Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq"

Transcrição

1 Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq

2 ABIMAQ Associação Brasileira da Indústria de Máquinas CSMIA Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas 360 empresas empregos R$ 11 bilhões faturamento anual Exporta 15% do faturamento

3 2 Definição de Telemetria Telemetria é um sistema tecnológico de monitoramento, utilizado para comandar, medir ou rastrear alguma coisa a distância, através de comunicação sem fio (sinais de rádio,wifi, telefonia ou satélite). 300 informações a cada 5 segundos dados em 24 horas de trabalho 7

4 3 Sistemas Disponíveis no Mercado Telemetria Sistemas Disponíveis

5 Monitoramento (online) Nome do cliente Nome do operador Modelo e ano da máquina Velocidade Rotação do motor Temperatura do motor Horímetro Consumo de diesel Dose programada Dose instantânea aplicada Volume parcial aplicado Volume total aplicado Área parcial tratada Área total tratada Tempo de pulverização Pressão de trabalho Umidade do ar Temperatura ambiente Alarmes (ocorrências) Informações Disponíveis Mapas (histórico) Mapa de horário de trabalho Mapa de eventos e paradas Mapa de volume aplicado Mapa de sobreposição Mapa de velocidade de trabalho Relatórios de trabalho Mapa de umidade Mapa de temperatura Mapa de velocidade do vento Mapa de consumo de combustível Mapa de temperatura do motor Mapa de rotação do motor

6 Custo de Produção - Resumo CONAB Março 2016 AGRICULTURA EMPRESARIAL - SOJA - PLANTIO DIRETO OGM - - ALTA TECNOLOGIA SAFRA DE VERÃO /17 - Rio Verde - GO Custo Total por ha = R$ 2338,13 (operacional + financeiro) Fertilizantes 23.93% Agroquímicos - 20,75% Sementes 11,83% 10

7 OtmisNet Sistema de Gerenciamento de Informações Agrícolas Todas as informações geradas pelo sistema pertencem somente aos clientes. O fabricante pode ter acesso às informações, para fins de melhoria dos equipamentos, se os clientes permitirem. As informações que serão apresentadas foram autorizadas para este uso pelo proprietário, Sr. Sidney Fujivara, a quem agradecemos. 11

8 Mapa de Eventos e Paradas Mapa de Paradas

9 Mapa de Faixa de Horário Mapa de Horário Controle a jornada de trabalho do operador e o horário de pulverização, conferindo se o trabalho está sendo realizado dentro do horário planejado.

10 Mapa de Sobreposição Mapa de Sobreposição Acompanhe a qualidade de aplicação e estime as perdas através do mapa de sobreposição 3,2%

11 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão hectares Bordadura no Talhão

12 Mapas de Sobreposição 5 Telemetria em Pulverização 5 Telemetria em Pulverização Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão hectares 1ª Passada

13 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão hectares 1ª Passada Sobreposição na Bordadura Sobreposição na Bordadura

14 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão hectares 2ª Passada

15 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão 01 2ª Passada

16 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão 01 3ª Passada

17 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão 01 3ª Passada

18 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Análise da Operação de Pulverização Tipo de Operação, Sistema de Controle, Topografia, Correção Talhão 01 Sobreposição na Bordadura Sobreposição Entre Passadas Sobreposição na Bordadura

19 Mapas de Sobreposição

20 Mapas de Sobreposição

21 Mapas de Sobreposição

22 Mapas de Sobreposição

23 Mapas de Sobreposição 4,3 % de sobreposição

24 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição 20,00% 18,00% Variação do Percentual de Sobreposição Comparação Entre Sistemas de Pulverização 18,0% 16,00% 14,00% 12,00% Amostra com 36 clientes Amostra com 12 clientes 10,7% 14,0% 10,00% 8,00% 9,1% 8,0% 10,0% 6,00% 4,00% 4,9% 5,3% Estimativa com base de campo 2,00% 2,4% 0,00% Bico a Bico Com Corte de Seção Controle Manual

25 Mapas de Sobreposição 5 Telemetria em Pulverização Mapas de Sobreposição 15%12%

26 Mapas de Sobreposição 5 Telemetria em Pulverização Mapas de Sobreposição 15%

27 Mapas de Sobreposição 4%

28 Mapas de Sobreposição

29 Fechamento manual das seções

30 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Exemplos de Mapas de Sobreposição Sistema Otmis Maps Telemetria

31 5 Telemetria Mapas em de Pulverização Sobreposição Exemplos de Mapas de Sobreposição Sistema Otmis Maps Telemetria 15%

32

33 Mapa de Velocidade Identifique variações de velocidade durante a pulverização que podem influenciar na qualidade da aplicação.

34 Mapa de Volume Aplicado Mapa de Volume Aplicado Confira a qualidade de aplicação da pulverização, comparando o volume planejado com o volume realizado em litros por hectare.

35 Mapa de Volume Aplicado Confira a qualidade de aplicação da pulverização, comparando o volume planejado com o volume realizado em litros por hectare.

36 Mapa de Volume Aplicado

37 Mapa de Volume Aplicado

38 Mapa de Volume Aplicado

39 Mapa de Velocidade

40 Mapa de Consumo de Combustível Mapa de Consumo de Combustível

41 Mapa de Rotação do Motor Mapa de Rotação do Motor

42 Mapa de Temperatura do Motor Mapa de Temperatura do Motor

43 Mapa de Temperatura Ambiente

44 Mapa de Umidade Relativa

45 Relatórios Verifique o trabalho de cada operador e também o rendimento de cada máquina

46 Versão para Celular Notificações via mobile Visualize através do celular o resumo diário das operações e receba alertas de desvios e ocorrências durante a operação

47 Envio de Boletim Semanal aos Produtores comparando com a média do Estado

48 4 Benefícios da Telemetria em Maquinas Agrícolas Conhecer o funcionamento e localização de todas as máquinas; Estabelecer limites geográficos; Conhecer o rendimento operacional dos equipamentos; Ajustar os equipamentos às necessidades do trabalho; Conhecer e registrar as condições climáticas durante a operação; Certificar-se se a aplicação foi realizada seguindo as recomendações agronômicas; Calcular o desperdício com agroquímicos devido à sobreposição; Descobrir se houveram e onde ocorreram falhas na aplicação de agroquímicos; Analisar os locais e motivos de paradas das máquinas; Receber alertas de saúde da máquina; Aumentar o tempo de disponibilidade dos equipamentos no campo; Possibilidade de efetuar diagnóstico remoto dos sistemas e atualização remota de softwares; Reparos mais rápidos e baratos do equipamento; Manter todos os registros da operação para necessidades futuras; Melhorar a eficiência da operação, aumentando a produtividade e reduzindo custos.

49 Ciclo da Qualidade em Pulverização Promover Melhorias Revisar processos Calibrar equipamentos Revisar máquinas Treinar pessoas Refazer o ciclo Implantar Melhorias 1. Planejar a Pulverização Plano Operacional Área de Trabalho Velocidade Volume Aplicado Paradas Planejadas Horário de Trabalho Analisar os Mapas Área de Trabalho Velocidade Volume Aplicado Paradas Planejadas Horário de Trabalho 3. Analisar 3. Analisar Resultados nos Resultados nos Mapas Mapas 2. Acompanhar a Pulverização Acompanhar a Operação em Tempo Real com Otmis Maps Telemetria

50 ACESSE O AMBIENTE DE TREINAMENTO E CONHEÇA MAIS: treinamento.otmisnet.com.br senha: otmisnet

SMART ASSET CONTROL SOLUTION OTIMIZANDO A UTILIZAÇÃO DE ATIVOS MÓVEIS PARA MELHORES RESULTADOS

SMART ASSET CONTROL SOLUTION OTIMIZANDO A UTILIZAÇÃO DE ATIVOS MÓVEIS PARA MELHORES RESULTADOS BROCHURE VENTURES SMART ASSET CONTROL SOLUTION OTIMIZANDO A UTILIZAÇÃO DE ATIVOS MÓVEIS PARA MELHORES RESULTADOS O DESAFIO DO CONTROLE DE EQUIPAMENTOS MÓVEIS Com o desafio econômico atual e a alta concorrência,

Leia mais

CONFIABILIDADE TURBOMAQUINAS

CONFIABILIDADE TURBOMAQUINAS Pg. 1 CONFIABILIDADE TURBOMAQUINAS MANUTENÇÃO CENTRADA NA CONFIABILIDADE 2016 Pg. 2 Conceito Confiabilidade: é a probabilidade do equipamento desempenhar sua função, dentro de condições de operação especificadas,

Leia mais

4 O Modelo Termodinâmico da Turbina a Gás

4 O Modelo Termodinâmico da Turbina a Gás 4 O Modelo Termodinâmico da Turbina a Gás 4.1. Introdução Com o intuito de realizar o diagnóstico de falhas em turbinas a gás, são necessários muitos dados para a análise de falha dos componentes. O diagnóstico

Leia mais

Manual de Usuário Versão 3.0

Manual de Usuário Versão 3.0 Manual de Usuário Versão 3.0 Objetivo Este Manual de Usuário é destinado a todos os usuários do website VisionLink que necessitam monitorar localização, horímetro e condições vitais do equipamento: Clientes

Leia mais

Stara e SAP levam o conceito de IoT para o agronegócio

Stara e SAP levam o conceito de IoT para o agronegócio Stara e SAP levam o conceito de IoT para o agronegócio A Stara é uma das maiores fabricantes brasileiras de máquinas agrícolas, hoje presente em cinco continentes. A companhia, que já equipava seus tratores

Leia mais

UNIPORT 3000 NPK. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

UNIPORT 3000 NPK. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

CATÁLOGO DE TREINAMENTO AO CLIENTE PLM NEW HOLLAND. SEMPRE COM VOCÊ

CATÁLOGO DE TREINAMENTO AO CLIENTE PLM NEW HOLLAND. SEMPRE COM VOCÊ CATÁLOGO DE TREINAMENTO AO CLIENTE PLM NEW HOLLAND. SEMPRE COM VOCÊ BEM-VINDO AO MUNDO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO PLM NEW HOLLAND. Nas páginas seguintes, você vai encontrar uma ofer ta abrangente de cursos

Leia mais

PRIMA SUPER e CERES SUPER. Grandes semeadoras para culturas de inverno

PRIMA SUPER e CERES SUPER. Grandes semeadoras para culturas de inverno PRIMA SUPER e CERES SUPER Grandes semeadoras para culturas de inverno Catálogo Português Abr/2016 PRIMA SUPER A Prima Super é uma semeadora para culturas de inverno. Sua principal característica é a uniformidade

Leia mais

UNIPORT STAR

UNIPORT STAR Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - E-mail: vendas@jacto.com.br www. jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA Uso de rede social na assistência técnica rural.. Dezembro 2015 1 1. Contextualização

Leia mais

Para sua frota, desempenho e economia

Para sua frota, desempenho e economia DESENPENHO E ECONOMIA PARA SEUS VEÍCULOS Tecnologia em sistemas inovadores Para sua frota, desempenho e economia Para você, tranquilidade NOSSOS SERVIÇOS Tecnologia em sistemas inovadores Softwares Suporte

Leia mais

Comunicado Técnico 09

Comunicado Técnico 09 Comunicado Técnico 09 ISSN 2177-854X Maio. 2011 Uberaba - MG Regulagem de Pulverizadores Agrícolas de Barras Responsável: Paulo Roberto Pala Martinelli E-mail: prpmartinelli@yahoo.com.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

Nível de conhecimento dos operadores em relação aos indicadores de painel de máquinas florestais

Nível de conhecimento dos operadores em relação aos indicadores de painel de máquinas florestais Nível de conhecimento dos operadores em relação aos indicadores de painel de máquinas florestais Eduardo da Silva Lopes 1 ; Jailson Crovador 2 ; Emanuel de Andrade 2 ; Paulo Candido da Silva 2 ; Maicon

Leia mais

Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas

Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas Desenvolvimento Técnico Sotreq e Cat Treinamentos 2016 Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas

Leia mais

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL Definição da Problemática Necessidade de produzir mais alimentos X Restrição para ampliar a área plantada Como Resolver o Impasse? Investimento em pesquisa

Leia mais

Tipos de Indicadores. Conceito. O que medir... 25/08/2016

Tipos de Indicadores. Conceito. O que medir... 25/08/2016 Tipos de Indicadores 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho ; OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

GESTÃO REMOTA DE VEÍCULOS, ATIVIDADES E OPERAÇÕES AGRÍCOLAS

GESTÃO REMOTA DE VEÍCULOS, ATIVIDADES E OPERAÇÕES AGRÍCOLAS AGRICULTURA GESTÃO REMOTA DE VEÍCULOS, ATIVIDADES E OPERAÇÕES AGRÍCOLAS Eng. Agr. Franz Arthur Pavlu Ribeirão Preto Setembro/2010 Introdução O principal foco de todas as nossas iniciativas é em como tornar

Leia mais

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis Biodiesel no Brasil Ricardo Borges Gomide Departamento de Combustíveis Renováveis São Paulo, 18.11.2011 Papel do Biodiesel 2 Biodiesel como mais um Energético na Matriz 3 Concorre com outros produtos e

Leia mais

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas INTRODUÇÃO É a aplicação uniforme de um defensivo agrícola na forma líquida, utilizando a energia

Leia mais

ENSAIO DE RUÍDO E CONSUMO DE COMBUSTÍVEL DE UM TRATOR AGRÍCOLA

ENSAIO DE RUÍDO E CONSUMO DE COMBUSTÍVEL DE UM TRATOR AGRÍCOLA ENSAIO DE RUÍDO E CONSUMO DE COMBUSTÍVEL DE UM TRATOR AGRÍCOLA Vitória Siegner BACHMANN, Jaine POSSAMAI, Ricardo Kozoroski VEIGA, Fabrício Campos MASIERO. Introdução O surgimento de máquinas agrícolas

Leia mais

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Mercado de defensivos Agrícolas 2014 - Brasil - O mercado brasileiro comercializou o valor total de US$12,25 bilhões em defensivos agrícolas. Fonte:

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Mini Escavadeira

Plano de curso Tecnologia em Mini Escavadeira PLANO DE CURSO MSOBRFDMEE08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Mini Escavadeira Justificativa do curso As minis escavadeiras fazem parte da família de equipamentos compactos dos fabricantes, são reconhecidas

Leia mais

PLANTADEIRA EASY RISER 2200

PLANTADEIRA EASY RISER 2200 PLANTADEIRA EASY RISER 2200 A Case IH desenvolveu para o mercado brasileiro uma nova família de plantadeiras, a Easy Riser 2200. Seguindo o conceito mundial Agronomic Design, da Case IH, a nova plantadeira

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

Tabela 4.1 Distribuição dos indicadores por tipo Tipo de Indicador No. de indicadores. Indicadores de Evento 93. Indicadores de Tendência 37

Tabela 4.1 Distribuição dos indicadores por tipo Tipo de Indicador No. de indicadores. Indicadores de Evento 93. Indicadores de Tendência 37 4 Estudo de Casos A metodologia proposta no capítulo 3 foi aplicada em casos reais coletados de equipamentos Caterpillar da Sotreq. As falhas aqui estudadas são referentes a dois componentes do caminhão:

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO PLANO DE CONTIGÊNCIA PARA OPERAÇÃO DO COD

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO PLANO DE CONTIGÊNCIA PARA OPERAÇÃO DO COD 1/6 1. Objetivo O objetivo desta orientação técnica é estabelecer planos de contingência a serem aplicados nos casos de alteração das condições normais de operação do COD, seja por motivo de concentração

Leia mais

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica 10º Congresso Brasileiro de Algodão Foz do Iguaçu - PR, Setembro/2015 OBJETIVOS Discutir

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto

Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto Informações Foi fundada em 1948; Todas as unidades produtivas

Leia mais

Um mundo Tyco de soluções

Um mundo Tyco de soluções Um mundo Tyco de soluções VENDAS VENDAS Safer. Smarter. Tyco. // Quem somos Tyco Integrated Security lidera o mercado de performance de loja, prevenção de perdas, soluções de segurança e gerenciamento

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Manipulador Telescópico

Plano de curso Tecnologia em Manipulador Telescópico PLANO DE CURSO MSOBRFDMTE08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Manipulador Telescópico Justificativa do Curso Em vários segmentos da indústria o manipulador telescópico desempenha um papel muito importante,

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 1 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 CONSÓRCIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA: COMPREENDENDO OS RISCOS DO ESTRESSE HÍDRICO NA

Leia mais

CONCEITOS DE EFICIÊNCIA GLOBAL

CONCEITOS DE EFICIÊNCIA GLOBAL ROBUSTECIMENTO DA GESTÃO DA PRODUÇÃO DE PLACAS ATRAVÉS DA IMPLANTAÇÃO DO INDICADOR DE DESEMPENHO OEE Por: Jadir Dadalto ArcelorMittal Brasil Riberto Barros Araújo Primvs Inter Pares, Aluizio Francisco

Leia mais

SofitView! Uma nova forma de fazer gestão da sua frota

SofitView! Uma nova forma de fazer gestão da sua frota SofitView! Uma nova forma de fazer gestão da sua frota ALGUNS DESAFIOS NÃO MUDAM... DESAFIOS INTERNOS Aumento da disponibilidade da frota Redução dos custos da frota Controle dos custos por KM rodado Decisões

Leia mais

Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA

Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA 1 A modernização da agricultura mundial O crescimento na demanda mundial de alimentos trouxe um novo desafio para a agricultura. A necessidade de evoluir na produtividade

Leia mais

W EBFLEET Com apenas alguns cliques você pode analisar um veículo ou sua frota inteira

W EBFLEET Com apenas alguns cliques você pode analisar um veículo ou sua frota inteira Pointer Brasil Alameda Araguaia nº 1142 - Alphaville - Barueri - SP W EBFLEET Com apenas alguns cliques você pode analisar um veículo ou sua frota inteira O Webfleet cobre os aspectos mais importantes

Leia mais

Buscando uma melhor qualidade de pellet na fábrica de rações. João Costa Neto Guilherme Alves Costa

Buscando uma melhor qualidade de pellet na fábrica de rações. João Costa Neto Guilherme Alves Costa Buscando uma melhor qualidade de pellet na fábrica de rações João Costa Neto Guilherme Alves Costa Fórmulas PDI DGM e DPG Umidade Matrizes QUALIDADE DE PELLET Processo Gordura Condicionamento Vapor Temperatura

Leia mais

27/11/2015. Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação. Tecnologia de aplicação x ambiente. Ulisses Rocha Antuniassi

27/11/2015. Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação. Tecnologia de aplicação x ambiente. Ulisses Rocha Antuniassi Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação Ulisses Rocha Antuniassi FCA/UNESP - Botucatu/SP ulisses@fca.unesp.br Apresentação UNESP: FCA: DEnR: NTA: NEMPA: Universidade Estadual Paulista Faculdade

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 06 Abril, 2015 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA Qual a expectativa para o setor sucroenergético em 2015? Essa é a pergunta do ano.

Leia mais

ARBUS 2000 TP. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) www. jacto.com.br

ARBUS 2000 TP. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) www. jacto.com.br Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - www. jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. Imagens

Leia mais

GENOVA MONITORAMENTO DE PARÂMETROS HÍDRICOS E METEOROLÓGICOS

GENOVA MONITORAMENTO DE PARÂMETROS HÍDRICOS E METEOROLÓGICOS GENOVA MONITORAMENTO DE PARÂMETROS HÍDRICOS E METEOROLÓGICOS 2015 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL O monitoramento por tempo real proporciona uma grande eficiência no sistema de segurança de monitoramento das

Leia mais

SOLUÇÕES DIGITAIS EM PROCESSOS, PETRÓLEO & GÁS E ENERGIA

SOLUÇÕES DIGITAIS EM PROCESSOS, PETRÓLEO & GÁS E ENERGIA SOLUÇÕES DIGITAIS PA R A A P L I C A Ç Õ E S H Í D R I C A S, EM PROCESSOS, PETRÓLEO & GÁS E ENERGIA A INTE R NE T I ND USTR I AL Digital Industrial consiste na fusão dos mundos físico e digital, e a GE

Leia mais

CAMPO DE OBRAS NO SUDOESTE. Nível baixo de óleo. vale a pena saber. o novo product link

CAMPO DE OBRAS NO SUDOESTE. Nível baixo de óleo. vale a pena saber. o novo product link CAMPO DE OBRAS NO SUDOESTE Nível baixo de óleo vale a pena saber o novo product link O QUE ACONTECEU? Onde está? QUANTOS? 2 O NOVO PRODUCT LINK AGORA VOCÊ SABE. Conseguir informações precisas e em tempo

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO: DISPONIBILIDADE DE RADIAÇÃO PARA PLANTIOS EM SUPERFÍCIE INCLINADA

BALANÇO ENERGÉTICO: DISPONIBILIDADE DE RADIAÇÃO PARA PLANTIOS EM SUPERFÍCIE INCLINADA BALANÇO ENERGÉTICO: DISPONIBILIDADE DE RADIAÇÃO PARA PLANTIOS EM SUPERFÍCIE INCLINADA Pedro Castro Neto 1 Antonio Carlos Fraga 2 Antonio Augusto Aguilar Dantas 3 Luiz Gonsaga de Carvalho 3 Tiago Bernardes

Leia mais

TELEMÁTICA PARA GERADORES. INTELIGENTE E FÁCIL.

TELEMÁTICA PARA GERADORES. INTELIGENTE E FÁCIL. TELEMÁTICA PARA GERADORES. INTELIGENTE E FÁCIL. TELEMÁTICA MARÍTIMA PARA GERADORES TRACKING. A ESCOLHA INTELIGENTE. 3 TELEMÁTICA MARÍTIMA. CONHECIMENTO É PODER. Enviar alimentos frescos por todo o mundo,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS - SIG

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS - SIG SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS - SIG Prof. Dr. Cristiano Zerbato Prof. Dr. David L. Rosalen Agricultura de Precisão CONCEITOS AGRICULTURA DE PRECISÃO (AP) PRECISION AGRICULTURE or PRECISION FARM (PRECISION

Leia mais

ABSOLUTA. Absolutamente eficiente

ABSOLUTA. Absolutamente eficiente ABSOLUTA Absolutamente eficiente Catálogo virtual Português Mar/ 2016 ABSOLUTA A Absoluta é uma plantadora pneumática desenvolvida para oferecer agilidade e eficiência no plantio em áreas onde a fertilização

Leia mais

CAPA... 1 ÍNDICE... 2 BOAS VINDAS... 3 APRESENTAÇÃO... 4 CONCEITO... 4 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 5 ACESSANDO O SISTEMA... 6

CAPA... 1 ÍNDICE... 2 BOAS VINDAS... 3 APRESENTAÇÃO... 4 CONCEITO... 4 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 5 ACESSANDO O SISTEMA... 6 SUMÁRIO CAPA... 1 ÍNDICE... 2 BOAS VINDAS... 3 APRESENTAÇÃO... 4 CONCEITO... 4 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 5 ACESSANDO O SISTEMA... 6 PERMISSÃO PARA RASTREAMENTO... 7 TELA PRINCIPAL... 8 PESQUISANDO UMA

Leia mais

Sabe onde você gasta mais energia? Sabe como reduzir o seu consumo e manter o conforto e produtividade? Sabe como reduzir a sua pegada ecológica?

Sabe onde você gasta mais energia? Sabe como reduzir o seu consumo e manter o conforto e produtividade? Sabe como reduzir a sua pegada ecológica? Sabe onde você gasta mais energia? Sabe como reduzir o seu consumo e manter o conforto e produtividade? Sabe como reduzir a sua pegada ecológica? To measure is to know... If you can not measure it, you

Leia mais

Implantando Pontos de Função com PSM

Implantando Pontos de Função com PSM Implantando Pontos de Função com PSM Diana Baklizky & Cecília Techy diana@metricas.com.br cecilia@metricas.com.br ti MÉTRICAS R. Domingos de Morais, 2243/36 São Paulo, SP Brasil www.metricas.com.br 1 Agenda

Leia mais

2.6 Conceito de controle de processo...47 2.6.1 Manutenção de equipamentos e processo gerencial...48 2.7 GQT e atividades de manutenção de

2.6 Conceito de controle de processo...47 2.6.1 Manutenção de equipamentos e processo gerencial...48 2.7 GQT e atividades de manutenção de Sumário Prefácio à 2ª edição...11 Prefácio...13 1 Visão geral da manutenção de equipamentos...17 1.1 Introdução...19 1.2 Conceito de manutenção...19 1.3 Abrangência das atividades de manutenção...21 1.4

Leia mais

ÍNDICES DE INFLAÇÃO DO AGRONEGÓCIO. IICP e IIPR

ÍNDICES DE INFLAÇÃO DO AGRONEGÓCIO. IICP e IIPR ÍNDICES DE INFLAÇÃO DO AGRONEGÓCIO IICP e IIPR Objetivos Acompanhar a evolução dos custos de produção e dos preços recebidos pelos produtores, através de índices de preço; Organizá-los em série e de forma

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS Definição: Ciência multidisciplinar Disciplina: Fitopatologia Agrícola TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS Objetivos: Destinada às pesquisas de equipamentos Processos e obtenção de resultados mais eficientes

Leia mais

FOLHA DE PROVA. Cite e discuta os componentes de um SIG. Dentro desse contexto, discuta os desafios da implantação de um SIG em pequenos municípios.

FOLHA DE PROVA. Cite e discuta os componentes de um SIG. Dentro desse contexto, discuta os desafios da implantação de um SIG em pequenos municípios. Tema 01: COMPONENTES DE UM SIG Cite e discuta os componentes de um SIG. Dentro desse contexto, discuta os desafios da implantação de um SIG em pequenos municípios. Tema 02: FONTES DE DADOS PARA SIG Cite

Leia mais

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT Biodiesel: Panorama e perspectivas 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT 1 Sumário Tecnologias de produção; A biomassa na matriz energética; Capacidade agrícola brasileira; Histórico do PNPB; Mercado; Novo marco

Leia mais

Agricultura de Precisão desafiando produtividades agrícolas

Agricultura de Precisão desafiando produtividades agrícolas Agricultura de Precisão desafiando produtividades agrícolas É fácil identificar na sociedade atual, globalizada, características e hábitos alicerçados no consumismo, na necessidade progressiva de uma maior

Leia mais

Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00

Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00 Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00 Brasil: uma vocação natural para a indústria química País rico em petróleo, gás, biodiversidade, minerais e terras raras Objetivo Desenvolver

Leia mais

HÉRCULES e Precisão e alto rendimento na distribuição de corretivos e fertilizantes

HÉRCULES e Precisão e alto rendimento na distribuição de corretivos e fertilizantes HÉRCULES 10000 e 24000 Precisão e alto rendimento na distribuição de corretivos e fertilizantes Catálogo virtual Português Mar/2016 HÉRCULES DE ARRASTO Os Hércules de arrasto são ideais para a distribuição

Leia mais

QUEM SOMOS. Empresa de tecnologia e engenharia, especializada em mapeamento 3D, que visa facilitar a gestão e. acompanhamento com precisão - da

QUEM SOMOS. Empresa de tecnologia e engenharia, especializada em mapeamento 3D, que visa facilitar a gestão e. acompanhamento com precisão - da QUEM SOMOS Empresa de tecnologia e engenharia, especializada em mapeamento 3D, que visa facilitar a gestão e acompanhamento com precisão - da execução de projetos. TOPOGRAFIA Ciência que estuda todos os

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

ADUBAÇÃO POTÁSSICA DA SOJA EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO NO SUDOESTE DE GOIÁS

ADUBAÇÃO POTÁSSICA DA SOJA EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO NO SUDOESTE DE GOIÁS XXVII Reunião Brasileira de Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas XI Reunião Brasileira sobre Micorrizas IX Simpósio Brasileiro de Microbiologia do Solo VI Re un iã o Bra sile ira d e Bio lo g ia d

Leia mais

Monitoração de Vulnerabilidades e Telemetria

Monitoração de Vulnerabilidades e Telemetria Monitoração de Vulnerabilidades e Telemetria O que é ser Rede? Um pouco da nossa história É criada a Redecard O Itaú Unibanco A Redecard A Rede especialista em credenciamento de estabelecimentos para aceitação

Leia mais

Título do Slide Máximo de 2 linhas

Título do Slide Máximo de 2 linhas Título do Slide 13ª Seminário Internacional de Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Aplicado a Automação Industrial Nelson Chimentão Júnior 09/17/2013 Título Automação do Slide Aplicada

Leia mais

ARBUS Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

ARBUS Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

1 Engenheiro Agrônomo. M.Sc. Extensionista da EMATER.

1 Engenheiro Agrônomo. M.Sc. Extensionista da EMATER. O LUCRO NOS NEGÓCIOS AGROPECUÁRIOS (Planejamento de safra) Odilio Sepulcri 1 Curitiba, 26/08/2015 1. O LUCRO A desvalorização do real frente ao dólar nos últimos 12 meses foi de cerca de 53%, perdendo

Leia mais

IT-154 MOTORES E TRATORES

IT-154 MOTORES E TRATORES IT-154 MOTORES E TRATORES Laboratório de Máquinas e Energia na Agricultura Professor: Carlos Alberto Alves Varella Engenheiro Agrônomo, UFRRJ, 1983 Modalidade Engenharia Agrícola Mestre em Fitotecnia,

Leia mais

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo.

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Agentes causadores Mecanização agrícola Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Peso do veículo que determinará o total da força exercida Tamanho da área de contato entre

Leia mais

Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho

Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho INFORME TÉCNICO APROSOJA Nº 112/2016 09 de março de 2016 Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho Considerando o pleno desenvolvimento da Safra 2016 de milho, a Associação

Leia mais

O acesso à informação é feito através da internet, utilizando um web browser. Não é portanto necessário instalar nenhum software na empresa.

O acesso à informação é feito através da internet, utilizando um web browser. Não é portanto necessário instalar nenhum software na empresa. O que é o Frotcom? O Frotcom é uma solução de localização e controlo de frotas baseada em tecnologia de localização por GPS e em telecomunicações GPRS. O Frotcom permite-lhe controlar a frota de forma

Leia mais

Agricultura de Precisão em Máquinas Agrícolas

Agricultura de Precisão em Máquinas Agrícolas Agricultura de Precisão em Máquinas Agrícolas Eduardo R. Martini -Setembro 2011 Tendências Globais Crescimento Populacional População (bilhões) Crescimento da Renda Calorias de proteína animal (kcal) Crescimento

Leia mais

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos SUMÁRIO Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos 1.1 - Introdução 1.2 - Mecânica dos Fluidos e Hidráulica 1.3 - Viscosidade e Outras Propriedades 1.3.1 - Viscosidade

Leia mais

Sustentabilidade dos Solos de Cerrado e Tráfico de Máquinas

Sustentabilidade dos Solos de Cerrado e Tráfico de Máquinas Sustentabilidade dos Solos de Cerrado e Tráfico de Máquinas Prof. Kléber Pereira Lanças FCA/UNESP Botucatu/SP GRUPO DE PESQUISA: Dr. Reginaldo Barbosa da Silva Doutorando Flávio José de Sousa Pereira Doutorando

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 19 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO FIESTA 1.6 FLEX MARELLI IAW 4CFR SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: FIESTA 1.6 FLEX IGNIÇÃO, ELETROVENTILADOR E PARTIDA A FRIO

Leia mais

Planejamento e Desempenho de Custos. Disciplina: Gerenciamento de Projetos Docente: Cristina Almeida

Planejamento e Desempenho de Custos. Disciplina: Gerenciamento de Projetos Docente: Cristina Almeida Planejamento e Desempenho de Custos Disciplina: Gerenciamento de Projetos Docente: Cristina Almeida O que é um orçamento? É o planejamento financeiro para um determinado projeto. Objetivo da aula: apresentar

Leia mais

RADIAÇÃO POTENCIAL DISPONÍVEL PARA PRODUÇÃO DE MAMONA EM SUPERFÍCIE INCLINADA

RADIAÇÃO POTENCIAL DISPONÍVEL PARA PRODUÇÃO DE MAMONA EM SUPERFÍCIE INCLINADA RADIAÇÃO POTENCIAL DISPONÍVEL PARA PRODUÇÃO DE MAMONA EM SUPERFÍCIE INCLINADA Pedro Castro Neto, Antonio Carlos Fraga, Luiz Gonsaga de Carvalho e Tiago Bernardes UFLA, pedrocn@ufla.br; fraga@ufla.br; gonsaga@ufla.br

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA Especificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: www.engetron.com.br Link:

Leia mais

XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes

XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes Belo Horizonte/MG Setembro 2007 Paulo da Silva Capella G E R E N T E D E P R O J E T O Autores Paulo

Leia mais

CIMIS CALIFORNIA IRRIGATION MANAGEMENT INFORMATION SYSTEM

CIMIS CALIFORNIA IRRIGATION MANAGEMENT INFORMATION SYSTEM APOIO AO IRRIGANTE: O MANEJO DA IRRIGAÇÃO COM O CIMIS CALIFORNIA IRRIGATION MANAGEMENT INFORMATION SYSTEM Discentes: Maria Eliza Falaschi Nucci Patrícia Helena Junqueira Prof. Dr. Fernando Braz Tangerino

Leia mais

CAPA... 1 ÍNDICE... 2 BOAS VINDAS... 3 APRESENTAÇÃO... 4 CONCEITO... 4 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 5 ACESSANDO O SISTEMA... 6

CAPA... 1 ÍNDICE... 2 BOAS VINDAS... 3 APRESENTAÇÃO... 4 CONCEITO... 4 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 5 ACESSANDO O SISTEMA... 6 1 Sumário CAPA... 1 ÍNDICE... 2 BOAS VINDAS... 3 APRESENTAÇÃO... 4 CONCEITO... 4 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 5 ACESSANDO O SISTEMA... 6 PERMISSÃO PARA RASTREAMENTO... 6 TELA PRINCIPAL... 7 PESQUISANDO

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

Produtividade e lucratividade

Produtividade e lucratividade Produtividade e lucratividade Soluções SKF para o setor de papel e celulose O Poder do Conhecimento em Engenharia Precisa atingir um nível superior? Fale com especialistas. Forças de mercado e o aumento

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE PRESSÃO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE PRESSÃO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE PRESSÃO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Município de Leme- SP Outubro de 2014 Sumario CAPITULO I RUA ANTÔNIO FIORCO, 365... 1 1. OBJETIVO... 3 2. EQUIPAMENTO INSTALADO...

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

Recomendação de políticas Sustentabilidade ambiental

Recomendação de políticas Sustentabilidade ambiental Recomendação de políticas A oportunidade Considerando que os datacenters estarão entre os principais consumidores mundiais de energia elétrica até meados da próxima década, o desenvolvimento contínuo de

Leia mais

edif Guia de Operação

edif Guia de Operação Introdução: edif Guia de Operação edif é uma tecnologia de propriedade da SATLOC que permite que qualquer receptor SATLOC da linha SLX forneça posicionamento DGPS sem o uso de sinal diferencial. Esta técnica

Leia mais

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional e Plano Financeiro Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional 1.Layout Por meio do layout ou arranjo físico, você irá definir como será a distribuição dos diversos setores

Leia mais

Software. I-210T Tools. Manual de usuário MAN-PT-DE-I210T Tools-01.00_16

Software. I-210T Tools. Manual de usuário MAN-PT-DE-I210T Tools-01.00_16 Software Manual de usuário MAN-PT-DE-I210T Tools-01.00_16 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso software. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível a leitura completa deste manual

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Profa. Dra. Cristiane de Conti Medina Departamento de Agronomia

CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Profa. Dra. Cristiane de Conti Medina Departamento de Agronomia CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Profa. Dra. Cristiane de Conti Medina Departamento de Agronomia medina@uel.br AGRICULTURA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PRODUÇÃO DE ENERGIA A GRANDE REVOLUÇÃO ESTÁ

Leia mais

PORQUE USAR SIMULAÇÃO

PORQUE USAR SIMULAÇÃO PORQUE USAR SIMULAÇÃO Retorno do investimento 26% ROI < 6 meses 28% ROI < 12 meses PORQUE USAR SIMULAÇÃO Eficiência de Simuladores Treinamento de Manutenção Virtua Workshop Treinamento Virtual de Manutenção

Leia mais

Aumentando a Produtividade e Reduzindo os Custos da Fábrica. Antonio Cabral

Aumentando a Produtividade e Reduzindo os Custos da Fábrica. Antonio Cabral Aumentando a Produtividade e Reduzindo os Custos da Fábrica Antonio Cabral acabral@maua.br Roteiro Desafio; Sistemas; O custo e o valor do controle de processo; Mapeamento; Principais indicadores usados

Leia mais

Inteligência de negócios do laboratório DESCUBRA INFORMAÇÕES ÚTEIS DE DADOS OPERACIONAIS DO LABORATÓRIO

Inteligência de negócios do laboratório DESCUBRA INFORMAÇÕES ÚTEIS DE DADOS OPERACIONAIS DO LABORATÓRIO Inteligência de negócios do laboratório DESCUBRA INFORMAÇÕES ÚTEIS DE DADOS OPERACIONAIS DO LABORATÓRIO INTELIGÊNCIA DE NEGÓCIOS DO LABORATÓRIO AS DECISÕES SOBRE O LABORATÓRIO COMEÇAM COM A INTELIGÊNCIA

Leia mais

Soluções que facilitam a gestão da saúde

Soluções que facilitam a gestão da saúde Soluções que facilitam a gestão da saúde A Hospidata Mais eficiência na gestão de saúde Empresa do grupo MV, líder brasileira em soluções de tecnologia para gestão da saúde, a Hospidata oferece um portfólio

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

A Mamona ainda pode funcionar no PNPB?

A Mamona ainda pode funcionar no PNPB? A Mamona ainda pode funcionar no PNPB? Wilson José Vasconcelos Dias SEAGRI/SUAF - BAHIA TEMAS A SEREM TRATADOS Analise da potencialidade e viabilidade da inclusão da mamona na PNPB Ações governamentais

Leia mais

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Agenda 1. Histórico Soja marca Pioneer 2. Pesquisa Soja Brasil 3. Qualidade das Sementes DuPont Pioneer 4. Cultivares

Leia mais