A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para aumentar a Segurança Contra Incêndio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para aumentar a Segurança Contra Incêndio"

Transcrição

1 FIRE PROTECTION A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para aumentar a Segurança Contra Incêndio Porto Alegre, RS LABORATÓRIOS QUE ENSAIAM NOSSOS PRODUTOS: Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 Mirandópolis São Paulo, SP CEP:

2 Segurança contra incêndios ATIVA Medidas ativas de proteção que abrangem a detecção, alarme e extinção do fogo (automática ou manual). + PASSIVA Medidas de proteção que abrangem o controle dos materiais, meios de escape, compartimentação e proteção estrutural do edifício. CHUVEIROS AUTOMÁTICOS EXTINTORES COMPARTIMENTAÇÃO SAÍDAS DE EMERGÊNCIA DETECÇÃO DE INCÊNDIO SISTEMA DE EXTINÇÃO AUTOMÁTICA REVESTIMENTO ESTRUTURAL ACABAMENTOS COM PROTEÇÃO OBJETIVO: Proteger a vida dos ocupantes Reduzir ao máximo a propagação do incêndio Auxiliar as operações de combate e salvamento Proteger o patrimônio 2

3 Estruturas Metálicas Museu da Porsche em STUTTGART, ALEMANHA

4 Proteção Passiva Contra Incêndios NBR Dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio NBR Exigências de Resistência ao Fogo dos Elementos Construtivos das Edificações Todos materiais sofrem perda de resistência e rigidez com elevação da temperatura 4

5 Proteção Passiva Contra Incêndios Comparativo entre as três principais soluções de Estrutura metálica Placa de Silicato de Cálcio Argamassa Projetada Revestimento Intumescente 5

6 Proteção Passiva Contra Incêndios Comparativo entre as três principais soluções de PFP em Estruturas Metálicas Placa de Silicato de Cálcio Instalação limpa TRRF até 120 minutos + Argamassa Projetada + Baixo custo Resistência Térmica e acústica TRRF até 240 minutos Revestimento Intumescente Facilidade na manutenção / limpeza Arquitetura permanece aparente Leve e fino Otimiza o espaço da construção Permite acabamento da cor desejada Não retém sujeiras TRRF até 120 minutos + Esconde a estrutura metálica Sem flexibilidade para acompanhar as estruturas Demora para instalação das placas Espessura e peso muito elevado, necessitando em alguns casos, redimensionamento das cargas estruturais. - Fragilidade ao contato físico Aplicação gera muita sujeira Dificuldade em manter as mesmas espessuras Aparência não agradável Requer mais espaço - Requer aplicadores qualificados Verificação de qualidade da aplicação Tempo de cura depende do ambiente Deve haver compatibilidade com primer utilizado 6 -

7 Proteção Passiva Contra Incêndios Comparativo Custos das três principais soluções de PFP em Estruturas Metálicas 30 min 60 min 90 min Argamassa de baixa densidade Rev. Intumescente PMA 600 e PMA 1200H Outros Rev. Intumescentes Placas de Silicato de Cálcio 120 min 7

8 Testes são necessários 8

9 Seguindo os padrões estabelecidos 9 Forno para teste de fogo Vertical Forno para teste de fogo Horizontal

10 10

11 Aeroporto Santos Dumont Terminal interior - Rio de Janeiro, RJ 11

12 Novo CENPES (Centro de Pesquisa PETROBRAS) Rio de Janeiro, RJ 12

13 Concessionária Hyundai Bahia 13

14 Compartimentação

15 Compartimentação horizontal e vertical NBR Porta corta fogo Tinta e Verniz Intumescente P-30 Tinta para Drywall e Alvenaria Utilização de tinta ou verniz intumescente, sem a necessidade de substituição da porta convencional pela porta de madeira maciça. Atendendo a Porta corta fogo 30 ou 60. Economia financeira e física com eficácia na substituição das placas rosas pela utilização da placa ST com a tinta intumescente em drywall. UL 723 ASTM E84 ASTM E119 UL 723 ASTM E84 ASTM E119 BS 476: Part 6 & 7 EN BS 476: Part: 22:

16 Portas P-30 Holiday inn anhembi São Paulo - SP 16

17 Drywall Compartimentação 120 minutos Lojas Fast Shop São Paulo - SP 17

18 Acabamento e Revestimento

19 RESISTÊNCIA AO FOGO REAÇÃO AO FOGO 19

20 RESISTÊNCIA AO FOGO O substrato testado deve resistir a curva de fogo por um TEMPO determinado ( minutos). Aplicáveis a elementos estruturais e compartimentações. ASTM E119 BS 476 Parte 22 NBR NBR 14323

21 REAÇÃO AO FOGO Não avalia resistência, somente seu comportamento perante ao fogo, devendo sempre avaliar dois requisitos: Propagação das chamas NBR 9442 BS 476 Parte 6&7 EN (SBI) EN NBR 8660 UL 723 Emissão de fumaça ASTM E 662 ASTM E 84 EN (SBI)

22 Controle de materiais de acabamento e revestimento Madeira Tecidos Fibras Naturais Verniz retardante Tinta intumescente Onde: Forros, Painéis, Pisos, Mezaninos, Escadas, Portas Solução retardante Onde: Tecidos e cortinas de poliéster, lycra, algodão para decorações Solução retardante e impermeabilizante Onde: Telhados de piaçava/sapé Quiosques de piaçava/sapé Fibras de decoração 22

23 Teatro Bradesco Shopping Bourbon São Paulo SP 23

24 Rapsodia Shopping Iguatemi JK, Iguatemi Brasília São Paulo SP Brasília - DF 24

25 DPNY Beach Hotel Ilha Bela SP 25

26 Escola LBV São Paulo SP 26

27 Escola de Samba Gaviões da Fiel São Paulo SP 27

28 Buffet infantil Goiânia - GO Pavilhão de exposições do Anhembi São Paulo - SP 28

29 O que há de novo?

30 Cortinas Corta-fogo e controle de fumaça em casos de incêndio. Resistência ao fogo: Até 120 minutos Certificados: BS 476 PT DIN EN 1363 DIN EN DIN EN VdS DIN DIN Onde: Shopping Centers, Galpões, Centros de Distribuição, Escritórios Comerciais e Aeroportos. Atende as três propriedade fundamentais das Normas técnicas de Compartimentação e Controle de fumaça. Estanqueidade do fogo/fumaça isolamento térmico resistência mecânica. 30

31 Barreira para as fachadas de vidro metálico Garantindo a compartimentação horizontal. Instalado nos vãos entre a laje e a fachada de vidro Resistência ao fogo: 2 horas Certificados: BS EN Onde: Prédios que possuem fachadas de vidro com vão interno entre a laje e a fachada. 31

32 Tiras Intumescentes Aplicação ao redor das portas para a vedação de vãos, impedindo a passagem de fogo e fumaça. Resistência ao fogo: 2 horas Certificados: Warrington Fire BS 476: Part: 22: 1987 Onde: Portas corta fogo, portas de compartimentação, portas convencionais. Centro Empresarial Senado - Petrobrás Rio de Janeiro - RJ 32

33 Envelopamento de Cabos Elétricos Uso interno e externo e não requer limpeza dos cabos e à prova de água. Reduz a emissão de fumaça e calor Resistência ao fogo: 2 horas Certificados: FM Approved IEC DIN 4102 DIN EM Onde: Túneis, Data centers, Usinas Nucleares, Platraformas e refinarias de óleo & gás. 33

34 Alguns desafios enfrentados...

35 Você já comprou esta Duracell?...

36 ... isso é o que acontece

37 Falsificações Adulterações 37

38 Certificado CKC 38

39 Gato por lebre 39

40 Sem funcionalidade Vidas em Risco!!! 40

41 FIRE PROTECTION Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 Mirandópolis São Paulo, SP CEP: Jeffery Lin Rogerio Lin NORMAS ATENDIDAS :

A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio. Londrina - PR FIRE PROTECTION

A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio. Londrina - PR FIRE PROTECTION FIRE PROTECTION A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio Londrina - PR Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 Mirandópolis São Paulo,

Leia mais

A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio

A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio FIRE PROTECTION A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio São Paulo, SP 20/09/13 IURD Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 Mirandópolis

Leia mais

Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio

Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio FIRE PROTECTION Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para Aumentar a Segurança Contra Incêndio Corpo de Bombeiros Militar - GO Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 Mirandópolis São Paulo,

Leia mais

Proteção Passiva Contra o Fogo

Proteção Passiva Contra o Fogo FIRE PROTECTION Proteção Passiva Contra o Fogo Introdução a SCI CMAR (Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento) Compartimentação Estruturas Metálicas 23/04/15 Porto Alegre, RS Escritório Central

Leia mais

A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para aumentar a Segurança Contra Incêndio

A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para aumentar a Segurança Contra Incêndio FIRE PROTECTION A importância da Proteção Passiva e Soluções Inovadoras para aumentar a Segurança Contra Incêndio Corpo de Bombeiros - CBPMESP LABORATÓRIOS QUE ENSAIAM NOSSOS PRODUTOS: Escritório Central

Leia mais

FIRE PROTECTION Escritório Central São Paulo, SP:

FIRE PROTECTION Escritório Central São Paulo, SP: FIRE PROTECTION Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 Mirandópolis São Paulo, SP CEP:04048-000 Tel: +55 11 5584-6380 Site: www.ckc.com.br ckc@ckc.com.br A CKC no Brasil Somos há 15 anos,

Leia mais

A busca da qualidade em proteção passiva contra fogo de estruturas metálicas

A busca da qualidade em proteção passiva contra fogo de estruturas metálicas MATERIAL DE REFERÊNCIA: PROFESSOR SERGIO PASTL A busca da qualidade em proteção passiva contra fogo de estruturas metálicas A proteção passiva contra fogo em estruturas metálicas é relativamente recente

Leia mais

120 MINUTOS PROTEÇÃO ATÉ. PROTEÇÃO PASSIVA CONTRA O FOGO PARA USO EM AÇO ESTRUTURAL-ÁREAS INTERNAS E EXTERNAS* *necessita top coat para áreas externas

120 MINUTOS PROTEÇÃO ATÉ. PROTEÇÃO PASSIVA CONTRA O FOGO PARA USO EM AÇO ESTRUTURAL-ÁREAS INTERNAS E EXTERNAS* *necessita top coat para áreas externas EXCLUSIVO POR: PROTEÇÃO PASSIVA CONTRA O FOGO PARA USO EM AÇO ESTRUTURAL-ÁREAS INTERNAS E EXTERNAS* *necessita top coat para áreas externas PROTEÇÃO ATÉ 120 MINUTOS certification Economia, Segurança e

Leia mais

OS RISCOS INVISÍVEIS DAS PRÁTICAS CONSTRUTIVAS ATUAIS E O PAPEL DOS ARQUITETOS NA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS

OS RISCOS INVISÍVEIS DAS PRÁTICAS CONSTRUTIVAS ATUAIS E O PAPEL DOS ARQUITETOS NA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS OS RISCOS INVISÍVEIS DAS PRÁTICAS CONSTRUTIVAS ATUAIS E O PAPEL DOS ARQUITETOS NA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS Rio de Janeiro, 30 de abril de 2014 SIDNEY LEONE e RS BARRADAS A CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Selos

Leia mais

Gráfico Comparativo de Espessuras

Gráfico Comparativo de Espessuras AUDAX-Renitherm PMA é a série de revestimentos intumescentes à base de água para estruturas metálicas, que oferece elevada qualidade de MALL OF EMIRATES, DUBAI acabamento e praticidade de aplicação. Oferecidas

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 09 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S.A. IPT CENTRO TECNOLÓGICO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO - CETAC

Leia mais

A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES

A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES 1 OBJETIVOS DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO A proteção da vida humana A proteção do patrimônio A continuidade do processo produtivo 2 O CÍRCULO DE PROTEÇÃO

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

Sistemas têxteis automáticos para proteção à incêndio

Sistemas têxteis automáticos para proteção à incêndio Sistemas têxteis automáticos para proteção à incêndio www.stoebich.com.br, dirk.mueller@stoebich.com.br 1 Conteúdo 1. Introdução: sistemas têxteis 2. Características de sistemas têxteis 3. Cortinas contra

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS ISOPORTEC A ISOPORTEC é focada na produção de soluções em isopor de alta performance para a construção civil, valorizando produtos que fazem diferença nos projetos mais complexos.

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H

Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H PBQP-H INMETRO Programas Setoriais da Qualidade EGT credenciada pelo PBQP-H e acreditada pelo INMETRO Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H Mais de 250 ensaios acreditados pelo INMETRO SINAT

Leia mais

Soluções que sustentam a qualidade do seu projeto

Soluções que sustentam a qualidade do seu projeto Knauf Folheto Técnico 2008 Paredes Knauf Soluções que sustentam a qualidade do seu projeto Estabilidade, resistência a impactos, proteção termoacústica e outras características inovadoras que não dividem

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

Avaliação de Desempenho ABNT NBR 15575. Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br

Avaliação de Desempenho ABNT NBR 15575. Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br Avaliação de Desempenho Segurança ao Fogo ABNT NBR 15575 Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br Ocorrências de incêndios em 2010 Número de incêndios no Brasil Número de incêndios no Estado de São Paulo

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Gesso Convenciona O gesso é um material versátil: ele auxilia nas tarefas de embutir a iluminação, esconder ferragens e disfarçar vigas, além de criar efeitos fantásticos, especialmente

Leia mais

vidro de proteção contra incêndios

vidro de proteção contra incêndios vidro de proteção contra incêndios CONHEÇA-NOS Cada vez mais os edifícios requerem melhores prestações, tanto em serviços como em proteção, e tudo isto da mão da estética e do design. Na arquitetura contemporânea

Leia mais

Palestrantes: Carlos Cotta Rodrigues José Félix Drigo

Palestrantes: Carlos Cotta Rodrigues José Félix Drigo SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO RELACIONADOS AO NOVO DECRETO ESTADUAL DO CORPO DE BOMBEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO DESAFIO PERMANENTE Palestrantes: Carlos Cotta Rodrigues José Félix Drigo Alguns Números do CBPMESP

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E EXPLOSÕES II ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PREVENÇÃO,

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

Os efeitos de um incêndio em uma unidade petroquímica podem gerar perdas de produção e lesões aos trabalhadores.

Os efeitos de um incêndio em uma unidade petroquímica podem gerar perdas de produção e lesões aos trabalhadores. 3M Proteção Passiva Contra Fogo Aplicações para Oil & Gas Permitir a Continuidade Operacional e Ajudar a Proteger Vidas Os efeitos de um incêndio em uma unidade petroquímica podem gerar perdas de produção

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL

PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL MEDIDAS PARA CONTER A PROPAGAÇÃO DO INCÊNDIO NOS EDIFÍCIOS Compartimentação horizontal Compartimentação vertical Controle da

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Patrimoniais e Empresariais. Sidney Leone Março de 2012

Gerenciamento de Riscos Patrimoniais e Empresariais. Sidney Leone Março de 2012 Gerenciamento de Riscos Patrimoniais e Empresariais Sidney Leone Março de 2012 Meus Defeitos Sócio - Integrale Consultoria e Corretagem de Seguros Ltda. Divisão Gestão de Risco; Consultor Técnico RRJ Engenharia

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 09/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 09/2011 Instrução Técnica nº 09/2011 - Compartimentação horizontal e compartimentação vertical 203 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

Corpo de Bombeiros. Compartimentação horizontal e compartimentação vertical

Corpo de Bombeiros. Compartimentação horizontal e compartimentação vertical SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 09/2011 Compartimentação horizontal e compartimentação vertical SUMÁRIO

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME GESSO SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME Gesso O gesso é uma substância, normalmente vendida na forma de um pó branco, produzida a partir do mineral gipsita, composto basicamente de sulfato de cálcio hidratado.

Leia mais

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros.

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. EMPREENDIMENTOS PANTHEON - ROMA Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323

Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323 Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 2 CONCEITOS, DEFINIÇÕES E COMPONENTES DO SISTEMA

Leia mais

Proteção passiva corta-fogo Proteção passiva corta-fogo

Proteção passiva corta-fogo Proteção passiva corta-fogo Proteção Passiva ta-fogo Selantes Selante FS-One Página 40 Selante elastomérico CP 60S Página 4 Selante acrílico CP 606 Página 4 Pintura elastomérica CFS-SP WB CFS-SP WB vermelho Página 4 Espuma expansiva

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 08/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 08/2011 Instrução Técnica nº 08/2011 - Resistência ao fogo dos elementos de construção 191 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO

Leia mais

SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. firesafetybrasil@gmail.com

SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. firesafetybrasil@gmail.com SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO firesafetybrasil@gmail.com RELAÇÃO ENTRE OS FATORES CONDICIONANTES DE RISCO E AS DISTINTAS CATEGORIAS DE RISCO RELAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA ENTRE AS CINCO CATEGORIAS

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

NPT 009 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL

NPT 009 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 009 Compartimentação Horizontal e Compartimentação Vertical CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão:01 Norma de Procedimento Técnico 20 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 09/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 09/2015 Instrução Técnica nº 09/2011 - Compartimentação horizontal e compartimentação vertical 203 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

Painel pré-isolado Uma nova maneira de fabricar dutos

Painel pré-isolado Uma nova maneira de fabricar dutos Painel pré-isolado Uma nova maneira de fabricar dutos Catálogo de materiais, ferramentas e acessórios AluPir: o painel pré-isolado AluPir representa uma maneira inovadora de fabricar dutos de ar. O sistema

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

Construção e montagem

Construção e montagem Construção e montagem Paredes com estrutura metálica W11 Construção A paredes consistem de uma estrutura metálica revestida com uma mais s de gesso, aparafusadas de ambos os lados. A estrutura metálica

Leia mais

CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS )

CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS ) CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS ) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia

Leia mais

NORMA TÉCNICA 08/2014

NORMA TÉCNICA 08/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 08/2014 Resistência ao fogo dos elementos de construção SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto)

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) - Fatores Críticos de Sucesso Francisco Paulo Graziano Características necessárias das estruturas dos em parede estrutural Facilidade

Leia mais

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 BELO HORIZONTE MG Apresentação: Condomínio Edifício Afonso Pena, 2.300 Endereço: Afonso Pena, 2.300 Bairro: Centro Esquina com Rio Grande do Norte Belo Horizonte BH Localização:

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Assim, as classes R, E e I substituem o Estável o fogo (EF), Pará-Chamas (PF) e Corta-fogo (CF).

Assim, as classes R, E e I substituem o Estável o fogo (EF), Pará-Chamas (PF) e Corta-fogo (CF). Edifício S Alto da Granja - Estrada 237 Parque Industrial Manuel da Mota 3100-899 Pombal - PORTUGAL T: +351 236 216 025 F: +351 236 216 186 E: sercevolucao@serc-europe.com W: www.sercevolucao.com EUROCLASSES

Leia mais

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS SUMÁRIO 1 - Objetivo 7 - Exposição ao risco de incêndio 2 - Referências normativas 8 - Risco de incêndio 3 - Símbolos 9 - Fatores de segurança

Leia mais

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Apresentação do módulo Os sistemas de proteção contra incêndio e pânico são classificados em duas categorias distintas: proteção passiva

Leia mais

Segurança contra Incêndio em Cozinha Profissional

Segurança contra Incêndio em Cozinha Profissional SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 38/2004 Segurança contra Incêndio em Cozinha Profissional SUMÁRIO 1

Leia mais

NORMA TÉCNICA 10/2014 Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento

NORMA TÉCNICA 10/2014 Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 10/2014 Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto.

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. 1 Escolha do Sistema Construtivo Sistema construtivo com foco nas seguintes características: Alta produtividade Baixo custo de construção Redução

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4?

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527 O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? Luciana Alves de Oliveira Slides da Palestra apresentada

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172084. Sistemas construtivos inovadores X avaliação técnica com abordagem de desempenho X SINAT

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172084. Sistemas construtivos inovadores X avaliação técnica com abordagem de desempenho X SINAT COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172084 Sistemas construtivos inovadores X avaliação técnica com abordagem de desempenho X SINAT Luciana Alves de Oliveira Palestra apresentada no SIMPÓSIO ALAGOANO DE ENGENHARIA

Leia mais

1. NORMAS DE PROJETO E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O PROJETO DE ARQUITETURA

1. NORMAS DE PROJETO E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O PROJETO DE ARQUITETURA NORMAS TÉCNICAS E QUE INCIDEM SOBRE ESPECIFICAÇÃO 1 DE 15 DESCRIÇÃO 1. NORMAS DE E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O DE ARQUITETURA 1.1.1. Projeto de arquitetura

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 009/2014 CBMPB

NORMA TÉCNICA Nº 009/2014 CBMPB 1 NORMA TÉCNICA Nº 009/2014 CBMPB Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento Publicada no Diário Oficial nº 15.528 de 09 de maio de 2014. SUMÁRIO 1-Objetivo 2-Aplicação 3-Referências Normativas

Leia mais

CONJUNTO PORTA CORTA-FOGO

CONJUNTO PORTA CORTA-FOGO Conjunto Porta Corta-Fogo CONJUNTO PORTA CORTA-FOGO Constituído por batente, folha, 3 dobradiças de mola reguláveis e 1 fechadura de sobrepor com chave; fabricado conforme norma da ABNT (NBR 11.742) Saída

Leia mais

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Motivação Esqueça o que você já ouviu falar sobre casa de madeira, isto aqui

Leia mais

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS IT - 35 CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS SUMÁRIO 1 - Objetivo 7 Exposição ao risco de incêndio 2 - Referências normativas 8 Risco de incêndio 3 Símbolos 9 - Fatores de segurança 4 - Considerações

Leia mais

ROBSON SANTOS BARRADAS: Engenheiro de Segurança do Trabalho pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET) em 2002 e

ROBSON SANTOS BARRADAS: Engenheiro de Segurança do Trabalho pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET) em 2002 e ROBSON SANTOS BARRADAS: Engenheiro de Segurança do Trabalho pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET) em 2002 e Mecânico pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em

Leia mais

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA SELAGEM DE VÃOS, ABERTURAS PARA PASSAGEM DE CABLAGENS E CONDUTAS

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA SELAGEM DE VÃOS, ABERTURAS PARA PASSAGEM DE CABLAGENS E CONDUTAS SELAGEM DE VÃOS, ABERTURAS PARA OBJETIVO Caracterizar produtos e métodos complementares ou associados à resistência ao fogo dos elementos estruturais e de compartimentação, assim como melhorar a reação

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

Lajes pré-fabricadas em situação de incêndio Ms. Kleber Aparecido Gomide Prof. Dr. Armando Lopes Moreno Jr

Lajes pré-fabricadas em situação de incêndio Ms. Kleber Aparecido Gomide Prof. Dr. Armando Lopes Moreno Jr Lajes pré-fabricadas em situação de incêndio Ms. Kleber Aparecido Gomide Prof. Dr. Armando Lopes Moreno Jr Universidade Estadual de Campinas UNICAMP Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

3.8 3.9 3.10 3.11 3.12 3.13 3.14 4 DEFINIÇÕES 5 PROCEDIMENTOS 5.1. Compartimentação horizontal: 5.1.1 5.1.2 Características de construção:

3.8 3.9 3.10 3.11 3.12 3.13 3.14 4 DEFINIÇÕES 5 PROCEDIMENTOS 5.1. Compartimentação horizontal: 5.1.1 5.1.2 Características de construção: ANEXO VII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 7 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL 1 OBJETIVO 1.1 Esta Norma Técnica estabelece os parâmetros da compartimentação

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 10/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 10/2011 Instrução Técnica nº 10/2011 - Controle de materiais de acabamento e de revestimento 217 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 10

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 10 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 10 Controle de materiais de acabamento e de revestimento SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo

Leia mais

Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas

Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas Comando do Corpo de Bombeiros Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas Cap. QOBM Amarildo Exigências Estruturais e Arquitetônicas SUMÁRIO Exigências Estruturais

Leia mais

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Outubro, 2009 Versão Final A. DESCRIÇÃO DO PROJETO Este memorial trata da descrição e especificação básica dos elementos que deverão compor

Leia mais

IT - 07 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL

IT - 07 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL IT - 07 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas 4 Definições 5 Procedimentos INSTRUÇÃO TÉCNICA 07 DIRETORIA DE ATIVIDADES TECNICAS

Leia mais

Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil. Maceió, mai/2014

Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil. Maceió, mai/2014 Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil Maceió, mai/2014 INDÚSTRIA PETROQUÍMICA INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias-Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas

Leia mais

COMPETITIVIDADE PELA INOVAÇÃO

COMPETITIVIDADE PELA INOVAÇÃO Transportation Equipment GmbH COMPETITIVIDADE PELA INOVAÇÃO SISTEMAS DE PORTAS FOLES DE PASSAGEM E ARTICULAÇÕES INTERIORES ultimate_update_2014_por_version_2.indd 1 09.09.2014 07:45:50 A EMPRESA PRODUÇÃO

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

NPT 033 COBERTURA DE SAPÉ, PIAÇAVA E SIMILARES

NPT 033 COBERTURA DE SAPÉ, PIAÇAVA E SIMILARES Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 033 Cobertura de sapé, piaçava e similares CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 5 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 04/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 04/2011 Instrução Técnica nº 04/2011 - Símbolos gráficos para projeto de segurança contra incêndio 149 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

Porta cortafogo faz parte da. compartimentação contra incêndio

Porta cortafogo faz parte da. compartimentação contra incêndio incêndio dispositivo Porta cortafogo faz parte da compartimentação contra incêndio PARA IMPEDIR A PROPAGAÇÃO DAS CHAMAS, AS PORTAS COMBATE A INCÊNDIOS POR EMILIA SOBRAL redacao7@cipanet.com.br FOTOS DIVULGAÇÃO

Leia mais

NORMA TÉCNICA 09/2014

NORMA TÉCNICA 09/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 09/2014 Compartimentação horizontal e vertical SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua TIPOS DE ESTRUTURAS Prof. Marco Pádua A função da estrutura é transmitir para o solo a carga da edificação. Esta carga compõe-se de: peso próprio da estrutura, cobertura, paredes, esquadrias, revestimentos,

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

Sprinklers, Válvulas e Acessórios

Sprinklers, Válvulas e Acessórios A Argus é uma empresa brasileira, especializada em segurança e proteção contra incêndio, com sede em Vinhedo/SP. Embora nova, a Argus é uma empresa com muita experiência. Seus sócios em conjunto somam

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir as características e condições técnicas a que devem obedecer as portas resistentes ao fogo (portas corta-fogo), não só para

Leia mais

Técnicas da Construção Civil. Aula 02

Técnicas da Construção Civil. Aula 02 Técnicas da Construção Civil Aula 02 Necessidades do cliente e tipos de Estruturas Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Necessidades do Cliente Função ou tipo de edificação? Como e quanto o cliente quer

Leia mais

ENCONTRO SOBRE A MADEIRA E SUAS APLICAÇÕES NOBRES BEM UTILIZAR A MADEIRA

ENCONTRO SOBRE A MADEIRA E SUAS APLICAÇÕES NOBRES BEM UTILIZAR A MADEIRA ENCONTRO SOBRE A MADEIRA E SUAS APLICAÇÕES NOBRES BEM UTILIZAR A MADEIRA PROTECÇÃO DA MADEIRA CONTRA O FOGO PROTECÇÃO DA MADEIRA CONTRA O FOGO O objectivo da protecção contra o fogo na construção, e particularmente

Leia mais

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MAIO DE 2015 Andamento das obras no período Obras no Ático: Início da instalação de luminárias iniciado; Conclusão das

Leia mais

Edifícios Consolação I e II

Edifícios Consolação I e II Edifícios Consolação I e II Os edifícios Consolação I e II estão localizados na Rua da Consolação, 2.403/2.411/2387, na quadra delimitada Rua Bela Cintra e Antonio Carlos, Bela Vista - São Paulo, SP. Trata-se

Leia mais

Baixa densidade Produto económico

Baixa densidade Produto económico R PN 0 PK 0 PA 0 EFINIÇÃO: Paineis semi-rígidos (0 kg/m ) de espessura uniforme, constituídos de fibras de lã de rocha aglutinadas com resina sintética termo-endurecida, - PN 0 sem revestimento. - PK 0

Leia mais

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas www.weg.net Em um Transformador Seco WEG, há mais de 40 anos de experiência na fabricação de motores elétricos, mais de 25 anos na fabricação de transformadores e toda

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão Disciplina ministrada ao IX semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT OBJETIVOS DA DISCIPLINA

Leia mais

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC.

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Comprometida com a qualidade e o desenvolvimento dos nossos produtos investimos continuamente

Leia mais

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 2a. parte: ECONÔMICA-ESTUDO DE CASO KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo SUMÁRIO DO PROJETO TORRE 5: 100% executado 95% executado - Revestimento fachada; - 100% concluído - Aplicação de textura; - 95% concluído -

Leia mais

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PORTAS RESISTENTES AO FOGO

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PORTAS RESISTENTES AO FOGO PORTAS RESISTENTES AO FOGO OBJECTIVO Definir as características e condições técnicas a que devem obedecer as portas resistentes ao fogo (portas corta-fogo), não só para cumprimento do RJ-SCIE mas, também,

Leia mais