CQ049 FQ Eletroquímica.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CQ049 FQ Eletroquímica."

Transcrição

1 CQ049 FQ Eletroquímica prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros

2 A Eletroquímica pode ser dividida em duas áreas: Iônica: Está relacionada com os íons em solução e os líquidos iônicos que são formados a partir da fusão de sólidos compostos por íons; Eletródica: Relacionada com os fenômenos que ocorrem na interface entre o eletrodo e o eletrólito, além do estudo da transferência de carga nesta região;

3 Bibliografia Bibliografia Básica: 1. Bard, A.J.; Faukner, L.R. Electrochemical Methods: Fundamental and Applications, 2nd ed. Wiley, Bockris, J.O.M.; Reddy, A.K.N.; Gamboa-Aldeo, M.A. Modern Electrochemistry 2ª: Fundamentals of Electrodics, 2nd ed. Kluwer Academ. Publis Brett, C.M.A.; Brett, A.M.O. Electrochemistry, Principles, Methods and Applications, Oxford Uni Press, Atkins, P.W. Fisico-Química, 6ª ed. LTC, 1997.

4 eletroquímica Zn + Cu 2+ Cu + Zn 2+ Não há reação Zn Cu 2+ A reação eletroquímica ocorre se o elétron é transferido de um orbital de alta energia para outro vazio de energia menor, similarmente ao descrito para a espontaneidade de processos envolvendo a energia livre de Gibbs.

5 Espontaneidade de reações eletroquímicas redução A + e - A - oxidação A A + + e - G = G + RT ln Q G = nfe nfe = nfe + RT ln a P a R E = E RT nf ln a P a R a = γ C

6 potencial padrão G = G + RT ln Q E = E RT nf ln [produtos] [reagentes] Com o potencial padrão, temos um valor de referência para as reações redox. Por definição é considerado o padrão de redução

7 eletroquímica

8 células voltaicas Cu 2+ (C, mol L -1 ) Cu Zn Zn 2+ (C, mol L -1 ) Zn (s) + Cu 2+ (aq) Zn 2+ (aq) + Cu (s) E o = 1,1 V E cela = E cat E ano

9 células voltaicas Trabalhando com a pilha Zn/Cu: Encontrando as semi-reações padrão: Zn 2+ (aq) + 2e - Zn (s) Cu 2+ (aq) + 2e - Cu (s) E o = -0,76 V E o = +0,34 V Invertendo a ordem para a reação de oxidação: Zn o (s) Zn 2+ (aq) + 2e - E o = +0,76 V Cu 2+ (aq) + 2e - Cu (s) E o = +0,34 V E = E RT nf ln Zn2 + Cu 2 + Finalmente: No equilíbrio E = 0 Zn (s) + Cu 2+ (aq) Zn 2+ (aq) + Cu (s) E o = 1,1 V 0 = E RT nf ln Zn2 + eq Cu 2 + eq Que seria similar a: E CELA = 0.34 (-0,76) = 1,1 V lnk = nfe RT

10 células voltaicas Exemplo: Encontre as semi-reações, indique o catodo e o anodo, encontre a equação de Nernst correspondente, estime e discuta o valor da constante de equilíbrio da pilha Cu/Ag mostradas acima.

11 pilhas de concentração Como descrito pela equação de Nernst, o potencial de uma célula é dependente das concentrações das espécies em cada cela. Desta forma, é possível se construir uma pilha utilizando os mesmos materiais, porém em concentrações diferentes. Por exemplo, considere a situação abaixo, onde em ambos compartimentos da pilha é encontrado o sistema Cu/Cu 2+ : E = E RT nf ln [produtos] [reagentes] Cu e - Cu E o = 0,34 V Eletrodo de cobre metálico Eletrodo de cobre metálico E M = 0,34 0,012 ln 1 0,75 E V = 0,34 0,012 ln 1 0,15 = 0,336 V = 0,317 V M 0,75 M Cu 2+ V 0,15 M Cu 2+ E CELA = E CAT E ANO E CELA = 0,336 0,317 = 0,019 V

12 Catodo / Anodo Eletrólise do NaCl (l)

13 Eletrólise Eletrólise do NaCl (aq) Eletrólise do Na 2 SO 4(aq)

14 células eletrolíticas Nas células voltaicas (ou galvânicas) ocorre uma reação eletroquímica espontânea, gerando eletricidade. Como vimos, estas reações são diretamente relacionadas com a diferença energética (potencial) entre as espécies que são oxidadas e as que são reduzidas; Nas células eletrolíticas, utilizamos a energia elétrica gerada pelas células voltaicas para realizar processos que não ocorrem espontaneamente. Eletrólise de uma solução de KI. No catodo temos a redução da água, formando ions OH -, como indicados pela fenolftaleína. No anodo a coloração se deve à formação de I 2.

15 Faraday Michael Faraday

16 Exemplo de Eletrólise

17 Introdução De maneira geral, eletroquímica é um ramo da Química que está relacionada com a relação entre a eletricidade e os efeitos químicos da mesma. Embora o principal tema a ser desenvolvido esteja relacionado com a geração e transformação de energia, alguns tópicos importantes devem ser mencionados: Eletroforese Corrosão Eletroanalítica Eletrodeposição Química Verde Síntese orgânica eletroquímica

18 Células e reações eletroquímicas Em sistemas eletroquímicos, estamos interessados nos processos e fatores que afetam o transporte de carga (elétrons) através de interfaces (regiões de diferentes fases químicas). Por exemplo: a transferência de carga entre um condutor eletrônico (eletrodo) e um condutor iônico (eletrólito). Nomenclatura: Eletrodo: metal imerso em uma solução eletrolítica As barras indicam uma interface:

19 Células e reações eletroquímicas E cela = E cat - E ano Cu 2+ (C, mol L -1 ) Cu Zn Zn 2+ (C, mol L -1 )

20 Eletrodo padrão de hidrogênio (EPH) V O NHE é o eletrodo de referência primário internacionalmente reconhecido: H + (aq) + 1e - ½ H 2(g) E = 0V Ag (s) +Cl - (aq) AgCl (s) + 1 e - E =? E CELA = E CATODO E ANODO Valor constante Assim, qualquer variação de potencial medido na cela será devido às mudanças ocorridas em apenas uma das semi-reações, o eletrodo de interesse, também chamado de eletrodo de trabalho; Por definição, as atividades dos componentes do NHE é igual a 1: Pt / H 2 (a=1) / H + (a=1) E NHE = 0 V Dizemos que observamos ou controlamos o potencial do eletrodo de trabalho em relação ao eletrodo de referência; Por limitações experimentais, outros eletrodos de referência são facilmente encontrados;

21 Eletrodos de Referência eletrodo de vidro (ph) Ag/AgCl/Cl - (sat) Hg/Hg 2 Cl 2 /Cl - (sat) 0 0,197 V 0,242 V NHE Ag/AgCl ECS Equilíbrio entre E = E RT nf ln a P a R Potenciais dos eletrodos medidos em relação ao NHE

22 Eletrodos de Referência Uma vez que Ag e AgBr são sólidos de atividade igual a 1, a atividade do Br - pode ser calculada através da sua concentração em solução (1 mol L -1 ), pela Eq. De Nernst; E = E 0 RT/nF ln a(br - ) AgBr + e - Ag + Br- E 0 = V vs. NHE Pela fonte externa (potenciostato), podemos alterar o nível energético na superfície do eletrodo: (i) Negativamente: (sobre a Pt) 2 H + + 2e - H 2 (no outro eletrodo) Ag Ag + + 1e - Ag + + Br - AgBr (ii) Positivamente: (sobre a Pt) 2 Br - Br 2 + 2e - (no outro eletrodo) AgBr + e - Ag + Br - eixos invertidos!!! Se as correntes não forem elevadas, não haverá uma alteração drástica na [Br - ], desta forma, o potencial deste eletrodo é praticamente constante.

23 Células Eletroquímicas célula de dois eletrodos célula de três eletrodos UMEs

24 Células Eletroquímicas

25 Fatores que afetam a reação na superfície do eletrodo Considerando uma reação geral, mostrada abaixo, que ocorre na superfície do eletrodo: O + ne R Alguns fatores devem ser levados em consideração para que a reação possa ocorrer: 1. Transporte de massa; 2. Transferência de elétrons na superfície do eletrodo; 3. Reações químicas intermediárias; 4. Reações de interface, como adsorção e dessorção.

QUÍMICA ELETROANALÍTICA

QUÍMICA ELETROANALÍTICA QUÍMICA ELETROANALÍTICA A química Eletroanalítica compreende um conjunto de métodos analíticos qualitativos e quantitativos baseados nas propriedades elétricas de uma solução contendo o analito quando

Leia mais

ELETROQUÍMICA. 1. Introdução

ELETROQUÍMICA. 1. Introdução ELETROQUÍMICA 1. Introdução Em geral, uma célula eletroquímica é um dispositivo em que uma corrente elétrica o fluxo de elétrons através de um circuito é produzida por uma reação química espontânea ou

Leia mais

ELETROQUÍMICA. paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs. Profª Loraine Jacobs DAQBI

ELETROQUÍMICA. paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs. Profª Loraine Jacobs DAQBI lorainejacobs@utfpr.edu.br paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs Profª Loraine Jacobs DAQBI BALANCEAMENTO DE EQUAÇÕES Equações de Oxi-Redução contendo íons: Balancear a equação: Semi-Reações Utilizadas

Leia mais

Trataremos da lei limite de Debye-Hückel e definiremos as células

Trataremos da lei limite de Debye-Hückel e definiremos as células Aula: 4 Temática: Células Eletroquímicas eletroquímicas. Trataremos da lei limite de Debye-Hückel e definiremos as células. Lei limite de Debye-Hückel O modelo proposto do fim da aula passada acerca da

Leia mais

Eletroquímica. Profa. Marcia Margarete Meier. Disciplina de Química Geral Profa. Marcia Margarete Meier

Eletroquímica. Profa. Marcia Margarete Meier. Disciplina de Química Geral Profa. Marcia Margarete Meier Eletroquímica 1 Células voltaicas ou galvânica A energia liberada em uma reação de oxi-redução espontânea é usada para executar trabalho elétrico. Células voltaicas ou galvânicas são aparelhos nos quais

Leia mais

Eletrólise é a parte da eletroquímica que estuda a transformação de energia elétrica em energia química. ENERGIA

Eletrólise é a parte da eletroquímica que estuda a transformação de energia elétrica em energia química. ENERGIA AULA 19 ELETRÓLISE Eletrólise é a parte da eletroquímica que estuda a transformação de energia elétrica em energia química. ENERGIA não espontâneo ELÉTRICA ENERGIA QUÍMICA A eletrólise é um processo não

Leia mais

Química. Eletroquímica

Química. Eletroquímica CIC Colégio Imaculada Conceição Química Eletroquímica Msc. Camila Soares Furtado Couto Eletrólise Inverso da Pilha; Reação de oxi-redução que é provocada pela corrente elétrica; Não espontânea!!!! Eletrólise

Leia mais

Células eletrolíticas são mecanismos que provocam uma reação não espontânea de oxi-redução pelo fornecimento de energia elétrica ELETRÓLISE ÍGNEA

Células eletrolíticas são mecanismos que provocam uma reação não espontânea de oxi-redução pelo fornecimento de energia elétrica ELETRÓLISE ÍGNEA ELETRÓLISE Células eletrolíticas são mecanismos que provocam uma reação não espontânea de oxi-redução pelo fornecimento de energia elétrica ELETRÓLISE ÍGNEA É o processo de decomposição de uma substância

Leia mais

Eletrólise Eletrólise de soluções aquosas

Eletrólise Eletrólise de soluções aquosas Eletrólise de soluções aquosas As reações não espontâneas necessitam de uma corrente externa para fazer com que a reação ocorra. As reações de eletrólise são não espontâneas. Nas células voltaicas e eletrolíticas:

Leia mais

Carga total transportada por um mol de elétrons, denominada constante de Faraday (F)

Carga total transportada por um mol de elétrons, denominada constante de Faraday (F) AULA 6 FÍSICO-QUÍMICA ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES ELETROQUÍMICAS E CÉLULAS A COMBUSTÍVEL DATA: 16/10/2015 1) ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES ELETROQUÍMICAS PROF. ANA É possível prever a massa de substância formada

Leia mais

Físico-Química. Eletroquímica Prof. Jackson Alves

Físico-Química. Eletroquímica Prof. Jackson Alves Físico-Química Eletroquímica Prof. Jackson Alves 1. Pilhas Processo espontâneo de conversão de energia química em energia elétrica. Observe o esquema a seguir: Lâmina de zinco Semicela Zn / Zn 2+ ponte

Leia mais

Eletroquímica: Pilha e Eletrólise

Eletroquímica: Pilha e Eletrólise Eletroquímica: Pilha e Eletrólise Enem 15 semanas 1. O trabalho produzido por uma pilha é proporcional à diferença de potencial (ddp) nela desenvolvida quando se une uma meia-pilha onde a reação eletrolítica

Leia mais

QUIMICA I. Eletroquímica. Profa. Eliana Midori Sussuchi

QUIMICA I. Eletroquímica. Profa. Eliana Midori Sussuchi QUIMICA I Eletroquímica Profa. Eliana Midori Sussuchi Reações de oxiredução O Zn adicionado ao HCl produz a reação espontânea Zn(s) + 2H + (aq) Zn 2+ (aq) + H 2 (g). O número de oxidação do Zn aumentou

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA Aulas de Apoio Química 3ª Série Eletroquímica II 1.

Leia mais

Aula EQUILÍBRIO DE OXIDAÇÃO E REDUÇÃO METAS

Aula EQUILÍBRIO DE OXIDAÇÃO E REDUÇÃO METAS EQUILÍBRIO DE OXIDAÇÃO E REDUÇÃO METAS Apresentar a definição de oxidação e redução; apresentar a definição e classificação de celula eletroquímica; apresentar a equação de nernst; apresentar outros equilíbrios

Leia mais

André Silva Franco ASF Escola Olímpica de Química Julho de 2011

André Silva Franco ASF Escola Olímpica de Química Julho de 2011 André Silva Franco ASF Escola Olímpica de Química Julho de 2011 Semirreações Reações de redução e oxidação sempre ocorrem juntas! Configuram, portanto, um par redox Apresentam os elétrons; configuram uma

Leia mais

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 27 ELETROQUÍMICA: ÍGNEA E AQUOSA

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 27 ELETROQUÍMICA: ÍGNEA E AQUOSA QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 27 ELETROQUÍMICA: ÍGNEA E AQUOSA bateria + _ ânodo + cátodo - e - e oxidação redução Formação de gás cloro no ânodo (não há deposição) Na + - Cl cloreto de sódio fundido Formação

Leia mais

E cel = E catodo - E anodo E cel = 0,337 ( 0,763) E cel = 1,100 V. ZnSO 4(aq) 1,0 mol L -1 CuSO 4(aq) 1,0 mol L -1

E cel = E catodo - E anodo E cel = 0,337 ( 0,763) E cel = 1,100 V. ZnSO 4(aq) 1,0 mol L -1 CuSO 4(aq) 1,0 mol L -1 QMC5351 Química Analítica Instrumental POTENCIOMETRIA Análise Potenciométrica Conceitos Iniciais CÉLULA ELETROQUÍMICA sistema onde dois eletrodos, cada um deles imerso em uma solução eletrolítica (interligadas

Leia mais

01) O elemento X reage com o elemento Z, conforme o processo: Nesse processo: Z 3 + X Z 1 + X 2. b) X ganha elétrons de Z. d) X e Z perdem elétrons.

01) O elemento X reage com o elemento Z, conforme o processo: Nesse processo: Z 3 + X Z 1 + X 2. b) X ganha elétrons de Z. d) X e Z perdem elétrons. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: TURMA(S): 2º anos

Leia mais

Reacções de Oxidação-Redução

Reacções de Oxidação-Redução Reacções de Oxidação-Redução Há transferência de electrões entre espécies reagentes, com variação do número de oxidação de elementos dessas espécies. Regras simples para determinar o número de oxidação

Leia mais

CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO

CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO Princípios de Eletroquímica Prof. Dr. Artur de Jesus Motheo Departamento de FísicoF sico-química Instituto de Química de são Carlos Universidade de São Paulo 1 Princípios de

Leia mais

Exercício 3: (PUC-RIO 2007) Considere a célula eletroquímica abaixo e os potenciais das semi-reações:

Exercício 3: (PUC-RIO 2007) Considere a célula eletroquímica abaixo e os potenciais das semi-reações: Exercício 1: (PUC-RIO 2008) O trabalho produzido por uma pilha é proporcional à diferença de potencial (ddp) nela desenvolvida quando se une uma meia-pilha onde a reação eletrolítica de redução ocorre

Leia mais

Professor: Alfênio. 06- A ilustração a seguir ilustra a eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de cobre (II).

Professor: Alfênio. 06- A ilustração a seguir ilustra a eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de cobre (II). Professor: Alfênio 01- (MACK-SP) Na eletrólise ígnea de NaCl, verifica-se que: a) no cátodo, deposita-se sódio metálico. b) no ânodo, ocorre redução. c) no cátodo, ocorre oxidação. d) no ânodo, há deposição

Leia mais

Aula 7 EQUILÍBRIO QUÍMICO. Kleber Bergamaski

Aula 7 EQUILÍBRIO QUÍMICO. Kleber Bergamaski Aula 7 EQUILÍBRIO QUÍMICO META Apresentar os principais conceitos envolvidos no equilíbrio eletroquímico, mostrando as relações entre energia de Gibbs e potencial da pilha/célula. Compreender e ser capaz

Leia mais

Eletroquímica e Termodinâmica

Eletroquímica e Termodinâmica Eletroquímica e Termodinâmica Podemos relacionar a variação de energia livre de Gibbs de uma reação e a diferença de potencial da pilha através da seguinte equação: G(reação) = - nfe O potencial da célula

Leia mais

Assunto: Eletroquímica Folha 4.1 Prof.: João Roberto Mazzei

Assunto: Eletroquímica Folha 4.1 Prof.: João Roberto Mazzei 01. (UEL 2009) A clássica célula galvânica ou pilha de Daniel é representada por: Zn (s) / Zn +2 (aq) / / Cu +2 (aq) / Cu (s) No laboratório de uma escola, o professor e seus alunos fizeram duas alterações

Leia mais

Química 12º Ano. Uma reacção de oxidação-redução, ou reacção redox, é uma reacção em. variação dos números de oxidação de alguns elementos.

Química 12º Ano. Uma reacção de oxidação-redução, ou reacção redox, é uma reacção em. variação dos números de oxidação de alguns elementos. Química 12º Ano Uma reacção de oxidação-redução, ou reacção redox, é uma reacção em que há transferência total ou parcial de electrões, como se verifica pela variação dos números de oxidação de alguns

Leia mais

Velocidade inicial (mol L -1 s -1 ) 1 0,0250 0,0250 6,80 x ,0250 0,0500 1,37 x ,0500 0,0500 2,72 x 10-4.

Velocidade inicial (mol L -1 s -1 ) 1 0,0250 0,0250 6,80 x ,0250 0,0500 1,37 x ,0500 0,0500 2,72 x 10-4. P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 31/05/14 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Dados gerais: G = - n F E G = G o + RT Q ΔE RT ΔE nf Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 30/11/13

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 30/11/13 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 30//3 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 0,0 Constantes e equações: F = 96500 C mol - 273,5 K

Leia mais

RESUMO DE ELETROQUÍMICA.

RESUMO DE ELETROQUÍMICA. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2 anos TURMA(S):

Leia mais

SISTEMAS REDOX. OXIDAÇÃO: perda de elétrons por parte de uma espécie REDUÇÃO : fixação (ganho) de elétrons por parte de uma espécie

SISTEMAS REDOX. OXIDAÇÃO: perda de elétrons por parte de uma espécie REDUÇÃO : fixação (ganho) de elétrons por parte de uma espécie SISTEMAS REDOX REAÇÃO REDOX: são aqueles processos químicos que envolvem TRANSFERÊNCIA (troca) DE ELÉTRONS de uma molécula, átomo ou íon para outro reagente. OXIDAÇÃO: perda de elétrons por parte de uma

Leia mais

AULA 18 Eletroquímica

AULA 18 Eletroquímica AULA 18 Eletroquímica A eletroquímica estuda as reações nas quais ocorrem transferência de elétrons (reações de óxido-redução) e o seu aproveitamento prático para converter energia química em energia elétrica

Leia mais

Resumo de Química: Pilhas e eletrólise

Resumo de Química: Pilhas e eletrólise Resumo de Química: Pilhas e eletrólise Número de oxidação (NOX) Nox fixo:1a(+1), 2A (+2), Al +3, Zn +2 e Ag + Nox usual: Hidrogênio (+1), exceto nos hidretos metálicos (-1) e Oxigênio (-2), exceto nos

Leia mais

P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 19/11/11

P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 19/11/11 P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 19/11/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados gerais: G = - n F E G = G o + RT ln Q F = 96500

Leia mais

Apresentar as aplicações e os conjuntos de conceitos que envolvem os estudos de soluções eletrolíticas e aplicá-los a sistemas eletroquímicos.

Apresentar as aplicações e os conjuntos de conceitos que envolvem os estudos de soluções eletrolíticas e aplicá-los a sistemas eletroquímicos. eletroquímica Meta Apresentar as aplicações e os conjuntos de conceitos que envolvem os estudos de soluções eletrolíticas e aplicá-los a sistemas eletroquímicos. Objetivos Ao final desta aula, o aluno

Leia mais

PILHAS ELETROQUÍMICAS

PILHAS ELETROQUÍMICAS PILHAS ELETROQUÍMICAS As pilhas eletroquímicas são dispositivos capazes de produzir energia elétrica à custa de uma reação redox espontânea. Como as primeiras pilhas foram construídas por Galvani e Volta,

Leia mais

é uma alteração química onde matéria (um reagente ou reagentes) se convertem em uma nova substância ou substâncias (um produto ou produtos).

é uma alteração química onde matéria (um reagente ou reagentes) se convertem em uma nova substância ou substâncias (um produto ou produtos). REAÇÕES QUÍMICAS Reação Química é uma alteração química onde matéria (um reagente ou reagentes) se convertem em uma nova substância ou substâncias (um produto ou produtos). é um fenômeno onde os átomos

Leia mais

EleELETROQUÍMICA (Parte I)

EleELETROQUÍMICA (Parte I) EleELETROQUÍMICA (Parte I) I INTRODUÇÃO A Eletroquímica é responsável pela explicação dos fenômenos que envolvem a transferência de elétrons. Esses fenômenos são de grande importância cotidiana, pois através

Leia mais

Conhecer como as reações de oxirredução podem ser usadas para produzir um dispositivo de geração de energia.

Conhecer como as reações de oxirredução podem ser usadas para produzir um dispositivo de geração de energia. ELETROQUÍMICA Aula 9 META Conhecer como as reações de oxirredução podem ser usadas para produzir um dispositivo de geração de energia. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: introduzir alguns conceitos

Leia mais

b) Os elétrons fluem do ânodo para o cátodo, ou seja, do eletrodo de crômio para o eletrodo de estanho.

b) Os elétrons fluem do ânodo para o cátodo, ou seja, do eletrodo de crômio para o eletrodo de estanho. 01 a) Polo negativo corresponde ao ânodo, onde ocorre a oxidação: Cr (s) Cr 3+ (aq) + 3e - Polo positivo corresponde ao cátodo, onde ocorre a redução: Sn +2 ( aq) + 2e - Sn (s) b) Os elétrons fluem do

Leia mais

O ALUNO DEVERÁ VIR PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO COM A LISTA PRONTA PARA TIRAR DÚVIDAS.

O ALUNO DEVERÁ VIR PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO COM A LISTA PRONTA PARA TIRAR DÚVIDAS. Lista de exercícios para a prova de recuperação final 2º ano EM Conteúdo. O ALUNO DEVERÁ VIR PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO COM A LISTA PRONTA PARA TIRAR DÚVIDAS. - Química orgânica. - Termoquímica. - Estudo

Leia mais

ELETROQUÍMICA REAÇÃO ENERGIA QUÍMICA ELÉTRICA. Pilha. Eletrólise. espontânea. não espontânea

ELETROQUÍMICA REAÇÃO ENERGIA QUÍMICA ELÉTRICA. Pilha. Eletrólise. espontânea. não espontânea ELETROQUÍMICA REAÇÃO Pilha espontânea ENERGIA QUÍMICA Eletrólise não espontânea ELÉTRICA SEMI REAÇÕES DE OXIDAÇÃO E REDUÇÃO Zn 0 Zn +2 + 2e - semi-reação de oxidação Cu +2 + 2e - Cu 0 semi-reação de redução

Leia mais

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA.

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. QUESTÕES Exercícios de Eletroquímica. 01) Dos fenômenos indicados a seguir, agrupe os que constituem uma oxidação e os que constituem uma redução: a) Mg

Leia mais

Reacções de oxidação-redução em solução aquosa. Livro Química Inorgânica Básica na página da cadeira no Moodle Capítulo 4, p.

Reacções de oxidação-redução em solução aquosa. Livro Química Inorgânica Básica na página da cadeira no Moodle Capítulo 4, p. Reacções de oxidação-redução em solução aquosa Livro Química Inorgânica Básica na página da cadeira no Moodle Capítulo 4, p. 116 até ao final REACÇÕES de OXIDAÇÃO-REDUÇÃO reacções que envolvem troca de

Leia mais

S Nox total = zero. Nº de oxidação (Nox) Regras para determinar o Nox. AULA 11 Oxidação e Redução

S Nox total = zero. Nº de oxidação (Nox) Regras para determinar o Nox. AULA 11 Oxidação e Redução AULA 11 Oxidação e Redução Nº de oxidação (Nox) é a carga que surge quando os elementos estão combinados NaCl Æ Na + Cl - (sódio doou 1 e - e o cloro recebeu 1e - ) H 2 Æ H H zero Quando a ligação for

Leia mais

Introdução. Princípios da corrosão: reações de oxiredução potencial de eletrodo - sistema redox em equilíbrio - Diagrama de Pourbaix

Introdução. Princípios da corrosão: reações de oxiredução potencial de eletrodo - sistema redox em equilíbrio - Diagrama de Pourbaix Introdução Princípios da corrosão: reações de oxiredução potencial de eletrodo - sistema redox em equilíbrio - Diagrama de Pourbaix Introdução Conceitos de oxidação e redução 1 - Ganho ou perda de oxigênio

Leia mais

Exercícios de Eletroquímica

Exercícios de Eletroquímica Exercícios de Eletroquímica TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Grandes recalls de fabricantes de baterias de íons de lítio para notebooks suscitaram questões sobre como essas fontes de energia podem aquecer

Leia mais

2005 by Pearson Education. Capítulo 04

2005 by Pearson Education. Capítulo 04 QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 4 Reações em soluções aquosas e estequiometria de soluções David P. White Propriedades gerais das soluções aquosas Propriedades eletrolíticas As soluções aquosas

Leia mais

Eletroquímica. Profa. Kátia Aquino

Eletroquímica. Profa. Kátia Aquino Eletroquímica Profa. Kátia Aquino Vamos recordar... Reação de oxi-redução: uma reação de transferência de elétrons fontehttp://www.grupoescolar.com/materia/reacao_de_oxirreducao.html: Conceitos Oxidação;

Leia mais

a. ( ) Zn sofre oxidação; portanto, é o agente oxidante.

a. ( ) Zn sofre oxidação; portanto, é o agente oxidante. Rua Siqueira de Menezes, 406 Centro, Capela SE, 49700000, Brasil Exercício de revisão do 2º Ano Ensino Médio 3ª UNIDADE 1. Determine o Nox do elemento cloro nas espécies: a. Cl 2 Cl = 0 b. NaCl Cl = 1

Leia mais

Profª Loraine Jacobs DAQBI paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs

Profª Loraine Jacobs DAQBI paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs Profª Loraine Jacobs DAQBI lorainejacobs@utfpr.edu.br paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs CORRENTE ELÉTRICA Pode ser produzida por: Geradores elétricos : Transformam energia mecânica em energia elétrica.

Leia mais

Reações com transferência de elétrons: oxirredução

Reações com transferência de elétrons: oxirredução Reações com transferência de elétrons: oxirredução Química Geral Prof. Edson Nossol Uberlândia, 19/05/2016 Número de oxidação: número de cargas que um átomo teria em uma molécula (em um composto iônico)

Leia mais

Nome dos participantes: Jaqueline do Espirito Santo D Apresentação, Iven Roberto Andrade Oliveira e André Filipe Martins Justino

Nome dos participantes: Jaqueline do Espirito Santo D Apresentação, Iven Roberto Andrade Oliveira e André Filipe Martins Justino Título do Vídeo: Eletrólise da água Nome dos participantes: Jaqueline do Espirito Santo D Apresentação, Iven Roberto Andrade Oliveira e André Filipe Martins Justino Professor responsável: Isabel Domingues

Leia mais

Físico-Química II CONTEÚDO. Soluções Eletrolíticas. Transformações Físicas (Substâncias Puras). Soluções Não-Eletrolíticas (Misturas Simples).

Físico-Química II CONTEÚDO. Soluções Eletrolíticas. Transformações Físicas (Substâncias Puras). Soluções Não-Eletrolíticas (Misturas Simples). Físico-Química II Este material está disponível no endereço: http://otaviosantana.cjb.net/ Programa da Disciplina: Conteúdo CONTEÚDO Transformações Físicas (Substâncias Puras). Soluções Não-Eletrolíticas

Leia mais

01. Em uma pilha de zinco e chumbo, a reação que ocorre é a seguinte:

01. Em uma pilha de zinco e chumbo, a reação que ocorre é a seguinte: COLÉGIO ODETE SÃO PAIO Nome: nº Professor: Charles Série: 2ª Turma: Sem limite para crescer EXERCÍCIOS DE QUÍMICA REVISÃO 3º Trimestre 1. Em uma pilha de zinco e chumbo, a reação que ocorre é a seguinte:

Leia mais

Reações de Oxidação Redução

Reações de Oxidação Redução Oxidação/redução em processos inorgânicos Reações de Oxidação Redução Caracterizam-se pela transferência de elétrons entre as espécies envolvidas. Oxidação: uma espécie química sofre aumento do seu estado

Leia mais

Sumário. 1 Introdução: matéria e medidas 1. 2 Átomos, moléculas e íons Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas 67

Sumário. 1 Introdução: matéria e medidas 1. 2 Átomos, moléculas e íons Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas 67 Prefácio 1 Introdução: matéria e medidas 1 1.1 O estudo da química 1 1.2 Classificações da matéria 3 1.3 Propriedades da matéria 8 1.4 Unidades de medida 12 1.5 Incerteza na medida 18 1.6 Análise dimensional

Leia mais

ELETRODO OU SEMIPILHA:

ELETRODO OU SEMIPILHA: ELETROQUÍMICA A eletroquímica estuda a corrente elétrica fornecida por reações espontâneas de oxirredução (pilhas) e as reações não espontâneas que ocorrem quando submetidas a uma corrente elétrica (eletrólise).

Leia mais

CQ110 : Princípios de FQ

CQ110 : Princípios de FQ CQ 110 Princípios de Físico Química Curso: Farmácia 1º semestre de 2011 Quartas / Quintas: 9:30 11:30 Prof. Dr. Marcio Vidotti www.quimica.ufpr.br/mvidotti mvidotti@ufpr.br criação de modelos CQ110 : Princípios

Leia mais

Química ELETROQUÍMICA: Licenciatura em Ciências USP/ Univesp. Gianluca C. Azzellini Guilherme A. Marson Ana Cláudia Kasseboehmer

Química ELETROQUÍMICA: Licenciatura em Ciências USP/ Univesp. Gianluca C. Azzellini Guilherme A. Marson Ana Cláudia Kasseboehmer ELETROQUÍMICA: REAÇÕES DE OXIDORREDUÇÃO11 Gianluca C. Azzellini Guilherme A. Marson Ana Cláudia Kasseboehmer 11.1 Introdução 11.2 Transformações s que Envolvem Energia Elétrica 11.3 Células Eletroquímicas

Leia mais

(aq) + H 3 O + (aq) K 1 = 1,0 x (aq) + H 3 O + (aq) K 2 = 1,0 x 10-11

(aq) + H 3 O + (aq) K 1 = 1,0 x (aq) + H 3 O + (aq) K 2 = 1,0 x 10-11 Questão 1 O ácido carbônico é formado quando se borbulha o dióxido de carbono em água. Ele está presente em águas gaseificadas e refrigerantes. Em solução aquosa, ele pode sofrer duas dissociações conforme

Leia mais

8 Redução eletrolítica de íons aquosos

8 Redução eletrolítica de íons aquosos 23 8 Redução eletrolítica de íons aquosos 8.1 O que é? É a redução de íons aquosos metálicos (normalmente de carga positiva, ou cátions) pela decomposição do eletrólito 1 aquoso, com a passagem da corrente

Leia mais

Eletroquímica. Por Victor Costa. Índice

Eletroquímica. Por Victor Costa. Índice Eletroquímica Por Victor Costa Índice 1. Conceitos importantes Redução Oxidação NOX Processo redox Método do íon-elétron Potencial de redução 2. Pilha Definição Cátodo Ânodo Ponte salina Potencial Relação

Leia mais

Equações fundamentais

Equações fundamentais Reacções de oxidação-redução em solução aquosa Livro Química Inorgânica Básica na página da cadeira no Moodle Capítulo 4, p, 116 até ao final Equações fundamentais ΔG 0 = - n FΔE 0 n número de electrões

Leia mais

QUÍMICA 12º ANO ACTIVIDADE DE PROJECTO CONSTRUÇÃO DE UMA PILHA PROPOSTA DA METODOLOGIA 2010/ º Período

QUÍMICA 12º ANO ACTIVIDADE DE PROJECTO CONSTRUÇÃO DE UMA PILHA PROPOSTA DA METODOLOGIA 2010/ º Período QUÍMICA 12º ANO ACTIVIDADE DE PROJECTO CONSTRUÇÃO DE UMA PILHA PROPOSTA DA METODOLOGIA Henrique Fernandes, número 9 Ricardo Cunha, número 20 Jéssica Lopes, número 26 Professor Ângelo Fernandes Turma B

Leia mais

Mas como isso é possível? Com certeza você já deve ter se perguntado como uma pilha ou uma bateria pode gerar energia elétrica, não é mesmo?

Mas como isso é possível? Com certeza você já deve ter se perguntado como uma pilha ou uma bateria pode gerar energia elétrica, não é mesmo? Fala Gás Nobre! Preparado para reagir? O tema dessa semana é eletrizante e está muito presente no nosso dia a dia. Vamos falar sobre a Eletroquímica! Sabe onde ela se encontra? Basicamente nas pilhas e

Leia mais

QUI219 QUÍMICA ANALÍTICA (Farmácia) Prof. Mauricio X. Coutrim

QUI219 QUÍMICA ANALÍTICA (Farmácia) Prof. Mauricio X. Coutrim QUI219 QUÍMICA ANALÍTICA (Farmácia) Prof. Mauricio X. Coutrim (mcoutrim@iceb.ufop.br) SOLUÇÃO TAMPÃO Tampão Ácido Qual o ph de uma solução de ácido fórmico 1,00.10-1 mol.l -1 e formiato de sódio 1,00 mol.l

Leia mais

Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química

Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química Questão 1 Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química Dentre as substâncias presentes nessa mistura, apenas o bromo possui cor e, quando

Leia mais

CAPÍTULO 1 Quantidades e Unidades 1. CAPÍTULO 2 Massa Atômica e Molecular; Massa Molar 16. CAPÍTULO 3 O Cálculo de Fórmulas e de Composições 26

CAPÍTULO 1 Quantidades e Unidades 1. CAPÍTULO 2 Massa Atômica e Molecular; Massa Molar 16. CAPÍTULO 3 O Cálculo de Fórmulas e de Composições 26 Sumário CAPÍTULO 1 Quantidades e Unidades 1 Introdução 1 Os sistemas de medida 1 O Sistema Internacional de Unidades (SI) 1 A temperatura 2 Outras escalas de temperatura 3 O uso e o mau uso das unidades

Leia mais

Aula 6 MÉTODOS ELETROANALÍTICOS PARTE I. Elisangela de Andrade Passos

Aula 6 MÉTODOS ELETROANALÍTICOS PARTE I. Elisangela de Andrade Passos Aula 6 MÉTODOS ELETROANALÍTICOS PARTE I META Apresentar os fundamentos da química eletoanalítica; apresentar as células eletroquímicas; apresentar os fundamentos de potenciais em células eletroanalíticas;

Leia mais

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ]

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ] Corrente elétricas A partir do modelo atômico de Bohr, que o define pela junção de prótons, nêutrons e elétrons, é possível explicar a alta condutividade dos metais, devida à presença dos elétrons livres.

Leia mais

Práticas de Físico Química QB75B. Experimento 7

Práticas de Físico Química QB75B. Experimento 7 1 PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA EDERAL DO PARANÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA EDERAL DO PARANÁ - UTPR DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE QUÍMICA E BIOLOGIA BACHARELADO EM QUÍMICA Práticas de ísico

Leia mais

PROVA ESCRITA de seleção para ingresso no Mestrado em Química Aplicada 1º. Processo Seletivo /02/2015

PROVA ESCRITA de seleção para ingresso no Mestrado em Química Aplicada 1º. Processo Seletivo /02/2015 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-Graduação em Química Aplicada - Mestrado PROVA ESCRITA de seleção para ingresso no Mestrado em Química Aplicada

Leia mais

Energia é conservada!

Energia é conservada! Calor transferido E = q + w Variação de energia Trabalho realizado pelo sistema Energia é conservada! ENDOtérmico: o calor é transferido da VIZINHANÇA para o SISTEMA. T(sistema) aumenta enquanto T (vizinhança)

Leia mais

CONCEITO DE ÁCIDOS E BASES 1

CONCEITO DE ÁCIDOS E BASES 1 CONCEITO DE ÁCIDOS E BASES 1 1. Conceito de Arrhenius A primeira definição de ácidos e bases foi dada pelo químico sueco Svante Arrhenius ao redor de 1884: Substâncias ácidas são aquelas que em solução

Leia mais

Dois exercícios desta lista entrarão na primeira prova teórica

Dois exercícios desta lista entrarão na primeira prova teórica Dois exercícios desta lista entrarão na primeira prova teórica 01. Quais são os três estados físicos da matéria? Quais as diferenças entre eles do ponto de vista de movimentação de moléculas e interações

Leia mais

Aulão de Química. Química Geral Professor: Eduardo Ulisses

Aulão de Química. Química Geral Professor: Eduardo Ulisses Aulão de Química Química Geral Professor: Eduardo Ulisses Substâncias e Misturas Substância é qualquer parte da matéria que possui propriedades constantes. As substâncias podem ser classificadas como sendo

Leia mais

REATIVIDADE DE METAIS

REATIVIDADE DE METAIS CENTRO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE QUÍMICA - LICENCIATURA INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO DE QUÍMICA SÉRIE: EXPERIÊNCIAS DEMONSTRATIVAS REATIVIDADE DE METAIS ORGANIZAÇÃO: Elisangela Fabiana

Leia mais

02 - (Unievangélica GO) Pode-se usar reações químicas de oxidação e redução para produzir corrente elétrica, como mostra o esquema abaixo.

02 - (Unievangélica GO) Pode-se usar reações químicas de oxidação e redução para produzir corrente elétrica, como mostra o esquema abaixo. 01 - (UERJ) Os preços dos metais para reciclagem variam em função da resistência de cada um à corrosão: quanto menor a tendência do metal à oxidação, maior será o preço. Na tabela, estão apresentadas duas

Leia mais

O que são pilhas? Pilhas são sistemas em que a energia química se transforma espontaneamente em energia elétrica.

O que são pilhas? Pilhas são sistemas em que a energia química se transforma espontaneamente em energia elétrica. O que são pilhas? Pilhas são sistemas em que a energia química se transforma espontaneamente em energia elétrica. Você sabe o que é um processo espontâneo? Para as pilhas, os processos espontâneos e nãoespontâneos,

Leia mais

01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por

01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por 01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por exemplo, o teor de chumbo corresponde a 4,14% em massa da liga. Seu isótopo radioativo 210 Pb decai pela emissão

Leia mais

Pilha - Eletroquímica

Pilha - Eletroquímica Pilha - Eletroquímica 1) Considerando um sistema em que as placas de cobre e zinco sejam mergulhadas nas soluções CuSO 4 e ZnSO 4, e que o sistema tinha uma ponte salina com K 2 SO 4, indique: a)as semireações,

Leia mais

UDESC 2015/2 QUÍMICA. Comentário. + 2NaOH = a) Correta. H 2 SO 4 0,001 = 0,001. b) Incorreta. NaOH. 40 g 1 mol H NaOH 1 mol + 2 mol.

UDESC 2015/2 QUÍMICA. Comentário. + 2NaOH = a) Correta. H 2 SO 4 0,001 = 0,001. b) Incorreta. NaOH. 40 g 1 mol H NaOH 1 mol + 2 mol. QUÍMICA a) Correta. H 2 SO 4 + 2NaOH ma. VA mb. VB = 1 2 0, 001. 1 0, 001. 2 = 1 2 0,001 = 0,001 b) Incorreta. NaOH H 2 SO 4 + 2NaOH 1 mol + 2 mol Na = 23 g O= 16 g H= 1 g 40 g 1 mol c) Incorreta. 2NaOH

Leia mais

REVISÃO QUÍMICA 4 ELETROQUÍMICA - Prof Emanuele. d) KMnO 4 + H 2 C 2 O 4 + H 2 SO 4 K 2 SO 4 + MnSO 4 + CO 2 + H 2 O. Ag. Redutor: H 2 C 2 O 4

REVISÃO QUÍMICA 4 ELETROQUÍMICA - Prof Emanuele. d) KMnO 4 + H 2 C 2 O 4 + H 2 SO 4 K 2 SO 4 + MnSO 4 + CO 2 + H 2 O. Ag. Redutor: H 2 C 2 O 4 REVISÃO QUÍMICA 4 ELETROQUÍMICA - Prof Emanuele 1) Os números de oxidação dos halogênios nos compostos NaCl, NaClO 3, KI, I 2, NH 4 IO 3 são, respectivamente: a) +1, +3, 0, -2, +4 b) +1, -5, -1, 0, +5

Leia mais

Reacções de oxidação-redução (reacções redox)

Reacções de oxidação-redução (reacções redox) Reacções de oxidação-redução (reacções redox) Reacções de oxidação-redução (reacções redox) Reacções redox: reacções que envolvem transferência de electrões oxidação: perda de e - redução: ganho de e -

Leia mais

DISCIPLINA DE QUÍMICA

DISCIPLINA DE QUÍMICA DISCIPLINA DE QUÍMICA OBJETIVOS: 1ª série Traduzir linguagens químicas em linguagens discursivas e linguagem discursiva em outras linguagens usadas em Química tais como gráficos, tabelas e relações matemáticas,

Leia mais

Resolução da Questão 1 Item I Texto definitivo

Resolução da Questão 1 Item I Texto definitivo Questão Em determinado dia do ano, às x horas, sendo 0 x

Leia mais

FUNDAMENTOS DE TRATAMENTO DE SUPERFÍCIES

FUNDAMENTOS DE TRATAMENTO DE SUPERFÍCIES Corrosão e Processos Eletroquímicos II FUNDAMENTOS DE TRATAMENTO DE SUPERFÍCIES Profa. Célia Malfatti E-mail: materiaisxenergia@gmail.com Sala: 234, prédio 75, CV Ramal: 9405 INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS Corrosão em Fresta Abertura estreita junções: gaxetas, parafusos depósitos; produtos aderidos Materiais passivos Al; Ti Exemplo: liga 825 (44Ni-22Cr- 3Mo-2Cu) - água do mar 6 meses Trocador de calor com

Leia mais

REAÇÕES DE ÓXIDO-REDUÇÃO

REAÇÕES DE ÓXIDO-REDUÇÃO REAÇÕES DE ÓXIDO-REDUÇÃO A Química Analítica moderna tem por base a medida dos Sinais Analíticos, relacionados às transformações de propriedades dos materiais ao longo de uma Análise Química. Entre estes

Leia mais

CQ 049 FÍSICO QUÍMICA IV

CQ 049 FÍSICO QUÍMICA IV UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CQ 049 FÍSICO QUÍMICA IV Aula 12 Corrosão e tipos de pilhas de corrosão (galvânica, ação local, ativa-passiva, concentração

Leia mais

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Energia para realizar reações químicas: eletrólise do iodeto de potássio aquoso Existem reações químicas não espontâneas, mas que são realizadas com rapidez

Leia mais

CQ110 : Princípios de FQ. Imagens de Rorschach

CQ110 : Princípios de FQ. Imagens de Rorschach Imagens de Rorschach 1 Leis de velocidade Velocidade de uma reação química: Variação de reagentes / produtos em função do tempo: a A+ b B produtos v = k [A] x [B] y Lei de velocidade k: constante de velocidade

Leia mais

( ) Diminuindo a concentração dos íons CO, o equilíbrio da reação I se desloca para a direita.

( ) Diminuindo a concentração dos íons CO, o equilíbrio da reação I se desloca para a direita. PROFESSOR SOUZA A dissolução do gás carbônico em água produz as seguintes reações: I. H 2 O + CO 2 H 2 CO 3 II. H 2 CO 3 +H 2 O H 3 O + + HCO III. HCO - 3 + H 2 O H 3 O + + CO Assinale a(s) proposição(ões)

Leia mais

No cátodo: 1O 2 g 2H2O 4e 4OH aq

No cátodo: 1O 2 g 2H2O 4e 4OH aq 1. (Espcex (Aman) 213) Considere as semirreações com os seus respectivos potenciais-padrão de redução dados nesta tabela: Prat a aq s Ag e Ag E red, 8 V 3. (Upe 213) Realizou-se um experimento para recuperar

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Físico-Química Código: FAR 205 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo: 2015.1

Leia mais

RESPOSTAS ESPERADAS QUÍMICA

RESPOSTAS ESPERADAS QUÍMICA Questão 1 C 4 N 3 OH 7 - massa molar = 113 g mol -1 A concentração de creatinina no exame foi de 1,20 x 10-4 mol L -1, ou 1,20 x 10-5 mol dl -1. Assim, a concentração = 113.000 x 1,20 x 10-5 = 1,36 mg

Leia mais

Questão 1 O composto químico abaixo representa um hidrocarboneto insaturado (alceno). Sobre ele, responda ao que se pede.

Questão 1 O composto químico abaixo representa um hidrocarboneto insaturado (alceno). Sobre ele, responda ao que se pede. Questão 1 O composto químico abaixo representa um hidrocarboneto insaturado (alceno). Sobre ele, responda ao que se pede. a) Escreva a fórmula estrutural do seu isômero geométrico. b) A reação de hidrogenação

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional)

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional) Page 1 of 5 Olimpíada Brasileira de Química - 2001 Fase III (Etapa 1 nacional) Questão 1 (48 th Chemistry Olympiad - Final National Competition - 2001 - Estonia) Exame aplicado em 01.09.2001 Os compostos

Leia mais

9. REAÇÕES DE OXIRREDUÇÃO

9. REAÇÕES DE OXIRREDUÇÃO Departamento de Química Inorgânica IQ / UFRJ IQG 18 / IQG 31 9. REAÇÕES DE OXIRREDUÇÃO I. INTRODUÇÃO As reações de oxirredução estão entre as reações químicas mais comuns e importantes. Estão envolvidas

Leia mais