Física E Intensivo V. 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Física E Intensivo V. 1"

Transcrição

1 Intensivo V. Exercícios 0) V V F F F I. Verdadeira. II. Verdadeira. III. Falsa. Calor é a energia térmica em trânsito, e temperatura é agitação molecular. IV. Falsa. Um corpo, ao receber ou perder calor, também pode mudar de estado fisico, por isso nem sempre varia de temperatura. V. Falsa. Calor é energia, logo é medido em joules no sistema internacional. 07) B Criando a relação entre as escalas, temos: 0) E 03) A Se os corpos de ferro e de alumínio aumentaram de temperatura, receberam calor do corpo de cobre, assim podemos concluir que o corpo de cobre reduziu sua temperatura ao fornecer calor para os demais. A medida da temperatura corporal acontece de forma exata, quando o termômetro e o corpo estão em equilíbrio térmico, ou seja, em mesma temperatura. Porém, para que o equilíbrio ocorra, o processo de troca de calor leva certo tempo. 08) B Então: x x 0 50, x o X Podemos verificar que o ponto de fusão do gelo (0 o C) é equivalente a 40 o na escala W. Para encontrar o ponto de ebulição, vamos achar a relação entre W e C. 04) B 05) D 06) B Escala centígrada é toda escala em que a diferença entre o ponto de fusão e o ponto de vaporização vale 00 o. Logo, as principais escalas centígradas são Celsius e Kelvin. Portanto, no caso dos telejornais, estão se referindo à escala Celsius. C 5 F 3, logo F 3, então: F 3 F. 9 Então: W+ 40 C 0. Logo, W Simplificando: W W , 3 3 então W 0 o W. 09) a) T C o C b) T T C F 30 T F T F 54 o F c) T T C K T 5 5 K 30 K

2 0) 8 0. Incorreta. O calor se propaga por radiação na ausência de matéria, mas a frequência do calor está na faixa do infravermelho. 0. Incorreta. O alimento, no forno micro-ondas, absorve a micro-onda, entrando em ressonância com esta. Logo, o aquecimento do alimento acontece através da ressonância, e não da micro-onda. 04. Correta. Observando a lei de Fourier, temos: φ K. A. T, em que A é a área do sólido, e é a e espessura do sólido e K é o coeficiente de condutividade térmica do material. 08. Correta. A condução térmica acontece pela interação dos átomos, ou moléculas, sem o deslocamento destas. Na convecção, a energia é transferida através do deslocamento das moléculas. A radiação ocorre principalmente no vácuo por meio de ondas eletromagnéticas. 6. Correta. As paredes adiabáticas na garrafa térmica, ou vaso de Dewar, têm a função de evitar a troca de calor do meio interno com o meio externo. 3. Incorreta. A fonte de aquecimento deve estar na parte inferior do fluido devido à baixa densidade, como consequência, tende ao movimento de subida por convecção. ) B ) B 3) D A condutividade térmica dos metais é maior que da madeira. As radiações solares diretas (radiações de luz visíveis) não são filtradas pelas lonas plásticas transparentes, atravessando-as com facilidade. Isso acontece quando a luz solar nos aquece dentro de casa, mesmo quando as janelas estão fechadas ou quando estamos dentro do carro sob o sol. Essa luz solar carrega em si grande quantidade de energia, capaz de ser transmitida para o interior da estufa. Esse processo de condução de calor é conhecido como irradiação. A facilidade que a radiação direta tem em atravessar a superfície das lonas transparentes não se repete para a parcela de energia refletida. A lona tem uma grande capacidade de "prender" esse calor (radiações infravermelhas). Por isso o interior fica mais quente que o exterior. O efeito estufa e as "ilhas de calor" causam o aumento da temperatura local, impondo a necessidade de maior 4) C 5) D refrigeração, tanto em indústrias cujas máquinas devem operar em certas faixas de temperatura quanto em residências, a fim de garantir conforto térmico aos seus habitantes. Logo, haverá aumento do consumo de energia elétrica. a) Incorreta. O calor sempre se move de um corpo com temperatura maior para outro com temperatura menor. Além disso, durante o fenômeno de radiação, o calor é transmitido de um local para outro sem necessitar de matéria para a sua transferência. b) Incorreta. O calor sempre se move de um corpo com temperatura maior para outro com temperatura menor. Nesse caso, o corpo com maior temperatura é o processador. c) Correta. O calor deve ser compreendido como uma quantidade de energia transferida de um corpo com temperatura maior para outro com temperatura menor. Dessa forma, o calor é transmitido do processador para as placas difusoras, através do fenômeno de condução. d) Incorreta. Na Física, dizer que um corpo está mais frio que outro significa dizer que um corpo possui menor quantidade de calor que outro. Dessa forma, o termo "frio" não está diretamente relacionado a uma quantidade de energia que se desloca de um corpo para outro. e) Incorreta. Idem resposta da alternativa d. A maneira mais comum na qual a inversão de superfície se forma é através do ar gelado perto do chão à noite. Quando o sol se põe, o chão perde calor muito rápido, o que esquenta o ar que está em contato com ele. Entretanto, como não é bom condutor de calor, o ar logo acima da superfície continua quente. Condições que favorecem o desenvolvimento de fortes inversões de superfície são ventos calmos, céu claro e longas noites. Ventos calmos impedem o ar quente acima da superfície de se misturar com o do chão, e céus limpos aumentam a taxa de resfriamento da superfície terrestre. Noites longas permitem que o ar gelado no chão continue assim por um longo período, resultando em uma diminuição maior da temperatura da superfície. Já que as noites de inverno são muito mais longas que as de verão, a inversão térmica é mais forte e comum nos meses de inverno. Uma forte inversão implica uma substancial diferença entre o ar gelado da superfície e o ar quente acima dela. Durante o dia, as inversões térmicas tendem a se tornar fracas e normalmente desaparecem. Entretanto, sob certas condições meteorológicas, como uma alta pressão sobre a área, essas inversões podem se estender por vários dias.

3 6) 7 7) D 8) B Q t cal/ C C B Q t C B C B 0 cal/ C 0. Correta. 0. Correta. 04. Incorreta. Para se determinar qual dos objetos é constituído por substância de maior calor específico, é necessário conhecer suas massas. Porém, o enunciado não forneceu a massa dos corpos. 08. Correta. 6. Correta. m A. c A c A c A 0, cal/g C Q m. c. Δθ Q Δθ m. c Sofre maior elevação de temperatura a substância que possui menor calor específico, no caso o mercúrio. 0) C ) C ) C Como podemos observar, a substância inicia no estado sólido, então temos que: AB (calor sensível sólido), BC (calor latente fusão), CD (calor sensível líquido), DE (calor latente vaporização) e EF(calor sensível gasoso). I. Falsa. A pressão do ponto triplo vale 0,8 atm. II. Verdadeira. Se a pressão foi 0,4 atm e a temperatura 5 o C, a substância está no estado gasoso. III. Verdadeira. IV. Falsa. Sofre liquefação/condensação. V. Falsa. O processo de compressão isotérmica. Nesse caso, a substância é chamada de vapor, e não gás. Comentário Q A + Q B 0 m. c G. ΔT + m. L f + m. c. ΔT + m. c. ΔT , (T 0) (T 50) T + 90T T 3650 T 36,5 C 3) 39 p região I sólido região II líq. A vapor região III gás Q Hg + Q Hg 0 m. c. T + m. c. T 0 0. c. (T 30) + 0. c. (T 0) 0 0 T T ) D 30 T 700 T 90 o C P. triplo P. crítico 0. Verdadeiro. 0. Verdadeiro. 04. Verdadeiro. 08. Falso. Ponto triplo. 6. Falso. 3. Verdadeiro. T Calculando o calor específico: Q c m. T ( ) ,0 cal/g o C Calculando a capacidade térmica: C ( ) 0,0 cal/g o C 000 4) 50 g A quantidade de calor fornecida pela água é: Q m. c. T Q 400..,5 Q cal Com cal podemos aquecer o gelo até o ponto de fusão e derreter parte dos 00 g. Veja: 3

4 5) B 6) C 7) A 8) E 9) D Q m. c. T Q 00. 0,5. (0 ( 0) Q.000 cal Q m. L m. 80 m 50 g Q m. c. T c. (5 ( 0)) c c 0,5 cal g Q m. L L L 0 cal g t vaporização 35 o C I. Verdadeira. Caso ocorra a redução de temperatura do ambiente, o fio sofrerá contração, com o risco de rompimento. II. Falsa. A distância entre os fios é uma medida de precaução. III. Verdadeira. IV. Falsa. Existe a relação, pois quando um corpo varia sua temperatura, sofre dilatação térmica, variando seu comprimento. Observe que o coeficiente de dilatação linear do alumínio é maior que o do cobre. Assim, o alumínio se dilata mais que o cobre, então a de baixo deve ser de alumínio e a de cima, de cobre. Portanto, se você as submeter à mesma variação de temperatura, o sistema vai curvar-se para o lado da barra de menor coeficiente de dilatação quando esta for aquecida e para o lado da barra de maior coeficiente de dilatação quando esta for resfriada. Como o coeficiente de dilatação térmica do alumínio é o dobro do coeficiente de dilatação do concreto, podemos afimar que a variação da área do alumínio será o dobro da variação da área do concreto, se forem submetidos à mesma variação de temperatura e possuírem dimensões inicias iguais. Temos que a área inicial vale: A 0 π. r 3,4. 3,4 m Aplicando a equação de dilatação superficial, temos: A A 0 ( + β. ΔT) 3,4. ( ) A 3,4. ( + 0,004840) A 3,4., ,55 m 30) 0 3) B 3) D 33) E 34) B 35) D 36) A 0. Falsa. A água não se dilata antes, dilata-se ao mesmo tempo que a panela. 0. Verdadeira. 04. Falsa. O coeficiente de dilatação da água determina o transbordamento. 08. Falsa. A panela se dilata menos, pois possui menor coeficiente de dilatação térmica. 6. Falsa. A água transborda porque seu coeficiente de dilatação é maior que o da panela. Já o seu volume diminui ao ser aquecido entre 0 o C e 4 o C. A dilatação real do líquido é dada por: V líquido V recipiente + V aparente V final líq V final rec V + V V + V 0líq líq 0rec rec V 0 + V V V , V V 0 9,7 ml Expressão da densidade: densidade massa/volume. Como a massa de água é a mesma, no caso, m g, a densidade é inversamente proporcional ao volume, ou seja, à temperatura em que o volume é mínimo (4 o C) a densidade é máxima. O gás ideal é aquele que é submetido a altas temperaturas e baixas pressões. V 4 L p,9 atm T 57 o C 90 K 4

5 37) B 38) D 39) D p. V n. R. T,9. 4 n. 0, n 5 mols mol 6, mols x x 3,. 0 4 moléculas pv pv T T P. V P. 3V T 09, T P 0,3P Aplicando a equação geral de transformações gasosas, na transformação isotérmica temos: p A pb, logo 6 p B, assim concluímos que p B VA V 4 B,5 atm. Se temos uma isoterma, então: p A V A p X V X V X V X 4 L 4) 0 4) B 43) D 44) B 45) A 0. Falsa. A pressão se mantém constante. 0. Verdadeira. O volume aumentará, pois a temperatura aumentou. 04. Falsa. A temperatura mudou E c 3 KT. 3RT 08. Verdadeira. V. Se T aumentou V aumenta. mol 6. Falsa. p constante. T 7 o C 300 K p T 7 o C 400 K p p. V p. V p p T T p 3 p Q > 0: sistema absorve calor Q < 0: sistema cede calor Calculando o trabalho do gás, temos: W p. ΔV J Aplicando a ª lei da termodinâmica, temos: ΔU Q W, logo ΔU J 40) C I. Verdadeira. II. Verdadeira. III. Verdadeira. IV. Verdadeira. Além disso, o gás não troca calor com o meio externo. Área W b. h W joules 5

6 46) A 47) B 48) A A alternativa I. Correta: porque o produto p. V é diretamente proporcional à temperatura (lei geral dos gases ideais). Como no início o produto era P o.3v o, e no final P o. V o, a temperatura diminuiu. A alternativa II. Incorreta: porque o volume da amostra de gás diminui, nesse caso o trabalho foi realizado sobre o gás (trabalho negativo). A alternativa III. Incorreta: pois numa transformação adiabática, ao diminuir a temperatura (alternativa I) o volume necessariamente aumenta (o que não acontece na transformação). Além disso, a transformação adiabática é uma curva e não uma reta entre duas isotermas. V cte V 0 W 0 Q + U W U 550 J Q 3000 J n 4 Isotérmica U 0 Q W W W 3000 J 49) 0 50) D 5) D 0. Falsa. Q 0 W U 0. Falsa. 04. Verdadeira. 08. Falsa. Aumentará. 6. Verdadeira. U Q, pois W 0 V 0 (isovolumétrica) Temos, neste exercício, uma transformação cíclica, portanto ΔU 0, e o trabalho é determinado pela área interna da figura. Atenção: a pressão está em atm, mas no formulário temos: atm. 0 5 N/m W A W b. h W W. 0 5 J 5) Falsa. Numa transformação isotérmica, a variação da energia interna (ΔU) é nula. Logo, o calor (Q) recebido é transformado integralmente em trabalho (W), como indica a primeira lei da termodinâmica (Q W). 0. Verdadeira. W AB p AB. ΔV AB , J,6 KJ 04. Verdadeira. Aplicando a lei geral dos gases ideais para os estados A e B: PB. VB PC. VC T T T T 60 K Lei geral dos gases ideais para os estados B e C: PB. VB PC. VC T T p C ( ) P c 9 p C 6,. 0 5 Pa. 08. Falsa. A temperatura final é igual à inicial, mas ao longo do ciclo há aquecimentos e resfriamentos. 6. Falsa. A transformação CD é uma expansão adiabática, pois V D > V C. 3. Verdadeira. A transformação EA é isocórica (W EA 0). Logo, Q ΔU. 53) Falso. η 00% 0. Verdadeiro. 04. Verdadeiro. Q W (isotérmica) positivo porque houve uma expansão 08. Falso. Transformações adiabáticas não trocam calor com o meio. 6. Falso. 54) C 55) D A máquina é uma máquina térmica ideal; mesmo sendo ideal, seu rendimento é o maior possível, ou seja, o maior aproveitamento que um motor térmico pode ter operando entre duas fontes de temperaturas diferentes. A transformação é adiabática, mas o trabalho é realizado sobre o gás. 6

7 56) D Q 00 cal Q 0 cal 57) 8 η Q Q 0 00 η 0,4 η 40% 0. Incorreta. A combustão e algumas fissões são processos naturais, porém, são irreversíveis. 0. Correta. O trabalho é a forma de energia útil de uma máquina térmica, logo, quanto menor a energia dissipada, maior o trabalho útil da máquina. 04. Incorreta. As máquinas do ciclo de Carnot, mesmo considerada uma máquina térmica ideal, em seu rendimento é inferior a 00%. 08. Incorreta. A expressão "morte do calor do universo", refere-se à falta de fontes de calor no universo. Existem algumas fontes de calor além de carvão, petróleo e gás, como por exemplo o sol. 6. Correta. O calor transita naturalmente dos corpos de maior temperatura para os de menor temperatura. 3. Incorreta. A geladeira, considerada uma máquina frigorífica, recebe uma energia total (fonte fria), realiza um trabalho e rejeita uma quantidade de energia (fonte quente). Portanto, não viola a ª lei da termodinâmica. 64. Correta. 7

Física E Superintensivo

Física E Superintensivo uperintensivo Exercícios ) C ) B C F 3. ubstituindo C 4 o C, temos: 5 9 F 4,8 o F. Podemos verificar que o ponto de fusão do gelo ( o C) é equivalente a 4 o na escala W. Para encontrar o ponto de ebulição,

Leia mais

Física E Semiextensivo V. 2

Física E Semiextensivo V. 2 GABARIO Física E Semiextensivo Exercícios 1) C ) A I erdadeira Caso ocorra a redução de temperatura do ambiente, o fio sofrerá contração, com o risco de rompimento II Falsa A distância entre os fios é

Leia mais

Dilatação Térmica Aula 4 Allan Calderon

Dilatação Térmica Aula 4 Allan Calderon Dilatação Térmica Aula 4 Allan Calderon Transmissão de calor Def.: O calor é uma forma de energia que se propaga entre dois pontos, devido a uma diferença de temperatura entre eles. Ex.: Efeito estufa:

Leia mais

Física E Semiextensivo V. 1

Física E Semiextensivo V. 1 Física E Semiextensivo V. 1 Exercícios 01) V V F F F 02) A 03)D 04) B 05) E 06) C 07) B I. Verdadeira. II. Verdadeira. III. Falsa. Calor é a energia térmica em trânsito e temperatura é agitação molecular.

Leia mais

Temperatura, calor e processos de transmissão de calor

Temperatura, calor e processos de transmissão de calor REVISÃO ENEM Temperatura, calor e processos de transmissão de calor TEMPERATURA Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas. Quanto maior for o grau

Leia mais

CALORIMETRIA E TERMOLOGIA

CALORIMETRIA E TERMOLOGIA CALORIMETRIA E TERMOLOGIA CALORIMETRIA Calor É a transferência de energia de um corpo para outro, decorrente da diferença de temperatura entre eles. quente Fluxo de calor frio BTU = British Thermal Unit

Leia mais

Exercícios Resolvidos FISICA E - Apostila 2 Semi

Exercícios Resolvidos FISICA E - Apostila 2 Semi Exercícios Resolvidos FISICA E - Apostila 2 Semi 01. (corrigir gabarito) I. Verdadeira. Caso ocorra a redução de temperatura do ambiente, o fio sofreria contração, com o risco de rompimento. II. Falsa.

Leia mais

CALORIMETRIA Calor. CALORIMETRIA Potência ou Fluxo de Calor

CALORIMETRIA Calor. CALORIMETRIA Potência ou Fluxo de Calor CALORIMETRIA Calor É a transferência de energia de um corpo para outro, decorrente da diferença de temperatura entre eles. quente frio Unidades de calor 1 cal = 4,186 J (no SI) 1 kcal = 1000 cal Fluxo

Leia mais

Física e Química A 10.º ano

Física e Química A 10.º ano Energia, fenómenos térmicos e radiação II Física e Química A 10.º ano 1. Responde às seguintes questões. Num dia de inverno, a temperatura no exterior é de - 3ºC e a temperatura no interior de um apartamento

Leia mais

CONDUÇÃO TÉRMICA. Condução é o processo de propagação de calor no qual a energia térmica passa de partícula para partícula de um meio.

CONDUÇÃO TÉRMICA. Condução é o processo de propagação de calor no qual a energia térmica passa de partícula para partícula de um meio. PROPAGAÇÃO DE CALOR CONDUÇÃO TÉRMICA Condução é o processo de propagação de calor no qual a energia térmica passa de partícula para partícula de um meio. FLUXO DE CALOR (Φ) LEI DE FOURIER Q t (θ 1 > θ

Leia mais

Testes gerais

Testes gerais Testes gerais Termometria. Em uma escala termométrica arbitrária A, atribui-se 0ºA à temperatura de fusão do gelo e 20ºA à temperatura de ebulição da água. Quando a temperatura for de 20ºC, na escala A,

Leia mais

Prof. Renato. EME Prof. Vicente Bastos SESI Carrão. Física 2ª. Série Aula 13

Prof. Renato. EME Prof. Vicente Bastos SESI Carrão. Física 2ª. Série Aula 13 Aula 13 Medindo o calor 1. Mudança de estado físico (solidificação) (liquefação) Sólido - Líquido - Gás (fusão) (ebulição) 2. Curvas de aquecimento Gráfico de Temperatura x Quantidade de calor: T x Q Exemplos:

Leia mais

Vestibulares da UFPB Provas de Física de 94 até 98 Prof. Romero Tavares Fone: (083) Termologia

Vestibulares da UFPB Provas de Física de 94 até 98 Prof. Romero Tavares Fone: (083) Termologia Prof. Romero avares Fone: (08)5-869 ermologia UFPB/98. 80g de uma substância, inicialmente na fase sólida, recebem calor. O gráfico da temperatura em função do calor recebido Q é dado ao lado. O calor

Leia mais

Propagação do Calor e Calorimetria

Propagação do Calor e Calorimetria Condução Térmica Física 3 - Capítulo 3 Propagação do Calor e Calorimetria Propagação de calor em que a energia térmica passa de partícula para partícula, sem transporte de matéria. Ocorre nos materiais

Leia mais

Temperatura, Calor e a Primeira Lei da Termodinâmica

Temperatura, Calor e a Primeira Lei da Termodinâmica Temperatura, Calor e a Primeira Temperatura; A Lei Zero da Termodinâmica; Medindo a Temperatura; Escala Celsius e Fahrenheit; Dilatação Térmica; Temperatura e Calor; Absorção de Calor por Sólidos e Líquidos;

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Departamento de Estudos Básicos e Instrumentais 3 Termologia Física II Prof. Roberto Claudino Ferreira Prof. Roberto Claudino 1 ÍNDICE 1. Conceitos Fundamentais;

Leia mais

TERMOLOGIA. Calorimetria:

TERMOLOGIA. Calorimetria: TERMOLOGIA Calorimetria: Calor: é energia térmica em trânsito. Ela ocorre sempre entre dois corpos com temperaturas diferentes. O corpo com temperatura maior sede espontaneamente calor para o corpo que

Leia mais

TERMODINÂMICA. Radiação Solar. Anjo Albuquerque

TERMODINÂMICA. Radiação Solar. Anjo Albuquerque TERMODINÂMICA Radiação Solar 1 Anjo Albuquerque TERMODINÂMICA A Termodinâmica é a área da Física que nos permite compreender o mundo que nos rodeia, desde a escala dos átomos até à escala do universo;

Leia mais

IFSP - Pirituba Prof. Renato Pugliese renatopugliese.wordpress.com. Curso Preparatório para o ENEM (frente 2) 2º semestre de 2016

IFSP - Pirituba Prof. Renato Pugliese renatopugliese.wordpress.com. Curso Preparatório para o ENEM (frente 2) 2º semestre de 2016 IFSP - Pirituba Prof. Renato Pugliese renatopugliese.wordpress.com Curso Preparatório para o ENEM (frente 2) 2º semestre de 2016 Aula 1 - Temperatura e Equilíbrio térmico; Escalas Apresentação - Professor

Leia mais

A) condensação do vapor de água dissolvido no ar ao encontrar uma superfície à temperatura mais baixa.

A) condensação do vapor de água dissolvido no ar ao encontrar uma superfície à temperatura mais baixa. lista_1-conceitos_iniciais_em_termologia Questão 1 Os cálculos dos pesquisadores sugerem que a temperatura média dessa estrela é de T i = 2.700 C. Considere uma estrela como um corpo homogêneo de massa

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA º ANO - ª MENSAL - º TRIMESTRE TIPO A 01) No gráfico abaixo, temos uma seqüência de transformações gasosas, que seguem a seguinte ordem: ABCDA. De acordo com o apresentado, assinale verdadeiro

Leia mais

Física 20 Questões [Médio]

Física 20 Questões [Médio] Física 20 Questões [Médio] 01 - (UFRRJ ) Uma pessoa retira um botijão de gás de um local refrigerado e o coloca em um outro lugar, sobre o qual os raios solares incidem diretamente. Desprezando qualquer

Leia mais

O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA??

O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA?? TERMOMETRIA O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA?? Termometria: Área específica da Termodinâmica que estuda a temperatura e suas diferentes escalas usadas pelo mundo Temperatura: Parâmetro termométrico que

Leia mais

CALORIMETRIA (CONTINUAÇÃO)

CALORIMETRIA (CONTINUAÇÃO) CALORIMETRIA (CONTINUAÇÃO) Calor latente Nem toda a troca de calor existente na natureza se detém a modificar a temperatura dos corpos. Em alguns casos há mudança de estado físico destes corpos. Neste

Leia mais

Energia: Capacidade de realizar trabalho.

Energia: Capacidade de realizar trabalho. Energia: Capacidade de realizar trabalho. Formas de energia: Matéria: - Cinética (movim. macroscópico, térmica, etc) - Potencial (elétrica, gravitacional, elástica, etc) Tudo que tem massa e ocupa lugar

Leia mais

CPOG. Prof. Felipe Cardoso. Escalas Termométricas Dilatação Calorimetria

CPOG. Prof. Felipe Cardoso. Escalas Termométricas Dilatação Calorimetria AULA DO CPOG Prof. Felipe Cardoso Escalas Termométricas Dilatação Calorimetria Escalas termométricas Em um gráfico Relações de variação Petrobras maio 2010 TO prova 35 Petrobras 2010 TO prova 40 Petrobras

Leia mais

O volume que extravasa (V ) é a diferença entre a dilatação do mercúrio e a dilatação do recipiente de vidro. Dados: V 0 = 2, cm 3 ;

O volume que extravasa (V ) é a diferença entre a dilatação do mercúrio e a dilatação do recipiente de vidro. Dados: V 0 = 2, cm 3 ; 1. Certo metal possui um coeficiente de dilatação linear α. Uma barra fina deste metal, de comprimento L 0, sofre uma dilatação para uma dada variação de temperatura Δ T. Para uma chapa quadrada fina de

Leia mais

TERMODINÂMICA. Módulo 6 1ª Lei da Termodinâmica Módulo 7 2ª Lei da Termodinâmica

TERMODINÂMICA. Módulo 6 1ª Lei da Termodinâmica Módulo 7 2ª Lei da Termodinâmica TERMODINÂMICA Módulo 6 1ª Lei da Termodinâmica Módulo 7 ª Lei da Termodinâmica 1) Trabalho de um gás () p F A Para F = cte: F p. A F d cos F = cte. p Ad V Variação de Volume d V Ad p = cte. p V Para p

Leia mais

TERMODINÂMICA. Módulo 6 1ª Lei da Termodinâmica Módulo 7 2ª Lei da Termodinâmica

TERMODINÂMICA. Módulo 6 1ª Lei da Termodinâmica Módulo 7 2ª Lei da Termodinâmica TERMODINÂMICA Módulo 6 1ª Lei da Termodinâmica Módulo 7 ª Lei da Termodinâmica 1) Trabalho de um gás () p F A Para F = cte: F p. A F d cos F = cte. p Ad V Variação de Volume d V Ad p = cte. p V Para p

Leia mais

Física Experimental - Termodinâmica - Conjunto para termodinâmica - EQ054

Física Experimental - Termodinâmica - Conjunto para termodinâmica - EQ054 Índice Remissivo... 4 Abertura... 6 Guarantee / Garantia... 7 Certificado de Garantia Internacional... 7 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos

Leia mais

Cap 18 (8 a edição) Temperatura, Calor e Primeira lei da termodinâmica

Cap 18 (8 a edição) Temperatura, Calor e Primeira lei da termodinâmica Termodinâmica: estuda a energia térmica. Cap 18 (8 a edição) Temperatura, Calor e Primeira lei da termodinâmica O que é temperatura: mede o grau de agitação das moléculas. Um pedaço de metal a 10 o C e

Leia mais

TC 1 Revisão UECE 1 a. fase Física Prof. João Paulo

TC 1 Revisão UECE 1 a. fase Física Prof. João Paulo 1. (IFCE 2011) Um estudante de Física resolveu criar uma nova escala termométrica que se chamou Escala NOVA ou, simplesmente, Escala N. Para isso, o estudante usou os pontos fixos de referência da água:

Leia mais

Resolução da lista de termodinâmica + dilatação térmica Qualquer dúvida:

Resolução da lista de termodinâmica + dilatação térmica Qualquer dúvida: Resolução da lista de termodinâmica + dilatação térmica Qualquer dúvida: energia.quantizada@gmail.com Questão 1 01 Errado, Carnot nunca prôpos a construção de uma máquina térmica perfeita (100%) ele apenas

Leia mais

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO REVISÃO ENEM ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo. Quanto maior for o grau de agitação molecular,

Leia mais

3. Existe uma temperatura que tem o mesmo valor na escala Celsius e na escala Fahrenheit. Qual é essa temperatura?

3. Existe uma temperatura que tem o mesmo valor na escala Celsius e na escala Fahrenheit. Qual é essa temperatura? FÍSICA CARLOS (A) 1. Maria usou um livro de receitas para fazer um bolo de fubá. Mas, ao fazer a tradução do livro do inglês para o português, a temperatura permaneceu em Fahrenheit (ºF). A receita disse

Leia mais

Prof. Paulo Henrique Muel er Biologia e Ciências Naturais TERMOLOGIA

Prof. Paulo Henrique Muel er Biologia e Ciências Naturais TERMOLOGIA TERMOLOGIA Introdução Todos os corpos são constituídos por partículas que estão sempre em movimento. Esse movimento é denominado energia interna do corpo. O nível de energia interna de um corpo depende

Leia mais

FÍSICA PROFº JAISON MATTEI

FÍSICA PROFº JAISON MATTEI FÍSICA PROFº JAISON MATTEI 1. Um sistema termodinâmico constituído de n mols de um gás perfeito monoatômico desenvolve uma transformação cíclica ABCDA representada no diagrama a seguir. De acordo com o

Leia mais

25/Mar/2015 Aula /Mar/2015 Aula 9

25/Mar/2015 Aula /Mar/2015 Aula 9 20/Mar/2015 Aula 9 Processos Politrópicos Relações politrópicas num gás ideal Trabalho: aplicação aos gases perfeitos Calor: aplicação aos gases perfeitos Calor específico politrópico Variação de entropia

Leia mais

Aula anterior: Esta Aula: Próxima aula:

Aula anterior: Esta Aula: Próxima aula: Aula anterior: Composição da atmosfera: do que é composta; fontes e sumidouros; como alcançou o estado atual. Breve discussão sobre pressão, densidade, temperatura. Esta Aula: Temperatura, pressão e densidade

Leia mais

29/Mar/2017 Aula /Mar/2017 Aula 9

29/Mar/2017 Aula /Mar/2017 Aula 9 24/Mar/2017 Aula 9 Processos Politrópicos Relações politrópicas num gás ideal Trabalho: aplicação aos gases perfeitos Calor: aplicação aos gases perfeitos Calor específico politrópico Variação de entropia

Leia mais

ESZO Fenômenos de Transporte

ESZO Fenômenos de Transporte Universidade Federal do ABC ESZO 001-15 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. Ana Maria Pereira Neto ana.neto@ufabc.edu.br Bloco A, torre 1, sala 637 Mecanismos de Transferência de Calor Calor Calor pode

Leia mais

Unidade 9 Transferência de Calor. Introdução Condução Fluxo de calor Convecção Irradiação

Unidade 9 Transferência de Calor. Introdução Condução Fluxo de calor Convecção Irradiação Unidade 9 Transferência de Calor Introdução Condução Fluxo de calor Convecção Irradiação Introdução Você já reparou que as colheres utilizadas para misturar alimentos em panelas costumam ser feitas de

Leia mais

1. Suponha que em uma escala linear de temperatura X a água ferva a 53,3 o X e congele a -170 o X. Qual a temperatura de 340K na escala X?

1. Suponha que em uma escala linear de temperatura X a água ferva a 53,3 o X e congele a -170 o X. Qual a temperatura de 340K na escala X? BC0303: Fenômenos Térmicos - 1 a Lista de Exercícios Termômetros, Temperatura e Escalas de Temperatura 1. Suponha que em uma escala linear de temperatura X a água ferva a 53,3 o X e congele a -170 o X.

Leia mais

BC0205. Fenômenos Térmicos Gustavo M. Dalpian Terceiro Trimestre/2009. Aula 2 Dalpian

BC0205. Fenômenos Térmicos Gustavo M. Dalpian Terceiro Trimestre/2009. Aula 2 Dalpian BC0205 Fenômenos Térmicos Gustavo M. Dalpian Terceiro Trimestre/2009 Fenômenos Térmicos? Ementa: Temperatura e calor. Sistemas termodinâmicos. Variáveis termodinâmicas e sua natureza macroscópica. Teoria

Leia mais

Graça Meireles. Física -10º ano. Física -10º ano 2

Graça Meireles. Física -10º ano. Física -10º ano 2 Escola Secundária D. Afonso Sanches Energia do Sol para a Terra Graça Meireles Física -10º ano 1 Variação da Temperatura com a Altitude Física -10º ano 2 1 Sistemas Termodinâmicos Propriedades a ter em

Leia mais

Curso de Engenharia Civil

Curso de Engenharia Civil Curso de Engenharia Civil Física Geral e Experimental II 2 período A e B Calorimetria e Termodinâmica Prof.a Érica Muniz Capacidade térmica de um corpo: Capacidade térmica de um corpo é a grandeza que

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Propagação de Calor

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Propagação de Calor Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 2 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Propagação de Calor 1. (Enem 2013) Em um experimento foram utilizadas duas garrafas PET, uma pintada

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS Faculdade Sudoeste Paulista Engenharia Civil/Produção Notas de aula: CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS PROPRIEDADES TÉRMICAS Prof. Msc. Patrícia Corrêa Avaré, 2014 Propriedades de materiais: 1. Térmica

Leia mais

TERMODINÂMICA. Radiação Solar. Anjo Albuquerque

TERMODINÂMICA. Radiação Solar. Anjo Albuquerque TERMODINÂMICA Radiação Solar 1 Anjo Albuquerque TERMODINÂMICA Termodinâmica - é a área da Física que nos permite compreender o mundo que nos rodeia, desde a escala dos átomos até à escala do universo.

Leia mais

PROPAGAÇÃO DE CALOR A propagação do calor entre dois sistemas pode ocorrer através de três processos diferentes: a condução, a convecção e a radiação.

PROPAGAÇÃO DE CALOR A propagação do calor entre dois sistemas pode ocorrer através de três processos diferentes: a condução, a convecção e a radiação. PROPAGAÇÃO DE CALOR A propagação do calor entre dois sistemas pode ocorrer através de três processos diferentes: a condução, a convecção e a radiação. CONDUÇÃO TÉRMICA A condução térmica é um processo

Leia mais

CURSO: Engenharia Civil DISCIPLINA: Tópicos de Física Geral e Experimental PROFº: MSc. Demetrius Leão

CURSO: Engenharia Civil DISCIPLINA: Tópicos de Física Geral e Experimental PROFº: MSc. Demetrius Leão CURSO: Engenharia Civil DISCIPLINA: Tópicos de Física Geral e Experimental PROFº: MSc. Demetrius Leão 1 ACOMPANHE A DISCIPLINA PELA INTERNET Página com as aulas e listas de exercícios: Palavra-chave no

Leia mais

UDESC 2015/2 FÍSICA. Comentário

UDESC 2015/2 FÍSICA. Comentário FÍSICA I. Incorreta. Com o aumento da distância a força aplicada é menor para produzir o mesmo torque. II. Incorreta. Joule é a unidade específica para energia. III. Correta. IV. Incorreta. Se a força

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 3ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 3ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA º ANO - ª MENSAL - º RIMESRE IPO A 0) Um gás sofre a transformação termodinâmica cíclica ABCA representada no gráfico p x V. No trecho AB, a transformação é isotérmica. Analise as afirmações

Leia mais

d) condução e convecção b) radiação e condução e) condução e radiação c) convecção e radiação

d) condução e convecção b) radiação e condução e) condução e radiação c) convecção e radiação Lista 7 Propagação de calor 01. Sabe-se que a temperatura do café se mantém razoavelmente constante no interior de uma garrafa térmica perfeitamente vedada. a) Qual o principal fator responsável por esse

Leia mais

1ª Aula do cap. 19 Termologia

1ª Aula do cap. 19 Termologia 1ª Aula do cap. 19 Termologia T e m p e r a t u r a O valor da temperatura está associada ao nível de agitação das partículas de um corpo. A temperatura é uma medida da agitação térmica das partículas

Leia mais

2º Lei da Termodinâmica. Introdução Enunciado da 2º lei Rendimento de uma máquina térmica Ciclo de Carnot

2º Lei da Termodinâmica. Introdução Enunciado da 2º lei Rendimento de uma máquina térmica Ciclo de Carnot 2º Lei da Termodinâmica Introdução Enunciado da 2º lei Rendimento de uma máquina térmica Ciclo de Carnot Introdução Chamamos, genericamente, de máquina a qualquer dispositivo que tenha por finalidade transferir

Leia mais

Universidade Federal Rural do Semiárido - UFERSA

Universidade Federal Rural do Semiárido - UFERSA Universidade Federal Rural do Semiárido - UFERSA Temperatura e Calor Jusciane da Costa e Silva Mossoró, Junho de 2010 Introdução temperatura Termodinâmica calor energia interna Típico sistema termodinâmico,

Leia mais

Termologia: Calorimetria

Termologia: Calorimetria Termologia: Calorimetria Física_9 EF Profa. Kelly Pascoalino Nesta aula: Temperatura x Calor; Processos de propagação de calor; Calor específico; Calor Latente e mudanças de estado. TEMPERATURA X CALOR

Leia mais

Dados. = 1, W/m 2 v som ar = 343 m/s v luz vácuo = c = m/s k B. = 1, J/mol K u massa

Dados. = 1, W/m 2 v som ar = 343 m/s v luz vácuo = c = m/s k B. = 1, J/mol K u massa Física 3 1 a prova 04/06/2016 A Atenção: Leia as recomendações antes de fazer a prova. 1 Assine seu nome de forma LEGÍVEL na folha do cartão de respostas. 2 Leia os enunciados com atenção. 3 Analise sua

Leia mais

9. (Uel 95) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius, conforme o gráfico a seguir.

9. (Uel 95) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius, conforme o gráfico a seguir. 1. (G1) Em uma determinada escala arbitrária o ponto de congelamento da água é de 10 unidades, enquanto que o ponto de ebulição é de 210 unidades. Todas as medidas feitas ao nível do mar. Qual é a temperatura

Leia mais

Ciclo e máquinas térmicas

Ciclo e máquinas térmicas Questão 01 - (UFJF MG) Em um experimento controlado em laboratório, uma certa quantidade de gás ideal realizou o ciclo ABCDA, representado na figura abaixo. desenho abaixo. As transformações FG e HI são

Leia mais

ACH1014 Fundamentos de Física. Usinas térmicas. Profa Dra Patricia Targon Campana

ACH1014 Fundamentos de Física. Usinas térmicas. Profa Dra Patricia Targon Campana ACH1014 Fundamentos de Física Usinas térmicas Profa Dra Patricia Targon Campana Pcampana@usp.br 2013 A Termodinâmica e o conceito de usina térmica Estudo das transformações e as relações existentes entre

Leia mais

Uma Escola Pensando em Você Aluno(a): nº Série: 2 col C Disciplina: Física. Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 2010

Uma Escola Pensando em Você Aluno(a): nº Série: 2 col C Disciplina: Física. Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 2010 Uma Escola Pensando em Você luno(a): nº Série: 2 col C Disciplina: Física Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 21 Trabalho de Recuperação de Física (1º e 2 imestres) Instruções: 1. O trabalho deverá

Leia mais

2 Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor

2 Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor Nome Nº Ano/Série Ensino Turma 2 Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor Física Carlos A8/TI 2º/2016 02/08/2016 5,0 Introdução: Querido(a) aluno(a), Este material foi elaborado

Leia mais

Resoluções dos exercícios propostos

Resoluções dos exercícios propostos da física P.58 a) Do gráfico: V 3 0 3 m 3 ; V 0 3 m 3 Dado: 300 K p p V V 3 0 300 3 3 0 00 K b) área do gráfico é numericamente igual ao 8 p ( 0 3 N/m ) N $ módulo do trabalho no processo: base altura

Leia mais

A partir dos dados, tem-se a seguinte correspondência: Usando a proporcionalidade, tem-se: x x = =

A partir dos dados, tem-se a seguinte correspondência: Usando a proporcionalidade, tem-se: x x = = 01 A partir dos dados, tem-se a seguinte correspondência: Usando a proporcionalidade, tem-se: x 20 92 32 x 20 60 = = 80 20 212 32 60 180 x 20 = 20 x = 40 mm Resposta: B 1 02 A partir dos dados, tem-se:

Leia mais

Profa.. Dra. Ana Maria Pereira Neto

Profa.. Dra. Ana Maria Pereira Neto 5/09/0 Universidade Federal do ABC BC309 Termodinâmica Aplicada Profa.. Dra. Ana Maria Pereira Neto ana.neto@ufabc.edu.br Bloco A, torre, sala 637 Calor, Trabalho e Primeira Lei da Termodinâmica 5/09/0

Leia mais

Unidade 11 - Termodinâmica

Unidade 11 - Termodinâmica Unidade 11 - Termodinâmica 1ª Lei da Termodinâmica 1ª Lei da Termodinâmica É simplesmente uma extensão do Princípio da Conservação da Energia, envolvendo transformações gasosas. Para podermos compreender

Leia mais

AULA 13 CALORIMETRIA. 1- Introdução

AULA 13 CALORIMETRIA. 1- Introdução AULA 13 CALORIMETRIA 1- Introdução Neste capítulo estudaremos o calor e suas aplicações. Veremos que o calor pode simplesmente alterar a temperatura de um corpo, ou até mesmo mudar o seu estado físico.

Leia mais

CALORIMETRIA - EXERCÍCIOS E TESTES DE VESTIBULARES

CALORIMETRIA - EXERCÍCIOS E TESTES DE VESTIBULARES CALORIMETRIA - EXERCÍCIOS E TESTES DE VESTIBULARES 1. (UFV-96) Ao derramarmos éter sobre a pele, sentimos uma sensação de resfriamento em conseqüência de: a. o éter penetrar nos poros, congelando imediatamente

Leia mais

Fís. Professor: Leo Gomes Monitor: Arthur Vieira. Fís

Fís. Professor: Leo Gomes Monitor: Arthur Vieira. Fís . Semana 19 Professor: Leo Gomes Monitor: Arthur Vieira Exercícios de calorimetria 19 jun EXERCÍCIOS DE AULA 1. (ENEM) Aquecedores solares usados em residências têm o objetivo de elevar a temperatura da

Leia mais

Resumo do Conteúdo. 1ª Lei da Termodinâmica

Resumo do Conteúdo. 1ª Lei da Termodinâmica SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2º TURMA(S):

Leia mais

Profa.. Dra. Ana Maria Pereira Neto

Profa.. Dra. Ana Maria Pereira Neto Universidade Federal do ABC BC1309 Termodinâmica Aplicada Profa.. Dra. Ana Maria Pereira Neto ana.neto@ufabc.edu.br Segunda ei da Termodinâmica 1 Segunda ei da Termodinâmica Comparação com a 1ª ei da Termodinâmica;

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL FÍSICA TÉRMICA E DAS RADIAÇÕES. Calor e Temperatura. Professor Elder Latosinski

INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL FÍSICA TÉRMICA E DAS RADIAÇÕES. Calor e Temperatura. Professor Elder Latosinski INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL FÍSICA TÉRMICA E DAS RADIAÇÕES Calor e Temperatura Professor Elder Latosinski INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL

Leia mais

Q 1 1. MÁQUINAS TÉRMICAS 2. RENDIMENTO ( ) DE UMA MÁQUINA TÉRMICA 3. MÁQUINA DE CARNOT

Q 1 1. MÁQUINAS TÉRMICAS 2. RENDIMENTO ( ) DE UMA MÁQUINA TÉRMICA 3. MÁQUINA DE CARNOT Tópico.07 Máquinas Térmicas. MÁUINAS TÉRMICAS É qualquer dispositivo que, trabalhando entre duas fontes térmicas ( fria e quente ), faz a conversão de calor em trabalho mecânico. Máquinas a vapor e motores

Leia mais

2.1 Breve história da termodinâmica

2.1 Breve história da termodinâmica 2.1 Breve história da termodinâmica TERMODINÂMICA calor força, movimento No início, estudava os processos que permitiam converter calor em trabalho (força e movimento). 2.1 Breve história da termodinâmica

Leia mais

Calorimetria - Quantidade de calor - Calor especifico - Capacidade térmica - Mudanças de fase da substância

Calorimetria - Quantidade de calor - Calor especifico - Capacidade térmica - Mudanças de fase da substância ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO PARA ATENDIMENTO DA PROGRESSÃO PARCIAL ESTUDOS INDEPENDENTES- 1º e 2º SEMESTRE RESOLUÇÃO SEE Nº 2.197, DE 26 DE OUTUBRO DE 2012 ANO

Leia mais

Lista Transmissão de Calor DUDU

Lista Transmissão de Calor DUDU Lista Transmissão de Calor DUDU 1. (Upe-ssa 016) É muito comum o amplo uso de aparelhos de ar-condicionado durante o verão intenso do Recife. Nessa cidade, uma residência possui uma parede de área 40 m

Leia mais

Entre sistemas a temperaturas diferentes a energia transfere-se do sistema com temperatura mais elevada para o sistema a temperatura mais baixa.

Entre sistemas a temperaturas diferentes a energia transfere-se do sistema com temperatura mais elevada para o sistema a temperatura mais baixa. Sumário Do Sol ao Aquecimento Unidade temática 1. Mecanismos de transferência de calor: a radiação, a condução e a convecção. O coletor solar e o seu funcionamento. Materiais condutores e isoladores do

Leia mais

Colégio Dominus Vivendi Professor Anderson Lista de exercícios 2º ano (REC)

Colégio Dominus Vivendi Professor Anderson Lista de exercícios 2º ano (REC) Colégio Dominus Vivendi Professor Anderson Lista de exercícios 2º ano (REC) 1-(Mackenzie-SP) Numa cidade da Europa, no decorrer de um ano, a temperatura mais baixa no inverno foi de 23 ºF e a mais alta

Leia mais

Exercício 1. Exercício 2.

Exercício 1. Exercício 2. Exercício 1. Como resultado de um aumento de temperatura de 32 o C, uma barra com uma rachadura no seu centro dobra para cima (Figura). Se a distância fixa for 3,77 m e o coeficiente de expansão linear

Leia mais

Física 20 Questões [Fácil]

Física 20 Questões [Fácil] Física 20 Questões [Fácil] 01 - (ITA SP) Uma máquina térmica reversível opera entre dois reservatórios térmicos de temperaturas 100 C e 127 C, respectivamente, gerando gases aquecidos para acionar uma

Leia mais

TRANSMISSÃO DE CALOR

TRANSMISSÃO DE CALOR AULA 14 TRANSMISSÃO DE CALOR 1- INTRODUÇÃO Neste capítulo estudaremos os três processos de transmissão de calor e a dilatação térmica nos sólidos e nos líquidos. 2- CONDUÇÃO Condução é o processo de transmissão

Leia mais

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F 1. Considere um bloco de gelo de massa 300g encontra-se a 0 C. Para que todo gelo se derreta, obtendo água a 0 C são necessárias 24.000 cal. Determine o calor latente de fusão do gelo. 2. Considere um

Leia mais

Aula Calor e 1ª Lei da Termodinâmica. As leis da Termodinâmica foram inicialmente obtidas empiricamente e somente

Aula Calor e 1ª Lei da Termodinâmica. As leis da Termodinâmica foram inicialmente obtidas empiricamente e somente 1 Aula Calor e 1ª Lei da Termodinâmica Tema: Termodinâmica a serem abordados os assuntos: - Lei zero da Termodinâmica; - 1ª Lei da Termodinâmica calor e energia; - 2ª Lei entropia; - Aplicações da Termodinâmica

Leia mais

ESTUDO DOS GASES. Energia cinética de um gás. Prof. Patricia Caldana

ESTUDO DOS GASES. Energia cinética de um gás. Prof. Patricia Caldana ESTUDO DOS GASES Prof. Patricia Caldana Gases são fluidos no estado gasoso, a característica que o difere dos fluidos líquidos é que, quando colocado em um recipiente, este tem a capacidade de ocupa-lo

Leia mais

Aquecimento de um sistema

Aquecimento de um sistema Aquecimento de um sistema Aquecimento de diferentes quantidades de água Quando se fornece, num dado intervalo de tempo, a mesma quantidade de energia a dois sistemas, A e B, que diferem apenas na sua massa.

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Física

Universidade de São Paulo Instituto de Física Universidade de São Paulo Instituto de Física FEP - FÍSICA II para o Instituto Oceanográfico º Semestre de 009 Sexta Lista de Exercícios a. Lei da Termodinâmica e Teoria Cinética dos Gases ) Uma máquina

Leia mais

TRANSMISSÃO DE CALOR (PROPAGAÇÃO DE CALOR) Prof. Lucas

TRANSMISSÃO DE CALOR (PROPAGAÇÃO DE CALOR)  Prof. Lucas TRANSMISSÃO DE CALOR (PROPAGAÇÃO DE CALOR) www.wikifisica.com Prof. Lucas 1. Fluxo de calor (Ø): é a quantidade de calor Q, que atravessa uma superfície S, por unidade de tempo Δt. Condução térmica

Leia mais

Primeira Lei da Termodinâmica

Primeira Lei da Termodinâmica Primeira Lei da Termodinâmica Na termodinâmica existem dois princípios que precisam ser enfatizados.um deles é o princípio da conservação da energia e o segundo princípio é a inerente irreversibilidade

Leia mais

Aula 6 A 2a lei da termodinâmica Física II UNICAMP 2012

Aula 6 A 2a lei da termodinâmica Física II UNICAMP 2012 Aula 6 A 2a lei da termodinâmica Física II UNICAMP 2012 http://en.wikipedia.org/wiki/steam_car Caldeira de carro a vapor de 1924. Populares até a década de 1930, perderam prestígio com a popularização

Leia mais

EXERCÍCIOS FÍSICA 10. e problemas Exames Testes intermédios Professor Luís Gonçalves

EXERCÍCIOS FÍSICA 10. e problemas Exames Testes intermédios Professor Luís Gonçalves FÍSICA 10 EXERCÍCIOS e problemas Exames 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Testes intermédios 2008 2009 2010 2011 Escola Técnica Liceal Salesiana do Estoril Professor Luís Gonçalves 2 3 Unidade 1 Do Sol ao

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE FÍSICA

LISTA DE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE FÍSICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE FÍSICA ALUNO(a): Nº: SÉRIE: 2ª TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /2017 Obs.: Esta lista deve ser entregue resolvida no dia da prova de recuperação. Valor:

Leia mais

C m Q C T T 1 > T 2 T 1 T 2. 1 cal = 4,184 J (14,5 o C p/ 15,5 o C) 1 Btu = 252 cal = 1,054 kj

C m Q C T T 1 > T 2 T 1 T 2. 1 cal = 4,184 J (14,5 o C p/ 15,5 o C) 1 Btu = 252 cal = 1,054 kj A teoria do calórico (~1779) Para atingir o estado de equilíbrio térmico, T 1 T 2 T 1 > T 2 -Substância fluida - invisível - peso desprezível T a quantidade de calórico Esta teoria explicava um grande

Leia mais

GOIÂNIA, / / ALUNO(a): TRABALHO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 o Semestre

GOIÂNIA, / / ALUNO(a): TRABALHO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 o Semestre GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Fabrízio Gentil Bueno DISCIPLINA: FÍSICA SÉRIE: 2 o ALUNO(a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem TRABALHO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 o Semestre 01- (Fac. de Ciências da Saúde

Leia mais

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

Capítulo 4: Análise de Sistemas - 1ª e 2ª Leis da Termodinâmica

Capítulo 4: Análise de Sistemas - 1ª e 2ª Leis da Termodinâmica Capítulo 4: Análise de Sistemas - 1ª e 2ª Leis da Termodinâmica A segunda lei da termodinâmica Máquinas térmicas e bombas de calor Ciclos reversíveis Ciclo de Carnot A segunda lei da termodinâmica O que

Leia mais

Programa da cadeira Termodinâmica e Teoria Cinética

Programa da cadeira Termodinâmica e Teoria Cinética Programa da cadeira Termodinâmica e Teoria Cinética Cursos: Engenharia Civil, Engenharia de Instrumentação e Electrónica Ano lectivo 2004-05, 2º semestre Docentes: Prof. Dr. Mikhail Benilov (aulas teóricas,

Leia mais

αchumbo= ºC -1 αbronze= ºC -1

αchumbo= ºC -1 αbronze= ºC -1 Exercícios dilatação e transferência de calor 1.Um cilindro de aço, que se encontra em um ambiente cuja temperatura é de 20 C, tem como medida de seu diâmetro 10,00 cm. Levado para outro ambiente cuja

Leia mais

PROF.: Henrique Dantas

PROF.: Henrique Dantas PROF.: Henrique Dantas DILATAÇÃO TÉRMICA: Em física, dilatação térmica é o nome que se dá a variação das dimensões de um corpo, ocasionado pela variação de sua temperatura. DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS:

Leia mais