Programa BIP/ZIP de Lisboa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa BIP/ZIP de Lisboa"

Transcrição

1 Programa BIP/ZIP de Lisboa Objectivos e âmbito O Programa BIP-ZIP Bairros e Zonas de Intervenção prioritária de Lisboa é criado pela Câmara Municipal de Lisboa, no quadro do Programa Local de Habitação (PLH), como um instrumento de política pública municipal que visa dinamizar parcerias e pequenas intervenções locais de melhoria dos habitats abrangidos, através do apoio a projectos levados a cabo por juntas de freguesia, associações locais, colectividades e organizações não governamentais, contribuindo para o reforço da coesão socio-territorial no município. Objectivos específicos Fomentar a cidadania activa, a capacidade de auto-organização e a procura colectiva de soluções, através da participação da população na melhoria das suas condições de vida; Contribuir para uma imagem positiva destes espaços, por forma a permitir e reforçar a sua integração harmoniosa na cidade, sem discriminações no acesso aos bens e serviços a todos são devidos; Criar um clima favorável ao empreendedorismo e à capacidade de iniciativa local; Âmbito Os BIP-ZIP abrangidos pelo programa são os que constam da Carta dos BIP-ZIP de Lisboa, aprovada pela Deliberação 616/CM/2010 de 17 de Novembro ( Ciclo e calendário para 2011 O Programa BIP-ZIP de Lisboa desenvolve-se segundo um ciclo com 7 fases:

2 Para a sua primeira edição o calendário das 7 fases é o abaixo-indicado. Considera-se que a fase de diagnóstico dos problemas e prioridades se encontra realizada na sequência da consulta pública sobre a Carta dos BIP-ZIP que decorreu em Agosto e Setembro de Preparação (Novembro e Dezembro 2010) Diagnóstico de problemas e prioridades (realizado) Definição do orçamento do Programa (realizado) Definição das diferentes fases e respectivo cronograma Definição das regras de funcionamento Promoção de articulações inter-institucionais Auscultação das Juntas de Freguesia (20 de Dezembro de 2010) Constituição do Júri de Avaliação Submissão do programa à Câmara Municipal (22 de Dezembro de 2010) 2. Capacitação (Janeiro 2011) Divulgação pública do programa Organização de acções de formação sobre a preparação de projectos Disponibilização do formulário de candidatura (on-line e em papel) 3. Apresentação das candidaturas (Fevereiro e Março 2011) Formalização dos pedidos de financiamento 4. Apreciação das candidaturas (Março e Abril 2011) Verificação de conformidade Publicitação da lista de candidaturas admitidas Prazo de reclamação Análise técnica das candidaturas Avaliação e pontuação das candidaturas pelo Júri Aprovação da acta do Júri pela entidade competente Informação à CML Notificação dos candidatos 5. Apresentação dos resultados (Abril 2011) Divulgação dos resultados Assinatura dos protocolos (em acto público) 6. Execução dos projectos (Maio a Dezembro 2011) Implementação dos projectos 7. Avaliação do Programa (Outubro e Dezembro 2011) Aplicação de um questionário de avaliação a todos os projectos Estudo de caso de alguns projectos

3 Workshop de avaliação com os promotores dos projectos Relatório global de avaliação e recomendações Apreciação do relatório de avaliação pela CML Preparação do ciclo de 2012, com ajustamento das regras face à avaliação A este ciclo corresponde um ciclo interno de acompanhamento do programa, da responsabilidade da DMH e com obrigatoriedade de informação interna (rede de pontos de contacto dos serviços e empresas municipais envolvidos) e externa (rede de parceiros). Regras 1. O Programa destina-se exclusivamente a apoiar actividades e projectos a desenvolver nos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária de Lisboa, em conformidade com a proposta final de 67 localizações aprovada pela Câmara Municipal, em Novembro de O Programa prevê o apoio a projectos que podem desenvolver-se segundo um ou vários dos seguintes eixos: socio-económico (intervenções de apoio social, de promoção da cidadania ou de criação de emprego local) ambiental (intervenções no espaço público) urbanístico-legal (intervenções no tecido edificado, apoio a regularização de questões urbanísticas e patrimoniais) 3. O Programa prevê o apoio a projectos que se insiram numa das seguintes três tipologias e escalões de intervenção: a) Intervenções pontuais, com apoio máximo até 5.000,00 ; b) Serviços à comunidade, com apoio máximo até ,00 ; c) Pequenos investimentos e acções integradas, com apoio máximo até , Os apoios financeiros serão concedidos mediante a celebração de protocolos de colaboração entre a Câmara Municipal de Lisboa e os promotores dos projectos. 5. O financiamento dos projectos aprovados é de 100% até ao limite financeiro estipulado para cada tipologia de intervenção. Isto não impede as organizações de complementarem os projectos, para além desses limites, através de outros apoios, desde que devidamente declarados e sem incorrer em situações de duplo financiamento das mesmas actividades. 6. Podem concorrer ao Programa as Juntas de Freguesia que incluem nos seus territórios pelo menos um BIP/ZIP, assim como as organizações da sociedade civil que aí desenvolvem ou se propõem desenvolver actividade. 7. Todas as candidaturas devem ser apresentadas por uma parceria territorial que integre pelo menos duas entidades. 8. As entidades promotoras e parceiras não podem apresentar mais de uma candidatura por cada BIP-ZIP. 9. O processo de candidatura deverá integrar obrigatoriamente, sob pena de indeferimento, a seguinte documentação: a) Formulário de candidatura devidamente preenchido; b) Fotocópia do cartão de pessoa colectiva; c) Fotocópia do Número de Identificação Bancária.

4 No caso das organizações da sociedade civil acresce a seguinte documentação: d) Estatutos; e) Fotocópia da acta de eleição dos órgãos sociais; f) Comprovativo de situação regularizada perante a Fazenda Pública; g) Comprovativo de situação regularizada perante a Segurança Social. As entidades poderão anexar outras informações que considerem relevantes para o processo de candidatura. 10. Todas as entidades candidatas da sociedade civil, promotoras de projectos, deverão inscrever-se na base de dados de fornecedores da Câmara Municipal de Lisboa. As que já se encontram inscritas não necessitam de repetir esse procedimento. 11. Todos os projectos apresentados serão alvo de uma análise técnica por parte da Coordenação do Programa e de um Júri Independente, que avaliarão a conformidade com os objectivos do Programa, os benefícios para os territórios, assim como a respectiva viabilidade técnica e financeira. 12. As candidaturas serão analisadas com base nos seguintes critérios: a) Pertinência e complementaridade, com pontuação de 0 a 10; b) Participação, com pontuação de 0 a 30; c) Coesão social e territorial, com pontuação de 0 a 30; d) Inovação, com pontuação de 0 a 20; e) Planeamento e avaliação, com pontuação de 0 a 10. A classificação final resultará do somatório da pontuação atribuída a cada critério. 13. Os apoios previstos no ponto 3 serão concedidos em tranches trimestrais, nos dias 15 dos meses de Maio, Agosto e Novembro de 2011 e Fevereiro de O primeiro pagamento será efectuado com a assinatura do protocolo. Os pagamentos intermédios serão condicionados à apresentação de uma ficha de progresso do trabalho desenvolvido no trimestre anterior. O último pagamento será efectuado mediante a apresentação de um relatório final de prestação de contas e avaliação dos resultados por parte dos promotores. 14. Caso se confirmem situações de aplicação irregular dos apoios concedidos, as entidades envolvidas poderão ter que restituir o dinheiro ou ficar impedidas de apresentar novos projectos em futuras edições do Programa. 15. A execução dos projectos deverá decorrer entre os meses de Maio e Dezembro de Todas as entidades promotoras de projectos aprovados devem comunicar por escrito, à Coordenação do Programa, a data de início dos mesmos. 17. Eventuais alterações aos projectos aprovados carecem de uma autorização prévia por parte da Câmara Municipal de Lisboa. 18. Compete à Direcção Municipal de Habitação o acompanhamento dos projectos apoiados pelo Programa, podendo, nesse âmbito, solicitar aos candidatos informação que considere necessária sobre as intervenções em curso. 19. Todas as acções desenvolvidas devem fazer menção expressa ao Programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa. 20. As candidaturas podem ser enviados por ou através de correio postal registado para Programa BIP-ZIP CML-DMH, Rua Nova do Almada, 3ª andar, até ao dia 18 de Março de Os casos omissos nas presentes regras serão devidamente analisados pela Coordenação do Programa e resolvidos mediante despacho da entidade competente.

5 22. As regras do Programa serão revistas anualmente, tendo por base a avaliação efectuada.

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS PERGUNTAS FREQUENTES Versão 28/06/2016 Com este Documento pretende-se divulgar as respostas às perguntas mais frequentes sobre o Programa BIP/ZIP Lisboa 2016 Parcerias Locais. Trata-se de um documento

Leia mais

O QUE SÃO OS BIP/ZIP?

O QUE SÃO OS BIP/ZIP? Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) de Lisboa O QUE SÃO OS BIP/ZIP? Sessão de Capacitação Apoios financeiros para a área social 27 de Maio Miguel BRITO, Maio 2013 COMO SURGE A CARTA BIP/ZIP?

Leia mais

Programa BIP/ZIP parcerias locais- A energia dos bairros em tempo de crise

Programa BIP/ZIP parcerias locais- A energia dos bairros em tempo de crise Programa BIP/ZIP parcerias locais- A energia dos bairros em tempo de crise Cidadania para a sustentabilidade OIDP Helena Roseta Vereadora da Habitação, CML Cascais, 3.7.2013 O conceito BIP-ZIP Lisboa é

Leia mais

Ciclo e Regras do Programa BIP/ZIP Lisboa Parcerias Locais

Ciclo e Regras do Programa BIP/ZIP Lisboa Parcerias Locais 1. Objeto Ciclo e Regras do Programa BIP/ZIP Lisboa 2016 - Parcerias Locais O Programa BIP/ZIP Lisboa 2016 - Parcerias Locais, criado pela Câmara Municipal de Lisboa, adiante designado por Programa, surge

Leia mais

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS UMCCI Março de 2009 Índice 1 Introdução.. 3 2 - Contabilização do investimento e dos incentivos 3 3 - Execução do projecto 4

Leia mais

Financiamento de Candidaturas. Regulamento

Financiamento de Candidaturas. Regulamento Financiamento de Candidaturas A Junta de Freguesia de Benfica (JFB), no âmbito da sua responsabilidade social e no âmbito da Comissão Social de Freguesia (CSF), irá apoiar financeiramente candidaturas

Leia mais

Ciclo e Regras do Programa BIP/ZIP Lisboa Parcerias Locais

Ciclo e Regras do Programa BIP/ZIP Lisboa Parcerias Locais 1. Objeto Ciclo e Regras do Programa BIP/ZIP Lisboa 2017 - Parcerias Locais O Programa BIP/ZIP Lisboa 2017 - Parcerias Locais, criado pela Câmara Municipal de Lisboa, adiante designado por Programa, surge

Leia mais

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PONTUAÇÃO DAS CANDIDATURAS

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PONTUAÇÃO DAS CANDIDATURAS PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PONTUAÇÃO DAS CANDIDATURAS PARTICIPAÇÃO A este nível será avaliada a participação das populações dos BIP/ZIP no desenho, no desenvolvimento

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95)

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95) SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95) - Organização de actividades de intercâmbio, entre as escolas, de projectos de inovação ou de investigação REGULAMENTO ESPECÍFICO -

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE. 3. ª e d i ç ã o. FAQ s

BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE. 3. ª e d i ç ã o. FAQ s BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE 3. ª e d i ç ã o FAQ s 2016 FAQ S I FINALIDADE DO PROGRAMA ES JOVEM 1. Qual é a finalidade do programa ES Jovem? Este programa tem como finalidade dar a conhecer o sector da

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 4 Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL Centro-VQA-2009-13-BM-13 1 Nos termos do Regulamento Específico Acções

Leia mais

FUNDO FLORESTAL PERMANENTE PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO, DA GESTÃO E DO ORDENAMENTO FLORESTAIS

FUNDO FLORESTAL PERMANENTE PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO, DA GESTÃO E DO ORDENAMENTO FLORESTAIS APOIO PARA A ELABORAÇÃO DO INVENTÁRIO DA ESTRUTURA DA PROPRIEDADE NO ÂMBITO DAS ZONAS DE (Portaria n.º 77/2015, de 16 de março, alterada pela Portaria n.º 163/2015, de 2 de junho, e Declaração de Retificação

Leia mais

Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional. Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA)

Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional. Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA) Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA) CONVITE PÚBLICO PRÉVIO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA DE PROGRAMA DE ACÇÃO SAMA/1/2008

Leia mais

CONCURSOS DE 2013: Acesso das ONG aos apoios do Programa

CONCURSOS DE 2013: Acesso das ONG aos apoios do Programa CONCURSOS DE 2013: Acesso das ONG aos apoios do Programa FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Nuno Venade* Lisboa, 22 de março de 2013 Índice 1 2 3 4 5 6 Introdução Concursos Candidaturas Admissibilidade Seleção

Leia mais

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana 3ª Reunião do GAL Alcabideche, DNA Cascais 07 de julho de 2015 ORDEM DE TRABALHOS Ponto de situação sobre

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE APOIOS PARA ACÇÕES PEDAGÓGICO - CULTURAIS

PROJECTO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE APOIOS PARA ACÇÕES PEDAGÓGICO - CULTURAIS PROJECTO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE APOIOS PARA ACÇÕES PEDAGÓGICO - CULTURAIS CAPÍTULO I GENERALIDADES ARTIGO 1º (DEFINIÇÕES ) O presente Regulamento, disciplina a concessão de apoios a prestar, pelas

Leia mais

VIGILÂNCIA NOS REFEITÓRIOS ESCOLARES - ORIENTAÇÕES

VIGILÂNCIA NOS REFEITÓRIOS ESCOLARES - ORIENTAÇÕES - ORIENTAÇÕES Finalidade Os refeitórios escolares são locais de aprendizagem de boas práticas, com reflexos positivos no desenvolvimento pessoal e social das crianças. A Vigilância nos refeitórios escolares

Leia mais

EESTÁGIO PROFISSIONAL

EESTÁGIO PROFISSIONAL CAPÍTULO I Artigo 1.º Regime aplicável 1. O presente regulamento refere-se aos procedimentos de regulação do Estágio do 1.º ano do ramo de Design, da licenciatura do Curso de Arte e Design da Escola Superior

Leia mais

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 073 GASP - Gabinete de Acção Social e Psicológica

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 073 GASP - Gabinete de Acção Social e Psicológica Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 073 GASP - Gabinete de Acção Social e Psicológica Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060

Leia mais

Prémio Norte Empreendedor Regulamento

Prémio Norte Empreendedor Regulamento Prémio Norte Empreendedor Regulamento Artigo 1º - Objeto do Regulamento O objeto do presente regulamento é estabelecer as regras associadas ao Prémio Norte Empreendedor, para assegurar a equidade e transparência

Leia mais

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Capítulo I Âmbito Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo Programa Operacional de Assistência Técnica

Leia mais

Regulamento. Cardio Arena Focus on Innovation Congresso Português de Cardiologia 2017

Regulamento. Cardio Arena Focus on Innovation Congresso Português de Cardiologia 2017 Regulamento Cardio Arena Focus on Innovation Congresso Português de Cardiologia 2017 Artigo 1º - Regulamento do Concurso 1. O Concurso rege-se pelo presente regulamento cabendo ao Júri proceder à interpretação

Leia mais

FREGUESIA DE VÁRZEA DA OVELHA E ALIVIADA

FREGUESIA DE VÁRZEA DA OVELHA E ALIVIADA REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS ÀS ACTIVIDADES DAS ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS, RECREATIVAS E CAPÍTULO I Disposições comuns Artigo 1º Lei Habilitante O presente regulamento é elaborado ao abrigo do

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS

PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS Nota Justificativa O empreendedorismo

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 081 HÁ VIDA NO PAÇO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO DO LITORAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 Nos termos do regulamento específico Acções de Valorização

Leia mais

Área Metropolitana do. Porto Programa Territorial de Desenvolvimento

Área Metropolitana do. Porto Programa Territorial de Desenvolvimento Área Metropolitana do Porto 2007-2013 Programa Territorial de Desenvolvimento Promoção da Mobilidade Urbana: Variantes a centros urbanos; Planos de Mobilidade Urbana Sustentável Aviso de Abertura de Concurso

Leia mais

Sistemas de Incentivos do QREN

Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN 1. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME 2. Sistema de Incentivos à Inovação 3. Sistema de Incentivos à Investigação

Leia mais

Projecto de Regulamento de Apoio a Associações. Juvenis, Associações de Estudantes e Grupo de. Jovens do Concelho de Vila Nova de Famalicão

Projecto de Regulamento de Apoio a Associações. Juvenis, Associações de Estudantes e Grupo de. Jovens do Concelho de Vila Nova de Famalicão Projecto de Regulamento de Apoio a Associações Juvenis, Associações de Estudantes e Grupo de Jovens do Concelho de Vila Nova de Famalicão Preâmbulo Capítulo I -Definições e Objectivos Artigo 1.º - Definição

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

Convite Público Apresentação de candidaturas

Convite Público Apresentação de candidaturas Convite Público Apresentação de candidaturas Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional PROMOÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Aviso n.º: Centro-PCI-2010-07 As informações que constam do presente

Leia mais

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais. Aviso - ALG

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais. Aviso - ALG Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais Aviso - ALG-36-2010-01 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Prevenção e Gestão

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 038 DE JOVEM A LIDER Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 051 BOUTIQUE DO BAIRRO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

2. Grelha de análise dos critérios a considerar para a emissão de pareceres técnicos

2. Grelha de análise dos critérios a considerar para a emissão de pareceres técnicos REDE SO CIAL AMADO RA CLAS - Conselho Local de Acção Social Documento de apoio à emissão de pareceres técnicos por parte do CLAS. Introdução O Conselho Local da Acção Social da Amadora tem como uma das

Leia mais

ESTÁGIOS EMPREGO IEFP,I.P. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL DECLARAÇÃO DE EMPREGABILIDADE

ESTÁGIOS EMPREGO IEFP,I.P. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL DECLARAÇÃO DE EMPREGABILIDADE IEFP,I.P. MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA ESTÁGIOS EMPREGO 1. DECLARAÇÃO DE EMPREGABILIDADE Para efeitos de candidatura à Medida Estágios Emprego, a entidade

Leia mais

Contrato Local de Desenvolvimento Social + Ribeira de Pena/2014. Ribeira Empreende. Regulamento do Concurso de Empreendedorismo

Contrato Local de Desenvolvimento Social + Ribeira de Pena/2014. Ribeira Empreende. Regulamento do Concurso de Empreendedorismo Contrato Local de Desenvolvimento Social + Ribeira de Pena/2014 Ribeira Empreende Regulamento do Concurso de Empreendedorismo Introdução O Concurso de Empreendedorismo Ribeira Empreende é uma iniciativa

Leia mais

PROTOCOLO. Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo de Setúbal

PROTOCOLO. Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo de Setúbal PROTOCOLO Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo de Setúbal Preâmbulo A criação da Estratégia Nacional para a Integração de Pessoas Sem-Abrigo (ENIPSA) 2009-2015 decorreu fundamentalmente da necessidade

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 2011 Identificação Entidade: Sociohabitafunchal, E.M Animadora: Célia Dantas Localização: Centro Cívico de Santo António Designação O Clube de Emprego é um serviço promovido pelo

Leia mais

Concurso de Ideias para Logótipo da Federação Portuguesa de Dança Desportiva Regulamento

Concurso de Ideias para Logótipo da Federação Portuguesa de Dança Desportiva Regulamento Concurso de Ideias para Logótipo da Federação Portuguesa de Dança Desportiva Regulamento 1. Promotor e Objectivos Na entrada de um novo mandato, a Federação Portuguesa de Dança Desportiva, leva a efeito

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO ORDEM DOS ENFERMEIROS PREÂMBULO

REGULAMENTO INTERNO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO ORDEM DOS ENFERMEIROS PREÂMBULO PREÂMBULO A Ordem dos Enfermeiros (OE) desenvolve o seu primeiro Orçamento Participativo (OP), olhando para este instrumento como uma oportunidade de envolver os seus associados na definição das políticas

Leia mais

REDE SOCIAL Câmara Municipal de Barcelos Divisão de Acção Social

REDE SOCIAL Câmara Municipal de Barcelos Divisão de Acção Social EMISSÃO DE PARECERES TÉCNICOS Aprovado em Reunião do Conselho Local de Acção Social (CLAS) de Maio de 6 Critérios de avaliação para emissão de pareceres Para que se conheça em CLAS, o posicionamento dos

Leia mais

Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas

Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas A, no contexto do compromisso de responsabilidade partilhada estabelecido no Congresso do Desporto, com o movimento associativo

Leia mais

Programa 2013 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 092 Escolinha Crescer na Maior

Programa 2013 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 092 Escolinha Crescer na Maior Programa 2013 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 092 Escolinha Crescer na Maior Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 072 remix Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322

Leia mais

IIª Edição Programa PARTIS. Sala 1 24 de Julho de 2015

IIª Edição Programa PARTIS. Sala 1 24 de Julho de 2015 IIª Edição Programa PARTIS Sala 1 24 de Julho de 2015 ENQUADRAMENTO 2007-2012: Apoio a experiências piloto 2013: Abertura do primeiro concurso PARTIS 2014: Arranque dos 17 projetos selecionados 2014-2016:

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE VILA DO PORTO

JUNTA DE FREGUESIA DE VILA DO PORTO ANEXO II Formulário de candidatura a Contrato-Programa A preencher pela Junta de Freguesia DATA DE ENTRADA / / A preencher pela Junta de Freguesia DELIBERAÇÃO DA JUNTA: APROVADO NÃO APROVADO DATA / / ASSINATURA

Leia mais

Anexo Único. Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária

Anexo Único. Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária Anexo Único Estrutura e modelo de funcionamento de Co- Governação para os Gabinetes de Apoio aos Bairros de Intervenção Prioritária Artigo 1º - Definição Um GABIP é uma estrutura de iniciativa municipal,

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

FICHA DE PROJECTO. Nome do Projecto Murtas na Cidade LOGOTIPO. Ano de Início. Julho de Duração Prevista Nome da pessoa responsável pelo projecto

FICHA DE PROJECTO. Nome do Projecto Murtas na Cidade LOGOTIPO. Ano de Início. Julho de Duração Prevista Nome da pessoa responsável pelo projecto FICHA DE PROJECTO Nome do Projecto Murtas na Cidade LOGOTIPO Ano de Início Duração Prevista Nome da pessoa responsável pelo projecto Direcção e Gabinete de Bairro (se aplicável) Público-alvo Bairro Abrangido

Leia mais

REGULAMENTO PARA EMISSÃO DE PARECERES TÉCNICOS. (Enquadramento)

REGULAMENTO PARA EMISSÃO DE PARECERES TÉCNICOS. (Enquadramento) REGULAMENTO PARA EMISSÃO DE PARECERES TÉCNICOS (Enquadramento) Conforme definido no preâmbulo do Decreto-Lei 115/2006, de 14 de Junho, os pareceres da Rede Social passaram a ter carácter obrigatório. A

Leia mais

Regulamento. Cardio Arena Focus on Innovation Congresso Português de Cardiologia 2017

Regulamento. Cardio Arena Focus on Innovation Congresso Português de Cardiologia 2017 Regulamento Cardio Arena Focus on Innovation Congresso Português de Cardiologia 2017 Artigo 1º - Regulamento do Concurso 1. O Concurso rege-se pelo presente regulamento cabendo ao Júri proceder à interpretação

Leia mais

AMOG - Associação para a Melhoria da Organização e Gestão Regulamento do Concurso Ideias Empreendedoras

AMOG - Associação para a Melhoria da Organização e Gestão Regulamento do Concurso Ideias Empreendedoras AMOG - Associação para a Melhoria da Organização e Gestão Regulamento do Concurso Ideias Empreendedoras Transforme a sua ideia de negócio numa empresa de sucesso! Data de revisão: 15-02-2017 ÍNDICE 1.

Leia mais

Regulamento Municipal

Regulamento Municipal Regulamento Municipal Atribuição de subsídios e apoios às associações do Concelho de Gouveia Câmara Municipal de Gouveia Gouveia, 27 de março de 2014 Regulamento municipal de Atribuição de Subsídios e

Leia mais

Regulamento de atribuição de subsídios e apoios às instituições e organismos sem fins lucrativos da Freguesia de Tavarede

Regulamento de atribuição de subsídios e apoios às instituições e organismos sem fins lucrativos da Freguesia de Tavarede REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSIDIOS E APOIOS ÀS INSTITUIÇÕES E ORGANISMOS SEM FINS LUCRATIVOS JUNTA DE FREGUESIA DE TAVAREDE ANO 2017 Regulamento de atribuição de subsídios e apoios às instituições

Leia mais

PRÉMIO MUNICIPAL EMPRESÁRIOS DO CONCELHO DE MOURA Critérios de Atribuição

PRÉMIO MUNICIPAL EMPRESÁRIOS DO CONCELHO DE MOURA Critérios de Atribuição PRÉMIO MUNICIPAL EMPRESÁRIOS DO CONCELHO DE MOURA Critérios de Atribuição Preâmbulo Os empresários assumem um papel preponderante no desenvolvimento do Concelho de Moura, o compromisso por eles assumido

Leia mais

Avenida Luís Bívar, Lisboa, Portugal. Tel: Regulamento Geral. Formação

Avenida Luís Bívar, Lisboa, Portugal. Tel: Regulamento Geral. Formação Avenida Luís Bívar, 85 1050-143 Lisboa, Portugal Tel: +351 21 781 62 82 Regulamento Geral Formação Última revisão Fevereiro 2011 Índice Índice 2 Introdução 3 Inscrições e Condições de Acesso 3 Funcionamento

Leia mais

De: Secretaria Nacional Pedagógica Para: Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos. Assunto: Concurso Jovem Consumidor Responsável

De: Secretaria Nacional Pedagógica Para: Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos. Assunto: Concurso Jovem Consumidor Responsável Circular 8-1-006 de 1 de Fevereiro De: Secretaria Nacional Pedagógica Para: Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos Assunto: Concurso Jovem Consumidor Responsável Caros Irmãos Escutas A Direcção

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

REGULAMENTO. Aprovado em reunião de Câmara de 15/07/2014, Del.ª 452/14

REGULAMENTO. Aprovado em reunião de Câmara de 15/07/2014, Del.ª 452/14 REGULAMENTO Aprovado em reunião de Câmara de 15/07/2014, Del.ª 452/14 Preâmbulo Face à conjuntura económica atual e, tendo em linha de conta alguns indicadores do Diagnóstico Social do Concelho, foram

Leia mais

Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências

Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências PRÉMIO INOVAÇÃO DO ISPTEC DIRECÇÃO CIENTÍFICA E DE EXTENSÃO Departamento de Políticas de Investigação e Pós-Graduação Luanda, Outubro de 2017 Sobre

Leia mais

Concurso de 2014 ANEXO XVIII. 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções:

Concurso de 2014 ANEXO XVIII. 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: Concurso de 2014 ANEXO XVIII PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PÚBLICOS NAS ESCOLAS 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: Secção I -

Leia mais

Concurso de Ideias de Negócios Criativas e Inovadoras

Concurso de Ideias de Negócios Criativas e Inovadoras Concurso de Ideias de Negócios Criativas e Inovadoras REGULAMENTO A Câmara Municipal da Boa Vista em parceria com a ADEI, no âmbito das suas politicas de promoção da competitividade e promoção do empreendedorismo

Leia mais

- Bolsa de Mérito à Execução Municipal -

- Bolsa de Mérito à Execução Municipal - Eixos Prioritários II, III e V Eixo II Acções Integradas de Valorização Territorial - Acções de Valorização de Novos Territórios de Aglomeração de Actividades Económicas Eixo III - Ciclo Urbano da Água

Leia mais

do concurso para a moderniz ação das infraestruturas desportivas e equipamentos dos Sócios Ordinários da FPF e

do concurso para a moderniz ação das infraestruturas desportivas e equipamentos dos Sócios Ordinários da FPF e REGULAMENTO do concurso para a modernização das infraestruturas desportivas e equipamentos dos Sócios Ordinários da FPF e dos Clubes das competições não profissionais. 0 1. Objetivos e Prioridades 1.1.

Leia mais

Programa Praia-Campo Sénior

Programa Praia-Campo Sénior Proposta 378/2011 Anexo N3 Programa Praia-Campo Sénior NORMAS TÉCNICAS 2011 CML/DEPARTAMENTO DE ACÇÃO SOCIAL/EQUIPA DA ÁREA DO ENVELHECIMENTO E PESSOAS SENIORES l. NORMAS TÉCNICAS CAPITULO I REGRAS GERAIS

Leia mais

Prémio APIFARMA Clube de Jornalistas. Jornalismo em Saúde REGULAMENTO

Prémio APIFARMA Clube de Jornalistas. Jornalismo em Saúde REGULAMENTO Prémio APIFARMA Clube de Jornalistas Jornalismo em Saúde REGULAMENTO 1. Objectivos O Clube de Jornalistas, com o apoio da APIFARMA Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica, institui o Prémio APIFARMA/

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2014

Programa BIP/ZIP 2014 Programa BIP/ZIP 2014 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 004 Lavandaria Social Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 050 O meu bairro é a minha cara - O meu lote é a minha casa.

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 050 O meu bairro é a minha cara - O meu lote é a minha casa. Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 050 O meu bairro é a minha cara - O meu lote é a minha casa. Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º

Leia mais

ANEXO XVIII. O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções:

ANEXO XVIII. O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: ANEXO XVIII PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PÚBLICOS NAS ESCOLAS 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: Secção I Apoio à realização

Leia mais

Concurso de Ideias AgrInnovation. Instruções de participação

Concurso de Ideias AgrInnovation. Instruções de participação Concurso de Ideias AgrInnovation Instruções de participação Âmbito e objetivos As presentes instruções consagram os termos e as condições de participação no Concurso de Ideias AgrInnovation, promovido

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO EIXO 4 Protecção e Valorização Ambiental PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS Acções Materiais Aviso nº: Centro-PRM-2011-04 Nos termos do Regulamento Específico

Leia mais

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 EIXO I Promoção da Inclusão das famílias com especial enfoque às necessidades dos idosos OBJECTIVO GERAL Melhorar as condições de vida de

Leia mais

ENTERPRISING THE FUTURE BY PORTUGUESE NATURAL STONE. Regulamento do Concurso Ideias Empreendedoras. 2ª Fase

ENTERPRISING THE FUTURE BY PORTUGUESE NATURAL STONE. Regulamento do Concurso Ideias Empreendedoras. 2ª Fase ENTERPRISING THE FUTURE BY PORTUGUESE NATURAL STONE Regulamento do Concurso Ideias Empreendedoras 2ª Fase Ideias empreendedoras geram projetos vencedores! Data: 20-10-2017 1. ENQUADRAMENTO 1.1. A presente

Leia mais

Formulário de Candidatura

Formulário de Candidatura PESCAS E RURALIDADE STARTUPS AGRICOLAS 2017 Data da Decisão: / / Aprovado.. Não aprovado.. Aprovado c/ reservas Comunicação ao candidato: Data: / / Ref.ª: IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO DESIGNAÇÃO: LOCALIZAÇÃO

Leia mais

BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE. 3. ª e d i ç ã o BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE REGULAMENTO

BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE. 3. ª e d i ç ã o BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE REGULAMENTO BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE 3. ª e d i ç ã o BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE REGULAMENTO 01.ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÃO GERAL As Bolsas ES JOVEM / NOS ALIVE resultam de uma iniciativa conjunta da Cooperativa

Leia mais

REGULAMENTO DA BOLSA DE ACESSO À CULTURA (BA CULTURA)

REGULAMENTO DA BOLSA DE ACESSO À CULTURA (BA CULTURA) REGULAMENTO DA BOLSA DE ACESSO À CULTURA (BA CULTURA) Artigo 1.º Objeto e Âmbito 1. O presente Regulamento, emitido ao abrigo do disposto no nº 3 do art.º 3º do decreto-legislativo nº 15/97, de 10 de Novembro,

Leia mais

Programa de Apoio ao Associativismo REGULAMENTO 2016

Programa de Apoio ao Associativismo REGULAMENTO 2016 2016 Programa de Apoio ao Associativismo REGULAMENTO 2016 ÍNDICE NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 2 DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 A Fundação INATEL... 2 Conceito de CCD... 2 Objeto e âmbito de aplicação...

Leia mais

2014 Câmara Municipal de Almada Direção Municipal de Desenvolvimento Social Divisão de Ação Sociocultural

2014 Câmara Municipal de Almada Direção Municipal de Desenvolvimento Social Divisão de Ação Sociocultural 2014 Câmara Municipal de Almada Direção Municipal de Desenvolvimento Social Divisão de Ação Sociocultural Apoio à Produção Teatral Grupos de Teatro do Concelho Normas Candidatura CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA

Leia mais

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2014 Refª: 092 Hospital Vet. Solidário Portugal Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60

Leia mais

REGULAMENTO Concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República

REGULAMENTO Concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República REGULAMENTO Concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República 1. Introdução O concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República é uma iniciativa

Leia mais

Regulamento de Apoio a Instituições sem fins lucrativos do. Concelho de Monforte

Regulamento de Apoio a Instituições sem fins lucrativos do. Concelho de Monforte Regulamento de Apoio a Instituições sem fins lucrativos do Concelho de Monforte Considerando que a Constituição da República nos seus artigos 73, 78 e 79 consagra que todos têm o direito à educação e à

Leia mais

AEPVZ Associação Empresarial da Póvoa do Varzim. Regulamento do Concurso Ideias

AEPVZ Associação Empresarial da Póvoa do Varzim. Regulamento do Concurso Ideias AEPVZ Associação Empresarial da Póvoa do Varzim Regulamento do Concurso Ideias Data de edição: 04-05-2017 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. CAPÍTULO I... 3 TEMA E OBJETIVOS DO CONCURSO... 3 3. CAPÍTULO II...

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 070 Gabinete de Apoio Jovem Futuro + Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO

PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO 2017 PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO ÍNDICE NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 2 DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 A Fundação INATEL...

Leia mais

4.ª Edição BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE JUNTOS NA ECONOMIA SOCIAL

4.ª Edição BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE JUNTOS NA ECONOMIA SOCIAL 4.ª Edição BOLSAS ES JOVEM / NOS ALIVE JUNTOS NA ECONOMIA SOCIAL REGULAMENTO 01.ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÃO GERAL As Bolsas ES JOVEM / NOS ALIVE resultam de uma iniciativa conjunta da Cooperativa António

Leia mais

guia concurso de ideias

guia concurso de ideias guia do concurso de ideias O Projecto LIMACRIA tem como parceiros as seguintes entidades: CEVAL - Conselho Empresarial do Vale do Lima IPVC - Instituto Politécnico de Viana do Castelo SPI - Sociedade Portuguesa

Leia mais

Artigo 1º (Enquadramento)

Artigo 1º (Enquadramento) 2017 1 CONCURSO ARTÍSTICO NOITE BRANCA 2017 REGULAMENTO Artigo 1º (Enquadramento) Inserido na Noite Branca 2017, o Concurso Artístico Noite Branca 2017, é um projeto concebido pela Fundação Bracara Augusta

Leia mais

Plataforma Supraconcelhia do Tâmega

Plataforma Supraconcelhia do Tâmega Regulamento da Plataforma Supraconcelhia do Tâmega Artigo 1º Objecto O presente regulamento define o processo de organização e funcionamento da Plataforma supraconcelhia do Tâmega, abreviadamente designada

Leia mais

Concurso Agrinovar. Regulamento

Concurso Agrinovar. Regulamento Concurso Agrinovar Regulamento Página 1 de 7 Preâmbulo O Concurso Agrinovar é uma iniciativa do Centro de Apoio Tecnológico Agro Alimentar (CATAA), do Centro de Empresas Inovadoras (CEi) e do InovCluster

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL PREÂMBULO Tendo como objectivo incentivar a investigação centrada sobre o Homem, tanto sob os aspectos físicos como sob o ponto de vista

Leia mais

MUDE PARA UMA NOVA EMPRESA, A SUA! APOSTE NA FORMAÇÃO!

MUDE PARA UMA NOVA EMPRESA, A SUA! APOSTE NA FORMAÇÃO! MUDE PARA UMA NOVA EMPRESA, A SUA! APOSTE NA FORMAÇÃO! IPN - INSTITUTO PEDRO NUNES APRESENTAÇÃO Criado em 1991, por iniciativa da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra, o Instituto

Leia mais

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO Prémio ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR EGEAC

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO Prémio ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR EGEAC 1 CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO Prémio ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR EGEAC 1. Enquadramento O Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar, atribuído a partir de uma Open Call /Chamada de Trabalhos, distingue um projecto

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA aprovados através de processo de consulta escrita concluído a 13 de Maio de 2015 METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010

PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010 PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010 Artigo 1º Objecto O presente Programa estabelece as normas específicas de acesso ao concurso para a atribuição de apoios financeiros pela Direcção-Geral da Saúde a pessoas

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS

Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS ( Com a alteração constante do Parecer da Comissão Permanente de Assuntos Sociais da Assembleia Municipal de Sintra ) 23 DE NOVEMBRO

Leia mais

SER SER RESPONSÁVEL. Programa de Responsabilidade Social das Empresas do Concelho de Odemira CLASO

SER SER RESPONSÁVEL. Programa de Responsabilidade Social das Empresas do Concelho de Odemira CLASO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SER RESPONSÁVEL REDE SOCIAL ODEMIRA SER RESPONSÁVEL Programa de Responsabilidade Social das Empresas do Concelho de Odemira CLASO PREÂMBULO A afirmação de Odemira como

Leia mais