DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES COM JAVA 2EE E UML

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES COM JAVA 2EE E UML"

Transcrição

1 DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES COM JAVA 2EE E UML Jhonattan Vieira do Carmo, Ricardo Ribeiro Rufino Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Resumo. Este artigo tem por objetivo apresentar a plataforma Java 2EE e UML, e a utilização de ambas tecnologias no desenvolvimento de aplicações Java. Contudo, propomos um estudo acerca de ambas plataformas, evidenciando a importância de cada uma delas no desenvolvimento de aplicações computacionais. 1. Introdução Atualmente vivemos em uma sociedade, em que os produtos computacionais se tornaram necessários em nossas atividades cotidianas, diante deste fato, fez-se necessário aprimorar o desenvolvimento de aplicações corporativas, com conceitos e métricas que assegurem a qualidade, segurança e principalmente a integridade das informações geridas pelas aplicações de software. De acordo com Júnior [2002], a plataforma J2EE determina um padrão para o desenvolvimento de aplicações corporativas multicamadas, simplificando o desenvolvimento, através de padrões baseados em componentes, proporcionando um conjunto completo de serviços para esses componentes, e da automação de vários detalhes inerentes ao ambiente corporativo, tais como: Controle Transacional, Ajuste de Performance, Segurança, Escalabilidade e Gerencia de Recursos. Nota-se ainda, que para o desenvolvimento de aplicações corporativas é aconselhável a utilização de um Modelo de Linguagem Unificada (UML), Ahmed et al [2002], ressalta que o emprego da UML proporciona um suporte de modelagem e visualização para todas as fases de desenvolvimento da aplicação, desde a análise das exigências até a especificação, construção e distribuição. Todavia, este artigo propõe um estudo analítico acerca da plataforma J2EE bem como a utilização da UML, para o desenvolvimento de aplicações Web. 2. Metodologia A realização deste artigo foi alcançada através de pesquisa científica, em materiais de consulta como livros e artigos científicos, e que se correlacionam com o tema proposto neste estudo. 3. J2EE O Java 2EE (J2EE) são especificações para acesso a vários serviços de infraestrutura, como distribuição de processamento, controle de transações, comunicação entre camadas, segurança e outros. Essas funcionalidades são implementadas por diversos fornecedores, que buscam ofertar serviços de melhor qualidade e preço competitivos. A Figura 1 apresenta os componentes de aplicação e a relação entre eles. Observe que os

2 componentes Web solicitam aos Enterprise Java Beans a execução da lógica de negócio, como recuperação ou atualização dos dados. As páginas JSP ou Servlets exibem esses dados para o usuário [JÚNIOR, 2003]. Figura 1: Componentes de aplicação J2EE 3.1. Desenvolvimento Web com J2EE O J2EE possibilita aos desenvolvedores se concentrarem no desenvolvimento da lógica corporativa, sem a necessidade de existir um conhecimento detalhado do ambiente de execução e na criação de aplicações, que podem ser portadas com maior facilidade entre as plataformas de hardware e sistemas operacionais, sendo assim, sistemas que seguem a especificação arquitetural do J2EE podem ser portados com facilidade entre diferentes sistemas de hardware e diferentes sistemas operacionais [AHMED et al, 2002] Tecnologias O J2EE oferece suporte total para componentes EJB (Enterprise JavaBeans), JSP (JavaServer Pages), Java Servlet, Conectores, Corba e JDBC. A edição J2EE aborda inúmeras tecnologias, dentre as quais destacam-se: EJB Arquitetura modelo de componentes para o desenvolvimento de aplicações corporativas orientadas a objeto em Java. Composto de API que permite a criação, uso e gerencia de componentes da aplicação, reusáveis em diferentes plataformas. JSP Possibilita a criação de conteúdo dinâmico na web. Uma página JSP é um documento que descreve como processar uma solicitação para criar uma resposta, por meio da combinação de formatos padrões de marcação com ações dinâmicas. Java Servlet API com a função de estender um servidor Web, a partir de módulos de aplicações implementados em Java. Conectores Possibilita a plataforma J2EE seja conectada a sistemas de informação heterogêneos.

3 Corba Suporta a comunicação entre sistemas de forma transparente, através de uma linguagem de definição. JDBC (Java Database Connectivity) Possibilita a integração com bancos de dados relacionais, além de proporcionar uma base comum sobre a qual ferramentas de alto nível e interfaces possam ser construídas [ARAUJO, 2011]. 4. UML O UML é uma linguagem gráfica para visualizar, especificar, construir e documentar os artefatos de uma aplicação computacional. Surgiu na metade da década de 1990, com a unificação dos métodos já existentes, cujo mentores foram Grady Booch, Ivar Jocobson, James Rumbaugh. Considerada líder para a modelagem de sistemas orientados a objetos é amplamente utilizada, apresentando várias ferramentas que a implementam [FRANCE et al, 2001 apud VIEIRA, 2003]. Viera [2003] afirma que a UML não oferece uma receita de bolo e também não mostra quando devem ser criados os diagramas que compõe o modelo, sendo assim, é importante que quando especificados eles sejam consistentes e bem construídos Principais diagramas da UML Existem vários diagramas da UML conforme ilustra a figura 2. DIAGRAMAS UML ESTRUTURAS COMPORTAMENTO PERFIL CLASSES ATIVIDADES CASO DE USO ESTRUTURAS COMPOSTAS COMPONENTES INTERAÇÃO MÁQUINAS DE ESTADOS IMPLANTAÇÃO OBJETOS SEQUÊNCIA COMUNICAÇÃO PACOTES VISÃO GERAL DE INTERAÇÃO TEMPO Figura 2: Diagramas da UML

4 Dentre eles podemos destacar os principais: Diagrama de Caso de Uso: Possibilita a modelagem as interações entre um usuário e uma aplicação. Um caso de uso consiste em um ou mais cenários, que consiste na sequência de passos dados quando um usuário interage com o sistema. Diagrama de Classe: Apresenta diferente objetos dentro de uma aplicação e como esses objetos são associados entre si. O diagrama ilustra os atributos e operações de cada classe dentro do sistema e defini as restrições impostas a essas classes. A notação básica para mostrar uma classe é uma caixa retangular contendo o nome da classe. As notações do diagrama de classes é extensa, as cinco principais são: associações, atributos, operações, generalizações e restrições. Diagrama de Sequência: Utilizado para modelar como as classes interagem umas com as outras, porém não apresenta como as instâncias dessas classes irão interagir em um situação real. Esse diagramas mostram os objetos e as mensagens que se relacionam [BOND et al, 2003] Integração J2EE e UML Ahmed et al [2002], sustenta que qualquer desenvolvedor pode produzir uma parte da aplicação que fara o serviço, por enquanto, mas desenvolver um sistema comercial que seja mantido, dimensionável e pode se desenvolver é uma questão diferente. Atualmente uma aplicação tem que se desenvolver em um ritmo acelerado ou fica obsoleta. É possível sobreviver e prosperar por um tempo codificando, compilando, corrigindo e distribuindo sua aplicação, cedo ou tarde você vai perceber que seu sistema não é capaz de suprir as novas demandas de crescimento, isso ocorre devido a aplicação provavelmente não ter uma arquitetura e não ter designado de modo que pudesse desenvolver facilmente na necessidade das novas exigências. A UML fornece as ferramentas necessárias para fazer a arquitetura e construir aplicações complexas, como os requeridos para uma empresa. As ferramentas de modelagem estão se desenvolvendo em uma direção na qual poderão ser utilizadas para impor métricas de construção consistentes em um modelo de sistema baseado no J2EE e para gerar partes significativas do código fonte executável do sistema [AHMED et al, 2002]. 5. Considerações finais Fica evidente a importância da UML para o desenvolvimento de um produto computacional, pois a partir desta arquitetura, é possível fornecer ferramentas que auxiliem a equipe envolvida no projeto a planejá-lo, definindo um roteiro para estruturação da aplicação a ser desenvolvida, apresentando atributos como, qual a média de tempo gasto, prevendo erros que poderão acontecer no escopo do projeto, contudo, nota-se o aumento da produtividade de toda a equipe, diminuindo custos para manter a aplicação mais consistente e com menor possibilidade de erros em produção. A integração da plataforma J2EE na aplicação, proporciona a mesma, ser portável entre hardwares e sistemas operacionais por utilizar JAVA como base e permite que o desenvolvimento da aplicação possa ser dividida em camadas com funcionalidades especificas, assim aumentando a produtividade. Diante dos benefícios obtidos a partir da integração das arquiteturas apresentadas, torna-se possível implementá-las em um protótipo.

5 6. Referências Bibliográficas Júnior, J. M. R. S. (2002) Ferramenta para Aumento da Produtividade no Desenvolvimento de Aplicações Web sobre a Plataforma J2EE. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Ciências da Computação. Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, Paraíba, Ahmed, K. Z.; Umrysh, C. E. Desenvolvendo Aplicações Comerciais em Java com J2EE e UML. 1 a ed. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, p. Júnior, V. N. P. (2003) Estratégias para a Utilização da Tecnologia J2EE com a Arquitetura de Cinco Camadas. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Ciências da Computação. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Araujo, R. B. (2011) Computação Ubíqua: Princípios, Tecnologias e Desafios. Universidade Federal de S Carlos, São Carlos, São Paulo, Viera, R. (2003) Uso da UML na Especificação do Sistema de Informação da Área de Infraestrutura da UFRGS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Bond, M.; Haywood, D.; Law, D.; Longshaw, A.; Roxburgh, P. Aprenda J2EE com EJB, JSP, SERVLETS, JNDI, JDBC e XML. 1 a ed. São Paulo: Editora Pearson Education, p.

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Requisitos de Sistemas Unidade II - Processos de Negócio Identificação Conceitos Modelagem - BPM - UML Processos x Requisitos 1 Processo de negócio CONCEITO Um processo de negócio, processo organizacional

Leia mais

Introdução. à UML. Histórico (cont.) Histórico Definição Benefícios Notação Diagrama de Classes Diagramas de Interação Conclusões Revisão

Introdução. à UML. Histórico (cont.) Histórico Definição Benefícios Notação Diagrama de Classes Diagramas de Interação Conclusões Revisão Sumário Introdução à UML BSI Bacharelado em Sistemas de Informação LOO Linguagens Orientadas a Objetos Humberto Mossri de Almeida hmossri_cursos@yahoo.com.br Marcelo Nassau Malta nassau_cursos@yahoo.com.br

Leia mais

Notas de Aula 03: Introdução a Orientação a Objetos e a UML

Notas de Aula 03: Introdução a Orientação a Objetos e a UML Notas de Aula 03: Introdução a Orientação a Objetos e a UML Objetivos da aula: Introduzir os conceitos da Orientação à Objetos (O.O) Introduzir os conceitos da UML Relacionar os processos às ferramentas

Leia mais

Arquitetura de Aplicações J2EE. Jorge Fernandes Outubro de 2003

Arquitetura de Aplicações J2EE. Jorge Fernandes Outubro de 2003 Arquitetura de Aplicações J2EE Jorge Fernandes Outubro de 2003 J2EE O que é Como se organiza Como funciona Elementos Arquitetura Típica Componentes de Software Reuso é um processo Publicar interfaces Distribuir

Leia mais

UML. Adriano J. Holanda 21/3/

UML. Adriano J. Holanda 21/3/ UML Adriano J. Holanda 21/3/2016 UML Introdução UML - Unified Modeling Language Linguagem Unificada de Modelagem. Adquiriu maturidade na segunda década de 1990 pela fusão dos métodos e diagramas de Grady

Leia mais

Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web. Prof. Marcelo Roberto Zorzan

Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web Prof. Marcelo Roberto Zorzan História do Java Origem Linguagem desenvolvida pela Sun Microsystems Sintaxe similar ao C++ Inicialmente chamada

Leia mais

MANUAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRABALHO DE CONCLUSAO DE CURSO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MANUAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRABALHO DE CONCLUSAO DE CURSO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRABALHO DE CONCLUSAO DE CURSO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sumário PREFÁCIO...3 MODELO DA DOCUMENTAÇÃO...3 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO...3 1.1. Tema...3 2. DESCRIÇÃO

Leia mais

Guia do Processo de Teste Metodologia Celepar

Guia do Processo de Teste Metodologia Celepar Guia do Processo de Teste Metodologia Celepar Agosto de 2009 Sumário de Informações do Documento Documento: guiaprocessoteste.odt Número de páginas: 11 Versão Data Mudanças Autor 1.0 26/12/07 Criação.

Leia mais

Documento de Arquitetura de Software- SGE

Documento de Arquitetura de Software- SGE Documento de Arquitetura de Software- SGE IFG Autor: Marcelo Roldrin Barros Silva 1. Introdução 1.1 Finalidade Este documento oferece uma visão geral arquitetural abrangente do sistema SGE (Sistema de

Leia mais

UML. Rodrigo Leite Durães.

UML. Rodrigo Leite Durães. UML Rodrigo Leite Durães. rodrigo_l_d@yahoo.com.br O que é Análise de Software? UML: É o estágio de um sistema que captura os requisitos e o domínio do problema, focalizando no que deve ser feito, não

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com SISTEMAS

Leia mais

Diagrama de Casos de Uso

Diagrama de Casos de Uso Diagrama de Casos de Uso Régis Patrick Silva Simão Régis Simão Diagrama de Casos de Uso 1/29 Agenda Introdução Casos de Uso Atores Relacionamento entre Atores e Casos de Uso Relacionamento entre Casos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 15 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 15 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 15 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 08 de Novembro de 2013. Contextualização Nas próximas aula iremos começar a modelar e projetar sistemas

Leia mais

Processo Unificado (PU) Unified Process

Processo Unificado (PU) Unified Process Processo Unificado (PU) Unified Process 10 de junho de 2011 Adonai Canêz One comment Introdução O Processo Unificado (PU) surgiu para realizar o desenvolvimento de software visando a construção de sistemas

Leia mais

Aula 01 Conceito de Banco de Dados e SGBD

Aula 01 Conceito de Banco de Dados e SGBD Aula 01 Conceito de Banco de Dados e SGBD Dado: conjunto de símbolos arranjados a fim de representar a informação fora da mente humana. Elemento de Dado: subconjunto de símbolos que compõem um dado com

Leia mais

LIVRO ENGENHARIA DE SOFTWARE FUNDAMENTOS, MÉTODOS E PADRÕES

LIVRO ENGENHARIA DE SOFTWARE FUNDAMENTOS, MÉTODOS E PADRÕES LIVRO ENGENHARIA FUNDAMENTOS, MÉTODOS E PADRÕES WILSON PADUA PAULA FILHO CAPÍTULO REQUISITOS 1 REQUISITOS TECNICO E GERENCIAL ESCOPO (RASCUNHO) CARACTERISTICAS 2 O que são Requisitos? São objetivos ou

Leia mais

Banco de Dados e Engenharia de Software

Banco de Dados e Engenharia de Software Banco de Dados e Engenharia de Software Agenda Introdução a Banco de Dados Lógica Elementar, Conjuntos e Relações Arquitetura de Banco de Dados Linguagem SQL Modelo conceitual para Banco de Dados Transações

Leia mais

1 Introdução. 1.1 Teoria dos Sistemas 23/4/2010

1 Introdução. 1.1 Teoria dos Sistemas 23/4/2010 1 1 Introdução 1.1 Teoria dos Sistemas 1.2 Constituição dos sistemas 1.3 Natureza dos sistemas 1.4 Parâmetros do sistema 1.5 Descrição de sistemas 1.6 Desafios enfrentados no desenvolvimento 1.7 Perfil

Leia mais

Diagrama de Caso de Uso

Diagrama de Caso de Uso "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Arquitetura de software

Arquitetura de software Arquitetura de software Problema: vamos implementar um clone do compraentrega.com.br Mantém preços atualizados Recebe encomendas e pagamento Recomenda itens a usuários Por onde começamos? Arquitetura =

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 UML Linguagem Unificada de Modelagem Projeto de Software Introdução O que é projeto em software? O termo projeto é um tanto

Leia mais

UML 04. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan.

UML 04. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Faculdade INED UML 04 Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Referências BARBIERI, Carlos. Análise e Programação

Leia mais

Visão Geral da UML. SSC Engenharia de Software I Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2012

Visão Geral da UML. SSC Engenharia de Software I Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2012 Visão Geral da UML SSC 121 - Engenharia de Software I Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2012 Conteúdo Introdução Ferramentas de Apoio Diagramas da UML Elementos Genéricos Material sobre UML

Leia mais

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS. Prof. Fabiano Papaiz IFRN

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS. Prof. Fabiano Papaiz IFRN RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS Prof. Fabiano Papaiz IFRN O RUP recomenda as seguintes práticas que devem ser utilizadas no desenvolvimento de um software: 1. Desenvolver de forma iterativa

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 5ª. Série Programação Distribuída A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido

Leia mais

Desenvolvimento de um sistema de leilão utilizando JavaServer Pages

Desenvolvimento de um sistema de leilão utilizando JavaServer Pages Desenvolvimento de um sistema de leilão utilizando JavaServer Pages Charles Burkhardt Orientador: Prof. Dr. Paulo Rodacki Gomes Roteiro da apresentação Introdução Conceitos Básicos Desenvolvimento do trabalho

Leia mais

Protótipo de Protocolo de Aplicação para Troca de Documentos da Área Extra Judicial. Acadêmico: Fabrício Bento Orientador: Paulo Fernando da Silva

Protótipo de Protocolo de Aplicação para Troca de Documentos da Área Extra Judicial. Acadêmico: Fabrício Bento Orientador: Paulo Fernando da Silva Protótipo de Protocolo de Aplicação para Troca de Documentos da Área Extra Judicial Acadêmico: Fabrício Bento Orientador: Paulo Fernando da Silva Conteúdo Introdução Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Roteirização de veículo para realização de coleta utilizando algoritmo evolucionários

Roteirização de veículo para realização de coleta utilizando algoritmo evolucionários Departamento de Sistemas e Computação FURB Curso de Ciência da Computação Trabalho de conclusão de curso 2014/01 Roteirização de veículo para realização de coleta utilizando algoritmo evolucionários Acadêmico:

Leia mais

Como Modelar com UML 2

Como Modelar com UML 2 Ricardo Pereira e Silva Como Modelar com UML 2 Visual Books Sumário Prefácio... 13 1 Introdução à Modelagem Orientada a Objetos... 17 1.1 Análise e Projeto Orientados a Objetos... 18 1.2 Requisitos para

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SOFTWARE A PARTIR DA ANÁLISE DE REQUISITOS UTILIZANDO A UML

IDENTIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SOFTWARE A PARTIR DA ANÁLISE DE REQUISITOS UTILIZANDO A UML IDENTIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SOFTWARE A PARTIR DA ANÁLISE DE REQUISITOS UTILIZANDO A UML Anderson Fernando dos Santos Graduando em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Faculdades Integradas

Leia mais

Introdução a UML e seus diagramas

Introdução a UML e seus diagramas Introdução a UML e seus diagramas A Unified Modelling Language (UML) é uma linguagem ou notação de diagramas para especificar, visualizar e documentar modelos de software orientados por objetos. O UML

Leia mais

S12 - Software e Engenharia de Software

S12 - Software e Engenharia de Software S12 - Software e Engenharia de Software ENGENHARIA DE SOFTWARE PRESSMAN, 2011 Gilberto Wolff UTFPR Introdução Introdução Introdução Introdução Busquem respostas para: 1. Há diferença entre Software e Programa?

Leia mais

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Elias Ferreira Elaborador por: Prof. Edison A. M. Morais Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

Engenharia de Software I: Introdução. Graduação em Informática 2009 Profa. Itana Gimenes

Engenharia de Software I: Introdução. Graduação em Informática 2009 Profa. Itana Gimenes Engenharia de Software I: Introdução Graduação em Informática 2009 Profa. Itana Gimenes Programa 1. O processo de engenharia de software 2. Engenharia de requisitos 3. Modelagem de sistemas 4. Conceitos

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas (Cont.) Profª Rafaella Matos

Análise e Projeto de Sistemas (Cont.) Profª Rafaella Matos Análise e Projeto de Sistemas (Cont.) Profª Rafaella Matos Modelando classes A dinâmica de troca de mensagens do diagrama de sequência forçará a existência de um relacionamento prévio entre as classes

Leia mais

Java para Desenvolvimento Web Carga Horária: 40 Horas.

Java para Desenvolvimento Web Carga Horária: 40 Horas. Java para Desenvolvimento Web Carga Horária: 40 Horas. PROGRAMAÇÃO AULAS AOS SABADOS: Início : 20/08/2011 - Término: 17/09/2011 Horário: 8:30 as 12:30 13:30 ás 17:30. Pagamento em 6X no cartão ou cheque.

Leia mais

UML. Modelando um sistema

UML. Modelando um sistema UML Modelando um sistema Fases do desenvolvimento de Software Análise de requisitos Análise Projeto Programação Análise de Requisitos Esta fase captura as intenções e necessidades dos usuários do sistema

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

Engenharia de Software Orientada a objetos. Prof. Rogério Celestino dos Santos

Engenharia de Software Orientada a objetos. Prof. Rogério Celestino dos Santos Engenharia de Software Orientada a objetos Prof. Rogério Celestino dos Santos http://sites.google.com/site/rogeriocsaulas/ Estereótipos são uma maneira de destacar determinados componentes do diagrama,

Leia mais

Introdução a Sistemas de Informação

Introdução a Sistemas de Informação Introdução a Sistemas de Informação Orivaldo Santana Jr A partir de slides elaborados por Ivan G. Costa Filho, Fernando Fonseca & Ana Carolina Salgado Graduação 1 Introdução Sistema de Informação (SI)

Leia mais

MANUTENÇÃO DINÂMICA DE MODELOS EM COMPUTAÇÃO SENSÍVEL AO CONTEXTO. PALAVRAS-CHAVE: CEP, Esper, Computação Sensível ao Contexto, SBE.

MANUTENÇÃO DINÂMICA DE MODELOS EM COMPUTAÇÃO SENSÍVEL AO CONTEXTO. PALAVRAS-CHAVE: CEP, Esper, Computação Sensível ao Contexto, SBE. MANUTENÇÃO DINÂMICA DE MODELOS EM COMPUTAÇÃO SENSÍVEL AO CONTEXTO Rodrigo Hernandez SOARES 1 ; Ricardo Couto Antunes da ROCHA 2 PALAVRAS-CHAVE: CEP, Esper, Computação Sensível ao Contexto, SBE. 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

Profª. Juliana Pinheiro Campos ENG10082 Programação II Créditos: Prof. Gustavo Willam Pereira e Prof.

Profª. Juliana Pinheiro Campos   ENG10082 Programação II Créditos: Prof. Gustavo Willam Pereira e Prof. 1 Profª. Juliana Pinheiro Campos E-mail: jupcampos@gmail.com ENG10082 Programação II Créditos: Prof. Gustavo Willam Pereira e Prof. Clayton Vieira Fraga Filho 2 Paradigmas de programação Paradigmas de

Leia mais

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS. Profa. Gislaine Stachissini Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS Profa. Gislaine Stachissini Modelagem de sistemas A fase do desenvolvimento do sistema exige: esforço; dedicação; envolvimento; um único objetivo. Estilo de desenvolvimento

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Resumo Artigo I Desenvolvimento de Aplicações

Leia mais

Diagrama de Componentes e Implantação

Diagrama de Componentes e Implantação Diagrama de Componentes e Implantação Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Booch, G. et al. The Unified Modeling Language User

Leia mais

Arquitetura de sistemas distribuídos

Arquitetura de sistemas distribuídos Arquitetura de sistemas distribuídos 1. Evolução da computação 1.1 Computação centralizada mainframe 1.2 Microcomputadores e redes de computadores 1.3 Sistemas distribuidos 1 Visão geral Na década de 1950:

Leia mais

Introdução Diagrama de Classes Diagrama de Seqüência Diagrama de Atividades. Diagramas UML. Classe, Seqüência e Atividades. Marcio E. F.

Introdução Diagrama de Classes Diagrama de Seqüência Diagrama de Atividades. Diagramas UML. Classe, Seqüência e Atividades. Marcio E. F. Diagramas UML Classe, Seqüência e Atividades Marcio E. F. Maia Disciplina: Engenharia de Software Professora: Rossana M. C. Andrade Curso: Ciências da Computação Universidade Federal do Ceará 15 de maio

Leia mais

3. Engenharia dos requisitos de software

3. Engenharia dos requisitos de software Renato Cardoso Mesquita Departamento de Eng. Elétrica da UFMG renato@cpdee.ufmg.br Engenharia de Software 3. Engenharia dos requisitos de software.......... 3.1. Visão Geral O fluxo de Requisitos reúne

Leia mais

QUESTÕES TESTES. Questão 1. O modelo de ciclo de vida em cascata:

QUESTÕES TESTES. Questão 1. O modelo de ciclo de vida em cascata: QUESTÕES 1. 0 que é domínio da aplicação (ou do problema)? 2. Qual a importância da engenharia de software e como se justificam os custos a ela associados? 3. O que é processo de desenvolvimento de software

Leia mais

Padrão para Especificação de Requisitos de Produto de Multimídia

Padrão para Especificação de Requisitos de Produto de Multimídia Padrão para Especificação de Requisitos de Produto de Multimídia 1 Introdução 1.1 Escopo do documento Sugere-se aqui uma estrutura para a Especificação de Requisitos de Produto de Multimídia (ERPM). Esta

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 12 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 12 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 12 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 29 de Outubro de 2013. Revisão aula passada Modelagem de sistemas Perspectiva externa Perspectiva de iteração

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

RUP Rational Unified Proccess (Processo Unificado da Rational) Equipe WEB Cercomp

RUP Rational Unified Proccess (Processo Unificado da Rational) Equipe WEB Cercomp RUP Rational Unified Proccess (Processo Unificado da Rational) Equipe WEB Cercomp web@cercomp.ufg.br 1. Introdução É um processo proprietário de Engenharia de software criado pela Rational Software Corporation,

Leia mais

Algo+: um app para o auxílio na aprendizagem de programação

Algo+: um app para o auxílio na aprendizagem de programação Algo+: um app para o auxílio na aprendizagem de programação Antônio Márcio Divino 1, Eduardo Júnior da Silva Resende 1, Renan Resende Gusmão Xavier 1, Luciano Vilas Boas Espiridião 1 1 Licenciatura em

Leia mais

Fábio Amado João Maio 33306

Fábio Amado João Maio 33306 Fábio Amado 33637 João Maio 33306 Universidade de Aveiro Especificação, Modelação e Projecto de Sistemas Embutidos 21-11-2009 1. UML - o que é? 2. A Natureza dos Sistemas Embutidos 1. Heterogeneidade 2.

Leia mais

Data Warehouse ETL. Rodrigo Leite Durães.

Data Warehouse ETL. Rodrigo Leite Durães. Data Warehouse ETL Rodrigo Leite Durães rodrigo_l_d@yahoo.com.br Introdução Um dos desafios da implantação de um DW é a integração dos dados de fontes heterogêneas e complexas, padronizando informações,

Leia mais

Software: na visão da ES

Software: na visão da ES Software: na visão da ES É um produto transformador de informações De acordo com a semiótica: dados são símbolos com uma determinada sintaxe e informação são dados com uma determinada semântica Veículo

Leia mais

MODELO DE BANCO DE DADOS RELACIONAL

MODELO DE BANCO DE DADOS RELACIONAL UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO BANCO DE DADOS I MODELO DE BANCO DE DADOS RELACIONAL Profº Erinaldo Sanches Nascimento Objetivos Descrever os princípios básicos

Leia mais

Conceitos Básicos INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO E SUAS APLICAÇÕES

Conceitos Básicos INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO E SUAS APLICAÇÕES FACULDADE DOS GUARARAPES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO E SUAS APLICAÇÕES Conceitos Básicos Prof. Rômulo César romulodandrade@gmail.com romulocesar@faculdadeguararapes.edu.br www.romulocesar.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

Engenharia de Software 2012/3 Aula 5 Modelagem de Sistemas

Engenharia de Software 2012/3 Aula 5 Modelagem de Sistemas Engenharia de Software Engenharia de Software 2012/3 Aula 5 Modelagem de Sistemas Thiago P. da Silva thiagosilva@ufmt.br Agenda Modelagem de Sistemas Modelos de contexto Diagramas de Atividades Modelos

Leia mais

Documento Especificação de Requisitos da Ferramenta de construção de Modelos de Casos de Uso.

Documento Especificação de Requisitos da Ferramenta de construção de Modelos de Casos de Uso. Documento Especificação de Requisitos da Ferramenta de construção de Modelos de Casos de Uso. Objetivo: Construção de uma ferramenta capaz de auxiliar a construção de modelos de casos de uso de sistemas,

Leia mais

Introdução aos Sistemas Corporativos. Prof. Fellipe Aleixo

Introdução aos Sistemas Corporativos. Prof. Fellipe Aleixo Introdução aos Sistemas Corporativos Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Introdução aos Sistemas Corporativos A diferença de um sistema corporativo para um sistema convencional não está na

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 03

Princípios da Engenharia de Software aula 03 Princípios da Engenharia de Software aula 03 Prof.: José Honorato Ferreira Nunes Material cedido por: Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Modelos de processos de software: Evolucionário Tipos

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 6-10/05/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software (Caps. 13 e 14 do

Leia mais

Arquitetura de Software: Sistemas RNA e Ava Edulivre. Ana Claudia Costa, Rharon Maia, Wolgrand Cardoso1

Arquitetura de Software: Sistemas RNA e Ava Edulivre. Ana Claudia Costa, Rharon Maia, Wolgrand Cardoso1 Arquitetura de Software: Sistemas RNA e Ava Edulivre Ana Claudia Costa, Rharon Maia, Wolgrand Cardoso1 Arquitetura de Software Surgiu na década de 80 e hoje é amplamente usado. Permite que projetistas

Leia mais

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação Contatos: E-mail: profanadeinformatica@yahoo.com.br Blog: http://profanadeinformatica.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/anapinf Concurso da Prefeitura São Paulo Curso Gestão de Processos,

Leia mais

CI162: Engenharia de Requisitos 1 o semestre de Profa. Laura Sánchez García

CI162: Engenharia de Requisitos 1 o semestre de Profa. Laura Sánchez García 1 Engenharia de sistemas e Modelagem do negócio Conceitos: O conceito de domínio pode ser estendido para os conceitos de domínio do problema e domínio do negócio. O domínio do problema está associado à

Leia mais

Descrição do Requisito

Descrição do Requisito ANEXO III 1 REQUISITOS TÉCNICOS A SOLUÇÃO deverá atender obrigatoriamente aos requisitos não funcionais e às características técnicas descritos nos itens deste Anexo. Os requisitos não funcionais e técnicos

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE SSC-546 Avaliação de Sistemas Computacionais Profa. Rosana Braga (material profas Rosely Sanches e Ellen F. Barbosa) Agenda Visão Geral de Qualidade Qualidade Aplicada ao Software

Leia mais

Desenvolvimento de Software

Desenvolvimento de Software PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações Total de Páginas:16 Versão: 1.0 Última Atualização: 26/07/2013 Índice

Leia mais

Perfil Formação Acadêmica Experiência Profissional Capacitação Profissional

Perfil Formação Acadêmica Experiência Profissional Capacitação Profissional Programador - DESENVOLVEDOR JAVA Deverá possuir experiência comprovada de pelo menos 01 (um) ano em desenvolvimento de aplicações WEB com J2EE; Conhecimentos em JSP, TagLib, Servlets, Classes Java, linguagem

Leia mais

TESTES DE SOFTWARE Unidade 1 Importância do Teste de Software. Luiz Leão

TESTES DE SOFTWARE Unidade 1 Importância do Teste de Software. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 1.1 - O teste nas fases de vida e de desenvolvimento de um software. 1.2 - O teste na engenharia de sistemas e na engenharia de

Leia mais

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS. Marcelo Henrique dos Santos

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS. Marcelo Henrique dos Santos Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Email: Site: marcelosantos@outlook.com www.marcelohsantos.com.br TECNOLOGIA EM JOGOS

Leia mais

Requisitos. Silvério Sirotheau

Requisitos. Silvério Sirotheau Requisitos Silvério Sirotheau Requisitos O levantamento e análise de requisitos compõem uma parte decisiva da fase de concepção dentro UP. O analista pode e deve utilizar todas as informações disponíveis

Leia mais

Modelagem De Sistemas

Modelagem De Sistemas Modelagem De Sistemas UNIP Tatuapé - SP Aplicações em Linguagem de Programação Prof.Marcelo Nogueira Uma empresa de software de sucesso é aquela que consistentemente produz software de qualidade que vai

Leia mais

Bibliografia. Engenharia de software Ian Sommerville 9ª edição Editora Pearson Prentice Hall - 2011

Bibliografia. Engenharia de software Ian Sommerville 9ª edição Editora Pearson Prentice Hall - 2011 Projeto de Engenharia de Software III Plano de Ensino Tópicos - Análise de requisitos - Modelagem de sistemas - Projeto de arquitetura - Implementação de projeto - Projeto orientado a objeto com UML -

Leia mais

INTEGRAÇÃO DA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO AJAX COM SERVLETS JAVA

INTEGRAÇÃO DA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO AJAX COM SERVLETS JAVA Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 INTEGRAÇÃO DA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO AJAX COM SERVLETS JAVA Everton Coimbra de Araújo 1, Juliano Rodrigo Lamb 2,

Leia mais

Diagramas. Abordaremos agora cada um destes tipos de diagrama: 1. Diagrama Use-Case. 2. Diagrama de Colaboração. 3. Diagrama de Sequência

Diagramas. Abordaremos agora cada um destes tipos de diagrama: 1. Diagrama Use-Case. 2. Diagrama de Colaboração. 3. Diagrama de Sequência Diagramas Os diagramas utilizados pela UML são compostos de nove tipos: diagrama de use case, de classes, de objecto, de estado, de sequência, de colaboração, de actividade, de componente e o de instalação/execução.

Leia mais

Unidade IV MODELAGEM DE. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade IV MODELAGEM DE. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade IV MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Análise Orientada a Objetos Análise, Definição e Especificação de Requisitos Modelagem de Casos de Uso

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SOFTWARE

ESPECIFICAÇÃO DE SOFTWARE ESPECIFICAÇÃO DE SOFTWARE Integrantes do grupo: Joel Edu Sánchez Castro Fernando Hattori Miguel Angel Galarreta Valverde Felipe Martins dos Santos 1 SUMÁRIO DESCRIÇÃO...3 REQUISITOS...3 REQUISITOS FUNCIONAIS

Leia mais

Diagrama de Componentes. Análise Orientada a Objetos

Diagrama de Componentes. Análise Orientada a Objetos Diagrama de Componentes Análise Orientada a Objetos Diagramas de arquitetura Diagramas de arquitetura (ou estrutura) permitem A descrição física do software: Os diagramas de componentes são usados para

Leia mais

Aplicações Web com Servlets e JSP

Aplicações Web com Servlets e JSP J550 Desenvolvimento de Aplicações Web com Servlets e JSP Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Objetivos Este curso explora os recursos da linguagem Java para o desenvolvimento de aplicações Web Tem

Leia mais

O que é um sistema distribuído?

O que é um sistema distribuído? Disciplina: Engenharia de Software 4 Bimestre Aula 1: ENGENHARIA DE SOFTWARE DISTRIBUÍDO O que é um sistema distribuído? Segundo Tanenbaum e Steen (2007) um sistema distribuído é uma coleção de computadores

Leia mais

TS04. Teste de Software PLANOS DE TESTE. COTI Informática Escola de Nerds

TS04. Teste de Software PLANOS DE TESTE. COTI Informática Escola de Nerds TS04 Teste de Software PLANOS DE TESTE COTI Informática Escola de Nerds 1. PLANOS DE TESTE. Tipos de Testes de Software Teste Funcional Uma especificação funcional é uma descrição do comportamento esperado

Leia mais

Bruno Ribeiro da Silva. A adaptação de um sistema operacional para a execução em uma diferente arquitetura

Bruno Ribeiro da Silva. A adaptação de um sistema operacional para a execução em uma diferente arquitetura Bruno Ribeiro da Silva A adaptação de um sistema operacional para a execução em uma diferente arquitetura Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, Fevereiro de 2007 1 Bruno Ribeiro da Silva

Leia mais

UML Diagramas. UML define 9 (nove) diagramas: Diagramas de Interações

UML Diagramas. UML define 9 (nove) diagramas: Diagramas de Interações Diagramas define 9 (nove) diagramas: Diagrama de Classes Diagrama de Objetos Diagrama de Casos de Uso Diagrama de Sequência Diagrama de Colaboração Diagrama de Atividades Diagramas de Interações Diagrama

Leia mais

Estudo de viabilidade para o desenvolvimento de jogos em Java 3D em ambiente web

Estudo de viabilidade para o desenvolvimento de jogos em Java 3D em ambiente web Estudo de viabilidade para o desenvolvimento de jogos em Java 3D em ambiente web Universidade Estadual do Oeste do Paraná Unioeste Charles Giovane de Salles Bolsista: PET-MEC/SESu Ciência da Computação

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EVER SANTORO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EVER SANTORO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EVER SANTORO EVER SANTORO DBA Oracle e desenvolvedor Java Processamento de dados MBA em Gestão Empresarial Mestre em Engenharia da Produção DBA Oracle desde 2001 Sun Certified

Leia mais

Tópicos da Aula. Diretrizes Gerais. Trabalho Prático (TP) Pontuação do TP. Tema do Trabalho. Projeto de Software Diagrama de Classes

Tópicos da Aula. Diretrizes Gerais. Trabalho Prático (TP) Pontuação do TP. Tema do Trabalho. Projeto de Software Diagrama de Classes Engenharia de Software Aula 09 Tópicos da Aula Projeto de Software Revisão de orientação a objetos Projeto orientado a objetos Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo dcc603@gmail.com 04

Leia mais

A GESTÃO EM SUAS MÃOS FERRAMENTA DE ANÁLISE DE RISCOS

A GESTÃO EM SUAS MÃOS FERRAMENTA DE ANÁLISE DE RISCOS A GESTÃO EM SUAS MÃOS FERRAMENTA DE ANÁLISE DE RISCOS SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. SOFTWARE 3. PROCESSO FERRAMENTAS 4. SUMÁRIO EXECUTIVO 5. RELATÓRIO PROJETO INTEGRADO 6. FUNCIONALIDADES 7. CONTATO 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho

Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Muitos são os desafios encontrados

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

O Processo Unificado: Workflow de Análise. Graduação em Informática Profa. Dra. Itana Maria de Souza Gimenes 2009

O Processo Unificado: Workflow de Análise. Graduação em Informática Profa. Dra. Itana Maria de Souza Gimenes 2009 O Processo Unificado: Workflow de Análise Graduação em Informática Profa. Dra. Itana Maria de Souza Gimenes 2009 Workflow de Análise Objetivos da análise: manter uma especificação precisa dos requisitos

Leia mais

Arquitetura da Aplicação Web

Arquitetura da Aplicação Web Linguagem de Programação para Web Arquitetura da Aplicação Web Prof. Mauro Lopes 1-31 24 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta

Leia mais

Primeiramente assista ao vídeo sobre uso da tecnologia Java. Está em inglês, mas mesmo aqueles que não dominam a linguagem vão entender a ideia.

Primeiramente assista ao vídeo sobre uso da tecnologia Java. Está em inglês, mas mesmo aqueles que não dominam a linguagem vão entender a ideia. DIA 7. Java não é só uma linguagem. Java é uma tecnologia. Se você aprender bem a linguagem C++, por exemplo, não há mais nada que precise saber (incluindo a orientação a objeto). Mas se você aprender

Leia mais

Engenheiros de software (algumas vezes conhecidos no mundo da TI como engenheiros de sistemas ou analistas ) e outros interessados no projeto

Engenheiros de software (algumas vezes conhecidos no mundo da TI como engenheiros de sistemas ou analistas ) e outros interessados no projeto ... definem tarefas que levam a um entendimento de qual ser ao impacto do software sobre o negócio, o que o cliente quer e como os usuários finais irão interagir com o software. (Pressman, 2011) Prof.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS Emanuel M. Godoy 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil godoymanel@gmail.com,

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 26 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 26-21/07/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

As 10 Áreas da Engenharia de Software, Conforme o SWEBOK Prof. Elias Ferreira

As 10 Áreas da Engenharia de Software, Conforme o SWEBOK Prof. Elias Ferreira As 10 Áreas da Engenharia de Software, Conforme o SWEBOK Prof. Elias Ferreira Educação de iniciação profissional validada e legitimada pela sociedade Registro da adequação à prática através de certificação

Leia mais

Executa em qualquer plataforma que possua o Java (JDK) da Oracle

Executa em qualquer plataforma que possua o Java (JDK) da Oracle Recurso Benefícios Multiplataforma Executa em qualquer plataforma que possua o Java (JDK) da Oracle Utiliza base de dados Oracle, Microsoft SQL ou MySql Utiliza os principais bancos de dados de mercado

Leia mais