TRENS DE ALTA VELOCIDADE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRENS DE ALTA VELOCIDADE"

Transcrição

1 TRENS DE ALTA VELOCIDADE

2 LINHA RIO SÃO PAULO OS PROJETOS AVALIADOS TRANSCORR RSC, desenvolvido sob a coordenação do GEIPOT (empresa vinculada ao MT, atualmente em processo de liquidação), com recursos do KfW Kreditanstalt für Wiederaufbau, cujos estudos iniciaram em 1997 e terminaram em ITALPLAN, desenvolvido pela empresa ITALPLAN ENGINEERING, ENVIRONMENT & TRANSPORTS S.R.L., com tecnologia italiana e apresentado ao GT em setembro de SIEMENS / ODEBRECHT / INTERGLOBAL, desenvolvido por este consórcio, com tecnologia alemã e apresentado ao GT em outubro de 2004.

3 PROJETO TRANSCOR - RSC Velocidade máxima de 330 km/h; linhas exclusivas, vedadas e com proteção contra ruídos; integrado a Metrôs, Terminais de Ônibus e de Ferrovias e Aeroportos; traçado em duas vias, em bitola de 1,60 m, com extensão total de 525 km; 11 estações e 8 carros por trem; operação em três regimes: Inter-regional (Pinheiros Tietê Barão de Mauá, com duração de 2:25 h) Regional (Campinas Tietê São José dos Campos, com duração de 1:05 h) Especial (Barão de Mauá Galeão, com duração de 8 minutos).

4 PROJETO TRANSCOR - RSC DEMANDAS No ano de 2005, com o início da operação do regime interregional (Pinheiros Tietê Barão de Mauá), foi alocada uma demanda da ordem de 20,1 milhões de passageiros. No ano de 2012, com a completa implantação do Projeto e o funcionamento dos três regimes de operação, foi estimada uma demanda de 41,7 milhões de passageiros. No ano de 2022, com o Sistema funcionamento a plena operação, foi estimada uma demanda de 60,6 milhões de passageiros.

5 PROJETO TRANSCOR - RSC CUSTOS O valor do Investimento (em moeda referente a 1997: taxa média de câmbio R$ 1,075 / US$) para implantação do projeto foi estimado em US$ milhões, composto de seguinte forma (em US$ milhões):. Terrenos / Desapropriação (2,6%). Via Permanente (72,0%). Material Rodante (11,0%). Estações / Sistemas (11,0%). Equipamentos de Manutenção (3,4%) TOTAL (100%)

6 PROJETO TRANSCOR - RSC TARIFA Estabelecido um valor de US$ 81 por passageiro, por viagem, com base em um modelo tarifário desenvolvido em função dos custos internos, da distância a ser percorrida e das despesas de acesso a aeroportos, estacionamentos e metrôs. PRAZOS Considerado um prazo para construção de 7 (sete) anos e um prazo para operação de 25 (vinte e cinco) anos, perfazendo um prazo total de concessão de 32 (trinta e dois) anos de concessão. Com base nestas premissas, os Resultados Financeiros da avaliação projetaram para a viabilidade do projeto concebido pelo consórcio TRANSCORR RSC uma Taxa Interna de Retorno da ordem de 7%aa.

7 PROJETO ITALPLAN 412 km de linhas, sem paradas; velocidade comercial de 280 km/h; tempo de viagem de 88 minutos, da Estação da Luz (SP) até a Estação D. Pedro; II - Central do Brasil (RJ); freqüência de trens a cada 15 minutos; 855 passageiros em cada trem; número de trilhos na linha: 4 (quatro); bitola de mm; raio mínimo de m; rampa máxima de 1,7%.

8 PROJETO ITALPLAN DEMANDAS Com base nestes modelos, a ITALPLAN projetou uma Demanda Potencial a ser captada pelo TAV em seu primeiro ano de operação (2011) um número de 32,6 milhões de passageiros ou o equivalente a cerca de passageiros por dia. Em termos de projeção, adotou a hipótese de crescimento de 6% ao ano nos 10 primeiros anos de operação e de 1% ao ano nos anos seguintes. Observa-se que este número projetado de demanda (32,6 milhões de passageiros) está no mesmo patamar daquele estabelecido no projeto TRANSCORR, o que lhe confere maior representatividade e confiabilidade.

9 PROJETO ITALPLAN CUSTOS O valor do Investimento (em moeda referente a 2004: taxa média de câmbio R$ 3,00 / US$) para implantação do Projeto é de US$ 9,0 bilhões, sendo US$ 8,5 bilhões em infra-estrutura e material rodante e US$ 0,5 bilhão em contingências. Sua composição é a seguinte (em US$ milhões):. Desapropriações (3,3%). Via Permanente (75,7%). Material Rodante (6,4%). Estações (4,4%). Sistemas (2,4%). Equipamentos de Manutenção (2,2%). Contingências (5,6%) TOTAL (100%)

10 PROJETO ITALPLAN TARIFA Adotado um valor base de US$ 39,0 por passageiro, por viagem, em função da estrutura de custos e despesas projetadas para o Projeto. PRAZOS Considerado um prazo de construção de 7 (sete) anos e um prazo de operação de 35 (trinta e cinco) anos, perfazendo um prazo total de concessão de 42 (quarenta e dois) anos. TAXAS Resultados Financeiros alcançados foram os seguintes:. Taxa Interna de Retorno (TIR): 15,4% ao ano;. Retorno sobre o Capital (ROE): 22,5% ao ano.

11 PROJETO TAV SIEMENS As concepções técnica e econômica deste Projeto foram desenvolvidas pelo consórcio das empresas INTERGLOBAL / SIEMENS / ODEBRECHT como alternativa à implantação de um trem de alta velocidade entre Rio de Janeiro e São Paulo. Os Dados Técnicos que nortearam esta concepção são os apresentados a seguir: Distância RJ SP 452 km; Bitola mm; Terminais SP (Pinheiros / Tietê / Guarulhos) RJ (Galeão / Barão de Mauá / D. Pedro II); Tempo de Percurso 114 min; Velocidade Máxima 330 km/h; Raio Mínimo m; Rampa Máxima 4%;

12 PROJETO TAV SIEMENS DEMANDAS Os valores projetados de Demanda de Passageiros basearam-se em estudos desenvolvidos internamente pelo consórcio, sendo que os números projetados para efeitos de avaliação da factibilidade do projeto, foram os seguintes (em mil passageiros / ano):. Ano 2012 (início da operação) Ano Ano 2022 em diante Observa-se que a taxa de crescimento média da Demanda projetada para o período é de 1,5% ao ano e os valores são bastante inferiores aos do projeto de referência TRANSCORR RSC.

13 PROJETO TAV SIEMENS CUSTOS Os Investimentos estimados para a implantação do Projeto TAV SIEMENS atingiram US$ 6,3 bilhões, em moeda de outubro de 2004 (taxa de câmbio: R$ 3,00 / US$). A composição deste valor é a seguinte (em US$ milhões): Via Permanente (80,1%) Material Rodante (8,8%) Estações / Sistemas ( 9,3%) Equipamentos Manutenção (1,8%) TOTAL (100%)

14 PROJETO TAV SIEMENS TARIFA Adotado um valor de US$ 77,0 por passageiro, por viagem (em 2012), equivalente a 80% da média das tarifas praticadas na Ponte Aérea RJ-SP, em setembro de PRAZOS Considerado um prazo de construção de 6 (seis) anos e um período de operação de 30 (trinta) anos. TAXAS Com base nestas premissas, os Resultados Financeiros alcançados pela avaliação indicam uma Taxa Interna de Retorno (TIR) de 3% ao ano, se considerarmos que todo o investimento na implantação do Projeto fosse realizado pelo Setor Privado.

15 CUSTOS COMPARATIVOS PROJETO (em US$ milhões) INVESTIMENTO TRANSCOR ITALPLAN SIEMENS Terrenos / Desapropriações Via Permanente Material Rodante Estações e Sistemas Equipamentos e Manutenção Contingências 509 Totais

16 AVALIAÇÃO FINAL - LINHA RIO - SÃO PAULO TRANSCORR Responsabilidade do Setor Público em investimentos na infraestrutura necessário para dar atratividade ao projeto devido a Taxa Interna de Retorno ser da ordem de 7%aa.. TAV ITALPLAN Responsabilidade integral do Setor Privado pelos investimentos requeridos ( US$ 9,0 bilhões ) e apoio institucional do Governo à implantação do projeto. TAV SIEMENS Responsabilidade do Setor Privado em investir 20% ( US$ 1,3 bilhão ) e o Setor Público aplicar, a fundo perdido, os 80% restantes (US$ 5,0 bilhões) para implantar o projeto.

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS 18ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Painel 7 - Trens Regionais e de Longo Percurso com Média e Alta Velocidade PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS HÉLIO MAURO FRANÇA Superintendente Executivo

Leia mais

O Corredor Campinas São Paulo Rio

O Corredor Campinas São Paulo Rio O Corredor Campinas São Paulo Rio PIB do Corredor: 40% PIB do Brasil RM Rio de Janeiro 11 milhões habitantes 12,3% PIB do Brasil RM Campinas 2,6 milhões habitantes 4,15% PIB do Brasil RM São Paulo 19 milhões

Leia mais

Trem de Passageiros Goiânia-Brasília Oportunidade de Projeto de Infraestrutura. Parceria Público Privada Outubro de 2017

Trem de Passageiros Goiânia-Brasília Oportunidade de Projeto de Infraestrutura. Parceria Público Privada Outubro de 2017 Trem de Passageiros Goiânia-Brasília Oportunidade de Projeto de Infraestrutura Parceria Público Privada Outubro de 2017 Objetivos do Projeto Poder Público Desenvolvimento Regional Consolidar a sinergia

Leia mais

TRENS DE PASSAGEIROS

TRENS DE PASSAGEIROS Secretaria de Política Nacional de TRENS DE PASSAGEIROS Departamento de Relações Institucionais - DERIN 18 de dezembro de 2007 Ministério dos INÍCIO www.transportes.gov.br FIM PLANO DE REVITALIZAÇÃO DAS

Leia mais

Licitação prevê transferência de tecnologia para o consórcio vencedor

Licitação prevê transferência de tecnologia para o consórcio vencedor TRANSPORTES Obras do TAV podem começar no segundo semestre Revista "O Empreiteiro" - EDIÇÃO : 485 - ABRIL 2010 Licitação prevê transferência de tecnologia para o consórcio vencedor O governo brasileiro

Leia mais

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO A COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ A Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô foi constituída no dia 24 de abril de 1968; Hoje, o Metrô de São Paulo possui

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

INTEGRADO METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

INTEGRADO METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA VLT DA BAIXADA SANTISTA Ministério das Cidades SETEMBRO DE 2013 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL EMTU EMTU ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLIPANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras Metrô Leve de Goiânia Projeto Modelo para Cidades Brasileiras 1 Projeto modelo para cidades médias 1. Estrutura Institucional Pacto Metropolitano instituindo órgão gestor do transporte coletivo na região

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária OBRAS DA LINHA 2 DO SISTEMA METROVIÁRIO SALVADOR E LAURO DE FREITAS Planejamento, concepção e impactos na capital baiana e na Região Metropolitana de Salvador Luís Valença Diretor-presidente da CCR Metrô

Leia mais

Ligações Ferroviárias Regionais na Macrometrópole Paulista Estudos de Rede e Demanda

Ligações Ferroviárias Regionais na Macrometrópole Paulista Estudos de Rede e Demanda Ligações Ferroviárias Regionais na Macrometrópole Paulista Estudos de Rede e Demanda Companhia Paulista de Trens Metropolitanos Diretoria de Planejamento e Projetos Gerência de Planejamento de Transporte

Leia mais

1

1 www.supervia.com.br 1 Trens Urbanos no Rio de Janeiro Histórico Antes da concessão, sob condições de transporte inadequadas, o número de passageiros caiu consistentemente Média de passageiros dias úteis

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM REDE DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS NA MACROMETRÓPOLE

Leia mais

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 AGENDA ESTRATÉGIA PERSPECTIVAS ECONÔMICAS MATRIZ DE RESPONSABILIDADES MONOTRILHO CONSIDERAÇÕES FINAIS ESTRATÉGIA Concepção Planejamento Execução

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL. Rio de Janeiro - São Paulo - Campinas 19/10/2009

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL. Rio de Janeiro - São Paulo - Campinas 19/10/2009 PROJETO TAV BRASIL Rio de Janeiro - São Paulo - Campinas 19/10/2009 TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Ferrovia de Alta Velocidade Linhas e sistemas projetados, construídos e implantados para operação de trens

Leia mais

Soluções Siemens para TAV Rio São Paulo Velaro e Transrapid

Soluções Siemens para TAV Rio São Paulo Velaro e Transrapid Soluções Siemens para TAV Rio São Paulo Velaro e Transrapid Nelson Branco Marchetti Transportation Systems Brasil Page 1 Junho 07 TS Brasil Soluções Siemens para TAV Velaro Plataforma Siemens para Trens

Leia mais

SOLUÇÕES ALSTOM PARA LIGAÇÕES REGIONAIS SOBRE TRILHOS

SOLUÇÕES ALSTOM PARA LIGAÇÕES REGIONAIS SOBRE TRILHOS SOLUÇÕES ALSTOM PARA LIGAÇÕES REGIONAIS SOBRE TRILHOS AEAMESP Setembro 2012 Wagner Ribeiro TRANSPORT SUMÁRIO TÓPICO 1 INTRODUÇÃO TÓPICO 2 CONCEITO DE TREM REGIONAL TÓPICO 3 TREM REGIONAL DE MÉDIA VELOCIDADE

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS VLT x Metro / Trem / Monotrilho ANTP DE JUNHO DE 2015

NOVAS TECNOLOGIAS VLT x Metro / Trem / Monotrilho ANTP DE JUNHO DE 2015 NOVAS TECNOLOGIAS VLT x Metro / Trem / Monotrilho ANTP 2015 25 DE JUNHO DE 2015 Para onde vamos? Urbanização em crescimento Estima-se que haverá 9 bilhões de habitantes até 2050, 70% vivendo nas cidades

Leia mais

Plano Diretor para a linha RER B - Paris

Plano Diretor para a linha RER B - Paris Plano Diretor para a linha RER B - Paris 1 A B C A EGIS A Linha RER B O Plano Diretor 2 A EGIS 3 A Egis A Egis é um grupo mundial de empresas de consultoria e engenharia de projetos nas áreas de Infraestruturas

Leia mais

- Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP Linha 5 e Santiago Linha 4 (gabarito médio) - CMSP e CMRJ - Carros Novos (gabarito largo)

- Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP Linha 5 e Santiago Linha 4 (gabarito médio) - CMSP e CMRJ - Carros Novos (gabarito largo) CUSTOS COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE TRANSPORTE Nestor S. Tupinambá set/2004 1 COMPARAÇÃO DOS DIFERENTES MODOS Vamos usar dados dos seguintes Metrôs - Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP

Leia mais

PROJETO TAV. Rio SP Campinas. Paulo Benites 18.abr.2011

PROJETO TAV. Rio SP Campinas. Paulo Benites 18.abr.2011 PROJETO TAV Rio SP Campinas Paulo Benites 18.abr.2011 Tecnologia TAV não é apenas um TREM Trem de Alta Velocidade requer um Sistema Completo A Integração de Sistemas é crítica: Material Rodante, Infraestrutura,

Leia mais

LINHA ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. Paulo de Magalhães Bento Gonçalves Diretor Presidente

LINHA ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. Paulo de Magalhães Bento Gonçalves Diretor Presidente LINHA 13 Paulo de Magalhães Bento Gonçalves Diretor Presidente PAINEL 03 Crescimento e melhoria da rede metroferroviária no Brasil 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária 2 Visão Geral 2,9 milhões pass./dia

Leia mais

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado 8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP Roberto Zurli Machado Maio, 2013 Agenda Ações do Governo Federal - Logística Atuação do BNDES Ações do Governo Federal Logística Logística e Transportes Posicionamento

Leia mais

Valores. Segurança Inegociável Simpatia e Respeito ao Cliente Foco no Resultado Aversão a Custo Integridade e Transparência Comprometimento

Valores. Segurança Inegociável Simpatia e Respeito ao Cliente Foco no Resultado Aversão a Custo Integridade e Transparência Comprometimento SuperVia Missão Oferecer serviços de transporte de passageiros na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, a preço compatível, com segurança, rapidez, confiabilidade e simpatia. Visão (2007 / 2009) Ser

Leia mais

EMPREENDIMENTO DO VLT

EMPREENDIMENTO DO VLT SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS Comitê técnico II - Desenvolvimento Socioeconômico,

Leia mais

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Jun/2012 Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento e Projetos Jundiaí Várzea Paulista Campo Limpo Paulista Francisco Morato Franco da Rocha Caieiras

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DE NOVAS FERROVIAS E O USO DE TRENS DE CAIXA MÓVEL. 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DE NOVAS FERROVIAS E O USO DE TRENS DE CAIXA MÓVEL. 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DE NOVAS FERROVIAS E O USO DE TRENS DE CAIXA MÓVEL Felipe Rabay Lucas Felipe Issa Kabbach Junior 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DE NOVAS FERROVIAS

Leia mais

Linha: Campinas (SP) - Juiz de Fora (MG)

Linha: Campinas (SP) - Juiz de Fora (MG) Linha: Campinas (SP) - Juiz de Fora (MG) 1. Objeto Este projeto refere-se ao transporte rodoviário interestadual de passageiros, na ligação Campinas (SP) - Juiz de Fora (MG). A ligação, representada na

Leia mais

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO METRÔ LINHA 4 BARRA DA TIJUCA-IPANEMA A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro é a maior obra de infraestrutura urbana em execução na América Latina. METRÔ

Leia mais

História Ferroviária

História Ferroviária História Ferroviária A Estrada de Ferro em SC E. F. Tereza Cristina Felisberto Caldeira Brant Pontes consegue em 1874 a concessão para a construção da ferrovia. A Estrada de Ferro The Donna Thereza Christina

Leia mais

ALTERNATIVA PARA COMPARTILHAMENTO DE FAIXA DE DOMÍNIO NO PROJETO DA FERROVIA EF-118 RIO- VITÓRIA

ALTERNATIVA PARA COMPARTILHAMENTO DE FAIXA DE DOMÍNIO NO PROJETO DA FERROVIA EF-118 RIO- VITÓRIA ALTERNATIVA PARA COMPARTILHAMENTO DE FAIXA DE DOMÍNIO NO PROJETO DA FERROVIA EF-118 RIO- VITÓRIA Pedro Paulo Souza Especialista em Transporte SuperVia/RJ CONTEXTO Inclusão da Ferrovia Rio-Vitória (EF-118)

Leia mais

TAV BRASIL (RIO DE JANEIRO SÃO PAULO CAMPINAS)

TAV BRASIL (RIO DE JANEIRO SÃO PAULO CAMPINAS) TAV BRASIL (RIO DE JANEIRO SÃO PAULO CAMPINAS) 11 Ligação Rio São Paulo - Antecedentes No final da década de 90 o Governo Brasileiro com a cooperação do Governo Alemão realizou estudo de alternativas para

Leia mais

ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU

ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU Eng. Thiago Teixeira de Castro Piovan Prof. Dr. Gustavo Garcia Manzato 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AUTORES

Leia mais

METRÔS AMÉRICA LATINA

METRÔS AMÉRICA LATINA OUTUBRO 2016 METRÔS AMÉRICA LATINA PERSPECTIVAS E TENDÊNCIAS INTRODUÇÃO Figura 1: Capacidade dos metrôs da América Latina (passageiro/hora pico/ sentido) O sistema de trilhos na América Latina conta com

Leia mais

Oferta de Transportes: Ciclo Veicular, Dimensionamento de Frotas

Oferta de Transportes: Ciclo Veicular, Dimensionamento de Frotas Oferta de Transportes: Ciclo Veicular, Dimensionamento de Frotas Prof. Dr. Claudio Barbieri da Cunha Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Transportes Oferta de

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO setembro 2014 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Documentos de referência referências Plano Municipal de Circulação Viária e de Transporte - 2003 Consolidou

Leia mais

NEGÓCIOS NOS TRILHOS. Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo JURANDI R FERNANDES

NEGÓCIOS NOS TRILHOS. Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo JURANDI R FERNANDES Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo NEGÓCIOS NOS TRILHOS JURANDI R FERNANDES Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos Estratégia de financiamento

Leia mais

Trens Regionais e Turísticos. João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Trens Regionais e Turísticos. João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos Trens Regionais e Turísticos João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos O início Decreto nº 55.564, de 15 de março de 2010 amplia as atribuições da STM e permite que atue no transporte

Leia mais

Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Financeira, Social e Ambiental

Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Financeira, Social e Ambiental Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Financeira, Social e Ambiental SISTEMAS DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS DE INTERESSE REGIONAL Trecho: Caxias do Sul (RS) Bento Gonçalves (RS) Apoio: PROGRAMA

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Encontro Econômico Brasil - Alemanha 2009 Cooperação para o Crescimento e Emprego Idéias e Resultados TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Secretaria de Política Nacional de Transportes / MT - Engº Marcelo Perrupato

Leia mais

SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO

SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO 1 SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO Força trabalho 3.835 profissionais Frota atual Operacional: 163 Abrangência 12 Municípios Operação Pontualidade: > 92% Com ar condicionado: 59 270

Leia mais

Conferência sobre Investimentos Públicos no Brasil: desafios e oportunidades para a melhoria do gasto público

Conferência sobre Investimentos Públicos no Brasil: desafios e oportunidades para a melhoria do gasto público Conferência sobre Investimentos Públicos no Brasil: desafios e oportunidades para a melhoria do gasto público Marcos Mendes Consultor Legislativo do Senado mendes@senado.gov.br Editor do site www.brasil-economia-governo.org.br

Leia mais

SPPO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS

SPPO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS SPPO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS SPPO Sistema de Transporte Publico por Ônibus, licitado em 2010, compreende a operação do sistema de ônibus em quatro áreas da cidade, sendo cada área operada

Leia mais

Objetivos Fundamentais do Sistema de Transporte Público de Passageiros

Objetivos Fundamentais do Sistema de Transporte Público de Passageiros Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos METROFOR TREM DO CARIRI SOLUÇÃO PARA O TRANSPORTE REGIONAL Objetivos Fundamentais do Sistema de Transporte Público de Passageiros Transporte público como

Leia mais

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/ ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/ ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015 Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/2014 21ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015 AS PERGUNTAS Qual é o DÉFICIT de Infraestrutura de Mobilidade Urbana do BRASIL?

Leia mais

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos SOLUÇÕES PARA A MOBILIDADE URBANA NO BRASIL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos 17 de setembro/2015 Estrutura

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins 1

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins 1 ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins 1 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do Contrato

Leia mais

O TREM DE ALTA VELOCIDADE E A CIDADE DE SÃO PAULO

O TREM DE ALTA VELOCIDADE E A CIDADE DE SÃO PAULO O TREM DE ALTA VELOCIDADE E A CIDADE DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO SMT NOVEMBRO / 2010 RT DT/SPT 085/10 Laurindo Junqueira 11 3396.7820 laurindojunqueira@sptrans.com.br TREM DE ALTA VELOCIDADE 41 CIDADES ATENDIDAS

Leia mais

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Bernardo Figueiredo Julho/2013 TRENS DE ALTA VELOCIDADE Segurança: Trem de Alta Velocidade é mais seguro. AVIÃO Número de mortes por bilhão de passageiro/km RODOVIA

Leia mais

Operações ferroviárias tipo push-pull aplicadas a serviços de trens metropolitanos no Brasil. 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

Operações ferroviárias tipo push-pull aplicadas a serviços de trens metropolitanos no Brasil. 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Operações ferroviárias tipo push-pull aplicadas a serviços de trens metropolitanos no Brasil 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Os trens convencionais Locomotiva rebocando um conjunto de vagões

Leia mais

Portfólio da Odebrecht TransPort

Portfólio da Odebrecht TransPort Iniciativas para investimentos em Mobilidade Urbana Seminário FIESP de Logística Rodrigo Carnaúba 6 de maio de 2013 Portfólio da Odebrecht TransPort RODOVIAS 100% OTP 75% OTP 50% OTP 50% OTP 8,5% OTP 33,3%

Leia mais

PROJETOS VLT METROFOR COMPANHIA CEARENSE DE TRANSPORTES METROPOLITANOS. Projetos baseados em veículo leve sobre trilhos em operação e implantação

PROJETOS VLT METROFOR COMPANHIA CEARENSE DE TRANSPORTES METROPOLITANOS. Projetos baseados em veículo leve sobre trilhos em operação e implantação COMPANHIA CEARENSE DE TRANSPORTES METROPOLITANOS METROFOR Projetos baseados em veículo leve sobre trilhos em operação e implantação PROJETOS VLT VLT s em Implantação pelo METROFOR METRÔ DO CARIRI.: operação

Leia mais

IMPACTOS DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

IMPACTOS DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Transportes Laboratório de Tecnologia de Pavimentação IMPACTOS DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Profa. Dra. ROSÂNGELA MOTTA Março,

Leia mais

1 Rede estrutural proposta pelo Plamus, e característica dos sistemas analisados; 2 Resultado da avaliação Socioeconômica das alternativas;

1 Rede estrutural proposta pelo Plamus, e característica dos sistemas analisados; 2 Resultado da avaliação Socioeconômica das alternativas; Conteúdo 1 Rede estrutural proposta pelo Plamus, e característica dos sistemas analisados; 2 Resultado da avaliação Socioeconômica das alternativas; 3 Resultados da avaliação multicriterial das alternativas;

Leia mais

ANEXO SUGESTÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MOBILIDADE TRANSPORTE COLETIVO 1 / 19

ANEXO SUGESTÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MOBILIDADE TRANSPORTE COLETIVO 1 / 19 ANEXO SUGESTÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MOBILIDADE TRANSPORTE COLETIVO 1 / 19 INDICADORES COMUNS TRANSPORTE COLETIVO CONVENIÊNCIA / CONFIABILIDADE ACESSIBILIDADE INFORMAÇÃO

Leia mais

Infraestrutura ferroviária «Inteligência Estratégica

Infraestrutura ferroviária «Inteligência Estratégica Page 1 of 5 HOME INFRAESTRUTURA CENTRAL DE NOTÍCIAS Todo o portal OK BUSCA NO BLOG OK PERFIL Jorge Hori Homem de opinião, consultor de várias empresas e entidades empresariais. CATEGORIAS Economia da Copa

Leia mais

PCM Programa de Corredores Metropolitanos

PCM Programa de Corredores Metropolitanos PCM Programa de Corredores Metropolitanos 18ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AEAMESP Ivan Carlos Regina Set/2012 Redes PCM de alta PROGRAMA e média capacidade DE CORREDORES METROPOLITANOS EMTU-PCM

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS http://www.stm.sp.gov.br PRIORIDADE NA REDE PITU 2015 REDE CONSOLIDADA (12 Empreendimentos) PATRIM OPER. INTERVENÇÃO Trem

Leia mais

Aplicações em sistemas de transporte

Aplicações em sistemas de transporte LEVITAÇÃO MAGNÉTICA: Aplicações em sistemas de transporte 1. Introdução (técnicas de levitação) 2. Levitação Eletromagnética (EML) 3. Levitação Eletrodinâmicas (EDL) 4. Levitação Supercondutora (SML) R.M.

Leia mais

Linha: Manaus (AM) Caracaraí (RR)

Linha: Manaus (AM) Caracaraí (RR) Linha: Manaus (AM) Caracaraí (RR) 1. Objeto Este projeto refere-se ao transporte rodoviário interestadual de passageiros, na ligação Manaus (AM) Caracaraí (RR), com uma extensão de 642,20 km. A ligação

Leia mais

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE Inicialmente, o que é BRT? O BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema de transporte coletivo de passageiros

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária ALAVANCAGEM DE BENEFÍCIOS SOCIOECONÔMICOS PELA ASSOCIAÇÃO COM PROJETOS DE INTERESSE PRIVADO EM PPPS A MODELAGEM UTILIZADA NO PROJETO DO TREM BRASÍLIA GOIÂNIA Darel Loguercio da Silva Gabriel Mormilho Julia

Leia mais

Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro

Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro JOÃO GOUVEIA Diretor Executivo da ANPTrilhos Palestra na Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro - SEAERJ 14 de Março de 2017 2

Leia mais

O TREM DE ALTA VELOCIDADE E A CIDADE DE SÃO PAULO

O TREM DE ALTA VELOCIDADE E A CIDADE DE SÃO PAULO O TREM DE ALTA VELOCIDADE E A CIDADE DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO SMT NOVEMBRO / 2010 RT DT/SPT 085/10 Laurindo Junqueira 11 3396.7820 laurindojunqueira@sptrans.com.br TREM DE ALTA VELOCIDADE 41 CIDADES ATENDIDAS

Leia mais

RUMO. Planos, Projetos, Investimentos e Prorrogação das Concessões SIMEFRE

RUMO. Planos, Projetos, Investimentos e Prorrogação das Concessões SIMEFRE RUMO Planos, Projetos, Investimentos e Prorrogação das Concessões SIMEFRE - 2018 / AGENDA 1 2 3 4 5 A RUMO A MALHA PAULISTA INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS BENEFÍCIOS DA PRORROGAÇÃO ANTECIPADA DEMAIS PROJETOS

Leia mais

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Estado de São Paulo ANTP Rio de Janeiro, 12/03/2014 Rede metropolitana em andamento

Leia mais

TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO

TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2 Municípios Habitantes PIB (Regional) Comércio e Serviços 39 18,6 milhões 10,5% população Brasileira R$ 244 Bilhões 15,7% PIB Brasileiro

Leia mais

SECRETARIA DE TRANSPORTES

SECRETARIA DE TRANSPORTES SECRETARIA DE TRANSPORTES Major Events Grandes Eventos 2013 Copa das Confederações 2013 Jornada Mundial da Juventude Católica 2014 Copa do Mundo de Futebol 2016 Jogos Olímpicos Soluções de Mobilidade para

Leia mais

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial do índice médio de atendimento

Leia mais

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Seleção de solução de mobilidade urbana Oportunidade

Leia mais

PANORAMA BRASIL E CONCESSÕES AEROPORTUÁRIAS. Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

PANORAMA BRASIL E CONCESSÕES AEROPORTUÁRIAS. Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil PANORAMA BRASIL E CONCESSÕES AEROPORTUÁRIAS Aviação Civil no Brasil Estrutura Institucional Ministério dos Transportes Portos e Aviação Civil Formulação de Políticas Públicas; Planejamento e Diretrizes

Leia mais

SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA

SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO Maior taxa de urbanização do Brasil (99,3%) Maior índice de concentração populacional do Brasil (1.909,75

Leia mais

SÃO PAULO TRANSPORTE S.A.

SÃO PAULO TRANSPORTE S.A. SÃO PAULO TRANSPORTE S.A. Transporte Público: Origens, Evolução e Benefícios Sociais do Bilhete Único 05/04/2005 Antecedentes Bilhetagem Automática 1974: Metrô de São Paulo bilhete magnético Edmonson Seguem-se:

Leia mais

Estrada de Rodagem Introdução

Estrada de Rodagem Introdução Estrada de Rodagem Introdução Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 2 Provas (individual) - Datas a serem marcadas conforme andamento da matéria 1 Trabalho

Leia mais

MSC. CRISTINA BADDINI

MSC. CRISTINA BADDINI MSC. CRISTINA BADDINI Matriz e infraestrutura da mobilidade urbana São Paulo, 13 de abril de 2018 MSC. CRISTINA BADDINI LUCAS O que é uma CIDADE HUMANA EQUIDADE na apropriação do sistema viário; ACESSIBILIDADE

Leia mais

SIM Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista maio/2014

SIM Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista maio/2014 SIM Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista maio/2014 1 Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS 9 Municípios População fixa: 1,8 milhão de habitantes 1 População nas férias: cerca de

Leia mais

Diego Mateus da Silva Coordenador de Gestão da Demanda por Viagens, ITDP Brasil. Conceitos e Estratégias de Gestão da Demanda por Viagens (GDV)

Diego Mateus da Silva Coordenador de Gestão da Demanda por Viagens, ITDP Brasil. Conceitos e Estratégias de Gestão da Demanda por Viagens (GDV) Diego Mateus da Silva Coordenador de Gestão da Demanda por Viagens, ITDP Brasil Conceitos e Estratégias de Gestão da Demanda por Viagens (GDV) Objetivo da sessão e roteiro Objetivo da sessão Apresentar

Leia mais

Linha: Andrelândia (MG) - São Paulo (SP)

Linha: Andrelândia (MG) - São Paulo (SP) Linha: Andrelândia (MG) - São Paulo (SP) 1. Objeto Este projeto refere-se ao transporte rodoviário interestadual de passageiros, na ligação Andrelândia (MG) - São Paulo (SP). A ligação, representada na

Leia mais

Projetos Prioritários em Execução. Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Projetos Prioritários em Execução. Secretaria dos Transportes Metropolitanos Projetos Prioritários em Execução Secretaria dos Transportes Metropolitanos Regiões Metropolitanas do Estado de São Paulo 133 municípios 40.174,05 km 2 29,16 milhões de habitantes PIB de R$ 1.069 bilhões

Leia mais

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80%

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80% MALHA DE METRÔS E TRENS PRECISA CRESCER 80% O Brasil precisa ampliar em pelo menos 850 km a malha de metrôs e trens de passageiros para modernizar o transporte urbano nas grandes cidades. Isso significa

Leia mais

Panorama das Ferrovias Brasileiras

Panorama das Ferrovias Brasileiras Panorama das Ferrovias Brasileiras Fernanda Rezende Coordenadora de Desenvolvimento do Transporte - CNT 17/10/2017 O Processo de Concessão das Ferrovias Evolução dos investimentos das concessionárias ferroviárias

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS FIESP CIESP Ricardo Cunha da Costa Assessor da Área de Infraestrutura BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social 24 de Abril de 2009 1 Missão e Visão

Leia mais

Trens Intercidades Americana Campinas Jundiaí São Paulo. Parcerias e Concessões no Governo do Estado de São Paulo

Trens Intercidades Americana Campinas Jundiaí São Paulo. Parcerias e Concessões no Governo do Estado de São Paulo Trens Intercidades Americana Campinas Jundiaí São Paulo Parcerias e Concessões no Governo do Estado de São Paulo TIC Contexto Macrometrópole Paulista Atendimento da Macrometrópole Paulista: 174 municípios

Leia mais

Volume 4 Estudos de Viabilidade Econômico-financeira Tomo Único. Relatório Final. BR-101/ES/BA: Entr. BA698 (Acesso a Mucuri) Divisa ES/RJ

Volume 4 Estudos de Viabilidade Econômico-financeira Tomo Único. Relatório Final. BR-101/ES/BA: Entr. BA698 (Acesso a Mucuri) Divisa ES/RJ Volume 4 Estudos de Viabilidade Econômico-financeira Tomo Único Relatório Final BR-101/ES/BA: Entr. BA698 (Acesso a Mucuri) Divisa ES/RJ Sumário Índice de tabelas... 3 4. ESTUDOS DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA...

Leia mais

Linha 13 Jade PROGRAMA 1. INTRODUÇÃO - LINHA CARACTERÍSTICAS DA LINHA APRESENTAÇÃO DOS 4 LOTES DO EMPREENDIMENTO 4.

Linha 13 Jade PROGRAMA 1. INTRODUÇÃO - LINHA CARACTERÍSTICAS DA LINHA APRESENTAÇÃO DOS 4 LOTES DO EMPREENDIMENTO 4. LINHA 13 - JADE Linha 13 Jade PROGRAMA 1. INTRODUÇÃO - LINHA 13 2. CARACTERÍSTICAS DA LINHA 13 3. APRESENTAÇÃO DOS 4 LOTES DO EMPREENDIMENTO 4. PRINCIPAIS OBRAS 5. SOBREVOO COM DRONE 6. PROCESSO DE LICENCIAMENTO

Leia mais

Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo A Primeira PPP do Brasil. Harald Peter Zwetkoff Presidente da ViaQuatro

Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo A Primeira PPP do Brasil. Harald Peter Zwetkoff Presidente da ViaQuatro Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo A Primeira PPP do Brasil Harald Peter Zwetkoff Presidente da ViaQuatro PPP ViaQuatro & Governo A PRIMEIRA PPP DO BRASIL O modelo utilizado foi o de Licitação 8.666

Leia mais

AEAMESP 21ª. Parceria Público-Privada Linha 4 Amarela Expectativas e Resultados SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

AEAMESP 21ª. Parceria Público-Privada Linha 4 Amarela Expectativas e Resultados SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA 21ª Parceria Público-Privada Linha 4 Amarela Expectativas e Resultados ALAN SANTANA DE PAULA EDSON EIZI WATANABE ERMINIO CASADEI LEONARDO BOAVENTURA PAULO SHIBUYA REGINALDO DOS SANTOS ERMIDA SEMANA DE

Leia mais

Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias

Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias 8º Encontro de Logística e Transportes Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias Atuação e desafios da Agência Nacional de Aviação Civil Marcelo Guaranys Diretor-Presidente São Paulo, 07 de maio

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem.

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. A EMPRESA Empresa privada de logística, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste Opera com 95 locomotivas,

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS 2013/2014 Joubert Flores Presidente da ANPTrilhos Apoio: Quem Somos ANPTrilhos

Leia mais

Obstáculos para para o trem-bala

Obstáculos para para o trem-bala Rio de Janeiro, segunda-feira, 05 de maio de 2008 ENTREVISTA Obstáculos para para o trem-bala Especialista em ferrovias defende que Rio e São Paulo reestrurem primeiro o sistema de transporte local Marcelo

Leia mais

Linha: Joinville (SC) - Gramado (RS)

Linha: Joinville (SC) - Gramado (RS) Linha: Joinville (SC) - Gramado (RS) 1. Objeto Este projeto refere-se ao transporte rodoviário interestadual de passageiros, na ligação Joinville (SC) Gramado (RS), com uma extensão de 755,20 km. A ligação

Leia mais

Projetos de PPPs da Bahia. Maio/2016

Projetos de PPPs da Bahia. Maio/2016 Projetos de PPPs da Bahia Maio/2016 Estrutura de Garantia Projetos de PPP Consolidados Estado da Bahia Situação Financeira do Estado Novos Projetos Estrutura de Garantia Projetos de PPP Consolidados Estado

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos XVII Assembleia Geral da CIT 27 e 28/06/2012 - Manaus/AM Sávio Neves Diretor Institucional ANPTrilhos Presidente ABOTTc

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 1 o ano Disciplina: Física - Unidades de medidas, Velocidade e Aceleração média

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 1 o ano Disciplina: Física - Unidades de medidas, Velocidade e Aceleração média Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 1 o ano Disciplina: Física - Unidades de medidas, Velocidade e Aceleração média UNIDADES DE MEDIDAS

Leia mais

A economia coloca o debate nos trilhos: Trem de Alta Velocidade no Brasil

A economia coloca o debate nos trilhos: Trem de Alta Velocidade no Brasil A economia coloca o debate nos trilhos: Rodrigo Bomfim de Andrade Universidade de Brasília Departamento de Economia 18 de Novembro de 2011 Motivação para este trabalho Correlação entre infraestrutura e

Leia mais