A importância da Certificação de Produto em Sprinklers. Felipe Decourt

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A importância da Certificação de Produto em Sprinklers. Felipe Decourt"

Transcrição

1 A importância da Certificação de Produto em Sprinklers Felipe Decourt

2 CONTEÚDO ü Sprinklers podem salvar vidas ü Evolução do Sprinkler ü Mercado Pirata ü A importância dos Produtos Certificados ü Novidades no Decreto do CBPMESP ü Sobre a Skop, associada ABSpk ü CBSpk Congresso Brasileiro de Sprinklers

3 Um sistema capaz de salvar Vidas Humanas, deve ser alvo de decisões acertadas!

4 Um sistema capaz de salvar Vidas Humanas, deve ser alvo de decisões acertadas! Caso: THE STATION NIGHT CLUB RhodeIsland Fev/2003 (100 vítimas fatais)

5 Video THE STATION 10 anos antes da Boate Kiss...

6 The Station vs. Boate Kiss

7 Reprodução em laboratório... Estudo científico da tragédia pelo NIST National Institute of Standards and Technology

8 Video NIST Sem Sprinklers X Com Sprinklers

9 Conclusões do NIST Sem sprinklers Com sprinklers Temperatura Limite letal (120 C) em 80 seg Manteve- se em 22 C Gás CO Limite letal (4%) em 95 seg Manteve- se próx. de 0% Oxigênio Limite letal (12 Vol.- %) em 90 seg Manteve- se acima de 20%

10 A EVOLUÇÃO DOS SPRINKLERS

11 TIPOS DE SPRINKLERS Padrão p/ Baixo ou pendente Tipo DRY ou Tubulação Seca Áreas de congelamento Padrão p/ Cima ou Upright Oculto ou Concealed Solução estética Projetor ABERTO p/ Sistema Dilúvio Lateral ou sidewall Tipo ESFR (estocagem) Early Supression / Fast Response

12 A IMPORTÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS Experiência do setor de sprinklers

13 CERTIFICADO = Atestado de Confiança O bico sprinkler é o único componente do sistema, impossível de ser testado no campo. Itens como Válvulas, Bombas, Chaves de Fluxo, etc, são passíveis de testes em seus locais de instalação. O Certificado de Produto assegura sua Qualidade. CERTIFICADO DE PRODUTO Equivale a receber um ATESTADO DE CONFIANÇA com Prazo de Validade

14 Ensaios Laboratoriais de Norma

15 Principais Organismos de Certificação de Sprinklers No BRASIL No EXTERIOR

16 PERGUNTA: Em qual dos 02 você confiaria? Fonte: FM APPROVALS (EUA)

17 PERGUNTA: Em qual dos 02 você confiaria? Autêntico Fonte: FM APPROVALS (EUA) Falso

18 OS RISCOS DE UM PRODUTO NÃO- CERTIFICADO EXPERIÊNCIA DO SETOR DE SPRINKLERS...

19 Sprinkler que derrete com fogo... Uso de materiais inferiores (ex: Zamac), que não resistem a 60s de teste de temperatura

20 Sprinklers que podem ENTUPIR Sprinklers sem- certificação usam O- Ring de borracha (elastômero), e podem ENTUPIR!!! Ação do tempo sobre Elastômero (elástico de borracha): Derrete e Gruda

21 Uma boa Especificação Técnica é a base da Confiança... Isso evitará o risco de você ser ludibriado...

22 08 PASSOS PARA A ESPECIFICAÇÃO CORRETA

23 ALERTA! CUIDADO COM CERTIFICADO ENGANOSO LAUDO DE ENSAIO NÃO É CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO

24 Certificado ENGANOSO baseado em LAUDO

25 Certificado ENGANOSO baseado em LAUDO Apesar da fama da sigla, o IPT não certifica produtos. Laudo de Ensaio não é Certificado de Produto

26 Para que serve o Laudo de Laboratório? Serve apenas para as amostras ensaiadas; O laboratório não tem como garantir a origem daquela amostra, podendo ela ter sido preparada para o ensaio ou ter sido adquirida de terceiros e não fazer parte do processo da empresa; O laudo não garante que a empresa possui os controles necessários para ter um processo produtivo controlado/contínuo, e garantir que 100% dos produtos atendem à norma técnica; O laudo de ensaio não vincula os componentes ao produto final, podendo o fabricante mudar de fornecedor e utilizar um laudo que não especifica mais o produto fabricado.

27 MERCADO BRASILEIRO DE SPRINKLERS AVANÇO DO PRODUTO PIRATA E/OU NÃO- CERTIFICADO

28 Evolução do Mercado de Sprinklers K- 5.6 CAUSAS: o o o o Melhoria das leis estaduais Resseguradoras Internacionais Boate Kiss... Demanda de mercado

29 Avanço dos Não- certificados QMS (*) QMS = Qualquer Mercadoria Serve

30 Avanço dos Não- certificados QMS

31 Uma economia injustificável... Os bicos de sprinklers representam somente 3% do Sistema, em empreendimentos da construção civil. A decisão por bicos de sprinklers sem- certificação, geralmente não é má- fé, mas falta de conhecimento para diferenciar Joio de Trigo Um sprinkler sem- certificação pode falhar e comprometer 100% do sistema de incêndio Dê preferência aos Produtos Certificados! Falso Autêntico

32 MUDANÇAS NAS LEIS

33 Código de Defesa do Consumidor - O disposto no Inciso VIII do Art. 39, estabelece que: - É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços colocar, no mercado de consumo, qualquer produto ou serviço em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais competentes ou, se normas específicas não existirem, pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ou outra entidade credenciada pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial CONMETRO. - VEDADO = PROIBIDO TRADUZINDO: Se existe uma NBR que regulamenta a fabricação de um produto, então, tal norma DEVERÁ ser obedecida...

34 IMPORTANTE! Novidades no Decreto do CBPMESP

35 Capítulo VIII - Das Medidas de Segurança contra Incêndio "...ARTIGO 23 - Os materiais e equipamentos de segurança contra incêndio utilizados nas edificações e áreas de risco deverão possuir certificação, por meio de organismos de avaliação da conformidade nacionais ou internacionais acreditados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), comprovando o atendimento às normas técnicas nacionais. ü ü 1º - A exigência de certificação de materiais e equipamentos de segurança contra incêndio deverá ocorrer de forma gradativa, de acordo com Portaria do CBPMESP. 2º - Na ausência de normas técnicas nacionais ou de organismos de avaliação da conformidade acreditados pelo INMETRO, devidamente avaliados pelo CBPMESP, poderão ser aceitas normas internacionais, organismos de avaliação da conformidade internacionalmente reconhecidos e laudos técnicos de laboratórios competentes."

36 Novo Anexo da IT- 23: ü Atestado de Conformidade do Sistema de Chuveiros Automáticos (c/ ART) (Similar ao Anexo A da IT- 41 de Instalações Elétricas) ü IMPORTANTE: Será assinado pelo Eng. Responsável + Dono do Estabelecimento Principais Objetivos Evolução na IT- 23 do CBPMESP ü Impedir a legalização de Sistemas de Chuveiros Automáticos não- conformes no Estado de São Paulo ü Mitigar abusos e fraudes por uso de componentes falsificados e/ou de procedência duvidosa ü Aperfeiçoar as informações sobre a Situação Operacional de Sistemas de Chuveiros Automáticos instalados no Estado de SP NOTA: o Decreto do CBPMESP já é copiado por outros 19 CBs estaduais

37 INMETRO Desenvolvendo um RTQ para Sprinklers Em breve, a NBR será reeditada pelo INMETRO, tornando- se uma Lei Federal

38 Sobre a SKOP

39 Sobre a Skop... ü Fundada em 1977 é hoje a maior fabricante brasileira de Sprinklers O único Tri-Certificado ü Pioneira na Certificação de Sprinklers pela ABNT desde 1982 ü Distribuidor RELIABLE (EUA) desde1994 ü Sócio- Fundador da ABSpk - Associação Brasileira de Sprinklers em 2011 ü Empresa Certificada ISO 9001 desde 2002 ü Único fabricante da América Latina com sprinklers FM APPROVED desde 2012

40 Sprinklers Skop tipo Padrão Linha RTR (ABNT) Fatores: K-80 e K-115 Ø Orifício: ½ ou ¾ Temperaturas: 68, 79, 93 e 141 C Tipos de Resposta: Rápida (QR) ou Padrão (STD) Posições: H Pendente / F Upright / LH Lateral Acabamentos: Cromado Branco Preto Latão Certificação: Linha JCR (UL/FM e ABNT) Fatores: K-80 e K-115 Ø Orifício: ½ ou ¾ Temperaturas: 68, 79 e 141 C Tipos de Resposta: Rápida (QR) ou Padrão (STD) Posições: H Pendente / F Upright Acabamentos: Cromado Latão Certificações:

41 Parceiros Internacionais Sprinklers especiais UL/FM Válvulas UL/FM Bulbos UL/FM Arruela Inox c/ Teflon Tipo belleville Bulbos UL/FM

42 Confie no Produto Certificado! Será a sua garantia...

43 CBSpk Congresso Brasileiro

44 CBSpk Congresso Brasileiro

45 OBRIGADO FELIPE DECOURT

46

47 LEI DA FÍSICA: Limite do Desenvolvimento As Leis da Física limitam o desenvolvimento de sprinklers mais potentes... A água precisa chegar ao chão... Até hoje, não foi aprovado um sprinkler que atue acima de 14,6m de altura ü K- 25 Vazão 640 lpm = litros/hora/bico Seriam necessários manter verdadeiros Rios nas tubulações c/ reforço estrutural - e as reservas de água seriam gigantescas. SOLUÇÃO ATUAL p/ ALTOS PD s ü Instalar sistemas intermediários in- rack... ($$$) COMPARANDO: A vazão de um esguicho comum é de aprox. 200 LPM

Visão Geral dos Sistemas de Sprinklers e Estatísticas; Capacitação/Qualificação Profissional. José Carlos Paiva Gerente Executivo

Visão Geral dos Sistemas de Sprinklers e Estatísticas; Capacitação/Qualificação Profissional. José Carlos Paiva Gerente Executivo Visão Geral dos Sistemas de Sprinklers e Estatísticas; Capacitação/Qualificação Profissional José Carlos Paiva Gerente Executivo CONTEÚDO Visão geral dos Sistemas de Sprinklers Confiabilidade e Estatísticas

Leia mais

COMBATE SPRINKLERS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS VÁLVULAS

COMBATE SPRINKLERS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS VÁLVULAS SPRINKLERS VÁLVULAS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS COMBATE A Skop tem sua origem e grande parte de sua história vinculada à comercialização de sprinklers nacionais de fabricação própria, conhecidos pela marca

Leia mais

SPRINKLERS COMPONENTES VÁLVULAS ACESSÓRIOS

SPRINKLERS COMPONENTES VÁLVULAS ACESSÓRIOS ACESSÓRIOS COMPONENTES VÁLVULAS SPRINKLERS COMBATE A Skop tem sua origem e grande parte de sua história vinculada à comercialização de sprinklers nacionais de fabricação própria, conhecidos pela marca

Leia mais

RD K 80 ½ - Aprovado UL

RD K 80 ½ - Aprovado UL Sprinklers Chuveiros Automáticos Fechados RD K 80 ½ - Aprovado UL Descrição do Produto Os sprinklers modelo RD são chuveiros automáticos fechados, acionados por uma ampola de vidro, que é um elemento termo

Leia mais

GF Engenharia IT 21 - SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - Estado de São Paulo (em revisão)

GF Engenharia IT 21 - SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - Estado de São Paulo (em revisão) IT 21 IT 21 - SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - Estado de São Paulo (em revisão) SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação CORPO DE BOMBEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO 3 Referências normativas 4 Definições

Leia mais

APOLO TUBOS E EQUIPAMENTOS

APOLO TUBOS E EQUIPAMENTOS APOLO TUBOS E EQUIPAMENTOS A Apolo Tubos e Equipamentos S.A, fundada em 1938 na cidade do Rio de janeiro, foi a primeira empresa industrial do Grupo Peixoto de Castro. Pioneira no Brasil na fabricação

Leia mais

Seminário Relação do acreditador com o regulamentador e o mercado. Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Cgcre/Inmetro

Seminário Relação do acreditador com o regulamentador e o mercado. Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Cgcre/Inmetro Seminário Relação do acreditador com o regulamentador e o mercado Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Cgcre/Inmetro Exigências técnicas compulsórias (Regulamentos e PACs)

Leia mais

Apresentado por Hilton Moreno

Apresentado por Hilton Moreno Apresentado por Hilton Moreno Cuidando dos seus bens mais valiosos. Um projeto de conscientização e orientação sobre a necessidade de modernizar as instalações elétricas, minimizando os riscos de acidentes,

Leia mais

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA Com a publicação da Portaria INMETRO nº 79 - REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA FLEXÍVEL DE POLIURETANO,

Leia mais

Sextante Ltda. Rua da Assembléia, 10 sala 1817 Rio de Janeiro RJ (21) Programa Setorial da Qualidade

Sextante Ltda. Rua da Assembléia, 10 sala 1817 Rio de Janeiro RJ (21) Programa Setorial da Qualidade Av. Marechal Câmara, 160 grupo 632 - Centro - Rio de Janeiro, RJ CEP: 20020-080 Tel.: (21) 2262-3882 Fax: (21) 2533-1872 E-mail: abitam@abitam.com.br www.abitam.com.br Sextante Ltda Rua da Assembléia,

Leia mais

Avaliação da Conformidade aplicada às. Partículas (PFF)

Avaliação da Conformidade aplicada às. Partículas (PFF) Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia Avaliação da Conformidade aplicada às Peças Semifaciais Filtrante para Partículas (PFF) Carlos E. de L. Monteiro Inmetro / Dconf / Dipac Fundacentro,

Leia mais

AFAP- PVC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

AFAP- PVC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA AFAP- PVC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA Referência: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PERFIS DE PVC

Leia mais

ANEXO IV - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICA

ANEXO IV - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICA ANEXO IV - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICA NOTA: 1 - Os fabricantes dos metais e louças sanitárias deverão ser participantes do Programa Brasileiro de Qualidade

Leia mais

1. CREDENCIAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS PROMOTORES DE SHOWS E EVENTOS

1. CREDENCIAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS PROMOTORES DE SHOWS E EVENTOS 1. CREDENCIAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS PROMOTORES DE SHOWS E EVENTOS a) requerimento conforme Anexo A, preenchido e protocolado na Diretoria de Atividades f) Documento que comprove a adimplência junto ao

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO.

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO. CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO Revisão I 04/10/2006 ELETROBRÁS/PROCEL DPS DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ESTUDOS

Leia mais

Portaria n.º 147, 29 de março de 2016

Portaria n.º 147, 29 de março de 2016 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 147, 29 de março de 2016 O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA NORMA Nº NIE-DQUAL-142 APROVADA EM NOV/2009 Nº 1/5 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação

Leia mais

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis 06/11/12 A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis A importância desta certificação para as Compras Públicas Sustentáveis Seminário Internacional A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas

Leia mais

Critérios Para Acreditação e Sanções de OAC. Marcos Aurélio Lima de Oliveira Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia

Critérios Para Acreditação e Sanções de OAC. Marcos Aurélio Lima de Oliveira Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia Critérios Para Acreditação e Sanções de OAC Marcos Aurélio Lima de Oliveira Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia Marcos Aurélio Lima de Oliveira Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade

Leia mais

para Produtos para Saúde

para Produtos para Saúde Programas de Avaliação da Conformidade para Produtos para Saúde São Paulo, 07 de junho de 2011 Andréia Quintana Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade Diretoria da Qualidade Inmetro Quem Somos

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Revisão I 27/02/2007 ELETROBRÁS/PROCEL DTD DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DA

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '!

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '! Página 1 de 11 SUMÁRIO! " #$ % & $! & '! $ " () % %% % ($)& $ Página 2 de 11 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS PÁGINA SUMÁRIO DE MUDANÇA DATA ELABORADO APROVADO Todas Liberação do documento 07/07/2001 Todas Todas

Leia mais

Portaria n.º 341, de 22 de julho de 2014.

Portaria n.º 341, de 22 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 341, de 22 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 50 a 300 mm V1.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 50 a 300 mm V1.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO Hidrômetros de diâmetro nominal 50 a 300 mm V1.0 Instruções de Instalação Woltmann Vertical 1) Quando se colocam em funcionamento novas instalações ou após grandes reformas, deve-se

Leia mais

Instituto Falcão Bauer da Qualidade Rua Aquinos, 111 Água Branca São Paulo - SP CEP Tel./Fax: (11) / 0833

Instituto Falcão Bauer da Qualidade Rua Aquinos, 111 Água Branca São Paulo - SP CEP Tel./Fax: (11) / 0833 Instituto Falcão Bauer da Qualidade Rua Aquinos, 111 Água Branca São Paulo - SP CEP 05036-070 Tel./Fax: (11) 3611-1729 / 0833 www.ifbq.org.br ifbq@ifbq.org.br Grupo Falcão Bauer Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

MODELO LP. Proporcionador de Linha de Alta Vazão. Descrição do Produto. Especificações. Informações Técnicas. Aplicação

MODELO LP. Proporcionador de Linha de Alta Vazão. Descrição do Produto. Especificações. Informações Técnicas. Aplicação Proporcionador de Linha de Alta Vazão MODELO LP Descrição do Produto Os Proporcionadores de Linha de Alta Vazão Modelo LP, também denominados edutores, são equipamentos simples e de baixo custo, para utilização

Leia mais

Reguladores e mangueiras para uso em botijões de gás

Reguladores e mangueiras para uso em botijões de gás Reguladores e mangueiras para uso em botijões de gás 1. O que é regulador de pressão?...4 2. Como o regulador reduz a pressão?...6 3. O regulador de pressão tem prazo de validade?...6 4. Posso ajustar

Leia mais

QUE A SUA FAMÍLIA TODO CONFORTO MERECE AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS DE PASSAGEM LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO. O novo grau de conforto.

QUE A SUA FAMÍLIA TODO CONFORTO MERECE AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS DE PASSAGEM LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO. O novo grau de conforto. TO EN AM NÇ LA TODO CONFORTO QUE A SUA FAMÍLIA MERECE AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS DE PASSAGEM LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO O novo grau de conforto. A Rheem é uma empresa multinacional, fundada em São

Leia mais

trabalho a seguir trata-se de um modelo da parte técnica de um edital de licitação para uma concorrência, tomada de preços ou carta

trabalho a seguir trata-se de um modelo da parte técnica de um edital de licitação para uma concorrência, tomada de preços ou carta O trabalho a seguir trata-se de um modelo da parte técnica de um edital de licitação para uma concorrência, tomada de preços ou carta convite para fornecimento de aduelas (galerias celulares), de concreto

Leia mais

MEDIÇÃO FISCAL E TRANSFERÊNCIA DE CUSTÓDIA

MEDIÇÃO FISCAL E TRANSFERÊNCIA DE CUSTÓDIA CONTROLE METROLÓGICO NA MEDIÇÃO FISCAL E TRANSFERÊNCIA DE CUSTÓDIA Engº RENATO FERREIRA LAZARI Inmetro Roteiro Visão institucional; Metrologia Legal; Controle Metrológico; Mercado / Cenário; Conclusões.

Leia mais

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Serviços Ltda. Caso tenha necessidade de orientações sobre o assunto contido nesta

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 187

Norma Técnica SABESP NTS 187 Norma Técnica SABESP NTS 187 Tubos e conexões de PVC Exigências de desempenho complementares à NBR 5647-1, NBR 5648, NBR 5685, NBR 7362-1 e NBR 7665 Especificação São Paulo Abril - 2014 - revisão 1 NTS

Leia mais

5.1 Ensaio Hidrostático Estanqueidade do dispositivo eliminador de ar

5.1 Ensaio Hidrostático Estanqueidade do dispositivo eliminador de ar Relatório Técnico nº 96 289-205- 6/10 5 RESULTADOS 5.1 Ensaio Hidrostático Estanqueidade do dispositivo eliminador de ar Durante o teste hidrostático (estanqueidade), o dispositivo foi submetido à constante

Leia mais

considerando a necessidade de viabilizar a disponibilidade destas tecnologias ao sistema de saúde do País;

considerando a necessidade de viabilizar a disponibilidade destas tecnologias ao sistema de saúde do País; Resolução - RE nº 444, de 31 de agosto de 1999 DOU de 01/09/99 Adota a norma técnica brasileira NBR IEC 60601.1:Equipamento Eletromédico. Parte 1 Prescrições Gerais para Segurança e normas técnicas particulares

Leia mais

IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS

IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS I WORKSHOP DE DESEMPENHO MINASCON 2014 07/agosto/2014 IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS Laura Marcellini Diretora Técnica ABRAMAT IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 257 de 30 de dezembro de 2002. O PRESIDENTE

Leia mais

CGCRE/INMETRO. Metrologia e Qualidade em Laboratório

CGCRE/INMETRO. Metrologia e Qualidade em Laboratório CGCRE/INMETRO Metrologia e Qualidade em Laboratório Alexandre Dias de Carvalho Chefe da Equipe de Avaliação de Laboratórios adcarvalho@inmetro.gov.br Metrologia Ciência da medição É uma das funções básicas

Leia mais

Tudo o que você. precisa saber sobre. eliminadores de ar. Cartilha para donas de casa

Tudo o que você. precisa saber sobre. eliminadores de ar. Cartilha para donas de casa Tudo o que você precisa saber sobre eliminadores de ar Cartilha para donas de casa O ELIMINADOR DE AR O que é o eliminador de ar? 1. O ELIMINADOR DE AR O eliminador de ar é um dispositivo que, como o próprio

Leia mais

vinil, fibra e alvenaria, piscinas de vinil piscinas de alvenaria

vinil, fibra e alvenaria, piscinas de vinil piscinas de alvenaria INTRODUÇÃO O hidrojato é um acessório que agrega diversão e bem estar. Seu sistema produz um jato que gera uma forte corrente de água na piscina. Ideal para prática de exercícios de natação e divertimento

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO BRASIL Com a moderna forma de viver, existe maior exposição ao risco de incêndio. Vídeo desenvolvido,

Leia mais

PREENCHIMENTO DA DESCRIÇÃO DE ITENS PARA LICITAÇÕES EM 2013 E DEMAIS INFORMAÇÕES

PREENCHIMENTO DA DESCRIÇÃO DE ITENS PARA LICITAÇÕES EM 2013 E DEMAIS INFORMAÇÕES PREENCHIMENTO DA DESCRIÇÃO DE ITENS PARA LICITAÇÕES EM 2013 E DEMAIS INFORMAÇÕES 1. Descrição do Material Com frequência ocorrem aquisições de bens, produtos e serviços que não atendem às necessidades

Leia mais

portas corta fogo dominante

portas corta fogo dominante portas corta fogo dominante índice 04 portas corta fogo 11 12 acessórios serviços 01 02 Ensaio de porta corta fogo DOMINANTE - IPT portas corta fogo 05 07 08 porta classe P60/P90/P120 medidas de portas

Leia mais

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência

Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência Workshop de Contratação Sustentável Módulo Execução: Elaboração do Termo de Referência 25 de novembro de 2015 Centro de Formação, Capacitação e Treinamento - CEFOR da Câmara dos Deputados OBJETIVOS Geral:

Leia mais

Programa Brasileiro de Certificação em Sistema de Gestão da Responsabilidade Social

Programa Brasileiro de Certificação em Sistema de Gestão da Responsabilidade Social Programa Brasileiro de Certificação em Sistema de Gestão da Responsabilidade Social Alfredo Lobo Diretor da Qualidade Inmetro Recife, 30/06/2010 Inmetro Missão Promover a qualidade de vida do cidadão e

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

Projeto Básico CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECARGA DE EXTINTORES DE INCÊNDIO

Projeto Básico CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECARGA DE EXTINTORES DE INCÊNDIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Cubatão Projeto Básico CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECARGA DE EXTINTORES DE INCÊNDIO 1. OBJETO

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO DO PRODUTO Art. 1 o Os equipamentos objeto desta regulamentação

Leia mais

Apresentação dos Requisitos Do Edital Inmetro nº 01/2011

Apresentação dos Requisitos Do Edital Inmetro nº 01/2011 Apresentação dos Requisitos Do Edital Inmetro nº 01/2011 Anexo B Especificações do simulador Eduardo Lopes Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade Objetivos Apresentar o simulador de pista com

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/13 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM ÍNDICE DE REVISÃO

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/13 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM ÍNDICE DE REVISÃO TECNOLOGIA FOLHA /3 ÍNDICE DE REVISÃO REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 00 4/03/94 EMISSÃO ORIGINAL. 0 0/07/94 ALT. NOS ITENS 2.6 E 2.7 E ANEXO 2; INC. DO FORN. HOMOL..3.; 02 08/08/05 ALT DO DOCUMENTO PARANOVAFORMATAÇÃO;

Leia mais

Seminário - Fontes Renováveis de Energia na

Seminário - Fontes Renováveis de Energia na Seminário - Fontes Renováveis de Energia na Aviação Requisitos, it controle da qualidade d e o processo de certificação de bioquerosene Alfredo Lobo Diretor da Qualidade Inmetro São José dos Campos, 09/06/2010

Leia mais

PROJETO DE CONFORMIDADE DE TELHAS DE AÇO ZINCADO ENG. MAURO CRUZ

PROJETO DE CONFORMIDADE DE TELHAS DE AÇO ZINCADO ENG. MAURO CRUZ PROJETO DE CONFORMIDADE DE TELHAS DE AÇO ZINCADO ENG. MAURO CRUZ PROJETO DE CONFORMIDADE DE TELHAS DE AÇO ZINCADO EQUIPE: Proponente: Executor: Co-executor: Intervenientes: FINANCIAMENTO: AÇÃO TRANSVERSAL

Leia mais

REGULAMENTO DE CONFORMIDADE TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

REGULAMENTO DE CONFORMIDADE TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS REGULAMENTO DE CONFORMIDADE TÉCNICA DE (versão 03) MAIO / 2012 Página 1 DIRETORIA DE GESTÃO EMPRESARIAL DGE GERÊNCIA DE LOGÍSTICA GELOG SUPERVISÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE DE MATERIAIS SCQ Página 2 SUMÁRIO

Leia mais

Uma linha completa de tubos e conexões idealizados para cada ambiente da sua obra. SEGURANÇA E ECONOMIA PARA SUA OBRA

Uma linha completa de tubos e conexões idealizados para cada ambiente da sua obra.  SEGURANÇA E ECONOMIA PARA SUA OBRA Uma linha completa de tubos e conexões idealizados para cada ambiente da sua obra. www.hidraulicapotenza.com.br Nosso negócio é fazer o seu projeto fluir. Somos um dos mais renomados grupos especializados

Leia mais

e) ABNT NBR IEC Luminárias - Parte 1: Requisitos gerais e ensaios;

e) ABNT NBR IEC Luminárias - Parte 1: Requisitos gerais e ensaios; MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0084 REATOR ELETRÔNICO PARA LÂMPADA

Leia mais

Portaria n.º 412, de 01 de setembro de 2014.

Portaria n.º 412, de 01 de setembro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 412, de 01 de setembro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER

INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER TIPOS DE DETECTORES DE FUMAÇA ü Detector de fumaça fotoelétrico 1. Câmera ótica 2. Protetor 3. Caixa 4. Fotodiodo

Leia mais

alfa mnf Hidrômetro monojato Principais Características Versatilidade na aplicação de medição individualizada Alta precisão na medição

alfa mnf Hidrômetro monojato Principais Características Versatilidade na aplicação de medição individualizada Alta precisão na medição Hidrômetro monojato alfa mnf Principais Características Versatilidade na aplicação de medição individualizada Alta precisão na medição Ampla aplicação de opcionais Personalizável Alta tecnologia de desenvolvimento

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Portaria nº 50, de 28 de março de 2002 O PRESIDENTE DO

Leia mais

Reguladores de baixa pressão para Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) com capacidade de vazão de até 04 Kg/h

Reguladores de baixa pressão para Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) com capacidade de vazão de até 04 Kg/h Página: 1/11 Elaborado por: Eduardo Augusto Di Marzo Verificado por: Karen Martins Aprovado por: Igor Moreno Data Aprovação: 27/04/2015 1 OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares da

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA.

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA. RELATÓRIO ACOMPANHAMENTO MENSAL SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA. Objetivo. Este relatório tem por objetivo avaliar e mitigar os riscos equivalentes desta edificação. Foram realizadas diversas vistorias

Leia mais

Fundamentos de Metrologia. Fundamentos de Metrologia

Fundamentos de Metrologia. Fundamentos de Metrologia Fundamentos de Metrologia Prof. Luiz Dalla Valentina 2008 1 Introdução Fundamentos de Metrologia 1 1.1 Introdução Metrologia é a ciência da medição; É a ciência que abrange todos os aspectos teóricos e

Leia mais

Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares

Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares Portaria nº 371, de 29 de dezembro de 2009 Objetivo: Avaliação de aparelhos eletrodomésticos e similares, com foco em requisitos de segurança, visando

Leia mais

Mangueiras Perfis Técnicos

Mangueiras Perfis Técnicos Produtos de Qualidade Mangueiras Perfis Técnicos Mangueiras Apresentação NASHA, fundada em 1990, possui ex- tubos e perfis técnicos extrudados em PVC periência no mercado industrial e neste perío- (policloreto

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng.

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. fsantana@gmx.de SUMÁRIO Apresentação da turma Integração de Metrologia com o curso de TEM O que é Metrologia Organização

Leia mais

Catálogo de Produtos. Soluções 3M. para Instalações Elétricas

Catálogo de Produtos. Soluções 3M. para Instalações Elétricas Catálogo de Produtos Soluções 3M para Instalações Elétricas Índice Pág. Fitas Isolantes Premium...3 Fitas Isolantes Uso Geral...5 Acessórios para Instalações Elétricas...6 Fitas Elétricas Especiais....9

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE MACAIBA

O PREFEITO MUNICIPAL DE MACAIBA Publicado no B.O.M.M. Nº 794 Em 12/05/2015 GABINETE DO PREFEITO LEI N 1.751/2015 DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE BOMBEIROS CIVIS E SALVA-VIDAS E FIXA AS EXIGÊNCIAS MÍNIMAS DE SEGURANÇA PARA

Leia mais

Mangueiras de PVC Plastificado para Instalação Doméstica de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

Mangueiras de PVC Plastificado para Instalação Doméstica de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) Página: 1/1 Elaborado por: Eduardo Augusto Di Marzo Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Igor Moreno Data Aprovação: 27/04/2015 1 OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares

Leia mais

índice porta corta fogo industrial modelos de portas door holder 08 pórticos

índice porta corta fogo industrial modelos de portas door holder 08 pórticos porta corta fogo industrial dominante índice 02 03 07 porta corta fogo industrial modelos de portas door holder 08 pórticos 01 porta corta fogo industrial As portas corta fogo industriais dominante são

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA Produtos Químicos e Materiais em contato com a Água Potável

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA Produtos Químicos e Materiais em contato com a Água Potável IV DIÁLOGO SANEAMENTO ABES - RS 02 Dezembro de 2015 PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA Produtos Químicos e Materiais em contato com a Água Potável NSF = National Sanitation Foundation Fundada em 1944 com objetivo

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES

DÚVIDAS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES DÚVIDAS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARTE 1: SOBRE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS. 1) Pode haver alguma situação em que a solicitação de Homologação deve ser encaminhada

Leia mais

Portaria n.º 106, de 25 de fevereiro de 2015. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 106, de 25 de fevereiro de 2015. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 106, de 25 de fevereiro de 2015. CONSULTA

Leia mais

NORMAS PERTINENTES (hierarquia):

NORMAS PERTINENTES (hierarquia): SOLUÇÃO CONSTRUTIVA EM LAJES PRÉ- FABRICADAS PARTE 1 PROJETO COM PRÉ-LAJES TRELIÇADAS PROJETO NORMAS PERTINENTES (hierarquia): NBR 6118:2003 Projeto de estruturas de concreto Procedimento (em vigor a partir

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS EEM.89236 TECNOLOGIA 01 CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Suprimentos As Sandra Tostes - Ot Maria Célia Abreu - Ot TECNOLOGIA 1/7 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE /07

ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE /07 11. ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE 8630-5/07 Compreende: Banco de Esperma; Banco de Sêmen Humano; Clínica de Reprodução Assistida; Atividade de Fertilização In Vitro de Seres Humanos;

Leia mais

Manual de Instruções Filtro AQUABLOCK Fonte ampliada ( 36 )

Manual de Instruções Filtro AQUABLOCK Fonte ampliada ( 36 ) Manual de Instruções Filtro AQUABLOCK Fonte ampliada ( 36 ) Original Aquaplus Filtração Indústria e Comércio Ltda. Rua Vicente Sores da Costa, 128 / 130 Jd. Primavera São Paulo SP - CEP 02755-000 CNPJ

Leia mais

ATO COTEPE ICMS 4, DE 11 DE MARÇO DE 2010

ATO COTEPE ICMS 4, DE 11 DE MARÇO DE 2010 Recapel apresenta ATO COTEPE ICMS 4, DE 11 DE MARÇO DE 2010 Publicado no DOU de 17.03.10. Retificação no DOU de 18.03.10. Alterado pelos Atos COTEPE/ICMS 19/10, 43/10, 24/11, 38/11, 45/11, 15/12, 27/12.

Leia mais

Número: EEM Rev.: 2 Fl. 1/14

Número: EEM Rev.: 2 Fl. 1/14 Número: EEM-80779 Rev.: 2 Fl. 1/14 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 0 06/06/2013 1 15/07/2013 Emissão Inicial, em substituição ao documento EEM80779 revisão 14. Alteração das CPC s 80767

Leia mais

Gerador de vapor. Manual de Instruções

Gerador de vapor. Manual de Instruções MANUAL GERADOR DE VAPOR GÁS LENHA - COD. 000000 Gerador de vapor GÁS E LENHA Manual de Instruções Para sua segurança e melhor aproveitamento no uso deste produto, antes de executar a instalação, leia atentamente

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - ESTABILIZADORES DE TENSÃO COM TENSÃO NOMINAL ATÉ 250V EM POTÊNCIAS DE ATÉ 3 kva/3kw

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - ESTABILIZADORES DE TENSÃO COM TENSÃO NOMINAL ATÉ 250V EM POTÊNCIAS DE ATÉ 3 kva/3kw MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Fornos de Micro-ondas

Fornos de Micro-ondas Página: 1/14 Elaborado por: João Damião Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Arnaldo Barbulio Data Aprovação: 07/01/2013 1 - OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares

Leia mais

RESOLUÇÃO CONTRAM Nº 157, DE 22 DE ABRIL DE 2004 DOU DE

RESOLUÇÃO CONTRAM Nº 157, DE 22 DE ABRIL DE 2004 DOU DE RESOLUÇÃO CONTRAM Nº 157, DE 22 DE ABRIL DE 2004 DOU DE 07-05-2004. Fixa especificações para os extintores de incêndio, equipamento de uso obrigatório nos veículos automotores, elétricos, reboque e semi-reboque,

Leia mais

Página 1 de 7. Código: MS Revisão: 01 Data: 14/12/2015. Laudo Técnico

Página 1 de 7. Código: MS Revisão: 01 Data: 14/12/2015. Laudo Técnico Página 1 de 7 Laudo Técnico Assunto: Ensaio acústico para Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado Ponderado (L ntw ), conforme determinado pela Norma de Desempenho de Edificações NBR 15.575, seguindo

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica DECRETO N o 4.508, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2002. Dispõe sobre a regulamentação específica que define os níveis mínimos de eficiência energética de motores

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Revisão e panorama da NBR 5410 e verificação das instalações elétricas Eduardo Daniel Coordenador da CE 03:064-001 ORIGEM ABNT - Associação

Leia mais

Número: EEM Rev.: 0 Fl. 1/6

Número: EEM Rev.: 0 Fl. 1/6 Número: EEM 80998 Rev.: 0 Fl. 1/6 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 00 06/10/2015 Emissão inicial em substituição a especificação EEM 80998 Rev07 Gerson Andreoti Coordenador CQ Mário Alonso

Leia mais

CERTIFICADO DE CONFORMIDADE. N : 11-IEx-0074

CERTIFICADO DE CONFORMIDADE. N : 11-IEx-0074 Pagina 1/5 Solicitante / Endereço: Applicant / Address Solicitante / Dirección Produto / Modelo / Marca: Product / Model / Trademark Producto / Modelo / Marca Família de Produto: Product s Family Familia

Leia mais

Normas da Gestão da Qualidade. Prof.ª Karla Handressa Castro de Oliveira

Normas da Gestão da Qualidade. Prof.ª Karla Handressa Castro de Oliveira Normas da Gestão da Qualidade Prof.ª Karla Handressa Castro de Oliveira O que é Normalização? São critérios estabelecidos entre as partes interessadas - técnicos, engenheiros, fabricantes, consumidores

Leia mais

Convergência Regulatória Brasil Estados Unidos. Mauro Laviola Vice-Presidente da AEB

Convergência Regulatória Brasil Estados Unidos. Mauro Laviola Vice-Presidente da AEB Mauro Laviola Vice-Presidente da AEB Definições É uma forma de fazer com que requisitos regulatórios ou padrões privados de diferentes países convirjam e sejam considerados harmonizados, equivalentes ou

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/nº 180 de 28 de dezembro de 1993. O Diretor

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DE LOGOMARCAS, CERTIFICADOS E DECLARAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO DO PBQP-H

REGULAMENTO PARA USO DE LOGOMARCAS, CERTIFICADOS E DECLARAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO DO PBQP-H 1 ICQ BRASIL OCO Organismo de Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade de Empresas de Serviços e Obras na Construção Civil, acreditado pela CGCRE para certificação de terceira parte. 2 OBJETIVO

Leia mais

NR 10. Prof. Felipe A. Camargo

NR 10. Prof. Felipe A. Camargo QMASS NR 10 Prof. Felipe A. Camargo NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 01 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.1.1 Esta NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS ESCOPO MANUTENÇÃO REFERÊNCIAS DEFINIÇÕES QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... Página 1 de 15 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 5 7. CONDIÇÕES GERAIS... 6 8. PROCESSO

Leia mais

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por:

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016 Errata 01 1. No item 6.2.2 da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: 6.2.2 O recurso de 1ª instância deverá ser encaminhado à AAT ou

Leia mais

Aspectos técnicos da etiquetagem de pneus. Gustavo Kuster Chefe de Divisão, Diretoria da Qualidade, Inmetro Rio de Janeiro, 18 de outubro de 2012

Aspectos técnicos da etiquetagem de pneus. Gustavo Kuster Chefe de Divisão, Diretoria da Qualidade, Inmetro Rio de Janeiro, 18 de outubro de 2012 Aspectos técnicos da etiquetagem de pneus Gustavo Kuster Chefe de Divisão, Diretoria da Qualidade, Inmetro Rio de Janeiro, 18 de outubro de 2012 Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) Gustavo Kuster

Leia mais

Proteção Passiva Contra Incêndio. Isolamento Térmico. Isolamento Acústico

Proteção Passiva Contra Incêndio. Isolamento Térmico. Isolamento Acústico Proteção Passiva Contra Incêndio Isolamento Térmico Isolamento Acústico R E N G E N H A R I A PROTEÇÃO PASSIVA CONTRA INCÊNDIO Selagem de Shafts Fachada/Pele de Vidro - Fire Stop Na ocorrência de um incêndio,

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Evolução Vanzolini _Qualinstal 28/06/2016 2

ESCOLA POLITÉCNICA FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Evolução Vanzolini _Qualinstal 28/06/2016 2 FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI ESCOLA POLITÉCNICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 2 Instituída em 1967 por professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 56, de 18 de fevereiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

QUESTIONAMENTOS PE 010/14. Hewlett Packard do Brasil Ltda.

QUESTIONAMENTOS PE 010/14. Hewlett Packard do Brasil Ltda. QUESTIONAMENTOS PE 010/14 Hewlett Packard do Brasil Ltda. 1) O Edital de Pregão Eletrônico n.º 10/2014 não contempla critérios de promoção do desenvolvimento nacional sustentável previsto no caput do artigo

Leia mais

Portaria n.º 55, de 28 de janeiro de 2014.

Portaria n.º 55, de 28 de janeiro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 55, de 28 de janeiro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais