As diferentes modalidades de gestão no SUS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As diferentes modalidades de gestão no SUS"

Transcrição

1 XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO As diferentes modalidades de gestão no SUS Lenir Santos Março 2013 LENIR SANTOS março de 13 1

2 FORMAS DE GESTÃO DO SUS ADMINISTRAÇÃO PUBLICA E TERCEIRO SETOR QUALIFICADO PELO PODER PÚBLICO LENIR SANTOS março de 13 2

3 I - ADMINISTRAÇÃO INDIRETA MODELOS AUTARQUIAS FUNDAÇÕES EMPRESAS PUBLICAS SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA CONSORCIOS PUBLICOS LENIR SANTOS março de 13 3

4 1. AUTARQUIAS PESSOAS JURIDICAS DE DIREITO PÚBLICO EXECUTORAS DE ATIVIDADES PÚBLICAS AS AUTARQUIAS TÊM CAPACIDADE EXCLUSIVAMENTE ADMINISTRATIVA (não tem capacidade política); TÊM TITULARIDADE PARA REALIZAR ATIVIDADES PÚBLICAS. SUAS ATIVIDADES SÃO TÍPICAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CARACTERÍSTICAS: AUTONOMIA, NOS LIMITES CONFERIDOS PELA LEI QUE A CRIOU; PATRIMONIO PROPRIO; RECURSO PROPRIOS; IMUNIDADE TRIBUTARIA; BENS INDISPONÍVEIS. LENIR SANTOS março de 13 4

5 4. FUNDAÇÕES PATRIMONIO AFETADO A UMA FINALIDADE (ART. 37, XIX da CF) Lei autoriza a sua instituição pelo Poder Executivo FUNDAÇÃO poderá ser instituída sob o regime do direito público ou do direito privado É a lei que irá dispor sobre o regime jurídico: se de direito publico (a lei deverá criá-la diretamente) ou de direito privado (Escritura Pública e Registro Notarial) LENIR SANTOS março de 13 5

6 5. EMPRESA PUBLICA -ART. 173 CF Dec.Lei 200 PESSOA JURIDICA CRIADA POR LEI, COM PERSONALIDADE JURIDICA DE DIREITO PRIVADO, COM CAPITAL FORMADO UNICAMENTE POR RECURSOS DE PESSOAS JURÍDICAS DE DIREITO PUBLICO PRESTADORAS DE SERVIÇOS PUBLICOS REMUNERADOS POR TARIFAS (ex.correios) E EXPLORADORA DE ATIVIDADE ECONÔMICA (ex.cef) LENIR SANTOS março de 13 6

7 CONSÓRCIO PÚBLICO Lei /2005 Decreto 6.017/2007 Consórcios Públicos é a livre associação de entidades federativas para a consecução de objetivos comuns, mediante contrato. Trata-se de uma associação pública interfederativa, com personalidade jurídica de direito publico. A lei possibilita a modelagem do direito privado, submetida, contudo, aos regramentos do direito público. Os consórcios são formados por um Estado e os municípios de seu território; por dois ou mais estados. A União pode participar de consorcio entre um Estado e municípios. LENIR SANTOS março de 13 7

8 7. CONTRATO DE AUTONOMIA CONSTITUIÇÃO ART. 37, 8º MEDIANTE CONTRATO, FIRMADO ENTRE O PODER PÚBLICO E SEUS ADMINISTRADORES, NOS LIMITES DA LEI E DA CONSTITUIÇÃO, PODERÁ SER AMPLIADA A AUTONOMIA GERENCIAL, ORÇAMENTARIA E FINANCEIRA DE ENTIDADES E ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA. SERÁ SEMPRE A LEI QUE IRÁ DEFINIR: O PRAZO DE DURAÇÃO DO CONTRATO; OS CONTROLES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO, DIREITOS, OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES DE SEUS DIRIGENTES E REMUNERAÇÃO DE PESSOAL. ATÉ HOJE NÃO EXISTE LEI ESPECÍFICA DISPONDO SOBRE O CONTRATO DE AUTONOMIA. NOVO MODELO DE CONTRATO ADMINISTRATIVO. LENIR SANTOS março de 13 8

9 TERCEIRO SETOR E SEU RELACIONAMENTO COM O PODER PUBLICO LENIR SANTOS março de 13 9

10 II - TERCEIRO SETOR SOB REGULAÇÃO ESTATAL 1. ORGANIZAÇÕES SOCIAIS LEI N /98 (Lei federal) ENTIDADES PRIVADAS, QUALIFICADAS LIVREMENTE PELO MINISTRO OU TITULAR DO ÓRGÃO REGULADOR OU SUPERVISOR. AREAS DE ATUAÇÃO: ENSINO, PESQUISA CIENTIFICA, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO, MEIO AMBIENTE, CULTURA E SAUDE. ENTIDADES PRIVADAS, SEM FINS LUCRATIVOS, QUE ATENDAM AOS REQUISITOS DA LEI PODERÃO SER QUALIFICADAS COMO O.S. E RECEBER BENS E SERVIDORES PÚBLICOS E REALIZAR ATIVIDADES PÚBLICAS. ESSA QUALIFICAÇÃO É LIVRE. NÃO DEPENDE DE NENHUM PROCESSO PÚBLICO DE SELEÇÃO ENTRE ELAS E NEM É ATO VINCULADO. LENIR SANTOS março de 13 10

11 QUESTÕES JURIDICAS PENDENTES STF: julgamento da ADI 1923/98 DF Partido dos Trabalhadores Questionamentos: 1. Ausência de seleção pública para qualificação da OS; 2. Afastamento de pessoal; 3. Transpasse de bens públicos; 4. Extinção de serviço público (Programa Nacional de Publicização). 5. Decisão negando a liminar, em Gilmar Mendes foi o Relator. LENIR SANTOS março de 13 11

12 2. ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO- OSCIP LEI N /99 (lei de âmbito nacional) ENTIDADES PRIVADAS QUE ATENDENDO AOS REQUISITOS DA LEI PODEM SER QUALIFICADAS COMO OSCIPs e HABILITADAS A FIRMAR TERMO DE PARCERIA COM O PODER PUBLICO (características: sem fins lucrativos; atividades identificadas na lei assistência social, promoção gratuita da saúde, cultura etc.) Não podem ser sociedades comerciais, organizações sociais, entidades religiosas, cooperativas etc. nem ser declaradas como de utilidade pública nem beneficentes (filantrópicas). Pode remunerar seus dirigentes. LENIR SANTOS março de 13 12

13 3. SERVIÇO SOCIAL AUTONOMO Entidade criada pelo particular mediante autorização legislativa que lhe garante o repasse de recursos públicos ou a destinação do produto da arrecadação de contribuição específica de um determinado segmento social ao qual o Serviço Social Autônomo deverá atender (sesi, senac, senai, sebrae, sesc). No caso da destinação de recurso público, o único modelo é o da Associação das Pioneiras Sociais, com repasse de recursos do MS, mediante contrato de gestão. LENIR SANTOS março de 13 13

14 ENTIDADES SEM FINALIDADES LUCRATIVAS E ENTIDADES FILANTROPICAS As entidades sem finalidades lucrativas privadas são as associações, conforme arts. 53 e sgts do Código Civil e as Fundações, arts.62 e sgts. Essas entidades são consideradas entidades que atuam no setor privado desprovidas do interesse do lucro. São entidades de utilidade pública, de interesse social por estarem ao lado do Estado no desenvolvimento de atividade social. LENIR SANTOS março de 13 14

15 CARACTERISTICAS PRINCIPAIS DAS ASSOCIAÇÕES E FUNDAÇÕES NÃO DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS; NÃO REMUNERAÇÃO DE SEUS DIRETORES E CONSELHEIROS; IMUNIDADE TRIBUTÁRIA OU ISENÇÃO TRIBUTARIA, DENTRE ELAS A DO ART. 195, 7º; ATIVIDADE SOCIAL DE INTERESSE COLETIVO; PODEM RECEBER SUBVENÇÃO E AUXÍLIO; FIRMAM CONVENIOS COM O PODER PÚBLICO PARA REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES DE INTERESSE COMUM; PARTICIPAM DO SUS DE FORMA COMPLEMENTAR; REVERSÃO DOS BENS, NA EXTINÇÃO, PARA UMA CONGÊNERE; DECLARAÇÃO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTENCIA SOCIAL. LENIR SANTOS março de 13 15

16 FUNDAÇÃO ESTATAL Fundamento legal: art. 37, XIX da CF Decreto-lei 200, com suas alterações (art. 5º, IV) Código Civil 62 e segts. LENIR SANTOS março de 13 16

17 CARACTERISTICAS DA FUNDAÇÃO ESTATAL Dotação patrimonial publica (patrimônio); Garantia de receitas próprias e públicas para a consecução de suas finalidades; Personalidade jurídica de direito privado; Tutela da administração direta (órgão público supervisor); Lei autorizadora; Campo de atuação: todo aquele que não exigir pessoa jurídica de direito público (poder de autoridade). LENIR SANTOS março de 13 17

18 CONSEQUENCIAS DO REGIME DE DIREITO PRIVADO: BENS PENHORÁVEIS, POR CONSEQUÊNCIA NÃO BENEFICIÁRIA DO PROCESSO DE EXECUÇÃO CONTRA FAZENDA PÚBLICA (precatórios) ART. 100 DA CF PROCESSO ESPECIAL DE PENHORA NÃO TEM JUIZO ESPECIAL; REGIME JURÍDICO DOS EMPREGADOS: CLT. REGIDA PELOS SEUS ESTATUTOS E PELA LEI AUTORIZADORA PRAZOS PROCESSUAIS COMUNS. CONTABILIDADE DA LEI 6.404/76. NÃO SUJEITA À LRF (se não for dependente do orçamento público). LENIR SANTOS março de 13 18

19 RECEITAS RECEITAS PROPRIAS DECORRENTES DE SUAS ATIVIDADES (PESQUISA CIENTIFICA E TECNOLÓGICA, ENSINO ESPECIALIZADO ETC.); RECEITAS PÚBLICAS DECORRENTES DE CONTRATO DE GESTÃO; SUBVENÇÕE, AUXÍLIOS; RECEITAS DECORRENTES DE CONTRATOS, CONVENIOS ETC. RESSALVA: VEDAÇÃO DE CELEBRAÇÃO DE CONTRATO OU CONVENIO QUE INIBAM OU CERCEIM A UNIVERSIDADE DO ATENDIMENTO (GRATUIDADE) E IGUALDADE DE ATENDIMENTO, NO CASO DA SAUDE PUBLICA. LENIR SANTOS março de 13 19

20 CONTROLE E FISCALIZAÇÃO NORMAS DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO PREVISTOS NOS ESTATUTUTOS; SUPERVISÃO DO ÓRGÃO DA ATIVIDADE PRINCIPAL (EX. MS) E TRIBUNAL DE CONTAS; ESTATUTOS PODERÁ PREVER: CONTROLE POPULAR EXERCIDO PELOS CONSELHOS DE SAÚDE LOCAL E ESTADUAL, EM DECORRENCIA DA INSERÇÃO DO HOSPITAL NO SISTEMA LOCO-REGIONAL. CONTROLE QUANTO AO CUMPRIMENTO DO PLANO DE ATIVIDADES E QUALIDADE E EFICIÊNCIA DOS SERVIÇOS PRESTADOS À POPULAÇÃO. LENIR SANTOS março de 13 20

21 CONTRATO DE GESTÃO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO ENTE SUPERVISOR METAS, OBJETIVOS, PRAZOS, CRITÉRIOS DE CONTROLE E AVALIAÇÃO, OBRIGAÇÕES, RESPONSABILIDADES DE SEUS DIRIGENTES E PENALIDADES NO CASO DE DESCUMPRIMENTO INJUSTIFICADO DO CONTRATO, DENTRE ELAS, A PERDA DO CARGO. LENIR SANTOS março de 13 21

22 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL CONSELHO CURADOR DIREÇÃO SUPERIOR, CONTROLE E FISCALIZAÇÃO - CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR RESPONSÁVEL PELA GESTÃO TÉCNICA, PATRIMONIAL, ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA; LENIR SANTOS março de 13 22

23 RECURSOS HUMANOS REGIME JURÍDICO CLT APROVAÇÃO DE PLANO DE CARREIRA PELO CONSELHO CURADOR FIXAÇÃO DE SALARIOS, REAJUSTES PELO CONSELHO CURADOR ETC. DEMISSOES PELA CLT, COM AS RESSALVAS QUE A LEI FIZER, COMO A NECESSIDADE DE MOTIVAÇÃO DO ATO. LENIR SANTOS março de 13 23

24 COMPRAS DE BENS E SERVIÇOS (CONTRATOS) CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS, COMPRAS, ALIENAÇÃO, LOCAÇÃO SE SUBMETERÃO Á LICITAÇÃO PUBLICA. REGULAMENTO PROPRIO ART. 119 DA Lei de Licitações e Contratos LENIR SANTOS março de 13 24

25 OBRIGADA! LENIR SANTOS Visite o site do IDISA Instituto de Direito Sanitário Aplicado LENIR SANTOS março de 13 25

Organização da Administração Pública

Organização da Administração Pública Direito Administrativo Organização da Administração Pública Estado - Povo; - Território; - Governo soberano. Organização do Estado - Federação: União Estados Distrito Federal Municípios Governo e Administração

Leia mais

Lei No de 2011 Criação da EBSERH.

Lei No de 2011 Criação da EBSERH. PROF. ÉRICO VALVERDE Lei No. 12.550 de 2011 Criação da EBSERH. EBSERH Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Hospitais Universitários Federais HUF s, Criada pelo Governo Federal, Vinculado ao Ministério

Leia mais

MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL

MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL Fernando Aith São Paulo, 17 de maio de 2011 Centro de Estudos e Pesquisas em Direito Sanitário - CEPEDISA APRESENTAÇÃO 1. Saúde: Direito de

Leia mais

Consórcios Públicos em Saúde. Ceará, 2008

Consórcios Públicos em Saúde. Ceará, 2008 Consórcios Públicos em Saúde Ceará, 2008 Principais Inovações Lei dos Consórcios (Lei n.º 11.107 de 06 de abril de 2005) Protocolo de Intenções Pessoa jurídica para representar o Consórcio Contratos de

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Organização da administração pública: Entidades Paraestatais ou Terceiro Setor Professora Taís Flores www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br Direito administrativo

Leia mais

Nova Lei dos Acordos de Parceria

Nova Lei dos Acordos de Parceria Nova Lei dos Acordos de Parceria Lei nº 13.019/2014 OAB-SP 21 de outubro de 2014 Contexto Histórico Plano Diretor de Reforma do Estado anos 90 Min. Bresser Pereira Gestão direta, pela sociedade, de serviços

Leia mais

Aula 01. A estrutura administrativa do Estado Brasileiro vem sendo dividida em três setores, formadores do chamado Estado Gerencial Brasileiro.

Aula 01. A estrutura administrativa do Estado Brasileiro vem sendo dividida em três setores, formadores do chamado Estado Gerencial Brasileiro. Turma e Ano: Magistratura Estadual Direito Administrativo (2015) Matéria / Aula: Estado Gerencial Brasileiro; 1º, 2º e 3º Setores; 1º setor Estrutura e Regime de Pessoal 01 Professor: Luiz Oliveira Castro

Leia mais

2.7. Resumo Elementos do Estado: povo, território e governo soberano.

2.7. Resumo Elementos do Estado: povo, território e governo soberano. 63 QUESTÃO COMENTADA AFRF 2003 Esaf Não há previsão legal para a celebração de contrato de gestão entre a pessoa jurídica de direito público política e a seguinte espécie: a) órgão público; b) organização

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado de Sergipe aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado de Sergipe aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Disponível em: www.al.se.gov.br Leis 5.217/2003 e 5.285/2004 LEI Nº 5.217, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organização Social e sua vinculação contratual com o Poder

Leia mais

ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Giuliano Menezes 01)Marque V ou F: a) O

Leia mais

Organização Administrativa Direito Administrativo

Organização Administrativa Direito Administrativo RESUMO Organização Administrativa Direito Administrativo 1 Índice Organização Administrativa... 3 Fundamento... 3 Legislação... 3 Administração Pública... 3 Órgãos Públicos... 3 Concentração e Desconcentração...

Leia mais

Nos capítulos anteriores...

Nos capítulos anteriores... Recordar é viver... Nos capítulos anteriores... ADMINISTRAÇÃO INDIRETA AUTARQUIAS E FUNDAÇÕES Prof. Thiago Gomes Pessoas jurídicas de direito público criadas por lei para exercer funções próprias do Estado

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA E CONSÓRCIOS PÚBLICOS MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA E CONSÓRCIOS PÚBLICOS MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO ADMINISTRAÇÃO INDIRETA E CONSÓRCIOS PÚBLICOS MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO Administração Indireta Autarquia Empresa Pública Sociedade de Economia Mista Fundação Pública Características -

Leia mais

AULA 05: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. Professor Thiago Gomes

AULA 05: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. Professor Thiago Gomes AULA 05: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA Professor Thiago Gomes 1. NOS CAPÍTULOS ANTERIORES... 2. CONTEXTUALIZAÇÃO x x x 3. Organização da Administração Pública Administração Direta Administração Indireta

Leia mais

Setor social associação

Setor social associação Setor social associação Administração Pública Iniciativa Privada Autarquia Fundação Dir. Público Consórcio Dir. Público Consórcio Dir.Privado Empresa Dependente Empresa Pública Soc. Economia Mista Organização

Leia mais

Terceiro Setor e o Direito Administrativo

Terceiro Setor e o Direito Administrativo Terceiro Setor e o Direito Administrativo Ponto n. 7 Qualificações e instrumentos de parcerias com a Administração Pública: legislação e regime jurídico: Convênios, Termos de Fomento, Termos de Colaboração

Leia mais

Lei remuneração de dirigentes: Uma discussão sobre a nova realidade do Terceiro Setor

Lei remuneração de dirigentes: Uma discussão sobre a nova realidade do Terceiro Setor Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

13ª Oficina de Conhecimento Direito para o 3º Setor

13ª Oficina de Conhecimento Direito para o 3º Setor 13ª Oficina de Conhecimento Direito para o 3º Setor Gabinete de Gestão de Interlocução com os Movimentos Sociais e OAB/GO Sonis Henrique Rezende Batista Advogado Membro da Comissão de Direito do 3º Setor

Leia mais

Por que a lei não se aplica ao regime da complementariedade dos serviços de saúde?

Por que a lei não se aplica ao regime da complementariedade dos serviços de saúde? Por que a lei 13019 não se aplica ao regime da complementariedade dos serviços de saúde? Lenir Santos I Introdução Trata-se de breve análise da aplicabilidade da Lei nº 13019, de 2014, ao regime de complementariedade

Leia mais

ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA UNIÃO ADMINISTRAÇÃO DIRETA ( Centralizada ou Central ) SÃO PESSOAS JURÍDICAS ESTADOS DF MUNICÍPIOS SÃO ENTES FEDERATIVOS PREVISTOS NA CF/88 SÃO REGIDOS PREDOMINANTEMENTE

Leia mais

Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Reforma do Estado Principais Aspectos Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ideal de Estado que orienta as políticas de gestão do Governo

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis.

Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis. Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis. Ainda hoje no Brasil, são raras as pesquisas e publicações na área da Contabilidade Pública

Leia mais

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar Nilton Santos, 17 de agosto de 2017 1 O Regime de Previdência Complementar - RPC 2 Sistema de previdência Regime Geral Regimes Próprios Previdência

Leia mais

Legislação Aplicada à EBSERH Esquematizada Prof. Gedalias Valentim

Legislação Aplicada à EBSERH Esquematizada Prof. Gedalias Valentim Legislação Aplicada à EBSERH Esquematizada Prof. Gedalias Valentim O que é cobrado em Legislação Aplicada à EBSERH? Lei Federal 12.550/2011 Decreto 7.661/2011 Regimento Interno da EBSERH Normas mais gerais

Leia mais

PARECER JURÍDICO. Tal medida provisória foi transformada na lei 9.649/1998 que manteve a nova natureza jurídica dos referidos Conselhos.

PARECER JURÍDICO. Tal medida provisória foi transformada na lei 9.649/1998 que manteve a nova natureza jurídica dos referidos Conselhos. PARECER JURÍDICO ASJUR/CRP-16 n 38-2007 INTERESSADO: Andréia Tomaz GERÊNCIA. NATUREZA: NATUREZA JURÍDICA DOS CONSELHOS PROFISSIONAIS E DECORRÊNCIA LEGAL PARECER JURÍDICO. Trata-se de consulta feita pelo

Leia mais

Terceiro Setor e o Direito Administrativo

Terceiro Setor e o Direito Administrativo Terceiro Setor e o Direito Administrativo Pontos n. 5 e 6 Qualificações e instrumentos de parcerias com a Administração Pública: legislação e regime jurídico Organizações Sociais e Contratos de Gestão

Leia mais

Observação. Empresa pública. Conceitos: Distinção. Sociedade de economia mista 12/11/2012 EMPRESAS PÚBLICAS E SOCIEDADES DE ECONOMIA MISTA

Observação. Empresa pública. Conceitos: Distinção. Sociedade de economia mista 12/11/2012 EMPRESAS PÚBLICAS E SOCIEDADES DE ECONOMIA MISTA Observação EMPRESAS PÚBLICAS E SOCIEDADES DE ECONOMIA MISTA Nem toda empresa estatal é empresa pública ou sociedade de economia mista. Para que seja empresa pública ou sociedade de economia mista, é necessário

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO - LEI /07 - ÁGUA

SANEAMENTO BÁSICO - LEI /07 - ÁGUA - LEI 11.445/07 - ÁGUA 1 ESGOTO LIXO 2 CHUVA Lei nº 11.445/07, de 5/1/07 Água potável Esgoto sanitário Tratamento do lixo Drenagem da chuva 3 Lei 8.080/90 (promoção, proteção e recuperação da saúde) Art.

Leia mais

Circular 304/2012 São Paulo, 27 de julho de Provedor/Presidente Administrador

Circular 304/2012 São Paulo, 27 de julho de Provedor/Presidente Administrador 1 Circular 304/2012 São Paulo, 27 de julho de 2012. Provedor/Presidente Administrador REF.: Lei de Acesso à Informação Prezados Senhores, Servimo-nos do presente para tecer alguns apontamentos relativos

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares S.A. - EBSERH e dá outras providências.

Leia mais

O Papel dos Consórcios Públicos Intermunicipais na Implantação de Políticas Públicas de Desenvolvimento

O Papel dos Consórcios Públicos Intermunicipais na Implantação de Políticas Públicas de Desenvolvimento O Papel dos Consórcios Públicos Intermunicipais na Implantação de Políticas Públicas de Desenvolvimento Luís Eduardo Píres de Oliveira Vieira Auditor de Controle Externo do TCMGO Secretaria de Contas Mensais

Leia mais

CONTROLE INTERNO LEI MUNICIPAL MÍNIMA

CONTROLE INTERNO LEI MUNICIPAL MÍNIMA CONTROLE INTERNO LEI MUNICIPAL MÍNIMA Constituição Federal Art. 31. A fiscalização do Município será exercida pelo Poder Legislativo Municipal, mediante controle externo, e pelos sistemas de controle interno

Leia mais

GESTÃO ADMINISTRATIVA DAS OSCS: Contratualização Sustentabilidade Certificação. Paula Raccanello Storto

GESTÃO ADMINISTRATIVA DAS OSCS: Contratualização Sustentabilidade Certificação. Paula Raccanello Storto GESTÃO ADMINISTRATIVA DAS OSCS: Paula Raccanello Storto Gestão Administrativa das OSCs Breve panorama jurídico Premissa: liberdade de associação Constituição Federal: Vedação da interferência estatal.

Leia mais

Sumário. Serviço Público e Administração Pública

Sumário. Serviço Público e Administração Pública Sumário Capítulo 1 Contabilidade Pública 1.1 Conceito 1.2 Objeto 1.3 Objetivo 1.4 Campo de Aplicação 1.5 Exercício Financeiro 1.6 Regime Orçamentário e Regime Contábil 1.6.1 Regime de Caixa 1.6.2 Regime

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E HOSPITAIS: Resolutividade e. Sustentabilidade. A Sobrevivência dos Sistemas de Saúde e dos Hospitais, depende de uma

GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E HOSPITAIS: Resolutividade e. Sustentabilidade. A Sobrevivência dos Sistemas de Saúde e dos Hospitais, depende de uma GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E HOSPITAIS: Resolutividade e Sustentabilidade Gestão Hospitalar: COMPLEXIDADE E DIVERSIDADE Saúde não tem preço, mas tem GASTOS ELEVADOS... A Sobrevivência dos Sistemas de

Leia mais

Piso Salarial dos ACS e ACE. Lei /14 e Decreto 8.474/15. Natal, 15 de julho de 2015.

Piso Salarial dos ACS e ACE. Lei /14 e Decreto 8.474/15. Natal, 15 de julho de 2015. Piso Salarial dos ACS e ACE Lei 12.994/14 e Decreto 8.474/15 Natal, 15 de julho de 2015. O Piso Nacional criado corresponde ao vencimento inicial dos ACS e ACE (Art. 9º- A). Desse modo, o valor fixado

Leia mais

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a):

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): 1ª) A lei 12.550 de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): A) Poder Legislativo. B) Poder Executivo C) Poder Judiciário D)

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E HOSPITAIS: Resolutividade e Sustentabilidade

GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E HOSPITAIS: Resolutividade e Sustentabilidade GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE E HOSPITAIS: Resolutividade e Sustentabilidade Gestão Hospitalar: COMPLEXIDADE E DIVERSIDADE Saúde não tem preço, mas tem GASTOS ELEVADOS... A Sobrevivência dos Sistemas de

Leia mais

FUNBIO Fundo Brasileiro para a Biodiversidade. há 20 anos conservando o futuro

FUNBIO Fundo Brasileiro para a Biodiversidade. há 20 anos conservando o futuro FUNBIO Fundo Brasileiro para a Biodiversidade há 20 anos conservando o futuro Natureza jurídica Aspectos que influenciam se a personalidade jurídica será de direito público ou privado Direito Público Forma

Leia mais

Direito & Cotidiano Diário dos estudantes, profissionais e curiosos do Direito.

Direito & Cotidiano Diário dos estudantes, profissionais e curiosos do Direito. Direito & Cotidiano Diário dos estudantes, profissionais e curiosos do Direito. http://direitoecotidiano.wordpress.com/ Rafael Adachi Organização Administrativa - Estudo da estrutura da Administração Pública.

Leia mais

Direito Administrativo I: Ponto 4: Organização Administrativa

Direito Administrativo I: Ponto 4: Organização Administrativa Direito Administrativo I: Ponto 4: Organização Administrativa PROF. DR. GUSTAVO JUSTINO DE OLIVEIRA Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) São Paulo (SP), abril de 2017. Sumário de aula

Leia mais

A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor

A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor CÂMARA TÉCNICA DEBATE - CRCSC A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor JUAREZ DOMINGUES CARNEIRO MARCO REGULATÓRIO Lei 13.019/2014 e o Decreto 8.726/2016 Marco Regulatório Missão: aperfeiçoar o

Leia mais

Reunião COSEMS-CE. Lei /2014. Piso Salarial dos ACS e ACE

Reunião COSEMS-CE. Lei /2014. Piso Salarial dos ACS e ACE Reunião COSEMS-CE Lei 12.994/2014 Piso Salarial dos ACS e ACE O Piso Nacional criado corresponde ao vencimento inicial dos ACS e ACE (Art. 9º-A). Desse modo, o valor fixado não contempla eventuais adicionais

Leia mais

CONTROLES INTERNOS COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE QUALIDADE DE GASTOS PÚBLICOS

CONTROLES INTERNOS COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE QUALIDADE DE GASTOS PÚBLICOS CONTROLES INTERNOS COMO INSTRUMENTO DE DE QUALIDADE DE GASTOS PÚBLICOS ARNALDO GOMES FLORES Fonte: Fonte: Fonte: Questão central Como garantir que os programas governamentais cumpram suas finalidades declaradas?

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DE FUNDAÇÕES ESTATAIS ANFES

I SEMINÁRIO NACIONAL DE FUNDAÇÕES ESTATAIS ANFES I SEMINÁRIO NACIONAL DE FUNDAÇÕES ESTATAIS ANFES Mesa Redonda: Sistema de Contabilidade e Prestação de Contas em Fundações Públicas de Direito Privado I. Pressupostos e aspectos gerais a serem considerados:

Leia mais

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior Administração Pública Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 O Estado É uma comunidade de homens fixada sobre um território com poder de mando, ação e coerção (ato de pressionar, induzir) constituída

Leia mais

Projeto de Lei nº 44 /2016 Poder Executivo CAPÍTULO I DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS. Seção I Da Qualificação

Projeto de Lei nº 44 /2016 Poder Executivo CAPÍTULO I DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS. Seção I Da Qualificação Projeto de Lei nº 44 /2016 Poder Executivo Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais. CAPÍTULO I DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS Seção I Da Qualificação Art. 1º O Poder Executivo poderá

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO ADMINISTRATIVO

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO ADMINISTRATIVO P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO ADMINISTRATIVO QUESTÃO 1 - Quanto aos princípios constitucionais da Administração Pública, assinale a alternativa correta. A. O princípio da supremacia

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 571 PROCURADOR MUNICIPAL EDITAL 37 ANEXO III

CONCURSO PÚBLICO 571 PROCURADOR MUNICIPAL EDITAL 37 ANEXO III CONCURSO PÚBLICO 571 PROCURADOR MUNICIPAL EDITAL 37 ANEXO III 1. Pontos para a Prova Oral. DIREITO CONSTITUCIONAL TEORIA 1. Noções de Teoria da Constituição e do Direito Constitucional. Objeto. Métodos.

Leia mais

QUESTÕES TRF 5ª REGIAO CESPE

QUESTÕES TRF 5ª REGIAO CESPE QUESTÕES TRF 5ª REGIAO CESPE - 2011 1 - ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz) Entre os setores do Estado, destaca-se o denominado terceiro setor conceito surgido com a reforma do Estado brasileiro,

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. Regimento Interno. 01 de outubro de 2007

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. Regimento Interno. 01 de outubro de 2007 FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. 01 de outubro de 2007 Regimento elaborado e aprovado pelo Conselho de Administração da Fundação COPPETEC em 01/10/2007, conforme

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO 2013

DIREITO ADMINISTRATIVO 2013 DIREITO ADMINISTRATIVO 2013 31. Dentre as características passíveis de serem atribuídas aos contratos de concessão de serviço público regidos pela Lei no 8.987/95, pode-se afirmar corretamente que há (a)

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL 1 Constituição. 1.1 Conceito, classificações, princípios fundamentais. 2 Direitos e garantias fundamentais. 2.1 Direitos e deveres individuais e coletivos, Direitos sociais,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL DECISÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL DECISÃO DECISÃO Cuida-se de ação ordinária ajuizada pela ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANQUIAS POSTAIS em face da EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ECT, com pedido de tutela de urgência para que se abstenha

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CERTIFICADO DE FILANTROPIA

A IMPORTÂNCIA DO CERTIFICADO DE FILANTROPIA Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social em Saúde A IMPORTÂNCIA DO CERTIFICADO DE FILANTROPIA Legislação Principais

Leia mais

Policia Rodoviária Federal - PRF DIREITO ADMINISTRATIVO

Policia Rodoviária Federal - PRF DIREITO ADMINISTRATIVO Policia Rodoviária Federal - PRF DIREITO ADMINISTRATIVO CURSO REGULAR Prof. Valmir Rangel ESTADO GOVERNO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Sociedade Politicamente Organizada ESTADO ELEMENTOS DO ESTADO Povo Território

Leia mais

Consulta nº 09/2014. Interessado: Assessor Jurídico - Secretaria Municipal de Saúde de Iturama

Consulta nº 09/2014. Interessado: Assessor Jurídico - Secretaria Municipal de Saúde de Iturama Consulta nº 09/2014 Interessado: Assessor Jurídico - Secretaria Municipal de Saúde de Iturama 1. Relatório: Trata-se de consulta realizada pelo Assessor Jurídico da Secretaria Municipal de Saúde de Iturama,

Leia mais

Aspectos de direito público da lei de inovação. Mariana Tápias Denis Borges Barbosa Advogados

Aspectos de direito público da lei de inovação. Mariana Tápias Denis Borges Barbosa Advogados Aspectos de direito público da lei de inovação Mariana Tápias Denis Borges Barbosa Advogados FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL DA LEI DE INOVAÇÃO - ARTS. 218 e 219 DA CR/88 O ESTADO promoverá e incentivará o desenvolvimento

Leia mais

Conceitos Sentidos subjetivo e objetivo. Serviços Públicos. Classificação Individuais (uti singuli) Classificação Gerais (uti universi)

Conceitos Sentidos subjetivo e objetivo. Serviços Públicos. Classificação Individuais (uti singuli) Classificação Gerais (uti universi) Serviços Públicos Direito Administrativo Prof. Armando Mercadante Nov/2009 Sentidos subjetivo e objetivo 1) Sentido subjetivo serviço público é aquele prestado pelo Estado; 2) Sentido objetivo o serviço

Leia mais

Fundos Municipais de Saúde e a Lei Complementar Considerações. Curitiba, 03 de abril de 2013.

Fundos Municipais de Saúde e a Lei Complementar Considerações. Curitiba, 03 de abril de 2013. Fundos Municipais de Saúde e a Lei Complementar 141 - Considerações Curitiba, 03 de abril de 2013. Fundos Especiais Base legal: Arts. 71 a 74 Lei 4.320/64 Art. 71: Constitui fundo especial o produto de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 5 01/09/2016 09:30 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 3.017, DE 6 DE ABRIL DE 1999. Aprova o Regimento do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 4.164/2016

LEI MUNICIPAL N.º 4.164/2016 LEI MUNICIPAL N.º 4.164/2016 AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CELEBRAR CONTRATOS DE GESTÃO COM ENTIDADE CIVIL FILANTRÓPICA PARA OPERACIONALIZAR O SAMU BÁSICO E/OU O SAMU AVANÇADO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2015 Altera a Lei nº 11.107, de 6 de Abril de 2005, que dispõe sobre normas gerais de contratação de consórcios públicos e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE DO MÉDIO PARANAPANEMA

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE DO MÉDIO PARANAPANEMA CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE DO MÉDIO PARANAPANEMA Consórcio Ato administrativo complexo em que uma entidade pública acorda com outra ou outras entidades públicas, da mesma natureza, o desempenho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 13 DE 28 DE ABRIL DE 2008 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade

Leia mais

Princípios da Administração Pública

Princípios da Administração Pública Princípios da Administração Pública PRINCÍPIO DA LEGALIDADE Conceito: Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (art. 5º, II da CF). O Princípio da legalidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA - ANANINDEUA

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA - ANANINDEUA UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA - ANANINDEUA Ananindeua - 2017 Lei 8.080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a PROMOÇÃO, PROTEÇÃO e RECUPERAÇÃO da saúde, a organização e o funcionamento

Leia mais

CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO

CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO NOTA TÉCNICA Nº 001/2011 Brasília, 16 de março de 2011. ÁREA: Saneamento Área de Desenvolvimento Urbano TÍTULO: Contratação dos serviços de saneamento básico REFERÊNCIA(S): Lei nº 11.445/2010, Decreto

Leia mais

Agência de Água: Base legal, alternativas jurídicas e forma de escolha Rosana Evangelista

Agência de Água: Base legal, alternativas jurídicas e forma de escolha Rosana Evangelista Agência de Água: Base legal, alternativas jurídicas e forma de escolha Rosana Evangelista 3ª Oficina do Grupo de Trabalho Agência e Cobrança GTAC do CBH-Paranaíba Uberlândia-MG, 21/03/2014 SUBPROGRAMA

Leia mais

Art O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

Art O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I DA EDUCAÇÃO Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,

Leia mais

Aos clientes VISÃO CONSULTORIA Tarumã,SP, 09 de Janeiro de MEMO nº 01/2017.

Aos clientes VISÃO CONSULTORIA Tarumã,SP, 09 de Janeiro de MEMO nº 01/2017. Aos clientes VISÃO CONSULTORIA Tarumã,SP, 09 de Janeiro de 2017. MEMO nº 01/2017. Assunto: DECRETO QUE ALTERA O DECRETO Nº 6.170 DE 5 DE JULHO DE 2007. Prezados (as) Senhores (as): Dispõe sobre as normas

Leia mais

CURSO JURÍDICO FMB CURSO

CURSO JURÍDICO FMB CURSO CURSO JURÍDICO FMB CURSO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS 2 Sumário DIREITO ADMINISTRATIVO 3 DIREITO ADMINISTRATIVO PROFA. CRISTINA APARECIDA FACEIRA MEDINA MOGIONI MÓDULO I O Direito Administrativo;

Leia mais

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: DEFENSORIA PÚBLICA E

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: DEFENSORIA PÚBLICA E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: MINISTÉRIO PÚBLICO, DEFENSORIA PÚBLICA E ADVOCACIA Profª Me. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br MINISTÉRIO PÚBLICO Definição: instituição permanente e essencial à função jurisdicional

Leia mais

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FIA O Estatuto da Criança e Adolescente - ECA estabelece a Política de Atendimento a Criança e Adolescente:

Leia mais

CETTESE: Novas Regras da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) e Reflexos na Imunidade Tributária

CETTESE: Novas Regras da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) e Reflexos na Imunidade Tributária Renovação, Integração e Capacitação Profissional CETTESE: Novas Regras da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) e Reflexos na Imunidade Tributária Área da Saúde Jair Gomes

Leia mais

NEGÓCIOS SOCIAIS E SOCIEDADES SEM FINS LUCRATIVOS

NEGÓCIOS SOCIAIS E SOCIEDADES SEM FINS LUCRATIVOS BAPTISTA LUZ ADVOGADOS R. Ramos Batista. 444. Vila Olímpia 04552-020. São Paulo SP baptistaluz.com.br NEGÓCIOS SOCIAIS E SOCIEDADES SEM FINS LUCRATIVOS / Diogo Perroni Carvalho / Laura Rodrigues da Cunha

Leia mais

Criação de serviços municipais

Criação de serviços municipais Desafios do Saneamento: Criação de serviços municipais 1.1 Titularidade municipal Constituição Federal estabelece titularidade dos municípios para serviço de saneamento básico CF/88: Art. 30. Compete aos

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA LEI DE DIRETRIZES EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2016

AUDIÊNCIA PÚBLICA LEI DE DIRETRIZES EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2016 AUDIÊNCIA PÚBLICA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS LDO EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2016 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E TECNOLOGIA DIRETORIA DE ORÇAMENTO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 007 DE 24 DE ABRIL DE 2007 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade

Leia mais

LEI /2014 MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL

LEI /2014 MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL LEI 13.019/2014 MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL A Lei 13.019/15 com alterações dadas pela Lei 13.201/15 estabelece o regime de parcerias entre as ENTIDADES e o Poder Público. A lei

Leia mais

Entidades Filantrópicas

Entidades Filantrópicas Entidades Filantrópicas Nova Conjuntura e Aspectos Jurídicos Se uma sociedade livre não pode ajudar os muitos que são pobres, acabará não podendo salvar os poucos que são ricos John F. Kennedy 06/10/2004

Leia mais

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS, nos termos do art. 10 da Constituição Estadual, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS, nos termos do art. 10 da Constituição Estadual, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_ordinarias/2005/lei_15503.htm LEI Nº 15.503, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2005. Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais estaduais e dá outras

Leia mais

CONCURSO PARA AUDITOR DE CONTROLE INTERNO DISCIPLINA: CONTROLE INTERNO E EXTERNO

CONCURSO PARA AUDITOR DE CONTROLE INTERNO DISCIPLINA: CONTROLE INTERNO E EXTERNO CONCURSO PARA AUDITOR DE CONTROLE INTERNO DISCIPLINA: CONTROLE INTERNO E EXTERNO TRIBUNAIS DE CONTAS: Natureza jurídica dos Tribunais de Contas, natureza jurídica e eficácia das decisões dos Tribunais

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE AS MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS GESTÃO E LEGISLAÇÃO II ENANESP 07/06/16. Carlos Neder

SEMINÁRIO SOBRE AS MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS GESTÃO E LEGISLAÇÃO II ENANESP 07/06/16. Carlos Neder SEMINÁRIO SOBRE AS MODALIDADES DE GESTÃO NO SUS II ENANESP GESTÃO E LEGISLAÇÃO 07/06/16 Carlos Neder I SUS enquanto política de Estado - Reforma do Estado e relação público privado - Estudos do Ministério

Leia mais

S u m á r i o. Capítulo 1 Notas Introdutórias...1

S u m á r i o. Capítulo 1 Notas Introdutórias...1 S u m á r i o Capítulo 1 Notas Introdutórias...1 1. A Seguridade Social na Constituição de 1988... 1 1.1. Seguridade Social (arts. 194 a 204)... 1 1.1.1. Natureza do Direito à Seguridade Social... 1 1.1.2.

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Nº 249, quarta-feira, 30 de dezembro de 2015 1 ISSN 1677-7042 159. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome GABINETE DA MINISTRA PORTARIA Nº 117, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2015 Aprova o orçamento

Leia mais

* Data de publicação no Diário Oficial da União (D.O.U.).

* Data de publicação no Diário Oficial da União (D.O.U.). COMUM PARA TODAS AS ÁREAS Utilidade Pública Federal e Estadual ou do Distrito Federal ou Municipal. Certificado (CEBAS) e Registro de Entidade de Fins Filantrópicos (CNAS), renovado a cada três anos. Promova

Leia mais

SUZELE VELOSO DIREITO ADMINISTRATIVO

SUZELE VELOSO DIREITO ADMINISTRATIVO SUZELE VELOSO DIREITO ADMINISTRATIVO 1. (FCC 2017 - TRT - 24ª REGIÃO (MS) - Analista Judiciário - Área Administrativa) Quanto à estrutura, os órgãos públicos podem ser classificados em simples, também

Leia mais

PONTO 1: Administração Pública PONTO 2: Administração Direta PONTO 3: Administração Indireta PONTO 4: Autarquias 1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PONTO 1: Administração Pública PONTO 2: Administração Direta PONTO 3: Administração Indireta PONTO 4: Autarquias 1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Administração Pública PONTO 2: Administração Direta PONTO 3: Administração Indireta PONTO 4: Autarquias 1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM SENTIDO FORMAL

Leia mais

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente do Município de Paranatinga. CAPÍTULO I Do Fundo Municipal de Meio Ambiente Art. 1º Fica instituído o Fundo Municipal de

Leia mais

Art A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno

Art A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno CONSTITUIÇÃO FEDERAL DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Seção que pactua a educação como direito de todos. CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I DA EDUCAÇÃO MS. Carreiro 1 Art. 205.

Leia mais

GOVERNANÇA E AS MUDANÇAS NA LEI 13.019/14 JOSÉ ALBERTO TOZZI

GOVERNANÇA E AS MUDANÇAS NA LEI 13.019/14 JOSÉ ALBERTO TOZZI GOVERNANÇA E AS MUDANÇAS NA LEI 13.019/14 JOSÉ ALBERTO TOZZI Empresa especializada na prestação de serviços ao Terceiro Setor Consultoria Auditoria Cursos Presenciais e à Banco de Dados sobre o Terceiro

Leia mais

DECRETO Nº , DE 4 DE JANEIRO DE 2017.

DECRETO Nº , DE 4 DE JANEIRO DE 2017. DECRETO Nº 19.651, DE 4 DE JANEIRO DE 2017. Institui o Comitê para Gestão de Despesas de Pessoal (CGDEP). O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, na forma do artigo 94,

Leia mais

CURSO ON-LINE DIREITO ADMINISTRATIVO SENADO E TCU PROFESSORES: CYONIL, ELAINE E SANDRO

CURSO ON-LINE DIREITO ADMINISTRATIVO SENADO E TCU PROFESSORES: CYONIL, ELAINE E SANDRO 1) (2008/CESPE/MMA/analista ambiental) Na desconcentração, transfere-se a execução de determinados serviços de uma esfera da administração para outra, o que pressupõe, na relação entre ambas, um poder

Leia mais

Orçamento e Financiamento da Assistência Social

Orçamento e Financiamento da Assistência Social Orçamento e Financiamento da Assistência Social Orçamento e Financiamento: Definições O Orçamento Público é um Planejamento que gera um compromisso de um governo em relação às políticas públicas; Ele reflete

Leia mais

As Leis /2007, /2005 e /2008 e a Universalização

As Leis /2007, /2005 e /2008 e a Universalização I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental Mesa Redonda 1 Universalização do Saneamento e Sustentabilidade As Leis 11.445/2007, 11.107/2005 e 11.172/2008 e a Universalização 12 de julho de

Leia mais

Sistema Tributário Nacional

Sistema Tributário Nacional Sistema Tributário Nacional Considerações Iniciais Direito Direito e Contabilidade como Ciências Ciência das Normas obrigatórias que disciplinam as relações dos homens em sociedade. É o conjunto das normas

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ Pacote I Área Nº Disciplinas Horas / Aula 03 Procedimentos Contábeis Orçamentários I PCO I Procedimentos Contábeis Orçamentários II PCO II 05 Procedimentos Contábeis Patrimoniais I PCP I Fundamentos 06

Leia mais