Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella"

Transcrição

1 Módulo Luiz Fontanella

2 2 ÍNDICE SCRIÇÃO PÁG. ÍNDICE 2 ROSCAS 3 TIPOS 4 SENTIDO DIREÇÃO 4 NOMENCLATURA 5 ROSCAS TRIANGULARES 5 o ROSCA MÉTRICA 6 o ROSCA WHITWORTH 6 PARAFUSOS 7 PARAFUSOS PASSANTES 7 PARAFUSOS NÃO PASSANTES 8 PARAFUSOS PRESSÃO 8 PARAFUSOS PRISIONEIROS 9 TIPOS E FORMAS 10 PARAFUSOS CABEÇA SEXTAVADA 12 PARAFUSO COM CABEÇA E SEXTAVADO INTERNO 13 PARAFUSO SEM CABEÇA E SEXTAVADO INTERNO 14 PARAFUSO CABEÇA COM FENDA 15 o PARAFUSO CABEÇA ESCAREADA CHATA 15 o PARAFUSO CABEÇA REDONDA 15 o PARAFUSO CABEÇA CILÍNDRICA BOLEADA 16 o PARAFUSO CABEÇA ESCAREADA BOLEADA 16 PARAFUSO COM ROSCA SOBERBA PARA MAIRA 16 REPRESENTAÇÃO ROSCA EM 17

3 3 ROSCAS ROSCA É UM CONJUNTO FILETES EM TORNO UMA SUPERFÍCIE CILÍNDRICA. AS ROSCAS POM SER INTERNAS OU EXTERNAS. AS ROSCAS INTERNAS ENCONTRAM-SE NO INTERIOR DAS PORCAS. AS ROSCAS EXTERNAS SE LOCALIZAM NO CORPO DOS PARAFUSOS. AS ROSCAS PERMITEM A UNIÃO E SMONTAGEM PEÇAS. PERMITEM, TAMBÉM, MOVIMENTO PEÇAS. O PARAFUSO QUE MOVIMENTA A MANDÍBULA MÓVEL DA MORSA É UM EXEMPLO MOVIMENTO PEÇAS.

4 4 OS FILETES DAS ROSCAS APRESENTAM VÁRIOS PERFIS. ESSES PERFIS, SEMPRE UNIFORMES, DÃO NOME ÀS ROSCAS E CONDICIONAM SUA APLICAÇÃO. SENTIDO DIREÇÃO DA ROSCA PENNDO DA INCLINAÇÃO DOS FILETES EM RELAÇÃO AO EIXO DO PARAFUSO, AS ROSCAS AINDA POM SER: DIREITA E ESQUERDA. PORTANTO, AS ROSCAS POM TER DOIS SENTIDOS: À DIREITA OU À ESQUERDA. NA ROSCA DIREITA, O FILETE SOBE DA DIREITA PARA A ESQUERDA, CONFORME A FIGURA. NA ROSCA ESQUERDA, O FILETE SOBE DA ESQUERDA PARA A DIREITA, CONFORME A FIGURA.

5 5 NOMENCLATURA DA ROSCA INPENNTEMENTE DA SUA APLICAÇÃO, AS ROSCAS TÊM OS MESMOS ELEMENTOS, VARIANDO APENAS OS FORMATOS E DIMENSÕES. ROSCAS TRIANGULARES AS ROSCAS TRIANGULARES CLASSIFICAM-SE, SEGUNDO O SEU PERFIL, EM TRÊS TIPOS: ROSCA MÉTRICA ROSCA WHITWORTH ROSCA AMERICANA PARA NOSSO ESTUDO, VAMOS TALHAR APENAS DOIS TIPOS: A MÉTRICA E A WHITWORTH.

6 6 ROSCA MÉTRICA ISO NORMAL E ROSCA MÉTRICA ISO FINA NBR A ROSCA MÉTRICA FINA, NUM TERMINADO COMPRIMENTO, POSSUI MAIOR NÚMERO FILETES DO QUE A ROSCA NORMAL. PERMITE MELHOR FIXAÇÃO DA ROSCA, EVITANDO AFROUXAMENTO DO PARAFUSO, EM CASO VIBRAÇÃO MÁQUINAS. EXEMPLO: EM VEÍCULOS. ROSCA WHITWORTH NORMAL - BSW E ROSCA WHITWORTH FINA BSF

7 7 PARAFUSOS PARAFUSOS SÃO ELEMENTOS FIXAÇÃO, EMPREGADOS NA UNIÃO NÃO PERMANENTE PEÇAS, ISTO É, AS PEÇAS POM SER MONTADAS E SMONTADAS FACILMENTE, BASTANDO APERTAR E SAPERTAR OS PARAFUSOS QUE AS MANTÊM UNIDAS. OS PARAFUSOS SE DIFERENCIAM PELA FORMA DA ROSCA, DA CABEÇA, DA HASTE E DO TIPO ACIONAMENTO. EM GERAL, O PARAFUSO É COMPOSTO DUAS PARTES: CABEÇA E CORPO. O CORPO DO PARAFUSO PO SER CILÍNDRICO OU CÔNICO, TOTALMENTE ROSCADO OU PARCIALMENTE ROSCADO. A CABEÇA PO APRESENTAR VÁRIOS FORMATOS; PORÉM, HÁ PARAFUSOS SEM CABEÇA. HÁ UMA ENORME VARIEDA PARAFUSOS QUE POM SER DIFERENCIADOS PELO FORMATO DA CABEÇA, DO CORPO E DA PONTA. ESSAS DIFERENÇAS, TERMINADAS PELA FUNÇÃO DOS PARAFUSOS, PERMITE CLASSIFICÁ- LOS EM QUATRO GRANS GRUPOS: PARAFUSOS PASSANTES, PARAFUSOS NÃO-PASSANTES, PARAFUSOS PRESSÃO, PARAFUSOS PRISIONEIROS.

8 8 PARAFUSOS PASSANTES ESSES PARAFUSOS ATRAVESSAM LADO A LADO, AS PEÇAS A SEREM UNIDAS, PASSANDO LIVREMENTE NOS FUROS. PENNDO DO SERVIÇO, ESSES PARAFUSOS, ALÉM DAS PORCAS, UTILIZAM ARRUELAS E CONTRA- PORCAS COMO ACESSÓRIOS. OS PARAFUSOS PASSANTES APRESENTAM-SE COM CABEÇA OU SEM CABEÇA. PARAFUSOS NÃO-PASSANTES SÃO PARAFUSOS QUE NÃO UTILIZAM PORCAS. O PAPEL PORCA É SEMPENHADO PELO FURO ROSCADO, FEITO NUMA DAS PEÇAS A SER UNIDA. PARAFUSOS PRESSÃO ESSES PARAFUSOS SÃO FIXADOS POR MEIO PRESSÃO. A PRESSÃO É EXERCIDA PELAS PONTAS DOS PARAFUSOS CONTRA A PEÇA A SER FIXADA. OS PARAFUSOS PRESSÃO POM APRESENTAR CABEÇA OU NÃO.

9 9 PARAFUSOS PRISIONEIROS SÃO PARAFUSOS SEM CABEÇA COM ROSCA EM AMBAS AS EXTREMIDAS, SENDO RECOMENDADOS NAS SITUAÇÕES QUE EXIGEM MONTAGENS E SMONTAGENS FREQÜENTES. EM TAIS SITUAÇÕES, O USO OUTROS TIPOS PARAFUSOS ACABA DANIFICANDO A ROSCA DOS FUROS. AS ROSCAS DOS PARAFUSOS PRISIONEIROS POM TER PASSOS DIFERENTES OU SENTIDOS OPOSTOS, ISTO É, UM HORÁRIO E O OUTRO ANTI-HORÁRIO. PARA FIXARMOS O PRISIONEIRO NO FURO DA MÁQUINA, UTILIZAMOS UMA FERRAMENTA ESPECIAL. CASO NÃO HAJA ESTA FERRAMENTA, IMPROVISA-SE UM APOIO COM DUAS PORCAS TRAVADAS NUMA DAS EXTREMIDAS DO PRISIONEIRO. APÓS A FIXAÇÃO DO PRISIONEIRO PELA OUTRA EXTREMIDA, RETIRAM-SE AS PORCAS. A SEGUNDA PEÇA É APERTADA MEDIANTE UMA PORCA E ARRUELA, APLICADAS À EXTREMIDA LIVRE DO PRISIONEIRO. O PARAFUSO PRISIONEIRO PERMANECE NO LUGAR QUANDO AS PEÇAS SÃO SMONTADAS.

10 10 TIPOS E FORMAS:

11 11 AO UNIR PEÇAS COM PARAFUSOS, O PROFISSIONAL PRECISA LEVAR EM CONSIRAÇÃO QUATRO FATORES EXTREMA IMPORTÂNCIA: PROFUNDIDA DO FURO BROQUEADO; PROFUNDIDA DO FURO ROSCADO; COMPRIMENTO ÚTIL PENETRAÇÃO DO PARAFUSO; DIÂMETRO DO FURO PASSANTE. ESSES QUATRO FATORES SE RELACIONAM CONFORME MOSTRAM AS FIGURAS E A TABELA A SEGUIR.

12 12 PARAFUSO CABEÇA SEXTAVADA EM, ESSE PARAFUSO É REPRESENTADO DA SEGUINTE FORMA: APLICAÇÃO EM GERAL, ESSE TIPO PARAFUSO É UTILIZADO EM UNIÕES EM QUE SE NECESSITA UM FORTE APERTO DA CHAVE BOCA OU ESTRIA. ESSE PARAFUSO PO SER USADO COM OU SEM ROSCA. QUANDO USADO SEM ROSCA, O ROSQUEAMENTO É FEITO NA PEÇA.

13 13 PARAFUSOS COM SEXTAVADO INTERNO PARAFUSO CABEÇA CILÍNDRICA COM SEXTAVADO INTERNO (ALLEN). EM, ESTE TIPO PARAFUSO É REPRESENTADO NA SEGUINTE FORMA: ON : A = D = ALTURA DA CABEÇA DO PARAFUSO E = 1,5 D = DIÂMETRO DA CABEÇA T = 0,6 D = PROFUNDIDA DO ENCAIXE DA CHAVE S = 0,8 D = MEDIDA DO SEXTAVADO INTERNO D = DIÂMETRO DO PARAFUSO APLICAÇÃO ESTE TIPO PARAFUSO É UTILIZADO EM UNIÕES QUE EXIGEM UM BOM APERTO, EM LOCAIS ON O MANUSEIO FERRAMENTAS É DIFÍCIL VIDO À FALTA ESPAÇO. ESSES PARAFUSOS SÃO FABRICADOS EM AÇO E TRATADOS TERMICAMENTE PARA AUMENTAR SUA RESISTÊNCIA À TORÇÃO. GERALMENTE, ESTE TIPO PARAFUSO É ALOJADO EM UM FURO CUJAS PROPORÇÕES ESTÃO INDICADAS NA TABELA ABAIXO:.

14 14 PARAFUSO SEM CABEÇA COM SEXTAVADO INTERNO EM, ESSE TIPO PARAFUSO É REPRESENTADO DA SEGUINTE FORMA. ON : D = DIÂMETRO DO PARAFUSO; T = 0,5 D = PROFUNDIDA DO ENCAIXE DA CHAVE; S1 = 0,5 D = MEDIDA DO SEXTAVADO INTERNO. APLICAÇÃO EM GERAL, ESSE TIPO PARAFUSO É UTILIZADO PARA TRAVAR ELEMENTOS MÁQUINAS. POR SER UM ELEMENTO UTILIZADO PARA TRAVAR ELEMENTOS MÁQUINAS, ESSES PARAFUSOS SÃO FABRICADOS COM DIVERSOS TIPOS PONTAS, ACORDO COM SUA UTILIZAÇÃO. VEJA A SEGUIR: AS MEDIDAS DOS PARAFUSOS COM SEXTAVADO INTERNO COM E SEM CABEÇA E O ALOJAMENTO DA CABEÇA, SÃO ESPECIFICADAS NA TABELA, A SEGUIR. ESSAS MEDIDAS VARIAM ACORDO COM O DIÂMETRO (d).

15 15 PARAFUSOS CABEÇA COM FENDA PARAFUSO CABEÇA ESCAREADA CHATA COM FENDA. EM, A REPRESENTAÇÃO É A SEGUINTE: ON : DIÂMETRO DA CABEÇA DO PARAFUSO = 2 D; LARGURA DA FENDA = 0,18 D; PROFUNDIDA DA FENDA = 0,29 D; MEDIDA DO ÂNGULO DO ESCAREADO = 90º. APLICAÇÃO SÃO FABRICADOS EM AÇO, AÇO INOXIDÁVEL, INOX, COBRE, LATÃO, ETC. ESSE TIPO PARAFUSO É MUITO EMPREGADO EM MONTAGENS QUE NÃO SOFREM GRANS ESFORÇOS E ON A CABEÇA DO PARAFUSO NÃO PO EXCER A SUPERFÍCIE DA PEÇA. PARAFUSO CABEÇA REDONDA COM FENDA EM SENHOS TÉCNICO,A REPRESENTAÇÃO É FEITA COMO MOSTRA A FIGURA. ON : DIÂMETRO DA CABEÇA DO PARAFUSO = 1,9 D; RAIO DA CIRCUNFERÊNCIA DA CABEÇA = D; LARGURA DA FENDA = 0,18 D; PROFUNDIDA DA FENDA = 0,36 D. APLICAÇÃO ESSE TIPO PARAFUSO É TAMBÉM MUITO EMPREGADO EM MONTAGENS QUE NÃO SOFREM GRANS ESFORÇOS. POSSIBILITA MELHOR ACABAMENTO NA SUPERFÍCIE. SÃO FABRICADOS EM AÇO, COBRE E LIGAS, COMO LATÃO.

16 16 PARAFUSO CABEÇA CILÍNDRICA BOLEADA COM FENDA EM, A REPRESENTAÇÃO É FEITA COMO MOSTRA A FIGURA. ON : DIÂMETRO DA CABEÇA DO PARAFUSO = 1,7 D RAIO DA CABEÇA = 1,4 D; COMPRIMENTO PARTE CILÍNDRICA DA CABEÇA = 0,66 D; LARGURA DA FENDA = 0,18 D; PROFUNDIDA DA FENDA = 0,44 D. APLICAÇÃO SÃO UTILIZADOS NA FIXAÇÃO ELEMENTOS NOS QUAIS EXISTE A POSSIBILIDA SE FAZER UM ENCAIXE PROFUNDO PARA A CABEÇA DO PARAFUSO, E A NECESSIDA UM BOM ACABAMENTO NA SUPERFÍCIE DOS COMPONENTES. TRATA-SE UM PARAFUSO CUJA CABEÇA É MAIS RESISTENTE DO QUE AS OUTRAS SUA CLASSE. SÃO FABRICADOS EM AÇO, COBRE E LIGAS, COMO LATÃO. PARAFUSO CABEÇA ESCAREADA BOLEADA COM FENDA ON : DIÂMETRO DA CABEÇA DO PARAFUSO = 2 D; RAIO DA CABEÇA DO PARAFUSO = 2 D; LARGURA DA FENDA = 0,18 D; PROFUNDIDA DA FENDA = 0,5 D. APLICAÇÃO SÃO GERALMENTE UTILIZADOS NA UNIÃO ELEMENTOS CUJAS ESPESSURAS SEJAM FINAS E QUANDO É NECESSÁRIO QUE A CABEÇA DO PARAFUSO FIQUE EMBUTIDA NO ELEMENTO. PERMITEM UM BOM ACABAMENTO NA SUPERFÍCIE. SÃO FABRICADOS EM AÇO, COBRE E LIGAS COMO LATÃO. PARAFUSOS COM ROSCA SOBERBA PARA MAIRA SÃO VÁRIOS OS TIPOS PARAFUSOS PARA MAIRA. APRESENTAMOS, EM SEGUIDA, OS DIFERENTES TIPOS E OS CÁLCULOS PARA DIMENSIONAMENTO DOS TALHES DA CABEÇA.

17 17 APLICAÇÃO ESSE TIPO PARAFUSO TAMBÉM É UTILIZADO COM AUXÍLIO BUCHAS PLÁSTICAS. O CONJUNTO, PARAFUSO-BUCHA É APLICADO NA FIXAÇÃO ELEMENTOS EM BASES ALVENARIA. QUANTO À ESCOLHA DO TIPO CABEÇA A SER UTILIZADO, LEVA-SE EM CONSIRAÇÃO A NATUREZA DA UNIÃO A SER FEITA. SÃO FABRICADOS EM AÇO E TRATADOS SUPERFICIALMENTE PARA EVITAR EFEITOS OXIDANTES AGENTES NATURAIS. REPRESENTAÇÃO ROSCA EM ROSCAS VISÍVEIS PARA ROSCAS VISÍVEIS, A CRISTA DO FILETE É REPRESENTADA POR UMA LINHA CONTÍNUA, LARGA (TIPO "A" DA NBR 8403), E A RAIZ DA ROSCA POR UMA LINHA CONTÍNUA ESTREITA (TIPO "B" DA NBR 8403) RECOMENDA-SE QUE O ESPAÇAMENTO ENTRE AS LINHAS, QUE REPRESENTAM O DIÂMETRO MAIOR E O DIÂMETRO MENOR DA ROSCA, SEJA IGUAL À PROFUNDIDA REAL DA ROSCA, PORÉM, EM TODOS OS CASOS, ESTE ESPAÇAMENTO NÃO VE SER MENOR QUE: A) DOBRO DA LINHA CONTÍNUA LARGA; B) 0,7 mm; C) PREVALECE A MAIOR DIMENSÃO DAS OPÇÕES ANTERIORES..

18 18 ROSCAS ENCOBERTAS PARA ROSCAS ENCOBERTAS A CRISTA E A RAIZ SÃO REPRESENTADAS POR LINHAS TRACEJADAS (TIPO E OU F DA NBR 8403), PORÉM SOMENTE UM TIPO NUM MESMO SENHO. PARA O ESPAÇAMENTO ENTRE AS LINHAS TRACEJADAS, USAR O MESMO CRITÉRIO PARA ROSCAS VISÍVEIS. CORTES PARTES ROSCADAS PARA PARTES ROSCADAS MOSTRADAS EM CORTE, AS HACHURAS VEM SER ESTENDIDAS ATÉ LINHA DA CRISTA DA ROSCA.

19 19 VISTA TOPO DA ROSCA NA VISTA TOPO UMA ROSCA VISÍVEL, A RAIZ VE SER REPRESENTADA POR UMA CIRCUNFERÊNCIA PARCIAL LINHA CONTÍNUA ESTREITA (TIPO B) COMPRIMENTO APROXIMADAMENTE 3/4 DA CIRCUNFERÊNCIA ROSCA EXTERNA ROSCA INTERNA OBSERVEM QUE NA REPRESENTAÇÃO DA ROSCA EXTERNA, A LINHA EXTERNA É CONTINUA E LARGA (TIPO A) E A LINHA INTERNA É CONTÍNUA ESTREITA (TIPO B) COMPRIMENTO APROXIMADAMENTE 3/4 DA CIRCUNFERÊNCIA. NA REPRESENTAÇÃO DA ROSCA INTERNA É CONTINUA E LARGA (TIPO A )E A LINHA EXTERNA É CONTÍNUA ESTREITA (TIPO B) COMPRIMENTO APROXIMADAMENTE 3/4 DA CIRCUNFERÊNCIA. NA VISTA TOPO UMA ROSCA ENCOBERTA, A RAIZ DA ROSCA VE SER REPRESENTADO POR UMA CIRCUNFERÊNCIA PARCIAL LINHA TRACEJADA (TIPO E OU F), POREM, UM SÓ TIPO LINHA NUM MESMO SENHO, SENDO A MESMA COMPRIMENTO APROXIMADAMENTE 3/4 DA CIRCUNFERÊNCIA COTAGEM PARTES ROSCADAS EM (ROSCA À DIREITA COM UMA ENTRADA ) TIPO SÍMBOLO MEDIDAS EXEMPLO WHITWORTH NORMAL DIÂMETRO EXTERNO DA ROSCA EM POLEGADA 2 WHITWORTH FINA W DIÂMETRO EXTERNO (MM) E PASSO (POLEGADA) W84 X 1/8" WHITWORTH TUBOS R DIÂMETRO NOMINAL DO TUBO R4" MÉTRICA NORMAL M DIÂMETRO EXTERNO DA ROSCA EM MM M80 MÉTRICA FINA M M104 X 4 TRAPEZOIDAL Tr DIÂMETRO EXTERNO DA ROSCA E PASSO EM MM TR 48 X 8 NTE SERRA S S 70 X 10 REDONDA Rd DIÂMETRO EXTERNO (MM) E PASSO (POLEGADA) RD 40 X 1/8" EDISON E DIÂMETRO NOMINAL EM MM E27

20 (ROSCA À ESQUERDA OU COM VÁRIAS ENTRADAS ) TIPO ABREVIATURA EXEMPLOS GÁS E VAPOR GÁS M GÁS 2" GÁS ESQUERDA ESQ W104 X 1/8" ESQ M80 ESQ "N" ESTRADAS À DIREITA (I ENT) 2" (2 ENT) TR 48 X 16 (3 ENT) "N" ENTRADAS À ESQUERDA ESQ (I ENT) M10 ESQ (2 ENT) TR 48 X 16 ESQ (4 ENT) INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, CONSULTAR NORMA NBR 8993.

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos.

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. A UU L AL A Parafusos II Na aula anterior você teve noções gerais de roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. Introdução Parafusos Parafusos são elementos de fixação,

Leia mais

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba E Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo Diego Rafael Alba 1 Roscas É um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica; Podem ser internas e externas. 2 Perfil de rosca Triangular;

Leia mais

Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica. Desenho Mecânico. Prof.

Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica. Desenho Mecânico. Prof. Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica Desenho Mecânico Prof. José Rui Barbosa Componentes mecânicos Elementos de ligação - Roscas - Parafusos

Leia mais

Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica.

Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica. A UU L AL A Parafusos I Um motorista, distraído, passou com o carro sobre um grande buraco. Sentiu que o carro começou a se desgovernar. Parou acostamento e, para seu espanto, viu uma roda quase solta.

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502)

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas 10. 02 Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas TOLERÂNCIA GEOMÉTRICA: FORMA

Leia mais

Capítulo I: Elementos de Fixação

Capítulo I: Elementos de Fixação Capítulo I: Elementos de Fixação Profª. Luziane M. Barbosa 1 Profª. Luziane M. Barbosa 2 1 Profª. Luziane M. Barbosa 3 Uniões Móveis Permanentes Profª. Luziane M. Barbosa 4 2 PINOS Funções: Possibilitar

Leia mais

Parafusos III. Até agora você estudou classificação geral. Parafuso de cabeça sextavada

Parafusos III. Até agora você estudou classificação geral. Parafuso de cabeça sextavada A U A UL LA Parafusos III Introdução Até agora você estudou classificação geral dos parafusos quanto à função que eles exercem e alguns fatores a serem considerados na união de peças. Nesta aula, você

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio ELMA3 AULA 4 Prof. Carlos Fernando Dispositivos de Fixação Rebites, Parafusos, Pregos, Arruelas, Anéis Elásticos.

Leia mais

2 - A rosca em que o filete de perfil tem forma triangular, denomina-se rosca: a) ( ) redonda; b) ( ) quadrada; c) (x) triangular.

2 - A rosca em que o filete de perfil tem forma triangular, denomina-se rosca: a) ( ) redonda; b) ( ) quadrada; c) (x) triangular. Lista de exercícios 1 - PARAFUSOS Marque com um X a resposta correta. 1 - Uma característica do parafuso é que todos eles apresentam: a) ( ) pinos; b) (x) roscas; c) ( ) arruelas. 2 - A rosca em que o

Leia mais

Conjuntos mecânicos III

Conjuntos mecânicos III Conjuntos mecânicos III A UU L AL A Desenho de componente é o desenho de uma peça isolada que compõe um conjunto mecânico. Introdução Desenho de detalhe é o desenho de um elemento, de uma parte de um elemento,

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO DESENHO TÉCNICO MECÂNICO Unidade 3 Roscas e Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Mendes da Silva 1. Engrenagens: Engrenagens são rodas com dentes padronizados que servem para transmitir movimento

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 03 Conjuntos O desenho de conjunto representa um grupo de peças montadas tais como: dispositivos, ferramentas, máquinas, motores, equipamentos

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: COSSINETES São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca temperada e retificada; é similar a uma porca, com cortes radiais dispostos convenientemente

Leia mais

Prof. MSc. David Roza José -

Prof. MSc. David Roza José - 1/139 Elementos de Fixação Veremos, nesta aula, o quê são e para quê servem os elementos de fixação. Conheceremos também os principais elementos de fixação: Rebites; Pinos e cupilhas;. Parafusos e roscas;

Leia mais

Conjuntos mecânicos V

Conjuntos mecânicos V A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Conjuntos mecânicos V Introdução Os funcionários acharam importante a aula anterior porque puderam conhecer bem o calço-regulável e as diversas formas pelas

Leia mais

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 1. Qual a definição de aço-carbono? Aço é a liga ferro-carbono que contém de 0,008% a 2,11% de carbono em sua composição e é obtido a partir do

Leia mais

ÍNDICE Introdução HÉLICE Elementos de uma hélice: Processo de representação de uma hélice... 4

ÍNDICE Introdução HÉLICE Elementos de uma hélice: Processo de representação de uma hélice... 4 ÍNDICE Introdução... 2 1. HÉLICE... 3 1.1. Elementos de uma hélice:... 3 1.2. Processo de representação de uma hélice... 4 2. ROSCA... 5 2.1. Elementos da rosca... 6 2.2. Representação exacta de uma rosca...

Leia mais

Broca Helicoidal DIN338N- HSS

Broca Helicoidal DIN338N- HSS Broca Helicoidal DIN338N- HSS Broca Helicoidal com Haste Cilíndrica Broca Comp. De Corte Broca Helicoidal com Haste Cilíndrica Broca Comp. De Corte 0,5 22 6 4,1 75 43 0,6 24 7 4,2 75 43 0,7 28 9 4,3 80

Leia mais

Acesse:

Acesse: Nem só o padeiro faz roscas Para montar conjuntos mecânicos, usam-se os mais diversos processos de união das diversas partes que os compõem. Assim, é possível uni-los por soldagem, por rebitagem, por meio

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio ELMA3 AULA 5 Prof. Carlos Fernando Dispositivos de Fixação Pinos, Cupilhas, Cavilhas, Roscas, Mancais de Deslizamento

Leia mais

MESA ADAPTÁVEL PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO MESA ADAPTÁVEL PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO

MESA ADAPTÁVEL PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO MESA ADAPTÁVEL PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO

Leia mais

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS LINHA ASTM A325 TIPO 1 São fixadores específicos de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade.

Leia mais

Informações Técnicas Propriedades Mecânicas

Informações Técnicas Propriedades Mecânicas Informações Técnicas Propriedades Mecânicas Resistência a Limite de Carga de Grau de Tração Escoamento Alongam. Redução Dureza Prova de Área Resistência (kgf/mm2) (kgf/mm2) (kgf/mm2) min. máx. min. (%)

Leia mais

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Agosto / 2002 êndice êndice Histórico / Informações Técnicas...03 Buchas de Fixação...04 Buchas de Fixação...05 Buchas de Fixação...06 Buchas de Desmontagem...07

Leia mais

EQUIPAMENTOS À PROVA DE TEMPO

EQUIPAMENTOS À PROVA DE TEMPO CAIXAS DE PASSAGEM Para derivações aparentes ou embutidas, as Caixas de Passagem WETZEL representam uma ótima solução. Por sua resistência à corrosão, garantem excepcional durabilidade. Opcionalmente,

Leia mais

CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção. Mecânica Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção. Mecânica Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico _ CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Mecânica Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico _ 3 _ Sumário Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico... 03 Introdução...

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo I Aula 03 Linhas Para desenhar as projeções usa-se vários tipos de linhas. Vamos descrever algumas delas. Largura das linhas A relação entre as

Leia mais

Buchas e acessórios. Buchas 392. Porcas e anilhas 404. Porcas autobloqueantes de precisão 410

Buchas e acessórios. Buchas 392. Porcas e anilhas 404. Porcas autobloqueantes de precisão 410 Buchas 392 Definição 392 Séries 392 Variantes 392 Elementos de montagem e desmontagem 392 Sufixos 395 Características 396 Bucha de fixação (cotas em metros) 396 Bucha de fixação (cotas em polegadas) 399

Leia mais

Cotagem é a indicação das medidas da peça em seu desenho conf. a norma NBR Para a cotagem de um desenho são necessários três elementos:

Cotagem é a indicação das medidas da peça em seu desenho conf. a norma NBR Para a cotagem de um desenho são necessários três elementos: Cotagem Cotagem é a indicação das medidas da peça em seu desenho conf. a norma NBR 10126. Para a cotagem de um desenho são necessários três elementos: Linhas de cota são linhas contínuas estreitas, com

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo II Aula 04 Rosca Rosca é o conjunto de reentrâncias e saliências, com perfil constante, em forma helicoidal, que se desenvolvem. externa ou internamente,

Leia mais

Conjuntos mecânicos IV

Conjuntos mecânicos IV Conjuntos mecânicos IV A UU L AL A Do conceito das aulas estudadas em Elementos de Máquina, o pessoal que estava sendo treinado numa empresa achou que o curso só estaria completo se fosse estudado mais

Leia mais

MESA PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO (Regulável em altura por sistema de pinos)

MESA PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO (Regulável em altura por sistema de pinos) UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) MESA PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO (Regulável

Leia mais

As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão,

As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão, MOLAS As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão, preservação de junçõeses ou contatos. MOLAS HELICOIDAIS

Leia mais

Acesse:

Acesse: Roda, roda, gira... Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Você já parou para pensar em quanto sua vida depende de parafusos, pinos, rebites e da qualidade das montagens dos muitos conjuntos mecânicos que

Leia mais

SUPORT E AIRON CEILING M B SUPORT E AIRON CEILING L B INSTRUÇÕES DE MONTAGEM

SUPORT E AIRON CEILING M B SUPORT E AIRON CEILING L B INSTRUÇÕES DE MONTAGEM SUPORT E AIRON CEILING M B SUPORT E AIRON CEILING L B INSTRUÇÕES DE MONTAGEM Imagens ilustrativas * ATENÇÃO A boa fixação do suporte no teto (quadro e 02) é fundamental para a segurança do conjunto. Assim,

Leia mais

helicoidais. Nesta aula vamos continuar nosso estudo sobre as molas.veremos

helicoidais. Nesta aula vamos continuar nosso estudo sobre as molas.veremos A UU L AL A Molas ll Na aula passada você conheceu as molas helicoidais. Nesta aula vamos continuar nosso estudo sobre as molas.veremos o que são molas planas. Introdução Molas planas As molas planas são

Leia mais

PRENSA PARA ESTÊNCIL A TINTA

PRENSA PARA ESTÊNCIL A TINTA MANUAL PARA A FABRICAÇÃO DE UMA PRENSA PARA ESTÊNCIL A TINTA Vivaldo Armelin Júnior 2006 Todos os direitos Reservados e pertencentes ao Portal ArteEducar. Proibido qualquer uso que não seja em sala de

Leia mais

Catálogo de produtos 2013 / 2014

Catálogo de produtos 2013 / 2014 Catálogo de produtos 2013 / 2014 ÓLEO DE CORTE PARA METAIS Somos uma empresa especializada em suprimentos para a indústria Metal/Mecânica Brasileira. As melhores marcas, produtos com tecnologia de ponta,

Leia mais

Cálculos de roscas. Nem sempre os parafusos usados nas máquinas. Formulários

Cálculos de roscas. Nem sempre os parafusos usados nas máquinas. Formulários A UU L AL A Cálculos de roscas Nem sempre os parafusos usados nas máquinas são padronizados (normalizados) e, muitas vezes, não se encontra o tipo de parafuso desejado no comércio. Nesse caso, é necessário

Leia mais

Corpo em chapa de aço estampado Cabo plastificado Diâmetro máximo de rebite: 4,8 mm

Corpo em chapa de aço estampado Cabo plastificado Diâmetro máximo de rebite: 4,8 mm REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE Uso leve Indicado para unir peças, como: chapas, tubos, perfis, entre outras, através de rebites de repuxo Corpo em chapa de aço estampado Cabo plastificado Diâmetro máximo

Leia mais

Parafuso Auto Atarraxante Fenda Phillips

Parafuso Auto Atarraxante Fenda Phillips PA PN PH AA Dimensões: 79 Rosca: Auto Atarraxante Tipo C - DIN 7970 ( 47) Parafuso Auto Atarraxante Fenda Phillips Dimensões nominais, ( Nº ),9 ( Nº 4) 3, (Nº 6) 3,9 (Nº 7) 4, (Nº ) 4, (Nº 0), (Nº ) 6,3

Leia mais

MESA DE ATIVIDADES MANUAL DE CONFECÇÃO

MESA DE ATIVIDADES MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) MESA DE ATIVIDADES MANUAL DE CONFECÇÃO PROJETO ELABORADO

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

SUPORTE DE TETO FIT PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE DE TETO FIT PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE DE TETO FIT PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação no teto. - Para Tv s e monitores Plasma ou LCD com padrão VESA 75x75, 100x100, 200x100 ou 200x200 (HxV) 26 a 40. -

Leia mais

Parafuso para Roda de Trator G.5

Parafuso para Roda de Trator G.5 Parafuso para Roda de Trator G. 0/006 PA TRATOR Dimensões : Padrão Ciser Rosca: ASME B. - A (A) (B) (C) (D) Produto F.P.P. X da rosca (ref.) Código da Linha - 9 Aplicações N Referência (E) PASX CO (B)

Leia mais

DE TETO PARA PLASMA/LCD

DE TETO PARA PLASMA/LCD SUPORTE ARTICULÁVEL DE TETO PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação no teto. - Articulações que permitem diversas combinações de movimentos laterais e angulares para baixo. -

Leia mais

Parafusos Porcas Arruelas. E Toda Linha de Fixadores. Catálogo de Parafusos com Sextavado Interno

Parafusos Porcas Arruelas. E Toda Linha de Fixadores. Catálogo de Parafusos com Sextavado Interno Parafusos Porcas Arruelas E Toda Linha de Fixadores Catálogo de Parafusos com Sextavado Interno www.indufix.com.br contato@indufix.com.br (11) 3207.8466 Há 25 anos a Indufix é líder do mercado brasileiro

Leia mais

REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE REBITADORES MANUAIS TIPO ALAVANCA REBITADOR MANUAL TIPO ALICATE REBITADOR MANUAL GIRATÓRIO REBITADOR TIPO SANFONA

REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE REBITADORES MANUAIS TIPO ALAVANCA REBITADOR MANUAL TIPO ALICATE REBITADOR MANUAL GIRATÓRIO REBITADOR TIPO SANFONA 285 REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE REBITADORES MANUAIS TIPO ALAVANCA Uso leve Indicado para unir peças, como: chapas, tubos, perfis, entre outras, através de rebites de repuxo Corpo em chapa de aço estampado

Leia mais

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED 2A 400 MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED 2A 400 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED 2A 400 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para TV s e monitores Plasma ou LCD até 46. * - Para TV s e monitores LED até 55.

Leia mais

SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR THIN COM HASTES MÓVEIS

SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR THIN COM HASTES MÓVEIS SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR THIN COM HASTES MÓVEIS MANUAL DE 1UTILIZAÇÃO Características: - Disponível em dois tamanhos: - Ajuste de altura de 485 a 735 mm - Ajuste de altura de 1,25 a 2,00 metros -

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ÁREA 1. Disciplina: Elementos de Máquina Semestre: 2016/01

LISTA DE EXERCÍCIOS ÁREA 1. Disciplina: Elementos de Máquina Semestre: 2016/01 LISTA DE EXERCÍCIOS ÁREA 1 Disciplina: Elementos de Máquina Semestre: 2016/01 Prof: Diego R. Alba 1. Duas chapas de aço 1018 laminado à frio de 1 por 4 são unidas por meio de sobreposição de duas chapas

Leia mais

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para Tv s e monitores Plasma ou LCD - até 46. - Para Tv s e monitores LED até

Leia mais

Fixer Parafuso Fixer Phillips

Fixer Parafuso Fixer Phillips PA FI PN PH Rosca: Auto Cortante tipo Chipboard Fixer Parafuso Fixer Phillips Código da Linha - 90 Panela Compr. Ponteira Compr. rosca 0 60,0,0 /,90 6, / 6,90 7, / 7,0 7,8 / 8,0 9, / 9,0,0 /, Nº Nº Nº

Leia mais

UNIRONS. Esteiras Série E50LF

UNIRONS. Esteiras Série E50LF UNIRONS s Série E50LF Série E50LF: Especialmente desenvolvida para a indústria alimentícia, a série E50LF possui sistema de dentes cônicos arredondados e superfície inferior lisa com nervura central que

Leia mais

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca Rosca Sistema Métrico Normal Fina Machos de roscar Rosca Sistema Whitworth Para Parafusos Normal - BSW Fina - BSF Para Tubos - BASP - BSPT Rosca

Leia mais

PARAFUSO CABEÇA SEXTAVADA ROSCA INTEIRA EM POLEGADAS FIXAÇÃO WINOX ALTURA MÁXIMA (CABEÇA) QUANT. EMB. FIOS POR POLEGADAS CHAVE

PARAFUSO CABEÇA SEXTAVADA ROSCA INTEIRA EM POLEGADAS FIXAÇÃO WINOX ALTURA MÁXIMA (CABEÇA) QUANT. EMB. FIOS POR POLEGADAS CHAVE 71 FIXAÇÃO WINOX PARAFUSO CABEÇA SEXTAVADA ROSCA INTEIRA EM POLEGADAS Dimensões: ANSI B 18.2.1 Rosca: ASME B 1.1 2A / BS 84 - Média CÓDIGO DESCRIÇÃO FIOS POR POLEGADAS CHAVE ALTURA MÁXIMA (CABEÇA) 800600

Leia mais

Produtos Profissionais FIXAÇÃO P R O D U T O S & A C E S S Ó R I O S

Produtos Profissionais FIXAÇÃO P R O D U T O S & A C E S S Ó R I O S Produtos Profissionais FIXAÇÃO P R O D U T O S & A C E S S Ó R I O S Abraçadeiras de Nylon Branca (5020) Tensão KG/F Mínima P/ Cabos até (Ø) Comp. Total Larg. Esp. 5020.091.092 8.2 20 100 2.6 1.0 5020.091.154

Leia mais

MESA PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO (Regulável em altura pelo comprimento dos pés)

MESA PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO (Regulável em altura pelo comprimento dos pés) UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) MESA PARA CADEIRA DE RODAS MANUAL DE CONFECÇÃO (Regulável

Leia mais

CURSO TÉCNICO CAD/CAM ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS

CURSO TÉCNICO CAD/CAM ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS CURSO TÉCNICO CAD/CAM 2008-2009 ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS Este foi um dos módulos mais fáceis e divertidos que tivemos pois a matéria já era do meu conhecimento e já tinha tido experiência a

Leia mais

ELEMENTOS DE FIXAÇÃO GUIA DE SELEÇÃO

ELEMENTOS DE FIXAÇÃO GUIA DE SELEÇÃO ELEMENTOS DE FIXAÇÃO GUIA DE SELEÇÃO Mais de 8.000 produtos à sua escolha! Utilize este guia para encontrar o produto certo para cada necessidade. pt.rs-online.com ELEMENTOS DE FIXAÇÃO GUIA DE SELEÇÃO

Leia mais

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores A UU L AL A Calibrador Seguindo as diretrizes da empresa para implantar um programa de qualidade e produtividade, um dos funcionários alertou o supervisor sobre a perda de tempo em medir um grande lote

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil fotolia.com ARTIGOS Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil Dr. Ing. Mauro M. de Souza Juliano Savoy Paulo Cesar Sigoli Marcelo A. do C. Silva Elevadas cargas axiais aplicadas

Leia mais

Exercícios de revisão fundamentos mecânicos

Exercícios de revisão fundamentos mecânicos 1. O desenho técnico é a ferramenta necessária para a interpretação e representação de um projeto, por ser o meio de comunicação entre a equipe de criação e a de fabricação (ou de construção); nesse contexto

Leia mais

Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014

Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014 Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014 Leitura no Sistema Inglês : Fração Ordinária Goniômetro simples O goniômetro simples, também conhecido como transferidor de grau, é utilizado em medidas

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo III Aula 03 Supressão de vistas em peças compostas As peças cilíndricas, ou que contêm partes cilíndricas, também podem ser representadas com

Leia mais

TIPOS DE CONECTORES. Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas.

TIPOS DE CONECTORES. Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES COM CONECTORES Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá TIPOS DE CONECTORES Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. Rebites; Parafusos comuns;

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED STANDARD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para TV s e monitores Plasma ou LCD até 42. - Para TV s e monitores LED até 46.

Leia mais

PARAFUSOS SEXT. E FRANCESES DE FERRO E AÇO 8.8

PARAFUSOS SEXT. E FRANCESES DE FERRO E AÇO 8.8 PARAFUSOS SEXT. E FRANCESES DE FERRO E AÇO 8.8 N/CÓDIGO MEDIDAS QUANT. PREÇO P/ % 110.016 PR SX F 1/4X1.3/4NC RP 450 R$ 10.30 110.017 PR SX F 1/4X2 NC RP 120 R$ 10.85 110.018 PR SX F 1/4X2.1/4 NC RP 1090

Leia mais

Parafuso Francês com Porca Sextavada

Parafuso Francês com Porca Sextavada PA FR C/PO SX Dimensões: ANSI B. Rosca BSW: BS - Média Rosca UNC: ASME B. - A Parafuso - B Porca Material: Aço Baixo Carbono Fornecido com componentes desmontados - F.P.P. Compr. - Até 6 mín. de rosca

Leia mais

Introdução. Elementos de fixação

Introdução. Elementos de fixação A U A UL LA Introdução aos elementos de fixação Introdução Elementos de fixação constitui uma unidade de 3 aulas que faz parte do módulo Elementos de Máquinas. Nessa unidade, você vai estudar os principais

Leia mais

navios, automóveis, etc.

navios, automóveis, etc. Os elementos de fixação podem ser colocados ou retirados do conjunto sem causar qualquer dano às peças que foram unidas. Por exemplo, uniões com parafusos, porcas e arruelas. Assim a fixação desses elementos

Leia mais

Aula Processos de usinagem de roscas -

Aula Processos de usinagem de roscas - Aula 14 - Processos de usinagem de roscas - Prof. Dr. Eng. Rodrigo Lima Stoeterau Processo de Usinagem de Roscas Processos de Usinagem Rosqueamento Definição: processo de usiangem cujo a função é produzir

Leia mais

Nova tecnologia em fresamento Soluções em Fresamento

Nova tecnologia em fresamento Soluções em Fresamento Fresamento Dupla face, Inserto de 6 arestas, cabeçote 90 com baixo esforço de corte Nova tecnologia em fresamento Soluções em Fresamento 6 vantagens competitivas para alta eficiência em fresamento Maior

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS COMPLE MENTARES

CATÁLOGO DE PEÇAS COMPLE MENTARES CATÁLOGO DE PEÇAS COMPLE MENTARES TELHA UNIVERSAL (4mm)...5 11.1 Superior / Inferior...5 2TELHA ONDULADA (5, 6 e 8mm)...6 2.1 Cumeeira Normal...6 2.2 Cumeeira Universal...7 2.3 Cumeeira Shed...8 2.4 Cumeeira

Leia mais

P R O D U T O S & A C E S S Ó R I O S. Produtos Profissionais

P R O D U T O S & A C E S S Ó R I O S. Produtos Profissionais P R O D U T O S & A C E S S Ó R I O S Produtos Profissionais Abraçadeiras de Nylon Branca (5020) Tensão KG/F Mínima P/ Cabos até (Ø) Comp. Total Larg. Esp. 5020.091.092 8.2 20 100 2.6 1.0 5020.091.154

Leia mais

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Profª: Janaina Fracaro de Souza Gonçalves Micrômetro Micrômetro: tipos e usos Jean Louis Palmer apresentou, pela primeira vez, um micrômetro para requerer

Leia mais

96200 Mangueiras para líquido de refrigeração LOC LINE Flexi

96200 Mangueiras para líquido de refrigeração LOC LINE Flexi Descrição /Imagens dos produtos Descrição Material: Copolímero acetal (POM). Versão: Mangueira articulada azul ou preta. Peças de acessórios na cor laranja. Indicação: Mangueira articulada flexível para

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Chavetas Chavetas Tem finalidade de unir dois elementos. Fabricado em aço Formato retangular ou semicircular Chavetas Tem finalidade de unir dois elementos. Fabricado

Leia mais

RELAÇÃO DETALHADA DOS LOTES. Leilão Condor 30/04/2015

RELAÇÃO DETALHADA DOS LOTES. Leilão Condor 30/04/2015 RELAÇÃO DETALHADA DOS LOTES Leilão Condor 30/04/2015 LOTE 01 Lote contendo barras de cobre e latão de diversas espessuras e modelos, conforme descrição detalhada abaixo: ITEM 001 242 KGS - 0218709 -COBRE

Leia mais

Capítulo 5. CORTES e SECÇÕES

Capítulo 5. CORTES e SECÇÕES Apostila da Disciplina de Desenho Industrial Assistido pelo Computador Professora: Eneida González Valdés I. Cortes: A disposição dos cortes ou seções segue a mesma disposição das vistas na projeção ortogonal.

Leia mais

Dimensões Estruturais

Dimensões Estruturais Cadeira de Rodas Paraplégica fulltech L CARACTERÍSTICAS - Cadeira de rodas modular. - Construída em alumínio de alta resistência. - Estruturada por tubo oblongo especial. - Abraçadeiras em alumínio de

Leia mais

CO-18. Corrimão duplo. Componentes. Código de listagem. Atenção. Elaboração Data 12/06/07 Página 1/11

CO-18. Corrimão duplo. Componentes. Código de listagem. Atenção. Elaboração Data 12/06/07 Página 1/11 1/11 2/11 3/11 4/11 5/11 6/11 7/11 8/11 9/11 10/11 DESCRIÇÃO Constituintes CORRIMÃO (galvanizado a fogo e com pintura eletrostática): - Tubo de aço carbono, tipo industrial, Ø=41,27mm (1 5/8 ), e=2,5mm.

Leia mais

Desenho Técnico. Cortes, seções, encurtamento e omissão de corte. Caderno de Exercícios Desenho Técnico 1

Desenho Técnico. Cortes, seções, encurtamento e omissão de corte. Caderno de Exercícios Desenho Técnico 1 Desenho Técnico 2 Cortes, seções, encurtamento e omissão de corte CORTES Em desenho técnico, o corte de uma peça é sempre imaginário. Ele permite ver as partes internas da peça. Na projeção em corte, a

Leia mais

Acesse:

Acesse: Segurando as pontas As operações de tornear superfícies cilíndricas ou cônicas, embora simples e bastante comuns, às vezes apresentam algumas dificuldades. É o que acontece, por exemplo, com peças longas

Leia mais

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 144 / 146 Rebite de Rosca DIMENSIONAL NOMINAL CAB. CILINDRICA CAB CILINDRICA CAB. SEXTAVADA CABSEXTAVADO PLANA EXTRA FINA PLANA EXTRAFINA RKPO RFPO RKSO RFFO COMPRIMENTO

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO TRANSPALETE ELÉTRICO

CATÁLOGO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO TRANSPALETE ELÉTRICO CATÁLOGO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO TRANSPALETE ELÉTRICO ÍNDICE Catálogo de Peças de Reposição CHASSI E COMPONENTES 1... CHASSI E COMPONENTES 2... ACOPLAMENTO DA TRAÇÃO... SUPORTE DE GIRO E TIMÃO... TIMÃO VERSÃO

Leia mais

a-) o lado a da secção b-) a deformação (alongamento) total da barra c-) a deformação unitária axial

a-) o lado a da secção b-) a deformação (alongamento) total da barra c-) a deformação unitária axial TRAÇÃO / COMPRESSÃO 1-) A barra de aço SAE-1020 representada na figura abaixo, deverá der submetida a uma força de tração de 20000 N. Sabe-se que a tensão admissível do aço em questão é de 100 MPa. Calcular

Leia mais

Elementos de máquina. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Diego Rafael Alba E Diego Rafael Alba Rebites Um rebite compõe-se de um corpo em forma de eixo cilíndrico e de uma cabeça. A cabeça pode ter vários formatos. A solda é um bom meio de fixação, mas, por causa do calor, ela

Leia mais

SUPORTE DE TETO PARA PLASMA/LCD THIN MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE DE TETO PARA PLASMA/LCD THIN MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE DE TETO PARA PLASMA/LCD THIN 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO Características: - Fixação no teto. - Para Tv s e monitores Plasma ou LCD até 46. - Para Tv s e monitores LED até 55. - Padrão VESA 75x75 até

Leia mais

Fabricado em aço alto carbono Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas TAG PLÁSTICO. embalagem qtd./pçs.

Fabricado em aço alto carbono Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas TAG PLÁSTICO. embalagem qtd./pçs. licates licate Universal Baseado na Norma DIN ISO 746 licate Cor te Diagonal DIN ISO 749 licate MeiaCana Cur to Fabricado em aço alto carbono Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas 8" 119022B

Leia mais

Opções de Fechos Lingueta

Opções de Fechos Lingueta 162 CM - Fechos Lingueta Seleção Opções com cilindro removível proporcionam máxima flexibilidade Opções com cilindro fixo proporcionam soluções simples e econômicas Corpos vedados disponíveis Acabamentos

Leia mais

A Anatomia de uma Lenda

A Anatomia de uma Lenda As Chaves de Tubo RIDGID são conhecidas mundialmente pela sua robustez e resistência à serviços pesados. A original Chave Heavy Duty RIDGID, apresentada abaixo, ganhou a confiança dos profissionais de

Leia mais

Mesas de Seno e Placas Magnéticas com Mesas de Seno. Ficha Técnica

Mesas de Seno e Placas Magnéticas com Mesas de Seno. Ficha Técnica Mesas de Seno e Placas Magnéticas com Mesas de Seno Ficha Técnica Na mecânica existem peças com geometria angular devido aos trabalhos complexos que realizam quando fazem parte de um conjunto mecânico

Leia mais

GUILHOTINA SEMI-INDUSTRIAL 51cm Manual de Instruções Conheça em detalhes, neste site, toda, a linha de produtos Lassane

GUILHOTINA SEMI-INDUSTRIAL 51cm Manual de Instruções Conheça em detalhes, neste site, toda, a linha de produtos Lassane Manual de Instruções GUILHOTINA SEMI-INDUSTRIAL 51cm DIMENSÕES: Área de Corte: 510mm Mesa: 655 x 710 mm Altura: 470 mm Peso: 37kg www.lassane.com.br Conheça em detalhes, neste site, toda, a linha de produtos

Leia mais

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED A 42 MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED A 42 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED A 42 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para TV s e monitores Plasma/LCD até 42. - Para TV s e monitores Led até 46. - Padrão

Leia mais

OLINDA. Eternit S.A. - R. Dr. Fernandes Coelho, 85-8º and. - São Paulo - SP - CEP Tel.

OLINDA.  Eternit S.A. - R. Dr. Fernandes Coelho, 85-8º and. - São Paulo - SP - CEP Tel. OLINDA www.eternit.com.br Eternit S.A. - R. Dr. Fernandes Coelho, 85-8º and. - São Paulo - SP - CEP 05423-040 - Tel.: (11) 3038-3838 O charme e a originalidade da cor. Sua cor é o maior diferencial, possibilitando

Leia mais

Parafuso Cabeça Cilíndrica com Sextavado Interno - UNC

Parafuso Cabeça Cilíndrica com Sextavado Interno - UNC Sextavado Interno Cab. Cilíndrica Parafuso Cabeça Cilíndrica com Sextavado Interno UNC ANSI / ASME B 18.2.1 UNC ANSI / ASME B 1.1 / BSW DIN 11 d (diâmetro) #4 #5 #6 #8 #10 1/4' 5/16' 3/8' rosca/fpp UNC40

Leia mais

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde.

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde. Moldes Plástico. Na seqüência de desenvolvimento de uma peça injetada, desde o primeiro rascunho até a extração na máquina, o molde de injeção é o último elo, porém não é o menos importante. A precisão

Leia mais