FILOSOFIA. Comentário Geral:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FILOSOFIA. Comentário Geral:"

Transcrição

1 1 FILOSOFIA Comentário Geral: A prova apresentou algumas mudanças em relação à dos anos anteriores. Isso tanto na utilização de textos que levaram os candidatos a ultrapassar a leitura e interpretação dos mesmos e partir para uma reflexão filosófica acerca dos filósofos e conteúdos abordados, quanto à escrita dos enunciados, que em algumas questões, propuseram um caráter de contextualização - característica bastante restrita em relação a outras provas de filosofia. Em relação aos filósofos indicados, a prova se ateve ao centro das discussões dos autores em suas obras e ofereceu maior facilidade para justificar/argumentar as respostas. Equipe de Professores de Filosofia Colégio Bom Jesus QUESTÕES Platão apresenta o sujeito caracterizando-o com a alma dividida em duas de suas três partes: no texto aparece uma que fica presa aos sentidos e outra que busca, através do cálculo, um caráter de verdade para o objeto. O sujeito estará mais próximo à verdade sobre o objeto observado se utilizar dessa última parte da alma e de suas ações.

2 2 Para Platão, a parte racional da alma, que mede e calcula se apresenta como a melhor para obtenção da verdade e do conhecimento, pois para o autor, essa parte imprime, a partir do texto, um processo de investigação, ao contrário da parte que apenas vê perturbadamente o objeto, pois ao se utilizar apenas da capacidade visual, o indivíduo pode ser levado a uma ilusão ótica revelando assim a fraqueza de nossa natureza, que seria crer no ilusionismo do pintor como sendo a verdade, por exemplo. COMENTÁRIO: QUESTÕES 01 E 02 Texto e enunciados são claros e levam o candidato a identificar as características da Teoria do Conhecimento platônica. Se lido com atenção, o texto proposto fornece as informações necessárias para que se responda com correção o solicitado nos enunciados. No texto, Platão deixa claro que os sentidos, exemplificado pela visão e suas perturbações, são inferiores ou insuficientes para levar o homem ao cominho correto da busca da verdade. O caminho correto para Platão é aquele trilhado pela investigação racional, exemplificado no texto pelo cálculo, que nada mais é que uma comprovação racional. Maquiavel aponta que o homem precisa estar aberto às interferências e às mudanças que as circunstâncias e a época possam trazer ao que o indivíduo apresenta como características de sua natureza. Enquanto sua natureza lhe proporcionar resultado vitorioso ela é válida, porém, se as circunstâncias apresentar dificuldades na busca de um resultado positivo, é preferível que este indivíduo mude as características de sua natureza conforme as solicitações que as circunstâncias lhe fizer e assim, este alcance o sucesso em sua tomada de decisão. COMENTÁRIO: Ao apontar a importância das circunstâncias para que o governante defina sua postura ou sua ação, o autor está explicando porque o nome de sua teoria política é Realismo Político. A resposta ao enunciado da questão está presente no texto quando este afirma que ao bom governante é necessário estar atento às ações que deva tomar para se chegar a resultados vitoriosos, mesmo que essas ações não façam parte, em um primeiro momento, da natureza daquele governante.

3 3 A disputa deveria levar os indivíduos a ter acesso à verdade, porém, para o autor, as disputas avaliadas por ele estão presas, demasiadamente, a justificar apenas o verossimilhante, deixando de lado a verdade. Descartes compara a discussão acadêmica com o diálogo do direito, uma como disputas de conceitos ou pesquisas e outra como disputa de argumentações. Para o autor, ambas se apresentam como formas errôneas da busca do conhecimento, pois as duas exercitam-se bem mais em fazer valer a verossimilhança, ou seja, não busca saber a verdade, mas apenas o que ela aparenta ser. A partir do texto, Descartes afirma que o fato de o indivíduo ser considerado um bom advogado durante muito tempo é baseado apenas em sua aptidão para justificar a aparência dos fatos através de seus argumentos. Como não houve, nesse período, a busca e a compreensão da verdade em si, o tempo não seria critério que daria ao advogado condições de ser um bom juiz, pois não teria pressupostos para exercer tal função. COMENTÁRIO: QUESTÕES 04, 05 E 06 Analisando a história das provas de filosofia da UFPR, essas três questões diferem ao apresentar a possibilidade de o candidato contextualizar seus conhecimentos com os abordados no texto. O tema central das questões é identificar as diferenças entre atingir o verossimilhante e a verdade em si, o que para Descartes, apenas o método racional dá condições para que o indivíduo tenha acesso à essência do que se busca, ou seja, à verdade.

4 4 Platão enfatiza que a arte que visa o uso é a que cabe a primazia no julgamento dos objetos, pois esta, ao contrário da que visa fabricação, que vai se utilizar das informações passadas pela primeira para fabricar o utensílio e ao contrário da que visa a imitação, que não terá nem ciência, nem opinião correta sobre o utensílio, é a que visa o uso que vai açambarcar qual é a finalidade do utensílio, ou seja, esta saberá qual é a sua essência. COMENTÁRIO: QUESTÃO 07 Em mais uma prova pergunta-se sobre as características da Epistemologia platônica. A dicotomia entre razão e sentidos, essência e aparência, está explicitada através da utilização dos três tipos de artes no texto: a que visa o uso, a fabricação e a imitação. Nessa questão, o enunciado abre para que o candidato ao ler e interpretar o texto apresente com mais autonomia e clareza uma reflexão filosófica acerca de seus conhecimentos em relação ao autor e sua teoria.

5 5 Ambos os textos apresentam a necessidade do governante manter seu governo através da Virtú. O indivíduo governante vai ser considerado bom, a partir da teoria política maquiaveliana, o quanto mais antever suas ações no intuito de nunca ser pego de surpresa e fazer com que seus resultados sejam apenas fruto de suas escolhas e não de algo inesperado, a fortuna. COMENTÁRIO: Atendendo às expectativas em relação às questões sobre o pensamento e obra de Maquiavel, nessa questão, os textos evidenciam as características da Virtù e da Fortuna maquiavelianas, conceitos amplamente abordados na obra O Príncipe. Como existencialista que é, Ponty critica o racionalismo clássico que elenca o normal e o anormal, definindo o normal como coerente, na sequência ele propõe, baseado na liberdade e na natureza do homem, uma coerência que é fruto de um processo de construção do homem. Se a coerência clássica é finita e limitadora para Ponty, a coerência deve levar em consideração que o mundo do homem é inacabado. Ao partir do princípio que o pensamento do adulto, seja considerado único pensamento válido, Ponty aponta que, ao deixar de lado as dimensões que fazem parte da existência do homem (criança, primitivo e doente), chegar-se-á à situação de não abordagem ou análise do homem na sua totalidade e de apenas uma de suas partes. COMENTÁRIO: QUESTÕES 09 E 10 Apesar de serem indicados pela universidade, outros capítulos da obra de Merleau Ponty, o tema central acerca desse autor continuou sendo a constituição do homem. Devemos levar em consideração os conceitos de liberdade e totalidade do existencialismo para tal constituição.

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I 1.1 1.2 1.3 Conhecimento filosófico, religioso, científico e senso comum. Filosofia e lógica. Milagre Grego.

Leia mais

Maria Luiza Costa

Maria Luiza Costa 45 ESTÉTICA CLÁSSICA E ESTÉTICA CRÍTICA Maria Luiza Costa m_luiza@pop.com.br Brasília-DF 2008 46 ESTÉTICA CLÁSSICA E ESTÉTICA CRÍTICA Resumo Maria Luiza Costa 1 m_luiza@pop.com.br Este trabalho pretende

Leia mais

26/08/2013. Gnosiologia e Epistemologia. Prof. Msc Ayala Liberato Braga GNOSIOLOGIA: TEORIA DO CONHECIMENTO GNOSIOLOGIA: TEORIA DO CONHECIMENTO

26/08/2013. Gnosiologia e Epistemologia. Prof. Msc Ayala Liberato Braga GNOSIOLOGIA: TEORIA DO CONHECIMENTO GNOSIOLOGIA: TEORIA DO CONHECIMENTO Gnosiologia e Epistemologia Prof. Msc Ayala Liberato Braga Conhecimento filosófico investigar a coerência lógica das ideias com o que o homem interpreta o mundo e constrói sua própria realidade. Para a

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA Nome: Nº 9º ANO Data: / 06 / 2016 Professor: Alessandro 2º Bimestre Nota: (Valor 1,0) A - Introdução Neste semestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou

Leia mais

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média:

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: EXERCÍCIOS ON LINE 3º BIMESTRE DISCIPLINA: Filosofia PROFESSOR(A): Julio Guedes Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: NOME: Nº.: Exercício On Line (1) A filosofia atingiu

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA Nome: Nº 9 a. Série Data: / /2016 Professor: ALESSANDRO Nota: (valor: 1,0) 2º semestre A - Introdução Neste semestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou

Leia mais

AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos

AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos 1 AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos Ernesto F. L. Amaral 08 de março de 2012 Metodologia (DCP 033) Fonte: Severino, Antônio Joaquim. 2007. Metodologia do trabalho científico.

Leia mais

Volume 2 Fascículo 2 Filosofia Unidade 3

Volume 2 Fascículo 2 Filosofia Unidade 3 Atividade extra Volume 2 Fascículo 2 Filosofia Unidade 3 Questão 1 A ideia de que, pela Ciência e pela técnica, o homem se converterá em senhor e possuidor da natureza está presente no pensamento do filósofo

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA ( 19) HISTÓRIA MAIO 2016

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA ( 19) HISTÓRIA MAIO 2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE Escola Básica 2+3 de Santo António Escola Secundária Fernando Lopes Graça INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA ( 19) HISTÓRIA MAIO 2016 9.º ANO - 3.º

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO

QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO QUESTIONÁRIO DE FILOSOFIA ENSINO MÉDIO - 2º ANO A FILOSOFIA DA GRÉCIA CLÁSSICA AO HELENISMO ESTUDAR PARA A PROVA TRIMESTRAL DO SEGUNDO TRIMESTRE PROFESSORA: TATIANA SILVEIRA 1 - Seguiu-se ao período pré-socrático

Leia mais

ESPANHOL INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA

ESPANHOL INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL Prova 15 2014 Tipo de prova: Escrita / Oral 1ª e 2ª Fases 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011

PROCESSO SELETIVO 2011 PROCESSO SELETIVO 2011 Anos 06/12/2010 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA Mais uma vez a UFPR oferece aos alunos uma prova exigente e bem elaborada, com perguntas formuladas com esmero e citações muito pertinentes. A prova de filosofia da UFPR

Leia mais

Objeto de avaliação. Objeto de avaliação Caracterização da prova Critérios gerais de classificação Material Duração

Objeto de avaliação. Objeto de avaliação Caracterização da prova Critérios gerais de classificação Material Duração INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL LE II (3 anos) 2016 Prova 15 / 2016 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Jorge dos Santos Lima *

Jorge dos Santos Lima * Erickson, Glenn W.; e Fossa, John A.. A linha dividida: uma abordagem matemática à filosofia platônica. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2006. 186 páginas. [Coleção Metafísica, n. 4]. Jorge dos Santos Lima

Leia mais

MUNICÍPIO DE XAXIM CONCURSO PUBLICO 02/2015 JULGAMENTO DOS RECURSOS

MUNICÍPIO DE XAXIM CONCURSO PUBLICO 02/2015 JULGAMENTO DOS RECURSOS CONCURSO PUBLICO 02/2015 JULGAMENTO DOS RECURSOS RECURSO QUANTO Á QUESTÃO 10 Professor de Geografia Nas instruções apresentadas pela empresa ASSCON-PP no caderno de provas vale destacar: 2. Você está recebendo

Leia mais

III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA

III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA 1. Argumentação e Lóg gica Formal 1.1. Distinção validade - verdade 1.2. Formas de Inferên ncia Válida. 1.3. Principais Falácias A Lógica: objecto de estudo

Leia mais

Platão, desiludido com a. escola de filosofia a Academia.

Platão, desiludido com a. escola de filosofia a Academia. Platão era filho da aristocracia ateniense. Foi discípulo de Sócrates. Sua obra reflete o momento caótico pelo qual passou Atenas no decorrer de sua vida A crise da sociedade ateniense está ligada à guerra

Leia mais

COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia. Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia. Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia 65 Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No. ROTEIRO DE RECUERAÇÃO ANUAL 2016 Data: / / FILOSOFIA 1º Ano do Ensino Médio 1º. O recuperando deverá

Leia mais

Em resposta à solicitação de revisão do resultado da prova didática da candidata Ionara Fonseca da Silva Andrade, consideramos que:

Em resposta à solicitação de revisão do resultado da prova didática da candidata Ionara Fonseca da Silva Andrade, consideramos que: Parecer da Banca de Linguística e Língua Portuguesa referente ao recurso de solicitação de revisão da prova didática Candidata: Ionara Fonseca da Silva Andrade Inscrição 506 Edital 04/2010 CEMULTI Campus

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE MATEMÁTICA. Professores Adilson Longen, Carlos Walter Kolb, Emerson Marcos Furtado e Oslei Domingos

COMENTÁRIO DA PROVA DE MATEMÁTICA. Professores Adilson Longen, Carlos Walter Kolb, Emerson Marcos Furtado e Oslei Domingos COMENTÁRIO DA PROVA DE MATEMÁTICA Professores Adilson Longen, Carlos Walter Kolb, Emerson Marcos Furtado e Oslei Domingos Utilizamos a seguir alguns critérios para comentar a prova de Matemática da ª fase

Leia mais

AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos

AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos 1 AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos Ernesto F. L. Amaral 19 de março de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Severino, Antônio Joaquim. 2007. Metodologia do trabalho científico.

Leia mais

REGRAS DO MÉTODO encontrar por si mesmo uma solução evidente que permita reorganizar nossos juízos e separar neles o falso do verdadeiro;

REGRAS DO MÉTODO encontrar por si mesmo uma solução evidente que permita reorganizar nossos juízos e separar neles o falso do verdadeiro; René Descartes REGRAS DO MÉTODO Primeira parte: encontrar por si mesmo uma solução evidente que permita reorganizar nossos juízos e separar neles o falso do verdadeiro; REGRAS DO MÉTODO Método: Meta por,

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem na Educação Profissional numa perspectiva contemporânea

Avaliação da Aprendizagem na Educação Profissional numa perspectiva contemporânea Avaliação da Aprendizagem na Educação Profissional numa perspectiva contemporânea Avaliar é dar nota? Quando a professora Rose Neubauer publicou seu livro É Proibido Repetir, em 1993, causou o maior tumulto

Leia mais

A Estética é uma especialidade filosófica que visa investigar a essência da beleza e as bases da arte. Ela procura compreender as emoções, idéias e

A Estética é uma especialidade filosófica que visa investigar a essência da beleza e as bases da arte. Ela procura compreender as emoções, idéias e A Estética A Estética é uma especialidade filosófica que visa investigar a essência da beleza e as bases da arte. Ela procura compreender as emoções, idéias e juízos que são despertados ao observar uma

Leia mais

Filosofia. IV Conhecimento e Racionalidade Científica e Tecnológica 1. DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ACTIVIDADE COGNOSCITIVA JOÃO GABRIEL DA FONSECA

Filosofia. IV Conhecimento e Racionalidade Científica e Tecnológica 1. DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ACTIVIDADE COGNOSCITIVA JOÃO GABRIEL DA FONSECA Filosofia IV Conhecimento e Racionalidade Científica e Tecnológica 1. DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ACTIVIDADE COGNOSCITIVA JOÃO GABRIEL DA FONSECA 1.2 Teorias Explicativas do Conhecimento René Descartes

Leia mais

Curso de extensão em Teoria do Conhecimento Moderna

Curso de extensão em Teoria do Conhecimento Moderna MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO Curso de extensão em Teoria do Conhecimento Moderna (Curso de extensão)

Leia mais

TÍTULO DO TRABALHO EM LETRA MAIÚSCULA, FONTE GARAMOND 14, CENTRALIZADO, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES ENTRE LINHAS

TÍTULO DO TRABALHO EM LETRA MAIÚSCULA, FONTE GARAMOND 14, CENTRALIZADO, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES ENTRE LINHAS TÍTULO DO TRABALHO EM LETRA MAIÚSCULA, FONTE GARAMOND 14, CENTRALIZADO, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES ENTRE LINHAS Nome Completo do Autor Principal 1 ; Nome Completo 2 ; Nome Completo 3 Nome do orientador:

Leia mais

RESUMO. Filosofia. Psicologia, JB

RESUMO. Filosofia. Psicologia, JB RESUMO Filosofia Psicologia, JB - 2010 Jorge Barbosa, 2010 1 Saber se o mundo exterior é real e qual a consciência e o conhecimento que temos dele é um dos problemas fundamentais acerca do processo de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA BIOLOGIA Abril 2016 Prova 302 2016 12º Ano de escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 05 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Teorias do conhecimento. Profª Karina Oliveira Bezerra

Teorias do conhecimento. Profª Karina Oliveira Bezerra Teorias do conhecimento Profª Karina Oliveira Bezerra Teoria do conhecimento ou epistemologia Entre os principais problemas filosóficos está o do conhecimento. Para que investigar o conhecimento? Para

Leia mais

Assinalar a importancia da proximidade do académico do estudo da filosofía do direito;

Assinalar a importancia da proximidade do académico do estudo da filosofía do direito; 1 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: PERÍODO: II CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: FILOSOFIA JURÍDICA NOME DO CURSO: DIREITO 2 EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Filosofia, Direito

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO / Professor Efetivo - Campus São João del-rei - IF SUDESTE MG

CONCURSO PÚBLICO / Professor Efetivo - Campus São João del-rei - IF SUDESTE MG CONCURSO PÚBLICO - 014 / 2015 - Professor Efetivo - Campus São João del-rei - IF SUDESTE MG Recurso: Prova Dissertativa Dados do Num. Inscrição 00037 Dados do Recurso Num. Recurso 1 Assunto Argumentação

Leia mais

Roteiro para Recuperação anual Filosofia 2014

Roteiro para Recuperação anual Filosofia 2014 CENTRO EDUCACIONAL JUSCELINO KUBITSCHEK 6º Ano Ensino Fundamental 5ª série (6º Ano): Unidade 3 do livro: O homem é a medida de todas as coisas O que é o homem? O homem é uma máquina que pensa. O homem

Leia mais

Introdução ao Conceito de Números Reais: Uma Proposta Didática Baseada na História da Matemática

Introdução ao Conceito de Números Reais: Uma Proposta Didática Baseada na História da Matemática IFRS - Instituto Federal do Rio Grande do Sul Campus Caxias do Sul Disciplina: História da Matemática Professor: Rodrigo Introdução ao Conceito de Números Reais: Uma Proposta Didática Baseada na História

Leia mais

Ensino Secundário (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

Ensino Secundário (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês Maio de 2015 Prova 358 12º Ano (continuação) Escrita e Oral Ensino Secundário (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 1. Introdução O presente documento

Leia mais

LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA

LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA RENÉ DESCATES (1596-1650) HANS KELSEN (1881-1973) Kelsen pregava uma objetividade ao ordenamento jurídico, a tal ponto que o juiz, ao prolatar uma sentença, por exemplo,

Leia mais

2º Ciclo Disciplina de História e Geografia de Portugal 3º Ciclo (7º ano) Disciplina de História

2º Ciclo Disciplina de História e Geografia de Portugal 3º Ciclo (7º ano) Disciplina de História CRITÉRIOS DE CORREÇÃO / CLASSIFICAÇÃO DOS TESTES ESCRITOS DE AVALIAÇÃO ENSINO BÁSICO Ano letivo 2016/2017 2º Ciclo Disciplina de História e Geografia de Portugal 3º Ciclo (7º ano) Disciplina de História

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

Curso Técnico Profissional de Turismo Geografia Módulo B4 Portugal: a População

Curso Técnico Profissional de Turismo Geografia Módulo B4 Portugal: a População Curso Técnico Profissional de Turismo 2015-2016 Geografia Módulo B4 Portugal: a População OBJETIVOS ESTRUTURA CONTEÚDOS COTAÇÕES CRITÉRIOS DE CORREÇÃO Os alunos deverão ser capazes de: Na resposta às questões

Leia mais

Hans Kelsen. Prof. Nogueira. O que é Justiça?

Hans Kelsen. Prof. Nogueira. O que é Justiça? Hans Kelsen Prof. Nogueira O que é Justiça? Biografia Básica 1881 1973 Austríaco Judeu Biografia Básica 1 ed. Teoria Pura do Direito 1934 O que é Justiça? 1957 2 ed. Teoria Pura do Direito 1960 Histórico

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33)

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) PROFESSOR: Emiliano Glaydson de Oliveira TURMA: 9º Ano DISCIPLINA: História 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Unidade 2 Intervencionismo e autoritarismo no mundo em crise Cap. 4 O mundo no contexto

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Competências Específicas / Transversais Competências Específicas / Transversais Escola Secundária com 3.º CEB Poeta Al Berto Código 403192 7520-902 - Sines Ano letivo: 2016 /2017 Departamento de Matemática

Leia mais

UNIDADE IV - LEITURA COMPLEMENTAR

UNIDADE IV - LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE IV - LEITURA COMPLEMENTAR Alunos (as), Para que vocês encontrem mais detalhes sobre o tema Métodos Científicos, sugerimos a leitura do seguinte texto complementar, desenvolvido pelos professores

Leia mais

HANS KELSEN ( )

HANS KELSEN ( ) HANS KELSEN (1881-1973) TEORIA PURA DO DIREITO Contextualização: O Movimento para o Direito Livre estava em plena ascensão na Alemanha e parecia que o formalismo jurídico havia sido superado. A diversidade

Leia mais

A TECNOLOGIA COMO PROPULSORA DE APRENDIZAGENS SIGNIFICATIVAS. Aline Reis de Camargo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL

A TECNOLOGIA COMO PROPULSORA DE APRENDIZAGENS SIGNIFICATIVAS. Aline Reis de Camargo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL A TECNOLOGIA COMO PROPULSORA DE APRENDIZAGENS SIGNIFICATIVAS Aline Reis de Camargo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL Município: São Francisco de Paula COOPESERRA - Colégio Expressão INTRODUÇÃO O

Leia mais

PERÍODO TEMA / UNIDADE SUB-TEMA / CONTEÚDO AULAS AVALIAÇÃO (meios e instrumentos)

PERÍODO TEMA / UNIDADE SUB-TEMA / CONTEÚDO AULAS AVALIAÇÃO (meios e instrumentos) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Ciências Sociais e Humanas Planificação Anual de Filosofia - 11º ano Ano Letivo 2014/2015

Leia mais

FILOSOFIA 11º ano O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

FILOSOFIA 11º ano O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA FILOSOFIA 11º ano O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA Governo da República Portuguesa Descrição e interpretação da atividade cognoscitiva 1.1 Estrutura do ato de conhecer 1.2 Análise

Leia mais

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo.

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. FILOSOFIA MODERNA Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. Período histórico: Idade Moderna (século XV a XVIII). Transformações que podemos destacar: A passagem do feudalismo para o capitalismo

Leia mais

Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança. Mestrado Educação Pré-Escolar e Professor do 1.º Ciclo do Ensino Básico

Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança. Mestrado Educação Pré-Escolar e Professor do 1.º Ciclo do Ensino Básico Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança Mestrado Educação Pré-Escolar e Professor do 1.º Ciclo do Ensino Básico Unidade Curricular Didáctica da Matemática Algumas Tarefas 2008 / 2009

Leia mais

Introdução Maquiavel, O Príncipe

Introdução Maquiavel, O Príncipe Introdução Tão grande é a distância entre como se vive e como deveria viver-se que, quem prefere ao que se faz aquilo que deveria fazer-se, caminha mais para a ruína do que para a salvação. Maquiavel,

Leia mais

1- Objeto de Avaliação

1- Objeto de Avaliação Informação - Prova de Equivalência à Frequência Ciências Naturais 3º ciclo do Ensino Básico (código:10) 2016 1- Objeto de Avaliação As Orientações Curriculares para o 3º ciclo do ensino básico da disciplina

Leia mais

ESPANHOL 1ª e 2ª fase de 2014

ESPANHOL 1ª e 2ª fase de 2014 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL 1ª e 2ª fase de 2014 Prova 15 2014 9ºano de Escolaridade - 3.º Ciclo do Ensino Básico PROVA ESCRITA 50% 1. Objeto de avaliação, características e

Leia mais

I. Dominar linguagens (DL): Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica.

I. Dominar linguagens (DL): Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica. As cinco grandes competências do ENEM Apresentaremos a seguir as grandes competências do Exame Nacional do Ensino Médio. Elas exigem dos estudantes e dos educadores uma série de novos procedimentos no

Leia mais

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodológica científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, p

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodológica científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, p LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodológica científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 1993. p.238-243. 1. ARTIGOS CIENTÍFICOS Os artigos científicos são pequenos estudos, porém

Leia mais

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA:

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª SÉRIE/EM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

jurídico; em segundo lugar, mesmo que o perecimento do soberano significasse o perecimento do sistema, ainda assim não seria possível explicar nos

jurídico; em segundo lugar, mesmo que o perecimento do soberano significasse o perecimento do sistema, ainda assim não seria possível explicar nos 6 Conclusão Foi visto no segundo capítulo que, de acordo com Raz, uma teoria dos sistemas envolve quatro questões diferentes: a questão de sua existência, de sua identidade, de sua estrutura e de seu conteúdo.

Leia mais

FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 02 O REALISMO POLÍTICO DE MAQUIAVEL

FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 02 O REALISMO POLÍTICO DE MAQUIAVEL FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 02 O REALISMO POLÍTICO DE MAQUIAVEL Como pode cair no enem (ENEM) Nasce aqui uma questão: se vale mais ser amado que temido ou temido que amado. Res-ponde-se que ambas as coisas

Leia mais

Projeto 1000 no Enem. Conclusão. Bruna Camargo (67) (Aulas particulares)

Projeto 1000 no Enem. Conclusão. Bruna Camargo (67) (Aulas particulares) Projeto 1000 no Enem Conclusão OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Nas dissertações, a conclusão é a parte final que condensa os pontos centrais da discussão, inclusive o posicionamento apresentado na tese. A conclusão

Leia mais

*RACIONALISMO X EMPIRISMO

*RACIONALISMO X EMPIRISMO *RACIONALISMO X EMPIRISMO *As transformações ocorridas a partir da modernidade levaram ao questionamento dos critérios e métodos para elaboração de um conhecimento verdadeiro. *As 02 principais correntes

Leia mais

Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade História 2014

Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade História 2014 Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade História 2014 OBJETO DE AVALIAÇÃO O Exame de Equivalência à Frequência de História tem por referência o Programa de História em

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de 2º ciclo

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de 2º ciclo nformação - Prova de Equivalência à Frequência de 2º ciclo DSCPLNA nglês (código: 06) Prova 2015 / 2016 6º Ano de Escolaridade 1. ntrodução O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

Escrito por Administrator Qua, 11 de Junho de :55 - Última atualização Qui, 12 de Junho de :42

Escrito por Administrator Qua, 11 de Junho de :55 - Última atualização Qui, 12 de Junho de :42 Virgem com Áries Uma relação de aprendizado. Aqui teremos o confronto entre a ordem e o método virginiano em teste com a impulsividade dinâmica ariana. Ambos podem ganhar muito dentro deste contato. Um

Leia mais

DISCIPLINA INGLÊS ( PROVA ESCRITA )

DISCIPLINA INGLÊS ( PROVA ESCRITA ) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA INGLÊS ( PROVA ESCRITA ) PROVA 21/2016 9º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, republicado pelo Decreto-Lei nº 91/2013,

Leia mais

INFORMAÇÃO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS (Nível de continuação) PROVA º Ano de Escolaridade (Portaria 243/201 de 10 de agosto)

INFORMAÇÃO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS (Nível de continuação) PROVA º Ano de Escolaridade (Portaria 243/201 de 10 de agosto) Escola S/3 Arquitecto Oliveira Ferreira (Cód. 403337) INFORMAÇÃO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS (Nível de continuação) PROVA 367 2016 11.º Ano de Escolaridade (Portaria 243/201 de 10 de agosto)

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência de História 3º Ciclo do Ensino Básico Prova 19 Aprovada em :

Informação Prova de equivalência à frequência de História 3º Ciclo do Ensino Básico Prova 19 Aprovada em : Colégio do Amor de Deus - Cascais Informação Prova de equivalência à frequência de História 3º Ciclo do Ensino Básico Prova 19 Aprovada em : 2016.04.20 1. Introdução O presente documento visa divulgar

Leia mais

INTRODUÇÃO [Times New Roman 12, Justificado, Caixa Alta, espaçamento 1,5]

INTRODUÇÃO [Times New Roman 12, Justificado, Caixa Alta, espaçamento 1,5] 1 TÍTULO DO ARTIGO [fonte Times New Roman 14, Centralizado, espaçamento 1.0] Subtítulo [Se houver, fonte Times New Roman 14, Centralizado, espaçamento 1.0] Nome do Autor 1 [Fonte Times New Roman 10, Texto

Leia mais

Metodologia Científica. Aula 2

Metodologia Científica. Aula 2 Metodologia Científica Aula 2 Proposito da aula Conhecer a definição de Metodologia Científica; A importância da Metodologia Científica; Objetivos da Metodologia Científica enquanto disciplina; Divisão

Leia mais

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo Objeto de avaliação Conhecimentos e Capacidades Específicos Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo 2016-2017 Itens/Parâmetros Compreensão histórica (Temporalidade Espacialidade

Leia mais

VERSÃO DE TRABALHO. Prova Escrita de Matemática A. 12.º Ano de Escolaridade. Prova 635/1.ª Fase. Critérios de Classificação

VERSÃO DE TRABALHO. Prova Escrita de Matemática A. 12.º Ano de Escolaridade. Prova 635/1.ª Fase. Critérios de Classificação EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Matemática A 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 635/1.ª Fase Critérios de Classificação 11 Páginas 2016 Prova

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica 2 Habilidades: Conhecer os principais pontos das ideias de Platão para interpretar a realidade diária. 3 REVISÃO Sócrates: o homem Grande questão: o que é a essência

Leia mais

JOSÉ RENATO GAZIERO CELLA RAZÃO E EXPERIÊNCIA; IDEAL E REAL EM DEWEY

JOSÉ RENATO GAZIERO CELLA RAZÃO E EXPERIÊNCIA; IDEAL E REAL EM DEWEY JOSÉ RENATO GAZIERO CELLA RAZÃO E EXPERIÊNCIA; IDEAL E REAL EM DEWEY Trabalho de Graduação apresentado ao Curso de Filosofia, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná.

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência. Espanhol Prova 15 / Ciclo do Ensino Básico

Informação - Prova de Equivalência à Frequência. Espanhol Prova 15 / Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO ESCOLA EB/S VIEIRA DE ARAÚJO VIEIRA DO MINHO Espanhol Prova 15 / 2015 3 Ciclo do Ensino Básico INTRODUÇÃO O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos

Leia mais

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA 12º ANO PLANIFICAÇÃO OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT ESCOLA SECUNDÁRIA ALBERTO SAMPAIO 1 Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA

Leia mais

REDAÇÃO DISCURSIVA F C C

REDAÇÃO DISCURSIVA F C C REDAÇÃO DISCURSIVA F C C 10. DA PROVA DISCURSIVA - REDAÇÃO 10.1 A Prova Discursiva-Redação será aplicada para os cargos de Analista Judiciário Áreas Judiciária e Administrativa, Técnico Judiciário Área

Leia mais

A teoria do conhecimento

A teoria do conhecimento conhecimento 1 A filosofia se divide em três grandes campos de investigação. A teoria da ciência, a teoria dos valores e a concepção de universo. Esta última é na verdade a metafísica; a teoria dos valores

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FILOSOFIA Nome: Nº 9 a. Série Data: / /2015 Professores: Bento e Alessandro Nota: (valor: 1,0) 4º bimestre A - Introdução Neste semestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não

Leia mais

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE UM ARTIGO CIENTÍFICO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE UM ARTIGO CIENTÍFICO PRODUZIR ARTIGOS CIENTÍFICOS Os artigos científicos são pequenos estudos, porém completos, que tratam de uma questão verdadeiramente científica, mas que

Leia mais

Ezequiel Luís Lopes Giovanella. Ranieri Angioletti

Ezequiel Luís Lopes Giovanella. Ranieri Angioletti Ezequiel Luís Lopes Giovanella Ranieri Angioletti INSTRUMENTALIZAÇÃO PERICIAL! O instrumental pericial é vasto e seu limite é a legalidade com que se aplica, pois a verdade dos fatos, não pode ser evidenciada

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

Prof. Ms. Renato Dering

Prof. Ms. Renato Dering Prof. Ms. Renato Dering A Redação é o primeiro critério de desempate na hora de escolher as Universidades e cursos superiores; A segunda forma de desempate é a prova de Linguagens; Tirar menos de 450 pontos

Leia mais

CIÊNCIA POLÍTICA Prof. André Terça 05/02/2013 e 19/02/2013

CIÊNCIA POLÍTICA Prof. André Terça 05/02/2013 e 19/02/2013 CIÊNCIA POLÍTICA Prof. André Terça 05/02/2013 e 19/02/2013 Introdução à Política Noções preliminares de Ciência Política 1.1 Acepções da palavra Política 1.2 Política e Ciência Política 1.3 Ciência Política:

Leia mais

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina Química Módulo 1

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina Química Módulo 1 Agrupamento de Escolas de Rio Tinto nº 3 ENSINO SECUNDÁRIO RECORRENTE POR MÓDULOS MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina Química Módulo 1 Duração da prova:

Leia mais

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos. 3/6/5AD836_1.jpg

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos.  3/6/5AD836_1.jpg Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos http://images.quebarato.com.br/photos/thumbs/ 3/6/5AD836_1.jpg Olá, Pessoal, Vamos acompanhar mais uma aula da prof. Alessandra. Hoje falaremos sobre alguns gêneros

Leia mais

Regulamento. Projeto Integrador PI FACEQ

Regulamento. Projeto Integrador PI FACEQ Regulamento Projeto Integrador PI FACEQ (aprovado pela DAS e Conselho Acadêmico em 19 de janeiro de 2012) (alterado pelo Conselho Acadêmico em 23 de julho de 2012) Projeto Integrador FACEQ (aprovado pela

Leia mais

CORRENTES DE PENSAMENTO DA FILOSOFIA MODERNA

CORRENTES DE PENSAMENTO DA FILOSOFIA MODERNA CORRENTES DE PENSAMENTO DA FILOSOFIA MODERNA O GRANDE RACIONALISMO O termo RACIONALISMO, no sentido geral, é empregado para designar a concepção de nada existe sem que haja uma razão para isso. Uma pessoa

Leia mais

Trabalho sobre: René Descartes Apresentado dia 03/03/2015, na A;R;B;L;S : Pitágoras nº 28 Or:.Londrina PR., para Aumento de Sal:.

Trabalho sobre: René Descartes Apresentado dia 03/03/2015, na A;R;B;L;S : Pitágoras nº 28 Or:.Londrina PR., para Aumento de Sal:. ARBLS PITAGORAS Nº 28 Fundação : 21 de Abril de 1965 Rua Júlio Cesar Ribeiro, 490 CEP 86001-970 LONDRINA PR JOSE MARIO TOMAL TRABALHO PARA O PERÍODO DE INSTRUÇÃO RENE DESCARTES LONDRINA 2015 JOSE MARIO

Leia mais

Sensibilizar para o Desperdício Alimentar

Sensibilizar para o Desperdício Alimentar Sensibilizar para o Desperdício Alimentar 1. Descrição Sensibilizar para o Desperdício Alimentar 2. Razões justificativas da ação: Problema/Necessidade de formação identificado A nível mundial, são muitas

Leia mais

Admissão de alunos 2017

Admissão de alunos 2017 Tradição em Excelência Admissão de alunos 2017 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO CIÊNCIAS 1. CINEMÁTICA 1.1. Estudo dos movimentos e referenciais. 1.2. Movimentos uniformes. 2. PROPRIEDADES

Leia mais

DESVENDANDO O EDITAL PROVA DE REDAÇÃO

DESVENDANDO O EDITAL PROVA DE REDAÇÃO DESVENDANDO O EDITAL PROVA DE REDAÇÃO 9 DA PROVA DISCURSIVA 9.1 A prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, valerá 20,00 pontos, consistirá da redação de texto dissertativo, de até 30

Leia mais

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Escola Secundária Poeta Joaquim Serra A Coordenadora: Maria João P. Mendes 2012/2013 Índice Introdução...

Leia mais

Informação- Prova de equivalência à Frequência

Informação- Prova de equivalência à Frequência Informação- Prova de equivalência à Frequência 3.º Ciclo História Ano de escolaridade 9.º ano OBJETO DE AVALIAÇÃO A Prova/Exame de Equivalência à Frequência tem por referência o Programa de História em

Leia mais

CURSO DE DIREITO. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/ UEFS PLANO DE CURSO

CURSO DE DIREITO. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/ UEFS PLANO DE CURSO CURSO DE DIREITO Componente Curricular: Filosofia Código: DIR-112 CH Total: 60 h Pré-requisito: - Período Letivo: 2016.1 Turma: 2º semestre Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino,

Leia mais

A filosofia Moderna. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes 1º Ano Ensino Médio Terceiro Trimestre

A filosofia Moderna. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes 1º Ano Ensino Médio Terceiro Trimestre A filosofia Moderna Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes 1º Ano Ensino Médio Terceiro Trimestre Uma nova forma de se pensar a realidade A era moderna é marcada por um

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Abril 2016 2016 367 Prova 11º Ano de escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 05 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte Habilitação: Bacharelado e Licenciatura em Filosofia Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Renovação Atual de Reconhecimento - Port. nº286/mec de 21/12/12-DOU 27/12/12.Curso reconhecido pelo Decr.

Leia mais

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor Ética e Moral Conceito de Moral Normas Morais e normas jurídicas Conceito de Ética Macroética e Ética aplicada Vídeo: Direitos e responsabilidades Teoria Exercícios Conceito de Moral A palavra Moral deriva

Leia mais

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik O ensino de ciências segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais O ensino de Ciências tem

Leia mais

Lógica dos Conectivos: validade de argumentos

Lógica dos Conectivos: validade de argumentos Lógica dos Conectivos: validade de argumentos Renata de Freitas e Petrucio Viana IME, UFF 16 de setembro de 2014 Sumário Razões e opiniões. Argumentos. Argumentos bons e ruins. Validade. Opiniões A maior

Leia mais

"O verdadeiro é o todo." Georg Hegel

O verdadeiro é o todo. Georg Hegel "O verdadeiro é o todo." Georg Hegel Hegel: o evangelista do absoluto By zéck Biografia Georg Wilhelm F. Hegel (1770-1831) 1831) Nasceu em Stuttgart. Foi colega de Schelling. Influências Spinoza, Kant

Leia mais