NOTA DE ESCLARECIMENTOS NOVAS REGRAS NO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOTA DE ESCLARECIMENTOS NOVAS REGRAS NO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA"

Transcrição

1 NOTA DE ESCLARECIMENTOS NOVAS REGRAS NO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Considerações sobre a aplicabilidade da Instrução Normativa nº. 50 de 04 de janeiro de 2011, publicada no Diário Oficial do dia (5) do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), segurado troca de regime - novas regras no Sistema de Compensação Previdenciária para os Entes Federados. A Confederação Nacional de Municípios - CNM, na qualidade de órgão máximo de representação institucional dos municípios brasileiros, orienta seus afiliados na realização desta Compensação Previdenciária a que os Entes têm direito na forma da Lei nº , de 05 de maio de Cumpre-nos, esclarecer o quanto segue: A Compensação Previdenciária é o acerto de contas entre o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) e os Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS) dos servidores públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municipais, na hipótese de contagem recíproca do tempo de contribuição. Os municípios, ao atenderem o preceito constitucional em instituir o RPPS, geraram a necessidade de se compensarem financeiramente com o RGPS. Isto porque seus servidores ao aposentarem-se haviam contribuído por um determinado período para o INSS e o RPPS ficou responsável pelo pagamento integral de seus benefícios de aposentadoria e posteriormente das pensões precedidas de aposentadorias deixadas aos seus dependentes. Questionamentos têm sido formulados pelos municípios acerca da aplicação da Instrução Normativa, INSS nº. 50, de 04 de janeiro de 2011, que promove novas regras diante da Lei nº , de 1999, no Decreto nº , de 1999 e da Portaria MPAS nº , de 16 de dezembro de 1999, estabelecendo a necessidade de implementar o encontro de contas entre as compensações previdenciárias, referente ao tempo de contribuição utilizado na concessão de benefício, mediante contagem recíproca na forma da Lei nº de 14 de julho de 1975 e legislação subseqüente. Logo, a compensação previdenciária somente se aplica quando tiver havido contribuições para fins de aposentadoria, devendo estas ser comprovadas pelo regime de origem por ocasião 1

2 da apresentação do respectivo requerimento, o objetivo do dispositivo inserido pela Instrução Normativa é disciplinar nova regras operacionais visando à comprovação das contribuições por meio dos documentos como: I - registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS do servidor; II - folhas ou recibos de pagamentos de salários e demais registros contábeis; III - livro ou ficha de registro de empregado; IV - contrato de trabalho e respectiva rescisão; V - atos de nomeação e de exoneração publicados; ou VI - outros registros funcionais capazes de demonstrar o exercício da atividade e o vínculo ao RGPS, que não constam no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Para os que firmaram o Acordo de Cooperação Técnica com o MPS/INSS, e caso não conste no (CNIS) as informações das contribuições relativas aos períodos certificados pelas CTC emitidas pelos entes federados, vinculadas ao RGPS, possam solicitar a Receita Federal do Brasil o fornecimento dos relatórios onde constam as Confissões de Dívidas juntamente com os respectivos anexos das Notas Fiscais de Lançamento de Débitos - NFLD s, objeto de comprovação da cobrança de contribuições para o RGPS, daquele segmento de servidores que está sendo descontado. Os Entes deverão observar o prazo prescricional fixado no art. 1 do Decreto n , de 6 de janeiro de 1932, nos termos do art. 88 da Lei nº , de 24 de julho de 1991, que Regula a Prescrição Qüinqüenal, assinalada, no artigo 15 da mencionada Instrução Normativa, os pedidos de compensação deverão ser apresentados com os respectivos requerimentos relativos aos benefícios concedidos a partir de 6 de maio de Comprometendo o Passivo do Fluxo correspondente aos valores devidos. Visto que a partir do momento da aposentadoria do servidor, não requerendo esta compensação no prazo previsto de 05 (cinco) anos o Ente perderá certos períodos relativos às contribuições por não ter buscado a compensação previdenciária devida logo que o servidor veio a aposentar-se. Contudo, explicitando, supõe-se que o servidor aposentou-se no ano de 2004, e o Ente veio pleitear a compensação previdenciária somente em 2011, devido à prescrição qüinqüenal, as compensações se darão do ano de 2006 até o ano de Salienta-se que o valor total das compensações a que o município tem direito será tanto menor quanto mais demorar para implementar os procedimentos necessários, ou seja, um mês a mais na implementação do pedido de compensação, resulta em um mês a menos na compensação possível. 2

3 Merece destacar, que Desde a competência junho/2004 foram processados, no sistema COMPREV, os ajustes de contas entre os valores de compensação do RO (RGPS como regime de origem) e do RI (RGPS como regime instituidor). Assim, o pagamento do fluxo de compensação será efetuado conforme o saldo apurado, que se for a crédito do INSS, deverá ser recolhido por Guia de Previdência Social até o 5º dia útil do mês subseqüente à competência a que se refere, de acordo com o 2º, art. 6º, da Lei nº /99 e 2º, art. 16, do Decreto nº /99. Os valores dos saldos estarão disponíveis no sistema COMPREV - Módulo RI - Consultas - Operacionais. O INSS processará, simultaneamente, a compensação previdenciária dos valores relativos aos benefícios em manutenção concedidos de 5 de outubro de 1988 a 5 de maio de 1999 e os benefícios concedidos a partir de 6 de maio de Os Entes conveniados com o MPS, para fins de compensação previdenciária, que já estão cadastrados no sistema COMPREV e habilitados para acesso ao mesmo, deverão efetuar as análises dos requerimentos, que já se encontram disponíveis no módulo RI do sistema, e proferir decisão de concessão ou indeferimento) 2. Lembramos ainda que, na hipótese de descumprimento do prazo de desembolso, serão aplicadas as mesmas normas em vigor para atualização dos valores dos recolhimentos em atraso de contribuições previdenciárias devidas ao INSS. Registro dos processos pelos Tribunais de Contas Estaduais e Municipais Esclarecemos, que para os processos de aposentadoria e pensão por morte dela decorrente, que estão sem os registros (homologação) do Tribunal de Contas do seu Estado/Município, poderão ser processados no Sistema COMPREV/MPS/INSS, ficando pendente apenas o referido registro, que, quando da liberação pelo TCE/TCM, poderá vincular-se ao requerimento já processado. Lembrando que para assegurar o prazo prescricional qüinqüenal e o período de compensação denominado passivo do estoque, as aposentadorias ocorridas entre a Constituição Federal de 1988 e a data da Lei nº , de 05 de maio de 1999, deverão ser processados no Sistema até 31 de maio de Finalidade 1 Consulta efetuada em 10/01/ efetuada em 10/01/2011 3

4 A Compensação Previdenciária tem como finalidade o pagamento das aposentadorias e pensões existentes; o ressarcimento financeiro do Regime Instituidor; controle dos repasses financeiros realizados e ajuste de contas entre os regimes de previdência; e, o período compreendido entre CF - 05/10/88 e 05/05/99, Lei n 9.796/99 poderá ser objeto de glosa no encontro de contas - débitos de não recolhimentos na contagem recíproca para servidores. Como também, na hipótese de extinção do regime próprio de previdência social, os valores oriundos da compensação previdenciária do RGPS para o RPPS, somente poderão ser utilizados no pagamento dos benefícios concedidos, e na constituição do fundo previsto no art. 6º da Lei nº , de Acordo de Cooperação Técnica da Compensação Previdenciária A falta de celebração do Acordo de Cooperação Técnica, não prejudica o direito de o INSS encaminhar os requerimentos de compensação previdenciária relativos aos benefícios por ele concedidos e de exigir do regime devedor, ou do respectivo ente instituidor, conforme o caso, os créditos do RGPS. O INSS processará, simultaneamente, a compensação previdenciária dos valores relativos aos benefícios em manutenção concedidos de 5 de outubro de 1988 a 5 de maio de 1999 e os benefícios concedido a partir de 6 de maio de 1999, observado o disposto no art. 5º da Portaria Interministerial MF/MPS nº. 410, de 29 de julho de Benefícios para municípios que buscaram a Compensação Previdenciária os recursos financeiros provenientes do repasse da Compensação Previdenciária fortalecem e aumentam significativamente a capitalização para o Regime Próprio de Previdência Social RPPS; garante o pagamento das aposentadorias e pensões por morte devidas pelo seu município; amortiza o déficit (passivo) atuarial, contribuindo para o equilíbrio financeiro e atuarial do regime próprio; economia em média de 41% no pagamento dos inativos em que houve o repasse da compensação previdenciária. 4

5 Orientação da CNM A CNM conta com uma equipe técnica especializada, com ampla experiência na validação prévia da documentação pertinente à elaboração do Acordo de Cooperação Técnica da Compensação Previdenciária junto ao MPS, como ainda, na operacionalização dos requerimentos no Sistema Comprev, evitando a impugnação dos pedidos encaminhados ao INSS. Até o momento já foi disponibilizado pelo INSS, para os municípios orientados pela CNM um montante de aproximadamente R$ 54 milhões de reais. 5

Municípios, na contagem recíproca de tempo de contribuição para efeito de aposentadoria, e dá outras providências , de 6 de julho de 1999.

Municípios, na contagem recíproca de tempo de contribuição para efeito de aposentadoria, e dá outras providências , de 6 de julho de 1999. Municípios, na contagem recíproca de tempo de contribuição para efeito de aposentadoria, e dá outras providências. - Decreto nº 3.217, de 22 de Outubro de 1999 - Altera dispositivos do Decreto n o 3.112,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 079/014 DE 1.º DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre a AVERBAÇÃO AUTOMÁTICA de tempo de contribuição vinculado ao Regime Geral de Previdência Social RGPS por servidor público do Município de Amambai

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO CONTEXTO DO PACTO FEDERATIVO

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO CONTEXTO DO PACTO FEDERATIVO MPS - Ministério da Previdência Social INSS Instituto Nacional do Seguro Social PREVIDÊNCIA SOCIAL NO CONTEXTO DO PACTO FEDERATIVO AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS - COMISSÃO ESPECIAL DO PACTO

Leia mais

PORTARIA Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999.

PORTARIA Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999. PORTARIA Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999. (Publicada no D.O.U. de 17/12/1999) Atualizada até 01/07/2015 O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

'iiiiil r..-h... -.s-* INSTRUÇÃO NORMATIVA N 015/ ANEXO VII-A. DEMONSTRATIVO DE RECOLHIMENTO DAS CONTRIBUiÇÕES PREVIDENCIÁRIAS

'iiiiil r..-h... -.s-* INSTRUÇÃO NORMATIVA N 015/ ANEXO VII-A. DEMONSTRATIVO DE RECOLHIMENTO DAS CONTRIBUiÇÕES PREVIDENCIÁRIAS " 'iiiiil r..-h... -.s-* INSTRUÇÃO NORMATIVA N 015/2012 - ANEXO VII-A DEMONSTRATIVO DE RECOLHIMENTO DAS CONTRIBUiÇÕES PREVIDENCIÁRIAS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDENCIA SOCIAL - RPPS -- ÓRGÃO/ENTIDADE: --

Leia mais

PORTARIA MPS Nº 154, DE 15 DE MAIO DE DOU 16/05/2008

PORTARIA MPS Nº 154, DE 15 DE MAIO DE DOU 16/05/2008 PORTARIA MPS Nº 154, DE 15 DE MAIO DE 2008 - DOU 16/05/2008 Disciplina procedimentos sobre a emissão de certidão de tempo de contribuição pelos regimes próprios de previdência social. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

Sistema Previdenciário do Previmpa PMPA SigPrev

Sistema Previdenciário do Previmpa PMPA SigPrev Sistema Previdenciário do Previmpa PMPA SigPrev Éberli Cabistani Riella Gerente de Tecnologia e Serviços eberli@procempa.com.br PREVIMPA 1 Requisitos Funcionais do SigPrev Solução orientada à administração

Leia mais

RESTRITO. Índice. Anexo I ao Memorando-Circular nº 7 /DIRBEN/INSS, de 24/2/ Do esocial Simples Doméstico 2

RESTRITO. Índice. Anexo I ao Memorando-Circular nº 7 /DIRBEN/INSS, de 24/2/ Do esocial Simples Doméstico 2 Esclarecimentos sobre o esocial e orientações quanto à forma de comprovação do vínculo e das remunerações do Empregado Doméstico com base na Lei Complementar nº 150/2015 Índice 1. Do esocial Simples Doméstico

Leia mais

PORTARIA Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999.

PORTARIA Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999. PORTARIA Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999. (Publicada no D.O.U. de 17/12/1999) Atualizada até 06/11/2009 O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM JUNDIAÍ APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO DO PROFESSOR CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM JUNDIAÍ APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO DO PROFESSOR CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM JUNDIAÍ APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO DO PROFESSOR CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1 CONCEITO A aposentadoria por tempo de contribuição será devida ao professor

Leia mais

PORTARIA MPAS Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE DOU DE 17/12/ ALTERADO

PORTARIA MPAS Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE DOU DE 17/12/ ALTERADO PORTARIA MPAS Nº 6.209, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1999 - DOU DE 17/12/1999 - ALTERADO Alterado pela PORTARIA MPS Nº 378, DE 27/07/2010 Alterado pela PORTARIA MPS Nº 287, DE 05/11/2009 Alterado pela PORTARIA

Leia mais

PARECER. Trata-se de consulta formulada acerca da obrigatoriedade ou não dos Regimes Próprios de Previdência de contribuírem com o PASEP.

PARECER. Trata-se de consulta formulada acerca da obrigatoriedade ou não dos Regimes Próprios de Previdência de contribuírem com o PASEP. PARECER EMENTA: Contribuição PASEP. Regimes Próprios de Previdência. Trata-se de consulta formulada acerca da obrigatoriedade ou não dos Regimes Próprios de Previdência de contribuírem com o PASEP. As

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 69 /2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP Assunto: Certidão de tempo de contribuição. SUMÁRIO EXECUTIVO

NOTA TÉCNICA Nº 69 /2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP Assunto: Certidão de tempo de contribuição. SUMÁRIO EXECUTIVO Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Gestão Pública Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenação-Geral de Aplicação das Normas NOTA TÉCNICA Nº 69 /2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP

Leia mais

PERDCOMP (Pedido de Eletronico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação)

PERDCOMP (Pedido de Eletronico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação) (Pedido de Eletronico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação) contato@agmcontadores.com.br 2015 Atualizada em março-2015 2 PER/DCOMP - PEDIDO ELETRÔNICO DE RESSARCIMENTO OU RESTITUIÇÃO

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO. Programa de Educação Previdenciária

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO. Programa de Educação Previdenciária Ministério da Previdência Social INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO Todos que se inscrevem na Previdência Social podem escolher como vão contribuir. Isso permite que o segurado

Leia mais

COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ENTRE OS REGIMES DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ENTRE OS REGIMES DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Maio / 2012 Compensação Previdenciária COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ENTRE OS REGIMES DE PREVIDÊNCIA SOCIAL A Compensação Previdenciária é um acerto de contas entre o Regime Geral de Previdência Social (RGPS)

Leia mais

alterações antes da execução de qualquer cálculo no SAP. Atenção especial deve ser dada a casos

alterações antes da execução de qualquer cálculo no SAP. Atenção especial deve ser dada a casos ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE CALCULO PARA 2016 Considerando as alterações publicadas pelos órgãos competentes em relação às alíquotas e bases de cálculo do IRRF e INSS, novo valor do salário-mínimo e cotas

Leia mais

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil.

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Diz o art. 48, da Lei 8.213/91: Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida

Leia mais

Instrução Normativa nº 432 de

Instrução Normativa nº 432 de SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL - SRF Instrução Normativa nº 432 de 22.07.2004 Aprova o Programa Pedido Eletrônico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação, versão 1.4 (PER/DCOMP 1.4),

Leia mais

PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS

PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS MTPS - Ministério do Trabalho e Previdência Social SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social DRPSP - Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ÁREA DE PESSOAL IT. 29 02 1 / 7 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a realização das atividades da Área de Pessoal. 1. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA CLT Consolidação das Leis Trabalhistas. DS. 06 Manual

Leia mais

INFORMATIVO GFIP/SEFIP

INFORMATIVO GFIP/SEFIP PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS Diretoria de Receitas Previdenciárias DIREP Coordenação Geral de Arrecadação CGA Divisão de Declarações INFORMATIVO GFIP/SEFIP Nº 002 CONTRIBUINTE

Leia mais

Comissão Direito do Terceiro Setor. Dra. Lúcia Maria Bludeni - Presidente. Coordenação de Atualização Legislativa para o Terceiro Setor

Comissão Direito do Terceiro Setor. Dra. Lúcia Maria Bludeni - Presidente. Coordenação de Atualização Legislativa para o Terceiro Setor Comissão Direito do Terceiro Setor Dra. Lúcia Maria Bludeni - Presidente Coordenação de Atualização Legislativa para o Terceiro Setor Dra. Vanessa Ruffa Rodrigues Atualização Legislativa de 01/02/ a 29/02/

Leia mais

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA Visando esclarecer os procedimentos devidos para retenção dos tributos e contribuições sobre serviços contratados de Pessoas Físicas não assalariadas

Leia mais

Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar

Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar GLOSSÁRIO Este glossário tem como objetivo apresentar as expressões e termos utilizados no contexto da Previdência Complementar, em especial dos

Leia mais

Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 0231/11

Caso não consiga visualizar este  , acesse o link:  0231/11 Página 1 de 5 Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: 0231/11 05/12/2011 SIMPLES NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS E REGULAMENTAÇÃO DA LC 139/2011 Senhor Presidente, No dia 1º de dezembro

Leia mais

APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES

APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS GRUPO TÉCNICO DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Constituição da República Federativa do Brasil Alterada

Leia mais

(Afeal ) COMPENSAÇÃO TRIBUTÁRIA

(Afeal ) COMPENSAÇÃO TRIBUTÁRIA (Afeal 27.11.2007) COMPENSAÇÃO TRIBUTÁRIA APRESENTAÇÃO Conceito e Fundamento Auto Compensação art. 66 da Lei n. 8.383/91 Compensação perante à SRF art. 74 da Lei n. 9.430/96 A criação do programa PER/DCOMP

Leia mais

10. Instrução Normativa AGE Nº 001, de 25 de Abr. de DOE

10. Instrução Normativa AGE Nº 001, de 25 de Abr. de DOE 10. Instrução Normativa AGE Nº 001, de 25 de Abr. de 2008. DOE 28.04.2008 Instrução Normativa AGE nº 001, de 25 de abril de 2008. Institui normas e rotinas para padronização e uniformização dos procedimentos

Leia mais

UNIFORMIZAÇÃO DAS DECISÕES DAS TURMAS RECURSAIS DOS (JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS)

UNIFORMIZAÇÃO DAS DECISÕES DAS TURMAS RECURSAIS DOS (JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS) UNIFORMIZAÇÃO DAS DECISÕES DAS TURMAS RECURSAIS DOS (JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS) SÚMULA 1 A conversão dos benefícios previdenciários em URV, em março/94, obedece às disposições do art. 20, incisos I e

Leia mais

Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA

Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA 1 Instrução Normativa 004/2014 A prestação de contas de cada projeto acontecerá conforme o estabelecido na INSTRUÇÃO NORMATIVA

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 003/2014 SERVIDORES VINCULADOS AO RGPS INCLUSÃO DO RETORNO AO TRABALHO NO SISAP (RETIFICADA EM 13/03/2014)

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 003/2014 SERVIDORES VINCULADOS AO RGPS INCLUSÃO DO RETORNO AO TRABALHO NO SISAP (RETIFICADA EM 13/03/2014) ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 003/2014 SERVIDORES VINCULADOS AO RGPS INCLUSÃO DO RETORNO AO TRABALHO NO SISAP (RETIFICADA EM 13/03/2014) A SCAP, no uso das atribuições conferidas pelo art. 34 do Decreto

Leia mais

Inscrição em Dívida Ativa da União de Créditos do Simples Nacional

Inscrição em Dívida Ativa da União de Créditos do Simples Nacional Inscrição em Dívida Ativa da União de Créditos do Simples Nacional Inscrição em DAU Fundamento Legal: art. 41, 2º, da LC 123/2006. 2º Os créditos tributários oriundos da aplicação desta Lei Complementar

Leia mais

Rio de Janeiro, 18 de julho de Of. Circ. Nº 235/14

Rio de Janeiro, 18 de julho de Of. Circ. Nº 235/14 Rio de Janeiro, 18 de julho de 2014. Of. Circ. Nº 235/14 Referência: Instrução Normativa Receita Federal do Brasil/Procuradoria Geral da Fazenda Nacional - PGFN nº 1.482/14 - Parcelamento de débitos ou

Leia mais

PORTARIA Nº 21, DE 16 DE JANEIRO DE 2013

PORTARIA Nº 21, DE 16 DE JANEIRO DE 2013 PORTARIA Nº 21, DE 16 DE JANEIRO DE 2013 (Publicada no D.O.U. de 18/01/2013) Altera a Portaria MPS/GM nº 204, de 10 de julho de 2008; a Portaria MPS/GM nº 402, de 10 de dezembro de 2008; e a Portaria MPS/GM

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 003/2013 (alterada com a publicação da Portaria MPS 307/2013)

NOTA TÉCNICA Nº 003/2013 (alterada com a publicação da Portaria MPS 307/2013) NOTA TÉCNICA Nº 003/2013 (alterada com a publicação da Portaria MPS 307/2013) Brasília, 29 de agosto de 2013. (segunda redação) ÁREA: Jurídico TÍTULO: Parcelamento de débitos previdenciários dos Municípios

Leia mais

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre a concessão de diárias de viagem e reembolso ao servidor público municipal e dá outras providenciais. O Diretor-Executivo do Instituto de Previdência

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SFP-02/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA SFP-02/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA SFP-02/2014 Versão: 01 Aprovação em: 05/12/2014 Publicado no D.O. nº 26450 de 07/01/2015 Unidade Responsável: Supervisão da Folha de Pagamento I- FINALIDADE Estabelecer procedimentos

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional

Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional 1. Quem pode parcelar? Todos os contribuintes que tenham débitos de ICMS declarados e apurados (DASN) no período de 07/2007 a 12/2011 no Portal

Leia mais

CERTIDÃO Nº / FREQÜÊNCIA LICENÇA SEM VENCIMENTOS

CERTIDÃO Nº / FREQÜÊNCIA LICENÇA SEM VENCIMENTOS ESTA CERTIDÃO NÃO CONTÉM EMENDAS NEM RASURAS E FOI EMITIDA DE ACORDO COM A PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº 148/2009. ÓRGÃO EXPEDIDOR: CERTIDÃO Nº / Nº PROCESSO: CNPJ: Folha: de. NOME DO SERVIDOR: SEXO: MATRÍCULA:

Leia mais

Regime de trabalho FAPI

Regime de trabalho FAPI Regime de trabalho Pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) Pelos Estatutos dos Servidores Públicos Civis INSS Previdência Complementar de natureza privada Institutos de Previdência (RPPS) Entidade

Leia mais

RO - Roteiro Operacional IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais

RO - Roteiro Operacional IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais IPSEMG - MG RO.04.26 Versão: 24 RO - Roteiro Operacional IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais Área responsável: Gerência Produtos Consignados I - CONDIÇÕES GERAIS

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com professores da E.M. Barão do Rio Branco - Vianópolis - 02/Agosto/2014 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime

Leia mais

Enunciados da Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais (TNUJEFs)

Enunciados da Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais (TNUJEFs) Enunciados da Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais (TNUJEFs) SÚMULA 41 A circunstância de um dos integrantes do núcleo familiar desempenhar atividade urbana não implica, por

Leia mais

Siglas deste documento:

Siglas deste documento: O Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (CAUC) possui 13 itens a serem observados para a efetivação de uma transferência voluntária. Veja adiante a legislação relativa a cada

Leia mais

PORTARIA AGEPREV/MS n. 16, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015.

PORTARIA AGEPREV/MS n. 16, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA AGEPREV/MS n. 16, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015. DISPÕE SOBRE TRAMITAÇÃO DOS PROCESSOS DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DE QUE TRATA A INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 2, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015,

Leia mais

1 DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR

1 DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR DOCUMENTOS NECESSÁRIOS À COMPROVAÇÃO DA RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA Procedimento de Avaliação Sócioeconômica - Cotas EP1 e EP1A Concurso Vestibular EAD/UAB/UFSM 2014. Observações: a) Os documentos

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PROCURADORIA PREVIDENCIÁRIA PARECER Nº

PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PROCURADORIA PREVIDENCIÁRIA PARECER Nº PARECER Nº 15.032 Regime previdenciário de servidor celetista. Em não tendo sido observadas as alterações trazidas pela Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, acerca da filiação previdenciária

Leia mais

Autor DEPUTADO MANOEL JUNIOR- PMDB/PB. 3 Modificativa 4.X Aditiva 5. Substitutivo Global. Página Artigos Parágrafos Inciso Alínea

Autor DEPUTADO MANOEL JUNIOR- PMDB/PB. 3 Modificativa 4.X Aditiva 5. Substitutivo Global. Página Artigos Parágrafos Inciso Alínea MPV 675 00033 ETIQUETA CONGRESSO NACIONAL APRESENTAÇÃO DE EMENDAS 27/05/2015 Proposição Medida Provisória nº 675 / 2015 Autor DEPUTADO MANOEL JUNIOR- PMDB/PB 1 Supressiva 2. Substitutiva Nº Prontuário

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO ESPECIAL Nº 2 DE APOSENTADORIA SUPLEMENTAR. Bandeprev - Bandepe Previdência Social

REGULAMENTO DO PLANO ESPECIAL Nº 2 DE APOSENTADORIA SUPLEMENTAR. Bandeprev - Bandepe Previdência Social REGULAMENTO DO PLANO ESPECIAL Nº 2 DE APOSENTADORIA SUPLEMENTAR Bandeprev - Bandepe Previdência Social Índice I. Da Finalidade...1 II. Das Definições... 2 III. Do INSTITUIDOR, Participantes e Beneficiários...

Leia mais

CONCILIAÇÃO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 12 e 13 de maio de 2016 ENUNCIADOS/RECOMENDAÇÕES

CONCILIAÇÃO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 12 e 13 de maio de 2016 ENUNCIADOS/RECOMENDAÇÕES CONCILIAÇÃO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 12 e 13 de maio de 2016 ENUNCIADOS/RECOMENDAÇÕES A conciliação em demandas de alta complexidade, relevância social e/ou com desdobramentos estadual e regional

Leia mais

1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS. Documento Prazo de Guarda Prazo de Precaução Observações

1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS. Documento Prazo de Guarda Prazo de Precaução Observações 1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS 1.1.1 Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e seu respectivo DARF. 5 anos, contados a partir do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1-Nº 116, segunda-feira, 18 de junho de 2012

Diário Oficial da União Seção 1-Nº 116, segunda-feira, 18 de junho de 2012 Secretaria da Receita Federal do Brasil revoga instrução normativa que tratava a respeito dos procedimentos para ratificação de erros no preenchimento de Guia da Previdência Social (GPS) Para conhecimento,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, no uso da atribuição

Leia mais

Portaria CAT - 94, de

Portaria CAT - 94, de Portaria CAT - 94, de 20-05-2009 (DOE 21-05-2009) Disciplina os procedimentos para o cancelamento dos débitos fiscais do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores - IPVA previsto no artigo 52

Leia mais

Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física

Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física 1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTOS DE TRIBUTOS 1.1.1 Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e seu respectivo DARF 1.1.2 Imposto Predial e Territorial

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 2.146, DE 2011

PROJETO DE LEI N o 2.146, DE 2011 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 2.146, DE 2011 Acrescenta ao art. 12 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, o 13, e acrescenta art. 125-B à Lei nº 8.213, de 24 de julho de

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil COMO UTILIZAR A TABELA PRÁTICA NO CÁLCULO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS EM ATRASO

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil COMO UTILIZAR A TABELA PRÁTICA NO CÁLCULO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS EM ATRASO MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil COMO UTILIZAR A TABELA PRÁTICA NO CÁLCULO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS EM ATRASO Orientação para divulgação na Internet e Intranet Prezados

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS PARECER DE INVESTIMENTO Nº. 088/2016 Cuiabá MT, 11 de maio de 2016 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS Prezados senhores diretores executivos; Enviamos

Leia mais

Janeiro-Dezembro/2014

Janeiro-Dezembro/2014 IRRF - Décimo terceiro salário 2014 - Roteiro Aqui serão analisados os aspectos gerais relacionados à retenção do Imposto de Renda incidente no pagamento do décimo terceiro salário. Introdução Os rendimentos

Leia mais

Crimes Contra a Ordem Tributária João Daniel Rassi

Crimes Contra a Ordem Tributária João Daniel Rassi Crimes Contra a Ordem Tributária João Daniel Rassi LEI 8.137/90 QUESTÕES PRELIMINARES Disposições constitucionais Dado histórico: PERGUNTA-SE: A EXISTÊNCIA DE CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA NÃO IMPLICA

Leia mais

CRÉDITO TRIBUTÁRIO. Conceito

CRÉDITO TRIBUTÁRIO. Conceito Conceito CRÉDITO TRIBUTÁRIO O crédito tributário corresponde ao direito do Estado de exigir o tributo, ou melhor, de exigir o objeto da obrigação tributária principal do sujeito. Contribuição do crédito

Leia mais

I mediante solicitação da instituição financeira que efetivar a quitação antecipada da operação;

I mediante solicitação da instituição financeira que efetivar a quitação antecipada da operação; COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 1.150, DE 2011 Dispõe sobre o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários IOF. Autora: Deputada

Leia mais

SALÁRIO DE BENEFÍCIO: ARTS. 31 A 34 DO DECRETO 3048/99 Prof. Andreson Castelucio 1. ITER PARA O CÁLCULO DO BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO 2. CONCEITO DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO 3. CONCEITO DE SALÁRIO DE BENEFÍCIO

Leia mais

4. Conceitos: Dossiê - Assentamento funcional

4. Conceitos: Dossiê - Assentamento funcional 4. Conceitos: Dossiê - Assentamento funcional Certidão de Tempo de Contribuição - É o documento que atesta o período de exercício das atribuições do cargo, emprego ou função pública com vinculação com

Leia mais

Manual do Aposentado e Pensionista

Manual do Aposentado e Pensionista Manual do Aposentado e Pensionista 1 SUMÁRIO Qual é o significado de Aposentado e Pensionista?...3 Quando é realizado o pagamento do Benefício?...3 Quais as formas de recebimento dos Benefícios?...3 Quando

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS A SCAP, no uso das atribuições conferidas pelo art. 34 do Decreto n.º 45.794,

Leia mais

REDAÇÃO ATUAL REDAÇÃO PROPOSTA IMPACTOS

REDAÇÃO ATUAL REDAÇÃO PROPOSTA IMPACTOS XIII XIV "Índice de Reajuste": significa o índice geral de aumentos salariais concedidos pela Patrocinadora 3M do Brasil Ltda., desconsiderados os aumentos reais. O Conselho Deliberativo poderá determinar

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2011. O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO CENTRO Centro de Recursos Humanos

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO CENTRO Centro de Recursos Humanos São Paulo, 13 de dezembro de 2016. Comunicado: Interessado: Unidades Escolares Assunto: Licença Sem Vencimentos - Artigo 202 GDAE. Senhores Diretores, Comunicamos que a partir das 10:00 horas do dia 15/12/2016,

Leia mais

Í N D I C E A N A L Í T I C O

Í N D I C E A N A L Í T I C O Í N D I C E A N A L Í T I C O I - REGRAS GERAIS... 15 I.1 - Introdução... 15 I.2 - Conceitos e definições... 15 I.2.1 - Restituição... 15 I.2.2 - Compensação... 16 I.2.3 - Ressarcimento... 16 I.2.4 - Reembolso...

Leia mais

16º CONGRESSO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA Aneprem

16º CONGRESSO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA Aneprem 16º CONGRESSO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA Aneprem VITÓRIA - 07 a 09 de novembro DE 2016 A IMPORTÂNCIA DO esocial PARA O SISTEMA INTEGRADO DE DADOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS E A GESTÃO DOS RPPS esocial? Instrumento

Leia mais

ANEXO I (Redação dada pela Portaria Normativa 22/2014/MEC)

ANEXO I (Redação dada pela Portaria Normativa 22/2014/MEC) ANEXO I (Redação dada pela Portaria Normativa DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS NA CPSA (Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento) FACULDADE - IES 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DO

Leia mais

Parcelamento Especial

Parcelamento Especial Parcelamento Especial Lei nº 11.941/2009 (conversão da MP 449/2008) Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 6/ 2009 HISTÓRICO DOS PARCELAMENTOS ESPECIAIS REFIS - Lei 9.964/2000 Débitos de pessoas jurídicas Todos

Leia mais

PER/DCOMP - Práticas de Preenchimento - Atualização

PER/DCOMP - Práticas de Preenchimento - Atualização Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

Aposentadoria especial nos RPPS

Aposentadoria especial nos RPPS Aposentadoria especial nos RPPS Quem deve emitir o PPP e os Laudos Periciais? Conversão de períodos especiais em comum para servidores públicos; Regime Jurídico único????? Mandado de Injunção e Aposentadoria

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO MUNICÍPIO DE RIO CLARO ESTADO DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO MUNICÍPIO DE RIO CLARO ESTADO DE SÃO PAULO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO O QUE É O IPRC? O Instituto de Previdência do Município de Rio Claro IPRC nasceu em 20 de setembro de 2007, através da Lei Complementar Municipal 023/2007. É uma Autarquia Municipal

Leia mais

CIRCULAR Nº Arnim Lore Diretor. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

CIRCULAR Nº Arnim Lore Diretor. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. 1 CIRCULAR Nº 1.547 Documento normativo revogado pela Circular 3.081, de 17/01/2002. Comunicamos que a Diretoria do Banco Central do Brasil, considerando o disposto na Resolução nº 1.662, desta data, decidiu

Leia mais

PROCEDIMENTO CRÉDITOS A RECEBER DE TRIBUTOS A RECUPERAR OU COMPENSAR RESPONSABILIDADE Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União.

PROCEDIMENTO CRÉDITOS A RECEBER DE TRIBUTOS A RECUPERAR OU COMPENSAR RESPONSABILIDADE Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. PROCEDIMENTO CRÉDITOS A RECEBER DE TRIBUTOS A RECUPERAR OU COMPENSAR 1 REFERÊNCIAS 1.1 - RESPONSABILIDADE Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. 1.2 - COMPETÊNCIA - Portaria/STN N. 833,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Alan Rick) Cria a Subseção XIII, da Seção V, do Capítulo II, do Título III, da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, altera os arts. 18, 25, 29, 39, 40 e 124 da Lei nº

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM PIRACICABA-SP

Coordenação-Geral de Tributação DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM PIRACICABA-SP Fl. 19 Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 17 - Data 10 de novembro de 2015 Origem DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM PIRACICABA-SP ASSUNTO: NORMAS GERAIS DE DIREITO

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003 Altera a legislação do Imposto de Renda relativamente à concessão de benefícios fiscais para as doações destinadas à assistência e promoção social. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev MSD Prev Sociedade de Previdência Privada CNPB:19.980.047-83 CNPJ:02.726.871/0001-12 Anexo I Ata de Reunião Extraordinária

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 669, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2015

MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 669, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2015 MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 669, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2015 Altera a Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011, quanto à contribuição previdenciária sobre a receita bruta; a Lei nº 12.469, de 26 de agosto de

Leia mais

Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial 2004

Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial 2004 Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial 2004 SP PREFEITURA MUNICIPAL DE CONCHAL CNPJ : 45331188000199 SIAFI : 986345 Cadastro de Nome do Plano : Novo Plano QUADRO 1 Dados do Regime Próprio de

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO

PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO 1. Abertura de processo pelo COORDENADOR DO PROJETO, sendo juntados os seguintes documentos: 1.1. Ofício de encaminhamento do projeto, assinado por seu COORDENADOR,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO - CGE/MT

ESTADO DE MATO GROSSO CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO - CGE/MT Orientação Técnica 0002/2015 UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: TODAS AS UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS INTERESSADO: C/ CÓPIA: ASSUNTO: SECRETÁRIOS DE ESTADO E PRESIDENTES DE AUTARQUIAS,FUNDAÇÕES, EMPRESAS E DEMAIS ENTIDADES

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações Propostas. Contém somente os dispositivos alterados em relação ao Regulamento vigente

Quadro Comparativo das Alterações Propostas. Contém somente os dispositivos alterados em relação ao Regulamento vigente OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado RJPrev Quadro Comparativo das Alterações

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ

CAPACITAÇÃO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CEARÁ Pacote I Área Nº Disciplinas Horas / Aula 03 Procedimentos Contábeis Orçamentários I PCO I Procedimentos Contábeis Orçamentários II PCO II 05 Procedimentos Contábeis Patrimoniais I PCP I Fundamentos 06

Leia mais

Zilmara Alencar Consultoria Jurídica

Zilmara Alencar Consultoria Jurídica INFORME n. 13/2016 Resumo: Portaria n. 521, de 4 de maio de 2016, que substitui os Anexos I e II da Portaria n. 488, de 23 de novembro de 2005, referentes à Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical

Leia mais

RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados

RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados MARINHA DO BRASIL RO. 03.03 Versão: 46 Exclusivo para Uso Interno RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados 1. PÚBLICO ALVO E REGRAS BÁSICAS Categorias

Leia mais

DECRETO Nº , DE 9 DE MARÇO DE PUBLICADO NO DOU DE 9/03/1973

DECRETO Nº , DE 9 DE MARÇO DE PUBLICADO NO DOU DE 9/03/1973 DECRETO Nº 71.885, DE 9 DE MARÇO DE 1973. PUBLICADO NO DOU DE 9/03/1973 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o artigo 81, item III, da Constituição, e tendo em vista o disposto

Leia mais

Sabemos que existem 3 regimes: a) RGPS Social. Regime Geral de Previdência. b) Regimes Próprios. c) Regime de Previdência Complementar.

Sabemos que existem 3 regimes: a) RGPS Social. Regime Geral de Previdência. b) Regimes Próprios. c) Regime de Previdência Complementar. 1 Sabemos que existem 3 regimes: a) RGPS Social Regime Geral de Previdência b) Regimes Próprios c) Regime de Previdência Complementar. 2 Regimes Próprios Servidores Públicos Vamos informar só a regra geral

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Benefícios em espécie Aposentadoria por Tempo de Contribuição, Idade e Especial Índice Aposentadoria por Tempo de Contribuição Aposentadoria por Idade Aposentadoria Especial 3 4

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal Refispoa 2015 e revoga a Lei nº 11.428, de 30 de abril de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Registros Presencial: 02-dias (certidão) e 15 dias (carteirinha ou certificado). Certidões Imediata Alteração contratual 05 dias úteis Cancelamento de Registro

Leia mais

TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta

TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta 2/6 MACRO 4.1.3 Em nenhuma hipótese, sob qualquer pretexto, o servidor poderá deixar de gozar férias anuais, obrigatórias, no exercício a que corresponderem, exceto se o prazo previsto no item 4.1.2 for

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social OUTUBRO/2016

GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social OUTUBRO/2016 Previdência Dia: 07 Trabalhista/Previdenciária Mês: 11/2016 GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social Envio da Guia de Recolhimento do Fundo

Leia mais