Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 3

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 3"

Transcrição

1 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental: EXPERIMENTO 3 Determinação da aceleração da gravidade local utilizando o plano inclinado por fuso Disciplina: Física Experimental GRUPO DE TRABALHO: Estudante 1 (nome e R.A.) Estudante 2 (nome e R.A.) Estudante 3 (nome e R.A.) Estudante 4 (nome e R.A.) Agosto/2014

2 EXPERIMENTO 3 DETERMINAÇÃO DA ACELERAÇÃO DA GRAVIDADE LOCAL UTILIZANDO O PLANO INCLINADO POR FUSO 1) Objetivos deste experimento: O objetivo principal deste experimento é determinar gravidade local (g) utilizando o plano inclinado por fuso. Para executar este experimento o estudante deverá colocar em prática seus conhecimentos de decomposição de vetores, saber medir a massa de um corpo em uma balança e saber ler a força indicada por um dinamômetro. 2) Materiais i) Pendulo de fuso ii) Carrinho com suportes iii) Dinamômetro iv) Balança v) Massas vi) Suporte para as massas vii) Barbante viii) Fita adesiva 3) Montagem experimental Coloque o plano inclinado sobre a bancada e gire o fuso até que os trilhos do plano inclinado fiquem na horizontal (0 o ), ou seja, não provoquem elongação na mola do dinamômetro. Na parte oposta ao goniômetro (medidor de ângulos), prenda com fita adesiva o dinamômetro, coloque o carrinho com a suporte para massas para baixo. Com um pedaço de barbante amarre o carinho ao dinamômetro, como mostrado na Figura-1.

3 Figura-1: Dinamômetro fixado aos trilhos do plano inclinado, com carrinho preso ao dinamômetro. Pese o carrinho e uma quantidade de massa coloque no suporte para massas (abaixo do carrinho). A massa escolhida também pode ser fixada ao suporte do carrinho com um pedaço de barbante. O valor da massa do carrinho somado ao valor da massa de carga do carrinho e denominada m T. O sistema experimental antes das medições deve ser similar ao da Figura-2 Figura-2: Montagem experimental para determinação da gravidade local com plano de fuso e dinamômetro. 4) Medidas experimentais A partir de 0 o, aumente o ângulo dos trilhos até dez graus, para que o carrinho e a massa façam a mola esticar. Balance o carrinho, com pequenos toques, para se certificar que a posição de equilíbrio não está alterada pelo atrito entre as rodas do carrinho e os trilhos. Meça o valor da força de elongação que o sistema carrinho-massa exerce sobre o dinamômetro, como na Figura-3.

4 Figura-3: Escala do dinamômetro. Repita os experimentos para cinco ângulos diferentes, variando de dez em dez graus, como na Figura - 4 e complete a Tabela-1 abaixo: Figura-4: Exemplo de variação do ângulo do plano inclinado por fuso. a) Tabela-1: medidas experimentais utilizando o plano de fuso m T (kg) Ângulo do plano ( o Leitura da força peso P ) m T sen( ) no dinamômetro (N) 5) Análise das medidas experimentais

5 1) No papel milimetrado abaixo, faça um gráfico de versus força peso indicado pelo dinamômetro ( no eixo horizontal e força peso no eixo vertical ). O que você pode afirmar sobre a dependência da força peso com o ângulo de inclinação do plano? É uma relação linear?

6 Gráfico 1: Força lida no dinamômetro versus o ângulo de inclinação dos trilhos do plano de fuso.

7 No papel milimetrado abaixo, faça um gráfico de msen( ) versus força peso indicado pelo dinamômetro (m T sen( ) no eixo horizontal e força peso no eixo vertical ). Gráfico 2: Força lida no dinamômetro versus o m T sen( )

8 O que você pode afirmar sobre a dependência da força peso com o seno ângulo de inclinação do plano (m T sen? É uma relação linear? Em caso afirmativo, trace uma reta que você considera que melhor se ajusta aos pontos experimentais. Calcule o coeficiente angular da reta que melhor se ajusta aos pontos experimentais utilizando dois pontos da reta, e não pontos experimentais. Para use a expressão: ( ( ) (1) Onde e são medidas tomadas do dinamômetro e, analogamente ( ( ) ( - (. Espaço para os cálculos Neste caso, qual o siginificado físico do coeficiente angular da reta? O valor da gravidade local é o mesmo que o teórico g=9.81m/s 2. Se não é, quais seriam as fatores de erro? Você foi capaz de compreender a decomposição da força peso em um plano inclinado? Faça alguns comentários sobre suas observações e o que você compreendeu do experimento.

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 7

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 7 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 7 Determinação da constante elástica de uma mola utilizando o plano inclinado por fuso Disciplina:

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 6

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 6 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 6 Condições de equilíbrio estático utilizando o plano inclinado por fuso Disciplina: Física Experimental

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 8

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 8 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 8 Força não constante: força da mola e Associação de molas Disciplina: Física Experimental GRUPO DE

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 4

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 4 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 4 Lançamento Horizontal de Projéteis Disciplina: Física Experimental GRUPO DE TRABALHO: Estudante 1

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 5

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 5 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 5 Forças paralelas, Antiparalelas e Concorrentes Disciplina: Física Experimental GRUPO DE TRABALHO:

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2015 3ª FASE 10 DE OUTUBRO DE 2015 PROVA EXPERIMENTAL NÍVEL II Ensino Médio 1ª e 2ª série. LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01 - Esta prova destina-se exclusivamente

Leia mais

SEGUNDA LEI DE NEWTON

SEGUNDA LEI DE NEWTON Experimento 2 SEGUNDA LEI DE NEWTON Objetivo Introdução Verificar a Segunda Lei de Newton a partir da análise do movimento de translação de um corpo sobre um plano horizontal variando-se a força resultante,

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples

Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples 1. INTRODUÇÃO Um pêndulo é um sistema composto por uma massa acoplada a um pivô que permite sua movimentação livremente. A massa fica sujeita à força restauradora

Leia mais

Verificar as equações para a constante de mola efetiva em um sistema com molas em série e outro com molas em paralelo.

Verificar as equações para a constante de mola efetiva em um sistema com molas em série e outro com molas em paralelo. 74 9.4 Experiência 4: Deformações Elásticas e Pêndulo Simples 9.4.1 Objetivos Interpretar o gráfico força x elongação; Enunciar e verificar a validade da lei de Hooke; Verificar as equações para a constante

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 12

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 12 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 12 Princípio de Conservação do Momento Linear e Colisões Disciplina: Física Experimental GRUPO DE TRABALHO:

Leia mais

Figura 1. Ilustração de uma mola distendida por uma massa m.

Figura 1. Ilustração de uma mola distendida por uma massa m. Lei de Hooke 1. Introdução A Lei de Hooke é uma lei da física que descreve a força restauradora que existe em vários sistemas quando comprimidos ou distendidos. Por exemplo, uma mola esticada tende a voltar

Leia mais

EQUILÍBRIO ESTÁTICO. Material Utilizado:

EQUILÍBRIO ESTÁTICO. Material Utilizado: EQUILÍBRIO ESTÁTICO Material Utilizado: (arte A Calibração de um Dinamômetro) - 5 montagens FVE para dinamômetros constituidas de escala milimetrada em haste montada em tripé, com os acessórios: molas

Leia mais

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Semana 9 Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

Lista de Exercícios (Profº Ito) Aplicações das Leis de Newton (Plano Inclinado)

Lista de Exercícios (Profº Ito) Aplicações das Leis de Newton (Plano Inclinado) 1. A figura mostra um bloco que escorrega, a partir do repouso, ao longo de um plano inclinado. Se o atrito fosse eliminado, o bloco escorregaria na metade do tempo. Dê o valor do coeficiente de atrito

Leia mais

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Semana 9 Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

LABORATÓRIO DE FÍSICA I - Curso de Engenharia Mecânica

LABORATÓRIO DE FÍSICA I - Curso de Engenharia Mecânica LABORATÓRIO DE FÍSICA I - Curso de Engenharia Mecânica Experimento N 0 03: MOVIMENTO RETILINEO UNIFORME E MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORME VARIADO Objetivos Gerais Ao termino desta atividade o aluno deverá

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS PLANO INCLINADO PROF. PEDRO RIBEIRO

LISTA DE EXERCÍCIOS PLANO INCLINADO PROF. PEDRO RIBEIRO LISTA DE EXERCÍCIOS PLANO INCLINADO PROF. PEDRO RIBEIRO 1 Um bloco de massa m = 10 kg, inicialmente a uma altura de 2 m do solo, desliza em uma rampa de inclinação 30 o com a horizontal. O bloco é seguro

Leia mais

Movimento Harmônico Simples e Amortecido

Movimento Harmônico Simples e Amortecido Movimento Harmônico Simples e Amortecido INTRODUÇÃO Ana Arruda, Caio Monteiro, Lineu Parra, Vitor Rocha Professor: Marcelo Reyes, CMCC Campus Santo André Resumo O estudo dos Movimentos Harmônicos permite

Leia mais

Noções Básicas de Física Arquitectura Paisagística LEI DE HOOKE (1)

Noções Básicas de Física Arquitectura Paisagística LEI DE HOOKE (1) LEI DE HOOKE INTRODUÇÃO A Figura 1 mostra uma mola de comprimento l 0, suspensa por uma das suas extremidades. Quando penduramos na outra extremidade da mola um corpo de massa m, a mola passa a ter um

Leia mais

Pêndulo Físico. Cientistas e Engenheiros, Vol. 2, Tradução da 8ª edição norte-americana, Cengage Learning, 2011) 1. Introdução

Pêndulo Físico. Cientistas e Engenheiros, Vol. 2, Tradução da 8ª edição norte-americana, Cengage Learning, 2011) 1. Introdução Pêndulo Físico 1. Introdução Nesta experiência estudaremos o movimento periódico executado por um corpo rígido que oscila em torno de um eixo que passa pelo corpo, o que é denominado de pêndulo físico,

Leia mais

Entender o funcionamento de um pêndulo, correlacioná-lo com o pêndulo simples, determinar a aceleração da gravidade e o momento de inércia do corpo.

Entender o funcionamento de um pêndulo, correlacioná-lo com o pêndulo simples, determinar a aceleração da gravidade e o momento de inércia do corpo. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Departamento de Física Fone: (016) 3.3718/3693 Fax: (016) 3 949 USP EXPERIÊNCIA PÊNDULO Objetivos Entender o funcionamento

Leia mais

Exercícios de Forças em Trajetórias Curvilíneas

Exercícios de Forças em Trajetórias Curvilíneas Exercícios de Forças em Trajetórias Curvilíneas 1. Na figura seguinte, um carrinho de massa 1,0kg descreve movimento circular e uniforme ao longo de um trilho envergado em forma de circunferência de 2,0m

Leia mais

UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica. Turma: Data: : Nota: Participantes. z = Y w

UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica. Turma: Data: : Nota: Participantes. z = Y w Física Mecânica Roteiros de Experiências 39 UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica Experimento: Segunda Lei de Newton relação entre força, massa e aceleração Turma: Data: : Nota: Participantes

Leia mais

Lista de Exercícios (Profº Ito) Dinâmica no Movimento Circular

Lista de Exercícios (Profº Ito) Dinâmica no Movimento Circular TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO SE NECESSÁRIO, ADOTE g = 10 m/s. 1. Um circuito de Fórmula Mundial circular, com 320 m de raio, tem como velocidade de segurança 40 m/s. Calcule a tangente do ângulo de inclinação

Leia mais

DISCURSIVAS. Solução: (a) Com os eixos escolhidos conforme a figura, a altura instantânea da caixa a partir do instante t=0 em que começa a cair é

DISCURSIVAS. Solução: (a) Com os eixos escolhidos conforme a figura, a altura instantânea da caixa a partir do instante t=0 em que começa a cair é DISCURSIVAS 1. Um pequeno avião monomotor, à altitude de 500m, deixa cair uma caixa. No instante em que a caixa é largada, o avião voava a 60,0m/s inclinado de 30,0 0 acima da horizontal. (a) A caixa atinge

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - FEAU. Física Experimental I Prof. Dra. Ângela Cristina Krabbe

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - FEAU. Física Experimental I Prof. Dra. Ângela Cristina Krabbe Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - FEAU Física Experimental I Prof. Dra. Ângela Cristina Krabbe 1. Qual o período de oscilação de um pêndulo simples de

Leia mais

Força de Atrito em Polias Bloqueadas

Força de Atrito em Polias Bloqueadas Força de Atrito em Polias Bloqueadas 1 Objetivo Estudar a transmissão da força de atrito de um elemento linear do tipo correia, corda ou cabo sobre polias bloqueadas. 2 Introdução teórica 2.1 Força de

Leia mais

Lista 10: Energia. Questões. encontrar razões plausíveis para justificar suas respostas sem o uso de equações.

Lista 10: Energia. Questões. encontrar razões plausíveis para justificar suas respostas sem o uso de equações. Lista 10: Energia Importante: 1. Ler os enunciados com atenção. 2. Responder a questão de forma organizada, mostrando o seu raciocínio de forma coerente. 3. Siga a estratégia para resolução de problemas

Leia mais

Lei de Hooke. 1 Objetivo. 2 Introdução Teórica

Lei de Hooke. 1 Objetivo. 2 Introdução Teórica Lei de Hooke 1 Objetivo Comprovação experimental da lei de Hooke. Determinação das constantes elásticas de uma mola, de duas molas em série e de duas molas em paralelo. 2 Introdução Teórica A lei de Hooke

Leia mais

BC Fenômenos Mecânicos. Experimento 1 - Roteiro

BC Fenômenos Mecânicos. Experimento 1 - Roteiro BC 0208 - Fenômenos Mecânicos Experimento 1 - Roteiro Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) Professor: Turma: Data: / /2015 Introdução e Objetivos Na disciplina de Fenômenos Mecânicos estamos interessados

Leia mais

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Semana 9 Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 08 FORÇAS PARTICULARES, POLIAS, ELEVADORES E PLANO INCLINADO REVISÃO

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 08 FORÇAS PARTICULARES, POLIAS, ELEVADORES E PLANO INCLINADO REVISÃO FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 08 FORÇAS PARTICULARES, POLIAS, ELEVADORES E PLANO INCLINADO REVISÃO Como pode cair no enem? Um vagão, como o mostrado na figura abaixo, é utilizado para transportar minério de

Leia mais

LISTA 1 DE EXERCÍCIOS

LISTA 1 DE EXERCÍCIOS CURSO: ENGENHARIAS LISTA 1 DE EXERCÍCIOS DISCIPLINA: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL - MECÂNICA Professora: Paula Beghelli paula-beghelli@anhanguera.com Instruções: Resolver esta lista INDIVIDUAL ou em GRUPO

Leia mais

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Semana 8 Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

Experimento 4 Forças Centrais

Experimento 4 Forças Centrais Experimento 4 Forças Centrais Neste experimento, mediremos a energia mecânica e o momento angular de um corpo em movimento, no qual age uma força central elástica. O objetivo do experimento é interpretar

Leia mais

Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011

Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011 Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011 Equipe: 1. Nome:... 2. Nome:... 3. Nome:... Pólo:... Data:... Experiência dois: QUEDA LIVRE Relatório Programado: Guia para tomada e análise de dados Prazo: 1 semana

Leia mais

peso da barra: P = 15 N; comprimento do segmento AO: D A = 1 m; comprimento do segmento BO: D B = 0,5 m.

peso da barra: P = 15 N; comprimento do segmento AO: D A = 1 m; comprimento do segmento BO: D B = 0,5 m. Uma barra AOB homogênea de secção constante cujo peso é de 15 N é dobrada segundo um ângulo reto em O de maneira que AO = 1 m e BO = 0,5 m. Suspende-se a barra pelo ponto O, determinar: a) O ângulo α formado

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 4

LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 4 Estudante: Curso: Engenharia Civil Disciplina: Mecânica da Partícula Período Letivo: 2/2015 Semestre: 2º Docente: MSc. Demetrius dos Santos Leão RA: Sala/ Turma: LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 4 Decomposição de

Leia mais

2 a fase Caderno de Questões para alunos da 2 a e da 3 a Séries

2 a fase Caderno de Questões para alunos da 2 a e da 3 a Séries 2 a fase Caderno de Questões para alunos da 2 a e da 3 a Séries LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos da 2 a e 3 a Séries do Ensino Médio. Ela contém

Leia mais

Em outras palavras, no regime elástico há uma dependência linear entre F e a deformação x. Este é o comportamento descrito pela lei de Hooke: F = k x

Em outras palavras, no regime elástico há uma dependência linear entre F e a deformação x. Este é o comportamento descrito pela lei de Hooke: F = k x Aula 6: Lei de Hooke 1 Introdução A lei de Hooke descreve a força restauradora que existe em diversos sistemas quando comprimidos ou distendidos. Qualquer material sobre o qual exercermos uma força sofrerá

Leia mais

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II 1 Objetivos Gerais: Movimento Harmônico Amortecido Determinar o período de oscilação do pêndulo T ; Determinar a constante de amortecimento. *Anote a incerteza dos instrumentos de medida utilizados: ap

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 06 PLANO INCLINADO

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 06 PLANO INCLINADO FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 06 PLANO INCLINADO P T P N θ P Como pode cair no enem? Uma máquina utiliza um carrinho para retirar carvão do interior de uma mina, puxando-o, sobre um plano inclinado, por meio

Leia mais

MECÂNICA GERAL 1. Marcel Merlin dos Santos

MECÂNICA GERAL 1. Marcel Merlin dos Santos MECÂNICA GERAL 1 Marcel Merlin dos Santos TÓPICOS DE HOJE Revisão de álgebra vetorial Lei dos cossenos Lei dos senos Exercícios Componentes cartesianas de uma força Exercícios Equilíbrio de uma partícula

Leia mais

MECÂNICA I Mecânica Gráfica para alunos do ensino médio utilizando o SAM 4. Movimento circular

MECÂNICA I Mecânica Gráfica para alunos do ensino médio utilizando o SAM 4. Movimento circular FÍSICA 1 MECÂNICA I Mecânica Gráfica para alunos do ensino médio utilizando o SAM 4. Movimento circular NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA QUESTÃO PRÉVIA No ventilador da figura abaixo (fig. 4.1), as

Leia mais

Dinâmica Circular Força Centrípeta

Dinâmica Circular Força Centrípeta Dinâmica Circular Força Centrípeta Quando um móvel realiza um MCU, a resultante das forças que atuam nesse móvel é radial CENTRÍPETA, ou seja, tem a direção do raio da curva e sentido para o centro. Globo

Leia mais

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção.

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. Lista 10: Energia NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder a questão de

Leia mais

CEUNSP -Laboratório de Física 1 - Mecânica Experiência 1: Mesa de Força 1 Dr. Cláudio S. Sartori

CEUNSP -Laboratório de Física 1 - Mecânica Experiência 1: Mesa de Força 1 Dr. Cláudio S. Sartori CEUNSP -Laboratório de Física - Mecânica Experiência : Mesa de Força LABORATÓRIO DE FÍSICA I: Experiência : MESA DE FORÇA tripés (5). alinhador para dinamômetro (6). perfil universal com fixador (7). 6

Leia mais

2.2 Segunda Lei de Newton

2.2 Segunda Lei de Newton 50 CAPÍTULO 2. SÉRIE A 2.2 Segunda Lei de Newton 2.2.1 Material Necessário 01 trilho de ar 120 cm com polia no fim do curso; 01 carrinho para trilho de ar; 01 pino para carrinho para interrupção de sensor;

Leia mais

Por outro lado, sabemos que o módulo e o sentido da força que atua sobre uma partícula em MHS são dados, genericamente, por:

Por outro lado, sabemos que o módulo e o sentido da força que atua sobre uma partícula em MHS são dados, genericamente, por: Sistema Corpo-Mola Um corpo de massa m se apóia sobre uma superfície horizontal sem atrito e está preso a uma mola (de massa desprezível) de constante elástica k (Fig.18). Se o corpo é abandonado com a

Leia mais

Laboratório de Física UVV

Laboratório de Física UVV 1/8 Sistema de Roldanas Professor: Alunos: Turma: Data: / /20 1: 2: 3: 4: 5: 1.1. Objetivos Em um sistema de Roldanas determinar as relações entre: a carga e a tração no fio; o deslocamento do fio pelo

Leia mais

Data: Metodologia utilizada/descrição das atividades (anexar modelos): Em anexo.

Data: Metodologia utilizada/descrição das atividades (anexar modelos): Em anexo. CÂMPUS: Rio do Sul LABORATÓRIO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS RELATÓRIO DE ATIVIDADE Curso: Licenciatura em Física Disciplina: Física 2 Turma: 2013.2 Professor: Bruno Data: Tema da aula: Dinâmica Conteúdos relacionados:

Leia mais

Ismael Rodrigues Silva Física-Matemática - UFSC.

Ismael Rodrigues Silva Física-Matemática - UFSC. Ismael Rodrigues Silva Física-Matemática - UFSC www.ismaelfisica.wordpress.com Máquinas Simples(ver arquivo) Revisão... ForçadeAtrito... AlgunsSistemasMecânicos... SistemasMecânicos... Máquinas Simples:

Leia mais

Resolução de Questões de Provas Específicas de Física Aula 1

Resolução de Questões de Provas Específicas de Física Aula 1 Resolução de Questões de Provas Específicas de Física Aula 1 Resolução de Questões de Provas Específicas de Física Aula 1 1. João fez uma pequena viagem de carro de sua casa, que fica no centro da cidade

Leia mais

Plano inclinado Comitê Olímpico

Plano inclinado Comitê Olímpico Plano inclinado Comitê Olímpico 1. (Ufpe) O trabalho realizado para levantar uma caixa até uma altura h, arrastando-a sobre um plano inclinado com coeficiente de atrito e inclinação de 30 relativo à horizontal,

Leia mais

MOVIMENTO EM UMA DIMENSÃO

MOVIMENTO EM UMA DIMENSÃO MOVIMENTO EM UMA DIMENSÃO Material Utilizado: - um conjunto para experimentos com trilho de ar composto de: - um trilho de ar (PASCO SF-9214) - um gerador de fluxo de ar (PASCO SF-9216) - um carrinho deslizante

Leia mais

MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO. O valor do número real que satisfaz a equação =5 é. A) ln5. B) 3 ln5. C) 3+ln5. D) ln5 3. E) ln5 2ª QUESTÃO

MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO. O valor do número real que satisfaz a equação =5 é. A) ln5. B) 3 ln5. C) 3+ln5. D) ln5 3. E) ln5 2ª QUESTÃO MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO O valor do número real que satisfaz a equação =5 é A) ln5 B) 3 ln5 C) 3+ln5 D) ln5 3 E) ln5 ª QUESTÃO O domínio da função real = 64 é o intervalo A) [,] B) [, C), D), E), 3ª QUESTÃO

Leia mais

Resultante Centrípeta

Resultante Centrípeta Questão 01) Uma criança está em um carrossel em um parque de diversões. Este brinquedo descreve um movimento circular com intervalo de tempo regular. A força resultante que atua sobre a criança a) é nula.

Leia mais

3.2 Hidrostática Material Necessário Objetivo Procedimentos Primeira Procedimento. 01 Balança. 01 barbante.

3.2 Hidrostática Material Necessário Objetivo Procedimentos Primeira Procedimento. 01 Balança. 01 barbante. 3.2. HIDROSTÁTICA 63 3.2 Hidrostática 3.2.1 Material Necessário 01 Balança. 01 barbante. 01 Régua milimetrada. 01 Dinamômetro. 02 Proveta de 250 ml. 01 Densímetro. 01 Tripé. 01 Haste de sustentação. 01

Leia mais

Roteiro para Laboratório de Física 1

Roteiro para Laboratório de Física 1 Centro Universitário UNICAPITAL e Faculdades Integradas Paulista FIP Engenharia de Automação e Controle Engenharia Elétrica Engenharia Mecânica Engenharia Civil Roteiro para Laboratório de Física 1 Experiência

Leia mais

2- Três blocos são ligados como mostra a figura abaixo, sobre uma mesa horizontal sem atrito e puxados para a direita com uma força T 3 =6,5N.

2- Três blocos são ligados como mostra a figura abaixo, sobre uma mesa horizontal sem atrito e puxados para a direita com uma força T 3 =6,5N. Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder a questão de forma organizada, mostrando o seu raciocínio de forma

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Força Elástica e Trabalho Mecânico

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Força Elástica e Trabalho Mecânico Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Força Elástica e Trabalho Mecânico 1. (Uern 2013) A tabela apresenta a força elástica e a deformação

Leia mais

Física I - AV 1 (parte 2) 2º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma

Física I - AV 1 (parte 2) 2º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma Física I - AV (parte 2) 2º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /204 valor: 0 pontos Aluno (a)turma _. No sistema a seguir, A tem massa mû = 0 kg. B tem massa m½ = 5 kg. = 45.

Leia mais

Experimento: Movimento Retilíneo Uniforme

Experimento: Movimento Retilíneo Uniforme Física Mecânica Roteiros de Experiências 22 UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica Experimento: Movimento Retilíneo Uniforme Turma: Data: : Nota: Participantes Nome RA Descrição e objetivo

Leia mais

Dinâ micâ de Mâ quinâs e Vibrâçõ es II

Dinâ micâ de Mâ quinâs e Vibrâçõ es II Dinâ micâ de Mâ quinâs e Vibrâçõ es II Aula 1 Revisão e princípios básicos: O objetivo desta aula é recapitular conceitos básicos utilizados em Dinâmica e Vibrações. MCU Movimento circular uniforme 1.

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco CCEN Departamento de Física Física Experimental 1-1 o SEMESTRE 2011

Universidade Federal de Pernambuco CCEN Departamento de Física Física Experimental 1-1 o SEMESTRE 2011 Universidade Federal de Pernambuco CCEN Departamento de Física Física Experimental 1-1 o SEMESTRE 2011 Nome: Turma: Nome: Turma: Nome: Turma: Data: / / Roteiro do Experimento 2 Medidas e Incertezas II

Leia mais

Fís. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Semana 11 Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

Física IV. Prática V Sandro Fonseca de Souza

Física IV. Prática V Sandro Fonseca de Souza Física IV Prática V Sandro Fonseca de Souza 1 Normas e Datas Atendimento ao estudante: sexta-feira de 14:00-15:00 na sala 3016 A. Presença é obrigatória as aulas de lab. e os alunos somente podem faltar

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. FACULDADE DE ENGENHARIA DE ILHA SOLTEIRA Departamento de Física e Química

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. FACULDADE DE ENGENHARIA DE ILHA SOLTEIRA Departamento de Física e Química UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE ILHA SOLTEIRA Departamento de Física e Química Apostila da Disciplina Fundamentos de Óptica (FIS0935) Docentes: Prof.Dr.

Leia mais

Lista 5 Leis de Newton

Lista 5 Leis de Newton Sigla: Disciplina: Curso: FISAG Física Aplicada a Agronomia Agronomia Lista 5 Leis de Newton 01) Um corpo de massa m sofre ação de duas forças F1 e F2, como mostra a figura. Se m = 5,2 kg, F1 = 3,7 N e

Leia mais

Lista de exercícios 4

Lista de exercícios 4 4. O sistema da figura a seguir é composto por uma barra homogênea AB, onde está articulada em A e pesa 00 N. O objeto P pesa 50 N para que esse sistema permaneça estático. Analise os seguintes itens:

Leia mais

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. Semana. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Semana 8 Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

Aplicações de Leis de Newton

Aplicações de Leis de Newton Aplicações de Leis de Newton Evandro Bastos dos Santos 22 de Maio de 2017 1 Introdução Na aula anterior vimos o conceito de massa inercial e enunciamos as leis de Newton. Nessa aula, nossa tarefa é aplicar

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 05 ROLDANAS E ELEVADORES

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 05 ROLDANAS E ELEVADORES FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 05 ROLDANAS E ELEVADORES T T Como pode cair no enem? (CEFET) Nos sistemas seguintes, em equilíbrio, as roldanas, os fios e as hastes têm massas desprezíveis. Os dinamômetros

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 3 a LISTA DE EXERCÍCIOS - PME MECÂNICA A DINÂMICA

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 3 a LISTA DE EXERCÍCIOS - PME MECÂNICA A DINÂMICA 1 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 3 a LISTA DE EXERCÍCIOS - PME100 - MECÂNICA A DINÂMICA LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AO LIVRO TEXTO (FRANÇA, MATSUMURA) 1) Três barras uniformes de

Leia mais

Trabalho e Potência. Engenharia - Física Mecânica, Prof. Simões Trabalho e Potência. Nome: Turma: Identifique a melhor alternativa

Trabalho e Potência. Engenharia - Física Mecânica, Prof. Simões Trabalho e Potência. Nome: Turma: Identifique a melhor alternativa Engenharia - Física Mecânica, Prof. Simões Trabalho e Potência Nome: Turma: Trabalho e Potência Identifique a melhor alternativa 1. (U.F. PE) O gráfico da figura mostra a variação da intensidade da força

Leia mais

Prática 1: RELAÇÃO ENTRE FORÇA E ACELERAÇÃO

Prática 1: RELAÇÃO ENTRE FORÇA E ACELERAÇÃO Prática 1: RELAÇÃO ENTRE FORÇA E ACELERAÇÃO 1.1 Objetivo: Estudar a relação entre a força, massa e aceleração. 1.2 Material Necessário: 01 Plano Inclinado com ajuste angular regulável 01 Carrinho de movimento

Leia mais

Exemplo. T 1 2g = -2a T 2 g = a. τ = I.α. T 1 T 2 g = - 3a a g = - 3a 4a = g a = g/4. τ = (T 1 T 2 )R. T 1 T 2 = Ma/2 T 1 T 2 = a.

Exemplo. T 1 2g = -2a T 2 g = a. τ = I.α. T 1 T 2 g = - 3a a g = - 3a 4a = g a = g/4. τ = (T 1 T 2 )R. T 1 T 2 = Ma/2 T 1 T 2 = a. Exercícios Petrobras 2008 eng. de petróleo Dois corpos de massa m 1 = 2 kg e m 2 = 1 kg estão fixados às pontas de uma corda com massa e elasticidade desprezíveis, a qual passa por uma polia presa ao

Leia mais

SUGESTÃO DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL DE FÍSICA- 1 ANO Professor Solon Wainstein SEGUE ABAIXO UMA LISTA COMPLEMENTAR DE EXERCÍCIOS

SUGESTÃO DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL DE FÍSICA- 1 ANO Professor Solon Wainstein SEGUE ABAIXO UMA LISTA COMPLEMENTAR DE EXERCÍCIOS SUGESTÃO DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL DE FÍSICA- 1 ANO Professor Solon Wainstein # Ler todas as teorias # Refazer todos os exercícios dados em aula. # Refazer todos os exercícios feitos do livro. # Refazer

Leia mais

Experimento MRU Construindo Gráficos Propagação de Erros

Experimento MRU Construindo Gráficos Propagação de Erros Universidade Federal de Lavras Departamento de Física Experimento MRU Construindo Gráficos Propagação de Erros Laboratório de Física A e I Objetivos e Materiais Objetivos: Estudar os conceitos básicos

Leia mais

Introdução às Ciências Físicas Módulo 1 Aula 1

Introdução às Ciências Físicas Módulo 1 Aula 1 Experimento 2 A emissão da luz por diferentes fontes Objetivo: Construir um modelo para a emissão de luz por uma fonte não puntiforme. Material utilizado! caixa escura! máscaras! fonte de luz 1 com lâmpadas

Leia mais

Laboratório de Física

Laboratório de Física Laboratório de Física Experimento 06: Oscilações Disciplina: Laboratório de Física Experimental I Professor: Turma: Data: / /0 Alunos: : : : : : /0 06 Oscilações.. Objetivos Determinar as constantes elásticas

Leia mais

FÍSICA B ª SÉRIE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES ALUNO

FÍSICA B ª SÉRIE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES ALUNO EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES ALUNO TURMA: FÍSICA B - 2012 1ª SÉRIE DATA: / / 1) Analise as afirmativas abaixo sobre o conceito de grandezas escalares e vetoriais. I Uma grandeza é chamada de escalar quando

Leia mais

Força Elástica da Mola

Força Elástica da Mola Força Elástica da Mola 1. (G1 - ifpe 2012) O sistema da figura é formado por um bloco de 80 kg e duas molas de massas desprezíveis associadas em paralelo, de mesma constante elástica. A força horizontal

Leia mais

Lista5: Força e Movimento

Lista5: Força e Movimento Lista 5: Força e Movimento Lista revisada pelo prof. Hisataki Ano: 2_2015 Importante: i. Ler com muita atenção o enunciado duas ou mais vezes. ii. Colocar em um diagrama o enunciado da questão. Essa é

Leia mais

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II Comprovação Experimental do Princípio de Arquimedes e Comprovação do Empuxo 1 Objetivos Gerais: 2 - Experimentos: Verificar a presença do empuxo em função da aparente diminuição da força peso de um corpo

Leia mais

Ondas Estacionárias em Cordas

Ondas Estacionárias em Cordas Ondas Estacionárias em Cordas 1. Introdução As cordas estão presentes em vários instrumentos musicais, como o piano, violão, violino e violoncelo. Para cada tipo de instrumento as cordas irão vibrar por

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS T1 -Teste teórico-prático de FQA 09. dezembro. 2014 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído por 8 páginas

Leia mais

Figura 1. Duas partículas de diferentes massas perfeitamente apoiadas pelo bastão = (1)

Figura 1. Duas partículas de diferentes massas perfeitamente apoiadas pelo bastão = (1) PRÁTICA 13: CENTRO DE MASSA Centro de massa (ou centro de gravidade) de um objeto pode ser definido como o ponto em que ele pode ser equilibrado horizontalmente. Seu significado físico tem muita utilidade

Leia mais

Experimento 1: Colisões

Experimento 1: Colisões Experimento : Colisões Objetivo Verificar a Conservação Quantidade de Movimento Linear e a Conservação da Energia. a) A conservação do momento linear e da energia cinética numa colisão unidimensional.

Leia mais

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia GCET095.P - Física Geral e Experimental I Roteiro para Experimento: Lei de Hooke

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia GCET095.P - Física Geral e Experimental I Roteiro para Experimento: Lei de Hooke Universidade Federal do Recôncavo da Bahia GCET095.P - Física Geral e Experimental I 2016.1 Roteiro para Experimento: Lei de Hooke Professora: Sânzia Alves 17 de março de 2017 1 Preparação Responda as

Leia mais

Objetivo: Determinar experimentalmente a resistividade elétrica do Constantan.

Objetivo: Determinar experimentalmente a resistividade elétrica do Constantan. Determinação da resistividade elétrica do Constantan Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Curitiba Departamento Acadêmico de Física Física Experimental Eletricidade Prof. Ricardo Canute Kamikawachi

Leia mais

FEDERAL Instituto. de Física. Pantoja. Apêndice. Rio de Janeiro

FEDERAL Instituto. de Física. Pantoja. Apêndice. Rio de Janeiro UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Instituto de Física Programa de Pós-Graduação Profissional em Ensino de Física em Ensino de Física Mestrado GUIAS DE LABORATÓRIO: MECÂNICA INTRODUTÓRIA Fernanda Marques

Leia mais

Forças sobre o plano inclinado e Leis de Newton

Forças sobre o plano inclinado e Leis de Newton Forças sobre o plano inclinado e Leis de Newton à Força normal: sempre perpendicular ao plano (faz com ele um ângulo de 90 o ), é uma força de sustentação do objeto, exercida pela superfície = força de

Leia mais

1 - LEI DE HOOKE FEX 1001

1 - LEI DE HOOKE FEX 1001 - LEI DE HOOKE FEX 00 Objetivo Determinar experimentalmente a constante elástica de uma mola e das molas idênticas associadas em série. Teoria Ao aplicarmos uma força em uma mola helicoidal, ao longo de

Leia mais

SEGUNDA LEI DE NEWTON - EXERCÍCIOS DE APOIO

SEGUNDA LEI DE NEWTON - EXERCÍCIOS DE APOIO SEGUND LEI DE NEWTON - EXERÍIOS DE POIO 1) Submete-se um corpo de massa 5000 kg à ação de uma força constante que, a partir do repouso, lhe imprime a uma velocidade de 7 km/h, ao fim de 40 s. Determine:

Leia mais

Deduza a Equação de Onda que representa uma onda progressiva unidimensional, numa corda de massa M e comprimento L.

Deduza a Equação de Onda que representa uma onda progressiva unidimensional, numa corda de massa M e comprimento L. Deduza a Equação de Onda que representa uma onda progressiva unidimensional, numa corda de massa M e comprimento L. Esquema do problema Consideremos uma corda longa, fixa nas extremidades, por onde se

Leia mais

Lista Recuperação Paralela I Unidade

Lista Recuperação Paralela I Unidade Aluno(a) Turma N o Série 2 a Ensino Médio Data / / 06 Matéria Física Professores Abud/Bahiense Lista Recuperação Paralela I Unidade 01. (FEI-SP) Em uma mola foram penduradas diferentes massas e verificou-se

Leia mais

Força de Atrito e Plano Inclinado Exercícios de Fixação

Força de Atrito e Plano Inclinado Exercícios de Fixação SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS DISCIPLINA:

Leia mais

EXPERIMENTO II MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORME E MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORMEMENTE VARIADO.

EXPERIMENTO II MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORME E MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORMEMENTE VARIADO. EXPERIMENTO II MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORME E MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORMEMENTE VARIADO. Este experimento consiste em duas etapas. A primeira é a realização do Movimento Retilíneo Uniforme. A segunda é

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DAS OSCILAÇÕES DE UM PÊNDULO

MODELAGEM MATEMÁTICA DAS OSCILAÇÕES DE UM PÊNDULO MODELAGEM MATEMÁTICA DAS OSCILAÇÕES DE UM PÊNDULO ROSSATO, Jéssica Helisa Hautrive; BISOGNIN, Eleni. Trabalho de Iniciação Científica, BIC- FAPERGS Curso de Engenharia de Materiais do Centro Universitário

Leia mais