2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES"

Transcrição

1 2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES PIB Sustentabilidade na Prática Empresarial Jean Rodrigues Benevides GN de Meio Ambiente SN de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável

2 Situação Atual Estratégia de inserção da sustentabilidade Mudança cultural Mudança pessoal Situação Desejada Incorporação da sustentabilidade na gestão, nos negócios e nos relacionamentos de uma organização Gestão do processo de mudança Fonte: Beatriz Pacheco Curso Gestão Estratégica em Sustentabilidade Instituto ETHOS

3 Modelo deve ser construído de maneira consciente e crítica Quais os trade-off? Custos, responsabilidades, etc. Quais os dilemas? Mas e se eu fizer e o meu concorrente não? Quais as contradições? Foco curto prazo x longo prazo Quais os limites? Prioridades, agendas, etc. Fonte: Beatriz Pacheco Curso Gestão Estratégica em Sustentabilidade Instituto ETHOS

4 Mudança Cultural da Organizacional para a Sustentabilidade POR ONDE COMEÇAR? QUAL A MELHOR ESTRATÉGIA? Fonte: Beatriz Pacheco Curso Gestão Estratégica em Sustentabilidade Instituto ETHOS

5 Negócios sustentáveis e gestão ambiental na CAIXA Trilhando o caminho da sustentabilidade

6 Gestão Ambiental na CAIXA Fase 1 Elaboração da Política Ambiental: Comprometimento da alta administração Definição da Política: princípios e diretrizes Criação do Comitê Ambiental Fase 2 Habilitação dos empregados: Conscientização Comunicação interna e externa Aquisição de competências Elaboração do Plano de Ação Fase 4 Consolidando as mudanças: Informações contínuas sobre os objetivos alcançados Fortalecendo a Gestão Ambiental Corporativa Fase 3 Iniciar projetos chaves: Em ecoeficiência corporativa Em produtos e serviços Em tecnologias e processos

7 Política Ambiental CAIXA - Diretrizes financiar o desenvolvimento buscando a sustentabilidade considerar os impactos e custos socioambientais na concessão de crédito promover o consumo sustentável de recursos naturais e de materiais deles derivados nos processos internos informar, sensibilizar e engajar continuamente as partes interessadas nas políticas e práticas de sustentabilidade da caixa promover o desenvolvimento de cidades sustentáveis

8 Crédito para Ecoeficiência Empresarial Linha com condições diferenciadas para ações de produção mais limpa e eficiência energética de empresas: Taxa de juros: menor que oferecida para outras máquinas e equipamentos Carência: até 6 meses Prazo: até 60 meses, contra 36 meses para outros tipos Exemplos: Sistema de aquecimento solar de água; tratamento de resíduos e efluentes, controle de poluição, reaproveitamento de água, etc.

9 Fundo Socioambiental FSA CAIXA Até 2% do lucro líquido para projetos socioambientais Fundo de Compensação Ambiental gestão financeira de recursos de multas e compensações ambientais de empresas Fundo CAIXA Ambiental Investimento em projetos com retorno para os cotistas.

10 Critérios Socioambientais no Crédito Cliente com atividade potencialmente poluidora, só com licença ambiental Avaliação socioambiental dos clientes e projetos Financiar com Responsabilidade Socioambiental

11 Critérios Socioambientais no Crédito Empreendimento habitacional sós com Madeira Legal. Vigente desde 02 Janeiro 09 Cooperação com o IBAMA e MMA

12 Critérios Socioambientais no Crédito Avaliação de riscos em terrenos suspeitos de contaminação Cooperação com a GTZ e MMA Publicada em Agosto/2008

13 Construções Sustentáveis Itens Financiáveis Aquecedores solares de água Medição individual de água Lâmpadas econômicas Plantio de árvores;

14 Construções Sustentáveis Guia do Selo Casa Azul CAIXA

15 Selo Casa Azul CAIXA Reconhecer boas práticas e incentivar projetos habitacionais mais sustentáveis Vantagens para a construtora e para o morador

16 Promover Ecoeficiência nas Atividades CAIXA Aspectos e impactos ambientais do consumo de recursos materiais e logísticos na CAIXA: Inventário emissões de carbono da CAIXA, visando implementar medidas de redução e neutralização; Coleta seletiva de materiais recicláveis (Decreto 5.940/06); Sustentabilidade na construção das unidades; Mobilização e educação do público interno; Metas e Indicadores de ecoeficiência.

17 Inventário das Emissões de CO 2 da CAIXA Emissão por Fonte 2008/2009 Toneladas de CO2e/Ano

18 COLETA SELETIVA material coletado é doado para cooperativas de catadores. Implantação em todas UF até 1º Sem/ 2011

19 LOGÍSTICA REVERSA DE CARTUCHOS 20 mil cartuchos coletados para reciclagem Fabricante Lexmark paga R$ 15 por cartucho R$ 303,9 mil destinados a projetos sociais

20 Economia de R$ 20,39 milhões Projeto Ilhas de Impressão Redução de 55% no número de impressoras Economia de tonner e energia

21 Licitações Sustentáveis Critério técnico do Edital: Eficiência energética Aquisição de máquinas Autoatendimento Com economia de 5% de energia R$15 milhões a economizar

22 Consumo Consciente, Gasto Inteligente PROGED CAIXA Participação de 86 edifícios administrativos 720 agências

23 Projeto Carona Solidária 30 vagas rotativas na garagem do Ed Matriz I

24 Informar, Sensibilizar, Capacitar Quintas Ambientais Cursos à Distância Treinamentos

25 Nossas atitudes transformam o mundo! Slogan de mobilização interna

26 Endomarketing Campanha de Adesão Março/ para todos os empregados - Vídeo de sensibilização com fala da Presidenta - marketing, quinzenalmente, sobre cada uma das sete Dimensões e respectivos indicadores

27 Implementação Sensibilização e Adesão Equipe conhece proposta da Agenda e o responsável pela unidade realiza a adesão no Sistema da Agenda. Diagnóstico A unidade responde a um questionário com indicadores para cada tema e efetua a auto-avaliação. Plano de Trabalho A partir do diagnóstico, a unidade elabora seu plano de trabalho, composto de ações a serem implementadas pela equipe.

28 Agenda CAIXA para Sustentabilidade - Etapas realizadas pelas 3273 unidades da CAIXA Out % RESULTADOS U nidades 100% 80% 60% 40% 20% 7% 93% 21% 79% 33% 67% 44% 56% 3% Etapa Não Realizada Etapa Realizada 0% Adesão Diagnóstico Iniciado Diagnóstico Concluído Plano de Trabalho Iniciado Plano de Trabalho Concluído Etapas

29 OBRIGADO! Contato:

Situação Atual da... Maioria. Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha

Situação Atual da... Maioria. Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha RESÍDUOS NO BRASIL Situação Atual da... Maioria Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CARROCEIROS E CATADORES DE MATERIAIS RECICLAVEIS ANCAT

Leia mais

Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia - Hotelaria

Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia - Hotelaria Desenvolvimento de Práticas Sustentáveis e Certificação Selo Verde Ecolmeia - Hotelaria D www.ecolmeia.org.br 1 A, fundada em 2006, é formada por um grupo de profissionais de diferentes áreas que agregaram

Leia mais

Mesa Redonda: POLÍTICAS PARA SUSTENTABILIDADE NAS UNIVERSIDADES

Mesa Redonda: POLÍTICAS PARA SUSTENTABILIDADE NAS UNIVERSIDADES Mesa Redonda: POLÍTICAS PARA SUSTENTABILIDADE NAS UNIVERSIDADES PERGUNTAS NORTEADORAS: 1) O que significa ambientalizar a universidade e o que se espera com isso? Ambientalização da universidade é a inserção

Leia mais

Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura

Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura Eng. Agr. Leandro Capuzzo Banco do Brasil S/A #interna Pré-requisitos para o crédito Ø Cadastro atualizado Ø Verificação de situações impeditivas

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Energia solar na habitação. Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA

Energia solar na habitação. Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA Energia solar na habitação Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA MCMV 1 + MCMV 2: 224.405 MCMV Fase 1 41.449 unidades habitacionais com SAS 136 empreendimentos 69 municípios - 10

Leia mais

Estratégia de sustentabilidade

Estratégia de sustentabilidade Estratégia de sustentabilidade Fusão I Itaú + Unibanco Visão I Itaú Unibanco Perguntas norteadoras I 2010 - Itaú Unibanco 1 2 3 O que é Performance Sustentável e qual a relação entre Performance Sustentável

Leia mais

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho Coordenador de SMS nas Empresas Artecola Nossos negócios

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável 1. Introdução A 1ª Oficina do Projeto Esplanada Sustentável foi realizada na ESAF, entre os dias 06 e 09 de fevereiro de 2012, em caráter

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7.

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7. Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010) 3 Esferas de Responsabilidade: Plano de Gerenciamento Fabricação

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO 1. CARACTERÍSTICAS NACIONAIS Brasil - um país de dimensões continentais

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim SEMINÁRIO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes Deputado Arnaldo Jardim 21.07.11 Política Nacional de Resíduos SólidosS Diretrizes Internalizar

Leia mais

O que não é medido não é gerenciado (Robert Kaplan e David Norton autores da metodologia BSC Balanced Scorecard)

O que não é medido não é gerenciado (Robert Kaplan e David Norton autores da metodologia BSC Balanced Scorecard) O que não é medido não é gerenciado (Robert Kaplan e David Norton autores da metodologia BSC Balanced Scorecard) 2016 1ª Edição 03 Cases Certificados Sou Benchmarking Quem já é Benchmarking (possui case

Leia mais

Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis. Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis. Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Disco Egan para comunidade sustentáveis sustentabilidade nos espaços urbanos

Leia mais

INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL

INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL CONTEXTO GLOBALIZADO Avanço de atitudes pró-ativas das empresas que começaram a vislumbrar, através da introdução de mecanismos de gestão ambiental, oportunidades de mercado,

Leia mais

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 APRESENTAÇÃO ITAMBÉ Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 HISTÓRICO - Itambé - COOPERATIVA CENTRAL DOS PRODUTORES RURAIS DE MINAS GERAIS LTDA LATICÍNIOS ATIVIDADES /NEGÓCIOS RAÇÕES ARMAZÉNS HISTÓRICO

Leia mais

Programa Carbono Zero da Acumuladores e Baterias Moura

Programa Carbono Zero da Acumuladores e Baterias Moura Programa Carbono Zero da Acumuladores e Baterias Moura A Ecofinance Fundado em novembro de 2007 na cidade de Porto Alegre RS Mais de 2,5 milhões de créditos de carbono emitidos; Registro do maior projeto

Leia mais

COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA DELIBERAÇÃO Nº 11, DE 25 DE SETEMBRO DE 2017

COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA DELIBERAÇÃO Nº 11, DE 25 DE SETEMBRO DE 2017 COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA DELIBERAÇÃO Nº 11, DE 25 DE SETEMBRO DE 2017 O COMITÊ ORIENTADOR PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE LOGÍSTICA REVERSA, no uso de

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL CONTEXTO GLOBALIZADO Avanço de atitudes pró-ativas das empresas que começaram a vislumbrar, através da introdução de mecanismos de gestão ambiental, oportunidades de mercado,

Leia mais

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO Patrícia Iglecias SETEMBRO, 2013 RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO GESTÃO DE RESÍDUOS NA PNRS Não geração Redução Reutilização Reciclagem Tratamento

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil

Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil Palestrante: Rafael F. Tozzi Belém, 10 de agosto de 2017 1 Contexto Geral A seca e escassez no Sudeste, as inundações

Leia mais

Ações de Sustentabilidade

Ações de Sustentabilidade Ações de Sustentabilidade Visão do GHC Ser reconhecido no Sistema Único de Saúde como modelo de atenção centrado nas pessoas, inovador na gestão e polo de produção de conhecimento, ensino e pesquisa, com

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Declaração Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e das

Leia mais

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel II: Resíduos Sólidos Urbanos Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho 20.04.2012 Cenários e Evolução

Leia mais

Práticas Socioambientais na Copel Distribuição

Práticas Socioambientais na Copel Distribuição Práticas Socioambientais na Copel Distribuição Ramo de atuação da empresa: Distribuição de Energia Elétrica Certificações da empresa: Não possui sistema de gestão ambiental certificado (ISO 14000). Sustentabilidade

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DA LOJAS RENNER E SUAS CONTROLADAS

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DA LOJAS RENNER E SUAS CONTROLADAS POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DA LOJAS RENNER E SUAS CONTROLADAS 1 INTRODUÇÃO A Lojas Renner acredita que para alcançar a sua meta de ser a maior e melhor loja de departamentos das Américas precisa ir além

Leia mais

Proposta para o programa de 1 milhão de painéis solares até 2030

Proposta para o programa de 1 milhão de painéis solares até 2030 Proposta para o programa de 1 milhão de painéis solares até 2030 Brasilia, 8 de novembro de 2016 Sumário executivo A Rede de Mulheres Brasileiras Lideres pela Sustentabilidade levou à Paris 2015 - UN Conference

Leia mais

ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil

ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DAS CIDADES ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil Camilo Sobreira de Santana Secretário das Cidades do Estado do Ceará www.cidades.ce.gov.br 1 EMBASAMENTO

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E INOVAÇÃO

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E INOVAÇÃO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E INOVAÇÃO QUEM SOMOS? Uma instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil

Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil Introdução ao Brazil ~ 205 milhões de habitantes 5.565 municípios Área: 8.502.728,27 Km² ~15% da Água Potável do Planeta A maior biodiversidade

Leia mais

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 SUMÁRIO 1. Apresentação... 02 2. Objetivo... 02 3. Princípios... 02 4. Documentos de Referencias... 03 5. Diretrizes... 03 6. Compromissos e Prestação

Leia mais

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Política Nacional de Sustentabilidade Lançada em 2001 como Política de Responsabilidade Social Comitê Nacional de Sustentabilidade

Leia mais

COPA VERDE. Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social.

COPA VERDE. Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social. COPA VERDE Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social. COPA VERDE Inventário e neutralização das emissões de carbono das obras da Arena Pantanal Parceria: Instituto Ação Verde (convênio

Leia mais

OPORTUNIDADES. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017.

OPORTUNIDADES. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017 O BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis tem como objetivo apoiar investimentos em geração e distribuição

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável no Varejo

Desenvolvimento Sustentável no Varejo Desenvolvimento Sustentável no Varejo Daniela de Fiori Outubro de 2006 Desenvolvimento Sustentável As três dimensões Objetivos Econômicos Crescimento Valor para acionistas Eficiência Inovação Objetivos

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 12 Sistemas de Gestão Ambiental Profº Heloise Knapik 1 Necessidade de sair de uma atitude reativa Faz-se algo apenas quando algo

Leia mais

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS HISTÓRICO Agenda 21 (Rio de Janeiro, 1992): A maior causa da deterioração continuada do meio ambiente global são os padrões insustentáveis de consumo e produção. Plano de

Leia mais

Como implantar ações sustentáveis Grupo Tiliform. Alcides Razeira Junior

Como implantar ações sustentáveis Grupo Tiliform. Alcides Razeira Junior Como implantar ações sustentáveis Grupo Tiliform Alcides Razeira Junior A Empresa Ano de fundação: 1985 4 Fábricas (produção sob encomenda) 288 Colaboradores 19.000 Clientes Atuação Nacional: 05 Escritórios

Leia mais

No caminho da Sustentabilidade. Óbidos Carbono Social

No caminho da Sustentabilidade. Óbidos Carbono Social No caminho da Sustentabilidade Óbidos Carbono Social Objectivos Implementação de medidas que visam a redução das emissões de CO 2 Execução de soluções de sequestração de CO 2 no Concelho Projectos de Mitigação

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DA CETESB NA PROMOÇÃO DE PRÁTICAS DE P+L NO ESTADO DE SÃO PAULO

EXPERIÊNCIAS DA CETESB NA PROMOÇÃO DE PRÁTICAS DE P+L NO ESTADO DE SÃO PAULO SEMINÁRIO ÍNDICE P+L: EM BUSCA DA SUSTENTABILIDADE EXPERIÊNCIAS DA CETESB NA PROMOÇÃO DE PRÁTICAS DE P+L NO ESTADO DE SÃO PAULO Eng José Wagner Faria Pacheco Setor de Produção e Consumo Sustentáveis Novembro

Leia mais

QUESTIONÁRIO EMPRESAS

QUESTIONÁRIO EMPRESAS QUESTIONÁRIO EMPRESAS A agenda 21 local é um processo de participação e parceria entre autoridades locais, os cidadãos, as organizações e as empresas de Vila Pouca de Aguiar. Por desenvolvimento sustentável

Leia mais

Sustentabilidade Humana nas Cidades, Consumo Consciente e Responsabilidade Social

Sustentabilidade Humana nas Cidades, Consumo Consciente e Responsabilidade Social Sustentabilidade Humana nas Cidades, Consumo Consciente e Responsabilidade Social Pedro Roberto Jacobi Prof. Titular Instituto de Energia e Ambiente Universidade de São Paulo Antropoceno- uma nova era

Leia mais

Projeto Na Medida MICROEMPRESA. Palestra de sensibilização Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS. Competências Gerais. Modalidade. Formato.

Projeto Na Medida MICROEMPRESA. Palestra de sensibilização Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS. Competências Gerais. Modalidade. Formato. Projeto Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS Palestra de sensibilização Na Medida Compreender a relevância do papel dos micro e pequenos empresários na economia brasileira e a necessidade da adoção das melhores

Leia mais

Contratação de Serviços Públicos

Contratação de Serviços Públicos Contratação de Serviços Públicos MODELOS DE CONTRATAÇÃO I. MODELO CONVENCIONAL DE CONTRATO DE EMPREITADA (LEI 8.666/93) II. MODELO DE CONCESSÃO PÚBLICA (Tradiconal) (LEI 8.987/95) III. MODELO DE PPP (Concessão

Leia mais

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor Vanessa Duarte de Carvalho Deptº de Saneamento Ambiental do BNDES Belo Horizonte, 26 de novembro de 2010 Agenda RESÍDUOS SÓLIDOS BNDES

Leia mais

Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa. Zilda M. F. Veloso 08abril2014

Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa. Zilda M. F. Veloso 08abril2014 Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa Zilda M. F. Veloso 08abril2014 I- CONSIDERAÇÕES GERAIS Objetivos POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERAÇÃO DE RESÍDUOS PANO DE FUNDO: Sem a PNRS, a geração

Leia mais

Manual de Conduta Ambiental. Elaborado pelo Comitê Ambiental da Tramontina, para alinhar a conduta da Gestão Ambiental das unidades da empresa.

Manual de Conduta Ambiental. Elaborado pelo Comitê Ambiental da Tramontina, para alinhar a conduta da Gestão Ambiental das unidades da empresa. Manual de Conduta Ambiental Elaborado pelo Comitê Ambiental da Tramontina, para alinhar a conduta da Gestão Ambiental das unidades da empresa. A responsabilidade socioambiental é um dos valores que marcam

Leia mais

THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO

THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos 05 09 2012 THOMAZ MENEZES PRESIDENTE EXECUTIVO História 2001 ING compra a participação da Aetna 2008 2010 Primeiro Relatório de Separação dos papéis de Sustentabilidade

Leia mais

Empresas e Empreendedores Temos bons Projetos mas não conseguimos nenhum apoio

Empresas e Empreendedores Temos bons Projetos mas não conseguimos nenhum apoio MARÍLIA Entidades de Apoio Temos recursos mas não encontramos bons Projetos para apoiar Empresas e Empreendedores Temos bons Projetos mas não conseguimos nenhum apoio? Alguns pontos de reflexão: Comunicação

Leia mais

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações.

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. Levando em considerações os aspectos sociais, econômicos e ambientais, o Sistema Federação

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empregados do Banrisul Sumário: 1. Introdução... 1 2. Objetivo... 1 3. Princípios e Diretrizes... 1 4. Governança...

Leia mais

O papel da lata de alumínio para bebidas na Economia Circular

O papel da lata de alumínio para bebidas na Economia Circular O papel da lata de alumínio para bebidas na Economia Circular Renault de Freitas Castro Presidente Executivo Abralatas Fórum Internacional Waste Expo Brasil 22 Novembro de 2016 São Paulo- SP - Brasil A

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

A Manutenção da Sustentabilidade Energética

A Manutenção da Sustentabilidade Energética A Manutenção da Sustentabilidade Energética Emanuel Sá AdEPorto 2006 O Município do Porto submeteu uma candidatura conjunta com Bordéus, Latina, Múrcia, Porto e Riga ao IEE para criar 5 agências de energias.

Leia mais

ECOEFICIÊNCIA E COMPETITIVIDADE

ECOEFICIÊNCIA E COMPETITIVIDADE apresentação do projeto ECOEFICIÊNCIA E COMPETITIVIDADE Em relação a barreiras à inovação, as respostas (das empresas ao inquérito) apontam os recursos financeiros como os mais relevantes, o que denota,,

Leia mais

O argumento a favor da eco-inovação. Considerações ambientais para decisões empresariais mais inteligentes

O argumento a favor da eco-inovação. Considerações ambientais para decisões empresariais mais inteligentes O argumento a favor da eco-inovação Considerações ambientais para decisões empresariais mais inteligentes Temos de pensar coletivamente na eco-inovação Com 53% dos decisores empresariais europeus a apontarem

Leia mais

Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE

Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em 24 de julho de 1967. Seu objetivo é atuar

Leia mais

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados Incorporadora e Construtora 38 anos no mercado 121 empreendimentos lançados 3,5 milhões de metros quadrados de área construída e em construção (24.475 unidades) EZ TOWERS certificação e diferenciais ambientais

Leia mais

SOLUÇÕES CAIXA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL. Crédito Imobiliário Produtos e Serviços Comerciais

SOLUÇÕES CAIXA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL. Crédito Imobiliário Produtos e Serviços Comerciais SOLUÇÕES CAIXA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL Crédito Imobiliário Produtos e Serviços Comerciais Outubro/2016 Cenário Balanço PMCMV 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 TOTAL MCMV 286.305 718.823 508.199 798.749

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS E O PROGRAMA DE METAS DA CIDADE DE SÃO PAULO

RESÍDUOS SÓLIDOS E O PROGRAMA DE METAS DA CIDADE DE SÃO PAULO RESÍDUOS SÓLIDOS E O PROGRAMA DE METAS DA CIDADE DE SÃO PAULO Contribuições da Sociedade Civil para a construção de metas de resíduos para o período de 2017-2020 Introdução Eixos 1. 2. Aterros Sanitários

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Política Nacional de Resíduos Sólidos

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Política Nacional de Resíduos Sólidos MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS BASE LEGAL - AÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AÇOES DE GESTÃO DE RESÍDUOS - BASE LEGAL Lei nº 11.107/2005 Consórcios Públicos Decreto nº 6017/2007

Leia mais

Márlon Alberto Bentlin

Márlon Alberto Bentlin Forum Empresarial pelo Clima BRDE - Crédito & Desenvolvimento AGÊNCIA DO RIO GRANDE DO SUL Márlon Alberto Bentlin BRDE Estados-sócios É uma instituição pública de fomento, constituída como banco de desenvolvimento.

Leia mais

Gestão Sustentável e Inclusiva de Resíduos Sólidos

Gestão Sustentável e Inclusiva de Resíduos Sólidos Cushman & Wakefield Gestão Sustentável e Inclusiva de Resíduos Sólidos Dimensões Social e ambiental Data de início Março/2011 Principal objetivo da prática Tornar a gestão de resíduos do condomínio E-Business

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2 1. Introdução A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Públicos dos Municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória COOPMETRO é uma entidade

Leia mais

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Projeto Coleta Seletiva Sumário 1. Objetivo: Descrição completa do objeto a ser executado --------------------------------- 3 2. Meta desejada: Descrição das Metas desejadas

Leia mais

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis 06/11/12 A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis A importância desta certificação para as Compras Públicas Sustentáveis Seminário Internacional A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EIXO 4 ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA VERSÃO PRELIMINAR Contexto O mundo vive atualmente o desafio de seguir com seu processo de desenvolvimento socioeconômico com recursos cada vez mais escassos.

Leia mais

Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041)

Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041) Eng. Ivanor Fantin Júnior Celular: (041) 9229-9900 engenharia@sindusconpr.com.br Logística Reversa de Resíduos da Construção Civil no Estado do Paraná Situação Atual Estimativa da quantidade coletada de

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Zilda Maria Faria Veloso

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Zilda Maria Faria Veloso MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Zilda Maria Faria Veloso Diretora de Ambiente Urbano Secretaria de Recursos Hídricos e Meio Urbano POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS PNRS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS

Leia mais

Agenda. Braskem e Visão Função da ACV. GCV na Braskem. Perspectivas Futuras. Conclusões

Agenda. Braskem e Visão Função da ACV. GCV na Braskem. Perspectivas Futuras. Conclusões Agenda Braskem e Visão 2020 Função da ACV GCV na Braskem Perspectivas Futuras Conclusões Indústria Petroquímica Nafta Gás natural Integração Competitiva PE PP PVC 1ª Geração 2ª Geração Extração 3ª Geração

Leia mais

SOBRE A EQUIPE. SOBRE A I9Gestão

SOBRE A EQUIPE. SOBRE A I9Gestão SOBRE A EQUIPE A equipe da I9Gestão é formada por consultores experientes, altamente qualificados e apaixonados pelo que fazem. SOBRE A I9Gestão A I9Gestão Consultoria & Treinamento é especializada na

Leia mais

Seminário Internacional Desafios Globais da Produção e Consumo Sustentáveis. Painel II: Perspectivas Nacionais

Seminário Internacional Desafios Globais da Produção e Consumo Sustentáveis. Painel II: Perspectivas Nacionais Seminário Internacional Desafios Globais da Produção e Consumo Sustentáveis Painel II: Perspectivas Nacionais PROJETOS - Compras Sustentáveis pela Inovação e por uma economia Verde e Inclusiva Inova CPS

Leia mais

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência 25 de novembro de 2015 Centro de Formação, Capacitação e Treinamento - CEFOR da Câmara dos Deputados OBJETIVOS Geral:

Leia mais

Desafios na construção de indicadores para o planejamento estratégico. Alexandre Brandão. 30 de junho. Diretoria de estudos urbanos e ambientais

Desafios na construção de indicadores para o planejamento estratégico. Alexandre Brandão. 30 de junho. Diretoria de estudos urbanos e ambientais Desafios na construção de indicadores para o planejamento estratégico Alexandre Brandão 30 de junho SUMARIO 1. Trabalhos recentes sobre indicadores 2. Questões que permanecem 3. Análise do mapa estratégico

Leia mais

PROGRAMA IFNMG SUSTENTÁVEL Metas a serem alcançadas

PROGRAMA IFNMG SUSTENTÁVEL Metas a serem alcançadas Ações/Programas e Detalhamento PROGRAMA Unidades e áreas envolvidas e respectivos responsáveis Projeto de Boas práticas de gestão do serviço público: Redução dos gastos públicos e racionalização dos recursos

Leia mais

Departamento. Responsabilidade Social ELETROBRÁS

Departamento. Responsabilidade Social ELETROBRÁS Departamento de Responsabilidade Social ELETROBRÁS das@eletrobras.com (21) 2514-6146 Histórico de Criação da Área 1º Momento 27.01.2003 Res - 038/2003 Coordenadoria para o Desenvolvimento Humano e Responsabilidade

Leia mais

Ações de Ecoeficiência na Caixa

Ações de Ecoeficiência na Caixa Ações de Ecoeficiência na Caixa Marcos Históricos 2003 Adesão ao Pacto Global 2004 Aprovada Política Ambiental CAIXA 2005: Instalação do Comitê de Política Ambiental; 2007 Criação das GN Meio Ambiente

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa GEE Festival de Turismo das Cataratas 2016

Inventário de Gases de Efeito Estufa GEE Festival de Turismo das Cataratas 2016 Apresenta: Inventário de Gases de Efeito Estufa GEE Festival de Turismo das Cataratas 2016 Nome da instituição: De Angeli Feiras & Eventos Tipo de instituição: Promotora de Evento Setor econômico: Turismo

Leia mais

O PACTO PELO SANEAMENTO LIXÃO ZERO + RECICLA-RIO REGIONALIZAÇÃO E PERSPECTIVAS PARA A RECICLAGEM

O PACTO PELO SANEAMENTO LIXÃO ZERO + RECICLA-RIO REGIONALIZAÇÃO E PERSPECTIVAS PARA A RECICLAGEM O PACTO PELO SANEAMENTO LIXÃO ZERO + RECICLA-RIO REGIONALIZAÇÃO E PERSPECTIVAS PARA A RECICLAGEM CENÁRIO/TENDÊNCIAS Erradicação de Lixões Implantação de Aterros Sanitários / Centrais de Tratamento de Resíduos

Leia mais

Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear

Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear Declaração de Posicionamento da Eletrobras Eletronuclear Missão Atuar nos mercados de energia de forma integrada rentável e sustentável. Visão Em

Leia mais

Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho

Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho O QUE É O MODELO O Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho é uma ferramenta de diagnóstico e auto-avaliação que propõe às indústrias brasileiras uma reflexão

Leia mais

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente do Município de Paranatinga. CAPÍTULO I Do Fundo Municipal de Meio Ambiente Art. 1º Fica instituído o Fundo Municipal de

Leia mais

Compras Públicas Sustentáveis

Compras Públicas Sustentáveis Compras Públicas Sustentáveis SEMINARIO - TALLER COMPRAS PÚBLICAS SUSTENTABLES Oportunidades en Argentina y en el MERCOSUR Valéria D Amico vdamico@sp.gov.br Governo do Estado de São Paulo Secretaria da

Leia mais

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios COMUNICADO O SEBRAE NACIONAL Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, por meio da Universidade Corporativa SEBRAE, comunica que, na prova, serão avaliados conhecimentos conforme as áreas descritas

Leia mais

Residência: Local de trabalho/estudo: Habilitações académicas: Profissão:

Residência: Local de trabalho/estudo: Habilitações académicas: Profissão: Inquérito O Plano de Ação para a Energia Sustentável do Concelho de Setúbal (PAESS) é um instrumento fundamental para assegurar o cumprimento, a nível local, do compromisso de atingir e ultrapassar o objetivo

Leia mais

II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COM A RECICLAGEM POPULAR

II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COM A RECICLAGEM POPULAR II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COM A RECICLAGEM POPULAR DESAFIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA ROTA TECNOLÓGICA DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NOS MUNICÍPIOS DA

Leia mais

Projeto Brasil-Alemanha de fomento ao aproveitamento energético do biogás no Brasil

Projeto Brasil-Alemanha de fomento ao aproveitamento energético do biogás no Brasil Projeto Brasil-Alemanha de fomento ao aproveitamento energético do biogás no Brasil Acordo bilateral de cooperação 2008: Governo brasileiro e alemão ratificaram interesse em aprofundar parceria estratégica

Leia mais

Programa Estratégico 2020 Oeste Portugal

Programa Estratégico 2020 Oeste Portugal Programa Estratégico 2020 Oeste Portugal Debate Regional "Crescimento Sustentável: desafios e prioridades para a Região Oeste Portugal Apresentação da reflexão do subgrupo Crescimento Sustentável sobre

Leia mais

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis Paula Trindade LNEG Conferência Compras Públicas Sustentáveis LNEG, 25 Março 2010 Muitas organizações têm experiências em compras sustentáveis! Mas sem

Leia mais

O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas. Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo

O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas. Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo E O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo Cenário atual das Concessões e PPP no Brasil 101 Contratos de PPP assinados

Leia mais

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital 12º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes - MOLDES ABM Agosto de 2014 Importância do investimento na

Leia mais

Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar

Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar Marvão, 29 th May A ECOCHOICE é uma empresa de consultoria de referência na área da construção sustentável em Portugal, satisfazendo as necessidades

Leia mais

Inventário de emissões de gases de efeito estufa

Inventário de emissões de gases de efeito estufa Inventário de emissões de gases de efeito estufa Ano inventariado: 2015 Caixa Econômica Federal Nome fantasia: CAIXA CNPJ: 00.360.305/2660-58 Setor econômico: Atividades financeiras, de seguros e serviços

Leia mais

Versão online:

Versão online: Versão online: www.profissionalenegocios.com.br Empresas Participantes Perfil das Empresas Participantes Perfil das Empresas Participantes Proporção RH x Total 1,8% Perfil das Empresas Participantes Proporção

Leia mais

Jailson Bittencourt de Andrade Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento São Paulo, SP, 21 de Março de 2017

Jailson Bittencourt de Andrade Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento São Paulo, SP, 21 de Março de 2017 SEPED Secretaria de Mudança do e Segurança Hídrica Reflexos e Impactos para a Sociedade Estratégias e InstrumentosEconômicos Aplicados à Política de Mudança do no Brasil Jailson Bittencourt de Andrade

Leia mais

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Ambiente diferenciado do meio empresarial Campus Santo Amaro - Centro Universitário rio SENAC 120 mil m2 de terreno 21 cursos de graduação e 7

Leia mais

Kit de Imprensa. Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA

Kit de Imprensa. Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA Kit de Imprensa Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA Kit de Imprensa - Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade 1. Responsabilidade social da FIFA 2. Responsabilidade

Leia mais