MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14"

Transcrição

1 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14 Forte crescimento de 8,3% no lucro por ação comparado ao Crescimento da margem bruta para 28,2% no 3T14 Robusta Geração de Caixa de R$ 136 milhões trazendo a dívida líquida/pl para 28% Belo Horizonte, 12 de novembro de 2014 MRV Engenharia e Participações S.A. (BM&FBovespa: MRVE3 ADR OTCQX: MRVNY), anuncia hoje seus resultados dos nove meses () de As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais (R$ milhões), exceto quando indicado o contrário, e têm como base as informações contábeis consolidadas, preparadas de acordo com as Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS), que considera a Orientação OCPC 04 sobre a aplicação da Interpretação Técnica ICPC 02 aplicáveis a entidades de incorporação imobiliária no Brasil, como aprovadas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), e com todos os pronunciamentos emitidos pelo CPC. TELECONFERÊNCIAS RESULTADOS 3T14 Português Inglês 13 de Novembro de de Novembro de h00 (Brasília) / 11h00 (Nova York) 14h00 (Brasília) / 11h00 (Nova York) Telefone: +55 (11) Telefone: Código: MRV Código: MRV Destaques O Lucro por Ação (LPA) alcançou R$ 0,299 no trimestre, um aumento de 8% y-o-y. Em 2014, o LPA acumulado já atingiu R$ 1,334, valor 81% superior ao mesmo período do ano passado. Margem Bruta de 28,2%, um aumento de 1,6 p.p. comparado ao e 0,3 p.p. ao. Robusta geração de Caixa Livre de R$ 136 milhões, totalizando R$ 330 milhões em 2014, causada por um ótimo desempenho no repasse dos clientes aos bancos. Redução na alavancagem da Companhia: a relação Dívida Líquida / Patrimônio Líquido atingiu 28%, uma queda de 2,8 p.p. q-o-q. A Companhia tem o melhor rating (braa-) aplicado ao seu setor, tanto pela S&P quanto pela Fitch Ratings. A recompra de ações gerou R$ 82,8 milhões de ganhos aos acionistas comparando-se o preço de aquisição ao seu valor de livro em 30/09/14. Como parte da estratégia de geração de valor para o acionista, até 21 de outubro de 2014, foram recompradas 31,2 milhões de ações, equivalentes a 6,5% do total das ações da Companhia em 31 de dezembro de 2013, a um valor total de R$ 229 milhões, das quais 34,1 milhões de ações já foram canceladas. Recorde de vendas contratadas nos, atingindo R$ milhões ( unidades), volume 17,1% superior ao mesmo período do ano passado. Nosso processo de Venda Simultânea (SICAQ / SAC) diminuirá o valor de distratos e aumenta a velocidade de repasse. No mês de setembro, esta modalidade já representou 56% das vendas contratadas. 1

2 Eventos relevantes do trimestre Mercado Forte As vendas contratadas atingiram R$ milhões, nível recorde nos e 17,1% superior aos, impulsionadas pela consolidação da marca MRV Engenharia e baixa concorrência, conjugado a oferta de crédito em condições de financiamento atrativas para o nosso segmento. A Cia tem otimizado a sua gestão de estoques disponíveis aos clientes promovendo lançamentos em cidades e mercados onde a demanda tem se mostrado presente. Qualidade Operacional e Gestão de Capital Em resposta a boa demanda de mercado, a Cia tem aprimorado sua gestão em todas as áreas operacionais. Estamos operando com mais eficiência em todo o ciclo do produto e de maneira balanceada. O bom desempenho de nossas vendas conjugadas com uma boa velocidade de repasses tem melhorado a performance financeira e de caixa dos projetos. A melhoria da qualidade operacional e redução do ciclo financeiro refletem em uma menor necessidade de capital de giro por VGV lançado. O resultado prático e visível tem sido uma robusta geração de caixa trimestre após trimestre, que neste 3T montou a R$ 136 milhões acumulando R$ 330 milhões no ano. Continuamos a implementação do processo da Venda simultânea em toda a Companhia. Esta é uma estratégia importante e sem volta. A implantação do projeto trará um menor distrato, fluxo de caixa mais rápido e eficiente, refletindo menor risco operacional e maior garantia ao cliente. Geração de Valor ao Acionista A Companhia mantém o seu compromisso de geração de valor ao acionista retornando aos mesmos sua forte geração de caixa. Foram recompradas em 2014 um total de 31,2 milhões de ações (34,1 milhões de ações já foram canceladas, equivalentes a 7,1% do capital em 31/12/13). Além disso, foram pagos R$ 40 milhões em dividendos extraordinários. Valor médio da recompra no ano de 2014 monta a R$ 7,34 o que representa um desconto de 27% em relação ao valor de livro de R$ 9,9951 em 30 de setembro de Visão de Longo Prazo O ciclo operacional da Companhia é longo. Este ano a Cia completou 35 anos de existência. Criamos uma cultura empresarial de eficiência e flexibilidade que tem sido responsável pelo crescimento com lucratividade. O acionista controlador continua ativo na gestão, mas também criando espaço para o surgimento de novos lideres e gestores capazes de conduzirem a Cia pelos próximos 35 anos. Nosso time mescla profissionais maduros com experiência e conhecimento especifico do nosso mercado, com a energia e visão de mundo dos jovens talentos. Esta visão de perpetuidade e de geração de valor no longo prazo pesa a sustentabilidade do negócio em termos de liquidez e rentabilidade com a satisfação de nossos clientes e responsabilidade social. Este é o nosso compromisso. 2

3 Sustentabilidade A MRV tem consciência da importância de sua atuação como agente do progresso e da melhoria da qualidade de vida de seus colaboradores, de suas famílias e da comunidade como um todo. Por conta disto, 2014 foi eleito o Ano da Sustentabilidade, com foco primordial em ações que ajudem a solidificar ainda mais este valor no comportamento da equipe de colaboradores da empresa. Uma das áreas com maior foco no ano está vinculado a responsabilidade social da empresa e consiste em dedicação maior à formação de mão de obra, qualificando centenas de trabalhadores. Em Outubro/2014 a MRV recebeu duas certificações: a IS que estabelece padrões rigorosos na gestão de meio ambiente e a OHSAS que estabelece padrões rigorosos na gestão de segurança e saúde das empresas. Essas certificações contemplam o atendimento à legislação, controle de documentos, indicadores de desempenho, homologação de fornecedores, controles para prevenir poluição, doenças e acidentes e sistemática para prevenir não conformidades, tornando a operação da MRV ainda mais diferenciada. Com isso reafirmamos o compromisso da Companhia com a sustentabilidade, a sociedade, seus trabalhadores e com a preservação do meio ambiente e ainda favorecemos a competitividade. A MRV deu mais um passo ao desenvolvimento sustentável, concretizando um momento de maturidade estrutural da construtora. Pelo terceiro ano consecutivo, a MRV Engenharia publica seu Relatório de Sustentabilidade, uma iniciativa que reforça o compromisso com práticas e ações visando à perenidade de seu negócio e apresenta as iniciativas nas áreas econômica, ambiental e social. O Relatório 2014/2013 foi elaborado a partir das diretrizes definidas pela Global Reporting Initiative (GRI), organização internacional reconhecida mundialmente por se dedicar à padronização e à evolução das técnicas de relatos de desempenho das organizações. O documento incorpora alguns avanços da versão GRI-G4, que fornece diretrizes mais amplas e amigáveis para as organizações que desejam apresentar seu desempenho. 3

4 Indicadores Financeiros 1 Os indicadores financeiros apresentados neste relatório estão em conformidade com os pronunciamentos CPC 19 (R2) Negócios em Conjunto (IFRS 11), que entraram em vigor a partir de 1º de janeiro de 2013, exceto quando mencionado o contrário. Indicadores Financeiros (em R$ milhões) 3T14 Var. x Receita Operacional Líquida ,1% 8,1% ,4% Resultado financeiro alocado à receita líquida ,6% 32,5% ,5% Receita Operacional Líquida Total ,9% 5,8% ,7% Custo Financeiro alocado ao CMV ,6% 6,9% ,3% Lucro Bruto ,2% 12,2% ,0% % Margem Bruta 28,2% 27,8% 26,6% 0,3 p.p. 1,6 p.p. 27,5% 26,4% 1,1 p.p. Despesas comerciais ,9% 44,8% ,5% Despesas comerciais / ROL (%) 8,5% 8,0% 6,2% 0,6 p.p. 2,3 p.p. 8,0% 6,9% 1,2 p.p. Despesas comerciais / Vendas contratadas (%) 6,6% 5,3% 4,8% 1,3 p.p. 1,8 p.p. 5,4% 5,2% 0,2 p.p. Despesas gerais e administrativas ,7% 4,5% ,4% Despesas G&A / ROL (%) 5,6% 5,5% 5,6% 0,0 p.p. 0,1 p.p. 5,9% 6,1% 0,3 p.p. Despesas G&A / Vendas contratadas (%) 4,3% 3,7% 4,4% 0,6 p.p. 0,0 p.p. 4,0% 4,6% 0,7 p.p. EBITDA ,6% 18,3% ,0% % Margem EBITDA 14,1% 42,3% 18,3% 28,1 p.p. 4,2 p.p. 23,5% 17,5% 6,1 p.p. EBITDA Ajustado (ex. não recorrente LOG)* ,3% 15,5% ,8% % Margem EBITDA Ajustada (ex. não recorrente LOG)* 14,1% 15,9% 17,7% 1,7 p.p. 3,6 p.p. 14,8% 16,4% 1,6 p.p. Lucro Líquido ,3% 3,3% ,0% % Margem Líquida 11,9% 39,6% 12,2% 27,7 p.p. 0,3 p.p. 20,2% 12,0% 8,2 p.p. Lucro Líquido Ajustado (ex. não recorrente LOG)* ,2% 8,7% ,2% % Margem Líquida Ajustada (ex. não recorrente LOG)* 11,9% 13,2% 11,6% 1,3 p.p. 0,3 p.p. 11,4% 11,0% 0,5 p.p. Lucro por Ação (R$) 0,299 0,865 0,276 65,4% 8,3% 1,334 0,737 81,0% Lucro por Ação (R$) Ajustado (ex. não recorrente LOG)* 0,299 0,288 0,263 3,9% 14,0% 0,756 0,673 12,3% ROE (12 meses) 16,2% 16,5% 11,9% 0,3 p.p. 4,4 p.p. 16,2% 11,9% 4,4 p.p. ROE (anualizado) 12,2% 37,6% 12,9% 25,4 p.p. 0,7 p.p. 19,2% 11,8% 7,4 p.p. ROE (12 meses) Ajustado (ex. não recorrente LOG)* 9,9% 9,9% 11,1% 0,0 p.p. 1,2 p.p. 9,9% 11,1% 1,2 p.p. ROE (anualizado) Ajustado (ex. não recorrente LOG)* 12,2% 12,5% 12,2% 0,3 p.p. 0,0 p.p. 10,2% 10,1% 0,1 p.p. Receita Bruta de Vendas a Apropriar ,3% 20,6% ,6% Custo de Unidades Vendidas a Apropriar (2.147) (2.115) (1.860) 1,5% 15,5% (2.147) (1.860) 15,5% Resultado a Apropriar ,3% 27,9% ,9% % Margem do Resultado a Apropriar 43,6% 43,2% 41,1% 0,4 p.p. 2,5 p.p. 43,6% 41,1% 2,5 p.p. Geração de Caixa ,1% 34,7% ,7% Dívida líquida (caixa líquido) ,0% 10,5% ,5% Dívida líquida/pl 28,0% 30,8% 33,8% 2,8 p.p. 5,8 p.p. 28,0% 33,8% 5,8 p.p. Dívida líquida/ebitda 12M 1,56x 1,61x 2,21x 3,1% 29,3% 1,56x 2,21x 29,3% Dívida líquida/ebitda 12M (ex. não recorrente LOG)* 2,28x 2,33x 2,32x 2,4% 1,6% 2,28x 2,32x 1,6% * Efeitos não recorrentes da LOG CP: : Venda de terreno (R$ 6,0 milhão) e venda de participação no Shopping Contagem (R$ 0,5 milhão) : mudança para contabilização a valor de mercado (R$ 267,6 milhões) das propriedades para investimento. 1 Exceto quando mencionado o contrário, todos os valores incluídos nesta divulgação de resultados consideram lucro líquido e patrimônio líquido atribuído aos acionistas da controladora. 4

5 Operação Balanceada Operação Balanceada 3T14 Var. x 1T14 Var. x 2T13 Var. x Unidades Contratadas* ,7% 19,6% ,6% Unidades Lançadas ,9% 19,1% ,1% Unidades Vendidas (brutas) ,5% 27,8% ,8% Unidades Produzidas ,3% 29,9% ,9% Unidades Repassadas ,6% 35,5% ,5% Unidades Concluídas ,7% 48,5% ,5% Dados operacionais acumulados desde 2007 até o trimestre indicado na tabela. Dados 100%. *Unidades contratadas junto a instituições financeiras. A Cia vem operando numa escala muito grande já totalmente balanceada. Nossa malha de cidades já está implantada. No ano de 2014, entregaremos um número próximo a 40 mil unidades aos nossos clientes. Desempenho Operacional - MRV Banco de Terrenos Banco de Terrenos * 3T14 Var. x %MRV Landbank (em R$ bilhões) 23,5 24,5 22,7 4,1% 3,6% 23,5 22,7 3,6% Aquisições/Ajustes (R$ milhões) (0,1) 2,3 0,9 103,0% 107,5% 3,4 3,1 10,2% Número de Unidades ,2% 1,3% ,3% Área Útil (m 2 mil) ,5% 0,9% ,9% Preço Médio por Unidade (em R$ mil) ,8% 4,9% ,9% Preço Médio por m 2 (em R$ mil) 3,1 3,1 2,9 0,6% 4,6% 3,1 2,9 4,6% % Permuta - banco de terreno 55% 52% 58% 3,8 p.p. 2,9 p.p. 55% 58% 2,9 p.p. % Permuta - aquisições no período 41% 72% 84% 31,0 p.p. 42,8 p.p. 49% 80% 30,7 p.p. Por fonte de financiamento - FGTS 81% 81% 85% 0,4 p.p. 3,4 p.p. 81% 85% 3,4 p.p. Por fonte de financiamento - SBPE 19% 19% 15% 0,4 p.p. 3,4 p.p. 19% 15% 3,4 p.p. 100% Número de Empreendimentos ,8% 6,1% ,1% Landbank (em R$ bilhões) 24,6 25,9 24,2 5,1% 1,5% 24,6 24,2 1,5% Número de Unidades ,3% 3,4% ,4% Unidades por projeto ,1% 2,9% ,9% Área Útil (m 2 mil) ,6% 3,1% ,1% Preço Médio por Unidade (em R$ mil) ,9% 5,0% ,0% Preço Médio por m 2 (em R$ mil) 3,1 3,1 2,9 0,5% 4,7% 3,1 2,9 4,7% %CPC 19 IFRS 11 Landbank (em R$ bilhões) 24,3 25,5 23,4 4,7% 3,9% 24,3 23,4 3,9% Número de Unidades ,7% 0,9% ,9% * Contempla os segmentos residencial e loteamento. Dos R$ 23,5 bilhões do banco de terrenos, R$ milhões já possuem registros de incorporação (RI) emitidos (9.380 unidades). O banco de terrenos já está consolidado, sendo que as aquisições visam à reposição dos terrenos lançados e majoritariamente com permuta. Oportunidades pontuais podem provocar oscilações no percentual permutado em determinados períodos. 5

6 Lançamentos brutos (%MRV) Lançamentos * 3T14 Var. x %MRV VGV (em R$ milhões) ,8% 17,3% ,8% Número de Unidades ,1% 11,7% ,6% Tamanho médio dos lançamentos (unidades) ,6% 18,4% ,0% Área Útil (m 2 mil) ,9% 22,7% ,3% Preço Médio por Unidade (em R$ mil) ,8% 5,0% ,5% Preço Médio por m 2 (em R$ mil) 3,0 3,3 3,2 9,2% 4,4% 3,2 2,9 11,2% Por fonte de financiamento - FGTS 65% 68% 66% 2,8 p.p. 1,3 p.p. 68% 81% 13,2 p.p. Por fonte de financiamento - SBPE 35% 32% 34% 2,8 p.p. 1,3 p.p. 32% 19% 13,2 p.p. Por região - Capital 16% 26% 19% 10,4 p.p. 3,5 p.p. 24% 11% 13,2 p.p. Por região - Região Metropolitana 28% 45% 26% 17,0 p.p. 1,1 p.p. 30% 22% 7,7 p.p. Por região - Interior 57% 29% 54% 27,4 p.p. 2,3 p.p. 45% 66% 21,0 p.p. 100% Número de Empreendimentos ,0% 36,8% ,0% VGV (em R$ milhões) ,9% 30,0% ,8% Número de Unidades ,9% 18,8% ,0% Área Útil (m 2 mil) ,5% 32,8% ,8% Preço Médio por Unidade (em R$ mil) ,3% 9,4% ,0% Preço Médio por m 2 (em R$ mil) 3,1 3,3 3,2 6,2% 2,1% 3,2 2,9 11,9% %CPC 19 IFRS 11 VGV (em R$ milhões) ,2% 40,9% ,5% Número de Unidades ,9% 28,9% ,9% * Bruto de permuta. Contempla segmentos Residendial e Loteamento. Vendas Contratadas (%MRV), líquidas de permutas Vendas contratadas* 3T14 Var. x %MRV Vendas (em R$ milhões ) ,4% 5,7% ,1% Número de Unidades ,7% 2,2% ,0% Área Útil (m 2 mil) ,9% 1,2% ,6% Preço Médio por Unidade (em R$ mil) ,4% 8,0% ,4% Preço Médio por m 2 (em R$ mil) 3,2 3,1 3,0 1,6% 7,0% 3,1 2,9 8,8% Por fonte de financiamento - FGTS 83% 82% 84% 1,1 p.p. 1,1 p.p. 82% 87% 5,2 p.p. Por fonte de financiamento - SBPE 17% 18% 16% 1,1 p.p. 1,1 p.p. 18% 13% 5,2 p.p. Por região - Capital 22% 19% 15% 2,6 p.p. 7,1 p.p. 20% 15% 4,8 p.p. Por região - Região Metropolitana 28% 26% 24% 1,7 p.p. 3,8 p.p. 26% 26% 0,7 p.p. Por região - Interior 50% 55% 61% 4,2 p.p. 10,9 p.p. 54% 59% 5,5 p.p. VSO - vendas brutas 26% 26% 28% 0,5 p.p. 2,0 p.p. 58% 59% 1,6 p.p. VSO - vendas líquidas 20% 19% 23% 1,2 p.p. 2,1 p.p. 44% 47% 2,9 p.p. 100% VGV (em R$ milhões ) ,0% 3,9% ,0% Número de Unidades ,4% 4,2% ,7% Área Útil (m 2 mil) ,1% 3,6% ,8% Preço Médio por Unidade (em R$ mil) ,6% 8,5% ,8% Preço Médio por m 2 (em R$ mil) 3,1 3,1 2,9 1,2% 7,8% 3,1 2,8 9,7% %CPC 19 IFRS 11 VGV (em R$ milhões ) ,0% 9,7% ,3% Número de Unidades ,2% 1,2% ,0% * Líquida de permuta e bruta de distrato. Contempla os segmentos residencial e loteamento. 6

7 O recorde de vendas contratadas nos foi função da resiliência do segmento econômico, sustentado pelos aspectos demográficos do país, taxa de desemprego nos níveis mais baixos da história, mercado menos competitivo além da contínua oferta de crédito em condições de financiamento atrativas para o nosso segmento. A Cia possui uma marca forte e reconhecida pelo nosso público, sinônimo de qualidade e garantia na entrega. O investimento e reconhecimento de nossa marca e seus atributos comandam um diferencial positivo na precificação das nossas unidades. Vendas por Período de Lançamento (%MRV) Período de Vendas Contratadas %MRV (em %) Lançamento T13 2T13 4T13 1T14 3T14 3T14 10% 5% 15% 1T14 8% 15% 12% 4T13 19% 21% 11% 6% 12% 17% 9% 5% 4% 2T13 5% 12% 8% 5% 4% 3% 1T13 7% 14% 8% 6% 4% 5% 5% % 40% 27% 21% 19% 18% 18% 12% % 41% 26% 25% 24% 14% 15% 17% 16% % 43% 18% 18% 19% 14% 11% 12% 13% 10% % 27% 9% 3% 4% 5% 5% 4% 6% 6% 3% Antes de % 18% 10% 4% 5% 4% 4% 4% 2% 2% 2% TOTAL 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Os lançamentos do 3T14 foram mais concentrados no mês de setembro, e a Companhia mantém o foco na gestão das vendas de unidades em estoque. Venda Simultânea (SICAQ / SAC) Vendas Simultâneas (SICAQ/SAC) * 3T14 Var. x %MRV Vendas (em unidades) ,7% 2,2% ,0% Total vendas simultâneas ,9% 1108,5% ,7% % Vendas simultâneas / Total 42,77% 16,54% 3,46% 26,2 p.p. 39,3 p.p. 21,28% 1,90% 19,4 p.p. * Contempla os segmentos residencial e loteamento. O projeto venda simultânea (SICAQ / SAC), apresentou aumento bastante significativo no 3T14. Em Setembro/2014 as vendas simultâneas já representavam 56% das vendas contratadas. Com o aumento da venda simultânea, o distrato cairá no longo prazo. 7

8 Produção e Crédito Imobiliário Produção e Crédito Imobiliário 3T14 Var. x 100% Unidades Produzidas ,1% 6,2% ,4% Unidades Concluídas ,5% 41,5% ,3% Nº de canteiros de obra ,0% 19,1% ,4% Unidades Contratadas ,8% 75,2% ,0% Unidades Repassadas ,0% 10,8% ,1% %MRV Unidades Produzidas ,4% 5,3% ,3% Unidades Concluídas ,7% 40,8% ,1% Unidades Contratadas ,4% 75,8% ,5% Unidades Repassadas ,0% 12,6% ,8% %CPC 19 IFRS 11 Unidades Produzidas ,1% 4,4% ,5% Unidades Concluídas ,2% 42,1% ,1% Unidades Contratadas ,6% 72,8% ,5% Unidades Repassadas ,7% 16,5% ,4% O volume de unidades produzidas no 3T14 aumentou em função da curva de construção das obras iniciadas em 2014 Distratos (%MRV) (em R$ mil) 3T14 Var. x Vendas Brutas ,4% 5,7% ,1% Distratos (Valor de Contrato) ,4% 17,4% ,9% Distratos / Vendas 21,3% 27,1% 19,1% 5,89 p.p. 2,12 p.p. 23,3% 20,5% 2,76 p.p. Vendas Líquidas ,4% 2,9% ,0% (em unidades) 3T14 Var. x Unidades Vendidas Brutas ,7% 2,2% ,0% Unidades Distratadas ,4% 5,1% ,3% Distratos / Vendas 25,0% 31,6% 23,3% 6,60 p.p. 1,73 p.p. 27,5% 24,7% 2,85 p.p. Unidades Vendidas Líquidas ,4% 4,4% ,0% Velocidade de Revenda das Unidades Distratadas Preço Médio de Revenda x Preço Médio de Venda da Unidade Distratada corrigido pelo INCC 2 2 Valor Médio de contrato da unidade distratada corrigido pelo INCC do período entre a venda original e a revenda. 8

9 Em função da resiliência do segmento econômico, combinada com a baixa oferta de produtos, continuamos a revender as unidades distratadas com ganho real de preço. Estoque a Valor de Mercado (%MRV) Estoque a valor de mercado 3T14 %MRV Estoque a valor de mercado (R$ bilhões) 4,56 4,74 4,08 3,7% 11,8% Fonte de Recurso (em unidades) FGTS 71% 75% 80% 4,4 p.p. 9,0 p.p. SBPE 29% 25% 20% 4,4 p.p. 9,0 p.p. Fase de Construção (em unidades) Não Iniciada 40% 53% 46% 12,6 p.p. 5,6 p.p. Em andamento 55% 44% 50% 11,7 p.p. 5,6 p.p. Encerrada 4% 3% 4% 0,9 p.p. 0,1 p.p. Duração do Estoque * 3,1 3,1 2,9 0,6% 5,5% * Duração do Estoque = Estoque final / Vendas contratadas (em trimestres) Rotineiramente são realizadas atualizações dos preços das unidades em estoque. Ao final de setembro/2014 detínhamos aproximadamente três trimestres de vendas em estoque. O estoque de unidades concluídas permanece baixo, representando aproximadamente, apenas, 11 dias do volume de vendas. 9

10 Geração de Caixa R$ 330 milhões em Geração de Caixa de R$ 136 milhões no 3T14 em R$ milhões 3T14 Var. x Caixa Total ,9% 28,8% ,8% Dívida Total (2.567) (2.658) (3.224) 3,4% 20,4% (2.567) (3.224) 20,4% Dívida Líquida (1.334) (1.435) (1.491) 7,0% 10,5% (1.334) (1.491) 10,5% Dívida Líquida (101) 131 (201) - 50,0% 5 (172) 102,9% Emissão / transferência de ações ,2% Aportes LOG (63) - Pagamento de dividendos - (141) (141) (125) 12,3% Recompra de ações (35) (129) (7) 72,5% 396,8% (195) (26) 639,9% Geração de Caixa ,1% 34,7% ,7% A Companhia continua focada na geração de caixa e buscando uma melhoria contínua no ciclo de recebimento e no processo de repasse, o que refletirá em menor necessidade de capital de giro e consequente otimização da estrutura de capital no médio / longo prazo. Em 30 de setembro de 2014, contávamos com R$ 473 milhões em Contas Transitórias no contas a receber, que se converterão em recebíveis operacionais no curto prazo. Entre a assinatura dos clientes nos bancos e o efetivo crédito, os recursos ficam em ditas Contas Transitórias. 10

11 Desempenho Econômico - Financeiro MRV Os indicadores financeiros apresentados neste relatório estão em conformidade com os pronunciamentos CPC 19 (R2) Negócios em Conjunto (IFRS 11), que entraram em vigor a partir de 1º de janeiro de 2013, exceto quando mencionado o contrário. Receita Operacional Líquida (em R$ milhões) 3T14 Var. x Receita operacional líquida ,1% 8,1% ,4% Resultado financeiro alocado à receita líquida ,6% 32,5% ,5% Receita operacional líquida total ,9% 5,8% ,7% O crescimento da Receita Operacional Líquida no 3T14 q-o-q foi função do aumento no volume de unidades produzidas e queda nos distratos. Lucro Bruto (em R$ milhões) 3T14 Var. x Lucro bruto ,2% 12,2% ,0% Margem bruta (%) 28,2% 27,8% 26,6% 0,3 p.p. 1,6 p.p. 27,5% 26,4% 1,1 p.p. A evolução positiva da margem bruta no 3T14 reflete o aumento da participação do mix dos novos projetos com melhores margens nas demonstrações financeiras. No quadro abaixo demonstramos os encargos financeiros alocados no CMV: Custo Financeiro alocado ao CMV (em R$ milhões) 3T14 Var. x Custo Financeiro alocado ao CMV ,6% 6,9% ,3% % da Receita Líquida 2,8% 2,9% 3,1% 0,1 p.p. 0,4 p.p. 3,0% 3,5% 0,5 p.p. Lucro Bruto com juros ,2% 12,2% ,0% Lucro Bruto ex. juros ,6% 10,2% ,8% Margem Bruta ex. juros (%) 30,9% 30,7% 29,7% 0,2 p.p. 1,2 p.p. 30,5% 29,9% 0,6 p.p. A margem bruta do 3T14 está impactada pelos encargos financeiros alocados no CMV (custo dos imóveis vendidos), conforme demonstrado na tabela acima. Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas (SG&A) O aumento das despesas comerciais reflete a mudança na forma de pagamento da corretagem relativa às vendas. Passamos a pagar diretamente as comissões aos corretores majorando o preço dos apartamentos pelo valor da corretagem. Esta prática visa dirimir dúvidas junto a consumidores bem como aprimorar nosso sistema de supervisão e remuneração da força de vendas. Esta nova prática foi responsável por um acréscimo em nossas despesas comerciais no montante aproximado de R$ 12 milhões no 3T14 quando comparadas ao trimestre anterior. O aumento em nossos custos comerciais será compensado pelo aumento de preço das unidades. 11

12 (em R$ milhões) 3T14 Var. x Despesas comerciais ,9% 44,8% ,5% Despesas comerciais / ROL (%) 8,5% 8,0% 6,2% 0,6 p.p. 2,3 p.p. 8,0% 6,9% 1,2 p.p. Despesas comerciais / Vendas contratadas (%) 6,6% 5,3% 4,8% 1,3 p.p. 1,8 p.p. 5,4% 5,2% 0,2 p.p. Despesas gerais e administrativas ,7% 4,5% ,4% Despesas G&A / ROL (%) 5,6% 5,5% 5,6% 0,0 p.p. 0,1 p.p. 5,9% 6,1% 0,3 p.p. Despesas G&A / Vendas contratadas (%) 4,3% 3,7% 4,4% 0,6 p.p. 0,0 p.p. 4,0% 4,6% 0,7 p.p. EBITDA 3 em R$ milhões 3T14 Var. x Lucro antes dos impostos ,6% 4,7% ,9% Depreciações e Amortizações ,7% 7,1% ,8% Resultado Financeiro (27) (35) (0) 22,3% 7491,1% (78) (23) 240,3% Encargos financeiros incluídos no CMV ,6% 6,9% ,3% EBITDA ,6% 18,3% ,0% Margem EBITDA 14,1% 42,3% 18,3% 28,1 p.p. 4,2 p.p. 23,5% 17,5% 6,1 p.p. EBITDA Ajustado (ex. não recorrente LOG) ,3% 15,5% ,8% Margem EBITDA Ajustada (ex. não recorrente LOG) 14,1% 15,9% 17,7% 1,7 p.p. 3,6 p.p. 14,8% 16,4% 1,6 p.p. Resultado Financeiro (em R$ milhões) 3T14 Var. x Despesas financeiras (32) (25) (43) 29,7% 24,6% (89) (96) 6,9% Receitas financeiras ,7% 57,1% ,3% Receitas financeiras provenientes de clientes ,5% 15,0% ,2% Total ,3% 7491,1% ,3% As receitas financeiras sofreram dois impactos específicos e com sinais opostos. As receitas provenientes de clientes oriundas das contas a receber de unidades com habite-se que são corrigidas por IGP-M foram negativamente afetadas pela deflação verificada em meses recentes. Dentro do processo de REFIS os créditos fiscais são corrigidos por Selic que, no processo de negociação, geraram uma correção líquida de R$ 13,6 milhões (vide quadro abaixo na seção de impostos). No 3T14 as receitas financeiras foram aumentadas em função da correção destes créditos fiscais. Abaixo estão demonstrados os resultados financeiros totais ajustados pelos encargos financeiros alocados ao custo dos imóveis vendidos: (em R$ milhões) 3T14 Var. x Resultado financeiro ,3% 7491,1% ,3% Custo Financeiro alocado ao CMV (31) (29) (34) 6,6% 6,9% (92) (102) 10,3% Total ajustado (4) 6 (33) - 88,5% (14) (80) 82,2% Impostos A Companhia, revendo os processos de apuração fiscal do passado, promoveu acertos e optou pela adesão ao parcelamento dos tributos federais (REFIS). Com o advento da MP 651/2014, a Companhia decidiu pela compensação parcial dos débitos com utilização de prejuízo fiscal, gerando um ganho por reconhecimento de crédito tributário, composto conforme quadro abaixo: 3 EBITDA: Vide definição no Glossário. 12

13 REFIS e MP 651/2014 Adesão ao parcelamento Crédito tributário Total no resultado PIS/COFINS (5.681) - (5.681) Resultado financeiro: Receita financeira Despesa financeira líquida da redução pela opção ao REFIS (3.493) - (3.493) Efeitto no resultado financeiro IR/CS (2.568) Efeito total no resultado Lucro Líquido (em R$ milhões) 3T14 Var. x Lucro Líquido ,3% 3,3% ,0% % Margem Líquida 11,9% 39,6% 12,2% 27,7 p.p. 0,3 p.p. 20,2% 12,0% 8,2 p.p. Lucro Líquido (ex. não recorrente LOG) ,2% 8,7% ,2% % Margem Líquida (ex. não recorrente LOG) 11,9% 13,2% 11,6% 1,3 p.p. 0,3 p.p. 11,4% 11,0% 0,5 p.p. (em R$ milhões) 3T14 Var. x Lucro por ação 0,299 0,865 0,276 65,4% 8,3% 1,334 0,737 81,0% Lucro por ação (ex. não recorrente LOG) 0,299 0,288 0,263 3,9% 14,0% 0,756 0,673 12,3% Em linha com a estratégia da Companhia em agregar valor ao acionista, o lucro por ação (LPA) apresentou crescimento de 8% quando comparado ao. Resultado a Apropriar (em R$ milhões) set/14 jun/14 dez/13 Var. Set-14 x Jun-14 Var. Set-14 x Dez-13 Receita Bruta de Vendas a apropriar ,3% 20,1% (-) Custo de Unidades Vendidas a apropriar (2.147) (2.115) (1.821) 1,5% 17,9% Resultado a apropriar ,3% 23,0% Margem do Resultado a apropriar % 43,6% 43,2% 42,6% 0,4 p.p. 1,0 p.p. 13

14 Balanço Patrimonial Caixa e Equivalentes de Caixa e Aplicações Financeiras (Títulos e valores mobiliários) (em R$ milhões) set/14 jun/14 dez/13 Var. Set-14 x Jun-14 Var. Set-14 x Dez-13 Caixa e equivalentes de caixa ,1% 27,0% Aplicações financeiras (Títulos e valores ,2% 26,6% mobiliários) Caixa total ,9% 27,0% A Companhia vem mantendo uma posição sólida de caixa e uma baixa alavancagem, dando tranquilidade para as nossas operações mesmo em períodos de incertezas da economia global e da economia brasileira. No 3T14, visando aumentar a eficiência na gestão do capital e retorno para os acionistas, desembolsamos R$ 35,4 milhões relativos a recompra de ações. Clientes por Incorporação de Imóveis (em R$ milhões) set/14 jun/14 dez/13 Var. Set-14 x Jun-14 Var. Set-14 x Dez meses ,4% 9,3% 13 a 24 meses ,6% 4,9% 25 a 36 meses ,1% 1,3% 37 a 48 meses ,6% 3,0% 49 meses em diante ,6% 3,0% Total ,6% 7,3% Clientes por incorporação de imóveis ,0% 2,2% Receita de vendas a apropriar ,3% 20,1% Total ,6% 7,3% Pró-soluto (R$ milhões) set/14 Após entrega de chaves 113 Antes da entrega de chaves 341 Total 454 Contas a receber Pró-soluto / Contas a receber (%) 5,7% Adiantamentos de Clientes (em R$ milhões) set/14 jun/14 dez/13 Var. Set-14 x Jun-14 Var. Set-14 x Dez meses ,1% 18,6% 13 a 24 meses ,0% 1,7% Após 24 meses ,5% 2,8% Total ,5% 11,5% Adiantamentos por recebimentos ,0% 17,1% Adiantamentos por permutas ,9% 9,5% Total ,5% 11,5% 14

15 Estoques (Imóveis a comercializar) (em R$ milhões) set/14 jun/14 dez/13 Var. Set-14 x Jun-14 Var. Set-14 x Dez-13 Imóveis em construção ,4% 0,9% Imóveis concluídos ,7% 15,2% Estoque de terrenos ,1% 16,9% Adiantamento a fornecedores ,0% 3,5% Estoque de materiais ,7% 35,7% Total ,4% 10,8% Circulante ,2% 9,9% Não circulante ,7% 11,9% Endividamento Em 30 de setembro de 2014, o endividamento total da Companhia era de R$ milhões e totalmente denominado em reais, indexados à variação do certificado de depósito interbancário e taxa referencial. (em R$ milhões) Cronograma de Vencimento da Dívida Financiamento a Construção* Dívida Corporativa Total 12 meses a 24 meses a 36 meses a 48 meses meses em diante Dívida Total Em 30 de setembro de 2014, o duration 4 da dívida da MRV era de 17 meses. (em R$ milhões) Detalhamento da Dívida Vencimento Encargos Saldo Devedor set-14 Dívida Corporativa Debêntures - 3ª emissão 01/02/2014 CDI + 1,6% a.a Debêntures - 5ª emissão 01/07/2016 CDI + 1,5% a.a Debêntures - 6ª emissão 03/05/2017 CDI + 1,5% a.a Capital de Giro - CDI até Jun/18 CDI + 1,15 a 1,45% a.a CCB que lastrearam a operação de CRI Mar/13 a Mar/15 CDI + 1,15% a.a Financiamento à construção Debêntures - 4ª emissão 01/12/2015 TR + 8,56 a.a Financiamento à construção até Mar/17 TR + 8% a 10,5% a.a Outros 6 10 Outros até Abr/20 CDI + Spread e Pré-fixada 4,5% 6 10 Total dez-13 4 Duration vide glossário no anexo 8. 15

16 Custo médio ponderado da Dívida Saldo Devedor Saldo Devedor (R$ Milhões) Custo Médio Set/14 / Total (%) ] CDI (1.658) 64,6% CDI + 1,4% TR (906) 35,3% TR + 8,4% Outros (Pré Fixada) (3) 0,1% 4,5% Total (2.567) 100,0% Dívida Líquida Dívida Líquida MRV Consolidado (em R$ milhões) set/14 jun/14 dez/13 Var. Set-14 x Jun-14 Var. Set-14 x Dez-13 Dívida total ,4% 14,9% (-) Caixa e Equivalentes de Caixa e Aplicações Financeiras (1.233) (1.223) (1.689) 0,9% 27,0% Dívida Líquida ,0% 0,4% Patrimônio Líquido Total ,3% 9,1% Dívida Líquida / PL Total 28,0% 30,8% 30,4% 2,8 p.p. 2,4 p.p. EBITDA 12 meses ,0% 32,6% Dívida Líquida / EBITDA 12 meses 1,56x 1,61x 2,07x 3,1% 24,3% EBITDA 12 meses Ajustado (ex. não recorrente LOG) ,8% 4,5% Dívida Líquida / EBITDA 12 meses (ex. não recorrente LOG) 2,28x 2,33x 2,17x 2,4% 5,1% A Companhia atingiu o seu menor nível de endividamento desde 2011, chegando a 28,0%. Esse movimento está em linha com a gestão conservadora da Companhia e com o ambiente macroeconômico mais desafiador previsto para o curto prazo. Tivemos o rating da MRV reafirmado pelas agências Fitch Ratings e S&P em braa-, em 26 de setembro e 03 de novembro, respectivamente, mantendo a posição de melhor rating do setor desde

17 Risco Corporativo e Covenants Ratings braa- braa- Covenant de Dívida 5 Covenant de Recebíveis 10 Dívida Líquida + Imóveis a Pagar Patrimônio Líquido < 0,65 Recebíveis + Receita a apropriar + Estoques Dívida Líquida + Imóveis a Pagar + Custo a apropriar > 1,6 Ações MRVE3 (11/11/14) ações Valor de Mercado: R$ 3,5 bi US$ 1,4 bi (11/11/14: US$ 1 = R$ 2,56) Média Diária de Negociação (2014): R$ 29,3 milhões Programa de Recompra de Ações A Companhia tem sua estratégia voltada para a geração de valor ao acionista, seja através de pagamento de dividendos ou recompra. Desde Ago/2011 temos programas de recompra de ações ativos, para permanência em tesouraria e eventual cancelamento ou alienação. No 3T14 recompramos ações, no valor total de R$ 40,4 milhões. Em 2014, até o dia 21/10/14 (data da última recompra), foram recompradas ações, equivalentes a 6,5% do total das ações da Companhia em 31 de dezembro de 2013, a um valor total de R$ 229 milhões. No dia 14/out/14, o cancelamento de ações foi aprovado pelo Conselho de Administração da Companhia, o que impactará positivamente o lucro por ação e o ROE. Somente em 2014, ações já foram canceladas. Isso corresponde a uma diminuição de 7,1% no total de ações da Companhia, em relação a 31 de dezembro de A empresa está voltada para uma gestão de agregação de valor aos acionistas e utilizará a consistente geração de caixa para recomprar suas ações em momentos de preços depreciados e de acordo com a 5 Covenants de Dívida e Recebíveis calculados conforme pronunciamento CPC 19 (R2) IFRS 11 a partir do 1T13 17

18 geração de caixa apurado pela Companhia, com o posterior cancelamento destas ações. No programa de recompra vigente, há ainda um saldo de ações a serem recompradas. Liquidez 18

19 LOG Commercial Properties A LOG CP, a partir do quando do pedido de registro de Companhia aberta na categoria B na CVM, passou a disponibilizar seus resultados detalhadamente e de forma independente. O ER da LOG está disponível no site da MRV (http://ri.mrv.com.br/relatorios_trimestrais.aspx?l=1). Abaixo os principais indicadores da LOG CP: Destaques Operacionais (em ABL m², no %LOG) 3T14 3T14 x 3T14 x x Portfólio ,4% 6,1% ,1% Galpões ,3% 5,9% ,9% Retail * ,0% 5,4% ,4% Office ,7% 8,4% ,4% ABL Aprovado ,3% 311,1% ,6% Galpões ,9% 282,3% ,1% Retail * ,0% 0,0% ,2% Office ,0% 0,0% - - 0,0% ABL Produzido ,7% -73,2% ,8% Galpões ,2% -74,2% ,8% Retail * ,1% -54,9% ,7% Office ,0% 0,0% - - 0,0% ABL Entregue ,9% 195,8% ,7% Galpões ,1% 158,7% ,4% Retail * ,0% 0,0% ,0% Office ,0% 0,0% - - 0,0% Destaques Financeiros (em R$ milhões) 3T14 3T14 x 3T14 x x Receita Operacional Líquida ,9% -69,7% ,8% EBITDA ,8% -50,5% ,3% Margem EBITDA (%) 76,2% 1584,5% 46,6% -1508,4 p.p. 29,5 p.p. 582,9% 55,3% 527,6 p.p. EBITDA Ajustado** ,4% 51,9% ,7% Margem EBITDA Ajustado (%) 71,8% 69,6% 65,5% 2,2 p.p. 6,3 p.p. 70,4% 64,1% 6,4 p.p. FFO ,0% -78,6% ,3% Margem FFO (%) 29,3% 1562,6% 41,6% -1533,2 p.p. -12,3 p.p. 558,6% 45,6% 513,0 p.p. FFO Ajustado ** ,4% -26,0% ,9% Margem FFO Ajustado (%) 28,0% 40,4% 52,6% -12,3 p.p. -24,5 p.p. 36,4% 44,9% -8,5 p.p. * Retail: Shopping Centers e Strip Malls. ** EBITDA e FFO Ajustado: não considera resultados não recorrentes de venda de participação no Shopping Contagem e o ganho/perda com Valor Justo das Propriedades para investimento. *** Os destaques operacionais consideram as subsidiárias controladas em conjunto. 19

20 Urbamais No 3T14, a Urbamais lançou seu primeiro empreendimento, o Parque Atlanta em Araraquara/SP. O projeto possui um total de 335 lotes em condomínio fechado, com área verde e lazer completo. Em Ago/14, foram lançados 246 lotes com 212 m 2 de área média. Atualmente a Urbamais possui 13 áreas em seu portfólio para futuros empreendimentos, em 5 diferentes estados. Dados Operacionais Urbamais (100%) 3T14 Banco de terrenos (R$ milhões) VGV Lançado (R$ milhões) 23,4 Número de unidades 246 Preço Médio por Unidade (R$ mil) 95 Área lançada - em m Vendas contratadas (R$ milhões) 7,8 Número de unidades 82 Preço Médio por Unidade (R$ mil) 95 Área vendida - m Banco de terrenos (em R$) por Estado % Urbamais 3T14 Banco de terrenos (R$ mil) VGV Lançado (R$ mil) 15,0 Número de unidades 157 Preço Médio por Unidade (R$ mil) 95 Área lançada - em m Vendas contratadas (R$ mil) 5,0 Número de unidades 52 Preço Médio por Unidade (R$ mil) 95 Área vendida - m Nota: %Urbamais: percentual da Urbamais nos empreendimentos Parque Atlanta: o terreno desse empreendimento foi permutado com a MRV. Sendo assim, os resultados apresentados pela MRV contemplam 36% do total das vendas, lançamentos e banco de terrenos deste empreendimento. 20

21 Relações com Investidores Leonardo Corrêa Diretor Executivo de Finanças Tel.:+(55 31) Mônica Simão Diretora Executiva de Relações com Investidores Tel.: +(55 31) Matheus Torga Gestor Executivo de Relações com Investidores Tel.: +(55 31)

22 Anexo 01 Demonstração do Resultado MRV Consolidado (R$ milhões) (CPC 19 IFRS 11) em R$ milhões 3T14 Var. x RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ,9% 5,8% ,7% CUSTO DOS IMÓVEIS VENDIDOS (815) (732) (787) 11,3% 3,5% (2.217) (2.149) 3,2% LUCRO BRUTO ,2% 12,2% ,0% Margem Bruta 28,2% 27,8% 26,6% 0,3 p.p. 1,6 p.p. 27,5% 26,4% 1,1 p.p. RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS Despesas comerciais (97) (81) (67) 19,9% 44,8% (246) (201) 22,5% Despesas gerais e administrativas (63) (56) (60) 12,7% 4,5% (180) (179) 0,4% Outras (despesas) receitas operacionais, líquidas (23) (15) (15) 55,0% 54,6% (54) (23) 130,9% Resultado em participação societária (18) ,0% LUCRO OPERACIONAL ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO ,5% 22,3% ,6% RESULTADO FINANCEIRO Despesas financeiras (32) (25) (43) 29,7% 24,6% (89) (96) 6,9% Receitas financeiras ,7% 57,1% ,3% Receitas financeiras provenientes dos clientes por incorporação de ,5% 15,0% imóveis 39,2% LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ,6% 4,7% ,9% Imposto de renda e contribuição social (6) (17) (18) 66,3% 69,0% (39) (30) 32,4% LUCRO DO PERÍODO ,5% 4,0% ,6% LUCRO ATRIBUÍVEL A PARTICIPAÇÕES NÃO CONTROLADORAS ,6% 24,2% ,4% LUCRO LÍQUIDO ATRIBUÍVEL AOS ACIONISTAS DA CONTROLADORA ,3% 3,3% ,0% Margem líquida 11,9% 39,6% 12,2% 27,7 p.p. 0,3 p.p. 20,2% 12,0% 8,2 p.p. EBITDA (R$ milhões) - (CPC 19 IFRS 11) em R$ milhões 3T14 Var. x Lucro antes dos impostos ,6% 4,7% ,9% Depreciações e Amortizações ,7% 7,1% ,8% Resultado Financeiro (27) (35) (0) 22,3% 7491,1% (78) (23) 240,3% Encargos financeiros incluídos no CMV ,6% 6,9% ,3% EBITDA ,6% 18,3% ,0% Margem EBITDA 14,1% 42,3% 18,3% 28,1 p.p. 4,2 p.p. 23,5% 17,5% 6,1 p.p. 22

23 Anexo 02 Balanço Patrimonial MRV Consolidado (R$ milhões) (CPC 19 IFRS 11) ATIVO 30/09/ /06/ /12/2013 CIRCULANTE Var. Set/14 x Jun/14 Var. Set/14 x Dez/13 Caixa e equivalentes de caixa ,1% 27,0% Aplicações financeiras (Títulos e valores mobiliários) ,2% 26,6% Clientes por incorporação de imóveis ,7% 0,3% Clientes por prestação de serviços ,0% 15,2% Estoques (Imóveis a comercializar) ,2% 9,9% Tributos Correntes a Recuperar ,8% 90,3% Despesas antecipadas ,4% 14,1% Outros ativos ,5% 5,8% Total do ativo circulante ,3% 3,0% NÃO CIRCULANTE Clientes por incorporação de imóveis ,1% 5,1% Estoques (Imóveis a comercializar) ,7% 11,9% Créditos com empresas ligadas ,6% 11,8% Despesas antecipadas ,1% 62,4% Outros ativos não circulantes ,1% 13,5% Participações em controladas e controladas em conjunto ,3% 35,4% Imobilizado ,7% 1,6% Intangível ,7% 57,0% Total do ativo não circulante ,4% 8,3% TOTAL DO ATIVO ,3% 1,8% 23

24 Anexo 02 Balanço Patrimonial MRV Consolidado (R$ milhões) - (CPC 19 IFRS 11) continuação PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 30/09/ /06/ /12/2013 PASSIVO CIRCULANTE Var. Set/14 x Jun/14 Var. Set/14 x Dez/13 Fornecedores ,1% 33,8% Empréstimos e financiamentos ,4% 27,9% Contas a pagar por aquisição de terrenos ,4% 5,5% Adiantamentos de clientes ,1% 18,6% Obrigações sociais e trabalhistas ,5% 41,3% Obrigações fiscais ,4% 45,9% Provisão para manutenção de imóveis ,8% 1,2% Impostos diferidos passivos ,0% 3,1% Dividendos propostos Outras contas a pagar ,2% 19,9% Total do passivo circulante ,6% 1,7% PASSIVO NÃO CIRCULANTE Empréstimos e financiamentos ,5% 29,7% Contas a pagar por aquisição de terrenos ,3% 151,9% Adiantamentos de clientes ,2% 0,1% Provisão para manutenção de imóveis ,4% 2,4% Provisões para riscos cíveis, trabalhistas e tributários ,9% 71,9% Impostos diferidos passivos ,9% 7,0% Outras contas a pagar ,1% 3,2% Total do passivo não circulante ,7% 7,8% PATRIMÔNIO LÍQUIDO Patrimônio líquido atribuível aos acionistas da Controladora ,2% 9,2% Participações não controladoras ,7% 6,3% Total do Patrimônio Líquido ,3% 9,1% TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO ,3% 1,8% 24

25 Anexo 03 Demonstração do Fluxo de Caixa Consolidado (R$ milhões) (CPC 19 IFRS 11) Consolidado (R$ milhões) 3T14 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS 1T12 Var. x LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO ,0% ,6% Ajustes para reconciliar o lucro líquido do exercício com o caixa aplicado ,5% (43) ,9% nas atividades operacionais Redução (aumento) nos ativos operacionais (24) ,2% Aumento (redução) nos passivos operacionais 6 (179) - (254) (595) 57,3% Caixa líquido aplicado nas atividades operacionais ,8% ,6% FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Redução (aumento) em títulos e valores mobiliários (6) (37) 82,3% 87 (110) - Adiantamentos a empresas ligadas (12) (10) 18,7% (65) (90) 27,5% Recebimento de empresas ligadas ,6% ,2% Redução (aquisição/aporte) em investimentos (15) (41) - Aquisição de ativo imobilizado e intangível (38) (8) 375,8% (59) (31) 91,1% Caixa líquido aplicado nas atividades de investimento (58) (19) 203,9% 38 (179) - FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Recebimento pela emissão de ações ,4% Recebimentos pelo exercício de opção de ações Ações em tesouraria (35) (7) 396,9% (195) (26) 639,9% Valores recebidos de empréstimos e financiamentos ,4% ,4% Amortização de empréstimos, financiamentos e debêntures (259) (559) 53,7% (1.088) (1.534) 29,1% Transações de Capital (0) - - Dividendos pagos (141) (125) 12,3% Distribuições a acionistas não controladores, líquidas 7 (24) - (4) (32) 88,6% Caixa líquido (utilizado nas) gerado pelas atividades de financiamento (129) (793) (158) 402,1% AUMENTO (REDUÇÃO) LÍQUIDO NO CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA (1) (384) 73 - CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA No início do período ,6% ,7% No fim do período ,8% ,8% 25

26 Anexo 04 Demonstração do Resultado Consolidada LOG CP 100% (R$ milhões) (CPC 19 IFRS 11) DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO 3T14 Var. 3T14 x Var. x RECEITA LÍQUIDA ,9% -69,7% ,8% CUSTO - - (29) (35) - LUCRO BRUTO ,9% -36,9% ,8% RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS Despesas comerciais (3) (2) (3) 31,8% -7,8% (7) (6) 32,3% Despesas gerais e administrativas (2) (3) (2) -8,1% -6,6% (7) (7) 2,4% Outras despesas operacionais, líquidas (0) (0) (0) 254,5% -28,8% 0 (1) - Variação do Valor Justo de propriedade para investimento ,7% Resultado de participação em controladas e controladas em conjunto ,6% -38,8% ,6% LUCRO OPERACIONAL ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO ,8% -42,4% ,0% RESULTADO FINANCEIRO Encargos financeiros (8) (7) (5) 17,8% 69,4% (22) (10) 113,5% Receitas financeiras ,8% -81,9% 6 6-0,1% LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E DA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ,8% -76,0% ,2% IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Correntes (1) (2) (1) -21,3% -6,2% (4) (3) - Diferidos 1 3 (2) -76,3% - 9 (0) - LUCRO DOS PERÍODOS ,0% -74,6% ,8% LUCRO ATRIBUÍVEL A Acionistas controladores ,9% -74,5% ,5% Acionistas não controladores (0) Destaques Financeiros (em R$ milhões) 3T14 3T14 x 3T14 x x Receita Operacional Líquida ,9% -69,7% ,8% EBITDA ,8% -50,5% ,3% Margem EBITDA (%) 76,2% 1584,5% 46,6% -1508,4 p.p. 29,5 p.p. 582,9% 55,3% 527,6 p.p. EBITDA Ajustado** ,4% 51,9% ,7% Margem EBITDA Ajustado (%) 71,8% 69,6% 65,5% 2,2 p.p. 6,3 p.p. 70,4% 64,1% 6,4 p.p. FFO ,0% -78,6% ,3% Margem FFO (%) 29,3% 1562,6% 41,6% -1533,2 p.p. -12,3 p.p. 558,6% 45,6% 513,0 p.p. FFO Ajustado ** ,4% -26,0% ,9% Margem FFO Ajustado (%) 28,0% 40,4% 52,6% -12,3 p.p. -24,5 p.p. 36,4% 44,9% -8,5 p.p. ** EBITDA e FFO Ajustado: não considera resultados não recorrentes de venda de participação no Shopping Contagem e o ganho/perda com Valor Justo das Propriedades para investimento. 26

27 Anexo 05 Balanço Patrimonial Consolidado LOG CP 100% (R$ milhões) (CPC 19 IFRS 11) ATIVO 30/set/14 30/jun/14 31/dez/13 Var. Set/14 x Jun/14 Var. Set/14 x Dez/13 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 30/set/14 30/jun/14 31/dez/13 Var. Set/14 x Jun/14 Var. Set/14 x Dez/13 CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa ,4% -94,9% Fornecedores ,4% -1,7% Contas a receber ,9% 7,7% Empréstimos e debêntures ,9% -35,0% Impostos a recuperar ,6% 63,4% Salários, encargos sociais e benefícios ,2% -13,4% Despesas antecipadas ,8% 26,4% Impostos e contribuições a recolher ,6% -19,4% Outros ativos ,0% Contas a pagar por aquisição de terrenos Total do ativo circulante ,1% -77,4% Adiantamentos - Permutas ,7% -76,9% Dividendos a pagar NÃO CIRCULANTE Obrigações com empresas relacionadas Contas a receber ,9% -24,8% Outros ,1% -64,4% Despesas antecipadas ,6% 18,0% Total do passivo circulante ,2% -41,5% Impostos a recuperar ,7% 76,4% Imposto de renda e contribuição social diferidos ,9% 732,9% PASSIVO NÃO CIRCULANTE Outros ,0% 0,0% Empréstimos e debêntures ,3% 26,4% Investimento em controladas em conjunto ,3% 44,3% Adiantamentos - Permutas ,3% 729,5% Propriedades para investimento ,9% 67,9% Impostos diferidos ,5% 8759,4% Imobilizado ,8% 9,1% Outros ,2% 79,6% Total do ativo não circulante ,2% 67,4% Total do passivo não circulante ,1% 50,2% Total dos passivos ,6% 13,2% PATRIMÔNIO LÍQUIDO Patrimônio líquido atribuível aos acionistas da Controladora ,6% 97,3% Participações dos acionistas não controladores ,9% 163,6% Total do patrimônio líquido ,5% 97,3% TOTAL DOS ATIVOS ,1% 51,5% TOTAL DOS PASSIVOS E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ,1% 51,5% 27

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12 Recorde de repasses: 8.833 clientes no 1T12, 58% superior ao 1T11 Receita líquida atinge R$ 1.007 milhões no 1T12, 26% superior ao 1T11 Belo Horizonte, 14 de maio de 2012

Leia mais

Resultados do 1T15. Contato Relações com Investidores: Felipe Enck Gonçalves Diretor Executivo de Finanças e Relações com Investidores

Resultados do 1T15. Contato Relações com Investidores: Felipe Enck Gonçalves Diretor Executivo de Finanças e Relações com Investidores Resultados do 1T15 Contato Relações com Investidores: Felipe Enck Gonçalves Diretor Executivo de Finanças e Relações com Investidores +55 (31) 3615-8400 ri@logcp.com.br www.logcp.com.br/ri A LOG COMMERCIAL

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

Recorde histórico de geração de caixa de R$ 258 milhões no 3T15 e R$ 559 milhões nos 9M15

Recorde histórico de geração de caixa de R$ 258 milhões no 3T15 e R$ 559 milhões nos 9M15 Recorde histórico de geração de caixa de R$ 258 milhões no 3T15 e R$ 559 milhões nos 9M15 Belo Horizonte, 12 de novembro de 2015 MRV Engenharia e Participações S.A. (BM&FBovespa: MRVE3 ADR OTCQX: MRVNY),

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Resultados 2T13 e 1S13

Resultados 2T13 e 1S13 Resultados 2T13 e 1S13 Relações com Investidores RSID3: R$ 2,87 por ação OTC: RSRZY Total de ações: 428.473.420 Valor de mercado: R$ 1,3 bilhão Teleconferência 15 de Agosto de 2013 Em Português com Tradução

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Conheça a MRV Engenharia

Conheça a MRV Engenharia Conheça a MRV Engenharia MRV em Números Ficha técnica MRV Engenharia Número de empregados nas obras (média 2014)...23.704 Vendas Contratadas (R$ milhões) (2014)...R$ 6.005 Receita liquida (R$ milhões)

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012 Apresentação Resultados 4T11 & 2011 Abril, 2012 Destaques & Eventos Recentes Balanço do ano de 2011 Processo de integração da Agre: SAP; Revisão orçamentária; Processo contábil de combinação de negócios

Leia mais

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009 Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09 Agosto/2009 Destaques 2T09 & 1S09 DESTAQUES OPERACIONAIS 2T09 VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS PRO RATA PDG REALTY DE R$710 MILHÕES, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE

Leia mais

Destaques Financeiros e Operacionais Consolidados

Destaques Financeiros e Operacionais Consolidados nte São Paulo, 7 de maio de 2010 A General Shopping Brasil S/A [BM&FBovespa: GSHP3], empresa com expressiva participação no mercado de shoppings centers do Brasil, anuncia hoje seus resultados do primeiro

Leia mais

EARNINGS RELEASE 1T12

EARNINGS RELEASE 1T12 São Paulo, 16 de maio de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do 1º trimestre

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Entidades de Incorporação Imobiliária. ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias.

Entidades de Incorporação Imobiliária. ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias. Entidades de Incorporação Imobiliária ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias Agenda Atividades de compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis 1.Formação

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - CONSTRUTORA TENDA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - CONSTRUTORA TENDA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010 Discussão dos Resultados 1T10 07 de Maio de 2010 0 Aviso Esta apresentação poderá conter certas projeções e tendências que não são resultados financeiros realizados, nem informação histórica. Estas projeções

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T15

Apresentação de Resultados 1T15 Apresentação de Resultados 1T15 1 Destaques do Período Início da operação comercial de quatro parques do LEN A-3 2011 Início da operação comercial: 04 de março de 2015 Os outros 5 parques serão conectados

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011 Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011 Agosto, 2011 2 Destaques Operacionais DESTAQUES OPERACIONAIS DO 2T11 & 1S11 2T11 LANÇAMENTOS PRO RATA PDG ALCANÇARAM R$2,05 BILHÕES NO 2T11, REPRESENTANDO

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC)

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório obrigatório pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 1T14

Apresentação dos Resultados do 1T14 Apresentação dos Resultados do 1T14 Destaques do 1T14 A Companhia registrou no 1T14 uma receita líquida de R$232,9 milhões, um crescimento de 3% comparado ao 1T13, quando a mesma totalizou R$225,9 milhões.

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC 12 Ajuste a Valor Presente.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC 12 Ajuste a Valor Presente. COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS - CPC CPC 12 Ajuste a Valor Presente. Estabelece a obrigatoriedade do ajuste a valor presente nos realizáveis e exigíveis a longo prazo e, no caso de efeito relevante,

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2014 (em IFRS)

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2014 (em IFRS) São Paulo, 30 de outubro de 2014 Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) (em IFRS) Lucro líquido cresce 66% no 3T14 e totaliza R$42 milhões Vendas líquidas crescem 18% no trimestre EBITDA cresce 44%,

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013 . São Paulo, 06 de agosto de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

MODELO DE PLANO DE CONTAS

MODELO DE PLANO DE CONTAS 26 MODELO DE PLANO DE CONTAS SINTÉTICA ANALÍTICA TÍTULO 1 ATIVO 1.1 CIRCULANTE 1.1.1 DISPONÍVEL 1.1.1.1 Caixa 1.1.1.2 Bancos Conta Movimento 1.1.1.3 Aplicações de Liquidez Imediata 1.1.2 CRÉDITOS DE VENDAS

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ATINGE R$128,9 MILHÕES NO 4T07 E R$384,1 MILHÕES NO ANO, UM CRESCIMENTO DE 173,8 % SOBRE O ANO ANTERIOR MARGEM BRUTA

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Prezado(a) Concurseiro(a),

Prezado(a) Concurseiro(a), Prezado(a) Concurseiro(a), A prova do TCM/RJ foi realizada no último final de semana e vou aproveitar para resolver as questões de Contabilidade Geral de forma simplificada e objetiva (nos cursos online,

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Release de Resultados - 4T13 2013

Release de Resultados - 4T13 2013 Release de Resultados 4T13 e 2013 Cyrela atinge margem bruta de 32,7% em 2013 e lucro líquido de R$ 719 milhões no ano. São Paulo, 20 de março de 2014 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira Contabilidade Prof. Dr. Alvaro Ricardino Módulo: Contabilidade Básica aula 04 Balanço Patrimonial: Grupo de Contas II Aula 4 Ao final desta aula você : - Conhecerá os grupos de contas do Ativo e Passivo.

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9%

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Resultados 3T15 EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Belo Horizonte, 10 de novembro de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

Release de Resultados - 4T11 2011

Release de Resultados - 4T11 2011 Release de Resultados - 4T11 2011 Cyrela gera caixa operacional de R$ 130 milhões (1) no 4T11 São Paulo, 26 de março de 2012 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR ou Companhia

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011 RESULTADOS 2T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 26 de julho de 2011 DESTAQUES DO 2T11 Impacto macroeconômico > IPCA 12 meses: +6,7% > Crescimento real GPA Alimentar: +2,3% > Aumento taxa Selic

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - GENERAL SHOPPING BRASIL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - GENERAL SHOPPING BRASIL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2013 . São Paulo, 31 de outubro de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 Resultados 1º Trimestre 2015 13.05 Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 RECEITA LÍQUIDA ATINGE R$ 68,5 MILHÕES NO 1T15, CRESCIMENTO DE 7,1% EM RELAÇÃO AO 1T14. EBITDA CONSOLIDADO ATINGE R$ 7,8 MILHÕES, QUEDA

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO INFORMAÇÕES INICIAIS - Eduardo G. Quiza Skype: eduardoquiza quiza@invespark.com.br (41) 3250-8500 - Real Estate: Fundamentos para análise de Investimentos. Elsevier, 2010. 2 MBA

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011 Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011 Novembro, 2011 2 Destaques & Eventos Recentes PDG é eleita melhor empresa da América Latina no Institutional Investor Awards 2011; Extensão do contrato

Leia mais

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 153ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS LEVANTADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS LEVANTADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS LEVANTADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A COMIGO, com base na colaboração recíproca a que se obrigam seus associados, objetiva

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais