A Estatística é um conjunto de processos ou técnicas empregadas na investigação e análise de fenômenos coletivos ou de massa.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Estatística é um conjunto de processos ou técnicas empregadas na investigação e análise de fenômenos coletivos ou de massa."

Transcrição

1

2 Conceitos O que é Estatística? A Estatística é um conjunto de métodos destinados à coleta, organização, resumo, apresentação e análise de dados de observação, bem como da tomada de decisões razoáveis baseadas em tais análises. A Estatística é um conjunto de processos ou técnicas empregadas na investigação e análise de fenômenos coletivos ou de massa. Divisão da Estatística A Estatística divide-se em duas partes Geral e Aplicada: A estatística matemática é a parte da estatística geral que tem por finalidade o estudo das propriedades matemáticas dos fenômenos de massa e a dedução e demonstração rigorosa dos procedimentos e fórmulas usadas. A estatística geral ainda pode ser dividida em dois grandes campos: estatística descritiva e estatística inferencial. A estatística descritiva trata da coleta, organização, classificação, apresentação e descrição dos dados observados. Refere-se à maneira de apresentar um conjunto de dados em tabelas e gráficos e à maneira de resumir, através de certas medidas (medidas descritivas), as informações contidas nestes dados. A estatística inferencial (ou indutiva) visa tirar conclusões sobre a população a partir de amostras. Refere-se à maneira de estabelecer conclusões para toda uma população quando se observar apenas parte desta população. Envolve o cálculo de probabilidades para quantificar a incerteza existente em determinada situação. Estatística aplicada É todo o ramo do conhecimento científico que proceda, única ou principalmente, por intermédio da metodologia estatística. Exemplos: Biometria: ciência que trata da mensuração da vida e dos processos vitais, estatística aplicada no estudo das características físicas ou comportamentais dos seres vivos; Demografia: ciência que estuda a dinâmica populacional humana, estatística aplicada no estudo dos diferentes aspectos de uma população; Psicometria: estatística aplicada para mensurar, de forma adequada e comprovada experimentalmente, um conjunto ou uma gama de comportamentos que se deseja conhecer melhor, ou seja, é uma ciência que estuda a mensuração da personalidade, do desenvolvimento

3 mental e do comportamento e atitudes de indivíduos e grupos e seus ajustamentos a mudanças no meio ambiente; Sociometria: estatística aplicada no estudo de interações entre grupos, ou seja, é uma ciência que estuda a maneira como as pessoas vivem, sua cultura, opiniões e atitudes, assim como o relacionamento de uns com os outros; Quimiometria: é a aplicação de métodos estatísticos ou matemáticos em dados de origem química, ou seja, é a ciência que estuda as medidas realizadas em um sistema ou processo químico obtendo informações sobre o estado do sistema através da aplicação de métodos matemáticos ou estatísticos. Bioestatística: O termo de bioestatística refere-se à aplicação da estatística a dados provenientes de observação realizadas em diferentes aspectos das ciências da vida, como: medicina, nutrição, biologia, farmácia, enfermagem, odontologia, agronomia, veterinária e outras áreas afins. Conceitos Básicos Antes de começarmos a trabalhar com estatística propriamente dita, é necessário conhecer alguns conceitos básicos, a fim de evitar a utilização de termos errados e de análises equivocadas. Serão definidos conceitos de população e amostra, censo e amostragem, variáveis e séries estatísticas. População e Amostra População (N) é o conjunto de todos os elementos relativos a um determinado fenômeno que possuem pelo menos uma característica em comum. A população é o Universo (totalidade das observações) e pode ser finita ou infinita. Uma população finita é aquela que apresenta um número limitado de observações, possível de ser contado. Exemplos: os habitantes de Francisco Beltrão, os estudantes da Unioeste, as residências no bairro vila nova, pacientes internados em um hospital, quantidade de gado em uma propriedade. Uma população infinita é aquela que apresenta um número ilimitado de observações que é impossível de se contar e geralmente está associada a processos. Exemplos: quantidade de refrigerantes produzidos na fábrica da Coca-Cola, número de parafusos produzidos em uma fábrica. Amostra (n): É um subconjunto (ou uma parte) da população. Sempre será considerada finita. Pode ser ou não representativa da população. Para que os métodos da estatística inferencial sejam válidos, a amostra deverá ser representativa da população, ou seja, deve ser selecionada seguindo certos critérios (técnicas de amostragem, cálculo do tamanho da amostra), de modo que ela represente adequadamente todas as características da população.

4 Censo e Amostragem Quando a pesquisa estatística é baseada nos dados de todos os elementos da população, dizemos que foi realizado um censo. Portanto, censo é a coleta exaustiva de informações das N unidades populacionais. Nessas situações, não se utilizam técnicas de amostragem nem estatística inferencial, pois se sabe exatamente o valor populacional da característica estudada, não sendo necessário estimá-la. Esse valor populacional é chamado de parâmetro, e só é conhecido se for realizado um censo. Quando a pesquisa estatística é baseada nos dados de uma parte da população, dizemos que foi realizada uma amostragem. Portanto, amostragem é o processo de retirada de informações dos n elementos amostrais, o qual deve seguir um método criterioso e adequado (técnicas de amostragem e cálculo do tamanho da amostra). Nessas situações, a estatística inferencial é utilizada, pois não se sabe exatamente o valor populacional da característica estudada, mas se tem uma estimativa para esse valor obtido pela amostra. Esse valor amostral é chamado de estimativa, a qual depende da amostra que fez parte da pesquisa. Em geral, a maioria das pesquisas é feita por meio de amostragem, pois o custo e o tempo de execução são menores do que no censo e é possível conseguir boas estimativas para o parâmetro. Censos são utilizados geralmente quando a população é pequena ou quando se requer que a precisão seja a maior possível. Variáveis São as características observadas, geralmente representadas por um símbolo, sujeitas à variação quantitativa ou qualitativa, ou seja, que podem assumir um valor ou um atributo dentro de um conjunto valores ou atributos ou de um intervalo de valores. Se a variável assume somente um valor, então ela é uma constante. As variáveis podem ser classificadas em: quantitativas numéricas (discretas ou contínuas) qualitativas ou categorizadas (nominais ou ordinais). As variáveis quantitativas são resultados de uma contagem ou de uma medição, enquanto que as variáveis qualitativas são resultados de uma classificação ou de uma atribuição. Variáveis quantitativas discretas: são aquelas que podem assumir qualquer valor dentro de um conjunto de valores. Em geral, são resultados de uma contagem. Exemplo: idade, estatura, número de crianças numa escola, número de lápis Variáveis quantitativas contínuas: aquelas que podem assumir qualquer valor dentro de um intervalo de valores. Em geral, são resultados de uma medição. Exemplo: dosagens, comprimento, área, volume, altura, peso, temperatura, etc...

5 Variáveis qualitativas ordinais: Referem-se a uma variável que classifica os indivíduos de acordo com as categorias de uma características, as quais podem ser ordenadas. Os dados podem ser representados por qualquer coisa que denote uma ordenação (números, letras ou nomes). Exemplo: baixa, média, alta. Variáveis qualitativas nominais: são aquelas que envolvem frequência e não medidas. Nesse tipo de variável, os indivíduos são agrupados em categorias e conta-se a frequência com que ocorrem. Quando a variável nominal possui apenas duas categorias que não possuem nenhuma relação hierárquica entre si, chama-se dicotômica ou binária Exemplo: presença/não presença de patologia, feminino/masculino, curado e não curado, grávida/ou não grávida, vivo/morto, abaixo de 60 anos de idade/acima de 60 anos de idade. Quando a variável nominal possui três ou mais categorias são chamadas politômicas ou polinomiais Exemplo: Sistema do grupo sanguíneos A B O em quatro categorias( A,B, AB e O), diagnostico principal pela classificação Internacional das doenças (CID-10) que pode assumir qualquer uma das centenas de categorias diagnósticas possíveis. Exercícios - ( Lista 1) Fases do método estatístico Quando se pretende elaborar um estudo estatístico completo, existem diversas fases do trabalho que devem ser desenvolvidas para se chegar aos resultados finais do estudo. Essas fases são semelhantes às fases desenvolvidas para se elaborar uma pesquisa de mercado. Para estudos de qualquer natureza (medicina, psicologia, opinião) que envolvam seres humanos, existe uma legislação (Res. CNS 196/96) que determina que "toda pesquisa envolvendo seres humanos deverá ser submetida à apreciação de um Comite de Ética em Pesquisa". Ou seja, toda pesquisa envolvendo seres humanos deve ser submetida a uma reflexão ética no sentido de assegurar o respeito pela identidade, integridade e dignidade da pessoa humana e a prática da solidariedade e da justiça social. A análise da validade ética das pesquisas se concretiza nos Comitês de Ética em Pesquisa (CEP) das instituições que não

6 são uma mera instância burocrática, mas um espaço de reflexão e monitoração de condutas éticas, de explicitação de conflitos e de desenvolvimento da competência ética da sociedade. O método estatístico geralmente abrange as seguintes fases: 1.Definição do Problema Consiste na formulação correta do problema, determinar os objetivos, o que realmente vai ser investigado. O pesquisador deve verificar se existem outros levantamentos realizados no mesmo campo (revisão da literatura, estudos existentes, artigos publicados, relatórios disponíveis, pesquisas anteriores). O pesquisador também deve definir as variáveis de interesse, a população alvo e as hipóteses da pesquisa. 2.Planejamento Consiste em determinar o procedimento necessário para resolver o problema, ou seja, qual vai ser o procedimento ou metodologia adotada, como serão levantadas as informações (censo ou amostragem, se for amostragem, qual o tipo e qual o tamanho da amostra), serão coletados dados (dados primários) ou utilizados dados disponíveis em estudos anteriores (dados secundários), ou ambos? Existe uma infinidade de fontes de dados secundários. A internet trouxe uma grande contribuição nesse sentido, onde centenas de fontes de dados secundários estão disponíveis, através de sites de órgãos governamentais ou instituições privadas, tanto nacionais quanto internacionais. Além disso, deve-se definir a equipe de trabalho, o cronograma proposto e os custos previstos. Os Comitês de Ética em Pesquisa ainda exigem outras informações, tais como, termo de confidencialidade, termo de consentimento livre e esclarecido, autorizações institucionais, e descrição dos riscos e dos benefícios aos participantes da pesquisa. 3. Coleta ou levantamento dos dados Consiste na obtenção (ou coleta) dos dados propriamente dita. A coleta pode ser direta (diretamente da fonte, por exemplo, questionários aplicados diretamente às pessoas) ou indireta (feita através de outras fontes, por exemplo, pesquisa por observação ou baseada na opinião de terceiros). Atualmente, muitas pesquisas têm sido feitas por meio da internet ( marketing, pesquisas online), o que pode facilitar a vida do pesquisador, no sentido que irá economizar financeiramente (sem precisar imprimir centenas de questionários) e em termos de tempo (pesquisas online geralmente gravam os dados diretamente num banco de dados, nem a necessidade de digitação).

7 4.Crítica e tabulação dos dados Consiste em, primeiro, fazer uma análise crítica dos dados (verificar se existem erros de preenchimento), e segundo, digitar (tabular) os dados (a não ser que os dados tenham sido coletados pela internet) No caso de existência de erros nos dados, deve-se verificar se esses erros comprometem as análises estatísticas. Se sim, pode-se tentar corrigi-los buscando a informação correta na fonte de origem, se possível, ou deve-se eliminá-los 5.Organização e apresentação dos dados Consiste em organizar os dados e apresentar os resultados por meio de representação tabular ou gráfica. A representação tabular é a apresentação numérica dos dados, que consistem em dispor os dados em linhas e colunas distribuídas de modo ordenado. A representação gráfica é a apresentação visual dos dados numéricos de forma geométrica, ou seja, por meio de uma figura. 6. Análise e interpretação dos dados Essa é a última fase do método estatístico e também é a fase mais importante e delicada. O objetivo é tirar conclusões que auxiliam o pesquisador a resolver seu problema de pesquisa. Essa fase compreende: O cálculo de mediadas estatísticas: por exemplo, média, moda, mediana, variância, desvio padrão, coeficiente de variação, assimetria, curtose, correlação, proporção; A utilização de testes estatísticos: para rejeitar (ou aceitar) hipóteses, verificar a validade das estimativas (média, correlação, proporção), para comparar dados, para verificar associações, para identificar grupos semelhantes; Decisões: o pesquisador ou o interessado na pesquisa deverá utilizar os seus resultados para tomar as decisões necessárias para corrigir problemas ou mudar coisas que não estão dando o resultado desejado; Conclusões: deve reunir as principais conclusões (relacionadas com o problema e os objetivos da pesquisa) e apresentar os resultados mais importantes.

8 Representação Tabular e Gráfica Os dados podem ser representados em formas de tabelas ou gráficos. Nessa seção, serão apresentados alguns tipos de tabelas e gráficos. Tabelas A representação tabular consiste em dispor os dados em linhas e colunas distribuídas de modo ordenado. A elaboração de tabelas obedece à Resolução n 886, de 26 de outubro de 1966, do Conselho Nacional de Estatística. As normas de apresentação são editadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essas normas estabelecem, por exemplo, que uma tabela não pode ser fechada nas extremidades, conforme mostra a tabela b da Erro! Fonte de referência não encontrada.. Segundo as normas, a tabela b, não é uma tabela. Produto Quantidade Produto Quantidade A 10 B 18 C 21 a) Tabela correta A 10 B 18 C 21 b) Tabela incorreta Título: O quê; Onde; Quando Cabeçalho Total Coluna Indicadora Corpo da tabela Total Fonte : * Nota : Rodapé Figura 1. Esquema de uma tabela com os seus elementos

9 Uma tabela deve possuir os seguintes elementos: Título: Acima da tabela, deve responder as seguintes questões: o O que? (Assunto a ser representado (Fato)); o -Onde? (O lugar onde ocorreu o fenômeno (local)); o Quando? (A época em que se verificou o fenômeno (tempo)). Cabeçalho: parte da tabela na qual é designada a natureza do conteúdo de cada coluna. Geralmente é a primeira linha. Corpo: parte da tabela composta por linhas e colunas. o Linhas: parte do corpo que contém uma seqüência horizontal de informações. o Colunas: parte do corpo que contém uma seqüência vertical de informações. o Coluna Indicadora: coluna que contém as discriminações correspondentes aos valores distribuídos pelas colunas numéricas. Geralmente é a primeira coluna. o Casa ou célula: parte da tabela formada pelo cruzamento de uma linha com uma coluna Faz parte do corpo da tabela. Rodapé: É o espaço aproveitado em seguida ao fecho da tabela, onde são colocadas as notas de natureza informativa: o Fonte: refere-se à entidade que organizou ou forneceu os dados expostos. o Nota: é um esclarecimento geral; o Chamada: é um esclarecimento específico em relação a uma célula específica. Um exemplo de tabela simples para uma variável qualitativa é apresentado na. Quantidade e percentual de funcionários da Empresa ABC, segundo o grau de instrução Grau de Instrução Quantidade Percentual Fundamental ,3% Médio ,5% Superior * ,2% TOTAL % Fonte: dados hipotéticos * Inclui pós graduação Um exemplo de tabela cruzada (dupla entrada) com duas variáveis qualitativas é apresentado na.

10 Opinião dos funcionários da Empresa ABC em relação a um projeto de lei salarial, segundo o grau de instrução (em quantidade) Grau de Instrução Opinião Fundamental Médio Superior * Total A favor Contra TOTAL Fonte: dados hipotéticos * Inclui pós graduação Observa-se que a interpretação em termos de dados absolutos (quantidade) não é muito amigável. Em geral, utiliza-se o percentual por linhas, colunas ou geral. Como exercício, calcule esses percentuais para a tabela acima e interprete os resultados.

11

CURSO DE ESTATÍSTICA STICA DESCRITIVA Adriano Mendonça Souza Departamento de Estatística - UFSM -

CURSO DE ESTATÍSTICA STICA DESCRITIVA Adriano Mendonça Souza Departamento de Estatística - UFSM - CURSO DE ESTATÍSTICA STICA DESCRITIVA Adriano Mendonça Souza Departamento de Estatística - UFSM - A imaginação é mais importante que o conhecimento Albert Einstein Estatística stica?!? Conjunto de técnicas

Leia mais

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS ANEXOS INTRODUÇÃO ANEXO 1 TABELA I Fator para estimar o desvio padrão ANEXO 2 TABELA II Valores padronizados para distribuição normal ANEXO 3 TABELA III Distribuição de

Leia mais

Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Estatística Básica Aula 1 Professor: Carlos Sérgio

Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Estatística Básica Aula 1 Professor: Carlos Sérgio Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Estatística Básica - 2013 Aula 1 Professor: Carlos Sérgio UNIDADE 1 - INTRODUÇÃO GERAL (NOTAS DE AULA) 1 A Estatística Para algumas

Leia mais

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva Estatística Descritiva 1 O que é Estatística A Estatística originou-se com a coleta e construção de tabelas de dados para o governo. A situação evoluiu e esta coleta de dados representa somente um dos

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos Unidade I ESTATÍSTICA Prof. Celso Ribeiro Campos Visão geral da estatística Estatística: Conjunto de métodos e processos destinados a permitir o entendimento de um universo submetido a certas condições

Leia mais

Bioestatística UNESP. Prof. Dr. Carlos Roberto Padovani Prof. Titular de Bioestatística IB-UNESP/Botucatu-SP

Bioestatística UNESP. Prof. Dr. Carlos Roberto Padovani Prof. Titular de Bioestatística IB-UNESP/Botucatu-SP Bioestatística UNESP Prof. Dr. Carlos Roberto Padovani Prof. Titular de Bioestatística IB-UNESP/Botucatu-SP Perguntas iniciais para reflexão I - O que é Estatística? II - Com que tipo de informação (dados)

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq [Digite texto] wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui

Leia mais

MAE116 Farmácia Estatística Descritiva (I)

MAE116 Farmácia Estatística Descritiva (I) MAE116 Farmácia 2017 Estatística Descritiva (I) 1 O que é Estatística A estatística desempenha o papel importante em muitos processos de tomada de decisão. Um pesquisador, em muitas situações, necessita

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA ESTATÍSTICA VITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA ESTATÍSTICA VITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA ESTATÍSTICA VITAL Departamento de Estatística Tarciana Liberal CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas eleitorais Taxa de

Leia mais

Estatística Descritiva: organização dos dados 1 SÉRIES ESTATÍSTICAS

Estatística Descritiva: organização dos dados 1 SÉRIES ESTATÍSTICAS Universidade Estadual de Alagoas UNEAL Campus II Santana do Ipanema Curso: Zootecnia. Disciplina: Estatística Básica. Professor: Wellyngton Chaves Monteiro da Silva Estatística Descritiva: organização

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I Departamento de Estatística Tarciana Liberal CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas

Leia mais

Após essa disciplina você vai ficar convencido que a estatística tem enorme aplicação em diversas áreas.

Após essa disciplina você vai ficar convencido que a estatística tem enorme aplicação em diversas áreas. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA ESTATÍSTICA DESCRITIVA Departamento de Estatística Luiz Medeiros CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas eleitorais Taxa

Leia mais

Definição de estatística: fornece vários métodos para organizar e resumir um conjunto de dados e, com base nestas informações, tirar conclusões

Definição de estatística: fornece vários métodos para organizar e resumir um conjunto de dados e, com base nestas informações, tirar conclusões BIOESTATÍSTICA 1 BIOESTATÍSTICA Definição de estatística: fornece vários métodos para organizar e resumir um conjunto de dados e, com base nestas informações, tirar conclusões A estatística pode ser dividida

Leia mais

ESTATÍSTICA- I 3- POPULAÇÃO E AMOSTRA Variáveis A cada fenômeno corresponde um número de resultados possíveis. Assim, por exemplo:

ESTATÍSTICA- I 3- POPULAÇÃO E AMOSTRA Variáveis A cada fenômeno corresponde um número de resultados possíveis. Assim, por exemplo: ESTATÍSTICA- I 1- INTRODUÇÃO -A Estatística é a parte da Matemática Aplicada que fornece métodos para a coleta, organização, descrição, análise e interpretação de dados e para a utilização dos mesmos na

Leia mais

Elementos de Estatística. Michel H. Montoril Departamento de Estatística - UFJF

Elementos de Estatística. Michel H. Montoril Departamento de Estatística - UFJF Elementos de Estatística Michel H. Montoril Departamento de Estatística - UFJF O que é a estatística? Para muitos, a estatística não passa de conjuntos de tabelas de dados numéricos. Os estatísticos são

Leia mais

Curso de Metodologia da Pesquisa em Ciências da Vida. Tópicos em bioestatística fundamentais para o pesquisador em Ciências da Vida

Curso de Metodologia da Pesquisa em Ciências da Vida. Tópicos em bioestatística fundamentais para o pesquisador em Ciências da Vida Tópicos em bioestatística fundamentais para o pesquisador em Ciências da Vida Conceito de bioestatística A bioestatística é um recurso matemático aplicado às ciências biológicas Tem por finalidade de coletar,

Leia mais

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) 1 O que é Estatística Origem relacionada com a coleta e construção de tabelas de dados para o governo. A situação evoluiu: a coleta de dados representa somente um dos aspectos

Leia mais

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) 1 O que é Estatística Origem relacionada com a coleta e construção de tabelas de dados para o governo. A situação evoluiu: a coleta de dados representa somente um dos aspectos

Leia mais

Fases do Método Estatístico

Fases do Método Estatístico Fases do Método Estatístico Coleta de dados São inúmeras as maneiras de coletar dados, e a amostragem é a maneira mais frequente. Embora a amostragem seja um conceito simples, muitas vezes inúmeras e complexas

Leia mais

ESTATÍSTICA DESCRITIVA E INDUTIVA 2EMA010

ESTATÍSTICA DESCRITIVA E INDUTIVA 2EMA010 ESTATÍSTICA DESCRITIVA E INDUTIVA 2EMA010 Prof.: Tiago V. F. Santana tiagodesantana@uel.br sala 07 www.uel.br/pessoal/tiagodesantana Universidade Estadual de Londrina Departamento de Estatística TVFS (UEL)

Leia mais

Introdução à Probabilidade e Estatística I

Introdução à Probabilidade e Estatística I Introdução à Probabilidade e Estatística I População e Amostra Medidas resumo Prof. Alexandre G Patriota Sala: 298A Email: patriota@ime.usp.br Site: www.ime.usp.br/ patriota Passos iniciais O primeiro

Leia mais

Genética Quantitativa. Recursos Computacionais. Estatística. no Processo da Pesquisa. Desenvolvimento Avícola. Nutrição Manejo. Modelos Estatísticos

Genética Quantitativa. Recursos Computacionais. Estatística. no Processo da Pesquisa. Desenvolvimento Avícola. Nutrição Manejo. Modelos Estatísticos Genética Quantitativa Recursos Computacionais Estatística no Processo da Pesquisa Desenvolvimento Avícola Modelos Estatísticos Nutrição Manejo Genética Quantitativa Definição do Problema Planejamento da

Leia mais

Estatística e Probabilidade Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental Semestre 2012/2

Estatística e Probabilidade Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental Semestre 2012/2 Estatística e Probabilidade Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental Semestre 2012/2 Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa E-mail: valeria-lessa@uergs.edu.com 1 Introdução Quem nunca ouviu a palavra estatística

Leia mais

Introdução à Estatística para Turismo

Introdução à Estatística para Turismo Introdução à Estatística para Turismo 13 de Março de 2012 Site: http://ericaestatistica.webnode.com.br/ e-mail: ericaa_casti@yahoo.com.br Introdução Distribuição de Pontos 2 provas - 30 pontos cada; 5

Leia mais

PARTE 1- INTRODUÇÃO VERSÃO: JANEIRO DE 2017

PARTE 1- INTRODUÇÃO VERSÃO: JANEIRO DE 2017 COMUNICAÇÃO SOCIAL E MARKETING CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS ESTATÍSTICA APLICADA PARA PESQUISA EM MARKETING E COMUNICAÇÃO (BASEADO NO MATERIAL DE AULA DO PROFESSOR

Leia mais

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva C E N T R O D E M A T E M Á T I C A, C O M P U T A Ç Ã O E C O G N I Ç Ã O UFABC Estatística Descritiva Centro de Matemática, Computação e Cognição March 17, 2013 Slide 1/52 1 Definições Básicas Estatística

Leia mais

Profa. Lidia Rodella UFPE-CAA

Profa. Lidia Rodella UFPE-CAA Profa. Lidia Rodella UFPE-CAA O que é estatística? É conjunto de técnicas que permite, de forma sistemática, coletar, organizar, descrever, analisar e interpretar dados oriundos de estudos ou experimentos,

Leia mais

Introdução. Quem nunca ouviu a palavra estatística referindo-se a um número ou conjunto de números?

Introdução. Quem nunca ouviu a palavra estatística referindo-se a um número ou conjunto de números? Estatística Disciplina de Estatística 2012/2 Curso de Administração em Gestão Pública Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa E-mail: lessavaleria@gmail.com 1 Introdução Quem nunca ouviu a palavra estatística

Leia mais

Estatística descritiva básica: Tabelas e Gráficos

Estatística descritiva básica: Tabelas e Gráficos Estatística descritiva básica: Tabelas e Gráficos ACH2021 Tratamento e Análise de Dados e Informações Marcelo de Souza Lauretto marcelolauretto@usp.br www.each.usp.br/lauretto *Parte do conteúdo baseada

Leia mais

CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA

CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS GCN 7901 ANÁLISE ESTATÍSTICA EM GEOCIÊNCIAS PROFESSOR: Dr. ALBERTO FRANKE CONTATO: alberto.franke@ufsc.br F: 3721 8595 CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA As pesquisas de opinião

Leia mais

Estatística Computacional Profª Karine Sato da Silva

Estatística Computacional Profª Karine Sato da Silva Estatística Computacional Profª Karine Sato da Silva karine.sato.silva@gmail.com Análise Exploratória dos Dados Com o advento da informática o mundo encheu-se de dados. Dados de funcionários, clientes,

Leia mais

A ESTATÍSTICA Introdução Histórica

A ESTATÍSTICA Introdução Histórica A ESTATÍSTICA Introdução Histórica Desde a antigu idade, os homens faziam registros: Número de habitantes; Nascimentos e óbitos; Avaliavam bens e riquezas do povo, para cobrar impostos; Estoque de alimentos,

Leia mais

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos Métodos Quantitativos Unidade 2 Estatística descritiva 1 SUMÁRIO SEÇÃO SLIDES 2.1 Amostragem... 03 11 2.2 Tabelas e gráficos... 12 19 2.3 Medidas de posição... 20 24 2.4 Medidas de dispersão... 25 30 Observação:

Leia mais

A Estatística é aplicada como auxílio nas tomadas de decisão diante de incertezas para justificar cientificamente as decisões

A Estatística é aplicada como auxílio nas tomadas de decisão diante de incertezas para justificar cientificamente as decisões A IMPORTÂNCIA DA ESTATÍSTICA A Estatística é aplicada como auxílio nas tomadas de decisão diante de incertezas para justificar cientificamente as decisões Governo Indústria Ciências Econômicas, sociais,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE DADOS EM TABELAS E GRÁFICOS 1

APRESENTAÇÃO DE DADOS EM TABELAS E GRÁFICOS 1 APRESENTAÇÃO DE DADOS EM TABELAS E GRÁFICOS 1 A. Tabelas Para que seja possível conhecer onde ocorre a maior incidência ou prevalência de determinadas doenças e o momento em que elas ocorrem, podem-se

Leia mais

Estatística. Professor Jair Vieira Silva Júnior.

Estatística. Professor Jair Vieira Silva Júnior. Estatística Professor Jair Vieira Silva Júnior Ementa da Disciplina Estatística descritiva; Interpretação de gráficos e tabelas; Amostras, representação de dados amostrais e medidas descritivas de uma

Leia mais

Introdução e Generalidades. Júlio Osório

Introdução e Generalidades. Júlio Osório e Generalidades Júlio Osório 1 1. Definir Estatística. Objectivos 2. Descrever as utilizações da Estatística. 3. Caracterizar Estatística Descritiva e Estatística Inferencial. 4. Definir população, amostra,

Leia mais

BIOESTATÍSTICA. Prof ª Marcia Moreira Holcman

BIOESTATÍSTICA. Prof ª Marcia Moreira Holcman BIOESTATÍSTICA Prof ª Marcia Moreira Holcman mholcman@uol.com.br Bibliografia VIEIRA S. Introdução à Bioestatística, Editora Campus Rio de Janeiro, 1998. CALLEGARI-JACQUES SIDIA M. Bioestatísticos Princípios

Leia mais

AULA 02 PLANEJAMENTO ESTATÍSTICO

AULA 02 PLANEJAMENTO ESTATÍSTICO AULA 02 PLANEJAMENTO ESTATÍSTICO DOCENTE : Cátia Cândida de Almeida DISCIPLINA: Estatística aplicada à Educação CURSO DE PEDAGOGIA UNESP MARÍLIA 2017 1 Índice 1) Introdução: Pesquisa científica 2) Planejamento

Leia mais

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva Estatística Descritiva ESQUEMA DO CAPÍTULO 6.1 IMPORTÂNCIA DO SUMÁRIO E APRESENTAÇÃO DE DADOS 6.2 DIAGRAMA DE RAMO E FOLHAS 6.3 DISTRIBUIÇÕES DE FREQUÊNCIA E HISTOGRAMAS 6.4 DIAGRAMA DE CAIXA 6.5 GRÁFICOS

Leia mais

Unidade I. Profa. Ana Carolina Bueno

Unidade I. Profa. Ana Carolina Bueno Unidade I ESTATÍSTICA Profa. Ana Carolina Bueno Estatística Interpretar processos em que há variabilidade. Estatísticas indica qualquer coleção de dados quantitativos, ou ainda, ramo da matemática que

Leia mais

Adilson Cunha Rusteiko

Adilson Cunha Rusteiko Janeiro, 2015 Estatística , A Estatística Estatística: É a parte da matemática aplicada que fornece métodos para coleta, organização, descrição, análise e interpretação

Leia mais

INTRODUÇÃO A ESTATISTICA PROF. RANILDO LOPES

INTRODUÇÃO A ESTATISTICA PROF. RANILDO LOPES INTRODUÇÃO A ESTATISTICA PROF. RANILDO LOPES DESCRIÇÃO DOS DADOS CONTÍNUOS Trazem informações que expressam a tendência central e a dispersão dos dados. Tendência Central: Média ( x ), Mediana ( Md ),

Leia mais

Introdução à estatística. Prof. Anderson Rodrigo da Silva

Introdução à estatística. Prof. Anderson Rodrigo da Silva Prof. Anderson Rodrigo da Silva anderson.silva@ifgoiano.edu.br Sobre Estatística Conjunto de conceitos e métodos. Ciência que recolhe fatos e fenômenos, analisa-os e interpreta-os quanto ao número de frequência,

Leia mais

Estatística. Professor Jair Vieira Silva Júnior.

Estatística. Professor Jair Vieira Silva Júnior. Estatística Professor Jair Vieira Silva Júnior Ementa da Disciplina Estatística descritiva; Interpretação de gráficos e tabelas; Amostras, representação de dados amostrais e medidas descritivas de uma

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Guidugli

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Guidugli Unidade I ESTATÍSTICA Prof. Celso Guidugli Visão geral da estatística Estatística: Conjunto de métodos e processos destinados a permitir o entendimento de um universo submetido a certas condições de incerteza,

Leia mais

ESTATÍSTICA. Aula 1 Introdução, Tipos de Variáveis, Tipos de Dados e Tabela de Frequência. Fernando Arbache

ESTATÍSTICA. Aula 1 Introdução, Tipos de Variáveis, Tipos de Dados e Tabela de Frequência. Fernando Arbache ESTATÍSTICA Aula 1 Introdução, Tipos de Variáveis, Tipos de Dados e Tabela de Frequência Fernando Arbache 2 INTRODUÇÃO A Estatística engloba os conceitos de organização, descrição, análise e interpretação

Leia mais

DISCIPLINA: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA LICENCIATURA: ENFERMAGEM; FISIOTERAPIA

DISCIPLINA: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA LICENCIATURA: ENFERMAGEM; FISIOTERAPIA Aula nº 1 Data: 3 de Outubro de 2002 1. INTRODUÇÃO: POPULAÇÕES, AMOSTRAS, VARIÁVEIS E OBSERVAÇÕES Conceito de Bioestatística e importância da disciplina no âmbito da investigação biológica. Limitações

Leia mais

Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara

Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara Adquirir conhecimento dos fundamentos da Estatística, em seus campos Descritivo e Inferencial, como base

Leia mais

Tabela. Estatística Aplicada à Gestão. Tabela 07/08/2016. Prof. Me. Reginaldo César Izelli.

Tabela. Estatística Aplicada à Gestão. Tabela 07/08/2016. Prof. Me. Reginaldo César Izelli. Estatística Aplicada à Gestão E-mail: reginaldo.izelli@fatec.sp.gov.br Um dos objetivos da Estatística é sintetizar os valores que uma ou mais variáveis podem assumir, para que tenhamos uma visão global

Leia mais

Estatística I Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística I Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística I Aula 2 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Análise Exploratória de Dados Consiste em resumir e organizar os dados coletados Utiliza-se tabelas, gráficos ou medidas numéricas para resumir

Leia mais

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Agora,

Leia mais

(tabelas, gráficos e sumários estatísticos, de posição e de dispersão)

(tabelas, gráficos e sumários estatísticos, de posição e de dispersão) ESTATÍSTICA DESCRITIVA a) Conceito: Apresentação numérica, tabular e/ou gráfica com o propósito resumir ou sumarizar as informações contidas num conjunto de dados observados (estatística: tabelas, gráficos

Leia mais

Seminários Digitais Parte VI. Do universo, da amostra e da delimitação do corpus na pesquisa

Seminários Digitais Parte VI. Do universo, da amostra e da delimitação do corpus na pesquisa Seminários Digitais Parte VI Do universo, da amostra e da delimitação do corpus na pesquisa Curso de Comunicação em Mídias Digitais Pesquisa Aplicada em Comunicação e Mídias Digitais Marcos Nicolau Do

Leia mais

Estatística stica na Pesquisa Clínica

Estatística stica na Pesquisa Clínica Estatística stica na Pesquisa Clínica Thaïs s Cocarelli Sthats Consultoria Estatística stica NAPesq (HC-FMUSP) Alguns conceitos Estudos observacionais e experimentais Exploração e apresentação de dados

Leia mais

IFF FLUMINENSE CST EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

IFF FLUMINENSE CST EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL IFF FLUMINENSE CST EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL Estatística e Probabilidade CH: 40 h/a Classificação de variáveis, Levantamento de Dados: Coleta; Apuração; Apresentação; e Análise de resultados. Séries Estatísticas.

Leia mais

Estatística Vital Aula 1-07/03/2012. Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística UFPB

Estatística Vital Aula 1-07/03/2012. Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística UFPB Estatística Vital Aula 1-07/03/2012 Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística UFPB Programa proposto Noções de estatística descritiva Noções de probabilidade Noções de Intervalo de confiança

Leia mais

Variáveis estatísticas ou variáveis: Os atributos (modalidades) ou magnitudes (valores) que se observam nos indivíduos de uma população.

Variáveis estatísticas ou variáveis: Os atributos (modalidades) ou magnitudes (valores) que se observam nos indivíduos de uma população. CPAR - UFMS A Estatística: é a ciência que estuda, mediante métodos quantitativos, as populações que se obtém com síntese da observação de unidades estatísticas (Ibarrola et. Al, 2006). População: qualquer

Leia mais

Conceito de Estatística

Conceito de Estatística Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos, observáveis. Unidade Estatística um fenômeno individual é uma unidade no conjunto que irá constituir

Leia mais

Prof. Anderson Rodrigo da Silva.

Prof. Anderson Rodrigo da Silva. Prof. Anderson Rodrigo da Silva anderson.silva@ifgoiano.edu.br Sobre Estatística Conjunto de conceitos e métodos. Ciência que recolhe fatos e fenômenos, analisa-os e interpreta-os quanto ao número de frequência,

Leia mais

Química e Estatística

Química e Estatística Revisão dos Conceitos Básicos de Química e Revisão dos Conceitos Básicos de Definições Básicas de Média Separatrizes (Quartil, Decis e Percentil) Desvio Padrão Variância Função de Distribuição de Probabilidade

Leia mais

Curso de IPE Aula 1 de Estatística Descritiva. Prof. Dr. Valdecir Marvulle 2013

Curso de IPE Aula 1 de Estatística Descritiva. Prof. Dr. Valdecir Marvulle 2013 Curso de IPE Aula 1 de Descritiva Prof. Dr. Valdecir Marvulle 2013 Dados: Coleção de fatos numéricos observados. Exemplos: Peso dos pacientes atendidos numa unidade de saúde. Freqüência respiratória após

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Luiz Felix

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Luiz Felix Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA Prof. Luiz Felix O termo estatística Provém da palavra Estado e foi utilizado originalmente para denominar levantamentos de dados, cuja finalidade era orientar o Estado em

Leia mais

Resumo de Dados. Tipos de Variáveis

Resumo de Dados. Tipos de Variáveis Resumo de Dados Tipos de Variáveis Exemplo 2.1 Um pesquisador está interessado em fazer um levantamento sobre alguns aspectos socioeconômicos dos empregados da seção de orçamentos da Companhia MB. Usando

Leia mais

PLANEJAMENTO EXPERIMENTAL

PLANEJAMENTO EXPERIMENTAL Faculdade de Medicina Veterinária PLANEJAMENTO EXPERIMENTAL Prof.Adjunto Paulo César Ciarlini 1800: Sir William Herschel Ciarlini@fmva.unesp.br Bons jovens têm sonhos ou disciplina. Jovens brilhantes têm

Leia mais

A Estatística compreende um conjunto de

A Estatística compreende um conjunto de UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA INTRODUÇÃO Departamento de Estatística Luiz Medeiros http://www.de.ufpb.br/~luiz/ CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas

Leia mais

Aulão - Estatística Ministério da Fazenda Professor: Ronilton Loyola 1. Conceito de Estatística É uma técnica científica, uma metodologia adotada para se trabalhar com dados, com elementos de pesquisa.

Leia mais

Departamento de Estatística

Departamento de Estatística Laboratório de Ciências - Aula 3 Departamento de Estatística 7 de Janeiro de 2014 Introdução Suponha que dispomos de um conjunto de dados, por exemplo, número de gols (ou número de impedimentos, chutes

Leia mais

Revisão Conceitos de Estatística aplicados à Epidemiologia

Revisão Conceitos de Estatística aplicados à Epidemiologia Revisão Conceitos de Estatística aplicados à Epidemiologia Carlos R. V. Kiffer Médico Infectologista Professor Doutor / Pesquisador Visitante LEMC / UNIFESP Sumário O que é Estatística? Conceitos População

Leia mais

SENAI&'&ES& O"METODO"QUANTITATIVO" " " 26/06/14 MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS & &

SENAI&'&ES& OMETODOQUANTITATIVO   26/06/14 MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS & & SENAI&'&ES& & & O"METODO"QUANTITATIVO" " " Prof."FÁBIO"CAMPOS" E O que é método? É a escolha de procedimentos sistemáticos para a descrição e explicação de fenômenos. O que são procedimentos metodológicos?

Leia mais

MEDIDAS DE POSIÇÃO E DE DISPERSÃO. Profª Andréa H Dâmaso

MEDIDAS DE POSIÇÃO E DE DISPERSÃO. Profª Andréa H Dâmaso MEDIDAS DE POSIÇÃO E DE DISPERSÃO Profª Andréa H Dâmaso Bioestatística e Delineamento Experimental - 2012 Tópicos da aula Medidas de tendência central e dispersão Variáveis contínuas: distribuição normal

Leia mais

Principais Conceitos em Estatística

Principais Conceitos em Estatística 1 Principais Conceitos em Estatística Ernesto F. L. Amaral 08 de outubro de 2009 www.ernestoamaral.com/met20092.html Fonte: Triola, Mario F. Introdução à estatística. 10 ª ed., Rio de Janeiro: LTC, 2008.

Leia mais

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA VARIABILIDADE NA MEDIDA DE DADOS CIENTÍFICOS Se numa pesquisa, desenvolvimento de um processo ou produto, o valor

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º. Ementa Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º PLANO DE ENSINO Ementa Classificação de variáveis, Levantamento de Dados: Coleta; Apuração; Apresentação e Análise de resultados.

Leia mais

Análise Descritiva de Dados

Análise Descritiva de Dados Análise Descritiva de Dados 1 Estatística estatística descritiva estatística inferencial 2 Estatística descritiva Envolve técnicas que permitem representar, mensurar e analisar um conjunto de dados 3 Estatística

Leia mais

Prof. Dr. Engenharia Ambiental, UNESP

Prof. Dr. Engenharia Ambiental, UNESP INTRODUÇÃO A ESTATÍSTICA ESPACIAL Análise Exploratória dos Dados Estatística Descritiva Univariada Roberto Wagner Lourenço Roberto Wagner Lourenço Prof. Dr. Engenharia Ambiental, UNESP Estrutura da Apresentação

Leia mais

Professora conteudista: Maria Ester Domingues de Oliveira. Revisor: Francisco Roberto Crisóstomo

Professora conteudista: Maria Ester Domingues de Oliveira. Revisor: Francisco Roberto Crisóstomo Estatística Básica Professora conteudista: Maria Ester Domingues de Oliveira Revisor: Francisco Roberto Crisóstomo Sumário Estatística Básica Unidade I 1 CICLO SEMPRE CRESCENTE...2 2 ESTATÍSTICA: CIÊNCIA

Leia mais

CURSO DE SPSS AULA 1. UFBA/FACED José Albertino Lordello Sheila Regina Pereira

CURSO DE SPSS AULA 1. UFBA/FACED José Albertino Lordello Sheila Regina Pereira CURSO DE SPSS AULA 1 UFBA/FACED José Albertino Lordello Sheila Regina Pereira Introdução O Statistical Package for Social Science for Windows (SPSS) - O SPSS e um software estatístico que permite a utilização

Leia mais

Distribuição de Frequência de Variáveis Qualitativas e Quantitativas Discretas (Tabelas e Gráficos)

Distribuição de Frequência de Variáveis Qualitativas e Quantitativas Discretas (Tabelas e Gráficos) Distribuição de Frequência de Variáveis Qualitativas e Quantitativas Discretas (Tabelas e Gráficos) Prof. Gilberto Rodrigues Liska UNIPAMPA 10 de Agosto de 2017 Material de Apoio e-mail: gilbertoliska@unipampa.edu.br

Leia mais

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem Prof. Alejandro Martins DELINEAMENTO DA PESQUISA Conceituação Refere-se ao planejamento da pesquisa em sua dimensão mais ampla O elemento mais importante para

Leia mais

Aula 2. ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos

Aula 2. ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos Aula 2 ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos 1. DEFINIÇÕES FENÔMENO Toda modificação que se processa nos corpos pela ação de agentes físicos ou químicos. 2. Tudo o que pode ser percebido

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem e manual adoptado 3º CICLO MATEMÁTICA 7ºANO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução O que é Estatística? Coleção de

Leia mais

Análise de dados, tipos de amostras e análise multivariada

Análise de dados, tipos de amostras e análise multivariada Les-0773: ESTATÍSTICA APLICADA III Análise de dados, tipos de amostras e análise multivariada AULA 1 12/05/17 Prof a Lilian M. Lima Cunha Maio de 2017 Introdução O que significa o termo estatística? No

Leia mais

Em várias ocasiões há de se proceder à coleta de dados diretamente na origem, isto é, dos sujeitos com quem pretendemos realizar determinado estudo.

Em várias ocasiões há de se proceder à coleta de dados diretamente na origem, isto é, dos sujeitos com quem pretendemos realizar determinado estudo. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Amostragem Luiz Medeiros de Araujo Lima Filho Departamento de Estatística INTRODUÇÃO Em várias ocasiões há de se proceder à coleta de dados diretamente na origem, isto é,

Leia mais

)XQGDPHQWRVGHSUREDELOLGDGHHHVWDWtVWLFD

)XQGDPHQWRVGHSUREDELOLGDGHHHVWDWtVWLFD )XQGDPHQWRVGHUREDELOLGDGHHHVWDWtVWLFD,QWURGXomR A história da estatística pode ser dividida em três fases. De acordo com PEANHA (00), a estatística inicialmente não mantinha nenhuma relação com a probabilidade,

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem 3º CICLO MATEMÁTICA 7ºANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

NOÇÕES DE ESTATÍSTICA

NOÇÕES DE ESTATÍSTICA ONALDO CHAVES ESTATÍSTICA BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: 1 Estatística Aplicada Autores: Larson e Farber Editora: Pearson 4ª edição 2009 2 Estatística para Ciências Humanas Autor: Levin, Fox e Ford Editora: Pearson

Leia mais

Distribuição de frequências:

Distribuição de frequências: Distribuição de frequências: Uma distribuição de frequências é uma tabela que reúne o conjunto de dados conforme as frequências ou as repetições de seus valores. Esta tabela pode representar os dados em

Leia mais

Organização de dados

Organização de dados Organização de dados Coletar dados podem envolver diversas atividades tais como experimentos em laboratório, observações de campo, pesquisa de opinião, exame de registros históricos,... A quantidade de

Leia mais

Estatística Descritiva: organização dos dados. 1 - Distribuição de frequências

Estatística Descritiva: organização dos dados. 1 - Distribuição de frequências Universidade Estadual de Alagoas UNEAL. Campus II Santana do Ipanema. Curso: Zootecnia. Disciplina: Estatística Básica. Professor: Wellyngton Chaves Monteiro da Silva Estatística Descritiva: organização

Leia mais

Introdução a Estatística. População, mostra, variaveis. Notação Científica e Arredondamento.

Introdução a Estatística. População, mostra, variaveis. Notação Científica e Arredondamento. Aula # 02 Introdução a Estatística. População, mostra, variaveis. Notação Científica e Arredondamento. Professor: Dr. Wilfredo Falcón Urquiaga Professor Titular Engenheiro em Telecomunicações e Eletrônica

Leia mais

Aula 8 A coleta de dados na Pesquisa Social

Aula 8 A coleta de dados na Pesquisa Social Aula 8 A coleta de dados na Pesquisa Social População População- totalidade dos elementos sob estudo. Apresentam uma ou mais características em comum. Universo ou população: é o conjunto de indivíduos

Leia mais

DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Curso: Informática de Gestão

DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Curso: Informática de Gestão Aula # 02 DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Curso: Informática de Gestão Introdução a Estatística. População, mostra, variaveis. Notação Científica e Arredondamento. Professor: Dr. Wilfredo Falcón

Leia mais

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) O que é Estatística Para muitos, a Estatística não passa de conjuntos de tabelas de dados numéricos. Os estatísticos são as pessoas que coletam esses dados. A Estatística originou-se

Leia mais

CE Estatística I

CE Estatística I CE 002 - Estatística I Agronomia - Turma B Professor Walmes Marques Zeviani Laboratório de Estatística e Geoinformação Departamento de Estatística Universidade Federal do Paraná 1º semestre de 2012 Zeviani,

Leia mais

Podemos construir uma tabela com dados de uma variável quantitativa, explicitando um a um todos os dados obtidos.

Podemos construir uma tabela com dados de uma variável quantitativa, explicitando um a um todos os dados obtidos. TABELAS E GRÁFICOS TABELAS Uma tabela (ou planilha) é um arranjo sistemático de dados dispostos em colunas e linhas para fins de comparação e comunicação. Nas linhas da tabela estão apresentadas as variáveis

Leia mais

Pesquisa de Mercado. 08 de junho de Profa. Daniela Callegaro, Dr. Martiele Cortes Borges

Pesquisa de Mercado. 08 de junho de Profa. Daniela Callegaro, Dr. Martiele Cortes Borges Pesquisa de Mercado 08 de junho de 2017 Profa. Daniela Callegaro, Dr. Martiele Cortes Borges Relembrando... Estrutura da Pesquisa 1. Definição do problema 2. Elaboração de uma abordagem do problema 3.

Leia mais

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Noções básicasb de Inferência Estatística descritiva inferencial População - Parâmetros desconhecidos (reais) Amostra

Leia mais

Revisão de estatística descritiva

Revisão de estatística descritiva Revisão de estatística descritiva Prof. Marcos Vinicius Pó Métodos Quantitativos para Ciências Sociais 1 Apresentação de grupos: dia 19/02 (quinta) Definir e eplicar sucintamente o funcionamento das seguintes

Leia mais