Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014"

Transcrição

1 Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014

2 FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO

3 1 - PLANEJAMENTO Novos mercados Mais lucros Mais empregos Maior escala de produção e vendas Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois, a exportação é um processo contínuo. Alterar o contrato social da empresa, acrescentando na finalidade, a atividade de exportação. Conversar com os parceiros que poderão ajudá-lo no comércio

4 1 - PLANEJAMENTO Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois, a exportação é um processo exterior. Capacitação em comércio exterior Obter acesso ao SISCOMEX( Sistema Integrado de comércio Exterior-(via SRF)

5 1 - PLANEJAMENTO Providenciar o RADAR (Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros), junto à fiscalização aduaneira da SRF (Secretaria da Receita Federal), com jurisdição sobre seu estabelecimento matriz.

6 2 PESQUISA DE MERCADO Pesquisar o Mercado internacional Procurar avaliar os concorrentes internos e externos Fazer pesquisas na internet Verificar se existem barreiras técnicas para o seu produto Conhecer o país escolhido (cultura, hábitos, renda, economia, população e clima)

7 3 NEGOCIAÇÃO COM O IMPORTADOR Classificar corretamente a mercadoria é fundamental. Negociar (frete, seguro, local de embarque e desembarque e desembaraço aduaneiro) Elaborar a planilha de preço: Preço interno= custo total + lucros + tributos Preço externo= preço interno tributos despesas internas + despesas externas

8 3 NEGOCIAÇÃO COM O IMPORTADOR Ser pontual incluindo no prazo final: tempo de elaboração do produto, prazo de embarque e prazo do transporte. Modalidade de pagamentos: antecipado, à vista do recebimento do produto, carta de crédito e cartão de crédito.

9 4 ELABORAÇÃO DA FATURA PRO FORMA Anotar tudo o que foi negociado com o importador e transcrever para a fatura pro forma 5 ENVIO DE FATURA PRO FORMA AO IMPORTADOR Enviar a fatura pro forma para que possa ser gerado o pedido de compra. 6 IMPORTADOR VAI AO BANCO E SOLICITA A ABERTURA DA CARTA DE CRÉDITO (L/C) O importador dirige ao seu banco, no estrangeiro e entrega para o gerente do banco a carta de crédito

10 7 EXPORTADOR ANALISA A CARTA DE CRÉDITO O banco do importador envia a Carta de Crédito para o banco do exportador, aqui no Brasil, que por sua vez, entra em contato com o exportador dando-lhe uma cópia da Carta de Crédito. O exportador verifica, então, se nela estão contidos todos os termos da negociação.

11 8 EXPORTADOR ELABORA A FATURA COMERCIAL A fatura comercial (commercial invoice) é o documento internacional, emitido pelo exportador que, no âmbito externo, equivale a Nota Fiscal. Sua validade começa a partir da saída da mercadoria do território nacional e ela é imprescindível para o importador desembaraçar a mercadoria em seu país.

12 9 EXPORTADOR PREPARA MERCADORIA PARA EMBARQUE O exportador prepara a mercadoria de acordo com o solicitado na Carta de Crédito e solicita o início do Registro de Exportação (RE) no SISCOMEX. 10 EXPORTADOR ELABORA O PACKING LIST O Packing List é o documento necessário para o desembaraço da mercadoria e para orientação do importador quando da chegada dos produtos no país destino. Na verdade, é uma simples relação, indicando os volumes a serem embarcados e os respectivos conteúdos.

13 11 EXPORTADOR EMITE NOTA FISCAL A nota fiscal da mercadoria destinada à exportação é utilizada para o trânsito interno da mesma, acompanhando-o até o ponto de desembaraço para o exterior. Ela acompanha a mercadoria desde a saída do estabelecimento até o efetivo desembaraço físico junto à Secretaria da Receita Federal. 12 EXPORTADOR PROVIDENCIA O PRÉ-TRANSPORTE ATÉ O PORTO OU FRONTEIRA Providenciar o pré-transporte da mercadoria, até o porto ou fronteira de destino.

14 13 EXPORTADOR SOLICITA O DESPACHO ADUANEIRO Despacho aduaneiro é o procedimento fiscal pelo qual se processa o desembaraço aduaneiro da mercadoria destinada ao exterior. A carga é distribuída para fiscalização conforme a parametrização, que é o processo de seleção de canais de conferência aduaneira. São três canais: Canal verde: liberação automática pelo SISCOMEX. Canal laranja: liberação após a conferência documental pela fiscalização. Canal vermelho: liberação após conferência documental e verificação física da mercadoria pela fiscalização 14 PAGAMENTO DO FRETE E SEGURO PELO EXPORTADOR Providenciar o pagamento do frete e do seguro, se negociado com o importador.

15 15 RECEBIMENTO DO CONHECIMENTO DE EMBARQUE (B/L ou AWB) Conhecimento de Embarque Marítimo Bill of Landing (B/L) ou Conhecimento de Embarque Aéreo (AWB) são documentos emitidos pela companhia transportadora que atestam o recebimento da carga, as condições de transporte e a obrigação de entrega das mercadorias ao importador. 16 DESEMBARAÇO E AVERBAÇÃO JUNTO À SRF O desembaraço aduaneiro será registrado no SISCOMEX pelo AFRF (Auditor Fiscal da Receita Federal). A averbação é o ato final do despacho de exportação e consiste na confirmação, pela fiscalização aduaneira, do embarque da mercadoria e do registro dos dados do transportador.

16 17 EMISSÃO DO COMPROVANTE DE EXPORTAÇÃO Após toda a conclusão de toda operação de exportação, será fornecido ao exportador, se solicitado, o documento probatório da exportação, emitido pelo Siscomex, na Unidade de despacho da mercadoria. 18 EXPORTADOR CONSOLIDA TODA A DOCUMENTAÇÃO Exportador consolida toda a documentação e envia uma cópia para o importador: Nota Fiscal, Registro de Exportação, Fatura Comercial, Carta de Crédito, Conhecimento de Embarque, Apólice de Seguro e Comprovante de Exportação.

17 19 EXPORTADOR CONTRATA CÂMBIO O fechamento de câmbio é uma fase muito importante no processo de exportação, pois é nesse momento que ocorrerá a venda para o Banco, por parte do exportador, da moeda estrangeira resultante da operação de exportação. Fechar o câmbio significa negociar as dívidas obtidas com a instituição financeira escolhida, a uma determinada taxa de câmbio e entregar em data fixada os documentos comprobatórios da exportação.

18 20 EXPORTADOR ENTREGA DOCUMENTAÇÃO AO BANCO A forma negociada para a entrega da moeda estrangeira foi o cumprimento das obrigações detalhadas na Carta de Crédito. Ao entregar os documentos da exportação, sem discrepâncias com os termos e condições da carta de crédito, a liquidação se dará até o 10 dia seguinte ao da entrega dos documentos. Este prazo é razoável para que o Banco confira os documentos da exportação com os termos da carta de crédito.

19 21 EXPORTADOR LIQUIDA O CÂMBIO E RECEBE OS REAIS Liquidação do Câmbio é o procedimento de entrega da moeda estrangeira ao Banco autorizado que, por sua vez, efetua o pagamento do valor equivalente em moeda nacional à taxa de câmbio acertada na data do fechamento de câmbio. 22 EXPORTADOR ENVIA CARTA DE AGRADECIMENTO Enviar de agradecimento ao fechar seus negócios e manter uma correspondência regular com o seu cliente, fortalecendo os laços comerciais. Se possível, visite seu cliente em seu país de origem para conhecer o mercado e suas necessidades. THE END!!!

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1. PLANEJAMENTO Novos mercados; Mais lucros; Mais empregos Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois a exportação é um processo

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO Agência para a Promoção de Investimento e Exportações MANUAL DO EXPORTADOR Procedimentos Administrativos Luanda, 10 de Julho de 2015 INDICE I. INTRODUÇÃO 2 II. PREAMBULO...2 III.

Leia mais

Métodos de Importação para Pesquisa Científica

Métodos de Importação para Pesquisa Científica Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul Métodos de Importação para Pesquisa Científica Setor de Importação FUNDECT Marcelo Alves Teixeira importacao@fundect.ms.gov.br

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/12 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SIEX/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: ANALISAR PROCESSO PARA PAGAMENTO DE SERVIÇOS COM OU SEM RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ADUANA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL APRESENTAÇÃO: DANIEL BEZERRA DOS SANTOS AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 OBJETIVO Abordar, de forma sucinta, as atividades

Leia mais

VOL. I. Importação e Exportação

VOL. I. Importação e Exportação Coleção de Importação e Exportação VOL. I Tratamento Administrativo e Aduaneiro da Importação e Exportação José Marcelo Fernandes Araújo Analista de Exportação pela Olivetti do Brasil S/A - Analista de

Leia mais

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS Prof.: Leonardo Ribeiro 1 Siscomex O Sistema Integrado de Comércio Exterior - SISCOMEX, é um instrumento

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/13 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SIEX/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: IMPORTAR COM COBERTURA CAMBIAL ELABORADO EM: 11/02/2014 REVISADO EM: 12/02/2014 APROVADO

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

A tríade do Comércio Internacional. Macro Ambiente de Negócio Internacional. Distribution Chain. Supply Chain. Manufatura

A tríade do Comércio Internacional. Macro Ambiente de Negócio Internacional. Distribution Chain. Supply Chain. Manufatura A tríade do Comércio Internacional Macro Ambiente de Negócio Internacional Distribution Chain Exportação Supply Chain Importação Manufatura Materials Requirement Planning II Supply Chain Visão holística

Leia mais

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009 NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 30º AgroEx Manaus 26 de novembro de 2009 FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase Mercadológica Fase Comercial Fase Administrativa Fase Aduaneira

Leia mais

EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS. CM Claudia Mainardi ccmainardi@cmcomex.com.br ccmainardi@gmail.com

EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS. CM Claudia Mainardi ccmainardi@cmcomex.com.br ccmainardi@gmail.com EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS Providências básicas para iniciar atividades no comércio exterior Ser registrado no RADAR Registro de Exportadores e importadores na Receita Federal;

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001308 - TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior Area Profissional: GESTAO DA ADMINISTRACAO Area de Atuacao: LOGISTICA/GESTAO Planejar,

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/10 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SIEX/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: ANALISAR PROCESSO PARA CONTRATAÇÃO CAMBIAL ELABORADO EM: 12/02/2014 REVISADO EM: 12/03/2014

Leia mais

Cleoneto Medeiros Silva E_mail: Skepy: cleonetomedeiros

Cleoneto Medeiros Silva E_mail: Skepy: cleonetomedeiros P E R F I L PROFISSIONAL E_mail: cleonetomedeiros@gmail.com Skepy: cleonetomedeiros DADOS PESSOAIS: Nome: Data de Nascimento: 01/09/1967, Estado Civil: Casado End.: Rua Farmacêutico João Carvalho nº 4606

Leia mais

Roteiro Básico para Exportação

Roteiro Básico para Exportação Roteiro Básico para Exportação As empresas interessadas em efetuar exportações deverão, em primeiro lugar, inscrever-se no RADAR, que corresponde ao Registro de Exportadores e Importadores da Inspetoria

Leia mais

PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA. Planejamento. Pesquisa de Mercado. Cadastramento REI

PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA. Planejamento. Pesquisa de Mercado. Cadastramento REI PROCESSO DE FLUXOGRAMA DE Planejamento Pesquisa de Mercado Cadastramento REI 1 Cadastramento do REI O registro é feito automaticamente no sistema, quando da primeira importação e exportação (Portaria SECEX

Leia mais

Gerência Regional de Araraquara. Financiamentos às Exportações

Gerência Regional de Araraquara. Financiamentos às Exportações Gerência Regional de Araraquara Financiamentos às Exportações BB no mundo Experiência: Há mais de 70 anos em comércio exterior, inclusive com embaixadas e consulados; Cobertura internacional: mais de 30

Leia mais

Caminhos para Exportar

Caminhos para Exportar NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 33º AgroEx Marco-CE ADILSON OLIVEIRA FARIAS Assessor técnico JULIANA CAETANO JALES Assistente técnico FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase

Leia mais

SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO

SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO DRAWBACK 1. CONCEITO Drawback é o regime especial que consiste na importação com suspensão, isenção ou restituição dos tributos, de insumos destinados a integrar produtos

Leia mais

DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues

DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues DESPACHO ADUANEIRO Procedimento Fiscal por intermédio do qual o exportador desembaraça a mercadoria para o exterior (Faro, 2007). É

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003

Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003 Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003 Disciplina a saída temporária de mercadorias da Zona Franca de Manaus, das Áreas de Livre Comércio e da Amazônia Ocidental. O SECRETÁRIO DA RECEITA

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES 1. Aspectos operacionais 1.1 Roteiro para exportação 1º Passo Efetuar o registro de exportador na Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

COMPARATIVO. Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014

COMPARATIVO. Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014 COMPARATIVO Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014 Disciplina os procedimentos de controle aduaneiro de carga aérea procedente

Leia mais

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

SILBRAN Comércio Exterior. 13/1/2009 Silbran Comércio Exterior

SILBRAN Comércio Exterior. 13/1/2009 Silbran Comércio Exterior SILBRAN Comércio Exterior 1 Decisões em Negócios Globalizados Importadores Exportadores 2 SILBRAN Comércio Exterior Desafio Global Distância Documentos Diversidade Demanda Disponibilidade Velocidade Consistência

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material

Leia mais

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO 1º Passo - Habilitação Legal A inscrição no Registro de Exportadores e Importadores (REI) da Secretaria de Comércio Exterior constitui condição preliminar

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador.

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador. EXPORTAÇÃO E XPORTAÇÃO Antes de fornecer o preço, é importante analisar os preços de produtos similares praticados no mercado onde está o potencial cliente, exigências técnicas, barreiras tarifárias e

Leia mais

Sistematização das exportações e pagamentos internacionais

Sistematização das exportações e pagamentos internacionais Introdução Sistematização das exportações e pagamentos internacionais Fundamentos de Comércio Exterior Prof. Marco A. Arbex As exportações geram entrada de divisas para o país exportador e saída de divisas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. Institui o Sistema de Exportação - SISEXP -. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE FAZENDA, no uso das atribuições, tendo em vista o disposto no art. 82

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior Decex DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e DúvidasD DECEX CGEX Coordenação-Geral de Mecanismos de Exportação

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo CURSO: Administração DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas,

Leia mais

CIRCULAR Nº Art. 7º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação.

CIRCULAR Nº Art. 7º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. CIRCULAR Nº 2825 Documento normativo revogado pela Circular 3280, de 09/03/2005. Estabelece, altera e sistematiza os procedimentos cambiais relativos às exportações financiadas. A Diretoria Colegiada do

Leia mais

Contrato de Câmbio na Exportação.

Contrato de Câmbio na Exportação. Contrato de Câmbio na Exportação. A Momento da Contratação B Liquidação do contrato de câmbio C Alteração D Cancelamento E Baixa do Contrato de Câmbio F Posição de Câmbio: nivelada, comprada e vendida.

Leia mais

PRÓS E CONTRAS NA TROCA DE MOEDA. Edmilson Milan

PRÓS E CONTRAS NA TROCA DE MOEDA. Edmilson Milan PRÓS E CONTRAS NA TROCA DE MOEDA Edmilson Milan DÓLAR x REAL Eleições 2002 Crise 2008 Janeiro 1999 DÓLAR x YEN DÓLAR x EURO CENÁRIOS FINANCEIROS A construção de cenário pode contemplar, entre outros: Inflação;

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

Drawback. 1. O que é o regime de drawback?

Drawback. 1. O que é o regime de drawback? Drawback 1. O que é o regime de drawback? O drawback é um regime aduaneiro especial que consiste na suspensão, isenção ou restituição dos tributos incidentes nos produtos utilizados no processo produtivo

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO DOCUMENTOS EXIGIDOS NAS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO DISPONIVEL EM: HTTP://WWW.APRENDENDOAEXPORTAR.GOV.BR/SITIO/PAGINAS/COMEXPORTAR/CONTRATOS.HTML No comércio internacional, os documentos desempenham importante

Leia mais

Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO. Prof. Márcio Antoni

Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO. Prof. Márcio Antoni Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Prof. Márcio Antoni Seguros O seguro é uma operação comercial na qual o segurado (exportador ou importador) e segurador (companhia de seguro) formalizam

Leia mais

3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C

3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C 3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria

Leia mais

Aspectos Administrativos Gerais da Importação

Aspectos Administrativos Gerais da Importação Aspectos Administrativos Gerais da Importação Define-se importação como sendo o ato de inserir no país produtos ou serviços oriundos do exterior, sendo que o processo de tal aquisição oportuniza o intercâmbio

Leia mais

Formação de Analista em Comércio Exterior

Formação de Analista em Comércio Exterior Formação de Analista em Comércio Exterior com Pós Graduação Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista de Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento,

Leia mais

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art.

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art. Tributos aduaneiros Os tributos sobre o comércio exterior têm natureza predominantemente extrafiscal, ou seja, de interferência no domínio econômico, com importante papel no desempenho das exportações,

Leia mais

Procedimentos para exportação

Procedimentos para exportação Procedimentos para exportação Fundamentos de Comércio Exterior Prof. 1. Inscrição da empresa em dois cadastros: REI (MDIC/SECEX) e Radar (MF /SRF); 2. Análise mercadológica: avaliação do potencial do mercado

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

O Processo de Importação e Suas Etapas

O Processo de Importação e Suas Etapas O Processo de Importação e Suas Etapas CURSO: Administração / DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004.

Leia mais

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 99 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008(*) Dispõe sobre controle de importações e exportações de substâncias

Leia mais

ÍNDICE. Devolução no ato da entrega...2. Devolução registrada no SAC (exceto falta de mercadoria)...2. Procedimentos para coleta da devolução...

ÍNDICE. Devolução no ato da entrega...2. Devolução registrada no SAC (exceto falta de mercadoria)...2. Procedimentos para coleta da devolução... Processo de Devolução Drogacenter ÍNDICE Devolução no ato da entrega...2 Devolução registrada no SAC (exceto falta de mercadoria)...2 Procedimentos para coleta da devolução...3 Recebimento da mercadoria...3

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior - DEPLA Aspectos Relevantes

Leia mais

Portaria SECEX nº 23/ Tratamento Administrativo. Portaria DECEX nº 08/ Material Usado. Decreto nº 6.759/ Regulamento Aduaneiro

Portaria SECEX nº 23/ Tratamento Administrativo. Portaria DECEX nº 08/ Material Usado. Decreto nº 6.759/ Regulamento Aduaneiro 1 2 Portaria SECEX nº 23/2011 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/1991 - Material Usado Decreto nº 6.759/2009 - Regulamento Aduaneiro 3 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação

Leia mais

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Departamento Internacional

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Departamento Internacional PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. O que é Importação via Correio? A importação via Correios é o serviço que lhe permite comprar/adquirir produtos de qualquer parte do mundo por meio da Internet, de catálogos ou

Leia mais

CARTA CIRCULAR Nº 389

CARTA CIRCULAR Nº 389 Às Instituições Financeiras CARTA CIRCULAR Nº 389 Em conformidade com a Circular nº 492, de 07.01.80, comunicamos que, a partir desta data, as seções 16 12 1, 16 13 2, 16 13 3, 16 13 4, 16 13 5, 16 13

Leia mais

IMPORTAÇÃO DIRETA MAIOR RENTABILIDADE PARA VOCÊ IMPORTAÇÃO DIRETA

IMPORTAÇÃO DIRETA MAIOR RENTABILIDADE PARA VOCÊ IMPORTAÇÃO DIRETA MAIOR RENTABILIDADE PARA VOCÊ A importação direta é a venda direta entre o fornecedor e clientes com a intervenção da Kasvi no processo entre as partes envolvidas, bem como no processo operacional de

Leia mais

TRANSACÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA PERGUNTAS FREQUENTES

TRANSACÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA PERGUNTAS FREQUENTES Fonte site BNA TRANSACÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA PERGUNTAS FREQUENTES 1. Posso efectuar pagamentos em moeda estrangeira para bens ou serviços adquiridos no país? Não. Os pagamentos devidos pela aquisição

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 As importações de vegetais, seus produtos, derivados e partes, subprodutos,

Leia mais

POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA

POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Procedimentos Operacionais Padronizados: POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Revisão Adrianne Paixão Silvia Liane Versão 2.0 Procedimentos Operacionais Padronizados: POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Elaboração/Revisão:

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

1. Acesso ao Agilis Elaborar Prestação de contas Inclusão do Material Permanente Inclusão do Material de Consumo...

1. Acesso ao Agilis Elaborar Prestação de contas Inclusão do Material Permanente Inclusão do Material de Consumo... TUTORIAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DOCENTES SUMÁRIO 1. Acesso ao Agilis...2 2. Elaborar Prestação de contas...3 3. Inclusão do Material Permanente...5 4. Inclusão do Material de Consumo...7 5. Inclusão de Serviços

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO orienta na implantação e desenvolvimento do seu negócio de forma estratégica e inovadora O QUE SÃO PALESTRAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR PORTARIA ALF/SDR Nº 14, de 5 de maio de 2014. Disciplina o atendimento da Seção

Leia mais

Importação Passo a Passo

Importação Passo a Passo 1º Passo Defina o que quer importar Importação Passo a Passo O mercado internacional, principalmente a China, apresenta uma ampla oportunidade de produtos para se importar. Antes de iniciar sua operação

Leia mais

CRIANDO PEDIDO DE COMPRA DE IMPORTAÇÃO

CRIANDO PEDIDO DE COMPRA DE IMPORTAÇÃO CRIANDO PEDIDO DE COMPRA DE IMPORTAÇÃO O ORION permite a criação de notas fiscais de Importação, mas para isso devem ser seguidos alguns procedimentos. O primeiro passo é montar num Pedido de Compra, as

Leia mais

INCOTERMS. (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio)

INCOTERMS. (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio) INCOTERMS INCOTERMS (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio) Servem para definir, dentro da estrutura de um contrato de compra e venda internacional, os direitos e obrigações

Leia mais

BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios

BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios Correios Quem somos? Empresa de administração pública. Missão: Fornecer soluções acessíveis e confiáveis para conectar pessoas,

Leia mais

TERMO DE CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO IMPORTA FÁCIL

TERMO DE CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO IMPORTA FÁCIL TERMO DE CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO IMPORTA FÁCIL 1. OBJETO DO TERMO 1.1. Este TERMO apresenta as condições gerais de prestação dos serviços de entrega desembaraço aduaneiro, consignados

Leia mais

Atividade: Plano de Inicialização de Negócios

Atividade: Plano de Inicialização de Negócios Atividade: Plano de Inicialização de Negócios Etapa 1 Criação e Configuração Criação do Projeto Crie um novo projeto chamado Inicialização de Negócios. Configuração do Projeto Clique na guia Projeto >

Leia mais

REGISTOS CONTABILÍSTICOS

REGISTOS CONTABILÍSTICOS OPERADOR ECONÓMICO AUTORIZADO REGISTOS CONTABILÍSTICOS MAPUTO MARÇO DE 2016 CONTEXTO PRINCIPAIS DISPOSIÇÕES PARA O OEA Legais Acordos Código Aduaneiro CONVENÇÃO DE QUIOTO REVISTA QUADRO SAFE DA OMA Políticas

Leia mais

(61) EQN 102/103, Lote 1 - Asa Norte

(61) EQN 102/103, Lote 1 - Asa Norte DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Entendendo os procedimentos do Drawback, um estímulo a mais para exportar.

Leia mais

Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior

Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior CÂMBIO E POLÍTICA CAMBIAL Câmbio: compra e venda de moedas ou papéis conversíveis. Divisas - São as disponibilidades

Leia mais

Documentos de Instrução no Despacho Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Documentos de Instrução no Despacho Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Documentos de Instrução no Despacho Aduaneiro de Importação Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Documentos de Instrução na Importação A Declaração de Importação (D.I.) será instruída com os seguintes

Leia mais

4. O Chefe do SVA/UVAGRO divulgará em edital, na sede da Unidade, o horário regulamentar para recebimento e entrega de documentos.

4. O Chefe do SVA/UVAGRO divulgará em edital, na sede da Unidade, o horário regulamentar para recebimento e entrega de documentos. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 26, DE 20 DE AGOSTO DE 2010 (*) O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da

Leia mais

www.commex.com.br cursos@commex.com.br

www.commex.com.br cursos@commex.com.br CURSO DE INICIAÇÃO À EXPORTAÇÃO Módulo III www.commex.com.br cursos@commex.com.br 1 SUMÁRIO 1 EXECUÇÃO DO PROCESSO DE EXPORTAÇÃO... 04 1.1 Credenciamento Junto ao SISCOMEX... 04 1.1.1 Usuários do SISCOMEX...

Leia mais

Jose Lopes Vazquez. Comercio. Exterior. Brasileiro. 11- Edigäo

Jose Lopes Vazquez. Comercio. Exterior. Brasileiro. 11- Edigäo Jose Lopes Vazquez Comercio Exterior Brasileiro 11- Edigäo SÄO PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2015 Sumärio Prefacio ä 5 ä edi$äo, xiii Prefdcio ä 2 a edigäo, xv Introdugäo, 1 1 COMERCIO EXTERIOR, 3 1.1 Cenärio

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 16/03/12 As instruções abaixo aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio)

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio) O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas,

Leia mais

Sistemática Convencional x Check List

Sistemática Convencional x Check List 1) Analisa a operação Atualização Crédito Aprovado Proposta contendo as condições de Financiamento: Dados do comprador (CNPJ, endereço, local de instalação,cnae, etc...); CNAE Solicitação de Carta de Finalidade,

Leia mais

SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÃO E RESPONSABILIDADE 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA 6. DESCRIÇÃO DO PROCESSO/ATIVIDADE

SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÃO E RESPONSABILIDADE 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA 6. DESCRIÇÃO DO PROCESSO/ATIVIDADE Aprovado ' Elaborado por Fernando Cianci/BRA/VERITAS em 16/09/2014 Verificado por Mercio Sobrinho em 16/09/2014 Aprovado por Sandro de Luca/BRA/VERITAS em 16/09/2014 ÁREA GFI Tipo Procedimento Regional

Leia mais

Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs

Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs Prezado CAC (Colecionador, Atirador e Caçador), Todo o procedimento abaixo descrito está de acordo com o Decreto Federal Nº 3665 de 20/Nov/2000

Leia mais

Pergunte à CPA. Exportação- Regras Gerais

Pergunte à CPA. Exportação- Regras Gerais 13/03/2014 Pergunte à CPA Exportação- Regras Gerais Apresentação: Helen Mattenhauer Exportação Nos termos da Lei Complementar nº 87/1996, art. 3º, II, o ICMS não incide sobre operações e prestações que

Leia mais

Norma de Procedimento

Norma de Procedimento PREFEITURA DE VITÓRIA Secretaria de Administração Código Assessoria de Planejamento Organizacional Norma de Procedimento 05.38 Assunto PROCEDIMENTO PARA CONCESSÃO DE VALE-TRANSPORTE 1. Finalidade Estabelecer

Leia mais

CHECK LIST DO IMPORTADOR. Passo a passo para começar do zero

CHECK LIST DO IMPORTADOR. Passo a passo para começar do zero CHECK LIST DO IMPORTADOR Passo a passo para começar do zero ÍNDICE 1) Preparando a empresa 2) Pesquisando fornecedores 3) Calculando os custos 4) Fazendo o pedido 5) Controlando a produção 6) Embarcando

Leia mais

Tributos sobre importação

Tributos sobre importação Tributos sobre importação Valor Aduaneiro,é a base de cálculo para apurar o Imposto de Importação e os demais impostos. O valor aduaneiro é composto:: a) A valoração da mercadoria importada, como regra

Leia mais

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI)

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI) 1 Desembaraçada Desembaraço Aduaneiro Deferida Vinculada à DI Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferida Licença de

Leia mais

DESPACHO ADUANEIRO EXPRESSO (LINHA AZUL)

DESPACHO ADUANEIRO EXPRESSO (LINHA AZUL) DESPACHO ADUANEIRO EXPRESSO (LINHA AZUL) 1ª Parte Visão Geral ABRIL 2007 1 Histórico MODELO ANTERIOR (IN 47/2001) MODIFICAÇÕES MODELO ATUAL MODELO FUTURO 2 Linha Azul Atual IN 476/2004 Despacho Aduaneiro

Leia mais

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima Rua Visconde de Inhaúma, 134 Gr 1005 CEP 20094-900 - Centro - Rio de Janeiro RJ Brasil Tel.: (55 21) 3232-5600 Fax.: (55 21) 3232-5619 E-mail: syndarma@syndarma.org.br

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO Administração Regional do Itapoã CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO Gerência de Aprovação e Licenciamento 1 GERÊNCIA DE APROVAÇÃO E LICENCIAMENTO Departamento é responsável por dar encaminhamento ao cidadão

Leia mais

SISCOSERV. A nova obrigação acessória da Receita Federal do Brasil

SISCOSERV. A nova obrigação acessória da Receita Federal do Brasil SISCOSERV SISCOSERV A nova obrigação acessória da Receita Federal do Brasil É o Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzem Variações no Patrimônio das

Leia mais

Controle administrativo no comércio exterior

Controle administrativo no comércio exterior Controle administrativo no comércio exterior O que é o controle administrativo Controle exercido com o objetivo de verificar a consonância da operação pretendida em relação às normas comerciais, técnicas,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS DECRETO N. 1.452, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2.014. "Dispõe sobre a política de benefícios tarifários no transporte coletivo às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, residentes no Município de Dourados,

Leia mais

Renda Fixa. Nota Promissória. Renda Fixa

Renda Fixa. Nota Promissória. Renda Fixa Renda Fixa O produto A (NP), também conhecida como nota comercial ou commercial paper, é um título emitido por companhias com o objetivo de captar recursos, geralmente para financiar seu capital de giro.

Leia mais

1) A finalidade de tornar competitiva a utilização da retroárea de Capuaba para operações de armazenagem de granito em blocos.

1) A finalidade de tornar competitiva a utilização da retroárea de Capuaba para operações de armazenagem de granito em blocos. RESOLUÇÃO 068 27 de outubro de 2008 DISPÕE SOBRE DESCONTO TARIFÁRIO REFERENTE ÀS TABELAS DE ARMAZENAGEM DE CARGA. O DIRETOR-PRESIDENTE DA COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO - CODESA, no uso da atribuição

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA 1. O Que é? O Importa Fácil Ciência é destinado a pesquisadores/entidades de pesquisa cientifica ou tecnológica, devidamente credenciadas no

Leia mais

Comércio Exterior: Interposição Fraudulenta e Regime Aduaneiro Especial de Drawback

Comércio Exterior: Interposição Fraudulenta e Regime Aduaneiro Especial de Drawback Comércio Exterior: Interposição Fraudulenta e Regime Aduaneiro Especial de Drawback Liziane Angelotti Meira AUDITORA FISCAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COSIT/DIVISÃO DE TRIBUTOS SOBRE O COMÉRCIO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 155, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 155, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 155, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1999 Dispõe sobre a utilização de declaração simplificada na importação e na exportação. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL, no uso de suas atribuições

Leia mais