Sistemas de Aproveitamento de Água da Chuva. Daniel Costa dos Santos Professor do DHS/UFPR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas de Aproveitamento de Água da Chuva. Daniel Costa dos Santos Professor do DHS/UFPR"

Transcrição

1 Sistemas de Aproveitamento de Água da Chuva Daniel Costa dos Santos Professor do DHS/UFPR

2 Contexto sobre a Água no Mundo População crescente Disponibilidade decrescente Quantitativamente; Qualitativamaente

3 Distribuição dos recursos hídricos e da população no Brasil (Fonte: IDEC, 2002)

4 Previsão de disponibilidade hídrica no Brasil (Fonte: Ghisi, 2005).

5 Classificação da Disponibilidade Hídrica UNEP / ONU (2002) DISPONIBILIDADE HÍDRICA (m 3 per capita/ano) Maior que Menor que CLASSIFICAÇÃO Muito alta Alta Média Baixa Muito Baixa Catastroficamente baixa

6 Consumo per capita no Brasil

7 Parametrização do Consumo São Paulo, PURA, 1995

8 Conservação da Água Contexto. Uso racional: sensibilização do usuário, aparelhos economizadores. Fontes Alternativas: aproveitamento de água da chuva, reúso de água

9 CONSTITUIÇÃO ÁREA DE CAPTAÇÃO. CONDUÇÃO: CALHAS E CONDUTORES (VERTICAIS E HORIZONTAIS). DISPOSITIVOS DE DESCARTE DA PRIMEIRA ÁGUA. TANQUE SEDIMENTAÇÃO /RESERVA. TRATAMENTO. RESERVA ADICIONAL. DISTRIBUIÇÃO.

10 Fontes Alternativas: Água da Chuva

11 Esquema de coleta água de chuva. Fonte: May, 2004.

12 a) Telhado b) Área Impermeabilizada Lage

13 c) Telhado e pátio Áreas de captação de água de chuva. Fonte: Waterfall, 2002.

14 (a) Grade instalada nas calhas. Fonte: Waterfall, (b) Grelha para saída da calha. Fonte:

15 Reservatório de auto-limpeza com bóia de nível. Fonte: Dacach, 1990.

16 Bases para o Dimensionamento. Balanço Hídrico: Oferta x Demanda. Potencial de Uso: Qualidade x Requisitos. Dimensionamento das Unidades:

17 Balanço Hídrico OFERTA X DEMANDA Método Parametrizaçâo Racional do Consumo

18 Oferta: Método Racional Qa = C. I. A. η Q : vazão potencialmente aproveitável; C: coeficiente de runoff; I: intensidade pluviométrica; A: área de captação; η : coeficiente referente a vazão aproveitável.

19 Demanda: Parametrização USO qe/uso % BACIA SANITÁRIA 29 CHUVEIRO 28 LAVATÓRIO 6 PIA / MLL 22 TANQUE / MLR 15 qe total

20 Demanda: Estimativa Q d = N. (cj. tj. nj), Qd : vazão diária de demanda de água cinza; N: número de pessoas; ci: vazão de consumo específica do uso do aparelho sanitário j; tj: duração de consumo do uso do aparelho sanitário j; ni: número diário de usos do aparelho sanitário j por pessoa.

21 Balanço Hídrico Qa X Qd

22 Potencial de Uso: Qualidade x Requisitos Características Observadas UTILIZAÇÃO Telha DE FONTES Telha ALTERNATIVAS DE ÁGUA: Terraço ACH TRATAMENTO Amianto DA Cerâmica ÁGUA DA CHUVA 1 ACH 2 Parâmetros Critérios para Uso Urbano ANA 2005 USEPA 2012 ph 6,38 6,22 5, , DBO (mg/l) 3,9 9,67 11,88 2,5 10,0 10,0 SST (mg/l) ,0 Turbidez (NTU) 4,35 3,83 6, ,6 2,0 2,0 Colif. Fecal (NPM/100 ml) 1, , , x10 1 ND ND OD (mg/l) 7,10 7,29 5,8 20 DQO (mg/l) 3,42 28,32 30, Cor (UC) 37,00 25,64 85, ,5 10

23 Dimensionamento das Unidades Captação, Transporte, Reservação e Distribuição Tratamento

24 Captação, Transporte e Distribuição Referências Técnicas: NBR 5626; NBR 10844; NBR

25 RESERVAÇÃO NBR 15527: Método Inglês: V= 0,05. P. A ; Método Alemão: V = Mínimo (V ou D) * 0,06; Azevedo Neto: V = 0,042 *P *A*T. NÚMERO DE DIAS SEM CHUVA: V = 0,4 * D T * D S

26 Exemplo Dimensionar um reservatório de aproveitamento de água de chuva para atender a demanda de água não potável em uma residência de classe média, localizada no município de Florianópolis/SC, com as seguintes características:

27 Dados da Edificação Número de habitantes 5 Número de banheiros 1 Área de jardim 10 m² Área impermeável 5 m² Área do telhado 60 m² Coeficiente de escoamento 0,8 Precipitação anual Florianópolis (INMET/2005) mm/ano

28 Demanda 6l/descarga Vaso sanitário Rega de jardim Lavagem da área impermeabilizada 5 descargas/d Perdas por vazamento de 10% 3,0 L/m²/dia 8 utilizações/mês 4,0 L/m²/dia 8 utilizações/mês

29 Balanço Hídrico Qa X Qd 7,20 m³/mês X 5,35m³/mês

30 Volume de Reservação NBR 15527: Rippl: V= 6,0 m³ Método Inglês: V= 0,05. P. A ; V = 8,3 m³ Método Alemão: V = Mínimo (V ou D) * 0,06; V = 6,7 m³ Azevedo Neto: V = 0,042 *P *A*T ; V = 20,0 m³ NÚMERO DE DIAS SEM CHUVA: V = 0,4 * D T * D S ; V = 2,0 m³

31 TRATAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA. Descarte da 1ª água. Sedimentação. Filtração. Cloro

32 Descarte da 1 a Água Descarte da 1ª água de chuva utilizando tonel. Fonte: Dacach, 1990.

33 TRATAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA A desinfecção pode ser por processo químico, sendo a cloração no tanque de sedimentação ou em linha. O ozônio, processo químico, é usualmente instalado junto ao ponto de consumo. O processo físico pode ser por sistema UV, este instalado entre o filtro de carvão ativado e o ponto de consumo, ou o filtro lento.

34 Observações 1a PURAE 2a Aproveitamento x Detenção 3a Hierarquia dos Usos

35 Formas construtivas de sistemas de aproveitamento de água de chuva. Fonte: Herrmann e Schmida, 1999.

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição PARTE I INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS 1 ÁGUA FRIA Entrada e fornecimento de água fria Compartimento que abriga o cavalete Medição de água

Leia mais

Métodos de Dimensionamento de Reservatórios rios de Água Pluvial em Edificações

Métodos de Dimensionamento de Reservatórios rios de Água Pluvial em Edificações Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório rio de Eficiência Energética em Edificações Métodos de Dimensionamento de Reservató de Água Pluvial em Edificações Professor: Enedir Ghisi, PhD Introdução

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis: Proposta de um sistema para uma residência no município de Chapecó SC

Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis: Proposta de um sistema para uma residência no município de Chapecó SC 1 Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis: Proposta de um sistema para uma residência no município de Chapecó SC Mariana Hammerschmitt Ecco mariana.ecco@gmail.com Perícia, Auditoria e Gestão

Leia mais

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA O aproveitamento das águas pluviais tem sido prática cada vez mais adotada nos empreendimentos por se tratar de medida que resulta em muitos casos em razoável economia no

Leia mais

Dimensionamento Preliminar de Reservatório de Águas Pluviais para o Prédio do Instituto de Recursos Naturais (Irn- Unifei) 1

Dimensionamento Preliminar de Reservatório de Águas Pluviais para o Prédio do Instituto de Recursos Naturais (Irn- Unifei) 1 Dimensionamento Preliminar de Reservatório de Águas Pluviais para o Prédio do Instituto de Recursos Naturais (Irn- Unifei) 1 Pedro Augusto da Costa Leite 2 e Ivan Felipe Silva dos Santos 3 1 Aceito para

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM P R O M U L G A Ç Ã O D E L E I Faço saber que a Câmara Municipal de Contagem aprovou e eu promulgo e faço publicar, nos termos do 8º do art. 80 da Lei Orgânica do Município de Contagem, de 20 de março

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Pós-Graduação Gestão Ambiental Utilização de Águas de Chuvas em um Edifício Público - Revisado - Adriano Barbosa Freitas Flávia Piccoli Gena Baioco Ingrid Ananias

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr.

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. 18 de agosto de 2010, Rio de Janeiro GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. O Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Dados

Leia mais

ESTUDOS DE CASO. Análise de Consumo de Água: Condomínio nio Residencial em Florianópolis. Marina Vasconcelos Santana Orientação: Enedir Ghisi

ESTUDOS DE CASO. Análise de Consumo de Água: Condomínio nio Residencial em Florianópolis. Marina Vasconcelos Santana Orientação: Enedir Ghisi ESTUDOS DE CASO Análise de Consumo de Água: Condomínio nio Residencial em Florianópolis Marina Vasconcelos Santana Orientação: Enedir Ghisi Introdução Uso irracional dos recursos naturais Preocupação mundial

Leia mais

Aproveitamento de Águas Pluviais (Dimensionamento do Reservatório)

Aproveitamento de Águas Pluviais (Dimensionamento do Reservatório) Universidade Federal de Pelotas Centro de Engenharias Curso de Engenharia Civil Aproveitamento de Águas Pluviais (Dimensionamento do Reservatório) Prof.ª Andréa Souza Castro Agosto de 216 O dimensionamento

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 25 Sistema Predial de Águas Pluviais Profª Heloise G. Knapik 1 Instalações prediais de águas pluviais

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental

IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental ESTUDO PRÉVIO DA QUALIDADE DA ÁGUA DA CHUVA CAPTADA NA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - ÁREA1 (SALVADOR-BA) E DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE SUA CAPTAÇÃO E USO Bianca Menezes Cunha Couto (1) Graduanda

Leia mais

Aplicação de Jardins Filtrantes como Sistemas Descentralizados no Tratamento de Esgoto Prof. Rodrigo de Freitas Bueno (SENAC)

Aplicação de Jardins Filtrantes como Sistemas Descentralizados no Tratamento de Esgoto Prof. Rodrigo de Freitas Bueno (SENAC) Aplicação de Jardins Filtrantes como Sistemas Descentralizados no Tratamento de Esgoto Prof. Rodrigo de Freitas Bueno (SENAC) rodrigo.fbueno@sp.senac.br 26 de Março de 2013 INTRODUÇÃO A qualidade da água

Leia mais

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Seminário HIS Sustentável Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Orestes M. Gonçalves Escola Politécnica da Universidade de São Paulo CBCS - Conselho Brasileiro da Construção

Leia mais

Monografia "ESTUDO DE PROPOSTAS PARA O USO RACIONAL E EFICIENTE DA ÁGUA"

Monografia ESTUDO DE PROPOSTAS PARA O USO RACIONAL E EFICIENTE DA ÁGUA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Engenharia Departamento de Engenharia de Materiais e Construção Curso de Especialização em Construção Civil Monografia "ESTUDO DE PROPOSTAS PARA O USO RACIONAL

Leia mais

ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC

ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC ANA KELLY MARINOSKI Orientador: Prof. Enedir Ghisi, PhD INTRODUÇÃO Objetivo

Leia mais

Quem Somos. Localizada em Brasília, a empresa dispõe de toda a estrutura necessária para atender seus clientes em todo o território nacional.

Quem Somos. Localizada em Brasília, a empresa dispõe de toda a estrutura necessária para atender seus clientes em todo o território nacional. Quem Somos A empresa vem se consolidando no mercado brasileiro de forma concisa e progressiva, oferecendo soluções de alta qualidade, funcionalidade e tecnologia. Formada por uma equipe de profissionais

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE DE UM SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM UM SUPERMERCADO

ESTUDO DA VIABILIDADE DE UM SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM UM SUPERMERCADO ESTUDO DA VIABILIDADE DE UM SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM UM SUPERMERCADO Lucas da Silva Dal Toé (1), Álvaro José Back (2), Juliano Possamai Della (3) UNESC Universidade

Leia mais

POTENTIAL STORM WATER IN MILK PRODUCTION IN REDUCING THE

POTENTIAL STORM WATER IN MILK PRODUCTION IN REDUCING THE POTENCIAL DA ÁGUA DE CHUVA NA PRODUÇÃO DE LEITE E O IMPACTO NA REDUÇÃO DO CONSUMO. José Euclides Stippi Paterniani¹, Julio Cesar Pascale Palhares², João Luis dos Santos³. 1 Professor, Doutor de Engenharia

Leia mais

Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água

Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água Lei N 10785 de 18 de Setembro de 2003 Aprovada pela câmara municipal de Curitiba, Sr. Prefeito Cássio Taniguchi No município de Curitiba, o

Leia mais

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção. Gestão da água

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção. Gestão da água Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção ` Gestão da água Marina Sangoi de Oliveira Ilha Livre-Docente LEPSIS-FEC/UNICAMP 28 de setembro de 2012 Ciclo

Leia mais

Sumário. manua_pratic_05a_(1-8)_2014_cs4_01.indd 9 26/05/2014 15:40:32

Sumário. manua_pratic_05a_(1-8)_2014_cs4_01.indd 9 26/05/2014 15:40:32 Sumário Apresentação... 15 Capítulo 1 Qualidade da água e saneamento... 17 Referências bibliográficas...24 Capítulo 2... 25 Resumo geral da teoria... 25 2.1 Poluição e contaminação dos recursos hídricos...25

Leia mais

Capitulo 3. Previsão de consumo de água não potável

Capitulo 3. Previsão de consumo de água não potável Capitulo 3 Previsão de consumo de água não potável Em 1851 Mulvaney descreveu pela primeira vez o conceito de tempo de concentração David Maidment, 1993 3-1 Índice Capítulo 3- Previsão de consumo de água

Leia mais

Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas. Unidade I: pluviais

Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas. Unidade I: pluviais Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas Unidade I: pluviais 0 Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas pluviais 1.1 Terminologia Área de contribuição: é a área somada

Leia mais

Instalações Hidráulicas Prediais

Instalações Hidráulicas Prediais Instalações Hidráulicas Prediais Sistemas Prediais de Águas Pluviais Prof.: Guilherme Nanni Grabowski Água Pluvial Deve: Captar, Conduzir e Destinar adequadamente as águas de chuva que precipitam nos edifícios.

Leia mais

ÁGUAS PLUVIAIS. d) a estabilidade da vazão de esgotos, que é muito mais crítica, no sistema separador absoluto é maior.

ÁGUAS PLUVIAIS. d) a estabilidade da vazão de esgotos, que é muito mais crítica, no sistema separador absoluto é maior. ÁGUAS PLUVIAIS 1. GENERALIDADES No Brasil, o sistema de drenagem da rede pública adota o Sistema Separador Absoluto, ou seja, existem redes independentes para a coleta de esgotos e de águas pluviais. É

Leia mais

Capítulo 28- Dispositivos alemães usados no Brasil

Capítulo 28- Dispositivos alemães usados no Brasil Capítulo 28- Dispositivos alemães usados no Brasil 28.1 Introdução No Brasil são usados vários dispositivos alemães em aproveitamento de água de chuva. O motivo é sem sombra de dúvida de que a Alemanha

Leia mais

MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE.

MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE. MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE. PRIMAVERA DO LESTE-MT ABRIL DE 2014. 1 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO...

Leia mais

11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP. Agua: pague menos

11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP. Agua: pague menos 11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP Agua: pague menos Atitudes para o usuário diminuir o consumo de água da rede pública: 1. Peças que economizam água 2. Medição individualizada e

Leia mais

Proposta de Água de Reúso ETE Insular

Proposta de Água de Reúso ETE Insular Proposta de Água de Reúso ETE Insular Setor Operacional de Esgoto SEOPE / AFLS Gerência de Políticas Operacionais GPO Gerência de Meio Ambiente - GMA Setor de Qualidade de Água e Esgoto /Gerência Operacional

Leia mais

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 2 Projeto de sistemas de aproveitamento de água de chuva Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega Universidade Federal

Leia mais

Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial

Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial INTRODUÇÃO A água da chuva causa danos: à durabilidade das construções; à boa aparência das construções. A água de chuva deve ser coletada e transportada

Leia mais

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES I ENCONTRO DAS S 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO Palestrante: MARCELO STEPHANES Empresa: CDN SERVIÇOS

Leia mais

Jade Botelho Paixão. Graduado em Engenharia Civil pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. (CEUNIH),

Jade Botelho Paixão. Graduado em Engenharia Civil pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. (CEUNIH), Elaboração de projeto de captação e aproveitamento de água pluvial para fins não potáveis: Estudo de caso do campus Praça da Liberdade do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (Belo Horizonte

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva em instituição de ensino no município de Londrina

Aproveitamento de água de chuva em instituição de ensino no município de Londrina Aproveitamento de água de chuva em instituição de ensino no município de Londrina Ricardo Nagamine Costanzi (UTFPR-Londrina) ricardocostanzi@utfpr.edu.br Aline Hanny Peralta (UTFPR-Londrina) aline.hanny@gmail.com

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO E REUSO DE ÁGUA EM UMA EDIFICAÇÃO RESIDENCIAL NO MUNICÍPIO DE POMBAL - PB

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO E REUSO DE ÁGUA EM UMA EDIFICAÇÃO RESIDENCIAL NO MUNICÍPIO DE POMBAL - PB XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO E REUSO DE ÁGUA EM UMA EDIFICAÇÃO RESIDENCIAL NO MUNICÍPIO DE POMBAL - PB Halana Oliveira Trigueiro 1 ; Cibelle Mara Rezende Felinto

Leia mais

CONFIABILIDADE VOLUMÉTRICA DE RESERVATÓRIOS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA EM MUNICÍPIOS BRASILEIROS

CONFIABILIDADE VOLUMÉTRICA DE RESERVATÓRIOS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA EM MUNICÍPIOS BRASILEIROS Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 CONFIABILIDADE VOLUMÉTRICA DE RESERVATÓRIOS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA EM MUNICÍPIOS BRASILEIROS Natália Marques de Sousa Lacerda (*), Gilson Barbosa Athayde Júnior

Leia mais

ESTUDO DAS METODOLOGIAS DE DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA DE CHUVA

ESTUDO DAS METODOLOGIAS DE DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA DE CHUVA ESTUDO DAS METODOLOGIAS DE DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA DE CHUVA Josevania Rodrigues Jovelino 1, Bruna da Silveira Guimarães 1, Kamila Freitas Porto 1, Julyanna Damasceno Pessoa 1, Kepler Borges

Leia mais

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA PARA LAVAGEM DE TRENS

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA PARA LAVAGEM DE TRENS APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA PARA LAVAGEM DE TRENS 1 RESUMO A água da chuva coletada em telhados tem na indústria um enorme potencial, visto que, em geral, a mesma possui grandes áreas de telhado e

Leia mais

Gestão Ambiental Aplicada à Construção de Edifícios

Gestão Ambiental Aplicada à Construção de Edifícios Gestão Ambiental Aplicada à Construção de Edifícios AULA 2 -REÚSO DE ÁGUAS CINZAS E NEGRAS E APROVEITAMENTO DE ÁGUAS DE CHUVA PARA FINS NÃO POTÁVEIS 1 Introdução Dois terços da superfície da Terra estão

Leia mais

Uma visão sistêmica para conservação de água no ambiente construído

Uma visão sistêmica para conservação de água no ambiente construído Uma visão sistêmica para conservação de água no ambiente construído Profa. Dra. Marina S. de Oliveira Ilha FEC/UNICAMP Marina Ilha SBCS08 1 Distribuição da água doce superficial MUNDO CONT. AMERICANO Nordeste

Leia mais

ANÁLISE DE INVESTIMENTO EM APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: ESTUDO DE CASO PARA UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL EM FEIRA DE SANTANA - BA

ANÁLISE DE INVESTIMENTO EM APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: ESTUDO DE CASO PARA UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL EM FEIRA DE SANTANA - BA ANÁLISE DE INVESTIMENTO EM APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: ESTUDO DE CASO PARA UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL EM FEIRA DE SANTANA - BA Iluska Barbosa Lins (1) Graduada em Engenharia Sanitária e Ambiental pela

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A água é elemento intimamente ligado à vida na Terra e é o mais importante componente dos seres vivos. Somos totalmente dependentes desse recurso natural, assim como qualquer atividade

Leia mais

Observação: Telhados verdes ou com vedados com Betumem podem causar a coloração da água.

Observação: Telhados verdes ou com vedados com Betumem podem causar a coloração da água. A melhor qualidade de água O filtro de água de chuva PURAIN cuida da qualidade da água da sua cisterna. Os filtros PURAIN são destinados à filtração da água da chuva, coletada de telhados cerâmicos, metálicos,

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis em áreas urbana

Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis em áreas urbana Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis em áreas urbana Fortaleza dos Templários em Tomar- 1160 dc.portugal Conservação da água Ciclo hidrológico ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

ÁGUAS PLUVIAIS: UMA ALTERNATIVA PARA O FUTURO DAS CIDADES 1 RAINWATER: AN ALTERNATIVE FOR THE FUTURE OF CITIES

ÁGUAS PLUVIAIS: UMA ALTERNATIVA PARA O FUTURO DAS CIDADES 1 RAINWATER: AN ALTERNATIVE FOR THE FUTURE OF CITIES Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas, S. Maria, v. 10, n. 1, p. 77-91, 2009. 77 ISSN 1981-2841 ÁGUAS PLUVIAIS: UMA ALTERNATIVA PARA O FUTURO DAS CIDADES 1 RAINWATER: AN ALTERNATIVE FOR

Leia mais

POTENCIAL DE ECONOMIA DE ÁGUA POTÁVEL POR MEIO DO USO DE ÁGUA DE CHUVA EM SÃO MIGUEL DO OESTE SC

POTENCIAL DE ECONOMIA DE ÁGUA POTÁVEL POR MEIO DO USO DE ÁGUA DE CHUVA EM SÃO MIGUEL DO OESTE SC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO POTENCIAL DE ECONOMIA DE ÁGUA POTÁVEL POR MEIO DO USO DE ÁGUA DE CHUVA EM SÃO MIGUEL

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva

Aproveitamento de água de chuva Aproveitamento de água de chuva Tem que ser feito um projeto por engenheiro, arquiteto ou tecnólogo. Assinar a ART (anotação de responsabilidade) do CREA/CAU Esclarecimento 1 Nome correto: aproveitamento

Leia mais

O MÉTODO DE RIPPL PARA DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE SISTEMAS DE APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA

O MÉTODO DE RIPPL PARA DIMENSIONAMENTO DE RESERVATÓRIOS DE SISTEMAS DE APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia CONTECC 2016 Rafain Palace Hotel & Convention Center- Foz do Iguaçu - PR 29 de agosto a 1 de setembro de 2016 O MÉTODO DE RIPPL PARA DIMENSIONAMENTO

Leia mais

Marina S. de Oliveira Ilha Livre-docente FEC-UNICAMP Brasil

Marina S. de Oliveira Ilha Livre-docente FEC-UNICAMP Brasil Marina S. de Oliveira Ilha Livre-docente FEC-UNICAMP Brasil 28 a 30 de Setembro de 2010 Centro de Convenções Frei Caneca São Paulo BRASIL Ciclo hidrológico urbano Elaborado a partir de Hoban, Wong (2006)

Leia mais

Vazão da Aquapluv Style: 418 l/min, quando instalada com 0,5% de declividade, ou seja, 5 mm de inclinação por metro.

Vazão da Aquapluv Style: 418 l/min, quando instalada com 0,5% de declividade, ou seja, 5 mm de inclinação por metro. Dimensionamento de Calhas de Telhado As calhas Aquapluv Beiral e Aquapluv Style foram desenvolvidas para uso em casas que possuem telhado com beiral. Para um desempenho perfeito, é fundamental que a calha

Leia mais

EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária

EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária Resumo Normalmente no Brasil, toda água que é utilizada nas descargas das bacias sanitárias é oriunda das caixas de água

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Capítulo I. Disposições preliminares

PROJETO DE LEI Nº. Capítulo I. Disposições preliminares PROJETO DE LEI Nº Institui o programa de conservação, uso racional e reaproveitamento de água nas edificações. Capítulo I Disposições preliminares Art. 1º. Fica instituído o Programa de Conservação, Uso

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS: DIMENSIONAMENTO DO RESERVATÓRIO PARA APLICAÇÃO EM RESIDÊNCIAS DE PADRÃO ALTO, NORMAL E BAIXO EM PORTO ALEGRE - RS

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS: DIMENSIONAMENTO DO RESERVATÓRIO PARA APLICAÇÃO EM RESIDÊNCIAS DE PADRÃO ALTO, NORMAL E BAIXO EM PORTO ALEGRE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Carolina Kuhn Novakoski APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS: DIMENSIONAMENTO DO RESERVATÓRIO PARA APLICAÇÃO

Leia mais

Quantificação de grandezas Ambientais

Quantificação de grandezas Ambientais Quantificação de grandezas Ambientais Hidrologia Cursos d água Perenes: permanece com água o tempo todo, mesmo em períodos em seca. Intermitentes: escoam durante as chuvas, entretanto secam durante as

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM UMA RESIDÊNCIA NO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM UMA RESIDÊNCIA NO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM UMA RESIDÊNCIA NO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU André Vieira Bastos 1, Felipe Sombra Santos 2, Diego Macedo Veneu 3 Resumo A escassez por recursos hídricos e a busca por

Leia mais

REÚSO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES

REÚSO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil REÚSO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES Disciplina: Importância da gestão, do desempenho e da inovação tecnológica

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL KARINA ROMÃO ANTUNES

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL KARINA ROMÃO ANTUNES UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL KARINA ROMÃO ANTUNES MANEJO SUSTENTÁVEL DE ÁGUAS NA SEDE DA FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE DE CRICIÚMA FAMCRI CRICIÚMA 2015 KARINA

Leia mais

Capítulo 26- Filtro de piscina

Capítulo 26- Filtro de piscina Capítulo 26- Filtro de piscina 26.1 Introdução A tese de doutoramento da dra Simone May de julho de 2009 mostrou que o filtro de piscina (filtro rápido de pressão) remove os coliformes totais e termotolerantes

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA Filtro

Leia mais

Capitulo 18 Grades, tela, peneiras e filtros

Capitulo 18 Grades, tela, peneiras e filtros Capitulo 18 Grades, tela, peneiras e filtros 18-1 Índice Seção Capítulo 18- Grades, telas, peneiras e filtros Titulo 18.1 Introdução 18.2 Grades 18.3 Eficiência da grade 18.4 Área livre da grade 18.5 Largura

Leia mais

Saneamento Ambiental I TH018

Saneamento Ambiental I TH018 Universidade Federal do Paraná Engenharia Ambiental Saneamento Ambiental I TH018 Aula 01 Apresentação da Disciplina Profª Heloise G. Knapik 1 Apresentação Docente Professor: Heloise Garcia Knapik Formação:

Leia mais

ABRANDADOR DE ÁGUA. Materiais Utilizados

ABRANDADOR DE ÁGUA. Materiais Utilizados ABRANDADOR DE ÁGUA Com a finalidade de prevenir obstruções das tubulações, válvulas e manter a eficiência da troca térmica em equipamentos como a Caldeira, se faz necessário o uso da água abrandada. O

Leia mais

AVALIAÇÃO DO POTÊNCIAL NO USO DE ÁGUA DE CHUVA PARA RESIDÊNCIAS DE APENA UM PAVIMENTO NA REGIÃO DA CIDADE DE FEIRA DE SANTANA-BA.

AVALIAÇÃO DO POTÊNCIAL NO USO DE ÁGUA DE CHUVA PARA RESIDÊNCIAS DE APENA UM PAVIMENTO NA REGIÃO DA CIDADE DE FEIRA DE SANTANA-BA. AVALIAÇÃO DO POTÊNCIAL NO USO DE ÁGUA DE CHUVA PARA RESIDÊNCIAS DE APENA UM PAVIMENTO NA REGIÃO DA CIDADE DE FEIRA DE SANTANA-BA. Hamilton de Araújo Silva Neto (1) Bacharel em Engenharia Civil e Mestrando

Leia mais

CONSERVAÇÃO DA ÁGUA NO MEIO URBANO

CONSERVAÇÃO DA ÁGUA NO MEIO URBANO CONSERVAÇÃO DA ÁGUA NO MEIO URBANO ÁGUA NO PLANETA TERRA 70 % Superfície ÁGUA 97% ÁGUA SALGADA 3% ÁGUA DOCE ÁGUA DOCE BRASIL = 12 % 20% 0% NORTE OUTRAS 80% IMPORTÂNCIA DA ÁGUA BEM ÚNICO E FINITO SOBREVIVÊNCIA

Leia mais

Uso sustentável da água na construção. Marina Sangoi de Oliveira Ilha Livre-Docente LEPSIS/FEC/UNICAMP

Uso sustentável da água na construção. Marina Sangoi de Oliveira Ilha Livre-Docente LEPSIS/FEC/UNICAMP Uso sustentável da água na construção Marina Sangoi de Oliveira Ilha Livre-Docente LEPSIS/FEC/UNICAMP Profa. Dra. Marina Ilha, FEC/UNICAMP 13% águas superficiais - mundo 34,9% Américas 68 região Norte

Leia mais

Apresentação: Eng. Civil Luiz Alberto Diniz

Apresentação: Eng. Civil Luiz Alberto Diniz Apresentação: Eng. Civil Luiz Alberto Diniz Quem somos Uma empresa brasileira constituída por especialistas nas áreas de infraestrutura, hidrologia e meio-ambiente em conjunto com 3P Technik Filtersysteme

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173535

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173535 COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173535 Aproveitamento de água de chuva Luciano Zanella Palestra apresentado no 2.Semana de Engenharia Ambiental, Poços de Caldas, 2015 A série Comunicação Técnica compreende trabalhos

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA PARA O APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA EM UMA RESIDÊNCIA NA CIDADE DE GOIÂNIA

ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA PARA O APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA EM UMA RESIDÊNCIA NA CIDADE DE GOIÂNIA Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Civil Curso de Graduação em Engenharia Civil ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA PARA O APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA EM UMA RESIDÊNCIA NA CIDADE DE GOIÂNIA

Leia mais

Decreto que regulamenta o artigo 115 do Código de Obras de Guarulhos

Decreto que regulamenta o artigo 115 do Código de Obras de Guarulhos 1 Art. 115. As águas pluviais que escoam nos limites das propriedades não poderão aumentar as vazões do sistema de drenagem acima das condições naturais e as intervenções por edificações não poderão introduzir

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRIO SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRIO MEMORIAL

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A Diretoria Técnica Gerência de Produção e Operação

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A Diretoria Técnica Gerência de Produção e Operação TÍTULO: Estudo de reúso para Efluente de ETE s da SANASA/Campinas Nome dos Autores: Renato Rossetto Cargo atual: Coordenador de Operação e Tratamento de Esgoto. Luiz Carlos Lima Cargo atual: Consultor

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREAS URBANAS

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREAS URBANAS UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREAS URBANAS Profª. Simone Rosa da Silva 2015 Torres empresariais : Isaac newton e Alfred Nobel Const.: Rio Ave Aspectos

Leia mais

reuso e utilização de água de chuva

reuso e utilização de água de chuva Definições Legislação sobre reuso e utilização de água de chuva FABIANO GENEROSO Biólogo Especialista em Técnicas Avançadas em Análises Clínicas - USP Especialista em Parasitologia Médica - USP Especialista

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis - Requisitos

Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis - Requisitos Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis - Requisitos APRESENTAÇÃO 1) Este 2º Projeto foi elaborado pela ABNT/CEET-00.001.77 - Comissão de Estudo Especial Temporária

Leia mais

DRENAGEM AULA 04 DRENAGEM SUPERFICIAL

DRENAGEM AULA 04 DRENAGEM SUPERFICIAL AULA 04 DRENAGEM SUPERFICIAL Drenagem Superficial O sistema de drenagem superficial tem por objetivo a captação ou interceptação e remoção das águas precipitadas, sobre as estradas e áreas adjacentes,

Leia mais

APLICAÇÕES DE MEMBRANAS DE ULTRAFILTRAÇÃO E MBR SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA TRATAMENTO DE EFLUENTES

APLICAÇÕES DE MEMBRANAS DE ULTRAFILTRAÇÃO E MBR SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA TRATAMENTO DE EFLUENTES APLICAÇÕES DE MEMBRANAS DE ULTRAFILTRAÇÃO E MBR SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA TRATAMENTO DE EFLUENTES 16º ENCONTRO TÉCNICO DE ALTO NÍVEL : REÚSO DE ÁGUA SÃO PAULO, SP - 7 e 8 de Novembro de 2016 Associação

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

ESTADO DA PARAÍBA. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 10.033,DE 0 3 DE JULHO DE 2013. AUTORIA: DEPUTADO ASSIS QUINTANS Institui a Política Estadual de Captação, Armazenamento e Ap"oveitamento da Água da Chuva no Estado da Paraíba, e dá outras providências.

Leia mais

Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais.

Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais. Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais. ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS ETE JESUS NETTO ETE JESUS NETTO BACIA DE ESGOTAMENTO HISTÓRICO Estação Experimental de Tratamento

Leia mais

Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto da ETE Penha - CEDAE. Edição 26/03/08

Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto da ETE Penha - CEDAE. Edição 26/03/08 Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto da ETE Penha - CEDAE Edição 26/03/08 1 Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto

Leia mais

PROJETO DE SISTEMA DE CAPTAÇÃO E DE REUSO DE ÁGUA DE PRECIPITAÇÃO ATMOSFÉRICA COMO FERRAMENTA DE INTEGRAÇÃO DISCIPLINAR

PROJETO DE SISTEMA DE CAPTAÇÃO E DE REUSO DE ÁGUA DE PRECIPITAÇÃO ATMOSFÉRICA COMO FERRAMENTA DE INTEGRAÇÃO DISCIPLINAR PROJETO DE SISTEMA DE CAPTAÇÃO E DE REUSO DE ÁGUA DE PRECIPITAÇÃO ATMOSFÉRICA COMO FERRAMENTA DE INTEGRAÇÃO DISCIPLINAR Maria do Carmo Vara Lopes Orsi Resumo: A discussão acerca da viabilidade técnica,

Leia mais

A Sharewater. Planeta Água. Prêmios

A Sharewater. Planeta Água. Prêmios A Sharewater A Sharewater tem o objetivo de oferecer soluções completas para a conservação da água, através de projetos, consultoria e desenvolvimento de tecnologia própria. Foi fundada em 8 de maio de

Leia mais

ESTAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁGUA DE REÚSO CAPIVARI II CAMPINAS - SP

ESTAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁGUA DE REÚSO CAPIVARI II CAMPINAS - SP ESTAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁGUA DE REÚSO CAPIVARI II CAMPINAS - SP Objetivos principais do tratamento de esgoto O futuro e as próximas gerações na bacia PCJ INVESTIMENTO MACIÇO EM TRATAMENTO DE ESGOTO CONCEPÇÕES

Leia mais

SISTEMA DE TRATAMENTO INDIVIDUAL DE ESGOTO SANITÁRIO

SISTEMA DE TRATAMENTO INDIVIDUAL DE ESGOTO SANITÁRIO Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Hidráulica e Saneamento Curso: Engenharia Civil Disciplina: TH030 - Sistemas Prediais Hidráulicos Sanitários Prof.ª Heloise Garcia Knapik

Leia mais

CRISE HÍDRICA PLANO DE CONTINGÊNCIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE

CRISE HÍDRICA PLANO DE CONTINGÊNCIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE CRISE HÍDRICA PLANO DE CONTINGÊNCIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE 14/03/2014 Jonas Age Saide Schwartzman Eng. Ambiental Instituições Afiliadas SPDM SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina OSS

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA: UM SIMULADOR PARA TOMADA DE DECISÃO QUANTO A VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA: UM SIMULADOR PARA TOMADA DE DECISÃO QUANTO A VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Cleber Alberto da Silveira Hugo APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA: UM SIMULADOR PARA TOMADA DE DECISÃO QUANTO

Leia mais

Aula 5: Filtração. Introdução. Classificação dos filtros

Aula 5: Filtração. Introdução. Classificação dos filtros Curso: Engenharia Civil Disciplina: Sistema de Tratamento de Água e Esgoto Prof(a): Marcos Heleno Guerson de O Jr Nota de Aula! Aula 5: Filtração Introdução Após a passagem da água pelo tanque de decantação

Leia mais

Uso Racional de Água no Campus da UFSC

Uso Racional de Água no Campus da UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL LABORATÓRIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES TRABALHO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Uso Racional de Água no Campus

Leia mais

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Resp. Técnico: Carlos A. N. Viani MD-1944/02-HP-001 Rev. 0 1. OBJETIVO Este memorial

Leia mais

VOLUME DO RESERVATÓRIO DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL BASEADO NO CONCEITO DO BALANÇO DE VAZÕES PARA UMA RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR

VOLUME DO RESERVATÓRIO DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL BASEADO NO CONCEITO DO BALANÇO DE VAZÕES PARA UMA RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR CDD: 333.96 VOLUME DO RESERVATÓRIO DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL BASEADO NO CONCEITO DO BALANÇO DE VAZÕES PARA UMA RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR CALCULUS OF CISTERN VOLUME OF THE RAINWATER HARVESTING SYSTEM

Leia mais

detenção estendido (enchentes + melhoria da qualidade das águas pluviais)

detenção estendido (enchentes + melhoria da qualidade das águas pluviais) Reservatório de detenção estendido (enchentes + melhoria da qualidade das águas pluviais) Triângulo do manejo de águas pluviais 1 Ciclo hidrológico natural (voltar ao ciclo hidrológico natural; Gênesis

Leia mais

Detenção Distribuída e Utilização das Águas Pluviais

Detenção Distribuída e Utilização das Águas Pluviais XI Simpósio Nacional de Sistemas Prediais SISPRED UFPR UTFPR Curitiba, 17 à 19/06/2009 Detenção Distribuída e Utilização das Águas Pluviais Professor Dr. Roberto Fendrich Departamento de Hidráulica e Saneamento

Leia mais

Reservatórios: 01 reservatório de 1000 litros de capacidade em fibra de vidro.

Reservatórios: 01 reservatório de 1000 litros de capacidade em fibra de vidro. MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO Obra: CONSTRUÇÃO DO POSTO DE SAÚDE FENACHAMP End.: Rua Campo Experimental, 190 - Bairro São Miguel Garibaldi DESCRIMINAÇÕES: A construção desta unidade de saúde

Leia mais

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA EM ESCOLA MUNICIPAL DE SANTA MARIA-RS 1 RAINWATER CATCHMENT IN MUNICIPAL SCHOOL OF SANTA MARIA-RS

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA EM ESCOLA MUNICIPAL DE SANTA MARIA-RS 1 RAINWATER CATCHMENT IN MUNICIPAL SCHOOL OF SANTA MARIA-RS Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas, S. Maria, v. 6, n. 1, p.110, 2005. 1 ISSN 19812841 APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA EM ESCOLA MUNICIPAL DE SANTA MARIARS 1 RAINWATER CATCHMENT IN

Leia mais

Método do Balanço Hídrico

Método do Balanço Hídrico Apêndice 3 Método do Balanço Hídrico Ioana Nicoleta Firta e Armando Borges de Castilhos Jr. Histórico do Método do Balanço Hídrico O método do balanço hídrico, um dos modelos mais utilizados atualmente

Leia mais

Tecnologias para uso racional e reúso de água em edificações

Tecnologias para uso racional e reúso de água em edificações Fluir eng enharia ambiental Tecnologias para uso racional e reúso de água em edificações Ricardo Franci Gonçalves Eng. Civil e Sanitarista, D. Ing. Universidade Federal do Espírito Santo 1 Vitória: colapso

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA NO SEMIÁRIDO: CISTERNAS DE PLACA

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA NO SEMIÁRIDO: CISTERNAS DE PLACA CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA NO SEMIÁRIDO: CISTERNAS DE PLACA Ana Cristina de Lima 1, Jógerson Pinto Gomes Pereira 2, Marcia Cristina de Araújo Pereira 3, 1 Universidade Federal de Campina Grande UFCG; E-mail:

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Gabinete do Vereador Chapinha do Sindicato

Estado do Rio de Janeiro CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Gabinete do Vereador Chapinha do Sindicato PROJETO DE LEI Nº 011/2014 Cria o sistema de reuso de água de chuva no Município de Angra dos reis, para utilização não potável em escolas publicas e privadas, condomínios, clubes, entidades, conjuntos

Leia mais