neem - Resina e um material que contém muitas proteínas. É possível usa-lo como aditivo alimentar e é amplamente usado como cola do neem. A casca do neem contém 14% de tanino. Ela produz fibras grossas e fortes, que entrelaçadas transformam-se em cordas nas vilas da India. Mel - apicultores plantam árvores do neem para adquirirem o mel de sua flores. Há relatos de pessoas que comem o neem. Dizem que Mahatma Gandhi, que possuía um grande respeito pelos efeitos nutritivos das plantas, sempre preparava um molho picante com as folhas do neem e comia com deleite, apesar de seu incrível gosto amargo. A polpa das frutas do neem é uma base promissora para a geração do gás metano e também pode servir como uma rica base de carboidratos para outras fermentações industriais. Efeitos do Neem em Insetos Rompendo ou inibindo o desenvolvimento de ovos e larvas Bloqueados a mudança de pele de larvas e ninfas Rompendo o acasalamento e a comunicação sexual. Repelindo larvas e insetos adultos. Impedindo a fêmea de botar ovos. Esterilizando os adultos. Envenenando larvas adultas. Impedindo a alimentação. Bloqueado a Habilidade de Swakkiw. Inibindo a formação de Chitin. Insetos Afetados por Produtos do Neem Mosca do Chifre - Mosca Branca - Mosca Caseira - Piolhos - Grilos - Formigas de Fogo - Gorgulho do Arroz - Barata, etc...

6 Uso do Neem Casca - é amarga adstringente, acre, refrescante, lombrigueiro, inseticida, tônico para o fígado, expectorante e retentor da urina, É útil em condições anormais de lepra, doenças da pele, eczema, leucoderma, febre de malária, ferimentos, úlceras, azia, tumores, glândulas, aminorreias, reumatismo, sífilis, e fadiga. Folhas - são amargas adstringentes, acres. Depurativas, anti-sépticas, oftálmicas, lombrigueiras, abrem o apetite, inseticidas, refrescantes, e calmantes. São úteis em azias, lepra, leucoderma, doenças de pele, prurido, lombrigas, dispepsias, úlceras, tuberculoses, bolhas, eczema, e febres de malária. Tônicas, são úteis em cólicas e debilidades gerais. Sementes - são amargas, acres, termogênicas, purgantes, lombrigueiras, retentores de urina, emolientes, calmantes, depurativas. São úteis em condições anormais de tumores, lepra, da pele, lombrigas, hemorróidas, tuberculoses, ferimentos, constipação e diabetes. Óleo - é amargo. Lombrigueiro, relaxante, e depurativo. É útil em doenças crônicas da pele, impigem, sarna, lombrigas, febre de malária, sífilis e lepra. Neem e os Biopesticidas O setor agrícola domina o cenário econômico na Índia. A produção de grãos comestíveis gira em torno de 170 milhões de toneladas e estima-se que no ano 2000 a India necessitaria em torno de 210 milhões de tonelada de grãos comestíveis, tendo em vista o fato de que anualmente 6 milhões de toneladas são perdidos devido a pragas nas lavouras, ervas daninhas, roedores, pássaros e más condições do tempo e de estocagem. O uso de pesticidas, tornou-se essencial. O uso de pyretroides sinteticos nos últimos anos causou a propagação da mosca branca, no algodão em Gujarat, Andhra pradesh e em localidades do Tamil Nadu. Constantes resíduos de pesticidas altamente tóxicos DDT HCH e o Chorinated Hydrocarbon foram encontrado em hortaliças frutas, leites, óleos, manteiga, e carne, tanto quanto em leite materno. A natureza dispõe de alternativas aos pesticidas químicos que deveriam ser usados para o controle de pestes. Os biopesticidas produzidos do neem são de grande eficácia e comercialmente viáveis. Baratos, possuem efeitos a longo prazo, não poluem e não são nocivos à saúde humana. Bactérias: Biopesticida de mais sucesso até o momento é op Bacillus Thuringiensis *(B.T) existem 25 tipos de B.T. sendo usados contra pragas. Eles produzem várias toxinas inseticidas tais como exoand Endotoxins, que são responsáveis pela morte de insetos tão logo penetrem em seus corpos. Aproximadamente 525 insetos de vários tipos foram encontrados infectados pelo B.T. muitos produtos comerciais do B.T. foram fabricados por aproximadamente 12 empresas em 5 países e são denominados Thuricide, Bakthne, Bacttodpein, etc. essas formulas são excelentes no controle de peste da couve, tais como diamond heliothis do algodão e do milho, brocas européias do milho. Larva do Chifre do tabaco e largarta, do Castanheiro da Índia, foram relatada nos últimos anos. Fungos: Este é o mais amplo grupo de biopesticidas que incluem mais de 500 espécies de parasitas e fungos predatório eficazes contra inúmeros insetos fungos e nematoides.

7 Nim: Um Biopesticida Controle do crescimento do arroz Controle de fungos nocivos ao arroz Controle da mancha do arroz Controle da bacteria que faz secar as folhas Controle do caruncho que afeta o coqueiro Controle das doeças de hortaliças Controle do caruncho do gengibre Controle patogênico de bacterias em plantas Controle de doenças viróticas em plantações de hortaliças Controle do vírus mosaico da pimenta usando produto vegetais Controle dos insetos que atacam a kail chinês Controle de fungos que atacam o amendoim Controle da descamação da batata Controle patogênico do solo para cultivo do gengibre Controle do vírus mosaico do pepino. O nim acrescentado aos inseticidas sintetícos é usado no controle do bullwowrm do algodão. neem é eficaz contra insetos que atacam o algodão, a vagem, o arroz, etc... o óleo do neem preserva as folhas do algodão. Apesar de cientistas se empenharem em descobrir plantas com características medicinais nos cantos mais remotos do mundo, o neem cresce nos jardins de casas e universidades da Ásia e da África sem chamar a atenção. A familiaridade com a planta fez com que cientistas não estudassem as propriendades do neem. Mas hoje em dia pesquisadores de todo o mundo estão empenhados em entender como funcionam os princípios ativos do neem para compreender como uma planta pode ter tantas utilizações. Atualmente a utilização do neem na agricultura é o que mais chama a atenção. Neem como inseticida: A maior parte das pesquisas sobre o neem é dedicada ao uso da planta na agricultura. Depois de estudar cerca de 250 espécies de plantas com características que podem contribuir para o controle de insetos e pragas, o consenso geral foi de que o neem é a plante de maior eficiência e de menos impacto ambiental. Inseticidas feitos à base de neem já estão sendo oferecido ao público. Ao que tudo indica o neem será uma alternativa natural aos inseticidas sintéticos. Em 1990, mais de 15 milhões de toneladas de insticidas sintéticos foram aplicados a jardins e gramados nos Estados Unidos. Normalmente estes inseticidas são toxidas que atacam o sistema nervoso dos insetos de forma rápida e letal. Apesar de serem realmente efetivos, esses inseticidas matam insetos de forma indiscriminada, incluindo insetos benéficos como abelhas e borboletas, e também são uma ameaça real para outros animais que cruzem a área onde a substância está sendo aplicada (como minhocas, passarinhos, esquilos, cachorros, gatos e até mesmo pesssoas). A maior parte dos fabricantes de inseticidas recomendam que não se ande descalço sobre a superfície que recebeu a substância por três dias.

8 Pessoas que vivem a até 300 metros de onde o inseticida foi aplicada podem ser afetadas pela evaporação do produto. Inseticidas podem causar desde dores de cabeça até perda de sensibilidade nos membros. As propriedades naturais do neem não causam qualquer reação tóxica. O neem serve como inseticida porque a maioria dos insetos e pragas não se alimenta de plantas cobertas com neem, mesmo que a opção seja morrer de fome. O neem ainda como repelente e reduz a capacidade dos insetos em se reproduzir. O neem não é tóxico para pessoas ou animais de grande porte e, por isso, não precisam evitar áreas tratadas com neem. O neem também é um produto natural e portanto biodegradável. Só insetos que alimentam de plantas são afetados pelo neem, o que impede qualquer dano para insetos como abelhas e outros insetos benéficos. Neen como fungicida agrícola: O neem protege plantas e animais de uma variedade de fungos (Murthy and Sirsi,, 1958b); (Bhowmick, 1982); (Schmutterer & Ascher, 1986). Nesse caso, testes provaram que os melhores resultados foram obtidos quando o neem foi utilizado como um agente preventivo. Neen no tratamento de vírus de plantas: Infecções em plantas causadas por outras plantas são difíceis de curar ou prevenir. Entretanto testes realizados por pesquisadores na Índia e nos Estados Unidos comprovaram que extratos de neem são muito eficazes na prevenção de infecções virais ou na redução do dano causado, uma vez que a infecção seja diagnosticada (Saxena, et al, 1985); (Simons, 1981). Neem no armazenamento de alimentos: Fazendeiros mais ricos pode, se dar ao luxo de utilizar pesticidas químicos para impedir que pragas destruam alimentos (como grãos e cereais) armazenados por longos períodos. O neem é uma opção natural mais acessível. Alimentos tratados com óleo de neem ficam protegidos de qualquer tipo de infestação por até 20 meses sem qualquer alteração. (Dunkel et al, 1995) Neem na correção do solo: Depois que o óleo foi extraído das sementes do neem, o bagaço pode ser utilizado na correção do solo - uma prática secular na Índia. Estudos mostram que misturar no solo o bagaço da semente que teve o óleo retirado mostram oferece resultados melhores do que a utilização de estrume ou outros adubos. O bagaço do neen ajuda a fixar o nitrogênio no solo, estimula a proliferação de minhocas e oferece proteção contra insetos (Khan, 1974); (Vizayalakshmi, et al, 1985). Diabetes - Doses orais de extratos da folha do neem reduzem a quantidade de insulina necessária entre 30% e 50% em certos tipos de diabetes. Doenças coronárias - O neem retarda a coagulação do sangue, normaliza batimentos cardíacos arrítmicos e ajuda a controlar a pressão arterial.

9 Herpes - Testes realizados recentemente na Alemana mostraram que extratos de neem são tóxicos para o vírus da herpes. Dermatologia - Neem é muito efetivo no combate a problemas de pele como acne, eczema, coceiras, caspa e verrugas. Úlceras - Extratos de neem protegem o estômago do desconforto causado pelas úlceras e acelera a cicatrização de feridas gástricas e intestinais. Controle de natalidade masculino - O neem vem sendo testado na Índia e nos Estados Unidos para se conhecer seus efeitos sobre a fertilidade. Testes mostram que macacos tiveram sua fertilidade reduzida apesar da produção de esperma e hormônios permanecer inalterada. Controle de natalidade feminino - Aplicado internamente na vagina, o óleo de neem teve 100% de sucesso em impedir a gravidez. IAPAR : O Neem - Azadirachta indica - um Inseticida Natural Sueli Souza Martinez - Pesquisadora Lançamento de livro:o NIM - Azadirachta indica Natureza, Usos Múltiplos, Produção Atualizado em 31 de outubro de 2002 (Foto: Neem proveniente das Filipinas, plantada no IAPAR em 1987) Introdução O neem pertence à família Meliaceae, que apresenta diversas espécies de árvores conhecidas pela madeira de grande utilidade, como o mogno, o cedro, a santa-bárbara, ou cinamomo, o cedrilho, a canjerana, a triquília, etc. É originário do Sudeste da Ásia e é cultivado em diversos países da Ásia, em todos os países da África, na Austrália, América do Sul e Central. É usado há séculos na Ásia, principalmente na Índia, como planta medicinal. Tem diversos usos, em especial anti-séptico, curativo ou vermífugo; é utilizado no preparo de sabões medicinais, cremes e pastas dentais. A árvore é usada para sombra e possui madeira de qualidade para a produção de móveis, construção, batentes e portas, caixas e caixotes, lenha, carvão,etc. Seu uso como inseticida se tornou bem conhecido nos últimos 30 anos, quando seu principal composto, a azadiractina, foi isolado. A molécula da azadiractina é muito complexa e ainda não pôde ser sintetizada; assim, todos os produtos que contêm azadiractina são produzidos por extração da planta. Os inseticidas naturais de neem são biodegradáveis, portanto não deixam resíduos tóxicos nem contaminam o ambiente. Possuem ação repelente, antialimentar, reguladora de crescimento e inseticida, além de acaricida, fungicida e nematicida. Por sua natureza, os extratos de neem são mundialmente aprovados para uso em cultivos orgânicos. A planta possui mais de 50 compostos terpenóides, a maioria com ação sobre os insetos. Todas as partes da planta possuem esses compostos tóxicos, porém é no fruto que se encontra a maior concentração. Esses compostos são solúveis em água e podem ser preparados de maneira simples e barata, por pequenos e médios produtores. Outras espécies de meliáceas têm propriedades semelhantes. Entretanto, seus extratos são mais tóxicos aos vertebrados e são menos eficazes contra os insetos. Os extratos de neem são praticamente inócuos aos vertebrados e ao homem.

10 A Árvore Originária de clima tropical, a planta se desenvolve bem em temperaturas acima de 20oC, em solos bem drenados, não ácidos e altitudes abaixo de 700 m. Nessas condições, pode iniciar a produção de frutos em cerca de dois anos, podendo atingir 10 kg de semente seca/planta, sendo que cada quilograma de sementes secas contém aproximadamente 3000 sementes. No Brasil, as primeiras introduções realizadas para pesquisa do neem como inseticida foram realizadas pelo IAPAR, em Londrina PR, em 1986 com sementes originárias das Filipinas. Em continuidade ao projeto, em 1989 e 1990, material oriundo da Índia, Nicarágua e República Dominicana foi plantado em Londrina, Paranavaí PR (região mais quente e arenosa), Jaboticabal SP e Brasília DF, para avaliação de desenvolvimento. Nos anos noventa, principalmente nos últimos cinco anos, as propriedades da planta se tornaram mais conhecidas no País, dando-se início ao plantio de áreas comerciais em São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Pará e outros. Esses estados apresentam clima favorável seu cultivo, esperando-se portanto produções próximas ao obtido nos países de origem. Em condições menos adequadas, como as do Norte do Paraná, com clima subtropical, as plantas se desenvolvem mais lentamente, iniciando a produção de frutos após cerca de seis anos, atingindo a produção máxima de 3 a 4 kg de semente seca/planta após 10 anos do plantio (dados obtidos no IAPAR). O IAPAR está trabalhando para conseguir plantas mais adaptadas às condições subtropicais. Em 1998, foi realizada a enxertia de neem sobre o cinamomo, Melia azedarach, que tem excelente desenvolvimento e alta produção de frutos no Sul do Brasil. O pegamento do enxerto foi muito bom e há hoje 150 plantas enxertadas em duas estações experimentais do IAPAR para avaliação, com florescimento já no primeiro ano. Plantio e Condução As sementes devem ser plantadas o mais rápido possível, dado que o poder germinativo, de cerca de 80%, se reduz em cerca de dois meses a praticamente zero. Sementes mantidas em geladeira podem manter o poder germinativo por mais tempo. As mudas podem ser feitas em sacos plásticos, mantendo-se boa irrigação durante seu desenvolvimento. As sementes germinam após duas semanas. Ao atingir 50 cm, após cerca de três meses, a planta pode ser transplantada para o campo. O espaçamento recomendado para o plantio do neem é variável, já que o desenvolvimento da planta depende das condições de solo e clima, sendo necessário que toda a copa receba a luz do sol. Assim o espaçamento deve permitir boa insolação. No Brasil recomenda-se de 5 a 8 m entre árvores, com o maior espaçamento nas regiões mais quentes. Deve-se conduzir o tronco sem ramos até 1,5 m de altura e os ramos devem ser podados regularmente. O ponteiro apical pode ser cortado quando a planta alcançar 4 a 6 m, de modo que a árvore não atinja um tamanho muito grande e apresente uma copa bem desenvolvida. Desse modo a produção de frutos é maior e a colheita é facilitada. Modo de Ação A ação dos extratos de neem sobre insetos é bastante variável de espécie para espécie. Há registro de ação sobre mais de 300 espécies. A maior parte das investigações foi feita em laboratório, sendo necessários mais estudos para poder se determinar com maior segurança quais as pragas pode controlar, as doses, freqüência de aplicação, etc.

11 De modo geral a azadiractina afeta o desenvolvimento dos insetos de diferentes modos. Pela sua semelhança com o hormônio da ecdise (processo que possibilita ao inseto trocar o esqueleto externo e, assim poder crescer), perturba essa transformação e, e m altas concentrações pode impedí-la, causando a morte do inseto. Por essa razão, as formas jovens de insetos são mais fáceis de controlar. Não causa a morte do inseto imediatamente, dado o seu efeito fisiológico, porém, além de afetar a ecdise, reduz o consumo de alimento, retarda o desenvolvimento, repele os adultos e reduz a postura nas áreas tratadas. Também tem maior ação por ingestão, de modo que os insetos mastigadores são mais facilmente afetados. As espécies mais facilmente controladas são as lagartas, pulgões, cigarrinhas, besouros mastigadores. Resultados de pesquisa do IAPAR mostraram efeitos letais e deformidades em larvas e pupas de lagarta-do-cartucho do milho, curuquerê do algodoeiro, ácaros e bichomineiro, cochonilhas e redução de postura em bicho-mineiro, broca-do-café e mosca branca. Em testes com a joaninha, inimigo natural de pulgões, extratos de neem não causaram morte dos adultos e sua ação sobre as larvas foi mediana para uma espécie e inócua para outra, não reduzindo sua voracidade, o que comprova seu potencial para uso em associação com inimigos naturais contra as pragas. O uso de folhas misturadas ao alimento do gado ou a aplicação de extratos das folhas ou sementes no dorso dos animais tem sido indicado para controle de carrapato e mosca do chifre. No Brasil se usam 5l de solução a 2% do óleo emulsionável ou 2,5-5% do extrato da folha, por animal. O óleo também pode ser encontrado na forma pour-on, indicando-se 10 ml/100kg peso vivo de animal. Nos países onde o óleo é extraído também se prepara a pomada, feita com os resíduos da extração do óleo, que pode ser utilizada no controle de sarna em animais e outras infecções da pele. Preparo de Extratos Os extratos podem ser preparados com a simples trituração das sementes ou frutos frescos, em água, deixando-se a mistura descansar por 12 horas e filtrando-se o líquido e pulverizando-se sobre as áreas infestadas. O mesmo procedimento pode ser usado para folhas, frescas ou secas, embora a azadiractina aí ocorra em menor concentração. O óleo inseticida é extraído pela prensagem das sementes, obtendo-se no máximo 47% de óleo, que contém cerca de 10% da azadiractina existente no fruto. A torta restante é, pois, muito rica em azadiractina, tem efeito nematicida e serve como adubo orgânico. Pode, também, ser secada e utilizada posteriormente para preparo de extratos inseticidas, em mistura com água e filtração. Para se armazenar sementes para preparar o extrato posteriormente, os frutos devem ser colhidos, secos ao sol por dois a três dias, e mais uns dois dias à sombra por dois dias e despolpados manualmente em água ou utilizando-se despolpadeira com café. Deixa secar bem e armazena, de preferência a baixa temperatura. As sementes que serão plantadas podem ser preparadas da mesma forma.

12 Doses Ainda não há informações detalhadas sobre doses específicas para cada inseto. Entretanto, de modo geral, as seguintes doses têm apresentado eficácia no controle principalmente de pragas de hortaliças: Óleo emulsionável: 5 ml/litro água Sementes secas: 30 a 40 g /litro água Folhas secas: 40 g a 50 g / litro água O NEEM E A AIDS A Aids uma doença letal, que tem vitimado milhões de pessoas em todo o mundo. Só no Brasil mais de pessoas foram contaminadas desde seu surgimento em 80 e com tratamento que tem consumido cifras bilionárias. Ao encontrar um Site com matéria que associava seu tratamento às propriedades do Neem, achei por bem divulga-lo. Quem sabe, algum médico que não conhece as possibilidades desta árvore se interesse, e passa a desenvolver experiências ou testes, visando alcançar a cura ou a melhora de pacientes portadores deste vírus. É uma fonte a mais. Portanto, eis o material. O Neem possui propriedades imuno estimulantes não só para o sistema linfótico, como para o sistema de imunização das células. Quando células humanas infectadas pelo HIV foram cultivadas com extratos do Neem, a produção de proteínas virais caíram dramaticamente. O Dr. Upadhyay e o Dr. Berre'Sinousi (um dos cientistas que identificaram o vírus da AIDS) acreditaram que extratos do Neem bloqueiam a produção de proteínas virais, desse modo, param a reprodução do vírus. Estudo dos efeitos do extrato da casca e de folhas do Neem mostraram que eles reduziram significativamente a proteínaa viral P-24 e induziram, in vitro, a produção do interferon IL-1. O Instituto Nacional de Saúde, em estudos prelinamres, registrou resultados animadores de testes in vitro onde extratos da casca do Neem mataram o vírus da AIDS. Outro efeito possível que o Neem pode ter no combate ao vírus da AIDS está na sua aparente habilidade de intensificar a reação imunológica de células mediadoras à infecção. Usando extratos da casca do Neem encharcados em água, o Dr. Van Der Nat(Holanda) determinou que o extrato produz uma forte reação imunológica estimulante. O extrato da casca do Neem estimulou a função linfolítica, a qual aumentou a produção de MIF, um lymphokine que une macrophages e monocytes aos agentes infecciosos. Considerando como a primeira linha de defesa contra a infecção do HIV, a capacidade do Neem de aumentar a reação imunológica das células mediadoras pode oferecer proteção quanto ao perigo de se contrair o vírus pela vagina, isto, se o Neem for usado como um lubrificante antes da relação sexual. Se apenas parcialmente eficaz na prevenção da AIDS, até que cientistas descubram a cura, o Neem poderia salvar inúmeras vidas. Nos casos em que o HIV não tenha evoluído para um estado em que a AIDS seja incontrolável, em alguns pacientes verificou-se a intensificação da reação imunológica das células mediadoras que o Neem pode ajudar a produzir. No entanto, uma vez contraída, a AIDS pode ser tratada com a ingestão de extratos de folhas do Neem, de toda a folha, ou pela ingestão do chá do Neem.

13 Muitas das complicações associadas à AIDS podem também ser tratadas com folhas, casca e cremes do Neem. Lesões de pele ou sensações de queimaduras tem sido tratadas com sucesso com folhas do Neem, misturadas na água do banho e com loções contendo o óleo do Neem. O NEEM E O SISTEMA IMUNOLÓGICO O Neem, e em especial a sua casca, é conhecido por seus componentes polysaccharide immunomodulatory. Estes componentes parecem aumentar a produção de anticorpos. Outros componentes no Neem intensificam o sistema imunológico através da reação imunológica das células mediadoras, que são a primeira forma de defesa do organismo. Somente quando este sistema de defesa parece incapaz de deter um processo infeccioso, é que o sistema imunológico como um todo entra em ação. O óleo do Neem age como um estimulante imunológico não específico que ativa a reação imunológica das células mediadoras. Isto, aliás, cria uma significativa reação a quaisquer desafios futuros pelos organismos infecciosos. Quando o Neem foi injetado na pele, houve um aumento significativo nos glóbulos brancos (leucócitos) e o perioneal macrophages (fagócitos) mostraram intensa atividade patológica e manifestação dos antígenos MHC class II. A produção do interferon gama também foi induzida pela injeção. As células do Baço apresentam uma reação mais alta do lymphocyte a infecções, mas não aumentaram a reação aos anticorpos.. Extratos de folhas do Neem na água solúvel, quando administradas oralmente, produziram um aumento na quantidade de limphomatics, em que se contam células vermelhas e brancas tanto quanto os linfócitos. Em estudos sobre os efeitos do Neem no controle da natalidade, o fator principal neste efeito parece ser o aumento na reação imunológica, em que o Neem foi tido como a causa de o corpo rejeitar o feto como um corpo estranho. AUmentando a reação imunológica celular, a maioria dos patógenos podem ser eliminados antes de causarem a sensação de mal estar associada a doença. Este mecanismo também poderia ajudar em doenças que envolvem o sistema imunológico, como a AIDS. Ingerindo pequenas quantidades do pó da folha ou da casca do Neem dia sim dia não, ou bebendo um chá suave do Neem aumentará a produção de anticorpos e a reação imunológica de células mediadoras, ajudando a previnir infecções. O NIM INDIANO O Bioprotetor Natural Junho de 2000 Engº Agrº José Luiz M. Garcia M. Sc. Horticultura Michigan State University Consultor em Agricultura Alternativa Membro da O.T.A ( Organic Trade Associaton ) Membro da I.F.O.A.M Produtor Orgânico certificado pelo I.B.D. Associado a A.A.O.

14 NIM INDIANO O Bioprotetor Natural Essa publicação destina-se a fornecer informações sobre a utilização do Óleo de Nim (Azadirachta indica) na Agricultura e Pecuária no controle de insetos, pragas e parasitas. Informações mais detalhadas poderão ser obtidas nas referências listadas ao final do trabalho. Por que Bioprotetor Natural e não Inseticida Natural? O sufixo cida significa aniquilador, matador, assassino. O Óleo de Neem não é um produto com o tradicional efeito inseticida aniquilador característico das substancias petro-químicas largamente utilizadas na agricultura vez que não mata os insetos instantaneamente. Essa aparente desvantagem é, na verdade, uma grande vantagem conforme será devidamente explicado posteriormente. O Óleo de Neem não possui efeito nocauteador ( efeito knockdown ) sobre os insetos e larvas. Também não funciona a longo prazo como os inseticidas biológicos tipo Bacillus turingensis (Dipel) dando margem a que os insetos continuem devastando a lavoura antes de morrerem. O seu efeito é imediato, porem, de outra forma, ou seja, ele atua imediatamente repelindo e/ou fazendo com que os insetos e larvas parem de se alimentar via efeito anti-alimentar (efeito anti-feeding ). Atua também via outros mecanismos a médio e longo prazo conforme será amplamente explicado adiante. Isso torna o Óleo de Neem um excelente aliado do agricultor no controle efetivo de insetos e pragas e o coloca em posição de destaque como uma nova categoria de produtos ecologicamente corretos para a utilização na agricultura do próximo milênio. O planeta Terra não tem mais condições de absorver as milhares e milhares de toneladas de produtos petro-químicos venenosissimos usados atualmente na agricultura convencional que todos nós sabemos irão gerar uma série de problemas de saúde. O Óleo de Nem demonstrou ser totalmente isento de efeitos nocivos a todos os animais de sangue quente, peixes e a 6 espécies diferentes de minhocas e demais organismos de solo. Ou seja, o óleo de Neem é um novo conceito em termos de controle de insetos e pragas que tem auxiliado milhares e milhares de agricultores conscientes em diversos países. Os inseticidas sintéticos originários da petro-quimica matam indiscriminadamente os insetos e larvas, poluem o ambiente, intoxicam operadores, seus familiares, e até mesmo os consumidores e portanto, e por isso mesmo, tem sido repudiados a nível mundial. Não obstante serem extremamente tóxicos, esses produtos não conseguem de forma alguma controlar os insetos pois são formulados utilizando-se de apenas uma única molécula a qual é invariavelmente protegida por uma patente que dá direito ao seu detentor de comercializá-la a preços muitas vezes exorbitantes amparados que estão por registro efetuados junto a órgãos oficiais do governo. Isto é, o governo não só colabora como também oficializa e o que é pior monopoliza a venda desses produtos altamente tóxicos e portanto é fator determinante da intoxicação generalizada da população. Ocorre que os insetos, dotados de um maravilhoso mecanismo de defesa, desenvolvem resistência a esses venenos em apenas 3 gerações em alguns casos. Por isso é que em 1988 no E.P.A. ( Environment Protection Agency) já haviam cerca de produtos químicos registrados para uso na agricultura porque a

15 cada 3 gerações surgem novas variedades de insetos resistentes a essas moléculas isoladas e portanto novas moléculas tem que ser produzidas e patenteadas e colocadas no mercado. Esse processo não tem fim. A cada ano surgem venenos mais e mais poderosos. Inseticidas e fungicidas que antes controlavam os problemas na ordem de 1 a 2 kg por hectare agora estão sendo fabricados para serem utilizados em doses de apenas 200 gramas por hectare. Esses tipos de moléculas são por assim dizer cerca de 10 vezes mais venenosas que as anteriormente utilizadas, porem as multinacionais as apresentam como mais seguras ao meio ambiente pelo simples fato de que se usa menos produto. Menos produto para um mesmo efeito significa maior toxicidade e não menor toxicidade. Isso é um escárnio e uma afronta a inteligência humana e cabe a você agricultor dar um grande e rotundo Basta! a toda essa situação. Isso agora é possível com a utilização do Óleo de Neem. Vejam por exemplo um resumo dos efeitos nocivos dos inseticidas sintéticos: 1. Poluição ambiental. 2. Danos a saúde devido a níveis elevados ( ou mesmo baixos) de resíduos. 3. Destruição indiscriminada de insetos sem nenhuma consideração sobre o seu papel no meio ambiente muitas vezes benéfico, como no caso dos inimigos naturais. 4. Envenenamento de animais de sangue quente como pássaros, gado, criação em geral e pessoas que tenham contacto com os mesmos. 5. Desenvolvimento de resistência em insetos. 6. Ressurgimentos de certas pragas secundarias e/ou principais que estavam sendo anteriormente controlada por insetos que foram destruídos pelo agrotóxico. Com o seu desaparecimento houve menos concorrência e novas pragas, então, surgiram. Qual o principal (ou principais) ingrediente ativo do Óleo de Neem? O Óleo de Neem exibe o seu poder controlador de insetos devido a uma série de ingredientes com características pesticidas ( 7 ).O seu principal grupo de ingredientes ativos é uma mistura de 3 ou 4 compostos bastante assemelhados porem conta, também, com 20 outros ingredientes menores mas que são bastante ativos de uma maneira ou de outra. Os principais ingredientes pertencem a uma classe de produtos naturais conhecidos como triterpenos mais especificamente limonoides ( 7 ). Até o momento,, pelo menos 9 limonoides extraídos do Neem demonstraram habilidade para inibir o crescimento e desenvolvimento dos insetos. Novos limonoides estão sendo descobertos porem a azadirachtina, salanina, meliantriol, e a nimbina são os mais conhecidos ( 9 ). A Azadirachtina foi um dos primeiros princípios ativos a serem isolados do Neem e já provou ser o principal ingrediente no combate aos insetos. Atribui-se a Azadarachtina cerca de 90% dos efeitos causados nos insetos e é, por isso mesmo, utilizada como padrão de qualidade quando da utilização de óleos de Neem de diversas procedências. A Mercosur só utiliza óleos de Neem cuja concentração estejam acima de ppm de Azadarachtina para a preparação de emulsionados. A Azadarachtina não mata instantaneamente os insetos porem os impede de continuarem se alimentando. Alem disso, interfere no seu desenvolvimento e já demonstrou ser um dos mais potentes reguladores de crescimento de insetos pesquisados nos últimos 20 anos ( 9 ). Essa substancia repele ou reduz a ingestão de alimentos de varias espécies de insetos prejudiciais as lavouras bem como de alguns nematóides ( 9 ). Na verdade ela é tão potente que um simples traço da sua presença impede que alguns insetos cheguem até a tocar as plantas.

16 A Azadarachtina é estruturalmente similar ao hormônio chamado ecdysona que controla o processo de metamorfose das diversas fases da vida do inseto ( larva, pupa e inseto adulto). Ela afeta o Corpus cardiacus, um órgão semelhante a glândula pituitária na espécie humana, que controla a secreção de hormônios. A metamorfose requer uma sincronia perfeita de vários hormônios e outras mudanças fisiológicas para ser bem sucedida e a Azadarachtina é um bloqueador de ecdysona. Ela bloqueia a produção e a liberação desse hormônio vital para os insetos. Os insetos então não fazem a muda ou mudança de uma fase para outra, interferindo no seu ciclo de vida. O melantriol é um outro inibidor alimentar que em concentrações extremamente baixas tem o efeito de paralisar a alimentação dos insetos. Esse seu efeito foi pela primeira vez demonstrado nos gafanhotos. A salanina foi o terceiro terpenoide a ser isolado do Neem. Estudos indicaram que a salanina é também extremamente poderosa na sua ação antialimentar porem não interfere na metamorfose. O gafanhoto migrador, besouro listrado do pepino, moscas domésticas e o besouro japonês foram bastante afetados tanto em testes de laboratório quanto em testes de campo. A Nimbina e Nimbidina tiveram o seu efeito anti-viral demonstrado. Elas afetaram o vírus X da batata, vírus da vaccinia e vírus fowl pox. Existe a possibilidade desses dois ingredientes serem usados no controle dessas viroses em lavouras e animais. Certos ingredientes menores também possuem efeito anti-hormonal. A pesquisa também demonstrou que alguns desses ingredientes menores conseguem até paralisar o mecanismo de deglutição, desta forma impedindo os insetos de se alimentarem. Dentre esses limonoides secundários foram isolados o deacetylazadarachtinol que demonstrou ser eficaz contra a lagarta do broto do tabaco. Qual o mecanismo de ação do Óleo de Neem nos insetos? Até o momento já foram descritos na literatura científica os seguintes efeitos : - Repelente de larvas e adultos. - Inibindo ou impedindo o desenvolvimento de ovos, larvas ou pupas. - Bloqueio da muda de larvas ou ninfas. - Impedindo a comunicação sexual e o acasalamento. - Impedindo que fêmeas depositem os ovos. - Esterilizando insetos adultos. - Envenenando larvas e insetos adultos. - Inibindo a alimentação. - Bloqueio da habilidade de deglutir, isto é redução da motilidade intestinal. - Perturbação da metamorfose nas várias etapas. - Inibindo a formação de quitina Qual o mecanismo de ação da Azarachtina? Os vários estudos demonstraram que o mecanismo de ação da Azadarachtina pode ser conforme abaixo relacionados ( 9 ) : 1. Efeito Anti-alimentar via oral. a) Principal : Inibe a atividade dos receptores de sensibilidade gustativa da cavidade oral, modifica a ingestão normal de alimentos e a capacidade alimentar prospectiva dos Insetos.

17 b) A ingestão de princípios ativos junto com o alimento conduz a inanição e morte. 2. Ação Dermal. Penetra através da cutícula dos insetos e inibe a síntese de quitina, provocando, então desidratação e morte. 3. Efeito Repelente. Devido a mudanças no comportamento locomotor e estacionário dos insetos, em alguns casos o acasalamento, assim como a comunicação sexual é afetada. 4. Efeito Destruidor do Crescimento. Pela inibição do crescimento normal do inseto por meio da interferência nos ciclos de mudança. Suprime a atividade da ecdysona e a larva não efetua a mudança de fase, mas fica na fase jovem para sempre até que eventualmente morre. 5. Efeito na sobrevivência e reprodução pela ação inibidora da ovoposição. Quando a fêmea atinge o período de postura do seu ciclo de vida, a ovoposição é suprimida ou inibida. 6. Efeito no Sistema Endócrino. Os extratos de Neem são acumulados no sistema neurosecretório do inseto, e por cruzarem a barreira cerebral, são concentrados no corpus cardiacus, resultando em uma menor utilização das proteínas neuro-secretórias. Há quanto tempo já se utiliza o Óleo de Neem na agricultura? Embora a utilização do Neem na medicina Ayurveda esteja mencionada em escritos sanscritos de milhares de anos de idade a sua utilização na agricultura é de certa forma recente. A habilidade do Neem em repelir insetos foi pela primeira vez descrita na literatura cientifica em 1928 e Dois cientistas Indianos, Dr. R.N. Chopra e Dr.M.A. Husain usaram uma solução aquosa contendo 0,001% de frutos secos moídos para repelir gafanhotos do deserto ( 9 ). Porem a sua real importância somente foi demonstrada em Naquele ano, em testes de campo efetuados em Nova Delhi, S. Pradhan pulverizou diversas espécies de plantas com uma solução de frutos de Neem. Ele observou que embora os gafanhotos pousassem sobre as plantas tratadas eles se recusavam a come-las e que esse efeito durava até 3 semanas após o tratamento. Alem do mais ele observou que o extrato do fruto de Neem era ainda mais eficiente do que os inseticidas químicos convencionais utilizados naquela ocasião e que o seu efeito repelente era tão forte quanto o seu efeito pesticida. Nos campos tratados com inseticidas químicos adjacentes os insetos morreram mas não sem antes terem devorado as plantas. Os efeitos reguladores do crescimento foram independentemente observados na Inglaterra e no Kenia em Na Inglaterra, L.N.E. Ruscoe, na época um funcionário da I.C.I., testou Azadarachtina em insetos prejudiciais a lavouras como Borboleta branca do repolho ( Pieris brassicae) e besouro manchador do algodão ( Dysdercus fasciatus) e notou efeitos de regulação de crescimento em todos os casos. Naquele mesmo ano, no Kenia, um estudante de pós graduação alemão, K. Leuschner trabalhando na Estação Experimental de Café ( Coffee Research Station) de Upper Kiamu observou que um extrato metanolico da folha do Neem controlava o bezouro do café (Antestiopsis orbitalis bechuana) por meio de efeito regulador de crescimento. A maioria das ninfas tratadas no estágio quinto instar morriam nas

18 mudas subsequentes e as poucas que sobreviveram tiveram mal formação de tórax e asa na fase adulta. Os efeitos de redução da fecundidade dos insetos foi demonstrado por R. Steets, outro estudante de pós graduação, e H. Schmutterer na Alemanha. Eles observaram e eficiência do Neem em bezouro mexicano do feijão ( Epilachta varivestis) e bezouro da batata Colorado ( Leptinotarsa decemlineata) cuja ovoposição foi reduzida quase que a zero. Algumas fêmeas foram quase que esterelizadas e esse efeito era irreversível ( 9 ). Em que parte da arvore do Neem concentra-se a maioria dos ingredientes ativos? Os ingredientes ativos da arvore do Neem encontram-se presentes em quase toda a planta. Entretanto, é no fruto que eles se encontram em maior concentração e notadamente no óleo que é extraído desses frutos. Quais os principais insetos ou classes de insetos controlados pelo Óleo de Neem? Em 1990, pesquisadores relataram que os extratos de Neem afetavam quase 200 espécies de insetos (7). Outros autores relatam até 400 espécies de insetos ( 9 ) nas ultimas duas décadas como sendo afetados pêlos ingredientes ativos do Neem. Classe Orthoptera: Compreende gafanhotos, grilos, esperanças, etc... Nessa classe de insetos o efeito antialimentar é bem marcante. Varias espécies se recusam a comer plantas tratadas com neem por vários dias e algumas vezes até varias semanas. Classe Homoptera: Afídeos (pulgões), moscas brancas, psyllids, cochonilhas, e outros insetos dessa classe são sensíveis ao neem em diversos graus de eficiência. É interessante ressaltar que os ingredientes ativos do Neem podem influenciar a habilidade dos homopteros de serem portadores e de transmitirem certas viroses. Esse efeito já foi observado em arroz com o virus tungro transmitido por homopteros. Classe Thysanoptera: O Neem tem demonstrado ser muito eficiente em larvas de trips que ocorrem no solo. Entretanto, uma vez que os insetos adultos tenham se estabelecido nas plantas eles passam a ser menos suscetíveis aos extratos de Neem. As formulações oleosas mostraram-se mais eficientes em alguns ensaios talvez devido ao fato de que o óleo cobre e sufoca esse tipo de insetos. Classe Coleóptera: As larvas de todos os tipos de besouros, especialmente os fitófagos coccinelideos, e crisomelideos, são bastante afetados pelo óleo de Neem. Eles se recusam a comer plantas tratadas, crescem devagar, e alguns são mortos ao contato com os princípios ativos.

19 Classe Lepdoptera: Resultados de inúmeros ensaios de campo, notadamente com traças, demonstraram que as larvas de diversos lepidópteros são altamente suscetíveis ao Neem. Tudo indica que pragas como lagartas militares, brocas de fruto, broca do milho, e pragas afins serão os principais alvos do óleo e dos extratos de Neem no futuro. O Neem os impede de se alimentarem porem esse efeito é menos marcante do que os danos ao crescimento e desenvolvimento que ele causa. Até o momento todos os resultados de campo, em São Paulo, com o nosso produto tem sido bastante animadores. Todos os produtores relatam uma diminuição sensível no ataque de lagartas e traças. Classe Diptera: Varias espécies de dipteros como mosca de frutas, mosca dos chifres, e moscas domesticas são também um bom alvo para Óleo de Neem. Em São Paulo, já temos resultados de campo que comprovam a eficiência do nosso emulsionado de óleo de neem em moscas de frutas em maracujá. Foi observado, que a mosca dos chifres não se desenvolve em esterco tratado com pulverizações de Óleo de Neem. Classe Himenoptera - Efeitos anti-alimentar e desregulando a crescimento. Suscetível. Classe Heteroptera - Insetos sugadores que atacam diversas lavouras como café, arroz, hortaliças. São afetados. As propriedades sistêmicas do Neem afetam o seu habito alimentar e desregulam o seu crescimento e desenvolvimento. Insetos Domésticos - Baratas são bastante afetadas pelo Óleo de Neem. Ele mata os insetos jovens e inibe os adultos de efetuarem a ovoposição. Larvas impregnadas com óleo de Neem funcionaram em diversas espécies de barata incluindo a B. Germânica Pragas e Insetos de Produtos Armazenados - O Neem tem demonstrado um potencial excelente para a utilização em produtos armazenados. Aliás, esse é uma das suas utilizações mais antigas na Ásia e a literatura está repleta de ensaios bem sucedidos. Houve controle de 3 a 6 meses em produtos armazenados tanto com o óleo quanto com o pó da folha. Espécies de Sitophilus e Tribolium são controladas com sucesso por preparações contendo ingredientes ativos da planta do Neem.

20 Há quanto tempo se utiliza o Óleo de Neem no Brasil? No Brasil o fomento ao Neem começou com a ajuda prestada pela GTZ, empresa estatal alemã, destinada a promover a redução de produtos tóxicos na agricultura, que injetou recursos na CATI criando o projeto Solo Vivo. Nessa época o Eng. Agr. Helcio de Abreu Jr., o grande e incansável divulgador dessa arvore no Brasil, teve o seu primeiro contato com o Neem, embora essa planta já tivesse sido introduzida pelo I.A.C. ( Instituto Agronômico de Campinas) há 28 anos atrás pela seção de Plantas Medicinais que ainda possui a arvore de Neem mais antiga do Brasil nos fundos da referida seção. Posteriormente, e de forma tímida, foram feitas algumas importações do óleo de Neem da América Central porem o preço era exorbitante e dificultava o acesso dos produtores a esse importante insumo ecológico. Será que os insetos irão desenvolver resistência ao Óleo de Neem? Todos os autores consultados são da opinião que será extremamente difícil aos insetos desenvolverem resistência aos ingredientes ativos do Óleo de Neem devido ao fato de serem inúmeros ( cerca de 40 ingredientes ativos) e da forma como os mesmos atuam. Alguns dos ingredientes ativos são bloqueadores da ecdysona que é um hormônio natural. Fica extremamente difícil aos insetos desenvolverem qualquer tipo de resistência quando inúmeros mecanismos são afetados ao mesmo tempo. Em ensaios conduzidos com o fim específico de desenvolver resistência nos insetos demonstrou-se ser essa possibilidade muito remota. Traças do repolho após 35 gerações consecutivas expostas ao Neem continuaram a exibir a mesma suscetibilidade aos princípios ativos. O que pensam as organizações mundais como a F.A.O. sobre o Óleo de Neem? Diversas organizações internacionais como a GTZ da Alemanha tem promovido a pesquisa cultura e difusão do Neem como uma forma de reduzir a utilização de inseticidas sintéticos na agricultura principalmente no países do terceiro mundo, já que no primeiro mundo eles contam com mecanismos eficientes que coíbem a utilização desses produtos venenosos. Um exemplo disso é o Baysiston, da Bayer, que está proibido na Alemanha, sede daquela empresa, mas que continua sendo vendido no Brasil matando agricultores em todo o pais todos os anos. O Conselho Nacional de Pesquisas ( National Research Council) de Washington, USA, chamou o Neem de a arvore para resolver os problemas globais. A FAO ( Food and Agriculture Organization ) chamou o Neem de uma das maiores dádivas para a humanidade. Recentemente, a Inglaterra rejeitou um pedido de uma empresa americana que pretendia patentear a planta do Neem para poder auferir lucros exclusivos sobre essa fonte inesgotável de recursos e verdadeira dádiva a humanidade. O Óleo de Neem é tóxico ao homem e a vida silvestre? Até o momento não foram encontrados nenhum efeito tóxico a animais de sangue quente incluindo pássaros, a peixes, a minhocas e demais organismos de solo. Em 1985 o E.P.A. (Environment Protection Agency) aprovou o produto comercial Margosan-A para controle de trips, moscas brancas, minadores de folha, lagartas em geral, pulgas, traças, broca de chifre, baratas, lagartas militares em estufas, viveiros, florestas e residências com base em estudo de toxicidade realizado com essa finalidade. Esse produto é um extrato dos frutos do Neem.

Catálogo DE PRoDUtoS JaRDINagEM E PEt CaRE

Catálogo DE PRoDUtoS JaRDINagEM E PEt CaRE Catálogo DE PRODUTOS JARDINAGEM E PET CARE Apresentando opções naturais e saudáveis, a Preserva Mundi contribui com a natureza e a qualidade de vida. Acreditamos sensibilizar a consciência de nossos consumidores

Leia mais

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas 1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas Em agricultura orgânica sempre se busca o equilíbrio ecológico e a prevenção de problemas que afetam a saúde das plantas. Através do uso de algumas técnicas simples

Leia mais

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Plantas cultivadas em sistema de aquaponia Alface Cebolinha

Leia mais

A lagarta acabou com o meu feijão!

A lagarta acabou com o meu feijão! A lagarta acabou com o meu feijão! A UU L AL A Os brasileiros gostam muito de um bom prato de arroz e feijão. Quando vamos ao supermercado e compramos um pacote de feijão pronto para ser cozido, não imaginamos

Leia mais

Tornando Níger verde combinando árvores e cultivos

Tornando Níger verde combinando árvores e cultivos Tornando Níger verde combinando árvores e cultivos Níger tornou-se verde de novo, após fazendeiros descobrirem o valor de deixar árvores nativas crescer e fazer seus cultivos sob estas árvores. GREEN WORLD

Leia mais

89 U S O S P A R A O Ó L E O D E C O C O

89 U S O S P A R A O Ó L E O D E C O C O 89 U S O S P A R A O Ó L E O D E C O C O O óleo de coco pode ser usado para tudo. Você pode ter um balde de cinco litros em sua mesa e você terá o que fazer com ele. Veja a seguir 89 maneiras de utilizar

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

Uma árvore de muitas utilidades

Uma árvore de muitas utilidades Série Como fazer CAATINGA SOLUÇÕES PARA O SEMI-ÁRIDO Uma árvore de muitas utilidades Março de 2006 CAATINGA Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições Não Governamentais Alternativas

Leia mais

Pack Óleo Essencial + Aromatizador

Pack Óleo Essencial + Aromatizador Pack Óleo Essencial + Aromatizador Óleos Essenciais Ideais para massagem, inalação, vapores. Promovem o bem-estar e diversos benefícios para a saúde. Aromatizador O cheiro estimula partes do nosso cérebro

Leia mais

AGRICULTURA ORGÂNICA

AGRICULTURA ORGÂNICA Conceitos básicos Oficina do Grupo Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Pobreza Setembro 2009 O que é De modo geral, a agricultura orgânica é uma forma de produção agrícola que não utiliza agrotóxicos,

Leia mais

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória -

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória - M i c r o Z o o m - um jogo de observação e memória - Material de Apoio Raiva A raiva é uma doença fatal. Isso significa que se uma pessoa que se uma pessoa não vacinada for contaminada pelo vírus da raiva

Leia mais

Unha-de-gato. Uncaria tomentosa (Willd. ex Roem. & Schult.) D.C. e Uncaria guianensis (Aubl.) J.F. Gmel.

Unha-de-gato. Uncaria tomentosa (Willd. ex Roem. & Schult.) D.C. e Uncaria guianensis (Aubl.) J.F. Gmel. Unha-de-gato Unha-de-gato Uncaria tomentosa (Willd. ex Roem. & Schult.) D.C. e Uncaria guianensis (Aubl.) J.F. Gmel. Elias Melo de Miranda Foram os indígenas peruanos que descobriram o uso medicinal da

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local;

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; A Vida no Solo A Vida no Solo A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; O solo é constituído por alguns componentes: os minerais, o húmus, o ar, a água e os seres

Leia mais

Controle Microbiano de Fernanda Goes Mendes Marina Chamon Abreu Seminário de Microbiologia do Solo 2014/1 O controle de na agricultura é um fator limitante e resulta no aumento do custo de produção; O

Leia mais

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses Prof. João Carlos aula 3 botânica e parasitoses Briófitas : musgos Os musgos (verdes) produzem gametas, seus filhos produzem esporos Esporos gametas Pteridófitas: samambaias Ciclo das samambaias O gameta

Leia mais

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer:

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer: Emagrecer nem sempre é uma das tarefas mais simples. A fórmula parece simples (dieta + exercício + descanso) porém diferentes pessoas precisam de diferentes soluções. Uma coisa é certa: qualquer ajuda

Leia mais

Competências Técnicas

Competências Técnicas Missão Atender bem os clientes, com bons produtos, da maneira mais rápida possível, sempre com muita atenção, com os menores preços possíveis, em um local agradável e limpo. Competências Técnicas Formar

Leia mais

O Movimento GAIA Novidades Setembro 2003. Conteudo: Como Controlar Malária Novo no site GAIA Sobre o Prémio GAIA

O Movimento GAIA Novidades Setembro 2003. Conteudo: Como Controlar Malária Novo no site GAIA Sobre o Prémio GAIA O Movimento GAIA Novidades Setembro 2003 Conteudo: Como Controlar Malária Novo no site GAIA Sobre o Prémio GAIA COMO CONTROLAR MALÁRIA Você recebem malária através de picadas de alguns mosquitos especiais

Leia mais

Menos calorias com alimentação termogenica

Menos calorias com alimentação termogenica Menos calorias com alimentação termogenica Eliane Petean Arena Nutricionista CRN Rua : Conselheiro Antonio Prado N: 9-29 Higienópolis Bauru - SP Telefone : (14) 3243-7840 ALIMENTOS TERMOGENICOS Todo alimento

Leia mais

35 Como o berne aparece no boi?

35 Como o berne aparece no boi? A U A UL LA Como o berne aparece no boi? A criação de gado requer dos fazendeiros, entre outras coisas, o cuidado com a saúde dos animais, pois os bois são atingidos por muitas doenças. Nesta aula vamos

Leia mais

Broca da madeira. Atividade de Aprendizagem 19. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente

Broca da madeira. Atividade de Aprendizagem 19. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Atividade de Aprendizagem 19 Broca da madeira Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Tema Interações entre os seres vivos / características e diversidade dos seres vivos / manutenção da vida e integração

Leia mais

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes Manejo de pragas Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes O que é uma praga? *Inseto que cause danos diretos (ex. lagarta que se alimente das folhas de couve) O que é uma praga? * Inseto que cause danos

Leia mais

Presença indesejável no Brasil

Presença indesejável no Brasil Presença indesejável no Brasil Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos mosca-branca (Bemisia argentifolii) é uma velha conhecida da comunidade científica. Os problemas que causa à agricultura

Leia mais

IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL

IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL ATUALMENTE O BRASIL É O 1º CONSUMIDOR MUNDIAL DE AGROTÓXICOS E A BAHIA OCUPA O 7º LUGAR ENTRE OS ESTADOS DA FEDERAÇÃO IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL Vamos conhecer mais

Leia mais

FEBRE AMARELA: Informações Úteis

FEBRE AMARELA: Informações Úteis FEBRE AMARELA: Informações Úteis Quando aparecem os sintomas? Os sintomas da febre amarela, em geral, aparecem entre o terceiro e o sexto dia após a picada do mosquito. Quais os sintomas? Os sintomas são:

Leia mais

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR 1. INTRODUÇÃO O migdolus é um besouro da família Cerambycidae cuja fase larval causa danos ao sistema radicular da cana-de-açúcar, passando a exibir sintomas de seca em toda

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS

Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS 0 1. O que são as Boas Práticas Agrícolas? Os consumidores estão cada vez mais preocupados em obter alimentos saudáveis,

Leia mais

Alternativas Biológicas para o Combate de Pragas Agrícolas

Alternativas Biológicas para o Combate de Pragas Agrícolas Geramos valor para a Natureza Alternativas Biológicas para o Combate de Pragas Agrícolas Simone Aguiar & Henrique Joaquim Agosto, 2014 MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA Índice Agricultura

Leia mais

A origem e a importância dos insetos como pragas em plantas cultivadas. Prof. Dr. Bráulio Santos Eng. Agr., Entomologista bsantos@ufpr.

A origem e a importância dos insetos como pragas em plantas cultivadas. Prof. Dr. Bráulio Santos Eng. Agr., Entomologista bsantos@ufpr. A origem e a importância dos insetos como pragas em plantas cultivadas Prof. Dr. Bráulio Santos Eng. Agr., Entomologista bsantos@ufpr.br ORIGEM DA RELAÇÃO INSETO/PLANTA RECURSOS ALIMENTARES NATURAIS DA

Leia mais

Combinar termogênicos e desintoxicantes em um único chá ajuda a emagrecer até 6 kg em um mês.

Combinar termogênicos e desintoxicantes em um único chá ajuda a emagrecer até 6 kg em um mês. Combinar termogênicos e desintoxicantes em um único chá ajuda a emagrecer até 6 kg em um mês. Chá verde e seus benefícios infinitos, inclusive no emagrecimento, pele, saúde física e mental. O Chá verde

Leia mais

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi VIROLOGIA HUMANA Professor: Bruno Aleixo Venturi O que são vírus? A palavra vírus tem origem latina e significa "veneno". Provavelmente esse nome foi dado devido às viroses, que são doenças causadas por

Leia mais

ALIMENTAÇÃO Preventiva. Volume I

ALIMENTAÇÃO Preventiva. Volume I ALIMENTAÇÃO Preventiva Volume I By porque evoluir é preciso Que o teu alimento seja seu medicamento Hipócrates Pai da medicina moderna Não coma, nutra-se! Existem muitas informações importantes disponíveis,

Leia mais

2) Aprendendo a fazer a compostagem. 4)Composteira: solução para em pequenos espaços.

2) Aprendendo a fazer a compostagem. 4)Composteira: solução para em pequenos espaços. Compostagem: a arte de transformar o lixo em adubo orgânico 2) Aprendendo a fazer a compostagem 4)Composteira: solução para em pequenos espaços. 3)Manutenção e cuidados com o composto Microorganismos:

Leia mais

Bactérias e Doenças Associadas

Bactérias e Doenças Associadas Bactérias e Doenças Associadas Disenteria Bacilar Agente Etiológico: Bactérias do gênero Shigella Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Infecção intestinal,

Leia mais

Tipos de Sistema de Produção

Tipos de Sistema de Produção Tipos de Sistema de Produção Os sistemas de cultura dominantes conjunto de plantas cultivadas, forma como estas se associam e técnicas utilizadas no seu cultivo apresentam grandes contrastes entre o Norte

Leia mais

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento AULA 4 FLORESTAS As florestas cobriam metade da superfície da Terra antes dos seres humanos começarem a plantar. Hoje, metade das florestas da época em que recebemos os visitantes do Planeta Uno não existem

Leia mais

HISTÓRICO. O consumo de ervas pela população para tratamento e cura de doenças tão antigo quanto a humanidade; Relatos na China de 3000 a.

HISTÓRICO. O consumo de ervas pela população para tratamento e cura de doenças tão antigo quanto a humanidade; Relatos na China de 3000 a. HISTÓRICO O consumo de ervas pela população para tratamento e cura de doenças tão antigo quanto a humanidade; Relatos na China de 3000 a.c; Brasil: Indígenas utilizavam em rituais, A utilização de plantas

Leia mais

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um:

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um: Quiz 6 a Série Professora: Alexsandra Ribeiro Instruções: Olá queridos alunos e alunas! O quiz é mais uma ferramenta que nos possibilita saber se realmente você está entendendo o conteúdo abordado em sala

Leia mais

Luz Solar. 1. Cite duas doenças que podem ser prevenidas com a luz solar? 3. Cite alguns benefícios da luz solar para os seres humanos.

Luz Solar. 1. Cite duas doenças que podem ser prevenidas com a luz solar? 3. Cite alguns benefícios da luz solar para os seres humanos. Luz Solar 1. Cite duas doenças que podem ser prevenidas com a luz solar? Raquitismo e Osteoporose 2. Em qual dia da criação, Deus criou a luz? 1 dia 3. Cite alguns benefícios da luz solar para os seres

Leia mais

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph JARDINAGEM O que é solo? O solo é a camada superficial da crosta terrestre, sendo formado basicamente por aglomerados minerais, matéria orgânica oriunda da decomposição de animais e plantas e organismos

Leia mais

Tipos de Diabetes. Diabetes Gestacional

Tipos de Diabetes. Diabetes Gestacional Tipos de Diabetes Diabetes Gestacional Na gravidez, duas situações envolvendo o diabetes podem acontecer: a mulher que já tinha diabetes e engravida e o diabetes gestacional. O diabetes gestacional é a

Leia mais

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas De origem européia, a oliveira foi trazida ao Brasil por imigrantes há quase dois séculos, mas somente na década de 50 foi introduzida no Sul de Minas Gerais.

Leia mais

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas.

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Cartilha Doenças e Complicações de Verão Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Devido às condições climáticas, diversas são as doenças

Leia mais

Módulo 1 Entendendo a contaminação dos alimentos

Módulo 1 Entendendo a contaminação dos alimentos Módulo 1 Entendendo a contaminação dos alimentos Aula 1 - O que é um Alimento Seguro? Por que nos alimentamos? A alimentação é uma atividade básica para o indivíduo manter- se vivo. Precisamos nos nutrir

Leia mais

Quem somos. A maior franquia de jardinagem do Brasil! Nosso foco é tratamento e nutrição de plantas e gramados;

Quem somos. A maior franquia de jardinagem do Brasil! Nosso foco é tratamento e nutrição de plantas e gramados; Conheça a maior franquia de jardinagem do Brasil! Sobre nós A Ecojardim partiu do sonho de um jovem técnico agrícola que tinha em suas mãos mais de 15 anos de experiência nos mercados de agricultura e

Leia mais

O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 COMO: CULTIVAR SEU PRÓPRIO FERTILIZANTE E TAMBÉM ADQUIRIR FORRAGEM PARA ANIMAIS E LENHA. www.gaia-movement.

O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 COMO: CULTIVAR SEU PRÓPRIO FERTILIZANTE E TAMBÉM ADQUIRIR FORRAGEM PARA ANIMAIS E LENHA. www.gaia-movement. O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 Depois da colheita os galhos cortados são usados para cobrir a terra. Isto protege contra erosão, guarda a humidade e melhora a terra com matéria orgânica, assim que segura

Leia mais

34 Por que as vacas mastigam o tempo todo?

34 Por que as vacas mastigam o tempo todo? A U A UL LA Por que as vacas mastigam o tempo todo? Nos sítios e fazendas que têm criação de gado, os bois e vacas se espalham pelo pasto e têm hora certa para ir ao cocho receber o trato. O trato pode

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

PRODUTOS ELABORADOS MADEIRA PLÁSTICA

PRODUTOS ELABORADOS MADEIRA PLÁSTICA MADEIRA PLÁSTICA A Madeira Plástica é uma opção sustentável para quem se preocupa com a causa ambiental. O grande diferencial deste produto é que sua fabricação dá-se a partir da reciclagem de toneladas

Leia mais

A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas e valorizadas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas.

A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas e valorizadas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas. A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas e valorizadas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas. Sua história remonta ao século I, como evidenciado nos

Leia mais

Data: 05/10/2012 Assunto:

Data: 05/10/2012 Assunto: Veículo: Refrescante Data: 05/10/2012 Assunto: Manejo Integrado de Pragas promove cafeicultura sustentável http://refrescante.com.br/manejo-integrado-de-pragas-promove-cafeicultura-sustentavel.html Os

Leia mais

Silêncio. O silêncio do campo

Silêncio. O silêncio do campo Silêncio O silêncio do campo OS DADOS PODEM SER COMPROVADOS PELAS FOTOS QUE MOSTRAM QUE INFELISMENTE ESSA É A OS DADOS PODEM SER COMPROVADOS PELAS FOTOS QUE MOSTRAM QUE INFELISMENTE ESSA É A MOGNO AFRICANO

Leia mais

Mal de Chagas e os inseticidas

Mal de Chagas e os inseticidas Mal de Chagas e os inseticidas A UU L AL A Em 1909, o médico e cientista brasileiro Carlos Chagas estava pesquisando a malária, em Minas Gerais, quando foi informado da existência de um inseto que se alimentava

Leia mais

1. PROPAGAÇÃO SEXUADA ASSEXUADA VEGETATIVA MICRIPROPAGAÇÃO MACROPROPAGAÇÃO ENXERTIA BORBULHIA MERGULHIA AMONTOA ALPORQUIA ESTAQUIA

1. PROPAGAÇÃO SEXUADA ASSEXUADA VEGETATIVA MICRIPROPAGAÇÃO MACROPROPAGAÇÃO ENXERTIA BORBULHIA MERGULHIA AMONTOA ALPORQUIA ESTAQUIA 1. PROPAGAÇÃO SEXUADA ASSEXUADA VEGETATIVA MICRIPROPAGAÇÃO MACROPROPAGAÇÃO ENXERTIA BORBULHIA MERGULHIA AMONTOA ALPORQUIA ESTAQUIA 1. PROPAGAÇÃO MICROPROPAGAÇÃO 1. PROPAGAÇÃO 1. PROPAGAÇÃO ENXERTIA 1.

Leia mais

Exercício de Biologia - 3ª série

Exercício de Biologia - 3ª série Exercício de Biologia - 3ª série 1- A poluição atmosférica de Cubatão continua provocando efeitos negativos na vegetação da Serra do Mar, mesmo após a instalação de filtros nas indústrias na década de

Leia mais

f a z e r e revolucionar sua alimentação

f a z e r e revolucionar sua alimentação C o m o f a z e r sua horta em casa e revolucionar sua alimentação MANUAL PRÁTICO POR QUE TER UMA HORTA EM CASA? Sabe-se que a alimentação funciona como um combustível, e o organismo responde de acordo

Leia mais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais 1- Ascaridíase gênero Ascaris 2- Ancilostomíase gênero Ancylostoma 3- Oxiuríase gênero Enterobius 4- Filaríase gênero Wuchereria Ascaris O gênero Ascaris

Leia mais

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae.

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae. A Equipe Multiprofissional de Saúde Ocupacional da UDESC lembra: Dia 01 de dezembro é dia mundial de prevenção à Aids! Este material foi desenvolvido por alunos do Departamento de Enfermagem da Universidade

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis SLIDE 1 Introdução do trabalho: Bom dia, estamos aqui para falar a cerca das infeções sexualmente transmissíveis, os problemas associados e o modo

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

Doença de Chagas. 4) Número de Aulas: as atividades serão desenvolvidas em três etapas, divididas em aulas a critério do professor.

Doença de Chagas. 4) Número de Aulas: as atividades serão desenvolvidas em três etapas, divididas em aulas a critério do professor. Doença de Chagas Introdução Em 1909 o pesquisador do Instituto Osvaldo Cruz, Carlos Chagas, descobriu uma doença infecciosa no interior de Minas Gerais. Segundo seus estudos, era causada pelo protozoário

Leia mais

OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES

OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Página1 OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Importância dos alimentos Todos os animais, incluindo o homem, precisam de se alimentar para sobreviver. Porque são tão importantes os alimentos? Os alimentos

Leia mais

Informações básicas para fazer compostagem 1.

Informações básicas para fazer compostagem 1. Educação Ambiental Desenvolvimento Sustentável. www.ecophysis.com.br Informações básicas para fazer compostagem 1. COMPOSTAR para reduzir a quantidade de resíduos orgânicos 2. REUSAR os resíduos compostados

Leia mais

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes PROFESSORA NAIANE Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes dos alimentos, chegam às células do

Leia mais

PROJETO MANEJO SUSTENTÁVEL DE VÁRZEAS GEF-PNUMA-OTCA RELATÓRIO

PROJETO MANEJO SUSTENTÁVEL DE VÁRZEAS GEF-PNUMA-OTCA RELATÓRIO PROJETO MANEJO SUSTENTÁVEL DE VÁRZEAS GEF-PNUMA-OTCA RELATÓRIO CONSULTORIA: OFICINAS DE BASE AGROECOLÓGICA NAS COMUNIDADES DE URUCURITUBA E TAPARÁ GRANDE, Município de Santarém, Pará, Brasil. CONSULTOR:

Leia mais

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio vírus Vírus - Características Gerais Seres acelulares Desprovidos de organização celular Não possuem metabolismo próprio Capazes de se reproduzir apenas no interior de uma célula viva nucleada Parasitas

Leia mais

ADUBOS ORGÂNICOS (adubação verde, esterco, compostagem e vermicomposto)

ADUBOS ORGÂNICOS (adubação verde, esterco, compostagem e vermicomposto) ADUBOS ORGÂNICOS (adubação verde, esterco, compostagem e vermicomposto) Professor: Nailton Rodrigues de Castro Disciplina: Agroecologia nailtoncastro@agronomo.eng.br Adubação Orgânica O Os efeitos da adição

Leia mais

Manual do Professor. CONTROLE DA PEDICULOSE Um projeto educativo

Manual do Professor. CONTROLE DA PEDICULOSE Um projeto educativo Manual do Professor CONTROLE DA PEDICULOSE Um projeto educativo Professores Carlos Fernando Andrade, Luciana U. dos Santos e Ana Tereza Brandão Cecílio - Departamento de Zoologia - Instituto de Biologia

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO

AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO ENCARNITA SALAS MARTIN * INTRODUÇÃO AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO Agrotóxicos, defensivos agrícolas, praguicidas, pesticidas ou biocidas, são denominações de substâncias químicas naturais ou

Leia mais

3 segurança AlimentAr CHRistianne de VasConCelos affonso Jaqueline girnos sonati 19

3 segurança AlimentAr CHRistianne de VasConCelos affonso Jaqueline girnos sonati 19 3 Segurança Al i m e n ta r Christianne de Vasconcelos Affonso Jaqueline Girnos Sonati 19 Segurança Alimentar Atualmente temos muitas informações disponíveis sobre a importância da alimentação e suas conseqüências

Leia mais

PROVA DE BIOLOGIA I. A charge refere-se a um problema que afeta cada vez mais pessoas em várias regiões do nosso planeta.

PROVA DE BIOLOGIA I. A charge refere-se a um problema que afeta cada vez mais pessoas em várias regiões do nosso planeta. 26 PROVA DE BIOLOGIA I QUESTÃO 40 A charge refere-se a um problema que afeta cada vez mais pessoas em várias regiões do nosso planeta. Vai um baldinho aí? Fonte: conexaoambiental.zip.net/arch2007-11-01_2007-.

Leia mais

As árvores transgênicas

As árvores transgênicas documento informativo - wrm Arvores Transgênicas Movimento Mundial pelas Florestas As árvores transgênicas Até agora o debate sobre os organismos geneticamente modificados- também chamados de transgênicos-

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

BENEFICIOS ÁGUA MAGNETIZADA ARTIGO

BENEFICIOS ÁGUA MAGNETIZADA ARTIGO BENEFICIOS ÁGUA MAGNETIZADA ARTIGO Referências médicas atestam que a água magnetizada tem sido utilizada na dieta alimentar como eficiente coadjuvante no tratamento de várias enfermidades. SEM CONTRA INDICAÇÃO

Leia mais

Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas

Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas O que é o Gás LP? - O Gás LP é composto da mistura de dois gases, sendo 30% de butano e 70% de propano. - Por ser um produto

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Identificar algumas

Leia mais

39 Por que ferver a água antes de beber?

39 Por que ferver a água antes de beber? A U A UL LA Por que ferver a água antes de beber? Todo ano seu Antônio viaja para o litoral com a família e enfrenta sempre os mesmos problemas: congestionamento na estrada, praias lotadas e sujas que,

Leia mais

MOGNO BRASILEIRO. "Mogno resssurge no cerrado mineiro

MOGNO BRASILEIRO. Mogno resssurge no cerrado mineiro MOGNO BRASILEIRO A valiosa madeira mogno está sendo cultivada no norte de MG. Cresce rápido, e agricultores já a veem como futura fonte de lucro. Vejam: "Mogno resssurge no cerrado mineiro A valiosa madeira

Leia mais

Fatores de cultivo CLIMA:

Fatores de cultivo CLIMA: Fatores de cultivo CLIMA: Os fatores climáticos influenciam de forma acentuada o desenvolvimento dos PMAC, bem como a produção dos princípios ativos. Estes fatores podem influenciar isoladamente ou em

Leia mais

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase.

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase. O que são DSTs? DSTs significa, doenças sexualmente transmissíveis, que são passadas nas relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças. São DSTs, a gonorréia, a sífilis, a clamídia, o herpes

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/pepino.htm

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/pepino.htm Página 1 de 5 Olericultura A Cultura do Pepino Nome Cultura do Pepino Produto Informação Tecnológica Data Abril - 1999 Preço - Linha Olericultura Informações gerais sobre a Resenha Cultura do Pepino Luiz

Leia mais

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias VÍRUS E BACTÉRIAS Vírus e bactérias foram, por muito tempo, juntamente com seres unicelulares

Leia mais

O CUIDADO DO ASPECTO EXTERIOR

O CUIDADO DO ASPECTO EXTERIOR A HIGIENE O CUIDADO DO ASPECTO EXTERIOR Não somos uma máquina qualquer! O nosso corpo pode comparar-se a uma máquina, mas é obvio que não a uma máquina qualquer. Em todo o caso, podemos dizer que pensa

Leia mais

The Plant Cell, Sept. 2011, www.plantcell.org 2011 American Society of Plant Biologists. All rights reserved.

The Plant Cell, Sept. 2011, www.plantcell.org 2011 American Society of Plant Biologists. All rights reserved. The Plant Cell, Sept. 2011, www.plantcell.org 2011 American Society of Plant Biologists. All rights reserved. Porquê estudar plantas? (TTPB1) Guião de Ensino Visão Geral As Plantas fornecem-nos oxigénio,

Leia mais

E OS SEUS BENEFÍCIOS

E OS SEUS BENEFÍCIOS E OS SEUS BENEFÍCIOS A principal função do leite é nutrir (alimentar). Além disso, cumpre as funções de proteger o estômago das toxinas e inflamações e contribui para a saúde metabólica, regulando os processos

Leia mais

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS FÉRIAS ESCOLARES X ACIDENTES DOMÉSTICOS As férias escolares exigem mais cuidados com os acidentes domésticos porque as crianças ficam mais tempo em casa e isso aumenta o risco de ocorrerem acidentes que

Leia mais

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL- Coma bem se divertindo Higiene e Saúde Alimentar

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL- Coma bem se divertindo Higiene e Saúde Alimentar PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL- Coma bem se divertindo Higiene e Saúde Alimentar Professoras: Eliete, Maria Cristina e Midian INTRODUÇÃO O homem com o seu próprio corpo podem contaminar diretamente os alimentos

Leia mais

Simone de Souza Prado, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente

Simone de Souza Prado, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Cupins subterrâneos Simone de Souza Prado, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Os cupins são insetos da ordem Isoptera, também conhecidos por térmitas, siriris ou aleluias. Estes insetos são espécies

Leia mais

Apresentação Mobilização no combate à dengue

Apresentação Mobilização no combate à dengue Apresentação Mobilização no combate à dengue Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública do mundo. Com a temporada de chuvas, os riscos de surtos da doença ficam ainda

Leia mais

NOVAS CULTIVARES DE LARANJA PARA O MUNICÍPIO DE GUAÇUÍ, ES

NOVAS CULTIVARES DE LARANJA PARA O MUNICÍPIO DE GUAÇUÍ, ES NOVAS CULTIVARES DE LARANJA PARA O MUNICÍPIO DE GUAÇUÍ, ES NOVAS CULTIVARES DE LARANJA PARA O MUNICÍPIO DE GUAÇUÍ, ES s frutas ácidas, em especial as cítricas (a laranja, a tangerina, o Alimão e a lima),

Leia mais

Tralen 1% tioconazol. Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas.

Tralen 1% tioconazol. Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas. Tralen 1% tioconazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tralen Nome genérico: tioconazol APRESENTAÇÕES Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas. VIA

Leia mais

Vírus HIV circulando na corrente sanguínea

Vírus HIV circulando na corrente sanguínea O que é AIDS? Sinônimos: hiv, síndrome da imunodeficiência adquirida, sida É uma doença que ataca o sistema imunológico devido à destruição dos glóbulos brancos (linfócitos T CD4+). A AIDS é considerada

Leia mais

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5.1 Controle de Pragas PRINCIPAIS PRAGAS -Lagarta elasmo -Vaquinhas - Mosca branca -Ácaro branco -Carunchos LAGARTA ELASMO Feijão da seca aumento da população

Leia mais

Perigo: as brotoejas podem coçar, causando incômodo ao bebê e, por serem uma irritação, tornam-se foco de infecções.

Perigo: as brotoejas podem coçar, causando incômodo ao bebê e, por serem uma irritação, tornam-se foco de infecções. Trate os problemas de pele mais comuns em bebês Pais devem ficam atentos a descamações, manchas e brotoejas Se existe uma característica comum a todos os bebês saudáveis, só pode ser a pele macia e sedosa,

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE 1- Leia o texto e responda as questões Todos os animais, independentemente do seu estilo de vida, servem como fonte de alimento para outros seres vivos. Eles estão

Leia mais