28 DICAS PARA ESCREVER BEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "28 DICAS PARA ESCREVER BEM"

Transcrição

1 1 28 DICAS PARA ESCREVER BEM 1. Vc. Deve evitar abrev., etc. 2. Desnecessário faz-se empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado, segundo deve ser do conhecimento inexorável dos copidesques. Tal prática advém de esmero excessivo que beira o exibicionismo narcisístico. 3. Anule aliterações altamente abusivas. 4. não esqueça das maiúsculas, como já dizia dona loreta, professora lá no colégio alexandre de gusmão, no ipiranga. 5. Evite lugares-comuns assim como o diabo foge da cruz. 6. Uso de parênteses (mesmo quando for relevante) é desnecessário. 7. Estrangeirismo estão out; palavras de origem portuguesa estão in. 8. Chute o balde no emprego de gíria, mesmo que sejam maneiras, tá ligado? 9. Palavras de baixo calão podem transformar seu texto numa m?r?d?. 10. Nunca generalize: generalizar, em todas as situações, sempre é um erro. 11. Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida. 12. Não abuse das citações. Como costuma dizer meu amigo: Quem cita os outros não tem idéias próprias. 13. Frases incompletas podem causar 14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez. Em outras palavras, não fique repetindo a mesma idéia. 15. Seja mais ou menos específico. 16. Frases com apenas uma palavra? Jamais! 17. A voz passiva deve ser evitada. 18. Use a pontuação corretamente o ponto e a vírgula especialmente será que ninguém sabe usar o sinal de interrogação 19. Quem precisa de perguntas retóricas? 20. Conforme recomenda a A. G. O. P., nunca use siglas desconhecidas. 21. Exagerar é cem bilhões de vezes pior do que a moderação. 22. Evite mesóclises. Repita comigo: mesóclises: evitá-las-ei! 23. Analogias na escrita são úteis quanto chifres numa galinha. 24. Não abuse das exclamações! Nunca! Seu texto fica horrível! 25. Evite frases exageradamente longas, pois estas dificultam a compreensão de idéia contida nelas, e, concomitantemente, por conterem mais de uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçando, desta forma, o pobre leitor a separá-la em seus componentes diversos, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas. 26. Coidado com há hortografia, para não estrupar a língüa portugêza. 27. ESCREVER SEMPRE COM LETRAS MAÍSCULAS DEIXA SEU TEXTO COM UMA APARÊNCIA TERRÍVEL. 28. Seja incisivo e coerente, ou não.

2 2 Só escreve bem quem lê bem. Teste sua leitura TESTE - CENTRO DE ESTUDOS E NORMAS PEDAGÓGICAS (CEENP) (Adaptado) 1. Escreva o teu primeiro nome neste quadrado: 2. Existe 7 de setembro em Portugal? 3. Alguns meses têm 30 dias e outros 31. Quantos têm 28? 4. Um médico disse para você tomar 3 comprimidos, 1 a cada meia hora. Depois de quanto tempo você acabaria de tomar os comprimidos? 5. Em certo lugar do mundo existem 3 ilhas com 3 palmeiras. Cada uma deu um coco. Quantos cocos você colherá em cada ilha? 6. Havia 7 peixes em um aquário. 2 peixes morreram. Quantos ficaram no aquário? 7. Você achou uma caixa de fósforos com apenas 1 palito e você está em um quarto escuro e frio. No quarto existe um lampião, um fogão e uma lareira. O que você acende primeiro? 8. Quantos animais de cada espécie Moisés colocou na arca? 9. A capital dos Estados Unidos deve ser escrita Nova Iorque ou New York? 10. Você está dirigindo um ônibus que vai de São Paulo à Bahia. Por conta de um defeito no motor, você é obrigado a fazer uma parada em Campos, no Rio de Janeiro, outra em Vitória, no Espírito Santo e mais duas em Minas Gerais, antes de finalmente chegar a Salvador. Qual era o nome do motorista do ônibus?

3 3 COERÊNCIA TEXTUAL Conceito de coerência Segundo o Dicionário Aurélio, a coerência é a ligação ou harmonia entre situações, acontecimentos ou idéias; relação harmônica; conexão, nexo, lógica. Isso significa que a coerência está diretamente ligada à possibilidade de se estabelecer um sentido para o texto, seguindo o critério da nãocontradição. Num documento obtido na Internet, cujo título é Gafes de Jornais, encontram-se, entre outras, as frases abaixo. Leia-as atentamente. Coleção de frases publicadas em alguns jornais do Rio nos últimos meses. 1. Apesar da meteorologia estar em grave, o tempo esfriou ontem intensamente. (O Globo) 2. Os sete artistas compõem um trio de talento. (Extra) 3. A vítima foi estrangulada a golpes de facão. (O dia) 4. O acidente foi no triste e célebre Retângulo das Bermudas. (Extra) 5. O tribunal, após breve deliberação, foi condenado a um mês de prisão. (O Dia) 6. A nova terapia traz esperanças a todos os que morreram de câncer a cada ano. (Jornal do Brasil) 7. O velho reformado, antes de apertar o pescoço da mulher até a morte, se suicidou. (O Dia) 8. A polícia e a justiça são as duas mãos de um mesmo braço. (Extra) 9. Depois de algum tempo, a água corrente foi instalada no cemitério, para a satisfação dos habitantes. (Jornal do Brasil) 10. No corredor do hospital psiquiátrico os doentes corriam como loucos. (O Dia) 11. Ela contraiu a doença na época que ainda estava viva. (Jornal do Brasil) 12. Parece que ela foi morta pelo seu assassino. (Extra) 13. Ferido no joelho, ele perdeu a cabeça. (O Dia) O sucesso dessas frases na rede se deve ao fato de que elas são incoerentes. EXERCÍCIO Reescreva as frases acima, tornando-as coerentes.

4 4 A COESÃO TEXTUAL O processo de coesão possui forte responsabilidade na construção de unidades verbais significativas Os expedientes relacionais, conectivos, os operadores argumentativos não são apenas partículas de ligação, mas executam também funções coesivas diferenciadas: levam à conclusão, à adversão e instauram procedimentos de causa e conseqüência. A estas observações cabe agregar o fato de que os mecanismos coesivos podem realizar-se em contextos verbais mais amplos, por exemplo: por força semântica, por recorrências lexicais, por estratégias de substituição de enunciados. Vamos apontar aqui alguns destes mecanismos. Coesão por elipse O empresariado continua reclamando diminuição de impostos, retração do Estado e liberdade de mercado. Ao mesmo tempo, faz lobby para impedir que as tarifas de importação caiam e busca a reintrodução de subsídios. Ao passar-se da primeira sentença O empresariado (...) liberdade de mercado para a segunda, omitiu-se a palavra empresariado: Ao mesmo tempo, (o empresariado) faz lobby para impedir que as tarifas de importação caiam e (o empresariado) busca a reintrodução de subsídios. Neste caso estamos diante de um procedimento que pode ser chamado de coesão por elipse. Ë que o termo posto no enunciado A (empresário) possui tal força semântica que sua presença, por estar subentendida foi dispensada em B. Coesão por referência A coesão por referência pode ser obtida pelo uso de pronomes pessoais, possessivos e demonstrativos, advérbios de lugar, artigos definidos. Outros exemplos: Diminuíra a agitação da praça. Cortavam-na os últimos retardatários. A minha filha Sílvia gosta de música. Ela quer aprender a tocar piano. Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil são grandes músicos. Suas carreiras iniciaram-se praticamente ao mesmo tempo. O recurso à coesão por referência é também uma forma de evitar repetições desnecessárias, imprimindo ao enunciado maior elegância expressiva. -

5 5 Coesão pelo léxico Ruy Barbosa estava no acaso de sua vida pública e na véspera de sua morte, que se daria em Era naquele momento o grande cabeça nacional, o gênio da oratória. (Otto Lara Resende) Pode-se formular a seguinte equação: Ruy Barbosa = grande cabeça nacional; Ruy Barbosa = o gênio da oratória. Quer dizer, estamos diante de substituições, quase sempre metonímicas, que não comprometem o sentido por vincularem nomes e situações a sinônimos conhecidos. Pelé foi o maior jogador do mundo. O rei do futebol levou o Santos a grandes conquistas... São Paulo é uma grande cidade. A capital dos paulistas possui quase quinze milhões de habitantes. Ayrton Senna devolveu com palavrões todas as injustiças que sofreu. O vencedor profissional da F1 é agora um homem aliviado. (Folha de S. Paulo. 21/10/91) Exercícios 1) Que termos gerais poderiam substituir as palavras a seguir na evolução de um texto? a) Martelo b) Garoupa c) Liqüidificador d) Romance e) Metalúrgico f) 789 g) Ouro h) Sala i) Chevrolet j) Comédia 2) Complete as lacunas das frases a seguir com palavras de conteúdo geral, de modo a evitar a repetição idêntica dos termos anteriores em destaque. a) Os apartamentos funcionais dos militares não são vendidos. A justificativa para a manutenção das é a grande movimentação da vida militar. b) O novo prazo de financiamento de automóveis procura reanimar a indústria de, paralisada desde o anúncio do plano.

6 6 c) Dizem que a maconha diminui a fertilidade masculina. Um cientista declarou que o uso da produz a redução do número de espermatozóides. 3) Um outro processo para evitar a repetição idêntica de uma palavra no texto é a substituição por um sinônimo ou quase sinônimo. Preencha as lacunas das frases a seguir com sinônimos das palavras em destaque. a) Toda a imprensa italiana parou ontem, em uma greve sem precedentes no país. A está sendo promovida pelo sindicato da categoria. b) Quando chegaram, os bombeiros encontraram o prédio em ruínas, mas ainda puderam retirar uma vítima dos. c) Entre os adolescentes, as mortes ligadas a causas externas aumentaram de quarenta e dois para cinqüenta por cento do total de. d) O prefeito de Itaguaí demitiu cinqüenta e dois por cento dos funcionários do município: de 2297 ficaram apenas e) Muitos ingressos serão colocados à venda, no carnaval, mas uma pequena parte dos se destina a convidados. 4) O pronome relativo também é usado para evitar repetições de palavras. Una as duas frases a seguir com o auxílio de um pronome relativo, de modo a evitar a repetição. a) Gostei do novo romance de Lígia Fagundes Telles. Comprei o novo romance na livraria da esquina. b) Morei durante muito tempo em Botafogo. Em Botafogo fui feliz. c) Comprei uma camisa de seda no Eldorado. O preço da camisa foi baixo. d) Gosto muito de feijoada. As carnes da feijoada são saborosas.

7 7 Os sinais de pontuação A língua escrita apresenta muitas diferenças em relação a língua falada. Na fala, podemos contar com uma série de recursos para dar eficácia à mensagem, tais como gestos, tom da voz, expressão facial, entoação, etc. Enfim, quando falamos, nossa mensagem vem reforçada por inúmeros recursos que não temos quando escrevemos. Para tentar reproduzir na escrita os recursos de que dispomos na fala, contamos com uma série de sinais gráficos denominados sinais de pontuação. Os sinais de pontuação servem para marcar pausas (a vírgula, o ponto-e-vírgula, o ponto) ou a melodia da frase (o ponto de exclamação, o ponto de interrogação, etc.). O emprego dos sinais de pontuação não é somente marcado por regras. Existem também razões de ordem subjetiva, ou de estilo, que determinam a pontuação de um texto. A seguir, apresentamos algumas orientações sobre o assunto. Vírgula A vírgula é um sinal de pontuação que marca uma pausa de curta duração e serve para separa termos de uma oração, ou orações de um período. A ordem normal dos termos na frase é a seguinte: sujeito, verbo, complementos. Essa ordem é chamada de ordem natural ou ordem direta. Quando dispomos a frase em ordem direta, não separamos seus termos imediatos. Assim, não pode haver vírgula entre o sujeito e o verbo, nem entre o verbo e seu complemento, quando a oração se apresentar em ordem direta, como no exemplo abaixo: Os indignados réus mostravam suas razões para as autoridades de forma firme. A obscenidade existe e está bem diante de nossas caras. É o racismo, a discriminação sexual, o ódio, a ignorância, a miséria. Tem alguma coisa mais obscena na guerra? Madonna A vírgula está separando vários núcleos de predicado da oração. Utilizamos a vírgula quando a ordem direta é rompida. Isso ocorre basicamente em dois casos: Quando intercalamos alguma palavra ou expressão entre os termos imediatos, quebrando a seqüência natural da frase. Os indignados réus, muitas vezes, mostravam suas razões para as autoridades de forma firme. O que o galhofista queria é que eu, coronel de ânimo desenfreado, fosse para o barro denegrir a farda e deslustrar a patente. quando algum termo (sobretudo o complemento) vier deslocado de seu natural na frase. De forma firme, os indignados réus mostravam suas razões para as autoridades. Em presença de tal apelação, mais brabento apareceu a peste Ponto-e-vírgula O ponto-e-vírgula marca pausa maior que a da vírgula, porém menor que a do ponto. Justamente por ser um sinal intermediário entre a vírgula e o ponto, fica difícil sistematizar seu emprego. Entretanto há algumas normas para sua atualização.

8 8 Utilizamos ponto-e-vírgula para separar orações coordenadas que já apresentem vírgula em seu interior, ou que tenham certa extensão, ou ainda que se contrabalancem em força expressiva. Nunca use ponto-e-vírgula dentro de uma oração. Lembre-se: ele só pode estar separando uma oração de outra. Com razão, aquelas pessoas, muitas vezes, reivindicavam seus direitos; porém os insensíveis burocratas, em tempo algum, deram atenção a elas. Os espelhos são usados para ver o rosto; a arte, para ver a alma. (Bernard Shaw) Muitos se esforçam; poucos conseguem. Uns trabalham; outros descansam. Dois-pontos Os dois-pontos marcam uma sensível suspensão da melodia da frase. São utilizados quando se vai iniciar uma seqüência que explica, identifica, discrimina ou desenvolve uma idéia anterior, ou quando se quer dar início a fala ou citação de outrem. Observe: Descobri a grande razão da minha vida: você. Já dizia o poeta: Deus dá o frio conforme o cobertor. Aspas As aspas devem ser utilizadas para isolar citação textual colhida a outrem, palavra ou expressões que não pertençam à língua culta (gírias, estrangeirismos, neologismos, etc.). Diz Thomas Mann em A montanha mágica: Todo caminho que trilhamos pela primeira vez é muito mais longo e difícil do que o mesmo caminho quando já o conhecemos. O Rapaz ficou grilado com o resultado da prova. Morava num flat onde havia play-ground. Travessão O travessão serve para indicar que alguém fala de viva voz (discurso direto). Seu emprego é constante em textos narrativos em que personagens dialogam. Leia o texto abaixo: - Salve! - Como é que vai? - Amigo, há quanto tempo... Podem-se usar dois travessões para substituir duas vírgulas, que separam termos intercalados sobretudo quando se quer dar-lhes ênfase. Pelé o maior jogador de futebol de todos os tempos hoje é um bem-sucedido empresário. Reticências As reticências marcam uma interrupção da seqüência lógica do enunciado, com a conseqüente suspensão da melodia da frase. É utilizada para permitir que o leitor complemente o pensamento que ficou suspenso. Nas dissertações objetivas evite as reticências. A clareza na exposição é preferível a esperar que leitor adivinhe o que você quis dizer.

9 9 Exercícios 1- Um homem rico estava muito mal. Pediu papel e pena. Escreveu assim: Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava ele a fortuna? Eram quatro concorrentes. Pontue o testamento da maneira com a qual cada um dos aspirantes à fortuna o fez. 2- Pontue corretamente o texto abaixo: Planos de Cameron ameaçam continuação de O Exterminador do Futuro Uma das mais duradouras novelas hollywoodianas sai ou não sai um terceiro filme da série O Exterminador do Futuro se depender dos produtores Andrew Vajna e Mario Kaassar sai eles acabam de comprar da produtora Gale Anne Hurd que havia feito o filme original com seu então marido James Cameron os direitos do personagem além disso Arnold Schwarzenegger necessitadíssimo de um sucesso topa um novo filme mas com uma condição o diretor tem de ser James Cameron só que o Rei do Mundo já avisou que não está interessado seu atual projeto de estimação é um longa cheio de estrelas sobre as origens do Homem-Aranha cujos primeiros esboços de roteiro ele já havia escrito mesmo antes do Titanic Ana Maria Bahia

PORTUGUÊS EFICIENTE. Prof. Matheus Gustavo

PORTUGUÊS EFICIENTE. Prof. Matheus Gustavo PORTUGUÊS EFICIENTE Prof. Matheus Gustavo 10 Dicas simples do que NÃO FAZER em uma REDAÇÃO 1 FUGA DO TEMA Fugir ao tema solicitado pela prova é motivo para invalidar o texto, a FUVEST, por exemplo, informa

Leia mais

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula!

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! Bete Masini A pontuação é, sem dúvida, um dos principais elementos coesivos do nosso texto. Certamente, não podemos crer no que muitos já falaram (e ainda falam):

Leia mais

Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO

Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO Olá, assistiu ao filme sugerido na aula passada?? Espero que tenha gostado, pois ele é um clássico do cinema. Quanto mais lemos percebemos que temos muito ainda para

Leia mais

Indica pausa prolongada; usado no final de frases declarativas e imperativas. Indica uma pergunta; usado no final de frase interrogativa direta.

Indica pausa prolongada; usado no final de frases declarativas e imperativas. Indica uma pergunta; usado no final de frase interrogativa direta. Objetivos: Empregar a pontuação adequadamente; Definir o uso correto da pontuação nas frases; Reconhecer os sinais de pontuação; Identificar as regras da pontuação em contextos diversos; Aplicar o conteúdo

Leia mais

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO 1 Q236899 Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Português Assuntos: 6. Interpretação

Leia mais

Engenharia Cartográfica Comunicação e Expressão. Maria Cecilia Bonato Brandalize 2015 1º Semestre

Engenharia Cartográfica Comunicação e Expressão. Maria Cecilia Bonato Brandalize 2015 1º Semestre Engenharia Cartográfica Comunicação e Expressão Maria Cecilia Bonato Brandalize 2015 1º Semestre O que é? São sinais gráficos empregados na língua escrita com o intuito de recuperar recursos específicos

Leia mais

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa 01. Alternativa (E) Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa Alternativa que contém palavras grafadas de acordo com o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa - VOLP 02. Alternativa

Leia mais

Língua Portuguesa 9º ano

Língua Portuguesa 9º ano Língua Portuguesa 9º ano Conteúdos por unidade didática 1º Período A - Comunicação Oral.. Intencionalidade comunicativa. Adequação comunicativa: Ideia geral. Ideias principais. Ideias secundárias. Informação

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 11 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

O resumo Se procurares num dicionário o verbo resumir encontrarás uma definição semelhante a esta: dizer em poucas palavras o que se disse ou escreveu mais extensivamente; condensar. Sendo uma forma de

Leia mais

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP Singular-Anglo Vestibulares Professora Natália Sanches Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. Retirado do site oficial do vestibular. FUVEST e UNESP Na correção, três

Leia mais

Guia de redação do site Ação Jovem LBV

Guia de redação do site Ação Jovem LBV Guia de redação do site Ação Jovem LBV Criado com a intenção de reunir princípios editorias e de estilo que tornem uniforme a linguagem do site, este guia condensa instruções gerais para quem quer redigir

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA LOGOTIPO MACMILLAN BRASIL Utilização colorido; preto/branco e negativo Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que

Leia mais

Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira

Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira 1º CURSO DE REDAÇÃO Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira Programa de Educação Tutorial Ciência, Tecnologia e Inovação Grupo PET- CTI pet-grupocti@ufabc.edu.br GRUPO

Leia mais

Dicas: texto mais claro e objetivo

Dicas: texto mais claro e objetivo Nome: Redação 3º º ano Dicas: texto mais claro e objetivo Nº: Mérope Turma: Abr/09 DICAS PARA TORNAR O SEU TEXTO MAIS CLARO E OBJETIVO Use palavras que seu leitor reconheça instantaneamente. As mais fáceis

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA Nome: Nº 8º Data / / Professor: Nota: A INTRODUÇÃO Agora, você terá a oportunidade de recuperar os conteúdos do ano por meio de um roteiro de estudo. Leia

Leia mais

UFPR 2014-2015. Língua Portuguesa. Resolução: Resolução:

UFPR 2014-2015. Língua Portuguesa. Resolução: Resolução: Língua Portuguesa UFPR 2014-2015 19 - Ao fazer o elogio à democracia, o autor aponta, também, defeitos do regime. Tendo isso em vista, considere as seguintes afirmativas: 1. A democracia apresenta grandes

Leia mais

Novo Programa de Português do Ensino Básico

Novo Programa de Português do Ensino Básico Novo Programa de Português do Ensino Básico No dia-a-dia, deparamos frequentemente com textos/discursos que nos chamam a atenção um pouco por todo o lado. Mas que nos dizem esses textos/discursos? O que

Leia mais

Curso: Fundamental II Disciplina: Língua Professor: Virgilio

Curso: Fundamental II Disciplina: Língua Professor: Virgilio Nome do aluno: Nº: Turma: 8º anos A, B, C, D, E Curso: Fundamental II Disciplina: Língua Professor: Virgilio Portuguesa Bimestre: Tipo de atividade: Atividades de revisão Data: / /2009 3º bimestre Objetivo:

Leia mais

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2.

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2. EXPRESSÃO ESCRITA Sejam bem-vindos à segunda videoaula de Expressão Escrita. Sou a Maj Anna Luiza professora de Português da Seção de Idiomas da ECEME. Esta aula se destina a você, aluno do CP/ECEME e

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS. 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS. 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio I ORIENTAÇÕES GERAIS a) As famílias que desejarem conhecer a Escola e inscrever seus filhos para o processo

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

REDAÇÃO PARA VESTIBULAR

REDAÇÃO PARA VESTIBULAR REDAÇÃO PARA VESTIBULAR A principal técnica de redação utilizada é sem dúvida a dissertação. Na realidade nós fazemos dissertação todos os nossos dias, quando procuramos soluções para nossos problemas,

Leia mais

PRINCÍPIOS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS COM AUXÍLIO DO POWERPOINT

PRINCÍPIOS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS COM AUXÍLIO DO POWERPOINT Universidade do Estado da Bahia Monitoria de Física Geral e Experimental I PRINCÍPIOS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS COM AUXÍLIO DO POWERPOINT Victor Mendes Lopes 1.0 Design Simples, moderno ou

Leia mais

Metas Curriculares de Português

Metas Curriculares de Português Metas Curriculares de Português Ensino Básico 3.º Ciclo O domínio da ESCRITA Helena C. Buescu, Maria Regina Rocha, Violante F. Magalhães Objetivos e Descritores de Desempenho Escrita 7.º Ano Objetivos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE LÍNGUA PORTUGUESA 1. ano - 1. volume UNIDADE 1 Símbolos Letras do alfabeto UNIDADE 2 Alfabeto (vogais e consoantes) Crachá Letras do próprio nome, do nome do professor e dos colegas

Leia mais

Escrita Eficiente sem Plágio

Escrita Eficiente sem Plágio Escrita Eficiente sem Plágio Produza textos originais com qualidade e em tempo recorde Ana Lopes Revisão Rosana Rogeri Segunda Edição 2013 Direitos de cópia O conteúdo deste livro eletrônico tem direitos

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS DO 2º CICLO

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS DO 2º CICLO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS-2ºCICLO (PROVA ESCRITA) 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico de Inglês,

Leia mais

Profª. Luciana Oliveira metodologia.oliveira@gmail.com. Projeto de pesquisa. Colaboradores: Prof. Dr. José Roberto R. Pinto Leonardo Silva Oliveira

Profª. Luciana Oliveira metodologia.oliveira@gmail.com. Projeto de pesquisa. Colaboradores: Prof. Dr. José Roberto R. Pinto Leonardo Silva Oliveira METODOLOGIA CIENTÍFICA Profª. Luciana Oliveira metodologia.oliveira@gmail.com Projeto de pesquisa. Colaboradores: Prof. Dr. José Roberto R. Pinto Leonardo Silva Oliveira O QUE PESQUISAR? A pesquisa só

Leia mais

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216 O EMPREGO GRAMATICAL NO LIVRO DIDÁTICO Desiree Bueno TIBÚRCIO (G-UENP/campus Jac.) desiree_skotbu@hotmail.com Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (orientadora-uenp/campus Jac.) marilucia.ss@uol.com.br

Leia mais

SEMINÁRIO TEOLÓGICO COMO ELABORAR ESBOÇOS DE SERMÕES

SEMINÁRIO TEOLÓGICO COMO ELABORAR ESBOÇOS DE SERMÕES SEMINÁRIO TEOLÓGICO Prof. Herbert A. Pereira LOCAL Igreja Evangélica Deus Todo Poderoso Rua Schoroeder, 410 Jardim Santa Maria Guarulhos - SP. COMO ELABORAR ESBOÇOS DE SERMÕES Os esboços de pregação não

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE Comunicação Oral e Escrita Unidade 11 Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 2 Aviso importante! Este material foi produzido

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 2015 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

A jornada do herói. A Jornada do Herói

A jornada do herói. A Jornada do Herói A Jornada do Herói Artigo de Albert Paul Dahoui Joseph Campbell lançou um livro chamado O herói de mil faces. A primeira publicação foi em 1949, sendo o resultado de um longo e minucioso trabalho que Campbell

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Questões Objetivas

LÍNGUA PORTUGUESA Questões Objetivas LÍNGUA PORTUGUESA Questões Objetivas As questões 1 a 7 referem-se ao texto 1. Texto 1 NÃO HÁ ESTRANHOS, APENAS AMIGOS. Susan Andrews Revista Época, 17 de setembro de 2007. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Leia mais

COMO ESCREVER UM BOM ARTIGO Stephen Kanitz (Revista Veja)

COMO ESCREVER UM BOM ARTIGO Stephen Kanitz (Revista Veja) COMO ESCREVER UM BOM ARTIGO Stephen Kanitz (Revista Veja) Escrever um bom artigo é bem mais fácil do que a maioria das pessoas pensa. No meu caso, português foi sempre a minha pior matéria. Meu professor

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL O processo de sondagem Colégio Sion busca detectar, no aluno, pré-requisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente no ano pretendido. As disciplinas de Língua Portuguesa e são os

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 9 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Responda às questões 1, 2 e 3, após a leitura de um fragmento do texto Homem no mar, de Rubem Braga. De minha varanda vejo,

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 A INTERCULTURALIDADE E SEUS REFLEXOS NA PRODUÇÃO DE TEXTOS DE ALUNOS DESCENDENTES DE POMERANOS Tatiani Ramos (UFES) tateletras@yahoo.com.br INTRODUÇÃO Segundo Costa Val (1997), o texto é uma unidade de

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 AQUISIÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA

Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 AQUISIÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/proletr/fasciculo_port.pdf Antônio Augusto Gomes Batista Ceris S. Ribas Silva Maria das Graças de Castro Bregunci Maria

Leia mais

Edital Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos 2008/2009

Edital Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos 2008/2009 Edital Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos 2008/2009 1. Curso Encontram-se abertas inscrições para a realização das provas especiais de acesso e ingresso nos

Leia mais

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS PORTUGUÊS PARA CONCURSOS Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética Fonema Letra Sílaba Número de sílabas Tonicidade Posição da sílaba tônica Dígrafos Encontros consonantais Encontros vocálicos Capítulo 2

Leia mais

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto JANELA A U L A 7 Tal pai, tal filho Cenatexto Acabada a assembléia da comunidade de Júpiter da Serra, em que se discutiu a expansão da mineradora, dona Ana volta para casa com o Samuel, seu garotinho.

Leia mais

Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora. Formadora: Dra. Gabriela Castanheira

Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora. Formadora: Dra. Gabriela Castanheira Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora Formadora: Dra. Gabriela Castanheira SEQUÊNCIA DIDÁCTICA 5º ANO ROTEIRO Ana Maria da Fonseca Rocha Julho

Leia mais

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias Competências.Adquirir conhecimentos sobre a cultura e civilização Anglo- Americana numa perspectiva intercultural. - Aprofundar o conhecimento da realidade Portuguesa através do confronto com aspectos

Leia mais

Observe a imagem e responda, em seu caderno, às perguntas a seguir: Crédito: Ken Chu/Divulgação

Observe a imagem e responda, em seu caderno, às perguntas a seguir: Crédito: Ken Chu/Divulgação Atividade I Observe a imagem e responda, em seu caderno, às perguntas a seguir: Crédito: Ken Chu/Divulgação Cena da peça teatral Depois de tudo, de Franz Keppler. Direção: Flávio Faustinoni. 1 Responda

Leia mais

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária A arte da apresentação oral de trabalhos científicos Como se comportar durante a apresentação de um pôster em um evento científico? Fobia Social ou Timidez??? (Medo excessivo contato ou exposição social)

Leia mais

Conteúdos: O anúncio. Recursos para redução e ampliação de texto.

Conteúdos: O anúncio. Recursos para redução e ampliação de texto. Conteúdos: O anúncio. Recursos para redução e ampliação de texto. Habilidades: - Compreender as funções do texto descritivo usado no gênero anúncio. - Identificar estratégias persuasivas, argumentativas

Leia mais

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013 4ºano 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA 3º período 30 de agosto de 2013 Cuide da organização da sua avaliação, escreva de forma legível, fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado

Leia mais

Período composto por subordinação

Período composto por subordinação Período composto por subordinação GRAMÁTICA MAIO 2015 Na aula anterior Período composto por coordenação: conjunto de orações independentes Período composto por subordinação: conjunto no qual um oração

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui opasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfgh jklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbn Treinamento de Oratória

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui opasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfgh jklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbn Treinamento de Oratória qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui opasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfgh jklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbn Treinamento de Oratória mqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty - MG uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdf

Leia mais

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada wwwconcurseirosocialnet PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA Questões numeradas de 01 a 15 INSTRUÇÃO: Leia, com atenção, o texto abaixo e responda

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

APRESENTANDO TRABALHOS NA JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA Unifebe. Profª Heloisa Helena

APRESENTANDO TRABALHOS NA JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA Unifebe. Profª Heloisa Helena APRESENTANDO TRABALHOS NA JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA Unifebe Profª Heloisa Helena SOBRE A JORNADA A Jornada de Iniciação Científica é um evento permanente da Unifebe e se constitui em uma ação

Leia mais

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: Língua Por ortuguesa T ata: D 13/8/09 Você já pensou no significado da palavra conviver? Assim como cada pessoa tem suas características físicas, cada um tem também

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 Segundo Semestre

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 Segundo Semestre EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 Segundo Semestre O Diretor Geral da Faculdade Capital Federal, credenciada pela Portaria MEC no. 596 de 18 de junho de 2015 e publicada no Diário Oficial da União em 19 de

Leia mais

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH,

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH, BORBA, Valquíria C. Machado. Resenha de Cohesion in English, de Halliday & Hassan. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL. V. 4, n. 6, março de 2006. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. RESENHA DE

Leia mais

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARIPE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO PROGRAMA LUZ DO SABER INFANTIL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR:

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 2º ENSINO MÉDIO

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 2º ENSINO MÉDIO LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 2º ENSINO MÉDIO Leia a charge a seguir e responda as questões 01, 02 e 03 propostas. Disponível em: .

Leia mais

OS MECANISMOS DE COESÃO EM CAMPANHAS DE SAÚDE

OS MECANISMOS DE COESÃO EM CAMPANHAS DE SAÚDE OS MECANISMOS DE COESÃO EM CAMPANHAS DE SAÚDE Kleiton Cassemiro do Nascimento¹ DLLEM / UFRN Kleitoncass@gmail.com RESUMO Este trabalho tem como objetivo fazer uma análise dos mecanismos de coesão adotados

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral Módulo Geral CONCURSO: Ministério do Trabalho e Emprego CARGO: Auditor-Fiscal do Trabalho PROFESSOR: Pablo Jamilk Este curso é protegido por direitos autorais (copyright), nos termos da Lei n.º 9.610/1998,

Leia mais

É a pior forma de despotismo: Eu não te faço mal, mas, se quisesse, fazia

É a pior forma de despotismo: Eu não te faço mal, mas, se quisesse, fazia Entrevista a Carlos Amaral Dias É a pior forma de despotismo: Eu não te faço mal, mas, se quisesse, fazia Andreia Sanches 04/05/2014 O politicamente correcto implica pensar que a praxe é uma coisa horrível.

Leia mais

5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a)

5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a) 5º Ano Roteiro Semanal de Atividades de Casa (13 a 17 de Maio 2013) NA TEIA DA ARANHA Resolva as operações, pinte a trilha que o resultado seja 67 e descubra o inseto que caiu na teia da aranha. O inseto

Leia mais

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura)

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) 4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA LEITURA A

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo TIPO F P-1 tipo D-5 Língua Portuguesa (P-1) Ensino Fundamental 5º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avaliar o desempenho dos alunos

Leia mais

CURSO INTENSIVO MÓDULO 19 PONTUAÇÃO

CURSO INTENSIVO MÓDULO 19 PONTUAÇÃO FRASES FRAGMENTADAS 1)... aborrecido, dificultando, assim,... 2)... costas. Isso resultaria, assim,... 3)... gíria. Ela divide... 4) Coisas assim estão na TV... 5)... competitividade. As agências... 6)...

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Básico Informação Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS (LE I) Prova escrita e oral Prova 21 2015 do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016 PRIMEIRO SEMESTRE

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016 PRIMEIRO SEMESTRE EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016 PRIMEIRO SEMESTRE O Diretor Geral da Faculdade MELIES de Tecnologia, credenciada pela Portaria MEC Número 1.018, de 5 de dezembro de 2014 e publicada no Diário Oficial

Leia mais

Matriz de Língua Portuguesa de 3ª série - Ensino Médio Comentários sobre os Tópicos e Descritores Exemplos de itens

Matriz de Língua Portuguesa de 3ª série - Ensino Médio Comentários sobre os Tópicos e Descritores Exemplos de itens Matriz de Língua Portuguesa de 3ª série - Ensino Médio Comentários sobre os Tópicos e Descritores Exemplos de itens TÓPICO V RELAÇÃO ENTRE RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO O uso de recursos expressivos

Leia mais

Ano Letivo de 2011/2012

Ano Letivo de 2011/2012 Ano Letivo de 2011/2012 MATRZ DO EXAME DE EQUVALÊNCA À FREQUÊNCA Disciplina de: inglês Ciclo: 2º Duração da Prova: Escrita 90 minutos Época de junho/julho e época de setembro Competências/Objetivos Aprendizagens

Leia mais

Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas

Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas Neste texto, vamos delinear o que se espera do participante do ENEM na situação específica de produção de textos. Para isso, nada melhor

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: UMA IDEIA TODA AZUL Um dia o Rei teve uma ideia. Era a primeira da vida

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 06, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Leia mais

PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA...

PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA... Sumário PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA... 3 1.1. Fonema...3 1.2. Classificação dos fonemas...4 1.3. Encontros vocálicos...5 1.4. Encontros consonantais...5 1.5. Dígrafos...6 1.6. Dífono...7 1.7.

Leia mais

Seja qual for a natureza de um trabalho científico, ele precisa preencher algumas características para ser considerado como tal:

Seja qual for a natureza de um trabalho científico, ele precisa preencher algumas características para ser considerado como tal: Princípios Gerais Seja qual for a natureza de um trabalho científico, ele precisa preencher algumas características para ser considerado como tal: Assim, um estudo é realmente científico quando: 1. discute

Leia mais

Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, na redação atual. Regulamento de Exames.

Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, na redação atual. Regulamento de Exames. Disciplina Francês II Código: 16 Informação - Prova de Equivalência à Frequência 2014/2015 Francês II Código da prova: 16 9º Ano de Escolaridade / 3º ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012, de

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com base no texto 1. TEXTO 1

LÍNGUA PORTUGUESA. INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com base no texto 1. TEXTO 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra. Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE

Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra. Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE Agrupamento de Escolas do Búzio Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra Português 11ºano Ficha Informativa sobre PUBLICIDADE A. PUBLICIDADE A publicidade é o ato de divulgar um produto ou uma ideia com o

Leia mais

VISÃO GERAL DOS CONTEÚDOS 3ª CLASSE 4ª CLASSE 5ª CLASSE

VISÃO GERAL DOS CONTEÚDOS 3ª CLASSE 4ª CLASSE 5ª CLASSE VISÃO GERAL DOS CONTEÚDOS 19 Família : - a minha história A família: - tipos de família - membros da família e suas funções - regras de convivência na família - a minha infância A família do meu amigo,

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de Aulas de Língua Portuguesa Produção de uma Fotonovela 1. Nível de

Leia mais

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e escritos à maneira adequada do padrão da língua materna;

Leia mais

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data:

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: Listagem Conteúdos: 6º ano ensino fundamental Morfologia Fonética

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015 PRIMEIRO SEMESTRE

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015 PRIMEIRO SEMESTRE EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015 PRIMEIRO SEMESTRE O Diretor Geral da Faculdade MELIES de Tecnologia, credenciada pela Portaria MEC Número 1.018, de 5 de dezembro de 2014 e publicada no Diário Oficial

Leia mais

Equipe de Língua Portuguesa Ensino Fundamental

Equipe de Língua Portuguesa Ensino Fundamental Equipe de Língua Portuguesa Ensino Fundamental Figuras de linguagem As caracterizações ampliam a visão do leitor e, para tal, é possível que o emissor utilize vocabulário figurado a fim de trazer o leitor

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ALEMÃO, FRANCÊS, INGLÊS LE I 1º, 2º e 3º CICLOS Direcção Regional da Educação e Formação 2011 Metas de Aprendizagem para as Línguas Estrangeiras Alemão,

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS 201 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de de julho)» INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

Normas da ABNT para referências bibliográficas

Normas da ABNT para referências bibliográficas 1) Grifos Normas da ABNT para referências bibliográficas " " (aspas): apenas para metáforas, transcrições e CITAÇÕES; negrito: somente para títulos de capítulos, tópicos, tabelas e gráficos; sublinhado:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL REBECCA TAVARES DE MELO TOSCANO DE BRITO (UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA). Resumo Nos dias atuais a prática da leitura está se tornando cada vez mais rara

Leia mais

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio 1. Substitua as palavras destacadas e copie as frases, tornando os fragmentos abaixo mais elegantes, além de mais próximos à língua padrão e à proposta

Leia mais

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 358 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Formação Específica Anual 12.º Ano (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

1. Agrupa as palavras segundo o número de sílabas e distribui-as pelo quadro, conforme o exemplo.

1. Agrupa as palavras segundo o número de sílabas e distribui-as pelo quadro, conforme o exemplo. 1. Agrupa as palavras segundo o número de sílabas e distribui-as pelo quadro, conforme o exemplo. computador mesa livraria órgão lápis bolo pá Monossílabos Dissílabos Polissílabos 2. Separa as sílabas

Leia mais