Incursões históricas sobre o livro Há Dois Mil Anos A erupção do Vesúvio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Incursões históricas sobre o livro Há Dois Mil Anos A erupção do Vesúvio"

Transcrição

1 Incursões históricas sobre o livro Há Dois Mil Anos A erupção do Vesúvio Parte 1 Marco Paulo Denucci Di Spirito Resumo: O presente trabalho tem por escopo a avaliação de dados históricos contidos no livro Há Dois Mil Anos, da psicografia de Francisco Cândido Xavier. Designadamente, propõe-se o estudo de um trecho da obra que trata da erupção do monte Vesúvio e da existência de vilas em Pompeia. Palavras-chave: Psicografia mediunidade história erupção do Vesúvio Pompeia vilas romanas. Abstract: The scope of this paper is to review the historical data presented in the book Two Thousand Years ago, psychographed by Francisco Candido Xavier. In particular, it is proposed to study a book s excerpt about the eruption of Mount Vesuvius and the existence of villas in Pompeii. Key-words: Psychographics - mediumship - history - eruption of Mount Vesuvius roman villas. Sumário 1. Introdução; 2. A passagem selecionada; 3. O horário da erupção do Monte Vesúvio em 79 d.c.; 4. As vilas em Pompeia; 5. As fontes históricas disponíveis sobre os pontos destacados; 6. Conclusões parciais; 7. Referências bibliográficas. 1. Introdução Como tivemos a oportunidade de esclarecer no primeiro trabalho publicado na Revista Eletrônica Lei Divina 1, damos sequência ao empreendimento de divulgar estudos voltados à avaliação dos dados históricos contidos no livro Há Dois Mil Anos, psicografado por Francisco Cândido Xavier, trazendo à lume pesquisas que temos realizado desde Sobre a proposta de exposição da pesquisa, remetemos o leitor ao aludido artigo, designadamente para sua introdução. Vale destacar, apenas, que não objetivamos tecer conclusões detidas sobre os dados em análise, senão apresentar ao estudioso interessado o contraponto destes com os registros historiográficos levantados. 1 1

2 A obra Há Dois Mil Anos certamente renderia um épico dos cinemas, pois sua narrativa perpassa por marcantes fatos históricos tais como a Conspiração de Catilina, os anos de glória da Roma Imperial, a presença de Jesus na Judéia, a Revolução dos Judeus. E também transcorre em meio ao evento objeto do presente trabalho: a erupção do Vesúvio no ano de 79 da nossa era. A respeito da tragédia sobre a qual nos debruçaremos, o livro Há Dois Mil Anos aduz inúmeras informações. Na verdade, são tantas que optamos por estudá-las em partes. Este fracionamento será observado para outros temas abordados na obra, tais como a Guerra dos Judeus, desde o seu início até a marcha do triunfo de Tito e Vespasiano. Assim, na esteira da metodologia proposta, cabe destacar a passagem que será analisada, o que se fará no tópico seguinte. 2. A passagem selecionada Nesta oportunidade optou-se por enfocar o seguinte trecho: Em radiosa manhã do ano de 79, toda a Pompeia despertou em rumores festivos. (...) No séquito do questor ilustre vinha, igualmente, Plínio Severus, em plenitude de maturidade, totalmente regenerado e julgando-se agora redimido no conceito da esposa e daquele que seu coração considerava como pai. (...) Nesse dia, enquanto Ana comandava, verbalmente, as atividades domésticas nos preparativos da recepção, mobilizando escravos e servos numerosos, Públio e filha se abraçavam comovidos, em face da surpresa que o destino lhes reservara, embora tardiamente. Avisados por mensageiros da caravana de patrícios ilustres, davam larga às emoções mais gratas do espírito, na doce perspectiva de acolherem o filho pródigo, tantos anos distante de seus braços amigos. Antes do meio-dia, um deslumbramento de viaturas, de cavalos ajaezados e de jóias faiscantes sobre vestiduras reluzentes se deparava às portas da vila plácida e graciosa, provocando a admiração e o interesse curioso das 2

3 vizinhanças. E, em seguida, foi um turbilhão de abraços, carinhos, palavras confortadoras e generosas. (...) Públio Lentulus abraçou Plínio, demoradamente, como se fizesse a um filho bem-amado, que voltasse de longe e cuja ausência houvera sido excessivamente prolongada. Experimentava no íntimo impulsos de extravasão de afeto, que o seu coração dominou, para não provocar a admiração injustificada dos circunstantes. (...) Insistentes chamados, porém, requeriam a presença do questor e comitiva, no local dos festejos. O circo fôra preparado a rigor e não se perdera nenhuma oportunidade para a realização das menores minudências próprias das grandes festividades romanas. E ao mesmo tempo que todos se despediam do senador e de sua filha, num deslumbramento de felicidade mundana, Plínio Severus dirigia-se a Públio nestes termos, depois de abraçar ternamente a companheira: - Meu pai, levado pelas circunstâncias, sou compelido a acompanhar o questor nas festividades populares, mas estarei de regresso em breves horas, para ficar convosco um mês, de modo a tratarmos do nosso regresso a Roma. Em pleno espetáculo, Plínio Severus, já no outono da vida, arquitetava os planos de futuro. Procuraria resgatar todas as faltas antigas, perante os seus parentes afetuosos e queridos; assumiria a direção de todos os negócios do velho pai pelo coração, aliviando-o de todas as angustiosas preocupações da vida material. De vez em quando, os aplausos da multidão lhe interrompiam os devaneios. A maioria da população de Pompeia ali estava em plena festa, ovacionando os triunfadores. Gente de toda a redondeza e muito particularmente de Herculanum, acorrera pressurosa ao divertimento predileto daquelas épocas recuadas. De permeio com os atletas e gladiadores, estavam os músicos, os cantores e os dançarinos. Tudo era um farfalhar de sedas, um delicioso chocalhar de alegrias ruidosas, ao som de flautas e alaúdes. (...) 3

4 Em dado instante, porém, a atenção geral foi solicitada por um fato estranho e incompreensível. Do cimo do Vesúvio elevava-se grossa pirâmide de fumo, sem que ninguém atinasse com a causa do fenômeno insólito. Continuavam os jogos animadamente, mas agora, no seio da coluna fumarenta que se elevava em caprichosos rolos para o alto, surgiam impressionantes labaredas... Plínio Severus, como todos os presentes, se surpreendia com o fenômeno estranho e inexplicável. Em minutos breves, no entanto, estabeleciam-se no anfiteatro a confusão e o terror. (...) Mergulhada em penumbra espessa e tomada de terror indizível, Pompeia assistia aos seus últimos instantes, numa aflição desesperada... (...) Na vila de Lentulus, os escravos perceberam imediatamente o perigo próximo. Nos primeiros momentos, os cavalos relinchavam estranhamente e as aves inquietas fugiam em desespero. Após a queda das primeiras colunas que sustentavam o edifício, todos os servos do senador abandonaram precipitadamente os postos, desejosos de conservar noutra parte os bens preciosos da vida. Somente Ana ficara junto dos amos, dando-lhes conhecimento dos horrores do ambiente. Os três, numa justificada inquietude, escutaram o rumor horrível da inolvidável catástrofe do Império. A própria vila estava já meio destruída, penetrando as cinzas pelos desvãos abertos pela queda dos telhados e começando a sua obra de lenta sufocação. 2 A passagem está contextualizada no dia da erupção do Monte Vesúvio, no ano de 79. Nesta data, o protagonista Públio Lentulus, então domiciliado em Pompeia, recebe seu genro Plínio Severus. Este evento é frisado uma vez que está relacionado ao horário aproximado do início das atividades do vulcão, como se verá adiante. Em seguida, o texto relata a destruição da casa do Senador Públio Lentulus, curiosamente denominada de vila de Lentulus. 2 XAVIER, Francisco Cândido. Emmanuel (Espírito). Há Dois Mil Anos. Brasília: FEB, 2013, p. 341 e ss. 4

5 Assim, cumpre averiguar a correspondência, com a história, dos seguintes fatos relatados no trecho em tela: i) o horário aproximado da erupção do Monte Vesúvio em 79; ii) a compreensão do que viria a ser uma vila estabelecida na região de Pompeia. É verdade que o texto acima transcrito apresenta outros pontos históricos de relevo. Todavia, estes serão avaliados noutra oportunidade. A partir dos tópicos seguintes será demonstrado que a obra apresenta, no trecho selecionado, dados verossímeis quando comparados com registros históricos. 3. O horário da erupção do Monte Vesúvio em 79 d.c. A erupção do Monte Vesúvio sob análise realmente ocorreu em 79 d.c, mais especificamente em 24 de agosto 3. Há, todavia, quem situe o evento em novembro. 4 O ano em que se verificou tal tragédia é um dado que, se não é do conhecimento geral, também não pode ser tido como de domínio exclusivo dos especialistas. Por outro lado, o mesmo não pode ser dito quanto ao horário específico em que o vulcão iniciou suas atividades no dia em questão. Afinal, tal informação é apresentada em apenas uma fonte histórica, que consiste na carta de Plínio, o Jovem, enviada para Tácito, a respeito das constatações de Plínio, o Ancião. O contexto deste registro histórico requer uma avaliação detida. Gaius Plinius Secundus, mais conhecido como Plínio, o Ancião foi um distinto romano tido como um dos grandes enciclopedistas da história de seu povo, que se notabilizou pela sua obra Naturalis Historiae, composta por trinta e sete volumes 5. De acordo com os relatos de seu sobrinho e, posteriormente, filho adotivo Gaius Plinius Caecilius Secundus, também conhecido por Plínio, o Jovem, no 3 HOWATSON, M. C. The Oxford Companion to Classical Literature. Oxford: Oxford University Press, 1989, p KELSEY, Francis W. Pompeii: Its Life and Art. New York: Macmillan, 1907, p LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p BUNSON, Matthew. Encyclopedia of the Roman Empire. New York: Infobase Publishing, 2002, p

6 dia dos fatos o ancião encontrava-se próximo ao vulcão, tendo tomado apontamentos sobre os detalhes da erupção, incluindo o seu horário de início. Em decorrência do desastre, Plínio, o Ancião acaba falecendo. Assim, o famoso historiador romano Tácito solicita a seu amigo Plínio, o Jovem, que lhe escreva uma carta consignando os detalhes que foram constatados pelo velho Plínio, para que pudesse a utilizar como referência em seus escritos. 6 Dessa forma, Plínio, o Jovem atende ao pedido de Tácito e lhe escreve a carta, da qual se extrai o seguinte trecho relevante para o presente estudo: (...) 2. Erat Miseni classemque imperio praesens regebat. Nonum kal. Septembres hora fere septima mater mea indicat ei adparere nubem inusitata et magnitudine et specie. Usus ille sole, mox frigida, gustaverat iacens studebatque; poscit soleas, ascendit locum ex quo maxime miraculum illud conspici poterat. (...) 7 O texto em latim é destacado com um propósito específico. Ocorre que nele consta a referência do dia e do horário da erupção, de acordo com os parâmetros romanos. Muitas traduções desse texto foram providenciadas já com a conversão dos parâmetros temporais para a nossa compreensão atual, como ocorre na seguinte versão em inglês: (...) 6 The most celebrated of the letters concerned with natural phenomena are those describing the eruption of Vesuvius in August 79, which Pliny penned at the request of his friend Tacitus, who used them as a source in a lost section of his Histories. (WALSH, P. G. Pliny, the Younger - Complete letters; translated with an introduction and notes by P. G. Walsh. Oxford: Oxford University Press, 2006, Introdução, p. xxiv). Our chief source of information for the events of August 24-26, 79, is a couple of letters of the Younger Pliny to Tacitus, who purposed to make use of them in writing his history. Pliny was staying at Misenum with his uncle, the Elder Pliny, who was in command of the Roman fleet. In the first letter he tells of his uncle's fate. On the afternoon of the twenty-fourth, the admiral Pliny set out with ships to rescue from impending danger the people at the foot of Vesuvius, particularly in the vicinity (KELSEY, Francis W. Pompeii: Its Life and Art. New York: Macmillan, 1907, p. 19). Umberto Eco, embora sem questionar a história em si As far as we know, the story is true indeed tece críticas sobre a forma heroica com que Plínio, o Ancião, é apresentado por Plínio, o Jovem. (ECO, Umberto. The Limits of Interpretation. Bloomington: Indiana University Press, 1994, p. 123 e ss.). 7 O texto em latim foi obtido da obra de Umberto Eco: ECO, Umberto. The Limits of Interpretation. Bloomington: Indiana University Press, 1994, p

7 My uncle was at Misenum, where he held command of the fleet in person. Just after midday on 24 August my mother pointed out to him the appearance of a cloud of unusual size and appearance. He had relaxed in the sun, had then taken a cold dip, had lunched lying down, and was at his books. He asked for his sandals, and mounted to the place from which that remarkable phenomenon could best be observed. (...) 8 Todavia, uma tradução literal para o português permite aferir os seguintes referenciais de tempo: (...) Meu tio encontrava-se em Miseno, onde comandava a frota. Era o nono dia antes das calendas de setembro (24 de agosto), pela sétima hora (13 horas), quando minha mãe lhe mostrou que se formava uma nuvem volumosa e de forma incomum. Havia tomado seu banho de sol, depois um banho frio, e, num leito, estudava. Levantouse e subiu a um lugar do qual podia ver melhor o fenômeno (...) 9 O sistema de mensuração do tempo em Roma possuía como parâmetro a luz do dia. 10 Assim, os estudiosos da história romana esclarecem que a sétima hora referida no texto diz respeito ao horário entre meio-dia e uma hora da tarde WALSH, P. G. Pliny, the Younger - Complete letters; translated with an introduction and notes by P. G. Walsh. Oxford: Oxford University Press, 2006, p FUNARI, Pedro Paulo A. Vida quotidiana na Roma Antiga. São Paulo: Annablume, 2003, p BREASTED, James Henry. The Beginnings of Time-Measurement and the Origins of Our Calendar. In: The Scientific Monthly, vol. 41, nº. 4, Out/1935; New York: American Association for the Advancement of Science, p WRIGHT, M. T. Greek and Roman Portable Sundials: An Ancient Essay in Approximation. In: Archive for History of Exact Sciences, Vol. 55, nº 2, Dez/2000. New York: Springer, p SLOLEY, R. W. Primitive Methods of Measuring Time: With Special Reference to Egypt. In: The Journal of Egyptian Archaeology vol. 17, nº 3/4, Nov., 1931, London: Egypt Exploration Society, p Around or after 1:00 P.M. (SIGURDSSON, H. The Eruption of Vesuvius in A. D. 79: Addendum. In: American Journal of Archaeology, vol. 86, nº. 2; Abr/1982; Boston: Archaeological Institute of America, pp ). Na carta de Plínio, o Jovem, lemos que ocorreu perto da sétima hora depois do nascer do sol (hora fere septima), em 24 de agosto, quando se observou a nuvem da erupção sobre o Vesúvio, ou seja, por volta do meio-dia (Ep ), Tradução livre de: In Pliny the Younger s letter we read that it was near the seventh hour after sunrise (hora fere septima) on August 24, when they noted the eruption cloud over Vesuvius, i.e. about noon (Ep ). (DOBBINS, John J.; FOSS, Pedar W. The World of Pompeii. New York: Routledge, 2007, p. 52). 7

8 temporal: Exatamente por isso consta em algumas traduções a seguinte indicação Ele estava naquele momento com a frota sob seu comando em Misenum. No dia 24 de Agosto [nonum Calend. Septembres], por volta de uma da tarde [Hora fere Septima], minha mãe pediu-lhe que observasse uma nuvem que apareceu de um tamanho e forma muito incomuns. 12 Meu tio estava no Miseno, onde mantinha o comando da frota em pessoa. Logo após o meio-dia, em 24 de agosto, minha mãe apontou-lhe o surgimento de uma nuvem de tamanho e aparência incomuns. 13 O início da atividade do vulcão, logo após o meio-dia, confirma a apresentação da cronologia dos fatos contidos no trecho destacado da obra Há Dois Mil Anos. Como visto, a passagem selecionada para avaliação afirma textualmente que antes do meio-dia Públio Lentulus havia recebido o seu genro Plínio Severus. O romance segue descrevendo o encontro dos personagens, que permaneceram juntos apenas por algum tempo, uma vez que Plínio Severus tinha a incumbência de acompanhar o questor nas festividades populares e, por isso, partiu. A obra apresenta, na sequência, Plínio Severus no anfiteatro, diante das festividades que marcaram aquele dia, quando presenciou os derradeiros minutos de Pompeia em virtude da erupção do Vesúvio. Recapitulando resumidamente tais fatos, o livro apresenta a seguinte sequência: i) o encontro de Públio Lentulus com Plínio Severus, antes do meio-dia; ii) a breve permanência de Plínio Severus na residência de Públio Lentulus; iii) a saída apressada de Plínio Severus para acompanhar o questor ao local das festividades; iv) a chegada de Plínio Severus ao anfiteatro; v) a erupção do Vesúvio. 12 He was at that time with the fleet under his command at Misenum. On the 24th of August [nonum calend. Septembres], about one in the afternoon [hora fere septima], my mother disired him to observe a cloud which appeared of a very unusual size and shape. (PHILLIPS, John. Vesuvius. Oxford: Clarendon Press, 1869, p. 14). 13 Tradução livre de: My uncle was at Misenum, where he held command of the fleet in person. Just after midday on 24 August my mother pointed out to him the appearance of a cloud of unusual size and appearance. (WALSH, P. G. Pliny, the Younger - Complete letters; translated with an introduction and notes by P. G. Walsh. Oxford: Oxford University Press, 2006, p. 143). 8

9 Percebe-se, pois, que a cronologia dos acontecimentos está em consonância com o registro histórico que aponta o horário da erupção do Vesúvio, ocorrida a partir do meio-dia. Corrobora esta conclusão os estudos históricos que indicam a tradição romana no sentido de encerrar as atividades na sexta hora para reativá-las a partir da sétima hora. 14 A obra Há Dois Mil Anos, em outras passagens, apresenta um contexto de coerência com tais praxes: No palácio do Aventino, todos os domésticos mais íntimos acreditavam na permanência de Lívia em casa da filha; mas, um pouco antes do meio-dia, Flávia Lentúlia veio ter com o pai, a fim de beijá-lo antes do triunfo. 15 O senador sentiu o coração ferido de presságios angustiosos, mas os escravos já se encontravam preparados para conduzi-lo ao Senado, onde as primeiras cerimônias teriam início depois do meio-dia, com a presença de César. 16 Aliás, o cuidado para que o questor não se atrasasse em face da retomada das festividades, que provavelmente aconteceria a partir da sétima hora, explicaria o seguinte trecho da obra, também transcrito acima: Insistentes chamados, porém, requeriam a presença do questor e comitiva, no local dos festejos. 17 O contexto geral, assim, aponta para a chegada de Plínio Severus à casa de Públio Lentulus antes do meio-dia e para a chegada do primeiro ao anfiteatro de Pompeia por volta de uma hora, momentos antes da erupção. 14 Others may have worked from dawn to dusk with a break at midday (the sixth hour). (LAURENCE, Ray. Roman Pompeii: space and society. London: Routledge, 1996, p. 118). Significativamente, a sétima hora começou no mesmo ponto, em tempo real, no verão e no inverno. Isso foi essencial, porque era às sete horas que muitas atividades recomeçavam depois de uma hora de descanso. Tradução livre de: Significantly, the seventh hour began at the same point in real time summer and winter. This was essential, because it was at the seventh hour that many activities recommenced after an hour of rest. (LAURENCE, Ray. Roman Pompeii: space and society. London: Routledge, 1996, p. 104). 15 XAVIER, Francisco Cândido. Emmanuel (Espírito). Há Dois Mil Anos. Brasília: FEB, 2013, p XAVIER, Francisco Cândido. Emmanuel (Espírito). Há Dois Mil Anos. Brasília: FEB, 2013, p XAVIER, Francisco Cândido. Emmanuel (Espírito). Há Dois Mil Anos. Brasília: FEB, 2013, p

10 O relato fático em tela é verossímil quando se considera que apresenta uma sequência de eventos plenamente possível de ter ocorrido antes da erupção, no dia 24 de agosto de 79 d.c. Essa compatibilidade cronológica é relevante uma vez que o autor de um romance histórico ou de um pasticho se depararia com grande margem de erro caso tentasse descrever um evento tão comum quanto um encontro familiar na Pompeia do dia 24 de agosto de 79 d.c. A afirmação de um fato desta natureza a partir de uma hora da tarde seria considerada como muito pouco provável, considerando-se a tragédia que assolou a região após este momento. É igualmente instigante a constatação de que a informação sobre a hora de início da erupção do Vesúvio requer não apenas um conhecimento muito específico, porquanto registrada apenas na epístola de Plínio, o Jovem, destinada a Tácito, mas também porque requer conhecimentos especiais da cultura romana para decifrar que a referência à sétima hora diz respeito ao horário por volta de 13:00h. Portanto, o trecho em destaque apresenta verossimilhança em cotejo com os registros históricos e aduz informações específicas típicas daquelas dominadas por especialistas. 4. As vilas em Pompeia Ainda no contexto da erupção do Vesúvio, a obra Há Dois Mil Anos apresenta a repercussão desse fenômeno no local que servia de residência para Públio Lentulus, referido como vila de Lentulus. O substantivo vila, tal como empregado, causa alguma estranheza, já que comumente utilizado para referir-se à seguinte acepção prevista no Dicionário Aurélio: povoação de categoria superior à de aldeia ou arraial e inferior à de uma cidade. 18 Considerando-se a Pedro Leopoldo de 1939, data de produção do livro, e mesmo na atualidade, muito provavelmente se interpretaria a palavra vila de acordo com o seu uso regional (brasileirismo), segundo indicado no mesmo dicionário: conjunto de pequenas habitações independentes, em geral idênticas, e dispostas de modo que formem rua ou praça interior, por via de regra sem caráter 18 FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Eletrônico Aurélio Século XXI. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira e Lexikon Informática, Versão CD-ROM. 10

11 de logradouro público 19. Ou de acordo com outro regionalismo apontado pelo Dicionário Houaiss: qualquer conjunto de casas agrupadas 20. Os dicionários Aurélio e Houaiss indicam a etimologia da palavra, originária do latim villa. Esta última obra também aduz o sentido que mais se adéqua à cultura romana: casa de campo ou de recreação nos arrabaldes das cidades italianas. 21 Portanto, o que se entende por vila na realidade da Roma antiga é algo significativamente diverso do que aprendemos pelo uso cotidiano no Brasil. Para a nobreza romana a palavra vila correspondia a suntuosas casas de veraneio 22. Pode-se dizer que numa vila romana o edifício e sua arquitetura é que se destacavam, não a extensão das terras. Conforme esclarece Roberto Schezen: Ao longo dos tempos imperiais, até final do século IV, a vila foi o resort dos romanos próspreros. (...) A vila ou tinha que ser de fácil acesso à cidade ou, de outra forma, equipada, como as de Plínio eram, para acomodar os proprietários e seus convidados durante 19 FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Eletrônico Aurélio Século XXI. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira e Lexikon Informática, Versão CD-ROM. 20 HOUAISS, Antonio, VILLAR, Mauro de Salles, FRACO, Francisco Manoel de Mello. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, Versão CD-ROM HOUAISS, Antonio, VILLAR, Mauro de Salles, FRACO, Francisco Manoel de Mello. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, Versão CD-ROM Arcisse de Caumont parece ter sido a primeira pessoa a estudar as vilas romanas como um classe distinta do construção. (SMITH, J.T. Roman villas: a study in social structure. New York: Routledge, 1997, p. 6). It has been generally assumed that villas owned by wealthy Roman citizens were mostly used as summer resorts. (...) Strabo stated that the whole Bay of Naples appeared like a continuous town as a result of the number of villas that lined the coastline. (LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p. 79). Whenever the Roman could afford the additional luxury of a home in the country, he maintained villas as well as an urban residence. (NASH, Ernest. Roman Towns. New York: J. J. Augustin, 1994, p. 22). At once both elegant residences and units for production, villas were a typical feature of the Roman world. They were an expression not only of a particular lifestyle, but also of Roman society in general; villas were emblematic of membership to the upper class, or else of the aspiration to it. (MARZANO, Annalisa. Roman Villas in Central Italy - A Social and Economic History. Leiden: Brill, 2007, p. 1.) Sobre a aparência de tais casas romanas, inconfundíveis com propriedades rurais típicas do contexto brasileiro, confira-se: NASH, Ernest. Roman Towns. New York: J. J. Augustin, 1994, p. 22; SCHEZEN, Roberto. The Villa: From Ancient to Modern. New York: Abrams Books, 2000, p. 11. Ainda, vale consultar a seguinte vídeo-aula: 11

12 semanas ou até meses. Romanos prósperos mantinham um número de lugares favoritos as colinas da Toscana e o litoral, perto de Nápoles - que estavam todos repletos de vilas, assim como as colinas do interior, ao sul de Roma, em Tusculum, por exemplo, onde Cícero viveu, e onde ele realizou os seus famosos debates filosóficos. Imperadores construíram vilas para o entretenimento privado, como Tibério fez sobre um promontório na ilha de Capri. 23 De acordo com Francis W. Kelsey: Duas classes de vilas eram distinguidas pelos romanos, - a de grandes propriedades, villa pseudourbana, e a casa rural, villa rustica. A primeira era uma casa de cidade, adaptada às condições rurais; a organização das últimas eram determinadas pelas exigências da vida na fazenda. As grandes propriedades apresentavam maior diversidade de planejamento do que as residências da cidade. Eles eram relativamente maiores, contendo colunatas espaçosas e jardins; como o proprietário se encontrava irrestrito em relação ao espaço, não estando confinado sob os limites de um lote, oportunidades mais completas eram oferecidas para a exibição do gosto individual no arranjo dos quartos. Podemos entender a partir das cartas de Plínio, o Jovem, descrevendo suas duas moradias em Laurentum e Tifernum Tiberinum (agora Città di Castello) e, a partir dos restos da casa de Adriano em Tivoli, quão longe a individualidade poderia firmar-se no planejamento e na construção de uma casa de campo Tradução livre de: Throughout Imperial times, until the late fourth century, the villa was the resort of the prosperous Roman. (...) The villa either had to be within easy reach of town or of another type, equipped, as Pliny's were, to accommodate the owners and their guests for weeks or even months. Prosperous Romans had a number of favorite spots the Tuscan hills and the seaside near Naples which were all crowded with villas, as were the hills inland just south of Rome, at Tusculum, for instance, where Cicero lived, and where he held his famous philosophical disputations. Emperors built villas for private entertainment, as Tiberius did on a promontory on the Isle of Capri. (SCHEZEN, Roberto. The Villa: From Ancient to Modern. New York: Abrams Books, 2000, p. 11). 24 Tradução livre de: Two classes of villas were distinguished by the Romans, -- the country seat, villa pseudourbana, and the farmhouse, villa rustica. The former was a city house, adapted to rural conditions; the arrangements of the latter were determined by the requirements of farm life. The country seats manifested a greater diversity of plan than the city residences. They were relatively larger, containing spacious colonnades and gardens; as the proprietor was unrestricted in regard to 12

13 Interessante notar que as escavações em Pompeia revelaram a presença de vilas romanas na região: Plínio e Vitruvius fornecem muitas informações sobre como as vilas eram ocupadas, mas pouco se conhecia sobre elas até dois séculos atrás, quando um feliz acidente levou à descoberta das ruínas de Herculano e Pompeia, as duas cidades que tinham sido as mais prósperas do interior bem como resorts litorâneos e foram enterrados sob as cinzas e lava produzidos pela grande e totalmente inesperada explosão do Vesúvio, em 79 d.c., a mesma que matou Plínio, o ancião. Como casa após casa foram descobertas, muitas delas foram reconstruídas, e em algumas suas mobílias, bem como objetos metálicos, e até mesmo uma biblioteca inteira, como num caso específico, foram recuperados. E, claro, em muitos deles uma grande quantidade de decoração, algumas em relevo de gesso, muitas delas pintadas, tinham sobrevivido. 25 No total, os restos de quase 150 propriedades foram descobertas no interior da cidade, mas o nosso conhecimento sobre de que tipo de estabelecimento se tratavam ou quem os possuía é muito nebuloso, pois só raramente eles têm sido sistematicamente escavados. Alguns eram certamente vilas prazeirosas para os ricos, mesmo aqueles que vinham de tão longe como Roma: não era apenas Cícero, que teve o seu lugar de Pompeia. Alguns space, not being confined to the limits of a lot, fuller opportunity was afforded for the display of individual taste in the arrangement of rooms. We can understand from the letters of Pliny the Younger, describing his two villas at Laurentum and Tifernum Tiberinum (now Città di Castello), and from the remains of the villa of Hadrian at Tivoli, how far individuality might assert itself in the planning and building of a country home. (KELSEY, Francis W. Pompeii: Its Life and Art. New York: Macmillan, 1907, p. 355). 25 Tradução livre de: Pliny and Vitruvius provide much information about how villas were occupied, but little was actually known about them until two centuries ago, when a happy accident led to the discovery of the ruins of Herculaneum and Pompeii, the two towns that had been prosperous country towns as well as seaside resorts and were buried in the ash and lava produced by the great and wholly unexpected explosion of Vesuvius in AD 79, the same one that killed Pliny the Elder.As house after house was discovered, many of them were reconstructed, and in some their furniture as well as metal objects, even a whole library, in one case, were recovered. And of course in many of them a great deal of the decoration, some in plaster relief, and much of it painted, had survived. (SCHEZEN, Roberto. The Villa: From Ancient to Modern. New York: Abrams Books, 2000, p. 11). 13

14 eram trabalhadores rurais. Outros eram uma combinação dos dois. 26 Pela ilustração abaixo, referente a sítios de escavação em Pompeia, é possível identificar a localização de algumas vilas 27 : De acordo com os especialistas, Pompeia era marcada pela presença de inúmeras vilas luxuosas 28, que se concentravam, na maior parte, fora dos muros da cidade Tradução livre de: Altogether the remains of almost 150 properties have been discovered in the hinterland of the city, but our knowledge of what kind of establishments they were or who owned them is very hazy, for only rarely have they been systematically excavated. Some were certainly pleasure villas for the rich, even those from as far away as Rome: it was not only Cicero who had his Pompeian place. Some were working farms. Others were a combination of the two. (BEARD, Mary. Pompeii - The Life of a Roman Town. London: Profile Books, 2008, p. 155). 27 Legenda: 1 Vila dos Mistérios; 2 Vila de Diomedes; 3 Vila dos Sepulcros; 4 Vila de Giulia Felice; 5 Anfiteatro. 28 However, before we begin to analyse the local patterns of production and consumption in Pompeii, we must set the city of Pompeii in a wider economic perspective. Geographically, Pompeii was the entrepôt for the Sarno river valley (Strabo 247C=5.4.8). It had good river connections with the towns of this economic hinterland. Also, it formed part of an economy based upon the luxury villas of the Bay of Naples and the wider Campanian economy, which was centred upon Puteoli 14

15 A história registra que conhecidas personalidades romanas possuíam vilas destinadas aos momentos de repouso, como Popeia Sabina 30, esposa de Nero, Cícero 31 ou Plínio, o Jovem. 32 Dentre algumas das vilas descobertas na região, podem ser citadas a vila de Giulia Felice 33, a vila de Popeia (ou vila Oplontis) 34, a vila de Diomedes 35, a vila de P. Fannius Synistor 36, a vila de M. Fabius Rufus 37, a vila Regina 38, a vila dos mistérios 39, a vila dos papiros 40, a vila das colunas mosaicas 41. (D Arms 1970:116 67). (LAURENCE, Ray. Roman Pompeii: space and society. London: Routledge, 1996, p. 47). 29 Out-of-town Roman house, or villa. (BEARD, Mary. Pompeii - The Life of a Roman Town. London: Profile Books, 2008, p. 110). 30 As has been often observed, Nero and Poppaea were especially popular at Pompeii, Poppaea herself having very strong local connections, especially through her probable ownership of the magnificent villa nearby at Oplontis. (FRANKLIN JR, James L. Pompeis difficile est : studies in the political life of imperial Pompeii. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 2004, p. 119, 120). 31 Not only Sullan veterans, however, but other Romans notably Cicero also came to acquire property around Pompeii by the mid-first century BC (B17 22). Excavators in the eighteenth century identified a villa on the outskirts, just beyond the Herculaneum Gate, as belonging to Cicero. (...) His Pompeian villa served at times both as a retreat from the politically oppressive atmosphere of Rome and as a potentially good location for a hasty escape by sea. (COOLEY, Alison E.; COOLEY, M.G.L. Pompeii: a sourcebook. New York: Routledge, 2004, p. 17, 24) 32 Many of these villas were owned by Romans. For example, the Younger Pliny had six villas, Cicero three, and it is thought, on the basis of evidence from inscriptions, that the Villa of Oplontis near Pompeii may have at one time belonged to Nero s wife, Poppaea. (LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p. 79). COOLEY, Alison E.; COOLEY, M.G.L. Pompeii: a sourcebook. New York: Routledge, 2004, p MAIURI, Amedeo. Pompei ed Ercolano: fra case e abitanti. Florença: Giunti Editore, 1998, p. 55. Imagens podem ser acessadas pelo seguinte endereço eletrônico: 34 Imagens podem ser acessadas pelos seguintes endereços eletrônicos: ; 35 LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p. 19. Imagens podem ser acessadas pelo seguinte endereço eletrônico: 36 LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p BEARD, Mary. Pompeii - The Life of a Roman Town. London: Profile Books, 2008, p COOLEY, Alison E.; COOLEY, M.G.L. Pompeii: a sourcebook. New York: Routledge, 2004, p The Villa of the Dionysiac Mysteries manifests the best state of preservation, among the country houses thus far excavated. It is situated outside Pompeii on the road leading to Herculaneum. Since the original entrance from that side has not yet been excavated, the building is approached and entered from the rear. A large quadrangular basement supports a garden terrace surrounding the western part of the one-story villa. A colonnaded portico on the south, west, and north sides borders the garden. Entered from the rear, the house displays a tablinum opening upon an apsidal exedra on one side and upon a spacious atrium on the other. Atrium and peristyle show the basic characteristics of the Roman town house. (NASH, Ernest. Roman Towns. New York: J. J. Augustin, 15

16 Como explica Roberto Schezen, tais escavações ainda persistem, pois não foram esgotados os locais de pesquisa. 42 Percebe-se, pois, que a obra Há Dois Mil Anos surpreende ao empregar a palavra vila num enquadramento significativamente distinto de sua acepção ordinária no cotidiano brasileiro. Pode-se mesmo afirmar que a maioria dos leitores brasileiros não perceberá com propriedade o que está por detrás do emprego desta palavra no contexto da obra, tão entranhado que está na nossa cultura o seu uso para designar pequenas povoações ou conjunto de casas agrupadas. Contrariando o senso comum, a obra aponta precisão no uso da palavra vila no panorama romano, para designar um casarão de uma notável personalidade em Pompeia. Neste particular vale atentar para os estudos especializados que explicam a numerosa presença de vilas na região em foco, que serviam de pouso de descanço para romanos afortunados. Chame-se a atenção, ainda, para o fato de que os registros históricos também confirmam o costume romano de associar as vilas ao nome de seu proprietário, como é o caso das conhecidas vila de Giulia Felice, a vila de Popeia, a vila de Diomedes, a vila de P. Fannius Synistor ou a vila de M. Fabius Rufus, donde se constata a verossimilhança da referência vila de Lentulus contida em Há Dois Mil Anos. 5. As fontes históricas disponíveis sobre os pontos destacados Sobre os pontos selecionados foi possível identificar fontes primárias e secundárias de pesquisa. Quanto à questão do horário de erupção do Vesúvio, a única fonte primária identificada consiste na epístola de Plínio, o Jovem, destinada a Tácito. Foram encontradas, contudo, inúmeras fontes secundárias, referidas na bibliografia, a maioria em língua inglesa. 1994, p. 23). Imagens podem ser acessadas pelos seguintes endereços eletrônicos: ; 40 ZARMAKOUPI, Mantha (coord). The Villa of the Papyri at Herculaneum : archaeology, reception, and digital reconstruction. New York: Walter de Gruyter GmbH & Co, Imagens podem ser acessadas pelo seguinte endereço eletrônico: 41 BEARD, Mary. Pompeii - The Life of a Roman Town. London: Profile Books, 2008, p Excavations are certainly not exhausted ( ) (SCHEZEN, Roberto. The Villa: From Ancient to Modern. New York: Abrams Books, 2000, p. 11). 16

17 Já no que toca ao conceito da vila romana, podem ser citadas como fontes primárias as cartas de Plínio, o Jovem 43 ou as escavações em sítios arqueológicos tais como os de Pompeia, que puderam ser estudadas por meio das várias fontes secundárias citadas ao longo deste trabalho, majoritariamente escritas em outros idiomas. Acerca de tais fontes, pode-se afirmar, em síntese, que se cuidam de obras desconhecidas ou inacessíveis ao público comum, sobretudo ao brasileiro, em razão da barreira linguística. São, também, obras que devem ser tidas por específicas e especiais, ou seja, trabalhos acessados e estudados por experts. A necessidade de habilidades ou conhecimentos especiais para o domínio dos assuntos em tela pode ser aferida, por exemplo, pelo fato de que a carta de Plínio, o Jovem, consiste na única fonte histórica que aduz o horário em que o Vesúvio entrou em erupção. Note-se que se trata de um documento originalmente escrito em latim e que apresenta padrões de tempo segundo as convenções romanas. Como visto, somente por meio de estudos especializados é possível constatar que a referência à sétima hora, contida na epístola em tela, diz respeito ao horário entre meio-dia e uma hora da tarde. Tal como esclarecemos no primeiro trabalho de pesquisa da obra Há Dois Mil Anos, cumpre repisar que somente foi possível identificar as fontes históricas estudadas graças às ferramentas disponíveis na Internet. 6. Conclusões parciais Em continuidade ao trabalho de pesquisa do livro Há Dois Mil Anos, da psicografia de Francisco Cândido Xavier, foi selecionado o trecho em destaque que aduz informações relativas ao horário de erupção do Vesúvio e ao contexto da vila romana na região de Pompeia. Nosso objetivo é o de, num primeiro momento, apenas apresentar dados históricos para comparação com a obra mediúnica. Ou seja, antes de qualquer imersão a respeito dos pontos de partida epistemológicos, da metodologia empregada ou das conclusões específicas que podem ser deduzidas, realizaremos a exposição da pesquisa das inúmeras informações passíveis de verificação histórica já levantadas no livro Há Dois Mil Anos. 43 LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009, p. 79. COOLEY, Alison E.; COOLEY, M.G.L. Pompeii: a sourcebook. New York: Routledge, 2004, p

18 Assim, demonstrou-se que há correspondência do trecho selecionado com registros históricos confiáveis. Conclui-se, pois, que a conjugação de fatos apresentada na obra demonstra o conhecimento detido de realidades históricas que somente podem ser compreendidas mediante estudos especializados. 7. Referências bibliográficas BEARD, Mary. Pompeii - The Life of a Roman Town. London: Profile Books, 2008; BREASTED, James Henry. The Beginnings of Time-Measurement and the Origins of Our Calendar. In: The Scientific Monthly, vol. 41, nº. 4, Out/1935; New York: American Association for the Advancement of Science, p ; BUNSON, Matthew. Encyclopedia of the Roman Empire. New York: Infobase Publishing, 2002; COOLEY, Alison E.; COOLEY, M.G.L. Pompeii: a sourcebook. New York: Routledge, 2004; DOBBINS, John J.; FOSS, Pedar W. The World of Pompeii. New York: Routledge, 2007; ECO, Umberto. The Limits of Interpretation. Bloomington: Indiana University Press, 1994; FRANKLIN JR, James L. Pompeis difficile est : studies in the political life of imperial Pompeii. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 2004; FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Eletrônico Aurélio Século XXI. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira e Lexikon Informática, Versão CD-ROM. FUNARI, Pedro Paulo A. Vida quotidiana na Roma Antiga. São Paulo: Annablume, 2003; HOUAISS, Antonio, VILLAR, Mauro de Salles, FRACO, Francisco Manoel de Mello. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, Versão CD-ROM

19 HOWATSON, M. C. The Oxford Companion to Classical Literature. Oxford: Oxford University Press, 1989; KELSEY, Francis W. Pompeii: Its Life and Art. New York: Macmillan, 1907; LAURENCE, Ray. Roman Pompeii: space and society. London: Routledge, 1996; LAZER, Estelle. Resurrecting Pompeii. New York: Routledge, 2009; MAIURI, Amedeo. Pompei ed Ercolano: fra case e abitanti. Florença: Giunti Editore, 1998; MARZANO, Annalisa. Roman Villas in Central Italy - A Social and Economic History. Leiden: Brill, 2007; NASH, Ernest. Roman Towns. New York: J. J. Augustin, 1994; PHILLIPS, John. Vesuvius. Oxford: Clarendon Press, 1869; SCHEZEN, Roberto. The Villa: From Ancient to Modern. New York: Abrams Books, 2000; SIGURDSSON, H. The Eruption of Vesuvius in A. D. 79: Addendum. In: American Journal of Archaeology, vol. 86, nº. 2; Abr/1982; Boston: Archaeological Institute of America, pp SLOLEY, R. W. Primitive Methods of Measuring Time: With Special Reference to Egypt. In: The Journal of Egyptian Archaeology, vol. 17, nº 3/4, Nov., 1931, London: Egypt Exploration Society, p ; SMITH, J.T. Roman villas : a study in social structure. New York: Routledge, 1997; XAVIER, Francisco Cândido. Emmanuel (Espírito). Há Dois Mil Anos. Brasília: FEB, 2013; WALSH, P. G. Pliny, the Younger - Complete letters; translated with an introduction and notes by P. G. Walsh. Oxford: Oxford University Press, 2006; WRIGHT, M. T. Greek and Roman Portable Sundials: An Ancient Essay in Approximation. In: Archive for History of Exact Sciences, vol. 55, nº 2, Dez/2000. New York: Springer, p ; 19

20 ZARMAKOUPI, Mantha (coord). The Villa of the Papyri at Herculaneum : archaeology, reception, and digital reconstruction. New York: Walter de Gruyter GmbH & Co,

Andrew is an engineer and he works in a big company. Sujeito Predicado (e) Suj. Predicado

Andrew is an engineer and he works in a big company. Sujeito Predicado (e) Suj. Predicado Inglês Aula 01 Título - Frases básicas em Inglês As orações em Inglês também se dividem em Sujeito e Predicado. Ao montarmos uma oração com um sujeito e um predicado, montamos um período simples. Estas

Leia mais

Conteúdo Programático Anual

Conteúdo Programático Anual INGLÊS 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) Capítulo 01 (Unit 1) What s your name? What; Is; My, you; This; Saudações e despedidas. Capítulo 2 (Unit 2) Who s that? Who; This, that; My, your, his, her; Is (afirmativo,

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR CAPÍTULOS 01 AO 08 ESTRUTURA DO VERBO TO BE NA SENTENÇA AFIRMATIVA

MATERIAL COMPLEMENTAR CAPÍTULOS 01 AO 08 ESTRUTURA DO VERBO TO BE NA SENTENÇA AFIRMATIVA MATERIAL COMPLEMENTAR CAPÍTULOS 01 AO 08 noções de inglês 2013.1 O VERBO TO BE O verbo to be corresponde no português aos verbos ser ou estar. Ele é utilizado para descrever e identificar pessoas e objetos

Leia mais

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group:

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group: Present Perfect: FOOD for THOUGHT Colégio de Aplicação UFRGS Name: Group: Present Perfect Simple Os Perfect Tenses são formados com o presente simples do verbo to have (have / has), que, neste caso, funciona

Leia mais

Estratégia de Leitura Elementos de Referência. Reference devices ou elementos de referência

Estratégia de Leitura Elementos de Referência. Reference devices ou elementos de referência Estratégia de Leitura Elementos de Referência Reference devices ou elementos de referência Ao ler textos sobre qualquer assunto, em qualquer área de conhecimento, todo leitor percebe uma relação de REFERÊNCIA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante?

Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante? Do you know how to ask questions in English? Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante? Note que tanto

Leia mais

Santa Casa PDF ebooks Download

Santa Casa PDF ebooks Download Santa Casa PDF ==>Download: Santa Casa PDF ebook Santa Casa PDF - Are you searching for Santa Casa Books? Now, you will be happy that at this time Santa Casa PDF is available at our online library. With

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

In this lesson we will review essential material that was presented in Story Time Basic

In this lesson we will review essential material that was presented in Story Time Basic Portuguese Lesson 1 Welcome to Lesson 1 of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as Exercícios extras Assunto do dia Na aula de hoje, você deverá arregaçar as mangas e entrar de cabeça nos exercícios extras, que têm como tema tudo que vimos nas aulas do Segundo Grau. Atenção: 3, 2, 1...

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Inglês 11 The Present Perfect.

Inglês 11 The Present Perfect. Inglês 11 The Present Perfect. O Present Perfect é um tempo verbal em inglês que mostra uma ação que ocorreu no passado, mas os efeitos estão no presente. My grandfather has recovered from his illness.

Leia mais

GRAU DE ADJETIVOS E ADVÉRBIOS

GRAU DE ADJETIVOS E ADVÉRBIOS Aula9 GRAU DE ADJETIVOS E ADVÉRBIOS META Os alunos terão a compreensão e entendimento da classificação dos adjetivos e advérbios nos graus de comparativo e superlativo na leitura em língua inglesa OBJETIVOS

Leia mais

Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil

Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil Josy Fischberg Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015 Pets reality There are about 30 millions abandoned pets only in Brazil. Among these amount, about 10 millions are cats and the other 20 are dogs, according to WHO (World Health Organization). In large

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

Hotel Cruz Alta Repouse com serenidade e conforto / Rest with serenity and comfort

Hotel Cruz Alta Repouse com serenidade e conforto / Rest with serenity and comfort A MAIOR OFERTA hoteleira em fátima FATIMA S LARGEST HOTEL GROUP Localização / Location (N39 o 37 42 W8 o 40 30 ) Junto ao jardins do Santuário de Fátima e da nova Basílica da Santíssima Trindade muita

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

ACTIVE VOICE X PASSIVE VOICE

ACTIVE VOICE X PASSIVE VOICE www.blogpensandoemingles.com www.facebook.com/pensandoeminglesblog O que é? ACTIVE VOICE X PASSIVE VOICE Active Voice ( Voz Ativa): Ocorre quando o sujeito pratica a ação, e é chamado de agente. Ex: Robert

Leia mais

Equivalência da estrutura de uma frase em inglês e português

Equivalência da estrutura de uma frase em inglês e português 1 Equivalência da estrutura de uma frase em inglês e português A partir do momento que você souber de cor a função de cada peça do nosso jogo de dominó, você não terá mais problemas para formular frases,

Leia mais

Cowboys, Ankle Sprains, and Keepers of Quality: How Is Video Game Development Different from Software Development?

Cowboys, Ankle Sprains, and Keepers of Quality: How Is Video Game Development Different from Software Development? Cowboys, Ankle Sprains, and Keepers of Quality: How Is Video Game Development Different from Software Development? Emerson Murphy-Hill Thomas Zimmermann and Nachiappan Nagappan Guilherme H. Assis Abstract

Leia mais

Spartacus,um homem que nasceu escravo, trabalhou para o Império Romano enquanto sonhava com o fim da escravidão seu trabalho - gladiador

Spartacus,um homem que nasceu escravo, trabalhou para o Império Romano enquanto sonhava com o fim da escravidão seu trabalho - gladiador A REPÚBLICA ROMANA EM CRISE Por volta de 70 à 80 a.c., Roma mergulhou em uma grande crise política, causada principalmente pela disputa pelo poder entre os generais romanos e pelas revoltas de escravos

Leia mais

MÉTODO MAIRO VERGARA

MÉTODO MAIRO VERGARA 1 4ª Semana do Inglês Videoaula online Alice in Wonderland Texto de estudo: Alice was beginning to get very tired of sitting by her sister on the bank, and of having nothing to do. Once or twice she had

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

Aula 03 Passado do to be e past continuous

Aula 03 Passado do to be e past continuous Aula 03 Passado do to be e past continuous No passado, o to be se comporta de forma semelhante ao presente, ou seja, as afirmações, negações e questões são feitas da mesma forma. Examples: I was worried

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Inglês 6º Ano de Escolaridade Prova 06 / 2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. 2014 Prova 06/ 2.ª F.

Leia mais

Relatório completo de proficiência da língua inglesa

Relatório completo de proficiência da língua inglesa Relatório completo de proficiência da língua inglesa 1 2 Entenda a avaliação Nesta avaliação de proficiência de inglês como língua estrangeira, quantificamos e identificamos o nível e perfil atual do candidato,

Leia mais

Estereoscopia Digital no Ensino da Química AGRADECIMENTOS

Estereoscopia Digital no Ensino da Química AGRADECIMENTOS AGRADECIMENTOS O findar desta dissertação é o momento indicado para agradecer ao Professor Doutor João Carlos de Matos Paiva pela sua grande ajuda, pela disponibilidade sempre manifestada, pelo seu empenho

Leia mais

Planificação anual - 2015/2016llllllllllll. Disciplina / Ano: Inglês / 5º ano. Manual adotado: Win!5 (Oxford University Press) Gestão de tempo

Planificação anual - 2015/2016llllllllllll. Disciplina / Ano: Inglês / 5º ano. Manual adotado: Win!5 (Oxford University Press) Gestão de tempo 1º PERÍODO 2º PERÍODO 3º PERÍODO ESCOLA BÁSICA DA ABELHEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL DE INGLÊS DO 5.º ANO 2015/2016 Planificação anual - 2015/2016llllllllllll Disciplina / Ano: Inglês / 5º ano Manual adotado:

Leia mais

CULTURA MATERIAL: escolhas metodológicas para o estudo de saias estampadas do século XIX

CULTURA MATERIAL: escolhas metodológicas para o estudo de saias estampadas do século XIX CULTURA MATERIAL: escolhas metodológicas para o estudo de saias estampadas do século XIX Rita Andrade (FAV/UFG) Aline O. T. Monteiro (FAV/UFG) RESUMO Esse artigo apresenta três autores que escreveram sobre

Leia mais

Inglês 22 Passive Voice

Inglês 22 Passive Voice Inglês 22 Passive Voice A voz passiva é muito utilizada em inglês. Por sorte, ela não é difícil de entender. Observe como ela é organizada. To be + Participle = Passive Usando-se então o verbo to be, em

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

A ESCOLA COMO TRANSFORMADOR SOCIAL

A ESCOLA COMO TRANSFORMADOR SOCIAL A ESCOLA COMO TRANSFORMADOR SOCIAL MORAIS, Rafael Oliveira Lima Discente do curso de Pedagogia na Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO O profissional que entender que é importante

Leia mais

Country Houses. Historic Village Wine Hotel. Eco Friendly SPA FICHA TÉCNICA

Country Houses. Historic Village Wine Hotel. Eco Friendly SPA FICHA TÉCNICA Country Houses. Historic Village Wine Hotel. Eco Friendly SPA FICHA TÉCNICA As Casas do Côro existem desde o ano 2000 sempre em permanente investimento em novas casas e complementaridades. Em 2014 sete

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 74/2013

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 74/2013 PASSO A PASSO DO DYNO Ao final desse passo a passo você terá o texto quase todo traduzido. Passo 1 Marque no texto as palavras abaixo. (decore essas palavras, pois elas aparecem com muita frequência nos

Leia mais

GABARITO ITA - 2013/2014

GABARITO ITA - 2013/2014 GABARITO ITA - 2013/2014 INGLÊS PORTUGUÊS 01. A 21. B 02. E 22. C 03. A 23. A 04. B 24. D 05. B 25. A 06. A 26. C 07. E 27. B 08. E 28. E 09. E 29. D 10. D 30. E 11. C 31. C 12. B 32. B 13. D 33. A 14.

Leia mais

Como dizer quanto tempo leva para em inglês?

Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Você já se pegou tentando dizer quanto tempo leva para em inglês? Caso ainda não tenha entendido do que estou falando, as sentenças abaixo ajudarão você a entender

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

O ÊXODO RURAL E A BUSCA PELA EDUCAÇÃO DENTRO DA EEEFM HONÓRIO FRAGA.

O ÊXODO RURAL E A BUSCA PELA EDUCAÇÃO DENTRO DA EEEFM HONÓRIO FRAGA. O ÊXODO RURAL E A BUSCA PELA EDUCAÇÃO DENTRO DA EEEFM HONÓRIO FRAGA. TORREZANI, Samuel Paulo 1 PAZINATO, Mateus Francisco 2 TRINDADE, Flavio Hubner 3 NEVES, Bianca Pereira das 4 RESUMO: O presente trabalho

Leia mais

PRONOMES. Ø Pronomes Pessoais

PRONOMES. Ø Pronomes Pessoais PRONOMES O pronome é uma palavra usada no lugar do nome (substantivo) para evitar a sua repetição e concorda, em gênero e número com o substantivo que representa. Para cada tipo de Pronome há um tipo de

Leia mais

Título Present Continuous e Pronomes Objeto.

Título Present Continuous e Pronomes Objeto. Inglês Aula 02 Título Present Continuous e Pronomes Objeto. O present continuous é basicamente um tempo verbal que descreve uma ação que está se processando no momento. Alex is talking to his sister and

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Palavras cognatas, palavras repetidas e marcas tipográficas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Fatos: A língua inglesa teve origem

Leia mais

Eventos Internacional

Eventos Internacional Eventos Internacional Site Inspection Novembro 2014 Apoio Elisabete Sorrentino, Cintia Hayashi Evento: ESOMAR Latin American Conference Entidade Apoiada: World Association of Research Professionals -ESOMAR-

Leia mais

SUMÁRIO VOLUME 1 LÍNGUA INGLESA

SUMÁRIO VOLUME 1 LÍNGUA INGLESA SUMÁRIO VOLUME 1 "No mar tanta tormenta e dano, Tantas vezes a morte apercebida, Na terra, tanta guerra, tanto engano, Tanta necessidade aborrecida." Os Lusíadas, p. 106, Luís Vaz de Camões Lesson 1 -

Leia mais

AT A HOTEL NO HOTEL. I d like to stay near the station. Can you suggest a cheaper hotel? Poderia sugerir um hotel mais barato?

AT A HOTEL NO HOTEL. I d like to stay near the station. Can you suggest a cheaper hotel? Poderia sugerir um hotel mais barato? I d like to stay near the station. Can you suggest a cheaper hotel? Gostaria de ficar por perto da estação. Poderia sugerir um hotel mais barato? I d like to stay near the station. (I would ) in a cheaper

Leia mais

Phrasal Verbs, What for?

Phrasal Verbs, What for? Phrasal Verbs, What for? Um dos maiores problemas que o estudante da língua inglesa enfrenta para entender conversas cotidianas, filmes ou músicas em inglês é o uso dos chamados Phrasal Verbs, que tornam

Leia mais

VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF

VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF ==> Download: VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF VIAGEM A SALVADOR DA BAHIA PDF - Are you searching for Viagem A Salvador Da Bahia Books? Now, you will be happy that at this

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO Questão: 26 30 41 A questão 26 do código 02, que corresponde à questão 30 do código 04 e à questão 41 do código 06 Nº de Inscrição: 2033285 2041257 2030195 2033529 2032517 2080361 2120179 2120586 2037160

Leia mais

Colégio Social Madre Clélia

Colégio Social Madre Clélia Colégio Social Madre Clélia Ed. Infantil - Ensino Fundamental Ensino Médio Nome: N.º: Turma: Série: 5ª. Disciplina: Língua Inglesa Prof : Patrícia e Kássia Data: / /2011 Atividades de recuperação de estudos

Leia mais

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Instruções aos candidatos: (1) Preencher somente o número de inscrição em todas as folhas. (2) Usar caneta preta ou azul. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Leia mais

LÍNGUA INGLESA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Video: Used to

LÍNGUA INGLESA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Video: Used to Video: Used to Falar sobre ações que fazíamos no passado, mas não fazemos mais. Video: When I was a child What did you use to do? O que você costumava fazer? My friends used to play on the streets. Meus

Leia mais

Get Instant Access to ebook Russo Ver Falar PDF at Our Huge Library RUSSO VER FALAR PDF. ==> Download: RUSSO VER FALAR PDF

Get Instant Access to ebook Russo Ver Falar PDF at Our Huge Library RUSSO VER FALAR PDF. ==> Download: RUSSO VER FALAR PDF RUSSO VER FALAR PDF ==> Download: RUSSO VER FALAR PDF RUSSO VER FALAR PDF - Are you searching for Russo Ver Falar Books? Now, you will be happy that at this time Russo Ver Falar PDF is available at our

Leia mais

BRIGHAM AND EHRHARDT PDF

BRIGHAM AND EHRHARDT PDF BRIGHAM AND EHRHARDT PDF ==> Download: BRIGHAM AND EHRHARDT PDF BRIGHAM AND EHRHARDT PDF - Are you searching for Brigham And Ehrhardt Books? Now, you will be happy that at this time Brigham And Ehrhardt

Leia mais

Centro Educacional Brasil Central Nível: Educação Básica Modalidade: Educação de Jovens e Adultos a Distância Etapa: Ensino Médio APOSTILA DE INGLÊS

Centro Educacional Brasil Central Nível: Educação Básica Modalidade: Educação de Jovens e Adultos a Distância Etapa: Ensino Médio APOSTILA DE INGLÊS Centro Educacional Brasil Central Nível: Educação Básica Modalidade: Educação de Jovens e Adultos a Distância Índice APOSTILA DE INGLÊS Módulo I - EXPRESSÕES PARA USO COTIDIANO - SUBJECT PRONOUNS - VERBO

Leia mais

(Eu) sempre escrito em letra maiúscula, em qualquer posição na frase. (Tu, você)

(Eu) sempre escrito em letra maiúscula, em qualquer posição na frase. (Tu, você) Nome: nº. 6º.ano do Ensino fundamental Professoras: Francismeiry e Juliana TER 1º BIMESTRE PERSONAL PRONOUNS (Pronomes pessoais) O que é pronome pessoal? O pronome pessoal substitui um nome, isto é um

Leia mais

SITUATED LEARNING 1 PLACES IN A SCHOOL

SITUATED LEARNING 1 PLACES IN A SCHOOL SITUATED LEARNING 1 PLACES IN A SCHOOL Páginas 4 7 1. a) auditorium b) library c) restrooms d) teachers room e) classroom f) science lab g) sports gym h) canteen i) computer lab j) principal s office 2.

Leia mais

O EVANGELHO SECRETO DA VIRGEM MARIA PDF

O EVANGELHO SECRETO DA VIRGEM MARIA PDF O EVANGELHO SECRETO DA VIRGEM MARIA PDF ==> Download: O EVANGELHO SECRETO DA VIRGEM MARIA PDF O EVANGELHO SECRETO DA VIRGEM MARIA PDF - Are you searching for O Evangelho Secreto Da Virgem Maria Books?

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE INGLÊS

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE INGLÊS COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE INGLÊS Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: Nota: Professor(a): Débora Toledo Valor da Prova: 65 pontos Orientações gerais: 1) Número

Leia mais

Bem-vindo ao Inspector Stone uma produção da BBC Learning. Vamos começar o espetáculo.

Bem-vindo ao Inspector Stone uma produção da BBC Learning. Vamos começar o espetáculo. The case of the missing ring Script: part three A transcrição abaixo não é uma cópia fiel do áudio. Apresentadora: Bem-vindo ao Inspector Stone uma produção da BBC Learning English. Série 1 o caso da aliança

Leia mais

[E F@BULATIONS / E F@BULAÇÕES

[E F@BULATIONS / E F@BULAÇÕES EXPOSIÇÃO BONECAS EXHIBITION DOLLS 6 A BONECA ANTIGA FRANCESA SÉC. XIX Maria João Pires Faculdade de Letras Universidade do Porto Apesar de o coleccionismo de bonecas se ter desenvolvido logo no século

Leia mais

Síntese da Planificação da Disciplina de Inglês 5º Ano

Síntese da Planificação da Disciplina de Inglês 5º Ano Síntese da Planificação da Disciplina de Inglês 5º Ano 48 Numerais (1-20) Cores Alfabeto Linguagem da sala de aula Cumprimentos Nome, Idade O Reino Unido Identificação (Nome, Idade, País, Nacionalidade)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Competência (meta) lingüístico - comunicativa na língua inglesa através da aquisição de funções da linguagem nas quatro habilidades (ouvir, falar, ler, escrever). Introdução à Fonética e Fonologia.

Leia mais

ANO LETIVO 2013-2014 CONTEÚDOS CURRICULARES

ANO LETIVO 2013-2014 CONTEÚDOS CURRICULARES Ano de escolaridade: 5º LÉXICO O Reino Unido Saudações Identidade Nomes ingleses O alfabeto A sala de aula Objectos escolares As cores Os dias da semana Países Nacionalidades Numerais cardinais (de 1 a

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them?

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them? GUIÃO A Prova construída pelos formandos e validada pelo GAVE, 1/7 Grupo: Chocolate Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas 1º Momento Intervenientes

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

Inglês 12 Present perfect continuous

Inglês 12 Present perfect continuous Inglês 12 Present perfect continuous Este tempo é ligeiramente diferente do Present Perfect. Nele, notamos a presença do TO BE na forma BEEN, ou seja, no particípio. Conseqüentemente, nota-se também a

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

My English Language Passport

My English Language Passport My English Language Passport Personal information First name: Address: Surname: Date of birth: First language: Languages spoken: Email address: English learnt at school Type of school Primary school Number

Leia mais

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa;

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; 2. Associa-se o Present Perfect entre uma ação do passado que tenha uma relação com o presente; My life has changed

Leia mais

Modelagem e Simulação de Incêndios. Fire dynamics. Carlos André Vaz Junior

Modelagem e Simulação de Incêndios. Fire dynamics. Carlos André Vaz Junior Modelagem e Simulação de Incêndios Fire dynamics Carlos André Vaz Junior INTRODUÇÃO Fire dynamics is a very quantitative and mathematically complex subject. The term fire dynamics came into common use

Leia mais

CELSO GALLIZA PLANEJAMENTO E GESTÃO ESTRATÉGICA DA MANUTENÇÃO PREDIAL NO PODER JUDICIÁRIO DE SANTA CATARINA

CELSO GALLIZA PLANEJAMENTO E GESTÃO ESTRATÉGICA DA MANUTENÇÃO PREDIAL NO PODER JUDICIÁRIO DE SANTA CATARINA CELSO GALLIZA PLANEJAMENTO E GESTÃO ESTRATÉGICA DA MANUTENÇÃO PREDIAL NO PODER JUDICIÁRIO DE SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS SC 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA

Leia mais

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Trabalho de Compensação de Ausência

Leia mais

Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos [Portuguê

Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos [Portuguê Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos [Português] [Capa comum] Download: Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos

Leia mais

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Campos extraídos diretamente Título Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Huang, Chin-Yu and Lin, Chu-Ti Ano de publicação 2006 Fonte de publicação

Leia mais

Disciplina: Língua Inglesa Professor (a): Eliane Ano: 8º Turmas: 81 e 82

Disciplina: Língua Inglesa Professor (a): Eliane Ano: 8º Turmas: 81 e 82 Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

PROVA COMENTADA E RESOLVIDA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO

PROVA COMENTADA E RESOLVIDA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO COMENTÁRIO GERAL DOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO Uma prova, para avaliar tantos candidatos deve ser sempre bem dosada como foi a deste ano. Houve tanto questões de interpretação (6) como de gramática

Leia mais

Getting married! magazine. ideias e inspiração. www.simplesmentebranco.com

Getting married! magazine. ideias e inspiração. www.simplesmentebranco.com Getting married! magazine ideias e inspiração 04 nº www.simplesmentebranco.com JoaNNa & Luca 14 de JULho de 2012 por/by The Wedding Company os Nossos ForNEcEdorEs / our VENdors: convites e materiais gráficos

Leia mais

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges 3 o ANO ENSINO MÉDIO Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges Unidade II Science Health and nature 2 Aula 5.1 Conteúdos Phrasal Verbs in texts 3 Habilidade Identificar os phrasal verbs em textos

Leia mais

NAS TRAMAS DO COTIDIANO: ADULTOS E CRIANÇAS CONSTRUINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL

NAS TRAMAS DO COTIDIANO: ADULTOS E CRIANÇAS CONSTRUINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia Néli Falcão Barbosa NAS TRAMAS DO COTIDIANO: ADULTOS E CRIANÇAS CONSTRUINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL Dissertação de Mestrado DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Programa de Pós-Graduação em Educação Rio de Janeiro

Leia mais

Teoria Económica Clássica e Neoclássica

Teoria Económica Clássica e Neoclássica Teoria Económica Clássica e Neoclássica Nuno Martins Universidade dos Açores Jornadas de Estatística Regional 29 de Novembro, Angra do Heroísmo, Portugal Definição de ciência económica Teoria clássica:

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Eixo Escola Básica de Eixo Departamento de Línguas Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: Inglês - 6ºano Planificação Anual

Agrupamento de Escolas de Eixo Escola Básica de Eixo Departamento de Línguas Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: Inglês - 6ºano Planificação Anual Agrupamento de Escolas de Eixo Escola Básica de Eixo Departamento de Línguas Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: Inglês - 6ºano Planificação Anual Nº de aulas Conteúdos Programáticos previstas (50 minutos)

Leia mais

Desenho Geometrico Ideias E Imagens [Espiral]

Desenho Geometrico Ideias E Imagens [Espiral] Desenho Geometrico Ideias E Imagens [Espiral] Download: Desenho Geometrico Ideias E Imagens [Espiral] PDF ebook Desenho Geometrico Ideias E Imagens [Espiral] PDF - Are you searching for Desenho Geometrico

Leia mais

Serviços: API REST. URL - Recurso

Serviços: API REST. URL - Recurso Serviços: API REST URL - Recurso URLs reflectem recursos Cada entidade principal deve corresponder a um recurso Cada recurso deve ter um único URL Os URLs referem em geral substantivos URLs podem reflectir

Leia mais

POLÍTICA PÚBLICA DE APOIO A ECONOMIA SOLIDÁRIA NO BRASIL: CONCEPÇÕES E DIRETRIZES DOS PROGRAMAS E AÇÕES DO GOVERNO NOS ANOS RECENTES

POLÍTICA PÚBLICA DE APOIO A ECONOMIA SOLIDÁRIA NO BRASIL: CONCEPÇÕES E DIRETRIZES DOS PROGRAMAS E AÇÕES DO GOVERNO NOS ANOS RECENTES POLÍTICA PÚBLICA DE APOIO A ECONOMIA SOLIDÁRIA NO BRASIL: CONCEPÇÕES E DIRETRIZES DOS PROGRAMAS E AÇÕES DO GOVERNO NOS ANOS RECENTES Autor (a): Sabrina Carla A. da Silva Departamento de Economia - UFRN

Leia mais

MARIANA CORÇÃO OS TEMPOS DA MEMÓRIA GUSTATIVA: BAR PALÁCIO, PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE CURITIBANA (1930-2006)

MARIANA CORÇÃO OS TEMPOS DA MEMÓRIA GUSTATIVA: BAR PALÁCIO, PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE CURITIBANA (1930-2006) MARIANA CORÇÃO OS TEMPOS DA MEMÓRIA GUSTATIVA: BAR PALÁCIO, PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE CURITIBANA (1930-2006) Dissertação de Mestrado defendida na Pós Graduação do Departamento de História, Setor de Ciências

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office FORMULÁRIO DE CANDIDATURA PARA ESTUDANTE DE INTERCÂMBIO EXCHANGE STUDENT APPLICATION FORM Semestre

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais