2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES"

Transcrição

1 2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES PIB Sustentabilidade na Prática Empresarial Jean Rodrigues Benevides GN de Meio Ambiente SN de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável

2 Situação Atual Estratégia de inserção da sustentabilidade Mudança cultural Mudança pessoal Situação Desejada Incorporação da sustentabilidade na gestão, nos negócios e nos relacionamentos de uma organização Gestão do processo de mudança Fonte: Beatriz Pacheco Curso Gestão Estratégica em Sustentabilidade Instituto ETHOS

3 Modelo deve ser construído de maneira consciente e crítica Quais os trade-off? Custos, responsabilidades, etc. Quais os dilemas? Mas e se eu fizer e o meu concorrente não? Quais as contradições? Foco curto prazo x longo prazo Quais os limites? Prioridades, agendas, etc. Fonte: Beatriz Pacheco Curso Gestão Estratégica em Sustentabilidade Instituto ETHOS

4 Mudança Cultural da Organizacional para a Sustentabilidade POR ONDE COMEÇAR? QUAL A MELHOR ESTRATÉGIA? Fonte: Beatriz Pacheco Curso Gestão Estratégica em Sustentabilidade Instituto ETHOS

5 Negócios sustentáveis e gestão ambiental na CAIXA Trilhando o caminho da sustentabilidade

6 Gestão Ambiental na CAIXA Fase 1 Elaboração da Política Ambiental: Comprometimento da alta administração Definição da Política: princípios e diretrizes Criação do Comitê Ambiental Fase 2 Habilitação dos empregados: Conscientização Comunicação interna e externa Aquisição de competências Elaboração do Plano de Ação Fase 4 Consolidando as mudanças: Informações contínuas sobre os objetivos alcançados Fortalecendo a Gestão Ambiental Corporativa Fase 3 Iniciar projetos chaves: Em ecoeficiência corporativa Em produtos e serviços Em tecnologias e processos

7 Política Ambiental CAIXA - Diretrizes financiar o desenvolvimento buscando a sustentabilidade considerar os impactos e custos socioambientais na concessão de crédito promover o consumo sustentável de recursos naturais e de materiais deles derivados nos processos internos informar, sensibilizar e engajar continuamente as partes interessadas nas políticas e práticas de sustentabilidade da caixa promover o desenvolvimento de cidades sustentáveis

8 Crédito para Ecoeficiência Empresarial Linha com condições diferenciadas para ações de produção mais limpa e eficiência energética de empresas: Taxa de juros: menor que oferecida para outras máquinas e equipamentos Carência: até 6 meses Prazo: até 60 meses, contra 36 meses para outros tipos Exemplos: Sistema de aquecimento solar de água; tratamento de resíduos e efluentes, controle de poluição, reaproveitamento de água, etc.

9 Fundo Socioambiental FSA CAIXA Até 2% do lucro líquido para projetos socioambientais Fundo de Compensação Ambiental gestão financeira de recursos de multas e compensações ambientais de empresas Fundo CAIXA Ambiental Investimento em projetos com retorno para os cotistas.

10 Critérios Socioambientais no Crédito Cliente com atividade potencialmente poluidora, só com licença ambiental Avaliação socioambiental dos clientes e projetos Financiar com Responsabilidade Socioambiental

11 Critérios Socioambientais no Crédito Empreendimento habitacional sós com Madeira Legal. Vigente desde 02 Janeiro 09 Cooperação com o IBAMA e MMA

12 Critérios Socioambientais no Crédito Avaliação de riscos em terrenos suspeitos de contaminação Cooperação com a GTZ e MMA Publicada em Agosto/2008

13 Construções Sustentáveis Itens Financiáveis Aquecedores solares de água Medição individual de água Lâmpadas econômicas Plantio de árvores;

14 Construções Sustentáveis Guia do Selo Casa Azul CAIXA

15 Selo Casa Azul CAIXA Reconhecer boas práticas e incentivar projetos habitacionais mais sustentáveis Vantagens para a construtora e para o morador

16 Promover Ecoeficiência nas Atividades CAIXA Aspectos e impactos ambientais do consumo de recursos materiais e logísticos na CAIXA: Inventário emissões de carbono da CAIXA, visando implementar medidas de redução e neutralização; Coleta seletiva de materiais recicláveis (Decreto 5.940/06); Sustentabilidade na construção das unidades; Mobilização e educação do público interno; Metas e Indicadores de ecoeficiência.

17 Inventário das Emissões de CO 2 da CAIXA Emissão por Fonte 2008/2009 Toneladas de CO2e/Ano

18 COLETA SELETIVA material coletado é doado para cooperativas de catadores. Implantação em todas UF até 1º Sem/ 2011

19 LOGÍSTICA REVERSA DE CARTUCHOS 20 mil cartuchos coletados para reciclagem Fabricante Lexmark paga R$ 15 por cartucho R$ 303,9 mil destinados a projetos sociais

20 Economia de R$ 20,39 milhões Projeto Ilhas de Impressão Redução de 55% no número de impressoras Economia de tonner e energia

21 Licitações Sustentáveis Critério técnico do Edital: Eficiência energética Aquisição de máquinas Autoatendimento Com economia de 5% de energia R$15 milhões a economizar

22 Consumo Consciente, Gasto Inteligente PROGED CAIXA Participação de 86 edifícios administrativos 720 agências

23 Projeto Carona Solidária 30 vagas rotativas na garagem do Ed Matriz I

24 Informar, Sensibilizar, Capacitar Quintas Ambientais Cursos à Distância Treinamentos

25 Nossas atitudes transformam o mundo! Slogan de mobilização interna

26 Endomarketing Campanha de Adesão Março/ para todos os empregados - Vídeo de sensibilização com fala da Presidenta - marketing, quinzenalmente, sobre cada uma das sete Dimensões e respectivos indicadores

27 Implementação Sensibilização e Adesão Equipe conhece proposta da Agenda e o responsável pela unidade realiza a adesão no Sistema da Agenda. Diagnóstico A unidade responde a um questionário com indicadores para cada tema e efetua a auto-avaliação. Plano de Trabalho A partir do diagnóstico, a unidade elabora seu plano de trabalho, composto de ações a serem implementadas pela equipe.

28 Agenda CAIXA para Sustentabilidade - Etapas realizadas pelas 3273 unidades da CAIXA Out % RESULTADOS U nidades 100% 80% 60% 40% 20% 7% 93% 21% 79% 33% 67% 44% 56% 3% Etapa Não Realizada Etapa Realizada 0% Adesão Diagnóstico Iniciado Diagnóstico Concluído Plano de Trabalho Iniciado Plano de Trabalho Concluído Etapas

29 OBRIGADO! Contato:

Ter a éticacomo compromisso e o respeito como atitude. VIPES Vice-Presidência Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Sustentável

Ter a éticacomo compromisso e o respeito como atitude. VIPES Vice-Presidência Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Sustentável Ter a éticacomo compromisso e o respeito como atitude VIPES Vice-Presidência Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Sustentável 1 Estratégia Corporativa e DS Missão Ser um banco competitivo e rentável, promover

Leia mais

SECRETARIA DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

SECRETARIA DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SECRETARIA DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Agenda Ambiental da Administração Pública A3P Secretaria Estadual do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Assessoria de Educação Ambiental VII Seminário

Leia mais

Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais

Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais Plano de Energia e Mudanças Climáticas 3 Potência instalada (MW) PROCESSO DE ELABORAÇÃO Julho 2013 Fevereiro 2015 Evolução do parque de geração de

Leia mais

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho Coordenador de SMS nas Empresas Artecola Nossos negócios

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA DE EMBALAGENS EM GERAL

LOGÍSTICA REVERSA DE EMBALAGENS EM GERAL LOGÍSTICA REVERSA DE EMBALAGENS EM GERAL POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PNRS) Lei Federal nº 12.305 de 2010 Legislação ambiental que definiu diretrizes para o gerenciamento dos resíduos sólidos,

Leia mais

Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia - Hotelaria

Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia - Hotelaria Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia - Hotelaria D www.ecolmeia.org.br 1 A, fundada em 2006, é formada por um grupo de profissionais de diferentes áreas que agregaram

Leia mais

Energia solar na habitação. Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA

Energia solar na habitação. Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA Energia solar na habitação Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA MCMV 1 + MCMV 2: 224.405 MCMV Fase 1 41.449 unidades habitacionais com SAS 136 empreendimentos 69 municípios - 10

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Prefeitura do Recife - EMLURB

Prefeitura do Recife - EMLURB Prefeitura do Recife - EMLURB Gerência de Coleta Seletiva/ EMLURB - Recife Agenda: A Política Nacional de Resíduos Sólidos. Ações da Prefeitura Objetivos Lei 12.305 de 02 de agosto de 2010 Três pontos

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios A Sociedade mudou e os indivíduos se organizam em rede Uma nova sociedade exige um novo jeito de fazer negócios e uma nova liderança! Negócios lucrativos criados a partir

Leia mais

Estratégia de sustentabilidade

Estratégia de sustentabilidade Estratégia de sustentabilidade Fusão I Itaú + Unibanco Visão I Itaú Unibanco Perguntas norteadoras I 2010 - Itaú Unibanco 1 2 3 O que é Performance Sustentável e qual a relação entre Performance Sustentável

Leia mais

O uso da metodologia GHG Protocol para Gestão de emissões de GEE

O uso da metodologia GHG Protocol para Gestão de emissões de GEE O uso da metodologia GHG Protocol para Gestão de emissões de GEE Eng. Neilor Cardoso Guilherme Hospital Israelita Albert Einstein A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein é dividida

Leia mais

WASTE EXPO BRASIL. Mara Luísa Alvim Motta. Gerente Executiva GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental

WASTE EXPO BRASIL. Mara Luísa Alvim Motta. Gerente Executiva GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental WASTE EXPO BRASIL Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental SÃO PAULO, NOVEMBRO DE 2016 AGENDA Panorama Resíduos Sólidos Brasil Atuação CAIXA Fontes

Leia mais

O que não é medido não é gerenciado (Robert Kaplan e David Norton autores da metodologia BSC Balanced Scorecard)

O que não é medido não é gerenciado (Robert Kaplan e David Norton autores da metodologia BSC Balanced Scorecard) O que não é medido não é gerenciado (Robert Kaplan e David Norton autores da metodologia BSC Balanced Scorecard) 2016 1ª Edição 03 Cases Certificados Sou Benchmarking Quem já é Benchmarking (possui case

Leia mais

Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia Condomínios Residenciais

Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia Condomínios Residenciais Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia Condomínios Residenciais www.ecolmeia.org.br 1 A, fundada em 2006, é formada por um grupo de profissionais de diferentes áreas

Leia mais

POLÍTICAS DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO

POLÍTICAS DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO POLÍTICAS DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO Processo Sustentabilidade Sub-Processo Sustentabilidade Emissão Código 25/05/2018 POG.10.000.R10 br.ccb.com Informação Confidencial Propriedade do CCB Brasil 1 1. OBJETIVO

Leia mais

Programa Carbono Zero da Acumuladores e Baterias Moura

Programa Carbono Zero da Acumuladores e Baterias Moura Programa Carbono Zero da Acumuladores e Baterias Moura A Ecofinance Fundado em novembro de 2007 na cidade de Porto Alegre RS Mais de 2,5 milhões de créditos de carbono emitidos; Registro do maior projeto

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO 1. CARACTERÍSTICAS NACIONAIS Brasil - um país de dimensões continentais

Leia mais

COMPROMISSOS ASSUMIDOS COM A SUSTENTABILIDADE. Atualizado em 30/06/2014

COMPROMISSOS ASSUMIDOS COM A SUSTENTABILIDADE. Atualizado em 30/06/2014 COMPROMISSOS ASSUMIDOS COM A SUSTENTABILIDADE Atualizado em 30/06/2014 Alinhados à agenda de desenvolvimento do País e aos compromissos empresariais que assumimos, estabelecemos metas anuais e acompanhamos

Leia mais

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO Patrícia Iglecias SETEMBRO, 2013 RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO GESTÃO DE RESÍDUOS NA PNRS Não geração Redução Reutilização Reciclagem Tratamento

Leia mais

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável 1. Introdução A 1ª Oficina do Projeto Esplanada Sustentável foi realizada na ESAF, entre os dias 06 e 09 de fevereiro de 2012, em caráter

Leia mais

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 APRESENTAÇÃO ITAMBÉ Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 HISTÓRICO - Itambé - COOPERATIVA CENTRAL DOS PRODUTORES RURAIS DE MINAS GERAIS LTDA LATICÍNIOS ATIVIDADES /NEGÓCIOS RAÇÕES ARMAZÉNS HISTÓRICO

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

USO RACIONAL DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

USO RACIONAL DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS USO RACIONAL DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Prof a. Dalciana Vicente Tanaka dalciana@gmail.com 1 DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Sistema político efetiva participação dos cidadãos no processo decisório melhor

Leia mais

Agenda Ambiental na Administração Pública

Agenda Ambiental na Administração Pública Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Cidadania e Responsabilidade Ambiental DCRS Agenda Ambiental na Administração Pública INDICADORES

Leia mais

COMPRAS SUSTENTÁVEIS: O PAPEL DO ESTADO COMO IMPULSIONADOR DE MUDANÇAS NO MERCADO

COMPRAS SUSTENTÁVEIS: O PAPEL DO ESTADO COMO IMPULSIONADOR DE MUDANÇAS NO MERCADO COMPRAS SUSTENTÁVEIS: O PAPEL DO ESTADO COMO IMPULSIONADOR DE MUDANÇAS NO MERCADO SHEILA ALDECOA PIAI LEANDRO KOJIMA AUTORES Sheila Aldecoa Piai é Arquiteta formada pela Faculdade de Belas Artes de São

Leia mais

COMPROMISSOS ASSUMIDOS COM A SUSTENTABILIDADE. Atualizado em 21/01/2015

COMPROMISSOS ASSUMIDOS COM A SUSTENTABILIDADE. Atualizado em 21/01/2015 COMPROMISSOS ASSUMIDOS COM A SUSTENTABILIDADE Atualizado em 21/01/2015 Alinhados à agenda de desenvolvimento do País e aos compromissos empresariais que assumimos, estabelecemos metas anuais e acompanhamos

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

PRODIN - Gestão Ambiental #259 Gestão Ambiental do IFAM

PRODIN - Gestão Ambiental #259 Gestão Ambiental do IFAM PRODIN - Gestão Ambiental #259 Gestão Ambiental do IFAM 19/02/2013 19:16 - Ana Maria Alves Pereira Situação: Em andamento Início: 19/02/2013 Prioridade: Alta Data prevista: 31/12/2018 Encaminhado para:

Leia mais

Situação Atual da... Maioria. Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha

Situação Atual da... Maioria. Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha RESÍDUOS NO BRASIL Situação Atual da... Maioria Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CARROCEIROS E CATADORES DE MATERIAIS RECICLAVEIS ANCAT

Leia mais

Por que Agenda Ambiental na Administração Pública?

Por que Agenda Ambiental na Administração Pública? UFG A UFG possui mais de 25.000 estudantes de graduação, mestrado e doutorado, sendo 3500 em cursos de Engenharia. Tem presença regional em grandes cidades do Estado de Goiás: Goiânia, Aparecida de Goiânia,

Leia mais

Seminário Consórcios Públicos

Seminário Consórcios Públicos Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Instituto das Águas do Paraná Seminário Consórcios Públicos ABES PR outubro/2011 1 Lei Federal nº 12.305/2010 AGUASPARANÁ LOGÍSTICA REVERSA (Acordos

Leia mais

GESTEC. Sustentabilidade: uma nova dimensão do Planejamento Estratégico Empresarial. A Hipocrisia da Sustentabilidade

GESTEC. Sustentabilidade: uma nova dimensão do Planejamento Estratégico Empresarial. A Hipocrisia da Sustentabilidade GESTEC Sustentabilidade: uma nova dimensão do Planejamento Estratégico Empresarial ou A Hipocrisia da Sustentabilidade Jairo Martins da Silva 06.10.2010 1 O Cinzento Cenário Mundial Balanços Forjados Aquecimento

Leia mais

INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL

INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL CONTEXTO GLOBALIZADO Avanço de atitudes pró-ativas das empresas que começaram a vislumbrar, através da introdução de mecanismos de gestão ambiental, oportunidades de mercado,

Leia mais

Perspectiva do CICLO DE VIDA. do produto

Perspectiva do CICLO DE VIDA. do produto Perspectiva do CICLO DE VIDA do produto A SABARÁ QUÍMICOS E INGREDIENTES faz parte do GRUPO SABARÁ, que com mais de 60 anos de história, é genuinamente brasileiro e reconhecido pela sua capacidade de inovação

Leia mais

IV Seminário de Resíduos Sólidos Urbanos Jundiaí 09 de Novembro de 2018

IV Seminário de Resíduos Sólidos Urbanos Jundiaí 09 de Novembro de 2018 IV Seminário de Resíduos Sólidos Urbanos Jundiaí 09 de Novembro de 2018 Coleta Seletiva e Central de Triagem de Resíduos Recicláveis em municípios de pequeno porte (Modelo ViraSer) Geraldo José Virginio

Leia mais

Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura

Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura Eng. Agr. Leandro Capuzzo Banco do Brasil S/A #interna Pré-requisitos para o crédito Ø Cadastro atualizado Ø Verificação de situações impeditivas

Leia mais

Mesa Redonda: POLÍTICAS PARA SUSTENTABILIDADE NAS UNIVERSIDADES

Mesa Redonda: POLÍTICAS PARA SUSTENTABILIDADE NAS UNIVERSIDADES Mesa Redonda: POLÍTICAS PARA SUSTENTABILIDADE NAS UNIVERSIDADES PERGUNTAS NORTEADORAS: 1) O que significa ambientalizar a universidade e o que se espera com isso? Ambientalização da universidade é a inserção

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL CONTEXTO GLOBALIZADO Avanço de atitudes pró-ativas das empresas que começaram a vislumbrar, através da introdução de mecanismos de gestão ambiental, oportunidades de mercado,

Leia mais

COPA VERDE. Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social.

COPA VERDE. Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social. COPA VERDE Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social. COPA VERDE Inventário e neutralização das emissões de carbono das obras da Arena Pantanal Parceria: Instituto Ação Verde (convênio

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Logística Reversa. 21 de Setembro de 2018

Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Logística Reversa. 21 de Setembro de 2018 Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Logística Reversa 21 de Setembro de 2018 Objetivos da Logística A logística reversa tem 4 motivadores principais por parte do governo: 1. compatibilizar interesses

Leia mais

Plano Nacional de Resíduos Sólidos

Plano Nacional de Resíduos Sólidos Plano Nacional de Resíduos Sólidos Proposta do Plano, aprovada pelo Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos após a incorporação das contribuições apresentadas nas Audiências Regionais

Leia mais

Panorama da Política Nacional de Resíduos Sólidos: Principais avanços e gargalos

Panorama da Política Nacional de Resíduos Sólidos: Principais avanços e gargalos Panorama da Política Nacional de Resíduos Sólidos: Principais avanços e gargalos Porto Alegre - 2018 A Visão dos municípios Panorama atual Novos paradigmas Dificuldades e gargalos PANORAMA ATUAL Marco

Leia mais

Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil

Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil Introdução ao Brazil ~ 205 milhões de habitantes 5.565 municípios Área: 8.502.728,27 Km² ~15% da Água Potável do Planeta A maior biodiversidade

Leia mais

ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil

ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DAS CIDADES ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil Camilo Sobreira de Santana Secretário das Cidades do Estado do Ceará www.cidades.ce.gov.br 1 EMBASAMENTO

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7.

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7. Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010) 3 Esferas de Responsabilidade: Plano de Gerenciamento Fabricação

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS BASE LEGAL - AÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AÇOES DE GESTÃO DE RESÍDUOS - BASE LEGAL Lei nº 11.107/2005 Consórcios Públicos Decreto nº 6017/2007

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Pesquisa FBDS/IMD: Sustentabilidade Corporativa no Setor Financeiro

Pesquisa FBDS/IMD: Sustentabilidade Corporativa no Setor Financeiro Pesquisa FBDS/IMD: Sustentabilidade Corporativa no Setor Financeiro 4º Café com Sustentabilidade da FEBRABAN F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EPR397 Gestão Ambiental

Programa Analítico de Disciplina EPR397 Gestão Ambiental 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga

Leia mais

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Política Nacional de Sustentabilidade Lançada em 2001 como Política de Responsabilidade Social Comitê Nacional de Sustentabilidade

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E INOVAÇÃO

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E INOVAÇÃO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E INOVAÇÃO QUEM SOMOS? Uma instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

COOPERATIVAS DE CATADORES COMO NEGÓCIOS DE IMPACTO: Conceito e Aplicação

COOPERATIVAS DE CATADORES COMO NEGÓCIOS DE IMPACTO: Conceito e Aplicação COOPERATIVAS DE CATADORES COMO NEGÓCIOS DE IMPACTO: Conceito e Aplicação DESENVOLVIMENTO LOCAL E REGIONAL SUSTENTÁVEL Atuamos há 27 anos em parceria com o setor público, privado e sociedade civil. + COMUNIDADES

Leia mais

Carvão. Vegetal. na produção do Aço Verde. Solução renovável a favor de uma economia de baixo carbono. Imagem ArcelorMittal /Eduardo Rocha

Carvão. Vegetal. na produção do Aço Verde. Solução renovável a favor de uma economia de baixo carbono. Imagem ArcelorMittal /Eduardo Rocha Carvão Vegetal na produção do Aço Verde. Solução renovável a favor de uma economia de baixo carbono. Imagem ArcelorMittal /Eduardo Rocha Carvão Vegetal Produto do setor de base florestal O Carvão Vegetal

Leia mais

Parcerias Público Privadas com a inclusão Socioprodutiva de catadores e a Função Fiscalizatória do Ministério Público

Parcerias Público Privadas com a inclusão Socioprodutiva de catadores e a Função Fiscalizatória do Ministério Público 3º Seminário de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Instituto de Zootecnia - 24.08.2017 Parcerias Público Privadas com a inclusão Socioprodutiva de catadores e a Função Fiscalizatória do Ministério Público

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Declaração Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e das

Leia mais

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS HISTÓRICO Agenda 21 (Rio de Janeiro, 1992): A maior causa da deterioração continuada do meio ambiente global são os padrões insustentáveis de consumo e produção. Plano de

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PO 900/03

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PO 900/03 MANUAL DE ASSUNTOS GERAIS PO 900/03 ASSUNTO: SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 92, de 23/11/2017. Deliberação CONSAD nº 32, de 27/11/2017. VIGÊNCIA: 27/11/2017 POLÍTICA DE

Leia mais

COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA DELIBERAÇÃO Nº 11, DE 25 DE SETEMBRO DE 2017

COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA DELIBERAÇÃO Nº 11, DE 25 DE SETEMBRO DE 2017 COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA DELIBERAÇÃO Nº 11, DE 25 DE SETEMBRO DE 2017 O COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA, no uso de

Leia mais

Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis. Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis. Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Disco Egan para comunidade sustentáveis sustentabilidade nos espaços urbanos

Leia mais

d) estiverem inseridos na área de influência direta de empreendimentos ou atividades com significativo impacto ambiental.

d) estiverem inseridos na área de influência direta de empreendimentos ou atividades com significativo impacto ambiental. 1. Com base na Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, julgue as alternativas: I. O Plano Nacional de Resíduos Sólidos têm vigência por prazo indeterminado

Leia mais

"Estabelece que a implementação de sistemas de logística reversa deve buscar atender as diretrizes que especifica".

Estabelece que a implementação de sistemas de logística reversa deve buscar atender as diretrizes que especifica. DELIBERAÇÃO CORI Nº 11, de 25/09/2017 "Estabelece que a implementação de sistemas de logística reversa deve buscar atender as diretrizes que especifica". O COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS

Leia mais

Os benefícios econômicos do uso de inovações em eficiência energética

Os benefícios econômicos do uso de inovações em eficiência energética Seminário: Eficiência Energética São Paulo, 15 de Abril de 2010 Os benefícios econômicos do uso de inovações em eficiência energética Marcelo Sigoli sigoli@penseeco.com.br Quem somos ABESCO Associação

Leia mais

O argumento a favor da eco-inovação. Considerações ambientais para decisões empresariais mais inteligentes

O argumento a favor da eco-inovação. Considerações ambientais para decisões empresariais mais inteligentes O argumento a favor da eco-inovação Considerações ambientais para decisões empresariais mais inteligentes Temos de pensar coletivamente na eco-inovação Com 53% dos decisores empresariais europeus a apontarem

Leia mais

OPORTUNIDADES. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017.

OPORTUNIDADES. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017 O BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis tem como objetivo apoiar investimentos em geração e distribuição

Leia mais

Avaliação Integrada de Sustentabilidade do Campus São Carlos da Universidade de São Paulo Tema IV: Eventos sustentáveis no Campus São Carlos- USP

Avaliação Integrada de Sustentabilidade do Campus São Carlos da Universidade de São Paulo Tema IV: Eventos sustentáveis no Campus São Carlos- USP GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL - 2014 Disciplina: SHS 0382 Sustentabilidade e Gestão Ambiental TEXTO DE APOIO DIDÁTICO [material restrito da disciplina] Prof. Tadeu Fabrício Malheiros Monitora: Alejandra

Leia mais

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS. São Paulo, 19 de outubro de 2017

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS. São Paulo, 19 de outubro de 2017 PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS São Paulo, 19 de outubro de 2017 LINHA DO TEMPO 2011 1992 2002 2012 2015 2003 LINHA DO TEMPO 1992 2002 2003 Consumo Sustentável é o uso de bens e serviços que atenda às

Leia mais

5º Seminário de Responsabilidade Social no Varejo Sustentabilidade na Cadeia de Valor. Vicente Trius Presidente do Wal-Mart Brasil

5º Seminário de Responsabilidade Social no Varejo Sustentabilidade na Cadeia de Valor. Vicente Trius Presidente do Wal-Mart Brasil 5º Seminário de Responsabilidade Social no Varejo Sustentabilidade na Cadeia de Valor Vicente Trius Presidente do Wal-Mart Brasil OPERAÇÃO MULTIFORMATO Hipermercados Supermercados Mercado de Vizinhança

Leia mais

Sustentabilidade. Portaria STJ nº 293 de 31 de maio de 2012 (Dispõe sobre a política de sustentabilidade no Superior Tribunal de Justiça)

Sustentabilidade. Portaria STJ nº 293 de 31 de maio de 2012 (Dispõe sobre a política de sustentabilidade no Superior Tribunal de Justiça) Sustentabilidade Portaria STJ nº 293 de 31 de maio de 2012 (Dispõe sobre a política de sustentabilidade no Superior Tribunal de Justiça) Professor Rafael Ravazolo www.acasadoconcurseiro.com.br Sustentabilidade

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Prof a Dr a Maria Cristina Rizk 2017 crisrizk@fct.unesp.br www.fct.unesp.br/docentes/plan/crisrizk/ Art. 14. São planos de resíduos sólidos: I - o Plano Nacional de Resíduos

Leia mais

Aplicável a todas as áreas e macroprocessos, colaboradores, médicos, terceiros e fornecedores do Grupo Fleury ou que atuem em seu nome.

Aplicável a todas as áreas e macroprocessos, colaboradores, médicos, terceiros e fornecedores do Grupo Fleury ou que atuem em seu nome. 1. OBJETIVO A Política de Sustentabilidade ( Política ) do Grupo Fleury estabelece premissas e governança para a Sustentabilidade, fornecendo diretrizes que impulsionam o valor da sustentabilidade em todos

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Tendências, Metas, Desafios e Oportunidades WASTE EXPO BRASIL São Paulo, 22/11/2016 DADOS GERAIS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL POPULAÇÃO População 2010 (1) : 190.755.799

Leia mais

Ações de Sustentabilidade

Ações de Sustentabilidade Ações de Sustentabilidade Visão do GHC Ser reconhecido no Sistema Único de Saúde como modelo de atenção centrado nas pessoas, inovador na gestão e polo de produção de conhecimento, ensino e pesquisa, com

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim SEMINÁRIO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes Deputado Arnaldo Jardim 21.07.11 Política Nacional de Resíduos SólidosS Diretrizes Internalizar

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DA SUSTENTABILIDADE

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DA SUSTENTABILIDADE PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DA SUSTENTABILIDADE 1 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. O novo contexto de negócios (48 horas) 2. Economia de Baixo Carbono (44 horas) 3. Governança, Responsabilidade Corporativa

Leia mais

THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO

THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos 05 09 2012 THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO História 2001 ING compra a participação da Aetna 2008 2010 Primeiro Relatório de Separação dos papéis de Sustentabilidade

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 687 DE 09 DE SETEMBRO DE 2013 LEI:

LEI MUNICIPAL Nº 687 DE 09 DE SETEMBRO DE 2013 LEI: LEI MUNICIPAL Nº 687 DE 09 DE SETEMBRO DE 2013 INSTITUI A POLÍTICA MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM. O PREFEITO MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO,

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL. Sustentabilidade. Resolução CNJ nº 201/ Parte 2. Prof. Rodrigo Mesquita

DIREITO AMBIENTAL. Sustentabilidade. Resolução CNJ nº 201/ Parte 2. Prof. Rodrigo Mesquita DIREITO AMBIENTAL Sustentabilidade - Parte 2 Prof. Rodrigo Mesquita PLANO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL (PLS-PJ) PLANO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL (PLS- PJ) Art. 10. O PLS-PJ é instrumento vinculado ao planejamento

Leia mais

FILIADAS ESTADUAIS ABAD

FILIADAS ESTADUAIS ABAD FILIADAS ESTADUAIS ABAD CADEIA DE ABASTECIMENTO NACIONAL Quem é o cliente do atacado distribuidor Ranking ABAD Ranking ABAD 2013 base 20122013 base 2012 CONSUMIDOR Política Atacadistas Nacional de Cooperativas

Leia mais

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações.

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. Levando em considerações os aspectos sociais, econômicos e ambientais, o Sistema Federação

Leia mais

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 SUMÁRIO 1. Apresentação... 02 2. Objetivo... 02 3. Princípios... 02 4. Documentos de Referencias... 03 5. Diretrizes... 03 6. Compromissos e Prestação

Leia mais

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel II: Resíduos Sólidos Urbanos Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho 20.04.2012 Cenários e Evolução

Leia mais

Pacto Global das Nações Unidas - Relatório de Comunicação de Progresso (COP Report)

Pacto Global das Nações Unidas - Relatório de Comunicação de Progresso (COP Report) Direitos Humanos 1 - Apoiar e respeitar a proteção dos direitos humanos proclamados internacionalmente Assistência médica e odontológica A empresa oferece um plano de assistência médica e odontológica

Leia mais

No caminho da Sustentabilidade. Óbidos Carbono Social

No caminho da Sustentabilidade. Óbidos Carbono Social No caminho da Sustentabilidade Óbidos Carbono Social Objectivos Implementação de medidas que visam a redução das emissões de CO 2 Execução de soluções de sequestração de CO 2 no Concelho Projectos de Mitigação

Leia mais

Aplicável a todas as áreas e macroprocessos, colaboradores, médicos, terceiros e fornecedores do Grupo Fleury ou que atuem em seu nome.

Aplicável a todas as áreas e macroprocessos, colaboradores, médicos, terceiros e fornecedores do Grupo Fleury ou que atuem em seu nome. 1. OBJETIVO A Política de Sustentabilidade ( Política ) do Grupo Fleury estabelece premissas e governança para a gestão de Sustentabilidade, fornecendo diretrizes que impulsionam o valor da sustentabilidade

Leia mais

Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041)

Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041) Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041) 9229-9900 engenharia@sindusconpr.com.br Logística Reversa de Resíduos da Construção Civil no Estado do Paraná Situação Atual Estimativa da quantidade coletada de

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1/9 SUMÁRIO ITEM DESCRIÇÃO 1. Introdução 3 2. Definições 3 3. Princípios Socioambientais 3 3.1 Recomendações 4 3.2 Comportamentos Não Admitidos 4 4. Diretrizes

Leia mais

Prefeitura do Município de Piracicaba Estado de São Paulo Brasil Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente. Audiência Pública Coleta Seletiva

Prefeitura do Município de Piracicaba Estado de São Paulo Brasil Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente. Audiência Pública Coleta Seletiva Prefeitura do Município de Piracicaba Estado de São Paulo Brasil Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente Audiência Pública Coleta Data 17/05/2016 Por que praticar os 3R s? - Conservar Recursos

Leia mais

A importância das cooperativas de catadores e catadoras na coleta seletiva

A importância das cooperativas de catadores e catadoras na coleta seletiva A importância das cooperativas de catadores e catadoras na coleta seletiva Jutta Gutberlet Seminário Experiências da Coleta Seletiva e Subsídios para a Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Leia mais

política de sustentabilidade política de SUSTENTABILIDADE

política de sustentabilidade política de SUSTENTABILIDADE política de SUSTENTABILIDADE INTRODUÇÃO Esta Política representa o compromisso da Santos Brasil em enraizar a Sustentabilidade em sua cultura, nas decisões de negócio e em suas práticas diárias, servindo

Leia mais

PLANO DE LOGÍSTICA MAIS SUSTENTÁVEL

PLANO DE LOGÍSTICA MAIS SUSTENTÁVEL PLANO DE LOGÍSTICA MAIS SUSTENTÁVEL Sempre buscando disponibilizar as quantidades a serem atendidas, no tempo correto e com o menor custo possível; A executa seu trabalho de forma integrada com os demais

Leia mais

ü Resgatar espécies florestais ameaçadas ou em processo de vulnerabilidade;

ü Resgatar espécies florestais ameaçadas ou em processo de vulnerabilidade; Projetos 1. Reflorestamento: Projetos que visam: ü Minimizar os impactos ambientais; ü Resgatar espécies florestais ameaçadas ou em processo de vulnerabilidade; ü Manutenção da biodiversidade e dos recursos

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 12 Sistemas de Gestão Ambiental Profº Heloise Knapik 1 Necessidade de sair de uma atitude reativa Faz-se algo apenas quando algo

Leia mais

FINANCIAMENTO DA MITIGAÇÃO E DA ADAPTAÇÃO

FINANCIAMENTO DA MITIGAÇÃO E DA ADAPTAÇÃO FINANCIAMENTO DA MITIGAÇÃO E DA ADAPTAÇÃO ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ATRAVÉS DO PO SEUR HELENA PINHEIRO DEAZEVEDO 25-OUT-2016 PORTUGAL 2020 (APLICAÇÃO FEEI EM PORTUGAL 2014 2020) DOMÍNIO: SUSTENTABILIDADE

Leia mais

DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL

DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL DESEMPENHO SOCIOAMBIENTAL 4T11 Sumário Sumário...1 Índice de Tabelas...2 Índice de Figuras...3 Desempenho Socioambiental...4 Negócios com Ênfase Socioambiental...5 Ecoeficiência...7 Relações com Funcionários...9

Leia mais

Estocolmo / Suécia (1972)

Estocolmo / Suécia (1972) 1ª CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE Estocolmo / Suécia (1972) COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ONU (1987) RELATÓRIO NOSSO FUTURO COMUM DESENVOLVIMENTO SUSTENTADO

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO Estrutura populacional dos municípios População dos municípios

Leia mais

PLANO DE REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA INVENTÁRIO DE GASES DE EFEITO ESTUFA DA CESP ANO 2007

PLANO DE REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA INVENTÁRIO DE GASES DE EFEITO ESTUFA DA CESP ANO 2007 PLANO DE REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA INVENTÁRIO DE GASES DE EFEITO ESTUFA DA CESP ANO 2007 PROGRAMA DE MUDANÇA CLIMÁTICA E SEQÜESTRO DE CARBONO Política de Meio Ambiente Declaração de

Leia mais