O INVENTÁRIO EXTRAJUDICIAL E SEU PROCESSAMENTO BREVES CONSIDERAÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O INVENTÁRIO EXTRAJUDICIAL E SEU PROCESSAMENTO BREVES CONSIDERAÇÕES"

Transcrição

1 O INVENTÁRIO EXTRAJUDICIAL E SEU PROCESSAMENTO BREVES CONSIDERAÇÕES Rodrigo Corrêa da Costa Oliveira Anahí Monte Cruz R. Corrêa da Costa Sumário: 1. Introdução; 2. Conceito; 3. Condições Essenciais; 4. Prazo para abertura; 5. Da possibilidade de conversão do inventário judicial em extrajudicial; 6. Da necessidade de advogado; 7. Dos documentos necessários ao processamento extrajudicial; 8. Da escolha do tabelião; 9. Procedimento; 10. Considerações gerais; 11. Conclusão; 12. Referências. 1. INTRODUÇÃO Geralmente, vemos que o Direito e o procedimento legislativo não acompanham a evolução da sociedade. Contudo, a Lei /2007 surgiu para fazer exceção a esta regra. Referida Lei criou a possibilidade de se processar o inventário em âmbito administrativo e, ao final, ter o registro da partilha efetuado por escritura pública, procedimento célere e menos oneroso do que o judicial. Lamentavelmente, mesmo após alguns anos da vigência da Lei /2007, pode-se afirmar que há pouco uso e conhecimento, por parte dos advogados, do procedimento e da benesse que a celeridade administrativa apresenta. 2. CONCEITO Nas palavras de César Fiuza Inventário é, pois, processo judicial pelo qual se apura o ativo e o passivo da herança, a fim de se chegar à herança líquida (ativo menos passivo). Esta herança líquida, que se apura após o pagamento das dívidas e recebimento dos créditos, será, então, partilhada entre os herdeiros. 1

2 Portanto, o inventário é uma série de atos tendentes a quitar as dívidas do falecido e, por fim, efetuar a partilha da diferença entre os herdeiros. Não se deve confundi-lo com herança, esta ocorre com a abertura da sucessão, falecimento, e sua transmissão é imediata, restando aos herdeiros proceder ao inventário e, posteriormente a partilha, para livremente disporem dos créditos resultantes daquele. No presente trabalho nos limitaremos a trazer breves considerações sobre o inventário administrativo, ou dito extrajudicial. Vejamos. Em vigor desde 2007, a Lei nº , que alterou a redação do artigo 610, do Código de Processo Civil, criou a figura do inventário extrajudicial, verbis: Art Havendo testamento ou interessado incapaz, proceder-se-á ao inventário judicial. 1º Se todos forem capazes e concordes, o inventário e a partilha poderão ser feitos por ESCRITURA PÚBLICA, a qual constituirá documento hábil para qualquer ato de registro, bem como para levantamento de importância depositada em instituições financeiras. 2º O tabelião somente lavrará a escritura pública se todas as partes interessadas estiverem assistidas por advogado ou por defensor público, cuja qualificação e assinatura constarão do ato notarial. Observe-se que a regra ainda é o inventário judicial, contudo, o legislador pátrio criou uma segunda forma, desde que presentes alguns requisitos, para o processamento do inventário, ou seja, em Cartório de Notas, com a constituição de título hábil ao registro imobiliário, a escritura pública. 2

3 3. CONDIÇÕES ESSENCIAIS Como dito acima, o inventário extrajudicial é uma opção, já que os herdeiros podem livremente escolher entre uma forma e outra. Sendo, contudo, obrigatoriamente judicial quando existente testamento e/ou interessados incapazes e/ou divergência quanto à partilha entre os herdeiros. Devemos alertar que a opção criada pela Lei não retrata uma faculdade aos herdeiros, pois, presentes os requisitos do inventário extrajudicial este não poderá ser levado ao Poder Judiciário. De qualquer sorte, voltando ao cerne da questão, nos é possível concluir que os requisitos necessários para o Inventário Administrativo são: i) herdeiros capazes, ii) ausência de testamento e iii) consenso dos herdeiros sobre a partilha. 4. PRAZO PARA ABERTURA A Lei nº /2007 alterou também o prazo para a abertura do inventário, de 30 (trinta) para 60 (sessenta) dias, consoante o exposto no artigo 983, do Código de Processo Civil: Art O processo de inventário e de partilha deve ser instaurado dentro de 2 (dois) meses, a contar da abertura da sucessão, ultimando-se nos 12 (doze) meses subsequentes, podendo o juiz prorrogar esses prazos, de ofício ou a requerimento de parte. No caso específico do Inventário Extrajudicial, este prazo cessa com o envio da Declaração de ITCMD ao Posto Fiscal da Secretaria de Fazenda Estadual. 5. DA POSSIBILIDADE DE CONVERSÃO DO INVENTÁRIO JUDICIAL EM EXTRAJUDICIAL O Conselho Nacional de Justiça, por meio da resolução nº 35/2007 disciplinou a aplicação da Lei nº pelos serviços notariais e de registro, 3

4 prevendo em seu artigo 2º a faculdade aos interessados de requerer a suspensão do procedimento judicial e promove-lo extrajudicialmente: Art. 2º É facultada aos interessados a opção pela via judicial ou extrajudicial; podendo ser solicitada, a qualquer momento, a suspensão, pelo prazo de 30 dias, ou a desistência da via judicial, para promoção da via extrajudicial. Portanto, ainda que o processo de inventário seja iniciado judicialmente, preenchendo todos os requisitos para seu processamento administrativo, podem os herdeiros convertê-lo em extrajudicial. 6. DA NECESSIDADE DE ADVOGADO Em que pese tratar-se de procedimento administrativo, a Lei declarou a essencialidade da participação do advogado no processamento do instituto, com observância de todos os deveres, responsabilidades e princípios éticos disciplinados pelo Estatuto da Advocacia e Código de Ética e Disciplina. Portanto, os herdeiros, obrigatoriamente, serão assistidos por advogado, podendo ser comum a todos eles ou, cada um deles, serem representado pelo de sua confiança, nos termos do artigo 733, 2º, do Código de Processo Civil, devendo o causídico ter sua qualificação e assinatura aposta na escritura de inventário e partilha, conforme artigo 8º, da Resolução nº 35/2007, do Conselho Nacional de Justiça. 7. DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSAMENTO EXTRAJUDICIAL Considerando se tratar de procedimento de suma importância e dada sua delegação ao âmbito extrajudicial, restou necessária a apresentação de diversos documentos que comprovem a veracidade das partes, bem como dos bens, dívidas, créditos e obrigações arroladas, sendo eles: Certidão de óbito do autor da herança; Documento de identidade oficial e CPF das partes e do autor da herança; 4

5 Certidão que comprove o vínculo de parentesco dos herdeiros; Certidão de casamento do cônjuge sobrevivente e dos herdeiros casados, bem como pacto antenupcial, se houver; Certidão de propriedade, ônus e alienações dos imóveis, atualizada, inferior a 30 dias, e não anterior à data do óbito; Certidão ou documento oficial comprobatório do valor venal dos imóveis, relativo ao exercício do ano do óbito ou ao ano imediatamente seguinte deste; Documentos que comprovem o domínio e o valor dos bens imóveis, se houver; Certidão negativa de tributos municipais que incidam sobre os bens imóveis do espólio; Certidão negativa da Receita Federal e da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Certidão de regularidade do Imposto de Transmissão Causa Mortis e doação (ITCMD); Certidão comprobatória da inexistência de testamento; Certidão de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR), se houver imóvel rural a ser partilhado; Há que se considerar a necessidade e apresentação de outros documentos, situação a ser observada no caso concreto pelo(s) Advogado(s). 8. PROCEDIMENTO Conforme explicitado acima, há a necessidade de que o inventário extrajudicial tenha a participação ativa do Advogado, portanto caberá a este gerenciar a coleta de documentos. 5

6 Com todos os documentos em mãos, em especial a guia de recolhimento do ITCMD, e após a eleição do Cartório de Notas onde se processará o Inventário, deve o Advogado redigir uma minuta da escritura pública e apresentar ao Fisco Estadual para avaliação, funções que podem ser delegadas ao Tabelião. Assim que a Fazenda Estadual concluir positivamente pela documentação, o Tabelião escolhido estará autorizado a lavrar a escritura pública, título hábil a realização dos demais atos de registro e transmissão de bens, como já dito anteriormente. 10. CONSIDERAÇÕES GERAIS Caso ocorra a descoberta de outro bem do falecido, mesmo após a lavratura da escritura pública, poderá ser admitida a sobrepartilha. É possível o inventário negativo por escritura pública, quando o de cujus não deixar bens a serem partilhados. O Tabelião pode se recusar a lavrar o inventário, se observar indícios de fraude quando da declaração de vontade dos herdeiros, desde que fundamentado por escrito. Por fim, importante reforçar a ideia de que a escritura não depende de homologação judicial para ter validade. 11. CONCLUSÃO Em suma, o inventário extrajudicial facilitou a solução da divisão dos bens após o falecimento, permitindo aos herdeiros capazes e concordes, bem como na ausência de testamento, procederem-no de forma célere. Ademais, ainda que o acordo entre os herdeiros não exista inicialmente, deve-se lembrar da possibilidade de conversão do procedimento judicial em extrajudicial, evitando, assim, a morosidade do procedimento judicial. 6

7 A liberdade de escolha do Tabelião é outro ponto positivo da Lei e da Resolução do Conselho Nacional de Justiça. Resta, aos advogados, orientar seus clientes à solução do problema de forma pacífica, primando pelo procedimento conciliatório na sociedade e, em especial, no seio familiar, trazendo benefícios não só psicológicos, mas também financeiros aos envolvidos. Atender ao cliente nem sempre diz respeito a fazer apenas o que ele quer, por vezes devemos tentar convencê-lo da existência de outros caminhos mais fáceis, caso esteja disposto a conciliar com os demais envolvidos na causa. Por todas essas razões, afirmamos categoricamente que a realização do inventário extrajudicial é uma benesse não só aos interessados, mas à sociedade, que vê seus conflitos serem solucionados de forma célere e com o uso da conciliação. Referências bibliográficas: FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. 8ª Ed.,Rev., atual. e ampl. Belo Horizonte. Del Rey. P CÂMARA, Alexandre Freitas. Lições de Direito Processual Civil, vol. III, 10.ª ed., p

O inventário extrajudicial e seu processamento breves considerações

O inventário extrajudicial e seu processamento breves considerações O inventário extrajudicial e seu processamento breves considerações Rodrigo Corrêa da Costa Oliveira, Anahí Monte Cruz R. Corrêa da Costa Resumo: O presente trabalho apresenta as principais características

Leia mais

Maurício Pinto Coelho Filho Juiz Auxiliar da Corregedoria Superintendente dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Minas Geras

Maurício Pinto Coelho Filho Juiz Auxiliar da Corregedoria Superintendente dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Minas Geras SIMPÓSIO SOBRE A APLICABILIDADE DA LEI FEDERAL Nº 11.441, DE 04/01/2007, QUE ALTEROU DISPOSITIVOS DO CPC, POSSIBILITANDO A REALIZAÇÃO DE INVENTÁRIO, PARTILHA, SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO CONSENSUAIS POR VIA ADMINISTRATIVA.

Leia mais

Provimento nº 04/07-CGJ - Corregedoria Regulamenta Escrituras de Partilha, Separação e Divórcio Qui, 08 de Fevereiro de :51

Provimento nº 04/07-CGJ - Corregedoria Regulamenta Escrituras de Partilha, Separação e Divórcio Qui, 08 de Fevereiro de :51 Processo nº 0010-07/000091-0 Parecer nº 08/2007-SLA O desembargador Jorge Luís Dall Agnol, Corregedor-Geral da Justiça, no uso de suas atribuições, considerando a publicação da Lei nº 11.441/07, que alterou

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 6.416, DE 2005. Altera as Leis nºs 10.406, de 10 de janeiro de 2002 Código Civil, e 5.869, de 11 de janeiro de 1973 Código de Processo

Leia mais

ESCRITURA escritura ato notarial tabelião,

ESCRITURA escritura ato notarial tabelião, ESCRITURA A escritura é um ato notarial efetuado pelo tabelião, dando autenticidade à vontade das partes interessadas nos efeitos do ato jurídico do qual participam. A escritura pública confirma a manifestação

Leia mais

LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA

LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÕES: LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA DOCUMENTOS ROTEIRO INTRODUÇÃO DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ...una mala política legislativa, consagrada a través del tiempo, no se sabe

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA ITCMD Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer Bens ou Direitos MANUAL DO USUÁRIO 2012 O ITCMD tem como fato gerador a transmissão de bens e direitos

Leia mais

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026.

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026. Escritura pública de inventário e partilha Documentos Necessários A relação de documentos necessários para uma escritura pública de inventário e partilha, especialmente quando contemplam bens imóveis,

Leia mais

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL Cedente: cliente atual que está vendendo a cota. Cessionário: cliente que está adquirindo a cota. A apresentação dos documentos solicitados

Leia mais

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL Cedente: cliente atual que está vendendo a cota. Cessionário: cliente que está adquirindo a cota. A apresentação dos documentos solicitados

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Texto compilado a partir da redação dada pelas Resoluções nºs 143/2011 e 179/2013 RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Disciplina a aplicação da Lei nº 11.441/07 pelos serviços notariais e de registro

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA do Cartão de CNPJ Inscrição Estadual ou Municipal IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA Contrato Social e sua última alteração ou Estatuto de Constituição Comprovante de renda

Leia mais

Chave de Respostas Tabelionato de Notas Professor: Leandro Corrêa. 1) Qual norma regula a atividade do Tabelião de Notas em Minas Gerais?

Chave de Respostas Tabelionato de Notas Professor: Leandro Corrêa. 1) Qual norma regula a atividade do Tabelião de Notas em Minas Gerais? Chave de Respostas Tabelionato de Notas Professor: Leandro Corrêa 1) Qual norma regula a atividade do Tabelião de Notas em Minas Gerais? Provimento 54/78 Normas Gerais Encontra apoio na Lei 8.935/94 e

Leia mais

ATA NOTARIAL e ESCRITURA DECLARATÓRIA DE USUCAPIÃO.

ATA NOTARIAL e ESCRITURA DECLARATÓRIA DE USUCAPIÃO. ATA NOTARIAL e ESCRITURA DECLARATÓRIA DE USUCAPIÃO angelo@volpi.not.br www.volpi.not.br Ata Notarial Previsão Legal: art.236 C.F. Lei 8935/94 arts. 6 e 7 incisos III. CPC art. 364. Provimento 59 Corregedoria

Leia mais

DOS SONEGADOS DA GARANTIA DOS QUINHÕES HEREDITÁRIOS. Da garantia dos quinhões hereditários. Dos sonegados 27/10/2016

DOS SONEGADOS DA GARANTIA DOS QUINHÕES HEREDITÁRIOS. Da garantia dos quinhões hereditários. Dos sonegados 27/10/2016 DA GARANTIA DOS QUINHÕES HEREDITÁRIOS Da garantia dos quinhões hereditários Antes da partilha os herdeiros terão a indivisibilidade de seu direito sendo que, após a partilha, cada herdeiro será senhor

Leia mais

REFORMA OU CONSTRUÇÃO

REFORMA OU CONSTRUÇÃO Ficha Cadastral Cópia simples do Cartão de CNPJ Inscrição Estadual ou Municipal REFORMA OU CONSTRUÇÃO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA Contrato Social e sua última alteração ou Estatuto

Leia mais

Dimas Messias de Carvalho Promotor de Justiça aposentado/mg Mestre em Direito Constitucional pela FDSM Professor na UNIFENAS e UNILAVRAS Advogado

Dimas Messias de Carvalho Promotor de Justiça aposentado/mg Mestre em Direito Constitucional pela FDSM Professor na UNIFENAS e UNILAVRAS Advogado Dimas Messias de Carvalho Promotor de Justiça aposentado/mg Mestre em Direito Constitucional pela FDSM Professor na UNIFENAS e UNILAVRAS Advogado Membro do IBDFAM Autor de Obras Jurídicas Email: dimasmp@navinet.com.br

Leia mais

Documentos do vendedor Pessoa Física. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado;

Documentos do vendedor Pessoa Física. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; Documentos do vendedor Pessoa Física Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; Nota: caso o proponente for casado(a), enviar também os documentos/certidões

Leia mais

Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007

Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007 Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007 (Escrituras de Inventário, Separação e Divórcio) Antonio Carlos Parreira Juiz de Direito da Vara de Família e Sucessões de Varginha MG Art.

Leia mais

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN RODRIGO TOSCANO DE BRITO Doutor e Mestre em Direito Civil pela PUC-SP. Professor de Direito Civil da UFPB e da Escola da Magistratura.

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO REALIZA IMÓVEIS

DOCUMENTAÇÃO REALIZA IMÓVEIS DOCUMENTAÇÃO REALIZA IMÓVEIS LOCAÇÃO: DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA LOCAÇÃO DE UM IMÓVEL - PESSOA FÍSICA INQUILINO. Cópia dos documentos de Identidade e CPF (Se casado, do marido e esposa). Cópia da Certidão

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO Art 1 - Antes da lavratura de escritura pública, nas hipóteses previstas nos artigos 982 e 1.124-A do Código de Processo Civil, na redação dada pela Lei federal

Leia mais

Manual do Aposentado COHAPREV A N O S

Manual do Aposentado COHAPREV A N O S Manual do Aposentado COHAPREV A N O S SUMÁRIO Qual é o significado de Aposentado e Pensionista?...3 Quando é realizado o pagamento do Benefício?...3 Quais as formas de recebimento dos Benefícios?...3 Quando

Leia mais

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação!

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada abaixo e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada

Leia mais

Corregedoria Geral de Justiça

Corregedoria Geral de Justiça Corregedoria Geral de Justiça Ronaldo Claret de Moraes Juiz Auxiliar da Corregedoria Superintendente dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Minas Geras SIMPÓSIO Aplicabilidade da Lei 11.441/2007

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 006 / 2007

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 006 / 2007 ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 006 / 2007 institui as normas a serem observadas para lavratura de escrituras públicas de separação, divórcio, inventário e

Leia mais

O HERDEIRO MAIOR E CAPAZ NOMEADO POR TESTAMENTO E A ESCRITURA PÚBLICA DE PARTILHA.

O HERDEIRO MAIOR E CAPAZ NOMEADO POR TESTAMENTO E A ESCRITURA PÚBLICA DE PARTILHA. O HERDEIRO MAIOR E CAPAZ NOMEADO POR TESTAMENTO E A ESCRITURA PÚBLICA DE PARTILHA. Sabido que ninguém pode ignorar o conteúdo das leis vigentes no país. Como proclamava o mestre e saudoso brasileiro, dr.

Leia mais

ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor

ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos ITCMD Conceito

Leia mais

Parte Geral Comum (05 aulas) LEI DE ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA E REGIMENTO INTERNO (02 aulas) 3 Tribunal de Justiça: composição, órgãos, competência.

Parte Geral Comum (05 aulas) LEI DE ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA E REGIMENTO INTERNO (02 aulas) 3 Tribunal de Justiça: composição, órgãos, competência. Parte Geral Comum (05 aulas) LEI DE ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA E REGIMENTO INTERNO (02 aulas) 1 Divisão e organização judiciária do Estado da Bahia. 2 Comarcas. 2.1 Classificação, sede. 2.2 Distritos judiciários.

Leia mais

8 DESCONSTITUIÇÃO- LIQUIDAÇÃO - EXTINÇÃO EXTINÇÃO

8 DESCONSTITUIÇÃO- LIQUIDAÇÃO - EXTINÇÃO EXTINÇÃO 8 DESCONSTITUIÇÃO- LIQUIDAÇÃO - EXTINÇÃO 8. - EXTINÇÃO 8.. - DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA No caso de extinção em que as fases de DESCONSTITUIÇÃO E LIQUIDAÇÃO (com seu encerramento) sejam praticadas em um único

Leia mais

6Estabilidade. 7Justiça. 8Independência. 9Confidencialidade

6Estabilidade. 7Justiça. 8Independência. 9Confidencialidade Fazer um testamento público 1Harmonia O testamento evita brigas de família e disputas patrimoniais entre os herdeiros acerca dos bens deixados pelo falecido. 2Tranquilidade O testamento pode ser utilizado

Leia mais

REGISTRO DE IMÓVEIS COMARCA DE XAXIM - SC

REGISTRO DE IMÓVEIS COMARCA DE XAXIM - SC REGISTRO DE IMÓVEIS COMARCA DE XAXIM - SC MANUAL DO USUÁRIO INOVAÇÕES E MELHORIAS NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS PUBLICIDADE AUTENTICIDADE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS ATOS JURÍDICOS OFÍCIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS

Leia mais

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações,

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, testamentos, entre outras. Também são lavradas atas notariais,

Leia mais

Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública.

Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública. Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública. Para a regularidade da escritura ou contrato com força

Leia mais

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional. O Secretário da Receita Federal do Brasil e a Procuradora-Geral da Fazenda Nacional,

Leia mais

o DESEMBARGADOR GILBERTO PASSOS DE FREITAS, Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais;

o DESEMBARGADOR GILBERTO PASSOS DE FREITAS, Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais; Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Página I de 5 ( (~ PORTAL 00,.., Tribunal de Justiça do Estado de SAO PAULO TJ Notícias I Institucional I Links Jurídicos I TJ Responde PROVIMENTO CG. N 09/2006

Leia mais

PROVIMENTO Nº 05/2016. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 05/2016. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 05/2016 Dispõe sobre os procedimentos administrativos concernentes ao reconhecimento extrajudicial de usucapião. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso de suas

Leia mais

Luiz Inácio Lula da Silva. Tarso Genro. Rogerio Favreto. Realização

Luiz Inácio Lula da Silva. Tarso Genro. Rogerio Favreto. Realização Cartilha 01-11.p65 1 Cartilha 01-11.p65 2 Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República Tarso Genro Ministro da Justiça Rogerio Favreto Secretário de Reforma do Judiciário Realização Colégio Notarial

Leia mais

Direito Civil Prof. Conrado Paulino Rosa

Direito Civil Prof. Conrado Paulino Rosa DIREITO DE REPRESENTAÇÃO 1. Direito de representação: Por direito próprio: o Herdeiros descendentes recebem de forma direta, sucedendo por cabeça ou por direito próprio, sem nenhuma representação entre

Leia mais

Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Fazenda Junta Comercial do Estado de Santa Catarina Procuradoria Geral Parecer n.

Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Fazenda Junta Comercial do Estado de Santa Catarina Procuradoria Geral Parecer n. Parecer n.º 94/07 Processo nº 07/186378-8. Empresário individual. Falecimento. Partilha formalizada em escritura pública, na forma da Lei 11.441/07. Nomeação de inventariante. Pretendido arquivamento do

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA R.G. e CPF do consorciado e cônjuge Certidão de estado civil Comprovante de residência atualizado Comprovante de renda Ficha Cadastral Declaração

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 1 - DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO APRESENTAR CÓPIAS E ORIGINAIS (OU CÓPIAS AUTENTICADAS): Registro de nascimento;

Leia mais

6Estabilidade. 7Justiça. 8Independência. 9Confidencialidade

6Estabilidade. 7Justiça. 8Independência. 9Confidencialidade Fazer um testamento público 1Harmonia O testamento evita brigas de família e disputas patrimoniais entre os herdeiros acerca dos bens deixados pelo falecido. 2Tranquilidade O testamento pode ser utilizado

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 / Fone:

Leia mais

REQUERIMENTO DE PENSÃO

REQUERIMENTO DE PENSÃO Versão 14 REQUERIMENTO DE PENSÃO SEGURADO (A) Segurado(a): CPF nº: Cargo: Órgão de origem: DATA DO ÓBITO: / / Ativo: ( ) Inativo: ( ) Falecimento motivado por acidente de qualquer natureza ou doença profissional

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda N.º 191 - Seção 1, sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL PORTARIA Nº 1751, DE 2 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0372.13.002525-0/001 Númeração 0025250- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Fernando Caldeira Brant Des.(a) Fernando Caldeira Brant 10/04/2014 22/04/2014

Leia mais

CONSULTA Nº 19/2010 PROTOCOLO 0068726/2010 CONSULENTE: ILMO. SR. ANTÔNIO DE SOUZA SOBRINHO OFICIAL DO CARTÓRIO DE PAZ E NOTAS DE GUIRATINGA/MT

CONSULTA Nº 19/2010 PROTOCOLO 0068726/2010 CONSULENTE: ILMO. SR. ANTÔNIO DE SOUZA SOBRINHO OFICIAL DO CARTÓRIO DE PAZ E NOTAS DE GUIRATINGA/MT CONSULTA Nº 19/2010 PROTOCOLO 0068726/2010 CONSULENTE: ILMO. SR. ANTÔNIO DE SOUZA SOBRINHO OFICIAL DO CARTÓRIO DE PAZ E NOTAS DE GUIRATINGA/MT PARECER Nº 416/2010 SENHOR CORREGEDOR: ANTÔNIO DE SOUZA SOBRINHO

Leia mais

LEI /07 - SEPARAÇÃO CONSENSUAL E DIVÓRCIO CONSENSUAL, INVENTÁRIO, PARTILHA POR ESCRITURA PÚBLICA

LEI /07 - SEPARAÇÃO CONSENSUAL E DIVÓRCIO CONSENSUAL, INVENTÁRIO, PARTILHA POR ESCRITURA PÚBLICA LEI 11.441/07 - SEPARAÇÃO CONSENSUAL E DIVÓRCIO CONSENSUAL, INVENTÁRIO, PARTILHA POR ESCRITURA PÚBLICA Valdicéia Alcarria 1 Faculdade Integrado de Campo Mourão, Campo Mourão - PR RESUMO Neste artigo trataremos

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO PARA INVENTÁRIO E DIVÓRCIO NOTARIAL PASSO A PASSO

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO PARA INVENTÁRIO E DIVÓRCIO NOTARIAL PASSO A PASSO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO PARA INVENTÁRIO E DIVÓRCIO NOTARIAL PASSO A PASSO Corregedoria das Comarcas do Interior TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA BAHIA 2013 Corregedoria das Comarcas do Interior 2013 Corregedoria

Leia mais

PUC MINAS VIRTUAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS À DISTÂNCIA

PUC MINAS VIRTUAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS À DISTÂNCIA PUC MINAS VIRTUAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS À DISTÂNCIA Disciplina: Direito Tributário rio Impostos dos Estados e do Distrito Federal IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO CAUSA MORTIS E DOAÇÃO DE QUAISQUER BENS

Leia mais

INVENTÁRIO E PARTILHA PELA VIA ADMINISTRATIVA ELIANA PEREIRA PRADO VIEIRA 1

INVENTÁRIO E PARTILHA PELA VIA ADMINISTRATIVA ELIANA PEREIRA PRADO VIEIRA 1 INVENTÁRIO E PARTILHA PELA VIA ADMINISTRATIVA ELIANA PEREIRA PRADO VIEIRA 1 Resumo: O ordenamento jurídico há muito reclama por procedimentos que sejam céleres e contribuam para desafogar o judiciário.

Leia mais

Prefácio, 11. Dos Alimentos e a Lei Federal /07, 13

Prefácio, 11. Dos Alimentos e a Lei Federal /07, 13 SUMÁRIO Prefácio, 11 Dos Alimentos e a Lei Federal 11.441/07, 13 ANA PAULA FRONTINI 1. Introdução 15 2. Dos Alimentos 15 3. Do ato notarial 20 A Figura do Inventariante nos Inventários Extrajudiciais,

Leia mais

Expediente do Gabinete dos Juízes Corregedores na Corregedoria Geral da Justiça

Expediente do Gabinete dos Juízes Corregedores na Corregedoria Geral da Justiça Provimentos 33/2007 Expediente do Gabinete dos Juízes Corregedores na Corregedoria Geral da Justiça Provimento nº 33/2007-17/12/2007 (Diário da Justiça Eletrônico) Data inclusão: 19/12/2007 PROVIMENTO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Foi publicado no DOM de 10 de julho de 2010 o Decreto Nº 14.032/10 que autorizou a emissão de guias de recolhimento de Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis por

Leia mais

CAPÍTULO III DE QUAISQUER BENS OU DIREITOS SEÇÃO I DA INCIDÊNCIA. I - propriedade ou domínio útil de bens imóveis;

CAPÍTULO III DE QUAISQUER BENS OU DIREITOS SEÇÃO I DA INCIDÊNCIA. I - propriedade ou domínio útil de bens imóveis; Parágrafo único. O órgão da Receita Estadual providenciará o estorno da importância indevidamente repassada ao Município, em função da repartição do indébito. CAPÍTULO III DE QUAISQUER BENS OU DIREITOS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º 0030633-38.2013.8.19.0000 Agravante: DELVINA CÂNDIDA DE OLIVEIRA. Agravados:ELIANE

Leia mais

Relação de documentos para o consorciado contemplado em consórcio de imóveis (Pessoa Física)

Relação de documentos para o consorciado contemplado em consórcio de imóveis (Pessoa Física) Relação de documentos para o consorciado contemplado em consórcio de imóveis (Pessoa Física) Para dar continuidade ao seu processo de aquisição de imóvel pelo Consórcio Itaú, é importante que você siga

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO, DE PROVAS E TÍTULOS, PARA A OUTORGA DE DELEGAÇÕES DE NOTAS E DE REGISTRO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Edital n.

CONCURSO PÚBLICO, DE PROVAS E TÍTULOS, PARA A OUTORGA DE DELEGAÇÕES DE NOTAS E DE REGISTRO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Edital n. CONCURSO PÚBLICO, DE PROVAS E TÍTULOS, PARA A OUTORGA DE DELEGAÇÕES DE NOTAS E DE REGISTRO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Edital n. 01/2011 CADERNO 1 PROVA ESCRITA E PRÁTICA REMOÇÃO ATENÇÃO Leia as instruções

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA PARECER N 318 / 2015 ASSUNTO: PARECER CONSULTIVO EMENTA: ITCMD HOMOLOGAÇÃO OU EMISSÃO DE CERTIDÃO DE DISPENSA DO IMPOSTO RELATIVO À MEEIRA FALTA DE PREVISÃO LEGAL GUIAS DE TRANSMISSÃO E DUAs PARA FATOS

Leia mais

Inventário e Partilha

Inventário e Partilha 108 Inventário e Partilha Flávia de Azevedo Faria Rezende Chagas 1 O palestrante, Dr. Sérgio Ricardo de Arruda Fernandes, iniciou sua explanação abordando a abertura da via extrajudicial, prevista na Resolução

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO. SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO DO NOVO CPC.

ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO. SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO DO NOVO CPC. ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO. SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO DO NOVO CPC. Flávio Tartuce Doutor em Direito Civil e graduado pela Faculdade de Direito da USP. Mestre em Direito Civil Comparado pela PUC/SP.

Leia mais

- - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA.

- - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL REFORMA/ CONSTRUÇÃO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL REFORMA/ CONSTRUÇÃO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA R.G. e CPF do consorciado e cônjuge Certidão de estado civil Comprovante de residência atualizado Comprovante de renda Ficha Cadastral Declaração Crédito FGTS, preenchida, assinada e reconhecido firma

Leia mais

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL - CONCEITO E FUNDAMENTOS

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL - CONCEITO E FUNDAMENTOS USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL - CONCEITO E FUNDAMENTOS 1. A usucapião consiste em uma forma de aquisição originária de propriedade. Da própria análise da etimologia do termo usus capere extrai-se a ideia de

Leia mais

PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016.

PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016. PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016. Dispõe sobre a obrigatoriedade de recadastramento anual de aposentados e pensionistas que integram a folha de pagamento de pessoal do Instituto de Previdência Social

Leia mais

\PROVIMENTO Nº 110. Seção 11 Escrituras Públicas de Inventários, Separações, Divórcios e Partilha de bens

\PROVIMENTO Nº 110. Seção 11 Escrituras Públicas de Inventários, Separações, Divórcios e Partilha de bens \PROVIMENTO Nº 110 O Desembargador LEONARDO LUSTOSA, Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO: a) a Lei nº 11.441/07 que alterou o CPC, possibilitando

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA. Ofício circular n. 0234/2011-CGJ Aracaju, 27 de janeiro de 2011,

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA. Ofício circular n. 0234/2011-CGJ Aracaju, 27 de janeiro de 2011, Ofício circular n. 0234/2011-CGJ Aracaju, 27 de janeiro de 2011, Senhor(es) Notário(s), Com o intuito de uniformizar e divulgar o procedimento para PROTESTOS DE TÍTULOS JUDICIAIS, a Corregedoria-Geral

Leia mais

Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública.

Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública. Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública. Para a regularidade da escritura ou contrato com força

Leia mais

REQUERIMENTO DE PENSÃO: Relação dos documentos necessários

REQUERIMENTO DE PENSÃO: Relação dos documentos necessários 1 /13 1. Documentação necessária, comum a todos os processos: 1.1. Documentação do(a) Segurado(a) Requerimento em formulário próprio, com firma reconhecida do requerente em cartório ou na presença de funcionário

Leia mais

- Custas verificar pessoalmente no cartório mediante a apresentação da documentação

- Custas verificar pessoalmente no cartório mediante a apresentação da documentação DOCUMENTOS PARA AVERBAÇÕES, INCORPORAÇÕES E REGISTROS Averbação de Construção: * Certificado de conclusão de obra (original ou autenticado pela Prefeitura) * ART do CREA (certidão do engenheiro), original

Leia mais

Imprimir PROCESSO-CONSULTA CFM Nº 1642/93 PC/CFM/Nº 16/95. O médico é responsável também pelos dados de identidade completos do falecido.

Imprimir PROCESSO-CONSULTA CFM Nº 1642/93 PC/CFM/Nº 16/95. O médico é responsável também pelos dados de identidade completos do falecido. Imprimir PROCESSO-CONSULTA CFM Nº 1642/93 PC/CFM/Nº 16/95 INTERESSADO: Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais ASSUNTO: Preenchimento de atestado de óbito RELATOR: Cons. Léo Meyer Coutinho

Leia mais

Provimento Nº 172/2016

Provimento Nº 172/2016 Provimento Nº 172/2016 Altera o art. 5º do Provimento n. 91/2000, o inciso "g" do art. 2º e o 3º do art. 3º do Provimento n. 94/2000, o parágrafo único do art. 2º, o caput do art. 3º e o 5º do art. 4º

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2012/2

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2012/2 FAHESA- Faculdade de Ciências Humanas Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC- Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2012/2

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº. 02/2007-CGJ O Excelentíssimo Senhor Desembargador MUNIR FEGURI, Corregedor Geral da Justiça, no uso de suas atribuições

Leia mais

Cartório Fácil - Sistema de informação e apoio ao cidadão

Cartório Fácil - Sistema de informação e apoio ao cidadão Página 1 de 5. O Cartório de Registro de Imóveis realiza serviços importantes, que garantem o direito à propriedade das pessoas, bem como outros direitos referentes a imóveis. Somente quem registra uma

Leia mais

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2016 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2016 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016 RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2016 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016 1- ATOS DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS VALORES EM R$ ATO VALORES TOTAL BUSCA (POR PERÍODO

Leia mais

Orientações a respeito da DESIGNAÇÃO DE COMPANHEIRO(A) PARA FINS DE RECEBIMENTO DE PENSÃO POR MORTE

Orientações a respeito da DESIGNAÇÃO DE COMPANHEIRO(A) PARA FINS DE RECEBIMENTO DE PENSÃO POR MORTE Passo a Passo União Estável Relação Heteroafetiva e Homoafetiva Orientações a respeito da DESIGNAÇÃO DE COMPANHEIRO(A) PARA FINS DE RECEBIMENTO DE PENSÃO POR MORTE 1. Diferença entre CÔNJUGE E COMPANHEIRO(A):

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748 Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748 Disciplina a dação em pagamento de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Vitória. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do

Leia mais

Da Solicitação. Do Prazo

Da Solicitação. Do Prazo ORIENTAÇÕES CONJUNTAS DO COLÉGIO NOTARIAL DO BRASIL SEÇÃO SÃO PAULO E DA ASSOCIAÇÃO DOS REGISTRADORES DE PESSOAS NATURAIS SOBRE O PROVIMENTO DA EGRÉGIA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (O checklist não substitui a leitura do Edital Normativo)

CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (O checklist não substitui a leitura do Edital Normativo) CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (O checklist não substitui a leitura do Edital Normativo) Nº DO PROCESSO: DATA: ALUNO: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: QUANTIDADE DE MEM- BROS: DOCUMENTOS

Leia mais

SUMÁRIO PREFÁCIO... 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 1.2 AS ATUAÇÕES DO MAGISTRADO (ESTADO-JUIZ) E DO

SUMÁRIO PREFÁCIO... 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 1.2 AS ATUAÇÕES DO MAGISTRADO (ESTADO-JUIZ) E DO SUMÁRIO PREFÁCIO... 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 1.2 AS ATUAÇÕES DO MAGISTRADO (ESTADO-JUIZ) E DO TABELIÃO (PRESTADOR DE SERVIÇO PÚBLICO EM CARÁTER PRIVADO)... 5 1.3 NOVA LEI HOMENAGEIA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

Certificado Digital - Pessoa Jurídica. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS DA PESSOA JURÍDICA (CNPJ A ou CNPJ A3)

Certificado Digital - Pessoa Jurídica. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS DA PESSOA JURÍDICA (CNPJ A ou CNPJ A3) Certificado Digital - Pessoa Jurídica DOCUMENTOS NECESSÁRIOS DA PESSOA JURÍDICA (CNPJ A ou CNPJ A3) Além dos documentos da Pessoa Jurídica, são necessários, também, dois documentos de identificação do

Leia mais

CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS EAD. DISCIPLINA: Direito Civil. PROFESSORES: Reyvani Jabour

CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS EAD. DISCIPLINA: Direito Civil. PROFESSORES: Reyvani Jabour CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS EAD DISCIPLINA: Direito Civil PROFESSORES: Reyvani Jabour Nome: Nº de Identidade: Reescreva a frase: Atesto para os devidos fins

Leia mais

Direito Notarial e Registral - Atos notariais

Direito Notarial e Registral - Atos notariais Direito Notarial e Registral - Atos notariais 2016 Prof. Dr. Ivanildo Figueiredo Doutor e Mestre em Direito Privado (UFPE) Especialista em Direito Registral Imobiliário (PUC-MG) Professor da Faculdade

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 CONSOLIDADO ALTERADO PELO DECRETO: 16753 DOE Nº 1977, de 17.05.12 Dispõe sobre a exclusão do Simples Nacional.

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE 2007 - DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA Alterado pela PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 - DOU DE 22/01/2010 Dispõe sobre a prova

Leia mais

Setor de Certidão da Corregedoria Geral de Justiça.

Setor de Certidão da Corregedoria Geral de Justiça. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P. TJAM 47 Setor de Certidão da Corregedoria. Elaborado por: Roberto

Leia mais

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL Aspectos Relevantes 1 2 Introdução O presente trabalho não tem o intuito de exaurir o tema, haja vista sua extensão e as particularidades de cada caso,

Leia mais

Cópia de RG e CPF dos Sócios Termo de Ciência (Declaração e Requerimento preenchidos,

Cópia de RG e CPF dos Sócios Termo de Ciência (Declaração e Requerimento preenchidos, VISTORIA PREVIA Requerimento Preenchido e Assinado pelo representante legal da empresa Declaração a próprio punho informando o ramo de atividade Guia de IPTU ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO (INÍCIO DE ATIVIDADE)

Leia mais

Informações! h.) A Administradora poderá solicitar outros documentos, os quais não constam abaixo, se necessário. A cota deverá estar em dia.

Informações! h.) A Administradora poderá solicitar outros documentos, os quais não constam abaixo, se necessário. A cota deverá estar em dia. Informações! Segue abaixo algumas informações importantes, para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada para

Leia mais

ACÓRDÃO. Edson Ferreira relator Assinatura Eletrônica

ACÓRDÃO. Edson Ferreira relator Assinatura Eletrônica fls. 2 Registro: 2016.0000093444 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 9000006-66.2013.8.26.0269, da Comarca de Itapetininga, em que são apelantes ESPÓLIO DE ULISSES TURELLI

Leia mais

DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL E DA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL CAPÍTULO I DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL

DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL E DA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL CAPÍTULO I DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL Em virtude do novo Código de Processo Civil (Lei 13.105, de 16.3.15, que entrará em vigor em 17.3.16, passará a vigorar as novas disposições sobre a Competência Internacional, conforme os artigos abaixo

Leia mais

Inscrição Bolsa de Estudo - Lei /09

Inscrição Bolsa de Estudo - Lei /09 Inscrição Bolsa de Estudo - Lei 12.101/09 Nome do Aluno Nome do Pai Nome da Mãe Turma/Série Data Nascimento Data Nascimento Data Nascimento Endereço N Bairro Telefones INFORMAÇÕES GERAIS Você recebeu Bolsa

Leia mais

ALGUNS ASPECTOS QUE DIFERENCIAM A UNIÃO ESTÁVEL DO CASAMENTO

ALGUNS ASPECTOS QUE DIFERENCIAM A UNIÃO ESTÁVEL DO CASAMENTO ALGUNS ASPECTOS QUE DIFERENCIAM A UNIÃO ESTÁVEL DO CASAMENTO José Ricardo Afonso Mota: Titular do Ofício do Registro Civil e Tabelionato de Notas da cidade de Bom Jesus do Amparo (MG) A união estável,

Leia mais

2.1 Somente o pedido protocolizado ENTRE 03 de JUNHO e 30 de JUNHO DE 2015, no horário de 8 às 18 horas, será considerado habilitado.

2.1 Somente o pedido protocolizado ENTRE 03 de JUNHO e 30 de JUNHO DE 2015, no horário de 8 às 18 horas, será considerado habilitado. EDITAL 01/2015 Conforme art. 97, 8º, III, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; Lei Estadual nº 19.407, de 30 de dezembro de 2010; Decreto Estadual nº 45.317, de 5 de março de 2010 e Resolução-Conjunta

Leia mais

LEI Nº 11.441/07: SEPARAÇÃO, DIVÓRCIO, INVENTÁRIO E PARTILHA EXTRAJUDICIAIS.

LEI Nº 11.441/07: SEPARAÇÃO, DIVÓRCIO, INVENTÁRIO E PARTILHA EXTRAJUDICIAIS. LEI Nº 11.441/07: SEPARAÇÃO, DIVÓRCIO, INVENTÁRIO E PARTILHA EXTRAJUDICIAIS. 1 Cíntia Cecília Pellegrini Graduanda do 9º semestre matutino do curso de Direito do CEUNSP Salto. Artigo elaborado no curso

Leia mais

DA DOCUMENTAÇÃO. Documentos do Fiador deverão ser entregues somente no Agente Financeiro (Banco). DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

DA DOCUMENTAÇÃO. Documentos do Fiador deverão ser entregues somente no Agente Financeiro (Banco). DOCUMENTOS NECESSÁRIOS DA DOCUMENTAÇÃO Prazo para entrega da documentação após inscrição realizada: Após a conclusão da inscrição no Fies, o estudante deverá: I. Validar suas informações na Comissão Permanente de Supervisão

Leia mais

Programa Universidade Para Todos- ProUni Processo Seletivo ProUni para 2012/1

Programa Universidade Para Todos- ProUni Processo Seletivo ProUni para 2012/1 FAHESA- Faculdade de Ciências Humanas Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC- Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Programa Universidade Para Todos- ProUni Processo Seletivo ProUni para 2012/1

Leia mais