PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB:'" PARTIDO RENOVADOR TRABALmSTA BRASILEIRO - ELEICÓES CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB:'" PARTIDO RENOVADOR TRABALmSTA BRASILEIRO - ELEICÓES2010... CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX"

Transcrição

1 PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA B~SILEI~_O PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB:'" PARTIDO RENOVADOR TRABALmSTA BRASILEIRO - ELEICÓES CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX "DECÁLOGO DO BIlASu.. PRÁ FRENTE't 1) MudaJlça do Modelo de Desenvolvimento. Nacional - Reforma Urgenteejí o Brasil há décadas escolheu o ".,reado" como padrão para seu desenvolvimento, onde. o Setor Bancário-Flnantelro lempre foi o mais prml~do, eaidetrimento dos Seto"" Produtivos Ondústria. Comércio, Agricultura e Serviços), provocando graves arritmias no seu desenvolvimento econômico social. Nosso Govemo pretende invertet essa ótica perversa_doatual modelo de de:renvoivimeritunactonat,~cujo objifivopnmeiroserá uma ampla reforma Jioocelro-tribntári-, onde os segmentos cspecujativos. que exploram a indústria dos juros altos em nosso País sejam obrigados a reduzir sua ganância e sobretaxados nós seus lucros, v.isando proporcionar uill maior equílibno nos resultados do PlB-Nacional, ou seja, do Produto Intemo Bruto do Brasil, onde o Setor Bancário--Financeiro avançou tanto nos últimos anos. que hoje alcança mais de 20% (vinte por cellto) da participação total, um contrasenso, sem dúvida. O nosso Govel"110 vai tràtar os Setores Produtivos, que geram emprego e renda como a Indústri~ o Comércio, a Agricultura eos mais amplos setores de serviços e tecnología ~mo respeito qu.e mereftlll,. reduzindo-lhes a sua J,Fsada carga.tributária,boje d~ onem de 40% (qltarellw por cento) armal's e proporcioriando-lhes menos burocracia e menosintei'\ienciorusmo por parte do Estado a nível Féderal. Estadual e Municipal para poderem funcionar com maior liberdade e produzirem mais e melhor. bem como, gerar incentivos fisc:ais,que lhes proporcionem maior coitipetitividade 0.0 mercadointcrno ass.irn como no olercado internac ional...

2 PARTIDO: RENOVADOR TRABALHI~TA BRA:SILEIJ~O~ - - _.. o Governo do PRTB colocará no Banco Central, um industrial e no Ministério da lódústria e Comércio, um baaqueiro, para que conheça melhor as agruras de como é dificil produzir com toda sorte de risco e alta tributação e ainda gerar emprego e renda. Os juros altos nio mais serlo motivo de se tolh.er o crescimento do Pais e nemmesd10 controlar aooua infiaçio, '0 contrário a produçio e produtivldadepassatio a ser seu referencial maior, num Estado novo focado na competiçio e na liberdade de se produzir. 2) Propositura de miai reforma Constitucional Noss.o Governo priorizará uma mini refonna com o estabelecimento de uma Constitucional de Assembléia Constituinte, com vistas à consolidação das emendas constituciomlis pós 1988 com ênfase na reforma do Sistema Baaeário-Finaaeeiro e Tributário, visandoproporcloaar redllçioda carga tributária nacional, bem como, reapequar melhor o equilíbrio nas arrecadações por parte da União, Estadose Municípios. Quanto a questão da reforma bancário financeiro~ dever-se-á estabeleçer novas regras na relação do código de defesa e proteção do direito do consumidor com o sistema financeiro conduzido pelo Banco Central do Brasil, bem como, ~.riar um novo regramento para as taxas e juros bancári95 e a insültiiçlo de impostos sobre a atividade, com vistas a aplicação no social.. 3) Transformaçlo do Bolsa...Famillaeo.tros programas sociais em salário-famfwt. Reconhecendo que o. bolsa-famoia, instituijtdo pelo Govel'Do Lm Ináeia da Silva h.oje de importanclã vital paramllh6es defamilias urentes no Brasil, é um programa não estabelecido constitucionalmente. podendo ser suprimido a qualquer t~mpo. proporemos ao Congresso Nacional a sua transformaçio em cláusnla pétrea e, ainda, vamos ampliar dos atuais lu llo,oo (cento e vinte reais) por família para um salário mf.nimo integral, atualmente, lu 510,00 (quinhentos e dez reais), ao mesmo tempo que a ele incorporaremos todos os demais beneficios entregues à (alumas carentes e cuja coluprovaçlo será necessária.

3 PARTIDO. RENOVADOR TRABALHI~T~ B~.SI~EIRO - Por igual maneira, ajém de acompanhamento sobre a evolução familiar nas suas necessidades básicas de renda-mínima. exigir-se-á, que as famllias benedeiadas pelo salário famma comprovem IS vacinações obrigatórias de 5eUI mhos eo aeompanluunento esc=olar. 4) Eliminaçlo de impostos sobre dez alimentos da cesta bélica esseljeiais Avida N0550 GoverlJo, tendo como compromisso primeiro estabelecer nó País a justiça e o equilfbrio sócio-econômico entre as mais distintas cja~ses sociais, deverá... priorlzar o. menos favoreddos coma supressio/ellminaçfo de todos e quaisquer impostos ou eqcargos sobre pelo menos dez aumentos da eesta búica Deeesdrla a sobrevivência, tais como arroz, feijão, açúcar, leíte, café, farinha de mandioca, trigo, fubá e outros. Enviaremos ao Congresso projeto de Lei, que ejencará os dez alimentos necessâ:rios a nutrição e suprimento da populáção, cuja produção será incrementada com incentivo govemamental em todo o território nadonal, de sorte a não faltar ao consumidor nacional e, ainda, gerar excedentes para a exportação, gerando divisas.para nosso Pais. 5) Tftulo Cidadania. Brasíl2J A todo BruDeiro nato, que vier a aascer t será mneedido peja Unilo um.,.. tftulo de ddadl:o.e berta uma conta..poupança"mbaneo Ofidal, 1- c'. OI9tuco do Brasil oucaíd Econamica Federal) de quatro salários Ínimos (hoje no valor ders 2.040,00) resgatáveis após o beneficiário mpletu 21 (vinte e um) aqos. Tal titulo "cldadlo brasileiro - BrasD 21".., outorgado a lodo Brasileiro nascido em território nacíonal; leva em considenção, que os que. aqui nascem são donos naturaís do solo e subsolo pátrio. da biodiversidade nacionaj~ águas. florestas e riquezas minerais. animais e oceânicas, pré--sal e costas,alémde tudo o que é aqui produzido anualmente, ou seja,no~so Pffi Produto Interno Bruto. industrial, comercial, agrfoola e serviços de toda espécie, qbanto a origem ou destino.

4 PARTIDO~. RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ~ - * '" - Projeto de Lei stlrá eucaminhado ao Congresso Nadooal para normatizar e autorizar à Unilo a emitir tltulos anualmente para resgate em 21 (viate e um) aaos, em favor de todos os brasileiros ou fll.hos de brasilelros(por adoçlo), que nascerem em solo p'trio, bastando que o Pai OU a Mãe comprovem com certidão de nascimento e, com a mesma. abrir-seaá conta-poupança, em Banco Oficial do Governo (Banco do Bra.o:;.U e Caixa Econômica), Assim, a partír de 21 (vinte e um) anos. teremos umá Nação clija pobreza absoluta será banida de todo territ6rio.nacionaj e todos poderão, a partir dqs 21 (vinte e um) anos, começarem uma vida digna, com sustento mínimo para suas necessidades. 6) Criaçlo do Banco de "'" Poup8UÇIl, Emprego e DelSenvolrimeuto Ecoa8mico da Juventude A juventude brasileira, especialmente na faixa eqíria dos 18 (dezoito). aos 30 (trinta) anos; está abandonada pelos sucessivos governos, que!lssumem o Poder Central do Brasil, relegando-a, nas suas prioridades. emoora sabedores. que nosso futuro. depende dela nos próximos 1 O (dez) ou 20 (vinte) anos; Por isso. o Governo do PRTB - Partido Renovador Trabalhista BrasUelro pretende pogibilitar, com 8 eriaçio de u.m Baa.c:o de. Promoçlo e DesenvolvimeDto o financiamento dt)s jovells; que adentram. 80 mercado de trabalbo lias suas pro:fissgesescolhi<fas ou a escolher com empréstimos a c;lustos subsidiados de 3% (três por cento) ao ano mais TILP (taxa dejuros a longo prazo) mais carência de 2 (dois) ános. nos moldes do Banco Nacional de Desenvolvimento Social- BNDES. Assim, O dentista que.se. fonnar, terá o gabinete dentário fmandado; o engenheiro, a sua empresa de projetos; o advogado, o seu escritório;.0 médico, a suaclinica. Ou seja. aos que se formarem. já lhes serão possibilitados auferir ganhqs para manutenção de seu sustento e, isso, redundará em renda e impostos para o Pais. o Buco de PoupUÇ8, Emprego e Desenvolvimento Econômico da Juveatude abrirá novoscspaços para que o jovem. que também se ínicía no mercado de trabalho que terá sua colocação garantida na indústria. no comércip, na agricultura e setores de serviços, com o necessário acompanhamento curricularevocacional.

5 7) Marella para o CeRtro-Oeste Há 500 (quinhentos) anos que o Brasil se volta de costas para seu riqufssimo interior, preocupado em desenvolver mais o Jitoralatlântico, onde concentr-a suas maiores cidades e indústrias, constituindo-se em mais de 70% (setenta) por cento do Produto Intemo Bruto- PIS NacionaL Juscelino, depois dos Bandeirantes. foi o primeiro estadista a promo\rer a "'marcha para o centro-oeste do BmsW' nos idos dos anos 5Q (cinqüenta), construindo Brasflia e atl'aindo para a região milhares de brasileiros, ~ Agora, pretende.,.os 4:om o governo do PRTB - Partido Renovador Tribalhista BrasileirO, reeditar e dar prosseguimento à oeupaçlo organizada dessa. ÜIIpo...nte regilo do Pais, construindo dezenas de cidades planejadas, tendo como modelo Brasília, desta feita com li implantação de indústrias siderúrgica'>, fábricas de carros, empresas de tecnologjas e agl'oindústrias. amplas rodovias e ferrovias. Deverão ser também utilizados os mais v~st()s potenciais hidrelétricos da região e o transporte aquaviário, a fl1ll de se dar vazão adéquada às enormes safras agrícolas. 8) Saôd~. Educ:açlo, HabitBçlo e Segurança A Saúde ê prioridadeabsolata para o Goverao do PRTB - Partido Renovador T..abalbista BrasUeiro na Pnsidênda da República, onde os maiores ÍDvestimentos se concentrarão ria dupücaçâo dos postos de..nendimento ambulatoriais qe emergência e prontos socorros em todos ~ municípios brasileiros. com a aquisição de milhares deambulâtlcias e novos equipamentos médicos. Seri implantado o serviço odontológico obrigatório em todo o território nacional, tendo tendo base 05 reelltsos ortamentárlos de 1% (um por ceuto) do pré-sal, que iremoi i1.sütulr. Quanto a EdueaçAg, BOSSO Governo irá implantar a informatizaçlo na alfabetização :escolar do básieo ao ensino médio em todos os municípios brasileiros, colocando a sua disposição a internet banda larga, além de boa e excelente alimentação dos alunos e areestruluração do pessoal docente em matériade cargos e salários_..

6 ,... ~28 Kt:NUVAUUI"( I t(atu \L"I~ IA OI"\A~ILr:I~U ~NOII.t[ B~1\.- A base orçameatária ampliada para todos.01 melhoramentos, também adviri de 1% (um por c:ento) do pró-sal A HabitaÇio terá ampliada a rede de tbtaaciamentos doi Bancos oftdais da Caix. Econ3mlea Federal e Banco do Brasil, dilatando-se os pruo. para até 50 (emqbenta) anos e proporcionando-se que 1% (um por cento) do pré-sal financie parte do déficit habitacional do País,.. Segúrança: Nosso goverao envidará todos OI esforfos para aprovar a PEC..300, que reestrutarari,alarialmente as polidas e eorptj de bombeiros do Pais, bem como, vamos implantar os preádiol de seguj"8nç. mámua em Ilhas e navios - prisões em alto mar. além da obrigatoriedade de todos. os detentos trabalharetn nas pe~enciârias. visando pagarem por seus gastos em alimentos e alojamentos, -: A privatlzaçio das penitenciárias será inipjanblda, 9) Revólnçlo na illfraestrutura Nadonal. A modernizado.da frota de cabotagem marítima na.cional. vísando o barateamento do transporte entre. portós nádonais;. a readequação e atualizaçãôtecnológicà dos DrJneipais portos brasileiros, visando.duphcar em 4 (quatro) anos nossas ex:p<>rtações; prosseguimento açelerado de obras já licitadas dos Aeroportos. visando não só a Copa como as Olimpíadas. pois o futuro do País está na capacidade de crescimento desse importante. '- setor em matéria de transporte de carga e passageiros; O modal ferroviário ~rá prioridade absoluta no Governo do. PRTB -Partido Renovador Trabalhista Brasileiro, que pretende. implantar ferrovías de norte a sul do Pais. inclusive o AerofreDi e o MODotrem dentro das cidades interlígando ás principais metrópoles brasileiras, entendendo. que o Metrô por ter elevado valor da implantação possui limites orçamentários insuperáveis. Sendo.assim, a mobilidade urbana deverá ser realizada. via de regra. com os Aerotrens e Monotrens muito: mais baratos e rápidos na construção e são a solução lllais moderna nos tempos que virão. Quanto ãsrodo'riu. dar"se-á curso a Rede Nacional ~xpandíndo-se e concedendo~se ã iniciaiiva privada novas oportunjdades de explorá~las com pedágios mais acessíveis a população. Os serviços de comunicações terão ênfase na Ínteração cada vez maior entre o Poder Público concedente e o prjvado. que deverá reduzir drasticamente os valores cobl'ados do consumidor usuário na melhoria dos serviços prestados. inclusive a QniversaUzação da banda-larga em todo o País.

7 A eapaddade d. energia deveri ser ampliada com o aproveitamento da capacidade total do potelleial hídrico amaz6niro e a implantaçao de pelo menos 10 (dez) novas usinas at3mieu, espalhadas de norte 8 sul do Pais. Dever-se-á avançar no aproveitamento das energias solar e eólica, que deverão ser incrementadas e barateadas para que se tomem acessíveis, inclusive, reduzindo-lhes seus impostos. Quanto às energias renováveis. o Brasil deverá cada vez mais expandir-lhes. com incentivos no custeio e renovaçã.o tecnológica e o gás e o petróleo deverão seguir o excelente curso de c~scimento já programado pelo atual Governo. lo)brasil poti!ncia do SéeuJo XXI o Govel'llo do PRTB.,... Par1ido ReDovador TrabalhiSta Brasileiro pretende consolidar o BrasH podada comum projeto estratégico que edvolv~ primeiramente~ um Estado BrasDeiro forte interna e ).. exteraameote, tendo eomo prid.clpa. instrumento a DemtlCraeia, onde as oportunidades são iguais para todos os brasileiros e o Estado de Direito pleno e vigoroso. <;::o No plano interno, a distribuição de renda se ampliando, proporcionando melhoria na qualidade de vida, com díteítos e deveres selldo respeitados; os partidos e os poderes constituídos, legislativo. executivo e judiciário) interagindo-se em prol de toda a Nação; O Estado mais indutor do des~nvolvimento e menos intervencionista, porém. forte no combate a eventuais radicaiísmos e defensor dos menos favorecidos;.llm Estado cada vez mai. intet1ltivo no eoncerto das oaçaes; com suu forças dismuórias altamente reequipadas, ampliadas e proatu para. atuar em ter~, no ar e no mar, indusive capacitada11 atomicamente; um Estado cada vez mais presente nos organismos internacionais e no campo comercial e tecnológico; um Brasil grande vocacionado pela enonne vontade de um povo. que.deseja respeitar e ser respeitado por todos, Brasil prá frente, Levy Fi\leli.?, Presidente.

8 cartório: ZO TD Redb(> "o; thp.j1 45,5605.l72/OOO1-71 Citrllte; llooo.ooo.oooerefegll ~ p*ta ; ~oe" t2:og PIlAnDO RENOVADOR TItABAU-IlsTA aras, ÀWIIEn.o. OOS 1\IPíMOU1NS.'12'0 PlANÀt.TO PAlJLISYA $AO PAUiO $I' f4d t7.ft81 elllf.: Ml!ACnO, "'./te: PARTíoo R~OVAllOR TltAJlAV!ISfA.IIRAS. 0tI.; /l4lt'ts'-todo Ml21I8I20fO pli'ii ~ tlmlliui cio ~a: P,RQJ!rrO O ntii: S41m VIlcr ci.çlaf\ldoc Vai." di! DoIlUtll...o; RI Q,OO P*tInN; 7 IIIIol~U:.! M 44,1' 111": 1 B..~; li' S%,'~ Mtom.: 11 Ip.;.p I lif :!I,C5..~.t.ro Cl,vU r lu 2.3' 'n:.üxiciil Ju.UÇliI' li' 2,31." '. t lif I}.~CJ lif ti,clc 'fatal, 'lif '7l.,t:.!I S~"IIl! lit 0,00 A PAGAR, 1:, 'Il.'!I

PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ELEIÇÕES 2014 CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX

PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ELEIÇÕES 2014 CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ELEIÇÕES 2014 CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX PARA MUDAR O BRASIL, VAMOS ENDIREITAR O BRASIL 1) VAMOS MUDAR O MODELO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Penna) Dispõe sobre a criação do Plano de Desenvolvimento Energético Integrado e do Fundo de Energia Alternativa. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Ficam instituídos

Leia mais

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO CUMPRIR E FAZER CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO 1. Cumprir e fazer cumprir a

Leia mais

COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA. PROJETO DE LEI N o 3.986, DE 2008 I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA. PROJETO DE LEI N o 3.986, DE 2008 I - RELATÓRIO COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA PROJETO DE LEI N o 3.986, DE 2008 Altera dispositivos da Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 1996, e da Lei nº 10.848, de 15 de março de 2004, para promover a geração e o consumo

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

Brasil-China: Uma Agenda de

Brasil-China: Uma Agenda de Brasil-China: Uma Agenda de Colaboração Jorge Arbache BNDES Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro, 17 de junho de 2011 1 China Principal parceiro comercial do Brasil Um dos principais investidores estrangeiros

Leia mais

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira continuarácrescendo firmemente nos

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como "Sonho Brasileiro".(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas

Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como Sonho Brasileiro.(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como "Sonho Brasileiro".(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas Rio de Janeiro, 17 de setembro de 2009 Fórum Especial INAE Luciano

Leia mais

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso Secretário-Executivo do Conselho de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria CNI Brasília, 4 de maio de 2011 1 Qualidade

Leia mais

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Seminário: Oportunidade de Investimento no Pará Palestra: Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Palestrante: Valmir Pedro Rossi - Presidente São Paulo, 02 de dezembro de 2013 Pauta da

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Brasília, 22 de janeiro de 2008 NOTAS SOBRE O BALANÇO DE UM ANO DO PAC AVALIAÇÃO GERAL Pontos positivos e destaques: 1)

Leia mais

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi PAC Programa de Aceleração do Crescimento Retomada do planejamento no país Marcel Olivi PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO Lançado em 22/01/2007 o programa é constituído por Medidas de estímulo

Leia mais

CONTROLE DE CÂMBIO. Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002

CONTROLE DE CÂMBIO. Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002 CONTROLE DE CÂMBIO Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002 Por Que o Brasil Controla o Câmbio? Moeda forte é um item escasso no Brasil. Tanto o Governo Brasileiro como as empresas

Leia mais

O Governo a apostar nos Cabo-verdianos. Incentivos Fiscais. Principais Beneficiários: Empresas /Juventude

O Governo a apostar nos Cabo-verdianos. Incentivos Fiscais. Principais Beneficiários: Empresas /Juventude O Governo a apostar nos Cabo-verdianos Incentivos Fiscais Principais Beneficiários: Empresas /Juventude Ganhos do Orçamento Geral do Estado 2010 Incentivos Fiscais A Política de Investimento para 2010

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL TEMAS VOLUME DE RECURSOS Do aporte nacional, garantir para o RS no mínimo 20% (vinte por cento) dos recursos para financiamento agropecuário de forma oportuna, tempestiva e suficiente. Aumentar os limites

Leia mais

Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Usina Hidrelétrica de Belo Monte Usina Hidrelétrica de Belo Monte PA Ao dar continuidade ao maior programa de infraestrutura do Brasil desde a redemocratização, o Governo Federal assumiu o compromisso de implantar um novo modelo de desenvolvimento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.823, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

PROPOSTAS GT G EMPRESAS

PROPOSTAS GT G EMPRESAS PROPOSTAS GT EMPRESAS Saúde: 1) Empresas incentivarem mães a acompanharem seus filhos, principalmente até aos dois anos a exemplo da amamentação e vacinação. 2) Empresas adotarem postos de saúde na comunidade

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012. Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012.

RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012. Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012. RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012. Estabelece as condições para contratação dos financiamentos passíveis de subvenção econômica

Leia mais

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 Araxá, 08/03/13 57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 O Futuro do Transporte Urbano nas Cidades de Pequeno e Médio Porte Compete à União: XX instituir diretrizes

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014 O que o Brasil já ganhou com a Copa 2 O que o Brasil já ganhou com a Copa Investimentos A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Aspectos Legais sobre Investimentos no Brasil

Aspectos Legais sobre Investimentos no Brasil Aspectos Legais sobre Investimentos no Brasil Carlos Alberto Rossi Cenário Atual: Eliminação da discriminação entre de empresa brasileira com capital nacional e empresa estrangeira, pela Emenda Constitucional

Leia mais

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Educação Fiscal e Financiamento 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Vinculação Constitucional de Recursos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Art. 212. A União aplicará,

Leia mais

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir:

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir: Termo de Referência 1. Objeto Contratação de empresa especializada em gestão de saúde para execução de atividades visando a reestruturação do modelo de atenção à saúde, objetivando diagnosticar novas proposituras

Leia mais

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes Com o objetivo de garantir a presença da população na construção e no planejamento de políticas públicas, o Governo de Minas Gerais instituiu

Leia mais

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO?

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO? AGROVISION Brasília Prof. Clímaco Cezar (climaco23@gmail.com) PROGRAMAS: AGRORENDA E PESAGRO AGRORENDA: O SEGURO DE RENDA MUITO BARATO PARA PROTEGER OS INTERESSES DOS AGRICULTORES E DESENVOLVER O AGRONEGÓCIO

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Como Financiar os Investimentos em Infraestrutura no Brasil? FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO - OS NÓS DA INFRAESTRUTURA São Paulo, 13 de setembro de 2012 Luciano Coutinho Presidente No longo prazo, economia

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO Alocução de Sua Excelência Kay Rala Xanana Gusmão Primeiro-Ministro da República Democrática de Timor-Leste por ocasião da Primeira Conferência

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

BNDES e a Copa 2014. Rodolfo Torres. Novembro de 2011. Área de Infraestrutura Social

BNDES e a Copa 2014. Rodolfo Torres. Novembro de 2011. Área de Infraestrutura Social BNDES e a Copa 2014 Novembro de 2011 Rodolfo Torres Área de Infraestrutura Social Agenda Introdução: Eventos Esportivos no Brasil Participação do BNDES Agenda Introdução: Eventos Esportivos no Brasil Participação

Leia mais

entre o Senhor Secretário Regional da Economia, Vasco Cordeiro, e o Senhor Ministro da Economia e Trabalho, Álvaro dos Santos Pereira, tendo

entre o Senhor Secretário Regional da Economia, Vasco Cordeiro, e o Senhor Ministro da Economia e Trabalho, Álvaro dos Santos Pereira, tendo Exma. Senhora Presidente da Assembleia Ex. mas Senhoras e Senhores Deputados. Ex. mo Senhor Presidente do Governo, Senhoras e Senhores membros do Governo, Foi no dia 18 Agosto de 2011, em Lisboa, que ocorreu

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.656-A, DE 2015 (Do Sr. Cabo Daciolo)

PROJETO DE LEI N.º 1.656-A, DE 2015 (Do Sr. Cabo Daciolo) *C0055732A* C0055732A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.656-A, DE 2015 (Do Sr. Cabo Daciolo) Cria o Programa de Financiamento Habitacional para os Militares da Defesa Nacional e agentes de Segurança

Leia mais

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios Português Resumo Executivo Esta é a segunda edição revista e ampliada da publicação: O Setor Elétrico Brasileiro e

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe.

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe. O Brasil Melhorou 36 milhões de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos 42 milhões de brasileiros ascenderam de classe Fonte: SAE/PR O Brasil Melhorou O salário mínimo teve um aumento real de 70% Em 2003,

Leia mais

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO Introdução O modelo de desenvolvimento rural nos últimos tempos, baseado na modernização agrícola conservou muitas das características históricas

Leia mais

Universidade de Coimbra Faculdade de Direito. Crise do Estado Fiscal, Competitividade e Bem-Estar Social

Universidade de Coimbra Faculdade de Direito. Crise do Estado Fiscal, Competitividade e Bem-Estar Social Universidade de Coimbra Faculdade de Direito Crise do Estado Fiscal, Competitividade e Bem-Estar Social Eduardo Molan Gaban Sócio das áreas de Direito Antitruste e Comércio Internacional de Machado Associados

Leia mais

Crise e respostas de políticas públicas Brasil

Crise e respostas de políticas públicas Brasil Crise e respostas de políticas públicas Brasil Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos Sociais Brasília, 08 de setembro de 2009 Situação

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família. Junho 2014

Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família. Junho 2014 Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família Junho 2014 Estratégia de Desenvolvimento no Brasil Estratégia de desenvolvimento no Brasil Crescimento econômico com inclusão social e

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II A nova Pirâmide Etária do Brasil; Crescimento horizontal devido às migrações; É um tipo de gráfico que representa os dados sobre

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

A Reforma Tributária e o Desenvolvimento

A Reforma Tributária e o Desenvolvimento A Reforma Tributária e o Desenvolvimento Por que a Reforma Tributária é Fundamental? Acelera o crescimento econômico Torna o crescimento mais sustentável É a reforma econômica mais importante Reforma Tributária

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Novembro 2008 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Pontos Fortes 03 1.2 Áreas de Oportunidade 03 2. Dificuldades 04 2.1 Pontos Fracos

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão

FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão 1. OBJETIVO DO FÓRUM O Fórum das Estatais pela Educação tem a coordenação geral do Ministro Chefe da Casa Civil, com a coordenação executiva

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL Estudo realizado com 259 empresas; Faturamento das empresas pesquisadas representando mais de 30% do PIB brasileiro; O objetivo principal é mapear e avaliar a importância

Leia mais

Evolução Recente dos Preços dos Alimentos e Combustíveis e suas Implicações

Evolução Recente dos Preços dos Alimentos e Combustíveis e suas Implicações 1 ASSESSORIA EM FINANÇAS PÚBLICAS E ECONOMIA PSDB/ITV NOTA PARA DEBATE INTERNO (não reflete necessariamente a posição das instituições) N : 153/2008 Data: 27.08.08 Versão: 1 Tema: Título: Macroeconomia

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

POUPANÇA INVESTIMENTO E SISTEMA FINANCEIRO. Sistema financeiro serve para unir pessoas que poupam com as pessoas que

POUPANÇA INVESTIMENTO E SISTEMA FINANCEIRO. Sistema financeiro serve para unir pessoas que poupam com as pessoas que Aula 21 12/05/2010 Mankiw (2007) - Cap 26. POUPANÇA INVESTIMENTO E SISTEMA FINANCEIRO. investem. Sistema financeiro serve para unir pessoas que poupam com as pessoas que INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS NA ECONOMIA

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana - LEI nº 12.587/2012

Política Nacional de Mobilidade Urbana - LEI nº 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade Urbana - LEI nº 12.587/2012 Natal/RN, 18 de março de 2013 Ministério das Cidades - MCidades Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana SeMob Departamento de Cidadania e Inclusão

Leia mais

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo A grande janela de oportunidades (O Brasil decola) A grande janela de oportunidades Linha do tempo das conquistas

Leia mais

Investimento em infraestrutura: o que precisa ser feito?

Investimento em infraestrutura: o que precisa ser feito? SESSÃO TEMÁTICA Investimento em infraestrutura: o que precisa ser feito? Brasília, 17 de novembro de 2009 Perspectivas de Investimentos O Brasil está diante de uma oportunidade inédita para aumentar de

Leia mais

PGPM A. EGF B. AGF C. CONTRATO DE OPÇÃO SOV COV. Aquisições via Preços Mínimos. Via Leilões

PGPM A. EGF B. AGF C. CONTRATO DE OPÇÃO SOV COV. Aquisições via Preços Mínimos. Via Leilões PGPM A. EGF SOV COV B. AGF C. CONTRATO DE OPÇÃO Aquisições via Preços Mínimos Via Leilões Estados e Municípios Leite Compra Local Compra Direta Compra Especial Formação de Estoque Doação Simultânea EMPODER

Leia mais

Inclusão bancária: bancos públicos efetivam seu papel social

Inclusão bancária: bancos públicos efetivam seu papel social Inclusão bancária: bancos públicos efetivam seu papel social Inclusão bancária Acesso a produtos e serviços bancários a cidadãos de baixa renda; Serviços bancários + preocupação social. Ações para inclusão

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS AO TEXTO DA LEI

ESPELHO DE EMENDAS AO TEXTO DA LEI Página: 1 de 8 altera a redação da alínea b do Inciso IV do Art. 91 para incluir como prioridade do BNDES o financiamento de programas do PPA 2008-2011 que atuem na redução das desigualdades de gênero,

Leia mais

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012 CONTEXTO O setor de florestas plantadas no Brasil éum dos mais competitivos a nível mundial e vem desempenhando um importante papel no cenário socioeconômico do País, contribuindo com a produção de bens

Leia mais

"Economia Verde: Serviços Ambientais" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura Brasileira -

Economia Verde: Serviços Ambientais - Desafios e Oportunidades para a Agricultura Brasileira - "Economia Verde: Serviços Ambientais" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura Brasileira - Maurício Antônio Lopes Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: O Plano de Ação de São Paulo 2011/2020. São Paulo, 06 de março de 2.012 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Convenção sobre Diversidade Biológica: O Plano de Ação de São Paulo 2011/2020. São Paulo, 06 de março de 2.012 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Convenção sobre Diversidade Biológica: O Plano de Ação de São Paulo 2011/2020 SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE São Paulo, 06 de março de 2.012 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Contexto Convenção sobre Diversidade

Leia mais

Parque Científico e Tecnológico de Macaé

Parque Científico e Tecnológico de Macaé Parque Científico e Tecnológico de Macaé Carlos Eduardo Lopes da Silva¹ Ramon Baptista Narcizo² Joelson Tavares Rodrigues³ Resumo Este artigo apresenta os principais conceitos e estratégias que apóiam

Leia mais

Polo Produtivo 2 de Julho

Polo Produtivo 2 de Julho Polo Produtivo 2 de Julho Cadeia de Óleo & Gás offshore, onshore e Indústria Naval Recôncavo - Bahia Apoio: OBJETIVO Implantação de um complexo Industrial para atender a crescente demanda da Indústria

Leia mais

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 AÇÕES E PROJETOS HABITAÇÃO - 150 mil novas moradias nos próximos quatro anos, para atender a famílias que ganham até 5 salários mínimos, triplicando a produção de moradias no

Leia mais

ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 5 1 - DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa de consultoria tributária para rotinas de apuração de IRPJ/CSLL, PIS/COFINS, bem

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.019, DE 21 DE JANEIRO DE 1992 "Institui o Fundo de Industrialização do Acre FIAC, e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono

Leia mais

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Gilson Bittencourt gilson.bittencourt@fazenda.gov.br 1 Microfinanças: Objetivos do Governo Federal Facilitar e ampliar o acesso ao crédito entre os empreendedores

Leia mais

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA Marketing Prof. Marcelo Cruz O MARKETING E A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA I O Impasse Liberal (1929) Causas: Expansão descontrolada do crédito bancário; Especulação

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

Brasil. 1º Congresso de Engenheiros da Língua Portuguesa

Brasil. 1º Congresso de Engenheiros da Língua Portuguesa Brasil 1º Congresso de Engenheiros da Língua Portuguesa Maurício Muniz Secretário do Programa de Aceleração do Crescimento SEPAC Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI Autoriza a concessão de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes de programas de formação inicial e continuada de professores para a educação básica. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2005

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2005 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2005 Cria a Zona Franca de São Luís, no Estado do Maranhão. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Fica criada a Zona Franca de São Luís, no Estado do Maranhão, definida

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Favela como Oportunidade: Plano de Desenvolvimento das Favelas para sua Inclusão Social e Econômica

Favela como Oportunidade: Plano de Desenvolvimento das Favelas para sua Inclusão Social e Econômica ESTUDOS E PESQUISAS Nº 457 Favela como Oportunidade: Plano de Desenvolvimento das Favelas para sua Inclusão Social e Econômica Walsey de Assis Magalhães * Fórum Nacional (Sessão Especial) Novos Caminhos

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, SENHOR JORGE AFONSO ARGELLO

EXCELENTÍSSIMO SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, SENHOR JORGE AFONSO ARGELLO EXCELENTÍSSIMO SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, SENHOR JORGE AFONSO ARGELLO Prezado Senador Gim Argello A UNICAM - União Nacional dos Caminhoneiros, em nome desta categoria de trabalhadores que

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 378, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 378, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 378, DE 2013 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 9.074, de 7 de junho de 1995, e as Leis nº 10.847 e nº 10.848, ambas de 15 de março de 2004, para condicionar a realização

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO DA FRENTE POPULAR A FAVOR DO AMAPÁ PROPOSTAS PARA O AMAPÁ CONTINUAR AVANÇANDO

PROGRAMA DE GOVERNO DA FRENTE POPULAR A FAVOR DO AMAPÁ PROPOSTAS PARA O AMAPÁ CONTINUAR AVANÇANDO PROGRAMA DE GOVERNO DA FRENTE POPULAR A FAVOR DO AMAPÁ PROPOSTAS PARA O AMAPÁ CONTINUAR AVANÇANDO MACAPÁ-AP JULHO DE 2014 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 1 INTRODUÇÃO 2 DIRETRIZES 3 PRINCÍPIOS 4 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESONERAÇÃO E EQUALIZAÇÃO

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESONERAÇÃO E EQUALIZAÇÃO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESONERAÇÃO E EQUALIZAÇÃO Medidas Fiscais da Política Industrial 2 Redução de Tributos Equalização de taxas de Juros Simplificação de Operações Redução do

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 ano: 9º disciplina: geografia professor: Meus caros (as) alunos (as): Durante o 2º trimestre, você estudou as principais características das cidades globais e das megacidades

Leia mais

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista exclusiva concedida por escrito pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para o jornal Metro, edição São Paulo e edição ABC Publicada em 27 de novembro de 2009 Jornalista: Muitos

Leia mais

Definição das Diretrizes para Aplicação dos Recursos Reembolsáveis a partir de 2012. Minuta de proposta BNDES

Definição das Diretrizes para Aplicação dos Recursos Reembolsáveis a partir de 2012. Minuta de proposta BNDES Definição das Diretrizes para Aplicação dos Recursos Reembolsáveis a partir de 2012 Minuta de proposta BNDES 1. Apresentação O presente documento visa a apresentar proposta de adaptação de um conjunto

Leia mais

Agenda para Micro e Pequenas Empresas

Agenda para Micro e Pequenas Empresas Agenda para Micro e Pequenas Empresas As Micro e Pequenas Empresas (MPE) são de vital importância para o desenvolvimento econômico de Goiás, pois atuam em diversas atividades econômicas, tais como indústria,

Leia mais

Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste

Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste Ambiente Jurídico para PSA em Pernambuco KLAUS MACIEL Recife, 2010 Contextualização Global Política Nacional de Biodiversidade (Decreto n 4339/2002) Política

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA DE APROPRIAÇÃO DE DESPESA

ESPELHO DE EMENDA DE APROPRIAÇÃO DE DESPESA PLN 6 / 9 - LOA Apoio a estudos de viabilidade e projetos de pesquisas em energia hidrelétrica e outras energias renováveis Aprop.- Inclusão Data: 18/11/9 Página: 1 de 6 ÁREA DE GOVERNO Minas e Energia

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PLANO DE PAGAMENTO ÚNICO (PU)

CONDIÇÕES GERAIS DE TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PLANO DE PAGAMENTO ÚNICO (PU) CONDIÇÕES GERAIS DE TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PLANO DE PAGAMENTO ÚNICO (PU) I INFORMAÇÕES INICIAIS 1.1- SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: LIDERANÇA CAPITALIZAÇÃO S.A. 1.2- SITE DA SOCIEDADE: www.telesena.com.br

Leia mais

A Copa do Brasil. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Governo Federal

A Copa do Brasil. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Governo Federal A Copa do Brasil Secretaria de Políticas para as Mulheres Governo Federal Apresentação A Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) publicou em seu sítio eletrônico,

Leia mais

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade)

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) IDEIA FORÇA Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) DETALHAMENTO: Mobilidade humana (trabalhador precisa respeito); Melhorar a qualidade e quantidade de transporte coletivo (Lei da oferta

Leia mais