Leia os textos 1, 2 e 3 para responder às questões de 01 a 05. Texto 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Leia os textos 1, 2 e 3 para responder às questões de 01 a 05. Texto 1"

Transcrição

1 04 Leia os textos, e para responder às questões de 0 a 05. Texto Discurso do presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, na Assembleia da NU/0 Sou do sul e venho do sul a esta Assembleia, carrego inequivocamente os milhões de compatriotas pobres, nas cidades, nos desertos, nas selvas, nos pampas, nas depressões da América Latina, pátria de todos que está se formando. Carrego as culturas originais esmagadas com os restos de colonialismo nas Malvinas, com bloqueios inúteis a este jacaré sob o sol do Caribe que se chama Cuba. Carrego as consequências da vigilância eletrônica, que não faz outra coisa que não despertar desconfiança. Desconfiança que nos envenena inutilmente. Carrego uma gigantesca dívida social com a necessidade de defender a Amazônia, os mares, nossos grandes rios na América. Carrego o dever de lutar por pátria para todos. Nossa civilização montou um desafio mentiroso e, assim como vamos, não é possível satisfazer esse sentido de esbanjamento que se deu à vida. Isso se massifica como uma cultura de nossa época, sempre dirigida pela acumulação e pelo mercado. Prometemos uma vida de esbanjamento, e, no fundo, constitui uma conta regressiva contra a natureza, contra a humanidade no futuro. Civilização contra a simplicidade, contra a sobriedade, contra todos os ciclos naturais. pior: civilização contra a liberdade que supõe ter tempo para viver as relações humanas, as únicas que transcendem: o amor, a amizade, aventura, solidariedade, família. Civilização contra tempo livre que não é pago, que não se pode comprar, e que nos permite contemplar e esquadrinhar o cenário da natureza. Arrasamos a selva, as selvas verdadeiras, e implantamos selvas anônimas de cimento. Enfrentamos o sedentarismo com esteiras, a insônia com comprimidos, a solidão com eletrônicos, porque somos felizes longe da convivência humana. uvimos da biologia que defende a vida pela vida, como causa superior, e a suplantamos com o consumismo funcional à acumulação. A política, eterna mãe do acontecer humano, ficou limitada à economia e ao mercado. De salto em salto, a política não pode mais que se perpetuar, e, como tal, delegou o poder, e se entretém, aturdida, lutando pelo governo. Debochada marcha de historieta humana, comprando e vendendo tudo, e inovando para poder negociar de alguma forma o que é inegociável. Há marketing para tudo, para os cemitérios, os serviços fúnebres, as maternidades, para pais, para mães, passando pelas secretárias, pelos automóveis e pelas férias. Tudo, tudo é negócio. Todavia, as campanhas de marketing caem deliberadamente sobre as crianças, e sua psicologia para influir sobre os adultos e ter, assim, um território assegurado no futuro. Sobram provas de que essas tecnologias são bastantes abomináveis e que, por vezes, conduzem a frustrações e mais. homenzinho médio de nossas grandes cidades perambula entre os bancos e o tédio rotineiro dos escritórios, às vezes temperados com ar condicionado. Sempre sonha com as férias e com a liberdade, sempre sonha com pagar as contas, até que, um dia, o coração para, e adeus. Haverá outro soldado abocanhado pelas presas do mercado, assegurando a acumulação. A crise é a impotência, a impotência da política, incapaz de entender que a humanidade não escapa nem escapará do sentimento de nação. Sentimento que está quase incrustado em nosso código genético. Hoje é tempo de começar a talhar para preparar um mundo sem fronteiras. A economia globalizada não tem mais condução que não seja o interesse privado, de muitos poucos, e cada Estado Nacional mira sua estabilidade continuísta, e hoje a grande tarefa para nossos povos, em minha humilde visão, é o todo. Talvez nosso mundo necessite menos de organismos mundiais, desses que organizam fóruns e conferências, que servem muito às cadeias hoteleiras e às companhias aéreas e, no melhor dos casos, não reúnem ninguém e nem se transformam em decisões. Continuarão as guerras e, portanto, os fanatismos, até que, talvez, a mesma natureza faça um chamado à ordem e torne inviáveis nossas civilizações. Talvez nossa visão seja demasiado crua, sem piedade, e vemos ao homem como uma criatura única, a única que há acima da terra capaz de ir contra sua própria espécie. olto a repetir, porque alguns chamam a crise ecológica do planeta de consequência do triunfo avassalador da ambição humana. Esse é nosso triunfo e também nossa derrota, porque temos impotência política de nos enquadrarmos em uma nova época. E temos contribuído para sua construção sem nos dar conta. A cobiça, tão negativa e tão motor da história, essa que impulsionou o progresso material, técnico e científico, que fez o que é nossa época e nosso tempo, um fenomenal avanço em muitas frentes, paradoxalmente, essa mesma ferramenta, a cobiça, que nos impulsionou a domesticar a ciência e transformá-la em tecnologia, nos precipita a um abismo nebuloso. A uma

2 história que não conhecemos, a uma época sem história, e estamos ficando sem olhos nem inteligência coletiva para seguir colonizando e para continuar nos transformando. Porque se há uma característica deste bichinho humano é a de que é um conquistador antropológico. Parece que as coisas tomam autonomia e essas coisas subjugam os homens. De um lado a outro, sobram ativos para vislumbrar tudo isso e para vislumbrar o rombo. Mas é impossível para nós coletivizar decisões globais por esse todo. A cobiça individual triunfou grandemente sobre a cobiça superior da espécie. Aclaremos: o que é "tudo", essa palavra simples, menos opinável e mais evidente? Em nosso cidente, particularmente, porque daqui viemos, embora tenhamos vindo do sul, as repúblicas, que nasceram para afirmar que os homens são iguais, que ninguém é mais que ninguém, que os governos deveriam representar o bem comum, a justiça e a igualdade. Muitas vezes, as repúblicas se deformam e caem no esquecimento da gente que anda pelas ruas, do povo comum. Não foram as repúblicas criadas para vegetar, mas, ao contrário, para serem um grito na história, para fazer funcionais as vidas dos próprios povos e, portanto, as repúblicas que devem às maiorias e devem lutar pela promoção das maiorias. Seja o que for, por reminiscências feudais que estão em nossa cultura, por classismo dominador, talvez pela cultura consumista que rodeia a todos, as repúblicas frequentemente, em suas direções, adotam um viver diário que exclui, que se distancia do homem da rua. uçam bem, queridos amigos: em cada minuto no mundo se gastam US$ milhões em ações militares nesta Terra. Dois milhões de dólares por minuto em inteligência militar!! Em investigação médica de todas as enfermidades que avançaram enormemente, cuja cura dá às pessoas uns anos a mais de vida, a investigação cobre apenas a quinta parte da investigação militar. Amigos, creio que é muito difícil inventar uma força pior que nacionalismo chauvinista das grandes potências. A força é que liberta os fracos. nacionalismo, tão pai dos processos de descolonização, formidável para os fracos, se transforma em uma ferramenta opressora nas mãos dos fortes e, nos últimos 00 anos, tivemos exemplos disso por toda a parte. Até que o homem não saia dessa pré-história e arquive a guerra como recurso quando a política fracassa, essa é a larga marcha e o desafio que temos daqui adiante. E o dizemos com conhecimento de causa. Conhecemos a solidão da guerra. No entanto, esses sonhos, esses desafios que estão no horizonte, implicam lutar por uma agenda de acordos mundiais que comecem a governar nossa história e superar, passo a passo, as ameaças à vida. A espécie como tal deveria ter um governo para a humanidade que superasse o individualismo e primasse por recriar cabeças políticas que acudam ao caminho da ciência, e não apenas aos interesses imediatos que nos governam e nos afogam. Paralelamente, devemos entender que os indigentes do mundo não são da África ou da América Latina, mas da humanidade toda, e esta deve, como tal, globalizada, empenhar-se em seu desenvolvimento, para que possam viver com decência de maneira autônoma. s recursos necessários existem, estão neste depredador esbanjamento de nossa civilização. Há poucos dias, fizeram na Califórnia, em um corpo de bombeiros, uma homenagem a uma lâmpada elétrica que está acesa há cem anos. Cem anos que está acesa, amigo! Quantos milhões de dólares nos tiraram dos bolsos fazendo deliberadamente porcarias para que as pessoas comprem, comprem, comprem e comprem. Mas esta globalização de olhar para todo o planeta e para toda a vida significa uma mudança cultural brutal. É o que nos requer a história. Nosso dever biológico, acima de todas as coisas, é respeitar a vida e impulsioná-la, cuidá-la, procriá-la e entender que a espécie é nosso nós. Transcrição e tradução do discurso feitas por Kiko Nogueira. Disponível em: <http://www.diariodocentrodomundo.com.br/>. Acesso em: 6 set. 0. (Adaptado). Texto

3 s olhos de Sebastião Salgado já viram de tudo neste mundo (e isto talvez não seja exagero). Por oito anos, o fotógrafo mineiro de 69 anos viajou por mais de 0 regiões extremas do globo, coletando imagens de dezenas de tribos, animais em extinção e paisagens raras. SALGAD, Sebastião. Disponível em: <www.estadao.com.br>. Acesso em: out. 0. Disponível em: <ww.folha.uol.com.br/ilustrada>. Acesso em: out. 0. (Adaptado). Texto Disponível em: <http://poavive.files.wordpress.com>. Acesso em: out. 0. Questão 0 Texto é um trecho do discurso do presidente do Uruguai, José Mujica, na NU. a) Em relação às categorias de pessoa, tempo e espaço, quais recursos linguísticos marcam enunciativamente o gênero "discurso" no texto? Dê exemplos. b) Quais recursos linguísticos explicitam a presença do interlocutor no discurso de Mujica, contribuindo para sua inclusão no plano da enunciação e para sua adesão às teses apresentadas pelo locutor? Exemplifique com uma frase do Texto. a) texto é um discurso de cunho político. Representante de um grupo de líderes de países que defendem uma ideologia contrária ao capitalismo contemporâneo, o presidente uruguaio faz uso da primeira pessoa (singular e plural). Como o ponto de vista é sobre a conjuntura atual, predomina o tempo presente. espaço é marcado logo no início: esta assembleia, fórum internacional de debates, na NU, em que o discursante expõe argumentativamente suas ideias. b) Para conseguir adesão de seus pares naquela assembleia da NU, o presidente Mujica usa a primeira pessoa do plural, aliada aos vocativos amigos e amigo em: uçam bem, queridos amigos... Questão 0 Considerando o trecho "Porque se há uma característica deste bichinho humano é a de que é um conquistador antropológico" (Texto ), a) explique a função de "porque" para o desenvolvimento da temática explorada por Mujica. b) Além de bichinho, Mujica usa outra palavra no diminutivo. Transcreva-a do texto e explique o sentido que essa palavra confere aos argumentos do presidente.

4 a) conectivo que abre o parágrafo retoricamente reforça a ideia da contradição que marca a humanidade hoje: a ambição do homem, que o levou a conquistas na ciência e na tecnologia, leva-o ao abismo nebuloso. Atualmente, segundo o discurso, valorizase a conquista individual em detrimento do avanço da coletividade. b) Historieta (8º parágrafo) e homenzinho (0º parágrafo) são exemplos de vocábulos usados no diminutivo, com intenção pejorativa. Assim como bichinho, os termos enfatizam a mediocridade da vida contemporânea, caracterizada pela valorização do consumismo, da sociedade de mercado. Questão 0 Explique por que o modelo de civilização apresentado por Sebastião Salgado (Texto ) constitui um paradoxo em relação ao modelo de civilização criticado por Mujica (Texto ). paradoxo consiste na representação, no texto, de um modelo de civilização que vai de encontro ao modelo criticado pelo presidente uruguaio. Na tela, os nativos são retratados em um vida em contato harmônico com a natureza, desfrutando coletivamente do tempo livre, com total liberdade e alheios à mentalidade consumista. Questão 04 humor da charge (Texto ) é criado por meio de uma ironia que incide sobre um argumento que não se sustenta. a) Que argumento é esse? Explique por que esse argumento não se sustenta. b) Cite um trecho do Texto em que o presidente do Uruguai apresenta razões para a existência desse tipo de ironia. a) A ironia se constrói sobre o argumento de que a perda da moradia seria compensada por um aumento de renda durante a Copa, quando haveria maior quantidade de latinhas a serem recolhidas. Esse argumento não se sustenta, pois tal vantagem será temporária, ao passo que a perda (da moradia) será definitiva. b) Debochada marcha de historieta humana, comprando e vendendo tudo, e inovando para poder negociar de alguma forma o que é inegociável. Questão 05 A relação do homem com o tempo e o espaço está presente nos textos, e. Nesse sentido, responda: a) Como a noção de tempo livre é apresentada em cada um desses textos? b) A palavra "selva" pode ser relacionada aos três textos apresentados, adquirindo diferentes sentidos em cada um deles. Qual sentido essa palavra adquire em cada texto? a) No texto, a noção de tempo livre é algo inacessível nos dias de hoje; no texto, apresenta-se como a essência de vida daqueles nativos; e no texto, aparece implicitamente como uma referência irônica ao desemprego. b) No texto, selva significa tanto o espaço natural, as selvas verdadeiras, - também representada na imagem do texto -, quanto, figurativamente, o espaço tomado pela urbanização ( selvas anônimas de cimento ) ideia reforçada no texto. Questão 06 Leia o poema a seguir. MEU SNH Eu Cavaleiro das armas escuras, nde vais pelas trevas impuras Com a espada sanguenta na mão? Por que brilham teus olhos ardentes E gemidos nos lábios frementes ertem fogo do teu coração? Cavaleiro, quem és? o remorso? Do corcel te debruças no dorso... E galopas do vale através... h! da estrada acordando as poeiras Não escutas gritar as caveiras E morder-te o fantasma nos pés? nde vais pelas trevas impuras, Cavaleiro das armas escuras, Macilento qual morto na tumba?... Tu escutas... Na longa montanha Um tropel teu galope acompanha? E um clamor de vingança retumba? Cavaleiro, quem és? - que mistério, Quem te força da morte no império Pela noite assombrada a vagar? FANTASMA Sou o sonho de tua esperança, Tua febre que nunca descansa, delírio que te há de matar!... AZEED, Álvares de. Lira dos vinte anos. São Paulo: FTD, 994. p

5 poema transcrito emprega um recurso estrutural típico do gênero dramático e é representativo dos questionamentos ultrarromânticos recorrentes nas faces Ariel/Caliban da poesia de Álvares de Azevedo. Considerando essa afirmação e a análise do poema, responda: a) que recurso estrutural típico do gênero dramático é utilizado no poema? b) Que tema recorrente na obra de Álvares de Azevedo é abordado no poema? a) A divisão do texto em duas falas representando o diálogo entre o Eu e o Fantasma. nome que antecipa o discurso é uma representação da estrutura dramática. b) A evasão, o escapismo, representado no texto por um universo onírico que leva o eu-lírico a sonhar com um cavaleiro o qual representa a proximidade da morte, revelada pela própria voz do Fantasma. Leia o trecho a seguir. Enquanto mamãe fazia os curativos eu só pensava no cavalinho que eu ia ganhar. Todos os dias quando acordava, a primeira coisa que eu fazia era olhar se o pé estava desinchado. Seria uma maçada se vovô chegasse com o cavalinho e eu ainda não pudesse montar [...]. Mas quando a gente é menino parece que as coisas nunca saem como a gente quer. Por isso é que eu acho que a gente nunca devia querer as coisas de frente por mais que quisesse, e fazer de conta que só queria mais ou menos. Foi de tanto querer o cavalinho, e querer com força, que eu nunca cheguei a tê-lo. EIGA, José J. s cavalinhos de Platiplanto. In: Melhores contos J. J. eiga. Seleção de J. Aderaldo Castello. 4. ed. São Paulo: Global, 000. p. 0-. trecho transcrito relata uma experiência vivida pelo protagonista do conto "s cavalinhos de Plati-planto", da qual decorre um sentimento negativo que será superado por meio da fusão entre os planos da realidade e da fantasia. Considerando o trecho transcrito no contexto geral do conto, responda: a) qual a experiência vivida pelo protagonista e o sentimento negativo dela decorrente? b) Qual a estratégia utilizada para fundir os planos da realidade e fantasia e por que essa estratégia promove a superação do sentimento negativo do protagonista? Questão 07 a) avô do protagonista lhe promete um cavalinho com arreio mexicano para que a criança deixe que seu pé seja lancetado. Com a morte do avô, tal promessa não pode ser cumprida, gerando a frustração na criança. b) A estratégia utilizada foi fugir da realidade por meio do sonho. Nesse a frustração de não ter o cavalinho prometido pelo avô, no plano da realidade, acaba levando a criança a transpor para um universo mágico e imaginário o recebimento de vários cavalinhos coloridos. Liberdade, Liberdade, de Millôr Fernandes e Flávio Rangel, é uma peça que tematiza a restrição da liberdade no Brasil após o golpe militar de 964. Em sua composição, utilizam-se diversos gêneros textuais como canções, poemas, discursos políticos. Considerando o exposto, responda: a) no que se refere à temática, o que é discutido e o que é proposto a respeito da atitude política da sociedade brasileira? b) No que se refere à composição, qual técnica artística e recurso de intertextualidade são empregados na peça? Questão 08 a) A discussão gira em torno do posicionamento da sociedade brasileira vitimada pela opressão e a necessidade de buscar a liberdade. A proposta é, por meio do teatro, despertar, alertar, discutir o papel do artista e da plateia em relação ao posicionamento político. b) Quanto à composição, temos a originalidade de fundir personagem e atores por seus nomes unindo o plano da ficção ao da realidade, um jogo de anti-ilusionismo. recurso da intertextualidade é constituído a partir da bricolagem, recortando e montando trechos de outras peças dentro da própria peça, além do emprego da polifonia e do pastiche a partir de trechos da história. 5

6 Questão 09 Leia o poema e o trecho a seguir. Tudo que está fora de mim é mais, muito mais do que eu. Eu vi tudo, sem poder, eu vi sem alcançar seu vigor simples, sua despojada beleza terrena. Passaram por mim o dia, a luz, o tédio, a dignidade. Eu estive sempre aquém de toda a beleza que cerca a vida. Mas eu sou um homem, algo feito pelo que está aí fora e por minha ideia e minhas mãos. E posso transformar o mundo. EU PSS TRANSFRMAR MUND GARCIA, José Godoy. Poesias. Brasília: Thesaurus, 999. p. 6. [...] Em 95, quatro anos depois de nossa chegada a Porto Alegre, eclodiu o fracassado levante que depois ficaria conhecido como Intentona Comunista, dirigido contra o governo de Getúlio e chefiado por Luís Carlos Prestes. [...] Quatro anos depois, em 99, era assinado, pela União Soviética e pela Alemanha nazista, o pacto de não agressão que deixou perplexos e confusos, quando não revoltados, os comunistas no mundo todo. E depois veio a denúncia dos crimes de Stálin por Kruschev, a queda do muro de Berlim... Muita gente nunca perdoou as mentiras, os enganos, a perda de seus sonhos. Não é meu caso. Na verdade, tenho mais saudades do que rancores. Tenho saudades não do comunismo, que nunca cheguei a viver na prática, mas da visão do comunismo que me animava, a visão de um mundo justo, igualitário. SCLIAR, Moacyr. Eu vos abraço, milhões.. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 00. p. 46. eu lírico do poema e o protagonista do romance, nas obras citadas, distinguem-se tanto pela expectativa sobre o futuro quanto pela forma de recomposição de suas memórias. Considerando o exposto, responda: a) em relação à expectativa de futuro, em que se diferem os posicionamentos do eu lírico e do protagonista do romance? b) Em relação às formas de recomposição da memória, em que se diferem as escolhas do eu lírico e do protagonista do romance? a) A expectativa de futuro do eu-lírico é positiva. Ele crê na capacidade própria de poder transformar o mundo com as próprias mãos. protagonista do romance, já velho, percebe que os sonhos adolescentes não foram transformadores para ele nem para o mundo. b) eu-lírico recompõe suas memórias a partir da ênfase dada mais ao social do que de si mesmo tudo que está fora de mim é mais, muito mais do que eu. Enquanto o protagonista do romance recompõe a memória por um posicionamento mais pessoal do que social. Tenho saudades não do comunismo, que nunca chequei a viver na prática. Leia o trecho a seguir. Mas o cortiço já não era o mesmo; estava muito diferente; mal dava ideia do que fora. pátio, como João Romão havia prometido, estreitara-se com as edificações novas; agora parecia uma rua, todo calçado por igual e iluminado por três lampiões grandes simetricamente dispostos. [...] notavam-se por último na estalagem muitos inquilinos novos, que já não eram gente sem gravata e sem meias. A feroz engrenagem daquela máquina terrível, que nunca parava, ia já lançando os dentes a uma nova camada social que, pouco a pouco, se deixaria arrastar inteira lá para dentro. AZEED, Aluísio. cortiço. 0. ed. São Paulo: Ática, 997. p trecho transcrito ilustra as transformações física e social ocorridas no cortiço, que se relacionam com os novos rumos estabelecidos por João Romão em sua vida. Considerando esse episódio no contexto geral do romance, responda: a) que transformação física foi essa e qual sua causa imediata? b) Que relação direta se estabelece entre as mudanças ocorridas na vida de João Romão e a transformação social dos novos moradores do cortiço? Questão 0 a) A transformação física foi a reconstrução do cortiço que foi iniciada após o segundo incêndio, provocado pela personagem Paula (Bruxa) b) A relação que se estabelece é a ascensão social e econômica de João Romão, que substitui, aos poucos, a forma da exploração para atrair operários assalariados. s novos moradores irão ocupar os mais de quatrocentos e cinquenta cômodos, configurando a nova forma de exploração, a imobiliária. 6

7 º DIA - GRUP Questão -5-9 s campos magnéticos produzidos pelo corpo humano são extremamente tênues, variando tipicamente entre 0 T e 0 T. neuromagnetismo estuda as atividades cerebrais, registrando basicamente os sinais espontâneos do cérebro e as respostas aos estímulos externos. Para obter a localização da fonte dos sinais, esses registros são feitos em diversos pontos. Na região ativa do cérebro, um pequeno pulso de corrente circula por um grande número de neurônios, o que gera o campo magnético na região ativa. As dificuldades em medir e localizar esse campo são inúmeras. Para se compreender essas dificuldades, considere dois fios muito longos e paralelos, os quais são percorridos por correntes de mesma intensidade i, conforme ilustrado no arranjo da figura acima. Desconsidere o campo magnético terrestre. Com base no exposto, Detector 60º h i 60º i a) calcule o módulo do campo magnético gerado pela corrente de cada fio no ponto em que se encontra o detector, em função de h, i e 0. b) determine a intensidade da corrente i, em função de h, de 0 e do módulo do campo magnético B medido pelo detector. Detector 0º 0º 0º 0º0º 0º 0º B B d h d 60º C sen 60º hip h sen 60º sen 60º d d h d h a) B B B ' 0i B' d 0 i B' 4h i = i d 7 i = i

8 b) B B R B B B R B B B BB cos60º R B B' B' BB B ' R B B ' R i B 4h B 4h i 0 0 B Questão s peixes da família Toxotidae, pertencentes à ordem dos Perciformes, naturais da Ásia e da Austrália, são encontrados em lagoas e no litoral. Eles são vulgarmente chamados de peixes-arqueiros pela peculiar técnica de caça que utilizam. Ao longo da evolução, tais peixes desenvolveram a extraordinária habilidade de atingir suas presas, geralmente insetos que descansam sobre ramos ou folhas próximos à superfície da água, por meio de um violento jato de água disparado pela boca. Para acertar seus alvos com tais jatos de água, instintivamente os peixes levam em conta tanto a retração da água quanto o ângulo de saída do jato em relação à superfície da água. Conforme o exposto, considere um peixe-arqueiro que aviste um inseto a uma distância d d e uma altura h, como indicado na figura. Para os casos em que h d, a) calcule a distância horizontal aparente, ou seja, a distância da presa percebida pelo peixe-arqueiro devido à refração, supondo que a água possua um índice de retração n ; b) determine uma expressão para o módulo da velocidade inicial v 0 do jato de água emitido pelo peixe-arqueiro em função de d e da aceleração da gravidade g, supondo que a velocidade inicial forme um ângulo 60º com a superfície da água. a) x h 45 d 8

9 sen 45º sen ar a sen sen 0º b) tg0º x h x h tg0º x h 0 0y 60 X cos60º X sen 60º Y Y Horizontal (mu) S S t S t H x 0x d t d t ertical (muv) S S t at S o t a t d d d g d gd gd d d gd gd gd 9

10 Questão A hibernação ou letargia é um mecanismo fisiológico utilizado por diferentes animais em condições climáticas adversas e em caso de disponibilidade escassa de alimentos. As características da hibernação do urso-polar (Ursus Maritimus) tem sido intensamente estudadas nos últimos 40 anos. Medidas realizadas por meio de técnicas de calorimetria indireta têm demostrado que, no período de hibernação, os processos metabólicos, responsáveis pela produção da energia necessária à sobrevivência do urso-polar, se reduzem essencialmente ao catabolismo de lipídios. Considere um urso-polar que imediatamente antes do período de hibernação pese 600 kg e que perca 5% de sua massa corpórea ao final desse período. De acordo com o exposto, a) determine a quantidade de energia em calorias consumida pelo urso-polar durante a fase letárgica, sabendo que a oxidação de g de lipídios produz uma energia de aproximadamente 6 kj e considerando que cal 4 J ; b) o quociente respiratório QR de um organismo vivo é definido como a razão entre os volumes, por unidade de tempo, de C produzido e absorvido. Diferentes estudos apontam que o QR é igual a 0,7 no caso de ursos-polares em hibernação. Sabendo que é produzida uma energia de aproximadamente 5 kcal por litro de oxigênio absorvido, determine o volume total em m de C produzido pelo urso-polar durante sua hibernação. m lip 5% de mtotal m lip m 50kg lip a) b) g 9kcal 500 g Q 6kJ 9kcal 9 Q,5 0 cal 6,50 kcal 5kcal L 6 0, 7 0 L 5,7 0 L QR C 0,7 0,7,7 0 C,890 L, m 5 5 C C C 89m 5 Questão 4 Leia o fragmento a seguir. Após anos de resultados pouco expressivos, os números das exportações do setor automotivo voltaram a chamar a atenção nos dados da indústria. De acordo com a Anfavea, as vendas para o exterior atingiram US $,67 bilhão em agosto. Este valor apresenta um crescimento de,7% em comparação ao mesmo mês de 0. FLHA DE S. PAUL. São Paulo. 6 set. 0, p. B. (Adaptado). De acordo com essas informações, calcule o valor das exportações do setor automotivo em agosto de 0. 0 (Agosto),67 bilhões,7% 0 (Agosto)? Temos:,7, 67,7,7 bilhões 0

11 Questão 5 Na figura a seguir, as circunferências C, C, C e C 4, de centros,, e 4, respectivamente, e mesmo raio r, são tangentes entre si e todas são tangentes à circunferência C de centro e raio R. Considerando o exposto, calcule em função de R, a área do losango cujos vértices são os centros,, e 4. r Rr Como as diagonais d d R r o losango é um quadrado. R r r R r r r R r R r r R (Lado) 4R 4R S r R S S (Área) Questão 6 Candidatos inscritos ao vestibular da UFG/04- leram o livro cortiço, com 8 páginas, de uma determinada edição, iniciando-se na página. Considere que dois desses candidatos leram o livro do seguinte modo: o primeiro leu duas páginas no primeiro dia e, em cada um dos dias seguintes, leu mais duas páginas do que no dia anterior, enquanto o segundo leu uma página no primeiro dia e, em cada um dos dias seguintes, leu o dobro do número de páginas do dia anterior. Admitindo-se que os dois candidatos começaram a ler o livro no mesmo dia e que o primeiro acabou a leitura no dia 6 de outubro, determine em qual dia o segundo candidato acabou de ler o livro. Dado: log 8 7,6 L ;4;6;... PA{ r L ;;4;8;... PG { q

12 S 8 PA * n n a a n n 8 nn 8 4 n F n n8 0 n S PG a 8 n q q 8 n 8 n 8 n 8 log n log8 nlog log8 n log8 n 7,6 8 a a n r a n n ( L ) ( L ) 8 5d x 6 outubro x 6 5 x outubro º DIA - GRUP Questão grafeno (forma alotrópica do carbono) é considerado um material de elevada transparência devido à baixa absorção de luz ( % ) por monocamada formada. Em um experimento, várias camadas de grafeno foram depositadas sobre uma placa de vidro conforme apresentado na figura a seguir. Em uma das extremidades, um feixe de luz foi incidido na placa. A parte não absorvida pelo material foi transmitida e detectada com uso de um sensor posicionado acima da placa, conforme ilustrado na figura. Com base nas informações fornecidas, a) esboce um gráfico que represente a porcentagem de luz transmitida em função da quantidade de camadas de grafeno quando a placa de vidro é deslocada conforme indicado na figura. Desconsidere qualquer interferência do vidro; b) cite outras três formas alotrópicas do carbono.

13 a) % de Luz transmitida 00% 98% 96% 94% 9% 90% 88% 86% nº de monocamadas de Grafeno b) Grafite Diamante Fulereno (buckyball) Questão Em um laboratório, um analista misturou L de uma solução de ácido clorídrico 0, mol/ L com L de uma solução de hidróxido de sódio 0, mol/ L. A partir das informações fornecidas, a) escreva a equação química balanceada. b) calcule a concentração molar e o valor do ph da solução resultante. Use log 5 0, 70. a) HClaq NaHaq NaClaq Hl b) Cálculo das quantidades de ácido e base que foram misturadas. HCl NaH L 0, mol L 0, mol HCl NaH NaCl H Início: 0, mol 0, mol 0 0 Reage e Forma: 0mol, 0mol, 0mol, 0mol, Final: 0 0, mol 0, mol 0, mol Cálculo da concentração do reagente em excesso. 0, 5 0 mol/l log NaH ph H ph log50 ph, Admitindo 5 C : ph ph 4 ph, 7

14 Questão Reações de Grignard com compostos carbonílicos, em que o carbono da carbonila apresenta hibridização sp, com geometria trigonal planar, podem gerar isômeros ópticos como produtos, uma vez que o ataque do reagente pode ocorrer por um lado, ou outro, da molécula, conforme esquema simplificado a seguir. Diante do exposto, escolha um grupo alquila R do reagente de Grignard, de modo que os produtos apresentem atividade óptica e um grupo alquila para que os produtos da reação não apresentem atividade óptica. Para que o composto apresente atividade óptica o carbono da hidroxila deve apresentar quatro ligantes diferentes. Portanto, se escolhermos como o grupo alquila Ros substituintes metil CH ou etil CH CH. produto não apresentará atividade óptica. Qualquer outro substituinte alquila implicará em atividade óptica. Exemplo: propil CH CH CH Questão 4 A equação da lei dos gases ideais, P nrt, é uma equação de estado que resume as relações que descrevem a resposta de um gás ideal a mudanças de pressão, volume, temperatura e quantidade de moléculas. Considerando o exposto, demonstre, por meio de equações matemáticas, como a densidade de um gás qualquer varia em função da temperatura e determine a massa molar de um gás considerando os dados a seguir. Dados: d, ;T ; P, ; R,. ; 0 97 g L 0C 0 5 atm 6 6 L.torr.mol K atm 760 torr. P nrt m m P RT PM RT M PM d RT bserva-se, nessa equação, que a densidade do gás é inversamente proporcional à temperatura. PM 90 M d 097, RT 6, 6 48 M 5, 77g/mol Questão 5 A variação de entalpia H é uma grandeza relacionada à variação de energia que depende apenas dos estados inicial e final de uma reação. Analise as seguintes equações químicas: i) CH 8 g 5 g C g 4H l ii) Cgrafite g Cg iii) H g g H l H o 0. kj H o 94kJ H o 86kJ 4

15 Ante o exposto, determine a equação global de formação do gás propano e calcule o valor da variação de entalpia do processo. A reação de formação do propano é: Cgraf 4Hg CH8g Tal equação pode ser obtida invertendo-se a equação (i), multiplicando-se a equação (ii) por três, a equação (iii) por quatro e somando-se as etapas: Cg 4Hl CH8g 50g H 0kJ C graf C H 8kJ g g g l g 8g 4H g 4H H 44kJ C graf 4H C H H 06kJ ácido tereftálico é um composto orgânico formado de átomos de C, H e. Ele é utilizado como precursor na síntese do polímero polietileno tereftalato (PET), matéria-prima para a produção de garrafas plásticas. Esse ácido, também chamado de p-dicarboxilbenzeno com o oxigênio. A partir das nomenclaturas,, é produzido pela oxidação catalítica do p-dimetilbenzeno a) desenhe as fórmulas estruturais planas dos compostos e b) represente a fórmula estrutural plana do monômero de adição formado pela reação de esterificação do ácido tereftálico com,-etanodiol. Questão 6 ; a) C C H H p dicarboxilbenzeno CH CH p dimetilbenzeno b) C C CH CH NTA: polímero obtido é de condensação e não de adição n Questão º DIA - GRUP e 4 projeto Icedream é uma iniciativa que tem como meta levar um iceberg das regiões geladas para abastecer a sede de países áridos. A ideia do projeto é amarrar a um iceberg tabular uma cinta e rebocá-lo com um navio. A figura a seguir representa a forma que o iceberg tem no momento em que é amarrada à cinta para rebocá-lo Considerando que o iceberg é formado somente por água potável e que, após o deslocamento, 0% do volume do bloco foi perdido, determine qual a quantidade de água obtida transportando-se um iceberg com as dimensões, em metros, indicadas na figura apresentada. 5

16 8 5 c b 6 b c (volume inicial) uc Como ocorre 0% de perda, temos: (volume final) 0% 90% ,6 00 uc Questão Um empresário mantém uma rotina diária repleta de atividades. Para gerenciar a sua agenda de eventos, ele controla o tempo de forma meticulosa, chegando pontualmente aos seus compromissos e executando as suas tarefas em um tempo determinado. Por exemplo: 7 horas diárias de sono 5 minutos destinados a higiene matinal (escovar os dentes etc.) 8 minutos para tomar café da manhã 4 minutos para deslocar-se até o escritório Para ajudá-lo a controlar o tempo meticulosamente, além do seu smartphone, todos os seus utensílios domésticos e o seu automóvel estão conectados à internet e podem trocar informações entre si. Em um determinado dia, o gerenciador da agenda de eventos do smartphone recebeu as seguintes informações: i) o seu primeiro compromisso, a reunião das 8 horas, foi remarcado para as 8 horas e 45 minutos; ii) ocorreu um acidente na estrada e o trajeto para o escritório levará minutos;e iii) o automóvel acusou que precisa ser abastecido e que serão necessários 5 minutos para o abastecimento. Considerando o exposto, determine o horário em que o empresário terá de acordar e calcule, em relação ao tempo de sono diário, o porcentual de sono ganho ou perdido com a remarcação da reunião. I) Diariamente 8h (Início do trabalho) Como: t min (Tempo gasto após despertar) I D I 8h 47min 7h min (Horário máximo, para acordar e realizar toda atividade) II) Dia com imprevistos 8h 45 min (Início) Como: t min (Tempo após despertar) D II D II II 8h 45min 7min 8h 45min h min 7h 4min (Horário máximo para despertar e chegar no compromisso.) Pelos valores D I e D II, observamos um ganho de min, portanto: min P 0,05 5% 7 60min 40 6

17 Um quebra-cabeça de 00 peças mede 6 cm por 6 cm, enquanto outro quebra-cabeça de.000 peças mede 48 cm por 6 cm. Nessas condições, a) calcule a razão entre a área média de uma peça do quebra-cabeça de 00 peças e do quebra-cabeça de.000 peças, nessa ordem. b) Se uma pessoa gastou 0 horas para montar o quebra-cabeça de 00 peças e 60 horas para montar o quebracabeça de.000 peças, calcule a diferença entre a quantidade média de peças que ela colocou, por hora, para montar cada um dos quebra-cabeças. a) Questão x 6 6 x r 9,6 cm 00 x 486 x,64 cm 000 9,6 cm r r,87,64 cm 00 b) P 0 peças h P 5,6 peças h 60 D 0 5,6 D 4,4 peças h Questão 4 Um navio, que possui 0 m de altura sobre a água, passa por um canal e, em certo momento, o capitão da embarcação avista uma ponte plana sobre o canal, a qual ele desconhece as dimensões e tem de decidir se o navio pode passar sob a ponte. Para isso, ele inicia uma série de cálculos e medições. A primeira constatação que ele faz é a de que, a uma certa distância, d, da projeção da base da ponte, a inclinação do segmento que une a parte retilínea inferior da ponte e o ponto mais avançado do navio, que está a 4m de altura sobre a água, é de 7. Percorridos 0 m em linha reta em direção à ponte, ele volta a medir a inclinação, obtendo um ângulo de 0, e verifica que a distância entre a parte retilínea inferior da ponte e o ponto mais avançado do navio é de 00 m, como ilustra a figura a seguir. Ponte d 0 00 h Diante do exposto, admitindo que a superfície do rio é plana, determine a altura da ponte e conclua se esta é suficiente para que o navio passe sob ela. Dados: tg7 0, e cos 0 0,98 Temos: H 0 m (altura total do navio com nível d água) 00 h H 4 7º 0º 0 x 7

18 x cos0 x 00 0,98 x 98 m 00 h h tg7 0 x 00 h 00 0, 4 m H h44 4 H 8 m Resposta: A ponte tem uma altura, aproximada, de 8 m e é suficiente para o navio passar. Questão 5 s gráficos a seguir apresentam os dados referentes ao comércio eletrônico no Brasil em 0. s produtos mais vendidos no primeiro semestre de 0, em %,7,, 9 8,9 Roupas e acessórios Utensílios domésticos Cosméticos Eletrônicos Livros e revistas Evolução das vendas, em R$ bilhões 8 8,7, * *Projeção R$,74 bilhões foi o total vendido no primeiro semestre de 0. FLHA DE S. PAUL, São Paulo, set. 0, p.. (Adaptado). De acordo com os dados apresentados nesses gráficos, considerando que os produtos mais vendidos no segundo semestre mantenham o mesmo porcentual de vendas do primeiro semestre de 0, calcule o valor correspondente às vendas de produtos eletrônicos no segundo semestre de 0.,5 8 SEM SEM 0 0 E() E() E F 9,74,5 Bilhões ,5 Bilhões 00 Como: E E F,5,5 E E,7 Bilhões. (Montante de vendas no º semestre para atingir projeção) 8

19 As tabelas a seguir apresentam os casos de dengue no Brasil e na região Centro-este, no período de o de janeiro a 6 de fevereiro de 0. Casos de dengue por região Casos de dengue na região Centro-este Região 0 Unidade Federativa 0 População Sudeste MS Sul.40 MT Centro-este G Norte 8.45 DF Nordeste.94 Brasil Disponível em: <www.ibge.gov.br> e <g.globo.com/bemestar/noticia/0/0/casos-de-dengueno-pais-90-no-comeco-de-0-dizgoverno.html>. Acesso em: 0 out. 0. (Adaptado). De acordo com essas informações, a) calcule a diferença entre a média dos casos de dengue por unidade federativa da região Centro-este e a média dos casos de dengue por unidade federativa do Brasil no período considerado. b) Sabendo que é considerado estado de epidemia quando há incidência maior do que 00 casos para cada 00 mil habitantes, determine em quais unidades federativas da região Centro-este ocorreu estado de epidemia de casos de dengue no período considerado. Questão 6 a) xc xf D xc xf D D 7 D b) Taxa epidêmico = i 0, ims 0,06 i imt 0,004 i ig 0,004 i idf 0,000 i correu estado de epidemia em MS, MT, G. 9

20 Professores: Física Bruno Steger inícius Miranda Matemática Luis Henrique Química Gildão Thé Everton Literatura Ádino Julio César César Português Zé Laranja Argemiro Divina Colaboradores Aline Alkmin Carolina Chaveiro José Diogo Moisés Humberto Leonardo Prudente Ricardo ilela Digitação e Diagramação Daniel Alves Érika Rezende João Paulo Desenhistas Luciano Barros Rodrigo Ramos inícius Ribeiro Projeto Gráfico inicius Ribeiro Assistente Editorial aldivina Pinheiro Supervisão Editorial José Diogo Rodrigo Bernadelli Marcelo Moraes Copyright limpo0 A Resolução Comentada das provas da UFG poderá ser obtida diretamente no LIMP Pré-estibular, ou pelo telefone (6) As escolhas que você fez nessa prova, assim como outras escolhas na vida, dependem de conhecimentos, competências, conhecimentos e habilidades específicos. Esteja preparado. 0

Discurso na ONU. José Mujica. Meus erros são, em parte, filhos de meu tempo. Obviamente, os assumo, mas há vezes que medito com nostalgia.

Discurso na ONU. José Mujica. Meus erros são, em parte, filhos de meu tempo. Obviamente, os assumo, mas há vezes que medito com nostalgia. Discurso na ONU José Mujica Meus erros são, em parte, filhos de meu tempo. Obviamente, os assumo, mas há vezes que medito com nostalgia. José Mujica, presidente do Uruguai, no durante discurso na ONU,

Leia mais

Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem - 3º bimestre Ano: 2º ano Ensino Médio Data:

Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem - 3º bimestre Ano: 2º ano Ensino Médio Data: Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem - 3º bimestre Ano: 2º ano Ensino Médio Data: Disciplina: História Professor: Luis Fernando Caro estudante; Ao longo do bimestre desenvolvemos diversas

Leia mais

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02 Quando necessário considere: g = 10 m/s 2, densidade da água = 1 g/cm 3, 1 atm = 10 5 N/m 2, c água = 1 cal/g. 0 C, R = 8,31 J/mol.K, velocidade do som no ar = 340 m/s e na água = 1500 m/s, calor específico

Leia mais

a) O tempo total que o paraquedista permaneceu no ar, desde o salto até atingir o solo.

a) O tempo total que o paraquedista permaneceu no ar, desde o salto até atingir o solo. (MECÂNICA, ÓPTICA, ONDULATÓRIA E MECÂNICA DOS FLUIDOS) 01) Um paraquedista salta de um avião e cai livremente por uma distância vertical de 80 m, antes de abrir o paraquedas. Quando este se abre, ele passa

Leia mais

grandeza do número de elétrons de condução que atravessam uma seção transversal do fio em segundos na forma, qual o valor de?

grandeza do número de elétrons de condução que atravessam uma seção transversal do fio em segundos na forma, qual o valor de? Física 01. Um fio metálico e cilíndrico é percorrido por uma corrente elétrica constante de. Considere o módulo da carga do elétron igual a. Expressando a ordem de grandeza do número de elétrons de condução

Leia mais

1) d = V t. d = 60. (km) = 4km 60 2) Movimento relativo: s V rel 80 60 = t = (h) = h = 12min

1) d = V t. d = 60. (km) = 4km 60 2) Movimento relativo: s V rel 80 60 = t = (h) = h = 12min OBSERVAÇÃO (para todas as questões de Física): o valor da aceleração da gravidade na superfície da Terra é representado por g. Quando necessário, adote: para g, o valor de 10 m/s 2 ; para a massa específica

Leia mais

Resolução O período de oscilação do sistema proposto é dado por: m T = 2π k Sendo m = 250 g = 0,25 kg e k = 100 N/m, vem:

Resolução O período de oscilação do sistema proposto é dado por: m T = 2π k Sendo m = 250 g = 0,25 kg e k = 100 N/m, vem: 46 c FÍSICA Um corpo de 250 g de massa encontra-se em equilíbrio, preso a uma mola helicoidal de massa desprezível e constante elástica k igual a 100 N/m, como mostra a figura abaixo. O atrito entre as

Leia mais

Questão 57. Questão 58. Questão 59. alternativa C. alternativa C

Questão 57. Questão 58. Questão 59. alternativa C. alternativa C Questão 57 Um automóvel e um ônibus trafegam em uma estrada plana, mantendo velocidades constantes em torno de 100 km/h e 75 km/h, respectivamente. Os dois veículos passam lado a lado em um posto de pedágio.

Leia mais

c = c = c =4,20 kj kg 1 o C 1

c = c = c =4,20 kj kg 1 o C 1 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO TESTE INTERMÉDIO - 2014 (VERSÃO 1) GRUPO I 1. H vap (H 2O) = 420 4 H vap (H 2O) = 1,69 10 3 H vap (H 2O) = 1,7 10 3 kj kg 1 Tendo em consideração a informação dada no texto o calor

Leia mais

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças 1) (UNIGRANRIO) Um veículo de massa 1200kg se desloca sobre uma superfície plana e horizontal. Em um determinado instante passa a ser acelerado uniformemente, sofrendo uma variação de velocidade representada

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 Questão 01) Quando uma pessoa se aproxima de um espelho plano ao longo da direção perpendicular a este e com uma velocidade de módulo 1 m/s, é correto afirmar que

Leia mais

FÍSICA. Questões de 01 a 04

FÍSICA. Questões de 01 a 04 GRUPO 1 TIPO A FÍS. 1 FÍSICA Questões de 01 a 04 01. Considere uma partícula presa a uma mola ideal de constante elástica k = 420 N / m e mergulhada em um reservatório térmico, isolado termicamente, com

Leia mais

Resolução de Provas 2009

Resolução de Provas 2009 Resolução de Provas 2009 01.No bebedouro doméstico representado na figura, a água do garrafão virado para baixo, de boca aberta, não vaza para o recipiente onde ele se apóia, devido à pressão atmosférica.

Leia mais

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 QUÍMICA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 QUÍMICA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO Simulado 5 Padrão FUVEST Aluno: N o do Cursinho: Sala: QUÍMICA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO 1. Aguarde a autorização do fiscal para abrir o caderno de questões e iniciar a prova. 2. Duração da

Leia mais

Questão 28. Questão 30. Questão 29. alternativa E. alternativa C

Questão 28. Questão 30. Questão 29. alternativa E. alternativa C Sempre que for necessário, utilize a aceleraçãodagravidadelocalcomog= 10 m/s Questão 8 A potência hídrica média teórica da hidrelétrica de Tucuruí, localizada no Pará, é de, 10 6 kw (fonte: site oficial

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

Instruções. Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça imediatamente ao Fiscal que o substitua.

Instruções. Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça imediatamente ao Fiscal que o substitua. 2 1 Instruções Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Exercícios 3º ano Química -

Exercícios 3º ano Química - Exercícios 3º ano Química - Ensino Médio - Granbery 01-ufjf-2003- Cada vez mais se torna habitual o consumo de bebidas especiais após a prática de esportes. Esses produtos, chamados bebidas isotônicas,

Leia mais

Física. Resolução. Q uestão 01 - A

Física. Resolução. Q uestão 01 - A Q uestão 01 - A Uma forma de observarmos a velocidade de um móvel em um gráfico d t é analisarmos a inclinação da curva como no exemplo abaixo: A inclinação do gráfico do móvel A é maior do que a inclinação

Leia mais

Pelo princípio da independência dos movimentos, na horizontal, temos: V. = 0, o corpo se comporta como em queda livre, por isso: F g.

Pelo princípio da independência dos movimentos, na horizontal, temos: V. = 0, o corpo se comporta como em queda livre, por isso: F g. Questão 01 008 Um astronauta, de pé sobre a superfície da Lua, arremessa uma pedra, horizontalmente, a partir de uma altura de 1,5 m, e verifica que ela atinge o solo a uma distância de 15 m. Considere

Leia mais

O maior ângulo entre os espelhos, para que se possam enxergar onze imagens inteiras desse objeto, será de: a) 20 b) 30 c) 45 d) 60 e) 120

O maior ângulo entre os espelhos, para que se possam enxergar onze imagens inteiras desse objeto, será de: a) 20 b) 30 c) 45 d) 60 e) 120 Colégio Jesus Adolescente Ensino Médio 1º Bimestre Disciplina Física Setor B Turma 1º ANO Professor Gnomo Lista de Exercício Bimestral Aulas 6 a 8 1) A figura a seguir representa um raio de luz incidindo

Leia mais

Enem, fantasias e verdades. Rommel Fernandes

Enem, fantasias e verdades. Rommel Fernandes 2014 Enem, fantasias e verdades. Rommel Fernandes Enem, fantasias e verdades. 3 Eu sou Rommel Fernandes, Diretor de Ensino do Bernoulli, e vou expor um tema interessantíssimo, que envolve o Enem. O exame

Leia mais

HISTÓRIA. De acordo com o trecho acima, e com base em seus estudos:

HISTÓRIA. De acordo com o trecho acima, e com base em seus estudos: HISTÓRIA 01) Cabral só estava no comando da esquadra porque era cavaleiro da Ordem de Cristo e, como tal, tinha duas missões: criar feitorias na Índia e, no caminho, tomar posse de uma terra já conhecida,

Leia mais

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO DISCIPLINA Física II 2º ANO ENSINO MÉDIO MÓDULO DE RECUPERAÇÃO ALUNO(A) Nº TURMA TURNO Manhã 1º SEMESTRE DATA / / 01- A figura representa um feixe de raios paralelos incidentes numa superfície S e os correspondentes

Leia mais

Fig.: Esquema de montagem do experimento.

Fig.: Esquema de montagem do experimento. Título do Experimento: Tratamento de água por Evaporação 5 Conceitos: Mudanças de fases Materiais: Pote de plástico de 500 ml ou 1L; Filme PVC; Pote pequeno de vidro; Atilho (Borracha de dinheiro); Água

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

FISICA. Justificativa: Taxa = 1,34 kw/m 2 Energia em uma hora = (1,34 kw/m 2 ).(600x10 4 m 2 ).(1 h) ~ 10 7 kw. v B. v A.

FISICA. Justificativa: Taxa = 1,34 kw/m 2 Energia em uma hora = (1,34 kw/m 2 ).(600x10 4 m 2 ).(1 h) ~ 10 7 kw. v B. v A. FISIC 01. Raios solares incidem verticalmente sobre um canavial com 600 hectares de área plantada. Considerando que a energia solar incide a uma taxa de 1340 W/m 2, podemos estimar a ordem de grandeza

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante uma brincadeira, Rafael utiliza o dispositivo mostrado nesta figura para lançar uma bolinha horizontalmente. Nesse

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos:

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos: CINEMÁTICA ESCALAR A Física objetiva o estudo dos fenômenos físicos por meio de observação, medição e experimentação, permite aos cientistas identificar os princípios e leis que regem estes fenômenos e

Leia mais

Ele deu... a luz. Era noite e chovia torrencialmente. Roberto,

Ele deu... a luz. Era noite e chovia torrencialmente. Roberto, A UU L AL A Ele deu... a luz Era noite e chovia torrencialmente. Roberto, prevenido, deu a sua ordem preferida: - Desliga a televisão que é perigoso, está trovejando! Mal ele acabou a frase, surgiu um

Leia mais

UNIDADE NO SI: F Newton (N) 1 N = 1 kg. m/s² F R = 6N + 8N = 14 N F R = 7N + 3N = 4 N F 2 = 7N

UNIDADE NO SI: F Newton (N) 1 N = 1 kg. m/s² F R = 6N + 8N = 14 N F R = 7N + 3N = 4 N F 2 = 7N Disciplina de Física Aplicada A 2012/2 Curso de Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora Ms. Valéria Espíndola Lessa DINÂMICA FORÇA: LEIS DE NEWTON A partir de agora passaremos a estudar a Dinâmica, parte

Leia mais

Derivação Implícita e Taxas Relacionadas

Derivação Implícita e Taxas Relacionadas Capítulo 14 Derivação Implícita e Taxas Relacionadas 14.1 Introdução A maioria das funções com as quais trabalhamos até agora é da forma y = f(x), em que y é dado diretamente ou, explicitamente, por meio

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS FQA Ficha 3 - Forças fundamentais, leis de Newton e Lei da gravitação universal 11.º Ano Turma A e B 1 outubro 2014 NOME Nº Turma 1. Associe um número da coluna 1 a uma

Leia mais

Lista de Exercícios de Física

Lista de Exercícios de Física Lista de Exercícios de Física Assunto: Dinâmica do Movimento Circular, Trabalho e Potência Prof. Allan 1- Um estudante, indo para a faculdade, em seu carro, desloca-se num plano horizontal, no qual descreve

Leia mais

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios,

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios, Prezados colégios, Buscando atender a demanda por GeekieTestes para o 1º e 2º anos do Ensino Médio, elaboramos nossa Matriz Geekie de Avaliação para 2014. Nela, buscamos contemplar os principais conteúdos

Leia mais

SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS POLO: Página 1 de 6 CANDIDATO: DATA: 28/06/2010

SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS POLO: Página 1 de 6 CANDIDATO: DATA: 28/06/2010 GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB COORDENAÇÃO UAB/UNEMAT SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS

Leia mais

Programa de Retomada de Conteúdo - 3º Bimestre

Programa de Retomada de Conteúdo - 3º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Programa de Retomada de Conteúdo

Leia mais

Vestibular Comentado - UVA/2013.1 Conhecimentos Específicos

Vestibular Comentado - UVA/2013.1 Conhecimentos Específicos Vestibular Comentado - UVA/3. Física Comentários: Professores: João Batista e Joelson Studart. Um paraquedista salta de uma altura de. m. Após 45 m de queda, a força de resistência do ar se iguala à força

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS VESTIBULAR 2007 2.ª FASE 15 DE SETEMBRO DE 2007 VESTIBULAR 2007 2.ª FASE 15 DE SETEMBRO DE 2007 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS INSTRUÇÕES Para a realização desta prova, você recebeu este caderno contendo

Leia mais

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de dmissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Questão Concurso 009 Uma partícula O descreve um movimento retilíneo uniforme e está

Leia mais

Provas Comentadas OBF/2011

Provas Comentadas OBF/2011 PROFESSORES: Daniel Paixão, Deric Simão, Edney Melo, Ivan Peixoto, Leonardo Bruno, Rodrigo Lins e Rômulo Mendes COORDENADOR DE ÁREA: Prof. Edney Melo 1. Um foguete de 1000 kg é lançado da superfície da

Leia mais

γ = 5,0m/s 2 2) Cálculo da distância percorrida para a velocidade escalar reduzir-se de 30m/s para 10m/s. V 2 2

γ = 5,0m/s 2 2) Cálculo da distância percorrida para a velocidade escalar reduzir-se de 30m/s para 10m/s. V 2 2 OBSERVAÇÃO (para todas as questões de Física): o valor da aceleração da gravidade na superfície da Terra é representado por g. Quando necessário, adote: para g, o valor 10 m/s 2 ; para a massa específica

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica Composição fotográfica É a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Os arranjos são feitos colocando-se figuras ou objetos em determinadas posições. Às vezes, na

Leia mais

Questão 57. Questão 59. Questão 58. alternativa D. alternativa C

Questão 57. Questão 59. Questão 58. alternativa D. alternativa C OBSERVAÇÃO (para todas as questões de Física): o valor da aceleração da gravidade na superfície da Terra é representada por g. Quando necessário adote: para g, o valor de 10 m/s 2 ; para a massa específica

Leia mais

18 a QUESTÃO Valor: 0,25

18 a QUESTÃO Valor: 0,25 6 a A 0 a QUESTÃO FÍSICA 8 a QUESTÃO Valor: 0,25 6 a QUESTÃO Valor: 0,25 Entre as grandezas abaixo, a única conservada nas colisões elásticas, mas não nas inelásticas é o(a): 2Ω 2 V 8Ω 8Ω 2 Ω S R 0 V energia

Leia mais

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e A U A UL LA Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e Alberta. O almoço acabou e todos conversam em torno da mesa. - Eu soube que você está interessado em ótica - diz Gaspar a Ernesto.

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Unesp 2014) Uma pessoa está parada numa calçada plana e horizontal diante de um espelho plano vertical E pendurado na fachada de uma loja. A figura representa a visão de cima da região. Olhando para

Leia mais

Entrevista com Bernard Charlot

Entrevista com Bernard Charlot Entrevista Entrevista com Bernard Charlot A crise da educação pública brasileira é um dos temas dessa entrevista concedida pelo professor Bernard Charlot, 65 anos, em Juiz de Fora. Doutor em Educação

Leia mais

Questão 46. o diagrama horário da velocidade escalar, cuja ilustração correta para esse movimento. a) d)

Questão 46. o diagrama horário da velocidade escalar, cuja ilustração correta para esse movimento. a) d) Questão 46 b) Sobre um trilho reto, uma pequena esfera descreve um movimento uniformemente variado. Um estudante resolveu analisar esse movimento e construiu o gráfico do espaço percorrido (S) em função

Leia mais

Turma: 2201 Turno: Manhã Professor: Douglas Baroni

Turma: 2201 Turno: Manhã Professor: Douglas Baroni Colégio Zaccaria TELEFAX: (0 XX 21) 3235-9400 www.zaccaria.g12.br Lista de exercícios Física II (Recuperação) 2º Período 2014 Aluno(a): N.º Turma: 2201 Turno: Manhã Professor: Douglas Baroni QUESTÃO 1

Leia mais

Curso Wellington - Física Óptica Espelhos Planos Prof Hilton Franco

Curso Wellington - Física Óptica Espelhos Planos Prof Hilton Franco 1. Considere um objeto luminoso pontual, fixo no ponto P, inicialmente alinhado com o centro de um espelho plano E. O espelho gira, da posição E 1 para a posição E 2, em torno da aresta cujo eixo passa

Leia mais

MATÉRIA- PROPRIEDADES DA MATÉRIA- SUBSTÂNICAS (Pura e Composta)- MISTURAS- ANÁLISE IMEDIATA.

MATÉRIA- PROPRIEDADES DA MATÉRIA- SUBSTÂNICAS (Pura e Composta)- MISTURAS- ANÁLISE IMEDIATA. ATENÇÃO: Não sou o detentor dos direitos e também não tenho a intenção de violá-los de nenhuma imagem, exemplo prático ou material de terceiros que porventura venham a ser utilizados neste ou em qualquer

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta. Resposta Questão 1 Na natureza, muitos animais conseguem guiar-se e até mesmo caçar com eficiência, devido à grande sensibilidade que apresentam para a detecção de ondas, tanto eletromagnéticas quanto mecânicas.

Leia mais

TC 6 Revisão UECE 1 a. fase Física Prof. João Paulo

TC 6 Revisão UECE 1 a. fase Física Prof. João Paulo 1. (IFSP 2011) Os fenômenos luminosos são estudados há muito tempo. A luz, como qualquer onda eletromagnética, tem grandes aplicações na engenharia e na medicina, entre outras áreas. Quando a luz atinge

Leia mais

TC 3 UECE - 2013 FASE 2 MEDICINA e REGULAR

TC 3 UECE - 2013 FASE 2 MEDICINA e REGULAR TC 3 UECE - 03 FASE MEICINA e EGULA SEMANA 0 a 5 de dezembro POF.: Célio Normando. A figura a seguir mostra um escorregador na forma de um semicírculo de raio = 5,0 m. Um garoto escorrega do topo (ponto

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

Exercícios 6 Aplicações das Leis de Newton

Exercícios 6 Aplicações das Leis de Newton Exercícios 6 plicações das Leis de Newton Primeira Lei de Newton: Partículas em Equilíbrio 1. Determine a intensidade e o sentido de F de modo que o ponto material esteja em equilíbrio. Resp: = 31,8 0,

Leia mais

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares CADERNO DE PROVA 2.ª FASE Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião plenária dos Ministros da Fazenda do G-20 Financeiro

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião plenária dos Ministros da Fazenda do G-20 Financeiro , Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião plenária dos Ministros da Fazenda do G-20 Financeiro São Paulo-SP, 08 de novembro de 2008 Centrais, Senhoras e senhores ministros das Finanças e presidentes

Leia mais

Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau

Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau Não é fácil situar-nos diante da questão da paz na atual situação do mundo e do nosso país. Corremos o risco ou de negar a realidade ou de não reconhecer o sentido

Leia mais

Matemática. Elementar II Caderno de Atividades

Matemática. Elementar II Caderno de Atividades Matemática Elementar II Caderno de Atividades Autor Leonardo Brodbeck Chaves 2009 2008 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores

Leia mais

Resistores e Associação de Resistores

Resistores e Associação de Resistores Parte I Resistores e Associação de Resistores 1. (Ufmg 2012) Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: c) 8. d) 12. e) 15. 4. (Ufu 2011)

Leia mais

CURSOS (Grupo CETE I)

CURSOS (Grupo CETE I) PROCESSO SELETIVO UEG 010/1 Domingo, 13 de dezembro de 009 CADERNO DE RESPOSTA DISCURSIVA ESPECÍFICA RESPOSTAS ESPERADAS PELAS BANCAS ELABORADORAS CURSOS (Grupo CETE I) Curso Superior de Tecnologia em

Leia mais

Você acha que o rapaz da figura abaixo está fazendo força?

Você acha que o rapaz da figura abaixo está fazendo força? Aula 04: Leis de Newton e Gravitação Tópico 02: Segunda Lei de Newton Como você acaba de ver no Tópico 1, a Primeira Lei de Newton ou Princípio da Inércia diz que todo corpo livre da ação de forças ou

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 83 Papo Reto com José Junior 12 de junho de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

F-128 Física Geral I 2 o Semestre 2012 LISTA DO CAPÍTULO 2

F-128 Física Geral I 2 o Semestre 2012 LISTA DO CAPÍTULO 2 Questão 1 Um motorista de um carro que vai 52 km/h freia, desacelera uniformemente e para em 5 segundos. Outro motorista, que vai a 34 km/h, freia mais suavemente, e para em 10 segundos. Represente em

Leia mais

Colégio Estadual Dr. Xavier da Silva EF e EM. PIBID - FÍSICA Disciplina: Física 1º Ano EM Turma:A Atividade Experimental Conteúdo: Colisões

Colégio Estadual Dr. Xavier da Silva EF e EM. PIBID - FÍSICA Disciplina: Física 1º Ano EM Turma:A Atividade Experimental Conteúdo: Colisões Colégio Estadual Dr. Xavier da Silva EF e EM. PIBID - FÍSICA Disciplina: Física 1º Ano EM Turma:A Atividade Experimental Conteúdo: Colisões Aluno(a): Nº: Data: / /2014 INTRODUÇÃO: a) Se você pudesse escolher

Leia mais

Física Fácil prof. Erval Oliveira. Aluno:

Física Fácil prof. Erval Oliveira. Aluno: Física Fácil prof. Erval Oliveira Aluno: O termo trabalho utilizado na Física difere em significado do mesmo termo usado no cotidiano. Fisicamente, um trabalho só é realizado por forças aplicadas em corpos

Leia mais

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 CATEGORIA EM-2 Nº INSCRIÇÃO: Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 Questão 3: O chamado soro caseiro é uma tecnologia social que consiste na preparação e administração de uma mistura de água,

Leia mais

1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s

1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s SIMULADO DE FÍSICA ENSINO MÉDIO 1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s 2) Um avião voa com velocidade constante

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 66 Discurso na solenidade de comemoração

Leia mais

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS A correção de cada questão será restrita somente ao que estiver registrado no espaço

Leia mais

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO:

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSOR: Erich/ André DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2 a EM Circule a sua turma: Funcionários: 2 o A 2ºB Anchieta:2 o NOME COMPLETO:

Leia mais

Seu pé direito nas melhores faculdades

Seu pé direito nas melhores faculdades Seu pé direito nas melhores faculdades FUVEST 2 a Fase 10/janeiro/2011 conhecimentos gerais 01. a) Quantos são os números inteiros positivos de quatro algarismos, escolhidos sem repetição, entre 1, 3,

Leia mais

ANEXO 1 CONTEÚDOS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL EDITAL CONCURSO DE BOLSAS 2016 COLÉGIOS PROJEÇÃO

ANEXO 1 CONTEÚDOS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL EDITAL CONCURSO DE BOLSAS 2016 COLÉGIOS PROJEÇÃO ANEXO 1 S PARA O ENSINO FUNDAMENTAL EDITAL CONCURSO DE BOLSAS 2016 COLÉGIOS PROJEÇÃO S PRÉVIOS DO 5º ANO PARA CANDIDATOS A BOLSA NO 6 ANO PORTUGUÊS Leitura e interpretação textual Artigo Substantivo (comum,

Leia mais

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Carbono é um elemento cujos átomos podem se organizar sob a forma de diferentes alótropos. Alótropos H de combustão a 25

Leia mais

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014 Mobilidade Urbana VASCONCELOS, Eduardo Alcântara de. Mobilidade urbana e cidadania. Rio de Janeiro: SENAC NACIONAL, 2012. PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL LUCIANE TASCA COMO SE FORMAM AS CIDADES? Como um

Leia mais

Matéria da Recuperação. Industrialização Urbanização População

Matéria da Recuperação. Industrialização Urbanização População Disciplina: Geografia Roteiro de Recuperação Ano / Série: 7º Professor (a): Gabriel Data: / / 2013 Matéria da Recuperação Industrialização Urbanização População 1- A função urbana de uma cidade diz respeito

Leia mais

TERMOQUÍMICA. O que é o CALOR? Energia térmica em transito

TERMOQUÍMICA. O que é o CALOR? Energia térmica em transito TERMOQUÍMICA Termoquímica PROF. Prof. DAVID David TERMOQUÍMICA O que é o CALOR? Energia térmica em transito TERMOQUÍMICA Estuda as quantidades de calor liberadas ou absorvidas durante as reações químicas

Leia mais

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa E. alternativa C. alternativa D. Características Amostra 1 Amostra 2. Pressão (atm) 1,0 0,5

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa E. alternativa C. alternativa D. Características Amostra 1 Amostra 2. Pressão (atm) 1,0 0,5 Questão 46 Um corpo de 50 g de massa encontra-se em equilíbrio, preso a uma mola helicoidal de massa desprezíel e constante elástica k igual a 100 N/m, como mostra a figura a seguir. O atrito entre as

Leia mais

Leis de Newton INTRODUÇÃO 1 TIPOS DE FORÇA

Leis de Newton INTRODUÇÃO 1 TIPOS DE FORÇA Leis de Newton INTRODUÇÃO Isaac Newton foi um revolucionário na ciência. Teve grandes contribuições na Física, Astronomia, Matemática, Cálculo etc. Mas com certeza, uma das suas maiores contribuições são

Leia mais

Capítulo 4 Trabalho e Energia

Capítulo 4 Trabalho e Energia Capítulo 4 Trabalho e Energia Este tema é, sem dúvidas, um dos mais importantes na Física. Na realidade, nos estudos mais avançados da Física, todo ou quase todos os problemas podem ser resolvidos através

Leia mais

GUIA DE REVISÃO DO 4º BIMESTRE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO / 2013 Semana de 11/11 a 22/11

GUIA DE REVISÃO DO 4º BIMESTRE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO / 2013 Semana de 11/11 a 22/11 GUIA DE REVISÃO DO 4º BIMESTRE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO / 2013 Semana de 11/11 a 22/11 Tema: Língua Portuguesa Geografia Tema: Globalização e Níveis de Desenvolvimento Biologia Tema: Genética Filosofia Tema:

Leia mais

PROVA UPE 2012 TRADICIONAL(RESOLVIDA)

PROVA UPE 2012 TRADICIONAL(RESOLVIDA) PROVA UPE 2012 TRADICIONAL(RESOLVIDA) 33 - Sete bilhões de habitantes, aproximadamente, é a população da Terra hoje. Assim considere a Terra uma esfera carregada positivamente, em que cada habitante seja

Leia mais

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014.

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. 1- Prazeres, benefícios, malefícios, lucros cercam o mundo dos refrigerantes. Recentemente, um grande fabricante nacional anunciou que havia reduzido em 13

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 1- Introdução Uma reação química é composta de duas partes separadas por uma flecha, a qual indica o sentido da reação. As espécies químicas denominadas como reagentes ficam à esquerda

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Informações de Tabela Periódica CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Folha de Dados Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 12,0 14,0

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura.

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura. QUÍMICA 01. ácido sulfúrico, assim como o íon hidrogenossulfato, reage com bases fortes, como hidróxido de sódio, liberando calor para as vizinhanças. Dados: M (g.mol-1) H = 1,008; = 15,999; S = 32,06;

Leia mais

ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / SEDE:

ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / SEDE: Professor: Edney Melo ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / SEDE: 01. As pirâmides do Egito estão entre as construções mais conhecidas em todo o mundo, entre outras coisas pela incrível capacidade de engenharia

Leia mais

O DIREITO DE ACESSO À EDUCAÇÃO. Profa. Dra. Luci Bonini

O DIREITO DE ACESSO À EDUCAÇÃO. Profa. Dra. Luci Bonini O DIREITO DE ACESSO À EDUCAÇÃO Profa. Dra. Luci Bonini Desde a assinatura da Declaração Universal dos Direitos Humanos, alguns órgãos da sociedade têm se manifestado no sentido de promover as garantias

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

TC Revisão 2 Ano Termoquímica e Cinética Prof. Alexandre Lima

TC Revisão 2 Ano Termoquímica e Cinética Prof. Alexandre Lima TC Revisão 2 Ano Termoquímica e Cinética Prof. Alexandre Lima 1. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

FÍSICA. a) Newton por metro cúbico. b) Joule por metro quadrado. c) Watt por metro cúbico. d) Newton por metro quadrado. e) Joule por metro cúbico.

FÍSICA. a) Newton por metro cúbico. b) Joule por metro quadrado. c) Watt por metro cúbico. d) Newton por metro quadrado. e) Joule por metro cúbico. FÍSICA 13 A palavra pressão é utilizada em muitas áreas do conhecimento. Particularmente, ela está presente no estudo dos fluidos, da termodinâmica, etc. Em Física, no entanto, ela não é uma grandeza fundamental,

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Atividade experimental 2º bimestre 10 pontos Nome: N.: Nome: N.: Nome: N.: Nome: N.: Nome: N.: Série: 1ª série Profª Elizangela Goldoni Conteúdo: Função quadrática

Leia mais

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa C. alternativa D. alternativa C

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa C. alternativa D. alternativa C Questão 46 função da velocidade em relação ao tempo de um ponto material em trajetória retilínea, no SI, é v = 5,0 2,0t. Por meio dela pode-se afirmar que, no instante t = 4,0 s, a velocidade desse ponto

Leia mais