ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS"

Transcrição

1 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 53 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS 3º TRIMESTRE DE - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO Apresentamos a habitual análise da evolução do mercado dos combustíveis rodoviários no 3º trimestre de, comparando-o com o trimestre anterior e o trimestre homólogo. O objetivo é proporcionar a todos os interessados uma informação factual baseada em dados públicos e que ajude a uma melhor compreensão deste mercado. Após a publicação desta Informação sobre Cotações e Preços para os combustíveis rodoviários, seguir-se-á a Informação sobre os Volumes de Vendas e a Informação sobre o GPL, logo que estejam disponíveis os dados necessários. Apresentamos a evolução das cotações internacionais do crude, da gasolina 95, do gasóleo rodoviário e da taxa de câmbio /USD, bem como dos preços médios antes de impostos (PMAI) e dos preços médios de venda ao público (PMVP), da gasolina 95, do gasóleo rodoviário e do GPL Auto. Apresentamos a estrutura dos preços médios de venda ao público em Portugal dos combustíveis rodoviários. Realizamos ainda uma análise comparativa do preço dos combustíveis rodoviários em Portugal relativamente aos praticados em Espanha e na média da zona Euro. Finalizamos com uma breve síntese das conclusões. Os valores indicados para cada semana são, no caso das cotações, os valores médios da anterior, e no caso dos preços, os valores referentes à segunda-feira indicada. Adotámos este critério porque os preços refletem, em geral, a média das cotações da semana anterior. Os preços semanais considerados em são de 06/07/ a 28/12/ e os preços semanais considerados em são de 04/01/ a 26/09/. Outubro de 1/11

2 COTAÇÕES E PREÇOS Como se pode verificar na Figura 1, no 3º trimestre de assistimos a uma descida das cotações do brent até ao final de agosto, seguida de uma subida no início de setembro. No 2º trimestre de, as cotações do brent assumiram uma tendência de subida. Já no 3º trimestre de verificou-se uma descida das cotações até meio de agosto, tendo-se registado uma ligeira subida daí em diante, analogamente ao sucedido no período homólogo º MID Brent - USD/Bbl vs MID Brent - /Bbl 3º a 3º 2º 3º Fonte: Referências Internacionais da Galp USD/Bbl /Bbl Figura 1 Variação das cotações do Brent. Nos mercados internacionais as cotações usam o Dólar americano. Como se pode verificar na Figura 2 constatamos que a taxa de câmbio se manteve instável, observando-se uma subida no 3º trimestre de, e uma pequena descida no 2º trimestre de. No 3º trimestre de verificou-se que as variações tiveram menor amplitude. 1,25 1,21 3º Variação semanal do Euro vs USDolar 3º Trimetre a 3º 2º 3º 1,17 1,13 1,09 1,05 Fonte: Referências Internacionais da Galp Figura 2 Variação do Euro versus Dólar americano. Outubro de 2/11

3 Nas Figura 3 efigura 4 percebe-se claramente que a evolução dos PMAI e dos PMVP da gasolina 95 e do gasóleo rodoviário acompanharam a evolução das cotações dos produtos refinados. 1,6 1,4 Gasolina 95 Cotação, Preço Médio Antes de (PMAI) e Preço Médio de Venda ao Público (PMVP) 3º a 3º 3º 2º 3º 1,2 1,0 0,8 0,6 0,4 0,2 0,0 Fonte: Referências internacionais da Galp; Oil Bulletin UE Cotação PMAI PMVP Figura 3 Variação PMAI e PMVP da Gasolina 95. 1,6 1,4 Gasóleo Rodoviário Cotação, Preço Médio Antes de (PMAI) e Preço Médio de Venda ao Público (PMVP) 3º a 3º 3º 2º 3º 1,2 1,0 0,8 0,6 0,4 0,2 0,0 Fonte: Referências internacionais da Galp; Oil Bulletin UE Cotação PMAI PMVP Figura 4 Variação PMAI e PMVP do Gasóleo Rodoviário. Outubro de 3/11

4 Quando comparamos os valores médios trimestrais das cotações dos produtos, como se mostra no Quadro 1, verificamos que se registou uma diminuição generalizada face ao trimestre homólogo excepto no propano, enquanto que, comparativamente com o trimestre anterior houve um aumento em todos os produtos excepto na gasolina 95. Cotação - Quadro 1 Cotações dos Produtos 3º 2º 3º Variação Homólogo (%) Variação Anterior (%) Brent 0,288 0,251 0,259-10,3 3,1 Gasolina 95 0,405 0,340 0,317-21,8-6,8 Gasóleo Rodoviário 0,377 0,309 0,314-16,7 1,7 Propano* (*base do GPL Auto) 0,125 0,129 0,150 20,0 16,5 No Quadro 2, a variação dos PMAI e dos PMVP da gasolina 95, esteve em linha com a das cotações, registando-se uma diminuição relativamente ao trimestre homólogo e ao trimestre anterior. Os preços do gasóleo rodoviário, comparando com o trimestre homólogo, também estiveram em linha com a descida das cotações. No que se refere ao trimestre anterior, apesar do aumento da cotação e do PMAI, o PMVP deste produto diminuiu. No GPL Auto, apesar do aumento das cotações relativamente ao trimestre anterior e homólogo, os preços deste produto desceram em ambos os trimestres. Preço - Quadro 2 Preços Médios Antes de e Preços Médios de Venda ao Público 3º 2º 3º Variação Homólogo (%) Variação Anterior (%) PMAI Gasolina 95 0,578 0,467 0,446-22,8-4,6 PMVP Gasolina 95 1,471 1,407 1,374-6,6-2,3 PMAI Gasóleo Rodoviário 0,566 0,466 0,467-17,4 0,3 PMVP Gasóleo Rodoviário 1,190 1,140 1,135-4,6-0,4 PMAI GPL Auto 0,333 0,302 0,299-10,4-1,0 PMVP GPL Auto 0,577 0,541 0,537-6,9-0,7 As variações percentuais nos PMAI e nos PMVP são naturalmente inferiores que as variações nas cotações, devido aos valores fixos dos outros componentes do preço, nomeadamente o ISP. Outubro de 4/11

5 ESTRUTURA DE PREÇOS Nas Figura 5 efigura 6 apresentam-se a estrutura do PMVP da gasolina 95 e do gasóleo rodoviário no período em análise. Na Figura 7 e na Figura 8 mostra-se a contribuição dos vários componentes da estrutura de preços na variação do PMVP médio da gasolina 95 e do gasóleo rodoviário, no 3º trimestre de e no trimestre anterior. Em relação ao trimestre homólogo, no 3º trimestre de o PMVP da gasolina 95 foi inferior em 9,7 c/l e o do gasóleo rodoviário em 5 c/l. Em relação ao trimestre anterior, o PMVP da gasolina 95 desceu cerca de 3,3 c/l e o do gasóleo rodoviário reduziu 0,5 c/l (ver Figura 7 efigura 8). Os custos da atividade de Armazenagem, Distribuição e Comercialização da gasolina 95 desceram cerca de 0,1 c/l, no 3º trimestre de, relativamente ao trimestre anterior. Verificou-se também um aumento de cerca de 0,1 c/l do custo de incorporação dos biocombustíveis nesse trimestre em relação ao trimestre anterior. A carga fiscal também diminuiu, cerca 0,5 c/l no ISP e 0,6 c/l no IVA. Em relação ao gasóleo rodoviário a cotação aumentou 0,5 c/l e os custos de incorporação do biocombustível sofreram um aumento de 0,1 c/l no 2º trimestre de relativamente ao anterior. As restantes componentes do preço desceram, relativamente ao trimestre anterior em cerca 0,5 c/l nos custos da atividade de Armazenagem, Distribuição e Comercialização e no ISP e 0,1 c/l no IVA. A descida da componente relativa ao ISP sofreu uma redução em ambos os produtos devido à alteração legislativa ocorrida a 12 de Maio deste ano. Outubro de 5/11

6 Gasolina 95 1,75 1,50 1,471 1,407 1,374 1,25 0,275 0,263 0,257 1,00 0,75 0,618 41,99% 60,69% 66,72% 0,676 0,671 48,02% 48,84% 67,54% 0,25 0,00 0,153 0,019 10,43% 0,015 0,113 1,31% 0,115 1,03% 8,06% 0,014 8,33% 1,05% 0,405 27,57% 0,340 0,317 23,08% 24,19% 3º 2º 3º Fonte: Ref. Galp e DGEG Cotação Biocomb. ADC ISP IVA Figura 5 Estrutura do PMVP da Gasolina 95. Gasóleo Rodoviário 1,25 1,190 1,140 1,140 1,00 0,75 0,223 0,402 33,77% 0,213 0,212 52,47% 59,09% 0,460 0,456 40,39% 40,16% 58,85% 0,154 12,92% 0,035 0,117 0,111 2,96% 0,041 10,24% 0,042 9,82% 3,61% 3,62% 0,25 0,377 31,65% 0,309 0,314 27,07% 27,65% 0,00 3º 2º 3º Cotação Biocomb. ADC ISP IVA Fonte: Ref. Galp e DGEG Figura 6 Estrutura do PMVP do Gasóleo Rodoviário. Outubro de 6/11

7 /l Comparação PMVP Gasolina 95 2º trimestre - 3º trimestre 1,600 1,400 0,023 0,001 0,001 0,005 0,006 1,200 1,407 1,374 1,000 PMVP 2º tri Cotação Biocombustível ADC ISP IVA PMVP 3º tri Figura 7 Contribuição dos diferentes componentes do PMVP da Gasolina 95. /l 1,200 Comparação PMVP Gasóleo Rodoviário 2º trimestre - 3º trimestre 0,005 0,001 0,005 0,005 0,001 1,100 1,140 1,135 1,000 PMVP 2º tri Cotação Biocombustível ADC ISP IVA PMVP 3º tri Figura 8 Contribuição dos diferentes componentes do PMVP da Gasolina Rodoviário. No caso do GPL Auto, Figura 9, o PMVP no 3º trimestre de diminuiu 0,4 c/l em relação ao trimestre anterior, essencialmente devido à descida dos custos de Armazenagem, Distribuição e Comercialização (cerca de 2 c/l) e do IVA em cerca de 0,1 c/l. Pela análise da Figura 9, verifica-se que houve um aumento da cotação de 1,7 c/l). Em termos de ISP não houve alteração relativamente ao trimestre anterior. Outubro de 7/11

8 GPL Auto 0,75 0,577 0,108 0,136 23,53% 43,23% 0,541 0,537 0,101 0,100 44,23% 0,138 0,138 25,53% 25,72% 44,42% 0,25 0,208 0,168 0,148 36,04% 31,15% 27,58% 0,00 0,125 0,133 0,150 21,72% 24,62% 28,00% 3º 2º 3º Fonte: Ref. Galp e DGEG Cotação ADC ISP IVA Figura 9 Estrutura do PMVP do GPL Auto. /l 0,6 Comparação PMVP - GPL Auto 2º trimestre - 3º trimestre 0,017 0,020 0,000 0,001 0,5 0,541 0,537 0,4 PMVP 2º tri Cotação ADC ISP IVA PMVP 3º tri Figura 10 Contribuição dos diferentes componentes do PMVP do GPL Auto. Outubro de 8/11

9 COMPARAÇÃO DE PREÇOS NA UNIÃO EUROPEIA Da Figura 11 à Figura 14 mostram-se os PMAI e os PMVP da gasolina 95 e do gasóleo rodoviário para Portugal, Espanha e a média dos 19 países da zona Euro no 3º trimestre de. Em relação ao PMAI da gasolina 95, Portugal apresentou em média, preços 4,3 c/l abaixo da média de Espanha e cerca de 0,7 c/l abaixo da média da Zona Euro. No gasóleo rodoviário, os preços estão cerca de 1,7 c/l acima da média da Zona Euro e cerca de 1,7 c/l abaixo dos de Espanha. Quanto aos PMVP, Portugal apresentou em média para a gasolina 95 preços 4,8 c/l acima da média da Zona Euro e 22,3 c/l acima dos praticados em Espanha. No caso do gasóleo rodoviário, em relação à zona euro, os valores estão acima cerca de 1,6 c/l, em média. Em relação a Espanha os valores estão acima cerca de 10,8 c/l, também em valores médios. 0,60 0,55 0,45 Variação do PMAI da Gasolina 95 no 3º trimestre Portugal, Espanha e Média Zona Euro 1,50 1,40 1,30 Variação do PMVP da Gasolina 95 no 3º trimestre Portugal, Espanha e Média Zona Euro 0,40 1,20 0,35 0,30 0,25 0,20 1,10 1,00 0,90 Fonte: Oil Bulletin da CE; DGEG Espanha Portugal Média Euro 19 países Figura 11 Fonte: Oil Bulletin da CE; DGEG Espanha Portugal Média Euro 19 países Figura 12 0,60 0,55 Variação do PMAI do Gasóleo no 3º trimestre Portugal, Espanha e Média Zona Euro 1,50 1,40 Variação do PMVP do Gasóleo no 3º trimestre Portugal, Espanha e Média Zona Euro 0,45 1,30 0,40 0,35 0,30 0,25 1,20 1,10 1,00 0,20 0,90 Fonte: Oil Bulletin da CE; DGEG Espanha Portugal Média Euro 19 países Espanha Portugal Média Euro 19 países Fonte: Oil Bulletin da CE; DGEG Figura 13 Figura 14 Outubro de 9/11

10 Nas Figura 15 e Figura 16 mostram-se os PMAI e PMVP do GPL Auto para Portugal, Espanha e a média dos 19 países da Zona Euro. Em média, Portugal apresenta PMAI abaixo da média da Zona euro (3,2 c/l) e abaixo dos de Espanha (18,5 c/l). Quanto aos PMVP, em relação à média da Zona euro Portugal apresenta, em média, preços 2,5 c/l acima e comparativamente com Espanha, apresenta preços abaixo em cerca de 8,8 c/l. 0,80 PMAI GPL Auto em Portugal, Espanha e Média Zona Euro 3º 0,80 PMVP GPL Auto em Portugal, Espanha e Média Zona Euro 3º 0,70 0,70 0,60 0,60 0,40 0,40 0,30 0,30 0,20 0,20 Fonte: Oil Bulletin da CE; Espanha Portugal Média Euro 19 países Fonte: Oil Bulletin da CE; Espanha Portugal Média Euro 19 países Figura 15 Figura 16 Outubro de 10/11

11 CONCLUSÕES De acordo com a informação apresentada, conclui-se que: Em termos médios, no 3º trimestre de assistimos a uma descida das cotações do brent até ao final de agosto, seguida de uma subida no início de setembro. No 2º trimestre de, as cotações do brent assumiram uma tendência de subida. Já no 3º trimestre de verificou-se uma descida das cotações até meio de agosto, tendo-se registado uma ligeira subida daí em diante, analogamente ao sucedido no período homólogo. O elemento com maior peso no preço final de venda ao público da gasolina 95 e do gasóleo rodoviário permanece a carga fiscal: no 3º trimestre de representou, em média, cerca de 67% na gasolina 95 e 59% no gasóleo rodoviário (ligeira descida devido à redução do ISP (cerca de 0,5 c/l nos combustíveis líquidos). O IVA desceu em todos os produtos (cerca de 0,1 c/l no gasóleo rodoviário e no GPL Auto e cerca de 0,5 c/l na gasolina 95). O valor dos custos de incorporação de biocombustível não sofreu alteração significativa. O GPL Auto apresenta uma distribuição mais equitativa entre o peso de cada um dos componentes do preço, havendo a registar a subida da cotação relativamente ao trimestre anterior, embora os preços tenham descido. No 3º trimestre de a variação dos custos de ADC face ao trimestre anterior, foi de menos 0,5 c/l no gasóleo e de 0,2 c/l no GPL Auto, e na gasolina aumentou 0,1 c/l. Em valores médios do trimestre e em relação à média da zona Euro, o PMAI da gasolina 95 apresentou-se 0,7 c/l abaixo e o PMAI do gasóleo rodoviário 1,7 c/l acima. Em valores médios do trimestre e comparativamente com Espanha, o PMAI da gasolina 95 é inferior em 4,3 c/l e o PMAI do gasóleo rodoviário inferior em 1,7 c/l. Os PMVP praticados em Portugal, comparativamente com os da média da zona Euro, são em média superiores em 4,8c/l para a gasolina 95 e 1,6 c/l para o gasóleo. Comparando com Espanha, os PMVP são em média superiores em 22,3 c/l no caso da gasolina 95 e 10,8 c/l no caso do gasóleo rodoviário, claro resultado de uma carga fiscal muito superior em Portugal. No caso do GPL Auto, e em média, Portugal apresenta PMAI abaixo da média da Zona euro (3,2 c/l) e abaixo dos de Espanha (18,5 c/l). Quanto aos PMVP, em relação à média da Zona euro Portugal apresenta, em média, preços 2,5 c/l acima e comparativamente com Espanha, apresenta preços abaixo em cerca de 8,8 c/l. Voltamos a recordar que, tal como refere a Comissão Europeia, deve existir alguma reserva nesta comparação porque o reporte dos preços não é uniforme e o nível de incorporação de biocombustíveis, tal como o seu tratamento fiscal, também não é igual para todos os países. Outubro de 11/11

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 49 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS 2º TRIMESTRE DE - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 66 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS TRIMESTRE DE - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO Apresentamos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 59 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS TRIMESTRE DE - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO Apresentamos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 46 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS 1º TRIMESTRE DE 2016 - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS nas i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação nº43: Evolução do mercado dos produtos petrolíferos em 2015 Cotações e Preços Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS nas i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 3º Trimestre 2015 Cotações e Preços Introdução Como habitualmente, apresentamos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS S i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 2º Trimestre 2015 Cotações e Preços Introdução Como habitualmente, apresentamos uma

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS S i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 3º Trimestre de Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da evolução

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS S i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos em 2014 Cotações e Preços Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS S i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 1º Trimestre 2015 Cotações e Preços Introdução Como habitualmente, apresentamos uma

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS S i ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 2º Trimestre de Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da evolução

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Milhares ton ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Introdução Esta Informação pretende fazer uma análise, ainda que sumária, da evolução do mercado dos combustíveis rodoviários em Portugal no

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Evolução dos preços dos combustíveis rodoviários no 1º trimestre de 2012 Introdução No 1º trimestre de 2012 assistiu-se a uma escalada de preços dos combustíveis

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 1º Trimestre de 2014 Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da evolução

Leia mais

Mercado dos Combustíveis em Portugal. António Comprido Secretário-Geral

Mercado dos Combustíveis em Portugal. António Comprido Secretário-Geral Mercado dos Combustíveis em Portugal António Comprido Secretário-Geral Produtos Petrolíferos e Sustentabilidade 18 de outubro 2016 Agenda A cadeia de valor Evolução do consumo Fiscalidade Formação dos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Análise do Mercado dos Produtos Petrolíferos em 2011 Introdução O preço dos combustíveis é um tema sempre presente na nossa sociedade, que afeta todos os

Leia mais

Comissão de Economia e Obras Públicas Audição sobre a evolução do preço dos combustíveis em Portugal

Comissão de Economia e Obras Públicas Audição sobre a evolução do preço dos combustíveis em Portugal Comissão de Economia e Obras Públicas Audição sobre a evolução do preço dos combustíveis em Portugal Lisboa, 27 de janeiro de 2015 Principais mensagens (1/2) 1 2 3 4 5 6 7 8 Para efeitos de esclarecimento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos combustíveis rodoviários no 1º Trimestre de 2013 Introdução O objetivo desta informação é analisar a evolução do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre o mercado dos produtos petrolíferos em 2013 Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da evolução do mercado dos combustíveis

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2016

estatísticas rápidas - nº julho de 2016 estatísticas rápidas - nº 133 - julho de 216 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2017

estatísticas rápidas - nº julho de 2017 estatísticas rápidas - nº 145 - julho de 217 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. I Trimestre de 2012

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. I Trimestre de 2012 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO I Trimestre de 2012 Junho de 2012 Índice Sumário Executivo... 2 1. A venda de petróleo bruto... 4 1.1. Procura e oferta

Leia mais

Evolução dos Preços dos Combustíveis MAOTE

Evolução dos Preços dos Combustíveis MAOTE Evolução dos Preços dos Combustíveis MAOTE Janeiro de 2015 Evolução dos preços dos combustíveis em Portugal Continental Preços dos Combustíveis em Portugal Continental ( /l e /kg) GPL Propano ( /kg) GPL

Leia mais

estatísticas rápidas - nº maio de 2016

estatísticas rápidas - nº maio de 2016 estatísticas rápidas - nº 131 - maio de 216 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2014

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2014 estatísticas rápidas - nº 115 - dezembro de 214 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

estatísticas rápidas - junho de 2012 Nº 86

estatísticas rápidas - junho de 2012 Nº 86 estatísticas rápidas - junho de 212 Nº 86 1/16 Índice A. Resumo B. Consumo de Combustíveis no Mercado Interno C. Consumo e preços de Derivados do Petróleo no Mercado Interno C1. Consumos Globais C2. Gasolina

Leia mais

estatísticas rápidas - nº novembro de 2013

estatísticas rápidas - nº novembro de 2013 estatísticas rápidas - nº 12 - novembro de 213 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2015

estatísticas rápidas - nº julho de 2015 estatísticas rápidas - nº 122 - julho de 215 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2013

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2013 estatísticas rápidas - nº 13 - dezembro de 213 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal

Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal Nº 8 SETEMBRO 05 Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal SUMÁRIO 1. Desde o início de 2005, tem-se assistido a uma escalada dos preços do crude que tem causado grande apreensão

Leia mais

Concluíram-se dois terços do primeiro ano da liberalização total dos preços dos combustíveis em Portugal.

Concluíram-se dois terços do primeiro ano da liberalização total dos preços dos combustíveis em Portugal. N º 2 9 - S e t e m b r o 2 0 0 4 Concluíram-se dois terços do primeiro ano da liberalização total dos preços dos combustíveis em Portugal. Apesar da abundante informação disponibilizada sobre a crise

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. II Trimestre de 2010

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. II Trimestre de 2010 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO II Trimestre de 2010 Setembro de 2010 Acompanhamento dos Mercados de Combustíveis Combustíveis Líquidos e Gás Engarrafado

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. IV Trimestre de 2009

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. IV Trimestre de 2009 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO IV Trimestre de 2009 Março de 2010 Acompanhamento dos Mercados de Combustíveis Acompanhamento Combustíveis Líquidos

Leia mais

Preços dos combustíveis em Portugal continuam a ser superiores aos preços médios da U.E.15 1

Preços dos combustíveis em Portugal continuam a ser superiores aos preços médios da U.E.15 1 1 PORQUE RAZÃO A GALP TEM LUCROS TÃO ELEVADOS? Os portugueses tiveram de pagar em mais 125,7 milhões só pelo facto dos preços dos combustíveis em Portugal serem superiores aos preços médios da U.E.15 RESUMO

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. I Trimestre de 2008

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. I Trimestre de 2008 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO I Trimestre de 2008 Junho de 2008 Acompanhamento dos Mercados de Combustíveis Combustíveis Acompanhamento Líquidos Mercados

Leia mais

Nº 7. Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal SUMÁRIO

Nº 7. Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal SUMÁRIO Nº 7 Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal MAIIO SUMÁRIO 1. Durante o primeiro trimestre de 2005, mais concretamente, com base em dados de 3 de Janeiro e de 28 de Março, os preços

Leia mais

Portugal: mercados de combustíveis líquidos

Portugal: mercados de combustíveis líquidos Portugal: mercados de combustíveis líquidos Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Apresentação à Comissão Economia e Finanças em 12/5/2004 Mercado internacional do petróleo Refinação

Leia mais

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro.

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro. Mar-04 Mar-05 Mar-06 Mar-07 Mar-08 Mar-09 Mar-10 Mar-11 Mar-12 Análise de Conjuntura Abril 2014 Indicador de Sentimento Económico Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República aumentam em dezembro Os anúncios de concursos publicados durante o mês de dezembro de 217 aumentaram relativamente ao mês

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2014 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA Nº 31 abril 2015 Índice 1. Sumário Executivo 2. Mercados Petrolíferos 2.1 Preços 2.2 Origens do Petróleo Bruto 3. Saldo Importador 4. Importação de Produtos Energéticos

Leia mais

Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal

Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal Nº 5 DEZEMBRO Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal SUMÁRIO 1. Desde Janeiro e até ao final de Novembro, os preços médios de venda ao público (PMVP), em Portugal, da gasolina

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República e de contratos publicados no portal BASE continua a aumentar em Março Em termos homólogos, em março de 217 foram publicados

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República aumenta 8,3% relativamente a período homólogo, mas o número de contratos comunicados ao Portal BASE diminui 9,6% Os anúncios

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República aumenta em outubro assim como o número de contratos publicados no portal BASE (relativamente a período homólogo) Em outubro

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2012 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA N.º 29 Abril 2013 L i s b o a, 3 d e M a i o d e 2 0 1 1 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2012 Índice 1. Sumário Executivo... 2 2. Mercados Petrolíferos: Preços... 3 2.1 Mercados

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República e de contratos publicados no portal BASE aumenta em Maio Em maio de 217 foram publicados mais 335 anúncios que no mês anterior,

Leia mais

O imposto sobre produtos petrolíferos (ISP) é um componente com um peso muito significativo no preço dos combustíveis.

O imposto sobre produtos petrolíferos (ISP) é um componente com um peso muito significativo no preço dos combustíveis. N º 3 7 - A b r i l 2 0 0 6 Terminado o 1º trimestre do ano, e tendo-se continuado a escrever e a falar tanto sobre o preço do petróleo, dos produtos petrolíferos e da fiscalidade dos mesmos, valerá a

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República e de contratos publicados no Portal BASE aumentam em Janeiro Em janeiro de 217 foram publicados 924 anúncios, o que representou

Leia mais

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2005 Direcção-Geral de Geologia e Energia Ministério da Economia e da Inovação Nº. 21 - Abril de 2006 SUMÁRIO A FACTURA ENERGÉTICA SÍNTESE IMPORTAÇÃO/(RE)EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2016 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA Nº 33 abril 2017 (página em branco) Índice 1. Sumário Executivo 2. Mercados Petrolíferos 2.1 Preços 2.2 Origens do Petróleo Bruto 3. Saldo Importador 4. Importação de

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal outubro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade

Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade Lisboa, 18 de Outubro de 2016 A ENMC possui responsabilidades em quarto áreas de atuação, sendo uma delas a área

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 02 fevereiro 2017

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 02 fevereiro 2017 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 02 fevereiro 2017 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL. II Trimestre de 2013

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL. II Trimestre de 2013 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL II Trimestre de 2013 Setembro de 2013 1 / 85 Índice Sumário Executivo... 3 1. A venda de petróleo bruto... 6 1.1.

Leia mais

Mercado dos Combustíveis em Portugal

Mercado dos Combustíveis em Portugal Mercado dos Combustíveis em Portugal António Comprido Secretário-Geral 1 Agenda Organização e funcionamento Evolução do consumo dos combustíveis em Portugal Formação de preços 2 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DO MERCADO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. II Trimestre de 2006

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DO MERCADO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. II Trimestre de 2006 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DO MERCADO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO II Trimestre de 2006 Setembro de 2006 Acompanhamento gfgdfgfdf do Mercado dos Combustíveis Combustíveis Líquidos e Gás

Leia mais

Análise da Receita Fiscal dos Combustíveis em 2016

Análise da Receita Fiscal dos Combustíveis em 2016 UNIDADE TÉCNICA DE APOIO ORÇAMENTAL ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA UTAO INFORMAÇÃO TÉCNICA n.º 10/2017 Análise da Receita Fiscal dos Combustíveis em 2016 11.04.2017 Ficha técnica A análise efetuada é da exclusiva

Leia mais

GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 251 MILHÕES EM 2011, MENOS 18% QUE EM 2010

GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 251 MILHÕES EM 2011, MENOS 18% QUE EM 2010 GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 251 MILHÕES EM 2011, MENOS 18% QUE EM 2010 A produção working interest de crude e de gás natural em 2011 foi de 20,8 mboepd, dos quais 19% no Brasil; A margem

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal

Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal Nº 6 Acompanhamento do mercado dos combustíveis líquidos em Portugal JJANEIIRO SUMÁRIO 1. Desde Janeiro e até ao final de Dezembro de 2004, os preços médios de venda ao público (PMVP), em Portugal, da

Leia mais

Relatório Intercalar sobre os Sectores dos Combustíveis Líquidos e do Gás Engarrafado em Portugal

Relatório Intercalar sobre os Sectores dos Combustíveis Líquidos e do Gás Engarrafado em Portugal Relatório Intercalar sobre os Sectores dos Combustíveis Líquidos e do Gás Engarrafado em Portugal 16 de Dezembro de 2008 Sumário Executivo A Autoridade da Concorrência (AdC) tem vindo a acompanhar com

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

Lucros extraordinários da GALP aumentaram 228,6 % no 1º trimestre de 2008 Pág. 1

Lucros extraordinários da GALP aumentaram 228,6 % no 1º trimestre de 2008 Pág. 1 Lucros extraordinários da GALP aumentaram 228,6 % no 1º trimestre de 2008 Pág. 1 A GALP acabou de apresentar publicamente as contas referentes ao 1º Trimestre de 2008. E numa altura em que são exigidos

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

CIP - Europa Laboral em Síntese

CIP - Europa Laboral em Síntese CIP - Europa Laboral em Síntese Nº 5 janeiro de 2015 DESTAQUES Relatório sobre o emprego e desenvolvimentos sociais na Europa (2014) A Comissão Europeia publicou, em janeiro, o seu relatório sobre o emprego

Leia mais

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Análise de Conjuntura Janeiro 2014 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico manteve em Dezembro, a tendência de melhoria

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. I Trimestre de 2009

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO. I Trimestre de 2009 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E GÁS ENGARRAFADO I Trimestre de 2009 Agosto de 2009 Acompanhamento dos Mercados de Combustíveis Combustíveis Acompanhamento Líquidos

Leia mais

RESULTADOS 9 MESES DE 2009

RESULTADOS 9 MESES DE 2009 RESULTADOS 9 MESES DE 2009 11 DE NOVEMBRO DE 2009 MANUEL FERREIRA DE OLIVEIRA Do sucesso para novos desafios ENVOLVENTE DE MERCADO Resultados dos 9 meses de 2009 RECESSÃO ECONÓMICA AFECTA DRIVERS DE RESULTADOS

Leia mais

Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em 2016

Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em 2016 Empresas em Portugal 28-28 de setembro de 217 Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em Em, assistiu-se à melhoria generalizada dos principais indicadores das empresas não financeiras.

Leia mais

Relatório 1º Trimestre

Relatório 1º Trimestre [Escreva aqui] Estatísticas: 2º Trimestre Atividade do Jogo Relatório 1º Trimestre 4 Volume de jogo do bingo corresponde à totalidade da receita bruta da venda de cartões de jogo do bingo. Em casinos,

Leia mais

http://www.anacom.pt/template15.jsp?categoryid=57929 ÍNDICE 1. SUMÁRIO... 1 2. OBJECTIVO...2 3. ENQUADRAMENTO REGULAMENTAR... 3 4. EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO CORREIO AZUL E CORREIO NORMAL... 5 4.1 METODOLOGIA...

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2008

EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2008 EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE DE Os resultados líquidos consolidados ascendem a 119 milhões de euros O Exploração (EBITDA) recorrente ascendeu a 259 milhões de euros. O Resultado Líquido recorrente

Leia mais

Informação à comunicação social

Informação à comunicação social RESULTADOS DOZE MESES 2014 PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E REFINAÇÃO IMPULSIONAM RESULTADOS DA GALP ENERGIA A produção total (working interest) de petróleo e gás natural em 2014 aumentou 24% para 30,5 mil barris

Leia mais

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011 RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011 A crescer com a exploração e produção ÍNDICE Sumário executivo... 3 Principais indicadores... 4 Bases de apresentação da informação... 5 Envolvente

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República e de contratos publicados no Portal BASE aumentam em novembro Em novembro foram publicados mais 182 anúncios de concursos

Leia mais

REGULAMENTO DO MECANISMO DE CÁLCULO E PUBLICAÇÃO DE PREÇOS DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DO MECANISMO DE CÁLCULO E PUBLICAÇÃO DE PREÇOS DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DO MECANISMO DE CÁLCULO E PUBLICAÇÃO DE PREÇOS DE REFERÊNCIA PROPOSTO EM JUNHO DE 2016 Índice Capítulo I - Disposições e princípios gerais 3 Artigo 1.º Objeto 3 Artigo 2.º Âmbito 3 Artigo 3.º

Leia mais

1. Movimento de Passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento de passageiros por país de origem

1. Movimento de Passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento de passageiros por país de origem 1. Movimento de Passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento de passageiros por país de origem 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Aumento da produção de petróleo e gás no Brasil suporta resultados

Aumento da produção de petróleo e gás no Brasil suporta resultados Resultados do 1º trimestre de 2017 Aumento da produção de petróleo e gás no Brasil suporta resultados A produção total (working interest) de petróleo e gás natural foi de 88 kboepd, um aumento de 56% face

Leia mais

GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 75 MILHÕES, MAIS 51,5% QUE NO PERÍODO HOMÓLOGO, COM BONS DESEMPENHOS DE TODOS OS SEGMENTOS DE NEGÓCIO

GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 75 MILHÕES, MAIS 51,5% QUE NO PERÍODO HOMÓLOGO, COM BONS DESEMPENHOS DE TODOS OS SEGMENTOS DE NEGÓCIO RESULTADOS 1º TRIMESTRE DE 2013 GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 75 MILHÕES, MAIS 51,5% QUE NO PERÍODO HOMÓLOGO, COM BONS DESEMPENHOS DE TODOS OS SEGMENTOS DE NEGÓCIO A produção working interest

Leia mais

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2007 Direcção-Geral de Energia e Geologia Ministério da Economia e da Inovação Nº. 23 - Abril de 2008 SUMÁRIO A FACTURA ENERGÉTICA SÍNTESE IMPORTAÇÃO/(RE)EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República e de contratos publicados no Portal BASE aumentam relativamente a período homólogo (dezembro 215) Os anúncios de concursos

Leia mais

RESULTADOS PRIMEIRO SEMESTRE A sua energia positiva. Resultados Primeiro Semestre

RESULTADOS PRIMEIRO SEMESTRE A sua energia positiva. Resultados Primeiro Semestre RESULTADOS PRIMEIRO SEMESTRE 2008 A sua energia positiva Resultados Primeiro Semestre 2008 1 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 PRINCIPAIS INDICADORES... 4 BASES DE APRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO... 5 ENVOLVENTE

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL. IV Trimestre de 2012

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL. IV Trimestre de 2012 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL IV Trimestre de 2012 Março de 2013 1 / 83 Índice Sumário Executivo... 3 1. A venda de petróleo bruto... 6 1.1. Procura

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Produto Interno Bruto diminuiu 3,5% em volume

Produto Interno Bruto diminuiu 3,5% em volume 1ºT 2001 3ºT 2001 1ºT 2002 3ºT 2002 1ºT 2003 3ºT 2003 1ºT 2004 3ºT 2004 1ºT 2005 3ºT 2005 1ºT 2006 3ºT 2006 1ºT 2007 3ºT 2007 1ºT 2008 3ºT 2008 1ºT 2009 3ºT 2009 1ºT 2010 3ºT 2010 1ºT 2011 3ºT 2011 1ºT

Leia mais

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010 RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010 Do sucesso para novos desafios ÍNDICE Sumário executivo...3 Principais indicadores...4 Bases de apresentação da informação...5 Envolvente de mercado...6

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS. Informação sobre o Sector de Petróleo e Gás Fevereiro de 2014

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS. Informação sobre o Sector de Petróleo e Gás Fevereiro de 2014 REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS Informação sobre o Sector de Petróleo e Gás Fevereiro de 2014 INTRODUÇÃO O presente documento reporta a execução do Sector Petrolífero ao longo do mês de Fevereiro

Leia mais

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016 OBSERVATÓRIO Exportações e Investimento Externo Novembro O presente documento constitui uma análise do desempenho recente das relações económicas de Portugal com o estrangeiro, ao nível das exportações

Leia mais

Economia do País. Análise de conjuntura económica trimestral. Produto Interno Bruto. Variações trimestrais homólogas

Economia do País. Análise de conjuntura económica trimestral. Produto Interno Bruto. Variações trimestrais homólogas Produto Interno Bruto Variações trimestrais homólogas Mediante reformas introduzidas na economia portuguesa, entre 2011 e 2015, nomeadamente quanto á competitividade das empresas, foi possível estimular

Leia mais

Análise de Conjuntura do Sector da Construção 1º trimestre 2014

Análise de Conjuntura do Sector da Construção 1º trimestre 2014 Análise de Conjuntura do Sector da Construção 1º trimestre 2014 Apreciação Global A análise dos diversos indicadores relativos ao primeiro trimestre de 2014, para além de confirmar a tendência de abrandamento

Leia mais

Lucros da Galp subiram 266 milhões Impostos sobre combustíveis aumentam 360 milhões de euros

Lucros da Galp subiram 266 milhões Impostos sobre combustíveis aumentam 360 milhões de euros Lucros da Galp subiram 266 milhões Impostos sobre combustíveis aumentam 360 milhões de euros Por Eugénio Rosa* Em Portugal, verifica-se atualmente uma situação que não deixa de ser insólita. Os Órgãos

Leia mais

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 01 janeiro 2017 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJETO RESOLUÇÃO Nº 277/XII-1ª PREÇOS MÁXIMOS NOS COMBUSTÍVEIS, TRAVAR A ESPECULAÇÃO

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJETO RESOLUÇÃO Nº 277/XII-1ª PREÇOS MÁXIMOS NOS COMBUSTÍVEIS, TRAVAR A ESPECULAÇÃO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJETO RESOLUÇÃO Nº 277/XII-1ª PREÇOS MÁXIMOS NOS COMBUSTÍVEIS, TRAVAR A ESPECULAÇÃO 1.A IMPARÁVEL ESPIRAL DOS PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS Na segunda-feira, 26

Leia mais