Processo de Descentralização administrativa do Estado nos munícipios e entidades intermunicipais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo de Descentralização administrativa do Estado nos munícipios e entidades intermunicipais"

Transcrição

1 Processo de Descentralização administrativa do Estado nos munícipios e entidades intermunicipais Conselho de Concertação Territorial 22 de julho de 2015

2 Diagnóstico: Portugal um país dos mais centralizados De acordo com os dados do Eurostat e da OCDE, o peso da despesa da Administração Local no total da Administração Pública em 2011 em Portugal era, em média, 10 pontos percentuais inferior à média da União Europeia. O Estado exerce em muitos casos as suas competências a uma distância excessiva dos cidadãos, comprometendo a sua eficácia e diligência, não permitindo obter as melhores respostas às necessidades e especificidades locais. 2

3 Vantagens de um Estado descentralizado Maior proximidade das populações, permitindo a adaptação das políticas públicas às necessidades e especificidades locais; Maior celeridade e capacidade de intervenção; Maior envolvimento da comunidade na escolha pública e responsabilização dos agentes políticos; Maior eficiência na gestão e alocação de recursos; Aumento da eficácia e da qualidade do serviço; Aumento da coesão territorial; Concretização de um pilar fundamental da Reforma do Estado. 3

4 Antecedentes Estudo «Caracterização das Funções do Estado«(2003) e PRACE Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado (2006) - Sem concretização Estudo-piloto com CIM Alto Minho e CIM Região de Aveiro (2012) Criação da Equipa para os Assuntos do Território Aproximar (março 2013): Levantamento e mapeamento dos equipamentos coletivos integrantes da rede pública; Identificação de áreas de sobreposição de atividades e competências dos serviços desconcertados do Estado e da administração local; Relatório de progresso Aproximar (out. 2013): Definição das áreas de descentralização e metodologia a adotar. Conselho de Concertação Territorial (2014): julho discussão do modelo de descentralização; dezembro discussão do anteprojeto de decreto-lei da descentralização administrativa de competências Envolvimento dos parceiros no processo: Reuniões com: Associação Nacional de Município Portugueses, Municípios, Associações sindicais, Associações de Diretores de Escolas, Presidentes de Conselhos Gerais e Diretores de Agrupamentos de Escolas, Associações do setor da economia social e solidário, entre outros. 4

5 Medidas adotadas pelo Atual Governo Ações de concretização do programa de descentralização: A Lei n.º 75/2013: enquadramento da descentralização de competências (por transferência ou delegação) O Decreto-lei n.º 30/2015: regula a delegação contratual de competências no domínio das funções sociais da educação, saúde, cultura e segurança social A Lei n.º 52/2015: transfere para os municípios e entidades intermunicipais as competências no serviço público de transporte de passageiros Contratualização dos projetos-piloto das funções sociais com municípios e CIM 5

6 Descentralização Transportes: concretizada A Lei n.º 52/2015, publicado em 9 de Junho, entra em vigor em agosto 2015 Transfere automaticamente para os municípios e entidades intermunicipais as competências de autoridade de transportes no serviço público de transporte de passageiros: Planeamento e organização; Operação; Atribuição; Fiscalização; Investimento, financiamento e divulgação; Desenvolvimento do serviço público de transporte de passageiros A transferência opera de forma: Universal (para todos os municípios e EIMs do país), Definitiva e diretamente pela lei (sem necessidade de atos adicionais) Transferência definitiva e universal nos modos de transporte: Rodoviário de âmbito regional e municipal, Fluvial e Ferroviário não pesado Permite e regula ainda a delegação contratual nas entidades intermunicipais e municípios das competências que ficaram no Estado: modos rodoviários expresso e internacional; ferroviário pesado; e as concessões do Estado 6

7 Projetos-piloto Descentralização EDUCAÇÃO* CULTURA** SAÚDE** Município Águeda Amadora Batalha Cascais Crato Maia Matosinhos Mealhada Óbidos Oeiras Oliveira de Azeméis Oliveira do Bairro Sousel Vila de Rei Vila Nova de Famalicão Município Aveiro Cascais Caldas da Rainha*** Castelo Branco Estremoz Guarda Nazaré Entidade Cascais CIM Região de Aveiro*** Fronteira Mafra Pampilhosa da Serra Rio Maior Sardoal Sousel Vila Nova de Famalicão*** * Nesta área todos os contratos estão aprovados e assinados e em vias de publicação em DRE. ** Acordo político concluído, alguns dos quais se encontram em fase de aprovações formais internas na autarquia. *** Negociação em finalização para deliberação interna. 7

8 Funções Sociais: projetos-piloto concretizados Método: Projetos-piloto para implementação de base voluntária (não imposta às autarquias) e gradual em função da avaliação da sua execução; Os acordos já alcançados nas áreas da Educação, Cultura e Saúde abrangem 34 Municípios, com grande representatividade e diversidade populacional, territorial e política; Primeiro contrato de delegação de competências com uma CIM (saúde: CIRA); Versões-base dos contratos interadministrativos, que asseguram não discriminação e igualdade de tratamento entre os municípios e comparabilidade dos resultados; Características comuns: Definição clara da repartição de responsabilidades; Transferência dos recursos correspondentes, sem aumento da despesa do Estado e incentivando ao aumento da eficiência na gestão; Acompanhamento e avaliação dos resultados, com cláusulas de salvaguarda e garantia do serviço publico e da sua continuidade; Estes contratos entram vigor no Verão de

9 EDUCAÇÃO: Competências descentralizadas Definição do plano estratégico educativo municipal Ajustamento dos calendários e horários escolares Gestão dos processos de matrícula e colocação dos alunos Definição do número de turmas e do número de alunos por turma Gestão dos processos de ação social escolar (refeições e ação social escolar) Ajustamento local de 25% dos currículos e criação de disciplinas de base local; Manutenção e conservação das escolas e dos equipamentos (incluindo informáticos, laboratórios, etc.) Organização das atividades extracurriculares Organização de programas especiais de recuperação do abandono e insucesso escolar Gestão e recrutamento do pessoal NÃO docente do básico ao secundário passa para o município Definição da rede de oferta educativa no território do município 9

10 CULTURA: Competências descentralizadas Transferência da gestão dos seguintes equipamentos culturais: Museu de Aveiro, Aveiro Museu de Cerâmica, Caldas da Rainha Fortes e Partilha de Acervo, Cascais Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, Castelo Branco Castelo Evoramonte e Villa Lusitano-romana de Santa Vitória do Ameixial, Estremoz Museu da Guarda, Guarda Museu Joaquim Manso, Nazaré Competências delegadas incluem: Elaboração do Documento de Política Museológica Municipal Definição da programação cultural e gestão museológica Manutenção das Infraestruturas Conservação do Acervo Gestão financeira e de recursos humanos 10

11 SAÚDE: Competências descentralizadas Definição da estratégia municipal de saúde, enquadrada no Plano Nacional de Saúde Criação, gestão e manutenção de instalações e equipamentos Definição dos períodos de funcionamento e cobertura assistencial, incluindo o alargamento dos horários de funcionamento Intervenções de apoio domiciliário e apoio social a dependentes Iniciativas de prevenção da doença e promoção da saúde Gestão dos transportes não urgentes de utentes, com exceção do SGTD Gestão da oferta complementar de cuidados de saúde primários Atividades de promoção de saúde e prevenção da doença [por acordo entre as partes não inclui transferência de pessoal ao serviço do MS / ARS / ACES] 11

12 Projetos-piloto Descentralização Dados Globais Entidade População Águeda Amadora Aveiro Batalha Cascais Caldas da Rainha Castelo Branco CIM Região de Aveiro Crato Estremoz Fronteira Guarda Mafra Maia Matosinhos Mealhada Nazaré Óbidos Oeiras Oliveira de Azeméis Oliveira do Bairro Pampilhosa da Serra Rio Maior Sardoal Sousel Vila de Rei Vila Nova de Famalicão TOTAL

Anteprojeto de Decreto-Lei. Preâmbulo

Anteprojeto de Decreto-Lei. Preâmbulo Anteprojeto de Decreto-Lei Preâmbulo A Constituição da República Portuguesa (CRP) prevê que o Estado é unitário e respeita na sua organização e funcionamento o regime autonómico insular e os princípios

Leia mais

Municipalização da Educação

Municipalização da Educação LEGISLAÇÃO Regime Jurídico de Transferência de Competências para os Municípios (DL 30/2015, de 12 de Fevereiro) Processo que não cumpre os elementos constantes na Lei 75/2013, de 12 de Setembro. (Regime

Leia mais

PROPOSTA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIENCIA NO MUNICÍPIO DE CASCAIS

PROPOSTA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIENCIA NO MUNICÍPIO DE CASCAIS PROPOSTA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIENCIA NO MUNICÍPIO DE CASCAIS NA ÁREA EDUCATIVA E DA FORMAÇÃO OBJETO Delegação de competências do MEC

Leia mais

A NOVA LEGISLAÇÃO E A DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

A NOVA LEGISLAÇÃO E A DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS A NOVA LEGISLAÇÃO E A DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Congresso da Região de Aveiro 28 e 29 de maio de 2015 Lucília Ferra Diretora-Geral das Autarquias Locais Programa do XIX Governo Constitucional Resolução

Leia mais

Suzana Tavares da Silva FDUC IJ Projecto SPES

Suzana Tavares da Silva FDUC IJ Projecto SPES Jornadas SPES III. Aspectos jurídicos da cooperação com o terceiro sector no contexto da descentralização administrativa da política de educação Suzana Tavares da Silva FDUC IJ Projecto SPES Ensino Particular

Leia mais

CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS CONTRATO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO MUNICIPAL (Resumo da última versão conhecida 17ABR15)

CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS CONTRATO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO MUNICIPAL (Resumo da última versão conhecida 17ABR15) CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS CONTRATO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO MUNICIPAL (Resumo da última versão conhecida 17ABR15) Cláusula 6.ª Objetivos estratégicos 1. f) Da possibilidade

Leia mais

NOTA DE IMPRENSA. Conselho Intermunicipal da CI Região de Aveiro de 22DEZ14

NOTA DE IMPRENSA. Conselho Intermunicipal da CI Região de Aveiro de 22DEZ14 NOTA DE IMPRENSA Aveiro, 29 de dezembro de 2014 Conselho Intermunicipal da CI Região de Aveiro de 22DEZ14 O Conselho Intermunicipal (CI) da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CI Região de Aveiro)

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 383/XIII/2.ª

PROJETO DE LEI N.º 383/XIII/2.ª PROJETO DE LEI N.º 383/XIII/2.ª Procede à descentralização de competências para os municípios e entidades intermunicipais e nas freguesias no âmbito da educação, saúde, ação social, gestão territorial,

Leia mais

2.ª Conferência Nacional das Autoridades de Transportes

2.ª Conferência Nacional das Autoridades de Transportes TRANSPORTES TERRESTRES E INFRAESTRUTUR AS RODOVIÁRIAS TRANSPORTES TERRESTRES E INFRAESTRUTURAS FERROVIÁRIAS 2.ª Conferência Nacional das Autoridades de Transportes 15 de outubro de 2018 TRANSPORTES MARÍTIMOS,

Leia mais

O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de

O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de 2020, lançar um conjunto de reformas estruturais que

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra CENTRO 2020 POR EIXOS Eixo 1 Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDEIAS) 7,8% 169 M 2,5% 54 M Eixo 10 Assistência Técnica Eixo 2 Competitividade

Leia mais

1. MUNICÍPIOS ENVOLVIDOS NESTE PROCESSO COM CONTRATO ASSINADO NO ÂMBITO DO DL N.º 30/2015, DE 12 DE FEVEREIRO

1. MUNICÍPIOS ENVOLVIDOS NESTE PROCESSO COM CONTRATO ASSINADO NO ÂMBITO DO DL N.º 30/2015, DE 12 DE FEVEREIRO PROGRAMA DA REUNIÃO Boas vindas pelo responsável da autarquia; Enquadramento pela Deputada Susana Amador, Coordenadora do Grupo de Trabalho; Intervenções dos responsáveis da autarquia, Diretores das escolas

Leia mais

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Programa Operacional Norte 2020 Estrutura da Apresentação I. Eixo Prioritário/ Prioridade de Investimento/ Objetivo Específico

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL O Papel do IEFP e a colaboração com os Parceiros Sociais 14 novembro 2017 SOFIA VENTURA Principais Tópicos da Apresentação Missão Atribuições Estrutura Organizacional

Leia mais

Boas Práticas: Região de Aveiro

Boas Práticas: Região de Aveiro Boas Práticas: Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Susana Castelo Susana.castelo@tis.pt Região de Aveiro O processo do PIMT-RA Em 2011, a CIRA lançou o

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro. Susana Castelo

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro. Susana Castelo Boas Práticas: Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Susana Castelo Susana.castelo@tis.pt Região de Aveiro O processo do PIMT-RA Em 2011, a CIRA lançou o

Leia mais

MATRIZ DE RESPONSABILIDADES. Página 1 de 7

MATRIZ DE RESPONSABILIDADES. Página 1 de 7 1 Definição geral de políticas educativas nacionais 2 Definição de projeto educativo e do plano de desenvolvimento educativo e formativo Informado Informado Informado A1. Planeamento Estratégico 3 Carta

Leia mais

Publicado em h:42m N.º

Publicado em h:42m N.º CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA UNIÃO DE FREGUESIAS- NOGUEIRA CRAVO E PINDELO - DESENVOLVIMENTO ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMILIA NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E GESTÃO

Leia mais

Escolarização na Região do Norte: evolução e desafios José Maria Azevedo, com a colaboração de Josefina Gomes (CCDRN)

Escolarização na Região do Norte: evolução e desafios José Maria Azevedo, com a colaboração de Josefina Gomes (CCDRN) Seminário "Abandono escolar e (in)sucesso educativo: balanço e perspetivas 2014-2020 21 de Abril de 2015 Teatro Diogo Bernardes Escolarização na Região do Norte: evolução e desafios José Maria Azevedo,

Leia mais

DESCENTRALIZAÇÃO EDUCAÇÃO E SAÚDE ÁREA SETORIAL Decreto-Lei n.º 21/2019, de 30/11. Educação COMPETÊNCIAS São transferidas para os municípios e entidades intermunicipais competências de: - Planeamento,

Leia mais

Dr. Rocha Andrade e Dr. Pedro Ferreira saíram da sala.

Dr. Rocha Andrade e Dr. Pedro Ferreira saíram da sala. REUNIÃO DO EXECUTIVO REUNIÃO ORDINÁRIA MINUTA Nº 11/2009 REUNIÃO Ordinária DE 20-05-2009 10:00 DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA PARA PRODUÇÃO DE EFEITOS IMEDIATOS (NOS TERMOS DO Nº 3 E Nº 4 DO ARTº 92º

Leia mais

Carta Educativa. Visão do Decreto-Lei nº 7/2003, de 15 de Janeiro

Carta Educativa. Visão do Decreto-Lei nº 7/2003, de 15 de Janeiro Carta Educativa Visão do Decreto-Lei nº 7/2003, de 15 de Janeiro O ordenamento do território rege-se por um sistema de gestão territorial consagrado pelo Decreto-Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro com as

Leia mais

ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2019

ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2019 ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2019 PROGRAMA ORÇAMENTAL: PLANEAMENTO E INFRAESTRUTURAS LISBOA, 8 DE NOVEMBRO DE 2018 Planeamento e Infraestruturas Reforço da Competitividade da Economia Portuguesa e do Desenvolvimento

Leia mais

A Autoridade da Mobilidade e dos. junho

A Autoridade da Mobilidade e dos. junho A Autoridade da Mobilidade e dos A Transportes Autoridade e da o Mobilidade novo Regime e dos Jurídico do Transportes Serviço Público e a Regulação, de Transporte a Organização de do Passageiros Setor

Leia mais

Câmara Municipal de Alvito. Plano de Transportes Escolares 2017/2018

Câmara Municipal de Alvito. Plano de Transportes Escolares 2017/2018 Câmara Municipal de Plano de Transportes Escolares 2017/2018 Preâmbulo O Município de tem a área de 267,2 km², insere-se no Alentejo, e compreende 2 freguesias: e Vila Nova da Baronia. A fragilidade das

Leia mais

MINUTA DO CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA FREGUESIA/UNIÃO DE FREGUESIAS DE. PARA ALIMENTAÇÃO E GESTÃO EM REFEITÓRIOS

MINUTA DO CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA FREGUESIA/UNIÃO DE FREGUESIAS DE. PARA ALIMENTAÇÃO E GESTÃO EM REFEITÓRIOS MINUTA DO CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA FREGUESIA/UNIÃO DE FREGUESIAS DE. PARA ALIMENTAÇÃO E GESTÃO EM REFEITÓRIOS ESCOLARES E DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO

Leia mais

PLANO DE AVISOS 2016 (*)

PLANO DE AVISOS 2016 (*) PO PO PO PO Calendário de de Dados do Identificação do Referência do Empreendedorismo Qualificado 3 3.1, 8.5 janeiro 16 abril 16 SI - 02/SI/2016 Inovação Empresarial Inovação Produtiva Científico e Tecnológico

Leia mais

Plano Intermunicipal de Transportes da Região de Aveiro (PIMTRA)

Plano Intermunicipal de Transportes da Região de Aveiro (PIMTRA) Seminário Mobilidade Urbana Sustentável: Experiências e novos desafios Plano Intermunicipal de Transportes da Região de Aveiro (PIMTRA) Susana Castelo TIS.pt Região de Aveiro O processo do PIMT-RA Em 2011,

Leia mais

Publicado em h:29m N.º 1009 https://www.cm-oaz.pt/boletimmunicipal/1009.html

Publicado em h:29m N.º 1009 https://www.cm-oaz.pt/boletimmunicipal/1009.html Publicado em 2018-07-13 11h:29m N.º 1009 https://www.cm-oaz.pt/boletimmunicipal/1009.html Contrato Contrato Interadministrativo de Delegação de Competências com Freguesia de Fajões Considerando: - A necessidade

Leia mais

Revisão da Carta Educativa do Concelho de Cascais Elaboração do Plano Estratégico Educativo Municipal. Metodologia e Programa de Trabalhos

Revisão da Carta Educativa do Concelho de Cascais Elaboração do Plano Estratégico Educativo Municipal. Metodologia e Programa de Trabalhos Revisão da Carta Educativa do Concelho de Cascais Elaboração do Plano Estratégico Educativo Municipal Metodologia e Programa de Trabalhos 24 de fevereiro 2016 Agenda 1. Equipa de trabalho 2. Carta Educativa:

Leia mais

XXXVII Colóquio Nacional da ATAM

XXXVII Colóquio Nacional da ATAM XXXVII Colóquio Nacional da ATAM A Descentralização de Competências nos Municípios Artur Reis Adjunto do Gabinete do Secretário de Estado das Autarquias Locais 1 Índice 1. Enquadramento histórico [slides

Leia mais

Estratégias Locais de. Habitação

Estratégias Locais de. Habitação Estratégias Locais de Habitação 1. Estratégias Locais de Habitação Qual o enquadramento das ELH? As Estratégias Locais de Habitação são instrumentais na concretização dos princípios orientadores da Nova

Leia mais

REGIME JURÍDICO DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

REGIME JURÍDICO DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS REGIME JURÍDICO DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS PORTO, 18 JUNHO 2015 José Luís Esquível LEI 52/2015, de 09.06 Aprova o RJSPTP Extinção das Autoridades Metropolitanas de Lisboa e do Porto

Leia mais

Diploma DRE. Artigo 1.º. Objeto

Diploma DRE. Artigo 1.º. Objeto Diploma Estabelece os princípios orientadores e o enquadramento a que deve obedecer a cooperação entre o Estado e as entidades do setor social e solidário Decreto-Lei n.º 120/2015 de 30 de junho O n.º

Leia mais

Câmara Municipal de Alvito. Plano de Transportes Escolares

Câmara Municipal de Alvito. Plano de Transportes Escolares Câmara Municipal de Alvito Plano de Transportes Escolares Preâmbulo O Município de Alvito tem a área de 267,2 km², insere-se no Alentejo, e compreende 2 freguesias: Alvito e. A fragilidade das acessibilidades

Leia mais

Lei n.º 9/79 de 19 de Março de 1979 Aprova as bases do ensino particular e cooperativo;

Lei n.º 9/79 de 19 de Março de 1979 Aprova as bases do ensino particular e cooperativo; Lei n.º 9/79 de 19 de Março de 1979 Aprova as bases do ensino particular e cooperativo; Decreto-lei n.º 542/79 de 31 de Dezembro de 1979 Estabelece o estatuto dos jardins-deinfância da rede publicado Ministério

Leia mais

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de Plano de Ação Rede Social Mafra Eixo I - DEMOGRAFIA E EQUIPAMENTOS (INFRA-ESTRUTURAS DE APOIO) Objectivo geral 1. Reforçar as estruturas de apoio ao idoso Objectivo Específico 1. Aumentar a capacidade

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA ANUAL DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTES. INQUÉRITO À CAPACITAÇÃO DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTE 19 de março de 2019

3.ª CONFERÊNCIA ANUAL DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTES. INQUÉRITO À CAPACITAÇÃO DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTE 19 de março de 2019 3.ª CONFERÊNCIA ANUAL DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTES INQUÉRITO À CAPACITAÇÃO DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTE 9 de março de 209 3.ª CONFERÊNCIA ANUAL DAS AUTORIDADES DE TRANSPORTES INQUÉRITO À CAPACITAÇÃO

Leia mais

Portaria. Artigo 1º Objeto

Portaria. Artigo 1º Objeto Portaria O decreto-lei nº, de. aprova o regime jurídico de autonomia de gestão dos museus, monumentos, palácios e sítios arqueológicos dependentes da Direção-Geral do Património Cultural e das Direções

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES Plano de Atividades 2017

PLANO DE ATIVIDADES Plano de Atividades 2017 PLANO DE ATIVIDADES 2017 1 Plano de Atividades 2017 Janeiro 2017 PLANO DE ATIVIDADES 2017 2 Introdução As atividades desenvolvidas pelo Conselho Nacional de Educação têm como referência a sua missão consultiva,

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DOS TRANSPORTES. Infraestruturas Rodoviárias ANÁLISE FACE AOS OBJETIVOS DO AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO E DO CRESCIMENTO

PLANO ESTRATÉGICO DOS TRANSPORTES. Infraestruturas Rodoviárias ANÁLISE FACE AOS OBJETIVOS DO AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO E DO CRESCIMENTO Jorge Zúniga Santo, Engenheiro Civil Ordem dos Engenheiros O PET é um instrumento das Grandes Opções do Plano para 2012-2015 1. ENQUADRAMENTO Endividamento elevadíssimo da Estradas de Portugal, SA para

Leia mais

ESTUDOS DE CARACTERIZAÇÃO DA OFERTA E DA PROCURA PARA PLANEAMENTO DE REDES DE TRANSPORTES

ESTUDOS DE CARACTERIZAÇÃO DA OFERTA E DA PROCURA PARA PLANEAMENTO DE REDES DE TRANSPORTES ESTUDOS DE CARACTERIZAÇÃO DA OFERTA E DA PROCURA PARA PLANEAMENTO DE REDES DE TRANSPORTES 2º AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS Candidaturas a submeter até às 19:00 horas, do dia 31 de julho de 2018 O «Fundo

Leia mais

ANEXO B. Enquadramento noutra(s) Estratégia(s) relevante(s)

ANEXO B. Enquadramento noutra(s) Estratégia(s) relevante(s) ANEXO B Enquadramento noutra(s) Estratégia(s) relevante(s) Coerência e articulação com a estratégia de desenvolvimento territorial da respetiva NUTS III e com EREI da Região Alentejo A demonstração do

Leia mais

Informação sobre a Atividade da Comunidade Intermunicipal do Oeste

Informação sobre a Atividade da Comunidade Intermunicipal do Oeste Informação sobre a Atividade da Comunidade Intermunicipal do Oeste Comunidade Intermunicipal do Oeste Caldas da Rainha, 30 de abril de 1 Sem prejuízo de se prestar informação mais detalhada, sempre que

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS ALCOBAÇA

Leia mais

Autonomia dos ACES. Agora, mais do que nunca. Lisboa, 12 de Maio de Autonomia gestionária dos centros de saúde

Autonomia dos ACES. Agora, mais do que nunca. Lisboa, 12 de Maio de Autonomia gestionária dos centros de saúde Autonomia dos Agora, mais do que nunca Lisboa, 12 de Maio de 2011 Autonomia gestionária dos centros de saúde Apesar de a própria Constituição prever que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tenha uma gestão

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS (PPP) UMA FORMA ALTERNATIVA DE PENSAR A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM ANGOLA

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS (PPP) UMA FORMA ALTERNATIVA DE PENSAR A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM ANGOLA PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS (PPP) UMA FORMA ALTERNATIVA DE PENSAR A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM ANGOLA ÍNDICE CONTEXTO ACTUAL A NOVA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA O QUE SÃO PPP? MODELOS DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA QUAIS

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS 1 ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ 2 ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM 3 AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO 4 ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS

Leia mais

TIPO MUNICÍPIOS COM SERVIÇOS CRO OBSERVAÇÃO - OUTRAS AUTORIZAÇÕES. ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT CGM in situ

TIPO MUNICÍPIOS COM SERVIÇOS CRO OBSERVAÇÃO - OUTRAS AUTORIZAÇÕES. ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT CGM in situ ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS ALCOBAÇA

Leia mais

Caracterização. Serve de base à preparação dos planos, das intervenções e do complemento de programação, nos quais está integrada.

Caracterização. Serve de base à preparação dos planos, das intervenções e do complemento de programação, nos quais está integrada. 6. AVALIAÇÃO Quadro regulamentar da avaliação do QCAIII De acordo com o Regulamento (CE) n.º 1260/1999 do Conselho, de 21 de Junho de 1999, que estabelece disposições gerais sobre os Fundos estruturais,

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2013/2014

PLANO ESTRATÉGICO 2013/2014 PLANO ESTRATÉGICO 2013/2014 Após a leitura dos pareceres elaborados pelos diferentes departamentos, procedeu-se ao levantamento de dados referentes a situações-problemas e foram delineadas estratégias

Leia mais

APOIO À AQUISIÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA PLANEAMENTO, MODELAÇÃO E GESTÃO DE REDES

APOIO À AQUISIÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA PLANEAMENTO, MODELAÇÃO E GESTÃO DE REDES APOIO À AQUISIÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA PLANEAMENTO, MODELAÇÃO E GESTÃO DE REDES 1º AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS Candidaturas a submeter até às 19:00 horas, do dia 31 de julho

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS RESUMO PARA OS CIDADÃOS

PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS RESUMO PARA OS CIDADÃOS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS 2014-2020 [RELATÓRIO DE EXECUÇÃO ANUAL DE 2017 DO PO SEUR] RESUMO PARA OS CIDADÃOS ÍNDICE 1. Objetivos Estratégicos, Eixos Prioritários

Leia mais

PROJETO TURMAIS. o comportamento na sala de aula e nos diferentes espaços escolares, e consequentemente o sucesso educativo dos alunos.

PROJETO TURMAIS. o comportamento na sala de aula e nos diferentes espaços escolares, e consequentemente o sucesso educativo dos alunos. PROJETO TURMAIS 1. Enquadramento O reforço das medidas de combate à indisciplina é, sem dúvida alguma, um dos aspetos que mais contribui para o sucesso escolar/social dos nossos educandos. Tendo em conta

Leia mais

Este documento é o ponto de partida do compromisso que assumo enquanto candidata do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal de Silves.

Este documento é o ponto de partida do compromisso que assumo enquanto candidata do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal de Silves. Este documento é o ponto de partida do compromisso que assumo enquanto candidata do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal de Silves. Fátima Matos Candidata à presidência da Câmara Municipal

Leia mais

ÍNDICE. Índice de quadros...i Índice de gráficos...ii Índice de figuras... III

ÍNDICE. Índice de quadros...i Índice de gráficos...ii Índice de figuras... III ÍNDICE Pág. de quadros...i de gráficos...ii de figuras... III 1. Introdução...1 1.1. Preâmbulo...1 1.2. Conceito e finalidade...3 1.3. Conteúdo da Carta Educativa...6 1.4. Intervenientes e metodologia

Leia mais

Promover políticas educativas que contribuam para a promoção do sucesso e para a prevenção do abandono escolar precoce.

Promover políticas educativas que contribuam para a promoção do sucesso e para a prevenção do abandono escolar precoce. Serviço: Direção Regional de Educação (DRE) Missão: promover, desenvolver e operacionalizar as políticas educativas da Região Autónoma da Madeira de âmbito pedagógico e didático, relativas à educação pré-escolar,

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O D E A C T I V I D A D E S M U N I C I P A L MUNICIPIO DE FAFE DO ANO 2015

E N T I D A D E P L A N O D E A C T I V I D A D E S M U N I C I P A L MUNICIPIO DE FAFE DO ANO 2015 PÁGINA : 1 OBJECTIVO DA DO DE SÁVEL ANO EM CURSO (FINANCIAMENTO) AN GUINTES TOTAL ECONÓMICA ACÇÃO AC AA FC INICIO FIM 1-OUT-2014 DE OUT-DEZ TOTAL DEFINIDO NÃO DEFIN 2016 2017 2018 OUTR 1. FUNÇÕES GERAIS

Leia mais

ATIVIDADES A DESENVOLVER PELA DIRECÇÃO EXECUTIVA 2016/2017

ATIVIDADES A DESENVOLVER PELA DIRECÇÃO EXECUTIVA 2016/2017 ATIVIDADES A DESENVOLVER PELA DIREÇÃO EXECUTIVA 2016/2017 CALENDARIZAÇÃO Julho/Agosto Setembro ATIVIDADE Organização dos dados para a atualização do estudo sobre (in)sucesso e abandono escolares; Conclusão

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições ISHST - Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Criado em 2004, pelo Decreto-lei n.º 171, de 17 de Julho, o Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho (ISHST), I. P., é o organismo

Leia mais

ÍNDICE. 0. Sumário Executivo. 1. Enquadramento e metodologia. 2. Coerência estratégica. 3. Análise setorial e auscultação pública

ÍNDICE. 0. Sumário Executivo. 1. Enquadramento e metodologia. 2. Coerência estratégica. 3. Análise setorial e auscultação pública ÍNDICE 0. Sumário Executivo 1. Enquadramento e metodologia 2. Coerência estratégica 3. Análise setorial e auscultação pública 4. Programa de investimentos 2030 5. Resultados esperados 6. Estratégia de

Leia mais

CONTRATOS INTERADMINISTRATIVOS

CONTRATOS INTERADMINISTRATIVOS CONTRATOS INTERADMINISTRATIVOS retificada pelas Declarações de Retificação n.º 46-B/2013, de 1 de nov. e 50-A/2013, de 1 nov. Rosa Patrão / DOMHT CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

FSPT Fundo para o Serviço Público de Transportes

FSPT Fundo para o Serviço Público de Transportes FSPT Fundo para o Serviço Público de Transportes 2º Aviso de abertura de candidaturas ESTUDOS DE CARACTERIZAÇÃO DA OFERTA E DA PROCURA PARA PLANEAMENTO DE REDES ooooooo Publicado em 29 de junho de 2018

Leia mais

PAISAGEM E O.T. - DO VOLUNTARISMO À AÇÃO ORIENTADA

PAISAGEM E O.T. - DO VOLUNTARISMO À AÇÃO ORIENTADA PAISAGEM E O.T. - DO VOLUNTARISMO À AÇÃO ORIENTADA BREVE HISTORIAL DO TRATAMENTO DA PAISAGEM NA REGIÃO DO NORTE (30 anos) José Cangueiro, Viana do Castelo, 26.11.2018 POR TEMÁTICA E NÍVEL HIERÁRQUICO INTERNACIONAL

Leia mais

SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO - ALENTEJO CENTRAL - Sessão de Divulgação SI2E CIMAC, 23 de Maio de 2017

SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO - ALENTEJO CENTRAL - Sessão de Divulgação SI2E CIMAC, 23 de Maio de 2017 SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO - ALENTEJO CENTRAL - Sessão de Divulgação SI2E CIMAC, 23 de Maio de 2017 CONTEXTO Estratégia de Desenvolvimento Territorial do Alentejo Central

Leia mais

SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego

SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego Portaria 105/2017, de 10 de março ORGANISMOS INTERMÉDIOS NO OESTE COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO OESTE Âmbito Territorial ORGANISMOS INTERMÉDIOS

Leia mais

Campanha Esterilização de Animais Abandonados

Campanha Esterilização de Animais Abandonados Campanha Esterilização de Animais Abandonados Quadro informativo sobre a oferta das Câmaras em matéria de esterilizações de animais domésticos ( Lei 27/2016) em construção Abrantes S Águeda Aguiar Da Beira

Leia mais

Plano de Atividades 2013

Plano de Atividades 2013 Plano de Atividades Ano de 2013 Plano de Atividades 2013 Introdução No prosseguimento da sua missão consultiva, instituída no quadro da Lei de Bases do Sistema Educativo de 1986, e tendo por referência

Leia mais

'EDUCAÇÃO' São Tomé e Príncipe DOCUMENTO INFORMATIVO

'EDUCAÇÃO' São Tomé e Príncipe DOCUMENTO INFORMATIVO 'EDUCAÇÃO' São Tomé e Príncipe DOCUMENTO INFORMATIVO 2009-2018 O Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF) colabora desde 2009 no reforço da qualidade do setor da Educação em São Tomé e Príncipe. Com financiamento

Leia mais

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

ERSE aprovou propostas sobre concessões de distribuição de eletricidade em baixa tensão previstas na Lei n.º 31/2017

ERSE aprovou propostas sobre concessões de distribuição de eletricidade em baixa tensão previstas na Lei n.º 31/2017 ERSE aprovou propostas sobre concessões de distribuição de eletricidade em baixa tensão previstas na Lei n.º 31/2017 1. O que são concessões de distribuição em baixa tensão? A atividade de distribuição

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL. Câmara Municipal do Cartaxo-Serviço de Educação e Juventude

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL. Câmara Municipal do Cartaxo-Serviço de Educação e Juventude PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL Câmara Municipal do Cartaxo-Serviço de Educação e Juventude O Serviço de Educação e Juventude da Câmara Municipal do Cartaxo Propõe: A toda a comunidade educativa assumir o compromisso

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

1 Introdução. 2 - Plano de Acção para A Metodologia Áreas de Intervenção Saúde, Equipamentos e Respostas Sociais.

1 Introdução. 2 - Plano de Acção para A Metodologia Áreas de Intervenção Saúde, Equipamentos e Respostas Sociais. Índice. 1 Introdução 2 3 2-4 2.1. - A Metodologia. 4 3 - Áreas de Intervenção. 4 3.1 Saúde, Equipamentos e Respostas Sociais. 4 3.2 - Educação e Formação. 10 3.3 - Habitação 14 3.4 - Transportes e Acessibilidades

Leia mais

Política de Coesão da União Europeia: Processos de negociação e programação

Política de Coesão da União Europeia: Processos de negociação e programação Política de Coesão da União Europeia: Processos de negociação e programação Duarte Rodrigues Vice presidente da Agência para o Desenvolvimento e Coesão ISCTE, 21 de abril de 2017 Tópicos: 1. A evolução

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 4 Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL Centro-VQA-2009-13-BM-13 1 Nos termos do Regulamento Específico Acções

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO E DAS AÇÕES DE MELHORIA

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO E DAS AÇÕES DE MELHORIA APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO E DAS AÇÕES DE MELHORIA Melhorar as organizações públicas através da autoavaliação 19 de janeiro de 2015 Powerpoint Templates APRESENTAÇÃO Powerpoint Templates

Leia mais

Ministério da. Básico Admini. Orça

Ministério da. Básico Admini. Orça Ministério da Educação P011 Ensino Básico e Secundário e Admini istração Escolar OE Orça amento porr Ações Dotações Iniciais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA EDUCAÇÃO, I.P. ORÇAMENTO

Leia mais

Seminário Internacional Caminhos para a qualidade da educação pública: Desenvolvimento Profissional de Gestores

Seminário Internacional Caminhos para a qualidade da educação pública: Desenvolvimento Profissional de Gestores Gestão de redes públicas: competências sistêmicas para alinhamento, corresponsabilização e participação JOSÉ VERDASCA Gestão de redes públicas: competências sistémicas para alinhamento, corresponsabilização

Leia mais

AVISO n.º POCH Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEF)

AVISO n.º POCH Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEF) AVISO n.º POCH - 66-2017-08 Concurso para apresentação de candidaturas Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEF) Revisto em 2017-07-28: ponto 17 e Anexo IV Programa Operacional Capital Humano Eixo

Leia mais

A ACÇÃO DO SISTEMA FISCAL SOBRE O ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

A ACÇÃO DO SISTEMA FISCAL SOBRE O ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO A ACÇÃO DO SISTEMA FISCAL SOBRE O ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO 1. A política de ordenamento do território assume uma inequívoca natureza intersectorial: - articula e compatibiliza as várias políticas sectoriais

Leia mais

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos Porto, 18 de junho de 2013 Susana Monteiro Núcleo de Estudos e Avaliação Estrutura 1. Diagnóstico 2. Planeamento 3. Monitorização

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Considerando que: - O Estado Português, mediante ratificação da Carta Social Europeia revista (1996), comprometeu-se em assegurar às crianças e jovens o exercício efetivo do direito

Leia mais

de Presidente do Conselho Intermunicipal, que intervém nestes ato em cumprimento da

de Presidente do Conselho Intermunicipal, que intervém nestes ato em cumprimento da CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Considerando que: a) A Lei n.º 52/ 2015, de 9 de junho, aprovou o Regime Jurídico do Serviço Público de Transporte de Passageiros ( abreviadamente

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO INSTITUCIONAL ENTRE PRIMEIRO:

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO INSTITUCIONAL ENTRE PRIMEIRO: 1 PROTOCOLO DE ENTRE PRIMEIRO: O Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, neste ato representado pela Secretária de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, Dr.ª Ana Rita Barosa O

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA SETEMBRO 2014 Enquadramento O presente documento surge na sequência do processo de Avaliação Externa realizada ao Agrupamento de Escolas Santos Simões

Leia mais

*** OE COIMBRA 30 JANEIRO 2013

*** OE COIMBRA 30 JANEIRO 2013 POLÍTICAS DE GESTÃO DE TRÁFEGO RODOVIÁRO EM MEIO URBANO *** ORGANIZAÇÃO E PAPEL DOS TRANSPORTES PÚBLICOS 1 ÍNDICE Enquadramento regulamentar do Transporte Público Autoridade Metropolitana de Transportes

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE UM REGIME PARA O FUNDO NACIONAL DE SOLIDARIEDADE E ASSISTÊNCIA NO ACTUAL CONTEXTO

REFLEXÕES SOBRE UM REGIME PARA O FUNDO NACIONAL DE SOLIDARIEDADE E ASSISTÊNCIA NO ACTUAL CONTEXTO REFLEXÕES SOBRE UM REGIME PARA O FUNDO NACIONAL DE SOLIDARIEDADE E ASSISTÊNCIA NO ACTUAL CONTEXTO DR. JOSÉ CHIVALA Director Geral Adjunto do INSS ENAD. 16 DE NOVEMBRO DE 2015 AS FUNÇÕES DO ESTADO E A PROTECÇÃO

Leia mais

I. Enquadramento da Atividade do Banco de Portugal

I. Enquadramento da Atividade do Banco de Portugal RELATÓRIO DE ATIVIDADE - 2014 Estrutura da Apresentação I. Enquadramento da Atividade do Banco de Portugal Missão e Valores Plano Estratégico 2014-2016 II. Atividade em 2014 Três destaques Estabilidade

Leia mais

Observatório da Responsabilidade Social e Instituições de Ensino Superior

Observatório da Responsabilidade Social e Instituições de Ensino Superior ORSIES Observatório da Responsabilidade Social e Instituições de Ensino Superior O ORSIES é uma rede colaborativa que pretende fomentar a responsabilidade social das Instituições de Ensino Superior e promover

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO TRABALHOS DA COMISSÃO A Subcomissão da Comissão Permanente de Economia reuniu no dia 20 de fevereiro de 2015, na Delegação da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na cidade de Ponta Delgada,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 327/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 327/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 327/XII Exposição de Motivos As associações humanitárias de bombeiros, através dos seus corpos de bombeiros, desempenham um importante papel no sistema nacional de proteção civil, contribuindo

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO. Administração Regional de Saúde do Norte, I.P.

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO. Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. Entre Douro e Vouga II Aveiro Norte Oliveira de Azeméis 4 Porto I St Tirso/ Trofa Trofa 1

Leia mais

Calendário Administrativo da Graduação Cursos Anuais Lagoa do Sino 2018 (após CoG de 11/06/2018)

Calendário Administrativo da Graduação Cursos Anuais Lagoa do Sino 2018 (após CoG de 11/06/2018) Os períodos letivos estão definidos da seguinte forma: Início Término Período Letivo de 2018 5/03/2018 22/12/2018 Recesso 21/07/2018 7/08/2018 1º Semestre de 2018* 5/03/2018 14/07/2018 2º Semestre de 2018*

Leia mais

Tomada de posição 2016/09/23

Tomada de posição 2016/09/23 «Municipalização» da Educação Não! Pela Revogação do D.L. 30/2015 que estabelece o regime jurídico de transferência de competências para os Municípios O D.L 30/2015 que estabelece o Regime Jurídico da

Leia mais

Plano de Melhoria. Avaliação Externa IGEC. 13 a 16 de abril 2015

Plano de Melhoria. Avaliação Externa IGEC. 13 a 16 de abril 2015 Plano de Melhoria Avaliação Externa IGEC 13 a 16 de abril 2015 Agosto de 2015 1 ÍNDICE Introdução 3 Metodologia usada 3 Pontos fortes e áreas de melhoria. 3 Plano de melhoria 6 Nota relativa a crédito

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA E O MINISTÉRIO FEDERAL DE TRABALHO E DE ASSUNTOS SOCIAIS DA REPÚBLICA FEDERAL DA ALEMANHA Considerando a necessidade

Leia mais