Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes"

Transcrição

1 Índice Introdução... 2 Método Orienta... 3 Técnica das frases para completar... 6 Realização do Teste Vocacional... 8 Autoavaliação do Teste Vocacional... 9 Exploração de Valores Autoconhecimento Questionário das Profissões Recolha de Informação Análise dos Resultados Escolares Roda de Estudos Entrevista com o Orientador/Psicólogo Escolha da Profissão Plano de Ação Anexo Guião de Entrevista Bibliografia

2 Introdução Na vida estamos constantemente a tomar decisões. Algumas delas são difíceis, mas importantes. A escolha da profissão é com certeza uma das mais importantes com consequências nas nossas vidas. Este método simples, prático e eficaz, destina-se a todas as pessoas que pretendem uma orientação vocacional/profissional em qualquer fase das suas vidas. 2

3 Método Orienta Objetivo: Encontrar a profissão futura a partir do 9º Ano de escolaridade (normalmente estudantes a partir dos 14 anos). Pressupostos: 1. Os Testes Vocacionais não devem ser utilizados unicamente no processo de Orientação Vocacional. 2. O Orientado é que deve fazer a escolha da sua profissão futura e não imposta pelo Orientador. A orientação vocacional é um processo de aprendizagem de tomada de decisões para a construção de um projeto de vida tendo em conta os conhecimentos não só de si próprio (autoconhecimento) como do conhecimento do mundo 3

4 exterior. Este método permite ajudar o estudante a conhecer-se a si próprio mas também levá-lo ao aumento do conhecimento do mundo exterior nomeadamente da informação escolar e profissional e informação sobre o mundo do trabalho. O modelo usado nesta método é o modelo desenvolvimental-construtivista ecológica que assenta nos conceitos de exploração e investimento. Na exploração o estudante descobre e desenvolve o seu autoconhecimento e no investimento o estudante relacionasse e comprometesse com o mundo exterior. Resumidamente podemos dizer que este método se caracteriza pelas seguintes 12 fases: 1- Realizar a técnica das frases para completar. 2- Realização do Teste Vocacional Online (198 questões distribuídos por 3 itens (Interesses, Competências e Personalidade)). 3- Realização de uma autoavaliação do Teste Vocacional Online. 4- Exploração de valores. 5- Autoconhecimento. 6- Realizar o questionário das profissões. 7- Recolha de Informação escolar e profissional da lista de profissões resultante do autoconhecimento. 4

5 8- Entrevista com os profissionais sobre o mundo do trabalho da lista de profissões resultante do autoconhecimento. 9- Análise dos Resultados Escolares. 10- Entrevista com o Orientador. 11- Escolha da Profissão Final. 12- Realização de um Plano. Em suma este manual tem como objetivo ajudar o orientado a tomar a decisão de escolher uma profissão e consequentemente do seu percurso. Notas: Os Psicólogos/Orientadores poderão optar por dividir estas fases em várias sessões de trabalho. Este método poderá ser usado em conjunto com outras atividades ou testes vocacionais já utilizados pelos Psicólogos/Orientadores. 5

6 Técnica das frases para completar Essa técnica foi apresentada originalmente por Rodolfo Bohoslavsky, em seu livro Orientação Vocacional a estratégica clínica. Neste método usamos 24 frases que poderão ser acrescentadas pelo Orientador. Esta técnica ajudará o orientado a conhecer-se melhor e a pensar nas coisas que fazem parte do seu mundo. Por isso é importante que seja sincero e espontâneo ao realizá-la. 1. Eu sempre gostei de 2. Me sinto bem quando 3. Se estudasse 4. Às vezes acho melhor 5. Meus pais gostariam que eu 6. Me imagino no futuro fazendo 7. Quando criança queria 8. Meus professores pensam que eu 9. No mundo em que vivemos, vale mais a pena do que 10. Prefiro do que 11. Comecei a pensar no futuro 12. Minha família 13. Escolher sempre me fez 14. Uma pessoa que admiro muito é por 15. Minha capacidade 16. Meus colegas pensam que eu 17. Estou certo de que 6

7 18. Se eu fosse poderia Quanto ao mercado de trabalho 20. O mais importante na vida 21. Tenho mais habilidades para do que 22. Quando criança, meus pais queriam 23. Acho que poderei ser feliz se 24. Eu 7

8 Realização do Teste Vocacional Nesta etapa o orientado deverá realizar o Teste CIP na Internet utilizando o Teste CIP Online. Diretamente em ou através do nosso site em: No final do teste surge um relatório com a descrição do perfil predominante do orientado, as suas principais características, bem como um conjunto de profissões que melhor se enquadram a ele segundo a tríade - Competências, Interesses e Personalidade. 8

9 Autoavaliação do Teste Vocacional Quais as características pela qual se identifica resultantes do Teste Vocacional. Quais as profissões pela qual se identifica resultantes do Teste Vocacional. 9

10 Exploração de Valores Lista 5 valores com o qual mais se identifica: 10

11 Autoconhecimento Segundo o seu autoconhecimento adquirido indique 5 profissões que melhor se enquadram em si. Explique porquê. 11

12 Questionário das Profissões Diga o que sabe acerca de cada uma das profissões. Estas profissões são espelhadas por alguém (amigo, familiar, conhecido). Quais as minhas principais competências a serem considerados em cada uma dessas profissões. Diga o objetivo que pretende atingir com cada uma dessas profissões. Coloca por ordem as profissões que julga gostar mais. 12

13 Recolha de Informação O orientado poderá recolher informação sobre o mundo do trabalho com conversas com alguns profissionais das áreas profissionais escolhidas. Os profissionais devem falar das suas experiências e das suas aspirações e expectativas e também dos aspetos positivos e negativos das suas atividades profissionais. O estudante poderá elaborar previamente as perguntas que pretende colocar ou seja fazer um guião da entrevista. Assim, obterá informações sobre questões fundamentais para conhecer melhor as atividades profissionais. Ver guião de uma possível entrevista em anexo. Se o orientado só pretender concluir o 12ºano de escolaridade poderá recolher informação escolar nomeadamente as ofertas curriculares dos cursos profissionais, nas escolas arredores da sua área residencial. Se o orientado pretender prosseguir os estudos a nível superior poderá recolher informação escolar, nomeadamente o plano curricular dos cursos vocacionados para essas profissões, as provas de ingresso, as médias de acesso do último ano bem como os locais da realização dos cursos a nível do ensino superior. Estas informações estão disponíveis na Internet. 13

14 Disponibilizamos recursos de recolha de informação na nossa página em: O orientado poderá também recolher a informação das profissões da lista em CDs, livros especializados ou revistas especializadas. O orientado poderá ainda ter acesso à informação escolar e profissional visitando as Semanas de Educação, Formação e Mundo do Trabalho e as Feiras de Orientação Escolar e Profissional. 14

15 Análise dos Resultados Escolares Roda de Estudos Coloque a pontuação de 0 a 10 para cada disciplina consoante o grau de sucesso ao longo da sua escolaridade. Disciplinas: Português: Inglês: Língua Estrangeira II: História: Geografia: Matemática: Ciências Naturais: Físico-Química: Educação Visual: Educação Física: 15

16 Entrevista com o Orientador/Psicólogo Caso o orientado ainda esteja indeciso na escolha profissional uma entrevista com o Orientador/Psicólogo poderá definitivamente acabar com todas as dúvidas. O Orientador/Psicólogo colocará algumas questões ao estudante como por exemplo: O que quer para o futuro? Como se vê daqui a 5, 10 anos? Qual estilo de vida que quer levar? Quais as suas expectativas perante o mundo? Qual a importância que quer ter na sociedade? 16

17 Escolha da Profissão Finalmente o orientado deverá escolher uma profissão de entre a lista de profissões com base na recolha de informação realizada. Depois de escolhida a profissão o orientado deverá fazer o plano escolar. 17

18 Plano de Ação Objetivos: Profissão: Curso(s) a frequentar: Definir possíveis obstáculos: Definir Estratégias para atingir os objetivos e ultrapassar os obstáculos: Fazer mais tarde uma Autoavaliação através dos indicadores (Ex: classificações obtidas, médias escolares, etc). Caso a autoavaliação não seja positiva deve-se redefinir tudo o plano ou mesmo fazer uma reorientação vocacional. 18

19 Anexo Guião de Entrevista Profissão: 1. Por que razão escolheu esta profissão? 2. Qual o curso que seguiu para esta profissão? 3. Gosta desta profissão? Porquê? 4. Está realizado profissionalmente? 5. Quais as principais atividades desta profissão? 19

20 6. Quais os objetos com que trabalha? 7. Quais as principais competências necessárias para esta profissão? 8. Qual o retorno financeiro desta profissão? 9. Quais as vantagens desta profissão? 10. E as desvantagens? 20

21 Análise da Entrevista Aspetos Positivos Aspetos Negativos 21

22 Bibliografia Lia Renata Angeline Giacaglia, Livro Orientação Vocacional por Atividades Bártolo Paiva Campo, Livro Orientação Vocacional no Unificado e Formação de Professores Rodolfo Bohoslavsky Orientação Vocacional a Estratégica Clínica Maurício Sampaio, Livro Coaching Vocacional e Vídeos do Canal do Youtube 22

9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014

9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014 9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014 Percursos possíveis para o ensino secundário O Cursos científico-humanísticos Vocacionados para o prosseguimento

Leia mais

GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação

GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação Sessão de esclarecimento On-line Informação ao Encarregado de GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação 1 ORIENTAÇÃO VOCACIONAL Gabinete de Apoio Psicológico Agrupamento de Escolas de Almeida 2 ORIENTAÇÃO

Leia mais

...9º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher.

...9º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher. ...9º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher. http://aecc.ccems.pt/index.php/spo spo@aecoelhocastro.pt http://www.facebook.com/spo.fiaes Atualizado em 28.10.2016 9º ano

Leia mais

Estimado(a) professor(a),

Estimado(a) professor(a), Anexo I 165 166 Estimado(a) professor(a), Venho solicitar-lhe que responda ao presente questionário, que se destina a efectuar um trabalho de investigação que me propus realizar no âmbito da minha dissertação

Leia mais

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Profissional.

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Profissional. ...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Profissional. http://aecc.ccems.pt/index.php/spo spo@aecoelhocastro.pt http://www.facebook.com/spo.fiaes Atualizado em 29.10.2016 Mundo do Trabalho

Leia mais

1º Tomar consciência da decisão a tomar (envolve definição de objectivos pessoais). 2º Procurar informação pertinente (auto-conhecimento e informação

1º Tomar consciência da decisão a tomar (envolve definição de objectivos pessoais). 2º Procurar informação pertinente (auto-conhecimento e informação Intervenção Vocacional no 9º Ano Serviço de Psicologia, Externato da Luz 2008/2009 1º Tomar consciência da decisão a tomar (envolve definição de objectivos pessoais). 2º Procurar informação pertinente

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Exames Nacionais de Língua Portuguesa e Matemática 9º ANO As provas de exame de Língua Portuguesa e de Matemática incidem sobre as aprendizagens e competências

Leia mais

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Científico Humanístico.

...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Científico Humanístico. ...9º ano, o ano antes da grande mudança! Optar por um Curso Científico Humanístico. http://aecc.ccems.pt/index.php/spo spo@aecoelhocastro.pt http://www.facebook.com/spo.fiaes Atualizado em 29.01.2015

Leia mais

COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo

COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo Preencha este horário segundo a distribuição de tempo que você tem a intenção de fazer: Pinte de vermelho o tempo ocupado em aulas; Pinte

Leia mais

http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (1º E 2º CICLO) 2016 QUAIS AS CONDIÇÕES DE APROVAÇÃO? No final do 1º ciclo do ensino básico o aluno obtém a menção de Aprovado

Leia mais

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra Orientação Escolar e Profissional 9.º Ano e Agora Serviço de Psicologia e Orientação Psicóloga Eduarda Seabra Dossier Informação Escolar e Profissional Pág.1 1 Natureza dos Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa Nome da prova: Autor(es): Versão: Tipo de aplicação: População: Tempo de aplicação: Objectivos: Materiais incluídos no jogo (kit) completo: Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Portuguesa

Leia mais

INSTITUTO MACHADO DE ASSIS Seriedade, compromisso e competência.

INSTITUTO MACHADO DE ASSIS Seriedade, compromisso e competência. CARGO: PROFESSOR ANOS INICIAIS D B C A D B C B N D C A B D B A C B B B D A D D D D D C D A A A D C A A B N C N CARGO: ASSISTENTE SOCIAL N A C D C D A B B C C A B D B A C D D D C C N A A B B D A A N B C

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais

COMO CRIAR UM CURRÍCULO. Juliana Berg

COMO CRIAR UM CURRÍCULO. Juliana Berg COMO CRIAR UM CURRÍCULO Juliana Berg CURRÍCULO O currículo é a porta de entrada para qualquer processo seletivo. Veja como reunir as informações de forma mais assertiva possível para fazer um bom currículo

Leia mais

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades. Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades. Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado 9. Apêndices 47 Apêndice 1 Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado Colega, O Estudo Acompanhado é uma área destinada a apoiar

Leia mais

GABARITOS PRELIMINARES

GABARITOS PRELIMINARES Agente Educacional I Tipo 1 C A B E D C B D D D A B B E B C A D E B B A C B B C C E D A C E A D D E A C C D 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 B E A B D D C E B A Agente Educacional I Tipo 2 A C C B B E D D

Leia mais

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um requisito obrigatório para a conclusão do curso, realizada no final do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade

Leia mais

Sistema Educativo Português 2011/2012

Sistema Educativo Português 2011/2012 Sistema Educativo Português 011/01 Objectivos Promover a auto - exploração (interesses, capacidades e valores profissionais) Auto Conhecimento; Explorar o Mundo das Profissões; Explorar as oportunidades

Leia mais

Exames Nacionais Provas de Equivalência à Frequência Ensino Secundário

Exames Nacionais Provas de Equivalência à Frequência Ensino Secundário 2016 Exames Nacionais Provas de Equivalência à Frequência Ensino Secundário DECRETO-LEI N.º 139/2012 [PLANO DE ESTUDOS] PORTARIA N.º 243/2012 [AVALIAÇÃO] DESPACHO N.º 7104-A/2015 [CALENDÁRIO DE EXAMES]

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

O ENSINO E APRENDIZAGEM UTILIZANDO O RECURSO TESTE DO MOODLE

O ENSINO E APRENDIZAGEM UTILIZANDO O RECURSO TESTE DO MOODLE O ENSINO E APRENDIZAGEM UTILIZANDO O RECURSO TESTE DO MOODLE Cristina M.R. Caridade Instituto Superior de Engenharia de Coimbra caridade@isec.pt Maria do Céu Faulhaber Instituto Superior de Engenharia

Leia mais

Matriz dos resultados da aprendizagem Versão em Português

Matriz dos resultados da aprendizagem Versão em Português Learning Outcomes Matrix, English Version Matriz dos resultados da aprendizagem Versão em Português Compilado por: LMETB Título do módulo Perfil pessoal Matriz dos resultados da aprendizagem Nível introdutório

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 1.º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 1.º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO I- Introdução Os critérios de avaliação são definidos de acordo com o currículo, os programas das disciplinas e as metas curriculares, sendo operacionalizados pelos professores da

Leia mais

Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades

Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades COOPTÉCNICA GUSTAVE EIFFEL Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades FICHA 1 CALENDARIZAÇÃO DAS SESSÕES Nome Nº de Documento de Identificação Etapa Sessão Tipo de Actividade Data Hora Duração Prevista Acolhimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo, Moita Escola Básica dos 2º e 3º ciclos Fragata do Tejo

Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo, Moita Escola Básica dos 2º e 3º ciclos Fragata do Tejo Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo, Moita Escola Básica dos 2º e 3º ciclos Fragata do Tejo MELHORAR RESULTADOS EDUCATIVOS E ESCOLARES EM HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL PLANO DE AÇÃO Julho de 2014

Leia mais

Triatlo Literário Regulamento 2014/2015

Triatlo Literário Regulamento 2014/2015 Triatlo Literário Regulamento 2014/2015 Secção I Disposições gerais 1 Definição e âmbito Trata-se de um concurso literário promovido pela Direção Regional de Educação (DRE), no âmbito do projeto Baú de

Leia mais

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR Curso: Desporto Ciclo: 1º Ramo: Licenciatura em Desporto Ano: 3º Designação: ECONOMIA E MARKETING DO DESPORTO Créditos: 6 Departamento: Ciências e Tecnologias Tipo: Área

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola.

IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola. IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola. Ex.mo/a Senhores/as Este questionário faz parte dum estudo que pretendemos realizar no âmbito da conclusão da etapa de Licenciatura, do

Leia mais

Aprende a descodificar o teu mundo

Aprende a descodificar o teu mundo Concurso de Ideias Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas Escolares 2016 Dados da Ideia Inovadora 1. Nome da Ideia Realidade Virtual nas escolas 2. Nome do(a) professor(a)

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Projecto Educativo do Colégio de Albergaria e a legislação em vigor sobre a avaliação das aprendizagens dos alunos nos vários

Leia mais

NA MATEMÁTICA TU CONTAS

NA MATEMÁTICA TU CONTAS PLANO AÇÃO ESTRATÉGICA 41ª MEDIDA NA MATEMÁTICA TU CONTAS OBJETIVO Melhorar o sucesso em Matemática. ANO(S) ESCOLARIDA A ABRANGER - Do 1.º ao 9.º de escolaridade. ATIVIDAS A SENVOLVER NO ÂMBITO DA MEDIDA:

Leia mais

Matrículas/Renovações de matrículas 2ºano ao 12ºano de escolaridade

Matrículas/Renovações de matrículas 2ºano ao 12ºano de escolaridade Matrículas/Renovações de matrículas 2ºano ao 12ºano de escolaridade (17 DE JUNHO A 26 DE JUNHO) As renovações de matrículas são online e realizam-se no site do Agrupamento: http://www.ecarnaxide.pt/ -

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLA DE ARCOZELO CRITÉRIOS/INDICADORES DE AVALIAÇÃO 1º CICLO. Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLA DE ARCOZELO CRITÉRIOS/INDICADORES DE AVALIAÇÃO 1º CICLO. Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLA DE ARCOZELO 152640 CRITÉRIOS/INDICADORES DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Ano Letivo 2015/2016 Agrupamento de Arcozelo Telef: 258 909 060 - Fax: 258 909 062 www.aearcozelo.pt Vilar Arcozelo

Leia mais

PROGRAMA ESCOLHA CERTA

PROGRAMA ESCOLHA CERTA PROGRAMA ESCOLHA CERTA 1 Índice São PAulo, 6 de maio de 2016 Proposta Comercial CARTA DE APRESENTAÇÃO... 3 INSTITUCIONAL... 4 PROGRAMA ESCOLHA CERTA... 5 PÚBLICO ALVO... 7 BENEFÍCIOS... 8 METODOLOGIA...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE PLANO DE MELHORIA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA 2015/2017 EqAI - 2015 Página 1 de 6 1. Resultados Em Português: incentivar a leitura; recontar as Académicos: histórias

Leia mais

Desenvolvimento de competências em leitura funcional

Desenvolvimento de competências em leitura funcional Balula 2010 Desenvolvimento de competências em leitura funcional João Paulo Balula jpbalula@esev.ipv.pt Paulo Martins Plano Introdução Objectivos Percurso didáctico Materiais/Instrumentos Tratamento dos

Leia mais

coaching para o sucesso

coaching para o sucesso coaching para o sucesso Como o coaching pode trazer benefícios reais para vários segmentos da sua vida? O coaching é um processo de autoconhecimento que leva o cliente a perceber os seus talentos e o seu

Leia mais

Acesso ao Ensino Superior. Serviços de Psicologia e Orientação Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo

Acesso ao Ensino Superior. Serviços de Psicologia e Orientação Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo Acesso ao Ensino Superior Serviços de Psicologia e Orientação Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo Aque perguntas vamos responder? 1. Que curso do ensino secundário (ou disciplinas) é necessário

Leia mais

Reflexão do Curso 1ª Reflexão do Curso Técnico/a de Informática Sistemas Maria João Bastos

Reflexão do Curso 1ª Reflexão do Curso Técnico/a de Informática Sistemas Maria João Bastos 1ª Reflexão do Curso 18-02-2010 Técnico/a de Informática Sistemas Maria João Bastos Formação Base Cidadania e Profissionalidade Na nossa sociedade actual parece-me de extrema importância este tema ser

Leia mais

I sessão pública de esclarecimentos 30 de março de 2016

I sessão pública de esclarecimentos 30 de março de 2016 I sessão pública de esclarecimentos 30 de março de 2016 Nereida Cordeiro Cristina Pinheiro Maurício Reis Gabriel Leça Rubina Ferreira Estrutura da sessão I Parte 1. Acesso ao Ensino Superior para maiores

Leia mais

10 Passos para alcançar uma Carreira com Propósito

10 Passos para alcançar uma Carreira com Propósito 10 Passos para alcançar uma Carreira com Propósito Sou Psicóloga, Coach e Consultora de Carreira e, durante 16 anos atuei em Recursos Humanos de empresas de segmentos e tamanhos diversos, acompanhando

Leia mais

O QUE COMUNICAÇÃO INTEGRAL Da Essência ao Plano de Ação. QUEM

O QUE COMUNICAÇÃO INTEGRAL Da Essência ao Plano de Ação. QUEM PARA QUEM Para profissionais liberais em fase de redesenho ou transição de carreira; Para empreendedores e gestores de empresas que ainda não possuem área de Comunicação e MKT e têm que fazer esse papel;

Leia mais

Tela Inicial do SOL Sistema On-Line. Página 1

Tela Inicial do SOL Sistema On-Line. Página 1 O Adapti Ingressante tem como objetivo ajudar você, estudante, a relembrar os conteúdos que serão essenciais para o desenvolvimento de uma trajetória acadêmica de sucesso. O programa, ofertado na modalidade

Leia mais

aprendizes no Estado de São Paulo 1.296

aprendizes no Estado de São Paulo 1.296 CAMP SBC e COLMEIA RESULTADOS DA PESQUISA Aspectos Gerais Números de questionários respondidos e enviados por aprendizes no Estado de São Paulo 1.296 Foram compilados: 1.000 Abrangência do questionário

Leia mais

Cerca de um quarto da prova será fácil, dois quartos terão grau

Cerca de um quarto da prova será fácil, dois quartos terão grau Enem em 14 Respostas fonte :http://g1.globo.com/noticias/vestibular/0,,mul1250990-5604,00.html 1 - Quanto valerá cada questão da prova do Enem? Cerca de um quarto da prova será fácil, dois quartos terão

Leia mais

Educação Pré-Escolar

Educação Pré-Escolar Educação Pré-Escolar Sendo a primeira etapa na educação básica, as competências gerais para a Educação Pré Escolar constituem um conjunto de princípios para apoiar o Educador de Infância na sua prática,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

REGULAMENTO N.º 3/2015

REGULAMENTO N.º 3/2015 REGULAMENTO N.º 3/2015 REGULAMENTO DAS PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS NA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE

Leia mais

Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior

Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior Atualizado em 19.09.2016 Exames Nacionais do Ensino Secundário e Candidatura ao Ensino Superior Datas mais importantes a ter em conta*. Ao longo do

Leia mais

LICENCIATURA EM TRADUÇÃO

LICENCIATURA EM TRADUÇÃO LICENCIATURA EM TRADUÇÃO Ano lectivo 2016-2017 Horário-modelo 1ºano (todas as variantes de língua) Nota: Antes de compor o seu horário, que deverá imprimir e apresentar no dia do aconselhamento para verificação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

1ª fase: 27/08 6ª feira

1ª fase: 27/08 6ª feira COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo Rua Aristides Caire, 141 Méier Rio de Janeiro / RJ CEP: 20.775-090 Tel: 2281-5088 Fax: 2501-0811 E-mail: ssps@cicm.com.br

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA Avaliação Externa das Escolas 2012-2013 PLANO DE MELHORIA A elaboração deste plano de melhoria assenta no pressuposto de que o Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão é capaz de repensar estratégias

Leia mais

Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino

Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino TELE AULA 1 Cientificidade do conhecimento Resumo Unidade de Ensino: 1 Competência da Unidade de Ensino: Resumo: Palavras-chave:

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CAPACIDADES INDICADORES INSTRUMENTOS Domínio Cognitivo (Saber) Componentes do Currículo Conceitos Identifica/Reconhece/Adquire conceitos; Domina

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%) PORTUGUÊS DOMÍNIOS DE Leitura / Educação literária (25) Escrita (25) Gramática (15) Oralidade (15) 80 Assiduidade/Pontualidade (2) Comportamento / Relação com os outros (6) Organização do material (2)

Leia mais

Anexo 1 Calendário das sessões de recolha de dados

Anexo 1 Calendário das sessões de recolha de dados 633 634 Anexo 1 Calendário das sessões de recolha de dados Margarida Nº Data Aula Reflexão Entrevista temática pós-aula 1 30/12/99 E0 Primeiro contacto 2 12 /01/00 E1 Percurso biográfico 3 26/01/00 E2

Leia mais

Questionário. Obrigada.

Questionário. Obrigada. Questionário No âmbito da dissertação de Mestrado em Educação Didáctica da Matemática com o título A Matemática do JI ao 1ºCEB trabalho colaborativo entre professores na prevenção do insucesso escolar,

Leia mais

Exames Nacionais do Ensino Secundário ANÁLISE DE RESULTADOS POR DISCIPLINA

Exames Nacionais do Ensino Secundário ANÁLISE DE RESULTADOS POR DISCIPLINA Exames Nacionais do Ensino Secundário ANÁLISE DE RESULTADOS POR DISCIPLINA Média das classificações de exame (CE) e das classificações internas finais () de alunos internos, e diferença /CE por prova 1.ª

Leia mais

A Entrevista Como método de recolha de dados em Investigação em Educação

A Entrevista Como método de recolha de dados em Investigação em Educação A Entrevista Como método de recolha de dados em Investigação em Educação Adaptado de: Cristina Costa Guida Rocha Mónica Acúrcio O que é a entrevista? A entrevista é uma conversa intencional, geralmente

Leia mais

OPQ Perfil OPQ. Relatório de Feedback de Candidato. Nome Sample Candidate. Data 21 maio

OPQ Perfil OPQ. Relatório de Feedback de Candidato. Nome Sample Candidate. Data 21 maio OPQ Perfil OPQ Relatório de Feedback de Candidato Nome Sample Candidate Data 21 maio 2014 www.ceb.shl.com INTRODUÇÃO Este relatório é confidencial e destina-se exclusivamente à pessoa que respondeu o questionário.

Leia mais

Educar em creche que cidadão aos 3 anos de idade?

Educar em creche que cidadão aos 3 anos de idade? Educar em creche que cidadão aos 3 anos de idade? Gabriela Portugal Departamento de Educação, Universidade de Aveiro gabriela.portugal@ua.pt Sumário 1. Importância de orientações pedagógicas para a creche

Leia mais

FICHA DE CURSO. Gestão de Conflitos em Contexto Escolar

FICHA DE CURSO. Gestão de Conflitos em Contexto Escolar DESCRIÇÃO DO CURSO Os conflitos fazem parte do nosso dia a dia. Saber lidar com eles é essencial não só à nossa sobrevivência, mas também ao nosso bem-estar. Por essa razão, este Curso constitui-se como

Leia mais

O.L.E. - Oficina de Leitura e Escrita

O.L.E. - Oficina de Leitura e Escrita O.L.E. - Oficina de Leitura e Escrita 1. Enquadramento: Este projeto assenta na necessidade de obviar a problemas que parecem vir assumindo alguma premência no Agrupamento de Escolas de Portel, quer pelo

Leia mais

Critérios específicos de avaliação

Critérios específicos de avaliação Critérios específicos de 1. Aspetos a considerar na específica A sumativa expressa-se de forma descritiva em todas as áreas curriculares, com exceção das disciplinas de Português e Matemática no 4º ano

Leia mais

As normas devem seguir a seguinte sequência:

As normas devem seguir a seguinte sequência: Guia do trabalho de Recuperação Ensino Médio 2016 Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre. Paulo Freire Normas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular FINANÇAS

Leia mais

Seminário. Centros Para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Orientação que modelo de funcionamento?

Seminário. Centros Para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Orientação que modelo de funcionamento? Seminário A Indústria e o Sistema de Educação e Formação: contributos para a Estratégia Europa 2020 22 de março de 2013 Centros Para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Orientação que modelo

Leia mais

MARATONA CULTURAL 2009 CARTILHA DO CANDIDATO 2ª FASE

MARATONA CULTURAL 2009 CARTILHA DO CANDIDATO 2ª FASE MARATONA CULTURAL 2009 CARTILHA DO CANDIDATO 2ª FASE Você está recebendo a cartilha com as orientações para a construção dos trabalhos da 2ª fase da Maratona Cultural 2009. Fique atento aos procedimentos

Leia mais

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA Governo dos Açores NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA I Caracterização da UNECA-TVA II Identificação e caracterização dos Alunos III Matriz Curricular para

Leia mais

EXPLORAÇÃO DO CD-ROM AMBIENTE I

EXPLORAÇÃO DO CD-ROM AMBIENTE I 1 EXPLORAÇÃO DO CD-ROM AMBIENTE I Depois de nos termos inteirado do conteúdo, actividades e funcionamento do CD-ROM o Ambiente I, através do GUIÃO DE EXPLORAÇÃO, vamos agora tentar resolver alguns desafios:

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DO AGRUPAMENTO /2016

PLANO DE AÇÃO DO AGRUPAMENTO /2016 PLANO DE AÇÃO DO AGRUPAMENTO - 2015/2016 Ações a realizar: Aplicação do Modelo CAF Educação (ciclo diagnóstico organizacional) a partir de janeiro; Aplicação do Modelo Framework de Desenvolvimento Pedagógico

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O O QUE É UM PROJETO DE INTERVENÇÃO? Na perspectiva do desenvolvimento das habilidades e competência do eixo do Programa de Aprendizagem em Atenção

Leia mais

Portal Nacional de Imobiliário Nº1. ESTRATÉGIA PARA MELHORAR a presença Imobiliária online

Portal Nacional de Imobiliário Nº1. ESTRATÉGIA PARA MELHORAR a presença Imobiliária online Portal Nacional de Imobiliário Nº1 ESTRATÉGIA PARA MELHORAR a presença Imobiliária online ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR A PRESENÇA IMOBILIÁRIA ONLINE A DESCRIÇÃO DE IMÓVEL PERFEITA O que é? ESTRATÉGIAS PARA

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE. Tati colocar o banner de divulgação aki. Mais que um treinamento... uma revolução para sua carreira

DESENVOLVIMENTO DE. Tati colocar o banner de divulgação aki. Mais que um treinamento... uma revolução para sua carreira DESENVOLVIMENTO DE CARREIRAS & PROFISSÕES Tati colocar o banner de divulgação aki Mais que um treinamento...... uma revolução para sua carreira SEJA BEM VINDO VOCÊ LEMBRA DOS MOMENTOS QUE MUDARAM A SUA

Leia mais

ESCOLA ADVENTISTA DE SÃO BRÁS ESCOLA LIMPA, RESPONSABILIDADE DE TODOS!

ESCOLA ADVENTISTA DE SÃO BRÁS ESCOLA LIMPA, RESPONSABILIDADE DE TODOS! ESCOLA ADVENTISTA DE SÃO BRÁS ESCOLA LIMPA, RESPONSABILIDADE DE TODOS! SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL 2012 Este projeto foi elaborado pela Escola Estadual Esterina Placco situada na cidade de São Carlos-SP

Leia mais

Bonificação por Desempenho

Bonificação por Desempenho Bonificação por Desempenho Sistema Educacional do Estado de São Paulo Número de alunos Ensino Fundamental (1ª a 8ª séries) 2.900.000 Ensino Médio (1ª a 3ª séries) 1.500.000 EJA 700.000 Total 5.100.000

Leia mais

Letra Viva. Episódio: O Planejamento na Prática Pedagógica

Letra Viva. Episódio: O Planejamento na Prática Pedagógica Letra Viva Episódio: O Planejamento na Prática Pedagógica Resumo Vivemos em uma época de mudanças contínuas e rápidas devido ao progresso das ciências e conseqüente revolução tecnológica e industrial.

Leia mais

INSTITUTO MACHADO DE ASSIS Seriedade, compromisso e competência.

INSTITUTO MACHADO DE ASSIS Seriedade, compromisso e competência. CARGO: PROFESSOR DE ARTES D A B C D A D B B A B B C B B A A B C D CARGO: PROFESSOR DE CIÊNCIAS D A B C D D A A B A C B D C D C C D C B CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA D A B C D C B A D D D A D C A

Leia mais

Para fazeres um trabalho de pesquisa, há 6 etapas a percorrer:

Para fazeres um trabalho de pesquisa, há 6 etapas a percorrer: ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO Aluno(s) Professor Disciplina Realização do trabalho Início Fim Apresentação do trabalho Data Tempo Entrega do trabalho Data Público-alvo Turma/Ano Para fazeres um trabalho de

Leia mais

Guião orientador Manual de Qualidade da Actividade Formativa

Guião orientador Manual de Qualidade da Actividade Formativa Guião orientador Manual de Qualidade da Actividade Formativa I. INTRODUÇÃO A orientação para a qualidade deve constituir um pressuposto fundamental na actividade das entidades formadoras, traduzida na

Leia mais

Atendimento nutricional: Eficiência, Adesão e Transformação. Conteúdo programático TAN 1.0

Atendimento nutricional: Eficiência, Adesão e Transformação. Conteúdo programático TAN 1.0 Atendimento nutricional: Eficiência, Adesão e Transformação 100% ONLINE Conteúdo programático TAN 1.0 Annie Bello, PhD Nutrição baseada em evidência Conteúdo programático TAN 1.0 Esse é um treinamento

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

Guião de pesquisa de. informação

Guião de pesquisa de. informação Volume 2 LITERACIA DE INFORMAÇÃO Guião de pesquisa de informação PLUS 1 Guião de pesquisa de informação. Modelo PLUS: uma estratégia para a pesquisa e uso da informação. PLANIFICAR o trabalho LOCALIZAR

Leia mais

EESTÁGIO PROFISSIONAL

EESTÁGIO PROFISSIONAL CAPÍTULO I Artigo 1.º Regime aplicável 1. O presente regulamento refere-se aos procedimentos de regulação do Estágio do 1.º ano do ramo de Design, da licenciatura do Curso de Arte e Design da Escola Superior

Leia mais

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO INTERNA A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa que permite a recolha

Leia mais

EFA CURSO DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE ADULTOS

EFA CURSO DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE ADULTOS EFA CURSO DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE ADULTOS Os Cursos de Educação e de Adultos (Cursos EFA) são uma oferta de educação e formação para adultos que pretendam elevar as suas qualificações. Estes cursos desenvolvem-se

Leia mais

COMO AUMENTAR AS VENDAS USANDO A INTERNET?!

COMO AUMENTAR AS VENDAS USANDO A INTERNET?! COMO AUMENTAR AS VENDAS USANDO A INTERNET?! COMO AUMENTAR AS VENDAS USANDO A INTERNET?! Avisos legais Redistribuição Você concorda que não irá copiar, redistribuir ou explorar comercialmente qualquer parte

Leia mais

O telefone como instrumento da imagem. Camila Jardim

O telefone como instrumento da imagem. Camila Jardim O telefone como instrumento da imagem O telefone como instrumento da imagem Objectivos específicos: Identificar a importância do sorriso no atendimento telefónico O telefone como instrumento da imagem

Leia mais

Percurso Formativo e Mercado de Trabalho

Percurso Formativo e Mercado de Trabalho Percurso Formativo e Mercado de Trabalho E.E Profº Antonio Alves Cruz Professor(es) Apresentador(es): Raquel Rodrigues Débora Mariana Ribeiro Realização: Foco do Projeto Auxiliar o jovem a desenvolver

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 Competências Transversais Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

A Pesquisa O perfil dos candidatos a vagas de estágio em 2016 realizado pela Companhia de Estágios PPM Human Resources tem como objetivo conhecer as

A Pesquisa O perfil dos candidatos a vagas de estágio em 2016 realizado pela Companhia de Estágios PPM Human Resources tem como objetivo conhecer as SOBRE A PESQUISA A Pesquisa O perfil dos candidatos a vagas de estágio em 2016 realizado pela Companhia de Estágios PPM Human Resources tem como objetivo conhecer as principais expectativas e anseios dos

Leia mais