Projeto Churrasco dos Sonhos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Churrasco dos Sonhos"

Transcrição

1 Projeto Churrasco dos Sonhos Definindo atividades Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL

2 Sumário Introdução... 4 Definição de Atividades... 6 Marcos ou Milestones... 7 A importância do Dicionário da EAP na definição das atividades... 7 Estrutura das Atividades no MS Project Tipos de Atividades no MS Project Atividades Dirigidas ao Esforço (Controlada pelo empenho) Criando a tabela e o modo de exibição Formatação de Estilos de Texto Criação de Filtros Filtro de atividades do projeto EF 01 F Atividades Filtro de entregas e pacotes de trabalho do projeto EP 02 F EAP Inserindo atividades no modo de exibição EP 02 M EAP+Atividades Inserindo marcos (tarefas de etapa) no modo de exibição EP 02 M EAP+Atividades Inserindo Atividades recorrentes Alterando atividades recorrentes Editando os atributos de uma atividade Editando os atributos de várias atividades simultaneamente Excluindo uma atividade Inserindo atividades do tipo overhead Indentando atividades (Recuo) Transferir tabelas, filtros e modos de exibição criados para o Global.mpt

3 3

4 Introdução Nos dois últimos guias (02 Criando a EAP Analítica do Projeto e 03 Gerando a EAP Gráfica a partir da EAP Analítica) entendemos o processo de criação das EAP Analítica e Gráfica, definindo assim as entregas e pacotes de trabalho do projeto em seu último nível. Agora é preciso identificar as atividades que são necessárias para produzir essas entregas e pacotes de trabalho. Sendo assim, este guia tem por objetivo analisar o processo 6.1 do PMBoK 4ª Edição (definir atividades), realizar um nivelamento teórico abordando nomenclatura e conceitos e aplicar esta teoria na prática, utilizando modos de exibição, filtros e melhores práticas na definição de atividades necessárias para a realização das entregas e pacotes de trabalho, com base na utilização da ferramenta MS Project. 4

5 Estamos aqui no projeto 5

6 Definição de Atividades Atividades são ações ou esforço necessário para produzir as entregas e pacotes de trabalho previstos para o projeto. Desta forma, definir atividades (processo 6.1 do PMBoK 4ª Edição) é o processo responsável por gerar uma lista contendo todas essas ações que serão realizadas durante o projeto e que produzirão os pacotes de trabalho definidos no processo de criação da EAP. Sendo assim, é importante observar que uma entrada relevante para o processo de definição das atividades é a linha de base do escopo, que pode ser representada pela EAP com todos os pacotes de trabalho do projeto mapeados. A partir da linha de base do escopo (leia se EAP) e através de decomposições e opinião técnica especializada, é que definiremos todo o esforço necessário para produzi los (leia se lista de atividades). 6

7 Além da lista de atividades, precisaremos definir seus atributos como outra saída importante do processo de definição das atividades. Mas o que são atributos de atividades? Basicamente, atributos de atividades incluem: Código da EAP ou Nível da EAP; Nome da atividade (em verbo); Principais atividades predecessoras e sucessoras; Relações lógicas; Antecipações e esperas; Requisitos de recursos; Datas impostas, restrições e premissas. Estes atributos deverão fazer parte do modo de exibição a ser criado no MS Project neste guia. De forma prática, assim como fizemos em outros guias, o modo de exibição deverá possuir essas colunas para suportar este momento do projeto. Marcos ou Milestones Marcos são atividades com duração zero e que, conseqüentemente, não possuem esforço ou trabalho associados. Servem para caracterizar eventos significativos que necessitam ser monitorados, pois sua execução é importante para o projeto. Em alguns casos, estamos falando de exigências contratuais. Sendo assim, uma lista de marcos nada mais é do que uma lista de atividades com duração zero sem consumo de tempo e esforço/recurso com eventos relevantes para o projeto cuja entrega precisa ser monitorada (ex: instalação realizada, migração concluída, projeto finalizado, etc.) A importância do Dicionário da EAP na definição das atividades Um importante documento que pode auxiliar o gerente de projeto no processo de definição das atividades é o Dicionário da EAP. Explico. O Dicionário da EAP traz com ele informações do trabalho envolvido para a produção de um determinado pacote de trabalho, bem como recursos previstos, identificação preliminar de algumas predecessoras e sucessoras para cada pacote e alguns riscos preliminares mapeados. Utilizando o exemplo do projeto Churrasco dos Sonhos, considere o pacote de trabalho Bebidas > Alcoólicas > Cerveja. 7

8 Figura: trecho da EAP do Projeto Churrasco dos Sonhos Pelo dicionário da EAP, identificamos o trabalho a ser realizado para a entrega do pacote CERVEJA: 1. Pesquisar preços no mercado 2. Realizar compra da bebida 3. Entregar no local do evento 4. Armazenar no local do evento Com esta visão preliminar do trabalho envolvido neste pacote, podemos iniciar a decomposição dos pacotes em atividades. As ações citadas acima são indícios das atividades que deverão ser executadas dentro do pacote de trabalho. Desta forma, o dicionário da EAP funciona como uma base de dados de apoio para a definição das atividades, encurtando o trabalho do gerente de projeto uma vez que a descrição do pacote e o esforço para produzi lo estão previamente listados neste documento. 8

9 Estrutura das Atividades no MS Project 2007 O gerente de projeto poderá incluir atividades na EAP que representarão as ações necessárias para entregar os pacotes de trabalho previstos. Essas atividades podem ter a seguinte estrutura: Estrutura das atividades Atividade sumária do projeto Atividades sumárias Atividades Marcos Atividades recorrentes Descrição Cada projeto possui uma única atividade sumária do projeto e ela é automaticamente gerada pelo MS Project. Ela sumariza todo o conteúdo do projeto. Trata se da linha 0 do cronograma. É qualquer atividade que possui atividades de nível mais baixo. São conhecidas como entregas e pacotes de trabalho. É qualquer atividade que não possui outras atividades em seu nível mais baixo. Ou seja, não é uma atividade sumária. Representa o esforço necessário para produzir as entregas e pacotes de trabalho. É onde alocamos e estimamos recursos e durações para a execução. O marco é uma atividade que representa um evento significativo para o projeto e possui duração zero. É um ponto no tempo. É a atividade que possui um caráter de repetição em intervalos definidos (exemplo: medir projeto podemos fazer isto toda terça e sexta de cada semana). 9

10 Tipos de Atividades no MS Project 2007 O MS Project 2007 trabalha com três tipos de atividades. São elas: Tipos de Atividade Duração Fixa (Fixed Duration) Unidade Fixa (Fixed Units) Trabalho Fixo (Fixed Work) Descrição Atividades de duração fixa possuem a duração com valor fixo, que não será afetado por nenhuma alteração feita no trabalho ou nas unidades atribuídas. Atividades de unidade fixa possuem unidades atribuídas (recursos) fixas, que não será afetada por nenhuma alteração feita na quantidade de trabalho ou na duração da tarefa. Uma tarefa na qual o volume de trabalho é um valor fixo, que não será afetado por nenhuma alteração feita na duração da atividade ou no número de unidades (ou recursos) atribuídas. Para que este entendimento fique claro, é importante ter a visão da regra básica utilizada pela ferramenta. h () = çã () () Cada um dos tipos de atividade afeta o agendamento quando você edita um dos três elementos a seguir: Em uma Se você revisar unidades Se você revisar a duração Se você revisar o trabalho Atividade do tipo unidade fixa A duração será recalculada O trabalho será recalculado A duração será recalculada Atividade do tipo trabalho fixo A duração será recalculada As unidades serão recalculadas A duração será recalculada Atividade do tipo duração fixa O trabalho será recalculado O trabalho será recalculado As unidades serão recalculadas Dica: assista aos vídeos explicando cada tipo de atividade. Eles podem ser vistos em: Atividades de duração fixa: Atividades de trabalho fixo: Atividades de unidade fixa: 10

11 Dica: Este conceito será melhor explorado no Guia 07 Estimando a duração das atividades. Por hora, basta termos o conceito do que representa cada tipo de atividade, pois deveremos definir este atributo no momento em que as atividades forem inseridas. Atividades Dirigidas ao Esforço (Controlada pelo empenho) Atividades dirigidas ao esforço classificam a atividade de tal forma que, ao adicionarmos recursos extras a uma determinada atividade, teremos uma redução de tempo na duração da mesma por conta do maior esforço alocado para a realização do mesmo trabalho. Por isso dizemos que o tempo de duração da atividade é dirigido pelo esforço dos recursos alocados. Criando a tabela e o modo de exibição 1º Passo: Abra o arquivo gerado Projeto Churrasco dos Sonhos guia 02.mpp gerado no Exercício do Guia 02 e verifique a configuração de Ferramentas e Opções. Veja se tudo está configurado conforme orientação. content/uploads/2010/10/projeto Churrasco dos Sonhos guia 02.mpp Importante verificar novamente os dois pontos principais neste momento: Guia Cronograma: Tipo de tarefa padrão: Duração fixa Guia Cronograma: Verificar se a opção As novas tarefas são controladas ao empenho está desmarcada 2º Passo: Construir a tabela EP 02 T EAP+Atividades Esta tabela deverá conter os seguintes campos (atributos): ID Indicadores EDT (Nível da EAP) Nome (Atividades) Tipo (Duração fixa, unidade fixa ou trabalho fixo) Controlada pelo empenho (Flag apontando se é dirigida ao esforço ou não) Contato (Referência de contato ainda não é o responsável pela execução) Etapa (Marcos ou Milestones) Resumo (Produtos ou Entregáveis) 1. Acesse a Barra de Menu e selecione a opção Exibir Figura: Criando uma nova tabela 11

12 2. Selecione a opção Tabela Figura: Criando uma nova tabela E em seguida selecione Mais tabelas... Figura: Criando uma nova tabela 3. Na janela Mais tabelas... Clique no botão Nova para criar uma nova tabela. 12

13 Figura: Criando uma nova tabela 4. Forneça os campos necessários para compor a tabela EP 02 T EAP+Atividades Figura: Tabela EP 02 T EAP+Atividades. Escolha dos campos que serão utilizados para compor esta tabela. Clique em OK para terminar. 13

14 Figura: Tabela EP 02 T EAP+Atividades. Escolha dos campos que serão utilizados para compor esta tabela. A caixa de diálogo Mais tabelas aparecerá. Clique em Fechar para encerrar a etapa de criação da tabela EP 02 T EAP+Atividades. Dica: Se optarmos por Aplicar descaracterizará o modo de exibição atual substituindo a tabela que está sendo usada por este modo e aplicando esta nova tabela. Não é isso que queremos. A partir de agora esta tabela estará disponível na barra de menu Exibir > Tabelas > Mais tabelas... 14

15 Com base nesta tabela criada, montaremos o modo de exibição equivalente. Ele fará uso desta tabela criada. 3º Passo: Construir o modo de exibição EP 02 M EAP+Atividades 1. Acesse a Barra de Menu e selecione a opção Exibir 2. Selecione a opção Mais modos de exibição Figura: Escolha da opção Exibir na barra de menu. 3. Clique no botão Novo Figura: Mais modos de exibição... Figura: Criação de um novo modo de exibição 15

16 4. Definir Novo Modo de Exibição através da opção Modo de exibição único Figura: Definição de novo modo de exibição. Escolhendo modo de exibição único. Lembrando que Modo de exibição combinado utiliza dois modos de exibição únicos existentes para criar um terceiro modo de exibição. Figura: Modo de exibição combinado. Utilização de dois modos de exibição únicos para formar um terceiro modo de exibição (combinado). Ao escolhermos o modo de exibição único, a seguinte tela aparecerá. É preciso preencher cada campo de definição do modo de exibição único que desejamos criar. Figura: Definição do Modo de Exibição. Escolha do nome, das telas, da tabela, do grupo e do filtro que serão utilizados no modo de exibição. 16

17 O preenchimento deve ser feito com base nas informações da tela acima; ou seja: Nome: Tela: Tabela: Grupo: Filtro EP 02 M EAP+Atividades Planilha de Tarefas EP 02 T EAP+Atividades Nenhum grupo Todas as tarefas Clicar em Mostrar no menu para que este modo de exibição fique disponível em Menu > Exibir > Mais modos de exibição. Figura: Habilitando a opção Mostrar no menu para que o modo de exibição apareça como opção em [Mais modos de exibição] Figura: Modo de exibição exibido em Mais modos de exibição Ao aplicar este modo de exibição, o MS Project deverá ser exibido desta forma: 17

18 Figura: Modo de exibição EP 01 M EAP. Agora é possível inserir as atividades e seus atributos utilizando o modo de exibição EP 02 M EAP+Atividades do MS Project para suportar a etapa de definição das atividades (processo 6.1 do PMBoK) Formatação de Estilos de Texto Para auxiliar na identificação e diferenciação entre entregas, pacotes de trabalho, atividades e marcos podemos utilizar o recurso de formatação de estilos de texto. Ao aplicarmos estilos de texto, o modo de exibição retém esta configuração e poderá aplicar estes ajustes em futuros projetos. Vamos propor as seguintes alterações: Atividades críticas e não críticas: escolheremos a cor azul escuro Atividades de etapa (marcos) Para aplicarmos os estilos de textos nos três elementos acima, vamos seguir o procedimento abaixo: 1. Selecione a opção Formatar na barra de menu. Figura: Opção Formatar na barra de menu 18

19 2. Selecione a opção Estilos de texto... na barra de menu. 3. Observar a caixa de diálogo Estilos de Texto Figura: Formatar Estilos de texto... Figura: Caixa de diálogo Estilos de texto 19

20 4. Promover os ajustes para as atividades críticas e não críticas (cor azul escuro). Pressione OK ao terminar 5. Marcos. Promover os ajustes para as atividades de etapa (tarefas da etapa). Pressione OK ao terminar 20

21 Criação de Filtros Os filtros especificam quais informações sobre as atividades ou os recursos devem ser apresentadas ou realçadas em um modo de exibição. O processo de criação de filtros é muito simples como veremos a seguir. Filtros de atividades (tarefas) não podem ser aplicados a modos de exibição de recursos e vice versa. Filtro de atividades do projeto EF-01-F-Atividades O filtro de atividades do projeto exibirá apenas as atividades do projeto, desconsiderando as entregas e pacotes de trabalho. Este será um filtro de tarefa (e não de recurso) 1. No menu Projeto, aponte para Filtro para e clique em Mais Filtros. 21

22 2. Para criar filtro de tarefa, clique em Tarefa. Em seguida clique no botão Novo Definir os elementos do filtro. Para filtrarmos apenas atividades, aplicaremos a condição lógica (Resumo=Não) E (Etapa=Não). Com isto, traremos apenas atividades, pois estas não são pacotes de trabalho e nem marcos. Faça os ajustes acima e, no final, clique no botão OK. Em seguida, selecione Fechar 22

23 Filtro de entregas e pacotes de trabalho do projeto EP-02-F-EAP Este filtro trará apenas as entregas e pacotes de trabalho serão carregados no modo de exibição, não exibindo atividades. Para isto, aplicaremos a seguinte condição lógica: (PRODUTO=Sim) Importante: Este filtro deverá ser aplicado ao Modo de Exibição EP 01 M EAP após definida as atividades. Desta forma, garantiremos que apenas as entregas e pacotes de trabalho serão exibidos neste modo, deixando de fora as atividades. Repetindo o processo anterior, teremos a seguinte configuração: 23

24 Aplicar filtro EP-02-F-EAP ao modo de exibição EP-01-M-EAP Uma vez inseridas as atividades no planejamento do projeto, é necessário promover um ajuste no modo de exibição EP 01 M EAP de tal forma que apenas as entregas e pacotes de trabalho sejam exibidos. Para isto aplicaremos o filtro EP 02 F EAP a este modo de exibição. Para isto, siga os procedimentos abaixo: 1. Acesse a Barra de Menu e selecione a opção Exibir 2. Selecione a opção Mais modos de exibição Figura: Escolha da opção Exibir na barra de menu. Figura: Mais modos de exibição A caixa de diálogo Mais modos de exibição aparecerá. Selecione o modo de exibição EP 01 M EAP e clique em Editar 24

25 Figura: Mais modos de exibição Altere o filtro existente do modo de exibição EP 01 M EAP para EP 02 F EAP. Em seguida clique em OK 5. Em seguida, escolha Aplicar caso queira observar a mudança no modo de exibição ajustado ou então, clique em fechar apenar para promover o ajuste e não alterar o modo de exibição atual. 25

26 Inserindo atividades no modo de exibição EP-02-M-EAP+Atividades 1º Passo: Abra a EAP analítica do projeto criada no guia anterior. A idéia é decompor os pacotes de trabalho gerados em atividades necessárias para produzi las. 2º Passo: Selecione o modo de exibição EP 02 M EAP+Atividades que acabamos de criar. É com base neste modo de exibição que faremos a inserção das atividades. 3º Passo: Certifique se de que a atividade sumária do projeto ou atividade zero está sendo exibida. Caso não esteja, verifique as configurações de ferramentas e opções (consulte o Guia 01) Selecione Ferramentas, Opções Na caixa de diálogo Opções, selecione a guia Exibir Selecione a caixa Exibir atividade sumária do projeto, e clique em OK. Se você seguiu todos os guias, esta configuração deverá estar marcada. 4º Passo: Abra o Dicionário da EAP. Nele teremos uma idéia do que é cada pacote de trabalho e das atividades necessárias para produzi los. 5º Passo: Insira as atividades para cada pacote. Se você deseja inserir uma nova linha para incluir uma atividade, clique em qualquer linha ou célula na linha imediatamente anterior onde desejamos inserir a nova atividade; Clique em Inserir na barra de Menu, clique em Nova tarefa. Você pode também pressionar a tecla Insert somente; Faça uso da endentação a direita e esquerda, caso necessário; Forneça o nome da atividade e seus atributos definidos pelas colunas que inserimos neste modo de exibição; Lembrando que os atributos são: tipo da tarefa, dirigida ao esforço, responsável e marco Dica: Toda vez que o Project inserir uma nova atividade entre uma seqüência de atividades já existentes, a atividade é inserida acima da tarefa selecionada, então, posicione seu cursor na posição desejada. 6º Passo: Verifique os atributos para as atividades que estão sendo inseridas; ou seja, classifique o tipo de atividade, defina se estamos falando de uma atividade dirigida pelo esforço, etc. Melhores práticas: Atividades devem estar representadas por atividades em verbo no infinitivo (ex: realizar procedimento, instalar equipamento, etc) 26

27 Inserindo marcos (tarefas de etapa) no modo de exibição EP-02-M-EAP+Atividades Melhores práticas: A última atividade listada dentro de um pacote de trabalho deve ser um marco ou milestone, que representará a conclusão de tudo que foi feito dentro da atividade sumária ou pacote de trabalho. Desta forma será possível verificar a conclusão da atividade sumária 1º Passo: repita o passo anterior N 5 e defina o atributo ETAPA para SIM nas atividades que deseja marcar como Marco. Este procedimento não define a duração zero do marco, que é base do conceito de marco. No guia Estimando duração para as atividades será necessário rever a duração dos marcos e atribuir zero para todas elas. Dica: o MS Project define marco como tarefa de etapa. Dica: Verifique o vídeo de apoio Definindo marcos (milestones) em Inserindo Atividades recorrentes 1º Passo: Coloque o cursor na linha onde a atividade recorrente deve ser inserida. Ao definir as opções da atividade recorrente, tem que se especificar a data inicial da série de eventos. 2º Passo: Na barra de menu, selecione a opção Inserir e, em seguida, escolha a opção Tarefa recorrente. Figura: Barra de menu. Opção Inserir Figura: Opção Tarefa recorrente... 27

28 3º Passo: Observe a caixa de diálogo que será exibida. Figura: Caixa de diálogo Informações sobre Tarefas Recorrentes. Campos para atividades recorrentes Nome da tarefa Duração Padrão de recorrência Intervalo de recorrência Calendário de agendamento desta tarefa Descrição Descrição da atividade (verbo no infinitivo). Duração da atividade. A duração aqui é a quantidade de dias, semanas, horas de um evento ou atividade da série de atividades que existirão. Determinar o padrão de recorrência da série de atividades: Diariamente, Semanalmente, Mensalmente e Anualmente e tipo de repetição Determinar a data de início da ocorrência e quantas vezes a ocorrência se repete. Determinar o calendário que deverá ser utilizado nas atividades do evento. 28

29 4º Passo: Selecione as opções desejas e pressione o botão OK. Figura: Atividade recorrente Realizar Medição inserida no planejamento Dica: Ao criar uma tarefa recorrente, o MS Project cria uma Atividade Sumária que agrupa todas as atividades recorrentes: Alterando atividades recorrentes 1º Passo: Selecione a atividade Sumária das atividades que se repetem. Para isto, coloque o mouse sobre a atividade sumária e dê um clique simples. 29

30 2º Passo: Através da barra de menu, selecione a opção Projeto e o item Informações sobre tarefas recorrentes, ou ícone. Figura: Barra de menu, opção Projeto Figura: Opção Informações sobre tarefas recorrentes... Figura: Editar propriedades da atividade recorrente através do ícone na barra de ferramentas. 3º Passo: Efetue as alterações e pressione o botão OK. 30

31 Importante: Se você alterar uma das atividades do evento manualmente, a atividade alterada manualmente não sofrerá a modificação, pois será considerada diferente das demais atividades do evento. Editando os atributos de uma atividade 1º Passo: Realizar um duplo clique na atividade cujos atributos desejamos atualizar ou acessar as informações da atividade clicando no ícone na barra de ferramenta. 2º Passo: Observar a caixa de diálogo Informações sobre a tarefa que aparecerá. A caixa possui seis guias de ajustes. Vamos entender cada uma delas. Guia Geral Nome: Nome da atividade (em verbo); Duração: Apresenta a duração da atividade; Porcentagem concluída: Determina o percentual de conclusão da atividade; Prioridade: Prioridade de execução da atividade; Datas de Início e Término: Mostra as datas de início e término da atividade; Ocultar a barra de tarefas: Se estiver marcada, a atividade não será exibida no Gráfico de Gantt 31

32 Mostrar a barra de atividade na fase: Se uma determinada atividade fizer parte de uma atividade sumária, quando ativo, essa configuração refletirá a barra da tarefa na representação da atividade sumária. Guia Predecessoras Esta guia permite a definição de dependência desta atividade com outra no projeto, através da definição da atividade que precede a execução da atividade que estamos editando. Veremos este guia com mais detalhe no momento em que estivermos falando de Sequenciamento de atividades (Guia 06 Seqüenciando atividades). Id: Id da atividade predecessora; Nome da tarefa: Apresenta o nome da atividade predecessora; Tipo: Determina o tipo de dependência entre atividades; Latência: Determina a folga existente entre as duas atividades; Importante: Estas informações serão vistas com mais detalhe quando estivermos falando de seqüenciamento de atividades, assunto do Guia

33 Guia Recursos Nome do recurso: recurso definido para executar a atividade; Proprietário da atribuição: Quem atribuiu o recurso; Unidade: Unidade do recurso alocado (percentual ou decimal); Custo: Custo do recurso. Guia Avançado 33

34 Restringir tarefa e prazo final: A data de restrição da atividade, caso exista uma data imposta; Tipo e data da restrição: Define a data e o tipo de restrição que queremos para a atividade. Os tipos são: O Mais Tarde Possível: Agenda a tarefa para que ela inicie o mais tarde possível sem atrasar as atividades subseqüentes. Não insira uma data de restrição com essa restrição. O Mais Breve Possível: Agenda a tarefa para que ela inicie o quanto antes. Essa é a restrição padrão para tarefas. Não insira uma data de restrição com essa restrição. Não Terminar Antes De: Agenda a tarefa para que ela termine em uma data específica ou após essa data. Use essa restrição para se certificar de que uma tarefa não terminará antes de uma data específica. Não Terminar Depois De: Agenda a atividade para que ela termine em uma data específica, ou antes, dessa data. Use essa restrição para se certificar de que uma atividade não terminará após uma data específica. Deve Terminar Em: Agenda a atividade para que ela termine em uma data específica. Define as datas de término antecipado, agendado e atrasado com a data inserida, e fixa a atividade na agenda. Deve Iniciar Em: Agenda a atividade para que ela inicie em uma data específica. Define as datas de início antecipado, agendado e atrasado com a data inserida, e fixa a atividade na agenda. Não Iniciar Antes De: Agenda a atividade para que ela inicie em uma data específica ou após essa data. Use essa restrição para se certificar de que uma atividade não iniciará antes de uma data específica. Não Iniciar Depois De: Agenda a atividade para que ela inicie em uma data específica ou antes dessa data. Use essa restrição para se certificar de que uma atividade não iniciará após uma data específica. Tipo de tarefa: Define o tipo de atividade; ou seja, duração fixa, trabalho fixo e unidades fixas. O conceito e a diferença entre elas podem ser revisto na página 10 deste documento. 34

35 Controlada pelo empenho: Atividade que pode ter sua duração reduzida colocando mais recursos para a execução; Calendário: A atividade pode utilizar um calendário diferente daquele utilizado pelo projeto; O agendamento ignora calendários do recurso: Com esta opção marcada, o calendário do projeto sobrepõe o calendário do recurso; Código de EDT: Nível da EAP; Método do valor acumulado: método utilizado pela atividade para realizar o cálculo de valor agregado; Marcar a tarefa como etapa: define a atividade como marco/milestones. Guia Anotações Permite anotações para a atividade. Guia campos personalizados 35

36 Define campos personalizados para a atividade e seus valores. Editando os atributos de várias atividades simultaneamente Este recurso permite alteramos o atributo de várias atividades ao mesmo tempo. Para tal, repita o procedimento abaixo: 1º Passo: Selecionar todas as atividades que terão seus atributos alterados. 2º Passo: Através da barra de menu, selecione a opção Projeto e o item Informações sobre a tarefa, ou simplesmente clicando no ícone 36

37 3º Passo: Observar a caixa de diálogo Informações sobre tarefas múltiplas. Promova as alterações nos atributos desejados e, em seguida, pressione o botão OK. Desta forma, todas as alterações efetuadas serão aplicadas em todas as atividades selecionadas. Excluindo uma atividade 1º Passo: Para excluir uma atividade, basta selecionar a atividade que deseja remover clicando em qualquer parte da linha da atividade que deseja remover. 2º Passo: Selecione a opção Editar na barra de menu e clique em Excluir tarefa. 37

38 Outra opção é simplesmente pressionar a tecla DEL ao selecionar a atividade desejada. Inserindo atividades do tipo overhead Atividades do tipo overhead são atividades que duram o projeto inteiro como, por exemplo, gerenciamento de projeto, suporte técnico e monitoramento e controle do projeto. O usuário poderá fornecer atividades do tipo overhead inserindo atividades de longa duração que acompanham a duração do projeto. Ou seja, se o projeto dura 100 dias, basta inserir uma atividade de 100 dias em paralelo com as atividades do projeto ou então inserir atividades recorrentes, como já vimos anteriormente. Entretanto, é recomendável inserirmos atividades do tipo overhead através de atividades de longa duração ao invés de atividades recorrentes. O problema que fica é: sempre que a duração do projeto for alterada, será preciso alterar a duração desta atividade overhead. Certo? Errado. 38

39 Existe um recurso simples no MS Project que permite uma atualização automática da duração da atividade overhead na medida em que a duração do projeto for alterada. 1º Passo: Inserir a atividade overhead no primeiro nível 2º Passo: Inserir uma atividade sumária que contemplará todas as demais atividades do projeto. 3º Passo: Copiar a duração da atividade sumária, selecionando a célula de duração desta atividade e combinando as teclas CTRL + C 4º Passo: Com a duração da atividade sumária copiada, faremos a colagem na duração da atividade overhead de tal forma a criar um link entre as durações. Para isto, com a célula selecionada da atividade overhead, clique a opção Editar na barra de menu. Selecione a opção Colar especial... Selecione a opção 39

40 Pronto! Desta forma, toda vez que a duração da atividade sumária for alterada pela dinâmica do projeto, a duração da atividade overhead acompanhará esta mudança, evitando com que o gerente de projeto tenha que proceder constantemente com a atualização manual. Importante: Falaremos mais de duração de atividades no Guia 07 Estimando duração para as atividades. Indentando atividades (Recuo) Nos procedimentos acima, inserimos todas as atividades necessárias para entregar os pacotes de trabalho previstos na EAP do projeto. Graficamente, queremos colocar as atividades dentro dos pacotes. Veja a figura abaixo. Com isto, queremos ajustar a estrutura hierárquica do projeto (outline structure) promovendo o recuo para direita ou para a esquerda, das atividades para dentro dos pacotes de trabalho na EAP do projeto, ilustrando assim todo o esforço necessário e que precisa ser produzido. 40

41 Para promovermos o recuo das atividades, basta seguir o procedimento abaixo: 1º Passo: Selecione a atividade que deseja promover o recuo para a direita. Neste exemplo, queremos que a atividade Pesquisar preços de mercado fique dentro do pacote CERVEJA 2º Passo: Na barra de ferramenta Formatação, selecione a opção de recuo para a direita representada pela seta 3º Passo: Observar as alterações A atividade Pesquisar preços no mercado foi recuada para a direita; O nível da EAP foi alterado de para , definindo assim a hierarquia da estrutura; Foi criado o símbolo para expandir ou recolher o pacote de trabalho CERVEJA, mostrando assim as atividades que estão contidas neste pacote. 41

42 Importante: para efetuar o recuo para a esquerda, repetir o procedimento acima utilizando a seta para a esquerda Dica: Para promover o recuo, o usuário pode utilizar as teclas de atalho. Para promover o recuo para a direita, pressione as teclas ALT + SHIFT e pressione a tecla Para promover o recuo para a esquerda, pressione as teclas ALT + SHIFT e pressione a tecla Dica: Para promover a expansão ou recolhimento das atividades no nível do pacote de trabalho, o usuário pode utilizar as teclas de atalho. Para promover a expansão, pressione as teclas ALT + SHIFT e pressione a tecla + Para promover o recolhimento, pressione as teclas ALT + SHIFT e pressione a tecla Transferir tabelas, filtros e modos de exibição criados para o Global.mpt Este procedimento é realizado para permitir que o modo de exibição e a tabela que foram criadas fiquem disponíveis para cada novo projeto, sem que haja a necessidade de repetir o processo de criação da tabela e do modo de exibição. 1. Clique em Ferramentas na barra de menus e escolha a opção Organizador Figura: Barra de Menus > Ferramentas 42

43 Figura: Barra de Menus > Ferramentas > Organizador 2. Clique em Ferramentas na barra de menu e escolha a opção Organizador. Como criamos Modo de Exibição e Tabela, precisamos copiá los para o arquivo Global.mpt para que fique disponível como opção para os futuros projetos. Figura: Organizador. Copiar os modos de exibição disponíveis no projeto para o Global.MPT 43

44 Figura: Organizador. Copiar as Tabelas disponíveis no projeto para o Global.MPT 44

45 Sobre o autor Alexandre Paiva de Lacerda Costa é graduado em Engenharia Eletrônica para Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pós graduado em Tecnologia da Informação em Análise e Gestão de Negócios pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), certificado PMP Project Management Professional pelo Project Management Institute (PMI) em 2005, certificado ITIL v2 Foundation pela Exin em 2010, certificado MCTS Microsoft Certified Technology Specialist (Microsoft Office Project 2007, Managing Projects) em 2010 e possui experiência em Planejamento, Execução e Controle de Projetos adquirida em grandes empresas como IBM Brasil, Oi/Telemar, Petrobras e Eletrobrás Termonuclear. 45

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Criando a EAP Analítica Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Estrutura Analítica do Projeto (EAP)... 3 Criar a EAP e o dicionário

Leia mais

Microsoft Project 2007

Microsoft Project 2007 www.gerentedeprojeto.net.br Microsoft Project 2007 Criando a EAP Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Estrutura Analítica do Projeto (EAP)... 3 Criar a EAP e o dicionário da EAP...

Leia mais

www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Exercícios do Guia 04 Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL

www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Exercícios do Guia 04 Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL www.gerentedeprojeto.net. br Projeto Churrasco Exercícios do Guia 04 dos Sonhos Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL EXERCÍCIOS DO GUIA 04 Projeto Churrasco dos Sonhos Com base na elaboração

Leia mais

Com base na. configurações importantes, já. Cronograma. Com. Guia. Teórico: Em

Com base na. configurações importantes, já. Cronograma. Com. Guia. Teórico: Em www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Exercícios do Guia 06 Alexandree Paiva de Lacerdaa Costa, PMP, MCTS, ITIL EXERCÍCIOS DO GUIA 06 Projeto Churrasco dos Sonhos Com base na definição

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Gerando a EAP Gráfica através da EAP Analítica Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Introdução... 3 Instalando o WBS Chart

Leia mais

Microsoft Project 2007

Microsoft Project 2007 www.gerentedeprojeto.net.br Microsoft Project 2007 Trabalhando com Templates Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Trabalhando com Templates no MS Project 2007... 3 Por que templates

Leia mais

Microsoft Project 2007

Microsoft Project 2007 www.gerentedeprojeto.net.br Microsoft Project 2007 Metodologia de Cálculo de Redes Parte I Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário Introdução... 3 Métodos de Diagramação de Redes... 3

Leia mais

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido.

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Sumário Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Introdução ao Project Um projeto é uma seqüência bem definida de eventos, com um início e um final identificável. O foco de um projeto é obter

Leia mais

Capítulo 6. Trabalhando com Tarefas

Capítulo 6. Trabalhando com Tarefas Capítulo 6 Trabalhando com Tarefas 94 4.1 INSERINDO TAREFAS INSERINDO UMA NOVA TAREFA A base para o desenvolvimento do projeto são as tarefas que serão executadas por ele. Sem essa informação não há como

Leia mais

www.gerentedeprojeto.net.br Desenvolvendo o Cronograma Manual dos Indicadores Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL

www.gerentedeprojeto.net.br Desenvolvendo o Cronograma Manual dos Indicadores Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL www.gerentedeprojeto..net.br Desenvolvendo o Cronograma Manual dos Indicadores Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL INDICADORES (STOPLIGHTS) O painel de indicadores de verificação do cronograma

Leia mais

Atualização de Cronogramas utilizando o Microsoft Project 2013

Atualização de Cronogramas utilizando o Microsoft Project 2013 Atualização de Cronogramas utilizando o Microsoft Project 2013 Aula 7 Atualização por Custos (Custos Reais) Alexandre Paiva, PMP, PMI-RMP, PMI-SP, MCTS alexandre.paiva@gerentedeprojeto.net.br @aplacerda

Leia mais

Neste curso, seguiremos um tutorial de aprendizado. Este tutorial, por sua vez, segue as nossas etapas essenciais de planejamento como visto abaixo.

Neste curso, seguiremos um tutorial de aprendizado. Este tutorial, por sua vez, segue as nossas etapas essenciais de planejamento como visto abaixo. 1. Criação e Edição de Projetos 1.1. Visão Geral: Neste curso, seguiremos um tutorial de aprendizado. Este tutorial, por sua vez, segue as nossas etapas essenciais de planejamento como visto abaixo. Planejamento

Leia mais

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007 1 Inicie um novo Antes de começar um novo, uma organização deve determinar se ele se enquadra em suas metas estratégicas. Os executivos

Leia mais

Rogério Fernandes da Costa rogerio@nrsystem.com

Rogério Fernandes da Costa rogerio@nrsystem.com Rogério Fernandes da Costa rogerio@nrsystem.com Rogério Fernandes da Costa MBA em Gestão de Projetos pelo Centro Universitário de Santo André. Vivência em projetos em empresas como Termomecânica, FIESP

Leia mais

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas Capítulo 7 Sequenciamento das Tarefas 125 5.1 RELACIONAMENTO ENTRE TAREFAS Para que o cronograma do projeto seja executado corretamente e as mudanças inseridas seja calculadas de forma correta é importante

Leia mais

Microsoft Project 2003

Microsoft Project 2003 Microsoft Project 2003 1 [Módulo 4] Microsoft Project 2003 2 Definindo durações Inter-relacionamentorelacionamento Caminho crítico Microsoft Project 2003 3 1 Duração das Atividades Microsoft Project 2003

Leia mais

Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um

Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um Projetos, Programas e Portfólios Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um programa, quando se relacionam

Leia mais

Trabalho Interdisciplinar. MS Project

Trabalho Interdisciplinar. MS Project Aula Prática: Introdução ao Microsoft Project Professional MS Project Como vimos em nossas aulas, a EAP Estrutura Analítica do Projeto é o primeiro passo para criar um cronograma de um projeto estruturado.

Leia mais

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas Funções Básicas Fevereiro 2015 - 1) Selecionar o menu Portfólio > Projetos, clique para janela projetos abrir. 2) Selecione botão incluir para abrir um projeto. Preencha os campos obrigatórios nos Dados

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Introdução ao MS Project 2007 Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário GERENCIAMENTO DO TEMPO DO PROJETO... 4 Processo 6.1 Definir

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

Para inserir custo fixo às tarefas, siga os passos abaixo :

Para inserir custo fixo às tarefas, siga os passos abaixo : Capítulo 9 Custos 166 CUSTOS INSERINDO CUSTO FIXO AO PROJETO O custo total do projeto é o custo total de recurso somado ao custo total de custos fixos. O custo com recurso já é computado quando alocamos

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Guia Prático, de utilização da Metodologia Basic Methodware, no Serena OpenProj versão 1.4. A3.1 Criando um Projeto no Serena OpenProj

Guia Prático, de utilização da Metodologia Basic Methodware, no Serena OpenProj versão 1.4. A3.1 Criando um Projeto no Serena OpenProj Guia Prático, de utilização da Metodologia Basic Methodware, no Serena OpenProj versão 1.4 Aplicação no Projeto exemplo: Treinamento em Gerenciamento de Projetos Colaboração: Flávio Giovani Brasil de Carvalho

Leia mais

Projeto Churrasco dos Sonhos

Projeto Churrasco dos Sonhos www.gerentedeprojeto.net.br Projeto Churrasco dos Sonhos Declaração de Escopo Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Sumário PATROCINADOR... 4 NOME DO GERENTE DE PROJETO, SUAS RESPONSABILIDADES

Leia mais

Microsoft Project 2010 Professional

Microsoft Project 2010 Professional Introdução ao Microsoft Project 2010... 4 Conceitos sobre Gerenciamento de Projetos... 4 Iniciando... 4 Apresentação da Tela... 4 Extensões do Project... 5 Teclas de Navegação... 5 Modos de Visualização

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

Microsoft Project 98

Microsoft Project 98 1 FEA/USP - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Disciplina EAD-651 Modelos de Redes Introdução ao Microsoft Project 98 Prof. Antonio Geraldo da Rocha Vidal Outubro/2003 2 SUMÁRIO

Leia mais

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela Aula 01 - Formatações prontas e Sumário Formatar como Tabela Formatar como Tabela (cont.) Alterando as formatações aplicadas e adicionando novos itens Removendo a formatação de tabela aplicada Formatação

Leia mais

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica Sumário Atualizando a tabela dinâmica Exibição de páginas em planilhas separadas Detalhando / ocultando os dados da planilha Gráfico dinâmico Gráfico dinâmico (cont.) Alterando a formatação do gráfico

Leia mais

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Use o Google Drive para armazenar e acessar arquivos, pastas e documentos do Google Docs onde quer que você esteja. Quando você altera um arquivo na web, no

Leia mais

Manual do site do Comitê do Itajaí: como inserir e atualizar

Manual do site do Comitê do Itajaí: como inserir e atualizar Manual do site do Comitê do Itajaí: como inserir e atualizar conteúdo autor: Fábio Roberto Teodoro 25 de março de 2010 Sumário 1 Definições 3 2 Interface Administrativa 4 3 Conteúdo 6 3.1 Notícias............................................

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

Capítulo 8. Recursos

Capítulo 8. Recursos Capítulo 8 Recursos 138 TRABALHANDO COM RECURSOS CRIANDO A LISTA DE RECURSOS DO PROJETO Para completarmos o planejamento precisamos listar os recursos que serão utilizados no projeto. Esse processo é feito

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES SUMÁRIO 1. PREENCHIMENTO DA PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS...3 1.1 Menu...3 1.2 Termo de Abertura...4 1.3 Plano do Projeto...5 1.4

Leia mais

ANÁLISE DE PROJETO NO TEMPO. Construção de uma pequena casa: Código Tarefa Duração Precedências

ANÁLISE DE PROJETO NO TEMPO. Construção de uma pequena casa: Código Tarefa Duração Precedências CAPÍTULO 3 ANÁLISE DE PROJETO NO TEMPO Exemplo Construção de uma pequena casa: Código Tarefa Duração Precedências (semanas) 1 Preparo do terreno 2 --- 2 Fundações 3 1 3 Alvenaria 3 2 4 Esgotos 1 2 5 Telhado

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

APOSTILA MS-PROJECT CONCEITOS BÁSICOS

APOSTILA MS-PROJECT CONCEITOS BÁSICOS APOSTILA MS-PROJECT CONCEITOS BÁSICOS GRUPO CMA PLANEJAMENTO Sumário Visão Geral:... 4 Barra de Menus... 5 Barra de Ferramentas Padrão... 6 Barra de Formatação... 7 Barra de Modos... 8 Principais Visões:...

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

Configuração de assinatura de e-mail

Configuração de assinatura de e-mail Configuração de assinatura de e-mail Este manual irá lhe auxiliar a configurar a sua assinatura de E-mail no Microsoft Outlook (Desktop) e no Outlook Web App (Webmail). Gerando a sua assinatura de e-mail

Leia mais

Questão - 01. Essência do Excel 2003...

Questão - 01. Essência do Excel 2003... Valdir Questão - 01 Como deve proceder o usuário do Microsoft para que sejam atualizados os cálculos das funções ou fórmulas utilizadas nas planilhas? a) Pressionar a tecla F9 no teclado b) Pressionar

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Recursos do Outlook Web Access

Recursos do Outlook Web Access Recursos do Outlook Web Access Este material foi criado pela Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação (SETIC) do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Seu intuito é apresentar algumas

Leia mais

Microsoft Project 2003

Microsoft Project 2003 [Módulo 1] Microsoft Project 2003 Apresentação do software 1 Características do Software. Principal ferramenta para o Gerenciamento de Projetos; Versátil, fácil utilização e interface prática; Uso da Internet

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Exercício - Power Point 4.0

Exercício - Power Point 4.0 Exercício - Power Point 4.0 1 Cenário:Você é um Gerente de Contas da Empresa Ferguson and Bardell e irá criar uma apresentação de investimento. Este é o primeiro exercício de uma série de 5, os exercício

Leia mais

Microsoft Word INTRODUÇÃO

Microsoft Word INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O Word é uma ferramenta utilizada para o processamento e editoração eletrônica de textos. O processamento de textos consiste na possibilidade de executar e criar efeitos sobre um texto qualquer,

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Excel Avançado 2007 Excel Avançado 2007 1

Excel Avançado 2007 Excel Avançado 2007 1 1 Sumário: 1. Introdução...3 2. Funções...3 2.1 Função SE...4 2.2 Botão Inserir...7 2.3 Novas Funções Condicionais...8 2.4 Aninhando Funções...8 3. Análise de Dados Alternativos...9 3.1 Cenários...9 3.2

Leia mais

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2 Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2 2. MANIPULAÇÃO DE DOCUMENTOS Os processadores de textos possibilitam a criação e a manipulação de diversos modelos de documentos. Com eles

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Primeiros Passos para o Simulador de Ações do FinanceDesktop. Parte A INICIANDO E CONFIGURANDO (5 passos)

Primeiros Passos para o Simulador de Ações do FinanceDesktop. Parte A INICIANDO E CONFIGURANDO (5 passos) Primeiros Passos para o Simulador de Ações do FinanceDesktop. Seja bem-vindo(a) ao Simulador de Ações FinanceDesktop. Seu propósito é oferecer um ambiente completo e fácil de usar que permita o registro

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT O PowerPoint é uma poderosa ferramenta que faz parte do pacote Office da Microsoft. O principal uso desse programa é a criação de apresentação de slides, para mostrar

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

Microsoft Office PowerPoint 2007

Microsoft Office PowerPoint 2007 INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007 O Microsoft Office PowerPoint 2007 é um programa destinado à criação de apresentação através de Slides. A apresentação é um conjunto de Sides que são exibidos em

Leia mais

Sistema de Recursos Humanos

Sistema de Recursos Humanos Sistema de Recursos Humanos Projeto 1 O objetivo desse sistema é gerenciar a admissão e a demissão de funcionários. Esse funcionário pode ou não ter dependentes. Esse funcionário está alocado em um departamento

Leia mais

CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO

CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO Antes de criarmos um novo Banco de Dados quero fazer um pequeno parênteses sobre segurança. Você deve ter notado que sempre

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Mic crosoft Excel 201 0 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Interface... 4 Guias de Planilha... 5 Movimentação na planilha... 6 Entrada de textos e números... 7 Congelando painéis... 8 Comentários nas Células...

Leia mais

ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4. A série... 4

ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4. A série... 4 EXCEL 2007 e 2010 2 ÍNDICE ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4 A série... 4 01 LISTA COM VALIDAÇÃO... 5 02 FUNÇÕES FINANCEIRAS... 7 03 FUNÇÃO DE BANCO DE DADOS... 12 04 RÓTULOS... 15 05 TABELA DINÂMICA... 18 06

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS GUIA DO MODELO DE MONOGRAFIA - EFLCH/UNIFESP: PARA MS OFFICE VERSÃO 2 GUARULHOS 2014 2 1 INTRODUÇÃO 1.1 REQUISITOS 1.2 CONVENÇÕES

Leia mais

Microsoft PowerPoint

Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint é utilizado para desenvolver apresentações. Os trabalhos desenvolvidos com este aplicativo normalmente são apresentados com o auxílio de um datashow. Apresentações

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano Formatação condicional utilizando o valor da célula O que é? Algumas vezes é preciso destacar os valores, ou seja, como colocar em vermelho ou entre parênteses, os negativos, e de outra cor os positivos,

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

Introdução à realização de macros

Introdução à realização de macros Introdução à realização de macros 1 Introdução Macros são ações que se executam automaticamente num documento do MS Office, tal como abrir um arquivo, selecionar um campo ou fazer um cálculo, isto é, é

Leia mais

Sistema de Planejamento

Sistema de Planejamento Sistema de Planejamento Copyright 2013 by Softplan Rod. José Carlos Daux, km 1, Nº 10 Centro de Tecnologia Ilhasoft - ParqueTecAlfa João Paulo CEP 88030-000 Florianópolis SC Telefone: (48) 3027-8000 Homepage:

Leia mais

Manual de configuração do sistema

Manual de configuração do sistema Manual de configuração do sistema (v.1.5.x Beta) Rua México, 119 Sala 2004 Centro Rio de Janeiro, RJ www.doctors-solution.com.br www.simdoctor.com.br contato@simdoctor.com.br Sumário 1. Fazendo seu primeiro

Leia mais

Guia de Uso. O Pro-Treino tem uma divisão clara de funções, apresentada a seguir: E três tipos de usuários que executam as funções descritas acima:

Guia de Uso. O Pro-Treino tem uma divisão clara de funções, apresentada a seguir: E três tipos de usuários que executam as funções descritas acima: Sumário 1. Introdução... 2 2. Conceitos básicos... 2 2.1. Fluxo do sistema... 3 2.2. Acesso ao sistema... 4 2.2.1. Login... 4 2.2.2. Logoff... 4 2.2.3. Esqueci minha senha... 5 2.3. Conhecendo o Sistema...

Leia mais

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO Aprender a utilizar mapas, colocar filtros em tabelas e a criar tabelas e gráficos dinâmicos no MS-Excel. Esse roteiro foi escrito inicialmente para o Excel

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS Este tutorial tem como objetivo instruir passo à passo como criar templates de peças, utilizar os novos recursos de cadastro de propriedade de peças e criação de legenda. 1-

Leia mais

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X.

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Para iniciar o sistema dê um duplo clique no ícone, que se encontra na área de trabalho. 1 Login do sistema. Esta é a tela de login

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO MANUAL VTWEB CLIENT URBANO A marca do melhor atendimento. Conteúdo... 2 1. Descrição... 3 2. Cadastro no sistema... 3 2.1. Pessoa Jurídica... 3 2.2. Pessoa Física... 5 2.3. Concluir o cadastro... 6 3.

Leia mais

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 CURITIBA 2015 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007... 3 JANELA PRINCIPAL... 3 1 - BOTÃO OFFICE... 4 2 - FERRAMENTAS DE ACESSO

Leia mais

Manual do usuário. v1.0

Manual do usuário. v1.0 Manual do usuário v1.0 1 Iniciando com o Vivo Gestão 1. como fazer login a. 1º acesso b. como recuperar a senha c. escolher uma conta ou grupo (hierarquia de contas) 2. como consultar... de uma linha a.

Leia mais

Índice. Tenho uma conta pessoal e uma conta da instituição em que dou aula, porém não consigo acessar a conta da escola. O que fazer?

Índice. Tenho uma conta pessoal e uma conta da instituição em que dou aula, porém não consigo acessar a conta da escola. O que fazer? Índice Acesso ao Super Professor Web Como recuperar a senha de acesso? Tenho uma conta pessoal e uma conta da instituição em que dou aula, porém não consigo acessar a conta da escola. O que fazer? Selecionando

Leia mais

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 CAPÍTULO 18 INSTALANDO E CONFIGURANDO O MICROSOFT OFFICE PROJECT SERVER 2003 INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 Antes de começar a instalação do Microsoft Office Project Server 2003

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL.

Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL. CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL. Um gráfico no Excel é uma representação gráfica dos números de sua planilha - números transformados em imagens. O Excel examina um grupo de células que tenham sido selecionadas.

Leia mais

Introdução ao Planejamento de Projetos

Introdução ao Planejamento de Projetos Sumário i Sumário 1. Introdução ao Planejamento de Projetos... 1 1.1. Conceitos de Planejamento e Gerenciamento de Projeto... 1 1.2. Função do MS Project... 1 2. Conhecendo o MS Project... 3 2.1. Área

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

Portal da Prefeitura de São Paulo SECOM. MANUAL DO WARAM v. 1.5 Secretarias

Portal da Prefeitura de São Paulo SECOM. MANUAL DO WARAM v. 1.5 Secretarias SECOM MANUAL DO WARAM v. 1.5 Secretarias WARAM 1.5 Ferramenta de atualização do Portal da Prefeitura de São Paulo. Use preferencialmente o navegador Internet Explorer superior ou igual a 7.0. No campo

Leia mais

Prática 1 - Microsoft Excel

Prática 1 - Microsoft Excel Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba, Campus Sousa Disciplina: Informática Básica Prática 1 - Microsoft Excel Assunto: Tópicos abordados: Prática Utilização dos recursos

Leia mais

Aula 5 Microsoft PowerPoint 2003: Criando uma Apresentação

Aula 5 Microsoft PowerPoint 2003: Criando uma Apresentação Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 - Informática Aula 5 Microsoft PowerPoint 2003: Criando uma Apresentação 1 Introdução ao Microsoft PowerPoint

Leia mais

Introdução Microsoft PowerPoint 2013 apresentações Office PowerPoint 2013 Microsoft PowerPoint 2013 textos planilhas Excel Word

Introdução Microsoft PowerPoint 2013 apresentações Office PowerPoint 2013 Microsoft PowerPoint 2013 textos planilhas Excel Word PowerPoint 2013 Sumário Introdução... 1 Iniciando o PowerPoint 2013... 2 Criando Nova Apresentação... 10 Inserindo Novo Slide... 13 Formatando Slides... 15 Inserindo Imagem e Clip-art... 16 Inserindo Formas...

Leia mais

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas 1 de 5 21-08-2011 22:15 Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas Adição de Colunas com Valores Calculados: Vamos, inicialmente, relembrar, rapidamente alguns conceitos básicos sobre Consultas

Leia mais

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Digitalização Este capítulo inclui: Digitalização básica na página 4-2 Instalando o driver de digitalização na página 4-4 Ajustando as opções de digitalização na página 4-5 Recuperando imagens na página

Leia mais