Nicolás César Lavinia Diretor

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nicolás César Lavinia Diretor"

Transcrição

1 Nicolás César Lavinia Diretor

2 Empresa de Base Tecnológica Gestão de Inovação Tecnológica Open Innovation Grandes áreas Treinamento Produtos P&D

3 Treinamentos regulares em tecnologia 8 tipos diferentes Treinamentos sob demanda alunos treinados

4 McFlash ICD2br units units McMaster 800 units Desbravando o PIC units Conectando o PIC units Microcontroladores ARM units CtBoard 50 units Mclab (PIC 8bits) units Explorer16 (PIC 16bits e dspic) 350 units McBoard (ARM7) 300 units

5 Sudeste = 70% Sul = 17% Nordeste = 5% Central = 5% Norte = 3%

6 Pós-Doutorado Vanderlei Cunha Parro (Observatoire de Paris-Meudon - França) Doutorado José Carlos de Souza Jr. (LAC/USP) Pesquisa Mestrado Nicolás César Lavinia (LAC/USP) Cássio de Carvalho Berni (LAC/USP) 4 Engenheiros 3 Tecnólogos 1 Técnico Desenvolvimento Incentivo à Capacitação da Equipe 1 tecnólogo cursando engenharia 2 engenheiros iniciando mestrado em 2010

7 Médica/Hospitalar; Defesa; Aeroespacial;

8 Companinha de Transmissão de Energia Elétrica Paulista CTEEP Instituto Mauá de Tecnologia Equipe 1 Doutor + 1 Mestre (IMT) 1 Mestre (Mosaico) Sistema embarcado DSP Texas Financiamento Agênica Nacional de Energia Elétrica - ANEEL

9 Equipamento de suporte à vida Uso veterinário e humano Diversos Modos de Operação VCV VCP CPAP PEEP, etc Msc. Berni, C.C. (Mosaico) Equipamento certificado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

10 Objetivo Prestar serviço de telecardiologia (ECG), para as unidades de assistência móveis (ambulâncias) e para ambulatórios, clínicas médicas e hospitais Potenciais clientes SAMU Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Prefeituras Fundação Idi de Saúde

11 Objetivo Ser Humano - Pêndulo Invertido - Sono Financiamento AFIP Associação Fundo de Incentivo à Psicofarmacologia Parceria AFIP Instituto do Sono Mosaico Equipe Tufik, S. (UNIFESP / AFIP) Mello, M.T. (Instituto do Sono) Souza Jr., J.C (Mosaico) Parro, V.C. (Mosaico)

12 Agosto 2009: lançado o segundo Foguete de Treinamento Básico (FTB) rastreado com sucesso pela estação de telemedidas redundante.

13 4 modelos diferentes de radar Bearn Aquitaine Adour Provance Objetivo Plataforma de telemetria digital e visualização de dados unificada Estágio Final do desenvolvimento Instalação / Homologação

14

15

16 Aplicações embarcações de defesa rastreio de foguetes lançadores sistemas de defesa de fronteiras controle de trafego aéreo

17 Equipe Pait, F.M. (USP) Waldmann, J. (ITA) Cabral, E.L.L. (IMT) Souza Jr., J.C. (Mosaico) IPqM Propriedade Intelectual Transferência de tecnologia Planejamento de horas para P&D

18 Satélite científico franco-europeu-brasileiro ESA, Sc prog. Objetivos Identificar Exoplanetas planetas ao redor de outras estrelas Estudar a Sismologia Estelar análise de pulsações não-radiais das estrelas

19 Estação de Recepção de Dados em Alcântara INPE, AEB Participação na equipe com 5 engenheiros/pesquisados CNPq, CAPES, FAPESP Pesquisa Observação em solo Projetos científicos ~ 30 cientistas/estudantes no Brasil

20 Parro, V.C integra o time de desenvolvimento do satélite Corot junho/2004 Objetivos pré-processamento de imagem a bordo transmissão de dados testes de validação dos sistemas de aquisição caracterização da função de espalhamento do sistema óptico

21 Parro, V.C. retorna ao Brasil no final de 2006 Fialho, F.O. retorna ao Brasil no final de 2008 Inicio de 2009 a Mosaico forma a equipe Parro, V.C. Fialho, F.O. Dr. Miguel Auvergne principal pesquisador do Corot referência mundial em instrumentação espacial 2 mestres e 3 engenheiros Subvenção Econômica 2009 FINEP Apoio / Interesse INPE ITASAT (ITA/INPE/AEB)

22 Tecnologia Inercial no Brasil, a rota para seu estabelecimento na indústria - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos o estabelecimento da capacidade de desenvolvimento e fabricação de sensores e sistemas de navegação inerciais para lançadores de satélites e vetores de defesa é uma questão de natureza estratégico gico-militar militar, não cabendo uma justificativa mercadológica Atividades a serem desenvolvidas com vistas ao sensor de estrelas: Aplicar CCD, sensores CMOS e sensores APS nos sensores de estrela; Desenvolver sensores CMOS e APS; Desenvolver algoritmos com condições de tempo-real adequadas aos propósitos de determinação de atitude de satélite; Proceder à computação intensiva de dados com processadores embarcados de alto desempenho; Desenvolver técnicas de processamento de dados como: processamento distribuído do onde dados de sensores são processados localmente com um processador de sinal DSP e processamento em processadores de alto desempenho; Desenvolver um procedimento de calibração com mínima intervenção do operador; Desenvolver algoritmos para corrigir automaticamente aberrações ópticas;

23 Programa Nacional de Acesso ao Espaço define como uma das tecnologias estratégicas a serem desenvolvidas na área de plataformas espaciais o controle de atitude - um sensor estelar é peça fundamental O desenvolvimento de um sensor estelar é uma proposta alinhada às necessidades do país. Proposta apresenta envolvimento da iniciativa privada, pública e institutos de pesquisa Estudo de um caso relevante para este workshop

24 Um sensor estelar é um instrumento composto por: sistema ótico - responsável por concentrar a luz de um campo estelar detector - para medir a intensidade das estrelas contidas nesse campo algoritmos - obter a posição do detector em relação ao campo estelar Etapas de desenvolvimento de um sensor estelar estudo de restrições sistêmicas do engenho espacial; software de especificação do sensor estelar; simulador instrumento; software de operação embarcada (software de vôo); especificação de hardware do sensor estelar; hardware de detecção e processamento; hardware ótico; hardware mecânico; hardware térmico.

25 Software que agrupe o design básico de um sensor estelar em termos de especificações gerais campo de visada - FOV, ângulo equivalente de ruído - NEA, relação sinal a ruído - SNR, etc. Software que simule o funcionamento básico de um sensor estelar eletrônica, detector, sistema ótico, ruídos, cenários de observação, etc. Software embarcado modos de operação, tratamento das imagens, reconhecimento de campos estelares, redução de dados, correções instrumentais, cálculos astrométricos, etc. Desenvolver o modelo de engenharia das eletrônicas de proximidade e processamento, responsáveis, respectivamente, pela gestão do detector e dos seus cálculos.

26 Planejamento de horas para P&D Conclusão: início de 2013 Demanda Modelo de Qualificação qualificação em aplicações aeroespaciais componentes tolerantes à radiações ionizantes

27 Obrigado!

www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys

www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys 1 / Sumário 1. Quem somos nós? 2. Nossas instalações 3. Distribuição de receita 4. Áreas de atuação 5. A importância da FAPESP 6. Conclusão

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO

SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO 1 SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO VISÃO GERAL O Sistema de Rastreio Óptico, ou simplesmente SISROT, foi desenvolvido com o objetivo de rastrear foguetes nos primeiros instantes de

Leia mais

A Experiência do LIT / INPE

A Experiência do LIT / INPE A Experiência do LIT / INPE Elaborado por Heyder Hey & Geilson Loureiro 1 O INPE e o MCT MCT Ministério da Ciência e Tecnologia Órgãos da Assistência Direta (Secretaria Executiva, Gabinete, Assessoria

Leia mais

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sistemas embarcados Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sobre o palestrante... Ciência da Computação, Departamento de Informática, UFPE, 1998 Mestrado em Tecnologia da Informação, Universität Stuttgart,

Leia mais

Qualidade do Software Embarcado em Aplicações Espaciais

Qualidade do Software Embarcado em Aplicações Espaciais Prêmio Dorgival Brandão Júnior 2006 Qualidade do Software Embarcado em Aplicações Espaciais Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais DBA Engenharia de Sistemas LTDA Instituto de Computação - Unicamp Apresentação

Leia mais

Treinamentos profissionalizantes: Formação Fábrica Digital e PLM

Treinamentos profissionalizantes: Formação Fábrica Digital e PLM O DMS (Digital Manufatcturing and Simulation) é um grupo de pesquisas com foco em PLM (Product Lifecycle Management), Manufatura Digital e Simulação para sistemas de manufatura e produção. Faz parte do

Leia mais

Sistema de Processamento de Imagens CBERS. III EUsISSeR. 22 a 24 de outubro de 2003

Sistema de Processamento de Imagens CBERS. III EUsISSeR. 22 a 24 de outubro de 2003 Sistema de Processamento de Imagens CBERS III EUsISSeR 22 a 24 de outubro de 2003 Paulo Eduardo Neves neves@gisplan.com.br GISPLAN Tecnologia da Geoinformação www.gisplan.com.br Histórico Histórico 1973

Leia mais

MARINHA DO BRASIL INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO. Nossa meta é desenvolver tecnologias necessárias à Marinha

MARINHA DO BRASIL INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO. Nossa meta é desenvolver tecnologias necessárias à Marinha MARINHA DO BRASIL INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA Nossa meta é desenvolver tecnologias necessárias à Marinha CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO COMANDANTE DA MARINHA Almirante-de-Esquadra Júlio Soares de Moura

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte)

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) SESTINFO-2008 São Bernardo do Campo/março/2008 Áreas da Tecnologia que estão definindo nosso Futuro

Leia mais

Área limpa para o setor aeroespacial

Área limpa para o setor aeroespacial Área limpa para o setor aeroespacial Equatorial Sistemas inaugura 95 metros quadrados de área limpa, para desenvolver, fabricar, montar e integrar hardwares para aplicações aeroespaciais Alberto Sarmento

Leia mais

Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação

Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação Saulo Finco Chefe da DCSH saulo.finco@cti.gov.br Tel.: (19) 3746-6246 - Fax: (19) 3746-6028 www.cti.gov.br Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes

Leia mais

BASE DE ALCÂNTARA MINISTÉRIO DA DEFESA

BASE DE ALCÂNTARA MINISTÉRIO DA DEFESA BASE DE ALCÂNTARA MINISTÉRIO DA DEFESA ÁREAS DE APLICAÇÃO DAS ATIVIDADES DE UM PROGRAMA ESPACIAL Comunicações / Coleta de Dados/ Difusão de Informações Sensoriamento Remoto Meteorologia / Climatologia

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS AVANÇADOS Divisão de Física Aplicada Subdivisão de Aplicações Tecnológicas das Radiações

INSTITUTO DE ESTUDOS AVANÇADOS Divisão de Física Aplicada Subdivisão de Aplicações Tecnológicas das Radiações INSTITUTO DE ESTUDOS AVANÇADOS Divisão de Física Aplicada Subdivisão de Aplicações Tecnológicas das Radiações Odair Lelis Gonçalez Pesquisador Titular Roteiro 1. O Projeto PEICE 2. O Laboratório de Radiação

Leia mais

Realização. Apoio. Patrocínio

Realização. Apoio. Patrocínio Realização Apoio Patrocínio Ações Indutoras na Área de Defesa MCT/FINEP 4ª CNCTI AÇÕES FINEP NA ÁREA DE VANT Seminário Internacional de Veículos Aéreos Não Tripulados A Missão da FINEP Promover e financiar

Leia mais

PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO. Camila Maria Sitko (ICV-UNICENTRO), Eduardo Vicentini (Orientador), e- mail: camilasitko@yahoo.com.br.

PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO. Camila Maria Sitko (ICV-UNICENTRO), Eduardo Vicentini (Orientador), e- mail: camilasitko@yahoo.com.br. PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO Camila Maria Sitko (ICV-UNICENTRO), Eduardo Vicentini (Orientador), e- mail: camilasitko@yahoo.com.br. Universidade Estadual do Centro-Oeste, Setor de Ciências Exatas e de

Leia mais

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Apresentação da Rede Temática GeDIg, Março de 2008 Sumário

Leia mais

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica -

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Fís. Adriano Oliveira dos Santos Goulart Especialista em Administração Hospitalar e Negócios em Saúde Especialista

Leia mais

Solução para coleta de dados e análise de consumo para controlar e otimizar os custos

Solução para coleta de dados e análise de consumo para controlar e otimizar os custos Solução para coleta de dados e análise de consumo para controlar e otimizar os custos Quem é a Zaruc? Empresa que atua desde 2008 no desenvolvimento de projetos tecnológicos inovadores oferecendo soluções

Leia mais

Izabel Cecarelli. GEOAMBIENTE Sensoriamento Remoto

Izabel Cecarelli. GEOAMBIENTE Sensoriamento Remoto Izabel Cecarelli GEOAMBIENTE Sensoriamento Remoto A GEOAMBIENTE, atuante no mercado há 10 anos, presta serviços em aplicações de sensoriamento remoto e desenvolvimento / integração de sistemas de informações

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia de Computação

Grade Curricular - Engenharia de Computação Grade Curricular - Engenharia de Computação SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I 2 0 2 SAP0678 Desenho 2 0 2 SAP0679 Humanidades e Ciências Sociais 2 0

Leia mais

Curso de Engenharia Formação Geral 1º e 2º anos

Curso de Engenharia Formação Geral 1º e 2º anos Curso de Engenharia Formação Geral 1º e 2º anos DISCIPLINA 1º Bimestre Introdução à Engenharia 40 Informática 40 Matemática 80 Produção de Textos 40 2º Bimestre Cálculo I 80 Física I 80 Inglês 20 Metodologia

Leia mais

Prospecto dos projetos realizados pela EMSISTI no período 2010 à 2015

Prospecto dos projetos realizados pela EMSISTI no período 2010 à 2015 Prospecto dos projetos realizados pela EMSISTI no período 2010 à 2015 Este prospecto descreve os projetos realizados pela EMSISTI no período entre janeiro de 2010 à setembro de 2015. Os projetos compreendem

Leia mais

Engenharia Eletrônica

Engenharia Eletrônica Engenharia Eletrônica Contribuíram para esta apresentação: Prof. Euler de Vilhena Garcia Prof. Edson Mintsu Hung Prof. Sandro Augusto Pavlik Haddad A PARTIR DA ESTRUTURA DE DESIGN DE INSTRUMENTAÇÃO A PARTIR

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Cartografia Digital A AMS Kepler possui equipe de engenheiros cartógrafos e especialistas em Tecnologia da Informação que conferem à empresa um perfil único em Cartografia Digital. Com expertise em Sensoriamento

Leia mais

Efeitos da radiação cósmica. câmeras imageadoras. Opto Eletrônica S.A. Departamento P&D. Leandro A. L. Azeka, Msc Outubro/2009

Efeitos da radiação cósmica. câmeras imageadoras. Opto Eletrônica S.A. Departamento P&D. Leandro A. L. Azeka, Msc Outubro/2009 II Workshop sobre Efeitos das Radiações Ionizantes em Componentes s Eletrônicos e Fotônicos de Uso Aeroespacial Efeitos da radiação cósmica câmeras imageadoras Opto Eletrônica S.A. Departamento P&D Leandro

Leia mais

Curso de Engenharia. Formação Geral 1º e 2º anos

Curso de Engenharia. Formação Geral 1º e 2º anos Curso de Engenharia Formação Geral 1º e 2º anos DISCIPLINA 1º Bimestre Introdução à Engenharia Informática Matemática Produção de Textos 2º Bimestre Cálculo I Física I Inglês Metodologia Científica 3º

Leia mais

Importância e Implementação

Importância e Implementação Importância e Implementação O que é? Sub-área da inclusão social. Democratização do acesso às tecnologias de informação. Melhorar as condições de vida de uma comunidade com ajuda da tecnologia. Utilização

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Pós-Graduação Stricto Sensu Pós-Graduação Lato Sensu Extensão Graduação Diagnósticos Tecnológicos Soluções de Problemas Empresariais

Leia mais

para cargas críticas.

para cargas críticas. 50 anos NO-BREAKS & ESTABILIZADORES DE TENSÃO Soluções em sistemas de pura ENERGIA para cargas críticas. www.amplimag.com.br EMPRESA Amplimag Controles Eletrônicos Ltda. Empresa 100% Nacional, desde 1962

Leia mais

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano.

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano. Intelbras S.A. Objetivos Missão Ser uma empresa competitiva internacionalmente, atuando no mercado de telecomunicações, mantendo padrões de qualidade e rentabilidade que satisfaçam clientes, colaboradores

Leia mais

Inovação aberta no desenvolvimento do setor aeroespacial no Brasil

Inovação aberta no desenvolvimento do setor aeroespacial no Brasil Inovação aberta no desenvolvimento do setor aeroespacial no Brasil Mariana de Freitas Dewes Programa de Pós-Graduação em Administração UFRGS III Workshop sobre Efeitos da Radiação Ionizante em Componentes

Leia mais

O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades. Piracicaba, 21 de março de 2013

O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades. Piracicaba, 21 de março de 2013 O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades Piracicaba, 21 de março de 2013 A ABIMAQ Uma das principais associações industriais do

Leia mais

29/03/2011. Fernando Arruda

29/03/2011. Fernando Arruda 29/03/2011 Fernando Arruda Agenda 1. Apresentação da Samsung - Samsung no Mundo - Samsung no Brasil - P&D Global Samsung 2. P&D Samsung no Brasil - Estratégia - Resultados - Metas para 2011~2014 Samsung

Leia mais

Empresa #1 São Paulo, 23 de setembro de 2015

Empresa #1 São Paulo, 23 de setembro de 2015 Empresa #1 A empresa alemã é uma prestadora de serviços de engenharia que oferece soluções (engenharia, planejamento, fabricação dos equipamentos, colocação em operação) para instalações industriais completas,

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Tolerância a Falhas

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Tolerância a Falhas Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Tolerância a Falhas Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA http://www.lsd.ufma.br

Leia mais

Abrangência do Programa de Expansão do ITA

Abrangência do Programa de Expansão do ITA Abrangência do Programa de Expansão do ITA Programa de Expansão do ITA EDUCAÇÃO (Ensino e Pesquisa) INOVAÇÃO (P,D & I) Projetos Cooperações ITA Projeto Cooperações Infraestrutura 5 IFES Centro de Inovação

Leia mais

INPE - Estrutura Organizacional

INPE - Estrutura Organizacional INPE - Estrutura Organizacional O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE é uma unidade de pesquisa integrante da estrutura do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT. O INPE tem por finalidade promover

Leia mais

SISTEMA REGULATÓRIO PARA A AEB. 1 - Introdução

SISTEMA REGULATÓRIO PARA A AEB. 1 - Introdução SISTEMA REGULATÓRIO PARA A AEB 1 - Introdução O objetivo deste documento é apresentar e justificar o sistema regulatório para o desenvolvimento da missão institucional da AEB. 2 Missão, Objetivos e Metas

Leia mais

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Painel Setorial de Telecomunicações INMETRO 27 de outubro de 2006 Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

eletrônica: Parceria Inmetro com o desenvolvimento

eletrônica: Parceria Inmetro com o desenvolvimento Novos padrões para a medição eletrônica: Parceria Inmetro com o desenvolvimento Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Ditec Cgint - Incubadora Samuel Valle - Eng.º

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DO TURNO NOTURNO PARA TURMAS A PARTIR DE JULHO DE 2013

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DO TURNO NOTURNO PARA TURMAS A PARTIR DE JULHO DE 2013 ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DO TURNO NOTURNO PARA TURMAS A PARTIR DE JULHO DE 2013 Curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica Vagas no Vestibular: 40 (quarenta) regime semestral

Leia mais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Visão de Futuro

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Visão de Futuro Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 13.12.2011 SUMÁRIO 1. Visão sobre a atuação do INPE 2. Programas de P&D do Instituto 3. Cronograma de execução do Programa CBERS 4. Programas de Política Industrial

Leia mais

A TECNOLOGIA DE PROPULSÃO LÍQUIDA NO BRASIL

A TECNOLOGIA DE PROPULSÃO LÍQUIDA NO BRASIL A TECNOLOGIA DE PROPULSÃO LÍQUIDA NO BRASIL Victor Magno Gomes Paula, graduando em Engenharia Elétrica pela UFJF. Membro do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da UFJF. victor.magno@engenharia.ufjf.br

Leia mais

Design House especializada em Circuitos Integrados para os setores Aeroespacial, de Defesa e de Comunicações

Design House especializada em Circuitos Integrados para os setores Aeroespacial, de Defesa e de Comunicações Design House especializada em Circuitos Integrados para os setores Aeroespacial, de Defesa e de Comunicações Gustavo Fernando Dessbesell Líder de Equipe Tópicos SMDH Projetos Necessidades Perspectivas

Leia mais

Ciência sem Fronteiras Acordo CNPq CISB Saab. Bruno Rondani CEO

Ciência sem Fronteiras Acordo CNPq CISB Saab. Bruno Rondani CEO Ciência sem Fronteiras Acordo CNPq CISB Saab Bruno Rondani CEO Sobre o CISB Sobre o CISB Programas e projetos: Microgrid (Energia Desenvolvimento Urbano) Polynol (Energia) Sede em São Bernardo do Campo,

Leia mais

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados.

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. Seminário: Resultados da Lei de Informática - 02 de dezembro de 2003 Omar Abou Samra Secretário Executivo

Leia mais

Seminário. O Desenvolvimento Sustentável das Telecomunicações. Artur Calado

Seminário. O Desenvolvimento Sustentável das Telecomunicações. Artur Calado Seminário Ferramentas de Gestão nas Tecnologias de Informação Aveiro, 19 de Março de 2009 O Desenvolvimento Sustentável das Telecomunicações Artur Calado Introdução A região de Aveiro possui condições

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Pré-Requisitos do Curso

Pré-Requisitos do Curso Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Curso de Engenharia de Controle e Automação Pré-Requisitos do Curso 2º Semestre DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS MTM 1020 - Cálculo

Leia mais

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Diagramas que descrevem o contexto, objetivos e participantes dos projetos 1 Tecnólogo em Manutenção Industrial Missão: Formar tecnólogos de nível superior

Leia mais

Recursos Hídricos. Produtos e Equipamentos. Anexo III-d. Prospecção Tecnológica. Síntese de Painel de Especialistas

Recursos Hídricos. Produtos e Equipamentos. Anexo III-d. Prospecção Tecnológica. Síntese de Painel de Especialistas Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Recursos Hídricos Anexo III-d Produtos e Equipamentos Síntese de Painel de Especialistas 1 Contexto A necessidade de equipamentos

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Introdução Parte 1 Conceitos introdutórios sobre tecnologia

Introdução Parte 1 Conceitos introdutórios sobre tecnologia Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Introdução Parte 1 Conceitos introdutórios sobre tecnologia Curso: Engenharia de Plataformas Orbitais e Cargas Úteis (CSE-303-4) Área de Concentração: Engenharia

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa. Nome do Grupo: GPSEM Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e

I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa. Nome do Grupo: GPSEM Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e I Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Nome do Grupo: GPSEM Grupo de Projeto de Sistemas Embarcados e Microeletrônica Área: Sistemas de Computação Nome do Líder:

Leia mais

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE Prof. MSc. Sandro M Malta Satélite Definição É chamado de satélite todo objeto que gira em torno de outro objeto. Ele é classificado em dois tipos: satélite natural satélite artificial.

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

Fomento à Produção Nacional. Painel de Debate 16/4/2013

Fomento à Produção Nacional. Painel de Debate 16/4/2013 Fomento à Produção Nacional Painel de Debate 16/4/2013 A FINEP A FINEP - Agência Brasileira da Inovação - é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em

Leia mais

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Missão Marco Legal Atuação do CIASC Sistemas Data Center Rede Governo Responsabilidade

Leia mais

capa Nanossatélite AESP-14, desenvolvido pelo ITA e Inpe, em câmara de teste

capa Nanossatélite AESP-14, desenvolvido pelo ITA e Inpe, em câmara de teste capa Nanossatélite AESP-14, desenvolvido pelo ITA e Inpe, em câmara de teste 16 maio DE 2014 Book_219.indb 16 Pequenos ganham o espaço Nanossatélites são lançados em missões de coletas de dados que vão

Leia mais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Leonel Fernando Perondi Setembro de 2005 Neste texto procura-se apresentar uma visão geral sobre um plano de gestão para o INPE, limitando-se a aspectos relativos

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática

II Seminário Resultados da Lei da Informática II Seminário Resultados da Lei da Informática Rodrigo Pinto Diretor de P&D 29 de março de 2006 Agenda A Solectron Estratégia Organização Realizações Resultados entre 1998 2003 Resultados entre 2004-2005

Leia mais

1ª ETAPA - TURMA E e F

1ª ETAPA - TURMA E e F Atualizado em: 20/05/2013 1/7 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PF 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PF 3 ÉTICA E CIDADANIA I PF 3 FÍSICA GERAL I PF 3 GEOMETRIA ANALITICA E VETORES PF 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

VSat em alto-mar Desafios e Perspectivas. SSPI VSat Day 30/11/2010 Márcio Esteves

VSat em alto-mar Desafios e Perspectivas. SSPI VSat Day 30/11/2010 Márcio Esteves VSat em alto-mar Desafios e Perspectivas SSPI VSat Day 30/11/2010 Márcio Esteves VSAT EM ALTO-MAR Breve introdução Navegar é uma operação arriscada e difícil. Até não muito tempo atrás a tripulação ficava

Leia mais

VDA ESCREVE SOBRE INVESTIMENTO NO ESPAÇO

VDA ESCREVE SOBRE INVESTIMENTO NO ESPAÇO VDA ESCREVE SOBRE INVESTIMENTO NO ESPAÇO Helena Correia Mendonça, Vieira de Almeida & Associados [ A importância do espaço para a indústria e da indústria para o espaço, um texto de Helena Correia Mendonça,

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais

Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais Apoio Institucional Apoio Financeiro Nossos Desafios 2011 Cadeia Produtiva Complexa Setores Industriais Construção e Engenharia Aero-espacial

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

PROJETO PEICE. Estudo dos Efeitos da Radiação Ionizante em Componentes Eletrônicos e Fotônicos

PROJETO PEICE. Estudo dos Efeitos da Radiação Ionizante em Componentes Eletrônicos e Fotônicos PROJETO PEICE Estudo dos Efeitos da Radiação Ionizante em Componentes Eletrônicos e Fotônicos Odair Lelis Gonçalez (IEAv) Executor: INSTITUTO DE ESTUDOS AVANÇADOS (IEAv) Convenente: FUNDAÇÃO DE CIÊNCIA,

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

Modelo em escala 1/37 da sonda espacial Cassini

Modelo em escala 1/37 da sonda espacial Cassini Modelo em escala 1/37 da sonda espacial Cassini A sonda espacial Cassini é composta por doze compartimentos de equipamentos dispostos em um polígono regular com três compartimentos extra adicionado ao

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Dep. Engeharia Mecânica Escola Politécnica Universidade de São Paulo Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Escola Politécnica

Leia mais

Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD

Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD Ref.: oct, 2012 Eliane Lustosa Labtest Diagnóstica SA 15 16 de abril de 2014 PERFIL DA EMPRESA LABTEST Fundada em 1971 Pioneira na produção

Leia mais

Caminhos para a Inovação O Caso UFCG Wellington Santos Mota

Caminhos para a Inovação O Caso UFCG Wellington Santos Mota Caminhos para a Inovação O Caso UFCG Wellington Santos Mota CAMPUS DE CAMPINA GRANDE Dados Históricos da UFCG Em 1955, entrou em funcionamento em Campina Grande a Escola Politécnica da Paraíba, pertencente

Leia mais

Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: a experiência do LSCAD/FACOM/UFMS. Ricardo R. Santos ricardo@facom.ufms.

Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: a experiência do LSCAD/FACOM/UFMS. Ricardo R. Santos ricardo@facom.ufms. Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: a experiência do LSCAD/FACOM/UFMS Ricardo R. Santos ricardo@facom.ufms.br LSCAD Foco nas áreas de sistemas embarcados, eletrônica (digital

Leia mais

TECNOLOGIA PARA OS DESAFIOS DO BRASIL

TECNOLOGIA PARA OS DESAFIOS DO BRASIL TECNOLOGIA PARA OS DESAFIOS DO BRASIL Consultoria, tecnologia e outsourcing indracompany.com INDRA NO BRASIL UMA DAS PRINCIPAIS EMPRESAS DE CONSULTORIA E TECNOLOGIA DO PAÍS BRASIL. PRINCIPAL MERCADO INTERNACIONAL

Leia mais

Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas Multiplataforma para Inspeção de Linhas de Transmissão

Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas Multiplataforma para Inspeção de Linhas de Transmissão Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas Multiplataforma para Inspeção de Linhas de Transmissão Willian Ramires Pires Bezerra Companhia Hidro Elétrica do São Francisco Chesf Geraldo José Adabo Instituto

Leia mais

Survey e Posicionamento

Survey e Posicionamento Survey e Posicionamento uma empresa do grupo Suporte em Posicionamento Aproveitando nossa ampla experiência no posicionamento de plataformas, a InterMoor desenvolveu uma série de sistemas de posicionamento

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Seminário conjunto UE- FIESP 22 de maio de 2014. Julie Dumont Adida ciêntifica Wallonie-Bruxelles International (WBI)

Seminário conjunto UE- FIESP 22 de maio de 2014. Julie Dumont Adida ciêntifica Wallonie-Bruxelles International (WBI) Seminário conjunto UE- FIESP 22 de maio de 2014 Julie Dumont Adida ciêntifica Wallonie-Bruxelles International (WBI) BELGICA CONTEXTO INSTITUCIONAL No coração da Europa, sede das instituições da UE 3 Comunidades:

Leia mais

Modelo de planejamento e gestão do Inpe Impacto

Modelo de planejamento e gestão do Inpe Impacto Modelo de planejamento e gestão do Inpe Impacto Coordenador de planejamento Décio Castilho Ceballos ceballos@dir.inpe.br Evento: Apresentação ao GT Impacto Dia 21/ Junho/ 2006 A ação como elo de alinhamento

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV SOBRE O MODELO DE TRANSFERÊNCIA E ABSORÇÃO DE TECNOLOGIA DE (T.T.) PARA O SISTEMA TAV BRASIL RIO SÃO PAULO CAMPINAS

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV SOBRE O MODELO DE TRANSFERÊNCIA E ABSORÇÃO DE TECNOLOGIA DE (T.T.) PARA O SISTEMA TAV BRASIL RIO SÃO PAULO CAMPINAS SOBRE O MODELO DE TRANSFERÊNCIA E ABSORÇÃO DE TECNOLOGIA DE (T.T.) PARA O SISTEMA TAV BRASIL RIO SÃO PAULO CAMPINAS PRESSUPOSTOS ADOTADOS A licitação deverá contemplar a transferência de tecnologia, o

Leia mais

Garanta as vagas para sua empresa. Esses cursos são realizados uma vez por ano no Brasil.

Garanta as vagas para sua empresa. Esses cursos são realizados uma vez por ano no Brasil. Curitiba, Maio de 2013 - Rev. 01 Assunto: Cursos PLS-CADD: Módulos Básico e Avançado - 2013 Prezado (a) Senhor (a) Para conhecimento e divulgação aos profissionais da área de projetos de linhas de transmissão

Leia mais

MODELO. Plano de Trabalho. Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites

MODELO. Plano de Trabalho. Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites MODELO Plano de Trabalho Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites Cooperação técnico-científica entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE - Brasil e a Universidade

Leia mais

CONSTELAÇÃO DE NANO SATÉLITES PARA COLETA DE DADOS AMBIENTAIS

CONSTELAÇÃO DE NANO SATÉLITES PARA COLETA DE DADOS AMBIENTAIS CONSTELAÇÃO DE NANO SATÉLITES PARA COLETA DE DADOS AMBIENTAIS Plano de Verificação Versão 1.0 CNS-MNG- PV-001 AGOSTO, 2012 Registro de Propriedade do Documento Autores Organização Data Assinatura Jeanne

Leia mais

O PEP: Uma Visão Unificada

O PEP: Uma Visão Unificada O PEP: Uma Visão Unificada Beatriz de Faria Leão, MD, PhD bleao@atech.br Fundação Atech Vidatis Sistemas de Informação em Saúde Rua do Rocio, 351-5º andar - cj 51 04552-000 São Paulo, SP Fone: 11 3053-3770

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

O Profissional de Tecnologia de Informação em Saúde no Brasil: A Visão da SBIS

O Profissional de Tecnologia de Informação em Saúde no Brasil: A Visão da SBIS Sociedade Brasileira de Informática em Saúde O Profissional de Tecnologia de Informação em Saúde no Brasil: A Visão da SBIS Prof. Renato M.E. Sabbatini Diretor de Educação e Capacitação Profissional 40%

Leia mais

PRODUÇÃO E ATUALIZAÇÃO DE MAPAS. Sensores aéreos e orbitais

PRODUÇÃO E ATUALIZAÇÃO DE MAPAS. Sensores aéreos e orbitais PRODUÇÃO E ATUALIZAÇÃO DE MAPAS Sensores aéreos e orbitais Pilares do Mapeamento 1. Resolução espacial e radiométrica 2. Cobertura multispectral 3. Geometria consistente 4. Automação e resposta rápida

Leia mais

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica Apresentação CEI Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica A CEI é produtora independente de energia em MG, com 9 usinas em operação, 15 empreendimentos hidrelétricos em desenvolvimento (130MW) e

Leia mais

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Prof. Dr. Elvis Fusco 2014 Prefeitura Municipal de Garça Apresentação Prof. Dr. Elvis Fusco Centro Universitário Eurípides

Leia mais

Dr. Nelson Veissid (nelson.veissid@gmail.com) Laboratório Associado de Sensores e Materiais Centro de Tecnologias Especiais - LAS/CTE/INPE São José

Dr. Nelson Veissid (nelson.veissid@gmail.com) Laboratório Associado de Sensores e Materiais Centro de Tecnologias Especiais - LAS/CTE/INPE São José ANOMALIA DA REFLETIVIDADE PLANETÁRIA DA AMÉRICA DO SUL MEDIDO PELO EXPERIMENTO ALBEDO DO SATÉLITE SCD2 DO INPE Dr. Nelson Veissid (nelson.veissid@gmail.com) Laboratório Associado de Sensores e Materiais

Leia mais

Está vedada a participação das empresas e instituições que tenham sido vencedoras regionais e nacionais no Prêmio FINEP de Inovação 2009.

Está vedada a participação das empresas e instituições que tenham sido vencedoras regionais e nacionais no Prêmio FINEP de Inovação 2009. Regulamento O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores brasileiros, desenvolvidos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Engenharia Clínica Aspectos Técnicos 18 de Setembro de 2015

Engenharia Clínica Aspectos Técnicos 18 de Setembro de 2015 Engenharia Clínica Aspectos Técnicos 18 de Setembro de 2015 Iliane Alencar Engenheira Eletrônica Universidade Federal de PE [UFPE] Especialista em Adm Hospitalar Universidade Politécnica de PE Valência-Espanha

Leia mais

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE Julho 2010 Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE São Paulo Regional Analysis Center Sergio Ferraz Novaes Sumário I. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA... 3 II. QUALIFICAÇÃO DO PROBLEMA... 3 III. OBJETIVOS

Leia mais

Parceria ANPEI e REDETEC

Parceria ANPEI e REDETEC Parceria ANPEI e REDETEC Mecanismos de Apoio para Obtenção de Financiamento para o Desenvolvimento da Propriedade Intelectual no Brasil: Recursos para Inovação Apresentação na REPICT 2013. A Origem do

Leia mais

Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028. www.cti.gov.br

Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028. www.cti.gov.br Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028 www.cti.gov.br DH-CTI Introdução Missão Prover o mercado com soluções inovadoras em desenvolvimento

Leia mais