Sustentabilidade e as Instituições Financeiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sustentabilidade e as Instituições Financeiras"

Transcrição

1 Sustentabilidade e as Instituições Financeiras Edital 41/2012 Responsabilidade Socioambiental Dispõem sobre a responsabilidade socioambiental das instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Consultoria Sustentabilidade 06/2013

2 Desafios da sustentabilidade são preocupações crescentes para os nossos clientes. Desafios sociais, ambientais e econômicos cada vez mais exigem que as empresas pensem de forma diferente Crescimento da população Demanda de Energia Mudanças Climáticas Recursos Naturais Perenidade dos Negócios Demandas Pressões de Stakeholders engajados e preocupados Novas regulamentações Exigências de mercado Preocupações dos investidores Novas tendências Opções de produtos e serviços diferenciados Necessidade de reporte e comunicação transparente Necessidade de se adaptar ao um mercado dinâmico Valor da marca (Brand) Sustentabilidade tornou-se um imperativo do negócio, não uma opção 1 Copyright 2013 Deloitte Development LLC. All rights reserved.

3 Visão Geral Sustentabilidade (Triple Bottom Line) Economicamente Viável Socialmente Justo Econômico Ambientalmente Adequado Social Ambiental Culturalmente Diverso Territorialmente Equilibrado Resultado além da esfera econômico-financeira Outras partes interessadas além dos shareholders 2

4 Sustentabilidade no Setor Financeiro Riscos e Oportunidades Pressão Regulatória Riscos associado a Cadeia de Valor Diretrizes e Objetivos Riscos Operacional Instituição Financeira Riscos de Crédito Gerenciamento Sistemático Riscos de Imagem e Reputação Indicadores Reporte World Bank Environmental, Health and Safety Guidelines Equator Principles Iniciativas Internacionais Pressão de Mercado IFC Performance Standards UN Principles for Responsible Investment UN Guiding Principles for Business and Human Rights Principles for Sustainable Insurance OECD Guidelines for Multinational Enterprises Novos Produtos e Mercados Pioneirismo Fidelização de Clientes por Valores Compartilhados Iniciativas Nacionais Protocolo Verde (Bancos Públicos Federais, Febraban) Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Não responsabilização devido a ação de parceiros (Corresponsabilidade) Melhor gerenciamento de riscos socioambientais internos e externos Negócios e Investimentos com maior garantia de segurança 3

5 Sustentabilidade no Setor Financeiro Instituições Financeiras e Riscos Socioambientais Planejamento Construção Operação Benefício Econômico Extração Impactos Socioambientais Produção Transporte Recursos Humano Recursos Naturais e Energéticos Consumo Descarte 4

6 Sustentabilidade no Setor Financeiro Instituições Financeiras e Riscos Socioambientais $$$ $$$ Planejamento Construção Operação Benefício Econômico Extração Impactos Socioambientais Produção Transporte $$$ Recursos Humano Recursos Naturais e Energéticos Consumo Descarte 5

7 Sustentabilidade no Setor Financeiro Instituições Financeiras e Riscos Socioambientais $$$ $$$ Planejamento Construção Operação Extração Corresponsabilidade pelo Desempenho Socioambiental da Cadeia de Valor Produção Transporte $$$ Consumo Descarte 6

8 Edital 41/2012 Aspectos Gerais 06/2013 7

9 EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA 41/2012 Escopo O Banco Central do Brasil torna público que o Conselho Monetário Nacional, em sessão realizada em 2012, divulga as minutas de atos normativos que dispõem sobre a responsabilidade socioambiental. EDITAL 41/2012 Instituições financeiras e demais instituições autorizadas pelo BACEN Disposições Transitórias 28 Disposições Transitórias 29 Instituições constituídas sob a forma de companhia aberta ou obrigadas a constituir comitê de auditoria Politica de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Relatório de Responsabilidade Socioambiental Gerenciamento do Risco Socioambiental 90 (noventa) dia da data de referência Riscos associados à Instituição Riscos associados às Operações (Clientes/Parceiros) 30/06/ /12/2013 8

10 Sustentabilidade no Setor Financeiro Cadeia de Valor e Riscos Socioambientais $$$ $$$ Planejamento Construção Operação Extração Corresponsabilidade pelo Desempenho Socioambiental da Cadeia de Valor Produção Transporte $$$ Consumo Descarte 9

11 Sustentabilidade no Setor Financeiro Cadeia de Valor e Riscos Socioambientais $$$ $$$ Planejamento Construção Operação Benefício Econômico Impactos Socioambientais Extração Produção Transporte $$$ Recursos Humano Recursos Naturais e Energéticos Consumo Descarte 10

12 Sustentabilidade no Setor Financeiro Cadeia de Valor e Riscos Socioambientais Planejamento Construção Operação Extração Medidas de Prevenção e Gerenciamento de Riscos Produção Transporte Consumo Descarte 11

13 Sustentabilidade no Setor Financeiro Cadeia de Valor e Riscos Socioambientais $$$ $$$ Planejamento Construção Operação Indução de Princípios e Práticas Sustentáveis na Cadeia de Valor Pioneirismo/Boa Reputação Redução de Riscos Socioambientais (Internos e Externos) Extração Produção Transporte Consumo $$$ Descarte 12

14 Edital 41/2012 Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) 06/

15 Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Definição (ISO ) Intenções e princípios gerais de uma organização em relação ao seu desempenho socioambiental, - Formalmente expresso pela Alta Administração. Produtos e Serviços Adequados Relacionamento com os clientes Clima e biodiversidade Impactos de Produtos e Serviços Diretrizes e Objetivos Clientes e usuários Social Econômico Ética e Transparência Demais partes interessadas Ambiental Gerenciamento do Risco Socioambiental Engajamento das partes interessadas Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Comunidade interna Engajamento de Stakeholders 14

16 Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Governança Desafio: Reestruturação da governança corporativa: Integrado a Diretoria de Risco; Diretor responsável; Área estruturada com atividades definidas. Integração da dimensão socioambiental nas políticas, diretrizes e atividades da Instituição. 15

17 Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Diagnóstico da Situação Atual Gestão Interna INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Controle Porte Mercado Clientes Atividades Processos Sistemas Público Nacional Internacional Grandes Médios I Médios II Atacado e Negócios Regionais Financiamentos e Empréstimos Middle Market Produtos e Serviços Pequenos Montadoras Varejo 16 Metodologias e Ferramentas Diagnóstico da Situação Atual PRSA Expectativa Interna Expectativa Externa

18 Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Diagnóstico da Situação Atual Diagnóstico da Situação Atual PRSA Onde Queremos Chegar? Onde Estamos? 17

19 Edital 41/2012 Relatório de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) 06/

20 Relatório de Responsabilidade Socioambiental Processo Planejamento e Escolha da Estrutura Engajamento de stakeholders Definição da materialidade Implantação da gestão dos Indicadores Definição dos Indicadores Avaliação Coleta, agregação e validação Elaboração do relatório Diagramação e Impressão Auditoria Externa 19

21 Relatório de Responsabilidade Socioambiental Evolução das Diretrizes para Elaboração de Relatórios ª Geração ª Geração ª Geração ª Geração ª Geração ª Geração ª Geração 2012 DRAFT

22 Relatório de Responsabilidade Socioambiental Evolução das Diretrizes para Elaboração de Relatórios Indicadores GRI Indicadores GRI (Global Reporting Iniciative): A GRI é uma iniciativa internacional criada em 1997: 2000: Diretrizes para Elaboração de Relatórios de Sustentabilidade (Versão oficial); 2002: Tornou-se uma estrutura independente. Temas Abordados: Desempenho Econômico (EC), Desempenho Ambiental (EN), Desempenho Social (LA), de Direitos Humanos (HR), Sociedade (SO), e de responsabilidade pelo Produto (PR). Objetivo: Desenvolver e aprimorar diretrizes, aplicáveis voluntariamente, para elaboração de relatórios de sustentabilidade de forma a permitir a periodicidade e comparabilidade de reporte entre empresas de diferentes tamanhos, setores e localização geográfica

23 Relatório de Responsabilidade Socioambiental Evolução das Diretrizes para Elaboração de Relatórios Indicadores GRI

24 Relatório de Responsabilidade Socioambiental Evolução das Diretrizes para Elaboração de Relatórios Relato Integrado International Integrated Reporting Committee(IIRC) O IIRC foi criado em 2010: Composto por 33 profissionais das mais diversas áreas, como auditorias, órgãos reguladores, empresas, socioambiental e o meio acadêmico. Novo modelo de reporte de informações financeiras e não-financeiras aos stakeholders, em consulta pública em mais de 10 países desde Princípios adotados: Estratégia e orientação para o futuro do negócio, governança, conectividade das informações, capacidade de resposta aos stakeholders, materialidade, concisão, coerência e comparabilidade das informações. Objetivo: Promoção da integração de informações de finanças, sustentabilidade e governança nos relatórios corporativos

25 Relatório de Responsabilidade Socioambiental Principais Tendências Nova geração de Indicadores GRI (G4) Reporte Integrado Foco na Cadeia de Suprimento Verificação Externa Reporte Online 24

26 EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA 41/2012 Síntese do Edital Responsabilidades Processos de verificação Alta Administração Política de Responsabilidade Socioambiental Banco Central do Brasil Controles e Monitoramento Diretoria de Riscos Indicadores Econômicos e Socioambientais Compliance/ Auditoria Interna Comunicação/RI Sustentabilidade Relatório de Responsabilidade Socioambiental Auditoria Externa 25

27 Edital 41/2012 Reflexão 06/

28 Politica Socioamiental no Brasil Estatísticas 20% 13% Bancos Grandes 15% Bancos Médios e Pequenos 80% 87% 25% 36% Bancos de Desenvolvimento Bancos de Investimento 75% 64% 85% Agências de Fomento Possuem PRSA Não possuem PRSA Cooperativas de Crédito % Fonte: Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras. (Bacen e Uniethos, 2011) 100%

29 Relatório Socioamiental no Brasil Estatísticas 20% 7% Bancos Grandes 10% Bancos Médios e Pequenos 80% 93% 50% 21% Bancos de Desenvolvimento Bancos de Investimento 50% 79% Agências de Fomento 90% Possuem Relatório SA Não possuem Relatório SA Cooperativas de Crédito % Fonte: Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras. (Bacen e Uniethos, 2011) 100%

30 Serviços e Soluções em Sustentabilidade Nosso diferencial Estratégia em Sustentabilidade e Mudanças Climáticas Adaptação ou transição do modelo de negócios atual para incluir estratégias com foco em sustentabilidade. Case: Mineração Gestão de Energia e Recursos Gerenciamento de energia, água, resíduos e emissões. Case: Mineração Cadeia de Suprimentos e Operações sustentáveis Avaliação e adaptação de cadeias de suprimentos, ciclos de vida de produtos e operações internas com o objetivo de reduzir custos e impactos negativos. Case: Instituição Financeira Governança de Sustentabilidade e Gestão de Riscos Desenvolvimento estruturas de governança para lidar com questões de sustentabilidade. Identificação de riscos e oportunidades relacionados aos controles sociais, ambientais e segurança do trabalho. Cases: Varejo, Alimento, Açúcar e Álcool, Manufatura. Capital Humano e Engajamento dos Stakeholders para a Sustentabilidade Comunicação estratégica, treinamentos e desenvolvimento organizacional com o objetivo de engajar funcionários nas iniciativas de sustentabilidade. Cases: Cimento, Energia, Alimentos, Siderurgia, Papel e Celulose e Energia. TI para Sustentabilidade Gerenciamento de informações relacionadas ao desempenho socioambiental., através do desenho de sistemas específicos. Cases: Cimento, Energia, Alimentos, Siderurgia, Papel e Celulose e Energia. 29 Elaboração e Verificação Externa de Relatório de Sustentabilidade e Compliance Divulgação e diálogo transparente sobre o desempenho socioambiental das organizações. Avaliações relacionadas às exigências regulatórias, e tendências de mercado, buscando melhores práticas. Cases: Instituição Financeira, Cimento, Energia, Alimentos, Serviços, Siderurgia, Papel e Celulose. Estratégia de Contabilidade Ambiental Desenvolvimento de roteiros para ajudar a empresa nas questões de contabilidade ambiental, considerando a norma IFRS, USGAAP, Contenciosos e Passivos Ambientais. Cases: Cimento, Energia, Alimentos, Siderurgia, Papel e Celulose e Energia. Copyright 2013 Deloitte Development LLC. All rights reserved.

31 Camila Araújo Sócia Deloitte Touche Tohmatsu Rua Alexandre Dumas, 1981s São Paulo- SP Brasil Tel: + 55 (11) Direto: + 55 (11) Fax: + 55 (11) Julia Moretti Gerente Deloitte Touche Tohmatsu Rua Alexandre Dumas, 1981s São Paulo- SP Brasil Tel: + 55 (11) Direto: + 55 (11) Fax: + 55 (11) Gustavo Lucena Diretor Deloitte Touche Tohmatsu Rua Alexandre Dumas, 1981s São Paulo- SP Brasil Tel: + 55 (11) Direto: + 55 (11) Fax: + 55 (11) Copyright 2013 Deloitte Development LLC. All rights reserved.

32 Deloitte refere-se à sociedade limitada estabelecida no Reino Unido Deloitte Touche Tohmatsu Limited e sua rede de firmas-membro, cada qual constituindo uma pessoa jurídica independente e legalmente separada. Acesse para uma descrição detalhada da estrutura jurídica da Deloitte Touche Tohmatsu Limited e de suas firmas-membro.

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

A Responsabilidade Socioambiental no SFN Edital 41/2012

A Responsabilidade Socioambiental no SFN Edital 41/2012 A Responsabilidade Socioambiental no SFN Edital 41/2012 São Paulo, 26 de março de 2013 Sergio Odilon dos Anjos Chefe Departamento de Normas do Sistema Financeiro Agenda Introdução Visão Empresarial de

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

valor compartilhado, pelo qual pautamos nossas ações e desejamos ser parceiro no desen volvimento das pessoas e da sociedade.

valor compartilhado, pelo qual pautamos nossas ações e desejamos ser parceiro no desen volvimento das pessoas e da sociedade. 26. POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 26.1 Introdução Nossa visão é ser uma referência em performance sustentável e em satisfação dos associados. Para nós, performance sustentável

Leia mais

Indicador Informação a ser obtida Página ou Resposta Direta

Indicador Informação a ser obtida Página ou Resposta Direta Índice GRI Índice GRI Perfil Estratégia e análise G4-1 Estratégia de sustentabilidade da companhia e qual sua relevância para a organização Página 18 Perfil organizacional G4-3 Nome da companhia Página

Leia mais

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade.

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. O Baobá é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. Especializada em gestão e sociedade, com foco em sustentabilidade para os setores público e privado.

Leia mais

1º Diálogo IFRS & GRI. Diretrizes da Global Reporting Initiative no Brasil e no mundo. Carlos Eduardo Lessa Brandão Conselho de Stakeholders

1º Diálogo IFRS & GRI. Diretrizes da Global Reporting Initiative no Brasil e no mundo. Carlos Eduardo Lessa Brandão Conselho de Stakeholders 1º Diálogo IFRS & GRI Diretrizes da Global Reporting Initiative no Brasil e no mundo Carlos Eduardo Lessa Brandão Conselho de Stakeholders São Paulo, 12 de maio de 2010 Histórico 1997: criação 2000: 1ª

Leia mais

Nossas soluções para o setor sucroenergético

Nossas soluções para o setor sucroenergético www.pwc.com.br Nossas soluções para o setor sucroenergético Centro PwC Brasil de Excelênca em Agribusiness Serviços PwC para o setor sucroenergético Agrícola Gestão de fornecedores de cana Revisão da estrutura

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

Sustentabilidade Workshops

Sustentabilidade Workshops www.pwc.pt/academy Workshops PwC s Academy Portefólio de soluções formativas de profissionais para profissionais Workshops As empresas do futuro devem ser capazes de garantir a gestão dos seus pilares

Leia mais

Sustentabilidade como alavanca de valor. Campinas, 7 novembro de 2013

Sustentabilidade como alavanca de valor. Campinas, 7 novembro de 2013 Sustentabilidade como alavanca de valor Campinas, 7 novembro de 2013 Visão Energia é essencial ao bem-estar das pessoas e ao desenvolvimento da sociedade. Nós acreditamos que produzir e utilizar energia

Leia mais

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique.

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique. Questões Relato Integrado 1. O que é A4S? De que forma essa organização influenciou a criação do relato integrado. A4S é o projeto do príncipe de Gales Accounting for Sustainability, foi a organização

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PRSA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PRSA AGORACRED S/A SCFI. Rua das Palmeiras, 685, Ed. Contemporâneo Empresarial. Salas 1002,1003, 1007 a 1011, Santa Lucia, Vitória, ES. Tel.(27) 40090200 http://www.agoracred.com.br/ POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 2ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 3.1 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 2 3.1.1 DIRETOR RESPONSÁVEL - RESOLUÇÃO 4.327/14... 2 3.1.2 COORDENADOR ESPONSÁVEL PRSA

Leia mais

Global Reporting Initiative

Global Reporting Initiative Global Reporting Initiative Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil www.globalreporting.org Relatório Pessoal: AQUECIMENTO!!!!!!! Elementos Estruturantes: 1. Escreva sua missão de vida: 2. Quais são

Leia mais

Acordo de Acionistas Política da de CPFL Sustentabilidade do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas Política da de CPFL Sustentabilidade do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Política da de CPFL Sustentabilidade Energia S.A. do Grupo CPFL Energia Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário 1. Introdução 3 2. Objetivo 4 3. Âmbito de

Leia mais

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016 1. OBJETIVOS Estabelecer os princípios e diretrizes que norteiam as ações de práticas socioambientais da Getnet nos negócios e na relação com todas as partes interessadas, incluindo as diretrizes para

Leia mais

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho Coordenador de SMS nas Empresas Artecola Nossos negócios

Leia mais

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 SUMÁRIO 1. Apresentação... 02 2. Objetivo... 02 3. Princípios... 02 4. Documentos de Referencias... 03 5. Diretrizes... 03 6. Compromissos e Prestação

Leia mais

GRI Global Reporting Initiative. USP - Universidade de São Paulo São Paulo, 17 de Setembro de 2013

GRI Global Reporting Initiative. USP - Universidade de São Paulo São Paulo, 17 de Setembro de 2013 + GRI Global Reporting Initiative USP - Universidade de São Paulo São Paulo, 17 de Setembro de 2013 + GRI GLOBAL REPORTING INITIATIVE Apresentar e discutir o mecanismo de relato de sustentabilidade e a

Leia mais

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade O Atuação Responsável é uma ética empresarial, compartilhada pelas empresas associadas à Abiquim Missão do Atuação Responsável Promover o aperfeiçoamento

Leia mais

Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras

Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras Dilemas da era da economia digital Descompasso envolvendo culturas e estruturas na maior parte das empresas Tecnologias do século

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental 1.0 PROPÓSITO A Política de Responsabilidade Socioambiental ( PRSA ) do Banco CNH Industrial Capital S.A. tem, como finalidade, estabelecer princípios e diretrizes que norteiem as ações da Instituição

Leia mais

Controle Integrado de Riscos. Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo

Controle Integrado de Riscos. Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo 2 Governança de Riscos Controle Integrado de Riscos Apetite a Riscos Conselho Fiscal Comitê de Gestão Integrada de Riscos e Alocação de Capital Assembleia

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Ponto Focal GRI Brasil Conteúdo: Desafio da Sustentabilidade Relato de Sustentabilidade o que é isso????? GRI Tendências internacionais

Leia mais

O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais

O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais ENIC, SALVADOR Setembro, 2015 kpmg.com.br 2014 KPMG Structured Finance S. A., uma sociedade anônima brasileira

Leia mais

Você sabe fazer a nova auto-avaliação? Conheça os atalhos Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais - Abiquim

Você sabe fazer a nova auto-avaliação? Conheça os atalhos Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais - Abiquim Você sabe fazer a nova auto-avaliação? Conheça os atalhos Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais - Abiquim A Estrutura do Atuação Responsável Elemento Visão Missão Valores Princípios Diretrizes

Leia mais

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios COMUNICADO O SEBRAE NACIONAL Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, por meio da Universidade Corporativa SEBRAE, comunica que, na prova, serão avaliados conhecimentos conforme as áreas descritas

Leia mais

Norma ISO Prof. Luciel H de Oliveira

Norma ISO Prof. Luciel H de Oliveira Norma ISO 26000 Prof. Luciel H de Oliveira luciel@uol.com.br ISO - International Organization for Standardization Criada em 1946 para promover e desenvolver normas e atividades que facilitem o comércio

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA Versão Consolidada: 2.0 Data da Aprovação: 29/12/2015 Aprovado por: Diretoria Data da última revisão 09/11/2016 ÍNDICE OBJETIVO E ABRANGÊNCIA... 3 VIGÊNCIA...

Leia mais

4ª Reunião de Especialistas sobre Consumo e Produção Sustentáveis da América Latina e Caribe

4ª Reunião de Especialistas sobre Consumo e Produção Sustentáveis da América Latina e Caribe 4ª Reunião de Especialistas sobre Consumo e Produção Sustentáveis da América Latina e Caribe Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais Abiquim São Paulo, 18 de outubro de 2007 O Programa Atuação

Leia mais

Metodologia da Pesquisa Orientada para Elaboração do TCC Seminários Carga Horária Total 432

Metodologia da Pesquisa Orientada para Elaboração do TCC Seminários Carga Horária Total 432 QUADRO DE DISCIPLINAS Carga Horária Disciplinas Presencial Virtual Total MÓDULO: GESTÃO INTEGRADA Organizações, Sustentabilidade e Gestão Socioambiental 16 08 24 Gestão da Cadeia de Suprimentos Sustentável

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 3/2007 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 2 ÍNDICE 1. Objeto 3 2. Justificativa 3 3. Diretrizes 4 3.1.

Leia mais

Diretoria de Participações PREVI Marco Geovanne Tobias da Silva. Governança Corporativa na PREVI

Diretoria de Participações PREVI Marco Geovanne Tobias da Silva. Governança Corporativa na PREVI Diretoria de Participações PREVI Marco Geovanne Tobias da Silva Governança Corporativa na PREVI APIMEC RIO Novembro/ 2011 1 Modelo PREVI de Governança Corporativa - Histórico O crescimento do portfolio

Leia mais

Conselho Temático Permanente de Responsabilidade Social. Pesquisa Rumo à Credibilidade

Conselho Temático Permanente de Responsabilidade Social. Pesquisa Rumo à Credibilidade Conselho Temático Permanente de Responsabilidade Social Pesquisa Rumo à Credibilidade Agenda Introdução Metodologia Resultados Temas Relevantes Recomendações Conclusão 2 Introdução Contexto Global vs Brasileiro

Leia mais

CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global

CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global Impactos para empresas de capital intensivo As normas do CPC 27 afetam uma série de empresas, em especial,

Leia mais

Estratégia de sustentabilidade

Estratégia de sustentabilidade Estratégia de sustentabilidade Fusão I Itaú + Unibanco Visão I Itaú Unibanco Perguntas norteadoras I 2010 - Itaú Unibanco 1 2 3 O que é Performance Sustentável e qual a relação entre Performance Sustentável

Leia mais

Responder a todos os critérios elencados para o Nível C mais: , a 4.13, 4.16 a 4.17

Responder a todos os critérios elencados para o Nível C mais: , a 4.13, 4.16 a 4.17 Índice GRI C C + B B + A A + 115 conteúdo do relatório Perfil da G3 Informações sobre a Forma de Gestão da G3 Indicadores de Desempenho da G3 & Indicadores de Desempenho do Suplemento Setorial resultado

Leia mais

ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial. Relato Integrado e contabilidade ambiental FEA / USP

ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial. Relato Integrado e contabilidade ambiental FEA / USP ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial Relato Integrado e contabilidade ambiental FEA / USP 3ª maior bolsa do mundo em valor de mercado: US$ 13,121 bi. 1ª bolsa do mundo a se tornar signatária do Pacto

Leia mais

O Verdadeiro Valor do Pricing Da estratégia de preços à excelência comercial

O Verdadeiro Valor do Pricing Da estratégia de preços à excelência comercial O Verdadeiro Valor do Pricing Da estratégia de preços à excelência comercial O desafio do valor na gestão de preços O cenário econômico mundial enfrenta importantes desafios atualmente, pontuados por incertezas

Leia mais

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira Seminário Nacional NTU - 2014 Lei Anticorrupção e Programa de Compliance Lélis Marcos Teixeira 28/agosto/2014 Iniciativas FETRANSPOR Lei 12.846/2013 Agenda Abertura Histórico Iniciativas Dúvidas Encerramento

Leia mais

Marcio Minoru Miyakava Gerente Geral Núcleo Financeiro Votorantim S.A. André Monteiro Gerente Centro de Soluções Imobiliárias Votorantim S.A.

Marcio Minoru Miyakava Gerente Geral Núcleo Financeiro Votorantim S.A. André Monteiro Gerente Centro de Soluções Imobiliárias Votorantim S.A. REALIZAÇÃO Marcio Minoru Miyakava Gerente Geral Núcleo Financeiro Votorantim S.A. André Monteiro Gerente Centro de Soluções Imobiliárias Votorantim S.A. Diversificação geográfica e de portfólio Receita

Leia mais

Fonte: Adaptado de UNEP-FI (2006)

Fonte: Adaptado de UNEP-FI (2006) Sem seguros, negócios e indivíduos não poderiam tomar riscos e proteger seus ativos; A disponibilidade de seguros encoraja indivíduos a adquirirem bens e pensar no futuro; Seguros permitem que pessoas

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

Mercado de Venture Capital aposta no crescimento do País

Mercado de Venture Capital aposta no crescimento do País Mercado de Venture Capital aposta no crescimento do País Edição 2011 da pesquisa Tendências Globais em Venture Capital, da Deloitte, mostra que o foco dos investimentos se concentra em duas áreas: infraestrutura

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

DIREITOS HUMANOS. Estratégia e plano de ação 2016 SECURITY CLASSIFICATION

DIREITOS HUMANOS. Estratégia e plano de ação 2016 SECURITY CLASSIFICATION DIREITOS HUMANOS Estratégia e plano de ação 2016 1 NOSSA ABORDAGEM PARA GARANTIR A LICENÇA SOCIAL PARA OPERAR Políticas e Governança Estabelecer sistemas de gestão de desempenho sociais que administram

Leia mais

CFO Program Para uma carreira em constante mudança

CFO Program Para uma carreira em constante mudança Para uma carreira em constante mudança CFO Academy 05 CFO Lab 08 Finance Lab 10 CFO Conference 12 CFO Club 14 CFO Insights 16 Contatos 19 Iniciativas relevantes para um dos cargos mais difíceis do mundo

Leia mais

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Atual DE Denominação PÚBLICOS Social DE da Draft II Participações INTERESSE S.A. Sumário Introdução 3 Objetivo da Norma 4 Conceitos básicos

Leia mais

Art. 2º Para os efeitos desta Resolução, define-se o gerenciamento de capital como o processo contínuo de:

Art. 2º Para os efeitos desta Resolução, define-se o gerenciamento de capital como o processo contínuo de: RESOLUCAO 3.988 --------------- Dispõe sobre a implementação de estrutura de gerenciamento de capital. O Banco Central do Brasil, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna público

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2 1. Introdução A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Públicos dos Municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória COOPMETRO é uma entidade

Leia mais

Gestão integrada de projetos

Gestão integrada de projetos www.pwc.com Gestão integrada de projetos Seminário de Tecnologia para rastreabilidade de medicamentos São Paulo, 29 de maio de 2014 O que abordaremos? Tema Proposta tema Desafios para uma gestão das interdependências

Leia mais

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias 1 Quem somos 2 Porque ABCCorp? 3 Referencias Trabalhamos como você! Experiência não somente acadêmica, sobre o teu segmento; Entendemos suas expectativas Valorizamos e garantimos o teu investimento com

Leia mais

Criando valor econômico com sustentabilidade sócio-ambiental no Brasil

Criando valor econômico com sustentabilidade sócio-ambiental no Brasil Criando valor econômico com sustentabilidade sócio-ambiental no Brasil Vídeo Institucional http://www.ventura.org.br/site/video.html Instituto Ventura O Instituto Ventura investe em empreendimentos inovadores,

Leia mais

Corporativa e Compliance

Corporativa e Compliance Lei 13.303 Lei 13.303 - Aspectos de Governança Corporativa e Compliance Aspectos de Governança 25a CONVECON Corporativa e Eliete Martins Compliance Sócia- Diretora Governança Corporativa - KPMG 25a CONVECON

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental Página 1 de 7 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 2.1 BASE LEGAL... 3 2.2 DEFINIÇÕES... 3 2.3 ESCOPO DE AVALIAÇÃO... 4 2.4 GOVERNANÇA... 4 2.5 GERENCIAMENTO

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Declaração Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e das

Leia mais

INSTRUMENTOS FINANCEIROS E O PAPEL DO SETOR PRIVADO O CASO DO ANGLO ZIMELE FUND

INSTRUMENTOS FINANCEIROS E O PAPEL DO SETOR PRIVADO O CASO DO ANGLO ZIMELE FUND INSTRUMENTOS FINANCEIROS E O PAPEL DO SETOR PRIVADO O CASO DO ANGLO ZIMELE FUND Se/t/2017 IFC: UM MEMBRO DO GRUPO BANCO MUNDIAL IBRD IDA IFC MIGA ICSID International Bank for Reconstruction and Development

Leia mais

GERENCIAMENTO RISCO DE CRÉDITO

GERENCIAMENTO RISCO DE CRÉDITO GERENCIAMENTO RISCO DE CRÉDITO ÍNDICE 1. DEFINIÇÕES BÁSICAS... 3 2. RISCO DE CRÉDITO ESTRUTURA... 3 3. VISÃO GERAL DO PROCESSO DE SOLICITAÇÃO E APROVAÇÃO DE CRÉDITO... 3 4. DADOS CADASTRAIS... 3 5. FUNÇÕES

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental O momento certo para incorporar as mudanças A resolução 4.327 do Banco Central dispõe que as instituições

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Responsabilidade Social, Ambiental e Governança Corporativa. Prof. Wellington AULA 1

Responsabilidade Social, Ambiental e Governança Corporativa. Prof. Wellington AULA 1 Responsabilidade Social, Ambiental e Governança Corporativa Prof. Wellington AULA 1 Objetivo da disciplina Conhecer conceitos de responsabilidade social, ambiental e governança corporativa. Desenvolver

Leia mais

Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto

Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto e como obter a qualificação para atender esta demanda.

Leia mais

Resolução 4327/14 BACEN Responsabilidade Ambiental

Resolução 4327/14 BACEN Responsabilidade Ambiental Resolução 4327/14 BACEN Responsabilidade Ambiental Resolução 4327/14: Principais Aspectos Objeto e âmbito de aplicação Finalidade PRSA Prazos Diretrizes para desenvolvimento e implantação de PRSA (política

Leia mais

IFRS 12 Divulgação de Investimentos em outras Entidades

IFRS 12 Divulgação de Investimentos em outras Entidades IFRS 12 Divulgação de Investimentos em outras Entidades Março de 2013 Objetivo Subsidiárias Reúne em uma única norma os requerimentos de divulgação relacionados a Acordos de Investimento em Empreendimento

Leia mais

Evento de Lançamento do Processo ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1

Evento de Lançamento do Processo ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Evento de Lançamento do Processo ISE 2016 Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Agenda 09h00 Café de boas-vindas 09h30 Abertura 09h40 Objetivos Estratégicos

Leia mais

Matéria 1: Comunicação de resultados em evolução

Matéria 1: Comunicação de resultados em evolução Sobre este relatório Matéria 1: Comunicação de resultados em evolução Relatório de 2014 segue tendência que privilegia um olhar cada vez mais integrado para o desempenho da companhia, abrangendo os aspectos

Leia mais

Governança Corporativa e Prevenção a Fraudes. Anthero de Moraes Meirelles Diretor de Fiscalização Banco Central do Brasil

Governança Corporativa e Prevenção a Fraudes. Anthero de Moraes Meirelles Diretor de Fiscalização Banco Central do Brasil Governança Corporativa e Prevenção a Fraudes Anthero de Moraes Meirelles Diretor de Fiscalização Banco Central do Brasil Agenda 1. A Supervisão do SFN e a importância da Governança Corporativa 2. Prevenção

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Agosto de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Continuação do Domínio de Processos PO (PO4, PO5

Leia mais

Modelo de Gestão, Política Ambiental, Missão, Visão e Valores

Modelo de Gestão, Política Ambiental, Missão, Visão e Valores Escola Politécnica da USP Curso de Engenharia Ambiental Modelo de Gestão, Política Ambiental, Missão, Visão e Valores Princípios da Gestão Ambiental 1 Prioridade corporativa 9 - Pesquisa 2 Gestão Integrada

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA A Socioambiental (PRSA) substitui a Política Corporativa pela Sustentabilidade (2011), e incorpora a contribuição das partes interessadas

Leia mais

Razões para omissões

Razões para omissões ÍNDICE GRI 2014 CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Conteúdos Padrão Gerais Número da página (ou Ligação) Omissões identificadas Razões para omissões A informação relacionada com Conteúdos Padrão requerida pelas opções

Leia mais

Diagnóstico de Sustentabilidade Corporativa em Empresas do Paraná

Diagnóstico de Sustentabilidade Corporativa em Empresas do Paraná Diagnóstico de Sustentabilidade Corporativa em Empresas do Paraná F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L Índice A FBDS Sustentabilidade corporativa

Leia mais

Avaliação e Auditoria Atuarial. Quais aspectos devem ser considerados na elaboração da avaliação e auditoria atuarial

Avaliação e Auditoria Atuarial. Quais aspectos devem ser considerados na elaboração da avaliação e auditoria atuarial Avaliação e Auditoria Atuarial Quais aspectos devem ser considerados na elaboração da avaliação e auditoria atuarial Agenda Auditoria Atuarial Principais Aspectos da Auditoria Atuarial Avaliação Atuarial

Leia mais

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Ponto Focal GRI Brasil Conteúdo: Desafio da Sustentabilidade Relato de Sustentabilidade o que é isso????? GRI Tendências internacionais

Leia mais

GIR - Gestão Integrada de Riscos

GIR - Gestão Integrada de Riscos GIR - Gestão Integrada de Riscos Alinhado ao COSO ERM 2017, Res. 4.557/2017 CMN, ISO 31000:2009 e ISO 9000:2015 Marcos Assi MSc, CRISC, ISFS Fone: +55 11 2387-4837 Cel: +55 11 98147-0450 E-mail: marcos.assi@massiconsultoria.com.br

Leia mais

XV CONVENÇÃO DE CONTABILIDADE do Rio Grande do Sul Agosto de 2015 Classificação da Informação: Uso Interno

XV CONVENÇÃO DE CONTABILIDADE do Rio Grande do Sul Agosto de 2015 Classificação da Informação: Uso Interno XV CONVENÇÃO DE CONTABILIDADE do Rio Grande do Sul Agosto de 2015 MAIS DO QUE NÚMEROS PA TO MT RO 3 milhões Associados Mais de 18 mil GO Colaboradores SP MS RJ PR RS Mais de 100 empresas Mais de 1.300

Leia mais

Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Secretário Gabinete COPAM e CERH Assessoria Jurídica Auditoria Setorial Assessoria de Comunicação Social Assessoria de

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris

Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris Shelley de Souza Carneiro Gerente Executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade Confederação Nacional da Indústria - CNI Sumário O que é a CNI?

Leia mais

Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para Março 2015

Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para Março 2015 Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para 2015 Março 2015 2015 ABERJE Tendências na Comunicação Corporativa no Brasil 2015 Concepção e planejamento: Prof. Dr. Paulo Nassar Coordenação: Carlos

Leia mais

Não existe melhor sentimento do que saber para onde você e o seu negócio estão indo.

Não existe melhor sentimento do que saber para onde você e o seu negócio estão indo. Não existe melhor sentimento do que saber para onde você e o seu negócio estão indo. Consultoria Tributária Consultoria Financeira Contabilidade Gestão de Patrimônio A Fokus sabe o quão difícil é administrar

Leia mais

PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL

PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL PRESENCIAL E A DISTÂNCIA COMPLETA COM VOCÊ PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO ÁREA DE NEGÓCIOS, GESTÃO AMBIENTAL E ENGENHARIA

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 12/06/2017 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Referências... 3 3 Princípios... 3 4 Diretrizes... 3 5 Responsabilidades... 7 6 Disposições

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL - PRSA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL - PRSA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL - PRSA A Política de Responsabilidade Socioambiental Banrisul, denominada PRSA, foi criada a partir da revisão da Política de Sustentabilidade Banrisul, publicada

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

Foreign Account Tax Compliance Act ( FATCA )

Foreign Account Tax Compliance Act ( FATCA ) Foreign Account Tax Compliance Act ( FATCA ) Atuação preventiva e detectiva das instituições financeiras no Brasil. Consultoria de Riscos Empresarias 07/2013 Visão Geral 1 Visão Geral 2 Algumas definições

Leia mais

PROGRAMA DE COMPLIANCE

PROGRAMA DE COMPLIANCE PROGRAMA DE COMPLIANCE VERSÃO 1.0 SETEMBRO/2016 1. NOME DO PROGRAMA Programa de Compliance criado em 30.09.2015 2. OBJETIVO Mitigar os riscos das operações e os negócios atuais e futuros, sempre em conformidade

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 Aprovada por meio da RES nº 261/2017, de 19/09/2017 Deliberação nº 075/2017, de 05/10/2017 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Referências...

Leia mais

BALANÇO SOCIAL Os benefícios gerados por meio dos investimentos sociais. Belo Horizonte, 21 de setembro de 2016

BALANÇO SOCIAL Os benefícios gerados por meio dos investimentos sociais. Belo Horizonte, 21 de setembro de 2016 BALANÇO SOCIAL Os benefícios gerados por meio dos investimentos sociais Belo Horizonte, 21 de setembro de 2016 QUEM SOMOS Anglo American é uma mineradora global e diversificada com foco em Diamante, Platina

Leia mais

Ética, Governança e Compliance. Marcelo Coimbra

Ética, Governança e Compliance. Marcelo Coimbra Ética, Governança e Compliance Marcelo Coimbra Ética Empresarial A ética empresarial é o conjunto de valores que regem uma empresa e formam uma filosofia organizacional. Essa filosofia possui princípios

Leia mais

onvergência dos Processos

onvergência dos Processos onvergência dos Processos de Gestão de Riscos, Auditoria Interna, Controles Internos e Compliance Situação Atual Convergência Funções e Atividades (Situação Atual) Acionistas Processo de informação e divulgação

Leia mais

Evento de Lançamento do Processo ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1

Evento de Lançamento do Processo ISE Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Evento de Lançamento do Processo ISE 2016 Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Agenda 09h00 Café de boas-vindas 09h30 Abertura 09h40 Objetivos Estratégicos

Leia mais

CURSO: ADMINISTRAÇÃO

CURSO: ADMINISTRAÇÃO CURSO: ADMINISTRAÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: MATEMÁTICA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO Equações do primeiro e segundo graus com problemas. Problemas aplicando sistemas; sistemas com três incógnitas

Leia mais

POLÍTICA DE REGULAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Regulação das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE REGULAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Regulação das Empresas Eletrobras Política de Regulação das Empresas Eletrobras Versão 1.0 08/12/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceitos... 3 3. Princípios... 3 4. Diretrizes... 4 5. Responsabilidades... 5 6. Disposições Gerais...

Leia mais