MENINGOENCEFALITES. Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu- UNESP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MENINGOENCEFALITES. Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu- UNESP"

Transcrição

1 MENINGOENCEFALITES Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu- UNESP

2 MENINGOENECEFALITE DEFINIÇÃO Meningite é um processo inflamatório do espaço subaracnóide e das membranas leptomeníngeas ngeas (pia-aracnóide) aracnóide) ) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal, podendo atingir outras estruturas do SNC, o que justifica a denominação de meningoencefalite

3 ETIOLOGIA MENINGOENCEFALITE Período neonatal: E.coli, Streptoccus B, Listeria Entre 2 meses e 5 anos: N. meningitidis, S.pneumoniae,, H.influenzae Pacientes com derivações liquóricas: S.aureus, S.epidermidis, gram-negativos Pacientes imunocomprometidos: : gram-positivos, gram-negativos, vírus, v fungos e micobactérias

4 Meningites: distribuição percentual por etiologias, SP 2003 Virais: 49,8% Bacterianas não especificadas: 20,6% Doença a meningocócica: cica: 11,1% Outras: 7,6% S. pneumoniae: : 5,3% Não especificadas: 5 % H.influenzae: : 0,6% n=9115 casos Fonte: CVE- 15/04/2004

5 MENINGOENCEFALITES: AGENTES

6 MENINGOENCEFALITES: AGENTES

7 MENINGITES BACTERIANAS: importância Elevada incidência de complicações e sequelas Alta mortalidade Maioria dos casos em crianças as < 5 anos

8 MENINGITES BACTERIANAS: FISIOPATOGENIA

9 MENINGITES BACTERIANAS: FISIOPATOGENIA Infarto cerebral Aumento da pressão intracraniana Hidrocefalia Aumento dos valores de proteína Hipoglicorraquia

10 Meningoencefalites bacterianas: epidemiologia Neisseria meningitidis (meningococo) Sorogrupos existentes: A, B, C, Y, W135 Sorogrupos prevalentes: B (60%) e C (40%) Letalidade: 20%; > 50 % em meningococcemia sem meningite Não há h imunidade cruzada entre os sorogrupos Sazonal: meses de inverno Risco de doença a invasiva em familiares: 400 a 800 vezes maior que população geral

11 DOENÇA A MENINGOCÓCICA CICA

12 DOENÇA A MENINGOCÓCICA CICA

13 DOENÇA A MENINGOCÓCICA CICA DOENÇA A MENINGOCÓCICA CICA POR SUBGRUPO

14 MENINGOENCEFALITE BACTERIANA: EPIDEMIOLOGIA Streptococcus pneumoniae (pneumococo) Mais de 90 sorotipos Brasil: 15 sorotipos causam 90% das meningites pneumocócicas cicas Taxa de colonização das VAS: 25-50% 50% em < 5 anos Transmissão: contato direto através s de gotículas respiratórias rias Letalidade: 30% (lactentes jovens e idosos) Elevada morbidade: sequelas neurológicas Cepas resistentes à penicilina: 25-30% Grupos de > risco:falciforme, Hodgkin, AIDS, Sd. Nefrótica, esplenectomizados

15 MENINGITE PNEUMOCÓCICA CICA

16 MENINGITE PNEUMOCÓCICA CICA

17 MENINGOENCEFALITE BACTERIANA: EPIDEMIOLOGIA Haemophilus influenzae ( Hib) Hib: : doença a invasiva (sepse,, meningite, artrite séptica, s epiglotite,, celulite, pneumonia ) Taxa de colonização VAS: 2 a 5% em < 5 anos Transmissão: contato direto através s de gotículas respiratórias rias Pico de incidência: 6 a 18 meses Vacinação ( PNI): redução de 95% na incidência Grupos de > risco: falciformes, AIDS, esplenectomizados, imunodeficientes

18 MENINGITE POR HEMOPHILUS TIPO B

19 MENINGITE POR HEMOPHILUS

20 MENINGITE POR HEMOPHILUS

21 IMPACTO DA VACINAÇÃO CONTRA O HEMOPHILUS

22 MENINGOENCEFALITES: QUADRO CLÍNICO Aguda ( horas) ou subaguda (alguns dias) Manifestações vagas e inespecíficas Síndrome infecciosa Síndrome de HIC Síndrome radicular

23 Quadro clínico da meningoencefalite de acordo com a faixa etária Faixa etária Quadro clínico Período neonatal Lactentes Crianças as maiores Febre, hipotermia,letargia, sucção débil, abaulamento de fontanela,irritabilidade, cianose, apnéia ia,, convulsões Febre, vômitos, irritabilidade, gemência,abaulamento de fontanela, convulsões Febre, cefaléia, vômitos, sinais de irritação meníngea ngea

24 QUADRO CLÍNICO E ALTERAÇÕES FISIOPATOLÓGICAS Convulsões Papiledema Distúrbios óculo-vestibulares e visuais Obnubilação ão,, coma Sinais neurológicos focais

25 MENINGOENCEFALITE BACTERIANA COMPLICAÇÕES Choque séptico s e CIVD Síndrome de Waterhouse- Friederichsen Artrite meningocócia cia ( 5 % dos casos) Pericardite e miocardite Neurológicas

26 MENINGOENCEFALITE BACTERIANA COMPLICAÇÕES NEUROLÓGICAS Agudas: SIHAD Coleção subdural Abscesso cerebral Sequelares: Déficit auditivo Hidrocefalia Retardo mental

27 Resumo das apresentações clínicas do paciente com meningoencefalite Forma simples, não complicada Forma acompanhada de choque e CIVD Forma comatosa com sinais neurológicos focais (vasculite( e SNC) Forma com HIC ( diagnóstico tardio ou tratamento inadequado)

28 MENINGOENCEFALITES: DIAGNÓSTICO PUNÇÃO LOMBAR: L3-L4 L4 ou L4-L5 L5 Avaliar: Celularidade Bioquímica (glicorraquia( e proteinorraquia) Bacterioscopia ( diag.. Presuntivo em 2/3 dos casos) Antígenos Bacterianos (látex ou CIE) Cultura (imprescindível)

29 MENINGOENCEFALITE: DIAGNÓSTICO Contra-indicações: : sinais neurológicos localizatórios ou sinais evidentes de HIC, instabilidade hemodinâmica e/ou ventilatória, trombocitopenia grave ou distúrbios de coagulação, celulite ou abscesso no local da punção

30 CARACTERÍSTICAS DO LCR NAS MENINGOENCEFALITES LCR Bacterianas Virais Tuberculosa Células/ lulas/mm Glicose Proteínas Bacterioscopia ( Gram) Cultura mm³ 10 a (PMN) 75-95% acentuada (< 30 mg/100 ml) Aumentadas Positiva Positiva Aumentadas (<2000) Linfomon. Normal Normal ou pouco aumentadas Negativa Negativa Pouco aumentadas (20 a 500) Diminuída Mto elevada ( >100 mg/dl) Ziehl-neelsen positivo Bacilo da Koch

31 DIAGNÓSTICO ETIOLÓGICO DAS MB - LÁTEX Pesquisa Ags bacterianos no LCR Falsos positivos: portadores de FR + ou reações cruzadas com outros agentes Especificidade: 97% Sensibilidade: H. influenzae:90% S.pneumoniae: : 94,4% N.meningitidis: : 80% Fonte: Manual de Vigilância Epidemiológica/MS-2005

32 MENINGOENCEFALITES BACTERIANAS: DIAGNÓSTICO Sangue: Hemocultura Procalcitonina sérica Exames inespecíficos LCR: PCR Lisozima Lactato Tunkel A et al. Practice guidelines for the management of bacterial meningitis Clin Infect Dis

33 MENINGOENCEFALITES BACTERIANAS: TRATAMENTO CUIDADOS GERAIS: Permeabilidade das vias aéreasa Ofertar O2 100% Obter acesso venoso Monitorizar Exame neurológico cuidadoso Alimentação

34 MENINGOENCEFALITES BACTERIANAS - TRATAMENTO CRITÉRIOS RIOS DE ESCOLHA: Atravessar BHE, atingir concentração inibitória mínima m no LCR, bactericida, menor toxicidade ATÉ 2 M DE IDADE: Ampicilina e Cefalosporina de 3ª 3 geração ou Ampicilina e Aminoglicosídeo( Amica ou Genta)

35 MENINGOENCEFALITES BACTERIANAS: TRATAMENTO CRIANÇAS AS COM MAIS DE 2 M DE IDADE: Cefalosporina de 3ª 3 geração ou Ampicilina + Cloranfenicol Meningite por pneumococo resistente à penicilina e cefalosporinas: Vancomicina + Cefalosporina de 3 ª geração

36 Duração da terapia antimicrobiana em meningites de acordo com o agente isolado Microorganismo Duração da terapia(dias) N.meningitidis 5-7 S.pneumoniae H.influenzae 7-10 Streptococcus do grupo B Bacilos gram negativos 21 L.monocytogenes >21

37 OUTRAS OPÇÕES TERAPÊUTICAS L.monocytogenes: Ampicilina Sulfametoxazol-Trimetropin EV Meningoencefalite viral: Tratamento de suporte Aciclovir

38 CONTROLE DE TRATAMENTO Indicações de coleta de LCR de controle: Ausência de melhora após s 48 h de tratamento Lactentes < 2 meses Meningite por bacilos Gram- negativos Meningite por pneumococos resistentes

39 TRATAMENTO Corticosteróide ide Inibição da atividade da enzima fosfolipase Inibição da produção de TNF e IL-1 Dexametasona: : 0,15 mg/kg- EV- 6/6 hs- 2 dias Utilizar de 15 min a 1 hora antes do antibiótico tico

40 PROFILAXIA N.meningitidis: Contatos domiciliares, creches e escolas Rifampicina: : 10 mg/kg 12/12 h 2 dias H.influenzae: Contatos domiciliares independente da idade, desde que tenham pelo menos 1 contato < 5 anos não imunizado Creches e escolas: 2 ou + casos em até 60 dias Rifampicina: : 20 mg/kg 1x ao dia 4 dias

41 PROFILAXIA Vacina contra Hib Polissacarídeo conjugado: PRP-T; HbOC Esquema básico(pni): b 3 doses no 1 1 ano de vida Crianças as > 12 meses: 1 dose Vacina conjugada contra meningococo C Polissacarídeo capsular meningococo C + carreador Esquema básico b (PNI): 2 doses no 1 1 ano de vida 1 reforço: o: 15 meses Crianças as > 12 meses: 1 dose

42 PROFILAXIA Vacina pneumocócica cica conjugada heptavalente: Polissacarídeos de 7 sorotipos + carreador EUA: 85% bacteremias; ; 83% meningites Brasil: 60% infecções penumocócicas cicas < 5 anos Esquema: 4 doses Criança a > 12 meses: 2 doses com intervalo de 60 dias

43 PROFILAXIA Vacina conjugada 10-valente Polissacarídeos de 10 sorotipos + carreador Brasil: 90% infecções pneumocócicas cicas invasivas Esquema básico b (PNI): 3 doses 1 reforço: o: meses Criança a > 12 meses: 1 dose

44 Melhor prevenir... OBRIGADA...

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO 1 Público Alvo: Médicos do Corpo Clínico e Enfermagem. Objetivo: Padronizar diagnóstico e tratamento de meningites bacterianas. Referência: 1)Practice Guidelines for the Managementof Bacterial Meningitis,

Leia mais

Infecções do Sistema Nervoso Central. FACIMED Disciplina DIP. Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues

Infecções do Sistema Nervoso Central. FACIMED Disciplina DIP. Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues Infecções do Sistema Nervoso Central FACIMED Disciplina DIP. Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues Objetivos da aula de hoje Apresentar as principais características clínicas e laboratoriais das infecções do

Leia mais

Meningite Bacteriana Aguda

Meningite Bacteriana Aguda Meningite Bacteriana Aguda INTRODUÇÃO A meningite bacteriana aguda (MBA) é uma emergência infecciosa com alta incidência em crianças. O diagnóstico precoce e a instituição imediata do tratamento são fundamentais

Leia mais

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV Quais são os principais agentes da meningite? Etiologia meningites Brasil 2007-2010 (fonte: SINAN) Etiologia

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Introdução A meningite bacteriana aguda é um processo

Leia mais

Meningite: O que você PRECISA SABER

Meningite: O que você PRECISA SABER SUBS ECRE TARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVISÃO DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS E IMONUPREVENÍVEIS GERÊNCIA DE

Leia mais

Vigilância das meningites e doença meningocócica

Vigilância das meningites e doença meningocócica Vigilância das meningites e doença meningocócica Qual a magnitude da meningite? Qual a magnitude da meningite? 20.000 casos/ano Número de casos/100.000 habitantes Menor 1 ano 95,5 1 a 4 anos 37,9 5 a 9

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS DIFERENTES VACINAS PNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS

UTILIZAÇÃO DAS DIFERENTES VACINAS PNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS UTILIZAÇÃO DAS DIFERENTES VACINAS PNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS NORMATIZAÇÃO CONJUNTA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (SBP) E ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES (SBIm) PARA USO PRÁTICO A vacina pneumocócica

Leia mais

Infecções do Sistema Nervoso Central

Infecções do Sistema Nervoso Central Infecções do Sistema Nervoso Central Doenças graves com risco de vida. Podem ter evolução aguda (< 24horas), subaguda ( 4 semanas). Principais Infecções: Meningites, Meningoencefalites,

Leia mais

Isabela Loyola Borém Guimarães¹ Marcos Loyola Borém Guimarães 1 Antônio Carlos Albuquerque Moreira 1

Isabela Loyola Borém Guimarães¹ Marcos Loyola Borém Guimarães 1 Antônio Carlos Albuquerque Moreira 1 1 ILB Guimarães. MLB Guimarães, ACA Moreira Perfil epidemiológico da meningite em crianças Meningitis Epidemiology in children Isabela Loyola Borém Guimarães¹ Marcos Loyola Borém Guimarães 1 Antônio Carlos

Leia mais

Infecções por Gram Positivos multirresistentes em Pediatria

Infecções por Gram Positivos multirresistentes em Pediatria Infecções por Gram Positivos multirresistentes em Pediatria FABIANE SCALABRINI PINTO JUNHO DE 2017 Principais tópicos Importância dos Gram positivos nas infecções pediátricas Fatores relacionados à resistência

Leia mais

A Educação Física Adaptada e a formação inicial dos alunos do curso de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

A Educação Física Adaptada e a formação inicial dos alunos do curso de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) A Educação Física Adaptada e a formação inicial dos alunos do curso de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) LIMA, Bernardo Wanderley Barbosa. Graduando - Faculdade de Educação Física/UFU

Leia mais

Diretrizes. Clínicas para o Manejo de Meningoencefalites

Diretrizes. Clínicas para o Manejo de Meningoencefalites Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro Diretrizes Clínicas para o Manejo de Meningoencefalites Gabriella Vanderlinde

Leia mais

PNEUMONIAS BACTERIANAS AGUDAS ADQUIRIDAS NA COMUNIDADE

PNEUMONIAS BACTERIANAS AGUDAS ADQUIRIDAS NA COMUNIDADE PNEUMONIAS BACTERIANAS AGUDAS ADQUIRIDAS NA COMUNIDADE Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de Pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP PNEUMONIA ADQUIRIDA NA COMUNIDADE É a infecção de

Leia mais

Implementação da vigilância de PB y MB na Região das Américas

Implementação da vigilância de PB y MB na Região das Américas .. Implementação da vigilância de PB y MB na Região das Américas Simpósio Internacional de Doença Pneumocócica e Influenza São Paulo, 20 e 21 de Setembro de 2007 Lúcia Helena de Oliveira Maria Tereza da

Leia mais

- Meningite Pneumocócica-

- Meningite Pneumocócica- GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE EPIDEMIOLOGIA DIVISÃO DE

Leia mais

Relato de Caso Clínico com finalidade didática:

Relato de Caso Clínico com finalidade didática: Relato de Caso Clínico com finalidade didática: ID: 005 Data: 01 de abril de 2013 Autora do relato: Natasha Nicos Ferreira Professor responsável: Valdes Roberto Bollela Divisão de Moléstias Infecciosas

Leia mais

Rotinas Gerenciadas. Departamento Materno Infantil. Divisão de Prática Médica/Serviço de Controle de Infecção Hospitalar

Rotinas Gerenciadas. Departamento Materno Infantil. Divisão de Prática Médica/Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Rotinas Gerenciadas Departamento Materno Infantil Divisão de Prática Médica/Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Prevenção doença estreptocócica neonatal Versão eletrônica atualizada em Outubro 2007

Leia mais

MENINGITES. Manual de Instruções. Critérios de Confirmação e Classificação. Revisão - janeiro de 2001

MENINGITES. Manual de Instruções. Critérios de Confirmação e Classificação. Revisão - janeiro de 2001 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO RESPIRATÓRIA MENINGITES Manual de Instruções Critérios

Leia mais

Vacinas do Calendário de Imunização do Estado de São Paulo 2011 Vaccines included in the Immunization Schedule for the State of São Paulo 2011

Vacinas do Calendário de Imunização do Estado de São Paulo 2011 Vaccines included in the Immunization Schedule for the State of São Paulo 2011 Bepa 0;8(8):9- Informe técnico 0 Vaccines included in the Immunization Schedule for the State of São Paulo 0 Comissão Permanente de Assessoramento em Imunizações. Secretaria de Estado da Saúde. São Paulo,

Leia mais

Meningites em idade pediátrica realidade de um hospital português

Meningites em idade pediátrica realidade de um hospital português 0873-9781/12/43-4/162 Acta Pediátrica Portuguesa Sociedade Portuguesa de Pediatria Casuística Meningites em idade pediátrica realidade de um hospital português Rita Santos Silva, Daniel Gonçalves, Fernanda

Leia mais

Equipe de Residência Médica em Pediatria do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos. Orientador: Dr. Rubens Tadeu Bonomo

Equipe de Residência Médica em Pediatria do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos. Orientador: Dr. Rubens Tadeu Bonomo Equipe de Residência Médica em Pediatria do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Orientador: Dr. Rubens Tadeu Bonomo 28/10/2014 Para relembrarmos Meningite: É um processo agudo que compromete as leptomeninges

Leia mais

Meningite Bacteriana

Meningite Bacteriana Meningite Bacteriana Conceito Infecção aguda que acomete as leptomeninges (aracnóide e pia-máter), envolvendo o cérebro e a medula espinhal. Page 2 Epidemiologia Doença comum, de alta mortalidade e morbidade

Leia mais

Biossegurança Resistência Bacteriana. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Biossegurança Resistência Bacteriana. Professor: Dr. Eduardo Arruda Biossegurança Resistência Bacteriana Professor: Dr. Eduardo Arruda Introdução Penicilina (1940): Revolução; Ilusão de que as infecções foram vencida; Ser vivo em resposta à agressão: Resistir; Hoje: Estafilococos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Medicina Social

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Medicina Social UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Departamento de Medicina Social ESTUDO DA OCORRÊNCIA DE MENINGITES NÃO MENINGOCÓCICAS NO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO PRETO - SP, NO PERÍODO DE

Leia mais

Faculdade de Medicina de Botucatu

Faculdade de Medicina de Botucatu Faculdade de Medicina de Botucatu Departamento de Pediatria - UNESP unesp Pneumonia Comunitária em Crianças Dra. Giesela Fleischer Ferrari Disciplina de Pneumologia Pediátrica Pneumonia Comunitária em

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS 16 TÍTULO: A IMPORTANCIA EPIDEMIOLÓGICA DA MENINGITE BACTERIANA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

Marcos Carvalho de Vasconcellos Departamento de Pediatria da FM UFMG

Marcos Carvalho de Vasconcellos Departamento de Pediatria da FM UFMG Marcos Carvalho de Vasconcellos Departamento de Pediatria da FM UFMG marcosvasconcellos@terra.com.br Caso 1: WhatsApp: Dr. Marcos, o meu bebê de 7 dias de vida está com febre de 38,5 C. Posso dar paracetamol?.

Leia mais

Revista Paulista de Pediatria ISSN: Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil

Revista Paulista de Pediatria ISSN: Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Flor Carvalho, Fausto; Carvalho Kreuz, André; Gomes de Carvalho, Danilo; José Pádua, Marcelo Perfil

Leia mais

SIREVA no Brasil: funcionamento apresentação de dados

SIREVA no Brasil: funcionamento apresentação de dados SIREVA no Brasil: funcionamento apresentação de dados SIREVA: Sistema Regional de Vacinas OPAS, WDC Maria Cristina de Cunto Brandileone Instituto Adolfo Lutz São Paulo Outubro, 2007 IAL Objetivo Geral

Leia mais

SBP - Calendário ideal para a Criança SBP lança Calendário de Vacinação 2008

SBP - Calendário ideal para a Criança SBP lança Calendário de Vacinação 2008 SBP - Calendário ideal para a Criança 2008 SBP lança Calendário de Vacinação 2008 Nota s: 1. A vacina contra hepatite B deve ser aplicada nas primeiras 12 horas de vida. A segunda dose pode ser feita com

Leia mais

MENINGITE BACTERIANA EM CRIANÇAS: Aspectos Laboratoriais e Preventivos BACTERIAL MENINGITIS IN CHILDREN: Laboratory and Preventive Aspects

MENINGITE BACTERIANA EM CRIANÇAS: Aspectos Laboratoriais e Preventivos BACTERIAL MENINGITIS IN CHILDREN: Laboratory and Preventive Aspects Curso de Biomedicina Artigo Original MENINGITE BACTERIANA EM CRIANÇAS: Aspectos Laboratoriais e Preventivos BACTERIAL MENINGITIS IN CHILDREN: Laboratory and Preventive Aspects Danieli Roberto 1, Leidiane

Leia mais

Calendário. ideal para Adolecentes

Calendário. ideal para Adolecentes Calendário SBP - So c i e d a d e Br a s i l e i r a d e Pediatria ideal para Adolecentes D e p a r t a m e n t o d e In f e c t o l o g i a d a SBP Calendário de Vacinação para Crianças - 2008 Idade Vacina

Leia mais

O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina

O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina Dr. Raul E. Istúriz: Olá. Eu sou o Dr. Raul Istúriz, do Centro Médico de Caracas, na Venezuela. Bem-vindos a esta discussão sobre o problema da doença

Leia mais

02/11/2010. Família:Neisseriaceae Gênero :Neisseria. Neisseria. Formas, arranjos e localização. Diplococo Gram - Diplococo Gram - Cultura de LCR

02/11/2010. Família:Neisseriaceae Gênero :Neisseria. Neisseria. Formas, arranjos e localização. Diplococo Gram - Diplococo Gram - Cultura de LCR Forma e Arranjo Família:ceae Gênero : Gram + 15-50% Gram 5% Formas, arranjos e localização Diplococo Gram - Formas, arranjos e localização Diplococo Gram - Cultura de LCR Secreção uretral Leucócitos e

Leia mais

Neonatologia para Concursos de Enfermagem

Neonatologia para Concursos de Enfermagem Oncologia Neonatologia para Concursos de Enfermagem Fernanda Coelho PNI 2017 ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES Prof. Enf. Hygor Elias 1 Meningocócica C (conjugada) Indicações: Meningite por Neisseria meningitidis dogrupoc

Leia mais

Meningites bacterianas - diagnóstico e conduta

Meningites bacterianas - diagnóstico e conduta S46 Jornal de Pediatria - Vol. 75, Supl.1, 1999 0021-7557/99/75-Supl.1/S46 Jornal de Pediatria Copyright 1999 by Sociedade Brasileira de Pediatria ARTIGO DE REVISÃO Meningites bacterianas - diagnóstico

Leia mais

Pneumonia (Pneumonia Humana) (compilado por Luul Y. Beraki)

Pneumonia (Pneumonia Humana) (compilado por Luul Y. Beraki) Pneumonia (Pneumonia Humana) (compilado por Luul Y. Beraki) Pneumonia A pneumonia é uma inflamação do pulmão. Comumente ocorre em todas as faixas etárias. É a principal causa de morte entre idosos e pessoas

Leia mais

Imunizações Prof. Orlando A. Pereira FCM - Unifenas

Imunizações Prof. Orlando A. Pereira FCM - Unifenas Imunizações Prof. Orlando A. Pereira FCM - Unifenas Imunização ativa A imunização ativa é realizada pela introdução no organismo de diferentes tipos de antígenos, representados tanto por cepas vivas e

Leia mais

Perfil etiológico e terapêutico da meningite bacteriana aguda: contribuindo para a vigilância dos serviços de saúde

Perfil etiológico e terapêutico da meningite bacteriana aguda: contribuindo para a vigilância dos serviços de saúde 140 Perfil etiológico e terapêutico da meningite bacteriana aguda: contribuindo para a vigilância dos serviços de saúde Aurigena A. A. Ferreira 1 Maria do Socorro C. F. Alves 2 Luiz Alberto Marinho 3 Resumo

Leia mais

15/05/2012. A. L. S. Neisser (gonococo) 10 espécies- maioria: orofaringe e nasofaringe ou membranas anogenitais

15/05/2012. A. L. S. Neisser (gonococo) 10 espécies- maioria: orofaringe e nasofaringe ou membranas anogenitais A. L. S. Neisser (gonococo) 10 espécies- maioria: orofaringe e nasofaringe ou membranas anogenitais Patógenos humanos - meningococo e gonococo Outras espécies virulência limitada; pacientes imunocomprometidos

Leia mais

Streptococcus 15/10/2009. Staphylococcus. Streptococcus. Enterococcus. Os CGP compõem um grupo de grande importância

Streptococcus 15/10/2009. Staphylococcus. Streptococcus. Enterococcus. Os CGP compõem um grupo de grande importância Universidade Federal Fluminense Streptococcus Os CGP compõem um grupo de grande importância clínica, sendo responsáveis por inúmeras e variadas doenças. Os CGP de maior importância clínica pertencem aos

Leia mais

Síndromes clínicas ou condições que requerem precauções empíricas, associadas às Precauções Padrão.

Síndromes clínicas ou condições que requerem precauções empíricas, associadas às Precauções Padrão. 1 Síndromes clínicas ou condições que requerem precauções empíricas, associadas às Precauções Padrão. SÍNDROMES OU CONDIÇÃO CLÍNICA PATÓGENOS POTENCIAIS PRECAUÇÕES EMPIRICAS Diarréia: Aguda, por provável

Leia mais

Dra. Tatiana C. Lawrence PEDIATRIA, ALERGIA E IMUNOLOGIA

Dra. Tatiana C. Lawrence PEDIATRIA, ALERGIA E IMUNOLOGIA Vacinação As vacinas são as ferramentas mais poderosas e inofensivas que temos para combater as doenças. Protegem milhões de crianças e adultos das doenças que ameaçam nossas vidas, como poliomielite (paralisia

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. Infecções Respiratórias Bacterianas Pesquisa de antígenos urinários Caio Mendes Consultor Médico em Microbiologia i Clínica Grupo de Consultoria em

Leia mais

vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica)

vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) 1 MODELO DE BULA PNEUMO 23 vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) Forma farmacêutica e apresentações: Solução injetável. - Cartucho com uma seringa contendo uma dose de 0,5 ml. - Cartucho com

Leia mais

Fmnm..D. Em atenção ao expediente em referência, seguem anexas as informações prestadas pela Secretaria de de Vigilância Epidemiológica.

Fmnm..D. Em atenção ao expediente em referência, seguem anexas as informações prestadas pela Secretaria de de Vigilância Epidemiológica. @ セj スA イ セ GBaイ @I'lNICIF'N.. If ᅦゥ Ger セ @ o( Fmnm..D?9 - セコ @ -201(}--i6:16--oog;,67 セセセ ッ @ r!}jau/o GABINETE DO PREFEITO Americana, 27 de dezembro de 2010. OF.2344JGP112J2010 Prot. 64.256/2010 Senhor

Leia mais

Exame Bacteriológico Indicação e Interpretação

Exame Bacteriológico Indicação e Interpretação Exame Bacteriológico Indicação e Interpretação Clínica Augusto Cezar Montelli 2009 Clínica Médica Departamento de Clínica Médica M Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP Unesp Diagnóstico Microbiológico

Leia mais

Mortalidade por meningite no Estado do Tocantins (Brasil) no período de 2000 a 2012

Mortalidade por meningite no Estado do Tocantins (Brasil) no período de 2000 a 2012 Introdução Meningite é uma doença que acomete o Sistema Nervoso Central, caracterizada por inflamação do espaço subaracnóide e das membranas leptomeníngeas que recobrem a medula espinhal e o encéfalo¹.

Leia mais

Simone Suplicy Vieira Fontes

Simone Suplicy Vieira Fontes Simone Suplicy Vieira Fontes Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS E IMUNOLÓGICOS DA MENINGITE MENINGOCÓCICA. RESUMO

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS E IMUNOLÓGICOS DA MENINGITE MENINGOCÓCICA.   RESUMO ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS E IMUNOLÓGICOS DA MENINGITE MENINGOCÓCICA Bruno Lemos Rabelo 1, Mércia Naira Rabelo Nobre 1, Samara Dantas de Lima 1, Lilian Cortez Sombra Vandesmet 2 1 Discente do Curso de Biomedicina

Leia mais

Investigação de surto comunitário de doença meningocócica no Município de São Paulo, julho de 2007

Investigação de surto comunitário de doença meningocócica no Município de São Paulo, julho de 2007 Rev Saúde Pública 2007;41(5):873-78 Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo: Centro de Controle e Prevenção de Doenças da Coordenação de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal, Supervisão de Vigilância

Leia mais

REPERCUSSÕES SISTÊMICAS RELACIONADOS A PROCESSOS INFECCIOSOS BUCAIS

REPERCUSSÕES SISTÊMICAS RELACIONADOS A PROCESSOS INFECCIOSOS BUCAIS LABORATÓRIO DE ANAERÓBIOS http://www.icb.usp.br/bmm/mariojac REPERCUSSÕES SISTÊMICAS RELACIONADOS A PROCESSOS INFECCIOSOS BUCAIS Prof. Dr. Mario J. Avila-Campos Processos sistêmicos conhecidos desde tempos

Leia mais

Antibióticos. Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente

Antibióticos. Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente Antibióticos Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente Introdução São produtos que eliminam os microorganismos vivos que causam danos aos pacientes. Os agentes antimicrobianos podem ser de origem

Leia mais

20/08 PRÉ CONGRESSO - MANHÃ

20/08 PRÉ CONGRESSO - MANHÃ 20/08 PRÉ CONGRESSO - MANHÃ 08:00 12:00 h CURSO 2 COMUNICAÇÃO CURSO 3 VENTILAÇÃO MECÂNICA CURSO 4 EMERGÊNCIA CURSO 1 PROCEDIMENTOS INVASIVOS EM TERAPIA INTENSIVA Acesso venoso central: anatomia, escolha

Leia mais

CASO 7 PNEUMONIA COMUNITÁRIA

CASO 7 PNEUMONIA COMUNITÁRIA CASO 7 PNEUMONIA COMUNITÁRIA DR BERNARDO MONTESANTI MACHADO DE ALMEIDA SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA COMPLEXO HOSPITAL DE CLÍNICAS CURITIBA, 15 DE AGOSTO DE 2017 CASO CLÍNICO Masculino, 26 anos, previamente

Leia mais

vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica)

vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) Solução injetável Cada dose imunizante de 0,5 ml da vacina contém polissacarídeos capsulares altamente purificados de Streptococcus pneumoniae, sendo 25

Leia mais

Perfil Epidemiológico da Meningite Brasil & Mundo

Perfil Epidemiológico da Meningite Brasil & Mundo Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Unidade Técnica de Doenças de Respiratória e Imunopreveníveis

Leia mais

Título do Trabalho: Autores: Instituição: Introdução

Título do Trabalho: Autores: Instituição: Introdução diversos sorogrupos do meningococo no período de 2007 a 2015 e as Vacinas do atual Calendário Nacional Introdução Meningite é a inflamação das meninges, causada principalmente pela bactéria Neisseria meningitidis.

Leia mais

Prefeitura do Município de Bauru Secretaria Municipal de Saúde

Prefeitura do Município de Bauru Secretaria Municipal de Saúde Prefeitura do Município de Bauru Secretaria Municipal de Saúde Bauru, SP - 2014 Série: Documentos Estatísticos Bauru, SP, agosto de 2014 EXPEDIENTE Departamento de Saúde Coletiva Divisão de Vigilância

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR Workshop do Programa Nacional de Imunização IV Encontro de Enfermagem em Hematologia e Hemoterapia Secretaria da Saúde do Estado do Ceará

Leia mais

Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 2014.

Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 2014. Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 14. Foram notificados 928 casos suspeitos de meningite em residentes do município do Rio de Janeiro (MRJ) em 14 (início dos

Leia mais

AMOXICILINA, cápsula. AMOXICILINA, cápsula ANTIBIÓTICO, ANTIINFECCIOSO, TUBERCULOSTÁTICO

AMOXICILINA, cápsula. AMOXICILINA, cápsula ANTIBIÓTICO, ANTIINFECCIOSO, TUBERCULOSTÁTICO Nome Genérico: amoxicilina Classe Química: penicilina semi-sintética da classe das aminopenicilinas Classe Terapêutica: penicilina de amplo espectro Forma Farmacêutica e Apresentação: Amoxicilina 500 mg,

Leia mais

Estimativa do número de casos no Brasil. A diminuição do Haemophylus influenzae com a vacinação. Os casos de doença meningocócica

Estimativa do número de casos no Brasil. A diminuição do Haemophylus influenzae com a vacinação. Os casos de doença meningocócica Antibioticoterapia das meningites bacterianas ❶ Importância do tema Estimativa do número de casos no Brasil A diminuição do Haemophylus influenzae com a vacinação Os casos de doença meningocócica Alterações

Leia mais

Estudos de eficácia da vacina contra pneumococo. Ana Lucia S S de Andrade Universidade Federal de Goiás

Estudos de eficácia da vacina contra pneumococo. Ana Lucia S S de Andrade Universidade Federal de Goiás Estudos de eficácia da vacina contra pneumococo Ana Lucia S S de Andrade Universidade Federal de Goiás Simpósio Nacional de Vigilância: Pneumococo e Influenza São Paulo, 20-21 de setembro, 2007 Ferramenta

Leia mais

Projeto Diretrizes. Elaboração Final: de Julho Outubro de 2001 de 2002

Projeto Diretrizes. Elaboração Final: de Julho Outubro de 2001 de 2002 Vacina Conjugada Tratamento Contra da Fase Neisseria Aguda do Acidente Meningitidis Vascular Sorogrupo Cerebral C Academia Sociedade Brasileira de de Neurologia Pediatria Elaboração Final: 24 31 de Julho

Leia mais

Aspectos Epidemiológicos

Aspectos Epidemiológicos Capítulo 5.9 DOENÇA MENINGOCÓCICA CID-10 A39 Aspectos Epidemiológicos Agente Etiológico: Neisseria megitidis (meningococos). São cocos gramnegativos dispostos em pares. São classificados em 12 sorogrupos

Leia mais

Protocolos Não Gerenciados

Protocolos Não Gerenciados Protocolos Não Gerenciados Unidade de Pediatria FEBRE SEM SINAIS LOCALIZATÓRIOS EM CRIANÇAS ATÉ 3 ANOS Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2005 SBIB Hospital Albert Einstein Page 1 of 7 Protocolo

Leia mais

MENINGITES NA CRIANÇA. Prof. Orlando Antônio Pereira FCM - UNIFENAS

MENINGITES NA CRIANÇA. Prof. Orlando Antônio Pereira FCM - UNIFENAS MENINGITES NA CRIANÇA Prof. Orlando Antônio Pereira FCM - UNIFENAS Definição: Meningite é um processo inflamatório do espaço subaracnóideo, isto é, do líquido cefalorraquideano e das membranas leptomeníngeas

Leia mais

Sepse por Klebsiella pneumoniae - Revisão de 28 casos

Sepse por Klebsiella pneumoniae - Revisão de 28 casos Sepse por Klebsiella pneumoniae - Revisão de 28 casos Ana M. U. Escobar, Solange S. Rocha, Sérgio Sztajnbok, Adriana P. Eisencraft, Sandra J.F E. Grisi J pediatr (Rio J) 1996;72(4):230-234 Introdução A

Leia mais

RESULTADO TRABALHOS CIENTÍFICOS

RESULTADO TRABALHOS CIENTÍFICOS RESULTADO TRABALHOS CIENTÍFICOS Apresentação Titulo Modalidade Dia Horário INVESTIGAÇÃO DE SURTO DE ACINETOBACTER BAUMANNII EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA EM DOENÇAS INFECCIOSAS

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS MENINGITES. Prof. Ma. Júlia Arêas Garbois

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS MENINGITES. Prof. Ma. Júlia Arêas Garbois FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS MENINGITES Prof. Ma. Júlia Arêas Garbois MENINGITE Infecção que se instala principalmente quando uma bactéria

Leia mais

Consensus Statement on Management of Steroid Sensitive Nephrotic Syndrome

Consensus Statement on Management of Steroid Sensitive Nephrotic Syndrome Consensus Statement on Management of Steroid Sensitive Nephrotic Syndrome Grupo Indiano de Nefrologia Pediátrica, Academia Indiana de Pediatria o Indian Pediatrics 2001; 38: 975-986 986 http://www.indianpediatrics.net/sept2001/sept-975

Leia mais

DERRAME PLEURAL MARIANA VIANA- R1 DE CLÍNICA MÉDICA ORIENTADORES: FLÁVIO PACHECO MIRLA DE SÁ

DERRAME PLEURAL MARIANA VIANA- R1 DE CLÍNICA MÉDICA ORIENTADORES: FLÁVIO PACHECO MIRLA DE SÁ DERRAME PLEURAL MARIANA VIANA- R1 DE CLÍNICA MÉDICA ORIENTADORES: FLÁVIO PACHECO MIRLA DE SÁ Definição e Etiologia Espaço pleural Etiologia (EUA) 1ª- Insuficiência cardíaca 2ª- Pneumonia 3ª- Câncer 4ª-

Leia mais

ORIENTAÇÃO DO DEPARTAMENTO CIENTÍFICO DE INFECTOLOGIA DA SOCEP PARA OS PEDIATRAS PARA O ENFRENTAMENTO DO SURTO DE SARAMPO NO CEARÁ

ORIENTAÇÃO DO DEPARTAMENTO CIENTÍFICO DE INFECTOLOGIA DA SOCEP PARA OS PEDIATRAS PARA O ENFRENTAMENTO DO SURTO DE SARAMPO NO CEARÁ ORIENTAÇÃO DO DEPARTAMENTO CIENTÍFICO DE INFECTOLOGIA DA SOCEP PARA OS PEDIATRAS PARA O ENFRENTAMENTO DO SURTO DE SARAMPO NO CEARÁ Revisor: Robério Dias Leite Presidente do Departamento Científico de Infectologia

Leia mais

PROTOCOLO DE TRATAMENTO ANTIMICROBIANO EMPÍRICO PARA INFECÇÕES COMUNITÁRIAS, HOSPITALARES E SEPSE

PROTOCOLO DE TRATAMENTO ANTIMICROBIANO EMPÍRICO PARA INFECÇÕES COMUNITÁRIAS, HOSPITALARES E SEPSE PROTOCOLO DE TRATAMENTO ANTIMICROBIANO EMPÍRICO PARA INFECÇÕES COMUNITÁRIAS, HOSPITALARES E SEPSE Sumário Introdução...6 Informações Importantes...6 Infecções Comunitárias...8 Infecções Relacionadas

Leia mais

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS USO IRRACIONAL DE ANTIBIÓTICOS infecções virais ( sarampo, catapora e 90% das infecções do trato respiratório superior ) tratamento de estados febris de origem desconhecida,

Leia mais

Projeto Diretrizes. Elaboração Final: de Julho Maio de

Projeto Diretrizes. Elaboração Final: de Julho Maio de Vacina Conjugada Tratamento Contra da Fase - Neisseria Aguda do Acidente Meningitidis Vascular Sorogrupo Cerebral C Autoria: Academia Sociedade Brasileira de de Neurologia Pediatria Elaboração Final: 24

Leia mais

COLETA DE SANGUE PARA HEMOCULTURA

COLETA DE SANGUE PARA HEMOCULTURA COLETA DE SANGUE PARA HEMOCULTURA Finalidade, Consiste na coleta de amostra de sangue para cultura, com fins de isolar microrganismos na suspeita de infecção de corrente sanguínea e de endocardite, constituindo-se

Leia mais

Vigilância sindrômica - II

Vigilância sindrômica - II Vigilância sindrômica - II Vigilância Sindrômica Síndrome Febril indeterminada com manifestações íctero-hemorrágicas (aguda ou crônica) Síndrome Respiratória aguda Síndrome Neurológica Febril Síndrome

Leia mais

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO 1 MODELO DE BULA 1 FA x 1 dose + 1 Ser x 0,5 ml vacina Haemophilus influenzae b (conjugada) FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Pó liofilizado injetável. - Cartucho contendo 1 frasco-ampola de uma dose e

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Farmacologia dos Antibióticos Prof. Luiz Antonio Ranzeiro de Bragança. Cloranfenicol

Universidade Federal Fluminense Farmacologia dos Antibióticos Prof. Luiz Antonio Ranzeiro de Bragança. Cloranfenicol Universidade Federal Fluminense Farmacologia dos Antibióticos Prof. Luiz Antonio Ranzeiro de Bragança Cloranfenicol Objetivo deste material didático é promover uma introdução ao estudo de farmacologia,

Leia mais

Vigilância Populacional de Doença Pneumocócica Invasiva em Goiânia, Brasil. Ana Lúcia S. S. Andrade

Vigilância Populacional de Doença Pneumocócica Invasiva em Goiânia, Brasil. Ana Lúcia S. S. Andrade Vigilância Populacional de Doença Pneumocócica Invasiva em Goiânia, Brasil Ana Lúcia S. S. Andrade 3 IPTSP Anos de Vida Perdidos por Incapacidade e Morte Prematura 0 20 40 60 80 100 INFECÇÕES TRATO RESPIRATÓRIO

Leia mais

Departamento de Microbiologia e Imunologia Instituto de Biociências - UNESP Distrito de Rubião Júnior s/n CEP / Botucatu/ SP /Brasil Tel.

Departamento de Microbiologia e Imunologia Instituto de Biociências - UNESP Distrito de Rubião Júnior s/n CEP / Botucatu/ SP /Brasil Tel. Gênero Neisseria Prof. Adjunto Ary Fernandes Junior Prof. Adjunto Ary Fernandes Junior Departamento de Microbiologia e Imunologia Instituto de Biociências - UNESP Distrito de Rubião Júnior s/n CEP 18618-000/

Leia mais

PREVENAR 13 VACINA PNEUMOCÓCICA 13-VALENTE (CONJUGADA)

PREVENAR 13 VACINA PNEUMOCÓCICA 13-VALENTE (CONJUGADA) PREVENAR 13 VACINA PNEUMOCÓCICA 13-VALENTE (CONJUGADA) I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES Cartucho com 1 estojo contendo 1 seringa preenchida com 0,5 ml de suspensão injetável (dose única)

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010 Institui, em todo o território nacional, o Calendário de Vacinação para os Povos Indígenas. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

MENINGITE. Lucila T. Watanabe. Coordenação das Doenças Imunopreveníveis e Respiratórias

MENINGITE. Lucila T. Watanabe. Coordenação das Doenças Imunopreveníveis e Respiratórias MENINGITE Lucila T. Watanabe Coordenação das Doenças Imunopreveníveis e Respiratórias Histórico (I) 1975 Implantação do SVEM (Sistema de vigilância epidemiológica das meningites) Após epidemias de Doença

Leia mais

USO DA FITA REAGENTE (MULTISTIX ) NA ANÁLISE DO LÍQUOR EM CRIANÇAS

USO DA FITA REAGENTE (MULTISTIX ) NA ANÁLISE DO LÍQUOR EM CRIANÇAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA/PEDIATRIA MESTRADO EM MEDICINA/PEDIATRIA USO DA

Leia mais

A INCIDÊNCIA DOS CASOS DE MENINGITE NOTIFICADOS NO HOSPITAL REGIONAL, NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE PB

A INCIDÊNCIA DOS CASOS DE MENINGITE NOTIFICADOS NO HOSPITAL REGIONAL, NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE PB A INCIDÊNCIA DOS CASOS DE MENINGITE NOTIFICADOS NO HOSPITAL REGIONAL, NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE PB THE IMPACT OF MENINGITIS CASES OF NOTIFIED IN REGIONAL HOSPITAL IN THE CITY CAMPINA GRANDE - PB Ayla

Leia mais

VACINAS A SEREM DISPONIBILIZADAS PARA AS CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS DE IDADE NA CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO 2016.

VACINAS A SEREM DISPONIBILIZADAS PARA AS CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS DE IDADE NA CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO 2016. VACINAS A SEREM DISPONIBILIZADAS PARA AS CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS DE IDADE NA CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO 2016. VACINAS BCG ESQUEMA VACINAL Dose única ao nascer. Disponível para crianças menores de

Leia mais

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108 Semana Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE Turn Unidades Curiculares Seg Ter Qua Qui Sex o 3 4 5 6 7 Módulo I: Processos Patológicos Gerais ( horas) Profª.

Leia mais

Lactente de 15 meses de idade com meningite Modulo de urgência

Lactente de 15 meses de idade com meningite Modulo de urgência CASO CLINICO Lactente de 15 meses de idade com meningite Objetivos da apresentação Avaliar o cumprimento das normas existentes relativas à abordagem da criança com processo infeccioso associado a convulsões

Leia mais