Objetivos. Curso: Teologia. Prof: Rui de Souza Josgrilberg. Teologia do século XX como resposta a desafios sociais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetivos. Curso: Teologia. Prof: Rui de Souza Josgrilberg. Teologia do século XX como resposta a desafios sociais"

Transcrição

1 Curso: Teologia. Prof: Rui de Souza Josgrilberg. Teologia do século XX como resposta a desafios sociais Objetivos Objetivo geral: Estudar aspectos históricos de algumas expressões teológicas do séc. XIX e dos séculos XX e XXI. Objetivos específicos: 1. Despertar o estudante para a tensão entre vida e Palavra no fazer teológico; 2. Entender a transformação teológica no século XX iniciada por K. Barth; 3. Reavaliar a importância da subjetividade humana e da vivência na compreensão da Palavra; 4. Estudar a teologia do século XX como resposta a desafios sociais, culturais e históricos; 5. Mostrar o caráter hermenêutico da teologia contemporânea. Palavras chaves: compreensão, polissemia, contexto, significação, vivência. 1

2 Palavras-chaves Vida e teologia Vida e Palavra Discurso fundador Expressão teológica A virada do século XIX para o XX Ciência física: Einstein Psicanálise: Freud Filosofia: Husserl Tecnologia: Santos Dumont/Irmãos Wright Sociologia: Weber A teologia nos séc. XX (9): A revolução barthiana Karl Barth ( ) influenciado por Kierkegaard publica em 1919 um comentário à Carta de Romanos. Religião para Barth é o esforço humano para ir a Deus. Fé é resposta à interpelação de Deus e sua revelação. A analogia da fé 2

3 A revolução barthiana A virada antiliberal de Barth: Não ao sentimento místico, sim à objetividade da revelação; Menos criticismo, mais mensagem; Menos ensino moralista de valores, mais mensagem salvífica; Não ao humanismo, sim à Palavra; Não à teologia natural, sim à teologia da revelação; O homem é negação (não), Deus é sim Barth 1) Barth afirma a absoluta transcendência de Deus. 2) Sem a iniciativa de Deus o ser humano não tem possibilidade auto redenção. 3) a teologia de Barth é uma Teologia da Palavra em face da existência caída do humano. 4) Jesus Cristo é o centro da Palavra no Antigo e no Novo Testamento. Barth 5) Barth opõe-se a uma teologia apologética e afirma a prioridade absoluta da pregação da graça 6) Barth engaja-se no movimento ecumênico, opõe-se ao nazismo ( Igreja Confessante. Declaração de fé de Barmen) 3

4 Barth Barth sacode a Europa: O renouveau biblique A revelação como autonomia divina O diálogo divino-humano O lugar da razão Os barthianos Barth Obras: Comentário aos Romanos (1919,1921) Palavra de Deus e teologia (1924) Fides quaerens intellectum (1931) Esboço de Dogmática (1934) Dogmática da Igreja (10 volumes, inacabada, planejada para 12 volumes) Depois de Barth Emil Brunner Paul Tillich Rudolf Bultmann Dietrich Bonhoeffer Jürgen Moltmann Entre os católicos Hans Küng, Von Balthazar, Karl Rahner Na AL : TL, Teologia evangelical, Teologia Pentecostal 4

5 Emil Brunner ( ) Lê Kierkegaard e associa-se a Barth e publica com ele a revista do movimento de renovação Entre os tempos A revelação centrada em Cristo (não em doutrina ou livro) Antropologia centrada na imagem de Deus Defende a possibilidade de uma teologia natural o que o separa de Barth Textos fundamentais de Cristologia, ética e eclesiologia Brunner Principais obras: A mística e a Palavra (1924) O Mediador (1924) O homem em revolta (1938) Dogmática (3 volumes ) Paul Tillich ( ) Filósofo teólogo ou teólogo filósofo? Influências de Plotino, Schelling, Kierkegaard, Heidegger, além de Lutero; Propõe o método da correlação para a teologia Questão chave é a preocupação humana última que só pode ser respondida pela revelação 5

6 Tillich A história e a vida humana são permeadas por ambiguidades e só pode ser renovada pelo novum de Deus, de Jesus Cristo, do Espírito O Novum: o novo Adão, o novo cosmos, o novo ser da nova humanidade, a nova vida e a nova história que encontram superação na ação do Espírito e na promoção do reino de Deus. Tillich Teologia Trinitária: O criador e o cosmos (Deus Pai) Deus Salvador e o novo ser (Cristo) O Deus da vida e da superação (Espírito) Tillich Toda linguagem da teologia é simbólica Tillich foi um teólogo na fronteira com a cultura e deu muita importância à literatura e às artes Alemão socialista, lutou contra o nazismo e teve que refugiar-se (1933) nos EUA onde foi professor em Union (Nova York), Harvard Yale e Chicago. 6

7 Tillich Obras: A situação religiosa (1932) Uma interpretação da história (1936) A era protestante (1948) A coragem de Ser (1950) Amor, poder, justiça (1954) Teologia da cultura (1959) Teologia Sistemática (3 volumes, ) Atividade Discuta a importância de Barth para a Teologia do século XX enumerando o que o diferencia do liberalismo teológico do século XIX Rudolf Bultmann ( ) Um do maiores estudiosos do Novo Testamento de todos os tempos Um dos criadores da Método das formas Adota a hermenêutica existencial de Heidegger 7

8 Rudolf Bultmann Em sua Teologia propõe uma distinção radical entre: o Jesus da História e o Cristo da Fé; entre fé e saber; o kerugma e suas formas históricas; Em sua hermenêutica propõe a controvertida desmitologização Dietrich Bonhoeffer ( ) Luterano, liga-se ao reformado Barth Uma biografia para não esquecer Opõe a Graça barata à Graça que custa (implica em seguir a Cristo e arriscar-se a tomar a cruz) Sua Teologia é Cristocentrica Dietrich Bonhoeffer Propõe um cristianismo a-religioso e uma interpretação a-religiosa da Bíblia; uma fé adulta. Uma ética de responsabilidade pelo outro; Uma cristologia solidária de Deus com o ser humano; Eclesiologia da comunidade dos santos Bonhoeffer, intérprete da Bíblia. 8

9 Dietrich Bonhoeffer Obras: A Comunhão dos Santos (1927) Ato e Ser (1930) Criação e Queda (1933) O Preço da Graça (1937) Ética (1949) Cartas da Prisão (1958) Jürgen Moltmann (1926-) Outra vez o sofrimento da guerra Como prisioneiro de guerra ( ), tempo em que começa estudar Teologia com os escoceses Teologia da Esperança, em 1964 Barth e Ernst Bloch Seu eixo de compreensão é a esperança bíblica e cristã. A escatologia é entendida em suas implicações presentes para o futuro e é ela que deve formar o quadro da Teologia trinitária. Jürgen Moltmann Uma Teologia pública práxis político-social, uma preocupação ecumênica Promove um modo de fazer Teologia que aproxima vida humana concretamente vivida e a Palavra de Deus. 9

10 Jürgen Moltmann Obras : Teologia da Esperança (1964) O Deus Crucificado (1972) A Igreja no poder do Espírito (1975) A Trindade e o Reino de Deus (1980) O caminho de Jesus Cristo (1993) Quem é Jesus Cristo para nós hoje? (1997) O Espírito da vida (1991) Vida, esperança e justiça (2008) Karl Rahner ( ) Destaca o papel do ser humano como ouvinte da Palavra e como existência responsiva a ela. Deus sai de sua alteridade absoluta e se identifica com o ser humano (especialmente em Cristo) como movimento de inteira gratuidade (Graça). Karl Rahner A esfera do mistério: Inspirado pela ontologia heideggeriana dá grande importância à dimensão do mistério que envolve a relação do ser humano com deus. Propôs a ideia de cristãos anônimos 10

11 Karl Rahner Ouvinte da palavra (1941); Visões e profecias (1952); Liberdade de palavra na Igreja(1953); Missão e graça (1959); Cristologia(1972); Mudança estrutural da Igreja (1973); Curso fundamental da fé (1976). Teologia da libertação A Teologia do século XX foi marcada também pelo desenvolvimento da Teologia da Libertação que será estudada em outro guia, por isso não a tratamos aqui. Teologia evangelical ou Missão Integral O Pacto de Lousanne ênfase missionária, holística, contextual e com uma abertura ecumênica. Na AL o Boletim Teológico (Fraternidade Teológica Latino-americana) é bem representativo dessa corrente (disponível em linha) 11

12 Teologia Pentecostal Há a emergência de uma Teologia pentecostal com ênfases na ação do Espírito Santo, suas obras e sinais no seio da comunidade cristã e no mundo Teologias com leituras a partir de diferentes lugares sociais e culturais Teologia negra Teologia africana Teologia feminista Teologia dos autóctones ou povos originários Teologia ecológica Teologia das religiões Intervalo Espaço para dúvidas e questionamentos 12

13 Boa Semana! Prof. Rui de S. Josgrilberg. 13

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15 Sumário Prefácio, 13 Primeira parte - Fundamentação, 15 I. A teologia fundamental como ciência teológica básica, 17 1 Teologia como "fala de Deus", 17 1.1 Tipos básicos de teologia, 17 a) A teologia como

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Religiosa EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) DE TEOLOGIA Visão global do fenômeno religioso, sua importância e implicações na formação do ser humano e da sociedade, através

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA MATRIZ CURRICULAR Macapá 2011 FATECH FACULDE DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS 1 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERFIL DE FORMAÇÃO A representação gráfica do perfil

Leia mais

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE:

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE: HISTÓRIA DA IGREJA Prof. GUILHERME WOOD APOSTILA NO SITE: http://www.ibcu.org.br/apostilas/historiaigreja.pdf Primitiva Imperial Medieval Escolastic Reforma Moderna Contemporânea Linha do Tempo: História

Leia mais

Nova Estrutura do Curso: Avisos

Nova Estrutura do Curso: Avisos Nova Estrutura do Curso: Avisos Nova Estrutura do Curso Disciplinas de Teologia Sistemática: Introdução a Teologia Sistemática Doutrina de Deus Teontologia Doutrina do Ser Humano Antropologia Doutrina

Leia mais

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54 Sumário Sumário detalhado...4 Prefácio à quarta edição... 11 Como usar este livro... 14 1. A Reforma: uma introdução... 17 2. O cristianismo no final da Idade Média... 41 3. O humanismo e a Reforma...

Leia mais

Escola Ryle de Teologia. Grade Curricular 1º Ano

Escola Ryle de Teologia. Grade Curricular 1º Ano Escola Ryle de Teologia Ensinando o poder do evangelho de Cristo Grade Curricular 1º Ano Introdução à Bíblia Como não se pode fazer teologia sem a Palavra de Deus, vamos dar início com esse tema. Este

Leia mais

O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS

O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS 1. O CONHECIMENTO é uma relação que se estabelece entre o sujeito que conhece e o objeto conhecido. O sujeito que conhece se apropria, de certo modo, do objeto conhecido. Através

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta matéria é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Conclusão LIÇÃO 3 - A FORMAÇÃO DE OBREIROS Introdução I - A função principal dos ministérios de Efesios 4:11 II. O Discipulado Intensivo III - A

Conclusão LIÇÃO 3 - A FORMAÇÃO DE OBREIROS Introdução I - A função principal dos ministérios de Efesios 4:11 II. O Discipulado Intensivo III - A ESCOLA DE PROFETA APRENDENDO A ARTE DA PREGAÇÃO GILDEMAR DOS SANTOS Vitoria da Conquista-BA, 2016 SUMÁRIO LIÇÃO N 1 - TEOLOGIA DA MISSÃO DA IGREJA 1 - INTRODUÇÃO 2 - AS MISSÕES MODERNAS E A FORMAÇÃO DO

Leia mais

A casa da teologia Introdução ecumênica à ciência da fé

A casa da teologia Introdução ecumênica à ciência da fé A casa da teologia Introdução ecumênica à ciência da fé MURAD, Afonso; GOMES, Paulo Roberto; RIBEIRO, Súsie. São Paulo: Paulinas, 2010. Prof. Dr. Pe. Boris Agustín Nef Ulloa * Segundo os autores, esta

Leia mais

Jorge Teixeira da Cunha. Ética Teológica Fundamental

Jorge Teixeira da Cunha. Ética Teológica Fundamental Jorge Teixeira da Cunha Ética Teológica Fundamental UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA Lisboa, 2009 In t ro d u ç ã o Esta explicação teológica da ética nasce de algumas preocupações. Esperamos interpretar

Leia mais

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade Tanto o Documento de Aparecida (248) como a Exortação Apostólica Verbum Domini (73) se referem à uma nova linguagem e a um novo passo na questão bíblica:

Leia mais

RIBEIRO, Claudio de Oliveira; SOUZA, Daniel Santos. A Teologia das Religiões em foco: um guia para visionários. São Paulo: Paulinas, 2012.

RIBEIRO, Claudio de Oliveira; SOUZA, Daniel Santos. A Teologia das Religiões em foco: um guia para visionários. São Paulo: Paulinas, 2012. RIBEIRO, Claudio de Oliveira; SOUZA, Daniel Santos. A Teologia das Religiões em foco: um guia para visionários. São Paulo: Paulinas, 2012. O livro dos autores Claudio de Oliveira Ribeiro e Daniel Santos

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2015 Este edital se destina especificamente à seleção de candidatos estrangeiros de países lusófonos para o Mestrado em Teologia, com início em março de 2015. 1. Objetivo O

Leia mais

Acesso ao Jesus da História

Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de Professor: José Martins Júnior. Quartas-feiras. (11) (Whatsapp)

Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de Professor: José Martins Júnior. Quartas-feiras. (11) (Whatsapp) Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 Professor: José Martins Júnior Quartas-feiras (11) 9.8383-5316 (Whatsapp) pastorjunioropbb2815@gmail.com www.reflexoes-e-flexoes.blogspot.com.br

Leia mais

TEOLOGIA CRISTÃ: UMA INTRODUÇÃO À SISTEMATIZAÇÃO DAS DOUTRINAS

TEOLOGIA CRISTÃ: UMA INTRODUÇÃO À SISTEMATIZAÇÃO DAS DOUTRINAS TEOLOGIA CRISTÃ: UMA INTRODUÇÃO À SISTEMATIZAÇÃO DAS DOUTRINAS FERREIRA, Franklin. Teologia cristã: uma introdução à sistematização das doutrinas. São Paulo: Edições Vida Nova, 2011. Natan da Costa Fernandes

Leia mais

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA[1] PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA SISTEMA EAD DE NATUREZA JURÍDICA LIVRE ALUNO (A): MAT: 000/2014 MATÉRIA: INTRODUÇÃO À TEOLOGIA

Leia mais

FÍSICA FILOSOFIA. Resumex JáEntendi 1. A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA. Características Fundamentais da Idade Média

FÍSICA FILOSOFIA. Resumex JáEntendi 1. A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA. Características Fundamentais da Idade Média FILOSOFIA FÍSICA Resumex JáEntendi 1. A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA O período histórico comumente chamado de Idade Média inicia- se no século V e termina no século XV. Portanto, ele representa mil anos de

Leia mais

A Declaração de Jerusalém

A Declaração de Jerusalém A Declaração de Jerusalém Introdução Preocupados em estabelecer fundamentos sobre os quais a igreja deve buscar a expansão do cristianismo, representantes anglicanos de todo o mundo firmaram princípios

Leia mais

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra);

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra); Uma nova paróquia Introdução DA: Conversão Pastoral Escolha de outro caminho; Transformar a estrutura paroquial retorno a raiz evangélica; Jesus: modelo (vida e prática); Metodologia: Nele, com Ele e a

Leia mais

6 Referências bibliográficas

6 Referências bibliográficas 6 Referências bibliográficas 6.1. Bibliografia do autor GESCHÉ, Adolphe. O mal. São Paulo: Paulinas, 2003. (Coleção Deus para pensar; 1). O ser humano. São Paulo: Paulinas, 2003. (Coleção Deus para pensar;

Leia mais

Aula 08 Terceiro Colegial.

Aula 08 Terceiro Colegial. Aula 08 Terceiro Colegial Cristianismo: Entre a Fé e a Razão Busca por uma base racional para sustentar a fé Formulações filosóficas se estendendo por mais de mil anos Cristianismo Palavra de Jesus, que

Leia mais

O apocalipse de João. Roteiro 21

O apocalipse de João. Roteiro 21 O apocalipse de João Roteiro 21 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo FEB EADE Livro I Módulo II Roteiro 21 O

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 049-PROEC/UNICENTRO, DE 27 DE MARÇO DE 2014. Altera o anexo I E II da Resolução nº035- PROEC/UNICENTRO, de 06 de maio de 2013 e aprova o Relatório Final. O PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO E CULTURA

Leia mais

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação Domínio Religião e experiência religiosa Cultura cristã e visão cristã da vida Ética e moral cristã DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 5º ANO Calendarização:

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus Paulo Adolfo O problema do mal O problema do mal Precisamos, minimamente, pincelar sobre o Problema do Mal (ou pelo menos

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas North A meric an Divisio n Portuguese Mi nistry Treinamento de Instrutores Bíblicos Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Objetivo Uma compreensão clara

Leia mais

Maria após o Vaticano II. Contribuição da Teologia latino-americana

Maria após o Vaticano II. Contribuição da Teologia latino-americana Maria após o Vaticano II. Contribuição da Teologia latino-americana Afonso Murad www.maenossa.blogspot.com VII Congresso Mariológico (Aparecida 2013) Contribuição do Vaticano II (Lumen Gentium, capítulo

Leia mais

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura.

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Franklin Ferreira No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Necessariamente isso inclui tudo o que é revelado

Leia mais

IGREJA. Sua Natureza

IGREJA. Sua Natureza IGREJA Sua Natureza A igreja é a comunidade de todos os cristãos de todos os tempos. Wayne Grudem A igreja é o novo Israel de Deus que revela nesse tempo Sua glória Thiessen A igreja é a a assembléia dos

Leia mais

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português 1º Ano Paroquial e CNE Escutismo Católico Português JESUS GOSTA DE MIM Proporcionar às crianças um bom acolhimento eclesial, pelos catequistas e por toda a comunidade cristã (cf CT 16 e 24). Ajudá-las

Leia mais

À procura de uma espiritualidade radical: uma teologia mística.

À procura de uma espiritualidade radical: uma teologia mística. À procura de uma espiritualidade radical: uma teologia mística. NOLAN, Albert. Jesus hoje: uma espiritualidade radical. Tradução Paulinas-Lisboa. São Paulo: Paulinas 2009. 2ª. ed. 290p. Looking for a radical

Leia mais

Módulo III O que anuncia a Catequese?

Módulo III O que anuncia a Catequese? Módulo III O que anuncia a Catequese? Diocese de Aveiro Objectivos Tomar consciência da realidade complexa do ser humano a quem levamos, hoje, uma Boa Nova. Compreender a importância da Sagrada Escritura

Leia mais

POR UMA ECCLESIA COMMUNIO : CONTRIBUIÇÕES DA ECLESIOLOGIA BARTHIANA PARA UMA IGREJA COMUNIONAL E PARTICIPATIVA

POR UMA ECCLESIA COMMUNIO : CONTRIBUIÇÕES DA ECLESIOLOGIA BARTHIANA PARA UMA IGREJA COMUNIONAL E PARTICIPATIVA POR UMA ECCLESIA COMMUNIO : CONTRIBUIÇÕES DA ECLESIOLOGIA BARTHIANA PARA UMA IGREJA COMUNIONAL E PARTICIPATIVA Marcio Cappelli Mestre em Teologia Professor na Faculdade Batista do Rio de Janeiro A igreja

Leia mais

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral Diocese de Criciúma Plano Diocesano de Pastoral 2012-2016 OBJETIVO GERAL Nós, povo de Deus da Diocese de Criciúma, animados pela Santíssima Trindade, queremos: Evangelizar vivendo em comunidade, como Igreja

Leia mais

Quem somos e no que cremos?

Quem somos e no que cremos? Vivendo e compartindo o caminho de Jesús Quem somos e no que cremos? Igreja Evangélica Paseo de Extremadura 179 Tel: 91 813 67 05; 626 468 629 http://www.comuniondelagracia.es E-mail: iduespana@yahoo.es

Leia mais

CATECISMO do Século XXI

CATECISMO do Século XXI CATECISMO do Século XXI IGREJA ANGLICANA REFORMADA DO BRASIL IGREJA ANGLICANA REFORMADA DO BRASIL Sumário Introdução 1 Prefácio 3 A Chamada de Deus 7 A Fé Cristã 11 A Obediência Cristã 17 O Crescimento

Leia mais

evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos

evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos O Tema do trimestre: Maravilhosa graça O evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos O Estudo da epístola de Paulo aos Romanos, um dos livros mais analisados na história da Igreja (Agostinho,

Leia mais

É possível detectar a presença da cruz, seja na forma religiosa, mística ou esotérica, na história de povos distintos (e distantes) como os egípcios,

É possível detectar a presença da cruz, seja na forma religiosa, mística ou esotérica, na história de povos distintos (e distantes) como os egípcios, Símbolos da Páscoa Páscoa - Símbolos CRUZ É possível detectar a presença da cruz, seja na forma religiosa, mística ou esotérica, na história de povos distintos (e distantes) como os egípcios, celtas, persas,

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

Lição 5 ATOS 1. Atos destinado a Teófilo período 63 d.c apóstolo Pedro apóstolo Paulo Atos do Espírito Santo que Jesus operou por meio da igreja

Lição 5 ATOS 1. Atos destinado a Teófilo período 63 d.c apóstolo Pedro apóstolo Paulo Atos do Espírito Santo que Jesus operou por meio da igreja Lição 5 ATOS 1. Atos O livro de Atos foi o segundo escrito por Lucas, também destinado a Teófilo. Acredita-se que originalmente não tivesse título, sendo inserido Atos ou Atos dos Apóstolos nos manuscritos

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus RELEMBRAR A MISSÃO NOS EVANGELHOS 1. Jesus Cristo homem é o exemplo padrão para o exercício da Missão de Deus (intimidade

Leia mais

FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL

FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL Santo Agostinho séc. IV São Tomás de Aquino séc. XIII PATRÍSTICA e ESCOLÁSTICA Platão séc. IV a.c. Aristóteles séc. III a.c A RELAÇÃO ENTRE FÉ E RAZÃO Questões fundamentais para

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2013/01 Este edital se destina especificamente a candidatos ao Mestrado em Teologia, com início em março de 2012. 1.Objetivo O Programa de Mestrado em Teologia visa o desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES ACADÊMICAS

PROGRAMAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES ACADÊMICAS PROGRAMAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES ACADÊMICAS Quarta - feira 03/05/17 Sala A05 Coordenação: Prof. Dr. Fernando Albano (Faculdade Refidim) e Prof. Dr. Vítor Hugo Schell (Faculdade Luterana de Teologia) 16h30min-17h00min

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta disciplina é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA Fase Cód. Disciplinas I II III Matriz curricular do Curso de Graduação em Teologia (Vigência a partir

Leia mais

Parte I: Principais Marcos: Períodos, Temas e Personalidades da Teologia Cristã

Parte I: Principais Marcos: Períodos, Temas e Personalidades da Teologia Cristã SUMÁRIO RESUMIDO Lista de ilustrações, 19 Declaração da missão, 21 Prefácio, 23 Instruções para o aluno: como usar este livro, 27 Instruções para o professor: como usar este livro, 29 Agradecimentos, 33

Leia mais

Os Outros Seis Dias. Aula 02/08/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira

Os Outros Seis Dias. Aula 02/08/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Os Outros Seis Dias Aula 02/08/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira S Vivendo Teologicamente S O que a teologia tem a ver com a vida diária? S A teologia geralmente é considerada como algo abstrato.

Leia mais

O Âmago do Evangelho. A justificação é o âmago do Evangelho?

O Âmago do Evangelho. A justificação é o âmago do Evangelho? O Âmago do Evangelho A justificação é o âmago do Evangelho? Introdução Qual é o centro do Evangelho? Muitos vão dizer que a justificação é a base do Evangelho, pois sem justificação não poderíamos nos

Leia mais

TEXTO DO DIA. "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39)

TEXTO DO DIA. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. (1 Co 14.39) TEXTO DO DIA "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39) SÍNTESE Os dons espirituais são presentes dados por Deus à sua Igreja para edificação do Corpo

Leia mais

PADRES APOLOGISTAS, APOSTÓLICOS E CONTROVERSISTAS... PROFESSOR UILSON FERNANDES 19/09/2016

PADRES APOLOGISTAS, APOSTÓLICOS E CONTROVERSISTAS... PROFESSOR UILSON FERNANDES 19/09/2016 PADRES APOLOGISTAS, APOSTÓLICOS E CONTROVERSISTAS... PROFESSOR UILSON FERNANDES 19/09/2016 DEFINIÇÕES CONCEITUAIS... O nome patrística advém diretamente das figuras desse grande primeiro momento da Filosofia

Leia mais

PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994.

PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994. Introdução Geral a Bíblia Charles Jáder G. da Silva PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994. O documento A interpretação da Bíblia na Igreja foi

Leia mais

JUSTIFICATIVA. OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e metodologicamente fundam Específicos:

JUSTIFICATIVA. OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e metodologicamente fundam Específicos: JUSTIFICATIVA A Bíblia é a fonte primeira da teologia cristã, de onde os mais diversos grupos do cristianismo retiram OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e

Leia mais

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política S u m á r i o Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política CAPÍTULO I Filosofia do Direito I: O Conceito de Justiça, O Conceito de Direito, Equidade, Direito e Moral...3 I. O conceito

Leia mais

ENSINO RELIGIOSO - 9º ANO

ENSINO RELIGIOSO - 9º ANO CONTEÚDOS ENSINO RELIGIOSO - 9º ANO Coleção Interativa UNIDADE 1 Preparo para o céu 1 - Rota errada A seriedade do pecado Características do pecado Solução 2- Giro de 180 graus Sentimento de culpa Verdadeiro

Leia mais

Evangelhos e atos. Observações

Evangelhos e atos. Observações NOVO TESTAMENTO Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho (Hebreus 1,1-2) EVANGELHOS E ATOS Evangelhos e atos Os melhores recursos

Leia mais

Danjone Regina Meira *

Danjone Regina Meira * A interface entre Religião protestante e Natureza : sobre uma compreensão ecoteológica a partir de diálogos entre a teologia de Paul Tillich e Jürgen Moltmann Danjone Regina Meira * RESUMO Este estudo

Leia mais

LINHA DE AÇÃO 1 - IGREJA QUE SAI PARA SERVIR Ícone Bíblico - A Parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37):

LINHA DE AÇÃO 1 - IGREJA QUE SAI PARA SERVIR Ícone Bíblico - A Parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37): LINHA DE AÇÃO 1 - IGREJA QUE SAI PARA SERVIR Ícone Bíblico - A Parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37): Quem é o meu próximo? perguntou o Doutor da Lei a Jesus, que em seguida lhe contou a Parábola do

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 1447 V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação TEOLOGIA E COMUNICAÇÃO Deus e o Humano a partir do Êxodo e Advento na Teologia de Bruno Forte e Jesús Martin-Barbero v Apresentador 1, Jurema Andreolla 1 (orientador)

Leia mais

ESCOLA DE MISSÕES FORMAÇAO MINISTERIAL TENDA (FMT)

ESCOLA DE MISSÕES FORMAÇAO MINISTERIAL TENDA (FMT) ESCOLA DE MISSÕES FORMAÇAO MINISTERIAL TENDA (FMT) A FMT-Escola oferece este Curso para aqueles que tem um chamado para a obra de missões, mas que também queiram servir na igreja local. O CURSO A) CURSO

Leia mais

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana «Motu Proprio» Introdução PRIMEIRA PARTE - A PROFISSÃO DA FÉ Primeira Secção: «Eu

Leia mais

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B (ENSINO MÉDIO) 1. PRÉ-REQUISITOS - Primeiro Grau Completo ou Segundo Grau Incompleto. - É necessária indicação da pároco/ministro encarregado e autorização do bispo diocesano.

Leia mais

Curso de Teologia de Leigos

Curso de Teologia de Leigos Curso de Teologia de Leigos O MISTÉRIO DA CRIAÇÃO; DEUS MANTÉM E SUSTENTA A CRIAÇÃO; DEUS REALIZA O SEU PROJETO: A DIVINA PROVIDÊNCIA; A DIVINA PROVIDÊNCIA E AS CAUSAS SEGUNDAS; A DIVINA PROVIDÊNCIA E

Leia mais

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES O homem e sua relação com o Transcendente LIDERANÇA CHAMADOS PARA FORMAR UMA NAÇÃO Favorecer

Leia mais

Introdução ao Protestantismo no Brasil

Introdução ao Protestantismo no Brasil António Gouvêa /^lendonça Prócoro Velasques Filho fl^^ Introdução ao Protestantismo no Brasil H \0\ \ Ciências da Religião SUMARIO APRESENTAÇÃO 9 I. Evolução histórica e configuração atual do protestantismo

Leia mais

Conselho Arquidiocesano de Pastoral

Conselho Arquidiocesano de Pastoral Conselho Arquidiocesano de Pastoral Capítulo 1 Marco histórico-eclesial Marco Histórico-Eclesial (VER-JULGAR-AGIR) OS LEIGOS NA ÉPOCA DA CRISTANDADE... A presença e organização dos leigos buscou sempre

Leia mais

Quando para-se para refletir sobre o significado da palavra MARIA na vida dos cristãos, por diversas formas pode-se entendê-la: seja como a Mãe do

Quando para-se para refletir sobre o significado da palavra MARIA na vida dos cristãos, por diversas formas pode-se entendê-la: seja como a Mãe do Quando para-se para refletir sobre o significado da palavra MARIA na vida dos cristãos, por diversas formas pode-se entendê-la: seja como a Mãe do Deus feito Homem Jesus Cristo, Mãe da Igreja ou ainda

Leia mais

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas Estudo da Teologia E Metodologia Teológica INTRODUÇÃO 1 - Vivemos tempos difíceis para a fé e portanto para a Teologia. Porém este desafio é nosso,

Leia mais

LIÇÃO 3 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO O ARREBATAMENTO DA IGREJA. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 3 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO O ARREBATAMENTO DA IGREJA. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 3 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO O ARREBATAMENTO DA IGREJA Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O ARREBATAMENTO DA IGREJA O arrebatamento da igreja do Senhor Jesus, será o mais extraordinário

Leia mais

O Reino de Deus. Estudo Bíblico e Sistemático

O Reino de Deus. Estudo Bíblico e Sistemático O Reino de Deus Estudo Bíblico e Sistemático Antigo Testamento Sl 103.19 Deus é visto como o rei da criação, tendo domínio sobre todos os aspectos da criação (inanimados, animados e humanos). Ao criar

Leia mais

TEOLOGIA DA MORTE DE DEUS: INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO DE DIETRICH BONHOEFFER E SEU ATEÍSMO CRISTÃO Makchwell Coimbra Narcizo makch01@hotmail.

TEOLOGIA DA MORTE DE DEUS: INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO DE DIETRICH BONHOEFFER E SEU ATEÍSMO CRISTÃO Makchwell Coimbra Narcizo makch01@hotmail. TEOLOGIA DA MORTE DE DEUS: INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO DE DIETRICH BONHOEFFER E SEU ATEÍSMO CRISTÃO Makchwell Coimbra Narcizo makch01@hotmail.com Considerações iniciais Dietrich Bonhoeffer é conhecido fora

Leia mais

PLANEJAMENTO Jeitos de explicar a origem do universo. O que diz a ciência sobre a criação. Campanha da Fraternidade 2016

PLANEJAMENTO Jeitos de explicar a origem do universo. O que diz a ciência sobre a criação. Campanha da Fraternidade 2016 Disciplina: Ensino Religioso Série: 6º ano Prof.: Cristiano Souza 1ªUNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES O homem e sua relação com Deus e com a Criação CRIAÇÃO O início do universo Tomar consciência

Leia mais

LIÇÃO 13 O QUE POSSO FAZER POR MINHA IGREJA. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 13 O QUE POSSO FAZER POR MINHA IGREJA. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 13 O QUE POSSO FAZER POR MINHA IGREJA Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO A IGREJA ESSPIRITUAL DO SENHOR JESUS A igreja de Jesus Cristo é composta por todos os cristãos salvos que um dia

Leia mais

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA 17-03-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze A Igreja no desígnio de Deus O que significa a palavra Igreja? Designa o povo que Deus convoca e reúne de todos os

Leia mais

FUNDAMENTOS DA VERDADE

FUNDAMENTOS DA VERDADE FUNDAMENTOS DA VERDADE UM ESTUDO SOBRE DOUTRINA BÍBLICA Por Floyd C. Woodworth, Jr. e David D. Duncan LIVRO DE ESTUDO AUTODIDÁTICO Universidade Global Instituto de Correspondência Internacional 1211 South

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO Aprova o projeto de extensão Escola de Teologia para Leigos Nossa Senhora das Graças, na modalidade de curso de extensão, na categoria de projeto de extensão permanente,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS MESTRADO E DOUTORADO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO. LINHA DE PESQUISA: Religião e Sociedade na Literatura Sagrada

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS MESTRADO E DOUTORADO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO. LINHA DE PESQUISA: Religião e Sociedade na Literatura Sagrada PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS MESTRADO E DOUTORADO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO LINHA DE PESQUISA: Religião e Sociedade na Literatura Sagrada DISCIPLINA: Métodos e Interpretação de Textos Sagrados

Leia mais

ANO MARIANO ANO MARIANO É PARA CELEBRAR, COMEMORAR E REAPRENDER EM NOSSA SENHORA

ANO MARIANO ANO MARIANO É PARA CELEBRAR, COMEMORAR E REAPRENDER EM NOSSA SENHORA A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou oficialmente o Ano Mariano, no último dia 21 de setembro, com um celebração na sede da entidade, em Brasília (DF). A celebração dos 300 anos é

Leia mais

LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O DIA DO SENHOR EM TODAS AS ÉPOCAS O dia do Senhor representou para Judá e Israel um severo julgamento devido a altivez humana que

Leia mais

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Prof. Elcio Cecchetti elcio.educ@terra.com.br ENSINO RELIGIOSO? Como? Outra vez? O quê? Por quê? Para quê? O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA DO PASSADO

Leia mais

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão.

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Como animadores da comunhão, temos a missão de acolher,

Leia mais

PROPOSTA TRANSFORMADORA FINALIDADE DA EDUCAÇÃO

PROPOSTA TRANSFORMADORA FINALIDADE DA EDUCAÇÃO FINALIDADE DA EDUCAÇÃO Proporcionar aos homens e as mulheres o desenvolvimento da vivacidade, da invenção e reinvenção, a participação política, a sua condição de sujeito histórico. O saber sistematizado

Leia mais

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção de evolução social na compreensão deste sociólogo sobre

Leia mais

A GRAÇA E A CRUZ DE CRISTO ROMANOS Franklin Ferreira

A GRAÇA E A CRUZ DE CRISTO ROMANOS Franklin Ferreira A GRAÇA E A CRUZ DE CRISTO ROMANOS 3.21-26 Franklin Ferreira Contexto A ira de Deus revelada sobre toda impiedade e injustiça: sobre os que ignoram o evangelho e os poderosos deste mundo (Rm 1.18-32);

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Períodos Históricos da Filosofia Filosofia Grega ou Antiga (Séc. VI a.c. ao VI d.c.) Filosofia Patrística (Séc. I ao VII) Filosofia

Leia mais

A caridade divina em São Tomás de Aquino

A caridade divina em São Tomás de Aquino RICARDO FIGUEIREDO A caridade divina em São Tomás de Aquino segundo o Comentário ao Evangelho de São João Índice Lista de siglas e abreviaturas 9 Prefácio, Professor Doutor José Jacinto Ferreira de Farias

Leia mais

Centro de Estudos Anglicanos

Centro de Estudos Anglicanos Perspectivas e desafios do ensino na área de Teologia Prof. Fernando Bortolleto Filho * 1. O ensino da Teologia e as exigências confessionais Das disciplinas teológicas, a Teologia Sistemática (em algumas

Leia mais

5 º ANO Unidade Letiva 1 - Viver juntos METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história.

5 º ANO Unidade Letiva 1 - Viver juntos METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA Escola Básica Fernando Caldeira Departamento de Ciências Humanas e Sociais Educação Moral e Religiosa Católica - 5º ano Ano letivo 2016/2017 5 º ANO Unidade Letiva 1 -

Leia mais

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO Faculdade de Humanidades e Direito FAHUD Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO Faculdade de Humanidades e Direito FAHUD Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO Faculdade de Humanidades e Direito FAHUD Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião POR UMA ECLESIOLOGIA ABERTA Reflexões a partir da eclesiologia de Jürgen Moltmann

Leia mais

SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE

SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE Viver é isto: ficar se equilibrando o tempo todo entre escolhas e consequências Jean Paul Sartre Jean-Paul Sartre - Paris, 1905 1980.

Leia mais

INTRODUÇÃO À TEOLOGIA

INTRODUÇÃO À TEOLOGIA - INTRODUÇÃO À TEOLOGIA PALAVRA DO DIRETOR Este é o primeiro módulo que você vai estudar no Curso Básico em Teologia, que é constituído de 24 disciplinas, distribuído em 12 módulos. Neste módulo você será

Leia mais

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado UMA TENTATIVA RESUMO Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado SÍNTESE Mostra e revela as relações entre elementos

Leia mais

7 Referências bibliográficas

7 Referências bibliográficas 7 Referências bibliográficas 7.1. Obras de referência ALBERIGO, G. A Constituição Gaudium et Spes no quadro do Concílio Vaticano II. In: BARAÚNA, G. A Igreja no Mundo de Hoje. Petrópolis: Editora Vozes,

Leia mais

Amor História Eternidade

Amor História Eternidade 3 Faculdade de Teologia Núcleo de Estudos Balthasarianos Amor História Eternidade Actas das Jornadas Balthasarianas Outubro de 2008 e 2009 coordenação Maria Manuela Dias de Carvalho Isabel Maria Alçada

Leia mais

EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA?

EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA? EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA? O documento Conclusivo da V Conferência contém inúmeras e oportunas indicações pastorais, motivadas por ricas reflexões à luz da fé e do atual contexto

Leia mais

HOMILÉTICA. Roney Ricardo. Site Teologia & Discernimento

HOMILÉTICA. Roney Ricardo. Site Teologia & Discernimento HOMILÉTICA Roney Ricardo roneyricardoteologia@gmail.com REFLEXÃO O Deus Todo-Poderoso tinha apenas um Filho, e este tornou-se pregador Anônimo DEFINIÇÃO O termo Homilética vem do grego e significa homiletike,

Leia mais