Manual do sistema SMARam. Módulo Patrimônio - Básico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual do sistema SMARam. Módulo Patrimônio - Básico"

Transcrição

1 Manual do sistema SMARam Módulo Patrimônio - Básico

2 LISTA DE FIGURAS Figura 1-Acesso ao Cadastro de Fatores de Influência... 4 Figura 2- Cadastro de Fatores de Influência... 4 Figura 3-Acesso ao Cadastro de Pontuação de Fatores de Influência... 5 Figura 4- Cadastro de Pontuação de Fatores de Influência... 6 Figura 5- Acesso ao Cadastro de Classes Patrimoniais... 8 Figura 6- Cadastro de Classes Patrimoniais... 8 Figura 7-Tela de Consulta de Classes Patrimoniais... 9 Figura 8- Acesso ao Cadastro de Tipo de Movimento Contábil... 9 Figura 9- Cadastro de Tipo de Movimento Contábil Figura 10- Acesso ao Cadastro de Grupos X Classes X Tipo Movimento Figura 11- Cadastro de Grupos X Classes X Tipo Movimento Figura 12- Acesso ao Cadastro Classificação de Inservibilidade Figura 13- Cadastro Classificação de Inservibilidade Figura 14-Acesso ao Cadastro de Tipos de Baixa Patrimonial Figura 15- Cadastro de Tipos de Baixa Patrimonial Figura 16-Acesso ao Cadastro de Tipos de Baixa X Classe X Grupo X Tipo Bem Figura 17-Cadastro de Tipos de Baixa X Classe X Grupo X Tipo Bem... 15

3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 3 2. OBJETIVO 3 3. FATORES DE INFLUÊNCIA DE REAVALIAÇÃO PATRIMONIAL 4 4. PONTUAÇÃO DE FATORES DE REAVALIAÇÃO PATRIMONIAL 5 5. CLASSES PATRIMONIAIS Bens de uso comum Bens de uso especial Bens dominicais Bens intangíveis 7 6. TIPO MOVIMENTO CONTÁBIL PATRIMONIAL 9 7. GRUPOS X CLASSES X TIPO MOVIMENTO CLASSIFICAÇÃO DE INSERVIBILIDADE DE BENS TIPOS DE BAIXA PATRIMONIAL TIPOS DE BAIXA X GRUPOS X CLASSES X TIPO BEM 14

4 1. INTRODUÇÃO De acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade (NBC) T 16.02, entendese Patrimônio Público como: Patrimônio Público é o conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração econômica por entidades do setor público e suas obrigações. A contabilidade pública brasileira passa por um momento de renovação estrutural efetiva e de indispensáveis atualizações daí decorrentes. Uma das grandes modificações ocorridas na Contabilidade Aplicada ao Setor Público é a forma de evidenciação do Balanço Patrimonial. Este será apresentado de acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBCASP). Dessa forma, visando atender as novas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público NBCASP foram criadas novas definições no Módulo de Patrimônio. 2. OBJETIVO O objetivo deste manual é demonstrar as novas definições e implementações realizadas no Módulo Básico do Patrimônio. 3

5 3. FATORES DE INFLUÊNCIA DE REAVALIAÇÃO PATRIMONIAL Foi criado o cadastro de Fatores de influência para avaliação de valores de bens patrimoniais. O Cadastro estará disponível apenas para consulta. Os Fatores de influência são: EC - Estado de Conservação do Bem PUB - Período de Utilização do Bem PVU - Período de Vida Útil do Bem O Acesso ao Cadastro de Fatores de Influência pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Fatores de Influência. Figura 1-Acesso ao Cadastro de Fatores de Influência Será apresentada a janela do Cadastro de fatores de Influência. Figura 2- Cadastro de Fatores de Influência 4

6 4. PONTUAÇÃO DE FATORES DE REAVALIAÇÃO PATRIMONIAL Foi criado o cadastro de Pontuação de Fatores de Influência. Esse cadastro definirá os valores dos Fatores de Influência para avaliação dos bens patrimoniais. O Cadastro estará disponível apenas para consulta. Os possíveis valores de acordo com o Fator de Influência são: Estado de Conservação Período de Vida Útil do Bem Período de Utilização do Bem EC PVU PUB Excelente 35 anos 35 anos Bom 34 anos 34 anos Regular Péssimo 3 anos 3 anos 2 anos 2 anos 1 ano 1 ano Tabela 1 Fatores de Influência para Reavaliação O Acesso ao Cadastro de Pontuação de Fatores de Influência pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Pontuação de Fatores. Figura 3-Acesso ao Cadastro de Pontuação de Fatores de Influência 5

7 Será apresentada a janela do Cadastro de Pontuação de Fatores de Influência. Figura 4- Cadastro de Pontuação de Fatores de Influência 5. CLASSES PATRIMONIAIS Não será mais permitida a inclusão de Classes Patrimoniais. As classes patrimoniais obedecerão ao desmembramento dos Grupos dispostos no PCASP. Toda e qualquer inclusão deverá receber análise de impacto para possíveis movimentações e variações que poderá sofrer de acordo com o ciclo de vida do bem. Para uma melhor identificação para registro da contabilização de lançamentos, as Classes Patrimoniais foram padronizadas de acordo com o Grupo de Bens disposto no PCASP: Bens Móveis Bens de Uso Especial Bens Dominicais Bens de Uso Comum 6

8 Outros Bens Imóveis Bens Intangíveis Bens de Consumo 5.1. Bens de uso comum Bens de uso comum do povo (ou bens de domínio público) correspondem a todos os bens destinados ao uso da comunidade, quer individual ou coletivamente, sejam constituídos natural ou artificialmente Bens de uso especial Bens de uso especial (ou do patrimônio administrativo) são os destinados à execução dos serviços públicos, como os edifícios ou terrenos utilizados pelas repartições ou estabelecimentos públicos, bem como os móveis e materiais indispensáveis a seu funcionamento. Tais bens têm uma finalidade pública permanente, razão pela qual são denominados bens patrimoniais indispensáveis Bens dominicais Os bens dominiais (ou do patrimônio disponível) são os que integram o domínio público com características diferentes, pois podem ser utilizados em qualquer fim, ou mesmo alienados se a administração julgar conveniente Bens intangíveis Bens Intangíveis são aqueles bens que não podem ser tocados ou vistos, porque são incorpóreos (não tem corpo), ou seja, ativo intangível poderia ser definido, em termos práticos, como aquele que possui valor econômico, mas carece de substância física. 7

9 O Acesso ao Cadastro de Classes Patrimoniais pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Classes Patrimoniais. Figura 5- Acesso ao Cadastro de Classes Patrimoniais Será apresentada a janela do Cadastro de Classes Patrimoniais. Figura 6- Cadastro de Classes Patrimoniais Pesquisa. Para efetuar a Consulta de uma Classe patrimonial deve-se clicar no botão de Será exibida a tela de Pesquisa de Classes Patrimoniais. 8

10 Figura 7-Tela de Consulta de Classes Patrimoniais 6. TIPO MOVIMENTO CONTÁBIL PATRIMONIAL Foi criado o cadastro de Tipo de Movimento Contábil Patrimonial. O Cadastro estará disponível apenas para consulta. Os movimentos contábeis influenciarão a movimentação financeira do bem ao decorrer do seu ciclo de vida. O Acesso ao Cadastro de Pontuação de Tipo de Movimento Contábil Patrimonial pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Tipo de Movimento Contábil. Figura 8- Acesso ao Cadastro de Tipo de Movimento Contábil 9

11 Será apresentada a janela do Cadastro de Tipo de Movimento Contábil. Figura 9- Cadastro de Tipo de Movimento Contábil 7. GRUPOS X CLASSES X TIPO MOVIMENTO Foi criado o cadastro para fazer a relação entre Grupos, Classes e Tipo de Movimento Contábil a fim de permitir efetuar somente os lançamentos correspondentes a determinado Grupo e/ou Classe Patrimonial. Por exemplo, a Baixa por Morte, somente estará associada à Classe de Bens Semoventes do Grupo de Bens Móveis. O Acesso ao Cadastro de Grupos X Classes X Tipo de Movimento pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Grupos X Classes X Tipo Movimento. Figura 10- Acesso ao Cadastro de Grupos X Classes X Tipo Movimento 10

12 Será apresentada a janela do Cadastro de Grupos X Classes X Tipo Movimento. Figura 11- Cadastro de Grupos X Classes X Tipo Movimento 8. CLASSIFICAÇÃO DE INSERVIBILIDADE DE BENS Foi criado o Cadastro da Classificação de Inservibilidade bens. O Cadastro estará disponível apenas para consulta. Esse cadastro será utilizado para classificar os bens inservíveis durante o processo da Declaração de Inservibilidade, e terá os seguintes valores: Irrecuperável, Ocioso, Recuperável e Antieconômico. O Acesso ao Cadastro da Classificação de Inservibilidade pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Classificação de Inservibilidade de bens. Figura 12- Acesso ao Cadastro Classificação de Inservibilidade 11

13 Será apresentada a janela do Cadastro de Classificação de Inservibilidade. Figura 13- Cadastro Classificação de Inservibilidade 9. TIPOS DE BAIXA PATRIMONIAL Foi Criado um cadastro para os Tipos de baixa Patrimonial. Consultando legislação, foi realizada a padronização dos tipos de baixas, também bloqueando seu cadastramento devido ao tipo de contabilização e controle de suas variações. Os Tipos de Baixa serão: Inutilização/Abandono; Extravio/Perda; Alienação por Venda; Alienação por Permuta; Alienação por Doação; Contaminação; Morte ou Sacrifício de Semoventes; Furto/Roubo; Lançamento Indevido. 12

14 O Acesso ao Cadastro de Tipo de Baixa Patrimonial pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Tipos de Baixa Patrimonial. Figura 14-Acesso ao Cadastro de Tipos de Baixa Patrimonial Será apresentada a janela do Cadastro de Tipos de Baixa Patrimonial. Figura 15- Cadastro de Tipos de Baixa Patrimonial 13

15 10. TIPOS DE BAIXA X GRUPOS X CLASSES X TIPO BEM Nem toda Baixa pode ser realizada para qualquer Tipo de Bem e para evitar problemas, foi desenvolvido uma relação para definir quais Tipos de Baixa os Grupos de Bens, Classes e Tipo de Bem podem sofrer. Exemplos: O Tipo de Baixa Morte ou Sacrifício de Semoventes somente pode ser aplicado à Classe Semovente que pertence ao Grupo de Bens Móveis e ao Tipo de Bem Móvel; O Tipo de Baixa Contaminação somente pode ser aplicado as Classes Represa/Açudes e Reservas. O Acesso ao Cadastro de Tipo de Baixa X Grupos X Classes X Tipo de Bem pode ser efetuado através do caminho: Patrimônio > Básico > Tipo de Baixa X Grupos X Classes X Tipo Bem. Figura 16-Acesso ao Cadastro de Tipos de Baixa X Classe X Grupo X Tipo Bem Tipo Bem. Será apresentada a janela do Cadastro de Tipos de Baixa X Classe X Grupo X 14

16 Figura 17-Cadastro de Tipos de Baixa X Classe X Grupo X Tipo Bem 15

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MÓDULO DE QUESTÕES DE CONTABILIDADE

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PARAÍSO DO NORTE ESTADO DO PARANÁ Av. Tapejara, 88 CEP 87.780-000 Fone: (44) 3431 1132 CNPJ 75.476.556/0001-58 www.paraisodonorte.pr.gov.br DECRETO Nº 58/2012 SÚMULA: Dispõe

Leia mais

Manual de Ativo Imobilizado

Manual de Ativo Imobilizado Manual de Ativo Imobilizado Este manual foi cuidadosamente elaborado pela ELPIS INFORMÁTICA, com a intenção de garantir ao usuário, todas as orientações necessárias para que possa usufruir ao máximo de

Leia mais

Palestra. Contabilidade Pública (Módulo I): Controle do Patrimônio Público e Lançamentos Contábeis Típicos. Roberto de Oliveira Júnior.

Palestra. Contabilidade Pública (Módulo I): Controle do Patrimônio Público e Lançamentos Contábeis Típicos. Roberto de Oliveira Júnior. Palestra Contabilidade Pública (Módulo I): Controle do Patrimônio Público e Lançamentos Contábeis Típicos A reprodução total ou parcial, bem como a reprodução de apostilas a partir desta obra intelectual,

Leia mais

ISS-Recife Analista de Controle Interno

ISS-Recife Analista de Controle Interno ISS-Recife Pessoal, vou comentar as questões da prova. 71. O princípio contábil que pode representar garantia de inexistência de valores fictícios do ativo e de interesse de grupos de pessoas, em consonância

Leia mais

Manual do Sistema SMARam. Módulo Cadastro de Bens Móveis

Manual do Sistema SMARam. Módulo Cadastro de Bens Móveis Manual do Sistema SMARam Módulo Cadastro de Bens Móveis LISTA DE FIGURAS Figura 1-Acesso ao Cadastro de Bens Móveis... 4 Figura 2- Cadastro de Bens Móveis... 4 Figura 3- Cadastro de Bens Móveis Guia Patrimônio...

Leia mais

Ramo da ciência contábil que aplica, no. prestação de contas; e o necessário suporte para a instrumentalização do

Ramo da ciência contábil que aplica, no. prestação de contas; e o necessário suporte para a instrumentalização do NBC TSP 16.1 - Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação - CASP CONCEITO OBJETIVO ABRANGÊNCIA ENTIDADES DO OBJETO SETOR PÚBLICO Ramo da ciência contábil que aplica, no processo Fornecer gerador informações

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO AO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBCASP ATENDIMENTO A PORTARIA 828/11

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO AO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO NBCASP ATENDIMENTO A PORTARIA 828/11 ITEM DESCRIÇÃO PRODUTO Área Responsável Início (mês/ano) Término (mês/ano) I 1.1 1.2 RECONHECIMENTO, MENSURAÇÃO E EVIDENCIAÇÃO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS OU NÃO, POR COMPETÊNCIA, E A DIVIDA ATIVA, INCLUINDO

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011

Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011 1 Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos direitos, das 2012 2013 2014 obrigações e provisões por competência. Elaboração de procedimentos para Metodologia de reconhecimento e mensuração dos direitos

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PATRIMÔNIO

ESTUDO SOBRE O PATRIMÔNIO AULA 10: ESTUDO SOBRE O PATRIMÔNIO Disciplina: Contabilidade introdutória Professor: Thaiseany de Freitas Rêgo Mossoró-RN 2017 1 CONCEITO DE PATRIMÔNIO Conjunto de bens pertencentes a uma pessoa ou a uma

Leia mais

Contabilidade Orçamentária e Patrimonial

Contabilidade Orçamentária e Patrimonial Contabilidade Orçamentária e Patrimonial EVOLUÇÃO LEGAL 4320/64 LRF NBCT S ENFOQUES DA CONTABILIDADE EFEITOS NO PATRIMÔNIO IMPACTO NO FLUXO DE CAIXA RECEITAS E DESPESAS (BASE MODIFICADA) Contabilidade

Leia mais

Unidade I CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA. Prof. Carlos Barretto

Unidade I CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA. Prof. Carlos Barretto Unidade I CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA Prof. Carlos Barretto Objetivo Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: enfatizar a consciência

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Contabilidade Pública Capítulo 2 Receita Pública... 41

Sumário. Capítulo 1 Contabilidade Pública Capítulo 2 Receita Pública... 41 Sumário Capítulo 1 Contabilidade Pública... 1 1.1. Introdução...1 1.2. Conceito...2 1.3. Princípios de Contabilidade x Estrutura Conceitual...3 1.4. Natureza do Registro dos Atos e Fatos na Contabilidade

Leia mais

Fechamento de Balanço Patrimônio

Fechamento de Balanço Patrimônio Fechamento de Balanço Patrimônio O presente manual visa, o esclarecimento e auxílio na prestação de contas dos municípios, nos sistemas de Almoxarifados e Patrimônio da E&L Produções de Software, com base

Leia mais

Contabilidade Patrimonial no Setor Público

Contabilidade Patrimonial no Setor Público Contabilidade Patrimonial no Setor Público Instrutor: WESMEY SILVA Maio de 2016 1 Conteúdo Programático 1. CONCEITOS INICIAIS 1.1.Patrimônio Público 1.2.Despesa: Enfoque Orçamentário X Enfoque Patrimonial

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I CONTABILIDADE

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Unidade I CONTABILIDADE Objetivos Conhecer o papel da contabilidade. Conhecer aspectos legais da contabilidade. Conhecer aspectos técnicos de contabilidade. Conhecer as mudanças recentes

Leia mais

INÍCIO DE GESTÃO (2017/2020) nos Município Mineiros até 20 mil habitantes encontraram o INVENTÁRIO ANALÍTICO de bens de forma confiável e dentro nas

INÍCIO DE GESTÃO (2017/2020) nos Município Mineiros até 20 mil habitantes encontraram o INVENTÁRIO ANALÍTICO de bens de forma confiável e dentro nas INÍCIO DE GESTÃO (2017/2020) nos Município Mineiros até 20 mil habitantes encontraram o INVENTÁRIO ANALÍTICO de bens de forma confiável e dentro nas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ ESTADO DO PARANÁ Notas Explicativas Das Demonstrações Contábeis Exercício financeiro de 2016 As Demonstrações Contábeis do Município de Arapuã foram elaboradas de acordo

Leia mais

PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção. Contadora Michele Patricia Roncalio

PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção. Contadora Michele Patricia Roncalio PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção Contadora Michele Patricia Roncalio Orientações Estratégicas para a Contabilidade Aplicada ao Setor Público no Brasil Desenvolvimento

Leia mais

PORTARIA Nº 007/2012

PORTARIA Nº 007/2012 PORTARIA Nº 007/2012 Determina ao Poder Legislativo Municipal de Alto Garças a adoção obrigatória do Plano de Contas, das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público e dos Procedimentos Contábeis

Leia mais

Questões de CASP para ANAC IGEPP 2016 Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli. Tópico 4

Questões de CASP para ANAC IGEPP 2016 Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli. Tópico 4 Tópico 4 1. (ESAF/CVM/2001/Analista/Adaptada) Para a Contabilidade Pública, variação patrimonial decorre de alteração de valor de qualquer elemento integrante do patrimônio público. Dito isso, não se pode

Leia mais

Acompanhamento da Contabilidade e Tesouraria. Edilmar Oliveira Carlos Antonio Hulle Alves Naiara Cristina

Acompanhamento da Contabilidade e Tesouraria. Edilmar Oliveira Carlos Antonio Hulle Alves Naiara Cristina Acompanhamento da Contabilidade e Tesouraria Edilmar Oliveira Carlos Antonio Hulle Alves Naiara Cristina Classificação da Receita Art. 11 - A receita classificar-se-á nas seguintes categorias econômicas:

Leia mais

Autora: Brenda Mendes De Sousa Ricarte Co-autoras: Jeanne Marguerite Molina Moreira Allyne Marie Molina Moreira

Autora: Brenda Mendes De Sousa Ricarte Co-autoras: Jeanne Marguerite Molina Moreira Allyne Marie Molina Moreira RECONHECIMENTO E EVIDENCIAÇÃO DO ATIVO IMOBILIZADO CONFORME AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO MUDANÇAS INTRODUZIDAS PELA PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA NO BALANÇO PATRIMONIAL

Leia mais

RECURSO PARA GABARITO PRELIMINAR

RECURSO PARA GABARITO PRELIMINAR RECURSO PARA GABARITO PRELIMINAR Olá amigos estudantes! Espero que todos tenham efetuado uma excelente prova. Identifiquei questões passíveis de alteração de gabarito para os três cargos que ministrei

Leia mais

Consultoria e Assessoria Pública Ltda

Consultoria e Assessoria Pública Ltda Consultoria e Assessoria Pública Ltda Ofício n.º xxxxxxxx Araçatuba, xx de março de 2012. A Sua Excelência o Senhor Nome do destinatário Cargo do destinatário Assunto: Cronograma de das NBCASP (Portaria

Leia mais

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão 1. Direito Constitucional 1.1. A Constituição Federal de 1988 1.1.1. Dos Princípios Fundamentais 1.1.2. Dos Direitos e Garantias Fundamentais

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

Conta Classificação Registra Natureza do saldo caixa ativo circulante dinheiro e cheques no estabelecimento da devedora

Conta Classificação Registra Natureza do saldo caixa ativo circulante dinheiro e cheques no estabelecimento da devedora 1 Conta Classificação Registra Natureza do saldo caixa dinheiro e cheques no estabelecimento da bancos conta saldos das contas bancárias que a movimento movimenta clientes valores a receber dos clientes

Leia mais

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira Contabilidade é a ciência que estuda, registra, controla e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades com fins lucrativos ou não. Objetivos

Leia mais

Manual do Sistema SMARam. Módulo Cadastro de Materiais

Manual do Sistema SMARam. Módulo Cadastro de Materiais Manual do Sistema SMARam Módulo Cadastro de Materiais LISTA DE FIGURAS Figura 1-Cadastro do Material - Classificação... 4 Figura 2-Consulta de Classificação de Materiais... 4 Figura 3-Cadastro do Material

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO BENS PÚBLICOS

DIREITO ADMINISTRATIVO BENS PÚBLICOS DIREITO ADMINISTRATIVO BENS PÚBLICOS Atualizado em 16/10/2015 BENS PÚBLICOS São públicos os bens do domínio nacional pertencentes às pessoas jurídicas de direito público interno; todos os outros são particulares,

Leia mais

CONTABILIDADE. O OBJETO da Contabilidade é o patrimônio das entidades. Patrimônio administrável e em constante alteração.

CONTABILIDADE. O OBJETO da Contabilidade é o patrimônio das entidades. Patrimônio administrável e em constante alteração. 1 CONTABILIDADE 1.1 CONCEITO É a ciência que tem como objetivo observar, registrar e informar os fatos econômico-financeiros acontecidos dentro de um patrimônio pertencente a uma entidade; mediante a aplicação

Leia mais

SMARAM MANUAL DE CÁLCULO PATRIMONIAL

SMARAM MANUAL DE CÁLCULO PATRIMONIAL SMARAM MANUAL DE CÁLCULO PATRIMONIAL ÍNDICE DE FIGURAS Figura 1 Acesso ao cálculo do móvel e veículo. 8 Figura 2 Acesso ao cálculo do acervo. 8 Figura 3 Acesso ao cálculo do intangível. 8 Figura 4 Acesso

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ Pacote I Área Nº Disciplinas Horas / Aula 03 Procedimentos Contábeis Orçamentários I PCO I Procedimentos Contábeis Orçamentários II PCO II 05 Procedimentos Contábeis Patrimoniais I PCP I Fundamentos 06

Leia mais

Exemplos de rateio Conforme percentual definido na Contabilidade

Exemplos de rateio Conforme percentual definido na Contabilidade Exemplos de rateio Conforme percentual definido na Contabilidade Os dados a seguir foram elaborados para demonstrar exemplos de configurações a serem realizadas na integração entre os módulos Folha e Contabilidade

Leia mais

Bens Públicos. RAD Profa. Dra. Emanuele Seicenti de Brito

Bens Públicos. RAD Profa. Dra. Emanuele Seicenti de Brito Bens Públicos Conceito Classificação Atributos Requisitos para alienação dos bens públicos Afetação e desafetação Uso privativo de bens públicos por particulares mediante autorização, permissão e concessão

Leia mais

AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO A Experiência do Estado de Santa Catarina. Michele Patricia Roncalio GENOC/DCOG/SEF-SC

AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO A Experiência do Estado de Santa Catarina. Michele Patricia Roncalio GENOC/DCOG/SEF-SC AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO Michele Patricia Roncalio GENOC/DCOG/SEF-SC IMOBILIZADO Bens Móveis e Imóveis INTANGÍVEL Softwares ATIVOS DE INFRAESTRUTURA Rodovias IMOBILIZADO Bens Móveis

Leia mais

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 4

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 4 Exercício Nº 4 1 Exercício Nº 4 Lançamentos (legislação atual) Contas do Balanço Patrimonial Caixa Contas a Pagar Capital 10.000 16.800 (2) 30.000 32.000 (1) 22.000 30.000 15.200 32.000 Terrenos Imp. Renda

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ESPERANÇA DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA E PLANEJAMENTO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ESPERANÇA DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA E PLANEJAMENTO ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN Nº 828, DE 14/DEZEMBRO/2011 Poder Executivo Municipal de Nova Esperança do Sul - RS ASSUNTO: Adequação dos procedimentos

Leia mais

DECRETO Nº 3.379/2015

DECRETO Nº 3.379/2015 Publicado no Jornal "O Presente" em 24/06/2015, Edição nº 4114, Página nº 29 DECRETO Nº 3.379/2015 SÚMULA: Dispõe sobre a obrigatoriedade de realizar os procedimentos para reavaliação, redução ao valor

Leia mais

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Aula 01

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Aula 01 PRÁTICAS CONTÁBEIS Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Aula 01 Estática Patrimonial: o Balanço, Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido A contabilidade deve tratar a pessoa

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL GRUPO E SUBGRUPOS

BALANÇO PATRIMONIAL GRUPO E SUBGRUPOS U N I V E R S I D A D E E S T A D U A L D E G O I Á S (Criada pela Lei n.º 13.456 de 16 de abril de 1999, publicada no DOE - GO de 20 de abril de 1999) UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS

Leia mais

DIREITO CIVIL I. Dos Bens 3/3/2010

DIREITO CIVIL I. Dos Bens 3/3/2010 DIREITO CIVIL I Dos Bens Prof. Vilmar A Silva Bens: são valores materiais e imateriais que podem ser objeto de uma relação de direito. é tudo o que satisfaz uma necessidade humana. (Gonçalves) Corpóreos,

Leia mais

Manual do sistema SMARam. Módulo Reavaliação Financeira

Manual do sistema SMARam. Módulo Reavaliação Financeira Manual do sistema SMARam Módulo Reavaliação Financeira LISTA DE FIGURAS Figura 1. Acesso à Reavaliação Financeira... 6 Figura 2. Tela Inicial da Reavaliação Financeira... 7 Figura 3. Tipo de Patrimônio...

Leia mais

Pede-se: Efetuar os lançamentos no livro diário e no livro razão, encerrando as contas de resultado.

Pede-se: Efetuar os lançamentos no livro diário e no livro razão, encerrando as contas de resultado. CONTABILIDADE BÁSICA I 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS UNIDADE IV VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1) A seguir estão mencionadas as transações da Empresa Petrópolis Ltda., organizada em 1º de dezembro de 2015: 01

Leia mais

CPC 28. Propriedade para Investimento. Balanço Patrimonial - Grupos. Definição de PI. Investimentos Participações Permanentes em outras sociedades

CPC 28. Propriedade para Investimento. Balanço Patrimonial - Grupos. Definição de PI. Investimentos Participações Permanentes em outras sociedades CPC 28 Propriedade para Investimento PAULA NARDI Balanço Patrimonial - Grupos Ativo Circulante ATIVO Ativo Não Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Investimento Propriedade para Investimento Imobilizado

Leia mais

Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial. A Mudança de Paradigmas

Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial. A Mudança de Paradigmas Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial A Mudança de Paradigmas A EVOLUÇÃO DA GESTÃO PATRIMONIAL NO BRASIL BRASIL IMPÉRIO - O ESTADO PATRIMONIALISTA Os governantes consideravam o Estado como seu patrimônio,

Leia mais

Manual de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)

Manual de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Manual de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Este manual foi cuidadosamente elaborado pela ELPIS INFORMÁTICA, com a intenção de garantir ao usuário, todas as orientações necessárias para que

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE E ANÁLISE CONTÁBIL

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE E ANÁLISE CONTÁBIL MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE E ANÁLISE CONTÁBIL ORIENTAÇÃO CONTÁBIL Nº 4/2015 Assunto: Interessados: Registros patrimoniais

Leia mais

DESTINAÇÃO DOS LUCROS

DESTINAÇÃO DOS LUCROS FEA / USP Departamento de Contabilidade e Atuária EAC-106 Contabilidade Introdutória DESTINAÇÃO DOS LUCROS Prof. Fernando Dal-Ri Murcia 1 Patrimônio Líquido Ativos Passivos = Patrimônio Líquido Patrimônio

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL

DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL (cap 4) Prof. Renê Coppe Pimentel Material e conteúdo padronizados elaborados por professores da FEA/USP 1 SITUAÇÃO ECONÔMICA Lucro - todo lucro obtido pela empresa pertence

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS BALANÇO GERAL DE 2016

NOTAS EXPLICATIVAS BALANÇO GERAL DE 2016 NOTAS EXPLICATIVAS BALANÇO GERAL DE 2016 CONTEXTO ORGANIZACIONAL Com a divulgação da Portaria MF 184, de 25 de agosto de 2008, estabelecendo novas diretrizes para os procedimentos, práticas, elaboração

Leia mais

Controle de Financiamentos. Sumário

Controle de Financiamentos. Sumário Fernanda Klein Both 02/04/2013 008.011.0035 B13 1/8 Controle de Financiamentos Sumário 1. Objetivo... 2 2. Cadastros... 2 2.1. Instituições Financeiras... 2 2.2. Conta Corrente... 2 2.3. Linhas de Crédito...

Leia mais

Conceito É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira

Conceito É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Balanço Patrimonial Conceito É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente,

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena www.editoraferreira.com.br 2. 2.1 Conceito O Patrimônio, sendo o objeto da Contabilidade, define-se como o conjunto formado pelos

Leia mais

Diário Oficial do. Prefeitura Municipal de Xique Xique. quarta-feira, 6 de janeiro de 2016 Ano IV - Edição nº Caderno 1

Diário Oficial do. Prefeitura Municipal de Xique Xique. quarta-feira, 6 de janeiro de 2016 Ano IV - Edição nº Caderno 1 Diário Oficial do Município quarta-feira, 6 de janeiro de 2016 Ano IV - Edição nº 00492 Caderno 1 Prefeitura Municipal de Xique Xique publica quarta-feira, 6 de janeiro de 2016 Ano IV - Edição nº 00492

Leia mais

Única (PU), Mensal (PM) Periódico(PP) Valores das contribuições. Provisões para desembolsos futuros

Única (PU), Mensal (PM) Periódico(PP) Valores das contribuições. Provisões para desembolsos futuros FEA- USP-EAC Curso de Graduação em Ciências Contábeis Disciplina: EAC0551 - Contabilidade e Análise de Balanços de Instituições Previdenciárias TEMA 02.01. Contabilidade Capitalização Valores das contribuições

Leia mais

Manual Ativo Fixo. Copyright Todos os direitos reservados. Control Informática. Manual Ativo Fixo

Manual Ativo Fixo. Copyright Todos os direitos reservados. Control Informática. Manual Ativo Fixo Copyright 2013. Todos os direitos reservados. Control Informática. Índice 1-Introdução 1.1-O que é um Ativo? 1.2-O que é Depreciação? 2-Cadastros 2.1-Cadastro de um Grupo 2.2-Cadastro de um Bem 3 3 3 4

Leia mais

A mais um CURSO realizado pela

A mais um CURSO realizado pela A mais um CURSO realizado pela Aqui tem qualificação de Verdade! CONTROLE INTERNO Patrimônio Público no âmbito Municipal Nilton Cordoni Junior PERÍODO 09h00 X 12h00 Dias 09 e 10/03 de 2016: Das 09h às

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL MANUAL DO USUÁRIO ABRIL DE 2012 Sistema de Gestão Patrimonial 2 Í N D I C E Í N D I C E... 2 Apresentação... 5 Capítulo I Instalação, Atualização e Execução... 6 1. Instalação...

Leia mais

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo Balanço Patrimonial conteúdo - características aplicação de recursos - Ativo origem de recursos - Passivo estrutura geral estrutura do Ativo estrutura do Passivo Características Principal demonstrativo

Leia mais

Lei n /07. Alterações na Lei das S.A. - Aspectos tributários

Lei n /07. Alterações na Lei das S.A. - Aspectos tributários CORPORATE TAX Lei n 11.638/07 Alterações na Lei das S.A. - Aspectos tributários TAX A informação contida nesta apresentação é de natureza geral e não contempla circunstâncias de uma pessoa ou empresa em

Leia mais

Como configurar integração com separador e rateio Conforme percentual definido na Contabilidade?

Como configurar integração com separador e rateio Conforme percentual definido na Contabilidade? Como configurar integração com separador e rateio Conforme percentual definido na Contabilidade? Os dados a seguir foram elaborados para explicar as configurações a serem realizadas na integração entre

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS DE BENS IMOBILIZADOS

TRANSFERÊNCIAS DE BENS IMOBILIZADOS TRANSFERÊNCIAS DE BENS IMOBILIZADOS Está disponível no Módulo Patrimônio do SIAGRI Agribusiness a transferência de bens imobilizados. Esta nova funcionalidade realiza a transferência de bens entre as empresas,

Leia mais

F R E G U E S I A DE T O R R Ã O REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E CADASTRO DO PATRIMÓNIO

F R E G U E S I A DE T O R R Ã O REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E CADASTRO DO PATRIMÓNIO F R E G U E S I A DE T O R R Ã O REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E CADASTRO DO PATRIMÓNIO Preâmbulo Para cumprimento do disposto na alínea e) do n.º 1 do artigo 16º da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, e tendo

Leia mais

Título: Configuração para realizar integração Folha x Contabilidade

Título: Configuração para realizar integração Folha x Contabilidade Título: Configuração para realizar integração Folha x Contabilidade 1- PARÂMETROS: acesse o menu CONTROLE e clique em PARÂMETROS; 1.1- Na guia CONTABILIDADE, subguia GERAL: 1.1.1- Selecione a opção [x]

Leia mais

UNIDADE GESTORA (2353/SERVIÇO AUTONÔMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE TIMBÓ)

UNIDADE GESTORA (2353/SERVIÇO AUTONÔMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE TIMBÓ) NOTAS EXPLICATIVAS DO COMPARATIVO DA DESPESA AUTORIZADA COM A REALIZADA ANEXO 11 Neste demonstrativo gerado pelo e-sfinge Web, não fora considerado no campo dos Créditos Orçamentários e Suplementares o

Leia mais

Simulado de questões Cespe Múltipla Escolha

Simulado de questões Cespe Múltipla Escolha Simulado de questões Cespe Múltipla Escolha Prova 1 (Cespe/Auditor/TCE-PR/2016) 1. Com relação aos balanços públicos, que representam a situação econômico-financeira dos entes públicos e entre os quais

Leia mais

Propriedades para Investimento CPC 28/ IAS 40

Propriedades para Investimento CPC 28/ IAS 40 Propriedades para Investimento CPC 28/ IAS 40 EAC 0481 Contabilidade Intermediária II 1 Propriedades para Investimento O que é e como deve ser avaliada? 2 Propriedades para Investimento É a propriedade

Leia mais

Como configurar integração com separador Centro de custo e rateio conforme cálculo da folha?

Como configurar integração com separador Centro de custo e rateio conforme cálculo da folha? Como configurar integração com separador Centro de custo e rateio conforme cálculo da folha? Os dados a seguir foram elaborados para explicar as configurações a serem realizadas na integração entre os

Leia mais

Manual de Plano de Contas do LALUR

Manual de Plano de Contas do LALUR Manual de Plano de Contas do LALUR Este manual foi cuidadosamente elaborado pela ELPIS INFORMÁTICA, com a intenção de garantir ao usuário, todas as orientações necessárias para que possa usufruir ao máximo

Leia mais

CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP.

CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP. XV Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul - 2015 CONTROLE INTERNO DE ACORDO COM AS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBCASP. Palestrante: Prof. Milton Mendes Botelho

Leia mais

PROCEDIMENTO CRÉDITOS A RECEBER DE TRIBUTOS A RECUPERAR OU COMPENSAR RESPONSABILIDADE Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União.

PROCEDIMENTO CRÉDITOS A RECEBER DE TRIBUTOS A RECUPERAR OU COMPENSAR RESPONSABILIDADE Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. PROCEDIMENTO CRÉDITOS A RECEBER DE TRIBUTOS A RECUPERAR OU COMPENSAR 1 REFERÊNCIAS 1.1 - RESPONSABILIDADE Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. 1.2 - COMPETÊNCIA - Portaria/STN N. 833,

Leia mais

Manual. para Realização de Consultas no SIP

Manual. para Realização de Consultas no SIP Manual para Realização de Consultas no SIP 2 Para acessar ao Sistema Integrado de Patrimônio (SIP), faça seu login no SPA normalmente, clique no Menu Módulo do Sistema para expandi-lo e clique em Patrimônio

Leia mais

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior Teoria da Contabilidade Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 O QUE VEREMOS A SEGUIR: Balanço Patrimonial; NBC T 3-2; Demonstração do Resultado do Exercício (DRE); NBC T 3-3; Demonstração das Mutações

Leia mais

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS EDITAL SISTEMATIZADO APRESENTAÇÃO... 21

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS EDITAL SISTEMATIZADO APRESENTAÇÃO... 21 Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 13 EDITAL SISTEMATIZADO... 15 APRESENTAÇÃO... 21 CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 23 1. Noções de contabilidade...23 1.1. Conceitos,

Leia mais

Sumário. 1. Atos e fatos administrativos Fatos permutativos ou compensativos Fatos modificativos Fatos mistos...

Sumário. 1. Atos e fatos administrativos Fatos permutativos ou compensativos Fatos modificativos Fatos mistos... Sumário Capítulo 1 Conceito de contabilidade e patrimônio... 15 1. CONCEITO... 15 2. TÉCNICAS CONTÁBEIS... 15 2.1. Escrituração... 16 2.2. Demonstrações contábeis... 16 2.3. Análise de balanços... 16 2.4.

Leia mais

Inventário UFSC a 30 de outubro

Inventário UFSC a 30 de outubro Inventário UFSC 2015 5 a 30 de outubro OBRIGAÇÃO LEGAL Destinado a comprovar a quantidade e o valor dos bens patrimoniais do acervo de cada unidade gestora, existente em 31 de dezembro de cada exercício

Leia mais

Comentários: Questão legal e muito difícil! Com certeza, uma das questões mais difíceis da prova.

Comentários: Questão legal e muito difícil! Com certeza, uma das questões mais difíceis da prova. (Questão 68) Considere hipoteticamente que os lançamentos a seguir são referentes a uma operação entre entidades pertencentes a Orçamento Fiscal e da Seguridade Social (OFSS) distintos. Entidade 1 D 3.X.X.X.4.XX.XX

Leia mais

EXECÍCIOS Módulo B. Patrimônio

EXECÍCIOS Módulo B. Patrimônio EXECÍCIOS Módulo B Patrimônio EXERCÍCIO 1 Classifique os elementos em: A - Bens, direitos ou obrigação B positivo ou negativo C Ativo ou Passivo Fonte: Ribeiro1999 elementos A B C Computador Estante Duplicatas

Leia mais

Sumário. Manual_Completo_Contab_Pub_00.indd 23 21/08/ :54:07

Sumário. Manual_Completo_Contab_Pub_00.indd 23 21/08/ :54:07 Sumário Capítulo 1 Contabilidade Pública... 1 1.1. Introdução...1 1.2. Conceito...2 1.3. Princípios de Contabilidade...3 1.4. Natureza do Registro dos Atos e Fatos na Contabilidade Pública...7 1.5. Objetivo...9

Leia mais

Conceito de Contabilidade

Conceito de Contabilidade Contabilidade PARTE 1 G Parte 1 Conceitos Conceito de Contabilidade A Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio, objetivando representá-lo graficamente, evidenciar suas variações, estabelecer

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

TCU - Aula 03 C. Geral III

TCU - Aula 03 C. Geral III Sumário 1 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão 051 Critérios de avaliação de ativos... 2 2 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão 052 Critérios de Avaliação de Ativos... 2 3 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão

Leia mais

ATIVO PASSIVO AULA 1 - DEFINIÇÃO DE CONTABILIDADE COMPARAÇÃO ENTRE O ATIVO (A) E O PASSIVO (P)

ATIVO PASSIVO AULA 1 - DEFINIÇÃO DE CONTABILIDADE COMPARAÇÃO ENTRE O ATIVO (A) E O PASSIVO (P) AULA 1 - DEFINIÇÃO DE CONTABILIDADE É A CIÊNCIA SOCIAL QUE ESTUDA O PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES E SUAS VARIAÇÕES AO LONGO DO TEMPO ENTIDADE: TODA A PESSOA JURÍDICA QUE POSSUI UM PATRIMÔNIO. PODE SER UMA EMPRESA,

Leia mais

Título: Como apropriar o ICMS do crédito imobilizado realizando a integração contábil entre curto e longo prazo Até o término do exercício seguinte?

Título: Como apropriar o ICMS do crédito imobilizado realizando a integração contábil entre curto e longo prazo Até o término do exercício seguinte? Título: Como apropriar o ICMS do crédito imobilizado realizando a integração contábil entre curto e longo prazo Até o término do exercício seguinte? Através desta opção, você poderá realizar os lançamentos

Leia mais

Cordilheira Sistema Contábil 2.85a Conciliação Contábil

Cordilheira Sistema Contábil 2.85a Conciliação Contábil LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Como configurar integração sem separador e rateio Conforme cálculo da folha?

Como configurar integração sem separador e rateio Conforme cálculo da folha? Como configurar integração sem separador e rateio Conforme cálculo da folha? Os dados a seguir foram elaborados para explicar as configurações a serem realizadas na integração entre os módulos Folha e

Leia mais

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO A ciência contábil no País vem passando por significativas transformações rumo à convergência aos padrões internacionais. No setor

Leia mais

A IMPORTANCIA DO PLANO DE CONTAS PARA AS ENTIDADES PÚBLICAS

A IMPORTANCIA DO PLANO DE CONTAS PARA AS ENTIDADES PÚBLICAS A IMPORTANCIA DO PLANO DE CONTAS PARA AS ENTIDADES PÚBLICAS O Plano de Contas utilizado pelas entidades públicas é denominado PCASP. Ele traz todas as contas para que a Contabilidade do órgão público possa

Leia mais

BEM-VINDO a mais um Curso

BEM-VINDO a mais um Curso BEM-VINDO a mais um Curso ENFOQUE PATRIMONIAL I É sabido que muitos municípios não tem o controle patrimonial dos bens públicos, muitas das vezes não sabendo dizer nem mesmo em que local ou setor da administração

Leia mais

Novo RDE-IED. Orientações para homologação do sistema

Novo RDE-IED. Orientações para homologação do sistema Novo RDE-IED Orientações para homologação do sistema I - Principais mudanças de regras 1. A responsabilidade pelo registro volta a ser exclusivamente da receptora. 2. A identificação da receptora passa

Leia mais

Site ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN N 828, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

Site  ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN N 828, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. Site www.amaralina.go.gov.br/ E-mail prefamaralina@cultura.com.br ADEQUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ADOTADOS E A ADOTAR EM FACE DA PORTARIA STN N 828, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. ASSUNTO: Adequação

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA 250 QUESTÕES COMENTADAS

CONTABILIDADE PÚBLICA 250 QUESTÕES COMENTADAS 00 CONTABILIDADE PÚBLICA 250 QUESTÕES COMENTADAS PROF. Paulo Fogaça www.supremaciaconcursos.com.br 1 Sumário Apresentação do Professor... 3 Apresentação do Curso... 4 CASP - Contabilidade Pública Aplicada

Leia mais

BALANÇO DO ANO DE 2014

BALANÇO DO ANO DE 2014 BALANÇO DO ANO DE 214 ACTIVO--------------------------------------------1.739.223 Activo não corrente ------------------------------ 1.447.599 Activos fixos tangíveis Activos fixos tangíveis é o termo

Leia mais

Tópico 3. Classificação econômica da Receita. Conceitos e estágios da receita.

Tópico 3. Classificação econômica da Receita. Conceitos e estágios da receita. Tópico 3. Classificação econômica da Receita. Conceitos e estágios da receita. 1. (CGU/2008/Área geral) Sobre os conceitos e classificações relacionados com Receita Pública, assinale a opção correta. a)

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais