Guia do Mestrado em Informática

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia do Mestrado em Informática"

Transcrição

1 Guia do Mestrado em Informática Sistemas e Redes Ciência de Computadores ( ) Departamento de Ciência de Computadores Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Maio /

2 Conteúdo 1 Objectivos 3 2 Ramos da Especialidade Sistemas e Redes Ciência de Computadores Funcionamento Estrutura curricular do curso de especialização Plano de Estudos 6 5 Candidaturas Calendário Habilitações de acesso Documentos para a Candidatura Informações 8 7 LIACC 10 8 Investigadores e Áreas de Interesse 11 2

3 1 Objectivos O Mestrado em Informática visa a formação avançada e de qualidade de prossionais e investigadores em diferentes especialidades da área cientíca de Ciência de Computadores. Procura-se melhorar os conhecimentos técnicos de informática dos licenciados que visam de imediato uma carreira prossional e, simultaneamente cimentar os conceitos teóricos daqueles que pretendam prosseguir uma formação académica. Em particular, este Mestrado interessa aos licenciados que pretendam: um complemento da sua formação ao nível de licenciatura. uma actualização técnica e cientíca que permita uma melhor resposta às solicitações do mercado de trabalho. uma preparação adequada para prosseguir uma formação pós-graduada ao nível de doutoramento. 3

4 2 Ramos da Especialidade O Curso de Mestrado em Informática terá dois ramos de especialidade: Sistemas e Redes Ciência de Computadores 2.1 Sistemas e Redes Recentemente tem-se assistido a uma cada vez maior interligação entre sistemas informáticos, seja ao nível da rede ou das aplicações. Exemplos são a Internet e sistemas de dados distribuídos. Este facto tem evidenciado uma grande carência ao nível de especialistas preparados para responder às novas solicitações ao nível de administração de redes e aplicações distribuídas. Vários docentes do Departamento de Ciência de Computadores tiveram um papel determinante no projecto pioneiro da criação da rede nacional de computadores e estiveram envolvidos na gestão da rede da Universidade do Porto e do nó do Porto da Rede de Cálculo Cientíco Nacional. Os docentes desta área de especialidade desenvolvem actividades de investigação no Laboratório de Inteligência Articial e Ciência de Computadores (LIACC). Alguns dos temas de investigação que, presentemente interessam estes docentes são: Administração de Redes e Protocolos, Aplicações em Rede (Internet), Concorrência e Mobilidade, Criptograa, Processamento Paralelo e Distribuído, Programação orientada a Objectos, Sistemas de Gestão de Bases de Dados e sistemas P2P. 2.2 Ciência de Computadores Actualmente a evolução constante na área de tecnologias da informação faz com que os prossionais desta área tenham, acima de tudo, que estar preparados para uma actualização constante. Este ramo visa, através do fornecimento de conhecimentos fundamentais na área de Ciência de Computadores, preparar especialistas com uma grande capacidade de adaptação à inovação tecnológica actual. O estudo de fundamentos teóricos e metodologias de programação abordados neste ramo tem aplicação imediata em áreas como novas técnicas de programação, criptograa, concorrência e mobilidade e linguagens de formatação de documentos para a Web (XML). Os docentes desta área de especialidade desenvolvem actividades de investigação no Laboratório de Inteligência Articial e Ciência de Computadores (LIACC), da Universidade do Porto. Alguns dos temas de investigação que, presentemente interessam estes docentes são: Implementação de Linguagens de Programação, Programação Funcional, Programação Lógica, Programação Orientada a Objectos, Programação por Restrições, Processamento Paralelo e Distribuído, Concorrência e Mobilidade, Sistemas de Bases de Dados, Teoria da Informação e Complexidade, Criptograa, Teoria das Linguagens, Teoria Algoritmítica de Grafos e Lógica Computacional. 4

5 3 Funcionamento Duração e Organização 1. O Mestrado tem a duração de dois a quatro semestres. 2. O Mestrado compreende a frequência e aprovação num curso de especialização e a elaboração, discussão e aprovação de uma dissertação especialmente escrita para o efeito. A aprovação na parte escolar qualicará os alunos para a realização de um projecto individual de investigação, com a duração de dois semestres, com vista à elaboração de uma dissertação que será apresentada para discussão e aprovação. 3.1 Estrutura curricular do curso de especialização. A estrutura curricular do curso está organizada em especialidades cientícas da área de Ciência de Computadores. O número total de unidades de crédito necessárias à conclusão do curso é 19. Tendo em atenção a formação curricular anterior, poderá ser conferida a alunos das Licenciaturas em Ciência de Computadores e em Engenharia de Redes e Sistemas Informáticos do Departamento de Ciência de Computadores - FCUP a equivalência, até um máximo de 12 unidades de crédito, de disciplinas do curso de licenciatura de conteúdo programático e escolaridade que forem considerados apropriados pela Comissão Cientíca do Departamento de Ciência de Computadores da FCUP. A análise do processo de equivalência decorre na sequência de requerimento do aluno, que deve ser entregue durante o período de candidatura ao Mestrado. Mais informações em Como fazer o MI num ano lectivo. Meios computacionais O DCC possui um laboratório, reservado aos alunos de mestrado, actualmente com 12 PCs com o sistema Linux. Os alunos terão ainda acesso à rede do Departamento usando os seus portáteis pessoais através de uma ligação sem os. Os alunos terão acesso geral à Internet e localmente à sua conta de correio electrónico, a um sistema de impressão e gestão remota de cheiros. Para a realização do projecto de investigação os alunos terão ainda acesso a equipamento do LIACC. Bibliotecas Os alunos de mestrado têm acesso à biblioteca do DCC que está bem dotada de livros e revistas cientícas na área de Ciência de Computadores, bem como às restantes bibliotecas das Faculdades de Ciências. 5

6 4 Plano de Estudos O Curso de Mestrado em Informática possui dois ramos de especialidade: Sistemas e Redes (SR) Ciência de Computadores (CC) Para conclusão da parte escolar do mestrado, cada aluno deve obter aprovação em 19 unidades de crédito (UC) nas disciplinas indicadas com a restrição de, no mínimo, 13 UC serem em disciplinas de um mesmo ramo de especialidade. Apresenta-se em seguida o plano de estudos do curso de especialização com a indicação da área de especialidade a que pertence cada uma das disciplinas. 1 o semestre Redes de Computadores (SR) 3T; 3UC Administração de Sistemas e Redes (SR) 3T; 3UC Segurança de Sistemas e de Redes I (SR) 3T; 3UC Sistemas de Bases de Dados (SR) 3T; 3UC Modelos Formais de Computação (CC) 3T; 3UC Programação Funcional (CC) 3T; 3UC Métodos Quantitativos e Restrições (CC) 3T; 3UC Tópicos Avançados de Inteligência Articial (CC) 3T; 3UC Tópicos Avançados de Informática (CC e SR) 4T; 4UC 2 o semestre Aplicações Distribuídas e Internet (SR) 3T; 3UC Arquitectura de Redes de Computadores (SR) 3T; 3UC Bases de Dados e Internet (SR) 3T; 3UC Segurança de Sistemas e de Redes II (SR) 3T; 3UC Complexidade Computacional e Algoritmos (CC) 3T; 3UC Programação em Lógica (CC) 3T; 3UC A disciplina de Tópicos Avançados de Informática é obrigatória, as restantes disciplinas são opcionais. Esta disciplina funciona por módulos e pretende apresentar aos alunos vários tópicos avançados da área. Este ano irão funcionar os seguintes módulos: 1. Programação Paralela 2. Concorrência e Mobilidade 3. Sistemas Distribuidos 4. Implementação de linguagens 5. Complexidade Computacional 6. Lógica Computacional 6

7 5 Candidaturas O Mestrado possui um numerus clausus de 20, com 35% reservado prioritariamente a docentes do ensino superior. 5.1 Calendário Primeira Fase de Admissão: Candidaturas a Selecção de candidatos 18 a Inscrições 25 a Segunda Fase de Admissão: Candidaturas 5 a Selecção de candidatos 19 a Inscrições 26 a Calendário lectivo: O calendário lectivo e o período de exames coincidirão com os estabelecidos pela Faculdade de Ciências. 5.2 Habilitações de acesso 1. São admitidos à inscrição no curso de Mestrado em Informática os licenciados em Ciência de Computadores, em Engenharia de Redes e Sistemas Informáticos, em Ciências da Computação, em Engenharia Informática ou em licenciaturas ans com a classicação mínima de catorze (14) valores. 2. A Comissão de Coordenação do Mestrado poderá ainda propor ao Conselho Cientíco da Faculdade de Ciências a admissão à inscrição do curso de Mestrado: (a) Os candidatos que tenham uma licenciatura em Ciência de Computadores, em Engenharia de Redes e Sistemas Informáticos, em Ciências da Computação, em Engenharia Informática ou em licenciaturas ans, com classicação inferior a catorze (14) valores, desde que o respectivo currículo demonstre uma adequada preparação cientíca de base. (b) Os candidatos titulares de outras licenciaturas (ou de graus universitários estrangeiros), desde que o respectivo currículo demonstre uma adequada preparação cientíca de base. 5.3 Documentos para a Candidatura Para a candidatura são necessários os seguintes documentos: Certicado de licenciatura. Se possível, deverá incluir informação sobre as disciplinas que frequentou e classicações obtidas. Curriculum Vitae detalhado. Boletim de candidatura (.pdf), e requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Cientíco da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, indicando qual o ramo de especialidade a que se candidata (.pdf). 7

8 Enviar os documentos para: Presidente do Conselho Cientíco, Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Praça Gomes Teixeira, Porto (Portugal) Note que é obrigatória a entrega atempada na secretaria (no acto de candidatura) do boletim de candidatura devidamente preenchido uma vez que é necessário um número minimo de alunos para o funcionamente de disciplinas opcionais. URL da FCUP: URL do Conselho Cientíco: Para requerer possiveis equivalências a disciplinas da licenciatura consultar Como Fazer um Mestrado num ano Lectivo. 6 Informações Para mais informações poderá contactar: A Comissão do Mestrado: Luís Antunes (Coordenador), Prof. Auxiliar Luís Lopes, Prof. Associado Manuel Eduardo Correia, Prof. Auxiliar A Comissão de de Coordenação de Mestrado é responsável por elaborar anualmente a proposta de funcionamento e o plano de estudos do curso de especialização, selecção dos candidatos ao mestrado, aceitação e nomeação do orientador da dissertação e da proposta do júri. Endereço electrónico da comissão do Gabinete de Pós-Graduação O Gabinete de Pós-Graduação da FCUP disponibiliza e presta informação ao nível dos procedimentos administrativos. O Gabinete pode ser contactado por correio, fax, ou correio electrónico: Gabinete de Pós-Graduação Praça Gomes Teixeira Porto Tel.: Fax: URL: Coordenação e Informações: Para contactar os docentes/investigadores associados ao mestrado e, em particular, os membros da comissão do mestrado. 8

9 DCC-FCUP Rua do Campo Alegre, Porto Tel: Fax: URL: 9

10 7 LIACC O Laboratório de Inteligência Articial e de Ciência de Computadores (LIACC) é um centro de investigação da Universidade do Porto, criado em 1988, agrupando investigadores das Faculdades de Ciências, Economia e Engenharia. É composto actualmente por 3 grupos de investigação NCC - Núcleo de Ciência de Computadores NIAAD - Núcleo de Inteligência Articial e Análise de Dados (inclui Núcleo de Aprendizagem Automática) NIAD&R - Núcleo de Inteligência Articial Distribuída e Robótica No presente o LIACC conta com cerca de 57 membros, dos quais 23 são doutorados. Tem estado envolvido num grande número de projectos e redes de cooperação nacionais e internacionais. Alguns dos temas de investigação que, presentemente, interessam os investigadores do LIACC são: Aprendizagem Automática Simbólica Extracção de Conhecimento de Dados Implementação de Linguagens Inteligência Articial Distribuída Linguagens Orientadas a Objectos Processamento de Linguagem Natural Processamento Paralelo e Distribuído Programação Lógica e por Restrições Resolução de Equações Diofantinas Robótica Inteligente Sistemas Baseados em Conhecimento Teoria da Computação Tradução Assistida por Computador Visualização e Interacção Teoria da Informação e Complexidade Criptograa Teoria algoritmica de grafos Concorrência e Mobilidade Programação Funcional 10

11 8 Investigadores e Áreas de Interesse Fornecemos a seguir alguns dos temas de investigação do interesse dos docentes e investigadores ligados ao mestrado, constituindo estes um indicador de uma área possível de trabalho de investigação para a parte de dissertação. Ana Paula Tomás Programação por restrições. Resolução de sistemas de restrições lineares Diofantinas no conjunto dos inteiros não negativos. Teoria das linguagens. António Mário Florido Análise estática de programas. Sistemas de tipos. Linguagens declarativas. Programação por restrições. Armando Matos Teoria das linguagens. Linguagens regulares. Programação em lógica. Teoria da Informação e complexidade de Kolmogorov. Complexidade estrutural. Fernando Silva Desenho e implementação de modelos para extração de paralelismo implícito em programação lógica. Ambientes de programação paralela. Algoritmos de scheduling e análise de performance de sistemas paralelos. Implementação de linguagens orientadas a objectos, com base no cálculo de processos. José Paulo Leal Visualização em programação lógica. Programação orientada a objectos: Java. Aplicações em Rede (Internet). Luís Damas Implementação de sistemas de programação lógica. Técnicas avançadas de compilação para programação em lógica. Teoria da computação. Formalismos de restrições para processamento de linguagem natural. Luís Barros Lopes Linguagens de programação baseadas em cálculos de processos. Concorrência. Mobilidade de Código e Computações. Arquitectura de computadores. Manuel Eduardo Correia Implementação de Prolog em Máquinas Paralelas, Redes de Computadores, Segurança de Sistemas Informáticos. Miguel Filgueiras Ferramentas para Tradução Assistida por Computador. Programação por Restrições e resolução de equações diofantinas. Processamento simbólico de música. Nelma Moreira Processamento de linguagem natural. Desenho e implementação de formalismos para a descrição de gramáticas lógicas com restrições. Gramáticas de categorias. Resolução de restrições em álgebras de árvores. Lógicas de ordem superior. Rogério Reis Teoria algorítmica de grafos. Apresentação de grafos. Teoria de Tipos. Complexidade e Teoria da Computação. Administração e segurança de sistemas de operação e Criptograa. 11

12 Sabine Broda Lógica matemática e teoria da computação. Lambda-calculus, tipado e não tipado, e sistemas de lógica combinatória. Teoria da demonstração. Vítor Santos Costa Implementação de sistemas de programação lógica. Técnicas avançadas de compilação para programação em lógica. Desenho e implementação de modelos para extração de paralelismo implícito em programação lógica. Técnicas de compilação para outras linguagens. Avaliação de sistemas paralelos. Michel Ferreira Implementação de Sistemas de Programação Lógica. Análise de Programas e Interpretação Abstracta. Implementação de Sistemas de Bases de Dados Dedutivas. Ricardo Lopes Programação Lógica. Paralelismo. Ricardo Rocha Tabulação e Paralelismo em Programação Lógica, Algoritmos de Scheduling. Luis Antunes Complexidade Computacional, Complexidade de Kolmogorov, Teoria da Informação, Criptograa. João Barros Modelos e Arquitecturas para Redes de Informação e Comunicação, Teoria da Informação, Protocolos de Recolha de Dados em Redes Sensoriais. Jorge Simão Agentes Autónomos, Simulação Multi-Agente. Marco Costa Inteligência Articial, Representação de conhecimento, Ontologias, Semantic web, E-learning. 12

Guia do Mestrado em Informática Sistemas e Redes & Ciência de Computadores

Guia do Mestrado em Informática Sistemas e Redes & Ciência de Computadores Guia do Mestrado em Informática Sistemas e Redes & Ciência de Computadores Faculdade de Ciências, Universidade do Porto Faculdade de Ciências da Universidade do Porto 2006-2008 http://www.dcc.fc.up.pt/mi

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA PELA FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Cláusula 1ª. Área de especialização

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA PELA FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Cláusula 1ª. Área de especialização REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA PELA FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Cláusula 1ª Área de especialização A Universidade do Porto, através da Faculdade de Engenharia,

Leia mais

Oferta Formativa Pós- Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação

Oferta Formativa Pós- Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação Instituto de Oferta Formativa Pós- Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação Especialização: Tecnologias e Metodologias da Programação no Ensino Básico 16 17 Edição Instituto de Educação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM Regulamento da PGDEEC 0 Departamento Engenharia Electrotécnica e de Computadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES (PDEEC) Departamento de Engenharia

Leia mais

V jornadas de avaliação

V jornadas de avaliação jornadas avaliação e Acreditação 14 Março Director Curso: Paula Prata Departamento Informática (DI) Departamento Informática (DI): Quem somos Trabalho senvolvido Objectivos para o futuro Licenciatura em

Leia mais

SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO E ESTRUTURA CURRICULAR DO MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO E ESTRUTURA CURRICULAR DO MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO BOLETIM OFICIAL NÚMERO ESPECIAL SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO E ESTRUTURA CURRICULAR DO MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO B. O.

Leia mais

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL PREÂMBULO O programa de doutoramento organiza, estrutura e explicita o percurso dos estudantes de doutoramento

Leia mais

Licenciatura em Engenharia Informática (LEI)

Licenciatura em Engenharia Informática (LEI) Licenciatura em Engenharia Informática (LEI) Recepção aos alunos (ano lectivo 2008 / 2009) Luís Caires Coordenador da LEI Sejam Bemvindos! Cerca de 160 novos alunos Oriundos de muitas zonas do país Origem:

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA EDITAL MESTRADO EM HISTÓRIA DE MOÇAMBIQUE E ÁFRICA AUSTRAL 2012-2014 1. INÍCIO DO CURSO Julho de 2012 (segundo

Leia mais

LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EQUIVALÊNCIAS ENTRE PLANOS CURRICULARES. Plano Curricular

LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EQUIVALÊNCIAS ENTRE PLANOS CURRICULARES. Plano Curricular LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EQUIVALÊNCIAS ENTRE PLANOS CURRICULARES Plano Curricular de 2005-2006 ECTS Plano Curricular ECTS LERCI LERC / MERC (Bolonha) Análise Matemática

Leia mais

Edital 2016/17 Terceira fase de candidaturas

Edital 2016/17 Terceira fase de candidaturas Edital 2016/17 Terceira fase de candidaturas Candidaturas à 4ª edição do Programa Doutoral Estudos de Comunicação: Tecnologia, Cultura e Sociedade. Funcionamento do 1º semestre: ULHT (Lisboa) Funcionamento

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro de 2010

Reitoria. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro de 2010 Reitoria RT-21/2010 Por proposta do Conselho Académico da Universidade do Minho, é homologado o Regulamento do Mestrado Integrado em Psicologia, anexo a este despacho. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) CONCURSO DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADO EM ASSOCIAÇÃO. Edição de 2010/2011

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) CONCURSO DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADO EM ASSOCIAÇÃO. Edição de 2010/2011 EDITAL João Alberto Sobrinho Teixeira, Presidente do Instituto Politécnico de Bragança; João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave; Maria do Rosário Gambôa

Leia mais

INUAF - INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III

INUAF - INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III Colégio de Pós Graduações Regulamento do Mestrado em Psicologia Clínica Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF) confere o grau de Mestre em Psicologia Clínica. Artigo 2º Objectivos Gerais

Leia mais

CONTABILIDADE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL

CONTABILIDADE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CONTABILIDADE ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL Técnico Especialista em Contabilidade LEGISLAÇÃO APLICÁVELL Decreto-lei nº 88/2006, de

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações Públicas.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações Públicas. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DAS RELAÇÕES PÚBLICAS Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações

Leia mais

ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS. Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores

ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS. Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores Objetivos Dotar os jovens empreendedores de conhecimentos e competências-base

Leia mais

DESPACHO Nº 60/VR/DC/2016

DESPACHO Nº 60/VR/DC/2016 DESPACHO Nº 60/VR/DC/2016 MESTRADO EM GESTÃO / MBA Sob proposta do Conselho Científico e ao abrigo do disposto nos Decretos-Leis n.º 42/2005 de 22 de fevereiro e n.º 74/2006 de 24 de março, alterado pelos

Leia mais

Orientações de Inscrição nas Unidades Curriculares. da Licenciatura em Informática

Orientações de Inscrição nas Unidades Curriculares. da Licenciatura em Informática SIFT/DCeT Orientações de Inscrição nas Unidades Curriculares da Licenciatura em Informática Versão 2016-07-14 Introdução Este documento pretende servir de guia de aconselhamento aos estudantes para a inscrição

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ECONOMIA E D I T A L

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ECONOMIA E D I T A L UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ECONOMIA E D I T A L PROGRAMA DE MESTRADO EM GESTÃO DE POLÍTICAS ECONÓMICAS 4ª EDIÇÃO/2012 BOLSAS DE ESTUDO A Universidade Eduardo Mondlane (UEM), assinou um

Leia mais

PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016

PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016 PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016 Sendo a transparência dos processos de candidatura e recrutamento de estudantes um dos elementos constituintes do sistema interno

Leia mais

MUNICÍPIO DE CORUCHE SECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

MUNICÍPIO DE CORUCHE SECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MUNICÍPIO DE CORUCHE SECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato A preencher

Leia mais

ANEXO B INFORMAÇÕES PESSOAIS

ANEXO B INFORMAÇÕES PESSOAIS ANEXO B INFORMAÇÕES PESSOAIS Nome: Telefone: e-mail: 1. Sexo: a.( ) Masculino b. ( ) Feminino 2. Idade: a. ( ) 21 30 anos b. ( ) 31 40 anos c. ( ) 41 50 anos d. ( ) Mais de 50 anos FORMAÇÃO. Obs.: Caso

Leia mais

Licenciatura em Matemática

Licenciatura em Matemática Licenciatura em atemática Ano Letivo 2012/2013 Acesso Geral Códigos nstituição/curso: 0300 / 9209 Condições Prova de ingresso: atemática (19) O cálculo da nota de acesso considera: 0% da nota do ensino

Leia mais

Doutoramento em Saúde Pública

Doutoramento em Saúde Pública Doutoramento em Saúde Pública Normas regulamentares Artigo 1.º Criação do curso A Universidade Nova de Lisboa, através da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/UNL), em cumprimento do disposto no Decreto-Lei

Leia mais

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP O Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFESP Campus São José dos Campos TORNA PÚBLICO os requisitos, procedimentos e o funcionamento do Projeto de Tutoria Acadêmica

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE E SEGURANÇA ALIMENTAR

GESTÃO DA QUALIDADE E SEGURANÇA ALIMENTAR 2016>2017 mestrado GESTÃO DA QUALIDADE E SEGURANÇA ALIMENTAR regime blearning 1 APRESENTAÇÃO REGIME O curso de mestrado em Gestão da Qualidade e Segurança Alimentar em regime de Educação a Distância (EaD)

Leia mais

REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M.

REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M. CAc P 1-02/03 REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M. 1. Introdução A expansão da rede do Ensino Superior Público e Privado, que ocorreu nas décadas de 80 e 90, trouxe como consequência, aliás previsível,

Leia mais

Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008

Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008 Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008 Enquadramento e Objectivos O Mestrado em Segurança e Higiene no Trabalho é uma realização conjunta da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal

Leia mais

GESTÃO MESTRADO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO. REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos OBJETIVOS DO CURSO

GESTÃO MESTRADO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO. REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos OBJETIVOS DO CURSO MESTRADO GESTÃO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos O mestrado em Gestão é uma oferta formativa da ESTG, para o ano letivo

Leia mais

Relatório Anual da Comissão Científica do Mestrado em Ensino da Física e da Química

Relatório Anual da Comissão Científica do Mestrado em Ensino da Física e da Química MESTRADO EM ENSINO DA FÍSICA E DA QUÍMICA Relatório Anual da Comissão Científica do Mestrado em Ensino da Física e da Química 28-29 De acordo com ponto 4, alínea l) do artigo 4º, do regulamento geral de

Leia mais

Mestrado Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Mestrado Engenharia Electrotécnica e de Computadores Mestrado Engenharia Electrotécnica e de Computadores Área de Especialização em Energias Renováveis e Sistemas de Potência Edição 2007/2008 Enquadramento Especialização de Energias Renováveis e Sistemas

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Referência a que se candidata 1 Código de candidato A preencher pela entidade

Leia mais

Mestrado em Segurança Alimentar

Mestrado em Segurança Alimentar Mestrado em Segurança Alimentar Folheto 1. Organização 6. Coordenação 2. Admissão 7. Encargos 3. Candidaturas 8. Documentos para a candidatura 4. Funcionamento e Horário 9. Plano de estudos 5. Numerus

Leia mais

CALENDÁRIO DE EXAMES ÉPOCA ESPECIAL TRABALHADOR-ESTUDANTE/FINALISTAS 2013/2014 GESTÃO E INFORMÁTICA

CALENDÁRIO DE EXAMES ÉPOCA ESPECIAL TRABALHADOR-ESTUDANTE/FINALISTAS 2013/2014 GESTÃO E INFORMÁTICA GESTÃO E INFORMÁTICA Introdução à Contabilidade 15-Set. 18h00 1 - Ed.1 10-Set. 18h00 1 - Ed.1 Sistemas de Exploração e Aplicações Informáticas 11-Set. 18h00 CI 1 Métodos Matemáticos Gestão e Organização

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL - MARINHA

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL - MARINHA MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL - MARINHA Instituto Hidrográfico IH BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL* A preencher pelo candidato Bolsa / Reservado aos Serviços Nome completo:

Leia mais

Universidade de Évora Universidade de Aveiro. Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias

Universidade de Évora Universidade de Aveiro. Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias Universidade de Évora Universidade de Aveiro Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias Edital Abertura do Mestrado Gestão e Poĺıticas Ambientais Ano Letivo 2015/2016 1. O Curso

Leia mais

Técnico de Informática

Técnico de Informática Técnico de Informática Redes e Sistemas Certificado - Inclui Certificação Formato: Presencial Preço: 1800 ( Os valores apresentados não incluem IVA. Oferta de IVA a particulares e estudantes. ) Horário:

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM AUDIOLOGIA (edição )

EDITAL MESTRADO EM AUDIOLOGIA (edição ) EDITAL MESTRADO EM AUDIOLOGIA (edição -) Nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de março, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 107/2008

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

HORÁRIO ESCOLAR - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 2016 Atualizado 26/01/2016 INGRESSANTES A PARTIR DE 2010

HORÁRIO ESCOLAR - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 2016 Atualizado 26/01/2016 INGRESSANTES A PARTIR DE 2010 HORÁRIO ESCOLAR - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 2016 Atualizado 26/01/2016 INGRESSANTES A PARTIR DE 2010 1 0 ANO - 1 0. SEMESTRE (Grade Curricular Nova) Vespertino Lógica Matemática Discreta Integral I (Almir

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Santarém

Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Santarém Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Santarém Planeamento estratégico de sistemas de informação de Departamento de Informática e Métodos Quantitativos Licenciatura em Informática - 3º Ano Sistemas

Leia mais

REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ

REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ Versão aprovada em CD de 08 de Junho de 2015 Documento Regulamento de Laboratórios do ISPAJ Data 08/06/2015 Conselho de Direcção 08/06/2015 Data entrega Assembleia

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

IDIRETORI Despacho D-23/ Âmbito de aplicação

IDIRETORI Despacho D-23/ Âmbito de aplicação U LISBOA / -- IDIRETORI Despacho D-23/2015 Por decisão do Conselho Científico da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de, na sua reunião de 1 de julho de 2015, deliberou, por unanimidade, alterar

Leia mais

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1.º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha,

Leia mais

Data de nascimento Sexo: Masculino Feminino

Data de nascimento Sexo: Masculino Feminino FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

Pós-graduação Tecnologia Aeronáutica. Edital 2013/2014

Pós-graduação Tecnologia Aeronáutica. Edital 2013/2014 Pós-graduação Tecnologia Aeronáutica Edital 2013/2014 Setúbal, dezembro de 2012 ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS O curso de Pós-Graduação em Tecnologia Aeronáutica (PGTA) é uma realização da Escola Superior

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS

PROJETO DE REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS PROJETO DE REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS 2014 1 CAPÍTULO I - ÂMBITO Art.º 1.º (ÂMBITO) O presente Regulamento estabelece o regime de funcionamento dos Cursos Técnicos Superiores

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP ANEXO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º

Leia mais

MESTRADO EM AGRICULTURA BIOLÓGICA Edição

MESTRADO EM AGRICULTURA BIOLÓGICA Edição INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL (EDIÇÃO 2016-2018) Nos termos do Decreto-Lei nº42/2005, de 22 de fevereiro e do Decreto-Lei nº74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Curso de Preparação para o Concurso Externo de Ingresso. Inspetores Estagiários da Polícia Judiciária. Data Limite de Inscrição: 06 de maio

Curso de Preparação para o Concurso Externo de Ingresso. Inspetores Estagiários da Polícia Judiciária. Data Limite de Inscrição: 06 de maio Curso de Preparação para o Concurso Externo de Ingresso Inspetores Estagiários da Polícia Judiciária Data Limite de Inscrição: 06 de maio Enquadramento: Na sequência da abertura do Concurso Externo de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ IFAP CÂMPUS MACAPÁ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ IFAP CÂMPUS MACAPÁ 13 específica, de segunda-feira a sexta-feira e aos sábados, caso seja necessário para complementação do período letivo e/ou carga horária curricular. Cada aula tem durafao de 50min (cinquenta minutos),

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL. Artigo 1º. (Natureza e âmbito de aplicação)

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL. Artigo 1º. (Natureza e âmbito de aplicação) REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao estabelecido no artº. 32º do Regulamento do Ciclo de Estudos

Leia mais

Regulamento para obtenção do Grau de Mestre pelos Licenciados Pré-Bolonha. (Recomendação CRUP)

Regulamento para obtenção do Grau de Mestre pelos Licenciados Pré-Bolonha. (Recomendação CRUP) Regulamento para obtenção do Grau de Mestre pelos Licenciados Pré-Bolonha (Recomendação CRUP) Na sequência da Recomendação do CRUP relativa à aquisição do grau de mestre pelos licenciados Pré-Bolonha,

Leia mais

17272 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2015

17272 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2015 17272 Diário da República, 2.ª série N.º 123 26 de junho de 201 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Aviso n.º 7129/201 Em cumprimento do disposto na alínea d) do artigo 4.º da Lei n.º 3/2014, de 20 de junho,

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato 5-2011 CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Assistente

Leia mais

Universidade do Minho, 20 de maio de 2014.

Universidade do Minho, 20 de maio de 2014. Reitoria despacho RT/C-62/2014 Considerando: - A acreditação preliminar pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES), em 5 de abril de 2011, do Mestrado Integrado em Arquitetura, registado

Leia mais

Resolução nº 01/06. Implementação do Processo de Bolonha: Regras de Transição

Resolução nº 01/06. Implementação do Processo de Bolonha: Regras de Transição Resolução nº 01/06 Implementação do Processo de Bolonha: Regras de Transição O Decreto-Lei n.º 74/2006, dos graus e diplomas do ensino superior, define limites temporais para a coexistência entre a nova

Leia mais

Currículo do Curso de Engenharia de Produção

Currículo do Curso de Engenharia de Produção Currículo do Curso de Engenharia de Engenheiro de ATUAÇÃO O Curso de Engenharia de da UFV visa preparar profissionais que, integrando equipes interdisciplinares e articulando fatores de diferentes naturezas

Leia mais

2. São igualmente fixados: Universidade do Minho, 5 de Setembro de O Reitor, A. Guimarães Rodrigues

2. São igualmente fixados: Universidade do Minho, 5 de Setembro de O Reitor, A. Guimarães Rodrigues Divisão Académica despacho RT/C-211/2006 A Resolução SU-3/06, de 13 de Março, aprovou a adequação do Curso de Licenciatura em Engenharia BIológica, agora designado por Mestrado em Engenharia Biológica.

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR. Matriz Curricular

ESTRUTURA CURRICULAR. Matriz Curricular ESTRUTURA CURRICULAR A estrutura apresentada na organização curricular do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas fundamenta-se e obedece ao disposto na Lei nº 9.394, de 20

Leia mais

18926 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2013

18926 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2013 18926 Diário da República, 2.ª série N.º 111 11 de junho de 2013 Unidades Curriculares do Plano de Estudos anterior Unidades Curriculares do Plano de Estudos agora publicado Optativa**......................

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato A preencher pela entidade empregadora CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

Grade Curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Computação

Grade Curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Computação Grade Curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Computação Currículo 6 Aprovado pelo CDI em 30/05/16 - Carga Horária - Carga Horária Núcleo Básico 1.280h Carga Horária Núcleo Profissionalizante

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF)

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) I. DEFINIÇÃO Em atendimento às Diretrizes Curriculares do Ministério da Educação, todo aluno do Curso de Engenharia Florestal deverá, obrigatoriamente,

Leia mais

Catalogo de requisitos - Processo Seletivo

Catalogo de requisitos - Processo Seletivo Catalogo de requisitos - Processo Seletivo 006-01-2016 HABILITAÇÃO COMPONENTE TITULAÇÃO Informática Redes de Comunicação de Dados Administração de Sistemas de Informação Análise de Sistemas Análise de

Leia mais

Matriz Curricular Curso de Licenciatura em Computação Habilitação: Licenciatura em Computação

Matriz Curricular Curso de Licenciatura em Computação Habilitação: Licenciatura em Computação Matriz Curricular Curso de Licenciatura em Habilitação: Licenciatura em LC101 Leitura e produção textual 30-10 40 2 - LC102 Informática e sociedade 30-10 40 2 - LC103 Inglês básico 50-10 60 3-1º LC104

Leia mais

PROVA PÚBLICA DE ACESSO À CATEGORIA DE PROFESSOR TITULAR

PROVA PÚBLICA DE ACESSO À CATEGORIA DE PROFESSOR TITULAR Direcção-Geral dos Recursos Humanos da Educação PROVA PÚBLICA DE ACESSO À CATEGORIA DE PROFESSOR TITULAR Este manual não dispensa a leitura em pormenor do Decreto-Lei n.º 104/2008, de 24 de Junho, e do

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial

Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial Ana Camanho FEUP, 14 de março de 2016 Sumário Médias de entrada e numerus clausus Objetivo geral do curso Estrutura do curso Parcerias estratégicas

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Cálculo Financeiro

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Cálculo Financeiro INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 23/10/2013 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 26/2/2014 Ficha de Unidade

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO LABORATORIAL. (Edição 2010 2012)

EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO LABORATORIAL. (Edição 2010 2012) EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO LABORATORIAL (Edição 2010 2012) Nos termos dos Decretos Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto

Leia mais

ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h

ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h CONSTRUÇÃO ONLINE DE QUESTIONÁRIOS 21 e 28 Maio - 9h às 16h ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h A ESCRITA DA ESCRITA CIENTÍFICA 18 e 25 Junho -

Leia mais

NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico Do Porto A.1.a.

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 5ª. Série Programação Distribuída A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido

Leia mais

MBA INSCRIÇÕES ABERTAS. em Gestão de Projectos. Início das aulas: dia 21 de Março. 3ª Edição. Com opção de Mestrado Pro ssionalizante ou Académico

MBA INSCRIÇÕES ABERTAS. em Gestão de Projectos. Início das aulas: dia 21 de Março. 3ª Edição. Com opção de Mestrado Pro ssionalizante ou Académico MBA em Gestão de Projectos Com opção de Mestrado Pro ssionalizante ou Académico 3ª Edição INSCRIÇÕES ABERTAS Início das aulas: dia 21 de Março Parceiro Entidade acreditada por: Telf: 82 313 2200 82 309

Leia mais

Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Introdução à Engenharia de Informação

Introdução à Engenharia de Informação Introdução à Engenharia de Informação Prof a. Marta Mattoso marta@cos.ufrj.br http://www.cos.ufrj.br/~marta COPPE- Sistemas / UFRJ Apresentação do Curso e Conceitos Básicos Roteiro Introdução Conceitos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA EDITAL DE SELEÇÃO PARA MONITORIAS PERÍODO 2016-2 A Comissão de Monitoria do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de Sergipe, através do

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Exames Nacionais de Língua Portuguesa e Matemática 9º ANO As provas de exame de Língua Portuguesa e de Matemática incidem sobre as aprendizagens e competências

Leia mais

FACULDADE CESAR Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife

FACULDADE CESAR Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife FACULDADE CESAR Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE: TECNOLOGIAS, TÉCNICAS E APLICAÇÕES (SIES:TTA)

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Científico

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Científico RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Por deliberação da Comissão Coordenadora do, de 3

Leia mais

Programação. Corpo Docente Página da disciplina Funcionamento Avaliação Suporte informático. Aulas teóricas/problemas

Programação. Corpo Docente Página da disciplina Funcionamento Avaliação Suporte informático. Aulas teóricas/problemas Programação https://fenix.ist.utl.pt/disciplinas/pro364/ deec-prog@disciplinas.ist.utl.pt Sumário Corpo Docente Página da disciplina Funcionamento Avaliação Suporte informático 01-2 Corpo Docente Aulas

Leia mais

Porto, 9 de Novembro de 2012

Porto, 9 de Novembro de 2012 Associação Portuguesa de Comerciantes de Materiais de Construção Porto, 9 de Novembro de 2012 Assunto: Consulta prévia para produção gráfica dos convites para as Sessões de divulgação do Manual Prático

Leia mais

MUNICÍPIO DE BRAGANÇA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

MUNICÍPIO DE BRAGANÇA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Gonçalo Paiva Dias Tecnologias da Informação 1. INTRODUÇÃO O presente documento

Leia mais

Regimento do Curso de Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Da Natureza, Finalidades e Objetivos

Regimento do Curso de Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Da Natureza, Finalidades e Objetivos Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais Campus Rio Pomba Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM BIOMECÂNICA. (edição 2010 2012)

EDITAL MESTRADO EM BIOMECÂNICA. (edição 2010 2012) EDITAL MESTRADO EM BIOMECÂNICA (edição 2010 2012) Nos termos do Decreto Lei n.º 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto Lei n.º 74/2006 de 24 de Março, com as alterações introduzidas pelo Decreto Lei n.º

Leia mais

REGULAMENTO Artigo 1.º Criação do curso Artigo 2.º Objectivos Artigo 3.º Condições de acesso Artigo 4.º Critérios de selecção

REGULAMENTO Artigo 1.º Criação do curso Artigo 2.º Objectivos Artigo 3.º Condições de acesso Artigo 4.º Critérios de selecção REGULAMENTO Artigo 1.º Criação do curso A Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC) e a Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho (EEGUM), através do seu Departamento de Economia,

Leia mais

Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura Consideração Prévia

Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura Consideração Prévia Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura Consideração Prévia A Dissertação para Conclusão do Mestrado Integrado em Arquitectura

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA O REGIME DA FUNÇÃO PÚBLICA À LUZ DA NOVA LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS

CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA O REGIME DA FUNÇÃO PÚBLICA À LUZ DA NOVA LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA O REGIME DA FUNÇÃO PÚBLICA À LUZ DA NOVA LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS I Objetivo pedagógico geral Esta oferta formativa, extracurricular, de preparação e aperfeiçoamento,

Leia mais

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA ÁREA CIENTÍFICA DE ENFERMAGEM DO ADULTO E IDOSO Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica REGIME DE FREQUÊNCIA, AVALIAÇÃO, PRECEDÊNCIAS

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EMENTAS º PERÍODO CURSO: ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EMENTAS - 2016.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: CÁLCULO I DISCIPLINA: FÍSICA I Estudo do centro de Massa e Momento Linear. Estudo da Rotação. Estudo de Rolamento, Torque

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Instituto Politécnico de Setúbal www.estsetubal.ips.pt Vias de Acesso às Licenciaturas da ESTSetúbal/IPS 12º Ano + Prova(s) de Ingresso Concurso Nacional Preferências:

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO CONCURSO EXTERNO DE INGRESSO

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO CONCURSO EXTERNO DE INGRESSO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO CONCURSO EXTERNO DE INGRESSO CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato OE201404/0223 CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO

Leia mais

II ESTUDOS AVANÇADOS (PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADO) EM DIREITO E SEGURANÇA NA GNR 2006/2008

II ESTUDOS AVANÇADOS (PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADO) EM DIREITO E SEGURANÇA NA GNR 2006/2008 1 II ESTUDOS AVANÇADOS (PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADO) EM DIREITO E SEGURANÇA NA GNR 006/008 REGULAMENTO Artigo 1º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece a disciplina jurídica dos II Estudos Avançados

Leia mais

FORMULÁRIO. Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais

FORMULÁRIO. Mestrado Integrado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais FORMULÁRIO 1. Estabelecimento de ensino: 2. Unidade orgânica (faculdade, escola, instituto, etc.): 3. Curso: 4. Grau ou diploma: Mestre 5. Área científica predominante do curso: Engenharia de Materiais.

Leia mais

Doutoramento em em Matemática Aplicada à Economia e à Gestão

Doutoramento em em Matemática Aplicada à Economia e à Gestão Doutoramento em em Matemática Aplicada à Economia e à Gestão 2010/2011 O Programa O doutoramento em Matemática Aplicada à Economia e à Gestão foi reformulado como curso de 3º ciclo, de acordo com a legislação

Leia mais