Ena Comarca de Barbacena. Na década de 90, chegando à cidade de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ena Comarca de Barbacena. Na década de 90, chegando à cidade de"

Transcrição

1

2

3 ste trabalho é uma súmula do trabalho social desenvolvido pelo Dr. José Maria Ferreira de Castro, atualmente Promotor de Justiça Ena Comarca de Barbacena. Na década de 90, chegando à cidade de Santos Dumont, o Promotor deparou-se com uma situação crítica na estrutura física e administrativa da Delegacia e Cadeia Pública da cidade. Dada a gravidade da situação, só havia duas alternativas: a tratativa convencional, com meros procedimentos burocráticos e espera de solução pelos canais competentes. Ou ação direta, voluntária, envolvendo atores que de outra forma nem saberiam da situação ou mesmo que poderiam ajudar a resolver um problema aparentemente exclusivo do Poder Público, mas que de fato era de toda a sociedade. A segunda alternativa foi a escolhida e daí para frente o que se viu foi um raro momento de protagonismo coletivo: Poder Público, empresas, cidadãos ilustres e comuns, famílias de detentos e os próprios detentos agindo em prol de uma realidade melhor. Mas esta «lição de cidadania», conforme palavras de um cidadão beneficiado, não se limitou à tarefa de recuperar a Delegacia e Cadeia, o que durou cerca de quatro anos de trabalho. A 63ª Cia de Policia Militar da mesma cidade, viu-se também contingenciada a buscar na comunidade apoio para sua reestruturação física. Mais uma vez a presença do Ministério Público, na pessoa e nas atitudes do seu representante, Dr. José Maria, se fez sentir e a Polícia Militar também conquistou seu novo espaço físico. Já em Barbacena, cidade que adotou como sua terra afetiva, o Dr. José Maria replicou sua capacidade de mobilizar e dar dignidade e visibilidade aos setores que zelam para que a Justiça se faça para aqueles que mais necessitam. Com isso, a sede do Conselho Tutelar também recebeu tratamento especial com uma ampla e reconhecida revitalização, sendo instalada em ponto nobre da cidade e mantida com esmero e dedicação. Indo além, foi por obra do Promotor, que uma significativa região da cidade foi dotada de um pioneiro Telecentro, antecipando em muitos anos as atuais políticas públicas de inclusão digital, hoje indispensável para que a igualdade de oportunidades seja um freio para a crescente violência, derivação da miséria, da fragmentação da família e reflexo imediato de tudo aquilo que é negado à criança e ao adolescente em risco social. Em quatro breves capítulos relatamos esta envolvente experiência plena de gestos concretos de união, desprendimento, determinação e é claro: CIDADANIA!

4

5

6 Amar o pecador e odiar o pecado Santo Agostinho lguém certa vez disse que um Promotor de Justiça deve ter a coragem de um gladiador, mas sem perder a sensibilidade de um poeta, deve ter a hombridade de Aencarar a condenação necessária, mas ter os olhos afeitos a descobrir a inebriante beleza de uma alvorada. De fato, foi-se o tempo em que bastava aos representantes do Ministério Público a capacidade implacável de condenar, de apontar a culpa. Como se não lhe coubesse também a possibilidade de interferir na realidade e se possível para melhor. E mesmo envolto na densidade dos fatos reais ainda ter espaço para o sonho de uma mundo mais justo, mais capaz de prevenir o mal, menos disposto a só remediar e punir os erros. Foi a partir de um sonho, misturado à crueza de uma dura realidade que algo de especial aconteceu na pequena Santos Dumont, uma cidade típica da Zona da Mata mineira, que mesmo com o privilégio histórico de se destacar como o berço natal de Alberto Santos Dumont, inventor do avião, não escapava à regra de também ter um sistema carcerário deficiente, desumano e indigno da sua verdadeira missão que é a reeducação para a vida social. Ainda que a cadeia pública da cidade não ostentasse os níveis de violência e superlotação, tenebroso cenário comum nos grandes centros, ainda assim, nada a diferenciaria das masmorras medievais, com celas úmidas e malcheirosas. Verdadeiros simulacros de jaulas, destinadas a seres humanos. Em 1994, o então Promotor de Justiça da Primeira Vara, da Comarca de Santos Dumont, Dr. José Maria Ferreira de Castro, tentava de forma solitária viabilizar a urgente reforma no prédio da Sétima Delegacia de Polícia, da cidade, que silenciosamente caia aos pedaços. O estado de conservação era tão precário que os presos ainda que sofrendo num ambiente tão insalubre não tentavam fugir, o que não seria tão difícil, uma vez que as paredes das celas se desmanchavam na umidade. O próprio Dr. José Maria se recorda daquela situação:

7 É difícil explicar o inexplicável. Churchill queixava-se da impossibilidade de relatar com fidelidade os pensamentos, emoções e principalmente os fatos. O homem e a linguagem são imperfeitos. Vamos lá, com toda minha ilimitada limitação. O que chocou este promotor de pronto (e continua até hoje na retina de minha imaginação) foi a arquitetura da Delegacia de Polícia e Cadeia Pública situadas na principal artéria da cidade. A caminhonete do delegado, estacionada de maneira inconveniente, dando ideia clara de poder pessoal usado em detrimento da circulação dos pedestres, da segurança do trânsito, como também da imagem da instituição a que pertencia. Na primeira visita, deparei-me com preso lavando e cuidando do famigerado veículo. Desejavam fazer o mesmo com meu carro. Gentilmente não permiti que eles cumprissem tal desejo com o cuidado de não criar problemas, pois pretendia ser a solução. A minha recusa foi pedagógica, pois logo deixaram de lavar não só a vistosa caminhonete como os outros carros dos policiais, em frente da bela delegacia. Foi a primeira transformação de uma forma de submissão feita com panos e baldes de água. Se a entrada da delegacia era de aparência repugnante, o gabinete do delegado era imundo. As outras i n s t a l a ç õ e s d i s p e n s a v a m comentários. A população estava órfã, pois a simples emissão de uma certidão, ou qualquer documento se tornava uma via crucis, demorando até semanas... A cadeia pública no conjunto, era o retrato piorado do nosso cenário prisional e suas mazelas conhecidas. Com o tempo, a grave situação ficou insustentável. Era preciso agir. Este promotor para lá foi munido de creolina, inseticida e lixeiras com o único objetivo de desinfetar aquele quadro negro e tóxico. Pelo menos a limpeza haveria de permitir que o local pudesse aguardar por alguma mudança. O esquadrão do Exército, vizinho desse panorama indesejável providenciou os primeiros e primários cuidados médicos aos reeducandos. Com a cela enfermaria, construída posteriormente, o atendimento médico passou a ser regular. Assim foi feito.

8 Para a obra que se quer, ferramenta se acha Guimarães Rosa A ampliação de celas e mesmo da área administrativa começou a ser definida como solução. Em meio a esta tarefa meramente gerencial, o Promotor começou vislumbrar uma possibilidade educativa para os presos que ao contrário do que as más condições de permanência sugerissem, demonstravam na sua maioria, vontade de ajudar efetivamente na melhoria daquele lugar indesejável. Faltava um elemento catalizador, disposto a trazer auxílio externo e ao mesmo tempo dar norte às ações internas. E foi assim que o Promotor começou a perceber que do limão era possível fazer a limonada: Fora dos planos, iniciei a construção de uma cela, com recursos próprios, o mínimo que poderia fazer. Confúcio estava certo quando disse: a palavra convence, o exemplo arrasta. A comunidade começou a procurar o Promotor, ora no seu gabinete, ora na cadeia. Eu ia duas ou mais vezes por dia à obra (inclusive sábados, domingos e feriados) sem prejuízo das minhas atribuições. É bom registrar que dois anos mais ou menos antes da inauguração da obra, fui premiado em primeiro lugar no Concurso Arrazoado Forense-Civil, em 30 de junho de 1995, promovido pela minha associação - Associação Mineira do Ministério Público (AMMP). É verdade o ditado: se precisa de alguém, procure um homem ocupado. Tornei-me um encarcerado, expiando minha culpa de provável crime imaginário. É certo que se existisse um tribunal para julgar os crimes imaginários não haveria salvação para a humanidade... O término da cela não foi a solução. Foi aí que a comunidade começou a se envolver, com recursos materiais, ideias e cumplicidade. Mas a nova cela era uma distinção para o preso que a ocupasse, pois seu acabamento e limpeza destoavam do conjunto. O destino não me arrastou tornei me parceiro dele. Assustada, muito assustada, inicialmente, a comunidade começou a se sentir compelida a envolver-se. Mesmo tendo que administrar este efeito colateral, pelo menos agora, este Promotor não estava mais isolado, sozinho, ao contrário, sentiu-se fortalecido, sua iniciativa foi chancelada pela comunidade, pelos órgãos administrativos, entidades de classe e o Judiciário. Com as energias restabelecidas, decidi pela reforma e construção das outras celas...

9 Quem sabe faz a hora, não espera acontecer Geraldo Vandré Mas não era tão simples transformar uma cadeia em pleno funcionamento em canteiro de obras. Além da imensa dificuldade de se planejar uma obra onde os recursos e materiais chegavam de forma inesperada, pois a solidariedade não faz entregas no atacado, como lidar com a situação dos condenados que precisavam de amparo legal para saírem literalmente das celas para pegar no pesado. Além disso, mesmo inebriado pela onda de boa vontade e positividade que dominava o ambiente da cadeia pública, o Promotor solitariamente sofria com a angústia dos riscos que assumia, afinal qual a garantia de que uma pá ou chave de fenda, ali utilíssimas ferramentas de transformação, de súbito não se tornassem armas mortíferas a ferir homens e sonhos de um mundo melhor... De acordo com a Lei de Execução Penal nº7210, de 1984, nos artigos 28 a 37(que regulam o trabalho de presos) e de 40 a 43 ( com seus direitos), os detentos poderiam trabalhar 8 horas diárias, com direito a receberem 2/3 do salário mínimo e a redução de um dia de pena, a cada três trabalhados. O Promotor conta como o trabalho aconteceu: Os reeducandos (que não puderam ou não souberam controlar seus instintos primários) queriam trabalhar na obra, aliás, direito e dever deles. A Câmara Municipal de Santos Dumont aprovou e o prefeito sancionou lei que autorizou a remuneração aos presos de acordo com a Lei de Execução Penal. Foi maior a velocidade na obra com a participação dos reeducandos ( agora sim, eles faziam juz ao nome) e maior engajamento das forças vivas da comunidade. O Delegado, os reeducandos, a Polícia Civil e Militar, não acreditavam no que viam e diziam isso aqui não vai ser cadeia, outro destino eles vão dar. Certo dia, um reeducando preocupado com o tamanho do muro alertou o Promotor: - ô Doutor, até aqui dá pra fugir, tem que subir o muro mais um pouco. E assim foi feito. No essencial a cadeia publica tornou-se um lugar digno. Cada solução exigia outra. A Delegacia de Polícia (anexa à carceragem), foi deslocada para outro local, a pedido do Delegado, pois os reeducandos estavam melhor alojados do que ele, sendo certo que o aluguel era pago por uma empresa que participava do projeto. Foi necessário se juntar um arquiteto, calculista e outros técnicos para iniciar a construção da delegacia. Com o aval do engenheiro e arquiteto, sugeri acrescentar no prédio colunas, ainda que decorativas, pois a segurança é subjetiva e elas simbolizam fortaleza. Também vidros, porque dão leveza e transparência simbologia para direitos humanos. Perspectivas prontas, as coloquei emolduradas nos pontos da cidade de maior visibilidade. Minha associação(ammp) doou as esquadrias de metalon, na gestão de Amando Prates, adquiridas a preço de custo.

10 A Cemig doou o projeto elétrico. As esquadrias de metalon e as colunas de pvc receberam tratamento artístico, assim como os mármores e granitos que são de terceira categoria, mas deram ar de nobreza ao lugar. Terminada a Delegacia, construimos a cela enfermaria, a sala da OAB, oficinas, biblioteca e um oratório. Recordo-me que numa missa campal perto do oratório perguntei ao Padre o que ele estava achando de tudo aquilo e ele respondeu laconicamente: Você é homem de Deus. Soube mais tarde, que nas missas de domingo, ele pedia aos fiéis que incluíssem o nome desse Promotor em suas preces. Sonho que se sonha só/ É só um sonho que se sonha / Mas sonho que se sonha junto é realidade Raul Seixas As obras agora eram visíveis e motivo de comentários em toda a região. O bar da esquina, onde se debatia ardorosamente os prós e contras de presos poderem entrar e sair da cadeia portando ferramentas, agora não só apoiava a iniciativa, como fornecia lanches quando uma lage era fundida ou um mutirão maior demandava horas extras de trabalho. Prefeituras de cidades da região de Santos Dumont mandavam ajuda, bem como os Clubes de Serviço ( Rotary e Lions), agências locais de bancos como Bradesco e Banco do Brasil também. Lojas de material de construção recebiam diretamente as doações em dinheiro e informavam o Promotor do crédito disponível para que os materiais pudessem ser retirados. Outros fornecedores, como uma marmoraria, doavam o material de acordo com a demanda, garantindo um acabamento bem acima do esperado para a fachada de uma cadeia. Sensibilizados pelo movimento solidário e espontâneo, A Ordem dos Advogados do Brasil e a Associação Mineira do Ministério Público também acrescentaram doações para a celeridade da construção que agora tinha a chancela de um famoso arquiteto da região o Dr. Hilton Grossi, que deu todo o respaldo técnico para o prédio. O Dr. José Maria se lembra com carinho: O Conselho Tutelar de Barbacena Um dia, uma senhora adentrou a cadeia trazendo um bebedouro refrigerado, uma doação de certo valor, que poderia bem ser feita por uma empresa ou ONG, para minha surpresa era a mãe de um detento. O bebedouro foi instalado prontamente no corredor das celas.

11

12

13

14 É preferível morrer com um ideal, a deixar que ele morra sozinho Humberto de Campos Com celas, enfermaria e as estruturas hidráulicas e elétricas devidamente reconstruídas, somando cerca de 800 m² de área construída, a Delegacia ganhou além da ampla área física, computadores, impressoras, com reflexo direto na rapidez dos serviços ofertados ao público em geral. Para os reeducandos, além do orgulho de terem construído sua cidadania com as próprias mãos, o espaço rendeu ainda uma biblioteca, lavanderia, cantina, oficina para trabalhos manuais e um belo e singelo oratório a complementar um ambiente pleno de dignidade e respeito ao ser humano. A inauguração desta empreitada que juntou solidariedade, mobilização social e inclusão e que durou quatro anos, aconteceu no dia 19 de dezembro de Dentre centenas de pessoas e empresas que apoiaram a iniciativa, estiveram presentes o Dr. Epaminondas Fulgêncio Neto, na época Procurador Geral de Justiça, o seu chefe de gabinete Bertoldo Mateus de Oliveira Filho, o Promotor José Silvério Perdigão de Oliveira, representando a direção da AMMP, a Juíza da Comarca Maria Cecília Stephan, o Deputado Estadual Luiz Fernando Faria, juizes e promotores da região, o prefeito e vereadores da cidade de Santos Dumont, e de outras de outras cidades, bem como grande parcela da comunidade, todos reconhecendo o trabalho e o empenho do Promotor José Maria Ferreira de Castro. Decorridos 16 anos, a Delegacia e Cadeia de Santos Dumont continua sendo um exemplo a ser seguido. Autoridades da região tentaram repetir o feito, como em Barbacena, onde os então vereadores Edson Rezende e Paulo Siloé, chegaram a propor a reconstrução da cadeia pública local. Na época de sua inauguração e até hoje as principais redes de TV e jornais de circulação nacional ainda utilizam o caso singular de Santos Dumont e a iniciativa do Promotor como modelo de comparação para casos onde a ação conjunta entre o Poder Público e a sociedade quando corretamente estimulados podem encontrar suas próprias soluções. No seu discurso durante a solenidade o Promotor afirmou: A comunidade com esta atitude de solidariedade humana mostra aos reeducandos, esmagados sob a mão do destino, que eles não estão sós e que delas fazem parte e integram a corrente da vida. Deus não causa nem elimina os sofrimentos, tragédias e desigualdades, mas demonstra sua oposição convocando todos os membros da sociedade para que cada um possa aliviar o fardo do outro. A capacidade de amar foi a arma infalível e poderosa, que Deus nos

15 Conhecí cadeias públicas e delegacias de polícia. Visitei penitenciárias. Ouvi presos e soube de seus lamentos...em Santos Dumont, conheci instalações deficientes, sujas, mal cuidadas, quase abandonadas.cheguei a mandar fazer laudo pericial desse local, propondo, pelo menos, que se mudasse- ou suspendesse- o local de atendimento. Depois soube do final das obras de reforma da cadeia. Soube mais: que a iniciativa partira do Promotor de Justiça, Dr. José Maria Ferreira de Castro...Mas esse homem foi além, derrubou literalmente a delegacia de polícia. Mesmo com a honra de tê-lo como professor, chameio-o respeitosamente ( se é que houve respeito) de «doido», ou como gostamos nós envolvidos com o Direito, de 26...Agora ao final, penso que 26 são aqueles que duvidaram de sua disposição de servir à causa pública, de não apenas discursar, ou apontar equívocos, mas de realizar. E como realizar! José Antônio de Moraes Corregedor Geral da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, em correspondência encaminhada ao Promotor - Setembro de Na realidade, se nós tivéssemos o Ministério Público composto por Josés Marias, nós teríamos um Ministério Público exemplo para o país e sem exageros, para o mundo! Dr. Epaminondas Fulgêncio Neto Procurador Geral de Justiça de Minas Gerais, em discurso durante a inauguração da obra registrado em video Promotor, o Senhor deixa duas obras para a sociedade. A primeira é a obra física, essa beleza de construção, muito fácil de visualizar. A outra obra é no edifício social, ocorrida nos últimos três anos, quando conseguiu essa mobilização social comunitária. Em nome da comunidade de Santos Dumont, a eterna gratidão por essa instrutiva aula de cidadania Getúlio Martins, representando a comunidade sandumonense, durante a inauguração da obra

16 Há de se ressaltar a preocupação do Promotor de Justiça, Dr. José Maria Ferreira de Castro, com o setor policial, que nem sempre atende às necessidades, em especial dos encarcerados. Sob sua liderança, procedeuse campanha no sentido de dotar o município de Santos Dumont de novas instalações para a Delegacia de Polícia Civil e Cadeia Pública, encontrando o apoio desejado. Uma obra que servirá de espelho para outras cidades Nicolau Netto, jornalista Jornal Estado de Minas, Belo Horizonte - MG A cadeia deve servir para recuperar o preso e o que nós vemos aqui é um exemplo para todo o Estado de Minas Gerais. quiçá do Brasil Eduardo Ferreira Paratela Tenente Coronel PM - Assistente Militar do Procurador Geral de Justiça Belo Horizonte- MG A preocupação em melhor proporcionar meios nessas instalações evidenciam vosso alto grau e valor humanitários. Tais atributos, reforçam em todos nós, a plena confiança nos destinos da Pátria Ângelo Miguel Vieira Major de Cavalaria - Comandante do IV Esquadrão de Cavalaria Motorizado Santos Dumont - MG

17

18

19

20

21

22 Condecorações

23

24

25 Quando um homem assume uma função pública, deve considerar-se propriedade do público. Thomas Jefferson Em meio a mesma expectativa de transformações que gerou a mobilização na construção da nova cadeia e delegacia de Santos Dumont, a sede da 63ª Companhia da Polícia Militar também clamava por obras reestruturantes. Mais uma vez a capacidade de liderança e mobilização do Promotor José Maria Ferreira de Castro foi posta em prática. Ainda que não envolvendo o mesmo apelo humanizador da reconstrução da cadeia, a obra do quartel da PMMG de certa forma viria a complementar todo o esforço para que a segurança pública na cidade de Santos Dumont ganhasse nova dinâmica. As obras igualmente só ganharam ritmo, devido à significante capacidade do Promotor José Maria em obter apoio material e institucional junto às autoridades e à sociedade em geral. Mais uma vez o Dr. Hilton da Paixão Grossi, amigo pessoal do Promotor e arquiteto com larga experiência no setor público, emprestou à causa seu talento e em poucos anos o croquis já se tornava realidade. O trabalho foi realizado de forma voluntária tanto por policiais quanto por reeducandos que também colaboravam com a Segurança Pública, agora como cidadãos. A obra foi concluída quando o Promotor já atuava em Barbacena, mesmo assim foi mais um momento marcante de sua carreira e de seu compromisso com a comunidade.o reconhecimento da Corporação Militar ao hercúleo trabalho do Promotor veio em forma da Medalha Alferes Tiradentes, concedida a ele em 9 de junho de 2000, e entregue pelo então Governador Itamar Franco.

26

27

28 Condecorações

29

30

31 Instrui a criança no caminho que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. Salomão (Provérbio 22.6) É triste dizer, mas é verdade: nunca existirá qualquer recompensa para os males sofridos na infância. Cabe ao Conselho Tutelar, por exigência da Constituição Federal e do Estatuto da Criança e Adolescente, fiscalizar, mobilizar todas as forças vivas da sociedade para colocar as crianças e adolescentes no patamar de proteção máxima e superior aos demais membros da sociedade, haja vista que são seres humanos em desenvolvimento que precisam do apoio incondicional da família e do Estado para um crescimento físico, mental, espiritual e social, preservando-se sua liberdade e dignidade. Em suma, é o anjo da guarda da criança e do adolescente.sobreleva registrar que cabe ao Conselho assessorar o Poder Executivo local na elaboração da proposta orçamentária para planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente. Lugar de criança é no orçamento. Em Barbacena, antes funcionava em um porão, espaço físico precário e com pouca iluminação natural. Este cidadão-promotor foi o elo de comunicação unindo os seus esforços com a comunidade, o que tornou possível novas e amplas instalações. O então Prefeito Municipal, Célio Mazoni, alugou este espaço, próximo ao Fórum (20 metros), ponto estratégico e de pronta acessibilidade. Porém, necessitava de reformas porque o prédio é antigo e o telhado problemático o que v i e m o s a s a b e r, posteriormente, e a Prefeitura Municipal não dispunha de recursos. Não obstante o prefeito pessoalmente ofertar ajuda ao emprendimento social do Promotor. A AMMP na gestão do Presidente do Alceu Torres colaborou com as placas que dão excelente visibilidade à obra e em conseqüência despertando o interesse de todos. A comunidade mobilizada, homem comum, etc, ajudaram com a pintura, reforma, computadores, etc.

32 Em 2008, pela segunda vez precisava de reforma e a logística foi a mesma. No ano passado, com as chuvas torrenciais, a situação ficou crítica. O telhado estava caindo. Puxa vida! Dentro do Conselho escorrendo água por todos os cantos. O prédio literalmente estava caindo. Os conselheiros não reclamavam, a prefeitura estava sem pagar os funcionários por vários meses, e a sociedade silenciosamente, aceitava esta situação. Este promotor pensou em filiar-se a este sentimento generalizado. Ou seja, deixar pra lá. Era difícil deixar morrer aquilo que foi construído com tanto amor. Fui à minha Associação solicitar recursos e apoio moral na gestão do atual Presidente Nedens Ulisses Freire Vieira que não deixou de apoiar o meu pleito em ambos sentidos. A mão de obra, mais onerosa, ficou por conta deste cidadãopromotor, nem tanto por altruísmo, mas pelo pragmatismo, pois não dava tempo para procurar novos parceiros. Com a crise vencida, o Conselho ganhou. As placas foram revitalizadas, o telhado sofreu reformas mais amplas, novos computadores, pintura mais indicada para o momento, telefones celulares, televisão (com programas terapêuticos para o desenvolvimento das crianças). A saga continua. A única coisa permanente na vida é a impermanência.

33

34

35

36 Capitulo IV O Telecentro do Bairro Grogotó Barbacena - MG

37

38 O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade Winston Churchill A inclusão digital foi outro ponto considerado pelo Promotor José Maria Ferreira de Castro como uma base sólida para ofertar igualdade de oportunidades para aqueles que não teriam acesso às ferramentas da modernidade não fosse pelo apoio do Estado ou de alguma instituição que tomasse para si esta tarefa. Ao perceber na proposta do Conselho Central da Sociedade São Vicente de Paula de Barbacena, um meio concreto de alcançar esta faixa da sociedade, o Promotor se prontificou a apoiar, e mais uma vez mobilizar as forças vivas da sociedade em prol desse importante projeto para uma das regiões mais carentes da cidade de Barbacena. O Promotor relata como foi sua ação para o Centro de Promoção Humana, onde foi instalado o mais atuante centro de inclusão digital da cidade de Barbacena: Quando em Barbacena aportei; logo em seguida tornei-me grande amigo do colega de trabalho Argemiro Adilson de Souza, escrivão judicial do crime, pessoa muitíssimo preocupada com o social e muito religioso. Prova disso é a homenagem com a Medalha do Judiciário Hélio Costa, a qual seu nome foi indicado. Em curto espaço de tempo, procurou-me na qualidade de confrade, pois ele pertence à secular e internacional Sociedade São Vicente de Paula. Lá como se sabe é pobre ajudando pobre. Veio ele pedir auxílio para melhorias de um dos Conselhos que estava com a parte física precária. Me envolvi no projeto e a obra começou a se desenvolver. Como sempre uma melhoria reclama outra. Aí fui obrigado a procurar dentre outros o então Deputado Hélio Costa, que conseguiu junto a um órgão estatal uma verba substancial. A obra já estava quase pronta com um amplo salão e, quando lá fui visitá-la e chamei o já Senador para conhecer o destino da verba que havia alocado. Lá na Sociedade, dizem que eu falei o seguinte: agora só falta encher isto aqui de computador, o Senador tornou-se Ministro das Comunicações e estabeleceu um elo com a Sociedade São Vicente de Paula, com a qual tem muito carinho. Precisava então de outras melhorias para a instalação do telecentro. Assim foi feito. Este promotor levou para a construção, as grades de sua casa em obra, tijolos e etc. Até hoje continua pagando a conta de energia elétrica e estabeleceu outras parcerias que garantem ao projeto se manter eficaz e cumprindo sua missão inicial.

39

40

41 Filho de Manoel Ferreira de Castro e Clotildes Silvéria de Castro nasceu em Bias Fortes, Minas Gerais. Graduou-se como Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito Oeste de Minas, e é Pós-Graduado em Direito Publico, Direito Penal e Processo Penal. É promotor de Justiça do Estado de Minas Gerais e professor universitário. Premiado em Concurso Jurídico pela Associação Mineira do Ministério Público-AMMP. Ocupou diversos cargos em chefia de alto escalão na administração pública municipal em Barbacena. Como Promotor de Justiça, tem destacada participação e coordenação de ações voltadas o fortalecimentos das instituições de segurança pública, para a proteção da criança e o adolescente, resgate da capacidade educativa e ressocializante do sistema penitenciário e da reinserção do apenado na sociedade por meio da educação para o trabalho. Esta biografia consta na publicação «Delicias de Barbacena», feita pela empresa Rivelli Alimentos e que destaca 25 personalidades marcantes da vida social de Barbacena, com o lema «Plante bem e você colherá o Bem».

42 Barbacena, MG Setembro de 2013

Associação Lar do Neném

Associação Lar do Neném Criança Esperança 80 Associação Lar do Neném Recife-PE Marília Lordsleem de Mendonça Abraço solidário Todas as crianças são de todos : esse é o lema do Lar do Neném, uma instituição criada há 26 anos em

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 29 Discurso na cerimónia de premiação

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência

Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência O que é a Defensoria Pública? A Defensoria Pública do Estado é uma Instituição permanente

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 25 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

ANO XXIII 27/07/2015. Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING. Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG

ANO XXIII 27/07/2015. Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING. Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG ANO XXIII 153 27/07/2015 Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG o tempo - mg - p. 03 e 04-27.07.2015 2 cont... o tempo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 13 Discurso na solenidade de abertura

Leia mais

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. Eu quero não parar coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - de consigo.o usar que eu drogas f o? aç e Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

Manual do Voluntário. O Projeto Correspondentes

Manual do Voluntário. O Projeto Correspondentes Manual do Voluntário O Projeto Correspondentes A ação proposta pelo projeto Correspondentes é a troca regular de correspondências entre voluntários e crianças ou adolescentes que residem em abrigos ou

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso no encontro com representantes

Leia mais

Nº 3 - Nov/14 TRABALHO COMUNITÁRIO

Nº 3 - Nov/14 TRABALHO COMUNITÁRIO ! Nº 3 - Nov/14 o ã ç n e t a A T S PRE TRABALHO COMUNITÁRIO Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! apresenta pontos importantes para a implantação de projetos e programas de base comunitária.

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário Organizando Voluntariado na Escola Aula 1 Ser Voluntário Objetivos 1 Entender o que é ser voluntário. 2 Conhecer os benefícios de ajudar. 3 Perceber as oportunidades proporcionadas pelo voluntariado. 4

Leia mais

Gtp+ PROGRAMAS E PROJETOS Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+) Fundação em 2000, Recife-PE O Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo é a única ONG da Região Nordeste do Brasil coordenada

Leia mais

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO Design & Saúde Financeira para maiores de 50 anos Vera Damazio Laboratório Design Memória Emoção :) labmemo (: O que Design tem a ver com Saúde Financeira para maiores de 50 anos? E o que faz um Laboratório

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 68 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO?

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? Apresentação Ir para a escola, passar um tempo com a família e amigos, acompanhar as últimas novidades do mundo virtual, fazer um curso de inglês e praticar um esporte são

Leia mais

coleção Conversas #15 - NOVEMBRO 2014 - eg o. m r e é r q Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #15 - NOVEMBRO 2014 - eg o. m r e é r q Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. o coleção Conversas #15 - NOVEMBRO 2014 - Sou d advoga Será a que e é nã p o r consigo e q u e sou n m pr eg r eg o a?. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

O desafio da educação nas prisões

O desafio da educação nas prisões Fotos: Christian Montagna O desafio da educação nas prisões A educação prisional, mais do que um instrumento de reintegração social, é um direito conferido aos presos pela igualdade sacramentada na Declaração

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 38 Discurso na cerimónia do V Encontro

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #22 - maio 2015 - assistente social. agora? Sou E Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo.

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. JOÁS, O MENINO REI Lição 65 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. 2. Lição Bíblica: 2 Reis 11; 2 Crônicas 24.1-24 (Base bíblica para a história

Leia mais

Conselho Nacional de Controle Interno

Conselho Nacional de Controle Interno Veículo: Site Congresso em Foco Data: 13/07/2012 Editoria: Lei de Acesso Coluna: - Página: - Só 12% das prefeituras dão atenção a transparência Uma mesma pergunta foi feita às administrações de 133 cidades

Leia mais

MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE POSSE COLETIVA.

MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE POSSE COLETIVA. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DEPARTAMENTO DE OUVIDORIA AGRÁRIA E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS - DOAMC MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

Itália - Família italiana descobre tesouro arqueológico durante reforma de banheiro

Itália - Família italiana descobre tesouro arqueológico durante reforma de banheiro Itália - Família italiana descobre tesouro arqueológico durante reforma de banheiro Em Lecce, aqui no sul da Itália, em qualquer lugar que você escava, pode encontrar um pedaço de história. Faggiano encontrou

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

PROJETO BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA

PROJETO BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA 1 Ordem dos Advogados do Brasil Seção Minas Gerais Comissão OABCidadã PROJETO BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA Em Minas Gerais, a Secional da Ordem dos Advogados do Brasil, através da Comissão OAB/Cidadã, já

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 109 Discurso na cerimónia de comemoração

Leia mais

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA, ÉTICA E SALA DE AULAS Cipriano Carlos Luckesi 1 Nos últimos dez ou quinze anos, muito se tem escrito, falado e abordado sobre o fenômeno da gestão democrática da escola. Usualmente,

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA:

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: CRESCENDO PESSOAL E PROFISSIONALMENTE. 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Onde você estiver que haja LUZ. Ana Rique A responsabilidade por um ambiente

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012 Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM Frei David Santos, OFM - out de 2012 Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade

Leia mais

Considerando a inspeção empreendida no dia 19.09.2012 no Centro de Recuperação Feminina;

Considerando a inspeção empreendida no dia 19.09.2012 no Centro de Recuperação Feminina; Considerando que ao Conselho Penitenciário do Estado do Pará compete, de acordo com o Decreto 418/79, inspecionar os estabelecimentos prisionais sediados no Estado do Pará, com objetivo de assegurar condições

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará ações de cidadania Onde o sol nasce ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará O triste cenário já é um velho conhecido por

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA O Desafio Criativos da Escola é um concurso promovido pelo Instituto Alana com sede na Rua Fradique Coutinho, 50, 11 o. andar, Bairro Pinheiros São Paulo/SP, CEP

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 41 Discurso na cerimónia de celebração

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci Filho

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci Filho Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci Filho Brasília, 02/01/2011 (Saudações e agradecimentos)... Senhoras e senhores,

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

Discurso Copa 2014. Senhoras Senadoras, Senhores Senadores. Amigos que nos acompanham pelas redes sociais e pela Agência Senado

Discurso Copa 2014. Senhoras Senadoras, Senhores Senadores. Amigos que nos acompanham pelas redes sociais e pela Agência Senado 1 Discurso Copa 2014 Senhor presidente, Senhoras Senadoras, Senhores Senadores Amigos que nos acompanham pelas redes sociais e pela Agência Senado Promessas são como juramentos. A beleza da promessa está

Leia mais

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS Desânimo total Acho que minhas forças estão indo abaixo, ando meio desmotivado!!!! Não quero desanimar, mas os fatores externos estão superando minha motivação... cobrança

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do. Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira

MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do. Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira O SR. JOSÉ ANTÔNIO ROSA (PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira Mendes, na pessoa de quem cumprimento todos

Leia mais

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO 1 RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO Facilitadora: Maria Inês Castanha de Queiroz Coordenadora: Maria Inês Castanha de Queiroz CRP 5357/4ª região Psicóloga, Mestre

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

Alcance Social. Kerigma Social. Assistência Social

Alcance Social. Kerigma Social. Assistência Social IBC FBC Kerigma Jr Bazar Atendimento Médico Alcance Social Celebrando a Restauração Assistência Social Kerigma Social Apoio a ações IBC Ecovidas Comunidade Santa Fé MISSÃO IBC Amar a Deus sobre todas as

Leia mais

REALIZAÇÃO: PARCERIA:

REALIZAÇÃO: PARCERIA: REALIZAÇÃO: PARCERIA: A partir de agora você descobrirá a importância do planejamento financeiro pessoal e familiar, aprenderá a lidar melhor com o seu dinheiro, controlar suas despesas e tomar decisões

Leia mais

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania 1) Curso de Educação para Agressores - ONG Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde. Visa a reconstrução comportamental da conduta dos homens, em atendimento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Programa transmitido em 26 de fevereiro

Leia mais

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53 Rio de Janeiro Sumário Para início de conversa 9 Família, a Cia. Ltda. 13 Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35 Cardápio de lembranças 53 O que o homem não vê, a mulher sente 75 Relacionamentos: as Cias.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES Projeto de Lei n 340/99 464 LEI N 4.864 DE 12 DE MARÇO DE 1999 Dispõe sobre a Política Municipal do Idoso, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES; FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - t t o y ç r n s s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - t t o y ç r n s s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Vocês acham possam a coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - cer d o t t o a r que ga cr ia n y ç a s s? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

pensamentos para o seu dia a dia

pensamentos para o seu dia a dia pensamentos para o seu dia a dia Israel Belo de Azevedo 1Vida e espiritualidade 1 Adrenalina no tédio O interesse por filmes sobre o fim do mundo pode ser uma forma de dar conteúdo ao tédio. Se a vida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. A realização de um sonho

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. A realização de um sonho 1 de 5 A realização de um sonho Natalino Salgado Filho É do poeta Paulo Leminski a frase: Haja hoje para tanto ontem. Ela se encaixa com perfeição na realização de um sonho embalado por tantos anos e agora

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

O que é o Ação Integrada?

O que é o Ação Integrada? O que é o Ação Integrada? Resultado de uma articulação entre a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/MT), o Ministério Público do Trabalho (MPT/MT), a Fundação Uniselva da Universidade

Leia mais

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO HQ se lga! i CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO Defender a CONSTITUINTE é um erro! Erro, por que? A direita vai aproveitar uma Constituinte

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 65 Discurso na solenidade do Dia

Leia mais

MEMÓRIAS GEOGRÁFICAS À TONA:

MEMÓRIAS GEOGRÁFICAS À TONA: MEMÓRIAS GEOGRÁFICAS À TONA: Uma retomada da história do Curso de Geografia da UFU a partir de uma entrevista com a Profa. Dra. Suely Regina Del Grossi Revista OBSERVATORIUM: Qual (ais) a (s) razão (ões)

Leia mais

Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Amélia Rodrigues Promotora de Justiça: Roberta Rezende Barbosa Data de assunção: 12/02/03

Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Amélia Rodrigues Promotora de Justiça: Roberta Rezende Barbosa Data de assunção: 12/02/03 "O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE JUNTO À COMUNIDADE" Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Amélia Rodrigues Promotora de Justiça: Roberta Rezende Barbosa Data de assunção: 12/02/03 A)

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

FORMAR-SE. Há em muitas de nossas falas, quando terminamos um ciclo, algo que ocorre muito

FORMAR-SE. Há em muitas de nossas falas, quando terminamos um ciclo, algo que ocorre muito FORMAR-SE Senhoras e senhores, Há em muitas de nossas falas, quando terminamos um ciclo, algo que ocorre muito na cultura, algo que tem a profunda marca antropológica dos rituais: a celebração de uma passagem,

Leia mais

Associação de Proteção e Assistência aos condenados. Criação e Implantação nos Municípios

Associação de Proteção e Assistência aos condenados. Criação e Implantação nos Municípios Associação de Proteção e Assistência aos condenados Criação e Implantação nos Municípios O Método APAC O que é? A APAC é uma entidade civil de Direito Privado, com personalidade jurídica própria, destinada

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

FRANQUIA O BOTICÁRIO SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) RELAÇÃO COM A COMUNIDADE

FRANQUIA O BOTICÁRIO SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) RELAÇÃO COM A COMUNIDADE FRANQUIA O BOTICÁRIO SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) RELAÇÃO COM A COMUNIDADE RESUMO A reconstituição e o resgate da memória do centro de histórico da cidade foi o audacioso trabalho que a franquia O Boticário

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA

DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA Familiares, amigos, técnicos administrativos, estudantes, professores, grupo gestor da UNEB, autoridades civis, militares, políticas

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais