Período Observado: 3ºP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Período Observado: 3ºP"

Transcrição

1 todos empenhados no sucesso educativo dos nossos alunos. Período Observado: 3ºP Pré-escolar Sucesso nas áreas prioritárias: - Formação Pessoal e Social, 1ºP 82%; 2ºP 85%; 90% 3ºP - Ling. Oral e Abord. à Escrita 1ºP 83%; 2ºP 88%; 91% 3ºP - Matemática, 1ºP 80%; 2ºP 85%; 89.5% 3ºP Taxa calculada sobre o nº total de alunos avaliados (159) 1º ciclo Medidas para combater o insucesso: Afetação do horário do Prof. TEIP para a ação TEIP Turma Ninho - 25 horas Redistribuição de grupos na turma NINHO; Coadjuvação no âmbito do PORT e da MAT; Apoio Educativo por grupos de nível. Qualidade do sucesso Alunos com classificação positiva em todas as disciplinas: Meta contratada: 78,79% ; Resultados 1ºP 69.11%, 2ºP 80%, 3ºP 84.68% PORTUGUÊS : 1ºano 75.00% 2ºano 76.40% 3ºano 85.37% 4ºano 88.10% MATEMÁTICA : 1ºano 81.94% 2ºano 71.91% 3ºano 93.90% 4ºano 92.86% No primeiro ciclo, os resultados apresentados são bons, uma vez que se regista uma média global de ciclo, e tendo em conta as áreas disciplinares de Português e Matemática, de cerca de 85%. Na área disciplinar de PORT, e tendo em conta as metas definidas para os vários anos de escolaridade, apenas o segundo ano não alcançou o sucesso estabelecido, mas por uma diferença inferior a 1%. Os restantes anos ultrapassaram a meta em cerca de 3% no 1º, 12% no 3º e 6% no 4º ano. No que se refere à área disciplinar de MAT, já tinha sido possível ultrapassar a meta de ano estabelecida para o primeiro e segundo anos, no primeiro período letivo, situação que se manteve praticamente inalterada. No quarto ano não foi possível atingir a meta definida (ficou aquém em cerca de seis por cento), apesar de ter havido uma evolução favorável ao longo do ano letivo. 1

2 2º ciclo Medidas para combater o insucesso: Afetação de várias disciplinas ao AE (PORT; MAT; HGP; CN ou ING - Apoio à Organização de Cadernos, Portefólios e Estudo autónomo) Oferta formativa PCA; Qualidade do sucesso: Encaminhamento / redistribuição dos grupos de alunos para a frequência do AE de acordo com as lacunas detetadas na avaliação intercalar e final do 1º período; Implementação de grupos de trabalho de competências sociais na turma 5ºB e 5ºE/6ºE; Intervenção direta dos técnicos do Escolhas na turma PCA. Alunos com classificação positiva em todas as disciplinas: Alunos com média superior a 4: Meta contratada: 51,65% Atingido: 1ºP 37.60%, 2ºP 51.96%, 3ºP 29.02% 1ºP - 4% (5 alunos); 2ºP 3.93% (5 alunos); 3ºP 14.17% (18 alunos) Taxa calculada sobre o nº total de alunos inscritos por ciclo PORTUGUÊS Desdobramento nas turmas 5ºA e C em PORT/MAT; Coadjuvação 5ºB, 5ºD, 6ºA, 6ºB, 6ºC, 6ºD Afetação de docentes do 3º ciclo no 2º ciclo para uma maior articulação; Distribuição de tempos semanais para trabalho colaborativo. 5ºano 79.41% 6ºano 69.23% MATEMÁTICA Desdobramento nas turmas 5ºA e C em PORT/MAT; Coadjuvação nas turmas 6ºA, 6ºB, 6ºC e 6ºD em MAT; Distribuição de tempos semanais para trabalho colaborativo. 5ºano 67.65% 6ºano 55.38% No caso do segundo ciclo, e na disciplina de PORT, no 5º ano foi possível atingir a meta estabelecida, sendo possível observar que houve uma evolução gradual ao longo do ano e que se obteve a melhor taxa de sucesso desde a implementação do Projeto TEIP e do início da monitorização dos resultados escolares. No 6º ano, observa-se a mesma situação, mas com resultados mais expressivos. Na disciplina de MAT, a situação é semelhante, pois em ambos os anos foi possível superar as metas em cerca de 6%, no 5ª ano, e em cerca de 25%, no 6º ano. Ao mesmo tempo, os resultados foram os melhores de sempre desde a implementação do TEIP, com maior incidência no 6ºano. 2

3 3º ciclo Medidas para combater o insucesso: Implementação de grupos de trabalho de competências sociais nas turmas 7ºPCA ; VOC e CEF; Intervenção direta dos técnicos do Programa Escolhas na turma do CEF de Pastelaria e do Técnico do SAAF nas turmas de 7ºPCA e VOC; Criação de um PCA de 7ºano e VOC de 3º ciclo. Alunos com classificação positiva em todas as disciplinas: Alunos com média superior a 4: Meta contratada: 42,30% Atingido: 1ºP 25.53%; 2ºP 31.01%; 3ºP 25.13% 1ºP 5.8% (11 alunos); 2ºP 5.34% (10 alunos); 3ºP 10.69% (20 alunos) Taxas calculadas sobre o nº total de alunos inscritos por ciclo s/ CEF e VOC PORTUGUÊS Desdobramento nas turmas 7ºB, 7ºC, 7ºD, 7ºE, 8ºC e 9ºB Coadjuvação na turma 9ºA; APA s no 8ºA; Distribuição de tempos semanais para trabalho colaborativo; MATEMÁTICA Desdobramento nas turmas 7ºB, 7ºC, 7ºD, 7ºE, 8ºC e 9ºB APA s no 8ºA e 8ºB Distribuição de tempos semanais para trabalho colaborativo 7ºano 64.44% 8ºano 50.57% 9ºano 82.14% 7ºano 55.56% 8ºano 63.22% 9ºano 62.50% No caso do terceiro ciclo, e na disciplina de PORT, os resultados são também animadores, uma vez que foi possível superar as metas estabelecidas para o 7º ano, em cerca de 7%, e oitavo ano, em cerca de 16%. No 9º ano, a situação crítica já previamente identificada desde o ano letivo transato manteve-se e são, neste momento, os piores resultados de sempre. Na disciplina de MAT, verifica-se uma progressão significativa ao longo do ano, sendo possível constatar que as metas definidas foram ultrapassadas, no 7º ano, em cerca de 10%, e no 8º ano, em cerca de 18%. Em ambos os anos, foram também os melhores resultados obtidos desde a implementação do TEIP, com maior relevo no 8º ano. No 9º ano, não foi possível alcançar a meta. 3

4 Outras Disciplinas - 2º e 3º ciclo Considerando resultados obtidos abaixo dos 60% de sucesso no 3º Período, destacam-se as seguintes turmas/disciplinas: 5ºD- CN 7ºB HIST, FQ 7ºE - ING 8ºB - HIST 8ºC - HIST No que diz respeito às restantes disciplinas, verifica-se uma melhoria global significativa. A equipa destaca as seguintes situações: Matemática e Ciências Naturais na turma D do 5º ano constituída por 12 alunos; História e Físico-Química na turma B e Matemática na turma C, ambas do 7º ano e constituídas por 17 alunos cada; História na turma B (vinte e dois alunos) e Português e História na turma C (18 alunos), ambas do 8º ano. De considerar também os alunos que ficando retidos, após a avaliação externa, venham a integrar as turmas do 9º ano, acautelando as dificuldades que manifestaram nas disciplinas de Português e Matemática, como se foi verificando ao longo do ano e do seu percurso escolar. Abandono escolar Medidas implementadas: Oferta de percursos diversificados PCA, CEF e VOC; Ensino à distância (5.º e 7.º) Sinalização e/ou monitorização dos casos de abandono escolar, pelo SAAF, Diretores de Turma e Professores Titulares de Turma e demais elementos da comunidade escolar. Consolidação da implementação da Equipa Multidisciplinar na E.B 1 Coca Maravilhas. Taxa de interrupção precoce do percurso escolar (TIPPE) (AB + AM+RF) Atingido no TIPPE Meta TEIP Meta PE 3ºP 1º ciclo: 1.56% 2% 2º ciclo: 10.24% 6.04% 15% 3º ciclo: 7.21% 2.45% 5% Abandono escolar AB Meta Interna (SAAF) 1ºP 2ºP 3ºP 1º ciclo: 2% 0,87% 0,31% 0,31% 2º ciclo: 15% 3,20% 3,15% 3,15% 3º ciclo: 5% 0,88% 1,35% 1,35% Relativamente à Taxa TIPPE (Taxa de Interrupção Precoce do Percurso Escolar), as metas traçadas no âmbito do Projeto Educativo foram atingidas, exceto no 3º ciclo que registou um elevado número de alunos retidos por faltas (13) num universo de 17 alunos com PT no 2ºP. No que respeita às metas do Programa TEIP, a redução negociada de 75% no 2º e 3º ciclo relativamente à média dos últimos três anos, não foi conseguida. Salienta-se que em relação ao resultado registado no ano transato no 2º ciclo, verifica-se uma diminuição de 31.74%. Assiduidade Medidas implementadas: Ciclo Diversificação da oferta formativa; Sinalização, articulação, monitorização e intervenção nos casos de absentismo escolar, pelo SAAF, Diretores de Turma, Professores Titulares de Turma e/ou outros elementos da comunidade escolar; Envolvimento do pessoal não docente e/ou SAAF no encaminhamento dos alunos em situação de ausência às aulas Implementação dos Planos de Trabalho (PT) nas duas primeiras semanas do 3ºP. 1ºP PT s 2ºP PT s 3ºP Retidos p/ Faltas 1º ciclo: º ciclo: º ciclo:

5 Comparando número de Planos de Trabalho (PT) com o número de alunos retidos por faltas, verifica-se que 50.98% dos planos foram cumpridos. Destaca-se no entanto, o elevado número de alunos retidos por faltas no 3º ciclo. No Jardim de Infância de Coca Maravilhas, num universo de cento e quinze crianças, registam-se nove casos com problemas na frequência de atividades letivas, mais quatro do que no período anterior. Contrariamente ao registado em anos anteriores, o terceiro ciclo atingiu, este período, um número total de PT s próximo do registado no 2º ciclo. Indisciplina Medidas implementadas: Diversificação da oferta formativa; Manutenção da sala de mediação de conflitos mas com horário e recursos humanos limitados; Comunicação em tempo real aos EE dados encaminhamentos para a sala de Medição de Conflitos para os alunos reincidentes; Reuniões bissemanais da equipa multidisciplinar monitorização da SMC e das participações de ocorrência; intervenção/acompanhamento de aplicação de medidas corretivas e sancionatórias; Implementação de grupos de trabalho de competências sociais nas turmas de 5ºB; 7.ºPCA; VOC e CEF; Formação dada no âmbito da indisciplina. Pontos Fracos: Reincidências sistemáticas por parte de alguns alunos; O crédito horário da escola sede não permite assegurar aulas de substituição Resultados: Globalmente não se verificaram alterações significativas no número de ocorrências registadas em relação ao 3ºP do ano transato. É observável no 1º ciclo um aumento acentuado que foi motivado em parte por dois únicos alunos. Projeto Mergulha por Ti(mão) - ESCOLHAS No que concerne o projeto Escolhas, já com trinta meses de execução e 6658 sessões de trabalho dinamizadas, é importante referir que dos 71 destinatários diretos, a taxa de sucesso é bastante boa (72%), melhorando mais se não foram consideradas as 14 alunas, de etnia cigana, que frequentam o ensino à distância, pois sem estas, a taxa de sucesso aumenta para cerca de 88%. Salienta-se que estas alunas continuam a revelar falta de assiduidade, mesmo tendo à sua disposição computadores e tecnologia que lhes permita continuar a frequentar a escola, sem sair do seu espaço. Apenas uma aluna conseguiu reunir condições de transição. Ações do Plano de Melhoria - TEIP Monitorização e Avaliação: O registo para monitorização das ações tem sido delegado nos vários responsáveis pelas mesmas com o suporte/apoio da equipa de avaliação interna. Os relatórios planeados foram todos criados e devolvidos aos responsáveis das ações/departamentos Curriculares/Conselho Pedagógico. Todos os relatórios serviram de suporte para a definição de metas no âmbito da elaboração do Plano de melhoria Plurianual. Destaca-se ainda a criação de um novo modelo de avaliação interna concluindo-se que serviram para a reformulação de estratégias nas várias ações Leitura a par: A meta de 5 livros apresentados por turma não foi superada mas o resultado obtido foi considerado muito encorajador (4.25 livros por turma). No que respeita ao sucesso na área da leitura, as metas foram todas ultrapassadas. Uma das turmas não implementou a ação devido à falta da titular de turma. Matemática no Dia-a-dia: A participação dos alunos foi excelente, a meta de 85% de alunos participantes foi largamente ultrapassada situando-se nos 94.89%. Já nos resultados na área da resolução de problemas no 4ºano, esta apesar de ter subido de para 75% não chegou à meta traçada (83.12%). Já no 3º ano, os resultados na resolução de problemas obtidos ao longo dos três períodos foi inconstante (76.19%, 92.31% e 78.46% no 1º, 2º e 3ºP respetivamente) No final do ano, a taxa situou-se muito próxima da meta traçada:80.28% Comigo vais conseguir! (alunos tutores): No que respeita à taxa de transição dos alunos tutorados, verificou-se que esta ultrapassou a meta traçada em 16.67%. A definição de um perfil de aluno para ser tutorado poderá ter influência neste resultado agora obtido. No que respeita à organização do aluno tutorado, os conselhos de turma indicaram que 66.67% dos alunos revelaram maior organização fruto do trabalho dos tutores. Turma Ninho: 1ºP - Atendendo ao elevado número de alunos com dificuldades/referenciados nas áreas do Português e da Matemática, foram criados e redefinidos subgrupos de trabalho ao longo do ano. No 3.º ano de escolaridade passaram a usufruir deste apoio apenas os alunos com nível negativo às duas áreas em simultâneo. Manteve-se um elevado número de alunos do 1º ano com dificuldades/ referenciados nas áreas do Português e da Matemática pelo que se priorizou o apoio aos mesmos, atribuindo-se um maior número de horas de apoio a este ano de escolaridade. No 3ºP frequentaram a turma Ninho 13 alunos do 1º ano e 2 do 3ºano. Nesse ano de escolaridade, o sucesso dos alunos foi de 100% em PORT e MAT. 5

6 Já no 1ºano, nenhum aluno conseguiu recuperar as suas lacunas e obter sucesso nas áreas de PORT e MAT. Salienta-se que 100% dos alunos apoiados no 3ºano e 78% no 1ºano transitaram. Sala de Mediação de Conflitos: Os resultados obtidos são muito satisfatórios. No 3º ciclo, o número de atendimentos na SMC aumentou de 60 em para 121 este ano. As turmas do 7ºano contribuíram muito para o aumento registado, o 7ºA registou 47 ocorrências, o 7ºB, 20 e o 7ºC, 21. Também se verifica uma grande disparidade entre o número total de ocorrências e o número de encaminhamentos para a sala de mediação conflitos que deve merecer reflexão. Salienta-se que 12.90% dos alunos (110no total) motivaram participações de ocorrência. Relativamente às metas traçadas para o número de atendimentos/dia por ano de escolaridade, estas foram globalmente atingidas. Destaca-se uma redução significativa no número de atendimentos/dia no sexto ano, de 0.22 para SAAF: A meta traçada para o número de alunos retidos (3.51%) por faltas foi ultrapassada em 0.27%. Registou-se um número significativo de alunos do 3º ciclo retidos por faltas (13 no total). Esta situação foi atípica pois o 2º ciclo costuma ser aquele onde se regista maior taxa de alunos retido por faltas. Em relação à TIPPE (Taxa de Interrupção Precoce do Percurso Escolar), as metas gerais traçadas no âmbito do Projeto TEIP não foram atingidas. No que respeita ao abandono escolar, a taxas são reduzidas mas os alunos retidos por faltas contribuíram muito para não atingir as metas traçadas para a TIPPE. Pais na escola: Todas as atividades criadas/dinamizadas, com objetivo de envolver os pais/ee, tiveram participação dos mesmos. A taxa de pais/ee participantes ficou quem do esperado no terceiro período (69.46%) mas registou-se uma elevada taxa de participação ao longo do 1º e 2º período (91.22% e 92.31% respetivamente). Valorizar o trabalho dos alunos: No que respeita às metas traçadas para esta ação, todas elas foram ultrapassadas à exceção da taxa de alunos premiados com Quadro de Excelência no 1º ciclo que se situou nos 10.93% quando a meta era de 14%. Reforço Curricular!!: A ação foi alterada para Coadjuvação no início do ano letivo. Esta teve como público-alvo os 6ºe 9ºanos. Os resultados obtidos na disciplina de PORT ficaram aquém das metas. Já na MAT, podes considerar que as metas foram atingidas. Regista-se uma subida de 25% no 6º ano e no 9º ano o resultado alcançado ficou a 1.39% da meta traçada pelo que pode-se considerar como atingida. Desdobramento: As metas traçadas no âmbito desta ação para o PORT e MAT foram todas atingidas. Destaca-se a progressão verificada no 7ºano em MAT (10.71%). A Equipa de Avaliação Interna julho de

Período Observado: 2ºP

Período Observado: 2ºP todos empenhados no sucesso educativo dos nossos alunos. Período Observado: 2ºP 2014-2015 Pré-escolar Sucesso nas áreas prioritárias: - Formação Pessoal e Social, 1ºP 82% - 2ºP 85% - Ling. Oral e Abord.

Leia mais

Período Observado: 2ºP

Período Observado: 2ºP Pré-escolar todos empenhados no sucesso educativo dos nossos alunos. Período Observado: 2ºP 2015-2016 v2 Sucesso nas áreas prioritárias: - Formação Pessoal e Social 1ºP-74% 2ºP -86% período homól. 85%

Leia mais

ANÁLISE DE DESEMPENHO DA ESCOLA 2013/2014

ANÁLISE DE DESEMPENHO DA ESCOLA 2013/2014 ANÁLISE DE DESEMPENHO DA ESCOLA 2013/2014 Avaliação Interna da Educação Pré-Escolar, 1º Ciclo, 2º Ciclo e 3º Ciclo do Ensino Básico Avaliação Externa - Testes Intermédios do 2º e 9º Anos - Provas Finais

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Ano Letivo ºPeríodo

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Ano Letivo ºPeríodo RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Ano Letivo 2013-2014 3ºPeríodo EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA JUNHO DE 2014 1 índice 1 Introdução 3 2 Avaliação.. 4 2.1. Avaliação no 1ºciclo. 4 2.2. Avaliação no 2ºciclo. 6 2.2.1.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA Código 160635 [2016/2018] (DGE) PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA ÍNDICE 1. Identificação do Agrupamento de Escolas Viseu Norte... 2 2. Compromisso social do Agrupamento / Histórico e metas de sucesso... 2 3.

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Carta de Missão 2013/2017 Maria Guilhermina Cruz de Pina Madeira Barros Ramos Compromissos Objetivos Estratégias Metas/Critérios de sucesso C1 Sucesso escolar

Leia mais

INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL. Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa

INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL. Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa : Melhorar a competência de números e cálculo dos alunos no fim do 5º ano Taxa de insucesso na avaliação interna Taxa

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO

RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria Olhão ANO LETIVO 2015/2016 RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO EQUIPA: Ana Avó, Ema Salero, Marília Estriga, Vanda Estevens Índice QUADRO SÍNTESE DA POPULAÇÃO ESCOLAR

Leia mais

RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ESCOLARES

RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ESCOLARES RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ESCOLARES (2015/2016) Coordenadora: Bela Maria Veiga Lourenço - (2º ciclo) Membros: Maria Emília Batista - (3º ciclo) Zaida Vasconcelos - (1º ciclo) Fátima Cardoso

Leia mais

Código PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA

Código PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA Código 160635 PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Metodologia de trabalho... 3 3. Identificação das áreas de melhoria... 4 4. Desenvolvimento da estratégia... 5 5. Conclusão...

Leia mais

Apresentação dos Resultados Escolares

Apresentação dos Resultados Escolares Apresentação dos Resultados Escolares 1.º Período 2013-2014 Índice Apresentação dos resultados escolares do Pré-Escolar... 3 Considerações... 5 ANÁLISE DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS DO 1º CICLO DO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS OBJETIVOS EDUCAR EM CIDADANIA 1. RESULTADOS ESCOLARES Alcançar os resultados esperados de acordo com o contexto do agrupamento. Melhorar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO - MOITA. Grupo Disciplinar de Matemática PLANO DE MELHORIA DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO - MOITA. Grupo Disciplinar de Matemática PLANO DE MELHORIA DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO - MOITA Grupo Disciplinar de Matemática PLANO DE MELHORIA DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS ANOS LETIVOS: 2014/2015 A 2017-2018 Coordenadora do plano: Maria José

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo Taxa média de retenção no 2.º ano de escolaridade de 12% no ano letivo 2014/2015 e de 11,6% no ano letivo 2015/2016. 1.º e 2.º anos. 3. Designação da Apoio educativo coadjuvante nas turmas de 1.º e 2.º

Leia mais

Projeto TEIP. Intervir para renovar a escola. Relatório Final de Avaliação Interna. Equipa de Avaliação Interna Julho de 2014.

Projeto TEIP. Intervir para renovar a escola. Relatório Final de Avaliação Interna. Equipa de Avaliação Interna Julho de 2014. EB de Felgueiras Projeto TEIP Intervir para renovar a escola EB de Várzea EB de Margaride EB de Estrada- Varziela JI de Felgueiras 1 EB de Covelo Relatório Final de Avaliação Interna Ano Letivo 2013-2014

Leia mais

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática 2014/2015 Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática Grupo de trabaho: Professores: Nela Fee (coordenadora) Carla Queiroz (Pré-Escolar) - Rosário Timóteo (1º c) Nuno Tomé (1ºc) - Anabela Hilário

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE OS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO SOBRE OS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO SOBRE OS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 Agrupamento de Escolas de Fernando Pessoa Página 1 ÍNDICE Introdução...4 Parte I Dados referentes ao 1º ciclo...5 1. Avaliação interna..........6 1.1

Leia mais

Relatório de Análise da Comparativa dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Básico_9ºano

Relatório de Análise da Comparativa dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Básico_9ºano Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 Relatório de Análise da Comparativa dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Básico_9ºano Equipa: Rosa Cruz (RD Pré-Escolar) Eliana Antunes (RD Pré-Escolar)

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Uma escola não tem melhor maneira de cumprir a sua missão do que cultivar a interacção com todas as forças vivas e ativas do meio envolvente. (Landsheere, 1997). 1 Introdução

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (Despacho Normativo Nº 13/2014 de 15 de setembro) A avaliação dos alunos do ensino básico e secundário incide sobre as aprendizagens e competências definidas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MURÇA (152778) Escola Básica e Secundária de Murça (346305) RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INTERNA 2011/2012 1º PERÍODO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MURÇA (152778) Escola Básica e Secundária de Murça (346305) RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INTERNA 2011/2012 1º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MURÇA (152778) Escola Básica e Secundária de Murça (346305) RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INTERNA 2011/2012 1º PERÍODO SUMÁRIO 1. Alunos avaliados 2. Aulas dadas 3. Assiduidade 4. Resultados

Leia mais

MONITORIZAÇÃO: AVALIAÇÃO SUMATIVA, 1º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO OBSERVATÓRIO INTERNO DE RESULTADOS ESCOLARES ANO LETIVO 2013/2014

MONITORIZAÇÃO: AVALIAÇÃO SUMATIVA, 1º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO OBSERVATÓRIO INTERNO DE RESULTADOS ESCOLARES ANO LETIVO 2013/2014 MONITORIZAÇÃO: AVALIAÇÃO SUMATIVA, 1º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO OBSERVATÓRIO INTERNO DE RESULTADOS ESCOLARES Contributos para um Agrupamento SMART ou seja, que sistematiza, materializa,

Leia mais

Relatório de Ação. Ano Letivo 2011/2012 DESENVOLVIMENTO DA AÇÃO PÚBLICO-ALVO: COMUNIDADE DISCENTE RELATÓRIO DA AÇÃO

Relatório de Ação. Ano Letivo 2011/2012 DESENVOLVIMENTO DA AÇÃO PÚBLICO-ALVO: COMUNIDADE DISCENTE RELATÓRIO DA AÇÃO Relatório de Ação Ano Letivo 2011/2012 DESENVOLVIMENTO DA AÇÃO DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: (+) APOIAR GRUPO DA AÇÃO: PREVENÇÃO DO ABANDONO, ABSENTISMO E INDISCIPLINA RESPONSÁVEIS: FRANCISCO COELHO, GINA AFONSO,

Leia mais

Plano de Melhoria para o ano letivo 2012/2013

Plano de Melhoria para o ano letivo 2012/2013 Plano de Melhoria para o ano letivo 2012/2013 Nome do Agrupamento/Escola não Agrupada: Agrupamento de Escolas de Fajões Este Plano deverá ser preenchido e devolvido até ao dia 17 de Julho para isabel.simoes.olivei

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

RELATÓRIO DO 1.º PERÍODO 2015/2016

RELATÓRIO DO 1.º PERÍODO 2015/2016 AUTOAVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GRÂNDOLA MONITORIZAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS E DOS RESULTADOS ESCOLARES DAS CRIANÇAS E DOS ALUNOS RELATÓRIO DO 1.º PERÍODO 2015/2016 Departamento de Monitorização,

Leia mais

MONITORIZAÇÃO: AVALIAÇÃO SUMATIVA, 2º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO OBSERVATÓRIO INTERNO DE RESULTADOS ESCOLARES ANO LETIVO 2013/2014

MONITORIZAÇÃO: AVALIAÇÃO SUMATIVA, 2º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO OBSERVATÓRIO INTERNO DE RESULTADOS ESCOLARES ANO LETIVO 2013/2014 MONITORIZAÇÃO: AVALIAÇÃO SUMATIVA, 2º PERÍODO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO OBSERVATÓRIO INTERNO DE RESULTADOS ESCOLARES Contributos para um Agrupamento SMART ou seja, que sistematiza, materializa,

Leia mais

PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas de Celeirós Equipa de Autoavaliação Interna 2014/17

PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas de Celeirós Equipa de Autoavaliação Interna 2014/17 PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas de Celeirós Equipa de Auto Interna 2014/17 Introdução O presente Plano de Melhoria resulta, em grande parte, das reflexões retiradas da leitura atenta do Relatório

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA O Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar (PNPSE) foi anunciado através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 23/2016, de 24 de março com apoio da Direção-Geral da

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS MEDIDAS DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR ANO LETIVO 2015/2016 INDÍCE 1. Introdução.. 3 2. Medidas de promoção do sucesso escolar.....3 3. Apoio ao estudo no 1.º

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE

Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE Ano letivo: 2014-2015 INTRODUÇÃO No início deste ano, a equipa concluiu o acompanhamento da evolução dos resultados escolares

Leia mais

Plano de Melhoria 2016/2019

Plano de Melhoria 2016/2019 Plano de Melhoria 20162019 Outubro 2016 20162017 Índice INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVO... 4 ÁREAS DE MELHORIA... 4 IMPLEMENTAÇÃO E MONITORIZAÇÃO... 5 PLANO DE MELHORIA... 6 CONCLUSÃO... 18 ANEXOS... 19 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Avaliação Interna. Agrupamento de Escolas de Briteiros 2013/ 2017

Avaliação Interna. Agrupamento de Escolas de Briteiros 2013/ 2017 Avaliação Interna Agrupamento de Escolas de Briteiros 2013/ 2017 Apresentação da Equipa Agradecemos a todos os Alunos, Assistentes Operacionais Administrativos, Docentes, Pais e Encarregados de Educação,

Leia mais

Relatório Autoavaliação Escola 2015 / 2016

Relatório Autoavaliação Escola 2015 / 2016 Relatório Autoavaliação Escola 2015 / 2016 Equipa de Autoavaliação 10 de novembro de 2016 (em branco) Índice 1. Introdução... 1 2. Objetivos da autoavaliação da Escola... 1 3. Atividades da equipa em...

Leia mais

ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ( )

ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ( ) Critérios de Avaliação 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS A avaliação incide sobre os conhecimentos e capacidades definidas no currículo nacional e nas

Leia mais

Autonomia: implicações futuras de decisões presentes NOTA INTRODUTÓRIA

Autonomia: implicações futuras de decisões presentes NOTA INTRODUTÓRIA NOTA INTRODUTÓRIA O presente relatório sintetiza as ações do Plano Anual de Atividades programadas/desenvolvidas ao longo do ano, refletindo, necessariamente de forma global e integrada, o nível de execução

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Código 171591 Designação Agrupamento de Escolas do Algueirão Data da intervenção Início 18.01.2017

Leia mais

c) O número de grupos/ turmas a considerar em cada ciclo e anos é o aprovado na rede de oferta formativa para o ano letivo 2016/2017, a saber:

c) O número de grupos/ turmas a considerar em cada ciclo e anos é o aprovado na rede de oferta formativa para o ano letivo 2016/2017, a saber: CRITÉRIOS PARA A CONSTITUIÇÃO DE TURMAS ANO LETIVO 2016/2017 Os professores responsáveis pela constituição de turmas devem ter em atenção as seguintes orientações: a) Na constituição de turmas, aplicam-se

Leia mais

APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso

APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso Plano Plurianual de Melhoria APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso 1 18 de setembro de 2015 26 de abril de 2013 Organização do Agrupamento de Escolas da Caparica - AEC Secundária do

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

A educação que faz a diferença Um esforço coletivo

A educação que faz a diferença Um esforço coletivo A educação que faz a diferença Um esforço coletivo Pág. 1 Nota Introdutória AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAMILO CASTELO BRANCO (151762) O Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco (AECCB), no ano letivo 2014/2015,

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria Inicial

Plano de Ações de Melhoria Inicial Plano de Ações de Melhoria Inicial PAM Inicial 2016/2017 Outubro de 2016 Índice Pág. 2 1. Introdução 2. Plano de Ações de Melhoria Inicial 2.1. Enquadramento das ações de melhoria nos Critérios da CAF

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR PAULA NOGUEIRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR PAULA NOGUEIRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR PAULA NOGUEIRA Plano de Formação do Agrupamento 2015/2018 Índice 1. Nota Introdutória... 3 2. Enquadramento do Plano de Formação... 4 3. Diagnóstico... 6 4. Objetivos Gerais...

Leia mais

ENSINO BÁSICO 2016/2017 NORMAS DE TRANSIÇÃO E APROVAÇÃO E CONDIÇÕES DE ADMISSÃO ÀS PROVAS FINAIS DO 9.º ANO DE ESCOLARIDADE

ENSINO BÁSICO 2016/2017 NORMAS DE TRANSIÇÃO E APROVAÇÃO E CONDIÇÕES DE ADMISSÃO ÀS PROVAS FINAIS DO 9.º ANO DE ESCOLARIDADE ENSINO BÁSICO 2016/2017 NORMAS DE TRANSIÇÃO E APROVAÇÃO E CONDIÇÕES DE ADMISSÃO ÀS PROVAS FINAIS DO 9.º ANO DE ESCOLARIDADE As normas de transição para os anos não terminais de ciclo constituem normas

Leia mais

RELATÓRIO SECÇÃO DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. BERNARDO

RELATÓRIO SECÇÃO DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. BERNARDO RELATÓRIO SECÇÃO DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. BERNARDO ÍNDICE Introdução... 3 Projeto educativo e avaliação das atividades... 3 Avaliação das atividades... Erro! Marcador não definido.

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria Plano de Melhoria 1 Enquadramento O presente Plano de Melhoria resulta, simultaneamente, das orientações emanadas da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que assentam nas sugestões do Conselho Nacional

Leia mais

Avaliação Interna 2012/2013

Avaliação Interna 2012/2013 Relatório do 1º Período Avaliação Interna 2012/2013 Agrupamento de Escolas de Canedo Índice Introdução... 4 PARTE I... 6 1. Ocupação Plena de Tempos Escolares... 6 1.1 Programa de Apoio à Família (Pré-Escolar)...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DAS TAIPAS. Plano Nacional de Promoção do Sucesso Educativo. PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA do AET

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DAS TAIPAS. Plano Nacional de Promoção do Sucesso Educativo. PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA do AET AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DAS TAIPAS Plano Nacional de Promoção do Sucesso Educativo A Resolução do Conselho de Ministros 23/2016 criou o Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar com a finalidade

Leia mais

Objectivos e metas do Projecto Educativo 2010 / 2013

Objectivos e metas do Projecto Educativo 2010 / 2013 Objectivos e metas do Projecto Educativo 2010 / 2013 Objectivos Metas Indicadores 1. Promover a Educação Intercultural/ Melhorar valências da escola Inclusiva. a) Reduzir a taxa de desistência escolar

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA Avaliação Externa das Escolas 2012-2013 PLANO DE MELHORIA A elaboração deste plano de melhoria assenta no pressuposto de que o Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão é capaz de repensar estratégias

Leia mais

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO PLANO DE MELHORIA Biénio 2016-2017 e 2017-2018 AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO Índice Introdução... 2 Orientações para a ação... 3 Plano de Ação 1... 4 Plano de Ação 2... 5 Plano de Ação 3... 6 Plano

Leia mais

PLANO DE MELHORIA Ano Letivo de 2014/2015

PLANO DE MELHORIA Ano Letivo de 2014/2015 PLANO DE MELHORIA Ano Letivo de 2014/2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 ÁREA A - RESULTADOS... 4 EIXO 1 APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS... 4 EIXO 2 PREVENÇÃO DO ABANDONO, ABSENTISMO E INDISCIPLINA... 5 EIXO

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria Intermédio

Plano de Ações de Melhoria Intermédio Plano de Ações de Melhoria Intermédio PAM Intermédio 2016/2017 Março de 2017 Índice Pág. 2 1. Introdução 2. Plano de Ações de Melhoria 2.1. Enquadramento das ações de melhoria nos Critérios da CAF Educação

Leia mais

A G R U P AM E N T O D E E S CO L A S D E E U G É N I O D E CA S T R O P lan o E s t r a t é g i c o /

A G R U P AM E N T O D E E S CO L A S D E E U G É N I O D E CA S T R O P lan o E s t r a t é g i c o / PLANO ESTRATÉGICO 2014/2015 (Artigo15º do Despacho Normativo nº13-a/2012 1 PLANO ESTRATÉGICO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico agora apresentado enquadra-se no artigo 15º do Despacho Normativo

Leia mais

Avaliação dos alunos no 1º Período. Introdução. Outros documentos. Esc. E. B. 2,3 Prof. João F. Pratas

Avaliação dos alunos no 1º Período. Introdução. Outros documentos. Esc. E. B. 2,3 Prof. João F. Pratas 1 Janeiro de 2012 Esc. E. B. 2,3 Prof. João F. Pratas Avaliação dos alunos no 1º Período Introdução Este documento é a base estatística da avaliação de 1º Período dos alunos da Escola E. B. 2, 3 Professor

Leia mais

Escola Secundária de Cacilhas Tejo

Escola Secundária de Cacilhas Tejo Escola Secundária de Cacilhas Tejo Plano de Melhoria 2013-2014 1. Introdução PLANO DE MELHORIA O presente Plano de Melhoria resulta da articulação entre o relatório da Avaliação Externa da Inspeção-Geral

Leia mais

AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NOS RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SIDÓNIO PAIS,CAMINHA

AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NOS RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SIDÓNIO PAIS,CAMINHA Ninguém caminha sem aprender a caminhar, sem aprender a fazer o caminho caminhando, refazendo e retocando o sonho pelo qual se pôs a caminhar. Paulo Freire AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2016-2017 JULHO 2016 1 Preâmbulo O presente documento estabelece orientações para a organização do ano letivo 2016-2017 no que concerne a horários, constituição de turmas e distribuição

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. 1. Introdução

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. 1. Introdução Procedimento simplificado para avaliação do desempenho dos docentes em regime de contrato a termo - Ano letivo 2011/2012 1. Introdução O presente documento decorre do referido no nº 5 do artigo 30º do

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016 RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Data da intervenção Código 170574 Designação AE Vale Aveiras Início 21 de junho de 2016 Fim 23 de junho de 2016 PLANEAMENTO

Leia mais

PLANO DE ARTICULAÇÃO. Agrupamento de Escolas Rio Arade. Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] Plano de Articulação / 2013

PLANO DE ARTICULAÇÃO. Agrupamento de Escolas Rio Arade. Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] Plano de Articulação / 2013 Agrupamento de Escolas Rio Arade PLANO DE ARTICULAÇÃO Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] 1 / 9 Índice Nota introdutória... 3 Objetivos Gerais... 4 Estratégias de intervenção... 5 Organização... 6 Procedimentos

Leia mais

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Relatório de Avaliação Agrupamento de Escolas Poeta Joaquim Serra 2013/2014 1. INTRODUÇÃO Com o objetivo de implementar o Programa de Atividades de Enriquecimento

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

Melhoria de Resultados Escolares no 1º CEB

Melhoria de Resultados Escolares no 1º CEB AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS RELATÓRIO FINAL DO PLANO DE MELHORIA IMPLEMENTADO Melhoria de Resultados Escolares no 1º CEB Novembro de 2013 1 1. Introdução O desenvolvimento do trabalho enquadrou-se na

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA RESULTADOS DO SUCESSO ESCOLAR 2014/2015-1º PERÍODO Janeiro de 2015 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 1. INTRODUÇÃO Mantendo a estrutura dos anos anteriores,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alfena

Agrupamento de Escolas de Alfena de Escolas de Alfena Resultados da avaliação dos 2013-2014 1. ransição/progressão 2. Avaliação sumativa externa 3. Abandono escolar até ao 12.º ano de escolaridade 1 Siglas = de que não transitou/progrediu

Leia mais

Autoavaliação Qualidade do Ensino do Agrupamento

Autoavaliação Qualidade do Ensino do Agrupamento Autoavaliação Qualidade do Ensino do Agrupamento 2014-2018 PLANO DE AÇÃO 1 ÍNDICE 1 Introdução. 3 2 Divulgação. 4 3 Circuito de Informação 5 4 Equipa de Autoavaliação.. 6 4.1 Funções a desempenhar/competências

Leia mais

5 de setembro 2017 REUNIÃO GERAL

5 de setembro 2017 REUNIÃO GERAL Subdiretor Sérgio Laranjinho Adjunta da Diretora Cláudia Suzano Diretora Paula Maria Figueira diretor@avp.pt Adjunto da Diretora Luís Silva Adjunta da Diretora Mª José Serelha 5 de setembro 2017 REUNIÃO

Leia mais

Critérios de Avaliação. 1º Ciclo. Ano Letivo 2016/2017. A Presidente do Conselho Pedagógico Felicidade Alves

Critérios de Avaliação. 1º Ciclo. Ano Letivo 2016/2017. A Presidente do Conselho Pedagógico Felicidade Alves Critérios de Avaliação 1º Ciclo Ano Letivo 2016/2017 A Presidente do Conselho Pedagógico Felicidade Alves Princípios Orientadores - Processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Vila Flor

Agrupamento de Escolas de Vila Flor RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR 2015/2016 INTRODUÇÃO A fim de dar cumprimento ao artigo 15.º do Despacho Normativo n.º 10-A/2015, o Conselho Pedagógico elaborou

Leia mais

Relatório de Avaliação Provas Finais de 1º ciclo

Relatório de Avaliação Provas Finais de 1º ciclo Relatório de Avaliação Provas Finais de º ciclo 2/2 Escola Básica de º ciclo com Pré-Escolar de Boaventura Relatório de Avaliação Provas Finais de Ciclo 2/2 O presente relatório de avaliação incide sobre

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Gabinete do Ministro

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Gabinete do Ministro MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Gabinete do Ministro Despacho normativo n.º 13/2014 15 de setembro de 2014 Artigo 1.º Objeto avaliação e certificação dos conhecimentos adquiridos e das capacidades desenvolvidas

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO

Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO 2015-2016 Avaliação (Decreto-Lei n.º 139/2012 de 5 de julho; Despacho Normativo nº 17-A/2015 de 22 de Setembro e Despacho Normativo nº 13/2014 de 15

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. JOSÉ DOMINGUES DOS SANTOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. JOSÉ DOMINGUES DOS SANTOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A avaliação enquanto elemento integrante da prática letiva deve basear-se na seleção de objetivos e competências definidas por disciplina e ano curricular que, orientarão

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA SETEMBRO 2014 Enquadramento O presente documento surge na sequência do processo de Avaliação Externa realizada ao Agrupamento de Escolas Santos Simões

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Ação n.º 5/2011. Gestão e Resolução de Conflitos/Promover Ambientes de Aprendizagem e Cidadania

Relatório Final de Avaliação. Ação n.º 5/2011. Gestão e Resolução de Conflitos/Promover Ambientes de Aprendizagem e Cidadania Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Ação n.º 5/2011 Gestão e Resolução de Conflitos/Promover Ambientes de Aprendizagem e

Leia mais

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA Escola Secundária/3 de Almeida Garrett PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA Analisar o Passado, compreender o Presente para antecipar o Futuro 2014-2016 Índice 1. Introdução... 3 2. Estrutura do Plano de Ações de

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 AVALIAÇÃO 5º ANO 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas- vindas/apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA SÍNTESE Plano de promoção da qualidade das aprendizagens, que incluiu s focadas na melhoria do trabalho pedagógico em sala de aula e da qualidade das aprendizagens desenvolvidas pelos alunos. É um plano

Leia mais

PLANO DE MELHORIA

PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas D. Sancho I PLANO DE MELHORIA 2016-2018 Elaborado nos termos previstos na Recomendação nº 1/2011 da IGEC Áreas de melhoria apontadas na Externa concluída em 20/01/2016. Uma escola

Leia mais

Avaliação 1

Avaliação 1 AVALIAÇÃO 5º ANO 01-10-2013 Avaliação 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas-vindas/Apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino Básico Ponto três Assiduidade

Leia mais

AEDLV - Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância D. Lourenço Vicente. Plano de Melhoria do Agrupamento

AEDLV - Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância D. Lourenço Vicente. Plano de Melhoria do Agrupamento Plano de Melhoria do Agrupamento dezembro 2013 1. Introdução O Plano de Melhoria que neste momento se apresenta, constitui um instrumento de suporte à programação e à implementação das ações de melhoria

Leia mais

I Ciclo de Seminários Regionais PNPSE março/abril 2017

I Ciclo de Seminários Regionais PNPSE março/abril 2017 I Ciclo de Seminários Regionais PNPSE março/abril 2017 Compromisso com a União Europeia metas sucesso escolar 4 anos reduzir insucesso escolar para metade Compromisso com a União Europeia metas sucesso

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alfena

Agrupamento de Escolas de Alfena Direcção Regional de Educação do Norte Código 152365 Agrupamento de Escolas de Alfena Relatório das Provas de final de ciclo/6.º ano Ano Letivo 2012/2013 Rua da Escola Secundária 4445-109 Alfena Tels.

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria 2016-2018 Plano de Melhoria Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha ÍNDICE Nota introdutória 2 1. Introdução... 3 2. Estrutura do Plano de Melhoria 4 3. Áreas de Melhoria.. 4 4. Ações de Melhoria.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO Resumo da proposta final Documento para análise PROJETO EDUCATIVO Análise na matriz SWOT (strenghts, weaknesses, opportunities, threats) pontos fortes/pontos fracos/

Leia mais

Plano Plurianual de Melhoria

Plano Plurianual de Melhoria Plano Plurianual de Melhoria 24/27 Agrupamento de Escolas de Freixo de Espada à Cinta Agir e Inter@gir Para Mudar! P á g i n a INDICE Parte I. Identificação da UO 2 2. Contextualização/Caraterização 2

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro SETOR DE COORDENAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO DE 2017/2018 PORTUGUÊS

Leia mais

Relatório Semestral TEIP 2016

Relatório Semestral TEIP 2016 Nome do Agrupamento/Escola Não Agrupada: Agrupamento de Escolas de Vendas Novas 712292 16 Este relatório deverá ser preenchido até dia 8 de março e enviado por e-mail para epipse@dge.mec.pt 1. Questões:

Leia mais

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Plano Agrupamento Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Prioridades Objectivos Estratégias ACÇÕES METAS AVALIAÇÃO P.1. Obj. 1 E.1 Ao 3.º dia de ausência do aluno, efectuar contacto telefónico,

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA 1. Introdução A avaliação externa do Agrupamento de Escolas da Maia, da responsabilidade da IGEC, decorreu de 17 a 20 de novembro do ano transato. A classificação de Muito Bom em todos os domínios enche-nos

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURA

PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURA DGEstE - Direção-Geral de Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Alentejo Agrupamento de Escolas de Moura código n.º 135471 Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) código n.º 342294 PLANO DE

Leia mais

O AGRUPAMENTO CARATERIZAÇÃO DA COMUNIDADE

O AGRUPAMENTO CARATERIZAÇÃO DA COMUNIDADE O AGRUPAMENTO O Agrupamento de Escolas de Apelação é constituído por três estabelecimentos de educação e ensino: Escola Básica Integrada de Apelação (sede); EB1/JI n.º 1 de Apelação e JI n.º 2 de Apelação.

Leia mais

RELATÓRIO TEIP. Acções de Apoio à Melhoria das aprendizagens +Turma

RELATÓRIO TEIP. Acções de Apoio à Melhoria das aprendizagens +Turma RELATÓRIO TEIP Acções de Apoio à Melhoria das aprendizagens +Turma 1 Identificação da Actividade A actividade é designada por (+) Turma, cujo objectivo é promover a qualidade das aprendizagens. Esta actividade

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DE AVALIAÇÃO

DOCUMENTO ORIENTADOR DE AVALIAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE AVALIAÇÃO Legislação relativa à avaliação Orientação técnica nº 3/2016, de setembro (ANQEP) Cursos de Educação e Formação nível básico (ano letivo 2016/2017). Orientação técnica

Leia mais