LAVA-JATO TRANSALVADOR? NÃO, PERAÍ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LAVA-JATO TRANSALVADOR? NÃO, PERAÍ"

Transcrição

1

2 Você repórter rafael manga/fotos do leitor DESMATAMENTO EM PERNAMBUÉS O leitor Rafael Manga procurou a Metrópole para denunciar o desmatamento no bairro de Pernambués, em Salvador. A nova administração do Condomínio São Judas Tadeu está desmatando a área. Segundo moradores, não houve nenhuma reunião para explicar qual o motivo da operação, reclama. Alô, Sucom, vamos prestar atenção! ricardo barreto/fotos do leitor CRIADOURO DE MOSQUITO No bairro da Barroquinha, uma construção inacabada se tornou mais um foco de dengue na cidade. O flagra foi feito pelo leitor Ricardo Barreto e, segundo ele, a população contribui para o descaso jogando garrafas e diversos tipos de lixo no local. anonimo/fotos do leitor LAVA-JATO TRANSALVADOR? NÃO, PERAÍ Quem passa pelo bairro de Castelo Branco pode até pensar que a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador) está diversificando as áreas de atuação e investindo em outros estabelecimentos, mas não é bem isso. Um lava-jato clandestino que usa um um gelo baiano da Transalvador como sinalização, conta um leitor que preferiu não se identificar. De acordo com ele, a cara de pau é tamanha que o equipamento comprado com o dinheiro público fica posicionado bem no meio da rua, em frente à principal praça do bairro. Publisher Editora KSZ Diretor Executivo Chico Kertész Editor Felipe Paranhos Projeto Gráfico Marcelo Kertész Editor de Arte Paulo Braga Diagramação Dimitri Argolo Cerqueira Redação Bárbara Silveira Revisão Felipe Paranhos Fotos Tácio Moreira Produção Gráfica Evandro Brandão Comercial (71) Jornal da Grupo Metrópole Rua Conde Pereira Carneiro, 226 Pernambués CEP Salvador, BA tel.: (71) Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

3 Você repórter americo campos/fotos do leitor joceval sales/fotos do leitor DE NOVO, EMBASA? Desde junho, o leitor Américo Campos tenta sem sucesso resolver o seu problema com a Embasa. Quatro protocolos foram abertos solicitando uma solução para um bueiro que não para de vazar água, mas nenhuma resposta foi dada. Não está prejudicando só nossa casa como toda a Rua Rodolfo Pimentel, já tendo ocorrido acidente, reclamou. FECHANDO A CALÇADA Em plena luz do dia, diversos carros de cimento em fila um atrás do outro, mais ou menos uns oito atrapalhando os pedestres de passarem pelo local, reclama um leitor que preferiu não se identificar. Segundo ele, ao tentar passar pelo local, ele foi informado pelos trabalhadores que a passagem era proibida. Empresa privada proibindo acesso à calçada? Fica no Costa Azul, em frente ao restaurante Conversa Fiada, denuncia. xicu sales/fotos do leitor ana noleto/fotos do leitor ESTRADA? Mais conhecida como Estrada da Base Naval, a BA-528 não se parece em nada com uma estrada. Com crateras a cada metro, o local expõe o motorista ao perigo constante. Segundo o leitor Xicu Sales, nem mesmo os ônibus conseguem trafegar pelo local, que fica na Região Metropolitana de Salvador, com segurança. Até quando? CADÊ O DONO? A leitora Ana Noleto denuncia um carro abandonado há mais de um mês na Rua Ararenda, Parque Bela Vista de Brotas. Por favor, avisem ao Detran, pede a moradora da região. Na verdade, o assunto é com a Transalvador, então repassamos o pedido da leitora! Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de

4 ana paula bispo/metropress Dei uma piorada da porra na última quinzena. Moribundei de verdade. Aí, antes que eu dê um custipiu de pinote e caia duro de cu travado forever... 4 Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

5 A RÁDIO-MAMÃE SE DESPEDE Os cornos-novos e as calçoludas da Metrópole homenageiam seu maior filho, Roberto Albergaria o nosso Albreguinha, que nos deixou na última sexta-feira daniele rodrigues/metropress Fotos Tácio Moreira Texto Felipe Paranhos e Bárbara Silveira A nossa arenga de hoje é sobre você, Albergaria. É sobre nos arrepender um pouco de termos cobrado que você terminasse logo as centenas de longuíssimos comentários que você fez por tantos anos na Rádio Metrópole. É sobre desejar ter dado algumas páginas a mais da Revista Metrópole para que seus artigos fossem lidos pelo público na íntegra, e não cortados pelos olhos dos editores que precisavam encaixar o pensamento perspicaz e a poesia picante das palavras baianas num espaço pré-determinado. É sobre nos perguntar se não deveríamos ter aproveitado melhor a ausência de limites da internet para fazer ecoar seu raciocínio para atingir ainda mais gente. É sobre não saber estimar quanto conhecimento a Bahia perdeu. Sobre quanta genialidade sua foi simplificada pela imprensa sob o genérico nome de polêmica. Nossa arenga de hoje é sobre saudade, Albreguinha. Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de

6 Mário Kertész Eu avacalhava com ele, com muito respeito, amizade e com o carinho enorme que ele sabe que eu tenho por ele. E a admiração enorme pela inteligência, pela coragem dele de enfrentar tantas coisas. Brigava com ele porque eu achava que ele se descontruía muito, numa tentativa de se desconstruir, mesmo. Ele, quando fazia comentários sérios, não tinha ninguém que tinha a cultura, a inteligência e a perspicácia dele. mas Albergaria era um anarquista com ele mesmo. Ele sofreu muito no regime militar, foi preso, torturado, ficou com dificuldades de locomoção sérias que com o tempo foram se agravando, e eu tinha certeza que a Rádio Metrópole era o grande bálsamo da vida dele. Ele ficava a semana escrevendo, e eu às vezes o apressava. Dizia: Finalizando... Mas, no fundo, comigo mesmo, eu dizia: Ele passou a semana escrevendo isso, tantas coisas inteligentes. E eu tenho certeza que durante muito tempo a Rádio Metrópole foi a razão da vida do professor doutor Roberto Albergaria. Tenho certeza disso. Aqui, Aragão brincava com ele dizendo que ele era o manco, eu chamava ele de viado, e ele gargalhava. Era impressionante aquela imensa capacidade dele de rir. Enquanto hoje a gente chora. Agora, nas nossas segundas à tarde, não vão estar aquela cadeira de rodas, aquela irreverência, aquela coisa boa de denunciar a hipocrisia da gente. Que sujeito inteligente, culto. Com uma capacidade de análise extraordinária. Albergaria foi uma figura que marcou a nossa vida, os nossos 15 anos. Ele foi um grande colaborador da Revista da Metrópole, do Jornal da Metrópole, da rádio toda. Cansava de dar palpite, opinião... Fazia questão de chegar aqui, trazer coisas pra mim, sempre tudo preparadinho no plástico, num classificador, tudo muito arrumado. Era uma figura. Viva Roberto Albergaria. Viva. Ele vai viver em nossas mentes e em nossos corações. 6 Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

7 ana paula bispo/metropress ARTIGO ADEUS, MESTRE PUTOSO valter pontes O professor Roberto Albergaria, vencido pela solidão dos gênios, nesta sexta-feira, aos 63 anos, amava os mais jovens e tudo o que era novidade. Fosse com cornos-novos ou calçoludas, como ele costumava se referir, demonstrava grande prazer em transmitir conhecimento e mais do que isso em acender a fagulha da irreverência em todos aqueles que ainda são calouros nessas artes do livre pensar. Albergaria era daqueles raros com quem é suficiente uma ou duas conversas no ano para ser abastecido com opinões geniais, motivadoras brilhantismo no estado bruto. Em diatribes intermináveis na Rádio Metrópole, em s caóticos, longos, com pontuação acelerada, em que assinava ora como Dr. Abelhão, ora como Albreguinha, ele sempre surpreendia com o avesso do óbvio. A recente aparência de imperador excêntrico, com barba e cabelos longos e brancos, era a coroação do seu patrimônio intelectual. Daqui a 50 anos, quando tudo o que Albergaria falou e escreveu for entendido e absorvido, e não apenas interpretado como sandices ou polêmicas de um velho solitário, daqui a 50 anos, as homenagens virão justas e devidas a um baiano à frente do seu tempo. Sempre que um desses desaparece, nosso estado fica menor, assim como nossos corações. Albergaria admirava os jovens e demonstrava isso com generosidade incomum aos eruditos e esperada dos sábios. Havia amor tanto ao aceitar quanto ao recusar orientandos em faculdades, porque as duas atitudes eram movidas pela mesma razão: ele precisava entrar e transformar mentes jovens e desconfiava que em algumas delas não seria bem vindo. A ele devo o alerta, quase paternal, para desconfiar de ideologias políticas, quaisquer ideologias políticas, pois elas estavam sempre a serviço de homens infalíveis apenas na arte de auto-favorecimento. A ele devo as entrevistas mais irreverentes, cheias de significados ocultos e entrelinhas. O que o professor falava não se encerrava no ponto que dificilmente dava ao começar seus quase-monólogos. Tudo aquilo continuava a ecoar na cabeça, sempre provocando, sempre exigindo reflexões. Tentar alcançar a agudez de raciocínio de gente assim, mais do que desafio, é aprendizado. O mais debochado de todos os intelectuais, o mais culto de todos os bregueiros, se apropriava das expressões populares sem soar artificial como um acadêmico que canta pagode. E também era especialista em neologismos: gostava de se chamar putoso (contração de putão e idoso) da Península Itapagipana, de onde observava, com acuidade sociológica, piriguetes, mizeravonas, nigrinas ozadas e todas as variações das musas da baianidade. Tudo com uma forma displicente de conjugar o gerúndio como quem não quer dar na pinta que é culto, cê tá intendenu? Albergaria era versátil. A quem buscasse uma frase polêmica para uma manchete, ele presenteava, a quem buscasse uma análise apurada de um fenômeno social, ele cedia mas só depois de testar o interlocutor com anedotas, picuinhas, fofocas e comentários de duplo sentido. Como quando reagiu a uma proposta de elevação do nível intelectual dos protagonistas da mídia no estado. A comunicação baiana é uma calça perdida Melhor deixar todo mundo de rabo de fora mesmo, vaticinou ele, sempre fatalista. Provocativo e mordaz, poderia encerrar uma mensagem com um pícaro abraço do Dr. Abelhão (peru-de-redação) e depois ficar longos anos sem mandar notícias. Vai ser difícil passar sem notícias suas, sem suas improváveis sugestões de pauta, sem seu jeito de dizer que tudo ia dar errado, porque era sua forma de torcer para que tudo desse certo. Adeus, mestre putoso. Pablo Reis, jornalista * texto originalmente publicado no Blog de Pablo Reis, no Aratu Online Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de

8 iracema chequer/ag a tarde HOMENAGEM DO CHARGISTA SIMANCA Cleidiana Ramos, jornalista Praticamente todas as vezes que eu ligava, tinha uma pegadinha. Uma das piores: eu tive lá pra pegar uns livros, porque eu ia preparar um caderno especial do 20 de novembro [dia da Consciência Negra]. E eu ainda não tava muito acostumada às maluquices dele. Quando cheguei lá, ele disse que só daria o livro com uma condição: que eu contribuísse com o livro de ouro da posse do professor Ubiratan Castro como imortal na Academia de Letras da Bahia. Aí eu: Mas professor, eu não tenho condição nenhuma. Ele: Minha filha, você tem aí um vale alimentação? Eu: Não. E vale transporte? Ah, o vale transporte eu tenho. Então serve. Mas que loucura... Bora, minha filha! Ou você dá o vale transporte e assina nesse livro ou eu não dou os livros. Passam-se alguns dias e eu ligo pro professor Ubiratan pra entrevistá-lo. Eu ainda não tinha intimidade com ele, e ele disse assim: Eu queria lhe agradecer. Por quê? Pela sua contribuição do vale-transporte. Só vai ser um pouquinho difícil eu passar na catraca do ônibus, por causa do meu corpinho, mas tudo bem... Os s começaram na época do fax. Eu recebia no jornal documentos de fax enormes, e ele desenhava uma mão com o dedo apontado pros trechos que eu tinha que destacar. O último dele eu recebi na terça-feira. E bem no estilo. Foi um me dizendo que estava muito mal de saúde, mas mesmo assim ele não deixou de fazer as brincadeiras. Tem um trecho do em que ele diz o seguinte. Dei uma piorada da porra na última quinzena. Moribundei de verdade. Aí antes que eu dê um custipiu de pinote e caia duro de cu travado forever.... Ele continua dizendo que tinha deixado um livro pra mim. Mais pra frente, ele diz que tá deixando aquilo porque eu não apareço por lá e que é muito difícil eu descer praquelas bandas porque eu sou uma marmotinha metida a gás com água... 8 Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

9 divulgação Pablo Reis, jornalista Albergaria era um intelectual, um homem culto, um pensador do cotidiano da Bahia. Só que fora dessa imagem que acompanhamos como ouvintes, leitores e alunos, ele era um homem extremamente generoso, capaz de passar por cima de qualquer título acadêmico dele ou qualquer distinção intelectual pra render uma homenagem a alguém que ele considerasse talentoso ou promissor, coisa que é bem rara de se perceber aqui na Bahia sobretudo no ambiente acadêmico. Apesar do jeito esculachado e anárquico, da forma caótica com que ele escrevia os s, do jeito peculiar, singular... Por trás disso tudo, da capa de niilismo sobre as coisas do cotidiano, ele era um homem muito afetuoso. Uma figura paterna. Era um gozador que tirava sarro de todo mundo, mas era a forma dele, dentro da biografia dele, de não se machucar mais com coisas que já tinham machucado ele fisica e psicologicamente. Saber que amanhã eu vou pegar o telefone e não vou encontrar aquela voz meio fanha pra me dar uma opinião ou pra pedir alguma informação histórica... É uma perda inestimável. Os s de Albergaria em algum momento ainda vão ser peças de museu. São bem reveladores da personalidade dele. Ele gostava de cultivar a solidão, mas fazia questão de manter um contato virtual, exercendo uma coisa que ele fazia muito bem, sem autoritarismo, que era a ascendência intelectual sobre as pessoas. Era muito bom você perceber que tinha alguém muito capaz, muito inteligente, com quem poderia contar para debater algum assunto, pra ouvir alguma história. E ele era muito verborrágico. Na rádio, ninguém conseguia deter Albergaria. Nas conversas, eram discursos de Fidel Castro. Mas ao mesmo tempo, era tão prazeroso que ninguém se interessava em interromper. Eram aulas. Ainda bem que os s ficaram. Quem quiser se irritar comigo que se rete, porque eu não tô indo nem chegando mais pra nada. Tô chutando o pau da barraca osmani simanca/agencia a tarde Roberto Albergaria Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de

10 O VEREADOR E A VINGANÇA A WALY SALOMÃO Em junho, Albergaria escreveu um a Mário Kertész, pedindo que este fosse encaminhado a Fernando Guerreiro, presidente da Fundação Gregório de Matos à época pressionado pelo vereador Arnando Lessa, que tentou transformar em escândalo uma declaração de Guerreiro na Metrópole sobre vereadores que pediam R$ 10 mil por dembaixo do pano à Fundação. Malu Fontes, jornalista Albergaria, através daquele jeito amolecado dele, informal ao extremo, com linguagem popular, com palavrão no ar que ele não tava nem aí, nos fazia pensar de maneira inteligente, mas também gargalhar. O humor é uma das formas mais inteligentes de provocação. É ambíguo. É uma faca que entra sem machucar, sem cortar. E, neste sentido, Albergaria tinha um talento nato. Eu me lembro recentemente de algumas polêmicas dele na rádio, no último Carnaval, essa questão em torno de Igor Kannário... Eu me lembro de como ele falava com humor, mas não contra as pessoas ou contra o próprio Kannário. Falava de como funcionam os mecanismos da cultura, do poder, do marketing eleitoral, em torno da apropriação do que está acontecendo. E ele fazia isso com muita picardia, com aqueles termos dele miseravão, piriguete, putoso... Embora ele descontruísse essa linguagem teórica dos livros, ele era extremamente lido, um homem culto, bem-informado. O que ele fazia era desconstruir a linguagem; ele transformava em uma coisa aparentemente chula, mas o conteúdo dela de chulo não tinha absolutamente nada. Eu vou sentir muitas saudades. A gente tinha um afeto pessoal de mais de 27 anos. Eu tinha um carinho muito grande por ele. Uma espécie de professor mais velho. E olha que ele não era tão mais velho assim. Parecia, mas era novo do ponto de vista etário. É muito triste saber que pessoas que têm determinadas características são insubstituíveis. Do ponto de vista da universidade, da academia, dos meios de comunicação, quem é capaz de fazer uma leitura crítica da sociologia e do comportamento cotidiano como Albergaria? E coragem também. Ninguém quer se queimar. Todo mundo quer ficar bem com todo mundo, todo mundo é politicamente correto, tem medo das patrulhas. Ele ligou o foda-se para as patrulhas há muito tempo. E isso merece reverência. Hoje, é uma coisa quase judicializada. E ele fazia isso sem ofender ninguém. Não me lembro de Albergaria ofender ninguém. Ele fazia isso com humor, e não com ofensa. daniele rodrigues/metropress 10 Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

11 ulisses dumas/metropress ssfernandinho, Acho que este Arnando Lessa quer mais que tirar onda de defensor de araque dos coleguinhas. Não sei se ele tinha bronca com Mário no passado... Mas pode ser que queira se vingar -- tardiamente -- do finado Wally Salomão. Pois na poesia BAHIA TURVA, Wally o chama de ASNANDO Lessa... Talvez como simbolo da nossa mediocridade municipal (especialmente política). Veja como o finado o poetou no link: Também, pra se defender do que vosmicê do que teria insinuado (no audio não fica claro que é o vereadinho que é o acachacador dos réis), use a idéia, também de Wally) de que a verdaeira padroeira da Bahia seria NOSSA SENHORA DO EMPATA-FODA Veja a citação desta expressão no final do artigo de Totonho Risério: e-waly-salomao-criada-por. html Se lembre que a melhor defesa é o ataque. E coloque como suspeita a escuta enviesada que ele fez das suas francas e bem-humoradas palavras. E questione também a razão de tamanha indignação..será porque ASNANDO ainda quer (por pessoa interposta) se vingar do defunto Wally -- que tão bem representava o espírito desassombrado da Fundação de outrora? Ou sera que ele quer -- juntando tudo -- reeditar o episódio de Cid Gomes, que foi demitido do MEC há pouco tempo por ter dito, numa conversa também solta, que os deputados eram achacadores? Além de criticar a interpretacão seletiva de ASNANDO, sua fanfarronice de Moça Virgem em Casa de Tolerância (a Câmara), retome essas sábias palavras de Wally com toda a ironia que v. tem. Este é o palpite deste seu amigo e coligado do PNN -- Partido da Nigrinhagem Nacional. O maioral! E se cubra, pq. o cara é chantagista (além de ser Petista Vira-Folha de conveniência, olhe a folha corrida dele). E se esse Judas te pegar pra Cristo, o corno brabo vai te encher o saco (perda de tempo retado, pra quem é um semi-idoso como você, que já está queimando o penúltimo cartucho... da sua derradeira lucidez... e já minguante viripotência...) Roberto Albergaria Paulo Fábio Dantas, cientista político É costume considerar Albergaria um anarquista. Mas sua estrutura mental, o cerne do pensamento, não era. Albergaria era um cético que desenvolveu um espírito crítico aguçadíssimo, que o fazia desconfiar de todas as crenças e recusar qualquer idolatria. E se a dúvida é o ponto de partida para o conhecimento, ele foi um conhecedor como poucos da vida e do mundo. O tom de pilhéria era na verdade um instrumento que ele manejava com muito talento para não permitir que sua razão pessimista o transformasse numa pessoa áspera, desagradável, muito pelo contrário. O tom era o formato através do qual ele fazia passar a crítica que provinha da sua profunda razão cética, sempre disposto a desconstruir todas as coisas que pareçam perfeitas. Em 1991, em um debate promovido pela então vereadora Beth Wagner, ele foi para a mesa debater o livro de uma intelectual feminista. E cabia à autora fazer uma exposição inicial. E ela, imaginando, talvez, que o auditório já a conhecia bastante, falou só cinco minutos, numa atitude pouco cuidadosa com a plateia. E seguiu-se a isso a fala de Albergaria. Ele fez uma crítica no tom que nos acostumamos a ouvir. E virou o centro da cena. No meio do caminho, a autora percebeu que tinha cometido um erro ao ser tão sucinta e lacônica, e precisou, depois de Albergaria, fazer a palestra que deveria ter feito na abertura. Foi a primeira vez que eu o vi roubar a cena de um espaço em que ele seria só coadjuvante. Quando você entra na Igreja do Bonfim, de um lado tem uma grande pintura que representa a morte do justo quer dizer, a morte de Albergaria. E do outro lado, a morte de Abraão, que é a morte do pecador Roberto Albergaria Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de

12 reprodução/facebook BILHETE DE ALBERGARIA A LINDA BEZERRA (CORREIO*) Em 2006, empolgado com um perfil da então suplente de vereadora Milena Silva, Albrega escreveu um bilhete só ele pra escrever um desse tamanho para Linda Bezerra, então chefe de reportagem de cidades no jornal Correio da Bahia. Um mês depois, ele participaria de uma entrevista engraçadíssima na Metrópole com Milena, da qual até se candidatou a marido. O texto, como sempre, é delicioso: HOMENAGEM DO CHARGISTA Juliana Cunha, jornalista e escritora Quando conheci Albergaria, tinha 18 anos e acabara de sair da casa de minha mãe. Estava encantada com a ideia de ter uma casa. Ele ficava muito preocupado com isso. Achava que era importante não se fixar tão cedo, não ter um apego físico à casa. Antes de tudo, era importante não juntar papel. Quando você junta papel, minha filha, aí que você não vai embora nunca mais, fica lá, lambendo seus papéis. Como se fossem os papéis que o prendiam à Bahia. Já aos 20, minha casa no 2 de Julho, repleta de papéis, sofreu uma infestação de cupins. Albergaria me ensinou a lidar com os cupins do jeito que ele lidava com a vida. Você compra umas estantes de ferro e deixa todas a um palmo da parede. Na minha casa fica tudo em estante de ferro, roupa, livro. Ao redor, os cupins fodem com tudo, mas não conseguem alcançar as estantes. O problema, dizia ele, era se você se descuidava e deixava um livro mal posicionado na estante de modo a tocar a parede. Se fizesse isso, o livro funcionava como uma ponte e os cupins invadiam a estante de ferro. Fui lidando com os cupins como me foi ensinado até o dia em que os bichos comeram a porta do banheiro, que despencou, e me mudei para São Paulo. Quando soube da morte do professor, fiquei muito triste e me peguei pensando se o problema não seria que os cupins finalmente aprenderam um jeito de fazer a ponte até as estantes. Ou se foi ele que se cansou de manter aquele palmo de distância entre o que há muito já infestava a casa. A morte, essa piriguetona ladrona que irá roubar os últimos centavos que me restam de vida Roberto Albergaria Senhora Redatora Miseravona, Mais uma vez, o galante gazetista Pablo Reis arregaça! Que beleza o perfil da semana passada, aquele da danadinha da Mileninha. Além de ser um manhosíssimo Pirigueteiro na vida real (uma lábia irresistível, tanto para moças donzelas quanto para as já bolidas), Pablito revelou-se, igualmente, como um entendidíssimo Piriguetólogo: um autêntico discípulo do explicudo Dr. Milton Moura. A Facom está em festa! Também, o topetudo prof. Albino, seu ex-mestre e sexy symbol incubado regozija-se! E que elevadíssimo esprit de finesse! : exclama o fofuxo Jean Willys, seu antigo companheiro daí da Folha-de-Repolho-do-Cabeça-Branca e orientador das suas gozozas leituras adolescentes, ainda naquela rapariguenta Alagodé City onde nasceram e cresceram juntinhos... E quanta pícara ousadia em peitar a legião de Calçoludas que imperam entre nós -- nas redações das gazetas, nas faculdades de comunicação e, mesmo, em seu próprio lar. Nosso querido Varão Pablão é um cornista, digo, um cronista que não mia em serviço! Lascou o perfil da Apetitosa de banda, que nem Zé Binho! Isso é que é exemplo de sensibilidade machulina e arrojo moral picardia que deveria inspirar seus colegas mais mofinos de geração: como os homeletes Flávio (Docinho) Novaes, Cláudio (Jacaré) Leal, Elieser (Arame Liso) César e, até, Marcinho (Lanchinho-do-Meio-Dia) Magalhães, da Rádio Mamãe todos bons de dedo & língua, mas tão mansinhos... Sem falar no presepista Zé (Será-Que-É?) Eduardo, cafuringa de cuequismo duvidoso... Que Deus (o Deusão Retadão dos Putões, o Pica-Grossa do Universo) abençoe este curingoso periodista. E proteja sua firme viripotência mental contra as más línguas, contra os olhos invejosos dos velhotes Bagos-Moles e, sobretudo, contra as mãos-bobas mais encaiporadas dos membros da sua rodinha de salta-pocinhas do Porto da Barra (jacarezinhos gulosinhos da sua alegre companhia que, também, mereceriam um perfil sub-aquático...). É esta a sapientíssima opinião deste Putoso (Putão Idoso?) Peruzão-de-Redação. Roberto Albergaria Cláudio Leal, jornalista Albergaria era, em primeiro lugar, um guru para todos os amigos, mas um guru inusitado. Ele dava esporro, contestava, escrevia cartas caudalosas para complementar suas ideias quando os s e telefonemas não davam para dizer tudo. Então, ele era bem um anarquista alegre, que primeiro desconfiava de si próprio para depois desconfiar dos outros. Ele tinha um certo prazer em desmanchar ilusões partidárias, hipocrisias sexuais, e os comentários dele na Metrópole davam muita conta disso. E ele acabou se tornando um intelectual público dos mais importantes de Salvador. E 12 Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

13 SIDNEY FALCÃO reprodução/facebook Linda Bezerra, jornalista Como Albergaria era um grande observador da cidade, ele ajudava os jornalistas a traduzi-la. Ele tinha um olhar de estudioso, mas também carinhoso com Salvador. Minha relação com ele começou profissionalmente, era muito leve e bem alimentada. Às vezes, eu ligava para ele apenas para fazer uma observação do dia, para saber se ele já tinha um nome pomposo para determinado comportamento. também tem outro aspecto: por trás dessa fachada, ele escondia uma alma muito solidária e generosa. E, em muitas coisas, um homem até puro, com algumas ingenuidades em relação a algumas pessoas. Eu morava no Bonfim, muito perto dele, e ia muito lá. Como amigo, a morte dele foi como se um telefonema fosse cortado, uma carta que não vai ser mais respondida e que também não vai mais chegar, e uma saudade grande da gargalhada dele que era tão demolidora como qualquer coisa que ele falasse. Albergaria tinha o costume de pregar certas brincadeiras nos amigos. Ubiratan Castro havia sido escolhido para a Fundação Gregório de Matos e disse que queria recuperar lá o espírito de um orador popular chamado Jacaré, que ficava em frente ao Palácio da Aclamação. E Albergaria colocou a mim e a Cleidiana Ramos para levar um jacaré inflável de uns dois metros para o gabinete de Ubiratan, só para sacanear. Eu e Cleidiana fomos na na rua Chile, passando a maior vergonha com o jacaré inflável... Ele tinha um humor de uma erudição que eu nunca vi igual. Se a gente estava na redação precisando de uma pauta sobre por que as pessoas se sentiam incomodadas dentro de um elevador e ligasse para ele para saber se algum autor falava sobre isso, ele te dava uma bibliografia de cinco franceses que haviam estudado aquilo. E a casa dele era um outro mundo também. Era quase um gabinete de curiosidades. Eu tive lá três semanas antes dele morrer, e ele estava um pouco angustiado por conta das dificuldades físicas. Mas não vi nenhum traço de depressão, era o mesmo anarquista alegre com muita vontade de viver. Mas ele não aceitava uma vida com restrições. Ele queria uma vida absoluta. No enterro, encontrei uma senhora que não era professora da Ufba, não era colega dele, e chorava. Nós começamos a conversar e ela me disse que era vizinha de Albergaria na Pituba ainda, e que tinha ido ao enterro para se despedir, porque ele tinha transformado a vida dela. Ai eu perguntei como, e ela disse: Ele me fez ver o mundo de uma forma diferente. Ele não era uma pessoa hipócrita, ele falava as coisas na sua cara e dizia o que pensava. Ver ali essa senhora comum como eu, que não era parente ou colega de trabalho, falando de como ele transformou a vida dela, me deixou um pouco mais aliviada, mais feliz. Menos triste. Os melhores epitáfios são os mais esculhambativos. São uma vingança contra a própria morte, que virá nos esculhambar de cabo a rabo, sem marcar hora nem lugar, na maior trairagem, na maior crocodilagem Roberto Albergaria Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de

14 Entrevista ACM Neto, prefeito de Salvador COMIGO NÃO TEM SACANAGEM COM RUI COSTA Prefeito destacou o bom relacionamento entre ele e o governador e os esforços para viabilizar o BRT Fotos Tácio Moreira Em entrevista à Metrópole na última quarta-feira (8), o prefeito ACM Neto comentou as obras em andamento para melhorar a mobilidade urbana e infraestrutura da cidade e não deixou de lado o seu futuro na política. Vamos iniciar a obra [para a implantação do BRT que ligará a Lapa à Ligação Iguatemi-Paralela] com recurso do empréstimo e vamos continuar com recursos do tesouro do município. A gente avança e, depois, quando o governo federal tiver liberado, a gente continua com recursos da União, disse o democrata. Cobrado por Mário Kertész no ar, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, prometeu que o BRT vai sair em breve, embora tenha escorregado em relação a dar um prazo. Quando Neto me visitou, deixou claro que tinha consciência dos desafios pela frente na mobilidade, e que queria se concentrar em apenas uma questão para que tivesse a maior agilidade possível. Graças ao foco, avançamos bastante e estamos na reta de chegada já. Qualquer investimento seja do PAC, privado ou orçamento da União, tem as negociações a serem feitas, falou o ministro. Vamos iniciar o BRT com empréstimo e continuar com o tesouro do Município LADEIRA DO CACAU REABERTA max haack/agecom Em 2011, a Ladeira do Cacau, que liga São Caetano ao Largo do Tanque, foi fechada para obras de reparos emergenciais. Porém, somente quase quatro anos depois, os moradores vão voltar a ter acesso ao local. Quando eu cheguei na Prefeitura, a Ladeira do Cacau estava há dois anos interditada. Foi uma obra complexa, porque envolve contenção de encostas e escadas. E já vamos entregar a ladeira liberada para o tráfego, mas a obra em si só será inaugurada em 60 ou 90 dias, porque houve atraso com pequenas coisas, disse Neto. PENSAR EM ELEIÇÃO? SÓ EM 2016 O prefeito afirmou que ainda não está focado na reeleição. crise econômica, disse. taria quebrada nesse cenário de O sucesso ou insucesso eleitoral dependem de trabalho. O DEM, Neto deixou o futuro Sobre a tão falada saída do sujeito senta na cadeira e pensa no que vai acontecer quatro tomei foi não fazer sozinho em aberto. Uma decisão que anos depois. Por isso, deixa de nem fazer só com meu partido. tomar decisões impopulares. Estou conversando com PTB, Não fiz isso. Se eu não tivesse PPS, PROS, Solidariedade, PRB, atualizado o IPTU na cidade, PSDB. A decisão vai vir dessa provavelmente a Prefeitura es- reflexão coletiva, falou. 14 Demorou, mas saiu: na última quarta-feira, a Ladeira do Cacau foi reaberta ao tráfego. O resto da obra deve ser liberada em 2 meses Jornal da Metrópole, Salvador, 9 de julho de 2015

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível).

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível). , Luiz Inácio Lula da Silva, durante a inauguração da República Terapêutica e do Consultório de Rua para Dependentes Químicos e outras ações relacionadas ao Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack São

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL WWW.SUPERVISORPATRIMONIAL.COM.BR SUPERVISOR PATRIMONIAL ELITE 1 OS 3 PASSOS PARA O SUCESSO NA CARREIRA DA SEGURANÇA PATRIMONIAL Olá, companheiro(a) QAP TOTAL. Muito prazer, meu nome e Vinicius Balbino,

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari 08. Camilo Alfredo Faigle Vicari Nascido em São Paulo, em 1976, é biólogo e estudante de mestrado na UNIFESP. Em 26 de agosto de 2010 recebi Camilo numa sala de reuniões da UNIFESP. Ele chegou às 18h e

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau Porto Velho-RO, 12 de março de 2009 Gente, uma palavra apenas, de agradecimento. Uma obra dessa envergadura não poderia

Leia mais

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1 Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] Categorias Apresentação do instrumento [-] Mobilidade/ portabilidade [,] 0 0 Transcrição Alguns

Leia mais

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho.

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho. 1 AMAR... dir: Carlos Gregório CASA DE LAURA... - Você não vai dizer nada? - O que você quer que eu diga? - Qualquer coisa. - Olha,... Não foi tão importante pra mim... - Não... foi!!? - É... É isso mesmo.

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94)

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94) DIAS 94 de Claudio Simões (1990 / 94) 2 PERSONAGENS São cinco personagens identificadas apenas por números. Não têm gênero definido, podendo ser feitas por atores ou atrizes. As frases em que falam de

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

pensamentos para o seu dia a dia

pensamentos para o seu dia a dia pensamentos para o seu dia a dia Israel Belo de Azevedo 1Vida e espiritualidade 1 Adrenalina no tédio O interesse por filmes sobre o fim do mundo pode ser uma forma de dar conteúdo ao tédio. Se a vida

Leia mais

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento.

P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento. museudapessoa.net P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento. R Meu nome é Kizzes Daiane de Jesus Santos, 21 de julho de 1988, eu nasci em Aracaju, no estado do Sergipe.

Leia mais

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV DINO - Divulgador de Notícias Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV Marcos Tolentino conta sua trajetória e revela como o filho de um vendedor de carros

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação.

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação. O Led Zeppelin sempre foi complicado. Esse era o problema inicial deles. Os shows deles sempre tinham violência masculina. Isso foi um desvio nos anos 1970, que foi uma época muito estranha. Era uma anarquia

Leia mais

Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar.

Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar. 16 Entrevista Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar. Fotos e texto: Alessandra Anselmi Fotos:

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução Esta segunda sequência respeita a estrutura da sequência do Eben que analisamos.o template é adequado aos profissionais que podem (e querem) trabalhar com os três mosqueteiros, ou seja, apresentar uma

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

Marlon (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva

Marlon (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva Comunicação Espiritual J. C. P. Novembro de 2009 Marlon (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva Resumo: Trata-se de uma comunicação pessoal de um amigo do grupo

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL 1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL LUGAR: EUNÁPOLIS(BA) DATA: 05/11/2008 ESTILO: VANEIRÃO TOM: G+ (SOL MAIOR) GRAVADO:16/10/10 PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL VOCÊ É O BERÇO DO NOSSO PAIS. PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL

Leia mais

Tucano nega plano para 2014 e atribui rejeição à ideia, explorada por adversários, de que deixaria prefeitura

Tucano nega plano para 2014 e atribui rejeição à ideia, explorada por adversários, de que deixaria prefeitura Fonte: O Globo 'Ficam dizendo que vou sair de novo' Tucano nega plano para 2014 e atribui rejeição à ideia, explorada por adversários, de que deixaria prefeitura Fernanda da Escóssia, Germano Oliveira,

Leia mais

Escola de Português Verão de 2015 Ano 13 Nível 2. Exercícios Semana 4. 1) Complete os diálogos usando o tempo verbal mais adequado:

Escola de Português Verão de 2015 Ano 13 Nível 2. Exercícios Semana 4. 1) Complete os diálogos usando o tempo verbal mais adequado: Escola de Português Verão de 2015 Ano 13 Nível 2 Exercícios Semana 4 Revisão Tempos verbais: 1) Complete os diálogos usando o tempo verbal mais adequado: 1 2 2) Revisão verbos SABER, PODER e QUERER: 3)

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) Roteiro de áudio. Programa: Hora de Debate. Campanhas.../ Monica G. Zoppi-Fontana 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 Combatendo o preconceito: argumentação e linguagem Programa Hora de Debate. Campanhas de

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA?

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? Sonhos, Execução e Responsabilidade. ROBERTO FERMINO (ROCO) Q uer saber... Esta semana você é minha prioridade! Fiquei tão movido pelas dúvidas e mensagens de apoio que o mínimo

Leia mais

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas?

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas? Entrevistado: Guto Lacaz Data da Entrevista: 19 de Julho de 2011 Entrevista: Pessoalmente Formado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura de São José dos Campos, faculdade onde também realizou cursos

Leia mais

Vivendo e aprendendo em família

Vivendo e aprendendo em família Vivendo e aprendendo em família VERSÍCULO BÍBLICO Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 1 JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 ENTREGADOR DE CARGAS 32 ANOS DE TRABALHO Transportadora Fácil Idade: 53 anos, nascido em Quixadá, Ceará Esposa: Raimunda Cruz de Castro Filhos: Marcílio, Liana e Luciana Durante

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa?

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa? Primeiro eu gostaria de saber.. eh se você tem namorado? Namorado, tenho não. Já tive muito mais agora faz treis meses que eu moro com um rapaz é um argentino qui qui primeiro quando eu conheci estava

Leia mais

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Ivo Barcelos Assumpção, nasci dia 13 do doze de 1954 em Rezende, Estado do Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu estudei engenharia química na UFRJ, entrei

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Construir o futuro é tão simples quanto sorrir, basta querer.

Construir o futuro é tão simples quanto sorrir, basta querer. Construir o futuro é tão simples quanto sorrir, basta querer. ISBN 978-85-7694-162-0 Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. VENDA PROIBIDA 9 788576 941620 Professor BÓRIS em ZECA, O DONO

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Capa e Diagramação Jordane Mendes Nicole Ferreira. Texto Naraiany Almeida

Capa e Diagramação Jordane Mendes Nicole Ferreira. Texto Naraiany Almeida Capa e Diagramação Jordane Mendes Nicole Ferreira Texto Naraiany Almeida Nicole Ferreira Ilustrações Davi Vinícius dos Santos Gomes Ítalo Gabriel Pimenta Italon Antunes Barreto Jéssica Pâmela de Souza

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

NADJA VLADI - Editora da revista Muito.

NADJA VLADI - Editora da revista Muito. NADJA VLADI - Editora da revista Muito. Jornalista, doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Faculdade de Comunicação da UFBA. Atualmente atua como editora-coordenadora da revista Muito do

Leia mais

UNIFORMES E ASPIRINAS

UNIFORMES E ASPIRINAS SER OU NÃO SER Sujeito desconfiava que estava sendo traído, mas não queria acreditar que pudesse ser verdade. Contratou um detetive para seguir a esposa suspeita. Dias depois, se encontrou com o profissional

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

08/06/2010. Entrevista do Presidente da República

08/06/2010. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após visita ao banco de sangue de cordão umbilical e placentário - Rede BrasilCord Fortaleza-CE, 08 de junho de 2010

Leia mais

CIFRAS - CUKA FRESCA

CIFRAS - CUKA FRESCA INTRODUÇÃO: D9 A/C# Bm7/11 G7+ D9 A/C# G7+ G/A A/C# CIFRAS - CUKA FRESCA EU VOU TE AMAR Bm7/11 G7+ G/A A/C# QUANDO SENTIR TRISTEZA E NÃO PUDER TE ACALMAR Bm7/11 G7+ G/A QUANDO HOUVER UM VAZIO QUE NÃO POSSA

Leia mais

De Educador para Educador COLETÂNEA DE MATERIAL PARA EDUCAÇÃO ESPÍRITA JUVENIL SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 APRESENTAÇÃO... 4. O Bem... 5 Atividade...

De Educador para Educador COLETÂNEA DE MATERIAL PARA EDUCAÇÃO ESPÍRITA JUVENIL SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 APRESENTAÇÃO... 4. O Bem... 5 Atividade... SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 APRESENTAÇÃO... 4 O Bem... 5 Atividade... 6 Como viver?... 7 Atividade... 8 Novas lições... 9 Atividade... 10 Onde está meu problema?... 11 Atividade... 12 O que fazer para ser

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da

Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da Câmara Municipal de Perdizes, Estado de Minas Gerais

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Objetivo desta Aula. Um tópico a cada vez. Roteiro apresentar tópicos gerais

Objetivo desta Aula. Um tópico a cada vez. Roteiro apresentar tópicos gerais Objetivo desta Aula Apresentar dicas de como preparar apresentações Ronaldo Lopes Oliveira Especialização em Produção de Bovinos DPA/MEV/UFBA 2007 Apresentar dicas de como fazer a apresentação Apresentar

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros s de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 14 por completo

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal Sobral-CE, 17 de março de 2004 Meu caro governador do estado do Ceará, Lúcio Alcântara, Meu caro companheiro

Leia mais

Jornalista: O senhor se arrepende de ter dito que crise chegaria ao Brasil como uma marolinha?

Jornalista: O senhor se arrepende de ter dito que crise chegaria ao Brasil como uma marolinha? Entrevista exclusiva concedida por escrito pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao jornal Gazeta do Povo, do Paraná Publicada em 08 de fevereiro de 2009 Jornalista: O Brasil ainda tem

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais