Formação de Rede. Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Formação de Rede. Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública"

Transcrição

1 GT Agrotóxicos urbanos e Saúde estratégias para elaboração do Plano Municipal de Vigilância de populações Expostas à Agrotóxicos Urbanos Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública Formação de Rede Consumidor Comunidade Setor Privado Setor Público Universidades Conhecendo a percepção dos integrantes para o mapeamento local Nível de participação Construção de indicadores participativos Áreas de atuação - Base popular -

2 6ª reunião (25/09/2015) Planejamento da Consulta: ObservaPoa 5ª reunião (11/09/15) Planejamento Consulta Pública 4ª reunião (02/09/15) Proposta Consulta Pública Encontro Melgarejo 2ª reunião Formação do GT 2015 Pr 8ª é r Fe via eun ch de iã am fo o ( en rm 16/ to ul 11 da ári /1 s q o o 5) ue nli stõ ne es avaliação inicial das questões Abril------Maio------Junho------Julho------Agosto------Setembro------Outubro------Novembro-----Dezembro 1ª reunião Só CGVS 3ª reunião Roda de Conversa 7ª reunião (09/10/15) Prévia do formulário online 2016

3 2016 ni 0 ão 2/ pr 05/ ep 16 ar at ór ia 07/03/16 Reunião GT Correções formulário Estratégias para lançamento Re u 18/03/16 Apresentação na reunião do FGSIA MP Federal-RS AP 30/03/16 Apresentação no CMS Março----Abril-----Maio-----Junho-----Julho-----Agosto-----Setembro-----Outubro-----Novembro----Dezembro 04/04/16 Reunião GT 22/04/16 Reunião MPT-RS

4

5

6 Diretrizes do MS para Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos maio 2010 Objetivos: ações de vigilância de riscos e agravos medidas preventivas e controle do uso de agrotóxicos contribuir para a construção e efetivação de um sistema de vigilância integrado monitoramento e controle de situações de riscos à saúde humana relacionados aos agrotóxicos

7 Eixos de Intervenção Atenção integral à saúde das populações expostas a agrotóxicos Promover ações integradas de prevenção e assistência numa perspectiva ampla de atenção integral à saúde das populações expostas a agrotóxicos Promoção à Saúde Promover o reconhecimento da população sob risco de exposição e intoxicação por agrotóxicos; Estimular as ações intersetoriais, buscando parcerias que propiciem o desenvolvimento integral das ações de promoção da saúde; Agenda integrada de estudos e pesquisas Fundamentar cientificamente as intervenções e tomadas de decisão nos diversos campos de interesse relacionados à temática de agrotóxicos e saúde Participação e controle social Fortalecer a participação e o controle social de forma a contribuir para a sustentabilidade das ações e atividades de vigilância em saúde de populações expostas a agrotóxicos

8 E para Porto Alegre? Agrotóxicos urbanos?

9

10 Consulta Pública Online Perguntas Norteadoras para Mapa Falado Online/Consulta Popular 1. Subcontexto: Agricultor; Ag Endemias; Consumidor; Trabalhadores da saúde; Pesquisadores Contexto: Realidade de Porto Alegre 3. Texto: Marco teórico legal (Dossiê ABRASCO; ANVISA; Min. Agricultura; Min. Saúde; IBAMA...) Proposição para encaminhamento: formação de comissão para elaboração das questões representativas para formulário de consulta online. As perguntas devem considerar as provocações dos eixos das diretrizes propostas pelo MS, e Dossiê ABRASCO.

11 Consulta Pública: Construindo o Plano Municipal de Vigilância em Saúde de Populações Exposta aos Agrotóxicos

12 Texto de Apresentação A exposição humana a agrotóxicos representa um problema de saúde pública, para o qual o setor saúde vem buscando definir e implementar ações voltadas para vigilância em saúde. As intervenções sobre o problema são, em alguns aspectos, reconhecidas como de difícil implantação por transcender o setor saúde, devido ao seu caráter interinstitucional (MS/SVS/2013). A Equipe de Vigilância em Saúde Ambiental e do Trabalhador EVSAT, da Coordenadoria Geral de vigilância em Saúde - CGVS, como equipe responsável pela implantação e implementação das ações de vigilância a saúde de populações expostas aos agrotóxicos, entende como fundamental o fortalecimento das ações em rede, principalmente, aquelas que busquem a participação da sociedade na formulação da política pública de saúde ambiental e do trabalhador. Assim, O Grupo de Trabalho voltado para elaboração dessa Consulta Pública reúne diversas instituições relacionadas ao tema dos agrotóxicos e seus impactos na sociedade. A construção do Plano Municipal de Vigilância a Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos, mais que uma ação de vigilância, possibilita o diálogo com a comunidade e contribui para efetiva participação popular.

13 Referências links Dossiê ABRASCO Ministério da Saúde oxico-2010.pdf Secretaria Estadual de Saúde Programa Estadual de Vigilância em Saúde relacionado a Exposição e/ou uso dos Agrotóxicos Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos (FGCIA) Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

14 Lançamento: 08/06/2016 Audiência Pública MPF/RS

15 Audiência Pública: Agrotóxicos e a (In)Segurança Alimentar Promotor: Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos MPF/RS Auditório da Assembleia Legislativa - Dante Baroni Dia 08 de junho de :00h 18:00h

Promovendo desenvolvimento integral na primeira infância. Outubro de 2016

Promovendo desenvolvimento integral na primeira infância. Outubro de 2016 Promovendo desenvolvimento integral na primeira infância Outubro de 2016 MARCO LEGAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA Lei nº 13.257, de 8 de março de 2016 DIRETRIZES E ESTRATÉGIAS de apoio às famílias em sua função

Leia mais

A POLÍTICA DE AGROTÓXICOS NO ESTADO DO CEARÁ AÇÕES E DESAFIOS

A POLÍTICA DE AGROTÓXICOS NO ESTADO DO CEARÁ AÇÕES E DESAFIOS A POLÍTICA DE AGROTÓXICOS NO ESTADO DO CEARÁ AÇÕES E DESAFIOS Petrolina Pernambuco 09 a 11/04/2013 MARCOS TEMÁTICOS 1. Plano Estadual de Ação Conjunta em Agrotóxicos 2. Marco Legal: Revisão da Lei Estadual

Leia mais

MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CARTA

Leia mais

Política Nacional de Alimentação e N u trição

Política Nacional de Alimentação e N u trição O PROCESSO DE RE EVISÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTR RIÇÃO X Encontro Nacional da Rede de Nutrição no SUS 29 de novembro a 01 de dezembro Brasíli ia, 2010 Política Nacional de Alimentação

Leia mais

Aprimoramento do Programa diante dos avanços da cobertura e da qualificação da

Aprimoramento do Programa diante dos avanços da cobertura e da qualificação da 1. Redesenho do PETI Fortalecer a Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil por meio de ações estratégicas intersetoriais voltadas ao enfrentamento das novas incidências de atividades identificadas

Leia mais

RIPSA. Documento Básico

RIPSA. Documento Básico Governo do Estado da Bahia Secretaria de Saúde do Estado da Bahia Rede Interagencial de Informação em Saúde no Estado da Bahia Ripsa- Bahia Oficina de Trabalho Interagencial (OTI) Documento Básico I. Introdução

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE CONFERÊNCIA LIVRE DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL

MODELO DE RELATÓRIO DE CONFERÊNCIA LIVRE DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL MODELO DE RELATÓRIO DE CONFERÊNCIA LIVRE DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL IDENTIFICAÇÃO Nome da Conferência: Conferência Livre de Proteção e Defesa Civil: contribuições da Psicologia como ciência e profissão

Leia mais

Qualificação da Gestão

Qualificação da Gestão Qualificação da Gestão O que é o SUS Instituído pela Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde SUS é formado pelo conjunto das ações e serviços de saúde sob gestão pública Com direção única em cada

Leia mais

Perspectivas da promoção da saúde: políticas e gestão U N I V E R S I D A D E COMUNITÁ R I A DA REGIÃO DE CHAPECÓ ( U N O C H A P E C Ó )

Perspectivas da promoção da saúde: políticas e gestão U N I V E R S I D A D E COMUNITÁ R I A DA REGIÃO DE CHAPECÓ ( U N O C H A P E C Ó ) Perspectivas da promoção da saúde: políticas e gestão MARIA ELISABETH KLEBA U N I V E R S I D A D E COMUNITÁ R I A DA REGIÃO DE CHAPECÓ ( U N O C H A P E C Ó ) Pontos para refletir Sobre saúde e o Sistema

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Política Nacional de Saúde do Trabalhador

Leia mais

Departamento de Saúde Animal. Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil

Departamento de Saúde Animal. Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil Departamento de Saúde Animal Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil Revisão da política e das estratégias de combate à febre aftosa no Brasil Marco inicial da erradicação: 1992

Leia mais

DIRETRIZES de Ação OFICINA I MANTIQUEIRA

DIRETRIZES de Ação OFICINA I MANTIQUEIRA DIRETRIZES de Ação OFICINA I MANTIQUEIRA 1. Implementação da trilha de longa distância que liga Monte Verde (SP) à Itatiaia (RJ), apelidada trans Mantiqueira. (Ver dissertação de mestrado do gestor Waldir

Leia mais

Programa de Combate ao Racismo Institucional - PCRI

Programa de Combate ao Racismo Institucional - PCRI Programa de Combate ao Racismo Institucional - PCRI Apoio: DFID- Ministério do Governo Britânico para o Desenvolvimento Internacional PNUD Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento RACISMO INSTITUCIONAL

Leia mais

Departamento de Saúde Animal. Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil

Departamento de Saúde Animal. Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil Departamento de Saúde Animal Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil Revisão da política e das estratégias de combate à febre aftosa no Brasil Marco inicial da erradicação: 1992

Leia mais

Secretaria Nacional de Promoção e Defesa de Direitos Humanos (SNPDDH)

Secretaria Nacional de Promoção e Defesa de Direitos Humanos (SNPDDH) (SNPDDH) PAULO ROBERTO MARTINS MALDOS Secretário paulo.maldos@sdh.gov.br Brasília, 09 de março de 2015 Principais responsabilidades da SNPDDH políticas de promoção e defesa dos direitos dos idosos e da

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE NÚCLEO DE DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTOS E TECNOLOGIAS DE BASE AGROECOLÓGICA

DESENVOLVIMENTO DE NÚCLEO DE DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTOS E TECNOLOGIAS DE BASE AGROECOLÓGICA DESENVOLVIMENTO DE NÚCLEO DE DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTOS E TECNOLOGIAS DE BASE AGROECOLÓGICA Neves, M. C.; Corrales, F. M.; Moriconi, W.; Canuto, J. C., Ramos Filho, L. O.; Queiroga, J. L.; Malagoli-Braga,

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL PERNAMBUCO RELATÓRIO FINAL COMISSÃO EECUTIVA Pesqueira/PE Setembro/2011 1 IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ALIMENTAÇÃO

Leia mais

1ª Conferência nacional de Vigilância em Saúde. Etapa Nacional - de 21 a 24 de novembro de 2017

1ª Conferência nacional de Vigilância em Saúde. Etapa Nacional - de 21 a 24 de novembro de 2017 1ª Conferência nacional de Vigilância em Saúde Etapa Nacional - de 21 a 24 de novembro de 2017 Motivação Debater na sociedade brasileira: Direito à Promoção e Proteção da Saúde - compreendendo a Vigilância

Leia mais

BALANÇO Cosems/RN 2014 AGENDA PARA 2015

BALANÇO Cosems/RN 2014 AGENDA PARA 2015 BALANÇO Cosems/RN 2014 AGENDA PARA 2015 1 BALANÇO 2014 Viabilização de auditório e coffee-break para reuniões mensais do Cosems; Criação da comissão de AF juntamente com a SESAP e construção da REMUNE

Leia mais

Alimentação e Nutrição na Cidade do Rio de Janeiro. Instituto de Nutrição/UERJ

Alimentação e Nutrição na Cidade do Rio de Janeiro. Instituto de Nutrição/UERJ Construindo a Política Municipal de Alimentação e Nutrição na Cidade do Rio de Janeiro I tit t d N t i ã A Di /SPS/SUBPAV/SMSDC Instituto de Nutrição Annes Dias/SPS/SUBPAV/SMSDC Instituto de Nutrição/UERJ

Leia mais

AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS. Plano de Estratégico de Educação de Jovens e Adultos

AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS. Plano de Estratégico de Educação de Jovens e Adultos AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Plano de Estratégico de Educação de Jovens e Adultos Vitória ES Março/2010 1.Apresentação A elaboração do

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR

Leia mais

Fortalecimento da Agenda de Segurança Alimentar e Nutricional na Saúde. Subsídios para as Conferências de Saúde e de Segurança Alimentar e Nutricional

Fortalecimento da Agenda de Segurança Alimentar e Nutricional na Saúde. Subsídios para as Conferências de Saúde e de Segurança Alimentar e Nutricional Associação Brasileira de Saúde Coletiva Grupo Temático Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva Fortalecimento da Agenda de Segurança Alimentar e Nutricional na Saúde Subsídios para as Conferências de

Leia mais

Monitoramento 2017 do Programa Academia da Saúde. Guia de Orientações para SMS

Monitoramento 2017 do Programa Academia da Saúde. Guia de Orientações para SMS Monitoramento 2017 do Programa Academia da Saúde Guia de Orientações para SMS Brasília, março de 2017 Objetivo do Monitoramento O Monitoramento do Programa Academia da Saúde tem o objetivo de levantar

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE REFERÊNCIA DE SAÚDE DO TRABALHADOR/CEREST

ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE REFERÊNCIA DE SAÚDE DO TRABALHADOR/CEREST ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE REFERÊNCIA DE SAÚDE DO TRABALHADOR/CEREST REGIONAL PÓLO DUQUE DE CAXIAS Saúde do Trabalhador e Trabalho

Leia mais

1. COMISSÃO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA GESTÃO

1. COMISSÃO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA GESTÃO MISSÃO Reunião Realizada em 10/09/2016 no Auditório do CRO-CE Planejamento Estratégico Gestão Defender a Odontologia junto à população cearense, respeitando os princípios éticos e fortalecendo uma prática

Leia mais

Pacto Federativo para a Promoção da Alimentação Adequada e Saudável

Pacto Federativo para a Promoção da Alimentação Adequada e Saudável Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional - CAISAN Secretaria-Executiva Pacto

Leia mais

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989);

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); Essa reunião mundial (CNUMAD - 92) foi organizada para elaborar a estratégia para deter e reverter

Leia mais

IV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe 22 a 25 de março. Pacto das Águas. Antonio Martins da Costa

IV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe 22 a 25 de março. Pacto das Águas. Antonio Martins da Costa IV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe 22 a 25 de março Pacto das Águas Antonio Martins da Costa O Pacto das Águas foi um processo de articulação social e política com objetivo de: Dotar o Estado,

Leia mais

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES Seminário em prol do Desenvolvimento Socioeconômico do Xingu Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES 16/06/2015 1 Atuação do BNDES no Entorno de Projetos A Política de Atuação no Entorno busca

Leia mais

Plano de Lutas Em Defesa do Trabalho e da Formação e Contra a Precarização do Ensino Superior

Plano de Lutas Em Defesa do Trabalho e da Formação e Contra a Precarização do Ensino Superior Plano de Lutas Em Defesa do Trabalho e da Formação e Contra a Precarização do Ensino Superior Eixo de Ações Relativas à Política Nacional de Fiscalização Ações Atividades Responsabilidade Prazo Fiscalização

Leia mais

Formulário Anexo I. MARCOS PAULO DIAS RODRIGUES, , Analista Administrativo, Assessor-

Formulário Anexo I. MARCOS PAULO DIAS RODRIGUES, , Analista Administrativo, Assessor- Formulário Anexo I 1. Nome do(s) Autor(es), Matrícula e Cargo: MARCOS PAULO DIAS RODRIGUES, 1489660, Analista Administrativo, Assessor- Chefe da Assessoria Parlamentar 2. Lotação: ASPAR/ANVISA 3. Telefone

Leia mais

Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde - COAP

Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde - COAP NOTA TÉCNICA 03/2015 Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde - COAP Brasília, 02 de março de 2015 1 INTRODUÇÃO O Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde é um acordo de colaboração firmado

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Uma Proposta de Construção Coletiva de Sustentabilidade na Região da Costa das Baleias - BA

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Uma Proposta de Construção Coletiva de Sustentabilidade na Região da Costa das Baleias - BA PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Uma Proposta de Construção Coletiva de Sustentabilidade na Região da Costa das Baleias - BA CRONOLOGIA DA CONSTRUÇÃO DA PROPOSTA 1- A proposta surgiu a partir de uma

Leia mais

VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA. Universalização com Qualidade Rio de Janeiro -2012

VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA. Universalização com Qualidade Rio de Janeiro -2012 VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA Universalização com Qualidade Rio de Janeiro -2012 VI SEMINARIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

Projetos para os municípios Motivação

Projetos para os municípios Motivação PROJETOS Projetos para os municípios Motivação A FNP é referência na interlocução com os municípios, envolvendo diretamente os prefeitos e prefeitas na coordenação política dos projetos. Por isso, é constantemente

Leia mais

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS 2011 2014 Ministério da Saúde Secretaria Executiva O Coletivo MS é um grupo de trabalhadores do Ministério da Saúde, coordenado pela Secretaria Executiva,

Leia mais

ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA

ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA Art.1 - A FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SISTEMA NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS- SNA, constituída de acordo com o Ato

Leia mais

RESUMO DO RELATORIO FINAL DA 1 a.cnsa CONFERENCIA NACIONAL DE SAUDE AMBIENTAL do Estado do Paraná.

RESUMO DO RELATORIO FINAL DA 1 a.cnsa CONFERENCIA NACIONAL DE SAUDE AMBIENTAL do Estado do Paraná. RESUMO DO RELATORIO FINAL DA 1 a.cnsa CONFERENCIA NACIONAL DE SAUDE AMBIENTAL do Estado do Paraná. A 1ª Conferência Nacional de Saúde Ambiental (CNSA) é uma iniciativa dos Conselhos Nacionais de Saúde,

Leia mais

Analisar as concepções dos diferentes Gestores. das Políticas Públicas a cerca da intersetorialidade, identificando os possíveis entraves.

Analisar as concepções dos diferentes Gestores. das Políticas Públicas a cerca da intersetorialidade, identificando os possíveis entraves. OS (DES) CAMINHOS DA INTERSETORIALIDADE NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE: A Percepção dos Gestores das Políticas Públicas CLAUDIA SANTOS MARTINIANO Orientadora: Profª. Dra. Aliana Fernandes CAMPINA GRANDE

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

Secretaria de Políticas para as Mulheres Presidência da República

Secretaria de Políticas para as Mulheres Presidência da República Secretaria de Políticas para as Mulheres Presidência da República Apresentação de propostas e formalização de Convênios com a SPM - PR Vitória, maio de 2011 Secretaria de Políticas para as Mulheres Criada

Leia mais

alimentar e nutricional das populações, em especial as mais vulneráveis socialmente. Em nosso país esta realidade torna-se mais agressiva quando

alimentar e nutricional das populações, em especial as mais vulneráveis socialmente. Em nosso país esta realidade torna-se mais agressiva quando CARTA DE PERNAMBUCO No período de 26 a 29 de setembro de 2012 a cidade de Olinda, em Pernambuco sediou o CONBRAN 2012 - XXII Congresso Brasileiro de Nutrição, III Congresso Ibero- americano de Nutrição,

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA OBJETIVO GERAL Promover ações integradas para o enfrentamento da epidemia de HIV/AIDS e outras DST

Leia mais

Perspectivas de reestruturação do Ensino Médio no Brasil: a visão do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação CONSED

Perspectivas de reestruturação do Ensino Médio no Brasil: a visão do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação CONSED Perspectivas de reestruturação do Ensino Médio no Brasil: a visão do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação CONSED JULIO GREGÓRIO FILHO SECRETARIO DE EDUCAÇÃO DF Como o CONSED vem atuando

Leia mais

ATER PARA MULHERES. O processo de organização das mulheres na construção do Feminismo e da Agroecologia no Brasil

ATER PARA MULHERES. O processo de organização das mulheres na construção do Feminismo e da Agroecologia no Brasil ATER PARA MULHERES O processo de organização das mulheres na construção do Feminismo e da Agroecologia no Brasil PARA NÓS A AGROECOLOGIA É Um modo de produzir, relacionar e viver na agricultura que implica

Leia mais

DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA

DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA NOSSA MISSÃO Contribuir para a garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada, fiscalizando, normatizando e disciplinando o exercício profissional do nutricionista e do técnico em Nutrição e Dietética,

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE Realizada de 08 a 11 de agosto de 2012 MÁRIO DOS SANTOS BARBOSA Assessor Especial para Assuntos Internacionais Coordenador da I CNETD

Leia mais

GT-PEDE PLANTA. Momento Pedagógico. Grupo de Trabalho para definições estratégicas, táticas e operacionais para o projeto PEDE PLANTA

GT-PEDE PLANTA. Momento Pedagógico. Grupo de Trabalho para definições estratégicas, táticas e operacionais para o projeto PEDE PLANTA Momento Pedagógico GT-PEDE PLANTA Grupo de Trabalho para definições estratégicas, táticas e operacionais para o projeto PEDE PLANTA - Lei n 9.795/1999 - Brasília/DF, 21 de julho de 2016 Filipy Andrade

Leia mais

O objetivo do programa DEL. Aumentar a competitividade e capacidade de transformação dos municípios de pequeno e médio porte.

O objetivo do programa DEL. Aumentar a competitividade e capacidade de transformação dos municípios de pequeno e médio porte. CENÁRIO O objetivo do programa DEL Aumentar a competitividade e capacidade de transformação dos municípios de pequeno e médio porte. 3 Princípios do DEL Protagonismo dos Atores Política de Produto Desenvolviment

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Estratégias e Ações do Governo Federal para a Prevenção e Controle da Obesidade

Estratégias e Ações do Governo Federal para a Prevenção e Controle da Obesidade Estratégias e Ações do Governo Federal para a Prevenção e Controle da Obesidade Encontro com as referências estaduais de Alimentação e Nutrição 16 e 17/06/2015 - Brasília/DF Ministério do Desenvolvimento

Leia mais

ALIMENTOS SEGUROS, BEM-ESTAR ANIMAL E SUSTENTABILIDADE

ALIMENTOS SEGUROS, BEM-ESTAR ANIMAL E SUSTENTABILIDADE ALIMENTOS SEGUROS, BEM-ESTAR ANIMAL E SUSTENTABILIDADE OBJETIVOS GERAIS Fortalecimento do setor produtivo: a) Adequação de procedimentos; b) Aumento da rentabilidade e competitividade; c) Garantia de alimentos

Leia mais

Articulação entre Academia, Serviços de Saúde e Comunidade para a Promoção da Saúde

Articulação entre Academia, Serviços de Saúde e Comunidade para a Promoção da Saúde I Seminário Nacional sobre a Política Nacional de Promoção da Saúde Pesquisa em Promoção da Saúde Articulação entre Academia, Serviços de Saúde e Comunidade para a Promoção da Saúde Brasília 05 de dezembro

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação do Governo Federal nos últimos 12 anos

APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação do Governo Federal nos últimos 12 anos XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral X Encontro do Comitê Temático Rede Brasileira de APL de Base Mineral - CT RedeAPLmineral APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação

Leia mais

O Processo Participativo na Elaboração do PLANSAB

O Processo Participativo na Elaboração do PLANSAB 1º. Seminário Franco-Brasileiro Sobre Saúde Ambiental Água, Saúde e Desenvolvimento O Processo Participativo na Elaboração do PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Gerente de Projetos Especialista em Infraestrutura

Leia mais

RELATÓRIO DA ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO RISCO OPERACIONAL

RELATÓRIO DA ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DA ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO RISCO OPERACIONAL EXERCÍCIO 2016 A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empregados, Aposentados e Pensionistas da Companhia Estadual de Energia Elétrica e

Leia mais

PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ ORÇAMENTO 2015

PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ ORÇAMENTO 2015 CRONOGRAMA DO PROCESSO DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃO Audiência Pública Regional Orçamento 2015 (definição de diretrizes, comissão regional (9 membros), até 10 áreas temáticas a serem encaminhados os

Leia mais

Hospital de Clínicas da UFTM. Macroproblema 1: falta de gestão adequada

Hospital de Clínicas da UFTM. Macroproblema 1: falta de gestão adequada Hospital de Clínicas da UFTM Macroproblema 1: falta de gestão adequada 2016 MP1. Falta de gestão adequada NC1. Falta de um projeto de comunicação interna NC2. Falta de fluxos e rotinas administrativas

Leia mais

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis Organização Pan Americana da Saúde Oficina Regional da Organização Mundial da Saúde Municípios e Comunidades Saudáveis Guia dos prefeitos e outras autoridades locais Promovendo a qualidade de vida através

Leia mais

Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social

Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social Junho 2016 Reabilitação Profissional Lei 8213/1991 Artigo 89 Decreto 3048/1999 Artigo 136 A prestação

Leia mais

Experiência de Belém na Política de educação Permanente na atenção Básica. I. Pressupostos Teóricos

Experiência de Belém na Política de educação Permanente na atenção Básica. I. Pressupostos Teóricos Experiência de Belém na Política de educação Permanente na atenção Básica I. Pressupostos Teóricos Concepção de Promoção á Saúde à luz do conceito de Armando de Negri; Sistema de Saúde Processo saúde doença

Leia mais

Profa. Neila Maria Viçosa Machado

Profa. Neila Maria Viçosa Machado SAÚDE E EDUCAÇÃO: uma perspectiva de integração a partir da Atenção Básica pelos Programa Saúde na Escola (PSE) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Profa. Neila Maria Viçosa Machado SAÚDE

Leia mais

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde OBJETIVOS DO SISVAN I -Fornecer informação contínua e atualizada sobre a situação alimentar

Leia mais

Segunda Conferencia Regional para América Latina y el Caribe sobre el Derecho a la Identidad y Registro Universal de Nacimiento

Segunda Conferencia Regional para América Latina y el Caribe sobre el Derecho a la Identidad y Registro Universal de Nacimiento Segunda Conferencia Regional para América Latina y el Caribe sobre el Derecho a la Identidad y Registro Universal de Nacimiento da Presidência da República Brasil - Mercosul 2011-2014 Universalização do

Leia mais

Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH

Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar 2014 Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar Os Grupos de Estudos do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar () do CQH são formados por profissionais de diferentes hospitais

Leia mais

Núcleo de Atenção Integral na Saúde da Família. Coordenação da Política Nacional de Promoção da Saúde/SE Coordenação de Gestão da Atenção Básica/SAS

Núcleo de Atenção Integral na Saúde da Família. Coordenação da Política Nacional de Promoção da Saúde/SE Coordenação de Gestão da Atenção Básica/SAS Núcleo de Atenção Integral na Saúde da Família Coordenação da Política Nacional de Promoção da Saúde/SE Coordenação de Gestão da Atenção Básica/SAS SUS - Princípios Gerais 1 - A Saúde Como Direito de Todos

Leia mais

LABORATÓRIO DE INOVAÇÕES EM EDUCAÇÃO NA SAÚDE COM ÊNFASE EM EDUCAÇÃO PERMANENTE /EDITAL DA 1ª EDIÇÃO

LABORATÓRIO DE INOVAÇÕES EM EDUCAÇÃO NA SAÚDE COM ÊNFASE EM EDUCAÇÃO PERMANENTE /EDITAL DA 1ª EDIÇÃO LABORATÓRIO DE INOVAÇÕES EM EDUCAÇÃO NA SAÚDE COM ÊNFASE EM EDUCAÇÃO PERMANENTE /EDITAL DA 1ª EDIÇÃO Porque o Laboratório Os processos de educação em saúde constituem como um dos fundamentos das práticas

Leia mais

ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA: SAUDÁVEL

ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA: SAUDÁVEL ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ESCOLA: EXPERIÊNCIA DO PROJETO VIVER SAUDÁVEL Veruska Prado Alexandre Universidade Federal de Goiás Faculdade de Nutrição veruskaprado@yahoo.com.br

Leia mais

II WORSHOP DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL Segurança Alimentar no Direito e nas Politicas Públicas

II WORSHOP DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL Segurança Alimentar no Direito e nas Politicas Públicas II WORSHOP DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL Segurança Alimentar no Direito e nas Politicas Públicas II PARANÁ AGROECOLÓGICO Universidade Estadual de Maringá 21 de Novembro de 2016 CAISAN-PR Câmara

Leia mais

Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático

Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático Orçamento Democrático João Pessoa Ano IV Definição Instrumento de Participação Direta da população

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES: UMA NOVA REALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE SÃO DOMINGOS DO PRATA, MINAS GERAIS.

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES: UMA NOVA REALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE SÃO DOMINGOS DO PRATA, MINAS GERAIS. CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES: UMA NOVA REALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE SÃO DOMINGOS DO

Leia mais

Ampliar e fortalecer as iniciativas de Segurança Alimentar e Economia Solidária, assegurando o direito de todos ao acesso regular e permanente a

Ampliar e fortalecer as iniciativas de Segurança Alimentar e Economia Solidária, assegurando o direito de todos ao acesso regular e permanente a 2017 SESAES A Secretaria Executiva da Segurança Alimentar e Economia Solidária SESAES é fruto da proposição da sociedade civil que vem pautando junto ao governo estadual a organização e implementação de

Leia mais

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. 1º de outubro de 2009

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. 1º de outubro de 2009 I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO 1º de outubro de 2009 (112 MUNICÍPIOS) (64 MUNICÍPIOS) (91 MUNICÍPIOS) (16 MUNICÍPIOS) (10 MUNICÍPIOS) (IDH Médio M Nacional = 0,766) Especificação

Leia mais

CRIAÇÃO GRUPO DE TRABALHO ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NO ÂMBITO DA ABRASCO

CRIAÇÃO GRUPO DE TRABALHO ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NO ÂMBITO DA ABRASCO CRIAÇÃO GRUPO DE TRABALHO ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NO ÂMBITO DA ABRASCO 1. Introdução Em 13 de julho de 2007, na cidade de Salvador/ BA, no IV Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e

Leia mais

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome - 06-23-2016 Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome por Por Dentro da África - quinta-feira, junho 23,

Leia mais

I Chamada Pública do Fundo Casa para Mobilidade Urbana

I Chamada Pública do Fundo Casa para Mobilidade Urbana I Chamada Pública do Fundo Casa para Mobilidade Urbana 1. Apresentação Formada em 2013 por ativistas, pesquisadores e cidadãos identificados com a visão de um Rio mais integrado, a Casa Fluminense acredita

Leia mais

IV CONFERÊNCIA INTERMUNICIPALDE POLÍTICAS PARA AS MULHERES MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA- PARANÁ Mais direitos, participação e poder para as mulheres

IV CONFERÊNCIA INTERMUNICIPALDE POLÍTICAS PARA AS MULHERES MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA- PARANÁ Mais direitos, participação e poder para as mulheres REGULAMENTO Capítulo I Da Conferência Art. 1º O presente regulamento tem por finalidade definir regras gerais de funcionamento da IV Conferência Intermunicipalde Políticas para as Mulherese estabelecer

Leia mais

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A Assessoria de Planejamento (ASPLAN) está se dedicando à elaboração do Planejamento Estratégico da SEDESE. Este projeto surge como uma demanda do Secretário André Quintão para

Leia mais

Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA. Agenda 21 local : da teoria à prática

Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA. Agenda 21 local : da teoria à prática Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA Agenda 21 local : da teoria à prática Gina Rizpah Besen Psicóloga Mestre em Saúde Pública FSP-USP consultora em Gestão Ambiental rizpah@usp.br Desenvolvimento

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES - PNPIC. Coordenação Geral de Áreas Técnicas Departamento de Atenção Básica - SAS/MS

POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES - PNPIC. Coordenação Geral de Áreas Técnicas Departamento de Atenção Básica - SAS/MS POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES - PNPIC Coordenação Geral de Áreas Técnicas Departamento de Atenção Básica - SAS/MS Institucionalização das PICs no Sistema Público 1986-8ª CNS;

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

Vigilância Alimentar e Nutricional.

Vigilância Alimentar e Nutricional. Vigilância Alimentar e Nutricional. Disciplina: Políticas Públicas em Alimentação e Nutrição. Curso de Nutrição e Metabolismo FMRP/USP Luciana Cisoto Ribeiro Segurança Alimentar e Nutricional realização

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da VI Seminário Internacional da Atenção Básica A construção de modelagens de AB em grandes centros urbanos Aparecida Linhares Pimenta SMS de Diadema Vice presidente do CONASEMS REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE

Leia mais

Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós

Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós PROPOSTA DE REDE DE ATENDIMENTO EM SAÚDE MENTAL PARA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE POA COMISSÃO DE SAÚDE MENTAL JUNHO

Leia mais

O GT de Conflitos Fundiários Urbanos do Conselho das Cidades apresenta para uma primeira discussão pública a seguinte proposta:

O GT de Conflitos Fundiários Urbanos do Conselho das Cidades apresenta para uma primeira discussão pública a seguinte proposta: DOCUMENTO DE REFERÊNCIA DA POLÍTICA NACIONAL DE PREVENÇÃO E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS FUNDIÁRIOS URBANOS Esta proposta preliminar é resultado de um esforço coletivo do Grupo de Trabalho de Conflitos Fundiários

Leia mais

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do OBJETIVO Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental no âmbito do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC DOCUMENTOS DE

Leia mais

Coordenação Estadual de. Alimentação e Nutrição

Coordenação Estadual de. Alimentação e Nutrição Coordenação Estadual de Alimentação e Nutrição Apresentação da Equipe Estadual Estado: Minas Gerais (MG) Coordenador (a): Maria Lúcia Teixeira Leite Equipe técnica (Nutricionistas): Isabel Cristina Bento

Leia mais

O SUAS PARÁ NO PLANO ESTADUAL DE AÇÕES INTEGRADAS SOBRE DROGAS. Meive Ausonia Piacesi

O SUAS PARÁ NO PLANO ESTADUAL DE AÇÕES INTEGRADAS SOBRE DROGAS. Meive Ausonia Piacesi O SUAS PARÁ NO PLANO ESTADUAL DE AÇÕES INTEGRADAS SOBRE DROGAS Meive Ausonia Piacesi POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL Sistema Único de Assistência Social - SUAS INDIVÍDUOS E FAMÍLIAS EM SITUAÇÃO

Leia mais

Prevenção do Suicídio no Brasil

Prevenção do Suicídio no Brasil Prevenção do Suicídio no Brasil Mariana Schorn Equipe Apoio Institucional e Articulação Federativa NEMS/ES Vitória Setembro de 2017 Sumário Dados do suicídio no Mundo e no Brasil (Dados OMS) Suicídio na

Leia mais

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS Pacto de Gestão do SUS Pacto pela Vida Pacto em Defesa do SUS PACTO PELA SAÚDE O Pacto pela Vida é o compromisso entre os gestores do SUS em torno de prioridades que apresentam impacto sobre a situação

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I DIAGNÓSTICO TÉCNICO-PARTICIPATIVO

Leia mais

Plano Decenal da Assistência Social: Desafios para os Entes Federados

Plano Decenal da Assistência Social: Desafios para os Entes Federados Plano Decenal da Assistência Social: Desafios para os Entes Federados Proteção Social para todos/as os/as brasileiros/as II Plano Decenal - 2016/2026 CARACTERÍSTICAS DOS PLANOS São técnicos e políticos;

Leia mais

O papel da comunidade nas ações de promoção de saúde em tuberculose

O papel da comunidade nas ações de promoção de saúde em tuberculose O papel da comunidade nas ações de promoção de saúde em tuberculose Um pouco do Comitê Tb Desde 2005, ação do Fundo Global Tb Brasil, criados 11 comitês de tuberculose. Missão: Ser um articulador entre

Leia mais

Estratégias para o enfrentamento das violações dos direitos da população em situação de rua

Estratégias para o enfrentamento das violações dos direitos da população em situação de rua Estratégias para o enfrentamento das violações dos direitos da população em situação de rua UM NOVO OLHAR Primeiros movimentos: Entidades que reconhecem o protagonismo e defendem direitos Organização da

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais