Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 ANIMAIS PEÇONHENTOS DEFINIÇÃO Prof. Fabio Azevedo São acidentes provocados por picadas ou mordeduras de animais que possuem glândulas secretoras e aparelhos inoculadores de veneno, como dentes ocos e ferrões. Na natureza, existem outros animais que produzem veneno; porém, são incapazes de injetá lo de maneira ativa porque não possuem aparelho inoculador. 1

2 As serpentes venenosas no Brasil pertencem a dois grupos: Crotalíneos e Elapíneos. Os Crotalíneos são representados pelos gêneros Bothrops (jararacas), Crotalus (cascavéis) e Lachesis (surucucus). Os Elapíneos são representados pelo gênero Micrurus (corais verdadeiras). Grupo Gênero Sinais e sintomas Crotalídeo Bothrops: Dor imediata jararacas Edema Calor, rubor, equimose e sangramento no local da picada Podem aparecer bolhas, acompanhados ou não de necrose Hemorragia no local da picada ou distante dele (nariz, gengivas, ferimentos preexistentes) Casos mais graves podem apresentar hipotensão arterial, insuficiência renal aguda, abscesso e gangrena Lachesis: Reações semelhantes às descritas no acidente botrópico, surucucus predominando a dor e o edema Crotalus: Não há alterações importantes no local da picada cascavéis Dificuldade em abrir os olhos (queda de pálpebra) "Cara de bêbado" Visão turva e/ou visão "dupla" Dores musculares Urina avermelhada e seu escurecimento após 6 a 12 horas Insuficiência renal aguda Elapíneo Micrurus: Não há alterações importantes no local da picada corais Dificuldade em abrir os olhos (queda das pálpebras) verdadeiras "Cara de bêbado" Falta de ar Dificuldade em engolir Insuficiência respiratória aguda 2

3 A vítima deve ser removida o mais rápido possível para o serviço de saúde mais próximo, pois o único tratamento eficaz no caso é a aplicação de soro antiofídico específico para o gênero de serpente que provocou o acidente. Enquanto se providencia a remoção da vítima, o socorrista pode prestar os seguintes cuidados: Medidas de Primeiros Socorros conversar com a vítima procurando acalmá la; colocá la em repouso, na posição deitada, pois a locomoção pode acelerar a absorção do veneno e o agravamento dos ferimentos. Se a picada for na perna ou no braço, colocar a parte afetada em posição mais elevada em relação ao resto do corpo; localizar as lesões da mordedura e lavar com água e sabão, fazendo uma limpeza ampla de toda a área. Em seguida, cobrir com um pano limpo; remover objetos como anéis, bracelete e relógio, que possam garrotear caso ocorra edema do membro afetado; e levar, se possível, o animal que causou o acidente pois a sua identificação possibilita que a vítima recebaosoroespecífico. 3

4 Atenção: Não faça torniquete, pois ao impedir a circulação do sangue no membro afetado pode causar gangrena ou necrose. Não faça perfurações ou cortes no local da ferida, pois alguns venenos ofídicos provocam hemorragias. Não faça sucções da ferida, pois não se consegue retirar o veneno inoculado. Não aplique folhas de plantas, pó de café ou terra sobre a ferida para não provocar infecção. São os acidentes causados por aranhas e escorpiões. Os acidentes escorpiônicos de importância médica no Brasil são causados principalmente pelas espécies T serrulatus (amarelo), T bahiensis (preto) e T stigmurus, pertencentes ao gênero Tityus. As picadas atingem predominantemente os membros superiores. Os acidentes com aranhas que se destacam sob ponto de vista médico pertencem aos gêneros Phoneutria, Loxosceles e Latrodectus. As picadas pelas aranhas do gênero Lycosa (aranha de grama) apesar de frequentes não têm importância médica significativa, pois não representam ameaça à saúde da vítima. Da mesma forma, os acidentes provocados pela caranguejeira, também são destituídos de importância médica. 4

5 Sinais e sintomas de picadas de aranhas e escorpiões Os sinais e sintomas de acidentes provocados por picadas de aranhas e escorpiões variam de acordo com a espécie. Gênero: phoneutria (armadeira) Hábitos/Esconderijo: Bananeiras, troncos de árvores caídas, próximo e dentro do domicílio. Não fazem teia e assumem posição de defesa quando se sentem ameaçadas. Sinais e sintomas: Dor intensa após a picada, edema, eritema, parestesia e sudorese no local da picada; Acidente grave só ocorre em crianças, podendo apresentar: sudorese, náuseas e vômitos, hipertensão ou hipotensão arterial, aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos, diarreia. Sinais e sintomas de picadas de aranhas e escorpiões Gênero: Loxosceles (aranha marrom) Hábitos/Esconderijo: Pilha de tijolos/telhas, fendas de muros, entulhos, cavernas, cascas de árvores, próximo e dentro de domicílio. Pica quando é comprimida contra a pele. Sinais e sintomas: Leve dor no momento da picada; após algumas horas eritema e mescladas com áreas pálidas (placa marmórea), evoluindo com edema, equimose e necrose. Nos primeiros dias depois da picada, podem aparecer vermelhidão pelo corpo, febre, malestar, náuseas e vômitos. Anemia e urina escura são sinais mais raros. 5

6 Sinais e sintomas de picadas de aranhas e escorpiões Gênero: Lycosa (aranha de jardim, aranha de grama, tarântula) Hábitos/Esconderijo: Gramado, plantas. Não fazem teia. Reação de fuga. Sinais e sintomas: Dor local pouco intensa havendo a possibilidade de evoluir para necrose superficial e no local da picada. Sinais e sintomas de picadas de aranhas e escorpiões Gênero: Latrodectus (viúva negra, Flamenguinha) Hábitos/Esconderijo: Constroem teias tridimensionais em áreas de plantações, beiras de barrancos, em arbustos, e nas moradias. Sinais e sintomas: Dor local, sudorese local ou generalizada, edema discreto no local, eritema, parestesia em membros, tremores e contraturas. Em casos mais graves, podem ocorrer taquicardia ou bradicardia, dispneia, dificuldade de deambulação, cefaleia, tontura, náuseas e vômitos, hipertermia. 6

7 Medidas de primeiros socorros lavar o local da picada com água e sabão; aplicar compressas mornas para o alívio da dor; não colocar pomadas, pó de café, folhas ou qualquer outra substância sobre o ferimento; não dar bebida alcoólica para a vítima tomar; capturar se possível a aranha ou o escorpião que provocou o acidente e levá lo junto coma vítima para facilitar o diagnóstico e o tratamento; procurar o serviço de saúde o mais rápido possível, pois, dependendo do acidente, o tratamento é feito com soro específico; e não fazer torniquete, incisão ou sucção no local da picada. ANIMAIS PEÇONHENTOS Prof. Fabio Azevedo 7

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS 1 ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Envenenamento causado pela penetração de cerdas de lagartas (larvas de lepidópteros) na pele, ocorrendo assim a inoculação de toxinas. ACIDENTES

Leia mais

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Prof. Mariana Lima Arruda ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Envenenamento causado pela penetração de cerdas de lagartas (larvas de lepidópteros) na pele, ocorrendo assim a inoculação

Leia mais

Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais

Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais OFIDISMO Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais NE 13,62 CO 15,61 N 12,45 Frequência relativa (%) S 17,7 Acidentes ofídicos por região do país SE 39,88 Diagnóstico n acidentes % Bothrops 59.619 73,1

Leia mais

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Curso de Especialização em Emergências e Terapia Intensiva Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Prof. Enf. Fernando Ramos Gonçalves Msc 1 n ESCORPIÕES n Vivem em baixo de pedras, em casas antigas, cemitérios,

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Será que todos nós conhecemos os animais peçonhentos comuns no Estado de São Paulo? m Dependendo da espécie, uma picada pode tornar-se extremamente

Leia mais

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos. Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos. Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues Caso clínico AB, 23 anos, lavrador, natural e procedente de Araguari.

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS Protocolo: Nº 81 Elaborado por: Manoel Emiliano Última revisão: 06/09/2011 Revisores: Samantha Vieira Maria Clara Mayrink ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS DEFINIÇÃO: Animais peçonhentos são animais que

Leia mais

NR 31. Animais Peçonhentos. Prof. Ariston Alves Afonso. Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho

NR 31. Animais Peçonhentos. Prof. Ariston Alves Afonso. Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho NR 31 Animais Peçonhentos Prof. Ariston Alves Afonso Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho Veneno = Toxina consiste em qualquer tipo de substância tóxica, seja ela sólida, líquida ou gasosa, que

Leia mais

A temperatura, calor ou frio, e os contatos com gases, eletricidade, radiação e produtos químicos, podem causar lesões diferenciadas nocorpo humano.

A temperatura, calor ou frio, e os contatos com gases, eletricidade, radiação e produtos químicos, podem causar lesões diferenciadas nocorpo humano. UNIDADE: 08 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 8. DISTÚRBIOS CAUSADOS PELA TEMPERATURA: 8.0 INTRODUÇÃO A temperatura,

Leia mais

HEMORRAGIAS. Não deve tentar retirar corpos estranhos dos ferimentos; Não deve aplicar substâncias como pó de café ou qualquer outro produto.

HEMORRAGIAS. Não deve tentar retirar corpos estranhos dos ferimentos; Não deve aplicar substâncias como pó de café ou qualquer outro produto. HEMORRAGIAS O controle de uma hemorragia deve ser feito imediatamente, pois uma hemorragia abundante e não controlada pode causar morte em 3 a 5 minutos. A hemorragia externa é a perda de sangue pelo rompimento

Leia mais

Assustadores e Venenosos

Assustadores e Venenosos Assustadores e Venenosos Assustado e chocado com as plantas tóxicas? Agora o temor e o choque serão ainda maiores. Nos próximos slides, os três animais peçonhentos mais famosos e perigosos que existem

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 12 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 12.0 INTRODUÇÃO Em diversos ambientes há presença de animais peçonhentos,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN Av. Vital Brasil, São Paulo Brasil

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN Av. Vital Brasil, São Paulo Brasil DIZERES DE TEXTO DE BULA - PACIENTE soro antiaracnídico (Loxosceles, Phoneutria e Tityus) imunoglobulinas heterólogas contra venenos de: Loxosceles gaucho: 15,0 DMN/mL Phoneutria nigriventer: 1,5 DMM/mL

Leia mais

CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM

CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM A cascavel é uma serpente da América facilmente identificável pelo chocalho na ponta de sua cauda. Surpreendentemente,

Leia mais

TT-EEFEUSP TT-EEFEUSP

TT-EEFEUSP TT-EEFEUSP emergências ambientais Exposição a condições extremas de temperatura Calor EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS Frio Prof ª. Dra. Taís Tinucci Socorros de Urgência queimadura solar Eritema e dor na pele que se inicia

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS RÉPTEIS CARACTERÍSTICAS GERAIS Répteis do latim REPTARE= RASTEJAR. Têm cerca de 7 mil espécies. Surgiram há cerca de 300 milhões de anos. Vivem em ambientes terrestres (secos) ou alguns são aquáticos.

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 RODOLFO BRAGA BARROS SHIRLEY BARBOSA FEITOSA JANAÍNA MENEZES DANIELE DINIZ NEVES ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS CARACTERISTICAS GERAIS (resumo) DESCRIÇÃO

Leia mais

ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS: ACIDENTES COM SERPENTES

ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS: ACIDENTES COM SERPENTES ANIMAIS PEÇONHENTOS Animais peçonhentos são aqueles que possuem glândulas de veneno que se comunicam com dentes ocos, ou ferrões, ou agulhões, por onde o veneno passa ativamente. Portanto, peçonhentos

Leia mais

AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS. No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas.

AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS. No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas. AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 1- ACIDENTE OFÍDICO No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas. No Brasil estima-se que ocorre, anualmente, cerca

Leia mais

Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul

Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul Acidentes Tóxicos Prevenir é o melhor remédio Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul Animais Sacuda e examine calçados e roupas antes de usar. Mantenha limpos os locais próximos a residências

Leia mais

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Corpo humano: Hemorragia: É a perda de sangue através de ferimentos, pelas cavidades naturais como: nariz, boca, ouvido; ela pode ser

Leia mais

Dicas de Segurança IV

Dicas de Segurança IV Dicas de Segurança IV Noções Básicas de Primeiros Socorros Ressuscitação Cardiopulmonar Também conhecida como respiração boca a boca (aeração). Utilizada em casos de paradas respiratórias. Procedimentos:

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE HEPATITE É uma inflamação do fígado provocada, na maioria das vezes, por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar a doença, que se caracteriza por febre, icterícia

Leia mais

Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência

Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência Docente Márcio Gomes da Costa Pós Graduação em Unidade de Terapia Intensiva Pós Graduação em Docência Pós Graduando em Gestão Estratégica de Negócios

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 10 de junho de 2016 Página 1/8 DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTES OFÍDICOS Envenenamento causado pela inoculação de toxinas, por intermédio das presas de serpentes (aparelho inoculador), podendo determinar alterações

Leia mais

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes terão de. Definir:

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes terão de. Definir: Estado de Choque OBJETIVOS Ao final da aula os participantes terão de Definir: Estado de Choque; Classificação do Estado de Choque; Sinais e sintomas; Choque compensado / descompensado; Conduta no tratamento

Leia mais

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito!

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito! Paz e Bem 9º ano em AÇÃO Assunção contra o mosquito! Informações sobre o mosquito Mosquito doméstico Hábitos Reprodução Transmissão vertical DENGUE Transmissão: principalmente pela picada do mosquito

Leia mais

Apresentação. Giselle Agostini Cotta Coleção Científica de Serpentes Fundação Ezequiel Dias

Apresentação. Giselle Agostini Cotta Coleção Científica de Serpentes Fundação Ezequiel Dias Apresentação Os acidentes ocasionados por serpentes, escorpiões, aranhas e abelhas constituem um grave problema de saúde pública no Brasil. Assim, a disponibilização deste guia pretende contribuir para

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 13 CONTUSÃO TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 13.01 CONTUSÃO A contusão é uma lesão sem o rompimento da pele, tratando-se de uma forte compressão

Leia mais

Fraturas, luxações e contusões

Fraturas, luxações e contusões Fraturas, luxações e contusões 1. Fratura É toda solução de continuidade súbita e violenta de um osso. A fratura pode ser fechada quando não houver rompimento da pele, ou aberta (fratura exposta) quando

Leia mais

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Site:

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca   Site: Vertigens, desmaios e crises convulsivas Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Site: www.profsabrina.comunidades.net Vertigens: Vertigem refere-se a diminuição da força, visão

Leia mais

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia;

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE OBJETIVOS: Ao final desta lição os participantes serão capazes de: 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; 2. Citar e demonstrar 3 diferentes técnicas

Leia mais

Identificar a causa (exaustão de auto, gás, aerossóis) Remoção da cena Manter vias aéreas abertas Suporte básico de vida Ligar para o CCI Chamar

Identificar a causa (exaustão de auto, gás, aerossóis) Remoção da cena Manter vias aéreas abertas Suporte básico de vida Ligar para o CCI Chamar tóxico ou veneno Qualquer substância nociva que, quando introduzida no organismo, provoca alterações em um ou mais sistemas INTOXICAÇÕES E ENVENAMENTOS Prof ª. Dra. Taís Tinucci Socorros de Urgência fisiológicos

Leia mais

Zika vírus. Confira todos os sintomas para saber se está com Zika vírus

Zika vírus. Confira todos os sintomas para saber se está com Zika vírus Zika vírus Os sintomas da Zika incluem febre baixa, dor nos músculos e articulações, além de vermelhidão nos olhos e manchas vermelhas na pele. A doença é transmitida pelo mesmo mosquito da dengue, e os

Leia mais

Urgência e Emergência

Urgência e Emergência Urgência e Emergência CHOQUE Choque Um estado de extrema gravidade que coloca em risco a vida do paciente. Dica: Em TODOS os tipos de choques ocorre a queda da pressão arterial e, consequentemente, um

Leia mais

O Escorpião Marrom (TityusBahiensis) tem o tronco marrom, patas amareladas com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado.

O Escorpião Marrom (TityusBahiensis) tem o tronco marrom, patas amareladas com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado. ESCORPIÕES Pertencentes à classe Arachnida, os escorpiões apresentam o corpo dividido em cefalotórax e abdome, sendo que os últimos 5 segmentos do abdome formam a cauda. No final da cauda está o télson,

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 10 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 10.0 Introdução O estado de choque se caracteriza pela falta de circulação

Leia mais

GUIA PRÁTICO PRIMEIROS SOCORROS

GUIA PRÁTICO PRIMEIROS SOCORROS OBJETIVO Este guia prático tem por objetivo esclarecer de forma sucinta os primeiros atendimentos a serem realizados em situações de emergência, visando a manutenção da vida, até a chegada do socorro especializado.

Leia mais

ARANEÍSMO. Bergson. Bergson. Museu de Paleontologia de Crato Fósseis de aranhas + / - 110 mi anos Formação Santana do Cariri

ARANEÍSMO. Bergson. Bergson. Museu de Paleontologia de Crato Fósseis de aranhas + / - 110 mi anos Formação Santana do Cariri ARANEÍSMO Bergson Bergson Museu de Paleontologia de Crato Fósseis de aranhas + / - 110 mi anos Formação Santana do Cariri ARANHAS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA As aranhas são animais carnívoros, alimentando-se

Leia mais

Medidas básicas de socorro aos humanos

Medidas básicas de socorro aos humanos Medidas básicas de socorro aos humanos CONCEITO TODO ANIMAL VENENOSO É PEÇONHENTO? TODO ANIMAL PEÇONHENTO É VENENOSO? Venenoso x peçonhento Brachycephalus ephippium Bothrops jararaca http://planetasustentavel.abril.com.br/album/anfibios-mata-atlantica-626497.shtml

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza

PRIMEIROS SOCORROS. Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza PRIMEIROS SOCORROS Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza Primeiros socorros Noções básicas b de sinais vitais Perfil do socorrista Vias aéreas a obstrução Ressuscitação cardiopulmonar RCP Ferimentos,

Leia mais

Brochura de informação para o doente sobre KEYTRUDA. (pembrolizumab)

Brochura de informação para o doente sobre KEYTRUDA. (pembrolizumab) Brochura de informação para o doente sobre KEYTRUDA (pembrolizumab) Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Poderá

Leia mais

Capítulo. Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus. Capítulo 18. Alterações da Glicemia e Diabetes Mellitus 1. OBJETIVOS

Capítulo. Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus. Capítulo 18. Alterações da Glicemia e Diabetes Mellitus 1. OBJETIVOS Capítulo Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus 1. OBJETIVOS No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: Conhecer os tipos de diabetes mellitus. Descrever os mecanismos de descompensação

Leia mais

CEPAP Centro de Educação Profissional em Atendimento Pré-Hospitalar Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro

CEPAP Centro de Educação Profissional em Atendimento Pré-Hospitalar Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro CEPAP Centro de Educação Profissional em Atendimento Pré-Hospitalar Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Ensinado a salvar vidas OFIDISMO Animais Venenosos X Animais Peçonhentos Os primeiros

Leia mais

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis tivessem mais orientações ou tomassem mais cuidado

Leia mais

Fernando Camilo Magioni Enfermeiro do Trabalho

Fernando Camilo Magioni Enfermeiro do Trabalho Enfermeiro do Trabalho 1 São praticamente iguais no aspecto; Protegem a colméia e picam para defenderse; Podem picar apenas uma vez (cada uma); Tem o mesmo tipo de veneno; Polinizam flores; Produzem mel

Leia mais

Conceito. Principais Causas. Classificação. Extensão da Queimadura 29/04/2016

Conceito. Principais Causas. Classificação. Extensão da Queimadura 29/04/2016 Queimaduras Conceito Lesão nos tecidos de revestimento do organismo (pele, músculo, vasos sanguíneos, nervos e ossos) geralmente causada por agentes térmicos, eletricidade, produtos químicos, radiação,

Leia mais

4 O que é hemorragia?

4 O que é hemorragia? O que é hemorragia? 4 e-tec Brasil Primeiros Socorros META OBJETIVOS Apresentar o conceito de hemorragia e o atendimento a uma vítima com sintomas hemorrágicos. Ao final desta aula, você deverá ser capaz

Leia mais

Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio.

Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio. Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio. Brasil: 776 espécies no total. O Rio Grande do Sul: 95 espécies

Leia mais

Ferimentos, Hemorragias e Choques

Ferimentos, Hemorragias e Choques Ferimentos, Hemorragias e Choques Ferimentos AGRESSÃO À INTEGRIDADE DO TECIDO PODE SER ABERTO OU FECHADO ABERTO: OCORRE LESÃO ABERTA NA PELE OU MUSOCA, PERMITINDO A COMUNICAÇÃO ENTRE O MEIO INTERNO E EXTERNO.

Leia mais

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A Bioquímica Da Célula Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A importância da água em nossa vida A água é indispensável para o nosso planeta. Foi através dela que surgiram as primeiras

Leia mais

Trabalho de biologia

Trabalho de biologia Trabalho de biologia Grupo: Kaio Moraes(20) Leonardo Silveira(21) Matheus Ramôa(23) Paulo Reis(25) Pedro Guido(26) Pedro Neves(27) Raphael Barbosa(30) Índice : Histórico da doença Agente causador Ciclo

Leia mais

Orientação Medicamentosa para pessas com Hipertensão

Orientação Medicamentosa para pessas com Hipertensão Orientação Medicamentosa para pessas com Hipertensão ORIENTAÇÃO MEDICAMENTOSA PARA PESSOAS COM HIPERTENSÃO Organizadora: Grace Kelly Matos e Silva Este material tem o objetivo de orientar os pacientes

Leia mais

Gastrium (omeprazol) Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. cápsulas 20 mg

Gastrium (omeprazol) Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. cápsulas 20 mg Gastrium (omeprazol) Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. cápsulas 20 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO GASTRIUM (omeprazol) APRESENTAÇÕES

Leia mais

OFIDISMO. Aspectos Epidemiológicos

OFIDISMO. Aspectos Epidemiológicos OFIDISMO Aspectos Epidemiológicos Dentre os acidentes por animais peçonhentos, o ofidismo é o principal deles, pela sua freqüência e gravidade. Ocorre em todas as regiões e estados brasileiros e é um importante

Leia mais

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno.

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Nota Técnica 1 OBJETO Uso racional de soros antivenenos e atualizações dos protocolos de manejo dos acidentes por animais peçonhentos.

Leia mais

Epidemiologia do araneísmo no município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil

Epidemiologia do araneísmo no município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil Epidemiologia do araneísmo no município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil Epidemiologia do araneísmo no município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil Clinical and epidemiological features of araneism in

Leia mais

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL,

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Andressa Linhares Dorneles FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS

Leia mais

Queimaduras. Sílvia Augusta do Nascimento

Queimaduras. Sílvia Augusta do Nascimento Queimaduras 5 Sílvia Augusta do Nascimento e-tec Brasil Primeiros Socorros META OBJETIVOS Apresentar os diferentes graus de queimadura e as principais condutas diante de uma vítima com queimadura. Ao final

Leia mais

Tylalgin Caf. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido Revestido 500mg + 65mg

Tylalgin Caf. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido Revestido 500mg + 65mg Tylalgin Caf Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido Revestido 500mg + 65mg Você deve procurar orientação médica antes de utilizar Tylalgin Caf, se você apresentar alguma das seguintes condições:

Leia mais

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON Enfermagem em Clínica Médica Doença de Addison Enfermeiro: Elton Chaves email: eltonchaves76@hotmail.com DOENÇA DE ADDISON A insuficiência adrenal (IA) primária, também denominada doença de Addison, geralmente

Leia mais

HIRUDOID polissulfato de mucopolissacarídeo IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

HIRUDOID polissulfato de mucopolissacarídeo IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO HIRUDOID polissulfato de mucopolissacarídeo IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES HIRUDOID POMADA é apresentado em cartuchos contendo bisnagas com 40 g de POMADA. USO TÓPICO. USO EXTERNO. USO ADULTO

Leia mais

GRIPE INFLUENZA TIPO A H1N1. Prefeitura Municipal de Campinas Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria de Vigilância em Saúde

GRIPE INFLUENZA TIPO A H1N1. Prefeitura Municipal de Campinas Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria de Vigilância em Saúde GRIPE INFLUENZA TIPO A H1N1 Prefeitura Municipal de Campinas Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria de Vigilância em Saúde 2009 1 O que é a gripe A (H1N1)? É uma doença respiratória causada pelo vírus

Leia mais

sulfato de neomicina bacitracina zíncica Pomada 5mg/g + 250UI/g

sulfato de neomicina bacitracina zíncica Pomada 5mg/g + 250UI/g sulfato de neomicina bacitracina zíncica Pomada 5mg/g + 250UI/g MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE sulfato de neomicina bacitracina zíncica Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES

Leia mais

[ERLICHIOSE CANINA]

[ERLICHIOSE CANINA] [ERLICHIOSE CANINA] 2 Erlichiose Canina A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos (neste caso, Erlichia canis)

Leia mais

Apresentam metameria, com presença de fusão de segmentos (tagmas) que formam a cabeça,otóraxeoabdome;

Apresentam metameria, com presença de fusão de segmentos (tagmas) que formam a cabeça,otóraxeoabdome; Cap. 21 Artrópodes: Características e clasificação Apresentam metameria, com presença de fusão de segmentos (tagmas) que formam a cabeça,otóraxeoabdome; Presença de exoesqueleto(quitina) articulado; Cabeça

Leia mais

Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos

Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos ARTIGO ORIGINAL ISSN 1677-59 215 Revista de Ciências Médicas e Biológicas Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos Clinical and epidemiological aspects related

Leia mais

PATOLOGIA E CLÍNICA CIRÚRGICA

PATOLOGIA E CLÍNICA CIRÚRGICA PATOLOGIA E CLÍNICA CIRÚRGICA HÉRNIAS RENATO LINHARES SAMPAIO INTRODUÇÃO CONCEITO É A PROTRUSÃO, INSINUAÇÃO OU PASSAGEM DE UM ÓRGÃO OU PARTE DELE, DE SUA CAVIDADE ORIGINAL PARA OUTRA VIZINHA, ATRAVÉS DE

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS HIP- HOSPITAL INFANTIL DE PALMAS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS HIP- HOSPITAL INFANTIL DE PALMAS PROTOCOLO DE TRATAMENTO Acidentes por animais peçonhentos Objetivos Oferecer à equipe multiprofissional um roteiro básico clínico, laboratorial e terapêutico no atendimento das crianças que buscam o HIP

Leia mais

7º FILO - ARTHROPODA CLASSE ARACNÍDEOS

7º FILO - ARTHROPODA CLASSE ARACNÍDEOS 7º FILO - ARTHROPODA CLASSE ARACNÍDEOS Aracnídeos Exemplos: aranhas, escorpiões e os carrapatos Habitat: terrestre (solos, rochas, teias, matas, desertos e casas) Sarna (Sarcoptes scabiei) e cravos (Demodex

Leia mais

Fazem troca do exoesqueleto Simetria Bilateral O nome deriva-se do fato de terem patas articuladas

Fazem troca do exoesqueleto Simetria Bilateral O nome deriva-se do fato de terem patas articuladas Filo Artrópode Filo Artrópode Acredita-se que tenham evoluído dos anelídeos São animais invertebrados de corpo segmentado (metamerizado) Corpo revestido de exoesqueleto feito de quitina Grupo diverso

Leia mais

Sorine Adulto. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml

Sorine Adulto. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml Sorine Adulto Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Sorine cloridrato de nafazolina

Leia mais

ACIDENTE COM SERPENTE DO GÊNERO Bothrops EM CÃO - RELATO DE CASO

ACIDENTE COM SERPENTE DO GÊNERO Bothrops EM CÃO - RELATO DE CASO ACIDENTE COM SERPENTE DO GÊNERO Bothrops EM CÃO - RELATO DE CASO HERRERA, Mariana de Souza. E-mail: mariana_souzaherrera@hotmail.com Discente da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Garça/SP,

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES:

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES: 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: FORTH Condicionador Gramados Código interno de identificação do produto: 153-4 Nome da empresa: EVERALDO JUNIOR ELLER Endereço: Rod Antonio Romano

Leia mais

Dropropizina. Prati-Donaduzzi Xarope 1,5 mg/ml e 3 mg/ml. Dropropizina_bula_paciente

Dropropizina. Prati-Donaduzzi Xarope 1,5 mg/ml e 3 mg/ml. Dropropizina_bula_paciente Dropropizina Prati-Donaduzzi 1,5 mg/ml e 3 mg/ml Dropropizina_bula_paciente INFORMAÇÕES AO PACIENTE dropropizina Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES de 1,5 mg/ml ou 3 mg/ml em embalagem

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [CINOMOSE]

www.drapriscilaalves.com.br [CINOMOSE] www.drapriscilaalves.com.br [CINOMOSE] 2 cinomose A cinomose é uma doença viral altamente contagiosa que afeta os cães e todos os animais da família Canidae (Dingo, raposa, coiote, lobo), da família Mustelidae

Leia mais

cloridrato de tansulosina

cloridrato de tansulosina cloridrato de tansulosina Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Cápsula gelatinosa dura de liberação prolongada 0,4 mg 1 I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO cloridrato de tansulosina Medicamento genérico Lei n

Leia mais

Excipientes: Carvedilol Ranbaxy 6,25 mg, 12,5mg, 25mg Comprimidos: Celulose microcristalina, Silica coloidal anidra e Estearato de Magnésio.

Excipientes: Carvedilol Ranbaxy 6,25 mg, 12,5mg, 25mg Comprimidos: Celulose microcristalina, Silica coloidal anidra e Estearato de Magnésio. FOLHETO INFORMATIVO Carvedilol Ranbaxy 6,25 mg Comprimidos Carvedilol Ranbaxy 12,5 mg Comprimidos Carvedilol Ranbaxy 25 mg Comprimidos Leia atentamente este folheto antes de tomar o medicamento. Conserve

Leia mais

DOENÇAS DE VERÃO. É comum em cães. Proibir a entrada de animais geográfico. e gatos e pode ser. transmitido. areia e dez metros na água. coceira.

DOENÇAS DE VERÃO. É comum em cães. Proibir a entrada de animais geográfico. e gatos e pode ser. transmitido. areia e dez metros na água. coceira. Comissão Interna Prevenção Acintes cipa@unincor.edu.br Telefax: (35) 3239-1276 DOENÇAS DE VERÃO Dr. Alexandre Wolkoff, coornador do Hospital San Paolo Dr. Marco Aurélio Sáfadi, infectologista do Hospital

Leia mais

Oliveira, ET, Cogo, JC

Oliveira, ET, Cogo, JC LEVANTAMENTO PRELIMINAR DOS ACIDENTES OFÍDICOS OCORRIDOS EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) E CIDADES ADJACENTES, ATEIDOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. XIV INIC / X EPG - UNIVAP 2010 Oliveira,

Leia mais

Dengue, Chikungunya, Zika. O que são Transmissão Sintomas Tratamentos Prevenções

Dengue, Chikungunya, Zika. O que são Transmissão Sintomas Tratamentos Prevenções Dengue, Chikungunya, Zika O que são Transmissão Sintomas Tratamentos Prevenções 1 DENGUE O que é? A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS NA CRIANÇA

PRIMEIROS SOCORROS NA CRIANÇA NA CRIANÇA 2008 Ao fazer um curativo, lave antes suas mãos com sabão e a área machucada com bastante água corrente e limpa. Cortes e Arranhões Ferimentos pequenos devem ser cuidadosamente lavados com água

Leia mais

Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS

Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS Ana Gabriela da Silva Bonacini Farmacêutica e Residente em Análises Clínicas Londrina- 2016 OFIDISMO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Dr Francisco Nogueira de Lima Código: 059 Município: Casa Branca Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Código Inquérito sobre efeitos adversos de medicamentos usados na enxaqueca

Código Inquérito sobre efeitos adversos de medicamentos usados na enxaqueca ANEXO Código Inquérito sobre efeitos adversos de medicamentos usados na enxaqueca Laboratório de Farmacologia Consultas externas de Cefaleias Faculdade de Farmácia de Coimbra Hospitais da Universidade

Leia mais

SAUDE.BA.GOV.BR Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO

SAUDE.BA.GOV.BR Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO SAUDE.BA.GOV.BR Inimigo N 1 o AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO 7Se for guardar pneus velhos em casa, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva. 8 Limpe as calhas com

Leia mais

O importante é ter saúde sempre!

O importante é ter saúde sempre! O importante é ter saúde sempre! MEDICAMENTOS GENÉRICOS Bromoprida está indicada para alívio dos distúrbios da motilidade gastrintestinal, situações de refluxo gastroesofágico, náuseas, vômitos e para

Leia mais

Dermatite de Contato. Tipos de Dermatite de Contato: Causada por Irritantes

Dermatite de Contato. Tipos de Dermatite de Contato: Causada por Irritantes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Dermatite de Contato O QUE É? A Dermatite de Contato é uma doença bastante comum, afetando a pele

Leia mais

Anexo III. Alterações nas secções relevantes do resumo das caraterísticas do medicamento e do folheto informativo

Anexo III. Alterações nas secções relevantes do resumo das caraterísticas do medicamento e do folheto informativo Anexo III Alterações nas secções relevantes do resumo das caraterísticas do medicamento e do folheto informativo Nota: As alterações ao Resumo das Características do Medicamento e ao Folheto Informativo

Leia mais

PORTUGUÊS 4 o BIMESTRE

PORTUGUÊS 4 o BIMESTRE AVALIAÇÃO DE ATIVIDADES DE FIXAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO IX PROVA TAREFA 1 Unidade Portugal Série: 5 o ano (4 a série) Período: TARDE Data: 5/10/2011 PORTUGUÊS 4 o BIMESTRE Nome: Turma: Valor da prova:

Leia mais

Informe Epidemiológico Raiva 25/11/2014

Informe Epidemiológico Raiva 25/11/2014 Página 1 / 7 Aspectos Epidemiológicos A raiva é uma encefalite viral aguda, transmitida por mamíferos e que apresenta dois ciclos de transmissão: urbano e silvestre. É de grande importância epidemiológica

Leia mais

Você sabe o que é. ocruz.br click

Você sabe o que é.  ocruz.br  click Produto elaborado a partir do projeto Avaliação da exposição ocupacional ao benzeno em postos de combustíveis no município do Rio de Janeiro: uma abordagem integrada para as ações de vigilância em saúde

Leia mais

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas?

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas? Questionário Este questionário consta de um conjunto de perguntas que servirão de base à elaboração de um estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um AVC, tipos de infecção

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS PRODUTO: ALCOOL ETÍLICO HIDRATADO INDUSTRIAL FLOP S. Liquido Inflamável Inflamável

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS PRODUTO: ALCOOL ETÍLICO HIDRATADO INDUSTRIAL FLOP S. Liquido Inflamável Inflamável 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO Nome do comercial: Álcool Etílico Hidratado 92,8º INPM NOME DO FABRICANTE Indústria Comercio de Produtos Químicos Tangara ENDEREÇO Rod. Comte João

Leia mais

Hipertensão Arterial Sistêmica

Hipertensão Arterial Sistêmica Hipertensão Arterial Sistêmica Pressão alta merece atenção. o que É HiPerteNsão ArteriAL sistêmica (HAs)? É uma doença crônica caracterizada por níveis elevados e sustentados de Pressão Arterial (PA),

Leia mais

MEMÓRIA DA REUNIÃO 1. PAUTA

MEMÓRIA DA REUNIÃO 1. PAUTA Assunto: Reunião/Palestra saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Lucimara Rios

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS. Nome do produto: Paratest ECO Data da última revisão: FISPQ nº: 003 página: 01/05

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS. Nome do produto: Paratest ECO Data da última revisão: FISPQ nº: 003 página: 01/05 FISPQ nº: 003 página: 01/05 SEÇÃO 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA - NOME DO PRODUTO: PARATEST ECO - NOME COMUM E GENÉRICO: SOLUÇÃO FIXATIVA ECOLÓGICA - CÓDIGO INTERNO DE IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO:

Leia mais

Protistas. Thiago Lins do Nascimento

Protistas. Thiago Lins do Nascimento Protistas 1 Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com Protistas: Características Gerais São seres eucariontes. Os protistas são compostos pelas algas e protozoários. Apresentam muita diversidade

Leia mais

SENAC EM JUNDIAÍ AGROINDÚSTRIA. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009

SENAC EM JUNDIAÍ AGROINDÚSTRIA. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009 ÁREAS DERISCOS ATUAÇÃONA CONTROLE DE SENAC EM JUNDIAÍ João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2009 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação,

Leia mais