Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX"

Transcrição

1 Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Prof. Dr. Vicente Barros Conteúdo 11 - Energia eletrostática e capacitância. Conteúdo 12- Capacitores.

2 Antes uma revisão Existe o famoso triângulo das equações da eletrostática. Vamos utilizá-lo, mas o construiremos a partir destas figura abaixo. ρ V E= V V = E d l E

3 Conteúdo 11 - Energia eletrostática e capacitância. Dielétricos e capacitores Para entendermos a energia dentro do contexto da eletrostática primeiro devemos ficar atentos sobre os elementos que fazem parte dos circuitos elétricos e materiais elétricos. Primeiro iremos para as definições. O que é um dielétrico. De maneira geral um dielétrico pode ser entendido como um isolante, um material que faz oposição à passagem da corrente elétrica. Os elementos da natureza normalmente utilizados como dielétricos são aqueles que não possuem elétrons livres em sua estrutura molecular. Como já citamos, qualquer elemento pode ser eletrizado dependendo da intensidade do campo elétrico no qual ele foi submetido.

4 O elemento elétrico com a configuração acima é denominado de capacitor de placas paralelas com meio dielétrico. Dielétricos e capacitores Assim, podemos pensar que um dielétrico é um isolante que pode ser polarizado por um campo elétrico aplicado. O termo polarizado pode ser entendido como a orientação da distribuição de cargas elétricas dentro do elemento sem permitir que o mesmo deixe de ser neutro. A figura abaixo ilustra esta ideia.

5 Estudo de capacitores de placas paralelas Podem existir diversos capacitores com diferentes geometrias, mas iniciaremos o nosso estudo com os mais simples. A função prática do capacitor é a de armazenar carga elétrica em seu interior. Usando a lei de Gauss S E d S= q 0 Onde: ε0 é a permissividade elétrica do vácuo. Podemos pensar agora em outro tipo de permissividade elétrica, a permissividade do meio dielétrico ε.

6 Estudo de capacitores de placas paralelas = 0 A letra grega κ (capa) é a constante dielétrica (adimensional). Fazendo a superfície gaussiana entre a placa e o meio dielétrico. Superfície gaussiana É fácil ver que: E= q 0 A Alguns poucos valores de κ. Material κ Ar 1 Água 80 Nylon 3,5 vidro 5 a 10

7 Capacitância Podemos definir a capacitância como a grandeza que mede a capacidade de armazenamento de energia na forma de carga elétrica. A expressão da mesma é dada por: C= Q V Onde: V é a tensão ou diferença de potencial a qual é aplicada no capacitor e Q é a carga elétrica. A unidade no sistema internacional é o Farad F. Para o caso de capacitor de placas paralelas, tem-se que: V =Ed logo: C= A d

8 Lembrando que a variação da energia potencial está relacionada ao trabalho, termos o seguinte valor de energia no fim de um processo. Energia armazenada num capacitor Agora, temos condições de pensar no trabalho mecânico realizado pela força gerada pelas configurações eletrostáticas. Assim, para deslocar uma carga de um ponto A para um ponto B o trabalho realizado será: Usando o infinitésimo: W AB =q V AB W =qv dw =V dq Pois quem varia no processo de carregamento é a carga elétrica. Usando a definição de capacitância W = i f q C = [ 1 C q 2 f 2 ]i

9 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica O que acontece com um átomo neutro na presença de um campo elétrico? Então pensaremos em um dipolo a exemplo do que discutimos anteriormente, ou seja, proporcional ao campo elétrico. p= E A constante α é chamada de polarizibilidade atômica. Até o momento falamos apenas em termos do campo elétrico no vácuo. Mas, desde a época de Faraday se notava uma queda na diferença de potencial de um capacitor se fosse inserido um isolante entre suas placas. V 0 V 0 κ Não definimos ainda campo elétrico dentro do isolante então não podemos falar nada sobre isso.mas, percebemos uma descontinuidade do mesmo no capacitor.

10 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica ds E E n 1 2 n E 2 E 1 ds= dq p 0 Assim, teremos: n E 2 E 1 =E 0 E=E Usando a lei de Gauss = p ds 0 Agora teremos um densidade de carga superficial σp, com p = 0 1 E Onde E é o campo no interior do meio. O efeito parece com a indução eletrostática, mas a mesma só existe se possuirmos cargas livres em um condutor, mas no dielétrico temos um isolante

11 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica Assim, teremos uma polarização (criação de momentos de dipolo) A aplicação do campo produz um deslocamento das cargas positivas na direção do mesmo e das negativas no sentido contrário criando o dipolo. Um elemento de superfície dentro do dielétrico é atravessado por uma carga total dq. Essa carga varia com a orientação do versor. Assim: n dq= P d S = P n ds Onde P é o campo de polarização. Após alguma análise vetorial e atenção redobrada para a produção de momentos de dipolos atómicos você chegará em uma expressão semelhante a lei de Hooke. d P n'

12 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica P= 0 E No momento, não podemos pensar muito especificamente na formação do dipolo atômico pois precisamos de Mecânica Quântica. Vamos assumir o que temos acima. Onde a constante χ é a suscetibilidade elétrica do meio. Ambos os campos possuem a unidade de N/C ou C/m 2.Você sabe o porquê? Agora, se a polarização varia de ponto a ponto dentro do dielétrico, surgem cargas e polarização além da superfície, ou seja, no volume. As cargas migram de dentro do volume para a superfície e podemos, pensando na equação da continuidade, escrever a seguinte equação. S P n ds= V P dv Pela conservação, teremos a expressão para a variação da carga. q= V P dv

13 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica Podemos pensar em uma densidade de carga volumétrica de polarização e chegamos em: Se, além do dielétrico, existirem cargas livres, a densidade total de carga que gera o campo elétrico é ρ+ρp. Então ficaremos com: Mas, Como: P = p E= p Vamos reescrever os divergentes. 0 E= P P= 0 E [ 1 E ]= 0 = E = D

14 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica Assim, o campo D é dado por: D= E A constante κ é chamada de constante dielétrica do isolante. A constante κ é dada por: =1 = 0 1

15 Os vetores deslocamento elétrico e polarização elétrica Para ilustrar espacialmente teremos: A relação que associa os três vetores é: D= 0 E P

16 Algumas observações Não iremos nos aplicar no comportamento coletivo de capacitores como associação de capacitores e associação de capacitores com resistores pois este tema foi explorado em circuitos elétricos. Podemos fazer alguns exercícios para testar nossos conhecimentos adquiridos até o momento.

17 Exercícios Informações 0 =8, F /m 1-) Um capacitor plano de capacitância 5 μf recebe uma carga elétrica de 20 μc. Determine: a. a ddp entre as armaduras do capacitor; b. a energia potencial elétrica armazenada no capacitor. 2-) Calcule a carga elétrica adquirida por um capacitor de 100 μf, quando conectado a uma fonte de tensão de 120 V. 3-) Um capacitor de placas paralelas possui placas circulares preenchidas com ar com um raio de 4,10cm, separadas por uma distância de 1,00mm. (a) Calcule a capacitância. (b) Qual é a carga das placas se uma diferença de potencial de 110V é aplicada ao capacitor? (c ) Há alguma diferença pelo fato das placas serem circulares? Explique. 4-) Demonstre que o campo de polarização gerado por uma carga q é dada por: P= 1 q 4 r 3 r

Apostila de Física 36 Capacitores

Apostila de Física 36 Capacitores Apostila de Física 36 Capacitores 1.0 Definições Na presença de um condutor neutro, um condutor eletrizado pode armazenar mais cargas elétricas com o mesmo potencial elétrico. Capacitor ou condensador

Leia mais

Eletrostática: Capacitância e Dielétricos

Eletrostática: Capacitância e Dielétricos Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Santa Catarina Campus São José Área de Telecomunicações ELM20704 Eletromagnetismo Professor: Bruno Fontana da Silva 2014-2 Eletrostática:

Leia mais

Conteúdos 5, 6 e 7 de Fundamentos do Eletromagnetismo

Conteúdos 5, 6 e 7 de Fundamentos do Eletromagnetismo Conteúdos 5, 6 e 7 de Fundamentos do Eletromagnetismo Prof. Dr. Vicente Barros 5- O campo elétrico 6- Comportamento de uma carga pontual e um dipolo. 7- Lei de Gauss elétrica Antes de mais nada Vamos testar

Leia mais

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância.

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância. apacitância Dois condutores (chamados de armaduras) carregados formam um capacitor ue, uando carregado, faz com ue os condutores tenham cargas iguais em módulo e sinais contrários. Q e V são proporcionais

Leia mais

Capacitância e Dielétricos

Capacitância e Dielétricos Capacitância e Dielétricos 1 Um capacitor é um sistema constituído por dois condutores separados por um isolante (ou imersos no vácuo). Placas condutoras Carga elétrica Isolante (ou vácuo) Símbolos Em

Leia mais

Segunda aula de Fundamentos de Eletromagnetismo

Segunda aula de Fundamentos de Eletromagnetismo Segunda aula de Fundamentos de Eletromagnetismo Prof. Vicente Barros 1- Revisão de vetores. 2- Revisão sobre carga elétrica. 3- Revisão condutores e isolantes 4- Revisão sobre Lei de Coulomb. Revisão de

Leia mais

Potencial Elétrico, Dielétricos e Capacitores. Eletricidade e magnetismo - potencial elétrico, dielétricos e capacitores 1

Potencial Elétrico, Dielétricos e Capacitores. Eletricidade e magnetismo - potencial elétrico, dielétricos e capacitores 1 Potencial Elétrico, Dielétricos e Capacitores Eletricidade e magnetismo - potencial elétrico, dielétricos e capacitores 1 Potencial elétrico O campo elétrico é um campo de forças conservativo: Se, por

Leia mais

Capacitância. Prof. Fernando G. Pilotto UERGS

Capacitância. Prof. Fernando G. Pilotto UERGS Capacitância Prof. Fernando G. Pilotto UERGS Capacitores O capacitor é um dispositivo prático para o armazenamento de energia elétrica. Os flashs de máuinas fotográficas e os desfibriladores médicos usam

Leia mais

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho de Carvalho - Eletrostática Densidade de Fluxo Elétrico e Lei de Gauss (Páginas 48 a 55 no livro texto) Experimento com esferas concêntricas Densidade de Fluxo elétrico (D) Relação entre D e E no vácuo

Leia mais

1ª LISTA DE FÍSICA 1º BIMESTRE

1ª LISTA DE FÍSICA 1º BIMESTRE Professor (a): PAULO Disciplina FÍSICA Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015 1ª LISTA DE FÍSICA 1º BIMESTRE 1) Uma descarga elétrica ocorre entre uma nuvem que está a 2.000 m de altura do solo. Isso acontece

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

Quarta Lista - Capacitores e Dielétricos

Quarta Lista - Capacitores e Dielétricos Quarta Lista - Capacitores e Dielétricos FGE211 - Física III Sumário Um capacitor é um dispositivo que armazena carga elétrica e, consequentemente, energia potencial eletrostática. A capacitância C de

Leia mais

Teo. 9 - Capacitância

Teo. 9 - Capacitância Teo. 9 - apacitância 9. Introdução Uma das importantes aplicações da Eletrostática é a possibilidade de construir dispositivos que permitem o armazenamento de cargas elétricas. Esses dispositivos são chamados

Leia mais

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Princípios de Circuitos Elétricos Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Resistência, Indutância e Capacitância Resistor: permite variações bruscas de corrente e tensão Dissipa energia Capacitor:

Leia mais

( 1) FIS Projeto de Apoio Eletromagnetismo. 5ª Lista de Problemas Tema: Capacitores. Ceq. = k. ΔV é igual para os dois capacitores e sendo.

( 1) FIS Projeto de Apoio Eletromagnetismo. 5ª Lista de Problemas Tema: Capacitores. Ceq. = k. ΔV é igual para os dois capacitores e sendo. FIS1053 - Projeto de Apoio Eletromagnetismo 5ª Lista de Problemas Tema: Capacitores 1ª Questão: Dois capacitores, de capacitância C1=4μF e C=1 μf, estão ligados em série a uma bateria de 1 V. Os capacitores

Leia mais

Na parte interna teremos q =20mC e na parte externa teremos 2q= - 40mC. Alternativa Correta Letra A

Na parte interna teremos q =20mC e na parte externa teremos 2q= - 40mC. Alternativa Correta Letra A FÍSICA III P1-2013.1 1 ELETRIZAÇÃO EM CONDUTORES Nesse caso, vamos ter indução no condutor. As cargas negativas vão para a parte externa e as positivas são atraídas para mais próximo da carga q (que é

Leia mais

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas.

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas. CAMPO ELÉTRICO Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Campo Elétrico Criado por cargas elétricas. Representado por linhas de campo. Grandeza

Leia mais

And« Física 12. São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em:

And« Física 12. São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em: 25042016 CAPACDADE E CONDENSADORES And«CONDENSADORES São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em: Recetores de radio Dispositivos de armazenamento com flash Desfibrilhadores,

Leia mais

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta 1 Sumário Capacitor Indutor 2 Capacitor Componente passivo de circuito. Consiste de duas superfícies condutoras separadas por um material não condutor

Leia mais

Potencial elétrico e energia potencial elétrica Capítulo

Potencial elétrico e energia potencial elétrica Capítulo Potencial elétrico e energia potencial elétrica Capítulo Potencial elétrico e energia potencial elétrica Potencial elétrico Se uma carga de prova q for colocada em um campo elétrico, ficará sujeita a uma

Leia mais

Capacitância C = Q / V [F]

Capacitância C = Q / V [F] Capacitância Na figura abaixo, como exemplo, tem-se duas placas paralelas, feitas de um material condutor e separadas por um espaço vazio. Essas placas estão ligadas a uma fonte de tensão contínua através

Leia mais

CONDUTORES E ISOLANTES

CONDUTORES E ISOLANTES ELETRICIDADE CONDUTORES E ISOLANTES O FÍSICO INGLÊS STEPHEN GRAY PERCEBEU QUE ALGUNS FIOS CONDUZIAM BEM A ELETRICIDADE E CHAMOU-OS DE CONDUTORES E, AOS QUE NÃO CONDUZIAM OU CONDUZIAM MAL A ELETRICIDADE,

Leia mais

CAMPO ELÉTRICO E POTENCIAL ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO E POTENCIAL ELÉTRICO AULA 24 1- CAMPO ELÉRTRICO CAMPO ELÉTRICO E POTENCIAL ELÉTRICO Campo elétrico é uma região do espaço modificada (perturbação eletrostática) pela presença de um corpo eletrizado (carga fonte). Considere

Leia mais

Campo Elétrico. Campo elétrico de uma carga puntiforme: O campo elétrico em cargas com dimensões desprezíveis em relação à distância.

Campo Elétrico. Campo elétrico de uma carga puntiforme: O campo elétrico em cargas com dimensões desprezíveis em relação à distância. Campo Elétrico Campo elétrico: O campo elétrico desempenha o papel de transmissor de interações entre cargas elétrica, ou seja, é o campo estabelecido em todos os pontos do espaço sob a influência de uma

Leia mais

Eletromagnetismo II. Prof. Daniel Orquiza. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo II. Prof. Daniel Orquiza. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho Eletromagnetismo II Prof. Daniel Orquiza Eletromagnetismo II Prof. Daniel Orquiza de Carvalho Eletromagnetismo II - Eletrostática Fluxo Magnético e LGM (Capítulo 7 Páginas 207a 209) Princípio da Superposição

Leia mais

CAPACITOR. Capacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar carga elétrica e energia, ao ser ligado em uma fonte de tensão.

CAPACITOR. Capacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar carga elétrica e energia, ao ser ligado em uma fonte de tensão. APAITOR apacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar carga elétrica e energia, ao ser ligado em uma fonte de tensão. O capacitor possui dois terminais para sua polarização (d.d.p.). Dentro do

Leia mais

Garrafa de Leyden Dielétricos

Garrafa de Leyden Dielétricos Garrafa de Leyden A garrafa de Leyden foi a invenção precursora de uma das mais importantes peças utilizadas nos circuitos atuais: o capacitor. A sua função é armazenar cargas. Como a garrafa de Leyden,

Leia mais

Campo Elétrico [N/C] Campo produzido por uma carga pontual

Campo Elétrico [N/C] Campo produzido por uma carga pontual Campo Elétrico Ao tentar explicar, ou entender, a interação elétrica entre duas cargas elétricas, que se manifesta através da força elétrica de atração ou repulsão, foi criado o conceito de campo elétrico,

Leia mais

b) átomos do dielétrico absorvem elétrons da placa negativa para completar suas camadas eletrônicas externas;

b) átomos do dielétrico absorvem elétrons da placa negativa para completar suas camadas eletrônicas externas; GOIÂNIA, _28 / 10 / 2016 PROFESSOR: Jonas Tavares DISCIPLINA: Física SÉRIE: 3º ALUNO(a): L1 4º Bim Data da Prova: 28/10/2016 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente

Leia mais

Eletrostática. Antonio Carlos Siqueira de Lima. Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica

Eletrostática. Antonio Carlos Siqueira de Lima. Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica Eletrostática Antonio Carlos Siqueira de Lima Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica Agosto 2008 1 Campo Elétrico Campo Elétrico Devido a Distribuições

Leia mais

ENERGIA, CARGA E DESCARGA DE CAPACITOR

ENERGIA, CARGA E DESCARGA DE CAPACITOR UNIVERSIDADE TENOLÓGIA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO AADÊMIO DE ELETROTÉNIA ELETRIIDADE E MAGNESTISMO - ET72F Profª Elisabete N Moraes ENERGIA, ARGA E DESARGA DE APAITOR E ASSUNTOS OMPLEMENTARES Energia

Leia mais

Histórico do Magnetismo e suas bases teóricas

Histórico do Magnetismo e suas bases teóricas Histórico do Magnetismo e suas bases teóricas Prof. Vicente Pereira de Barros Conteúdo 15 -Histórico e propriedades básicas do Magnetismo Conteúdo 16 O campo magnético Conteúdo 17 Fluxo Magnético Conteúdo

Leia mais

Resumo e exercícios sobre capacitores Sex, 06 de Agosto de :26 - Última atualização Seg, 15 de Junho de :04

Resumo e exercícios sobre capacitores Sex, 06 de Agosto de :26 - Última atualização Seg, 15 de Junho de :04 CAPACITORES I) RESUMO DO ESTUDO DE CAPACITORES OU CONDENSADORES São dispositivos que tem a função de armazenar cargas elétricas. Nos circuitos os capacitores quando estão carregados não passam correntes.

Leia mais

Nome do Aluno: Nº Ensino Médio 2º ano.

Nome do Aluno: Nº Ensino Médio 2º ano. Valor do trabalho: 10 pontos NOTA: Nome do Aluno: Nº Ensino Médio 2º ano. Trabalho de recuperação paralela de Física Setor A Prof. Douglas Rizzi Data: / / INSTRUÇÕES GERAIS: Responda os testes com atenção

Leia mais

E03 - CAMPO ELÉTRICO E MAPEAMENTO DE EQUIPOTENCIAIS. Figura 1: Materiais necessários para a realização desta experiência.

E03 - CAMPO ELÉTRICO E MAPEAMENTO DE EQUIPOTENCIAIS. Figura 1: Materiais necessários para a realização desta experiência. E03 - CAMPO ELÉTRICO E MAPEAMENTO DE EQUIPOTENCIAIS 1- OBJETIVOS Traçar as equipotenciais de um campo elétrico, em uma cuba eletrolítica. Determinar o campo elétrico, em módulo, direção e sentido, devido

Leia mais

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Aula 4_1 Capacitores Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Capacitores Definição da Capacitância: capacitor e sua capacitância Carga de um capacitor Exemplos de Cálculo da Capacitância

Leia mais

FÍSICA E ELETROMAGNETISMO

FÍSICA E ELETROMAGNETISMO FÍSICA E ELETROMAGNETISMO As ciências em geral, e a física em particular pretendem descrever o universo material. Um dos bem sucedidos objetivos da física tem sido a descrição dos constituintes deste universo

Leia mais

Em um mau condutor, como vidro ou borracha, cada elétron está preso a um particular átomo. Num condutor metálico, de forma diferente, um ou mais

Em um mau condutor, como vidro ou borracha, cada elétron está preso a um particular átomo. Num condutor metálico, de forma diferente, um ou mais Capítulo 6 Condutores 6.1 Breve Introdução Em um mau condutor, como vidro ou borracha, cada elétron está preso a um particular átomo. Num condutor metálico, de forma diferente, um ou mais elétrons por

Leia mais

Energia potencial elétrica

Energia potencial elétrica Energia potencial elétrica Foi descoberto empiricamente que a força elétrica é uma força conservativa, portanto é possível associar a ela uma energia potencial. Quando uma força eletrostática age sobre

Leia mais

INDUÇÃO MAGNÉTICA. Indução Magnética

INDUÇÃO MAGNÉTICA. Indução Magnética INDUÇÃO MAGNÉTIA Prof. ergio Turano de ouza Lei de Faraday Força eletromotriz Lei de Lenz Origem da força magnética e a conservação de energia.. 1 Uma corrente produz campo magnético Um campo magnético

Leia mais

CAPACITORES ASSOCIAÇÃO - CARGA - TENSÃO DE TRABALHO

CAPACITORES ASSOCIAÇÃO - CARGA - TENSÃO DE TRABALHO APAITORES ASSOIAÇÃO - ARGA - TENSÃO DE TRABALHO A exemplo dos resistores, os capacitores podem ser associados para a obtenção de valores desejados. ASSOIAÇÃO SÉRIE: Na associação série de capacitores,

Leia mais

Revisão: Ondas Eletromagnéticas (EM) Capítulo 2 do Battan.

Revisão: Ondas Eletromagnéticas (EM) Capítulo 2 do Battan. Revisão: Ondas Eletromagnéticas (EM) Capítulo 2 do Battan. Campo Elétrico - E O campo elétrico E - é um conceito definido pela força que uma carga (usualmente uma carga de teste) experimentaria se fosse

Leia mais

Aula 2 Eletrostática Prof. Marcio Kimpara

Aula 2 Eletrostática Prof. Marcio Kimpara ELETRICIDADE Aula 2 Eletrostática Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Prof. Marcio Kimpara 2 Eletricidade Os primeiros relatos sobre a eletricidade datam desde antes de Cristo.

Leia mais

Primeira Prova 2. semestre de /10/2013 TURMA PROF.

Primeira Prova 2. semestre de /10/2013 TURMA PROF. D Física Teórica II Primeira Prova 2. semestre de 2013 19/10/2013 ALUNO TURMA PROF. ATENÇÃO LEIA ANTES DE FAZER A PROVA 1 Assine todas as folhas das questões antes de começar a prova. 2 - Os professores

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Lei de Ohm Última Aula Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Associação de Resistores Análise

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º. Ementa Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º Ementa PLANO DE ENSINO Processos de eletrização, carga elétricas, força elétrica, campo elétrico, Lei de Gauss, potencial elétrico,

Leia mais

1 a PROVA Gabarito. Solução:

1 a PROVA Gabarito. Solução: INSTITUTO DE FÍSICA DA UFBA DEPARTAMENTO DE FÍSICA DO ESTADO SÓLIDO DISCIPLINA: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL III FIS 123) TURMA: T02 SEMESTRE: 2 o /2012 1 a PROVA Gabarito 1. Três partículas carregadas

Leia mais

Do que somos feitos? >>Vídeo: Física- Química- Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)<<

Do que somos feitos? >>Vídeo: Física- Química- Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)<< Prof. Gabriel Aká Do que somos feitos? >>Vídeo: Física Química Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)>Átomo

Leia mais

Elementos de Circuitos Elétricos

Elementos de Circuitos Elétricos Elementos de Circuitos Elétricos Corrente e Lei de Ohm Consideremos um condutor cilíndrico de seção reta de área S. Quando uma corrente flui pelo condutor, cargas se movem e existe um campo elétrico. A

Leia mais

Sumário. 1 Introdução Álgebra Vetorial Cálculo Vetorial 62

Sumário. 1 Introdução Álgebra Vetorial Cálculo Vetorial 62 Sumário 1 Introdução 18 1-1 Linha do Tempo Histórico 19 1-1.1 Eletromagnetismo na Era Clássica 19 1-1.2 Eletromagnetismo na Era Moderna 20 1-2 Dimensões, Unidades e Notação 21 1-3 A Natureza do Eletromagnetismo

Leia mais

CAPACITÂNCIA TEORIA. A Equipe SEI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos.

CAPACITÂNCIA TEORIA. A Equipe SEI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos. ITÂNI TOI quipe SI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos. 1. apacitância de um condutor isolado O aluno, para continuar lendo esse artigo,

Leia mais

1 - Cargas elétricas. 1-1 Algumas descobertas pertinentes ao capítulo. Me. Leandro B. Holanda,

1 - Cargas elétricas. 1-1 Algumas descobertas pertinentes ao capítulo. Me. Leandro B. Holanda, 1 - Cargas elétricas 1-1 Algumas descobertas pertinentes ao capítulo A física do eletromagnetismo foi estudada pela primeira vez pelos filósofos da Grécia antiga; eles descobriram que, se um pedaço de

Leia mais

EMENTA: Carga e matéria. Campo elétrico. Lei de Gauss. Potencial elétrico. Capacitores

EMENTA: Carga e matéria. Campo elétrico. Lei de Gauss. Potencial elétrico. Capacitores DISCIPLINA: FÍSICA III CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA: 60 h/a OBJETIVOS: Identificar fenômenos naturais em termos de regularidade e quantificação, bem como interpretar princípios fundamentais que generalizam

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 11 ELETROSTÁTICA: POTENCIAL, TRABALHO E ENERGIA

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 11 ELETROSTÁTICA: POTENCIAL, TRABALHO E ENERGIA FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 11 ELETROSTÁTICA: POTENCIAL, TRABALHO E ENERGIA + - + + + + + A B + d + q q - - - - - Q q P d 6.V 5.V V -V c 2.d3.d 4.d 5.d 6.d d 4.V 3.V 2.V Q>0-2.V -3.V -4.V Q

Leia mais

corpos eletrizados carg r a g s campo elétrico

corpos eletrizados carg r a g s campo elétrico Introdução A princípio vimos que corpos eletrizados ficam sujeitos a forças de atração ou de repulsão, dependendo dos tipos de cargas que possuem. Um corpo eletrizado é capaz de repelir e de ser repelido

Leia mais

estudos 3º trimestre. Matemática-Física-Química Orientação de estudos

estudos 3º trimestre. Matemática-Física-Química Orientação de estudos estudos 3º trimestre. Roteiro de Matemática-Física-Química O roteiro foi montado especialmente para reforçar os conceitos dados em aula. Com os exercícios você deve fixar os seus conhecimentos e encontrar

Leia mais

Corrente elétrica e Resistência

Corrente elétrica e Resistência Capítulo 9 Corrente elétrica e Resistência 9.1 Transporte de Carga e Densidade de Corrente As correntes elétricas são causadas pelo movimento de portadores de carga. A corrente elétrica num fio é a medida

Leia mais

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) LEI DE GAUSS

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) LEI DE GAUSS FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) LEI DE GAUSS Carl Friedrich Gauss (1777 1855) foi um matemático, astrônomo e físico alemão que contribuiu significativamente em vários campos da ciência, incluindo a teoria dos

Leia mais

Professora Florence. 1,0 C e q3

Professora Florence. 1,0 C e q3 TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Dados: Aceleração da gravidade: 10 m/s 3 Densidade do mercúrio: 13,6 g/cm Pressão atmosférica: 5 1,0 10 N/m Constante eletrostática: k 1 4,0 10 N m C 0 0 1. (Ufpe 01) Três

Leia mais

1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera?

1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera? 1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera? 2 - Na eletrosfera de um átomo de carbono temos 6 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera?

Leia mais

Aula de Física II - Capacitância e Energia

Aula de Física II - Capacitância e Energia Prof.: Leandro Aguiar Fernandes (lafernandes@iprj.uerj.br) Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto Politécnico - IPRJ/UERJ Departamento de Engenharia Mecânica e Energia Graduação em Engenharia

Leia mais

1. Conceito de capacidade 2. Tipos de condensadores. 3. Associação de condensadores. 4. Energia de um condensador. 5. Condensador plano paralelo com

1. Conceito de capacidade 2. Tipos de condensadores. 3. Associação de condensadores. 4. Energia de um condensador. 5. Condensador plano paralelo com 1. Conceito de capacidade 2. Tipos de condensadores. 3. Associação de condensadores. 4. Energia de um condensador. 5. Condensador plano paralelo com dieléctrico. Utilidade: Armazenamento de carga e energia

Leia mais

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL TRLHO D FORÇ ELÉTRIC E ENERGI POTENCIL 1. (OF 006) Um corpo esférico, condutor, oco, de espessura irrelevante e com carga total nula tem um raio R = 50,0 cm e envolve um corpo esférico, a ele concêntrico,

Leia mais

A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c) 2,0 A. d) 4,0 A.

A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c) 2,0 A. d) 4,0 A. 1. Seja o circuito elétrico apresentado, onde R = ohms. A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c),0 A. d) 4,0 A.. Um circuito de malha dupla

Leia mais

Lei de Coulomb. Interação entre Duas Cargas Elétricas Puntiformes

Lei de Coulomb. Interação entre Duas Cargas Elétricas Puntiformes Lei de Coulomb Interação entre Duas Cargas Elétricas Puntiformes A intensidade F da força de interação eletrostática entre duas cargas elétricas puntiformes q 1 e q 2, é diretamente proporcional ao produto

Leia mais

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA Aquino, Josué Alexandre. A657e Eletrotécnica : engenharia / Josué Alexandre Aquino. Varginha, 2015. 50 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Eletrotécnica.

Leia mais

2 Campos Elétricos. 2-2 Campos elétricos. Me. Leandro B. Holanda,

2 Campos Elétricos. 2-2 Campos elétricos. Me. Leandro B. Holanda, 2 Campos Elétricos No capítulo anterior vimos como determinar a força elétrica exercida sobre uma partícula 1 de carga +q 1 quando a partícula é colocada nas proximidades de uma partícula 2 de carga +q

Leia mais

7. Potencial eletrostático

7. Potencial eletrostático 7. Potencial eletrostático Em 1989 Wolfgang Paul recebeu o prémio Nobel da física pela sua invenção da armadilha de iões que permite isolar um ião. Com essa invenção tornou-se possível estudar um átomo

Leia mais

Aluno: Assinatura: DRE: Professor: Turma: Seção Nota original Iniciais Nota de revisão

Aluno: Assinatura: DRE: Professor: Turma: Seção Nota original Iniciais Nota de revisão Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Física Física III 010/ Primeira Prova (P1) 1/10/010 Versão: A Aluno: Assinatura: DRE: Professor: Turma: Seção Nota original Iniciais Nota de revisão

Leia mais

F = 1/4πɛ 0 q 1.q 2 /r 2. F = G m 1.m 2 /r 2 ENERGIA POTENCIAL 04/05/2015. Bacharelado em Engenharia Civil. Física III

F = 1/4πɛ 0 q 1.q 2 /r 2. F = G m 1.m 2 /r 2 ENERGIA POTENCIAL 04/05/2015. Bacharelado em Engenharia Civil. Física III ENERGIA POTENCIAL Bacharelado em Engenharia Civil Física III Prof a.: D rd. Mariana de Faria Gardingo Diniz A energia potencial é a energia que está relacionada a um corpo em função da posição que ele

Leia mais

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r 1) No sistema mostrado abaixo, as roldanas e os fios são ideais e o atrito é considerado desprezível. As roldanas A, B, e C são fixas e as demais são móveis sendo que o raio da roldana F é o dobro do raio

Leia mais

SOLUÇÃO ANALÍTICA E NUMÉRICA DA EQUAÇÃO DE LAPLACE

SOLUÇÃO ANALÍTICA E NUMÉRICA DA EQUAÇÃO DE LAPLACE 15 16 SOLUÇÃO ANALÍTICA E NUMÉRICA DA EQUAÇÃO DE LAPLACE 3. Todos os dispositivos elétricos funcionam baseados na ação de campos elétricos, produzidos por cargas elétricas, e campos magnéticos, produzidos

Leia mais

Cap. 5. Capacitores e Dielétricos

Cap. 5. Capacitores e Dielétricos Cap. 5. Capacitores e Dielétricos 1 5.1. Definição de Capacitância Um capacitor consiste de dois condutores em oposição, separados por um meio isolante (dielétrico) e possuindo cargas de mesmo módulo mas

Leia mais

POTENCIAL ELÉTRICO I) RESUMO DE FÓRMULAS DE POTENCIAL ELÉTRICO O potencial elétrico é função da carga que cria o campo elétrico, e assim como o próprio campo elétrico, ele existe independente da existencia

Leia mais

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta.

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta. Exercícios Parte teórica Exercício 1) Uma esfera carregada, chamada A, com uma carga 1q, toca sequencialmente em outras 4 esferas (B, C, D e E) carregadas conforme a figura abaixo. Qual será a carga final

Leia mais

Terceira Lista - Potencial Elétrico

Terceira Lista - Potencial Elétrico Terceira Lista - Potencial Elétrico FGE211 - Física III Sumário Uma força F é conservativa se a integral de linha da força através de um caminho fechado é nula: F d r = 0 A mudança em energia potencial

Leia mais

Duração do exame: 2:30h Leia o enunciado com atenção. Justifique todas as respostas. Identifique e numere todas as folhas da prova.

Duração do exame: 2:30h Leia o enunciado com atenção. Justifique todas as respostas. Identifique e numere todas as folhas da prova. Duração do exame: :3h Leia o enunciado com atenção. Justifique todas as respostas. Identifique e numere todas as folhas da prova. Problema Licenciatura em Engenharia e Arquitetura Naval Mestrado Integrado

Leia mais

Electromagnetismo. Campo Magnético:

Electromagnetismo. Campo Magnético: Campo Magnético: http://www.cartoonstock.com/lowres/hkh0154l.jpg Campo Magnético: Existência de ímans Corrente eléctrica A bússola é desviada http://bugman123.com/physics/oppositepoles large.jpg Observação

Leia mais

5. Capacitância (baseado no Halliday, 4 a edição)

5. Capacitância (baseado no Halliday, 4 a edição) 5. apacitância apítulo 5 5. apacitância (baseado no Halliday, 4 a edição) A Utilização dos apacitores omo podemos armazenar energia? a. Mecânica: esticando uma corda de um arco, distendendo uma mola, comprimindo

Leia mais

ELETRICIDADE E MAGNETISMO

ELETRICIDADE E MAGNETISMO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Professores: Edson Vaz e Renato Medeiros ELETRICIDADE E MAGNETISMO NOTA DE AULA I Goiânia - 14 ELETROMAGNETISMO CARGA ELÉTRICA

Leia mais

Física Unidade VI Série 2

Física Unidade VI Série 2 01 A força magnética F é perpendicular, simultaneamente, ao campo indução B e a velocidade v. No entanto v e B não são, necessariamente, perpendiculares entre si. Resposta: B 1 02 Como a velocidade é paralelo

Leia mais

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo ELETRICIDADE Eletrodinâmica Eletrostática Eletromagnetismo Átomo Núcleo Prótons carga positiva (+e). Nêutrons carga neutra. Eletrosfera Eletrons carga negativa (-e). Carga Elétrica Elementar e = 1,6 x

Leia mais

Disciplina Física 3. Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP. Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000

Disciplina Física 3. Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP. Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000 Disciplina Física 3 Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000 Sobre a Apresentação Todas as gravuras, senão a maioria, são

Leia mais

Corrente elétrica. GRANDE revolução tecnológica. Definição de corrente Controle do movimento de cargas

Corrente elétrica. GRANDE revolução tecnológica. Definição de corrente Controle do movimento de cargas Definição de corrente Controle do movimento de cargas corrente elétrica{ GANDE revolução tecnológica fi eletrotécnica, eletrônica e microeletrônica (diversidade de aplicações!!) Ex. motores elétricos,

Leia mais

Eletrostática. (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura.

Eletrostática. (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura. Eletrostática Prof: Diler Lanza TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura. Um dos anéis é de

Leia mais

Cap. 1 Princípios da Eletrostática

Cap. 1 Princípios da Eletrostática Cap. 1 Princípios da Eletrostática Instituto Federal Sul-rio-grandense Curso Técnico em Eletromecânica Disciplina de Eletricidade Básica Prof. Rodrigo Souza Sumário 1 - Princípios da Eletrostática 1.1

Leia mais

Princípios de Eletricidade e Magnetismo

Princípios de Eletricidade e Magnetismo Princípios de Eletricidade e Magnetismo Engenharias 1 Ementa Eletrostática Carga Elétrica Condutores e Isolantes Processos de Eletrização Lei de Coulomb Campo Elétrico Potencial Elétrico Circuitos I Tensão

Leia mais

PROBLEMA DE FÍSICA INDUÇÃO ASSIMÉTRICA

PROBLEMA DE FÍSICA INDUÇÃO ASSIMÉTRICA PROBLEMA DE FÍSICA INDUÇÃO ASSIMÉTRICA Enunciado: É dado um condutor de formato esférico e com cavidade (interna) esférica, inicialmente neutra (considere que esse condutor tenha espessura não-desprezível).

Leia mais

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA 1 PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Curso: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÔES Nome da disciplina: ELETRICIDADE E MAGNETISMO Código: 54155 Carga horária: 83 horas Semestre

Leia mais

Aula 00 Aula Demonstrativa

Aula 00 Aula Demonstrativa Aula 00 Aula Demonstrativa Apresentação... 2 Eletrostática... 3 Princípios da Eletrostática... 4 Princípio da atração e da repulsão (Lei de DuFay)... 4 Princípio da Conservação das Cargas Elétricas...

Leia mais

(A) 4 (B) 3 (C) 5 (D) 7 (E) 6

(A) 4 (B) 3 (C) 5 (D) 7 (E) 6 ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Escola que a gente quer é a Escola que a gente faz! NATUREZA DA ATIVIDADE: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - ELETRODINÂMICA DISCIPLINA: FÍSICA ASSUNTO: CAPACITORES Educando para a Modernidade

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO 4.º Teste Sumativo de Física 15. março. 2016

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO 4.º Teste Sumativo de Física 15. março. 2016 ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO 4.º Teste Sumativo de Física 15. março. 2016 12.º Ano Turma A e B Maria do Anjo Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído

Leia mais

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho de Carvalho - Eletrostática (Capítulo 4 Páginas 96 a 100) Cálculo da distribuição de potencial de um dipolo elétrico. Cálculo da distribuição de campo elétrico de um dipolo elétrico. 2 - Eletrostática

Leia mais

O CAPACITOR. -q E = V

O CAPACITOR. -q E = V MINISTÉRIO D EDUÇÃO SERETRI DE EDUÇÃO PROFISSIONL E TENOLÓGI INSTITUTO FEDERL DE EDUÇÃO, IÊNI E TENOLOGI DE SNT TRIN MPUS DE SÃO JOSÉ URSO TÉNIO INTEGRDO EM TELEOMUNIÇÕES Disciplina: nálise de ircuitos

Leia mais

PLANO DE CURSO (Res. CEPE nº 144/98) CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS Departamento de Física 2013 CÓDIGO Turmas NOME 2FIS /2000 ELETROMAGNETISMO I

PLANO DE CURSO (Res. CEPE nº 144/98) CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS Departamento de Física 2013 CÓDIGO Turmas NOME 2FIS /2000 ELETROMAGNETISMO I Centro de Ciências Exatas Departamento de Física Ano Letivo - 2013 PLANO DE CURSO (Res. CEPE nº 144/98) CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS ANO LETIVO Departamento de Física 2013 CÓDIGO Turmas NOME 2FIS031 1000/2000

Leia mais

Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B)

Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B) Grupo de Supercondutividade e Magnetismo Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B) Prof. Dr. Maycon Motta São Carlos-SP, Brasil, 2016 Turma B Prof. Dr. Maycon Motta E-mail: m.motta@df.ufscar.br Site: www.gsm.ufscar.br/mmotta

Leia mais

O símbolo usado em diagramas de circuito para fontes de tensão é:

O símbolo usado em diagramas de circuito para fontes de tensão é: Circuitos Elétricos Para fazer passar cargas elétricas por um resistor, precisamos estabelecer uma diferença de potencial entre as extremidades do dispositivo. Para produzir uma corrente estável é preciso

Leia mais

Campo Magnética. Prof. Fábio de Oliveira Borges

Campo Magnética. Prof. Fábio de Oliveira Borges Campo Magnética Prof. Fábio de Oliveira Borges Curso de Física II Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense Niterói, Rio de Janeiro, Brasil http://cursos.if.uff.br/fisica2-2015/ Campo magnético

Leia mais

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ]

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ] Corrente elétricas A partir do modelo atômico de Bohr, que o define pela junção de prótons, nêutrons e elétrons, é possível explicar a alta condutividade dos metais, devida à presença dos elétrons livres.

Leia mais

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C DIFERENÇA DE POTENCIAL (DDP) CRIAR UMA DIFERENÇA ENTRE DOIS PONTOS. NUM DOS PONTOS HÁ EXCESSO E NO OUTRO FALTA DE ELETRONS QUANTO MAIOR A DIFERENÇA, MAIOR VAI

Leia mais