Critérios de Avaliação. Departamento de Expressões

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Critérios de Avaliação. Departamento de Expressões"

Transcrição

1 Critérios de Avaliação Departamento de Expressões 2015/2016

2 5.º ano Disciplina Educação Visual instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10% Disciplina Educação Tecnológica Domínio das técnicas e das principais matérias-primas da área instrumental 60% tecnológica 15% Interpreta e elabora instruções técnicas 15% Conceitos 15% Processos 15% Participação e interesse 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Responsabilidade 10% Disciplina Educação Musical Reprodução sonora Nível corporal e instrumental 5% Criatividade/expressividade 5% instrumental 60% Aptidão rítmica 5% Técnica de produção sonora 5% Testes de avaliação 20% Avaliação prática 20% Participação e interesse 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 10% Apresentação na aula com os materiais necessários 15%

3 Disciplina Educação Física Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% Operatório / Instrumental 65% ASP x nº aulas realizadas - 25% (Motor) nº aulas dadas Cognitivo 15% Teste e/ou trabalho e/ou avaliação oral Socioafetivo 20% Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática 6.º ano Disciplina Educação Visual instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10% Disciplina Educação Tecnológica Domínio das técnicas e das principais matérias-primas da área instrumental 60% tecnológica 15% Interpreta e elabora instruções técnicas 15% Conceitos 15% Processos 15% Participação e interesse 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Responsabilidade 10%

4 Disciplina Educação Musical Reprodução sonora Nível corporal e instrumental 5% 60% instrumental Criatividade/expressividade 5% Aptidão rítmica 5% Técnica de produção sonora 5% Testes de avaliação 20% Avaliação prática 20% Participação e interesse 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 10% Apresentação na aula com os materiais necessários 15% Disciplina Educação Física Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% Operatório / Instrumental 65% (Motor) ASP x nº aulas realizadas - 25% nº aulas dadas Cognitivo 15% Teste e/ou trabalho e/ou avaliação oral Socioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% 7.º ano Disciplina Educação Visual instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10%

5 Disciplina Educação Tecnológica (Oferta de Escola) instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10% Disciplina Educação Física Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% Operatório / Instrumental 65% (Motor) ASP x nº aulas realizadas - 25% nº aulas dadas Cognitivo 15% Teste e/ou trabalho e/ou avaliação oral Sócioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% 8.º ano Disciplina Educação Visual instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10% Disciplina Educação Tecnológica (Oferta de Escola) instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina

6 Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10% Disciplina Educação Física Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% Operatório / Instrumental 65% (Motor) ASP x nº aulas realizadas - 25% nº aulas dadas Cognitivo 15% Teste e/ou trabalho e/ou avaliação oral Sócioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% 9.º ano Disciplina Educação Visual instrumental 60% Trabalhos realizados de acordo com a planificação da disciplina Interesse e empenho 10% Comportamento/adequação de atitudes na sala de aula 15% Apresentação na aula com os materiais necessários 10% Disciplina Educação Física Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% Operatório / Instrumental 65% (Motor) ASP x nº aulas realizadas - 25% nº aulas dadas Cognitivo 15% Teste e/ou trabalho e/ou avaliação oral Sócioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5%

7 10.º ano Disciplina Educação Física Motor 70% Cognitivo 10% Socioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Disciplina Desenho A Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% ASP x nº aulas realizadas - 30% nº aulas dadas 1º P e 2º P realização de um teste escrito 3º P teste escrito ou trabalho ou média do 1º e 2º P Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% instrumental 90% Socioafetivo 10% Aquisição de conceitos. Concretização de práticas. 10% Os desenhos, concretizações gráficas, ou objetos produzidos no âmbito da disciplina (Provas de caráter prático). 75% A concretização da disseminação junto da própria turma, escola, ou meio. 5% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 5% Planificação e organização. 2,5% Desenvolvimento de valores e atitudes. 2,5% Disciplina Geometria Descritiva A instrumental 90% Trabalhos realizados nas atividades desenvolvidas nas aulas ou delas decorrentes, quer em termos dos produtos finais quer em termos dos materiais produzidos durante o processo. 10% Observação direta das operações realizadas durante a execução dos trabalhos. Intervençõeses orais. 5% Provas de avaliação sumativa. 75%

8 Socioafetivo 10% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 5% Planificação e organização. 2,5% Desenvolvimento de valores e atitudes. 2,5% 11.º ano Disciplina Educação Física Motor 70% Cognitivo 10% Socioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% ASP x nº aulas realizadas - 30% nº aulas dadas 1º P e 2º P realização de um teste escrito 3º P teste escrito ou trabalho ou média do 1º e 2º P Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% Disciplina Desenho A instrumental 90% Socioafetivo 10% Aquisição de conceitos. Concretização de práticas. 10% Os desenhos, concretizações gráficas, ou objetos produzidos no âmbito da disciplina (Provas de caráter prático). 75% A concretização da disseminação junto da própria turma, escola, ou meio. 5% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 5% Planificação e organização. 2,5% Desenvolvimento de valores e atitudes. 2,5%

9 Disciplina Geometria Descritiva A instrumental 90% Trabalhos realizados nas atividades desenvolvidas nas aulas ou delas decorrentes, quer em termos dos produtos finais quer em termos dos materiais produzidos durante o processo. 10% Observação direta das operações realizadas durante a execução dos trabalhos. Intervençõeses orais. 5% Provas de avaliação sumativa. 75% Socioafetivo 10% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 5% Planificação e organização. 2,5% Desenvolvimento de valores e atitudes. 2,5% 12.º ano Disciplina Educação Física Motor 70% Cognitivo 10% Sócioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% ASP x nº aulas realizadas - 30% nº aulas dadas 1º P e 2º P realização de um teste escrito 3º P teste escrito ou trabalho ou média do 1º e 2º P Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% Disciplina Desenho A instrumental 90% Aquisição de conceitos. Concretização de práticas. 10% Os desenhos, concretizações gráficas, ou objetos produzidos no âmbito da disciplina (Provas de caráter prático). 75% A concretização da disseminação junto da própria turma, escola, ou meio. 5%

10 Socioafetivo 10% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 5% Planificação e organização. 2,5% Desenvolvimento de valores e atitudes. 2,5% Disciplina Oficina Multimédia B instrumental 90% Projetos desenvolvidos durante as aulas. 45% Testes. 45% Socioafetivo 10% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 2,5% Cooperação em trabalhos coletivos. 2,5% Desenvolvimento de valores e atitudes. 2,5% Planificação e organização. 2,5% Disciplina Oficina de Artes Aquisição de conceitos - 10% instrumental 90% Socioafetivo 10% Concretização de práticas 10% Os desenhos, concretizações gráficas, ou objetos produzidos no âmbito da disciplina 40% Os textos eventualmente produzidos 5% A concretização da disseminação junto da própria turma, escola, ou meio - 5% Provas de caráter prático 20% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais 4% Cooperação em trabalhos colectivos 2% Planificação e organização 2% Desenvolvimento de valores e atitudes 2%

11 Disciplina - Educação Física ALUNOS COM ATESTADO MÉDICO Do 5º ao 12º ano ensino regular e profissional Relatório das aulas / outras tarefas 20% Cognitivo 80% Sócioafetivo 20% Trabalho de investigação sobre a(s) modalidade(s) ou sobre outros temas abordados nas aulas 30% Teste Escrito diferenciado 30% Organização do aluno na sua aprendizagem 10% * Critérios de Correção e de elaboração dos Trabalhos de Investigação Capa 1% Índice 1% Estrutura 10 % Introdução Conclusão Bibliografia Desenvolvimento 20% 3% 3% 2% ENSINO PROFISSIONAL Disciplina - Educação Física - 10º / 11º / 12º Ano Motor 60% Avaliação Sumativa Prática (ASP)* - 40% ASP x nº aulas realizadas - 20% nº aulas dadas Cognitivo 20% Teste escrito ou trabalho Sócioafetivo 20% * ASP avaliação sumativa prática por unidade didática Organização do aluno na sua aprendizagem 5% Relacionamento interpessoal e de grupo 5% Avaliação do Módulo Teórico dos Cursos Profissionais Peso (%) Parâmetro em Avaliação Variáveis Classificação Peso (%)

12 Domínio Cognitivo TFM / REL 0 20 Valores 40 % TI/TG 0 20 Valores 40 % 80% Domínio Sócio afetivo A/P 0 20 Valores 5% 20 % IPE 0 20 Valores 15 % Classificação final do Módulo (CF) = TFM/REL x 0,40 + TI/TG x 0,40 + A/P x 0,05 + IPE x 0,15 ou TFM/REL ou TI/TG x 0,80 + A/P x 0,05 + IPE x 0,15 (TFM/REL) Teste Final de Módulo/ Relatórios (em caso de aulas de campo ou visitas de estudo); (TI) Trabalhos de Investigação/ (TG) Trabalhos de Grupo; (A/P) Assiduidade/Pontualidade; (IPE) Interesse, Participação e Envolvimento em Tarefas (Distribuídos equitativamente). Disciplina Tecnologias de Produção - 10º / 11º / 12º Ano Cognitivo (Saber) 30 Fichas teórico práticas/testes. instrumental 50 Trabalhos práticos Socioafetivo (Saber ser/saber estar) 20 Empenhamento 5% Comportamento 5% Responsabilidade 5% Trabalho em equipa 5% Disciplina Modelagem - 10º / 11º / 12º Ano Cognitivo (Saber) 30 Fichas teórico práticas/testes. instrumental 50 Trabalhos práticos Socioafetivo (Saber ser/saber estar) 20 Empenhamento 5% Comportamento 5% Responsabilidade 5% Trabalho em equipa 5% Disciplina Organização e Gestão da Produção - 10º / 11º / 12º Ano Cognitivo (Saber) 30 Fichas teórico práticas/testes.

13 instrumental 50 Trabalhos práticos Socioafetivo (Saber ser/saber estar) 20 Empenhamento 5% Comportamento 5% Responsabilidade 5% Trabalho em equipa 5% Disciplina Controlo de Qualidade - 10º / 11º / 12º Ano Cognitivo (Saber) 30 Fichas teórico práticas/testes. instrumental 50 Trabalhos práticos Socioafetivo (Saber ser/saber estar) 20 Empenhamento 5% Comportamento 5% Responsabilidade 5% Trabalho em equipa 5% 12.º ano Disciplina - Geometria Descritiva instrumental 80% Trabalhos realizados nas atividades desenvolvidas nas aulas ou delas decorrentes, quer em termos dos produtos finais quer em termos dos materiais produzidos durante o processo; Provas de avaliação sumativa. 70% Observação direta das operações realizadas durante a execução dos trabalhos. 5% Intervenções orais. 5% Socioafetivo 20% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 10% Desenvolvimento de valores e atitudes. 5% Planificação e organização. 5% Disciplina Materiais e Tecnologias Cognitivo (Saber) 30 Fichas teórico práticas/testes.

14 instrumental 50 Trabalhos práticos Socioafetivo (Saber ser/saber estar) 20 Empenhamento 5% Comportamento 5% Responsabilidade 5% Trabalho em equipa 5% Disciplina Desenho Técnico instrumental 80% Trabalhos realizados nas atividades desenvolvidas nas aulas ou delas decorrentes, quer em termos dos produtos finais quer em termos dos materiais produzidos durante o processo. 50% Observação direta das operações realizadas durante a execução dos trabalhos. 20% Intervenções orais. 10% Socioafetivo 20% Autonomia no desenvolvimento de atividades individuais. 10% Desenvolvimento de valores e atitudes. 5% Pontualidade/Assiduidade. 5% Disciplina Área de Integração Peso (%) Parâmetro em avaliação Fichas de avaliação Relatórios de trabalhos práticos/expressão Oral/trabalhos de projeto individuais ou em grupo/organização e rigor na execução dos trabalhos Participação Empenho/interesse Apresentação do caderno diário/portefólio Material Escolar Progresso evidenciado ao longo das aulas Sentido de responsabilidade Relação com o professor e/ou colegas Cumprimento de regras Comportamento

15 Disciplina Oficinas/Atelier de Produção instrumental 80% Trabalhos de pesquisa/projetos 40% Trabalhos de grupo/individuais com exposição oral 40% Socioafetivo 20% Pontualidade/Assiduidade 5% Cumprimento de regras 5% Empenhamento 5% Autonomia 5% Disciplina Planeamento da Produção e Marketing instrumental 80% Trabalhos de pesquisa/projetos 40% Trabalhos de grupo/individuais com exposição oral 40% Socioafetivo 20% Pontualidade/Assiduidade 5% Cumprimento de regras 5% Empenhamento 5% Autonomia 5% Disciplina Educação Especial Critérios Gerais de Avaliação 7- Avaliação dos Alunos com NEE de carácter permanente, abrangidos pelas medidas educativas ao abrigo do Decreto-Lei nº 3/2008, de 7 de janeiro. 1- A avaliação dos alunos abrangidos pelas medidas educativas previstas no Decreto-Lei 3/2008 tem por base o definido no Programa Educativo Individual (PEI) de cada aluno, e estão de acordo com o regime de avaliação definido no Despacho Normativo 13/2014, de 15 de setembro. 2- Os alunos com Necessidades Educativas Especiais de Carácter Permanente (NEECP) que tenham no seu Programa Educativo Individual a medida Adequações no Processo de Avaliação, ao abrigo da alínea d) do nº2 do artigo 16 do Decreto-lei nº3/2008 de 7, no que diz respeito à avaliação, são avaliados de acordo com os critérios de avaliação definidos para o ano/disciplina em que se encontram, podendo, no entanto, efetuar-se adequações no processo de avaliação: alterações do tipo

16 de provas; dos instrumentos de avaliação e certificação; condições de avaliação quanto às formas e meios de comunicação, periodicidade, duração e local da mesma, desde que no respetivo PEI estejam devidamente explicitadas essas adequações. 3- Os alunos com Necessidades Educativas Especiais de Carácter Permanente abrangidos pelo disposto no n.º 1 do artigo 20.º do Decreto Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro, prestam as provas finais de ciclo previstas para os restantes examinandos, podendo, no entanto, usufruir de condições especiais de avaliação ao abrigo da legislação em vigor. 4- Os alunos com Currículos Específicos Individuais (Artigo 21º do DL nº 3/2008 de 7 de janeiro) não estão sujeitos ao regime de transição de ano escolar nem ao processo de avaliação característico do regime educativo comum, ficando sujeitos aos critérios específicos de avaliação definidos no seu PEI. 5- Os alunos que tenham no seu Programa Educativo Individual (PEI) a medida Currículo Específico Individual, ao abrigo da alínea e) do nº 2 do artigo 16 do Decreto-lei nº 3/2008 de 7 de janeiro, não realizam as provas finais dos 1., 2. e 3. ciclos, de acordo com o definido na alínea b) do n.º 11 e na alínea e) do n.º 12, do artigo 10.º do Despacho Normativo n.º 13/2014, de 15 de setembro. 6- No 1º, 2º e 3ºciclos, para os alunos que tenham no seu PEI a medida Currículo Específico Individual, ao abrigo da alínea e) do nº2 do artigo 16 do Decreto-lei 3/2008 de 7 de janeiro, a informação resultante da avaliação sumativa expressa -se de acordo com o Ponto 10 do artigo 8º do Despacho normativo nº 13/2014 de 15 de setembro, numa menção qualitativa de Muito bom, Bom, Suficiente e Insuficiente em todas as disciplinas, acompanhada de uma apreciação descritiva sobre a evolução do aluno, assim como nas áreas curriculares específicas que não façam parte da estrutura curricular comum, acompanhada de uma apreciação descritiva sobre a evolução do aluno. Disciplina Educação Especial - 1º ciclo do ensino básico Domínios Peso (%) Categorias do domínio Conhecimentos e capacidades 30% - Aquisição de conceitos/conhecimentos. 5% - Aplicação de conhecimentos em atividades funcionais. 5% - Nível de compreensão oral/gestual. 5% - Nível de compreensão da escrita. 5% - Nível de expressão. 5% - Manuseia adequadamente materiais específicos. 5% Atitudes e valores 70% - Assiduidade/Pontualidade. 10% - Cumprimento de regras estabelecidas. 10% - Responsabilidade (tarefas, materiais). 10% - Respeito pelo outro e pelo património. 10% - Adequação de atitudes em diferentes contextos. 10% - Atenção/Concentração. 5% - Empenho/Interesse. 5% - Autonomia e iniciativa na execução das tarefas. 5%

17 - Capacidade de tomar decisões. 5% Fontes de Evidência dos Domínios - Grelhas/registos de observação direta; - Registos de autoavaliação; - Dossier dos trabalhos dos alunos; - Fichas de trabalho; - Fichas de avaliação em contexto; - Trabalhos individuais, em pares ou grupo; - Participação nas atividades. 7- No ensino secundário, para os alunos que tenham no seu PEI a medida Currículo Específico Individual, ao abrigo da alínea e) do nº2 do artigo 16 do Decreto-lei 3/2008 de 7 de janeiro, a lei é omissa quanto à informação resultante da avaliação sumativa, no entanto, no sentido de manter a coerência com os ciclos anteriores, essa informação expressa-se também numa menção qualitativa de Muito bom, Bom, Suficiente e Insuficiente em todas as áreas de formação académica e nas atividades de promoção da capacitação, acompanhada de uma apreciação descritiva sobre a evolução do aluno, assim como nas áreas curriculares específicas que não façam parte da estrutura curricular comum, acompanhada de uma apreciação descritiva sobre a evolução do aluno. Disciplina Educação Especial - 2º e 3º ciclos do ensino básico e ensino secundário Domínios Peso (%) Categorias do domínio Cognitivo (saber) Instrumental (saber fazer) Socioafetivo (saber ser e saber estar) 30% 70% - Aquisição de conceitos/conhecimentos. 5% - Aplicação de conhecimentos em atividades funcionais. 5% - Nível de compreensão oral/gestual. 5% - Nível de compreensão da escrita. 5% - Nível de expressão. 5% - Manuseia adequadamente materiais específicos. 5% - Assiduidade/Pontualidade. 10% - Cumprimento de regras estabelecidas. 10% - Responsabilidade (tarefas, materiais). 10% - Respeito pelo outro e pelo património. 10% - Adequação de atitudes em diferentes contextos. 10% - Atenção/Concentração. 5% - Empenho/Interesse. 5%

18 - Autonomia e iniciativa na execução das tarefas. 5% - Capacidade de tomar decisões. 5% - Grelhas/registos de observação direta; - Registos de autoavaliação; Fontes de Evidência dos Domínios - Dossier dos trabalhos dos alunos; - Fichas de trabalho; - Fichas de avaliação em contexto; - Trabalhos individuais, em pares ou grupo; - Participação nas atividades. 8- A avaliação da implementação das medidas educativas deve assumir carácter de continuidade, sendo obrigatória pelo menos em cada um dos momentos de avaliação sumativa interna da escola (ponto 2 do art.º 13º do DL nº 3/2008 de 7 de janeiro). 9- Dos resultados obtidos por cada aluno com a aplicação das medidas estabelecidas no PEI, deve ser elaborado um Relatório Circunstanciado no final do ano letivo (ponto 3 do art.º 13º, do DL nº 3/2008 de 7 de janeiro). 10- O PEI dos alunos com NEE constitui a referência de base de tomada de decisão para a sua progressão ou retenção, bem como para a decisão relativa à atribuição do certificado do ensino básico e secundário, o qual deve identificar as adequações de ensino e aprendizagem que tenham sido aplicadas ao aluno. 11- Para todos os efeitos, considera-se impreterível que o PEI seja o documento orientador de todo o processo educativo do aluno (perfil de funcionalidade, intervenção e avaliação).

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO (APROVADOS EM CP 2014/2015)1 1.º Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS REGIÃO ALGARVE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - CÓD.

DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS REGIÃO ALGARVE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - CÓD. 1 DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS REGIÃO ALGARVE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - CÓD. 145348 ESCOLA SECUNDÁRIA C/3.º CICLO DE VILA REAL DE SANTO

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%) PORTUGUÊS DOMÍNIOS DE Leitura / Educação literária (25) Escrita (25) Gramática (15) Oralidade (15) 80 Assiduidade/Pontualidade (2) Comportamento / Relação com os outros (6) Organização do material (2)

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros:

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros: 3º ciclo Oferta Complementar: Apoio ao estudo da disciplina de Português Domínios Ponderação Componente cognitiva (capacidades e conhecimentos) Oralidade Leitura Escrita Gramática 80% Componente socioafetiva

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A letivo: 2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Francês, 3º Ciclo, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos três as do Ciclo, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Ensino Básico 2º Ciclo CIÊNCIAS NATURAIS Peso na Avaliação Final Testes de avaliação e/ou outros trabalhos escritos; Aquisição de conhecimentos; Domínio da Língua Portuguesa ao nível da expressão oral

Leia mais

Planificação do trabalho a desenvolver com a turma

Planificação do trabalho a desenvolver com a turma Planificação do trabalho a desenvolver com a turma DISCIPLINA: PORTUGUÊS (METAS) Módulo 1 - (Poesia trovadoresca/ Fernão Lopes) Módulo 2- (Gil Vicente/ Rimas de Camões) Módulo 3 - Textos dos Media I Módulo

Leia mais

Critérios específicos de avaliação

Critérios específicos de avaliação Critérios específicos de 1. Aspetos a considerar na específica A sumativa expressa-se de forma descritiva em todas as áreas curriculares, com exceção das disciplinas de Português e Matemática no 4º ano

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA Governo dos Açores NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA I Caracterização da UNECA-TVA II Identificação e caracterização dos Alunos III Matriz Curricular para

Leia mais

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/ º ciclo do Ensino Básico

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/ º ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/2017 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 1. A avaliação é contínua e sistemática.

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais

Ano letivo

Ano letivo ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO VISEU (401626) Critérios de avaliação das disciplinas do Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância Ano letivo 2016-2017 DEPARTAMENTO: LÍNGUAS DISCIPLINA: PORTUGUÊS

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (Despacho Normativo Nº 13/2014 de 15 de setembro) A avaliação dos alunos do ensino básico e secundário incide sobre as aprendizagens e competências definidas

Leia mais

Escola Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas

Escola Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas Ano Letivo 2015/2016 3ºCiclo 80% - Domínios Cognitivo (saber) e Operatório e Instrumental (saber-fazer): 65% - Testes; 15% - Componente prática e/ou experimental * * deste item constam entre outros: relatórios,

Leia mais

C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O

C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria Olhão C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O Ano Letivo 2015-2016 Critérios Gerais de Avaliação 2015-2016 1 1. Avaliação A avaliação constitui um processo

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

Conselho de Formação de Professores PLANO ANUAL GERAL DE FORMAÇÃO

Conselho de Formação de Professores PLANO ANUAL GERAL DE FORMAÇÃO Conselho de Formação de Professores PLANO ANUAL GERAL DE FORMAÇÃO 2016-2017 Preâmbulo O Plano Anual Geral de Formação é um documento de planeamento anual das atividades comuns à Prática Pedagógica Supervisionada

Leia mais

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo Objeto de avaliação Conhecimentos e Capacidades Específicos Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo 2016-2017 Itens/Parâmetros Compreensão histórica (Temporalidade Espacialidade

Leia mais

Documento de critérios de avaliação

Documento de critérios de avaliação Disciplina - PORTUGUÊS Metas curriculares (Despacho n.º 5122/2013, de 16 de abril) As Metas Curriculares identificam a aprendizagem essencial a realizar, tendo por base os conteúdos do programa em vigor.

Leia mais

L. PORTUGUESA /PORTUGUÊS. Ensino Básico e Secundário

L. PORTUGUESA /PORTUGUÊS. Ensino Básico e Secundário Ano Letivo 2012/2013 L. PORTUGUESA /PORTUGUÊS Ensino Básico e Secundário Critérios de Avaliação COMPETÊNCIAS PONDERAÇÃO ELEMENTOS DE AVALIAÇÃO COGNITIVAS / OPERACIONAIS Æ 60% Testes / Fichas de Avaliação

Leia mais

Critérios de Avaliação 2015/2016

Critérios de Avaliação 2015/2016 Critérios de Avaliação Ano letivo 2015/2016 Critérios de Avaliação 2015/2016 Introdução As principais orientações normativas relativas à avaliação na educação pré-escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Exames Nacionais de Língua Portuguesa e Matemática 9º ANO As provas de exame de Língua Portuguesa e de Matemática incidem sobre as aprendizagens e competências

Leia mais

Ponderação dos domínios por disciplina

Ponderação dos domínios por disciplina Critérios de Avaliação - 1º ciclo Domínio Instrumentos de avaliação Peso % Cognitivo Trabalhos individuais e de grupo 15% Participação e intervenção 15% Fichas de avaliação 50 % Socioafetivo Registos 20%

Leia mais

1. Princípios orientadores e funções da avaliação Objetivos da avaliação Processos de avaliação Avaliação Diagnóstica 3

1. Princípios orientadores e funções da avaliação Objetivos da avaliação Processos de avaliação Avaliação Diagnóstica 3 Índice 1. Princípios orientadores e funções da avaliação 2 2. Objetivos da avaliação 2 3. Processos de avaliação 3 3.1. Diagnóstica 3 3.2. Formativa 3 3.3. Instrumentos de avaliação 4 3.3. Períodos de

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO BÁSICO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO BÁSICO Considerando que a Portaria nº 23 /2015, de 27 de fevereiro revogou a Portaria nº 9/2013, de 11 de fevereiro referente à avaliação das aprendizagens e competências

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento

Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento O Grupo de trabalho: Coordenadoras de Departamento Coordenadoras de Diretores de Turma 14 de julho de 2015 Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento Introdução

Leia mais

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º 1. Finalidades da Disciplina Segundo o programa da disciplina de Geometria Descritiva: http://sitio.dgidc.minedu.pt/recursos/lists/repositrio%20recursos2/attachments/235/geometria_desc_a_10_11.pd f Desenvolver

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 294 aprovado pela portaria Cetec nº 774 de 24 / 09 / 2015. ETEC de Tiquatira Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Controle

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prática

Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prática Ano Letivo Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prática (De acordo com o Capítulo III, Artigo 18º do Regulamento das Provas e dos Exames do Ensino Básico e do Ensino Secundário, anexo ao Despacho

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO

EDUCAÇÃO VISUAL 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 9.ºANO 1º Período 39/42 aulas previstas

Leia mais

http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (1º E 2º CICLO) 2016 QUAIS AS CONDIÇÕES DE APROVAÇÃO? No final do 1º ciclo do ensino básico o aluno obtém a menção de Aprovado

Leia mais

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Projecto Educativo do Colégio de Albergaria e a legislação em vigor sobre a avaliação das aprendizagens dos alunos nos vários

Leia mais

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano Critérios de Avaliação de Francês 2016 / 2017 7ºano A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os conteúdos programáticos serão trabalhados, desenvolvendo

Leia mais

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo A função de avaliação corresponde à análise cuidada das aprendizagens conseguidas relativamente às planeadas, devendo traduzir-se numa descrição

Leia mais

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA ACTIVIDADE LECTIVA. Alda Amaro Dr. João Paulo Trigueiros Expressões Artes Visuais (600)

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA ACTIVIDADE LECTIVA. Alda Amaro Dr. João Paulo Trigueiros Expressões Artes Visuais (600) Direcção Regional de Educação do Centro AULA ASSISTIDA Nº 16 PRÁTICA DE ENSINO SUPERVISIONADA EM ARTES VISUAIS ANO LECTIVO 2011/2012 PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA ACTIVIDADE LECTIVA IDENTIFICAÇÃO PROFESSOR ESTAGIÁRIO

Leia mais

Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar

Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar Revistos e aprovados na reunião de Departamento de 13 de setembro de 2016 Introdução O princípio consensualmente

Leia mais

Perguntas e Respostas Frequentes

Perguntas e Respostas Frequentes Perguntas e Respostas Frequentes (Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto) Ano letivo 2015/2016 Relativas a AEC: P1: Nos casos em que os agrupamentos/escolas não agrupadas sejam as entidades promotoras

Leia mais

RESUMO DA PLANIFICAÇÃO

RESUMO DA PLANIFICAÇÃO Disciplina de EDUCAÇÃO FÍSICA 10º Ano Programa da disciplina: Período Temas Subtemas Aulas Previstas 1º Desporto colectivo. Dança/Raquetas Basquetebol. Dança/Raquetas 50-52 2º Ginástica. Desporto colectivo.

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL:

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: Domínio Cognitivo e Motor (Código A71) Educadores de Infância e Professores dos 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico e do ensino secundário Curso de

Leia mais

Competências a Desenvolver

Competências a Desenvolver ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE GONDOMAR Curso Profissional Técnico de Construção Civil Turma: 12º12 Disciplina de OFICINA TECNOLÓGICA PLANIFICAÇÃO ANUAL DAS ATIVIDADES LETIVAS 2013/2014

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo Organização do ano letivo 2015/2016

Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo Organização do ano letivo 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo Organização do ano letivo 2015/2016 1. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A1. Princípios orientadores 1. O presente documento estabelece os princípios orientadores

Leia mais

Critérios de Avaliação na educação pré-escolar

Critérios de Avaliação na educação pré-escolar Critérios de Avaliação na educação pré-escolar 1 - Modalidades de avaliação e suas funções O ato de avaliar contempla duas vertentes fundamentais: A avaliação da ação educativa - avaliação da qualidade

Leia mais

INSTRUMENTO Ensino Secundário

INSTRUMENTO Ensino Secundário INSTRUMENTO Ensino Secundário 6.º grau ao 8.º grau Página 1 de 8 Diretor Pedagógico, Prof. Antero Leite Coordenadora do Departamento Curricular Instrumento Prof.ª Ana Moreira Setembro 2015 Página 2 de

Leia mais

DOCENTE: MICAEL ALVES

DOCENTE: MICAEL ALVES Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Básico Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E MULTIMÉDIA ANO: 9.º DISCIPLINA: APLICAÇÕES DE ESCRITÓRIO DOCENTE: MICAEL ALVES COMPETÊNCIAS

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA Ano Letivo 2013/14

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA Ano Letivo 2013/14 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA Ano Letivo 2013/14 A PRINCÍPIOS GERAIS 1 A avaliação deve ser rigorosa, clara e objetiva. 2 A avaliação deve contemplar os seguintes domínios: o domínio das atitudes/valores;

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Direcção Regional de Educação do Centro CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Domínios Capacidade/Conhecimentos (70%) Critérios Aquisição, compreensão e aplicação Expressão Progressão na aprendizagem Atitudes

Leia mais

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016 Reunião - Encarregados de Educação 1.º Ciclo Ano Letivo 2016/2017 09 de setembro de 2016 Ordem de Trabalhos 1 Projeto Educativo 2 Normas de funcionamento 3 Apresentação 4 Plano Anual de Atividades 2 Ordem

Leia mais

ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXATAS 2015/2016

ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXATAS 2015/2016 ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXATAS 2015/2016 PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA 6ºANO 1º Período 2º Período 3º Período Apresentação,

Leia mais

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores Avaliação de Desempenho Orientações aos relatores 1. Referenciais de avaliação 1.1. Legislação 1. Referenciais de avaliação 1.2. Referentes internos: a. Projeto Educativo do Agrupamento, b. Projeto Curricular

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches 2016 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

TÉCNICO DE ELETRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES

TÉCNICO DE ELETRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro Núcleo de Ofertas Formativas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS ANO LETIVO DE 2016/2017 TÉCNICO DE ELETRÓNICA,

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS FINAIS DE 4º ANO 2013/2014

REGULAMENTO DAS PROVAS FINAIS DE 4º ANO 2013/2014 REGULAMENTO DAS PROVAS FINAIS DE 4º ANO 2013/2014 Legislação A legislação referente aos exames encontra-se disponível na página Web do Agrupamento de Escolas de António Nobre em www.ae-anobre.pt Exames

Leia mais

ANO LETIVO 2016/2017 PROFISSIONAIS

ANO LETIVO 2016/2017 PROFISSIONAIS ANO LETIVO 2016/2017 PROFISSIONAIS Departamento: Línguas Românicas Grupo Disciplinar: 350 Disciplina: ESPANHOL Módulo: 1 a 6 Ano: 1º, 2º, 3º Curso: Ensino Profissional- componente sociocultural Objeto

Leia mais

Programa Educativo Individual

Programa Educativo Individual Programa Educativo Individual Ano Lectivo 2007/2008 Estabelecimento de Ensino: Escola Básica do 1º ciclo Agrupamento de Escolas: Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato Nome: Data de Nascimento: Morada:

Leia mais

INFORMAÇÃO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Ano Letivo 2014-2015 EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência

Leia mais

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º PARÂMETROS GERAIS DE AVALIAÇÃO Integração escolar e profissionalizante Intervenções e Atividades na sala de aula: PESOS PARÂMETROS ESPECÍFICOS INSTRUMENTOS Peso 2 Peso 5 Comportamento-assiduidade-pontualidadecumprimento

Leia mais

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2015-2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo Setembro 2015 Este documento pretende dar a conhecer a todos os intervenientes no processo educativo os critérios de avaliação, e respetivas percentagens, a que

Leia mais

Critérios de Avaliação 2014/2015. Cursos Profissionalizantes

Critérios de Avaliação 2014/2015. Cursos Profissionalizantes Critérios de Avaliação 2014/2015 Cursos Profissionalizantes Índice Português 2 Comunicar em francês 3 Economia/Área de Integração/Gestão e Controlo/Comercializar e Vender/Comunicar no Ponto de Venda/Organizar

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores Fundamentação Este curso apresenta de uma forma clara e recorrendo a uma metodologia teórico-prática, os conhecimentos necessários para a formação de formadores

Leia mais

Departamento de 2.º Ciclo Disciplina de Inglês

Departamento de 2.º Ciclo Disciplina de Inglês Aprender a ser / Aprender a viver com os outros Pilar de Aprendizagem Aprender a conhecer / Aprender a fazer CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de 2.º Ciclo ED. SETEMBRO DE 2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR DE BIOLOGIA E GEOLOGIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é uma componente essencial do processo de ensino-aprendizagem e deve ser sistemática e cuidadosa para ser objetiva e rigorosa.

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISCIPLINA DE FRANCÊS 3º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISCIPLINA DE FRANCÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISCIPLINA DE FRANCÊS 3º CICLO Competências Específicas Instrumentos de Avaliação Pesos percentuais Compreender (ouvir / ver) Testes de Avaliação 3 DOMÍNIO COGNITIVO (ler) Fichas

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março

X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março isabelfernandeslopes@gmail.com SUMÁRIO» Conceito NEE/ NEEcp» Medidas educativas -Adequações do processo de ensino e de aprendizagem CEI» Construção

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016 RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Data da intervenção Código 170574 Designação AE Vale Aveiras Início 21 de junho de 2016 Fim 23 de junho de 2016 PLANEAMENTO

Leia mais

PARÂMETROS E CRITÉRIOS DE

PARÂMETROS E CRITÉRIOS DE ESCOLA BÁSICA DE 1º CICLO COM PRÉ- ESCOLAR DE BOAVENTURA PARÂMETROS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Índice Modalidades e critérios de avaliação. Pág. 2 Critérios de progressão e retenção.. Pág. 3 Critérios/instrumentos

Leia mais

A avaliação das aprendizagens dos alunos do Ensino Básico e dos alunos do Ensino Secundário é regulada pelos seguintes documentos:

A avaliação das aprendizagens dos alunos do Ensino Básico e dos alunos do Ensino Secundário é regulada pelos seguintes documentos: Escola Secundária Filipa de Vilhena Porto CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO para 2014/ 2015 I. ENQUADRAMENTO LEGAL A avaliação das aprendizagens dos alunos do Ensino Básico e dos alunos do Ensino Secundário

Leia mais

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho ESCOLA BÁSICA E INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho PROFIJ Nível II, Tipo 2 1ºano Curso Acompanhante de Crianças ENQUADRAMENTO LEGAL

Leia mais

ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 20012/203 Organologia e Psicoacústica

ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 20012/203 Organologia e Psicoacústica ESCOLA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 20012/203 Organologia e Psicoacústica Contínua 1. Competências DOMINÍOS Competências essenciais Instrumentos de Peso % - Generalidades

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS (AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE 2009-2011) Aprovado por unanimidade no CP de 29/11/2010 com alterações introduzidas no CP de 14/04/2011 Página 1 INTRODUÇÃO No sentido de enquadrar

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 238 aprovado pela portaria Cetec nº 172 de 13/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e

Leia mais

ANEXO 9 Regulamento Interno ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO E DE INTEGRAÇÃO ESCOLAR E COMUNITÁRIA

ANEXO 9 Regulamento Interno ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO E DE INTEGRAÇÃO ESCOLAR E COMUNITÁRIA ANEXO 9 Regulamento Interno ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO E DE INTEGRAÇÃO ESCOLAR E COMUNITÁRIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014 ÍNDICE SECÇÃO I Excesso grave de faltas 2 SECÇÃO II Tipificação de

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE MESTRADO EM ENSINO DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA INSTITUTO POLITÉNICO DE LISBOA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE MESTRADO EM ENSINO DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA INSTITUTO POLITÉNICO DE LISBOA REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE MESTRADO EM ENSINO DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA INSTITUTO POLITÉNICO DE LISBOA Maio de 2012 REGULAMENTO DO ESTÁGIO Preâmbulo De acordo com o previsto na alínea 3

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE. DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Grupo 230. Planificação Anual / Critérios de Avaliação

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE. DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Grupo 230. Planificação Anual / Critérios de Avaliação DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Grupo 230 Planificação Anual / Critérios de Avaliação Disciplina: Matemática 6.º ano 2016 / 2017 Domínio (Unidade/ Tema) Subdomínio/ Conteúdos Meta de

Leia mais

EDUCAÇÃO Física. Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar - Guimarães Informação-Prova de Equivalência à Frequência 2015/2016.

EDUCAÇÃO Física. Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar - Guimarães Informação-Prova de Equivalência à Frequência 2015/2016. EDUCAÇÃO Física Prova 26 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do 3.º ciclo do ensino básico da disciplina

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES/AS

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES/AS Entidade Formadora: Questão de Igualdade Entidade Promotora: Edufoco FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES/AS Apresentação do curso e condições de frequência Certificado de Autorização de Funcionamento

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 Competências Transversais Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA 2014-2015 Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira 15/07/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLA Ano Letivo 2014/15 A PRINCÍPIOS GERAIS 1 A avaliação

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016

ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 Avaliação das aprendizagens dos alunos A 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E CURSOS CIENTÍFICOHUMANÍSTICOS DO ENSINO SECUNDÁRIO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR Ano Letivo: 2012 / 2013 ÍNDICE CAPÍTULO I PÁG. ÂMBITO 3 CAPÍTULO I I Conselho de Docentes 3 CAPÍTULO III Competências

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO DE 2014/2015 Expressões 1- Educação Pré-escolar 1.1 - Objecto da avaliação 1.1.1 - Parâmetros de avaliação, por áreas curriculares Na educação pré-escolar

Leia mais

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO PLANO DE MELHORIA Biénio 2016-2017 e 2017-2018 AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO Índice Introdução... 2 Orientações para a ação... 3 Plano de Ação 1... 4 Plano de Ação 2... 5 Plano de Ação 3... 6 Plano

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches de Penamacor

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches de Penamacor CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches de 2013/2014 Escola é... o lugar que se faz amigos. Não se trata só de prédios, salas, quadros, Programas, horários, conceitos... Escola

Leia mais

Critérios de Avaliação de Matemática

Critérios de Avaliação de Matemática COLÉGIO DA RAINHA SANTA ISABEL MATEMÁTICA Critérios de Avaliação de Matemática º e 3º Ciclo do Ensino Básico 01/013 A avaliação consiste no processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso

Leia mais