ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015"

Transcrição

1 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL CONTINUA EM QUEDA A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem como objetivo produzir indicadores que permitam acompanhar a evolução conjuntural do comércio varejista e de seus principais segmentos. De acordo com a PMC, em julho de 2015, o comércio varejista no Brasil registrou recuo de -1,0% no volume de vendas, mantendo praticamente estável o indicador da receita nominal 0,1%, ambas as comparações em relação ao mês imediatamente anterior, na série ajustada sazonalmente. Em termos de volume de vendas, essa é a sexta variação negativa consecutiva nesse tipo de comparação. Nas demais comparações, obtidas das séries originais (sem ajuste), o varejo nacional apresentou, em termos de volume de vendas, decréscimo de -3,5 % sobre julho do ano anterior, acumulando variações de -2,4 % no ano e de -1,0 % nos últimos 12 meses. Para os mesmos indicadores, a receita nominal de vendas apresentou variação de 4,2 %, 4,2 % e de 5,3 %, respectivamente. O Comércio Varejista Ampliado, que inclui o varejo e mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, registrou crescimento sobre o mês imediatamente anterior, tanto para o volume de vendas (0,6%) quanto para a receita nominal 1,1%. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, foram registradas variações de -6,8 % para o volume de vendas e de 0,2% na receita nominal de vendas. As taxas acumuladas foram de -6,5%, no ano, e de - 4,9%, nos últimos 12 meses, para o volume de vendas, e de -0,3 % e 0,9 % para a receita nominal, respectivamente. Ver tabela abaixo com o resumo do volume de vendas do comércio varejista no Brasil. Tab.1 Brasil: Volume de Vendas e Nominal do Comércio Varejista em (%) Período Varejo Varejo Ampliado Volume de vendas nominal Volume de vendas nominal Julho 2015/Junho ,0 0,1 0,6 1,1 Julho 2015/Julho ,5 4,2-6,8 0,2 Acumulado ,4 4,2-6,5-0,3 Acumulado em 12 meses -1,0 5,3-4,9 0,9 Fonte: IBGE-PMC/Julho, 2015 De acordo com o IBGE, a redução de 1,0% no volume de vendas, na passagem de junho para julho, na série com ajuste sazonal, alcançou sete dos oito segmentos observados no varejo. Em ordem de magnitude, os resultados abaixo da média nacional foram registrados em Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-5,5%); Móveis e eletrodomésticos (-1,7%), Livros, jornais, revistas e papelaria (-1,3%); e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-1,1%). Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,0%), setor de maior peso na estrutura do comercio varejista, e Tecidos, vestuário e calçados, também com variação de -1,0%, registraram taxa igual a média das vendas totais no varejo. O segmento de Combustíveis e lubrificantes (-0,4%) registrou variação negativa, enquanto a atividade de Outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,0%) ficou estável. Considerando o comércio varejista ampliado, a variação foi positiva (0,6%), após sete taxas negativas consecutivas. Este resultado foi bastante influenciado pelo avanço de 5,1% na passagem de junho para julho de Veículos e motos, partes e peças, na medida que o grupamento de Material de construção voltou a apontar queda (-2,4%), após resultado positivo em junho último (5,3%). Ver a tabela abaixo com os resultados para todos os segmentos.

2 Tab.2 Brasil: Volume de Vendas do Comércio Varejista e Comércio Varejista Ampliado Segundo Grupos de Atividade - Julho de 2015 ATIVIDADES MÊS/MÊS MÊS/IGUAL MÊS DO ACUMULADO ANTERIOR (*) ANO ANTERIOR Taxa de Variação Taxa de Variação Taxa de Variação MAI JUN JUL MAI JUN JUL NO 12 ANO MESES COMÉRCIO VAREJISTA (**) -0,9-0,5-1,0-4,5-2,7-3,5-2,4-1,0 1 - Combustíveis e lubrificantes -0,3-0,7-0,4-4,4-0,7-3,6-3,3-1,2 2 - Hiper, supermercados, prods. alimentícios, bebidas e fumo -1,0-0,4-1,0-2,0-2,7-2,1-1,8-1, Super e hipermercados -1,0-0,4-1,1-2,1-2,6-2,0-1,7-1,3 3 - Tecidos, vest. e calçados 1,9-1,1-1,0-7,8-4,6-8,1-5,5-3,3 4 - Móveis e eletrodomésticos -1,9-1,2-1,7-18,5-13,6-12,8-11,5-7, Móveis ,1-10,2-14,5-13,2-9, Eletrodomésticos ,8-15,1-11,9-10,7-6,4 5 - Artigos farmaceuticos, med., ortop. e de perfumaria -0,5-0,1-1,1 1,8 5,8 1,6 4,6 6,1 6 - Equip. e mat. para escritório informatica e comunicação -2,3-0,4-1,3-11,8-5,8-9,2-8,4-8,8 7 - Livros, jornais, rev. e papelaria 2,8-2,1-5,5-0,5 7,4-5,2 7,9 4,7 8 - Outros arts. de uso pessoal e doméstico 1,0-0,4 0,0 0,2 1,3 0,3 3,4 5,0 COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO (***) -1,8-0,7 0,6-10,4-3,6-6,8-6,5-4,9 9 - Veículos e motos, partes e peças -4,6-2,4 5,1-22,1-6,8-13,3-15,3-13,1 10- Material de Construção -5,8 5,3-2,4-11,3 1,4-7,1-5,0-3,5 Fonte: IBGE-PMC/Julho (*) Séries com ajuste sazonal. (**) O indicador do comércio varejista restrito é composto pelos resultados das atividades numeradas de 1 a 8. (***) O indicador do comércio varejista ampliado é composto pelos resultados das atividades numeradas de 1 a 10. Brasil: Comércio Varejista - Resultados Regionais Das 27 Unidades da Federação, vinte apresentaram variações negativas no volume de vendas quando comparado a junho de 2015, na série com ajuste sazonal, conforme gráfico 1. As taxas variaram de -4,9% no Amapá a -0,3% em Minas Gerais. Nos estados do Maranhão, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal o volume de vendas se manteve estável nessa comparação. Por outro lado, com aumento no varejo figuram: Roraima (2,7%), Pará (1,6%), Paraíba (1,3%) e Amazonas (0,3%).

3 Unidades da Federação Série Gráfico 1. Brasil: Variação do Volume de Vendas do Varejo por UF (Julho 2015) Brasil: Variação do Volume de Vendas do Varejo por UF (Mês/Mês anterior) RR 2,7 PA 1,6 PB 1,3 AM 0,3 DF 0,0 MT 0,0 MA 0,0-0,3 RO -0,3 MG -0,4 MS -0,4 SC -0,5 RJ -0,7 CE -0,7 PI -0,8 TO -0,9 BA -1,0 BRASIL -1,1 SE -1,3 RN -1,4 ES -1,6 SP -1,6 GO -1,7 AL -1,8 AC -1,8 PE -2,2 PR -2,6 RS -4,9 AP -6,0-5,0-4,0-3,0-2,0-1,0 0,0 1,0 2,0 3,0 4,0 Variação (%) Fonte: IBGE-PMC/Julho, 2015

4 SERGIPE: COMÉRCIO VAREJISTA APRESENTA QUEDA EM JULHO O comércio varejista de Sergipe apresentou em julho uma retração no volume de vendas. Em julho, a variação do volume de vendas foi de -1,1%, em relação ao mês de junho deste ano. Comparando a evolução das vendas do comércio varejista de julho deste ano com o mesmo mês do ano anterior, o comércio apresentou uma variação positiva de 5,2%. No ano, o comércio varejista acumula um saldo positivo de 5,3%. Em doze meses o saldo do volume de vendas é de 3,7%. Para o comércio varejista ampliado, o volume de vendas no mês de julho foi negativo (-3,0). No ano, o comércio varejista ampliado acumula um saldo de (-0,9%). Em doze meses o volume de vendas do comércio varejista ampliado a variação foi nula (0,0%). Em se tratando da receita de vendas, o comércio varejista apresentou queda de (-0,4%) no mês de julho em relação ao mês anterior. No ano, a receita acumula um saldo positivo de 12,0%. A tabela abaixo mostra os resultados da PMC para Sergipe de forma resumida. Tab.3. Sergipe: Volume de Vendas e Nominal do Comércio Varejista em (%) Período Varejo Restrito Varejo Ampliado Volume de vendas nominal de Volume de vendas nominal Vendas Julho 2015/Junho ,1-0,4-3,0 5,0 Julho 2015/Julho ,2 14,6 - - Acumulado ,3 12,0-0,9 5,4 Acumulado em 12 meses 3,7 9,9 0,0 5,8 Fonte: IBGE-PMC/Julho, Obs.: O comércio varejista ampliado inclui as atividades de veículos e de material de construção, além daquelas que compõem o varejo restrito. Analisando o comportamento de vendas do comércio varejista no período de janeiro a julho, verificamos que em julho, tanto as vendas como a receita do comércio varejista apresentaram saldo negativos. Essa queda no volume de vendas do varejo não ocorreu somente em Sergipe, ela foi disseminada em quase todo o país, vinte e um estados tiveram resultados negativos, demonstrando que a crise econômica do Brasil continua provocando desaceleração no ritmo das vendas do varejo. O gráfico abaixo ilustra a evolução mensal da variação do volume de vendas e da receita nominal do comércio varejista de Sergipe.

5 Variação (%) Variação (%) Série Gráfico 2. Sergipe: Variação do Volume de Vendas e da do Comércio Varejista (Jan-Jul/2015) Sergipe: Variação do Volume de Vendas e da do Comércio Varejista (Jan-Jul/2015) 4,6 5,1 4,2 3,1 0,3 0,1 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho -0,4Julho -1,4-2,3-4,4-6,4 3,6 1,8-1,1 Volume de Vendas Nominal de Vendas Fonte: IBGE-PMC/Julho, 2015 NORDESTE: COMÉRCIO VAREJISTA APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS O comportamento do comércio varejista no Nordeste, no mês de julho deste ano apresentou o pior resultado do ano, no âmbito geral. Somente o estado da Paraíba apresentou aumento no volume de vendas, 1,3%. Os outros estados do Nordeste tiveram um mês de julho muito ruim para as vendas do varejo. A maior queda foi em Pernambuco (-1,8%), seguido de Alagoas (-1,7%) e Rio Grande do Norte (-1,3%). No estado do Maranhão, as vendas estiveram-se estáveis (0,0%). Os segmentos que tiveram as maiores quedas nas vendas foram: móveis, eletrodomésticos, Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, Veículos, motocicletas, partes e peças, Tecidos, vestuário e calçados. Ver o gráfico abaixo. Gráfico 3. Nordeste: Variação do Volume de Vendas do Comércio Varejista - Julho/2015 1,5 Nordeste: Variação do Volume de Vendas do Comércio Varejista - Julho/2015 1,3 1 0, ,5-1 -1,5-0,7-0,7-1,3-1,1-0,9-2 -1,8-1,7 Fonte: IBGE-PMC/Julho 2015.

6 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES O comércio varejista em Sergipe passa por momentos difíceis, apresentando desaceleração ao longo dos meses, recuperou-se em junho, e voltando a apresentar retração de -1,1% em julho. A receita nominal de vendas também apresenta a mesma trajetória, com recuo de -0,4% em julho. Esse é um resultado que reflete o comportamento geral do comércio no Brasil e no Nordeste, em especial. O comércio varejista de Sergipe apresentou a quarta maior queda no volume de vendas entre os estados do Nordeste, somente o estado da Paraíba apresentou um volume de vendas positivo. O cenário no curto e médio prazo não são animadores. As medidas anunciadas pelo governo federal para enfrentar a crise que se instalou no país não deixam dúvidas que enfrentaremos dias difíceis pela frente. O comércio vem enfrentando dificuldades consecutivas, será necessário rever estratégias para continuar os negócios: adequar custos, margens e estoques à realidade, e, nesse sentido, as liquidações podem ser uma das alternativas. No âmbito geral, poucos segmentos resistiram às quedas, a exemplo dos artigos farmacêuticos, em que a alta dos preços sustenta a receita de vendas. Os segmentos que mais sofreram com a retração nas vendas foram vestuários, calçados, tecidos, móveis, eletrodomésticos, e equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação. Se o desemprego continuar aumentando, assim como a inflação, que contribui com a queda do poder de compra das pessoas, a tendência é que as vendas no comércio continuem a desacelerar ou, no máximo, se manterem estáveis.

Receita nominal. Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1 1,1 0,5 Setembro 2015 / Setembro 2014

Receita nominal. Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1 1,1 0,5 Setembro 2015 / Setembro 2014 Vendas no varejo variam 0,5% em setembro Período Volume de vendas Varejo Receita nominal Varejo Ampliado Volume de vendas Receita nominal Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

COMENTÁRIOS comércio varejista comércio varejista ampliado

COMENTÁRIOS comércio varejista comércio varejista ampliado COMENTÁRIOS Em junho de 2015, o comércio varejista nacional registrou variação de -0,4% no volume de vendas frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, quinta taxa negativa

Leia mais

Pesquisa mensal de comércio Junho de 2012 IBGE

Pesquisa mensal de comércio Junho de 2012 IBGE Pesquisa mensal de comércio Junho de 212 IBGE PMC Varejo restrito e ampliado Sumário Varejo Restrito - Receita nominal - Volume de vendas (Deflação da receita bruta com o IPCA e SINAPI) Varejo Ampliado

Leia mais

Resultados de Maio 2017

Resultados de Maio 2017 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC Pesquisa Mensal de Comércio - PMC Resultados de o 2017 Data 12/07/2017 Objetivo Pesquisa Mensal do Comércio Produzir indicadores que permitam

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Produção Industrial Mensal Produção Física (PIM-PF) A dinâmica da atividade econômica de uma região pode ser aferida de

Leia mais

ANÁLISE MENSAL - PMC

ANÁLISE MENSAL - PMC ANÁLISE MENSAL - PMC Janeiro/ 2016 Varejo inicia o ano com recuo de -1,5% O Varejo brasileiro inicia o ano de 2016 dando continuidade à tendência de queda no volume de vendas com o primeiro mês do ano

Leia mais

Análise Mensal - PMC

Análise Mensal - PMC Análise Mensal - PMC Julho / 2016 Varejo tem pior julho da série histórica Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE, o volume das vendas do Varejo brasileiro voltou a ficar no negativo no mês

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS Boletim de Conjuntura Econômica de Nº 49, Maio de 2014 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Para a realização deste boletim, faz-se uso de principalmente quatro

Leia mais

A Pesquisa Mensal do Comércio, realizada pelo IBGE, apresenta dois blocos de atividades relacionadas ao comércio.

A Pesquisa Mensal do Comércio, realizada pelo IBGE, apresenta dois blocos de atividades relacionadas ao comércio. Comércio Varejista Características A Pesquisa Mensal do Comércio, realizada pelo IBGE, apresenta dois blocos de atividades relacionadas ao comércio. O primeiro bloco é chamado, simplesmente, de Comércio

Leia mais

Alexsandre Lira Cavalcante *

Alexsandre Lira Cavalcante * 1. Volume de vendas do comércio varejista Alexsandre Lira Cavalcante * De acordo com dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo IBGE, o volume de vendas do comércio varejista comum cearense

Leia mais

ANÁLISE MENSAL - PMC

ANÁLISE MENSAL - PMC ANÁLISE MENSAL - PMC Setembro/ 2015 Comércio apresenta em setembro 8º recuo mensal consecutivo O comércio varejista brasileiro registrou queda de 0,5% no mês de setembro de 2015 em relação ao mês anterior,

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

PIB BRASILEIRO (variação anual, %)

PIB BRASILEIRO (variação anual, %) PIB PIB BRASILEIRO (variação anual, %) 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 7.5 7.0 5.0 3.0 1.0 4.4 1.4 3.1 1.1 5.8 3.2 4.0 6.1 5.1 4.0 1.9 3.0

Leia mais

VARIAÇÃO ANUAL DO PIB BRASILEIRO (%)

VARIAÇÃO ANUAL DO PIB BRASILEIRO (%) PIB 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 VARIAÇÃO ANUAL DO PIB BRASILEIRO (%) 9.0 8.0 7.6 7.0 6.0 5.0 4.0 3.0 2.0 1.0-1.0 4.4 1.3 3.1 1.2 5.7 3.1 4.0 6.0

Leia mais

Resultado Agregado. ASSESSORIA ECONÔMICA DO SISTEMA FECOMÉRCIO-RS - Fone: (51) de Junho de 2015

Resultado Agregado. ASSESSORIA ECONÔMICA DO SISTEMA FECOMÉRCIO-RS - Fone: (51) de Junho de 2015 01 de Junho de 2015 Resultado Agregado Índice de Vendas do Comércio Abril 2015 IVC IVA IVV Real Nominal Real Nominal Real Nominal Mensal -7,2-3,0-7,4-5,0-7,0-0,8 Acumulado no Ano -5,8-0,8-5,3-1,7-6,3 0,1

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

VARIAÇÃO ANUAL DO PIB BRASILEIRO (%)

VARIAÇÃO ANUAL DO PIB BRASILEIRO (%) PIB 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 VARIAÇÃO ANUAL DO PIB BRASILEIRO (%) 7.5 7.0 5.0 3.0 1.0 4.4 1.4 3.1 1.1 5.8 3.2 4.0 6.1 5.1 3.9 1.9 3.0

Leia mais

ANÁLISE MENSAL - PMC

ANÁLISE MENSAL - PMC ANÁLISE MENSAL - PMC Outubro/ 2015 Comércio tem crescimento após 8 meses de quedas consecutivas O comércio varejista nacional registrou crescimento nas vendas de 0,6% em outubro frente ao mês imediatamente

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS EM FEVEREIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

COMENTÁRIOS Comércio Varejista Comércio Varejista Ampliado

COMENTÁRIOS Comércio Varejista Comércio Varejista Ampliado COMENTÁRIOS Em fevereiro de 2015, o Comércio Varejista do País registrou variação de -0,1%, para o volume de vendas e de 0,7% para a receita nominal, ambas as variações com relação ao mês anterior, ajustadas

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.1/mar. 2010

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.1/mar. 2010 Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.1/mar. 2010 1 Na primeira edição do Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás serão apresentadas análises de quatro índices que retratam a dinâmica da economia

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Enade 2015 O Conceito Enade é um indicador de qualidade que avalia o desempenho dos estudantes a partir dos resultados obtidos anualmente para os cursos que

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

Vendas no varejo continuaram em queda em abril

Vendas no varejo continuaram em queda em abril Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 16 de junho de 2015 Vendas no varejo continuaram em queda em abril As vendas do restrito recuaram na passagem de março para abril, refletindo o desempenho

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 28 de março de 2016 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2016 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

VAREJO. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

VAREJO. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos VAREJO Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DO VAREJO O comércio varejista já está apresentando retomada neste ano. Acomodação do mercado de trabalho aliada à

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Alexsandre Lira Cavalcante *

Alexsandre Lira Cavalcante * 1. Volume de vendas do comércio varejista Alexsandre Lira Cavalcante * Segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Comércio

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 211 Conteúdo INTRODUÇÃO... 3 1. MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Leia mais

Resultados- Junho OUTUBRO 2011

Resultados- Junho OUTUBRO 2011 Resultados- Junho 2011 - OUTUBRO 2011 Crescimento do volume e receita nominal das vendas; evolução da massa de rendimentos dos ocupados; volume de crédito e inadimplência; dados sobre emprego formal, como

Leia mais

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015.

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015. Setembro - 2015 Divulgado em 15 de outubro de 2015. ICVA APONTA RETRAÇÃO DE 3,4% PARA O VAREJO EM SETEMBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em comparação com setembro

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 16.07.15 EDITORIA: CAPA E ECONOMIA VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 16.07.15 EDITORIA: RODA VIVA VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 16.07.15 EDITORIA: ELIANA LIMA VEÍCULO:

Leia mais

Monitoramento dos Indicadores das MPEs do Comércio do Estado do Maranhão

Monitoramento dos Indicadores das MPEs do Comércio do Estado do Maranhão Monitoramento dos Indicadores das MPEs do Comércio do Estado do Maranhão Baixa atividade econômica leva desempenho interanual do comércio para o menor patamar desde 2003 Segundo o IBGE, o volume de vendas

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015 Saldo (Admissão - Desligamentos) Saldo (Admissão - Desligamentos) GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho volta a Demitir O Ministério do Trabalho

Leia mais

VAREJO PERDE 68 MIL ESTABELECIMENTOS NO PRIMEIRO SEMESTRE

VAREJO PERDE 68 MIL ESTABELECIMENTOS NO PRIMEIRO SEMESTRE VAREJO PERDE 68 MIL ESTABELECIMENTOS NO PRIMEIRO SEMESTRE Apesar do fechamento menor nos seis últimos meses, a crise no setor vitimou 168 mil estabelecimentos comerciais em um ano e meio. Entre aberturas

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

Retração do comércio varejista sugere que contração da atividade seguirá em curso na passagem do terceiro para quarto trimestre

Retração do comércio varejista sugere que contração da atividade seguirá em curso na passagem do terceiro para quarto trimestre Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 10 de novembro de 2016 Retração do sugere que contração da atividade seguirá em curso na passagem do terceiro para quarto trimestre As vendas do restrito¹

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Julho 2014

BOLETIM EMPREGO Julho 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

A PRODUÇÃO INDUSTRIAL CATARINENSE ABRIL/2016

A PRODUÇÃO INDUSTRIAL CATARINENSE ABRIL/2016 ABR/2016 A PRODUÇÃO INDUSTRIAL CATARINENSE ABRIL/2016 A indústria catarinense volta a registrar queda em sua produção industrial, -2,2% em relação ao mês de março de 2016. No ano, registra uma retração

Leia mais

Alexsandre Lira Cavalcante *

Alexsandre Lira Cavalcante * 1. Volume de vendas do comércio varejista Alexsandre Lira Cavalcante * Segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do mês de setembro de 2010, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e

Leia mais

Fevereiro Divulgado em 15 de março de 2016.

Fevereiro Divulgado em 15 de março de 2016. Fevereiro - 2016 Divulgado em 15 de março de 2016. ICVA: BENEFICIADO PELO CALENDÁRIO, VAREJO AMPLIADO REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,4% EM FEVEREIRO Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo

Leia mais

Indicadores selecionados do RS*

Indicadores selecionados do RS* 67 Indicadores selecionados do RS* Tabela 1 Taxas de crescimento da produção, da área colhida e da produtividade dos principais produtos da lavoura no Rio Grande do Sul /06 PRODUTOS / 2006/ (1) Produção

Leia mais

ECONOMIA A informação que fala direto ao seu bolso 31 de maio de 2017

ECONOMIA  A informação que fala direto ao seu bolso 31 de maio de 2017 Associação Brasileira de Supermercados Nº76 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 31 de maio de 2017 Índice de Vendas acumula alta de 0,50% no ano Em abril, as vendas reais

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ELEVAÇÃO DA TAXA DE JUROS AGRAVA SITUAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL: 2002/2015 Julho de 2015 1 INTRODUÇÃO Instituída no Brasil pelo

Leia mais

Outubro Divulgado em 16 de novembro de 2015.

Outubro Divulgado em 16 de novembro de 2015. Outubro - 2015 Divulgado em 16 de novembro de 2015. ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,3% NO VAREJO EM OUTUBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em relação a outubro de

Leia mais

Agosto Divulgado em 15 de setembro de 2015.

Agosto Divulgado em 15 de setembro de 2015. Agosto - 2015 Divulgado em 15 de setembro de 2015. ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 2,8% PARA O VAREJO EM AGOSTO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em comparação com agosto

Leia mais

VENDAS NO VAREJO DEIXAM DE CAIR PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS ANOS

VENDAS NO VAREJO DEIXAM DE CAIR PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS ANOS I C V A J U L H O D E 2 0 1 7 CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado VENDAS NO VAREJO DEIXAM DE CAIR PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS ANOS Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) não apontou

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Pesquisa Anual de Comércio PAC 2015 Sumário Objetivos da PAC Segmentos e classes de atividade Aspectos metodológicos Principais resultados Objetivos da

Leia mais

Expectativa de Vendas 2 Sem/2016

Expectativa de Vendas 2 Sem/2016 Observar e entender como foram as vendas no início do ano são fundamentais para auxiliar no planejamento para o 2 semestre, que terá três datas comemorativas importantes, o Dia dos Pais, o Dia das Crianças

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SETEMBRO DE 2011 03 2011 PANORAMA GERAL O crescimento

Leia mais

Expectativa de Vendas 1 Sem/2016

Expectativa de Vendas 1 Sem/2016 Observar e entender como foram às vendas no segundo semestre do ano são fundamentais para auxiliar no planejamento o próximo semestre, que contempla uma das mais importantes datas comemorativas para o

Leia mais

FECHAMENTO DE ESTABELECIMENTOS DO VAREJO DE ALIMENTOS SE ACENTUA EM 2016

FECHAMENTO DE ESTABELECIMENTOS DO VAREJO DE ALIMENTOS SE ACENTUA EM 2016 FECHAMENTO DE ESTABELECIMENTOS DO VAREJO DE ALIMENTOS SE ACENTUA EM 2016 Redução no número de lojas no maior empregador do varejo ganhou força com a crise. De janeiro a abril, foram fechados 14,3 mil estabelecimentos

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos).

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos). EMPREGO INDUSTRIAL JULHO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE APRESENTOU DIMINUIÇÃO DO EMPREGO EM JULHO. O número de demissões foi maior que o de admissões resultando em um

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital William Figueiredo Divisão de Estudo Econômicos do Rio de Janeiro (DIERJ) Gerência de Estudos Econômicos (GEE) Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017 Estado do

Leia mais

Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais Julho de 2017

Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais Julho de 2017 Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais 2017 Julho de 2017 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: a sondagem tem por objetivo identificar os hábitos de compras dos consumidores para o Dia

Leia mais

Índice de Confiança do Empresário da Pequena e Média Indústria São Paulo

Índice de Confiança do Empresário da Pequena e Média Indústria São Paulo Índice de Confiança do Empresário da Pequena e Média Indústria São Paulo Na contramão do mercado, confiança do empresário da pequena indústria avança. Novembro/2016 O Índice de Confiança dos Empresários

Leia mais

Maio Divulgado em 16 de junho de 2015.

Maio Divulgado em 16 de junho de 2015. Maio - 2015 Divulgado em 16 de junho de 2015. VAREJO AMPLIADO CRESCE 0,4% EM MAIO, APONTA ICVA Percentual é calculado a partir da receita de vendas deflacionada pelo IPCA em comparação com maio de 2014;

Leia mais

Formação dos Grupos e forma de disputa

Formação dos Grupos e forma de disputa Formação dos Grupos e forma de disputa Sorteio realizado no dia 01 de Novembro de 2010 na sede social da APMP. Categoria Força Livre 1. Amazonas 2. Acre 3. Amapá 4. Ceara 5. Espirito Santo 6. Goiás 7.

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada Ocupação (N) Acidente de trabalho em crianças e adolescentes com diagnóstico de lesão de traumatismo do punho e da mão (CID, S6-S69), segundo ocupação. Brasil, 27 a 26* 4-7 anos - anos Trabalhador polivalente

Leia mais

ECONOMIA A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Maio de 2015

ECONOMIA  A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Maio de 2015 Associação Brasileira de Supermercados Nº52 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Maio de 2015 Vendas recuam em abril, mas ficam positivas em 2015 Setor sente as consêquencias

Leia mais

VAREJO FECHOU 108,7 MIL LOJAS EM 2016

VAREJO FECHOU 108,7 MIL LOJAS EM 2016 VAREJO FECHOU 108,7 MIL LOJAS EM 2016 Apesar do ritmo menos intenso no segundo semestre, fragilidade das condições de consumo não evitou fechamento recorde de estabelecimentos comerciais com vínculo empregatício

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

Abril Divulgado em 16 de maio de 2016.

Abril Divulgado em 16 de maio de 2016. Abril - 2016 Divulgado em 16 de maio de 2016. VAREJO REGISTRA RETRAÇÃO DE 5,2% EM ABRIL, APONTA ICVA Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo em relação a abril de 2015. Descontados

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED Abril de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em abril de 2014... 1.862.515 Total de Desligamentos

Leia mais

Trabalho. Mercado BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Gabriel Tamancoldi Couto e Jenifer Barbosa

Trabalho. Mercado BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Gabriel Tamancoldi Couto e Jenifer Barbosa Ano III Mai/ Criação líquida empregos é positiva em março, mas mercado trabalho segue frágil Os dados março do Cadastro Geral Empregados e Desempregados (CAGED) mostram um mercado trabalho ainda com sinais

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2014

Emprego Industrial Julho de 2014 Emprego Industrial Julho de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No acumulado do ano (jan-jul), a indústria de transformação foi a atividade econômica que mais gerou empregos em Santa Catarina (25.147), de um total

Leia mais

ECONOMIA A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Junho de 2015

ECONOMIA  A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Junho de 2015 Associação Brasileira de Supermercados Nº53 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Junho de 2015 Estáveis, vendas crescem 0,34% na comparação anual Vendas do setor mantêm

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO O mercado de trabalho catarinense não cresceu em maio. A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

Leia mais

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,6% PARA O VAREJO EM NOVEMBRO

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,6% PARA O VAREJO EM NOVEMBRO I C V A N O V E M BRO D E 2 0 1 6 CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,6% PARA O VAREJO EM NOVEMBRO Indicador considera a receita deflacionada de vendas

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva

CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva São Paulo 2009 CONTEÚDO 1.MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO DO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios Abril/2014 Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

SÍNTESE DOS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA, TRABALHO ESCRAVO E MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL

SÍNTESE DOS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA, TRABALHO ESCRAVO E MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL SÍNTESE DOS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA, TRABALHO ESCRAVO E MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL Brasília, 28 de junho de 2017 1 1. INTRODUÇÃO Recentemente alguns documentos de extrema relevância sobre os cenários

Leia mais

Brasil e SP fecharam postos de trabalho em todos os setores da economia

Brasil e SP fecharam postos de trabalho em todos os setores da economia Brasil e SP fecharam postos de trabalho em todos os setores da economia Os dados de março de 2016 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) reafirmam a desaceleração do mercado de trabalho.

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2015

Emprego Industrial Julho de 2015 Emprego Industrial Julho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de julho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de junho (-14.770 postos e variação de -0,7%). A indústria

Leia mais

BOLETIM DE CONJUNTURA ECONÔMICA FLUMINENSE. Mês de referência: Abril de 2011

BOLETIM DE CONJUNTURA ECONÔMICA FLUMINENSE. Mês de referência: Abril de 2011 Ano III - número 04 BOLETIM DE CONJUNTURA ECONÔMICA FLUMINENSE Mês de referência: Abril de 2011 Tel.: 2334 7320. Junho de 2011 Apresentação Este Boletim de Conjuntura Econômica Fluminense, elaborado pelo

Leia mais

Racionamento de água. Abril/2017

Racionamento de água. Abril/2017 Racionamento de água Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

Produção Industrial Maio de 2014

Produção Industrial Maio de 2014 Produção Industrial Maio de 214 PRODUÇÃO INDU S TRI AL DE SANTA C AT AR INA EM M AIO/14 A produção industrial de Santa Catarina ficou estável em maio (,%), em relação ao mesmo mês do ano anterior. Resultado

Leia mais