Estudo realizado para o CEDT/COTEC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo realizado para o CEDT/COTEC"

Transcrição

1 AMBIENT INTELLIGENCE Estudo realizado para o CEDT/COTEC QuiiQ, LDA. DOCUMENTO CONFIDENCIAL

2 Índice 1 Sumário Executivo O Projecto HAILAB QuiiQ Ambient Intelligence Ambient Intelligence Digital Lifestyle Controlo e usabilidade Processador Viiv da Intel Evolução nos interfaces Modelos de Controlo O Conceito Media Center Home Entertainment QuiiQ MOVIES QuiiQ MOVIES Collector Home Automation QuiiQ AUTOMATION Home Intelligence Home Resource Planning (HRP) Conclusão e Trabalho Futuro Page 2 of 49

3 1 SUMÁRIO EXECUTIVO Este documento apresenta uma primeira versão do estudo em torno da visão Viver melhor no mundo digital, devidamente materializados através de uma oferta de produtos para a habitação que permitam às famílias divertir-se mais e fazer mais, mantendo-se ligas às pessoas que desejam. O enquadramento e posicionamento estratégico e comercial da QUIIQ intersectam-se, em grande parte, com os desígnios e objectivos do designado Projecto HAILAB, identificado pelo CEDT/COTEC como sendo...um projecto global, a ser promovido por uma empresa multinacional, de posicionamento universal, agregadora de tecnologia base disseminada e fortemente orientada para o mercado de consumo. Nas secções seguintes discutem-se os diferentes blocos construtivos que farão parte do domínio estrutural deste estudo. Uma boa parte desses blocos construtivos são já vulgarmente enquadrados em torno dos conceitos de Ambient Intelligence (AmI), Embedded Systems (ES) e de Ubiquitous Computing (UC). No entanto, torna-se necessário redefinir e estender esses mesmos conceitos quando integrados e utilizados no seio de uma habitação, orientados segundo uma linha estratégica que consiste em utilizar a TV, juntamente com todo um conjunto de aparelhos e de aplicações satélite, como pontos de controlo. É esse precisamente o âmbito do estudo que apresentamos ao longo dos próximos capítulos. Page 3 of 49

4 2 O PROJECTO HAILAB O Projecto HAILAB é sustentado essencialmente por três pilares fundamentais: 1. A exploração do conceito de Inteligência Embebida 1 ; 2. A identificação de iniciativas de I&D relevantes na área da home intelligence, tais como o EasyLiving 2 o Aura Project 3 ; 3. O desenvolvimento de uma solução simples e intuitiva que permita ao utilizador comum gerir eficazmente toda a logística associada à manutenção da mercearia caseira e dos restantes bens de consumo familiar, intitulada Home Resource Planning (HRP). Para a prossecução destes objectivos, o CEDT/COTEC definiu uma metodologia de trabalhos onde foram realizados, entre outros, alguns estudos preliminares e diversas acções de sensibilização junto da Comissão Europeia e de algumas das mais importantes multi-nacionais, tais como a Microsoft e a INTEL. Durante o ano de 2005 foram realizadas diversas reuniões de apresentação do projecto HAILAB, tendo por principal objectivo criar as condições para que se viesse a instalar até finais de 2007 um laboratório de Home Ambient Intelligence no Minho. É neste contexto que surgem em 2006 os primeiros contactos entre o CEDT/COTEC e a QUIIQ, nos quais foi dado a conhecer o projecto QUIIQ AMBIENT INTELLIGENCE. 1 Para mais informação consultar 2 Para mais informação consultar 3 Para mais informação consultar Page 4 of 49

5 3 QUIIQ AMBIENT INTELLIGENCE The most profound technologies are those that disappear. They weave themselves into the fabric of everyday life until they are indistinguishable from it. The Computer for the 21 st Century, by Mark Weiser, 1999 A iniciativa empresarial QUIIQ, iniciada em 2006, rapidamente se cruzou com o domínio aplicacional do Projecto HAILAB. Em Portugal, a QUIIQ 4 tem vindo a liderar, desde então, o desenvolvimento, a produção e a comercialização de soluções nas áreas de Home Automation e Home Entertainment. Estas soluções totalmente orientadas ao utilizador, altamente intuitivas e de fácil configuração, são baseadas em plataformas Microsoft e visam explorar o novo paradigma de interacção veiculado pelo Media Center do Microsoft Windows Vista 5. Os seus dois produtos já lançados para estas duas áreas, QUIIQ HOME AUTOMATION e QUIIQ MOVIES 6, respectivamente, permitem já vislumbrar a materialização dos dois primeiros pilares que servem de base de sustentação ao Projecto HAILAB. A cobertura do terceiro pilar enquadra-se, por sua vez, no segmento do Home Intelligence, através da qual serão desenvolvidas e exploradas soluções e serviços em torno do conceito de HRP anteriormente referido. O conjunto formado por estas três áreas Home Automation, Home Entertainment e Home Intelligence corporiza a noção maior de QUIIQ AMBIENT INTELLIGENCE 7 cuja materialização consistirá na implementação de um conjunto de tecnologias, produtos e serviços integrados de sofware e hardware. Desse modo, o estudo que nos propomos apresentar ao CEDT/COTEC será focado nas seguintes vertentes: 4 Para mais informação consultar 5 Para mais informação consultar 6 Para mais informação consultar 7 QUIIQ is a brand new way to deliver high performance at your home, allowing you to discover a single and unified world of integrated features delivered from both digital entertainment and home control systems (fonte: Page 5 of 49

6 Na utilização de tecnologias embebidas em ambiente habitacional e que cobrirá uma grande parte do universo exploratório inicialmente identificado pelo CEDT/COTEC. Neste ponto serão abordados os conceitos de Digital Lifestyle e de Automação e Domótica onde se enquadram os dois primeiros pilares que servem de base de sustentação ao Projecto HAILAB; Na apresentação de um protótipo da solução de HRP. Neste ponto será abordada a estensão ao conceito de Ambient Intelligence, alargando a cobertura a todo o âmbito de actuação proposto pelo Projecto HAILAB. Nas próximas secções iremos abordar a linha de desenvolvimento seguida para materializar os conceitos anteriormente discutidos em tornos de soluções cujo controlo, usabilidade e facilidade de utilização sejam uma realidade. Para isso, começaremos por apresentar os conceitos de Ambient Intelligence, Ubiquitous Computing e Embedded Systems. Em seguida abordaremos a área de controlo e usabilidade, passando depois para a área do entertenimento, usando como referência a aplicação QuiiQ MOVIES, e depois para a área da automação, usando como referência a aplicação QuiiQ AUTOMATION. Por último discutiremos em pormenor o guião de interacção da solução HRP. 3.1 AMBIENT INTELLIGENCE A simples utilização da expressão Ambient Intelligence (AmI) permite perceber que a subjectividade do conceito torna difícil a sua implementação tecnológica. No entanto, quando falamos de AmI referimo-nos normalmente à inclusão, pelo menos, dos seguintes conceitos: Ubiquidade, ou seja, situações em que estamos rodeados de conjuntos multifacetados de sistemas embedbidos; Precaução, ou seja, a capacidade para localizar e reconhecer objectos, pessoas e intenções; inteligência capacidade de analizar o contexto, adaptar-se a esse contexto e às pessoas que nele habitam, aprendam com o seu comportamento e reconheçam eventualmente as suas emoções e interacção natural; utilização de meios de comunicação naturais, tais como a reconhecimento linguístico e a consequente utilização da linguagem natural. Para além destes conceitos, existe todo um conjunto de expressões que tentam igualmente definir e enquadrar as várias complementaridades do AmI. Entre essas expressões destacamos as seguintes: Ambientes inteligentes Ambientes cooperativos Edifícios inteligentes Casas inteligentes Redes móveis Page 6 of 49

7 Computação móvel Interacção natural Pervasive computing (no sentido da presença tecnológica invasiva) Ubiquitous computing (no sentido da omnipresença tecnológica) Wearable computing (no sentido da vestimenta tecnológica) De acordo com o programa europeu IST Information Society Technologies, os homens viverão em breve rodeados de ambientes inteligentes através de interfaces inteligentes suportadas por computadores em rede embebidos no nosso dia a dia habitacional. São no entanto várias as questões que se colocam para atingir esses objectivos: Qual o impacto social derivado da utilizado de sistemas AmI? Qual o seu verdadeiro potencial na melhoria da qualidade de vida? Como se conjugam nestes ambientes os aspectos relacionados com a privacidade e a confiança? Que caracteristicas podemos encontrar nas diferentes interacções possibilitadas pelos sistemas AmI? Qual o nivel de inteligência que as pessoas estão dispostas a aceitar? Como definir as diferentes dimensões do termo ambiente? Como fazer refletir o design nos espaços interactivos e nos artefactos inteligentes? Como fazer reflectir a utilização diária de aparelhos na interacção implicita? As respostas a estas questões reunem pelos menos quatro domínios: A arquitectura e design de interiores; A domótica e a integração de sistemas; O reconhecimento da localização e do ambiente que rodeia o sistema; A escala dos aparelhos utilizados (note-se que a escala natural para a interacção diária com uma máquina aproxima-se da de uma folha A4 ou à de um simples post-it). A estes 4 domínios juntam-se normalmente caracteristicas tecnológicas necessárias à implementação do conceito de UC e que se dividem em 4 partes: A tecnologia deve ser barata; A tecnologia deve ser eficiente em termos de gastos energéticos; Todos os compontes devem estar interligados através de uma ou mais redes; Os sistemas computacionais deverão ser capazes de implementar um vasto número de aplicações de forma initerrupta. Pela tendencia actual é no entanto de crer que a ubiquitous compting irá gradualmente emergir como modelo dominante de acesso e utilização de computadores nas próximas decadas. Page 7 of 49

8 3.2 DIGITAL LIFESTYLE This is our vision of 'Ambient Intelligence': people living easily in digital environments in which the electronics are sensitive to people's needs, personalized to their requirements, anticipatory of their behavior and responsive to their presence. Digital Lifestyle, by Philips A evolução e a consolidação tecnológica dos sistemas computacionais, dos sistemas de informação e dos sistemas de gestão de conteúdos digitais durante a última década permitiram atingir um nível de integração entre soluções, produtos e serviços complementares nunca antes visto. Essa enorme facilidade de integração permitirá criar mais rapidamente novos patamares de interacção e novos canais de valor acrescentado através de soluções combinadas em torno de produtos e/ou serviços distribuidos e comercializados à escala mundial, massificando a oferta tecnológica de qualidade para o cada vez mais exigente público a que se dirige 8. Na área dos Sistemas Integrados, por exemplo, o crescente aumento de todo o tipo de equipamentos de uso doméstico que vão desde os equipamentos de áudio e vídeo, passando pela domótica e até aos electrodoméstivos de qualidade passíveis de serem ligados a um sistema computacional facilita a gestão centralizada de uma série de fontes que de outra forma funcionavam de forma dispersa 9. A Microsoft, com a sua conhecida estratégia e com os seus produtos, está a revolucionar o conceito de Digital Lifestyle, contribuindo de uma forma decisiva para a integração do PC e dos dispositivos móveis na vida das pessoas e na forma como gerem a informação dentro e fora de casa. A visão e a capacidade de realização da Microsoft foram marcantes nas comunicações feitas nas feiras CES 2006 e na CEBIT pelo presidente da Microsoft Bill Gates. Na suas intervenções, Bill Gates começa por apresentar a sua visão para a crescente transposição da era da utilização profissional dos recursos computacionais para para a era da utilização permanente desses mesmos recursos: [...] we talk about this as the decade of Digital Lifestyles, the decade of Digital Workstyles. That means that all these tools are becoming mainstream. And it's not just one application that makes it happen. It's not just banking or advertising, or filling out your tax return, or even instant messaging, it's the fact that as you adopt those things they really go together, and it becomes more and more familiar to work in that fashion. 8 Recomenda-se a consulta do relatório 2016, The Future Value Chain, da GCI (Global Commerce Initiative), onde nos é apresentado um retrato esclarecedor sobre o impacto das novas tecnologias na sociedade e na economia durante a próxima década. 9 Para mais informação consultar, por exemplo, Page 8 of 49

9 Em seguida, começa por concentrar todo o contexto do seu discurso no advento da plataforma media center e da sua importância na criação de um verdadeiro estilo de vida digital : [...] 2005 was a very big year. [ ] But this next year, in some ways, is probably even bigger. This is the year that [Windows] Vista, Office 12 and many other products will come out, and the realization of [Windows] Media Center as a volume mainstream product will really be clear to everyone in the marketplace. Consumers are getting more and more connected. They're getting richer experiences, and software is really at the center of that. Ilustração 1: Windows media Center Até 2005 a Microsoft vendeu cerca de 6.5 Milhões de cópias do Media Center e prevê para 2006 e anos seguintes um crescimento muito superior pela integração de novas tecnologias nos PC e pelo surgimento de novos equipamentos móveis. Isto só é possível pela aposta da Microsoft nas cerca de 130 parcerias e na sua total integração com os novos processadores da Intel que permitirão chegar ao limite da experiência multimédia. A integração do Media Center no novo sistema operativo da Microsoft (Ilustração 1: Windows media Center), o Microsoft Windows Vista, onde a capacidade de gestão remota dos conteúdos foi melhorada e a descentralização de funções pelos equipamentos móveis é possível, aliada à estratégia da Intel para os novos processadores, permitem à Microsoft liderar as soluções de Media Center e de partilhar com os operadores de conteúdos, sejam cabo, satélite ou terrestres, uma gama de soluções sem precedente na utilização da Internet. 3.3 CONTROLO E USABILIDADE Machines that fit the human environment, instead of forcing humans to enter theirs, will make using a computer as refreshing as taking a walk in the woods. Page 9 of 49

10 The Computer for the 21 st Century, by Mark Weiser, 1999 A evolução tecnológica desde o início do ano de 2006 está a colocar no mercado soluções bastante consolidadas e que vão ao encontro das necessidades prementes para a concretização da visão do Digital Lifestyle. Os fabricantes de processadores, máquinas e software estão a trabalhar em conjunto para disponibilizar soluções mais estáveis, rápidas e de melhor qualidade. Algumas dessas soluções estão aqui descritas e apresentam uma série vantagem para quem liderar esta evolução PROCESSADOR VIIV DA INTEL À semelhança do que já tinha feito com a marca Centrino, a Intel lançou um novo conceito de convergência entre computador e electrónica para o entretenimento doméstico. A marca Viiv sustenta diversos conceitos que vão de PCs semelhantes a leitores de DVDs a equipamentos com um aspecto tradicional, todos integrando processadores, chipsets e funcionalidades wireless da Intel. A tecnologia Intel Viiv é a primeira plataforma desenhada de raiz para o lar digital, onde os consumidores perfilham a ideia de aceder aos conteúdos a qualquer momento e em qualquer lugar na sua casa", afirma Don MacDonald, vice presidente e director geral da Intel Digital Home Group. O objectivo é que os PCs baseados na tecnologia Intel Viiv sejam fáceis de usar com um controle remoto, um conceito semelhante ao já colocado em prática com o Media Center da Microsoft. O hardware será complementado com o Windows Media Center da Microsoft e com software de media que permitem ao utilizador ver vídeos ou jogar enquanto faz um download de música, tudo gerido a partir do controle remoto EVOLUÇÃO NOS INTERFACES A Internet deu mais um passo significativo no seu crescimento e maturidade como plataforma de interacção e massificação das aplicações para a gestão do dia-a-dia e negócios das pessoas e empresas/organizações. Este passo chama-se Web 2.0 e aproxima a experiência de utilização da Internet às aplicações tradicionais orientadas à função, instaladas no computador. Combinando técnicas de usabilidade avançadas com ferramentas multimédia, é possível ter páginas mais fáceis de utilizar e que necessitem de menos refrescamento, reduzindo o seu tempo de utilização. Page 10 of 49

11 3.3.3 MODELOS DE CONTROLO Para a criação de bundles existem uma série de inovações tecnológicas que permitem servir de controlo para as funções que iremos implementar. Utilizar um Ultra Mobile PC como extender do Media Center, ver vídeos, tv, seleccionar música, ou ainda controlar algumas funções com o sideshow, são só algumas das soluções que apresentamos de seguida COMANDOS A tecnologia SideShow da Microsoft incluida no Windows Vista permite, através de simples comandos, aceder aos gadgets disponibilizados pelo Media Center e controlar, por exemplo: o Guia de Programação sem ligar a Televisão, mudar a música, etc. Pode ser ligado via WiFi, Bluetooth, etc. São pequenas aplicações de controlo que tem a sua manipulação em qualquer dispositivos com as características de um sideshow. Ao contrário do que existe actualmente, em que as aplicações que estão disponíveis nos equipamentos remotos são desenvolvidas para controlar determinados dispositivos e executar algumas funções, neste tipo de tecnologia é no Media Center que se indica o que cada utilizador quer ver controlado nos equipamentos móveis, sejam PDA, telemóveis ou telecomandos específicos ULTRA MOBILE PC Os Ultra Mobile PC lançados pela Microsoft em parceria com alguns fabricantes de hardware, projectam este tipo de máquinas para um patamar de consumo ao nível dos telemóveis. Vão ser os controladores de equipamentos e conteúdos móveis do futuro. Baseados no sistema operativo Windows Tablet Edition 2005, irão ter écrans tácteis de 7-inch, 30 a 60 Gb de disco, mais de 256 Mb de memória, WiFi e Bluetooth EXTENDERS Um Extender é equipamento que permite utilizar as funções do Media Center remotamente, por cabo ou wireless, noutro local ou divisão. A XBOX 360 ou o Linsys são exemplos de extender que ligados ao PC Media Center acedem aos conteúdos de música, vídeos, rádio, televisão, etc. Page 11 of 49

12 3.4 O CONCEITO MEDIA CENTER Vejamos então em detalhe quais as principais caracteristicas e funcionalidades do Windows Media center (WMC) e quais as as vantagens na sua adopção como plataforma para soluções de AmI. O conceito de Media Center surge já como uma noção standard que agrega um conjunto de funcionalidades específicas e as disponibiliza ao utilizador de uma forma simples e intuitiva. A implementação desses conceitos assume já diversos formatos e protagonistas, e tem vindo a tornar áreas tradicionalmente dispersas em tecnologicamente complementares. Noções como home theater 10, home server 11, audio and video 12, domotics 13, high-definition tv 14, etc. Desse modo, os sistemas de media center agregam, em termos mínimos, o seguinte conjunto de funcionalidades: Integração de diferentes tipos de televisão, que inclui a TV analógica, a TV digital, a IPTV (TV por IP), web TV (TV por web) Integração de diferentes tipos de media e de soluções de entretenimento; Integração num só tipo de interface gráfica funcionalidades de comunicação incluindo a recepção de sinal de TV (TV analogical, TV digital via cabo ou satellite, IPTV, webtv), a internet de banda larga, telefone via IP, video-chamadas, etc. into one common user friendly GUI (graphical user interface) com possibilidades de serem controladas por manuseamento directo de um aparelho ou remotamente através de teclados ou comandos sem fios por todos os membros de um típico agregado familiar; Capacidade de armazenamento de arquivos de media; Capacidade de reproduzir conteúdos de media através de televisão ou equipamentos de alta fidelidade; Simplicidade na utilização de contéudos, principalmente ao nível da transferencia, armazenamento e reprodução; Redução de custos e aumento da portabilidade obtido pelo facto de se conseguir integrar funcionalidades de transferência, armazenamento e reprdoução de conteúdos digitais num único equipamento Page 12 of 49

13 O Media Center da microsoft possui caracteristicas importantes que nos levam a pensar que poderá de facto tornar-se num standard de mercado a curto prazo, nomeadamente: A sua crecente massificação devido à sua inclusão nas versões home premium e ultimate. Note-se que a versão home premium é a que domina os acordos OEM, veículo por excelência da proliferação dos sistemas operativos da microsoft no mercado; A sua qualidade visual e a sua multipla capacidade de interacção, quer através de dispositivos touch screen, quer através de teclados sem fios ou de controlo remoto; A sua forte componente de legacy, juntando a TV+Radio com os mais recentes e populares elementos digitais, tais como as fotografias e videos digitais, os cds musicais e os dvds; O enriquecimento da experiência de televisão digital, através da utilização de guias e de diversos tipos de serviços disponíveis em tempo real; A sua expansão com a vertente de entretenimento e jogos, conseguida através da utilização da consola de jogos XBOX como Media Center extender; A sua capacidade de expansão com novas funcionalidades e aplicações através das ferramentas de desenvolvimento disponibilizadas para esse efeito. O conjunto de funcionalidades básicas do WMC inclui todo um conjunto de utilitários que fornece ao utilizador simultaneamente um arquivo digital, um centralizador de serviços e um servidor de media dividido em 5 categorias principais: Fotos + Videos, permitindo arquivar e visualizar fotos e videos; Musica, permitindo criar cópias digitais dos CDs de música, criar CDs a partir de uma selecção de músicas, navegar por album, artista, título e ano, criar playlists, sintonizar estações de rádio FM, aceder a estações de radio disponíveis na internet, comprar música online e adicionar música à visualização de fotografias em slide show; TV + Filmes, permitindo o acesso aos canais de TV e respectivos guias, às gravações de programas televisivo, ao DVD e serviços de TV online, tais como o Internet TV (disponível em versão Beta apenas nos EUA); Serviços Online, permitindo aceder a uma galeria de serviços disponibilizados numa base regional e ao conjunto de programas instalados sobre a plataforma Media Center. Os serviços dão acesso a canais de desporto tal como o FOX Sports Portal, canais generalistas como o MSN Video e o aluguer de filmes, como o Vongo (estes serviços, no entanto, está disponíveis apenas nos EUA); Tarefas, que inclui funcionalidades como a gravação de CDs, a instalação de extenders, a sincronização de dispositivos e configurações diversas. Por tudo isto, parece-nos promissora a aposta nesta platafoma para a construção de um ambiente integrado de AmI e, nesse sentido, iremos apresentar nas próximas secções a estratégia de desenvolvimento da solução QuiiQ Ambient Intelligence tendo por base a abordagem segmentada das áreas de Home Entertainment, Home Automation e Home Intelligence. Page 13 of 49

14 3.5 HOME ENTERTAINMENT Enquanto plataforma, o Media Center serve também de base ao desenvolvimento de novos produtos e soluções que complementem as funcionalidades fornecidas de raíz, todas elas especialmente orientadas para a área do Home Entertainment. O QUIIQ MOVIES, por exemplo, surge precisamente como uma solução complementar para este segmento, permitindo coleccionar, gerir e visualizar, de forma simples e intuitiva, o arquivo familiar de DVDs (Ilustração 2: QuiiQ Movies). Ilustração 2: QuiiQ Movies Em termos globais, a área de Home Entertainment tenderá também a agregar, entre outros, os seguintes domínios aplicacionais: media archive, dando acesso a todo o conjunto de conteúdos tipicamente disponíveis em plataformas media center (CDs, DVDs, Fotos e Videos); family notes, permitindo utilizar a plataforma media center como um correio interno familiar; internet viewers, permitindo o acesso integrado a serviços e funcionalidades específicas no âmbito do conceito de Casa Inteligente; RSSs & News, permitindo o acesso a um conjunto pré-seleccionado de conteúdos com actualizações permanentes; Page 14 of 49

15 interactive TV, juntando as recentes tecnologias de IPTV 15, Internet TV 16, VOD 17 e acesso a videos partilhados, como no caso do YouTube 18. De seguida iremos apresentar o guião de interacção de uma primeira aplicação desenvolvida para área do Home Entertainment, designada QuiiQ MOVIES, pondo em prática vários dos conceitos atrás referidos QUIIQ MOVIES O QuiiQ Movies é uma aplicação para Windows Media Center que permite navegar e gerir toda a sua colectânea de filmes e correspondentes cópias digitais em formato DVD, Blu-ray, HDD, DivX e outros. No QuiiQ Movies, cada filme divide-se estruturalmente em duas partes: A informação do filme, composta pelas capas, pela sinopse, pelos seus actores e realizadores e pela sua votação; As cópias digitais, que permite agregar as várias versões dos filmes e os seus trailers. A parte da informação pode ser obtida quer automaticamente a partir de fontes pré-seleccionadas via web, quer manualmente através da utilização do Movies Collection Manager. 15 Para mais informação consultar 16 Para mais informação consultar 17 Para mais informação consultar 18 URL: Page 15 of 49

16 PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES DO QUIIQ MOVIES Através da página principal é possível efectuar uma rápida e intuitiva navegação na sua biblioteca de filmes. Para isso, bastará utilizar os botões < e > do seu controlo remoto, as setas esquerda e direita do seu teclado ou os próprios dedos (no caso de estar a utilizar um dispositivo touch-screen) premindo as zonas esquerda e direita do écran. A área funcional do QuiiQ MOVIES permite aceder a duas áreas distintas: Área do menu ; Área de navegação. A área do menu (topo do écran) permite aceder a todas as opções disponíveis num dado contexto. Na página principal, por exemplo, são disponibilizadas filtragem rápidas sobre os seguintes items: Filmes, dando acesso, em formato visual ou textual, à lista completa de filmes; Page 16 of 49

17 Actores, dando acesso, em formato visual ou textual, à lista completa de actores; Realizadores, dando acesso, em formato visual ou textual, à lista completa de realizadores; Géneros, dando acesso, em formato textual, à lista completa de géneros. A selecção de um determinado género realiza uma visualização rápida dos filmes desse género; Anos, dando acesso, em formato visual ou textual, à lista completa de filmes agrupados por ano de lançamento. Quando é usado o formato textual, a selecção de um determinado ano realiza uma visualização rápida dos filmes desse ano; Trailers, dando acesso à lista completa de trailers. Por sua vez, o acesso a outras opções é realizada através da selecção da opção Menu, disponível no topo do écran. De acordo com o contexto, as opções disponíveis através do Menu são: Página principal, permitindo o regresso à navegação disponível na página principal; Regressar, permitindo regressar à página anterior; Pesquisa, permitindo aceder à área de pesquisa e pesquisa avançada; Full screen, permite visualizar o filme em todo o écran. A navegação sobre as diferentes opções disponíveis no menu actualiza automaticamente a área de navegação. Para além disso, algumas das opções permitem dois tipos de visualização da informação: visual (capas, fotografias de actores, fotografias de realizadores, etc.) ou textual (nomes dos filmes, nomes dos actores, nomes dos realizadores, etc.). A alteração entre estes dois tipos de visualização é feita através da selecção, através do OK do controlo remoto, do enter do teclado ou ainda da pressão do dedo, da própria opção de menu. A selecção permitirá alternar entre os dois tipos de visualização. No caso da navegação textual por categorias pode ainda ser visualizada a quantidade associada a cada categoria. Por exemplo, na visualização textual dos géneros ou dos anos, associado a cada género e a cada ano encontramos também a quantidade de filmes abrangidos por cada uma das categorias específicas. A pré-selecção de um determinado género permite visualizar dinamicamente Page 17 of 49

18 o seu resultado na zona inferior do écran enquanto a sua selecção permite aceder à sua navegação e manipulação em modo normal. A área de navegação permite visualizar os vários elementos correspondentes à opção de menu seleccionada e seleccionar um item dessa lista dando acesso ao detalhe desse item. Conforme a navegação vai decorrendo, cada item vai sendo visualizado em destaque (o icon sobressai) e uma informação sumária desse item é visualizada na zona inferior do écran VER UM FILME OU UM TRAILER A visualização de um filme ou trailer através do QuiiQ MOVIES é realizada através da opção Play que surgirá no topo do écran após a selecção do filme pretendido. Dado que é possível ter mais do que uma versão digital do filme seleccionado armazenado em disco, o Play adquire três comportamentos distintos: Page 18 of 49

19 É apresentada uma mensagem de aviso, indicando que não existe informação sobre a colectânea física ou digital dos DVDs; É apresentada a lista de discos disponíveis, indicando o número de DVDs e a correspondente associação à informação sobre o seu armazenamento físico ou digital. Caso existam cópias digitais associadas aos vários discos, a sua selecção permitirá iniciar a visualização do filme; É iniciada a visualização do filme, indicando que existe apenas uma cópia digital disponível PESQUISA E FILTROS A área de pesquisa permite aceder a dois tipos de pesquisa: Pesquisa simples, efectuando uma pesquisa dinâmica associada à escrita total ou parcial do título de um filme; Pesquisa avançada, efectuando ou partes do título e depois, escolher se quer a pesquisa por título ou algo de mais complexo. A pesquisa simples consiste em escrever o título total ou parcial de um determinado filme. O resultado da pesquisa é actualizado de forma dinâmica à medida que o texto é inserido. Sobre o resultado de uma pesquisa simples é possível seleccionar desde logo um determinado filme e aceder aos seus detalhes. É igualmente possível aceder a filtros anteriormente gravados através da opção Meus Filtros. A pré-selecção de um determinado filtro permite visualizar dinamicamente o seu resultado na zona inferior do écran enquanto a sua selecção permite aceder à sua navegação e manipulação em modo normal, sendo ainda possível ordenar a lista de filmes por: Título, pela ordem 0-9, A-Z, ou seja, os primeiros títulos a aparecer pertencem aos filmes cujo título começa por um número; Ano, pela ordem cronológica descente, ou seja, os primeiros títulos a aparecer pertencem aos filmes lançados recentemente; Page 19 of 49

20 Classificação, pela ordem descendente, ou seja, os primeiros títulos a aparecer pertencem aos filmes com maior classificação. A pesquisa avançada permite efectuar uma escolha conjugada de critérios tais como: Título, permitindo efectuar uma pesquisa de um título total ou parcial; Ano de Produção, permitindo efectuar uma pesquisa de filmes produzidos numa determinada década; Duração, permitindo efectuar uma pesquisa de filmes com duração inferior a um determinado tempo de duração; Classificação, permitindo efectuar uma pesquisa de filmes com uma determinada classificação; País, permitindo efectuar uma pesquisa de filmes produzidos num determinado país. Géneros, permitindo efectar pesquisas de filmes de diferentes géneros; Page 20 of 49

21 Actores, permitindo efectuar pesquisas de filmes com determinados actores; Realizadores, permitindo efectuar pesquisas de filmes realizados por determinados realizadores. A conjugação referida acima corresponde à aplicação sucessiva, por conjunção (ou E lógico), dos diferentes critérios de filtragem: geral, ano de produção, duração, géneros, actores e realizadores. O filtro sobre cada critério (exceptuando o critério Geral que agrega igualmente por conjunção) corresponde à aplicação sucessiva, por disjunção (ou OU lógico), dos diferentes valores de filtragem. Por exemplo, a aplicação do critério geral com o título gl, ano de produção entre 1980 e 2000 e duração inferior a 180min e do critério Actores com os realizadores Steven Spielberg, Ridley Scott corresponde à aplicação da fórmula *(título= gl e anoprodução= e duração= 180 ) e (realizador= Steven Spielber ou realizador= Ridley Scott )+. Page 21 of 49

22 Após a realização de uma pesquisa avançada é possível armazenar o critério de pesquisa utilizado para posterior utilização.para isso bastará seleccionar a opção Guardar Filtro e associar um nome a esse mesmo filtro. A partir desse momento o filtro ficará disponível para selecção através da opção Meus Filtros referida anteriormente QUIIQ MOVIES COLLECTOR O QuiiQ MOVIES Collector é uma aplicação para Windows Media Center que permite adicionar novos filmes à base de dados do QuiiQ MOVIES. Após ser iniciada a execução da aplicação QuiiQ MOVIES Collector é possível escolher uma de duas opções: QuiiQ Movies Web Search, que permite efectuar pesquisas na Internet sobre fontes préseleccionadas e acrescentar registos de filmes a partir dessas fonts. QuiiQ Movies Import, que permite associar uma cópia digital de um DVD (importação) a um filme já registado QUIIQ MOVIES WEB SEARCH O QuiiQ MOVIES Web Search permite adicionar novos títulos de forma simples e rápida. Para isso basta inserir um texto livre e iniciar a Pesquisa na Web. Após alguns segundos ser-lhe-á apresentado o resultado da pesquisa a partir do qual poderá seleccionar o filme ou os filmes que pretende adicionar à sua colecção. Por exemplo, se pretender adicionar filmes que tenham a Angelina Jolie como protagonista, bastará inserir Angelina, Jolie ou Angelina Jolie na caixa de texto e iniciar a pesquisa. O mesmo método poderá aplicar-se à procura de filmes de um dado realizador ou à procura de filmes com determinado título. Page 22 of 49

23 QUIIQ MOVIES IMPORT O QuiiQ MOVIES Import permite associar cópias digitais de filmes a títulos já disponíveis na sua colectânea. Para isso basta seleccionar o título corresponde à cópia digital que pretende efectuar (podendo utilizar a caixa de texto para efectuar pesquisas rápidas sobre a lista de títulos) e iniciar a cópia (importação) após seleccionar o arquivo no qual a pretende armazenar. Após cerca de 20 ou 30 minutos, dependendo da velocidade do seu computador e do seu leitor de DVD ou Blue-ray, a cópia digital terminará e ficará associada ao título anteriormente seleccionado. 3.6 HOME AUTOMATION Domotics is the application of computer and robot technologies to domestic appliances. It is a portmanteau word 19 formed from domus (Latin, meaning house) and informatics. Extracted from WIKIPEDIA (wikipedia.org) A utilização do controlo remoto 20 foi, de certa forma, a primeira geração de aplicações a explorar o conceito de Home Automation 21. Nesse sentido, podemos considerar que o conceito de automação 19 A portmanteau (plural: portmanteaux or portmanteaus) is a term in linguistics that refers to a word or morpheme that fuses two or more grammatical functions. (Fonte: wikipedia.org). 20 Most modern houses have appliances that allow some degree of remote control. Domotics aims to integrate and extend this throughout the house. A house with a domotics system installed might have many computers, perhaps built into the walls, to allow the homeowner to control applications in any part of their house from any other. (Fonte: wikipedia.org). Page 23 of 49

24 associada à domótica dá início a uma nova geração de Home Automation, que tem vindo a classificar-se como Casa Digital ou Casa Inteligente. A utilização de tecnologias de automação e domótica tem vindo a crescer solidamente nos últimos anos. Para além da sua exploração comercial no contexto dos negócios imobiliários, a sua exploração centrada no utilizador idosos e com deficiência é também uma vertente importante a realçar. Existem, neste domínio, vários projectos europeus em curso, tais como o COGAI 22, baseados em tecnologias desenvolvidas especialmente para pessoas com deficiência, tais como o SmartNav 23 ou o NaturalPoint 24. Também em Portugal, existem já algumas iniciativas privadas que têm por objectivo não só reunir um conjunto de tecnologias em torno do conceito da Casa Inteligente, mas também responder a problemas relacionados com a mobilidade de pessoas idosas ou doentes, ao acompanhamento do estado de saúde dos pacientes em regime domiciliário, à disponibilização de diversos tipos de serviços a partir de casa, etc. A conjugação de todos estes elementos tecnológicos numa casa habitada reveste-se de um conjunto de aspectos particulares, entre os quais se destacam: a necessidade de manter o foco no utilizador, apesar de toda a inovação e agregação tecnológica necessária; a necessidade de criar elevados padrões de utilização, totalmente independentes das tecnologias e serviços utilizados; a necessidade de assegurar a privacidade e a segurança das acções e transacções efectuadas. 21 Home automation is a field within building automation, specializing in the specific automation requirements of private homes and in the application of automation techniques for the comfort and security of its residents. (Fonte: wikipedia.org). 22 Para mais informação consultar 23 Para mais informação consultar 24 Para mais informação consultar Page 24 of 49

25 Ilustração 3: QuiiQ Home Automation A abrangência destes pontos tem vindo a classificar toda esta área de actuação de Ambient Intelligence, entendendo-se por ambiente todo um espaço de interacção simultaneamente físico e digital. Durante os próximos anos assistiremos à união destes dois domínios e à sua disseminação através de um leque diversificado de soluções. O QUIIQ HOME AUTOMATION (Ilustração 3: QuiiQ Home Automation), por exemplo, surge precisamente como uma solução que se enquadra nesta filosofia, permitindo utilizar a TV como ponto de controlo de toda a casa 25. A possibilidade de alargar os pontos de TV a outras divisões da casa é possibilitada através da utilização de extenders 26, UltraMobile PCs 27, Pocket PCs (PDAs) ou ainda através da exploração dos aparelhos e das mais recentes tecnologias touchscreen 28. Em termos globais, a área de Home Automation tenderá também a agregar, entre outros, os seguintes domínios tecnológicos: 25 Ver, a este propósito, o artigo de Roger Parry A Box that will transform the media. 26 Para mais informação consultar 27 Para mais informação consultar 28 Para mais informação consultar Page 25 of 49

26 domotics 29, conjunto de tecnlogias vulgarmente associadas ao controlo e automação de circuitos e protocolos de domótica (ex. Domintell 30, EIB/KNX 31 ); CCTV 32 (closed-circuit TV), conjunto de tecnologias vulgarmente associadas à video-vigilância; HVAC 33 (heating, ventilation, and air conditioning), conjunto de tecnologias vulgarmente associadas à climatização; home security 34, normalmente associada ao controlo de intrusões, de detectores de incêndios e inundações e de alarmes de segurança; energy management systems 35, usualmente utilizados no controlo, monitorização e optimização dos recursos energéticos; O estudo que nos propomos realizar para o CEDT/COTEC aprofundará cada um destes conceitos e apresentará soluções de implementação em torno do QUIIQ AMBIENTE INTELLIGENCE QUIIQ AUTOMATION O QuiiQ AUTOMATION é uma aplicação cliente-servidor que funciona sobre plataformas Windows. Esta solução estará desenhada para ser instalada facilmente, acrescentando funcionalidades de automação e controlo ao através de plataformas computacionais integradas com circuitos de domótica. A ligação ao circuito de domótica é feita por uma porta RS232 ou USB dependendo do equipamento instalado. O interface obedece às mais recentes técnicas funcionais e de usabilidade e foi concebido tendo em vista tirar o maior partido do modelo de controle, facilitando o uso e garantindo a experiência de navegação. O interface inclui também o acesso a diversas configurações permitindo a gestão de perfis e a personalização do funcionamento do sistema. 29 Para mais informação consultar 30 Para mais informação consultar 31 Para mais informação consultar 32 Para mais informação consultar 33 Para mais informação consultar 34 Para mais informação consultar 35 Para mais informação consultar Page 26 of 49

27 ARQUITECTURA O funcionamento do QuiiQ AUTOMATION é baseado numa arquitectura cliente-servidor a três camadas (3-tier architecture): O nível superior (user-interface) inclui a parte cliente, e permite explorar quer as potencialidades do Windows Media Center, da Microsoft, quer dispositivos físicos muito populares, tais como portáteis, UMPCs, PDAs e touch screens; O nível intermédio (middleware) inclui todos os serviços de configuração e controlo dos dispositivos instalados no circuito físico de domótica; O nível inferior (dataware + hardware) inclui a base de dados de suporte à definição do modelo abstracto do QuiiQ AUTOMATION e o circuito físico de domótica (domotics physical network). O QuiiQ Server é responsável pela disponibilização dos serviços suportados pelo modelo estrutural subjacente ao modelo abstracto do QuiiQ AUTOMATION. Em termos gerais, este módulo pretende definir o conjunto nuclear de funcionalidades disponíveis ao nível da sua utilização e que se dividem em 6 categorias principais: Page 27 of 49

28 Divisões, permite definir espaços de navegação com base em divisões virtuais ; Dispositivos, permite aceder a todos os dispositivos disponibilizados através da domótica (ex. uma lampada) ou ligados directamente ao sistema (ex. uma câmara IP); Ambientes, premite agrupar acções e executá-las sequencialmente; Rotinas, permite agrupar acções e executá-las em simultâneo mediante a activação de um trigger; Câmaras, permite adicionar conjuntos de câmaras, de aparelhos de CCTV ou DVRs; Configuração, permite configurar o sistema quer do ponto de vista da domótica e produtos quer do ponto de vista de interface; Favoritos, permite adicionar elementos de utilização corrente a uma lista de acesso rápido DIVISÕES A área Divisões permitem o acesso ao cruzamento entre a estrutura física e a estrutura funcional. No caso de uma habitação, por exemplo, a navegação pela divisão estrutural do espaço pode orientar-se por pisos, divisões, etc. Cada ponto de navegação, por sua vez, dá acesso ao conjunto de funcionalidades disponíveis nesse ponto, quer ao nível de funcionalidades de alto nível (favoritos, ambientes, rotinas), quer ao nível de funcionalidades de baixo nível (controlo directo de dispositivos). A visualização e navegação nos elementos pode sempre decompor-se em duas vistas possíveis: vista sumária, em que os elementos aparecem agrupados e com uma simples indicação do seu estado corrente; vista detalhada, em que os elementos aparecem em lista e com uma indicação sobre todos os seus estados possíveis. Page 28 of 49

29 DISPOSITIVOS Os dispositivos correspondem a um nome genérico que descreve tudo aquilo que é possível controlar através da domótica. Devido à enorme diversidade de marcas e fabricantes de dispositivos, foram definidas noções abstractas (tipos de dispositivos) disponíveis genericamente em circuitos de domótica, criando assim as noções de abstract device e de physical device. Assim, a configuração física de um determinado dispositivo é realizada a partir da identificação do seu tipo (abstract device) e do seu meio de controlo físico através de endereços (physical devices) e da simulação do seu comportamento (state behaviour). Page 29 of 49

30 AMBIENTES A área Ambientes permite o acesso a ambientes que podem ser configurados de forma personalizada através de sequências de acções, ou seja, um ambiente pode conjugar simultaneamente acções de controlo sobre dispositivos de um circuito de domótica e sobre recursos disponíveis no Media Center (ex. tocar música, ver um DVD, etc.). A configuração de acções é realizada no contexto de um determinado ambiente sendo possível criar, remover e editar individualmente as acções e a sua ordem de execução. Page 30 of 49

31 ROTINAS A área Rotinas permite o acesso a sequências de acções executadas em paralelo dependentes de eventos. Os eventos podem ser despoletados através de relógio (temporalidade), de dispositivos ou de sensores. As acções que compõem uma rotina podem ser elementares controlo directo de um dispositivo ou compostas controlo agrupado de dispositivos, assim como ambientes. Nas rotinas cada acção pode ter associado um tempo de atraso tempo que decorre entre o início da acção e o início da execução e uma duração tempo de execução da acção. A configuração de acções é realizada no contexto de um determinada rotina sendo possível criar, remover e editar individualmente as acções e os triggers que as activam. Page 31 of 49

32 CÂMARAS A área Câmaras permite o acesso a câmaras de vigilância disponíveis através de protocolo TCP/IP. A visualização pode ser realizada de forma individual ou agrupada. Uma câmara pode ainda ser identificada como estando associada a uma abertura de porta, funcionando dessa forma como video-porteiro. Page 32 of 49

33 CONFIGURAÇÃO Permite o acesso à configuração e divide-se em duas categorias: configuração por contexto, dando acesso à configuração de todos os elementos disponíveis ao nível da interface; configuração geral do sistema, dando acesso à configuração de todos os elementos disponíveis ao nível da domótica e dos produtos associados. A configuração por contexto abrange: divisões, dispositivos, ambientes e rotinas, em que o seu acesso é realizado através da selecção corrente de cada uma dessas opções. Em cada configuração por contexto é possível adicionar, alterar ou remover items, excepção feita Page 33 of 49

34 apenas para os dispositivos, em que a sua adição, remoção ou alteração é protegida por um código de acesso atribuído no momento da instalação. A configuração geral do sistema está disponível na área Mais Programas/More Programs e abrange: mudança de temas visuais (themes), número de colunas de visualização, definição de língua e definição de país, selecção de sensor de temperatura apresentado durante a navegação FAVORITOS A área Favoritos permite o acesso fácil a divisões, ambientes, rotinas e dispositivos (estes últimos podem funcionar de forma agrupada ou individual). A gestão de favoritos é realizada pelo próprio utilizador através da opção de configuração. Page 34 of 49

MEDIA CENTER EDITION 2005

MEDIA CENTER EDITION 2005 ARTIGO MEDIA CENTER EDITION MEDIA CENTER EDITION 2005 O MICROSOFT WINDOWS XP MEDIA CENTER EDITION 2005, OU SIMPLESMENTE MCE, PROPORCIONA O MAIS AVANÇADO ENTRETENIMENTO DOMÉSTICO DA COMPUTAÇÃO ACTUAL. COM

Leia mais

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 Este programa permite gerir toda a sua colecção de músicas, vídeos e até mesmo imagens, estando disponível para download no site da Microsoft, o que significa que mesmo quem

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto C O M P U T A Ç Ã O M Ó V E L 2 0 0 7 / 2 0 0 8 Enunciado do Projecto 17 de Março de 2008 1. Objectivos Desenvolver uma aplicação num domínio aplicacional específico que envolva replicação e sincronização

Leia mais

YTV. Porque o mundo evoluiu. YCommerceTV. Plataforma de Desenvolvimento de Televisoes online

YTV. Porque o mundo evoluiu. YCommerceTV. Plataforma de Desenvolvimento de Televisoes online YTV YCommerceTV Plataforma de Desenvolvimento de Televisoes online Porque o mundo evoluiu. O Projecto A empresa PARTTEAM foi fundada em 2000 e é uma empresa global de soluções web e multimédia. Em 2001

Leia mais

TABELA 3.1 Requisitos do Windows Server 2008 Standard

TABELA 3.1 Requisitos do Windows Server 2008 Standard 3 3INSTALAÇÃO DE UM SERVIDOR 2008 Feita a apresentação das funcionalidades do Windows Server 2008, eis que chega a hora mais desejada: a da implementação do nosso servidor. No entanto não é de todo recomendável

Leia mais

Aviso de confidencialidade

Aviso de confidencialidade Aviso de confidencialidade A informação que consta desta apresentação é confidencial. Qualquer forma de divulgação, reprodução, cópia ou distribuição total ou parcial da mesma é proibida, não podendo ser

Leia mais

Iteração 2 Design inicial

Iteração 2 Design inicial Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Engenharia de Software Iteração 2 Design inicial Projecto: FX-Center Grupo: BEDS David Pacheco (nº 32665) Cesário Lucas

Leia mais

Índice. 1. Introdução 3. 2. Instalação e desinstalação do GENIUS VOIP MOUSE 4. 2.2 IMs suportados pelo GENIUS VOIP MOUSE 5

Índice. 1. Introdução 3. 2. Instalação e desinstalação do GENIUS VOIP MOUSE 4. 2.2 IMs suportados pelo GENIUS VOIP MOUSE 5 Índice 1. Introdução 3 2. Instalação e desinstalação do GENIUS VOIP MOUSE 4 2.1 Requisitos do sistema 4 2.2 IMs suportados pelo GENIUS VOIP MOUSE 5 2.3 Website de cada IM para download 5 2.4 Instalação

Leia mais

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença. Porquê NEXT Vision Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.... Poder de adaptação Porque cabe a si decidir como pretende

Leia mais

Sugestões importantes

Sugestões importantes Sugestões importantes Comuns ao N91 e N91 8GB Nokia PC Suite (especialmente para o Nokia Audio Manager) O Nokia PC Suite foi optimizado para a gestão dos dados existentes na memória do telefone [C:]. O

Leia mais

Software de Facturação e Gestão Comercial On-Line

Software de Facturação e Gestão Comercial On-Line Software de Facturação e Gestão Comercial On-Line Manual básico do Utilizador Software de Facturação e Gestão Comercial On-line Level 7 Basic, Light & Premium Este Software é fornecido com um número de

Leia mais

Manual de actualização passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53

Manual de actualização passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53 Manual de passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53 Índice 1. 1. Processo de configuração do Windows 8 2. Requisitos do sistema 3. Preparativos 2. Opções de 3. 4. 5. 6. 1. Personalizar 2. Sem fios 3.

Leia mais

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 TÍTULO: Animatic - Marionetas Digitais Interactivas ORIENTADORES: Professor Doutor Aníbal Ferreira Professor Doutor Rui Torres ALUNO:

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU Imagina que queres criar o teu próprio site. Normalmente, terías que descarregar e instalar software para começar a programar. Com a Webnode não é preciso instalar nada.

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

ElectroControlo M01 Manual do Utilizador

ElectroControlo M01 Manual do Utilizador Manual do Utilizador Luis Panao 2015 INDICE Introdução 1 Funcionalidades 3 - Consultar 4 - Comunicar 7 - Financeiro 12 Ficha técnica 17 Luis Panao 2015 1 INTRODUÇÃO De acordo com o desafio deste projecto,

Leia mais

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar a iniciação ao OneNote 1 O MICROSOFT OFFICE ONENOTE 2003 OPTIMIZA A PRODUTIVIDADE AO PERMITIR QUE OS UTILIZADORES CAPTEM, ORGANIZEM

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projectos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

604 wifi. Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual.

604 wifi. Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual. 604 wifi FUNÇÕES WIFI e Internet Suplemento ao Manual do Utilizador ARCHOS 504/604 Versão 1.2 Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual. Este manual contém informações

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua

Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua empresa. Um sistema que gere e controla toda a actividade

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Instalação em Rede. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Instalação em Rede. v2011 Manual Avançado Instalação em Rede v2011 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Hardware... 3 b) Servidor:... 3 c) Rede:... 3 d) Pontos de Venda... 4 4. SQL Server... 5 e) Configurar porta estática:... 5 5.

Leia mais

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft PowerPoint 2010 Colecção: Software

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

Bosch Video Management System Assegurando o futuro com IP

Bosch Video Management System Assegurando o futuro com IP Bosch Video Management System Assegurando o futuro com IP Segurança de vídeo IP Tudo interligado O Bosch Video Management System (VMS) gere todo o áudio e vídeo digital e IP, além de todos os dados de

Leia mais

SIM - SUPPLIERS INVOICING MANAGER - MANUAL DE UTILIZADOR

SIM - SUPPLIERS INVOICING MANAGER - MANUAL DE UTILIZADOR Leaseplan Portugal Bertrand Gossieaux SIM - SUPPLIERS INVOICING MANAGER - MANUAL DE UTILIZADOR Page2 INDICE 1. LOGIN, ESTRUTURA E SAÍDA DO SIM... 3 a) Login... 3 b) Estrutura principal... 4 c) Saída da

Leia mais

Guia Rápido do TVR 12

Guia Rápido do TVR 12 Guia Rápido do TVR 12 Figura 1: Ligações do painel traseiro 1. "Loop through" para um máximo de 16 câmaras analógicas (consoante o modelo de DVR). 2. Ligar a um dispositivo RS-232. 3. Ligar até quatro

Leia mais

Sistemas de alarme de intrusão AMAX Simples e de confiança

Sistemas de alarme de intrusão AMAX Simples e de confiança Sistemas de alarme de intrusão AMAX Simples e de confiança 2 Sistemas de Alarme de Intrusão AMAX Com a Bosch, está em boas mãos: os sistemas de alarme de intrusão AMAX garantem a satisfação do cliente

Leia mais

Acer econsole Manual do Utilizador

Acer econsole Manual do Utilizador Acer econsole Manual do Utilizador 1 Informações sobre software de outras empresas ou software gratuito O software pré-instalado, integrado ou distribuído com os produtos fornecidos pela Acer contém programas

Leia mais

NetOp Remote Control. Versão 7.65. Adenda ao Manual

NetOp Remote Control. Versão 7.65. Adenda ao Manual NetOp Remote Control Versão 7.65 Adenda ao Manual Mover a perícia - não as pessoas 2003 Danware Data A/S. Todos os direitos reservados Revisão do Documento: 2004009 Por favor, envie os seus comentários

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 2ª edição: Março de 2006 ISBN: 989-615-024-9 Depósito legal: 240.

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 2ª edição: Março de 2006 ISBN: 989-615-024-9 Depósito legal: 240. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft Windows XP SP2, 2ª edição Colecção:

Leia mais

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida Flagsoft, Lda 2015 Índice 1. Introdução...3 2. Integrador - Interface com o utilizador...4 3. Registo de actividade - Folha de horas...5 4. Agenda e colaboração...7

Leia mais

PHC Mensagens SMS CS

PHC Mensagens SMS CS PHC Mensagens SMS CS O potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC O envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo. Uma comunicação com sucesso: ganhos de tempo e de dinheiro

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011 Manual Avançado Gestão de Stocks Local v2011 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest FrontOffice... 4 4. Produto... 5 b) Activar gestão de stocks... 5 i. Opção: Faz gestão de stocks... 5 ii.

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Manual. Nero MediaHome. Nero AG

Manual. Nero MediaHome. Nero AG Manual Nero MediaHome Nero AG Informações sobre copyright e marcas comerciais O manual do Nero MediaHome e a totalidade do respectivo conteúdo estão protegidos por copyright e são propriedade da Nero AG.

Leia mais

sistema Com esta pode-se criar um sistema ajustado às necessidades dos clientes bem como aos seus estilos de vida.

sistema Com esta pode-se criar um sistema ajustado às necessidades dos clientes bem como aos seus estilos de vida. sistema O nosso inovador sistema utiliza a mais avançada tecnologia de inteligência distribuída, utilizando para o efeito, comunicações baseadas em CAN desenhadas para sistemas críticos. É um sistema revolucionário

Leia mais

2.1.10. Trabalhar com CDs e DVDs

2.1.10. Trabalhar com CDs e DVDs 2.1.10. Trabalhar com CDs e DVDs Os procedimentos utilizados para gravar informação num CD ou num DVD variam conforme a forma como estes forem formatados. A formatação é efectuada em discos vazios e consiste

Leia mais

04-05-2010. Propósito. A ONLY foi criada com o objectivo de fornecer soluções de domótica simples para edifícios. ONLY 2010

04-05-2010. Propósito. A ONLY foi criada com o objectivo de fornecer soluções de domótica simples para edifícios. ONLY 2010 ONLY 2010 Propósito A ONLY foi criada com o objectivo de fornecer soluções de domótica simples para edifícios. 1 Integração A ONLY integra: Segurança Automação Climatização Som ambiente Exemplo: Um botão

Leia mais

Guia de Início Rápido Antivirus Pro 2009 Importante! Leia atentamente a secção Activação do produto neste guia. As informações contidas nesta secção são essenciais para manter o seu computador protegido.

Leia mais

NOTIFICAÇÃO DE NEGÓCIO

NOTIFICAÇÃO DE NEGÓCIO NOTIFICAÇÃO DE NEGÓCIO O Microsoft Business Solutions for Supply Chain Management Navision Business Notification ajudao a gerir a sua empresa mais facilmente e eficazmente. Pode identificar qualquer problema

Leia mais

Guia de consulta rápida DVR HD

Guia de consulta rápida DVR HD Guia de consulta rápida DVR HD Primeira parte: Operações Básicas... 2 1. Instalação básica... 2 2. Arranque... 2 3. Desligar... 2 4. Iniciar sessão... 2 5. Pré- visualização... 3 6. Configuração da gravação...

Leia mais

EXCEL. Listas como Bases de Dados

EXCEL. Listas como Bases de Dados Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL Listas como Bases de Dados (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina

Leia mais

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BPstat manual do utilizador Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

Fácil. Seguro. Fantástico.

Fácil. Seguro. Fantástico. Fácil. Seguro. Fantástico. Fácil. Seguro. Fantástico. Um olhar para o Windows Vista e verá imediatamente a diferença, incluindo um design inovador, ferramentas de pesquisa e organização fáceis de utilizar

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G Escola Superior de Gestão de Santarém Pedido de Registo do CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Peça Instrutória G Conteúdo programático sumário de cada unidade de formação TÉCNICAS

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Equipamentos informáticos Hardware e Software Hardware refere-se aos dispositivos físicos (electrónicos, mecânicos e electromecânicos) que constituem

Leia mais

Enterprise 2007. A gama PHC Enterprise é um ERP desenvolvido de forma a satisfazer as exigentes necessidades das médias e grandes empresas.

Enterprise 2007. A gama PHC Enterprise é um ERP desenvolvido de forma a satisfazer as exigentes necessidades das médias e grandes empresas. Enterprise 2007 Descritivo completo A gama PHC Enterprise é um ERP desenvolvido de forma a satisfazer as exigentes necessidades das médias e grandes empresas. Com vista a satisfazer totalmente cada empresa

Leia mais

Unidade 2. ROM BIOS (Basic Input/Output System) Sistema Operativo. Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware

Unidade 2. ROM BIOS (Basic Input/Output System) Sistema Operativo. Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware Unidade 2 Utilização do ambiente operativo Windows Aplicações Sistema Operativo ROM BIOS Processador+memória+... Software aplicacional

Leia mais

VRM Monitor. Ajuda Online

VRM Monitor. Ajuda Online VRM Monitor pt Ajuda Online VRM Monitor Índice pt 3 Índice 1 Introdução 3 2 Vista geral do sistema 3 3 Getting started 4 3.1 Iniciar o VRM Monitor 4 3.2 Iniciar o Configuration Manager 4 4 Configurar

Leia mais

Interactive Menu. Trabalho feito por: Jorge Manuel Rei Félix (c0807021) Eduardo Miguel Ferreira Alves (c0807047)

Interactive Menu. Trabalho feito por: Jorge Manuel Rei Félix (c0807021) Eduardo Miguel Ferreira Alves (c0807047) Interactive Menu Trabalho feito por: Jorge Manuel Rei Félix (c0807021) Eduardo Miguel Ferreira Alves (c0807047) Bruno Miguel Rodrigues Martins (c0707025) Índice Introdução... 3 Motivação... 3 Objectivos...

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Manual do Utilizador

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Manual do Utilizador BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Manual do Utilizador Publicado: 2014-01-09 SWD-20140109134740230 Conteúdos 1 Como começar... 7 Acerca dos planos de serviço de mensagens para o BlackBerry Internet

Leia mais

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice BackOffice 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest/ZSPos FrontOffice... 4 4. Produto... 5 Activar gestão de stocks... 5 5. Armazém... 7 a) Adicionar Armazém... 8 b) Modificar Armazém... 8 c)

Leia mais

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. WinREST Sensor Log A Restauração do Séc. XXI WinREST Sensor Log Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. 2 WinREST Sensor Log Índice Índice Pag. 1. WinREST Sensor Log...5 1.1. Instalação (aplicação ou serviço)...6

Leia mais

CAPÍTULO 4 Implementação do modelo num programa de cálculo automático

CAPÍTULO 4 Implementação do modelo num programa de cálculo automático CAPÍTULO 4 Implementação do modelo num programa de cálculo automático Neste capítulo, será feita a demonstração da aplicação do modelo num programa de cálculo automático, desenvolvido em linguagem de programação

Leia mais

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa Neste artigo clarifica-se os objectivos do ILM (Information Life Cycle Management) e mostra-se como estes estão dependentes da realização e manutenção

Leia mais

Centro Atlântico, Lda., 2012 Ap. 413 4760-056 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.

Centro Atlântico, Lda., 2012 Ap. 413 4760-056 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft Windows 8 Colecção: Software

Leia mais

TABELA 2.1 Requisitos do Windows Server 2012 Standard

TABELA 2.1 Requisitos do Windows Server 2012 Standard 2INSTALAÇÃO DE UM SERVIDOR 2012 Feita a apresentação das funcionalidades do Windows Server 2012, eis que chega a hora mais desejada: a da implementação do servidor. No entanto, não é de todo recomendável

Leia mais

Área Cientifica de Informática Disciplina: INFORMÁTICA I - Cursos: CA/MK/CI

Área Cientifica de Informática Disciplina: INFORMÁTICA I - Cursos: CA/MK/CI Assunto: Autor(es) MS Outlook ficha de estudo Alfredo Bastos Silva 1. Conceitos gerais O Microsoft Outlook é uma das aplicações que compõem o pacote Microsoft Office, sendo um cliente de mensagens e colaboração

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

O WGServer é uma Aplicação de Alta Disponibilidade e Fiabilidade para a Gestão do acesso à Internet.

O WGServer é uma Aplicação de Alta Disponibilidade e Fiabilidade para a Gestão do acesso à Internet. WGSERVER INTERNET ACCESS APPLIANCE O WGServer é uma Aplicação de Alta Disponibilidade e Fiabilidade para a Gestão do acesso à Internet. O WGServer é uma Appliance de Alta Disponibilidade e Fiabilidade

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt

Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt Desktop Virtual Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt Tendo em conta que a Virtualização será um dos principais alvos de investimento para o ano 2009 (dados

Leia mais

Actualização, cópia de segurança e recuperação de software

Actualização, cópia de segurança e recuperação de software Actualização, cópia de segurança e recuperação de software Manual do utilizador Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registadas da Microsoft Corporation

Leia mais

Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHC Mensagens SMS CS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS CS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso:

Leia mais

Comunicado de imprensa. Os novos portáteis conversíveis da Toshiba, Satellite Radius 11 e Satellite CL10-B, adaptam-se a todas as situações

Comunicado de imprensa. Os novos portáteis conversíveis da Toshiba, Satellite Radius 11 e Satellite CL10-B, adaptam-se a todas as situações Comunicado de imprensa Os novos portáteis conversíveis da Toshiba, Satellite Radius 11 e Satellite CL10-B, adaptam-se a todas as situações Comunicado de imprensa Comunicado de imprensa Comunicado de imprensa

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado Manual Avançado Menus v2011 - Certificado 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Iniciar o ZSRest... 3 4. Menus... 4 b) Novo Produto:... 5 i. Separador Geral.... 5 ii. Separador Preços e Impostos... 7 iii.

Leia mais

SOFTWARE OPTAC. Manual do Utilizador

SOFTWARE OPTAC. Manual do Utilizador SOFTWARE OPTAC Manual do Utilizador Stoneridge Limited Claverhouse Industrial Park Dundee DD4 9UB Help-line Telephone Number: 800860008 E-Mail: optacpt@stoneridge.com Document version 4.0 Part Number:

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador 24849402-04_09 ÍNDICE INFORMAÇÕES GERAIS.................................................................. Pag. 4 Características técnicas..............................................................................

Leia mais

Estrutura de um endereço de Internet

Estrutura de um endereço de Internet Barras do Internet Explorer Estrutura de um endereço de Internet Na Internet, cada servidor tem uma identificação única, correspondente ao endereço definido no IP (Internet Protocol). Esse endereço é composto

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Noções Básicas de Informática Componentes de hardware Monitor : permite visualizar informação na forma de imagem ou vídeo; todo o trabalho desenvolvido com o computador pode ser

Leia mais

Serviços para o cliente residencial: que desafios?

Serviços para o cliente residencial: que desafios? Serviços para o cliente residencial: que desafios? Vitor Manuel Ribeiro PT Inovação, S. A. Conferência Habitação Digital ao Serviço o das Pessoas 21 de Outubro de 2005 Escola Superior de Tecnologia de

Leia mais

O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet eagenda? Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde. O que é o eagenda?

O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet eagenda? Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde. O que é o eagenda? O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde Pedir Receitas A de pela Internet, no âmbito do Programa Simplex, surge no seguimento do

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Introdução à Internet Paulo Santos v. 2.0-2012 1 Índice 1 Introdução à Internet... 3 1.1 Conceitos base... 3 1.1.1 O que é a internet?... 3 1.1.2 O que é preciso para aceder à internet?... 3 1.1.3 Que

Leia mais

Manual do Utilizador Aluno

Manual do Utilizador Aluno Manual do Utilizador Aluno Escola Virtual Morada: Rua da Restauração, 365 4099-023 Porto PORTUGAL Serviço de Apoio ao Cliente: Telefone: (+351) 707 50 52 02 Fax: (+351) 22 608 83 65 Serviço Comercial:

Leia mais

Esta sessão explora o papel das TIC (parte do problema ou da solução?), debatendo, nomeadamente, as seguintes questões:

Esta sessão explora o papel das TIC (parte do problema ou da solução?), debatendo, nomeadamente, as seguintes questões: CONGRESSO DAS COMUNICAÇÕES 08 - TIC E ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - 11 NOVEMBRO 09H00 10H30 ABERTURA OFICIAL DO CONGRESSO ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E O FUTURO Segundo o Relatório Stern, caso nada seja feito, os

Leia mais

USB para CONVERSOR EM SÉRIE

USB para CONVERSOR EM SÉRIE USB para CONVERSOR EM SÉRIE Manual do Utilizador DA-70156 Rev.5 Manual de Instalação do Windows 7/8/8.1 Passo 1: Introduzir o CD deste produto na entrada CD-ROM. Ligar o dispositivo à porta USB extra do

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO

MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO SDILAB Investigação e Desenvolvimento de Software, Lda. Parque Industrial de Celeirós - 1ª Fase, Lote C 4705 Celeirós Braga, Portugal +351 253 678

Leia mais

Windows 7 Beta em revista

Windows 7 Beta em revista Windows 7 Beta em revista O Windows 7 é o novo sistema operativo da Microsoft que vem suceder o Windows Vista. O 7 é uma evolução natural do Vista, isto é, as bases são as do Vista, mas com a introdução

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3772-Z

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3772-Z Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3772-Z Bem-vindo ao mundo da Banda Larga Móvel 1 2 3 4 5 6 8 9 9 10 12 Bem-vindo Configuração da Connect Pen Iniciar a aplicação Ligar Janela Normal Definições

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 Domínios de referência Competências Conteúdos Calendarização Conceitos Essenciais e

Leia mais

Guia de Imprimir/Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan

Guia de Imprimir/Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan Guia de Imprimir/Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan Versão I POR Definições de notas Ao longo deste manual do utilizador, é utilizado o seguinte estilo de nota: especifica o ambiente operativo,

Leia mais

PHC dgestão. ππ Área de Clientes. ππ Área de Fornecedores ππ Área de Stocks e Serviços ππ Área de Tesouraria. ππ Todas as empresas com

PHC dgestão. ππ Área de Clientes. ππ Área de Fornecedores ππ Área de Stocks e Serviços ππ Área de Tesouraria. ππ Todas as empresas com PHC dgestão DESCRITIVO A qualquer momento e onde quer que esteja, o PHC dgestão permite introduzir e consultar clientes, fornecedores, artigos e documentos de facturação, encomendas e compras, guias de

Leia mais

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador Acronis Servidor de Licença Manual do Utilizador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Descrição geral... 3 1.2 Política de licenças... 3 2. SISTEMAS OPERATIVOS SUPORTADOS... 4 3. INSTALAR O SERVIDOR DE LICENÇA

Leia mais

Perguntas frequentes. Gravador Philips para iphone

Perguntas frequentes. Gravador Philips para iphone Perguntas frequentes Gravador Philips para iphone Índice O que é necessário para criar um sistema de ditado profissional? 3 1. Software do servidor Web 2. Servidor Philips SpeechExec Mobile 3. Aplicação

Leia mais

FICHA DE CURSO. 1. Designação do Curso: 2. Denominação do Diploma ou Certificado. 3. Objectivos Gerais e Enquadramento: 4.

FICHA DE CURSO. 1. Designação do Curso: 2. Denominação do Diploma ou Certificado. 3. Objectivos Gerais e Enquadramento: 4. 1. Designação do Curso: Curso de Especialização Pós-Graduada em Computação Móvel Aplicada 2. Denominação do Diploma ou Certificado Diploma de Pós-Graduação em Computação Móvel Aplicada 3. Gerais e Enquadramento:

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projetos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

BREVE MANUAL WIRELESS

BREVE MANUAL WIRELESS BREVE MANUAL WIRELESS Introdução O Projecto Municipal Seixal Digital pretende dotar o município do Seixal de equipamentos e infraestruturas que permitam o acesso às tecnologias de informação e comunicação.

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen. Concebido para a Vodafone

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen. Concebido para a Vodafone Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen Concebido para a Vodafone 1 Bem-vindo ao mundo das comunicações móveis 1 2 3 4 5 6 8 9 9 10 13 2 Bem-vindo Configuração da sua Connect Pen Iniciar o software

Leia mais

Gravadores digitais versáteis Divar Gravação digital redefinida

Gravadores digitais versáteis Divar Gravação digital redefinida Gravadores digitais versáteis Divar Gravação digital redefinida Nova geração de gravadores digitais versáteis Divar para um mundo em formato analógico e IP Nova geração de DVRs Divar A exceder expectativas

Leia mais

Algumas informações sobre a rede informática do ISA

Algumas informações sobre a rede informática do ISA Algumas informações sobre a rede informática do ISA Fernanda Valente Graça Abrantes A grande maioria dos computadores do Instituto Superior de Agronomia estão ligados entre si constituindo uma Intranet,

Leia mais

APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS

APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS RESUMO Alessandro Lumertz Garcia 1 Anderson Yanzer Cabral 2 Este artigo apresenta tipos de aplicações que podem existir nas casas inteligentes,

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais