AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA Setembro 2009

2 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados Opinião dos alunos de Língua Gestual Portuguesa sobre a ESEC Opinião dos alunos sobre o curso de Língua Gestual Portuguesa Tratamento das Perguntas Abertas A percepção dos alunos sobre a qualidade do curso Sugestões de melhoria para o curso Opinião sobre o Plano de Estudos do Curso de Língua Gestual Portuguesa Unidades Curriculares do 1º ano Unidades Curriculares do 2º ano Unidades Curriculares do 3º ano 11 2

3 QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS ALUNOS 1. Introdução O presente relatório tem como objectivo apresentar os resultados obtidos através da aplicação dos questionários de Avaliação da Satisfação dos Alunos (SC-05-C0). Este questionário foi aplicado durante o mês de Junho de 2009, com o objectivo de dar cumprimento ao definido na It Medição e Monitorização da Satisfação dos Clientes e descrito no Im Mapa de Caracterização de Questionários de Satisfação do Cliente. Com a aplicação deste questionário pretende-se recolher a opinião dos alunos de Língua Gestual Portuguesa sobre a ESEC e sobre a Licenciatura de Língua Gestual Portuguesa. A aplicação dos questionários ocorreu em articulação directa com os docentes. Com o objectivo de não sobrecarregar o relatório de apresentação dos dados, facilitando assim a leitura do mesmo, só será apresentado o valor médio das respostas de cada item do questionário. Qualquer outra informação estatística poderá ser solicitada junto do 2. População e Amostra No Quadro 1 é possível verificar o número de alunos inscritos no curso de Língua Gestual Portuguesa só conseguiu atingir mais de 50% de respostas ao inquérito no 2º ano, no 1º ano atingiu 16% e no 3º ano 40%. Curso Quadro 1: Número de alunos inscritos e inquiridos por curso e ano curricular Ano Nº de alunos Nº de Curricular inscritos respondentes % respondentes Língua Gestual Portuguesa , , ,0 Total ,0 3

4 3. Apresentação de Resultados 3.1. Opinião dos alunos de Língua Gestual Portuguesa sobre a ESEC O Quadro 2 apresenta de uma forma genérica o posicionamento médio dos alunos, por ano lectivo (2007/2008 e 2008/2009) e por ano curricular, face a cada um dos itens de avaliação da ESEC. Quadro 2: Estatísticas descritivas relativas à Satisfação com a ESEC Gosto de estudar na ESEC Gosto da forma como sou tratado/a na ESEC Gosto da diversidade de actividades promovidas na ESEC Gosto das condições de trabalho que me são oferecidas Se hoje tivesse de voltar a escolher uma escola para estudar escolhia a ESEC Se um amigo meu quisesse tirar um curso numa área em que a ESEC oferece cursos eu Ano Média de resposta 1º º º º º º º º º º º º 3.09 (Discordo) 1º º º 2.82 (Discordo) 1º º 4.30 recomendava-lhe a ESEC 3º 2.45 (Discordo Média global Média de resposta (Discordo) (Discordo) Média global Média global da escala de satisfação com a escola Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo quase totalmente; 3= Discordo; 4=Concordo Moderadamente; 5=Concordo; 6=Concordo quase totalmente; 7=Concordo totalmente. Destacam-se as seguintes conclusões: a) Em comparação com o ano 2008, no ano de 2009, e de uma forma genérica a satisfação com a escola, aumentou. 4

5 b) Este aumento de satisfação com a escola, no entanto, não se verifica em todos os anos, o actual primeiro ano, e numa análise item a item, de uma forma generalizada a satisfação piorou. c) O item sobre o qual os alunos estão mais insatisfeitos, no ano de 2009, foi Gosto da diversidade de actividades promovidas na ESEC. Enquanto, em 2008 foi Se hoje tivesse de voltar a escolher uma escola para estudar escolhia a ESEC. d) De salientar o item Se um amigo meu quisesse tirar um curso numa área em que a ESEC oferece cursos eu recomendava-lhe a ESEC, item com o qual os alunos do 1º ano estão insatisfeitos Satisfação com o curso de Língua Gestual Portuguesa O Quadro 3 apresenta de forma genérica o posicionamento médio dos alunos, por ano lectivo (2007/2008 e 2008/2009) e por ano curricular, face a cada um dos itens de avaliação do curso de Língua Gestual Portuguesa. Quadro 3: Estatísticas descritivas relativas à satisfação com o curso Gosto do curso que estou a frequentar O curso é melhor do que eu esperava Se um amigo meu quisesse tirar um curso na mesma área, recomendava-lhe este curso da Ano Média de resposta 1º 5.95 quase Totalmente) 2º 5.59 quase totalmente) 3º º º 3º 2.18 (Discordo quase Totalmente) 1º º 4.04 ESEC 3º 2.00 (Discordo quase Totalmente) Sabendo o que sei hoje voltaria a escolher este curso da ESEC Gosto das disciplinas do meu curso 1º º º 2.27 (Discordo quase Totalmente 1º º º 3.27 (Discordo) Média global Média de resposta Média global Totalmente) 5.67 quase Totalmente) quase Totalmente)

6 Gosto dos professores do meu curso Gosto dos colegas do meu curso Ano Média global da escala de satisfação com o Curso Média de resposta 1º 5.50 quase totalmente) 2º º º 6.00 quase Totalmente) 2º º 5.73 quase Totalmente) Média global Média de resposta Média global quase Totalmente) quase Totalmente) Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo quase totalmente; 3= Discordo; 4=Concordo Moderadamente; 5=Concordo; 6=Concordo quase totalmente; 7=Concordo totalmente. Destacam-se as seguintes conclusões: a) Em comparação com o ano 2008, no ano de 2009, os alunos estão mais satisfeitos com o curso. b) O alunos do 1º ano actual estão no geral mais satisfeitos com o curso à excepção dos itens Se um amigo meu quisesse tirar um curso na mesma área, recomendava-lhe este curso da ESEC e Sabendo o que sei hoje voltaria a escolher este curso da ESEC que estão menos satisfeitos com o curso que os alunos do 1º ano de c) Os alunos do 3º ano actual estão mais satisfeitos com o curso, invertendo a tendência do ano anterior em que estavam menos satisfeitos e em alguns itens mesmo insatisfeitos com o curso. d) De salientar ainda que no inquérito de 2009 foi excluído o item Gosto dos colegas de Curso Tratamento de questões abertas A percepção dos alunos sobre a qualidade do curso. As opiniões expressas pelos alunos são de três tipo Positiva, Menos Positiva e Negativa, e os aspectos identificados são: a organização curricular (entenda-se por organização curricular, a articulação entre os seguintes aspectos: unidades de crédito do plano de curso no 6

7 âmbito do processo de Bolonha, metodologia de ensino, metodologia de avaliação, disciplinas transversais, corpo docente e recursos lectivos); o plano curricular (aqui entenda-se plano curricular como a interligação entre as componentes: conteúdos programáticos, objectivos de aprendizagem, métodos de avaliação, métodos pedagógicos e tipologia de aluno), e o reconhecimento profissional No 1º ano tivemos 4 opiniões, no 2º ano 11 opiniões e no 3º ano 5 opiniões, destas no total 3 foram positivas, 17 menos positivas e apenas 1 negativa. Quadro 4: Estatísticas descritivas relativas à qualidade do curso Ano Qualidade Positiva... Menos Positiva... Negativa 1º 2 2 2º º 6 De referir que a qualidade do curso é percepcionada, no geral, como menos positiva, e os aspectos responsáveis por esta percepção são: a organização curricular ao nivel quer das unidades curriculares, mais praticas e mais especificas do curso, quer a nivel do corpo docente, mais adequado à especificidade dos alunos do curso Sugestões de melhoria para o curso. Os alunos indicam as seguintes sugestões de melhoria para este curso: Corpo docente Mudança de atitude de alguns docentes em relação às caracteriticas especificas dos alunos. (aspecto referenciado por dez alunos). Contratação de docentes especializados para as áreas curriculares do curso(aspecto referenciado por trinta e quatro alunos). Condições de trabalho Melhorar as condições de trabalho, designdamente em termos dos recursos lectivos existentes e necessários ao curso, laboratório de línguas e sala de informática, (aspecto referenciado por quatro alunos). Criar espaços que promovão a interacção entre os alunos do curso, ouvintes e surdos(aspecto referido por dois alunos). 7

8 Apoio à inserção profissional Possibilitar a frequência de estágios não só no terceiro ano, mas também nos outros anos, estágios de observação com maior duração e mais diversificados (aspecto referido por oito alunos). Um aluno refere ser importante a promoção de participação em conferências da área. Plano curricular Melhor definição dos conteúdos programáticos, designadamente nas cadeira de Codificação no 1º ano e de Língua Gestual no 2º ano (aspecto referenciado por cinco alunos). Aumentar a componente prática das aulas em especial nas cadeira de LGP e interprtação (aspecto referenciado por treze alunos). Organização Melhorar o plano de curso, alguns alunos sugerem a introdução de cadeiras relacionadas com a cultura do surdo (aspecto referido por dezassete alunos). Ter em atenção a organização curricular do curso, designadamente em termos dedimensão das turmas e em termos das directivas do Ministério da Educação (aspecto referenciado por oito alunos). Cinco alunos consideram que a duração do curso não é suficiente Opinião sobre o Plano de Estudos do Curso de Língua Gestual Portuguesa A opinião sobre o plano de curso teve em consideração três aspecto: o grau de importância atribuído a cada disciplina, o grau de satisfação com a disciplina e finalmente o grau de carga de trabalho que cada aluno considerou ter tido, estas aspecto têm cada um deles uma escala de 1 a 4, ou seja, Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante; Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito; e Escala de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequado; 4=Pesado; 5=Muito Pesado 8

9 3.3.1 Unidades Curriculares do 1º ano Quadro 5: Estatísticas descritivas relativas às unidades curriculares do 1º semestre do 1º ano Unidades Curriculares 1 semestre Importância Satisfação trabalho Importância Satisfação trabalho Língua Gestual Portuguesa I Introdução à linguística Gestual Portuguesa Língua Portuguesa Disciplinas de Formação Geral e Transversal (2 disciplinas) 2.00 (Pouco Importante)

10 Quadro 6: Estatísticas descritivas relativas às unidades curriculares do 2 semestre do 1º ano Unidades Curriculares 2 semestre Importância Satisfação trabalho Importância Satisfação trabalho Língua Gestual Portuguesa II Psicologia da Educação (Ramo : Leccionação de LGP) (Nada Importante) Sociedade Cultura e Identidade Surda (Satisfeit0) 3.57 Surdez e Comunicação Codificação e Representação Gráfica da LG 2.00 (Pouco Importante) 1.65 (Pouco Satisfeito) (Pouco Satisfeito) 3.00 Ética e Deontologia Profissional do Interprete de LGP (Ramos: Interpretação) Disciplinas de Formação Geral e Transversal (2 disciplinas) 2.44 (Pouco Importante) 2.17 (Pouco Satisfeito)

11 3.3.2 Unidades Curriculares do 2º ano NOTA: Não são apresentados os dados relativos à Importância, Satisfação e Adequação da Trabalho das Unidades Curriculares do 2º Ano, do Curso de Lingua Gestual Portuguesa, uma vez que os questionáros de Avaliação da Satisfação dos Alunos que foram aplicados não permitiram uma correcta codificação das disciplinas Unidades Curriculares do 3º ano Quadro 7: Estatísticas descritivas relativas às unidades curriculares do 3º ano - Bolonha Unidades Curriculares Ramo Leccionação Importância Satisfação trabalho Importância Satisfação trabalho Língua Gestual Portuguesa V Línguística da Língua Gestual Portuguesa II Didáctica do Ensino da língua Gestual Portuguesa II Cultura dos Surdos 3.55 Workshop 3.73 IEstágio 2.18 (Pouco Satisfeito)

12 Unidades Curriculares Ramo Interpretação Importância Satisfação trabalho Importância Satisfação trabalho Língua Gestual Portuguesa V Línguística da Língua Gestual Portuguesa II Cultura dos Surdos Interpretação para LGP II Interpretação para Voz II Estágio (Muito Pesada) 12

13

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação Organizacional sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TEATRO E EDUCAÇÃO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TEATRO E EDUCAÇÃO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TEATRO E EDUCAÇÃO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Teatro e Educação sobre a ESEC 4 3.2. Opinião

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação e Design Multimédia

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL AVALIAÇÃO DO CURSO D MSTRADO M DUCAÇÃO SPCIAL Setembro 2010 ÍNDIC 1. Introdução 1 2. População e Amostra 1 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 2 3.1. Caracterização dos inquiridos 2 3.2. Apresentação

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Educação Básica sobre a ESEC 4 3.2. Opinião

Leia mais

Resultados-Chave Relatório de Bolonha do ISCTE-IUL (2010/2011)

Resultados-Chave Relatório de Bolonha do ISCTE-IUL (2010/2011) Resultados-Chave Relatório de Bolonha do ISCTE-IUL (2010/2011) 1. O relatório sobre o grau de concretização do processo de Bolonha no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) relativo ao ano lectivo

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

1.7. Número de unidades curriculares em que participou no segundo semestre de 2006/2007:

1.7. Número de unidades curriculares em que participou no segundo semestre de 2006/2007: INQUÉRITO AOS DOCENTES SOBRE CONDIÇÕES E ACTIVIDADES DE ENSINO/APRENDIZAGEM ANO LECTIVO 2006/2007-2º SEMESTRE 1.1. Categoria e Vínculo Doutorado Convidado Tempo Integral Doutorado Convidado Tempo Parcial

Leia mais

Relatório dos Resultados do Inquérito aos Alunos do ISEL (análise global) 1º semestre do ano letivo 2011/2012

Relatório dos Resultados do Inquérito aos Alunos do ISEL (análise global) 1º semestre do ano letivo 2011/2012 ISEL Relatório dos Resultados do Inquérito aos Alunos do ISEL (análise global) 1º semestre do ano letivo 11/1 Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Gabinete de Avaliação e Qualidade Lisboa, 1 de setembro

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO: DOCENTES CAMPUS SOROCABA TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO: DOCENTES CAMPUS SOROCABA TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO: DOCENTES CAMPUS SOROCABA TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES Quanto à contribuição das atividades/disciplinas cursadas até o momento para a formação dos alunos do campus de Sorocaba,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Especial sobre a

Leia mais

Agosto de Workshop Gestão Conflitos. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado

Agosto de Workshop Gestão Conflitos. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado Agosto de 2012 Workshop Gestão Conflitos Ano Letivo 2011/2012 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Avaliação Formação Gestão de Conflitos - 2011/2012... 4 3. Conclusão... 6 Anexos...

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Maria João Loureiro MESTRADO EM ENSINO DE FÍSICA E QUÍMICA NO 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (3.º CEB) E NO

Leia mais

Relatório Anual da Comissão Científica do Mestrado em Ensino da Física e da Química

Relatório Anual da Comissão Científica do Mestrado em Ensino da Física e da Química MESTRADO EM ENSINO DA FÍSICA E DA QUÍMICA Relatório Anual da Comissão Científica do Mestrado em Ensino da Física e da Química 28-29 De acordo com ponto 4, alínea l) do artigo 4º, do regulamento geral de

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Nuno Borges Carvalho Programa Doutoral em Engenharia Electrotécnica 1.

Leia mais

Curso de Licenciatura em Enfermagem 2015/2016. Língua gestual portuguesa 2ºS. Componente: Teórica. AULA n.º: 1. Local: SJ2C17

Curso de Licenciatura em Enfermagem 2015/2016. Língua gestual portuguesa 2ºS. Componente: Teórica. AULA n.º: 1. Local: SJ2C17 AULA n.º: 1 Dia 18-02-2016 das 08:00 às 11:00 Apresentação do docente e dos alunos. Expectativas perante a Unidade Curricular. Apresentação dos conteúdos programáticos e sua relevância no contexto geral

Leia mais

CAI RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO

CAI RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2008-2009 RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO CAI COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO Funcionamento e Organização dos Apoios Educativos. Contributo dos

Leia mais

Curso de Licenciatura em Enfermagem 2016/2017. Língua gestual portuguesa 1ºS. Componente: Teórica. AULA n.º: 1. Local: SJ2C07

Curso de Licenciatura em Enfermagem 2016/2017. Língua gestual portuguesa 1ºS. Componente: Teórica. AULA n.º: 1. Local: SJ2C07 AULA n.º: 1 Dia 30-09-2016 das 17:00 às 20:00 Apresentação do docente e dos alunos. Expectativas dos alunos perante a Unidade Curricular. Apresentação dos conteúdos programáticos e sua relevância no contexto

Leia mais

Relatório de Concretização do Processo de Bolonha. Curso de Licenciatura em Educação Básica

Relatório de Concretização do Processo de Bolonha. Curso de Licenciatura em Educação Básica Relatório de Concretização do Processo de Bolonha Curso de Licenciatura em Educação Básica 1. Acerca da criação da Licenciatura em Educação Básica A licenciatura em Educação Básica da Universidade da Madeira

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

RELATÓRIO TEIP. Acções de Apoio à Melhoria das aprendizagens +Turma

RELATÓRIO TEIP. Acções de Apoio à Melhoria das aprendizagens +Turma RELATÓRIO TEIP Acções de Apoio à Melhoria das aprendizagens +Turma 1 Identificação da Actividade A actividade é designada por (+) Turma, cujo objectivo é promover a qualidade das aprendizagens. Esta actividade

Leia mais

8266 Diário da República, 2.ª série N.º 47 8 de março de 2016

8266 Diário da República, 2.ª série N.º 47 8 de março de 2016 8266 Diário da República, 2.ª série N.º 47 8 de março de 2016 Curso: Comunicação e Design Multimédia 2.º Ano/4.º semestre QUADRO N.º 4 Produção e Realização de Vídeo Digital........ CCOM S 168 T -13; PL

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA Ano lectivo 2008/2009 DEPARTAMENTO Engenharia Mecânica/Electrónica, Telecomunicações e Informática CURSO Mestrado em Engenharia de Automação Industrial

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO Página 1 de 19 RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO BACHARELADO EM ENFERMAGEM - SÃO CARLOS INDICADORES - VISÃO DISCENTES Quadro 1: Classificação dos indicadores para o curso. INDICADOR CURSO CAMPUS SÃO CARLOS

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES IMAGEM E SOM - SÃO CARLOS

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES IMAGEM E SOM - SÃO CARLOS RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES IMAGEM E SOM - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Imagem e Som - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENFERMAGEM - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Enfermagem - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENFERMAGEM - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Enfermagem - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENFERMAGEM - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Enfermagem - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL TRABALHO

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES TERAPIA OCUPACIONAL - SÃO CARLOS

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES TERAPIA OCUPACIONAL - SÃO CARLOS RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES TERAPIA OCUPACIONAL - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Terapia Ocupacional - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE

Leia mais

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO Este Inquérito destina-se aos Professores do Ensino Regular, do 1º Ciclo, que leccionam turmas com alunos portadores de NEE`s. Pretende-se recolher informação que permita elaborar

Leia mais

Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário

Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário 93 Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário Pretende-se, com este questionário, fazer o levantamento de alguns aspetos que o GAP considera relevantes para

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA. Gabinete da Qualidade Observatório da Qualidade Agosto 2008

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA. Gabinete da Qualidade Observatório da Qualidade Agosto 2008 AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Agosto 08 de Comunicação e Design Multimédia 08 ÍNDICE 1. Introdução 5 2. População e Amostra 5 3. Apresentação de Resultados 6 3.1. Opinião dos alunos

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Isabel Cristina Dórdio Dimas Documentação e Arquivística 1. INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

Relatório de Concretização do Processo de Bolonha

Relatório de Concretização do Processo de Bolonha 1. PROCESSO DE BOLONHA - Breve Caracterização* O chamado Processo de Bolonha, iniciou-se informalmente em Maio de 1998, com a Declaração de Sorbonne e encetou oficialmente com a Declaração de Bolonha,

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA Ano lectivo 2008/2009 DEPARTAMENTO Escola Superior de CURSO Radiologia 1.INTRODUÇÃO (máx. meia página) Os cursos de do Ensino Superior Politécnico só fizeram

Leia mais

Analise do Questionário BID Aplicado no IV Intrapibid

Analise do Questionário BID Aplicado no IV Intrapibid Analise do Questionário BID Aplicado no IV Intrapibid * Capítulos; _ Questionário BID; _ Questões em Escala; e Abertas; _ Analise das questões por Capítulo; _ Questionário Supervisores; _ Analise inicial

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL SATISFAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 [DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO] [Director de Curso: Carlos Fernandes da Silva] [PROGRAMA DOUTORAL EM PSICOLOGIA] 1. INTRODUÇÃO (meia página

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus. Relatório de Avaliação às Unidades Curriculares 1.º semestre /2016

Escola Superior de Educação João de Deus. Relatório de Avaliação às Unidades Curriculares 1.º semestre /2016 Licenciatura em EDUCAÇÃO BÁSICA às Unidades Curriculares 1.º semestre - 2015/2016 1. Introdução A avaliação está intimamente ligada ao processo de qualidade, de desenvolvimento e de aperfeiçoamento organizacional.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Psicologia Clínica 3. Ciclo

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA. Síntese do

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA. Síntese do ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Síntese do RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO: AVALIAÇÃO: OPINIÃO DA COMUNIDADE EDUCATIVA E ENTIDADES EMPREGADORAS O presente documento-síntese é composto pelo Índice

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade

Leia mais

Instrumento de Registo (Artigo 10º, ponto 1 1 e 2 do Decreto Regulamentar n.º 2/2010)

Instrumento de Registo (Artigo 10º, ponto 1 1 e 2 do Decreto Regulamentar n.º 2/2010) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. JOÃO DA PESQUEIRA Instrumento de Registo (Artigo 10º, ponto 1 1 e 2 do Decreto Regulamentar n.º 2/2010) Ficha de Registo Avaliação do Desempenho Docente do Ensino Básico e

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Gonçalo Paiva Dias Tecnologias da Informação 1. INTRODUÇÃO O presente documento

Leia mais

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Parceiros CRIT

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Parceiros CRIT Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Parceiros CRIT - 21 Totalmente Não concordo nem discordo Totalmente Não Sei/Não se Aplica/Não Respondeu Questionário de Avaliação Nº de inquéritos recebidos

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 Escola Superior de Saúde José Carlos Lopes RADIOLOGIA 1. INTRODUÇÃO (meia página máx.) Fazer referência, por exemplo: identificar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EDUCAÇÃO DE SURDOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EDUCAÇÃO DE SURDOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EDUCAÇÃO DE SURDOS Unidade Promotora: Faculdade de Educação Unidade Parceira:

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA Ano lectivo 2008/2009 DEPARTAMENTO Engenharia Civil CURSO Licenciatura em Ciências de Engenharia Civil 1.INTRODUÇÃO A Engenharia Civil é uma actividade

Leia mais

ISPA-NT002 NORMAS DE TRANSIÇÃO CURRICULAR - Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Licenciado em Reabilitação e Inserção Social.

ISPA-NT002 NORMAS DE TRANSIÇÃO CURRICULAR - Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Licenciado em Reabilitação e Inserção Social. 28 Julho 2008 28 Julho 2008 28 Julho 2008 1 de 6 Preâmbulo O Plano de Estudos de Reabilitação e, organiza-se num primeiro ciclo de formação conducente ao grau de Licenciatura em Reabilitação e (adiante

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

REGULAMENTO DO GABINETE DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA

REGULAMENTO DO GABINETE DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA REGULAMENTO DO GABINETE DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA A integração no espaço europeu de ensino superior das instituições académicas portuguesas trouxe consigo a necessidade de adoptar

Leia mais

Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA)

Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA) Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA) 1. A UFSCar definiu um perfil para o profissional/cidadão a ser formado em todos os seus cursos. A seguir

Leia mais

ANEXO II RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO IPS

ANEXO II RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO IPS ANEXO II RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO IPS Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade Orgânica

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 03- Estágio Supervisionado III (60h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais

Gostaríamos que respondessem de forma reflectida e sincera, a fim de acedermos a um conhecimento fundamentado sobre as questões em análise.

Gostaríamos que respondessem de forma reflectida e sincera, a fim de acedermos a um conhecimento fundamentado sobre as questões em análise. Questionário de Inquérito Colegas, A experiência profissional e a investigação educacional têm revelado que a supervisão organizacional das escolas é um factor que concorre decisivamente para a melhoria

Leia mais

2012/13. Inquérito aos Estudantes de Mestrado e Doutoramento. Avaliaça o dos Cursos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

2012/13. Inquérito aos Estudantes de Mestrado e Doutoramento. Avaliaça o dos Cursos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 2012/13 Inquérito aos Estudantes de Mestrado e Doutoramento Avaliaça o dos Cursos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Julho 2013 Índice Introdução...

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Relatório de Autoavaliação às Unidades Curriculares EDUCAÇÃO BÁSICA (Licenciatura) - 2016/2017 1.º Semestre 1. Introdução A avaliação está intimamente ligada ao processo de qualidade, de desenvolvimento

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

Inquérito por Questionário - Professores

Inquérito por Questionário - Professores Inquérito por Questionário - Professores INSTRUÇÕES Este questionário destina-se a recolher informação para um projecto de investigação sobre "Gestão Cooperada do Currículo como mecanismo de desenvolvimento

Leia mais

Relatório da Qualidade do Ensino-Aprendizagem

Relatório da Qualidade do Ensino-Aprendizagem Campus Académico Vila Nova de Gaia Escola Superior de Saúde Jean Piaget de Vila Nova de Gaia Relatório da Qualidade do Ensino-Aprendizagem 2012/2013 Elaborado por: Responsável Local pela Garantia da Qualidade

Leia mais

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE IDENTIFICAÇÃOE Unidade Orgânica: Docente avaliado: Departamento

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Questionário fechado, a ser aplicado aos docentes regulamente matriculado no último ano do curso. (Modelo CPA)

Questionário fechado, a ser aplicado aos docentes regulamente matriculado no último ano do curso. (Modelo CPA) Questionário fechado, a ser aplicado aos docentes regulamente matriculado no último ano do curso. (Modelo CPA) Formulário para docentes avaliação de curso Perfil Profissional 1. A UFSCar definiu um perfil

Leia mais

PERSPETIVA DOS ALUNOS NA RETA FINAL DO CURSO

PERSPETIVA DOS ALUNOS NA RETA FINAL DO CURSO PERSPETIVA DOS ALUNOS NA RETA FINAL DO CURSO EHF.036.10 INQUÉRITO AOS ALUNOS DO 3.º ANO - 2011/2012 dezembro de 2011 2 INTRODUÇÃO A poucos meses de concluir o curso, encontramos os nossos alunos do 3.º

Leia mais

O OLHAR DOS PROFESSORES SOBRE A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO

O OLHAR DOS PROFESSORES SOBRE A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO O OLHAR DOS PROFESSORES SOBRE A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO A EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO: Albino Barroso Paula Morais Rita Magalhães Sandra Leite JUNHO 2013

Leia mais

Maio de Relatório de Avaliação do Workshop Estratégias de Estudo. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado

Maio de Relatório de Avaliação do Workshop Estratégias de Estudo. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado Maio de 2012 Relatório de Avaliação do Workshop Estratégias de Estudo Ano Letivo 2011/2012 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Avaliação Workshop Estratégias de Estudo - 2011/2012...

Leia mais

REGULAMENTO DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO

REGULAMENTO DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO REGULAMENTO DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO I Calendário e carga horária 1. O ano escolar tem início em Setembro e termina em Julho. 2. O regime normal dos cursos supõe a divisão do ano lectivo em dois semestres,

Leia mais

UMA APOSTA NA GARANTIA DA QUALIDADE: A AVALIAÇÃO DAS UNIDADES CURRICULARES NO IST

UMA APOSTA NA GARANTIA DA QUALIDADE: A AVALIAÇÃO DAS UNIDADES CURRICULARES NO IST UMA APOSTA NA GARANTIA DA QUALIDADE: A AVALIAÇÃO DAS UNIDADES CURRICULARES NO IST Carla Patrocinio, Núcleo de Estatística e Prospectiva Marta Pile, Gabinete de Estudos e Planeamento 1 Sumário Novo Regime

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COAI COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PARTE I O DISCENTE AVALIA AS AÇÕES DO CURSO Prezado(a)

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA Ano lectivo 2008/2009 DEPARTAMENTO Escola Superior de Saúde CURSO Enfermagem 1.INTRODUÇÃO O Curso de Licenciatura em Enfermagem (CLE) manteve a sua estrutura

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamento das Atividades Complementares da Faculdade de Administração da Universidade de Rio Verde UniRV -. CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º As Atividades

Leia mais

RECOMENDAÇÕES N.º 3/CCAP/2008

RECOMENDAÇÕES N.º 3/CCAP/2008 PRINCÍPIOS ORIENTADORES PARA A DEFINIÇÃO DOS PADRÕES RELATIVOS ÀS MENÇÕES QUALITATIVAS RECOMENDAÇÕES N.º 3/CCAP/2008 JULHO DE 2008 Índice INTRODUÇÃO 1 PRINCÍPIOS ORIENTADORES E RECOMENDAÇÕES 3 Princípios

Leia mais

LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO

LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO NORMAS REGULAMENTARES Curso do do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo

Leia mais

INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL. Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa

INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL. Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa : Melhorar a competência de números e cálculo dos alunos no fim do 5º ano Taxa de insucesso na avaliação interna Taxa

Leia mais

NCE/14/00876 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00876 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00876 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Minho A.1.a.

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS DEPARTAMENTO CURRICULAR: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades

Leia mais

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1.º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha,

Leia mais

Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa Critérios de Avaliação do Ensino Básico - º Ciclo Língua Portuguesa DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONDERAÇÃO NA CLASSIFICAÇÃO TIPOLOGIA DOS INSTRUMENTOS DE FINAL AVALIAÇÃO POR PERÍODO Teste(s) de compreensão oral

Leia mais

1. Introdução. Prova de Equivalência à Frequência de: Ensino Secundário

1. Introdução. Prova de Equivalência à Frequência de: Ensino Secundário Prova de Equivalência à Frequência de: Economia C- 12º Ano Ensino Secundário Decreto-Lei 39/2012, de 5 Julho. Portaria nº243/2012, 10 de Agosto. 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Relatório de Empregabilidade

Relatório de Empregabilidade Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém Relatório de Empregabilidade Inquérito a estudantes diplomados no ano letivo 2015-16 Dezembro de 2017 Índice I. O RELATÓRIO DE EMPREGABILIDADE BREVE

Leia mais

Curso Técnico Subsequente em Tradução e Interpretação de Libras Nome do Curso

Curso Técnico Subsequente em Tradução e Interpretação de Libras Nome do Curso Curso Técnico Subsequente em Tradução e Interpretação de Libras Nome do Curso CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Libras I 160h Não há Sujeito Surdo, Diferença,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ANÁLISE DA QUALIDADE GERAL E ESPECÍFICA DOS SERVIÇOS E INFRAESTRUTURAS EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA Novembro de 2007 1 PB RESULTADO DO INQUÉRITO AOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

Síntese da Avaliação. WebSAI Etec de São Paulo

Síntese da Avaliação. WebSAI Etec de São Paulo da Avaliação WebSAI 2012 Etec de São Paulo 18 São Paulo A avaliação desta unidade foi o resultado da pesquisa WebSAI, realizada em novembro de 2012, envolvendo as comunidades escolares, dados institucionais

Leia mais

LISTA DE QUADROS. Quadro Nº. 1 Períodos da Idade Adulta (Síntese) Quadro Nº. 2 Principais alterações físicas e psicológicas do adulto...

LISTA DE QUADROS. Quadro Nº. 1 Períodos da Idade Adulta (Síntese) Quadro Nº. 2 Principais alterações físicas e psicológicas do adulto... LISTA DE QUADROS Quadro Nº. 1 Períodos da Idade Adulta (Síntese)... 13 Quadro Nº. 2 Principais alterações físicas e psicológicas do adulto... 15 Quadro Nº. 3 Implicações educativas dos estilos cognitivos...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALAPRAIA. Avaliação

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALAPRAIA. Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALAPRAIA Avaliação METODOLOGIA DE TRABALHO INSTRUMENTOS DE RECOLHA DE INFORMAÇÃO Questionários Autoavaliação do agrupamento Avaliação do PE Público alvo Pessoal docente /não docente

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Ciências Empresariais Licenciatura Contabilidade / Ciências Económicas e Empresariais Unidade Curricular Análise Contabilística de Custos Semestre: 3 Nº ECTS: 6,0

Leia mais

Síntese da Avaliação. WebSAI Etec de Carapicuíba

Síntese da Avaliação. WebSAI Etec de Carapicuíba da Avaliação WebSAI 2012 Etec de Carapicuíba 144 Carapicuíba A avaliação desta unidade foi o resultado da pesquisa WebSAI, realizada em novembro de 2012, envolvendo as comunidades escolares, dados institucionais

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARADAS Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna 2006-2013 Equipa de Avaliação Interna Página 1 [ES C R E V E R O E N D E R E Ç O D A

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COAI COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PARTE I O DOCENTE AVALIA AS AÇÕES DO CURSO Prezado(a)

Leia mais

2012/2013 RELATÓRIO DE EMPREGABILIDADE

2012/2013 RELATÓRIO DE EMPREGABILIDADE INSTITUTO SUPERIOR DE LÍNGUAS E ADMINISTRAÇÃO DE LEIRIA (ISLA-LEIRIA) 2012/2013 RELATÓRIO DE EMPREGABILIDADE Resultado do inquérito estatístico aos diplomados Dezembro de 2014 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

BIOLOGIA CELULAR, BIOLOGIA MOLECULAR E GENÉTICA:

BIOLOGIA CELULAR, BIOLOGIA MOLECULAR E GENÉTICA: PÓS-GRADUAÇÃO BIOLOGIA CELULAR, BIOLOGIA MOLECULAR E GENÉTICA: DESENVOLVIMENTOS CIENTÍFICOS RECENTES E NOVAS PERSPECTIVAS DE ENSINO DIRECÇÃO DO CURSO Joana ROBALO Professora Auxiliar, ISPA - Instituto

Leia mais

ACEF/1415/16537 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1415/16537 Relatório preliminar da CAE ACEF/1415/16537 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Cespu - Cooperativa De Ensino Superior Politécnico

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN Novembro ÍNDICE 1. Introdução 4 2. População e Amostra 4 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 5 3.1. Caracterização dos inquiridos 5 3.2. Apresentação

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO PROFESSOR

QUESTIONÁRIO DO PROFESSOR QUESTIONÁRIO DO PROFESSOR 5 º E 9 º A N O D O E N S I N O F U N D A M E N TA L Caro Professor(a): este questionário faz parte de uma importante pesquisa sobre a educação no nosso estado o SPAECE. O objetivo

Leia mais

UESB CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA ÊNFASE EM EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL (Licenciatura)

UESB CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA ÊNFASE EM EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL (Licenciatura) UESB CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA ÊNFASE EM INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO (Licenciatura) 1º SEMESTRE CH 450 CRED 26 SOCIOLOGIA (2) DCHL 810 2º SEMESTRE CH 450 CRED 27 (2) DCHL 817 3º SEMESTRE CH

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. O Conhecimento como Paixão. A Engenharia como Profissão!

Instituto Politécnico de Setúbal. O Conhecimento como Paixão. A Engenharia como Profissão! O Conhecimento como Paixão A Engenharia como Profissão! Cursos de Engenharia Cursos de Tecnologia Engenharia do Ambiente Engenharia de Automação, Controlo e Instrumentação Engenharia Electrotécnica e de

Leia mais

LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO

LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

ATITUDES FACE AO DESPORTO COMO EU PRATICO DESPORTO: A OPINIÃO DOS ATLETAS DA SELECÇÃO PORTUGUESA DE ANDEBOL SUB-20

ATITUDES FACE AO DESPORTO COMO EU PRATICO DESPORTO: A OPINIÃO DOS ATLETAS DA SELECÇÃO PORTUGUESA DE ANDEBOL SUB-20 ATITUDES FACE AO DESPORTO COMO EU PRATICO DESPORTO: A OPINIÃO DOS ATLETAS DA SELECÇÃO PORTUGUESA DE ANDEBOL SUB-20 (2009) Susana Isabel Vicente Ramos Professora na Faculdade de Ciências do Desporto e Educação

Leia mais