PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB:'" PARTIDO RENOVADOR TRABALmSTA BRASILEIRO - ELEICÓES CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB:'" PARTIDO RENOVADOR TRABALmSTA BRASILEIRO - ELEICÓES2010... CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX"

Transcrição

1 PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA B~SILEI~_O PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB:'" PARTIDO RENOVADOR TRABALmSTA BRASILEIRO - ELEICÓES CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX "DECÁLOGO DO BIlASu.. PRÁ FRENTE't 1) MudaJlça do Modelo de Desenvolvimento. Nacional - Reforma Urgenteejí o Brasil há décadas escolheu o ".,reado" como padrão para seu desenvolvimento, onde. o Setor Bancário-Flnantelro lempre foi o mais prml~do, eaidetrimento dos Seto"" Produtivos Ondústria. Comércio, Agricultura e Serviços), provocando graves arritmias no seu desenvolvimento econômico social. Nosso Govemo pretende invertet essa ótica perversa_doatual modelo de de:renvoivimeritunactonat,~cujo objifivopnmeiroserá uma ampla reforma Jioocelro-tribntári-, onde os segmentos cspecujativos. que exploram a indústria dos juros altos em nosso País sejam obrigados a reduzir sua ganância e sobretaxados nós seus lucros, v.isando proporcionar uill maior equílibno nos resultados do PlB-Nacional, ou seja, do Produto Intemo Bruto do Brasil, onde o Setor Bancário--Financeiro avançou tanto nos últimos anos. que hoje alcança mais de 20% (vinte por cellto) da participação total, um contrasenso, sem dúvida. O nosso Govel"110 vai tràtar os Setores Produtivos, que geram emprego e renda como a Indústri~ o Comércio, a Agricultura eos mais amplos setores de serviços e tecnología ~mo respeito qu.e mereftlll,. reduzindo-lhes a sua J,Fsada carga.tributária,boje d~ onem de 40% (qltarellw por cento) armal's e proporcioriando-lhes menos burocracia e menosintei'\ienciorusmo por parte do Estado a nível Féderal. Estadual e Municipal para poderem funcionar com maior liberdade e produzirem mais e melhor. bem como, gerar incentivos fisc:ais,que lhes proporcionem maior coitipetitividade 0.0 mercadointcrno ass.irn como no olercado internac ional...

2 PARTIDO: RENOVADOR TRABALHI~TA BRA:SILEIJ~O~ - - _.. o Governo do PRTB colocará no Banco Central, um industrial e no Ministério da lódústria e Comércio, um baaqueiro, para que conheça melhor as agruras de como é dificil produzir com toda sorte de risco e alta tributação e ainda gerar emprego e renda. Os juros altos nio mais serlo motivo de se tolh.er o crescimento do Pais e nemmesd10 controlar aooua infiaçio, '0 contrário a produçio e produtivldadepassatio a ser seu referencial maior, num Estado novo focado na competiçio e na liberdade de se produzir. 2) Propositura de miai reforma Constitucional Noss.o Governo priorizará uma mini refonna com o estabelecimento de uma Constitucional de Assembléia Constituinte, com vistas à consolidação das emendas constituciomlis pós 1988 com ênfase na reforma do Sistema Baaeário-Finaaeeiro e Tributário, visandoproporcloaar redllçioda carga tributária nacional, bem como, reapequar melhor o equilíbrio nas arrecadações por parte da União, Estadose Municípios. Quanto a questão da reforma bancário financeiro~ dever-se-á estabeleçer novas regras na relação do código de defesa e proteção do direito do consumidor com o sistema financeiro conduzido pelo Banco Central do Brasil, bem como, ~.riar um novo regramento para as taxas e juros bancári95 e a insültiiçlo de impostos sobre a atividade, com vistas a aplicação no social.. 3) Transformaçlo do Bolsa...Famillaeo.tros programas sociais em salário-famfwt. Reconhecendo que o. bolsa-famoia, instituijtdo pelo Govel'Do Lm Ináeia da Silva h.oje de importanclã vital paramllh6es defamilias urentes no Brasil, é um programa não estabelecido constitucionalmente. podendo ser suprimido a qualquer t~mpo. proporemos ao Congresso Nacional a sua transformaçio em cláusnla pétrea e, ainda, vamos ampliar dos atuais lu llo,oo (cento e vinte reais) por família para um salário mf.nimo integral, atualmente, lu 510,00 (quinhentos e dez reais), ao mesmo tempo que a ele incorporaremos todos os demais beneficios entregues à (alumas carentes e cuja coluprovaçlo será necessária.

3 PARTIDO. RENOVADOR TRABALHI~T~ B~.SI~EIRO - Por igual maneira, ajém de acompanhamento sobre a evolução familiar nas suas necessidades básicas de renda-mínima. exigir-se-á, que as famllias benedeiadas pelo salário famma comprovem IS vacinações obrigatórias de 5eUI mhos eo aeompanluunento esc=olar. 4) Eliminaçlo de impostos sobre dez alimentos da cesta bélica esseljeiais Avida N0550 GoverlJo, tendo como compromisso primeiro estabelecer nó País a justiça e o equilfbrio sócio-econômico entre as mais distintas cja~ses sociais, deverá... priorlzar o. menos favoreddos coma supressio/ellminaçfo de todos e quaisquer impostos ou eqcargos sobre pelo menos dez aumentos da eesta búica Deeesdrla a sobrevivência, tais como arroz, feijão, açúcar, leíte, café, farinha de mandioca, trigo, fubá e outros. Enviaremos ao Congresso projeto de Lei, que ejencará os dez alimentos necessâ:rios a nutrição e suprimento da populáção, cuja produção será incrementada com incentivo govemamental em todo o território nadonal, de sorte a não faltar ao consumidor nacional e, ainda, gerar excedentes para a exportação, gerando divisas.para nosso Pais. 5) Tftulo Cidadania. Brasíl2J A todo BruDeiro nato, que vier a aascer t será mneedido peja Unilo um.,.. tftulo de ddadl:o.e berta uma conta..poupança"mbaneo Ofidal, 1- c'. OI9tuco do Brasil oucaíd Econamica Federal) de quatro salários Ínimos (hoje no valor ders 2.040,00) resgatáveis após o beneficiário mpletu 21 (vinte e um) aqos. Tal titulo "cldadlo brasileiro - BrasD 21".., outorgado a lodo Brasileiro nascido em território nacíonal; leva em considenção, que os que. aqui nascem são donos naturaís do solo e subsolo pátrio. da biodiversidade nacionaj~ águas. florestas e riquezas minerais. animais e oceânicas, pré--sal e costas,alémde tudo o que é aqui produzido anualmente, ou seja,no~so Pffi Produto Interno Bruto. industrial, comercial, agrfoola e serviços de toda espécie, qbanto a origem ou destino.

4 PARTIDO~. RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ~ - * '" - Projeto de Lei stlrá eucaminhado ao Congresso Nadooal para normatizar e autorizar à Unilo a emitir tltulos anualmente para resgate em 21 (viate e um) aaos, em favor de todos os brasileiros ou fll.hos de brasilelros(por adoçlo), que nascerem em solo p'trio, bastando que o Pai OU a Mãe comprovem com certidão de nascimento e, com a mesma. abrir-seaá conta-poupança, em Banco Oficial do Governo (Banco do Bra.o:;.U e Caixa Econômica), Assim, a partír de 21 (vinte e um) anos. teremos umá Nação clija pobreza absoluta será banida de todo territ6rio.nacionaj e todos poderão, a partir dqs 21 (vinte e um) anos, começarem uma vida digna, com sustento mínimo para suas necessidades. 6) Criaçlo do Banco de "'" Poup8UÇIl, Emprego e DelSenvolrimeuto Ecoa8mico da Juventude A juventude brasileira, especialmente na faixa eqíria dos 18 (dezoito). aos 30 (trinta) anos; está abandonada pelos sucessivos governos, que!lssumem o Poder Central do Brasil, relegando-a, nas suas prioridades. emoora sabedores. que nosso futuro. depende dela nos próximos 1 O (dez) ou 20 (vinte) anos; Por isso. o Governo do PRTB - Partido Renovador Trabalhista BrasUelro pretende pogibilitar, com 8 eriaçio de u.m Baa.c:o de. Promoçlo e DesenvolvimeDto o financiamento dt)s jovells; que adentram. 80 mercado de trabalbo lias suas pro:fissgesescolhi<fas ou a escolher com empréstimos a c;lustos subsidiados de 3% (três por cento) ao ano mais TILP (taxa dejuros a longo prazo) mais carência de 2 (dois) ános. nos moldes do Banco Nacional de Desenvolvimento Social- BNDES. Assim, O dentista que.se. fonnar, terá o gabinete dentário fmandado; o engenheiro, a sua empresa de projetos; o advogado, o seu escritório;.0 médico, a suaclinica. Ou seja. aos que se formarem. já lhes serão possibilitados auferir ganhqs para manutenção de seu sustento e, isso, redundará em renda e impostos para o Pais. o Buco de PoupUÇ8, Emprego e Desenvolvimento Econômico da Juveatude abrirá novoscspaços para que o jovem. que também se ínicía no mercado de trabalho que terá sua colocação garantida na indústria. no comércip, na agricultura e setores de serviços, com o necessário acompanhamento curricularevocacional.

5 7) Marella para o CeRtro-Oeste Há 500 (quinhentos) anos que o Brasil se volta de costas para seu riqufssimo interior, preocupado em desenvolver mais o Jitoralatlântico, onde concentr-a suas maiores cidades e indústrias, constituindo-se em mais de 70% (setenta) por cento do Produto Intemo Bruto- PIS NacionaL Juscelino, depois dos Bandeirantes. foi o primeiro estadista a promo\rer a "'marcha para o centro-oeste do BmsW' nos idos dos anos 5Q (cinqüenta), construindo Brasflia e atl'aindo para a região milhares de brasileiros, ~ Agora, pretende.,.os 4:om o governo do PRTB - Partido Renovador Tribalhista BrasileirO, reeditar e dar prosseguimento à oeupaçlo organizada dessa. ÜIIpo...nte regilo do Pais, construindo dezenas de cidades planejadas, tendo como modelo Brasília, desta feita com li implantação de indústrias siderúrgica'>, fábricas de carros, empresas de tecnologjas e agl'oindústrias. amplas rodovias e ferrovias. Deverão ser também utilizados os mais v~st()s potenciais hidrelétricos da região e o transporte aquaviário, a fl1ll de se dar vazão adéquada às enormes safras agrícolas. 8) Saôd~. Educ:açlo, HabitBçlo e Segurança A Saúde ê prioridadeabsolata para o Goverao do PRTB - Partido Renovador T..abalbista BrasUeiro na Pnsidênda da República, onde os maiores ÍDvestimentos se concentrarão ria dupücaçâo dos postos de..nendimento ambulatoriais qe emergência e prontos socorros em todos ~ municípios brasileiros. com a aquisição de milhares deambulâtlcias e novos equipamentos médicos. Seri implantado o serviço odontológico obrigatório em todo o território nacional, tendo tendo base 05 reelltsos ortamentárlos de 1% (um por ceuto) do pré-sal, que iremoi i1.sütulr. Quanto a EdueaçAg, BOSSO Governo irá implantar a informatizaçlo na alfabetização :escolar do básieo ao ensino médio em todos os municípios brasileiros, colocando a sua disposição a internet banda larga, além de boa e excelente alimentação dos alunos e areestruluração do pessoal docente em matériade cargos e salários_..

6 ,... ~28 Kt:NUVAUUI"( I t(atu \L"I~ IA OI"\A~ILr:I~U ~NOII.t[ B~1\.- A base orçameatária ampliada para todos.01 melhoramentos, também adviri de 1% (um por c:ento) do pró-sal A HabitaÇio terá ampliada a rede de tbtaaciamentos doi Bancos oftdais da Caix. Econ3mlea Federal e Banco do Brasil, dilatando-se os pruo. para até 50 (emqbenta) anos e proporcionando-se que 1% (um por cento) do pré-sal financie parte do déficit habitacional do País,.. Segúrança: Nosso goverao envidará todos OI esforfos para aprovar a PEC..300, que reestrutarari,alarialmente as polidas e eorptj de bombeiros do Pais, bem como, vamos implantar os preádiol de seguj"8nç. mámua em Ilhas e navios - prisões em alto mar. além da obrigatoriedade de todos. os detentos trabalharetn nas pe~enciârias. visando pagarem por seus gastos em alimentos e alojamentos, -: A privatlzaçio das penitenciárias será inipjanblda, 9) Revólnçlo na illfraestrutura Nadonal. A modernizado.da frota de cabotagem marítima na.cional. vísando o barateamento do transporte entre. portós nádonais;. a readequação e atualizaçãôtecnológicà dos DrJneipais portos brasileiros, visando.duphcar em 4 (quatro) anos nossas ex:p<>rtações; prosseguimento açelerado de obras já licitadas dos Aeroportos. visando não só a Copa como as Olimpíadas. pois o futuro do País está na capacidade de crescimento desse importante. '- setor em matéria de transporte de carga e passageiros; O modal ferroviário ~rá prioridade absoluta no Governo do. PRTB -Partido Renovador Trabalhista Brasileiro, que pretende. implantar ferrovías de norte a sul do Pais. inclusive o AerofreDi e o MODotrem dentro das cidades interlígando ás principais metrópoles brasileiras, entendendo. que o Metrô por ter elevado valor da implantação possui limites orçamentários insuperáveis. Sendo.assim, a mobilidade urbana deverá ser realizada. via de regra. com os Aerotrens e Monotrens muito: mais baratos e rápidos na construção e são a solução lllais moderna nos tempos que virão. Quanto ãsrodo'riu. dar"se-á curso a Rede Nacional ~xpandíndo-se e concedendo~se ã iniciaiiva privada novas oportunjdades de explorá~las com pedágios mais acessíveis a população. Os serviços de comunicações terão ênfase na Ínteração cada vez maior entre o Poder Público concedente e o prjvado. que deverá reduzir drasticamente os valores cobl'ados do consumidor usuário na melhoria dos serviços prestados. inclusive a QniversaUzação da banda-larga em todo o País.

7 A eapaddade d. energia deveri ser ampliada com o aproveitamento da capacidade total do potelleial hídrico amaz6niro e a implantaçao de pelo menos 10 (dez) novas usinas at3mieu, espalhadas de norte 8 sul do Pais. Dever-se-á avançar no aproveitamento das energias solar e eólica, que deverão ser incrementadas e barateadas para que se tomem acessíveis, inclusive, reduzindo-lhes seus impostos. Quanto às energias renováveis. o Brasil deverá cada vez mais expandir-lhes. com incentivos no custeio e renovaçã.o tecnológica e o gás e o petróleo deverão seguir o excelente curso de c~scimento já programado pelo atual Governo. lo)brasil poti!ncia do SéeuJo XXI o Govel'llo do PRTB.,... Par1ido ReDovador TrabalhiSta Brasileiro pretende consolidar o BrasH podada comum projeto estratégico que edvolv~ primeiramente~ um Estado BrasDeiro forte interna e ).. exteraameote, tendo eomo prid.clpa. instrumento a DemtlCraeia, onde as oportunidades são iguais para todos os brasileiros e o Estado de Direito pleno e vigoroso. <;::o No plano interno, a distribuição de renda se ampliando, proporcionando melhoria na qualidade de vida, com díteítos e deveres selldo respeitados; os partidos e os poderes constituídos, legislativo. executivo e judiciário) interagindo-se em prol de toda a Nação; O Estado mais indutor do des~nvolvimento e menos intervencionista, porém. forte no combate a eventuais radicaiísmos e defensor dos menos favorecidos;.llm Estado cada vez mai. intet1ltivo no eoncerto das oaçaes; com suu forças dismuórias altamente reequipadas, ampliadas e proatu para. atuar em ter~, no ar e no mar, indusive capacitada11 atomicamente; um Estado cada vez mais presente nos organismos internacionais e no campo comercial e tecnológico; um Brasil grande vocacionado pela enonne vontade de um povo. que.deseja respeitar e ser respeitado por todos, Brasil prá frente, Levy Fi\leli.?, Presidente.

8 cartório: ZO TD Redb(> "o; thp.j1 45,5605.l72/OOO1-71 Citrllte; llooo.ooo.oooerefegll ~ p*ta ; ~oe" t2:og PIlAnDO RENOVADOR TItABAU-IlsTA aras, ÀWIIEn.o. OOS 1\IPíMOU1NS.'12'0 PlANÀt.TO PAlJLISYA $AO PAUiO $I' f4d t7.ft81 elllf.: Ml!ACnO, "'./te: PARTíoo R~OVAllOR TltAJlAV!ISfA.IIRAS. 0tI.; /l4lt'ts'-todo Ml21I8I20fO pli'ii ~ tlmlliui cio ~a: P,RQJ!rrO O ntii: S41m VIlcr ci.çlaf\ldoc Vai." di! DoIlUtll...o; RI Q,OO P*tInN; 7 IIIIol~U:.! M 44,1' 111": 1 B..~; li' S%,'~ Mtom.: 11 Ip.;.p I lif :!I,C5..~.t.ro Cl,vU r lu 2.3' 'n:.üxiciil Ju.UÇliI' li' 2,31." '. t lif I}.~CJ lif ti,clc 'fatal, 'lif '7l.,t:.!I S~"IIl! lit 0,00 A PAGAR, 1:, 'Il.'!I

PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ELEIÇÕES 2014 CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX

PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ELEIÇÕES 2014 CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX PROGRAMA DE GOVERNO DO PRTB PARTIDO RENOVADOR TRABALHISTA BRASILEIRO ELEIÇÕES 2014 CANDIDATO A PRESIDENTE LEVY FIDELIX PARA MUDAR O BRASIL, VAMOS ENDIREITAR O BRASIL 1) VAMOS MUDAR O MODELO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Educação Fiscal e Financiamento 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Vinculação Constitucional de Recursos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Art. 212. A União aplicará,

Leia mais

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista exclusiva concedida por escrito pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para o jornal Metro, edição São Paulo e edição ABC Publicada em 27 de novembro de 2009 Jornalista: Muitos

Leia mais

O Governo a apostar nos Cabo-verdianos. Incentivos Fiscais. Principais Beneficiários: Empresas /Juventude

O Governo a apostar nos Cabo-verdianos. Incentivos Fiscais. Principais Beneficiários: Empresas /Juventude O Governo a apostar nos Cabo-verdianos Incentivos Fiscais Principais Beneficiários: Empresas /Juventude Ganhos do Orçamento Geral do Estado 2010 Incentivos Fiscais A Política de Investimento para 2010

Leia mais

Programas para fortalecer a competitividade. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE TRIGO

Programas para fortalecer a competitividade. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE TRIGO Programas para fortalecer a competitividade PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE TRIGO 1 Estratégias: Diferenciação e ampliação do acesso. Objetivos: (i) Aumentar a produção interna do trigo e de

Leia mais

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Seminário: Oportunidade de Investimento no Pará Palestra: Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Palestrante: Valmir Pedro Rossi - Presidente São Paulo, 02 de dezembro de 2013 Pauta da

Leia mais

CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO

CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO Evento Tá na Mesa Federasul Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul Ministro João Augusto Ribeiro Nardes Presidente do TCU

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015

Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015 Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015 2014, ano base 2013 Dimensão Estratégica (vol. 1) e Programas Temáticos (vol. 2) Resumo do preenchimento Esther Bemerguy de Albuquerque Secretária de Planejamento

Leia mais

AUniversidade terá um papel fundamental PARA MUDAR O BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA MUDAR A EDUCAÇÃO. Eleições 98

AUniversidade terá um papel fundamental PARA MUDAR O BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA MUDAR A EDUCAÇÃO. Eleições 98 Eleições 98 LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA MUDAR A EDUCAÇÃO PARA MUDAR O BRASIL Divulgação AUniversidade terá um papel fundamental na discussão, elaboração e implementação de um novo projeto nacional de desenvolvimento.

Leia mais

Brasil. 1º Congresso de Engenheiros da Língua Portuguesa

Brasil. 1º Congresso de Engenheiros da Língua Portuguesa Brasil 1º Congresso de Engenheiros da Língua Portuguesa Maurício Muniz Secretário do Programa de Aceleração do Crescimento SEPAC Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO

Leia mais

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso Secretário-Executivo do Conselho de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria CNI Brasília, 4 de maio de 2011 1 Qualidade

Leia mais

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi PAC Programa de Aceleração do Crescimento Retomada do planejamento no país Marcel Olivi PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO Lançado em 22/01/2007 o programa é constituído por Medidas de estímulo

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

Destaques do Plano de Trabalho do Governo Chinês para 2015

Destaques do Plano de Trabalho do Governo Chinês para 2015 INFORMATIVO n.º 25 MARÇO de 2015 Esta edição do CEBC Alerta lista os principais destaques do Plano de Trabalho do governo chinês para 2015, apresentado pelo Primeiro-Ministro Li Keqiang e divulgado pela

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO CUMPRIR E FAZER CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO 1. Cumprir e fazer cumprir a

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze)

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) *C0051416A* C0051416A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) Institui isenção da contribuição para o PIS/PASEP, COFINS e CIDE- Combustíveis incidente sobre o óleo

Leia mais

PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS PAA

PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS PAA PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS PAA Marco Legal Art 19. da Lei nº10.696/2003 Fica instituído o Programa de Aquisição de Alimentos com a finalidade de incentivar a agricultura familiar, compreendendo

Leia mais

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira continuarácrescendo firmemente nos

Leia mais

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe.

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe. O Brasil Melhorou 36 milhões de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos 42 milhões de brasileiros ascenderam de classe Fonte: SAE/PR O Brasil Melhorou O salário mínimo teve um aumento real de 70% Em 2003,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO. Cláudio Roberto Fernandes Décourt Vice-Presidente Executivo

DESENVOLVIMENTO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO. Cláudio Roberto Fernandes Décourt Vice-Presidente Executivo DESENVOLVIMENTO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO Cláudio Roberto Fernandes Décourt Vice-Presidente Executivo Outubro / 2003 A MARINHA MERCANTE BRASILEIRA MMB ítens abordados: transporte internacional; cabotagem;

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL Estudo realizado com 259 empresas; Faturamento das empresas pesquisadas representando mais de 30% do PIB brasileiro; O objetivo principal é mapear e avaliar a importância

Leia mais

Compra Institucional SESAN/MDS

Compra Institucional SESAN/MDS PAA Compra Institucional SESAN/MDS Apoio à agricultura familiar: produção Garantia Safra Assistência técnica (ATER/ATES) PRONAF Seguro Agrícola PGPAF PGPM 1ª e 2ª Água Melhoria da renda dos agricultores

Leia mais

IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO!

IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO! IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO! Paulo Cezar Ribeiro da Silva Mestre em Administração FGV/RJ Coordenador da Empresa Júnior FABAVI Vitória RESUMO Trata de relatar sobre o lançamento da campanha

Leia mais

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Brasília, 22 de janeiro de 2008 NOTAS SOBRE O BALANÇO DE UM ANO DO PAC AVALIAÇÃO GERAL Pontos positivos e destaques: 1)

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO I - A QUESTÃO CENTRAL DE INCLUSÃO PRODUTIVA E SOCIAL

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO I - A QUESTÃO CENTRAL DE INCLUSÃO PRODUTIVA E SOCIAL 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO I - A QUESTÃO CENTRAL II - OBJETIVO ESSENCIAL - MICROCRÉDITO COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO PRODUTIVA E SOCIAL III - FUNDAMENTOS, NORMATIZAÇÃO E OPERACIONALIDADE DO PROGRAMA MUNICIPAL

Leia mais

ELEIÇÃO 2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA 27 BRASIL

ELEIÇÃO 2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA 27 BRASIL ELEIÇÃO 2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA 27 BRASIL DIRETRIZES GERAIS DE GOVÊRNO COMPROMISSO DA SOCIAL DEMOCRACIA CRISTÃ NO EXERCÍCIO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. APLICAR OS VALORES DA DEMOCRACIA CRISTÃ

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Penna) Dispõe sobre a criação do Plano de Desenvolvimento Energético Integrado e do Fundo de Energia Alternativa. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Ficam instituídos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2005

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2005 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2005 Cria a Zona Franca de São Luís, no Estado do Maranhão. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Fica criada a Zona Franca de São Luís, no Estado do Maranhão, definida

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

Sugestões do CREA-BA e Entidades Profissionais para os candidatos ao Governo do Estado, gestão 2015-2018.

Sugestões do CREA-BA e Entidades Profissionais para os candidatos ao Governo do Estado, gestão 2015-2018. Sugestões do CREA-BA e Entidades Profissionais para os candidatos ao Governo do Estado, gestão 2015-2018. 1. Considerações iniciais. O Sistema CONFEA/CREA. O Sistema CONFEA/CREA é constituído por um Conselho

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL TEMAS VOLUME DE RECURSOS Do aporte nacional, garantir para o RS no mínimo 20% (vinte por cento) dos recursos para financiamento agropecuário de forma oportuna, tempestiva e suficiente. Aumentar os limites

Leia mais

Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como "Sonho Brasileiro".(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas

Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como Sonho Brasileiro.(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas Na Crise - Esperança e Oportunidade. Desenvolvimento como "Sonho Brasileiro".(Desenvolvimento com Inclusão). Oportunidade para as Favelas Rio de Janeiro, 17 de setembro de 2009 Fórum Especial INAE Luciano

Leia mais

Financiamento e gasto da Política Social brasileira Brasil

Financiamento e gasto da Política Social brasileira Brasil Financiamento e gasto da Política Social brasileira Brasil Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais (Disoc) do IPEA Brasília, 21 de outubro de 2011 POLÍTICAS SETORIAIS

Leia mais

10 motivos para investir e se apaixonar

10 motivos para investir e se apaixonar 10 motivos para investir e se apaixonar CONHEçA UM POUCO MAIS SObRE A CIDADE que NãO PARA DE CRESCER E que TEM TUDO PARA fazer O MESMO PELA SUA EMPRESA. o Brasil está se firmando como um gigante do desenvolvimento

Leia mais

Ministério das Cidades. SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana

Ministério das Cidades. SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Política Nacional de Mobilidade Urbana A Presidência da República sancionou a Lei nº 12.587, em 3 de janeiro de

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 21- Compete à União: TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO I - Manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais; II - Declarar a guerra e celebrar

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 Um relatório para o Governo do Estado do Rio Grande Sul (AGDI) e

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 Araxá, 08/03/13 57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 O Futuro do Transporte Urbano nas Cidades de Pequeno e Médio Porte Compete à União: XX instituir diretrizes

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 Inclui as doações aos Fundos controlados pelos Conselhos de Assistência Social na permissão para dedução do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas.

Leia mais

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 58, de 13 de outubro de 1989, do Congresso Nacional.

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 58, de 13 de outubro de 1989, do Congresso Nacional. Acordo sobre Transportes Marítimos entre a República Federativa do Brasil e a República Argentina Assinado em 15 de agosto de 1985, em Buenos Aires. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 58, de 13 de outubro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012. Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012.

RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012. Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012. RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012. Estabelece as condições para contratação dos financiamentos passíveis de subvenção econômica

Leia mais

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO AGENDA PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO O PROGRAMA PROGRAMA PARA DESENVOLVIMENTO DA CABOTAGEMNO BRASIL, COM A PARTICIPAÇÃO DOS ORGÃOS INTERVENIENTES, ATRAVÉS DE UM GRUPO

Leia mais

PROJETO DE LEI N 504/2013

PROJETO DE LEI N 504/2013 PROJETO DE LEI N 504/2013 AUTORIZA A CONCESSÃO DE AUXÍLIO TRANSPORTE AOS ESTUDANTES DE CURSO SUPERIOR E CURSO TÉCNICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Povo do Município de Nepomuceno, Minas Gerais, por seus

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes Com o objetivo de garantir a presença da população na construção e no planejamento de políticas públicas, o Governo de Minas Gerais instituiu

Leia mais

Áreas de atuação. Tavolaro Advogados. Direito Administrativo. Direito Imobiliario. Direito Civil e Processual Civil.

Áreas de atuação. Tavolaro Advogados. Direito Administrativo. Direito Imobiliario. Direito Civil e Processual Civil. O Escritório Tavolaro Sociedade de Advogados é uma banca de advogados fundada há quase 40 anos, por Luiz Antonio Tavolaro, e atuante em todo o Estado de São Paulo em diversas áreas do direito. O escritório

Leia mais

Agro-Combustíveis e segurança alimentar

Agro-Combustíveis e segurança alimentar Agro-Combustíveis e segurança alimentar Jean Marc von der Weid Novembro/2008 Não há dúvida de que estamos vivendo o início de uma grave crise alimentar mundial. Após décadas de excedentes na produção agrícola

Leia mais

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros!

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! Consórcio Imobiliário na prática Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! 1 Sobre a empresa A A+ Consórcios iniciou suas atividades com o objetivo de gerir

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Brasil. Oportunidades de Investimento Batimat 2011. Miriam Belchior. Ministra de Estado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Brasil. Oportunidades de Investimento Batimat 2011. Miriam Belchior. Ministra de Estado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Brasil Oportunidades de Investimento Batimat 2011 Miriam Belchior Ministra de Estado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão BRASIL VIVE UM MOMENTO EXITOSO Quatro movimentos estruturais explicam

Leia mais

Emendas Impositivas e Sistema de Monitoramento de Obras -SISMOB. Porto Alegre/RS, 14 de julho de 2015

Emendas Impositivas e Sistema de Monitoramento de Obras -SISMOB. Porto Alegre/RS, 14 de julho de 2015 Emendas Impositivas e Sistema de Monitoramento de Obras -SISMOB Porto Alegre/RS, 14 de julho de 2015 Emendas Parlamentares 2015 Orçamento Impositivo Orçamento Impositivo A Emenda Constitucional 86/2015

Leia mais

Evolução Recente do Pronaf-Crédito 1999 a 2013

Evolução Recente do Pronaf-Crédito 1999 a 2013 1 Evolução Recente do Pronaf-Crédito 1999 a 2013 Fernando Gaiger Silveira Alexandre Arbex Valadares Resumo: O PRONAF está prestes a completar 20 anos, tendo seu carro chefe, o crédito, apresentado um desempenho,

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 14 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA 1 REGULAMENTA O FUNDO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE ALTO BELA VISTA GERAINVEST, REVOGA DECRETO 1883 E DA OUTRAS PROVIDENCIAS O Prefeito Municipal de Alto Bela Vista, Estado de Santa Catarina, no uso

Leia mais

Desoneração da carga tributária. (versão preliminar)

Desoneração da carga tributária. (versão preliminar) CONTAG Coletivo Nacional de Política Agrícola Desoneração da carga tributária sobre os produtos alimentícios (versão preliminar) Brasília, 24 de abril de 2009. Objetivo geral: subsidiar a proposta de discussão

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR Muito embora não seja uma novidade, já que a maioria das pessoas estejam obrigadas a entregar a Declaração de Imposto de Renda, trazemos aqui alguns

Leia mais

Crise e respostas de políticas públicas Brasil

Crise e respostas de políticas públicas Brasil Crise e respostas de políticas públicas Brasil Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos Sociais Brasília, 08 de setembro de 2009 Situação

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 1.384, DE 2011 Dispõe sobre critérios complementares para a execução da política de estoques públicos vinculados

Leia mais

Agregados macroeconômicos:

Agregados macroeconômicos: 2.1 Introdução Agregados macroeconômicos: Contabilidade social Capítulo II Macroeconomia: ramo da teoria econômica que estuda a determinação e o comportamento dos agregados nacionais. a parte relativa

Leia mais

Investimento em infraestrutura: o que precisa ser feito?

Investimento em infraestrutura: o que precisa ser feito? SESSÃO TEMÁTICA Investimento em infraestrutura: o que precisa ser feito? Brasília, 17 de novembro de 2009 Perspectivas de Investimentos O Brasil está diante de uma oportunidade inédita para aumentar de

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.019, DE 21 DE JANEIRO DE 1992 "Institui o Fundo de Industrialização do Acre FIAC, e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono

Leia mais

Unidade 6: América: contrastes no desenvolvimento

Unidade 6: América: contrastes no desenvolvimento Unidade 6: América: contrastes no desenvolvimento Capítulo 1: América: Um continente de contrastes Capítulo 2: Estados Unidos e Canadá Apresentação elaborada pelos alunos do 8º Ano C Montanhas Rochosas

Leia mais

Para mais informações sobre o livro e/ou temas tratados, visite o nosso website ou entre em contato conosco. www.veraxc.com

Para mais informações sobre o livro e/ou temas tratados, visite o nosso website ou entre em contato conosco. www.veraxc.com Para mais informações sobre o livro e/ou temas tratados, visite o nosso website ou entre em contato conosco. www.veraxc.com Resumo PG1_sem creditos nas figuras.qxd 12/6/2008 15:14 Page 17 Construção naval:

Leia mais

Ato normativo do Ministério da Fazenda estabelecerá a metodologia de implementação da ação. Localizador (es) 0051 - No Estado de Mato Grosso

Ato normativo do Ministério da Fazenda estabelecerá a metodologia de implementação da ação. Localizador (es) 0051 - No Estado de Mato Grosso Programa 0902 - Operações Especiais: Financiamentos com Retorno 0029 - Financiamento aos Setores Produtivos da Região Centro-Oeste Número de Ações 21 UO: 74914 - Recursos sob Supervisão do Fundo Constitucional

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 8.475.000 8.475.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 80.649.880 80.649.880 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.245.000 3.245.000

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES

CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 Din Din Copa Santander Libertadores MODALIDADE:

Leia mais

Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China

Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China Esta aula tratará da análise comparativa do processo de desenvolvimento da China e da Índia, países que se tornaram

Leia mais

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO?

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO? AGROVISION Brasília Prof. Clímaco Cezar (climaco23@gmail.com) PROGRAMAS: AGRORENDA E PESAGRO AGRORENDA: O SEGURO DE RENDA MUITO BARATO PARA PROTEGER OS INTERESSES DOS AGRICULTORES E DESENVOLVER O AGRONEGÓCIO

Leia mais

Apoio à comercialização da agricultura familiar

Apoio à comercialização da agricultura familiar Apoio à comercialização da agricultura familiar Programa de Aquisição de Alimentos 1. Contexto Liberalização dos mercados de produtos agrícolas (anos 90) Intenso processo de concentração de capitais no

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Como Financiar os Investimentos em Infraestrutura no Brasil? FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO - OS NÓS DA INFRAESTRUTURA São Paulo, 13 de setembro de 2012 Luciano Coutinho Presidente No longo prazo, economia

Leia mais

LEI Nº 3.601 DE 11 DE AGOSTO DE 2009

LEI Nº 3.601 DE 11 DE AGOSTO DE 2009 LEI Nº 3.601 DE 11 DE AGOSTO DE 2009 ALTERA dispositivos da Lei Municipal nº 3.194, de 03 de janeiro de 2006, que dispõe sobre a política habitacional de interesse social do Município, voltada para a população

Leia mais

Análise dos impactos do Programa Bolsa Família no desenvolvimento do Nordeste

Análise dos impactos do Programa Bolsa Família no desenvolvimento do Nordeste Análise dos impactos do Programa Bolsa Família no desenvolvimento do Nordeste Francisco Diniz Bezerra Coordenador de Estudos e Pesquisas BNB/ETENE Fortaleza CE 20/11/2013 Indicadores socioeconômicos da

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

Brasil-China: Uma Agenda de

Brasil-China: Uma Agenda de Brasil-China: Uma Agenda de Colaboração Jorge Arbache BNDES Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro, 17 de junho de 2011 1 China Principal parceiro comercial do Brasil Um dos principais investidores estrangeiros

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 17 Discurso no encerramento do Fórum

Leia mais

Legislação Territorial Constituição Federal de 1988. Camila Cavichiolo Helton Douglas Kravicz Luiz Guilherme do Nascimento Rodrigues Samara Pinheiro

Legislação Territorial Constituição Federal de 1988. Camila Cavichiolo Helton Douglas Kravicz Luiz Guilherme do Nascimento Rodrigues Samara Pinheiro Legislação Territorial Constituição Federal de 1988 Camila Cavichiolo Helton Douglas Kravicz Luiz Guilherme do Nascimento Rodrigues Samara Pinheiro 01. Como a propriedade é tratada pela constituição brasileira?

Leia mais

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Política de Desenvolvimento Produtivo Elevar dispêndio em P&D Meta: 0,65% PIB Ampliar Investimento Fixo Meta: 21% PIB Posição 2007: 17,6% Macrometas 2010 Dinamização

Leia mais

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA Marketing Prof. Marcelo Cruz O MARKETING E A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA I O Impasse Liberal (1929) Causas: Expansão descontrolada do crédito bancário; Especulação

Leia mais

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 AÇÕES E PROJETOS HABITAÇÃO - 150 mil novas moradias nos próximos quatro anos, para atender a famílias que ganham até 5 salários mínimos, triplicando a produção de moradias no

Leia mais

Prezadas Senadoras, Prezados Senadores,

Prezadas Senadoras, Prezados Senadores, Carta 035/ 2015 Brasília, 12 de maio de 2015 Carta Aberta da Undime às Senadoras e aos Senadores integrantes da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal referente ao PLS 532/ 2009

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DO ÂMBITO DA APLICAÇÃO

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DO ÂMBITO DA APLICAÇÃO LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997 Dispõe sobre a ordenação do transporte aquaviário e dá outras providências. DOU 09.01.97 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu

Leia mais

Pré-Sal O petróleo que pode mudar o Brasil

Pré-Sal O petróleo que pode mudar o Brasil Pré-Sal O petróleo que pode mudar o Brasil Tarsila do Amaral (Carnaval em Madureira -1924) Cândido Protinari (Samba, óleo sobre tela.1956) Mar O Pré-Sal é Leito oceânico uma dádiva de Deus Arte Petrobras

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE METAS Gestão 2013/2016 APRESENTAÇÃO... 2 I - VISÃO DO MUNICÍPIO... 3 II COMPROMISSO... 3 III PRINCÍPIOS DE GESTÃO... 3 IV DIRETRIZES ESTRATÉGIAS... 4 PROGRAMA DE METAS DESENVOLVIMENTO URBANO...

Leia mais

Repercussões para os trabalhadores portuários em um cenário de pós FUNDAP

Repercussões para os trabalhadores portuários em um cenário de pós FUNDAP Repercussões para os trabalhadores portuários em um cenário de pós FUNDAP A utilização do ICMS como instrumento de indução do desenvolvimento regional. Reforma tributária A questão regional é uma das questões

Leia mais

"Economia Verde: Serviços Ambientais" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura Brasileira -

Economia Verde: Serviços Ambientais - Desafios e Oportunidades para a Agricultura Brasileira - "Economia Verde: Serviços Ambientais" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura Brasileira - Maurício Antônio Lopes Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Documento de Trabalho SESSÃO TEMÁTICA INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Indicador de importância das prioridades (Resultado

Leia mais

A Reforma Tributária e o Desenvolvimento

A Reforma Tributária e o Desenvolvimento A Reforma Tributária e o Desenvolvimento Por que a Reforma Tributária é Fundamental? Acelera o crescimento econômico Torna o crescimento mais sustentável É a reforma econômica mais importante Reforma Tributária

Leia mais

ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS

ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS Agência de Fomento e Desenvolvimento do Estado do Piauí S.A PIAUÍ FOMENTO Águas e Esgotos do Piauí S/A AGESPISA Companhia Administradora da Zona de Processamento

Leia mais