Câmara Municipal da Horta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Câmara Municipal da Horta"

Transcrição

1

2 Como metodologia de análise e de modo a garantir a coerência da avaliação, respeitou-se a mesma sequência de conteúdos que constam na Revisão do Programa Base da Intervenção, fazendo-se previamente uma apreciação aos conteúdos de carácter genérico e posteriormente uma apreciação sobre as diferentes áreas específicas que constituem a área de intervenção do projeto. Para o desenvolvimento desta análise técnica foram consultados os parceiros de projeto e realizada uma reunião de análise e validação conjunta que decorreu no dia 16 de junho de Análise aos conteúdos de carácter Genérico Do ponto de vista documental foram introduzidas algumas alterações relevantes, comparativamente com a versão inicial do Estudo Prévio, nomeadamente: - A integração de um novo tópico na proposta de intervenção relativo a História, Arte e Topónimos; - A apresentação do Anexo II Catálogo dos materiais propostos ; - A introdução de um tópico relativo ao Edifício das Piscinas Municipais, nos estudos prévios de arquitetura; - São apresentados mais elementos gráficos (figuras e tabelas) explicitando a solução e intervenção proposta; - Foi introduzido um índice para as peças desenhadas. Do ponto de vista material a versão atual do Estudo Prévio integrou as recomendações e as propostas de alteração que foram formuladas pelos serviços municipais na informação n.º 1692 (em anexo), no entanto, persistem algumas situações que merecem ainda um melhor desenvolvimento e pormenorização e que seguidamente se registam. Note-se que, dada a natureza faseada de elaboração do projeto, entendemos que as alterações agora apresentadas, não colocam em causa o Estudo Prévio e podem facilmente integrar-se na fase do projeto base. Por outro lado, são apresentadas algumas recomendações 2

3 que já exigem um nível de pormenorização e detalhe que apenas poderá ser desenvolvido nas fases seguintes do projeto, mas que se considerou pertinente elencar nesta fase, como forma de facilitar o desenvolvimento do projeto. Rede Viária O modelo viário encontra-se estabilizado, os perfis dos arruamentos definidos e as soluções para os entroncamentos e cruzamentos apresentam uma configuração ajustada, podendo ainda merecer algum ajustamento a solução encontrada para os entroncamentos de ligação entre o porto comercial e o Largo Dr. Manuel de Arriaga e deste com a Rua Filipe Carvalho. Verifica-se uma clara sistematização e individualização das plataformas únicas, sendo contudo necessário manter a proposta de plataforma única na Rua Vasco da Gama (do Império até à Travessa do Borratem) e na Travessa do Borratém. Rede Pedonal Na atual versão do Estudo Prévio ainda não é garantido um dimensionamento dos passeios que assegure as características técnica de mobilidade e acessibilidade em toda a sua extensão, verificando-se esta situação em alguns arruamentos de perfil mais reduzido e em alguns troços do passeio poente da Avenida 25 de abril. Esta situação deverá merecer a melhor atenção da equipa técnica, procedendo à revisão do desenho quando desejável e possível, reajustando a localização de mobiliário urbano ou fundamentando a sua impossibilidade em algum troço. Do ponto de vista formal e conceptual a atual proposta de desenho urbano já garante a criação de percursos acessíveis em toda a extensão da área de intervenção. Modos Suaves de Transportes A atual solução promove a criação de um percurso ciclável que assume duas tipologias: 3

4 - Entre o Parque Vitorino Nemésio e o Largo do Infante, esta surge como uma ciclovia bidirecional integrada no passeio, cuja utilização combina uma perspetiva de lazer e recreio com outra de perfil mais funcional e poderá ser partilhada por diferentes utilizados (e.g. ciclistas, patinadores, peões, etc.); - Entre o Largo do Infante e o Largo Dr. Manuel de Arriaga / Igreja das Angústias a ciclovia é integrada na via de circulação automóvel, em conformidade com os sentidos de trânsito existentes. Quanto ao traçado este parece o mais adequado, admitindo-se que na nova Praça Central este possa ajustar-se assumindo um traçado mais linear e próximo da faixa de rodagem, diferente do que é atualmente proposto. Os pavimentos serão aferidos e validados na fase seguinte do projeto. Pavimentos A proposta mantem e privilegia a criação de um pavimento em calçada, em toda a área de intervenção, assumindo uma estereotomia de padrões e desenhos esquemáticos de símbolos náuticos e geométricos e a sua articulação com os pavimentos existentes e a manter. Sendo a calçada tradicional o elemento dominante do pavimento, não nos parece que este tenha que ser exclusivo, desde que se consiga uma conjugação harmoniosa de materiais e de expressão plástica. No Estudo Prévio, ainda não está totalmente sistematizado e pormenorizada a pavimentação, situação que será desenvolvida na fase seguinte do projeto. A incorporação no pavimento de elementos singulares e simbólicos que permitam interpretar momentos históricos e culturais da ilha e da cidade apenas será avaliada no âmbito da pormenorização dos pavimentos. 4

5 Pontos de Conflito Rodoviário No geral consideramos que a proposta contribui para atenuar os principais pontos de conflito rodoviário em matéria de cruzamentos e entroncamentos. Parece-nos que a solução poderá ainda merecer alguns reajustamentos no Largo Dr. Manuel de Arriaga. Rede de Transportes Públicos Urbanos Do ponto de vista da organização dos locais de paragem e de recolha de passageiros para as tipologias de transportes públicos urbanos sugere-se que as localizações destes sejam reavaliadas. Pretende-se que os locais de recolha de passageiros BUS e de Táxis funcionem em proximidade, partilhando abrigos de passageiros sempre que possível. As soluções de recolha de passageiros devem fazer-se, preferencialmente no plano marginal das vias, em pequenas bolsas de paragem BUS. Estacionamento Público Importa reafirmar que a oferta de estacionamento prevista na proposta de Estudo Prévio é substancialmente inferior à oferta atualmente disponibilizada, situação que, no entanto, já foi avaliada e ponderada num contexto e escala superior à da área de intervenção do projeto. Na revisão da proposta de Estudo Prévio, capacitou-se o Largo Dr. Manuel de Arriaga, com uma oferta de estacionamento substancialmente superior à inicialmente prevista, sem colocar em causa, a criação de um espaço público qualificado e polarizador, criando uma praça de cariz portuário, mas também eminentemente urbano. A proposta responde de forma consistente à localização dos parques de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. 5

6 Mobiliário Urbano e Iluminação Pública Reafirma-se que, no que concerne à escolha e seleção de mobiliário urbano e tal como admitido para os pavimentos, considera-se que a frente mar deverá expressar a sua contemporaneidade e modernidade, promovendo uma certa dicotomia com o espaço histórico, mais conservador. A atual proposta de Estudo Prévio apresenta os catálogos dos equipamentos propostos, no entanto, e no que concerne à localização e inserção urbano estes serão objeto de uma análise mais cuidada na fase de projeto base. Mantém-se a leitura de que, nesta fase, parece-nos que a proposta apresenta uma elevada densidade de algum mobiliário urbano em algumas áreas de projeto (e.g. bancos) e é omissa em relação a outro equipamentos e elementos de mobiliário urbano (e.g. mupis, abrigos BUS). Apesar da redução das áreas de plataforma única, onde estas são criadas, a densidade de pilaretes na delimitação das funções do espaço público, parece excessiva e deverá ser reavaliada. Estrutura Verde Relativamente a este conteúdo mantém-se integralmente as observações efetuadas na informação n.º 1692, de 28 de abril de História, Arte Urbana e Topónimos Este conteúdo apresenta já um desenvolvimento interessante nesta fase de estudo prévio admitindo-se que, no âmbito da evolução do projeto, possa aferir-se com maior rigor a localização dos distintos elementos escultórios. 6

7 Parques Infantis, Áreas Seniores, Zonas Lúdicas com jogos Tradicionais Relativamente aos parques infantis informais admite-se que o polígono apresentado possa evoluir nas seguintes fases do projeto. Quanto à possibilidade de integrar jogos tradicionais nos espaços públicos mais significativos, ainda não está contemplado nesta fase do projeto. Quanto à localização e integração das diferentes tipologias de áreas equipadas, as mesmas parecem adequadas. Equipamentos e Serviços Nesta fase foram apresentados os Estudos Prévios de Arquitetura para os novos equipamentos e serviços propostos para o espaço público, designadamente, a cafetaria da nova praça central, o edifício de apoio à marina da Horta, as instalações sanitárias e balneários públicos no logradouro do Banco de Artistas e o posto de turismo no Largo do Infante. Relativamente ao edifício das piscinas municipais é proposto a sua reabilitação, recorrendo a revestimentos resistentes à corrosão atmosférica em ambientes marinhos e uma área de ampliação, de modo a garantir as valências de apoio de praia estabelecidas no POOC Faial. Quanto à localização dos novos equipamentos, a proposta parece-nos adequada, sendo que, no que concerne às instalações sanitárias no logradouro do Banco de Artistas, será avaliada a possibilidade de as integrar no edifício existente, minimizando o impacte desta nova construção. Tratando-se de soluções arquitetónicas desenvolvidas apenas até ao nível do estudo prévio, os projetos destes novos equipamentos poderão apresentar, no seu desenvolvimento, diferenças volumétricas para responder ao programa funcional que lhes couber. 7

8 Para o edifício de apoio à marina e apesar de no âmbito do Projeto de Requalificação Urbana da Frente Mar da Cidade da Horta, apenas se desenvolver o Estudo Prévio de Arquitetura, devem considerar-se as recomendações e observações contempladas no parecer da Administração da Portos dos Açores, S.A. que se apresenta em anexo. Saneamento Básico Este é um dos conteúdos que apenas terá expressão nas fases subsequentes do projeto. Sanitários Púbicos A oferta de sanitários públicos está salvaguardada em todos os espaços públicos que se configuram como largos, praças e parque urbano. Na generalidade, apostou-se em soluções associadas aos novos equipamentos, mas com acesso pelo exterior, promovendo uma gestão mais eficiente destes espaços. Relativamente às instalações sanitárias e balneários localizadas no logradouro do Banco de Artistas e cuja utilização atende a uma procura pontual associada aos grandes eventos recreativos e festivos a realizar na nova praça, deverá merecer especial atenção nas seguintes fases do projeto a integração deste volume no espaço, admitindo-se também a avaliação da possibilidade de as integrar no edifício existente, minimizando o impacte desta nova construção. Grandes Eventos Culturais e Recreativos Estruturas e Infraestruturas de Apoio O Estudo Prévio atende ao programa de instalações provisórias da semana do mar e apresenta uma proposta de localização preliminar. 8

9 Nas fases subsequentes do projeto serão desenvolvidas as infraestruturas necessárias, prevendo-se a integração no espaço público de calhas técnicas e a localização de algumas instalações técnicas específicas, como são disso exemplo os módulos de refrigeração. Análise aos conteúdos para áreas Específicas Para além das considerações formuladas para os conteúdos de caráter genérico, apresentam-se algumas sugestões para as Áreas Específicas. Toda a análise efetuada parte da interpretação da memória descritiva e peças desenhadas do projeto, não se procedendo à descrição e pormenorização do conteúdo da proposta. As observações e recomendações de alteração sugeridas, não comprometem a validação e aprovação da fase de Estudo Prévio, podendo ser colmatadas nas fases seguintes do projeto. São também apresentadas recomendações que extravasam o conteúdo do Estudo Prévio, mas que se consideram relevantes destacar para o desenvolvimento posterior do projeto. Muitas das observações efetuadas decorrem da análise técnica realizada pelos serviços municipais através da informação n.º 1692, de 28 de abril de Cruzamento das Angústias / Rua Filipe Carvalho A proposta de desenho urbano cumpre na generalidade com o programa base da intervenção, no entanto, considera-se importante assegurar o desenvolvimento dos seguintes conteúdos programáticos: - Considerar a reposição da heráldica no pavimento, existente em frente à entrada principal da Igreja, admitindo-se a revisão da atual localização, as suas dimensões e proporcionalidade. - Pormenorizar os pavimentos para uma melhor perceção da sua integração e articulação. 9

10 - Ponderar a localização de grupo de bancos, no espaço envolvente à Igreja, que permitam gerar alguma versatilidade a este espaço e criar um ambiente mais intimista, para além do seu carácter contemplativo ou de descanso. - Prever a colocação de um pequeno parque de bicicletas junto à Igreja. Reperfilamento da Rua das Angústias Foram consideradas as sugestões apresentadas na informação n.º 1692, no entanto, deverá sobreelevar-se o pavimento na passadeira norte da Rua das Angústias, uma vez que o quarteirão a norte deste arruamento apresenta uma circulação em plataforma única. Reperfilamento da Estrada Príncipe Alberto do Mónaco Tendo em conta o limite da área de intervenção e uma vez que já está concluído o projeto de reabilitação da Estrada Príncipe Alberto do Mónaco, não é apresentada uma proposta de desenho urbano para o arranque e remate deste arruamento que se prevê que venha a assumir sentido único até ao desvio a criar para a Rua Filipe de Carvalho. Largo Dr. Manuel de Arriaga Este é um espaço que apresenta fortes condicionantes na intervenção porque é uma área que deve simultaneamente considerar o projeto de Reordenamento da Bacia Sul do Porto da Horta, integrar o programa funcional previsto pela Portos dos Açores, S.A. e garantir a coerência e harmonização do espaço púbico com o projeto de requalificação urbana da frente mar da cidade da Horta. Sendo esta uma área de jurisdição portuária, anexa-se o parecer da Portos dos Açores, S.A. O desenho urbano proposto assegura, no essencial, o programa funcional proposto. No entanto, sugerem-se ainda algumas alterações a desenvolver na fase de projeto base: 10

11 - O Estacionamento Oficial / Privado da Capitania do Porto da Horta deverá ficar assegurado, no local onde existe atualmente; - A paragem BUS deverá deslocar-se para sul, integrando-se eventualmente na área de Kiss and Ride do Hotel do Canal, a qual também deverá apresentar uma melhor definição em termos de desenho urbano; - Associada à paragem BUS inserida na Praça, poderá ponderar-se a criação de uma pequena bolsa para recolha de passageiros, dada a proximidade desta ao entroncamento com a Travessa do Borratém; - Deverá reavaliar-se a disposição arbórea proposta. Particularmente no que concerne à arborização mais a norte, esta deverá deslocar-se para sul no mínimo 5,00m para permitir o acesso de veículos de emergência diretamente ao pontão náutico, em situações de ocupação da área de reserva para equipamentos; - Pela mesma razão referida anteriormente deverá ajustar-se a disposição do mobiliário urbano proposto; - O entroncamento de ligação ao Porto Comercial deverá ser reajustado. Da atual configuração resultam raios de curvatura que não nos parecem os mais adequados, nomeadamente para a saída de veículos pesados para Norte; - O troço de arruamento do Largo Dr. Manuel de Arriaga que faz o entroncamento com a Rua Filipe de Carvalho apresenta um raio de curvatura muito apertado para os veículos que viram à direita. Deste modo, admite-se que o eixo deste arruamento possa deslocar-se para nascente; - O arruamento de acesso ao Clube Naval e a área de Kiss and Ride do Hotel do Canal podem evoluir para um tipo de pavimento semelhante ao da Praça, evitando-se assim a marcação um pouco forçada e diferenciada destes dois espaços onde a circulação automóvel será residual. 11

12 Travessa do Borratem Este arruamento deverá integrar-se como plataforma única, manter o sentido descendente e eventualmente assegurar estacionamento apenas num dos seus lados. Rua Vasco da Gama (do Império até à Travessa do Borratem) Este troço de arruamento da rua Vasco da Gama deverá integrar-se na lógica de plataforma única, pretendida para a globalidade do quarteirão. Deve ainda garantir-se um dimensionamento adequado de passeio livre, numa lógica de criação de um circuito acessível em toda a área de projeto, assegurando uma efetiva mobilidade universal em todo o espaço de circulação pedonal, mesmo que este apenas seja possível num nos dois passeios. Rua José Azevedo Peter Foram consideradas as sugestões apresentadas na informação n.º Rua Vasco da Gama Associada à paragem BUS, inserida no lado nascente da rua, deverá avaliar-se a criação de uma pequena bolsa para recolha de passageiros, dada a proximidade desta ao entroncamento com o arruamento de acesso à Marina da Horta. Pousada de Santa Cruz Foram atendidas as recomendações sugeridas na informação n.º

13 Largo do Infante Como consequência da criação da zona pavimentada envolvente ao Forte de Santa Cruz, admite-se como mais favorável a localização do ecoponto encostado à fachada lateral do monumento, aproximadamente no local onde atualmente se encontra. Apesar de manifestarmos concordância do ponto de vista conceptual com a solução encontrada esta carece de alguma pormenorização para uma análise mais objetiva, situação que apenas será possível na próxima fase do projeto. O Largo do Infante apresenta uma forte individualização em relação ao espaço edificado, pelo que será importante avaliar a adequabilidade dos atravessamentos pedonais, os quais nos parecem em reduzido número, atendendo à tipologia dos espaços comerciais existentes. Sugerimos a criação de uma passadeira na transição de pavimentos (na proximidade do edifício da Alfandega), e uma outra passadeira, após o entroncamento com a Rua Cônsul Dabney (sentido sul / norte). Como consequência desta alteração nos atravessamentos pedonais, sugerimos que a plataforma única se inicie com a sobrelevação da 1.ª passadeira. Arranque Sul da Avenida Marginal (Largo do Infante até ao Banco de Portugal) O espaço público resultante da libertação do logradouro do Banco de Artistas e da integração do prédio urbano confinante a sul poderá manter as características de pavimentação dos restantes espaços púbicos existentes e propostos na sua proximidade como a nova praça central ou o Largo do Infante. Relativamente às instalações sanitárias e balneários localizadas no logradouro do Banco de Artistas remete-se a análise para o tópico relativo aos sanitários públicos. Apesar da dificuldade existente em termos do perfil deste troço da marginal, sugere-se que sejam estudadas alternativas que permitam estabelecer uma continuidade ao nível arbóreo nesta área de projeto. 13

14 Praça Central e Avenida 25 de Abril (Troço Central: Banco de Artistas / Edifício de Finanças) No essencial foram satisfeitas as recomendações apresentadas na informação n.º 1692, contudo, persistem algumas questões que nos parecerem relevantes e que devem ficar vertidas na solução para este espaço púbico, designadamente as seguintes: - Reajustar o traçado da ciclovia, mantendo um traçado mais linear e próximo da extremidade poente do passeio, evitando o atravessamento da nova praça; - Dimensionar todos os novos passeios de modo a apresentarem uma área livre que atente aos princípios de mobilidade universal e cumpra a legislação em vigor (mínimo 1,6m); - Reavaliar a localização da Estátua Manuel de Arriaga, criando um espaço envolvente que lhe confira dignidade. Fundamentar os critérios que determinam a sua localização; - Propor a localização para a implantação de peças escultórias de dimensão variável, capazes de recriar elementos representativos da história local, que permitam a sua apropriação pelos mais jovens, inspiradas nomeadamente, em antigos navios baleeiros americanos, hidroaviões ou outros; - Admitir a possibilidade de inscrição no pavimento de jogos tradicionais e de outros jogos ao ar livre, particularmente nos espaços localizados de animação infantil; - Avaliar a utilização funcional da nova praça fora do âmbito das festividades. Prever o desenho urbano e a pormenorização do espaço público também nas áreas onde ficam instaladas as estruturas provisórias da semana do mar; - Rever a localização da futura estação elevatória nesta área de projeto. Entroncamento Canto D. Joana Será efetuada uma análise técnica mais cuidada na fase de projeto base, após a pormenorização do desenho e pavimento proposto. 14

15 Entroncamento com o Largo Duque D Ávila e Bolama Será efetuada uma análise técnica mais cuidada na fase de projeto base, após a pormenorização do desenho e pavimento proposto. Avenida Marginal (Troço Norte) Esta área do projeto apesar de não sofrer uma alteração substancial, deverá merecer um cuidado tratamento no que concerne ao dimensionamento dos passeios, de modo a que estes apresentem uma área livre que atente aos princípios da mobilidade universal. Esta é uma premissa essencial do projeto, pelo que se admite que sejam sacrificados outros usos em prol da adequada solução para os peões. O tratamento da Rua Conselheiro Miguel da Silveira e da transição desta para a Marginal surge agora com um nível de desenho urbano mais adequado, no entanto, será importante garantir que do reperfilamento da Rua Conselheiro Miguel da Silveira, não resultem situações que condicionem o acesso a garagens ou de perfil relativamente reduzido para uma utilização pedonal e de viaturas. Sugere-se que nas zonas escuras da calçada do passeio nascente da marginal ou nos espaços pedonais dos entroncamentos dos arruamentos de transição para o interior da cidade, se promova a recriação e inscrição dos frisos, rosáceas e valores simbólicos da histórica local, recorrendo à utilização de Códigos QR 1 ou NFC 2 para interpretação desses temas. Esta área de projeto merecerá uma análise atenta na fase de projeto base, pela dificuldade de cumprimento de alguns dos pressupostos enunciados. 1 Código QR (sigla do inglês Quick Response) - código de barras bidimensional 2 NFC (sigla do inglês Near Field Communication) - comunicação por campo de proximidade. 15

16 Travessas da Boa Viagem, do Poiso Novo e do Monturo Será efetuada uma análise técnica mais cuidada na fase de projeto base, após a pormenorização do desenho e pavimento proposto. Rotunda da Avenida 25 de Abril / Praça do Tribunal Foram atendidas as preocupações formuladas na informação n.º O desenvolvimento e pormenorização do desenho permitirá compreender a integração e articulação entre os diferentes espaços que esta área apresenta. Parque Vitorino Nemésio A atual versão do Estudo Prévio responde ao conteúdo programático definido para o parque urbano. O desenho proposto respeita o conceito de parque urbano de matriz naturalizada, integrando os diferentes usos de forma equilibrada. O desenvolvimento dos conteúdos relativos à arborização, à seleção do mobiliário urbano, à localização de luminárias, ao tratamento de pavimentos, entre outros, permitirá aferir com maior rigor a pormenorização da forma urbana e o conteúdo paisagístico do parque. Conclusão A proposta de Revisão e Complemento do Estudo Prévio do Projeto de Requalificação Urbana da Frente Mar da cidade da Horta apresenta um conteúdo material e documental adequado à fase de projeto em que este se encontra (Estudo Prévio) respondendo de forma bastante satisfatória às especificações e requisitos técnicos definidos e estabelecidos nos termos do convite, da revisão do programa base da intervenção e da proposta adjudicada. 16

17

ÍNDICE. Programa Preliminar Parte Escrita 2

ÍNDICE. Programa Preliminar Parte Escrita 2 CONCURSO PÚBLICO, NO ÂMBITO DA UNIÃO EUROPEIA, PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE EQUIPAMENTOS E ARRANJOS EXTERIORES DA PLATAFORMA À SUPERFÍCIE, NA SEQUÊNCIA DO REBAIXAMENTO DA VIA-FÉRREA, NO ATRAVESSAMENTO

Leia mais

PROJETO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE MAR DA CIDADE DA HORTA

PROJETO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE MAR DA CIDADE DA HORTA PROJETO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE MAR DA CIDADE DA HORTA Concurso de conceção na modalidade de limitado por prévia qualificação REVISÃO DO PROGRAMA BASE DA INTERVENÇÃO outubro de 2014 Largo Duque d Ávila

Leia mais

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 3 II. LOCALIZAÇÃO 3 III. ENQUADRAMENTO PDM 3 VII. CEDÊNCIAS E INFRAESTRUTURAS 3 V. PROPOSTA 3 VI. ÍNDICES URBANÍSTICOS 4 VII.

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1 DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA Divisão de Estudos, Projectos, Planeamento e Controlo ASSUNTO: LOCAL: Loteamento No Casal da Cruz UNIDADE DE EXECUÇÃO DE ATOUGUIA DA BALEIA Atouguia da

Leia mais

Requalificação do Espaço Público Praça Marechal Humberto Delgado Sete Rios

Requalificação do Espaço Público Praça Marechal Humberto Delgado Sete Rios Requalificação do Espaço Público Praça Marechal Humberto Delgado Sete Rios Reunião de Câmara 23.12.2015 Câmara Municipal de Lisboa Departamento de Espaço Público DMU OBJETIVOS DO PROGRAMA Melhorar a qualidade

Leia mais

PROPOSTA PARA O PARQUE DO ALMONDA

PROPOSTA PARA O PARQUE DO ALMONDA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRES NOVAS PROPOSTA PARA O PARQUE DO ALMONDA JAN. 17 ÍNDICE GERAL Arquitectura Paisagista Peças Escritas 01 Memória Descritiva 1.1. Contexto 1.2. Critérios gerais de Dimensionamentos

Leia mais

Mais Bicicletas, Melhores Cidades A Promoção do Uso da Bicicleta no âmbito do PAMUS A Mobilidade Urbana Sustentável no NORTE 2020

Mais Bicicletas, Melhores Cidades A Promoção do Uso da Bicicleta no âmbito do PAMUS A Mobilidade Urbana Sustentável no NORTE 2020 Mais Bicicletas, Melhores Cidades A Mobilidade Urbana Sustentável no NORTE 2020 O Município da Maia Divisão de Planeamento Territorial e Projetos Câmara Municipal da Maia Mais Bicicletas, Melhores Cidades

Leia mais

Projecto Mobilidade Sustentável Município de Santarém Objectivos e Propostas

Projecto Mobilidade Sustentável Município de Santarém Objectivos e Propostas Objectivos e Propostas Objectivos e Propostas Relatório de Diagnóstico Diagnóstico de problemas, intenções e projectos Relatório de Objectivos e Conceito de Intervenção Definição de objectivos e escalas

Leia mais

Plano de Mobilidade de Praia da Vitória Propostas de Intervenção

Plano de Mobilidade de Praia da Vitória Propostas de Intervenção Plano de Mobilidade Plano de Mobilidade de Praia da de Praia da Vitória Vitória Propostas de Intervenção Propostas de Intervenção 16 11-09 Apresentação Resumo Diagnóstico Propostas de Intervenção Solução

Leia mais

Info MOSCAVIDE. Revitalização Urbana VILA DE facebook.com/municipiodeloures

Info MOSCAVIDE. Revitalização Urbana VILA DE facebook.com/municipiodeloures Info 01 Janeiro 2017 Revitalização Urbana VILA DE MOSCAVIDE revitalizacao_urbana@cm-loures.pt 800 100 107 Chamada gratuita 9:00 18:00 www.cm-loures.pt facebook.com/municipiodeloures Revitalização Urbana

Leia mais

DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS

DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS 1 MEMÓRIA DESCRITIVA 1 GENERALIDADES Refere-se a presente memória descritiva ao estudo da infra-estrutura de drenagem de águas residuais associado à operação urbanística do Plano de Pormenor de Parte da

Leia mais

2.ENQUADRAMENTO NOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DO TERRITÓRIO. 1. Enquadramento Face ao Plano Director Municipal / Plano de Urbanização da Cidade

2.ENQUADRAMENTO NOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DO TERRITÓRIO. 1. Enquadramento Face ao Plano Director Municipal / Plano de Urbanização da Cidade PROPOSTA DE ARRUAMENTO, PARA O LUGAR DA SERRA ALTA DARQUE VIANA DO CASTELO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1.APRESENTAÇÃO DO ESTUDO A área objecto de estudo, situa-se na freguesia de Darque, no lugar

Leia mais

FEIRA ANUAL DE OUTUBRO 2016

FEIRA ANUAL DE OUTUBRO 2016 DE VILA FRANCA DE XIRA DEPARTAMENTO DE OBRAS, VIATURAS E INFRAESTRUTURAS FEIRA ANUAL DE OUTUBRO 2016 Condicionamento de Trânsito Divisão de Obras, Viaturas e Infraestruturas setembro 2016 FEIRA ANUAL DE

Leia mais

PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DE OLVEIRA DE AZEMÉIS. Preâmbulo

PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DE OLVEIRA DE AZEMÉIS. Preâmbulo PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DE OLVEIRA DE AZEMÉIS Preâmbulo A presente proposta de alteração da Postura Municipal de Trânsito, aprovada em Assembleia de Câmara de 15 de Junho

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE REQUALIFICAÇÃO DA RUA GENERAL HUMBERTO DELGADO E TRAVESSA DA ALEGRIA RESENDE PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE REQUALIFICAÇÃO DA RUA GENERAL HUMBERTO DELGADO E TRAVESSA DA ALEGRIA RESENDE PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA REQUALIFICAÇÃO DA RUA GENERAL HUMBERTO DELGADO E TRAVESSA DA ALEGRIA RESENDE MEMÓRIA DESCRITIVA 3 /144 CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA A área de intervenção circunscreve-se a duas ruas, a Rua General Humberto Delgado

Leia mais

REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE. Proposta da Junta de Freguesia do Monte

REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE. Proposta da Junta de Freguesia do Monte REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE 1. Mobilidade Urbana 1.1. Estacionamento na Zona. Proposta da Junta de Freguesia do Monte 1. Criar zonas de estacionamento público de forma a retirar

Leia mais

PROMOVER O INVESTIMENTO E O CRESCIMENTO

PROMOVER O INVESTIMENTO E O CRESCIMENTO PROMOVER O INVESTIMENTO E O CRESCIMENTO António Laranjo Presidente do Conselho de Administração Famalicão 24 de julho de 2017 ÍNDICE 01 PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DAS ÁREAS EMPRESARIAIS 02 REQUALIFICAÇÃO

Leia mais

mobilidade sustentável

mobilidade sustentável GALARDÃO eco XXI Cantanhede, 19 de Setembro de 2014 mobilidade sustentável requalificação urbana/mobilidade/ambiente/trânsito/sustentabilidade Micael Sousa PRINCÍPIOS E OBJECTIVOS PRINCÍPIOS GERAIS Redução

Leia mais

UI3. Requalificação da Praça Velha Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril. Acção 2. Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril

UI3. Requalificação da Praça Velha Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril. Acção 2. Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril UI3 Requalificação da Praça Velha Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril Acção 2. Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril requerente Câmara Municipal do Fundão projecto de arquitectura Março 2010 ÍNDICE GERAL

Leia mais

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO LISTA DE PROJETOS PARA VOTAÇÃO

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO LISTA DE PROJETOS PARA VOTAÇÃO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2012 2013 LISTA DE PROJETOS PARA VOTAÇÃO Na fase 4 do Orçamento Participativo de Vila Franca de Xira (edição 2012 2013) que decorreu nos meses de junho e julho, os cidadãos puderam

Leia mais

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos 1 Funções Gerais 1 111 Administração Geral de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 1 111 2003/20 Reabilitação de Edificios Municipais 0102 07010203 E 01/2003 12/2011 92.00 92.00 295.740,32 15.813,01

Leia mais

O P E R A Ç Ã O D E L O T E A M E N T O D A Z O N A I N D U S T R I A L L O R D E L O - C O D A L

O P E R A Ç Ã O D E L O T E A M E N T O D A Z O N A I N D U S T R I A L L O R D E L O - C O D A L O P E R A Ç Ã O D E L O T E A M E N T O D A Z O N A I N D U S T R I A L L O R D E L O - C O D A L R E G U L A M E N T O C â m a r a M u n i c i p a l d e V a l e d e C a m b r a D i v i s ã o d e P l a

Leia mais

PROJECTO DE EXECUÇÃO EN ARQUITECTURA

PROJECTO DE EXECUÇÃO EN ARQUITECTURA 1. Introdução O presente projecto de execução diz respeito à acção de requalificação, ao nível da arquitectura, do troço final da EN 202, na entrada da Vila de Arcos de Valdevez, compreendido entre a nova

Leia mais

1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente

1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente 1. Existente - Descrição e justificação 1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente O arruamento é caraterizado na rede viária do Plano Diretor

Leia mais

Requerimento Segurança de peões e veículos nas obras em curso no espaço público

Requerimento Segurança de peões e veículos nas obras em curso no espaço público GRUPO MUNICIPAL Requerimento Segurança de peões e veículos nas obras em curso no espaço público No pretérito dia 27 de setembro do corrente ano, foi aprovada por maioria na Assembleia Municipal de Lisboa

Leia mais

TIPOLOGIAS DE ALOJAMENTO ENQUADRÁVEIS NO COMPETIR+

TIPOLOGIAS DE ALOJAMENTO ENQUADRÁVEIS NO COMPETIR+ TIPOLOGIAS DE ALOJAMENTO ENQUADRÁVEIS NO COMPETIR+ 1 EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS São considerados Empreendimentos Turísticos os estabelecimentos que se destinam a prestar serviços de alojamento turístico,

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.6 Arquitetura - Urbanismo Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 2 3.1 Lado Terra...

Leia mais

Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais

Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais ANA MORGADO DE BRITO NEVES Orientador: Mestre José Carlos Ribeiro Ferreira

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA INTRODUÇÃO A presente memória descritiva e justificativa diz respeito aos projetos-tipo

Leia mais

Meia Maratona de Lisboa (Alteração ao Percurso Medido em 12/03/2016)

Meia Maratona de Lisboa (Alteração ao Percurso Medido em 12/03/2016) Ponte 25 Abril Medição efectuada por João Cândido e João Antunes em: 08 / 03 / 2017 PRESSUPOSTOS A remedição da Meia Maratona de Lisboa ficou a dever-se às obras no Cais do Sodré e à transformação dos

Leia mais

BENEFICIAÇÃO E REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA DE KÉNITRA (RN 1)

BENEFICIAÇÃO E REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA DE KÉNITRA (RN 1) ESTUDOS E PROJETOS VIAS DE COMUNICAÇÃO Localização Salé, Marrocos Dono da Obra Agência Urbana Rabat-Salé Custo Estimado 412,5 milhões de EUR Fase Concurso Público Extensão 8000 m (RN 1) Áreas adjacentes

Leia mais

R E Q U A L I F I C A Ç Ã O D O L A R G O D A B R U X A G AFANHA DA E N C A R N A Ç Ã O - Í L H A V O

R E Q U A L I F I C A Ç Ã O D O L A R G O D A B R U X A G AFANHA DA E N C A R N A Ç Ã O - Í L H A V O MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1. Objeto 2. Promotor 3. Descrição da situação existente e Identificação de pontos críticos 4. Descrição da ação, sua necessidade e condições de instalação 5. Zonas de

Leia mais

ANEXO II. Normas para aplicação de pavimentos táteis em espaços públicos

ANEXO II. Normas para aplicação de pavimentos táteis em espaços públicos I Normas Gerais ANEXO II Normas para aplicação de pavimentos táteis em espaços públicos 1 Para efeito das presentes normas entende -se por pavimento tátil os pavimentos que utilizam cumulativamente cor

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 205 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Programa de Ação e Plano de Financiamento Março de 205 INTRODUÇÃO

Leia mais

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO ÍNDICE LEVANTAMENTO DO JARDIM E ESPAÇO ANEXO EXISTENTE PEÇAS DESENHADAS 01.1 e 01.2 - Levantamento de Elementos Construídos

Leia mais

V E R E A Ç Ã O D E P L A N E A M E N T O, O R D E N A M E N T O E U R B A N I S M O D I V I S Ã O D E P L A N E A M E N T O, R E V I T A L I Z A Ç Ã

V E R E A Ç Ã O D E P L A N E A M E N T O, O R D E N A M E N T O E U R B A N I S M O D I V I S Ã O D E P L A N E A M E N T O, R E V I T A L I Z A Ç Ã 1 I PREÂMBULO O regime de coordenação dos âmbitos nacional, regional e municipal do sistema de planeamento territorial, assim como a revisão dos Planos Diretores Municipais, obedecem ao Decreto-Lei n.º

Leia mais

BISCOITOS FREGUESIA EM MOVIMENTO

BISCOITOS FREGUESIA EM MOVIMENTO Localiza-se entre o parque de estacionamento da Piscina e a Fonte das Pombas. Terá a largura de 2,50m, numa extensão ligeiramente superior a 1Km. Com pequenas bolsas para descanso e estacionamento, incluirá

Leia mais

PLANO DE PORMENOR ESPAÇOS RESIDENCIAIS EM SOLO URBANIZÁVEL TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE PORMENOR ESPAÇOS RESIDENCIAIS EM SOLO URBANIZÁVEL TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE PORMENOR ESPAÇOS RESIDENCIAIS EM SOLO URBANIZÁVEL TERMOS DE REFERÊNCIA 1. Introdução 2. Oportunidade da elaboração do Plano 3. Enquadramento do plano nos instrumentos de gestão territorial 4.

Leia mais

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM Janeiro 2010 Fundamentação para a Elaboração do Plano de Pormenor do Conjunto das Azenhas do Boco Termos de Referência Índice 1. Introdução 2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento

Leia mais

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS MUNICÍPIO DE MATOSINHOS Câmara Municipal PLANO DE PORMENOR PARA O TERRENO ENTRE A AV. DOS COMBATENTES DA GRANDE GUERRA E A RUA NOGUEIRA PINTO - LEÇA DA PALMEIRA R E G U L A M E N TO NOGUEIRA PINTO LEÇA

Leia mais

Barlavento Algarvio Fase 1: Caracterização e Diagnóstico

Barlavento Algarvio Fase 1: Caracterização e Diagnóstico Barlavento Algarvio Fase 1: Caracterização e Diagnóstico Enquadramento Territórios distintos em termos de povoamento, demografia, economia e orografia: Municípios de cariz mais rural e com problemas de

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO

PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO REGULAMENTO janeiro de 2012 ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º - Âmbito e regime Artigo 2.º - Área de

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 2015 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Estimativa Orçamental DEMOLIÇÕES 1. Edifícios e estruturas

Leia mais

Plano de Pormenor da Área de Equipamentos da Frente Marítima da Costa Nova

Plano de Pormenor da Área de Equipamentos da Frente Marítima da Costa Nova Plano de Pormenor da Área de Equipamentos da Frente Marítima da Costa Nova MAPA DE RUÍDO (adaptação do Mapa de Ruído do Município de Ílhavo à área de intervenção que delimita o PP) janeiro de 2012 PP da

Leia mais

PAVIMENTOS EXTERIORES

PAVIMENTOS EXTERIORES PAVIMENTOS EXTERIORES PARQ 7 TMCT III A construção de um espaço exterior engloba trabalhos: - em ZONAS PAVIMENTADAS (caminhos, alamedas, muros, rampas, praças, parques infantis, campos de jogos, estacionamentos,

Leia mais

ANEXO 2 Exemplos de boas práticas de acessibilidade

ANEXO 2 Exemplos de boas práticas de acessibilidade ANEXO 2 Exemplos de boas práticas de acessibilidade Lista de verificação Algumas soluções implementadas em praias acessíveis, que poderão inspirar soluções a implementar nas zonas balneares Ponto 1 Chegada

Leia mais

relatório da avaliação das condições de acessibilidade

relatório da avaliação das condições de acessibilidade relatório da avaliação das condições de acessibilidade identificação do cliente nome e descrição da atividade principal (a certificar) outras atividades relevantes /complementares Praia Centro de Santa

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC ALMADA CENTRO

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC ALMADA CENTRO REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC ALMADA CENTRO Secção I Definições e Conceitos Artigo 1º Âmbito de aplicação No termos do Artigo 11º do Regulamento Geral de e Circulação das

Leia mais

PIN Talk in Portugal Improving Urban Road Safety

PIN Talk in Portugal Improving Urban Road Safety PIN Talk in Portugal Improving Urban Road Safety Portuguese Road Safety Strategy Urban Areas Jorge Jacob Lisboa, 14 de março de 2017 Agenda: 1 Portugal na União Europeia 2 Evolução da Sinistralidade Rodoviária

Leia mais

EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA EQUIPAMENTO DE INFORMAÇÃO ATIVADO PELOS VEÍCULOS

EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA EQUIPAMENTO DE INFORMAÇÃO ATIVADO PELOS VEÍCULOS A. Âmbito da Nota Técnica A presente Nota Técnica pretende estabelecer o enquadramento do Equipamento de Segurança: Equipamento de Informação Ativado pelos Veículos. O referido equipamento poderá ser instalado

Leia mais

Projecto Mobilidade Sustentável Auditório Alto dos Moinhos Estação de Metro do Alto dos Moinhos Lisboa

Projecto Mobilidade Sustentável Auditório Alto dos Moinhos Estação de Metro do Alto dos Moinhos Lisboa Projecto Mobilidade Sustentável Auditório Alto dos Moinhos Estação de Metro do Alto dos Moinhos Lisboa 19 de Setembro de 2008 Plano de Mobilidade Sustentável de Faro Vítor Teixeira, Manuela Rosa e Celeste

Leia mais

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso Política de Cidades Polis XXI Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano QREN/ POVT/ Eixo IX Desenvolvimento do Sistema Urbano Nacional 1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em

Leia mais

Memoria Descritiva DPQ ESTUDO PRELIMINAR EQUIPAMENTO EDUCATIVO. DRAFT21 URBANISMO & ARQUITECTURA Lda

Memoria Descritiva DPQ ESTUDO PRELIMINAR EQUIPAMENTO EDUCATIVO. DRAFT21 URBANISMO & ARQUITECTURA Lda DPQ 25-03-2013 PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DE CARCAVELOS-SUL DRAFT21 URBANISMO & ARQUITECTURA Lda Memoria Descritiva ESTUDO PRELIMINAR EQUIPAMENTO EDUCATIVO Índice 1 Introdução

Leia mais

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade Workshop Regional de Disseminação do Universidade do Minho - Braga -10 de Abril de 2012 GUIÃO Orientador da Temática dos Transportes nos Planos Municipais de Ordenamento do Território António Pérez Babo

Leia mais

Auditoria de Segurança Rodoviária e Revisão de Projectos de Estradas

Auditoria de Segurança Rodoviária e Revisão de Projectos de Estradas 4º Congresso Rodoviário Português Auditoria de Segurança Rodoviária e Revisão de Projectos de Estradas Eng. João Lourenço Cardoso Laboratório Nacional de Engenharia Civil Estrutura Oportunidades para melhoria

Leia mais

Meia Maratona de Lisboa

Meia Maratona de Lisboa Ponte 25 Abril Medição efectuada por João Cândido e João Antunes em: 12 / 03 / 2016 PRESSUPOSTOS A remedição da Meia Maratona de Lisboa ficou a dever-se às obras no Cais do Sodré e à alteração do local

Leia mais

Listagem das empreitadas adjudicadas de

Listagem das empreitadas adjudicadas de CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO BRANCO Listagem das empreitadas adjudicadas de 01-01-2016 a 31-12-2016 16 AJ E 173/2015 Construção e conservação de caminhos rurais, agrícolas e florestai: reparação do caminhos

Leia mais

Freguesia de Quinta do Anjo

Freguesia de Quinta do Anjo Freguesia de Quinta do Anjo Escola Básica Bairro Alentejano - reparação da cobertura 5.000 30.000 Plano Urbanização de Cabanas 19.680 3.075 Plano Pormenor da Quinta do Bacelo - Qta do Anjo 17.670 10.423

Leia mais

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2017

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2017 AÇÃO SOCIAL 3.6 Espaço Dar e Receber Antigo Centro de Saúde de Carcavelos Não aprovada 6.2 Remodelação/requalificação do espaço da ARESC São Domingos de Rana Aprovada com 9.1 Multicultural Centre Parque

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 108/09

PROJETO DE LEI Nº 108/09 PROJETO DE LEI Nº 108/09 "Dispõe sobre a criação do sistema cicloviário no Município de Santa Bárbara d Oeste e dá outras providências. Art. 1º - Fica criado o Sistema Cicloviário do Município de Santa

Leia mais

SESSÃO INFORMATIVA DESENVOLVIMENTO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA CIDADE DE AVEIRO (PEDUCA) 10 DE JULHO DE 2017

SESSÃO INFORMATIVA DESENVOLVIMENTO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA CIDADE DE AVEIRO (PEDUCA) 10 DE JULHO DE 2017 SESSÃO INFORMATIVA DESENVOLVIMENTO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA CIDADE DE AVEIRO (PEDUCA) 10 DE JULHO DE 2017 IMPLEMENTAÇÃO DE TRAJECTO PARA BICICLETAS ENTRE A UNIVERSIDADE DE AVEIRO

Leia mais

Data de Entrada: Pedido de Esclarecimento. Reclamação X RESUMO DA PARTICIPAÇÃO: REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE BENAVENTE

Data de Entrada: Pedido de Esclarecimento. Reclamação X RESUMO DA PARTICIPAÇÃO: REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE BENAVENTE REQUERENTE: SAMAKI Exploração Agrícola e Florestal, Lda. Ref.ª da Participação: 6255 ASSUNTO: Alteração de Espaço Florestal de Produção para Solo Urbano. LOCALIZAÇÃO: Herdade do Infantado, Samora Correia

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UGEC COSTA DA CAPARICA - Praias

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UGEC COSTA DA CAPARICA - Praias REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UGEC COSTA DA CAPARICA - Praias Secção I Definições e Conceitos Artigo 1º Âmbito de aplicação No termos do Artigo 11º do Regulamento Geral de e

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Elementos comuns aos procedimentos de controlo prévio (Informação Prévia), nos termos da Portaria n.º 113/2015, de 22/04 1) 2) 3) 4) 5) 6) Certidão da descrição e de todas

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição da Meia Maratona dos Descobrimentos teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas podem utilizar toda a largura da estrada. Durante a competição os atletas

Leia mais

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS PERGUNTAS FREQUENTES Versão 28/06/2016 Com este Documento pretende-se divulgar as respostas às perguntas mais frequentes sobre o Programa BIP/ZIP Lisboa 2016 Parcerias Locais. Trata-se de um documento

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO SOBRE OS CRITÉRIOS NA AVALIAÇÃO DOS PLANOS DIRETORES AEROPORTUÁRIOS

PROJETO DE REGULAMENTO SOBRE OS CRITÉRIOS NA AVALIAÇÃO DOS PLANOS DIRETORES AEROPORTUÁRIOS PROJETO DE REGULAMENTO SOBRE OS CRITÉRIOS NA AVALIAÇÃO DOS PLANOS DIRETORES AEROPORTUÁRIOS REGULAMENTO Nº 01/AED/17 Aprovação PCA / /2017 Página 1 de 8 LISTA DE PÁGINAS EFECTIVAS Páginas Data da Páginas

Leia mais

BALANCETE DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS

BALANCETE DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS Object. Descrição Dotação Pagamento Tx. Ex. 1 EDUCAÇÃO 1.450.930,00 205.541,04 14,17% 1.1 Educação Pré-Escolar 1.1.1 Reparação de Edifícios Escolares 2.900,00 304,92 10,51% 1.1.2 Aquisição Maquinaria e

Leia mais

PEDU. Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Bragança. (aprovado pela Comissão Diretiva Norte2020)

PEDU. Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Bragança. (aprovado pela Comissão Diretiva Norte2020) Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Bragança (aprovado pela Comissão Diretiva Norte2020) Bragança, 14 de Março de 2017 PARU Plano de Ação de Regeneração Urbana PAICD Plano de Ação Integrado

Leia mais

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA SANESTRADAS, S.A. Penedo da Freira Conceição da Abóboda 2785-297 São Domingos de Rana Tel: 214 457 230 / Fax: 214 457 239 www.sanestradas.pt PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DONO DE OBRA SOCIEDADE DE GESTÃO

Leia mais

LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO

LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO ÍNDICE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA pag.1 a 5 constituição predial caracterização da situação existente descrição

Leia mais

EDITAL N.º 262 /2009

EDITAL N.º 262 /2009 DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO EDITAL N.º 262 /2009 INTERRUPÇÕES DE TRÂNSITO AUTOMÓVEL DEVIDO À REALIZAÇÃO DO RALLY VINHO MADEIRA 2009 Faz-se público que, devido à realização do Rally Vinho Madeira 2009, torna-se

Leia mais

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO 19 JANEIRO 2017 ENQUADRAMENTO Reconhecendo a importância social e patrimonial dos bairros residenciais da coroa urbana de Viseu e elegendo como prioridade a qualidade de vida das

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO FORTE DO REVELIM TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE PORMENOR DO FORTE DO REVELIM TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE PORMENOR DO FORTE DO REVELIM TERMOS DE REFERÊNCIA Janeiro 2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ENQUADRAMENTO TERRITORIAL E ÁREA DE INTERVENÇÃO... 3 3. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO... 4 4. OBJETO

Leia mais

no Outras Entidades Cofinanciamento Município de Ribeira de Pena 2º Semestre 1º Semestre

no Outras Entidades Cofinanciamento Município de Ribeira de Pena 2º Semestre 1º Semestre MECANISMO DE FINANCIAMENTO Programa Operacional Regional do Norte ON.2, DESIGNAÇÃO DA OPERAÇÃO NORTE-10-0156-FEDER-000132 - Rede Desportiva de Ribeira de Pena- Requalificação do pavilhão Municipal EIO

Leia mais

BOLETIM MENSAL Nº 44 MARÇO DE LOULÉ Uma Nova Dinâmica para a Mobilidade Sustentável

BOLETIM MENSAL Nº 44 MARÇO DE LOULÉ Uma Nova Dinâmica para a Mobilidade Sustentável BOLETIM MENSAL Nº 44 MARÇO DE 2017 LOULÉ Uma Nova Dinâmica para a Mobilidade Sustentável BOAS PRÁTICAS EM MUNICÍPIOS ECOXXI Um município ECOXXI evidencia um conjunto de políticas, práticas e ações conducentes

Leia mais

Plano de Pormenor Bairro da Liberdade Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar.

Plano de Pormenor Bairro da Liberdade Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar. Plano de Pormenor Bairro da Liberdade Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar Proposta Preliminar e Serafina ENQUADRAMENTO LOCAL E REGIONAL IC 19 IC 17 RADIAL DE

Leia mais

2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas

2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas 2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas Fazemos leitura espacial quase todo o tempo! Seja quando estamos parados ou quando nos movimentamos. Nosso olho observa e analisa tudo que vemos

Leia mais

SEMINÁRIO INDUSTRIA EXTRATIVA: ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E LICENCIAMENTO E PEDREIRAS

SEMINÁRIO INDUSTRIA EXTRATIVA: ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E LICENCIAMENTO E PEDREIRAS SEMINÁRIO INDUSTRIA EXTRATIVA: ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E LICENCIAMENTO E PEDREIRAS 1 CONTEXTO 326 ha 55 parcelas 26% brita 91% calçada 98% rustico 5 unid. lavra 4 unid. compl. Parque Tecnológico e Ambiental

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO mobiliário urbano. esplanada aberta

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO mobiliário urbano. esplanada aberta CRITÉRIOS DE ISENÇÃO mobiliário urbano. esplanada aberta 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Deve ser implantada na área contígua à fachada do estabelecimento

Leia mais

REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4

REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4 FAMALICÃO CICLÁVEL UMA REDE, UMA COMUNIDADE REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4 Porquê criar corredores dedicados para bicicletas? para INCENTIVAR BICI COMO MEIO DE

Leia mais

Rock n Roll Meia Maratona Santander Totta

Rock n Roll Meia Maratona Santander Totta Praça do Comércio Medição efectuada por João Cândido e João Antunes em: 16 / 07 / 2017 PRESSUPOSTOS A Medição da Maratona de Lisboa teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os atletas

Leia mais

LISBOA OCIDENTAL, SRU SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA, EEM PONTO DE SITUAÇÃO

LISBOA OCIDENTAL, SRU SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA, EEM PONTO DE SITUAÇÃO LISBOA OCIDENTAL, SRU SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA, EEM PONTO DE SITUAÇÃO Lisboa, 30 de Janeiro de 2012 A Lisboa Ocidental é uma Sociedade de Reabilitação Urbana, criada pelo Município de Lisboa com

Leia mais

recomenda aos governos a integração de planos de atividades físicas nas políticas de transportes e

recomenda aos governos a integração de planos de atividades físicas nas políticas de transportes e A Organização Mundial da Saúde (OMS) defende o uso da bicicleta como uma das medidas para melhorar a saúde pública mundial e recomenda aos governos a integração de planos de atividades físicas nas políticas

Leia mais

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PEÇAS ESCRITAS: ÍNDICE 6.1 - INTRODUÇÃO... 1 6.2.1 BARREIRAS ACÚSTICAS... 2 6.2-1.1 LOCALIZAÇÃO... 2 6.2-1.2 CARACTERÍSTICAS ACÚSTICAS... 2 6.2-2.1.1 BARREIRA B1- BARREIRA REFLECTORA... 2 6.2-1.3 CONDIÇÕES

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Workshop Regional U.M. BRAGA 10 ABRIL 2012 SUMÁRIO Compromissos Estudos e avaliação Intervenções Financiamento e Cooperação Institucional Desafios para Municípios COMPROMISSOS A

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA DO ESTEIRO DA MEDELA - COUTADA MEMÓRIA DESCRITIVA

REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA DO ESTEIRO DA MEDELA - COUTADA MEMÓRIA DESCRITIVA MEMÓRIA DESCRITIVA 1 1 GENERALIDADES Refere-se a presente memória descritiva ao projecto de execução da Requalificação da Estrada do Esteiro da Medela a construir na povoação da Coutada, no troço compreendido

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA. A presente memória descritiva refere-se a um loteamento a implementar em São Teotónio.

MEMÓRIA DESCRITIVA. A presente memória descritiva refere-se a um loteamento a implementar em São Teotónio. MEMÓRIA DESCRITIVA Descrição e justificação da solução proposta A presente memória descritiva refere-se a um loteamento a implementar em São Teotónio. A pretensão incide sobre um terreno propriedade do

Leia mais

Termo de Responsabilidade do Projecto de Arquitectura

Termo de Responsabilidade do Projecto de Arquitectura Termo de Responsabilidade do Projecto de Arquitectura Termo de Responsabilidade da Autora do Projecto de Arquitectura Susana Maria Pinto Martins, funcionária da câmara municipal de Vinhais, com sede na

Leia mais

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte I Seminário Nacional de Política Urbana e Ambiental Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Brasília abril 2016 Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte Tiago Esteves Gonçalves da Costa ESTRUTURA

Leia mais

Resultados dos inquéritos à população das cidades de Bragança, Chaves e Viana do Castelo:

Resultados dos inquéritos à população das cidades de Bragança, Chaves e Viana do Castelo: Resultados dos inquéritos à população das cidades de Bragança, Chaves e Viana do Castelo: Classificação dos inquiridos por sexo e nível de escolaridade - Bragança 12 1 8 6 4 F M 2 Ensino Básico Ensino

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA VERDE

MUNICÍPIO DE VILA VERDE Documentos de Identificação Designação do ficheiro: REQ_DOC_V2.PDF Documentos comprovativos da qualidade de titular de qualquer direito que lhe confira a faculdade de realização da operação ou da atribuição

Leia mais

Os artigos abaixo indicados, salvo indicação contrária, referem-se à proposta de regulamento do PDM em discussão pública.

Os artigos abaixo indicados, salvo indicação contrária, referem-se à proposta de regulamento do PDM em discussão pública. REVISÃO DO PDM DE GUIMARÃES CONTRIBUTO DA AVE ASSOCIAÇÃO VIMARANENSE PARA A ECOLOGIA A AVE Associação Vimaranense para a Ecologia analisou alguns dos aspetos com incidência ambiental da revisão do Plano

Leia mais

PROJETO DE ARQUITETURA II EX_4_Ourém

PROJETO DE ARQUITETURA II EX_4_Ourém Desenvolvimento do projecto da Biblioteca Hub de conhecimento da cidade de Ourém para o contexto territorial de articulação entre as Ruas Teófilo Braga/Santa Teresa de Ourém e Dr. Francisco Sá Carneiro.

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Desportiva

Curso de Especialização em Gestão Desportiva Curso de Especialização em Gestão Desportiva Equipamentos e instalações desportivas Módulo 2 Calendário Dia 29 Mai Dia 4 Jun Dia 5 Jun 14-16h 16-18h 18-20h Normativas referentes às características das

Leia mais

Recomendações sobre Acessibilidade em Instalações Portuárias

Recomendações sobre Acessibilidade em Instalações Portuárias Recomendações sobre Acessibilidade em Instalações Portuárias Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ GTT Náutico, 12 de novembro de 2014 Marco Legal de Acessibilidade Lei 10.048 Lei 10.098 Decreto

Leia mais

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO MARCAÇÕES RODOVIÁRIAS NA GAFANHA DA NAZARÉ - 2016 MEMORIA DESCRITIVA DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente ÍNDICE Memória Descritiva Introdução Projeto Caraterização DOIA Divisão de Obras, Investimentos

Leia mais

POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DA FREGUESIA DE APÚLIA

POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DA FREGUESIA DE APÚLIA POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DA FREGUESIA DE APÚLIA Preâmbulo O trânsito de veículos é hoje tema de grande acuidade. O aumento do parque automóvel veio impor a adequação das vias e espaços públicos a

Leia mais

ANEXO IV. Parâmetros de dimensionamento de Espaços Verdes, Infra-estruturas e Equipamentos de Utilização Colectiva

ANEXO IV. Parâmetros de dimensionamento de Espaços Verdes, Infra-estruturas e Equipamentos de Utilização Colectiva ANEXO IV Parâmetros de dimensionamento de Espaços Verdes, Infra-estruturas e Equipamentos de Utilização Colectiva 1 - Infra-estruturas viárias 1.1 - Arruamento 1.1.1 - O perfil tipo inclui a faixa de rodagem

Leia mais