Caderno Eletrônico de Exercícios Direito de Família

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno Eletrônico de Exercícios Direito de Família"

Transcrição

1 1) Com quantos anos uma pessoa atinge a maioridade civil? a) 15 anos b) 18 anos c) 65 anos d) 21 anos 2) Os impedimentos de casamento estão relacionados no art.1521 do C.C. Sua infração causa a nulidade do casamento. Assinale a opção que não torna a frase verdadeira. Não podem se casar: a) os afins em linha reta. b) os irmãos unilaterais. c) pessoas já divorciadas. d) o adotado com o filho do adotante. 3) O casamento pode ser considerado anulável por: a) Vício de vontade b) Ainda não ter sido homologado ou decidido a partilha dos bens, se um dos nubentes for divorciado. c) Um dos nubentes ser enfermo mental. d) Um dos nubentes já ser casado. 4) O que significa casamento putativo? a) É o casamento realizado entre pessoas de mesmo sexo. b) É o casamento nulo ou anulável que tenha sido contraído de boa-fé por um ou ambos os cônjuges. c) É o casamento entre pessoas de nacionalidades diferentes. d) É o casamento realizado sem nenhuma cerimônia religiosa. 5) O que significa casamento nuncupativo? a) É o casamento celebrado pelos próprios nubentes, na presença de seis testemunhas. b) È o casamento entre duas pessoas viúvas. c) È o casamento em que um dos nubentes é detento de uma penitenciária. d) É o casamento entre um maior incapaz e um maior capaz. 6) Qual das opções abaixo não retrata um tipo de celebração de casamento? a) Casamento religioso de efeitos civis. b) Casamento nuncupativo. c) Casamento consular. d) Casamento insular.

2 7) Qual das opções abaixo traz um dos modos de se dissolver definitivamente o vínculo conjugal? a) Com a separação conjugal. b) Com o divórcio. c) Com o nascimento de um filho. d) Com a separação de corpos. 8) Quais os dois tipos de separação conjugal? a) Condicional e Consensual. b) Condicional e Contenciosa. c) Consensual e Contenciosa. d) Conjunta e Condicional. 9) Assinale a opção abaixo que relata os três tipos corretos de divórcio: a) Divórcio conversão, divórcio direto, e divórcio direto sobreposto à separação judicial. b) Divórcio cauteloso, divórcio direto e divórcio direto sobreposto à separação judicial. c) Divórcio cauteloso, divórcio conversão e divórcio direto. d) Divórcio direto sobreposto a separação judicial, divórcio unilateral e divórcio bilateral. 10) Qual opção abaixo contém as três formas de como uma pessoa pode relacionar-se a uma família? a) Pelo vínculo de parentesco, vínculo amigável e vínculo conjugal. b) Pelo vínculo conjugal, vínculo da afinidade e vínculo opcional. c) Pelo vínculo da afinidade, vínculo de parentesco e vínculo amigável. d) Pelo vínculo de parentesco, vínculo conjugal e vínculo da afinidade. 11) Na habilitação de casamento os nubentes podem optar por um dos regimes previstos na lei, mediante escritura pública de pacto antenupcial. Mas se nada convencionarem a respeito, vigorará o regime de: a) Comunhão parcial. b) Comunhão universal. c) Separação de bens. d) Comunhão unilateral. 12) Qual o regime de bens em que os bens adquiridos depois do casamento não entram de imediato para a comunhão, constituindo, durante o casamento, patrimônio individual e separado de cada um dos cônjuges, mas com o fim do casamento esses bens adquiridos são divididos em partes iguais? a) Regime da comunhão parcial. b) Regime de participação final nos aqüestros. c) Regime da comunhão universal. d) Regime de separação de bens.

3 13) O concubinato pode assumir aspectos diversos. Cada espécie com as suas características próprias, embora tendo sempre a mesma base. Qual a opção abaixo revela esta base? a) É o relacionamento entre homens não casados entre si. b) É o relacionamento entre mulheres não casadas entre si. c) É o relacionamento de homens e mulheres não casados entre si. d) É o relacionamento de homens e mulheres casados entre si. 14) Qual a principal diferença entre concubinato puro e concubinato impuro? a) O puro refere-se a conviventes com impedimento para casarem um com o outro e o impuro refere-se a conviventes sem impedimento para se casarem. b) O puro refere-se a conviventes sem impedimento para se casarem um com o outro e o impuro refere-se a conviventes com impedimento para se casarem. c) O puro refere-se a conviventes de sexos diferentes e o impuro refere-se a conviventes de mesmo sexo. d) O puro refere-se a conviventes de mesma nacionalidade e o impuro refere-se a conviventes de nacionalidades diferentes. 15) É uma situação de fato em que um homem e uma mulher convivem como se casados fossem, de modo público, continuo e duradouro, com o objetivo de constituir família.(art.1723). A qual das opções se referem a caracterização feita acima? a) Concubinato simples. b) União estável. c) Concubinato qualificado por sociedade de fato. d) Divórcio. 16) Assinale a opção que não representa um direito adquirido com a união estável: a) Alimentos recíprocos. b) Adoção em conjunto. c) Direito de habitação. d) Direito de divórcio. 17) De quem será a competência de exercer o juízo em toda matéria relativa à união estável? a) Vara de família. b) Estatuto da criança e da adolescente. c) Vara de casamento. d) Estatuto das relações. 18) Em qual das opções abaixo deverá ser nomeado um tutor? a) Menor cujos pais faleceram. b) Maiores com enfermidade mental. c) Pessoa com bens de grande valor. d) Maior cujos pais faleceram.

4 19) Em alguns casos poderá ser nomeado um encarregado de fiscalizar o tutor. Esse encarregado receberá o nome de: a) Curador. b) Protutor. c) Destutor. d) Tutorial. 20) A responsabilidade do curador é idêntica a do tutor. Mas eles são nomeados em casos diferentes, para defender pessoas diferentes. O curador, em regra, é nomeado para representar quais pessoas? a) Maiores incapazes. b) Menores incapazes. c) Maiores capazes. d) Menores cujos pais faleceram. 21) Podem casar as pessoas a partir de: a) 16 anos, de livre vontade; b) 16 anos, com autorização do pai e da mãe, ou do representante legal; c) 18 anos, pois já adquiriu a maioridade civil; d) 21 anos. 22) O juiz poderá suprir a autorização: a) se os pais divergem ou se a denegação do consentimento for injusta; b) para evitar imposição ou cumprimento de pena criminal; c) no caso de gravidez; d) todas as alternativas estão corretas. 23) O processo de habilitação deve ser feito: a) todo no local onde os noivos vão morar; b) uma parte pode ser feita onde o noivo ou a noiva moram, a outra deve ser feita onde os noivos vão morar; c) todo no local onde mora o noivo ou a noiva; d) aonde irá se realizar o casamento. 24) Os impedimentos estão relacionados no art do CC. Sua infração causa a nulidade do casamento (nulidade absoluta, art 1.548, II). Na doutrina denominam-se impedimentos absolutamente dirimentes. De acordo com o art , é correto afirmar que são impedidos de casar: a) tio com sobrinha, mesmo que procedido com exame médico; b) o adotado com o filho do adotante; c) por incompetência da autoridade celebrante; d) afins em linhas colaterais de 4 grau.

5 25) Além da nulidade absoluta, há também um rol de nulidades relativas (impedimentos relativamente dirimentes): anulabilidade (casamento anulável). Neste caso é anulável o casamento: a) por vício de vontade (erro essencial ou coação); b) de enfermo mental; c) de afins em linha reta; d) nenhuma das alternativas anteriores. 26) A argüição das causas suspensivas cabe: a) somente a parentes próximos, relacionados no art ; b) somente ao interessado direto; c) a qualquer interessado; d) somente ao Ministério Público. 27) Sobre o divórcio, assinale a alternativa ERRADA: a) após separação de fato por mais de dois anos, pode o casal requerer o divórcio direto sem prévia separação judicial; b) não há necessidade de prévia partilha de bens; c) pode ser consensual ou contencioso; d) o separado judicialmente pode também pleitear o divórcio direto, desde de que separado de fato por mais de um ano (divórcio direto sobreposto à separação judicial) 28) Há dois tipos de separação judicial: a consensual e a contenciosa. Na 1ª, o pedido deve ser feito por ambos os cônjuges; já na 2ª, basta um dos cônjuges contra o outro em três hipóteses. Assinale a alternativa errada: a) na separação judicial consensual, o juiz ouvirá os cônjuges e tentará a conciliação; b) a separação sanção, refere-se a grave violência de deveres do casamento, tornando insuportável a vida em comum, como o adultério e etc; c) a separação falência, refere-se a um dos cônjuges ter levado a família a falência, não tendo mais condições financeiras e morais para a reestruturação familiar; d) a separação remédio refere-se a doença mental grave, manifestada após o casamento, de cura improvável e de duração superior a dois anos. 29) A pessoa relaciona-se a uma família: a) pelo vínculo de parentesco e pelo vínculo conjugal; b) pelo vínculo da afinidade; c) apenas pelo vínculo de parentesco; d) a e b estão corretas.

6 30) Na habilitação de casamento podem os nubentes optar por um dos regimes previstos na lei, mediante escritura pública de pacto antenupcial (art ). Mas, se nada convencionaram a respeito, o regime que vigorará será o: a) Regime da comunhão parcial; b) Regime da comunhão universal; c) Regime da separação de bens; d) Regime de participação final nos aqüestos. 31) De um modo geral, o Regime de comunhão universal importa a comunicação de todos os bens adquiridos antes ou depois do casamento pelos cônjuges, exceto: a) bens particulares; b) bens por sucessão; c) bens doados ou herdados com a cláusula de incomunicabilidade; d) não há exceções. 32) A separação dos corpos pode ser requerida: a) antes da ação de nulidade ou anulação do casamento; b) antes da separação judicial; c) antes do divórcio direto; d) todas estão corretas. 33) Sobre a adoção, assinale a afirmativa incorreta: a) é irrevogável; b) o adotante deve ter mais de 18 anos e ser 16 anos mais velho que o adotado; c) a morte dos adotantes restabelece o pátrio poder (atualmente, poder familiar) dos pais naturais; d) podem adotar em conjunto companheiros em união estável, basta que um deles tenha mais de 18 anos. 34) Está correta a afirmativa: a) pode-se renunciar o direito a alimentos; b) o foro competente para a propositura da ação de alimentos é o da residência do alimentando; c) os alimentos provisionais são os fixados desde logo pelo juiz, na ação de rito especial, da L 5.478/68; d) os alimentos civis são os compatíveis com a condição social do alimentando, não cobrindo as despesas de instrução. 35) O Bem de família dividi-se em: a) voluntário e legal; b) acessórios e principais; c) penhoráveis e impenhoráveis; d) diretos e indiretos

7 36) Sobre a União estável, é certo dizer que: a) não há união estável no caso de convivência simultânea com a esposa e outra mulher; b) não cabe o direito a alimentos entre os conviventes; c) não cabem direitos sucessórios entre os conviventes; d) o regime de bens, salvo contrato escrito, que vigora entre os companheiros, no que couber, é o regime da separação de bens. 37) A tutela será quando o tutor for nomeado pelos pais, em disposição de última vontade. a) legítima; b) testamentária; c) dativa; d) especial. 38) O curador será nomeado, exceto: a) para deficientes mentais; b) para pródigos; c) somente para menores; d) para ausentes. 39) A idade mínima para um indivíduo se casar é: a) Maior que 14 anos b) Menor que 18 anos c) 15 anos d) 16 anos com autorização dos pais ou representante legal 40) O casamento terá nulidade absoluta se houver: a) Casamento entre tio e sobrinha desde que precedido de atestado médico b) Casamento entre pessoas sem grau de parentesco c) Casamento entre irmãos, unilaterais ou bilaterais, e demais colaterais, até o terceiro grau inclusive d) Casamento entre amigos 41) O casamento pode ser: a) Nulo, anulável, irregular b) Irregular, permicivo, proibido c) Suspenso, homologado, revogado d) Consentido, decadente, dirimente

8 42) A Separação Judicial pode ser consensual ou contenciosa. Qual dessas alternativas refere-se ao casamento consensual: a) Separação Remédio: Doença mental grave manifestada após o casamento b) Separação Falência: Ruptura da vida em comum por mais de um ano, com impossibilidade de sua constituição c) Dá-se por acordo. Só pode ser r5equerida após um ano de casamento. O pedido é apresentado por ambos os cônjuges d) Separação Sanção: Refere-se à grave violação dos deveres do casamento, tornando insuportável a vida em comum. 43) Qual alternativa não se refere a relações de família: a) Vínculo Social b) Vínculo de Parentesco c) Vínculo Conjugal d) Vínculo da Afinidade 44) Os parentes em linha reta são: a) Os que procedem do casamento b) Os que resultam da consangüinidade c) Os que provém de um só tronco, até o 4º grau, sem descenderem um dos outros, como o irmão, o tio, o sobrinho d) Os que estão um para com os outros na relação de ascendentes e descendentes (pai, avô, filho) 45) Qual alternativa refere-se ao direito atual dos filhos: a) Legítimos, legitimados, adotivos b) Nenhuma distinção c) Ilegítimos: naturais ou espúrios d) Espúrios: adulterinos ou incestuosos 46) Qual alternativa é errada em relação a adoção: a) O adotante tem que ter 18 anos e ser 16 anos mais velho que o adotado b) A adoção é irrevogável. A morte dos adotantes não restabelece o pátrio poder dos pais naturais c) Divorciados e separados judicialmente não podem fazer adoção d) Marido e mulher ou companheiros em situação estável podem fazer adoção 47) O Regime de bens que está em vigor atualmente é: a) Comunhão Universal b) Separação de bens c) Comunhão Parcial d) Participação final dos aqüestros

9 48) O Concubinato qualificado por sociedade de fato significa que: a) A convivência prolongada entre um homem e uma mulher pode formar uma sociedade de fato b) O relacionamento é indiferente para o direito no sentido de não carregar vínculos legais entre os parceiros c) Dentro dos requisitos mais rigorosos o concubinato pode assumir a posição de união estável d) Nda 49) Qual alternativa não está ligada a união estável: a) Regime de bens b) Conversão em casamento c) Direitos e Deveres d) Divórcio 50) Qual alternativa não está ligada a concubinato e união estável: a) Locação b) Guarda dos filhos c) Nome d) Transmissão de herança 51) Tutela legítima será: a) Quando recair sobre parentes consangüíneos do menor b) Quando o tutor for nomeado pelos pais, em disposição de última vontade c) Quando recair em pessoa estranha à família d) Quando os pais estão impedidos ou em local estranho ou ignorado, provisoriamente sem condição de dar a devida proteção aos filhos 52) Qual alternativa não se refere ao tipo de tutela: a) Dativa b) Especial c) Direitos d) Legítima 53) O curador pode ser nomeado para defender certos interesses exceto para: a) Deficientes mentais b) Pródigos c) Menores d) Herança jacente

10 54) Qual alternativa refere-se a alimentos civis: a) São os fixados desde logo pelo juiz, na ação de rito especial b) São os compatíveis com a condição social do alimentado, cobrindo inclusive despesas de instrução c) São os fixados ou acordados que podem ser revistos sempre que sobreviver mudança na situação econômica das partes d) São os reclamados pela mulher ao propor, ou antes de propor, ação de separação judicial ou divórcio 55) Os bens reservados pertencem a: a) Apenas um dos cônjuges e são excluídos da comunhão b) Aos dois cônjuges e estão incluídos na comunhão c) Apenas um dos cônjuges e estão incluídos na comunhão d) Nda 56) Quando falamos em bem de família voluntário podemos dizer que? a) Os cônjuges ou a entidade familiar podem destinar até um terço de seu patrimônio para instituí-lo b) Poderá ocorrer a impenhorabilidade geral de todas as moradias familiares próprias independentes de qualquer ato ou providência dos interesses c) Poderá ocorrer a impenhorabilidade aplicada aos bens móveis quitados, de propriedade do inquilino no caso de residência alugada. d) É um objeto do instituto de um único móvel quitado, de moradia permanente da família. 57) Casamento putativo significa: a) Casamento por defeito de idade b) Casamento por falta de autorização c) Casamento por vício de vontade (erro essencial ou coação) d) Casamento nulo ou anulável que tenha sido contraído de boa-fé 58) De conformidade ao Código Civil, não podem casar: a) Colaterais de 3º grau (tio (a) e sobrinho (a)); b) O adotante como conjugue do adotado e o adotado como o conjugue do adotado; c) Clérigos e diplomatas; d) O estrangeiro sem prova de permanência legal no país; 59) Não é classe de impedimento ao casamento: a) Impedimentos relativamente dirimentes; b) Impedimentos parcialmente dirimentes; c) Impedimentos impedientes; d) Impedimentos absolutamente dirimentes;

11 60) Não estão relacionados entre os impedimentos absolutamente dirimentes: a) O adotado com o filho superveniente ao pai ou à mãe adotiva; b) As pessoas casadas; c) As mulheres menores de 16 anos e os homens menores de 18 anos; d) Os afins em linha reta, seja o vínculo legítimo ou ilegítimo; 61) É casamento inexistente aquele: a) Que possui defeito tão grave e visível que dispensa ação judicial; b) Contraído em infração de impedimentos absolutamente dirimente; c) Contraído com erro essencial quanto à pessoa do conjugue; e) Contraído com infração de impedimento impediente; 62) Sobre o regime de bens: I. É irrevogável; II. Começa a vigorar na data do casamento; III. É revogável desde que os conjugues o queiram revogar; Estão corretas as afirmativas: a) I e II apenas; b) I apenas; c) II apenas; d) III apenas; 63) O casamento contraído perante autoridade incompetente: a) É inexistente; b) É nulo, mas a nulidade será considerada sanada se não se alegar até dois anos de celebração; c) É nulo e pode ser anulado a qualquer tempo; d) É irregular; 64) Sobre a união estável entende-se que: a) Não é fato jurídico; b) Caracteriza-se por uma situação de fato continuada e informal, portanto é fato jurídico; c) Não cabe o direito a alimentos entre os convenientes ainda que provada a necessidade; d) Pode ser múltipla, podendo, por exemplo, um homem ter união estável com duas mulheres simultaneamente; 65) Sabe-se que uma pessoa relaciona-se a uma família pelo vínculo do parentesco, pelo vínculo conjugal e pelo vínculo de afinidade. Estão respectivamente nesta ordem as relações: a) Pai e filha, genro e sogra, padrasto e enteado; b) Avó e neto, marido e mulher, padrasto e enteado; c) Padrasto e enteado, marido e mulher, avó e neto; d) Pai e filho, irmão e irmã, marido e mulher;

12 66) Sabe-se que parentesco legítimo resulta de casamento, parentesco natural resulta da consangüinidade e que parentesco civil é o que resulta da adoção. Pode-se afirmar, pois, que: a) Avô e neto não são parentes ilegítimos, mas são parentes naturais; b) Adotando e adotado possuem parentesco civil e legítimo entre si; c) Marido e mulher possuem legítimo e natural entre si; d) Marido e mulher são parentes legítimos assim como bisavô e bisneto não o são; 67) A relação pai e filho e nora e sogra estabelecem respectivamente: a) Parentesco em linha colateral e afinidade em linha colateral; b) Parentesco em linha reta e afinidade em linha reta; c) Afinidade em linha colateral e parentesco civil; d) Afinidade em linha reta, ambos; 68) Se os nubentes nada convencionarem a respeito do regime de bens, vigorará o regime: a) Da comunhão parcial; b) Da comunhão universal; c) Da separação; d) Dotal; 69) I-Concubinato puro refere-se a conviventes sem impedimentos para casarem um com o outro: II-A união incestuosa é entendida como concubinato impuro; III-A união estável é entendida como concubinato puro; Está correto o que se afirma em: a) I, II e III; b) I apenas: c) I e III apenas; d) II e III apenas; 70) Sobre separação judicial é correto afirmar que: a) Essa põe fim aos deveres conjugais e ao regime de bens e dissolve o vínculo matrimonial; b) A separação judicial contenciosa se dá por acordo dos conjugues; c) A separação judicial consensual é requerida por um conjugue conta o outro; d) Não dissolve o vínculo matrimonial, já que isso só é possível quando a separação judicial é convertida em divórcio; 71) Assinale a opção incorreta: a) A adoção de menor é irrevogável; b) O filho adotivo herda diferentemente dos filhos legítimos, legitimados ou reconhecidos; c) A adoção intencional só deve ser realizada se não houver possibilidade de coloção de da criança em seu estado de origem; d) Podem adotar os maiores de 21 anos, dede que 16 anos mais velhos que o adotado;

13 72) I-Os filhos podem e devem ser reconhecidos a qualquer tempo se ainda forem solteiros; II-O reconhecimento de filho maior depende de seu consentimento; III-O reconhecimento de filho pode dar-se no registro de nascimento por escritura pública ou por escrito particular, por testamento ou verbalmente perante o juiz; Estão corretas as afirmações: a) I e II apenas; b) I e III apenas; c) II e III apenas; d) I II e III; 73) A tutela será quando recair sobre parentes consangüíneos do menor. Será quando o tutor for nomeado pelos pais, em disposição de última vontade. E será quando recair em pessoa estranha à família do menor, nomeada pelo juiz. A opção que preenche corretamente os espaços é: a) Legítima, testamentária, dativa; b) Legítima, dativa, testamentária; c) Dativa, legítima, testamentária; d) Testamentária, dativa, legítima; 74) Marque a opção correta: a) A obrigação de prestar alimentos transmite-se aos herdeiros do devedor; b) A ação de alimentos é prescritível; c) A vida em comum sob o mesmo teto pode impedir a propositura da ação de alimentos; d) O dever de prestar alimentos continua mesmo quando a mulher passa a viver maritalmente com outro homem; 75) Sobre curatela, assinale a opção incorreta: a) O curador em geral é nomeado para maiores incapazes e para a proteção de certos interesses; b) O pródigo pode casar-se em regime que não seja o da comunhão de bens, dispensável sendo a autorização de seu curador; c) A interdição do pródigo abrange apenas atos de disposição ou oneração de bens, que não mais poderão ser praticados por ele sem a assistência do curador; d) Na hipótese dos loucos e dos pródigos, faz-se necessário um processo de interdição, para a nomeação de um curador; 76) Considera-se ausente a pessoa que desaparece de seu domicílio sem deixar representante ou procurador, não havendo dela notícia. São feitas as seguintes considerações: I. A lei dá à ausência uma solução em três etapas: curatela do ausente, sucessão provisória e sucessão definitiva; II. Sendo os pais declarados ausentes, os filhos menores são postos sobre tutela; III. O casamento se dissolve pela ausência depois de seis meses.

14 Está correto o que se afirma em: a) I e III apenas; b) III apenas; c) I II e III; d) I e II apenas; 77) Marque a opção correta: a) A separação contenciosa pode ser requerida por um conjugue contra outro considerado ausente; b) Após dois anos consecutivos de separação de fato do casal, pode o divórcio ser requerido diretamente, sem necessidade de prévio processo de separação judicial; c) Na conversão da separação judicial em divórcio indispensável não é a partilha de bens; d) O divórcio não dissolve definitivamente o vínculo matrimonial.

5 Celebração e Prova do Casamento, Ritos matrimoniais, Cerimônia do casamento, Suspensão da cerimônia, 85

5 Celebração e Prova do Casamento, Ritos matrimoniais, Cerimônia do casamento, Suspensão da cerimônia, 85 Sumário Nota do Autor à lfi edição, xiii 1 Introdução ao Direito de Família, 1 1.1 Compreensão, 1 1.2 Lineamentos históricos, 2 1.3 Família moderna. Novos fenômenos sociais, 5 1.4 Natureza jurídica da

Leia mais

Introdução ao Direito de Família Casamento e União Estável Formalidades Preliminares. Habilitação para o Casamento

Introdução ao Direito de Família Casamento e União Estável Formalidades Preliminares. Habilitação para o Casamento Sumário 1 Introdução ao Direito de Família 1.1 Compreensão 1.2 Lineamentos Históricos 1.3 Família Moderna. Novos Fenômenos Sociais 1.4 Natureza Jurídica da Família 1.5 Direito de família 1.5.1 Características

Leia mais

Direito Civil. Direito de Família. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito de Família. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito de Família Prof. Marcio Pereira Direito de Família O Direito de Família divide-se em quatro espécies: direito pessoal, direito patrimonial, união estável, tutela e curatela. Casamento

Leia mais

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES I. SUCESSÃO EM GERAL II. SUCESSÃO LEGÍTIMA III. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA IV. INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. Conceito 2. Parentesco 3. Sucessão por direito próprio e por

Leia mais

Causas suspensivas. 1 Causas Suspensivas: CASAMENTO PARTE III: CAUSAS SUSPENSIVAS. INEXISTÊNCIA, INVALIDADE E INEFICÁCIA. EFEITOS DO CASAMENTO.

Causas suspensivas. 1 Causas Suspensivas: CASAMENTO PARTE III: CAUSAS SUSPENSIVAS. INEXISTÊNCIA, INVALIDADE E INEFICÁCIA. EFEITOS DO CASAMENTO. CASAMENTO PARTE III: CAUSAS SUSPENSIVAS. INEXISTÊNCIA, INVALIDADE E INEFICÁCIA. EFEITOS DO CASAMENTO. Prof.a Dra Cíntia Rosa Pereira de Lima Não geram a nulidade ou anulabilidade do casamento; Norma inibitória:

Leia mais

DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I

DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I CASAMENTO PUTATIVO EMBORA NULO OU ANULÁVEL FOI CONTRAÍDO EM BOA-FÉ, ART. 1.561 CC. REQUISITOS: SUBJETIVO (BOA-FÉ) E A CIRCUNSTÂNCIA DO CASAMENTO SER CONSIDERADO NULO OU ANULÁVEL

Leia mais

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos Direito Matrimonial o Conceito: o Natureza jurídica do casamento: o Finalidades do casamento: o Princípios do casamento: o Esponsais

Leia mais

ROTEIRO DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PARA ANALISTA DO BACEN NOÇÕES GERAIS

ROTEIRO DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PARA ANALISTA DO BACEN NOÇÕES GERAIS ROTEIRO DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PARA ANALISTA DO BACEN NOÇÕES GERAIS 1) Espécies de Entidade familiar a. Família matrimonial (casamento). b. Família informal (união estável). c. Família monoparental

Leia mais

Instituições de Direito Público e Privado. Parte VII Casamento

Instituições de Direito Público e Privado. Parte VII Casamento Instituições de Direito Público e Privado Parte VII Casamento 1. Casamento Conceito Casamento é Instituição Antiquíssima, Já Registrado no Antigo Egito e Babilônia Casamento é o vínculo jurídico entre

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 18/09/2017. Parentesco. Os parentes em linha reta são os ascendentes e os descendentes, os graus na linha

Leia mais

Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o

Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o União Estável Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o mesmo teto, com o objetivo de constituir

Leia mais

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO XXII EXAME DE ORDEM DIREITO DE FAMÍLIA Temas recorrentes FAMÍLIA casamento; regime de bens partilha Alteração SUCESSÕES vocação

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 02/10/2017. Variedade do regime de bens. Comunhão parcial de bens. Bens que não se comunicam na comunhão

Leia mais

Direito Civil. Do Regime de Bens. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Do Regime de Bens. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Do Regime de Bens Prof. Marcio Pereira Regime de Bens É o estatuto patrimonial que vigora entre os cônjuges durante o casamento. São aplicáveis os seguintes princípios: Princípio da variedade

Leia mais

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002 Código Civil Lei 10.406, 10 de Janeiro de 2002 DA PERSONALIDADE E DA CAPACIDADE Art. 1o Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil. Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento

Leia mais

16.7.1 Execução de alimentos. Prisão do devedor, 394

16.7.1 Execução de alimentos. Prisão do devedor, 394 1 Introdução ao Direito de Família, 1 1.1 Compreensão, 1 1.2 Lineamentos históricos, 3 1.3 Família moderna. Novos fenômenos sociais, 5 1.4 Natureza jurídica da família, 7 1.5 Direito de família, 9 1.5.1

Leia mais

Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Invalidade do Casamento Casamento Nulo Art. 1.548. É nulo

Leia mais

7. Casamento inválido. 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente. São de três espécies: Requisitos de Exisitência:

7. Casamento inválido. 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente. São de três espécies: Requisitos de Exisitência: 7. Casamento inválido São de três espécies: A) Casamento Inexistente B) Casameto Nulo 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente Requisitos de Exisitência: 1. Deferença de sexo 2. Consentimento 3.

Leia mais

EXERCÍCIO DIREITO DE FAMÍLIA

EXERCÍCIO DIREITO DE FAMÍLIA EXERCÍCIO DIREITO DE FAMÍLIA 1. São impedidos de casar a) os parentes colaterais até o quarto grau. b) os afins em linha reta e em linha colateral. c) o adotante com quem foi cônjuge do adotado e o adotado

Leia mais

Secretário de Diligências

Secretário de Diligências Secretário de Diligências Questões Direito Civil Profª Alessandra Vieira Direito Civil QUESTÕES DE DIREITO DE FAMÍLIA 1. A respeito da disciplina dos alimentos no Código Civil, assinale a opção correta:

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 20/09/2017. Casamento.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 20/09/2017. Casamento. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 20/09/2017. Impedimentos. Casamento. O artigo 1.521 traz os impedimentos para o casamento, se casar será

Leia mais

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres.

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. Casamento O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. PRAZO PARA DAR ENTRADA No mínimo 40 (quarenta) dias antes da data prevista para celebração do casamento.

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

Planejamento Patrimonial. Questionamento para mulheres de executivos

Planejamento Patrimonial. Questionamento para mulheres de executivos Planejamento Patrimonial Questionamento para mulheres de executivos Bueno, Mesquita e Advogados O Bueno, Mesquita e Advogados é um escritório de advocacia empresarial com foco em empresas familiares e

Leia mais

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito das Sucessões Prof. Marcio Pereira Sucessões (art. 1.784 do CC) É a transmissão de bens, direitos e obrigações de uma pessoa para outra que se dá em razão de sua morte. Aberta a successão,

Leia mais

Modificações no Estatuto das Famílias

Modificações no Estatuto das Famílias Modificações no Estatuto das Famílias Projeto de Lei 2.285/2007, apensado ao PL 675/2007 PROJETO ORIGINAL deputado Sérgio Barradas (PT-BA) Art. 91 Constituindo os pais nova entidade familiar os direitos

Leia mais

1 Considerações Iniciais:

1 Considerações Iniciais: DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONJUGAL E DO CASAMENTO: Prof.a Dra Cíntia Rosa Pereira de Lima 1 Considerações Iniciais: CC/16: indissolubilidade do vínculo matrimonial. - desquite: fim dever de fidelidade e

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR O ECA define três modalidades de família. São elas: NATURAL (art. 25, Caput) EXTENSA OU AMPLIADA (art. 25, único) SUBSTITUTA (art. 28) NATURAL Entende-se por família natural

Leia mais

UNIÃO ESTÁVEL. 1 Introdução: 1 Introdução: 28/09/2014. União Estável vs. Família Matrimonializada. CC/16: omisso. CF/88: art.

UNIÃO ESTÁVEL. 1 Introdução: 1 Introdução: 28/09/2014. União Estável vs. Família Matrimonializada. CC/16: omisso. CF/88: art. UNIÃO ESTÁVEL Prof.a Dra Cíntia Rosa Pereira de Lima União Estável vs. Família Matrimonializada CC/16: omisso CF/88: art. 226, 3º Hoje: CC/02 (arts. 1.723 a 1.726) Concubinato. Já está superada a divergência

Leia mais

I (revogado); II (revogado); III (revogado)...

I (revogado); II (revogado); III (revogado)... REDAÇÃO ATUAL Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil: I - os menores de dezesseis anos; II - os que, por enfermidade ou deficiência mental, não tiverem o necessário

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Os direitos dos companheiros na união estável. Sandra Ressel * A União estável é um instituto que consiste na união respeitável, a convivência contínua, duradoura e pública, entre

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

CASAMENTO. Vitor F. Kümpel PALESTRA CASAMENTO

CASAMENTO. Vitor F. Kümpel PALESTRA CASAMENTO PALESTRA CASAMENTO 1 1. VISÃO CONSTITUCIONAL - A Constituição Federal de 1988 inovou ao estabelecer novas formas constitutivas de família, além do casamento; - A família só era constituída pelo casamento;

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES

DIREITO DAS SUCESSÕES 1) (OAB/PR 28/08/2004) Assinale a alternativa correta, tomando em consideração as afirmativas a seguir: I Na sucessão dos conviventes (união estável), o companheiro sobrevivente que concorrer na herança

Leia mais

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :29 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :11

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :29 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :11 INFORMAÇÕES PARA HABILITAÇÃO DE CASAMENTO DIVORCIADO 1. DOCUMENTOS: 1.1. Certidão de Casamento com averbação de divórcio, original e cópia simples; 1.2. Cópia simples da petição inicial, sentença e certidão

Leia mais

Direito Civil. Do Casamento. Professora Alessandra Vieira.

Direito Civil. Do Casamento. Professora Alessandra Vieira. Direito Civil Do Casamento Professora Alessandra Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil CASAMENTO Art. 1.517. O homem e a mulher com dezesseis anos podem casar, exigindo-se autorização de

Leia mais

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL Aspectos Relevantes 1 2 Introdução O presente trabalho não tem o intuito de exaurir o tema, haja vista sua extensão e as particularidades de cada caso,

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

Renata Tibyriçá Defensora Pública do Estado

Renata Tibyriçá Defensora Pública do Estado Renata Tibyriçá Defensora Pública do Estado Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art. 134), presta assistência jurídica gratuita à população necessitada (geralmente são atendidas

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007 PROJETO DE LEI N.º, DE 2007 Regulamenta o artigo 226 3º da Constituição Federal, união estável, institui o divórcio de fato. O Congresso Nacional decreta: DA UNIÃO ESTAVEL Art. 1º- É reconhecida como entidade

Leia mais

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :28 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :05

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :28 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :05 INFORMAÇÕES PARA HABILITAÇÃO DE CASAMENTO SOLTEIRO 1. DOCUMENTOS: 1.1. Certidão de Nascimento, original e cópia simples, essas não poderão conter rasuras nem emendas; 1.2. Cópia simples da identidade e

Leia mais

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança Sumário 1. Noções Introdutórias 1.1 Sucessão. Compreensão do Vocábulo. O Direito das Sucessões 1.2 Direito das Sucessões no Direito Romano 1.3 Ideia Central do Direito das Sucessões 1.4 Noção de Herança

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 04/10/2017. Pacto antenupcial para o regime da comunhão parcial de bens. No que tange o regime de comunhão

Leia mais

DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I

DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I PARENTESCO RELAÇÃO QUE VINCULA ENTRE SI PESSOAS QUE DESCENDEM UMAS DAS OUTRAS, OU DE AUTOR COMUM (CONSANGUINIDADE), QUE APROXIMA CADA UM DOS CÔNJUGES DOS PARENTES DO OUTRO (AFINIDADE),

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

Princípios Básicos ENTRE OS CÔJUGES. Princípios Básicos. Princípios Básicos

Princípios Básicos ENTRE OS CÔJUGES. Princípios Básicos. Princípios Básicos DO REGIME DE BENS ENTRE OS CÔJUGES 1. Irrevogabilidade ATENÇÃO -> A imutabilidade do regime de bens não é, porém, absoluta no novo Código Civil. O art. 1639, 2º., admite a sua alteração. 1. Irrevogabilidade

Leia mais

Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL

Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL P A R T E E S P E C I A L LIVRO IV DO DIREITO DE FAMÍLIA TÍTULO

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Código da Disciplina: 2742 Vigência: 1 / 2004 Disciplina: DIREITO CIVIL VI - FAMILIA Código do Curso: 17 Curso: Direito Unidade: NÚCLEO UNIV BH Turno: NOITE Período: 8 Créditos: 4 Carga Horária TOTAL 60

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 25/10/2017. Divórcio estrangeiro. O divórcio feito no estrangeiro precisava ser homologado no STF para

Leia mais

DIREITO CIVIL MARATONA OAB SUPER REVISÃO PARA O XX EXAME DE ORDEM PROFESSORA RAQUEL BUENO DIREITO CIVIL

DIREITO CIVIL MARATONA OAB SUPER REVISÃO PARA O XX EXAME DE ORDEM PROFESSORA RAQUEL BUENO DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL MARATONA OAB SUPER REVISÃO PARA O XX EXAME DE ORDEM PROFESSORA RAQUEL BUENO DIREITO CIVIL 1 2 O DIÁRIO DE LAURA LEDA E ADÃO LANCE ALIMENTOS GRAVÍDICOS LEI 11.804/2008 LAURINHA REGISTRO CIVIL

Leia mais

Direito Civil Prof. Conrado Paulino Rosa

Direito Civil Prof. Conrado Paulino Rosa DIREITO DE REPRESENTAÇÃO 1. Direito de representação: Por direito próprio: o Herdeiros descendentes recebem de forma direta, sucedendo por cabeça ou por direito próprio, sem nenhuma representação entre

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS

DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Conceito de família; Conteúdo e Conceito do Direito de Família; Natureza da Divisão; Divisão da matéria; Eficácia horizontal dos

Leia mais

Consiste na inclusão ou exclusão de dependente para fins de dedução da base de cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF).

Consiste na inclusão ou exclusão de dependente para fins de dedução da base de cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). DEFINIÇÃO Consiste na inclusão ou exclusão de dependente para fins de dedução da base de cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). REQUISITOS BÁSICOS 1. Para inclusão de dependentes: a) Relação

Leia mais

Relativamente incapaz

Relativamente incapaz FIT/UNAMA Curso: Bacharelado em Direito Aula 05: Emancipação Disciplina: Teoria Geral do Direito Civil Professora Dra. Nazaré Rebelo E-mail: professoranazarerebelo@gmail.com EMANCIPAÇÃO Emancipação é a

Leia mais

Sexta da Família: planejamento sucessório

Sexta da Família: planejamento sucessório Sexta da Família: planejamento sucessório LUIZ KIGNEL Advogado militante; Especialista em Direito Privado pela USP; Membro do IBDFam e do IBGC. Planejamento Sucessório Luiz Kignel kignel@plkc.com.br www.plkc.com.br

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Das várias espécies de casamento Marcus Vinícius Pessoa Cavalcanti Villar* Da celebração do casamento Com a habilitação, os interessados requererão ao juiz competente pela legislação

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PESSOA NATURAL

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PESSOA NATURAL PESSOA NATURAL Capacidade Jurídica 1 Conceito de pessoa natural Conceito de personalidade (jurídica ou civil) (patrimonial) (existencial) Conceito de capacidade 2 COMPREENDENDO A SISTEMÁTICA DO CÓDIGO

Leia mais

Sumário 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21

Sumário 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 Sumário 1. INTRODUÇÃO AO DIREITO DE FAMÍLIA... 21 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 1.2. O AVANÇO DA INTERVENÇÃO ESTATAL E SUA INEFICIÊNCIA...

Leia mais

Sumário PALAVRAS PRÉVIAS... 5 PREFÁCIO... 7

Sumário PALAVRAS PRÉVIAS... 5 PREFÁCIO... 7 Sumário PALAVRAS PRÉVIAS... 5 PREFÁCIO... 7 1. INTRODUÇÃO AO DIREITO DE FAMÍLIA... 21 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 1.2. O AVANÇO DA INTERVENÇÃO

Leia mais

Natureza jurídica da família:

Natureza jurídica da família: Família Conceito de família família é um grupo de pessoas ligadas entre si por relações pessoais e patrimoniais resultantes do casamento, da união estável e do parentesco ( 4º do art. 226, CF). Comentários

Leia mais

Estrutura familiar e dinâmica social

Estrutura familiar e dinâmica social Estrutura familiar e dinâmica social Introdução Neste trabalho pretendendo tratar minuciosamente sobre o conceito e relevância social do parentesco; a família enquanto grupo específico e diferenciado de

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO

ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO Capítulo I DIREITO DE FAMÍLIA 1. Conceito 2. Divisão 3. Natureza do direito de família 4. Fontes do direito de família 5. A família 6. Autonomia da comunhão de

Leia mais

DCV 0411 Direito de Família. Critério de Correção da Prova Bimestral 1º semestre de Turma 21

DCV 0411 Direito de Família. Critério de Correção da Prova Bimestral 1º semestre de Turma 21 DCV 0411 Direito de Família Critério de Correção da Prova Bimestral 1º semestre de 2016 Turma 21 1. Casamento nuncupativo é o que se realiza quando algum dos contraentes estiver em iminente risco de vida,

Leia mais

AULA 14. União estável. Concubinato. Arts a 1.727, CC. Art. 226, 3º, CF. Leis nº 9.278/96 e nº 8.971/94. 1

AULA 14. União estável. Concubinato. Arts a 1.727, CC. Art. 226, 3º, CF. Leis nº 9.278/96 e nº 8.971/94. 1 Quem junta com fé, casado é. (Sabedoria popular) AULA 14 União estável. Concubinato. Arts. 1.723 a 1.727, CC. Art. 226, 3º, CF. Leis nº 9.278/96 e nº 8.971/94. 1 BREVE HISTÓRICO CC/1916: UNIÃO ESTÁVEL

Leia mais

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Toda a sucessão legítima observará uma ordem de vocação hereditária que, no Código Civil, está prevista no artigo 1.829. Art. 1.829.

Leia mais

Sumário DIREITO DAS FAMÍLIAS Planejamento Familiar e Paternidade Responsável Monogamia: Princípio Familiarista?...

Sumário DIREITO DAS FAMÍLIAS Planejamento Familiar e Paternidade Responsável Monogamia: Princípio Familiarista?... DIREITO DAS FAMÍLIAS Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS FAMÍLIAS... 27 1. Conceito Dinamizado pela Perspectiva Histórico-Axiológica... 27 1.1. Qual a Natureza Jurídica da Família? Seria Pessoa Jurídica?..

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO. Redação Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil os menores de 16 (dezesseis) anos.

QUADRO COMPARATIVO. Redação Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil os menores de 16 (dezesseis) anos. QUADRO COMPARATIVO Código Civil/2002 Art. 3 o São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil: I - os menores de dezesseis anos; II - os que, por enfermidade ou deficiência mental,

Leia mais

DA CELEBRAÇÃO E DA PROVA DO CASAMENTO (ARTIGOS AO 1.547, DO CC)

DA CELEBRAÇÃO E DA PROVA DO CASAMENTO (ARTIGOS AO 1.547, DO CC) DA CELEBRAÇÃO E DA PROVA DO CASAMENTO (ARTIGOS 1.533 AO 1.547, DO CC) DA CELEBRAÇÃO DO CASAMENTO A Celebração do Casamento é um ato formal, público e solene, que envolve a manifestação livre e consciente

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016 Disciplina: Direito Civil V Departamento II: Direito Privado Docente Responsável: Daniele Cristina Pavin Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 5º Ano Objetivos:

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Joseval Martins Viana (Aula 26/10/2017). Contrato de Doação. Doação. Fundamentação legal: Artigos 538 a 554 do Código Civil. Conceito:

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril:

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A evolução da sua situação jurídica em Alexandra Teixeira de Sousa Maio de 2011. A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: evolução da situação jurídica

Leia mais

Assim, passaremos a relatar as principais características dessas cinco modalidades.

Assim, passaremos a relatar as principais características dessas cinco modalidades. É chegada a hora do SIM, mas apesar de toda a afinidade existente entre o casal, da presunção de amor que levam duas pessoas a se unirem, um fator muito importante deve ser observado pelos nubentes: o

Leia mais

Conceito de família. João Benício Aguiar. João Benício Aguiar

Conceito de família. João Benício Aguiar. João Benício Aguiar Conceito de família O que é família? Arranjos familiares: Família tradicional: pai, mãe e um ou mais filhos. Monoparental: composta por apenas um dos progenitores: pai ou mãe. Os motivos que possibilitam

Leia mais

UNIÃO ESTÁVEL TUTELA E CURATELA. Tutela - Conceito. Segundo Sílvio Rodrigues, podemos conceituar tutela como : TUTELA

UNIÃO ESTÁVEL TUTELA E CURATELA. Tutela - Conceito. Segundo Sílvio Rodrigues, podemos conceituar tutela como : TUTELA UNIÃO ESTÁVEL TUTELA E CURATELA Tutela - Conceito TUTELA Segundo Sílvio Rodrigues, podemos conceituar tutela como : "instituto de nítido caráter assistencial e que visa substituir o pátrio poder em face

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista

Faculdade de Direito da Alta Paulista PLANO DE ENSINO DISCIPLINA SÉRIE PERÍODO LETIVO CARGA HORÁRIA DIREITO CIVIL V (Direitos de família e das sucessões) QUINTA 2015 136 I EMENTA Direito de Família. Casamento. Efeitos jurídicos do casamento.

Leia mais

CASAMENTO E REGIMES DE BENS

CASAMENTO E REGIMES DE BENS CASAMENTO E REGIMES DE BENS Curso de Pós-Graduação Prof. Dr. Jorge Shiguemitsu Fujita 2017 CASAMENTO E REGIMES DE BENS 1 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS CC, arts. 1.639 a 1.688. 1.1. PACTO ANTENUPCIAL (CC, arts.

Leia mais

-Respeito à dignidade humana (Art. 1º, III, CF) Todos tem direito de ter uma família.

-Respeito à dignidade humana (Art. 1º, III, CF) Todos tem direito de ter uma família. Ana Maria 1- Direito de família: 1.1 - Noção A familia é uma realidade sociológica e constitui a base do estado. O vocábulo familia em sentido amplo abrange as pessoas ligadas por vinculos de sangue e

Leia mais

CURSO: DIREITO NOTURNO - CAMPO BELO SEMESTRE: 1 ANO: 2016 C/H: 33 AULAS: 40 PLANO DE ENSINO

CURSO: DIREITO NOTURNO - CAMPO BELO SEMESTRE: 1 ANO: 2016 C/H: 33 AULAS: 40 PLANO DE ENSINO CURSO: DIREITO NOTURNO - CAMPO BELO SEMESTRE: 1 ANO: 2016 C/H: 33 AULAS: 40 DISCIPLINA: DIREITO CIVIL V PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Entender o Direito de Família, obtendo uma formação crítica e social diante

Leia mais

Layout do arquivo de transferência de comunicações

Layout do arquivo de transferência de comunicações Layout do arquivo de transferência de comunicações Este documento contém a definição do layout do arquivo de transferência entre os cartórios. Somente serão enviadas as comunicações referentes aos cartórios

Leia mais

PREFEITURA DE ITAJAÍ Coordenadoria da Moralidade Administrativa

PREFEITURA DE ITAJAÍ Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/CMA/2009 (Com alteração no Anexo I) A presente Instrução Normativa disciplina o disposto na Constituição Federal e na Súmula Vinculante Nº 13, do Supremo Tribunal Federal, no

Leia mais

TÍTULO I DO DIREITO PESSOAL SUBTÍTULO I DO CASAMENTO CAPÍTULO X DA DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE E DO VÍNCULO CONJUGAL Art

TÍTULO I DO DIREITO PESSOAL SUBTÍTULO I DO CASAMENTO CAPÍTULO X DA DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE E DO VÍNCULO CONJUGAL Art Curso de Direito Parte Especial Livro IV Do Direito de Família Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 7 DA DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE E DO VÍNCULO CONJUGAL P A R T E E S P E C I A L LIVRO IV DO DIREITO

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina DIR317 Direito de família e sucessões

Programa Analítico de Disciplina DIR317 Direito de família e sucessões Catálogo de Graduação 01 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 5 Teóricas Práticas Total Duração em semanas:

Leia mais

PONTO 1: Direito de família introdução PONTO 2: Casamento PONTO 3: Regime de bens PONTO 4: Dissolução do casamento. 1. Direito de família introdução:

PONTO 1: Direito de família introdução PONTO 2: Casamento PONTO 3: Regime de bens PONTO 4: Dissolução do casamento. 1. Direito de família introdução: 1 PONTO 1: Direito de família introdução PONTO 2: Casamento PONTO 3: Regime de bens PONTO 4: Dissolução do casamento 1. Direito de família introdução: O direito de família é relacionado com o casamento

Leia mais

RESUMO DE DIREITO CIVIL

RESUMO DE DIREITO CIVIL RESUMO DE DIREITO CIVIL Descrição: Direito Civil 7 Período de Direito Direito de família Por Bianca Lilian da Silva Resumo de Direito Civil Oi pessoal! Segue abaixo um resuminho bem simples da matéria,

Leia mais

Curso de. Direito. Núcleo de Prática Jurídica. Direito de Família. www.faesa.br

Curso de. Direito. Núcleo de Prática Jurídica. Direito de Família. www.faesa.br Curso de Direito Núcleo de Prática Jurídica Direito de Família www.faesa.br mportante: Contatos de Cartórios em Vitória Cartório Sarlo: Av. Nossa Senhora da Penha, 549, Ed. Wilma, Santa Lúcia, Vitória-ES.

Leia mais

A SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL

A SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL A SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL Prof. Dr. Francisco José Cahali CASAMENTO: Convocação p/a Concorrência CC, art. 1829, I: CÔNJUGE HERDA concorrendo CÔNJUGE NÃO HERDA Comunhão parcial com bens

Leia mais

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN RODRIGO TOSCANO DE BRITO Doutor e Mestre em Direito Civil pela PUC-SP. Professor de Direito Civil da UFPB e da Escola da Magistratura.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima Aula 07/08/2017 Regime de bens. Regime de bens. Pactos antenupciais: contrato realizado antes do casamento,

Leia mais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 12 Matrimônio fatores de nulidade

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 12 Matrimônio fatores de nulidade Mater Ecclesiae Liturgia 2 Aula 12 Matrimônio fatores de nulidade Introdução Nulidade matrimonial Impedimentos (ou impedimentos dirimentes) são proibições legais em circunstâncias objetivas de caráter

Leia mais

Relações Familiares: efeitos sobre o patrimônio e possíveis soluções

Relações Familiares: efeitos sobre o patrimônio e possíveis soluções Relações Familiares: efeitos sobre o patrimônio e possíveis soluções Café da Manhã - Gestão Patrimonial, Família e Sucessões Outubro/2017 Por que a jurisprudência abre possibilidades não dispostas pela

Leia mais

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões.

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões. Belo Horizonte 2015 No Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais são registrados os atos mais importantes da vida de uma pessoa, como o nascimento, o casamento e o óbito, além da emancipação, da

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Da dissolução da sociedade conjugal José Carlos Vicente 1. INTRODUÇÃO Em 26 de dezembro de 1977 instituiu-se em nosso ordenamento jurídico a Lei nº. 6.515, que regula os casos de

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS / EDNAMAR BENFICA DE DEUS 6º SEMESTRE DIREITO CIVIL V DIREITO DE FAMÍLIA / PROF: ROBÉRIO SULZ

FACULDADE PROCESSUS / EDNAMAR BENFICA DE DEUS 6º SEMESTRE DIREITO CIVIL V DIREITO DE FAMÍLIA / PROF: ROBÉRIO SULZ 1- O que é casamento? O casamento é conceituado como comunhão plena de vida, com base na igualdade de direitos e deveres dos cônjuges - artigo 1.511 CC. Casamento é a união permanente e estável de duas

Leia mais

OAB XXI EXAME DE ORDEM 1ª FASE Direito Civil Aula 05 Luciano Figueiredo Sucessões Teoria Geral

OAB XXI EXAME DE ORDEM 1ª FASE Direito Civil Aula 05 Luciano Figueiredo Sucessões Teoria Geral Sucessões Teoria Geral Material para o Curso de Primeira Fase da OAB. Elaboração: Luciano L. Figueiredo 1. 1. Conceitos de Sucessão e Conceitos Importantes - Sucessor x Herdeiro x Legatário 2. Sistema

Leia mais

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE:

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE: CARTILHA INFORMATIVA SOBRE: As consequências patrimoniais dos principais regimes de bens quando da morte de um dos cônjuges. Material produzido por Felipe Pereira Maciel, advogado inscrito na OAB/RJ sob

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO DIVÓRCIO Do começo ao Fim de um Casamento

GUIA PRÁTICO DO DIVÓRCIO Do começo ao Fim de um Casamento GUIA PRÁTICO DO DIVÓRCIO Do começo ao Fim de um Casamento Dra. Deborah Calomino - Advogada calomino@lostadocalomino.com.br Pág. 1 Lostado & Calomino - Advogados Contato Fone: (13) 3222-5688 Fone: (11)

Leia mais

Aula 3 A Pessoa Natural 1ª Parte: Por Marcelo Câmara

Aula 3 A Pessoa Natural 1ª Parte: Por Marcelo Câmara Por Marcelo Câmara texto Sumário: 1 -texto A PESSOA NATURAL: 1.1 Pessoas reconhecidas pela ordem jurídica: naturais e jurídicas. 1.2 A personalidade jurídica: modos de aquisição e perda. 1.2.1 Docimasia

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões OBJETIVO Conhecer o instituto da Sucessão legítima. ROTEIRO! Introdução! Ordem de vocação hereditária! Herdeiros necessários! Sucessão por cabeça e por estirpe! Direito de transmissão

Leia mais