Aula 15 Parábola. Objetivos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 15 Parábola. Objetivos"

Transcrição

1 MÓDULO 1 - AULA 15 Aula 15 Parábola Objetivos Descrever a parábola como um lugar geométrico determinando a sua equação reduzida nos sistemas de coordenadas com eixo x paralelo à diretriz l e origem no vértice V. Determinar as coordenadas do foco F, do vértice V e da diretriz l. Esboçar o gráfico da parábola, a partir da sua equação, e fazer translações. Localizar o ponto de máximo ou de mínimo e calcular o seu valor. Conceitos: Sistemas de coordenadas cartesianas e distâncias no plano. Referências: Aulas 13 e 14. Várias residências têm antenas instaladas no telhado para recepção de som e imagens transmitidas por satélite. Todos conhecem as antenas parabólicas. E por que usamos estas antenas? Antes de responder, precisamos conhecer as propriedades da parábola. A superfície da antena é obtida pela rotação de uma parábola em torno de uma reta fixa, o seu eixo de simetria. Os faróis de automóveis e espelhos para telescópios astronômicos também têm superfície parabólica. A trajetória seguida por vários objetos em movimento é uma parábola. Por exemplo: uma bola de basquete quando lançada na cesta, uma bola de futebol quando chutada, uma bala disparada por um revólver ou por um canhão etc. Na Figura 15.2 vemos a trajetória percorrida pela bala de um canhão. Figura 15.1: Antena parabólica. Figura 15.2: Trajetória de uma bala de canhão. Fixemos no plano uma reta l e um ponto F não pertencente a l. A parábola é o lugar geométrico dos pontos P do plano eqüidistantes da reta l e do ponto F. A saber, parábola={ P d(p, F ) = d(p, l) }. A distância de um ponto a uma reta é definida como a menor das distâncias de P aos pontos Q da reta. Vimos, na AULA 16, que d(p, l) = 217 CEDERJ

2 d(p, P ), onde P é o ponto de interseção da reta l com a perpendicular a l passando por P, chamado pé da perpendicular a l passando por P. Portanto, parábola = { P d(p, F ) = d(p, P ) }, onde P é o pé da perpendicular à reta l passando por P. Figura 15.3: Parábola de vértice V, foco F e diretriz l. A reta l é chamada diretriz, o ponto F, foco, e o ponto V de interseção do eixo de simetria com a parábola, vértice. Para encontrar a equação de uma parábola, vamos fixar um sistema de coordenadas. Para isto, seja 2p, onde p > 0, a distância de F à reta l. Consideramos a origem O situada na reta perpendicular à reta l passando por F e eqüidistante de F e l. O eixo x será a reta paralela a l, com uma orientação fixada. A reta perpendicular a l passando por F será o eixo y, com a orientação conveniente (lembre-se de que girando a parte positiva do primeiro eixo, o eixo x, no sentido anti-horário em torno de O, obtemos o sentido positivo do segundo eixo, o eixo y). Figura 15.4: Parábola, sua diretriz l e foco F, escolha dos eixos x e y, com d(f, l) = 2p. A posição relativa de F com respeito à diretriz l e à escolha dos eixos coordenados está ilustrada na Figura Observe que a origem O = (0, 0) do sistema de coordenadas construído é o vértice da parábola. Temos dois casos a considerar. CEDERJ 218

3 MÓDULO 1 - AULA 15 Primeiramente, vamos determinar a equação da parábola no caso em que F = (0, p) e a equação da reta diretriz é y = p, conforme o desenho à esquerda da Figura Para cada ponto P = (x, y), o ponto P l, pé da perpendicular passando por P, é P = (x, p). Portanto, um ponto P = (x, y) pertence à parábola d(p, F ) = d(p, P ) d((x, y), (0, p)) = d((x, y), (x, p)) (x 0) 2 + (y p) 2 = (x x) 2 + (y ( p)) 2 x 2 + (y p) 2 = (y + p) 2, elevando ao quadrado, x 2 + (y p) 2 = (y + p) 2, desenvolvendo os quadrados, x 2 + y 2 2py + p 2 = y 2 + 2py + p 2, somando y 2 p 2 + 2py x 2 = y. Como p > 0 e x 2 0 para todo x R, temos y = x2 0. Logo, os pontos da parábola diferentes da origem estão acima do eixo x. O gráfico desta equação, ilustrado na Figura 15.5, é { } { ( ) Graf(y = x2 ) = (x, y) y = x2 = x, x2 x R Na Figura 15.6 estão os gráficos das parábolas y = x2 4, y = x2 e y = 2x 2. }. Figura 15.5: Parábola y = x2 foco F = (0, p). Exemplo 15.1 com Figura 15.6: Parábolas y = x2 4, y = x 2 e y = 2x 2. Vamos encontrar as coordenadas do foco e a equação da diretriz da parábola y = 1 4 x2. Escrevendo 1 = 1, obtemos = 4, logo p = 1. Então, o foco é 4 F = (0, p) = (0, 1) e a diretriz é y = p = 1. Consideremos, agora, o caso em que F = (0, p) e a equação da reta diretriz é y = p, conforme o desenho à direita da Figura CEDERJ

4 Para cada ponto P = (x, y), o ponto P passando por P, é P = (x, p). Portanto, um ponto P = (x, y) pertence à parábola d(p, F ) = d(p, P ) d((x, y), (0, p)) = d((x, y), (x, p)) l, pé da perpendicular (x 0) 2 + (y ( p)) 2 = (x x) 2 + (y p) 2 x 2 + (y + p) 2 = (y p) 2, elevando ao quadrado, x 2 + (y + p) 2 = (y p) 2, desenvolvendo os quadrados, x 2 + y 2 + 2py + p 2 = y 2 2py + p 2, somando y 2 p 2 2py, x 2 = y. Como p < 0 e x 2 0 para todo x R, temos y = x2 0. Logo, os pontos da parábola diferentes da origem estão abaixo do eixo x. O gráfico desta equação, ilustrado na Figura 15.7, é { } { ( ) Graf(y = x2 ) = (x, y) y = x2 = x, x2 x R }. Exemplo 15.2 Figura 15.7: Parábola y = x2. Vamos determinar as coordenadas do foco e a equação da diretriz da parábola de equação y = 2x 2. Escrevendo 2 = 1, obtemos p = 1. 8 F = (0, p) = (0, 1) e a equação da diretriz é y = p = Então, Exemplo 15.3 Qual é a equação da parábola com foco F = (0, 5 ) e vértice V = (0, 0)? 2 Escrevendo a equação da parábola na forma reduzida y = x2, sabendo que F = (0, p), temos que p = 5 2. Logo, p = 5 2, = = 10, 1 = 1 y = x2 = x e CEDERJ 220

5 MÓDULO 1 - AULA 15 é Nos dois casos considerados a equação da parábola na forma reduzida y = ax 2, onde a R e a 0 o foco é F = (0, 1 1 ) e a equação da diretriz é y =. 4a 4a O gráfico da equação é Graf(y = ax 2 ) = { (x, y) y = ax 2 } = { (x, ax 2 ) x R }. Observe, na Figura 15.8, como o gráfico desta equação se comporta, em termos do número real a. Figura 15.8: A parábola y = ax 2, para a > 0 e a < 0. Exemplo 15.4 Qual é o subconjunto C = {(x, y) y = 2x 2 12x + 16}? Para identificar este subconjunto do plano, vamos tentar escrever a equação que relaciona as variáveis x e y, na forma reduzida da equação da parábola. y = 2x 2 12x + 16, colocando 2 em evidência, = 2(x 2 6x + 8), completando o quadrado do polinômio em x, = 2((x 2 6x + 9) 9 + 8), = 2((x 3) 2 1), fazendo o produto por 2, = 2(x 3) 2 2. Desta maneira, obtemos y + 2 = 2(x 3) 2. Esta equação é de uma parábola. Por quê? Sabemos que y = 2x 2 é uma parábola com vértice V = (0, 0), foco F = (0, 1 ) = (0, 1 ) = (0, 1 1 ), diretriz y = = 1 e o eixo de simetria 4a a 8 é x = 0. Quando esta parábola é transladada de h = 3 unidades horizontalmente e de k = 2 unidades verticalmente, uma parábola congruente é obtida tendo equação y k = 2(x h) 2, que é equivalente a y +2 = 2(x 3) 2. A Figura 15.9 ilustra o gráfico destas duas parábolas. 221 CEDERJ

6 Figura 15.9: Parábolas y = 2x 2 e y + 2 = 2(x 3) 2. y = 2x 2 y + 2 = 2(x 3) 2 vértice: (0, 0) (h, k) = (3, 2) foco: (0, 1 ) 4a 8 1 (h, k + 4a 8 8 diretriz: y = 1 4a 8 y = k 1 4a 8 8 eixo de simetria: x = 0 x = h = 3 Duas figuras são congruentes se deslocando uma delas podemos fazer coincidir uma com a outra. De modo geral, a parábola y = ax 2 tem vértice (0, 0) e eixo de simetria x = 0. Quando esta parábola é transladada de h unidades, horizontalmente, e de k unidades, verticalmente, uma parábola congruente é obtida, tendo equação y k = a(x h) 2. A figura ao lado ilustra esta translação. O vértice O = (0, 0) é transladado para (h, k) e o foco, a diretriz e o eixo de simetria são transladados como indicado a seguir: Figura 15.10: y = ax 2 e y k = a(x h) 2. y = ax 2 y k = a(x h) 2 vértice: (0, 0) (h, k) foco: (0, 1 1 ) (h, k + ) 4a 4a diretriz: y = 1 y = k 1 4a 4a eixo de simetria: x = 0 x = h Observe que no vértice (h, k) temos x 0 = h e y 0 = k, onde k é o valor mínimo ou máximo de y, para todo P = (x, y) que está na parábola de equação y k = a(x h) 2. Pois: (i) Se a > 0, então a parábola está voltada para cima e y = a(x h) 2 + k 0 + k = a(h h) 2 + k = a(x 0 h) 2 + k = y 0, CEDERJ 222

7 MÓDULO 1 - AULA 15 logo y y 0, portanto k é o valor mínimo de y. (ii) Se a < 0, então a parábola está voltada para baixo e y = a(x h) 2 + k 0 + k = a(h h) 2 + k = a(x 0 h) 2 + k = y 0, logo y y 0, portanto k é o valor máximo de y. Resumo Você aprendeu a descrever a parábola como um lugar geométrico, a determinar a sua equação reduzida, a partir da sua propriedade geométrica, no sistema de coordenadas com origem no vértice, eixo x paralelo à diretriz l e eixo y como o eixo de simetria; a esboçar o seu gráfico; a fazer translações; a determinar as coordenadas do foco F, do vértice V e a equação da diretriz l, a partir da equação reduzida; a determinar o ponto de máximo ou mínimo e o seu valor máximo ou mínimo, respectivamente, x 0 = h e y 0 = k, onde V = (h, k). Exercícios 1. Determine o foco, a equação da diretriz e esboce o gráfico de cada uma das seguintes parábolas: (a) y = 8x 2 (b) y = 8x 2 (d) y = 16x 2 (e) 2y = 5x 2 (g) y 1 16 x2 = 0 (h) y = 3 4 x2 (c) y = 16x 2 (f) 2y = 5x 2 (i) y = 5 4 x2 2. Determine a equação reduzida da parábola, o vértice, a equação da diretriz, a equação do eixo de simetria e esboce o gráfico. (a) y = 1 4 x2 x + 4 (b) 8y + x 2 + 4x + 12 = 0 (c) 2y = x 2 + 4x 4 (d) 20y x 2 + 2x + 39 = 0 (e) y = 2x x 2 (f) x 2 + 6x 8y + 17 = 0 3. Determine o valor de x para o qual y assume o valor máximo ou mínimo, em cada uma das parábolas do exercício anterior. 4. Determine a equação reduzida da parábola que satisfaz a propriedade dada e esboce o gráfico: 223 CEDERJ

8 (a) Foco F = (0, 3 4 ) e diretriz y = 3 4. (b) Foco F = (0, 5 ) e vértice (0, 0). 8 (c) Diretriz y = 3 e vértice (0, 0). 2 (d) Vértice (2, 5) e diretriz y = 7. (e) Vértice (0, 0), eixo de simetria vertical e o ponto (2, 2) está na parábola. (f) Vértice (0, 0), eixo de simetria x = 0 e passa pelo ponto (2, 3). (g) Foco F = (4, 5) e diretriz y = 1. (h) Vértice (4, 1) e diretriz y = Determine a interseção da parábola com o eixo y: (a) y = 1 4 x2 x + 4 (b) 8y + x 2 + 4x + 12 = 0 (c) 2y = x 2 + 4x 4 (d) 20y x 2 + 2x + 39 = 0 (e) y = 2x x 2 (f) x 2 + 6x 8y + 17 = 0 6. Esboce os subconjuntos do plano: A parábola y = ax 2 + bx + c, assim como uma reta não-vertical, divide o plano em dois subconjuntos disjuntos: os pontos acima (y > ax 2 + bx + c) e os pontos abaixo da parábola (y < ax 2 + bx + c). (a) A = { (x, y) 2x 3 y < 4x x 2 }. (b) B = { (x, y) x 2 2x y < 4x x 2 }. (c) C = { (x, y) 2x + 8 y x 2 }. (d) D = { (x, y) x 2 2 y < 2x 2 + 6x + 7 }. Auto-avaliação Se você souber determinar o vértice, o foco e a equação da diretriz da parábola, a partir da sua equação reduzida e esboçar o seu gráfico, então pode passar para a próxima aula. É claro que resolveu os exercícios 1 a 5! Vamos para a Aula 19. Continuaremos a estudar a parábola e aprenderemos a sua propriedade reflexiva! CEDERJ 224

Objetivos. Aprender a propriedade reflexiva da parábola.

Objetivos. Aprender a propriedade reflexiva da parábola. Aula 16 Parábola - continuação MÓDULO 1 - AULA 16 Objetivos Descrever a parábola como um lugar geométrico, determinando a sua equação reduzida nos sistemas de coordenadas com eixo y paralelo à diretriz

Leia mais

Aula 19 Elipse - continuação

Aula 19 Elipse - continuação MÓDULO 1 - AULA 19 Aula 19 Elipse - continuação Objetivos Desenhar a elipse com compasso e régua com escala. Determinar a equação reduzida da elipse no sistema de coordenadas com origem no ponto médio

Leia mais

MÓDULO 1 - AULA 21. Objetivos

MÓDULO 1 - AULA 21. Objetivos Aula 1 Hipérbole - continuação Objetivos Aprender a desenhar a hipérbole com compasso e régua com escala. Determinar a equação reduzida da hipérbole no sistema de coordenadas com origem no ponto médio

Leia mais

Aula 14 Círculo. Objetivos

Aula 14 Círculo. Objetivos Aula 1 Círculo MÓDULO 1 - AULA 1 Objetivos Determinar a equação do círculo de centro C e raio r, como um lugar geométrico. Aprender os conceitos de retas tangente e normal num ponto P de um círculo. Esboçar

Leia mais

Este trabalho foi licenciado com a Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Este trabalho foi licenciado com a Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada 1. Introdução Definição: Parábola é o lugar geométrico dos pontos do plano cujas distâncias entre uma reta fixa, chamada de reta diretriz, e a um ponto fixo situado fora desta reta, chamado de foco da

Leia mais

6. FUNÇÃO QUADRÁTICA 6.1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

6. FUNÇÃO QUADRÁTICA 6.1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES 47 6. FUNÇÃO QUADRÁTICA 6.1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Na figura abaixo, seja a reta r e o ponto F de um determinado plano, tal que F não pertence a r. Consideremos as seguintes questões: Podemos obter,

Leia mais

Geometria Analítica - Aula

Geometria Analítica - Aula Geometria Analítica - Aula 19 246 IM-UFF K. Frensel - J. Delgado Aula 20 Vamos analisar a equação Ax 2 + Cy 2 + Dx + Ey + F = 0 nos casos em que exatamente um dos coeficientes A ou C é nulo. 1. Parábola

Leia mais

Notas de Aulas 3 - Cônicas Prof Carlos A S Soares

Notas de Aulas 3 - Cônicas Prof Carlos A S Soares Notas de Aulas 3 - Cônicas Prof Carlos A S Soares 1 Parábolas 11 Conceito e Elementos Definição 1 Sejam l uma reta e F um ponto não pertencente a l Chamamos parábola de diretriz l e foco F o conjunto dos

Leia mais

GGM Geometria Analítica I 19/04/2012- Turma M1 Dirce Uesu

GGM Geometria Analítica I 19/04/2012- Turma M1 Dirce Uesu GGM0016 Geometria Analítica I 19/04/01- Turma M1 Dirce Uesu CÔNICAS DEFINIÇÃO GEOMÉTRICA Exercício: Acesse o sitio abaixo e use o programa: http://www.professores.uff.br/hjbortol/disciplinas/005.1/gma04096/applets/conic/co

Leia mais

Aula 18 Cilindros quádricos e identificação de quádricas

Aula 18 Cilindros quádricos e identificação de quádricas MÓDULO 2 - AULA 18 Aula 18 Cilindros quádricos e identificação de quádricas Objetivos Estudar os cilindros quádricos, analisando suas seções planas paralelas aos planos coordenados e estabelecendo suas

Leia mais

GGM Geometria Analítica e Cálculo Vetorial Geometria Analítica Básica 20/12/2012- GGM - UFF Dirce Uesu

GGM Geometria Analítica e Cálculo Vetorial Geometria Analítica Básica 20/12/2012- GGM - UFF Dirce Uesu GGM0016 Geometria Analítica e Cálculo Vetorial Geometria Analítica Básica 0/1/01- GGM - UFF Dirce Uesu CÔNICAS DEFINIÇÃO GEOMÉTRICA Exercício: Acesse o sitio abaixo e use o programa: http://www.professores.uff.br/hjbortol/disciplinas/005.1/gma04096/applets/conic/co

Leia mais

Matemática I Cálculo I Unidade B - Cônicas. Profª Msc. Débora Bastos. IFRS Campus Rio Grande FURG UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

Matemática I Cálculo I Unidade B - Cônicas. Profª Msc. Débora Bastos. IFRS Campus Rio Grande FURG UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Unidade B - Cônicas Profª Msc. Débora Bastos IFRS Campus Rio Grande FURG UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE 22 12. Cônicas São chamadas cônicas as curvas resultantes do corte de um cone duplo com um plano.

Leia mais

Aula 8 Cônicas - Translação de sistemas de coordenadas

Aula 8 Cônicas - Translação de sistemas de coordenadas Aula 8 Cônicas - Translação de sistemas de coordenadas MÓDULO 1 - AULA 8 Objetivos Entender a mudança de coordenadas pela translação do sistema cartesiano. Identificar uma cônica transladada a partir da

Leia mais

MAT Poli Cônicas - Parte II

MAT Poli Cônicas - Parte II MAT2454 - Poli - 2011 Cônicas - Parte II Neste texto apresentamos definições de elipse, hipérbole e parábola e deduzimos suas equações reduzidas. Nos exercícios são apresentadas as propriedades ópticas

Leia mais

Porque?

Porque? Porque? 6 Parábola Dados um ponto F e uma reta d, com F d, seja p = d(f,d). Chamamos parábola o conjunto dos pontos P do plano que são equidistantes de F e d, i. é., d(p,f)= d(p,d). 7 Elementos da Parábola

Leia mais

Matemática I Tecnólogo em Construção de Edifícios e Tecnólogo em Refrigeração e Climatização. y = ax² + bx + c

Matemática I Tecnólogo em Construção de Edifícios e Tecnólogo em Refrigeração e Climatização. y = ax² + bx + c 47 6. Função Quadrática É todo função que pode ser escrita na forma: f: R R y = ax² + bx + c Em que a, b e c são constantes reais e a 0, caso contrário a função seria afim. Já estudamos um tipo de função

Leia mais

0 < c < a ; d(f 1, F 2 ) = 2c

0 < c < a ; d(f 1, F 2 ) = 2c Capítulo 14 Elipse Nosso objetivo, neste e nos próximos capítulos, é estudar a equação geral do segundo grau em duas variáveis: Ax + Bxy + Cy + Dx + Ey + F = 0, onde A 0 ou B 0 ou C 0 Para isso, deniremos,

Leia mais

1. A partir da definição, determinar a equação da parábola P, cujo foco é F = (3, 4) e cuja diretriz é L : x + y 2 = 0. (x 3) 2 + (y + 4) 2 =

1. A partir da definição, determinar a equação da parábola P, cujo foco é F = (3, 4) e cuja diretriz é L : x + y 2 = 0. (x 3) 2 + (y + 4) 2 = QUESTÕES-AULA 18 1. A partir da definição, determinar a equação da parábola P, cujo foco é F = (3, 4) e cuja diretriz é L : x + y = 0. Solução Seja P = (x, y) R. Temos que P P d(p, F ) = d(p, L) (x 3)

Leia mais

As funções quadráticas são usadas em diversas aplicações: - Equacionamento do movimento de um ponto com aceleração constante.

As funções quadráticas são usadas em diversas aplicações: - Equacionamento do movimento de um ponto com aceleração constante. Módulo 4 FUNÇÕES QUADRÁTICAS 1. APRESENTAÇÃO As funções quadráticas são usadas em diversas aplicações: - Equacionamento do movimento de um ponto com aceleração constante. - Modelagem de trajetórias na

Leia mais

Coordenadas e distância na reta e no plano

Coordenadas e distância na reta e no plano Capítulo 1 Coordenadas e distância na reta e no plano 1. Introdução A Geometria Analítica nos permite representar pontos da reta por números reais, pontos do plano por pares ordenados de números reais

Leia mais

54 CAPÍTULO 2. GEOMETRIA ANALÍTICA ( ) =

54 CAPÍTULO 2. GEOMETRIA ANALÍTICA ( ) = 54 CAPÍTULO. GEOMETRIA ANALÍTICA.5 Cônicas O grá co da equação + + + + + = 0 (.4) onde,,,, e são constantes com, e, não todos nulos, é uma cônica. A equação (.4) é chamada de equação geral do grau em e

Leia mais

A primeira coisa a fazer é saber quais são as equações das curvas quando elas já se encontram na melhor

A primeira coisa a fazer é saber quais são as equações das curvas quando elas já se encontram na melhor Identificação de Cônicas Uma equação do segundo grau ax + bxy + cy + dx + ey + f = 0 define de maneira implícita uma curva no plano xy: o conjunto dos pontos (x, y) que satisfazem a equação. Por exemplo,

Leia mais

Geometria Analítica. Cônicas. Prof. Vilma Karsburg

Geometria Analítica. Cônicas. Prof. Vilma Karsburg Geometria Analítica Cônicas Prof. Vilma Karsburg Cônicas Sejam duas retas e e g concorrentes em O e não perpendiculares. Considere e fixa e g girar 360 em torno de e, mantendo constante o ângulo entre

Leia mais

Aula 15 Superfícies quádricas - cones quádricos

Aula 15 Superfícies quádricas - cones quádricos Aula 15 Superfícies quádricas - cones quádricos MÓDULO - AULA 15 Objetivos Definir e estudar os cones quádricos identificando suas seções planas. Analisar os cones quádricos regrados e de revolução. Cones

Leia mais

Gráfico da função quadrática e inequações de segundo grau. Primeiro Ano do Ensino Médio

Gráfico da função quadrática e inequações de segundo grau. Primeiro Ano do Ensino Médio Material Teórico - Módulo Função Quadrática Gráfico da função quadrática e inequações de segundo grau Primeiro Ano do Ensino Médio Autor: Prof. Fabrício Siqueira Benevides Revisor: Prof. Antonio Caminha

Leia mais

Distância entre duas retas. Regiões no plano

Distância entre duas retas. Regiões no plano Capítulo 4 Distância entre duas retas. Regiões no plano Nesta aula, veremos primeiro como podemos determinar a distância entre duas retas paralelas no plano. Para isso, lembramos que, na aula anterior,

Leia mais

7. Determine a equação da parábola que passa pelos pontos P (0, 6), Q(3, 0) e R(4, 10).

7. Determine a equação da parábola que passa pelos pontos P (0, 6), Q(3, 0) e R(4, 10). Lista 3: Cônicas Professora Elisandra Bär de Figueiredo 1. Determine a equação do conjunto de pontos P (x, y) que são equidistantes da reta x = e do ponto (0, ). A seguir construa este conjunto de pontos

Leia mais

Matemática Básica II - Trigonometria Nota 01 - Sistema de Coordenadas no Plano

Matemática Básica II - Trigonometria Nota 01 - Sistema de Coordenadas no Plano Matemática Básica II - Trigonometria Nota 01 - Sistema de Coordenadas no Plano Márcio Nascimento da Silva Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA Curso de Licenciatura em Matemática marcio@matematicauva.org

Leia mais

Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Rua Visconde de Niterói, 36 - Mangueira - Rio de Janeiro, RJ - CEP Tel: () Fax: () President

Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Rua Visconde de Niterói, 36 - Mangueira - Rio de Janeiro, RJ - CEP Tel: () Fax: () President Pré-Cálculo Volume - Módulo 3ª edição Jorge J Delgado Gómez Maria Lúcia T Villela Apoio: Faperj - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro Fundação Cecierj / Consórcio

Leia mais

7. Determine a equação da parábola que passa pelos pontos P (0, 6), Q(3, 0) e R(4, 10).

7. Determine a equação da parábola que passa pelos pontos P (0, 6), Q(3, 0) e R(4, 10). Lista 3: Cônicas - Engenharia Mecânica Professora Elisandra Bär de Figueiredo 1. Determine a equação do conjunto de pontos P (x, y) que são equidistantes da reta x = e do ponto (0, ). A seguir construa

Leia mais

Universidade Federal do Pará Curso de Licenciatura em Matemática PARFOR Lista de Exercícios Referentes a Prova Substitutiva de Geometria Analítica

Universidade Federal do Pará Curso de Licenciatura em Matemática PARFOR Lista de Exercícios Referentes a Prova Substitutiva de Geometria Analítica 1 Universidade Federal do Pará Curso de Licenciatura em Matemática PARFOR Lista de Exercícios Referentes a Prova Substitutiva de Geometria Analítica 1. Determine a distância entre os pontos A(-2, 7) e

Leia mais

Aula 10 Produto interno, vetorial e misto -

Aula 10 Produto interno, vetorial e misto - MÓDULO 2 - AULA 10 Aula 10 Produto interno, vetorial e misto - Aplicações II Objetivos Estudar as posições relativas entre retas no espaço. Obter as expressões para calcular distância entre retas. Continuando

Leia mais

Obter as equações paramétricas das cônicas.

Obter as equações paramétricas das cônicas. MÓDULO 1 - AULA 1 Aula 1 Equações paramétricas das cônicas Objetivo Obter as equações paramétricas das cônicas. Estudando as retas no plano, você viu que a reta s, determinada pelos pontos P = (x 1, y

Leia mais

Capítulo 2. Retas no plano. 1. Retas verticais e não-verticais. Definição 1

Capítulo 2. Retas no plano. 1. Retas verticais e não-verticais. Definição 1 Capítulo 2 Retas no plano O objetivo desta aula é determinar a equação algébrica que representa uma reta no plano. Para isso, vamos analisar separadamente dois tipos de reta: reta vertical e reta não-vertical.

Leia mais

Objetivos. em termos de produtos internos de vetores.

Objetivos. em termos de produtos internos de vetores. Aula 5 Produto interno - Aplicações MÓDULO 1 - AULA 5 Objetivos Calcular áreas de paralelogramos e triângulos. Calcular a distância de um ponto a uma reta e entre duas retas. Determinar as bissetrizes

Leia mais

Resumo: Nestas notas faremos um breve estudo sobre as principais propriedades. mínimos, gráficos e algumas aplicações simples.

Resumo: Nestas notas faremos um breve estudo sobre as principais propriedades. mínimos, gráficos e algumas aplicações simples. Universidade Estadual de Maringá - Departamento de Matemática Cálculo Diferencial e Integral: um KIT de Sobrevivência c Publicação Eletrônica do KIT http://www.dma.uem.br/kit Equação quadrática Prof. Doherty

Leia mais

Plano cartesiano, Retas e. Alex Oliveira. Circunferência

Plano cartesiano, Retas e. Alex Oliveira. Circunferência Plano cartesiano, Retas e Alex Oliveira Circunferência Sistema cartesiano ortogonal O sistema cartesiano ortogonal é formado por dois eixos ortogonais(eixo x e eixo y). A intersecção dos eixos x e y é

Leia mais

Jorge M. V. Capela, Marisa V. Capela. Araraquara, SP

Jorge M. V. Capela, Marisa V. Capela. Araraquara, SP Cônicas e Equações Quadráticas Jorge M. V. Capela, Marisa V. Capela Instituto de Química - UNESP Araraquara, SP capela@iq.unesp.br Araraquara, SP - 2017 1 Parábolas 2 3 4 5 Introdução Parábolas Parábolas

Leia mais

Questão 2: Considere a hipérbole descrita pela equação 9x 2 16y 2 = 144. vértices, focos e esboce seu gráco.

Questão 2: Considere a hipérbole descrita pela equação 9x 2 16y 2 = 144. vértices, focos e esboce seu gráco. Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba - DAMAT MA71B - Geometria Analítica e Álgebra Linear Prof a Dr a Diane Rizzotto Rossetto LISTA 8 - Cônicas e Quádricas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE MATEMÁTICA Aluno(a): Professor(a): Curso:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE MATEMÁTICA Aluno(a): Professor(a): Curso: 5 Geometria Analítica - a Avaliação - 6 de setembro de 0 Justique todas as suas respostas.. Dados os vetores u = (, ) e v = (, ), determine os vetores m e n tais que: { m n = u, v u + v m + n = P roj u

Leia mais

Funções quadráticas. Matemática - UEL Compilada em 18 de Março de 2010.

Funções quadráticas. Matemática - UEL Compilada em 18 de Março de 2010. Matemática Essencial Funções quadráticas Conteúdo Matemática - UEL - 2010 - Compilada em 18 de Março de 2010. Prof. Ulysses Sodré Matemática Essencial: http://www.mat.uel.br/matessencial/ 1 A função quadrática

Leia mais

APLICAÇÕES DE CÔNICAS NA ENGENHARIA

APLICAÇÕES DE CÔNICAS NA ENGENHARIA O que você deve saber sobre APLICAÇÕES DE CÔNICAS NA ENGENHARIA As equações das curvas chamadas cônicas recebem esse nome devido à sua origem (a intersecção de um cone por um plano) e podem ser determinadas

Leia mais

CÔNICAS E QUÁDRICAS. Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga

CÔNICAS E QUÁDRICAS. Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga CÔNICAS E QUÁDRICAS Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga 11.1 CÔNICAS Pierre de Fermat (1601-1665) estabeleceu o princípio fundamental da Geometria Analítica, segundo o qual, uma equação

Leia mais

Equações paramétricas das cônicas

Equações paramétricas das cônicas Aula 1 Equações paramétricas das cônicas Ao estudarmos as retas no plano, vimos que a reta r que passa por dois pontos distintos P 1 = x 1, y 1 ) e P = x, y ) é dada pelas seguintes equações paramétricas:

Leia mais

3.2 Determine a equação da circunferência de raio 5, tangente à reta 3x +4y =16no ponto A (4, 1).

3.2 Determine a equação da circunferência de raio 5, tangente à reta 3x +4y =16no ponto A (4, 1). 3.1 Obtenha a equação e esboce o gráfico da circunferência caracterizada por: (a) Centro C (, 1) eraior =5; (b) Passa pelos pontos A (1, ),B(1, 1) e C (, 3) ; (c) Inscrita no triângulo determinado pelas

Leia mais

GEOMETRIA ANALÍTICA CONTEÚDOS. Distância entre pontos Equação da reta Distância ponto reta Coeficientes Equação da circunferência.

GEOMETRIA ANALÍTICA CONTEÚDOS. Distância entre pontos Equação da reta Distância ponto reta Coeficientes Equação da circunferência. GEOMETRIA ANALÍTICA CONTEÚDOS Distância entre pontos Equação da reta Distância ponto reta Coeficientes Equação da circunferência. AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS Neste capítulo, estudaremos a Geometria Analítica.

Leia mais

Estudante: Circunferência: Equação reduzida da circunferência: Circunferência: Consideremos uma circunferência de centro C (a, b) e raio r.

Estudante: Circunferência: Equação reduzida da circunferência: Circunferência: Consideremos uma circunferência de centro C (a, b) e raio r. Gênesis Soares Jaboatão, de de 014. Estudante: Circunferência: Circunferência: A circunferência é o conjunto de todos os pontos de plano equidistantes de outro ponto C do mesmo plano chamado centro da

Leia mais

Aula 3 A Reta e a Dependência Linear

Aula 3 A Reta e a Dependência Linear MÓDULO 1 - AULA 3 Aula 3 A Reta e a Dependência Linear Objetivos Determinar a equação paramétrica de uma reta no plano. Compreender o paralelismo entre retas e vetores. Entender a noção de dependência

Leia mais

Aula 7 Equação Vetorial da Reta e Equação Vetorial do plano

Aula 7 Equação Vetorial da Reta e Equação Vetorial do plano Aula 7 Equação Vetorial da Reta e Equação Vetorial do plano Prof Luis Carlos As retas podem estar posicionadas em planos (R 2 ) ou no espaço (R 3 ). Retas no plano possuem pontos com duas coordenadas,

Leia mais

Hipérbole. Sumário. 6.1 Introdução Hipérbole Forma canônica da hipérbole... 6

Hipérbole. Sumário. 6.1 Introdução Hipérbole Forma canônica da hipérbole... 6 6 Hipérbole Sumário 6.1 Introdução....................... 2 6.2 Hipérbole........................ 2 6.3 Forma canônica da hipérbole............. 6 6.3.1 Hipérbole com centro na origem e reta focal coincidente

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA 4. Geometria Analítica 4.1. Introdução Geometria Analítica é a parte da Matemática,

Leia mais

A equação da reta. são números conhecidos. Seja então (x, y) um ponto qualquer dessa reta. e y 2. , x 2

A equação da reta. são números conhecidos. Seja então (x, y) um ponto qualquer dessa reta. e y 2. , x 2 A equação da reta A UUL AL A Vamos, nesta aula, retomar o assunto que começamos a estudar nas Aulas 9 e 30: a equação da reta. Aprenderemos hoje outra forma de obter a equação da reta e veremos diversas

Leia mais

Plano Cartesiano e Retas. Vitor Bruno Engenharia Civil

Plano Cartesiano e Retas. Vitor Bruno Engenharia Civil Plano Cartesiano e Retas Vitor Bruno Engenharia Civil Sistema cartesiano ortogonal O sistema cartesiano ortogonal é formado por dois eixos ortogonais(eixo x e eixo y). A intersecção dos eixos x e y é o

Leia mais

MAT Poli Roteiro de Estudos sobre as Cônicas

MAT Poli Roteiro de Estudos sobre as Cônicas MAT25 - Poli - 2003 Roteiro de Estudos sobre as Cônicas Martha Salerno Monteiro Departamento de Matemática IME-USP Uma equação quadrática em duas variáveis é uma equação da forma a + by 2 + cxy + dx +

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista. Nome: DATA: 09/11/2016

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista. Nome: DATA: 09/11/2016 INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista MATEMÁTICA GEOMETRIA ANALÍTICA Nome: DATA: 09/11/016 Alexandre Uma elipse tem centro na origem e o eixo maior coincide com o eixo Y. Um dos focos é 1 F1 0, 3 e a

Leia mais

Cônicas são curvas obtidas pela interseção de um plano com um cone circular de duas folhas

Cônicas são curvas obtidas pela interseção de um plano com um cone circular de duas folhas CÔNICAS Cônicas são curvas obtidas pela interseção de um plano com um cone circular de duas folhas Parábola Elipse Hipérbole Circunferência 1.Parábola 1.1 Definição Parábola é o lugar geométrico de todos

Leia mais

Aula 9 Cônicas - Rotação de sistemas de coordenadas

Aula 9 Cônicas - Rotação de sistemas de coordenadas MÓDULO 1 - AULA 9 Aula 9 Cônicas - Rotação de sistemas de coordenadas Objetivos Entender mudanças de coordenadas por rotações. Identificar uma cônica rotacionada a partir da sua equação geral. Identificar

Leia mais

Geometria Analítica: Cônicas

Geometria Analítica: Cônicas Geometria Analítica: Cônicas 1 Geometria Analítica: Cônicas 1. Parábola Definição: Considere em um plano uma reta d e um ponto F não pertencente à d. Parábola é o lugar geométrico formado pelo conjunto

Leia mais

Concluimos dai que o centro da circunferência é C = (6, 4) e o raio é

Concluimos dai que o centro da circunferência é C = (6, 4) e o raio é QUESTÕES-AULA 17 1. A equação x 2 + y 2 12x + 8y + 0 = 0 representa uma circunferência de centro C = (a, b) e de raio R. Determinar o valor de a + b + R. Solução Completamos quadrados na expressão dada.

Leia mais

Vetores e Geometria Analítica

Vetores e Geometria Analítica Vetores e Geometria Analítica ECT2102 Prof. Ronaldo Carlotto Batista 4 de maio de 2016 Círculo Denição Círculo é o conjunto de pontos P (x, y) a uma distância a, chamada de raio, de um ponto C (x o, y

Leia mais

MAT Poli Cônicas - Parte I

MAT Poli Cônicas - Parte I MAT2454 - Poli - 2011 Cônicas - Parte I Uma equação quadrática em duas variáveis, x e y, é uma equação da forma ax 2 +by 2 +cxy +dx+ey +f = 0, em que pelo menos um doscoeficientes a, b oucénão nulo 1.

Leia mais

Exercício No mesmo prédio do exemplo anterior, considere a projeção sob o plano da frente, ver figura 4, analise e responda qual é a projeção

Exercício No mesmo prédio do exemplo anterior, considere a projeção sob o plano da frente, ver figura 4, analise e responda qual é a projeção Aula 8 8. Visualização Espacial Nesta aula, nos ocuparemos em visualizar figuras tridimensionais, isto é, figuras que não estão num mesmo plano. Lembraremos que qualquer representação que fazemos no papel

Leia mais

Lista 3: Geometria Analítica

Lista 3: Geometria Analítica Lista 3: Geometria Analítica A. Ramos 25 de abril de 2017 Lista em constante atualização. 1. Equação da reta e do plano; 2. Ângulo entre retas e entre planos. Resumo Equação da reta Equação vetorial. Uma

Leia mais

Geometria Analítica - Aula

Geometria Analítica - Aula Geometria Analítica - Aula 18 228 IM-UFF K. Frensel - J. Delgado Aula 19 Continuamos com o nosso estudo da equação Ax 2 + Cy 2 + Dx + Ey + F = 0 1. Hipérbole Definição 1 Uma hipérbole, H, de focos F 1

Leia mais

1 Cônicas Não Degeneradas

1 Cônicas Não Degeneradas Seções Cônicas Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICE Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br 11 de dezembro de 2001 Estudaremos as (seções) cônicas,

Leia mais

Geometria Analítica II - Aula 4 82

Geometria Analítica II - Aula 4 82 Geometria Analítica II - Aula 4 8 IM-UFF K. Frensel - J. Delgado Aula 5 Esferas Iniciaremos o nosso estudo sobre superfícies com a esfera, que já nos é familiar. A esfera S de centro no ponto A e raio

Leia mais

Aula Exemplos e aplicações. Exemplo 1. Nesta aula apresentamos uma série de exemplos e aplicações dos conceitos vistos.

Aula Exemplos e aplicações. Exemplo 1. Nesta aula apresentamos uma série de exemplos e aplicações dos conceitos vistos. Aula 16 Nesta aula apresentamos uma série de exemplos e aplicações dos conceitos vistos. 1. Exemplos e aplicações Exemplo 1 Considere os pontos A = (1, 2, 2), B = (2, 4, 3), C = ( 1, 4, 2), D = (7, 1,

Leia mais

Coordenadas Cartesianas

Coordenadas Cartesianas 1 Coordenadas Cartesianas 1.1 O produto cartesiano Para compreender algumas notações utilizadas ao longo deste texto, é necessário entender o conceito de produto cartesiano, um produto entre conjuntos

Leia mais

10. Determine as equações cartesianas das famílias de retas que fazem um ângulo de π/4 radianos com a reta y = 2x + 1.

10. Determine as equações cartesianas das famílias de retas que fazem um ângulo de π/4 radianos com a reta y = 2x + 1. Geometria Analítica. 1. Determine as posições relativas e as interseções entre os conjuntos em R abaixo. Em cada item também faça um esboço dos dois conjuntos dados no mesmo sistema de eixos. (a) C : (x

Leia mais

Capítulo Coordenadas no Espaço. Seja E o espaço da Geometria Euclidiana tri-dimensional.

Capítulo Coordenadas no Espaço. Seja E o espaço da Geometria Euclidiana tri-dimensional. Capítulo 9 1. Coordenadas no Espaço Seja E o espaço da Geometria Euclidiana tri-dimensional. Um sistema de eixos ortogonais OXY Z em E consiste de três eixos ortogonais entre si OX, OY e OZ com a mesma

Leia mais

Aula Transformações

Aula Transformações Aula 6 6. Transformações O gráfico de uma função f permite obter os gráficos de outras funções, via transformações elementares. Para simplificar, nesta seção consideraremos somente funções cujo domínio

Leia mais

6.1 equações canônicas de círculos e esferas

6.1 equações canônicas de círculos e esferas 6 C Í R C U LO S E E S F E R A S 6.1 equações canônicas de círculos e esferas Um círculo é o conjunto de pontos no plano que estão a uma certa distância r de um ponto dado (a, b). Desta forma temos que

Leia mais

A equação da circunferência

A equação da circunferência A UA UL LA A equação da circunferência Introdução Nas duas últimas aulas você estudou a equação da reta. Nesta aula, veremos que uma circunferência desenhada no plano cartesiano também pode ser representada

Leia mais

CÔNICAS. Cristianeguedes.pro.br/cefet

CÔNICAS. Cristianeguedes.pro.br/cefet CÔNICAS Cristianeguedes.pro.br/cefet Seções Cônicas São curvas obtidas pela interseção de um cone com um plano. Circunferência É o lugar geométrico plano dos pontos que estão à mesma distância r de um

Leia mais

GAAL /1 - Simulado - 3 exercícios variados de retas e planos

GAAL /1 - Simulado - 3 exercícios variados de retas e planos GAAL - 201/1 - Simulado - exercícios variados de retas e planos SOLUÇÕES Exercício 1: Considere as retas m e n de equações paramétricas m : (x, y, z) = (1, 1, 0) + t( 2, 1, ) (a) Mostre que m e n são retas

Leia mais

MAT 105- Lista de Exercícios

MAT 105- Lista de Exercícios 1 MAT 105- Lista de Exercícios 1. Determine as áreas dos seguintes polígonos: a) triângulo de vértices (2,3), (5,7), (-3,4). Resp. 11,5 b) triângulo de vértices (0,4), (-8,0), (-1,-4). Resp. 30 c) quadrilátero

Leia mais

VESTIBULAR UFPE UFRPE / ª ETAPA NOME DO ALUNO: ESCOLA: SÉRIE: TURMA: MATEMÁTICA 2

VESTIBULAR UFPE UFRPE / ª ETAPA NOME DO ALUNO: ESCOLA: SÉRIE: TURMA: MATEMÁTICA 2 VESTIULR UFPE UFRPE / 1998 2ª ETP NOME DO LUNO: ESOL: SÉRIE: TURM: MTEMÁTI 2 01. nalise as afirmações: 0-0) 4 + 2 + 4 2 = 12 (as raízes quadradas são as positivas) 4 1-1) = 0,666... 11 log 2-2) 2 = 2 2

Leia mais

Cilindros projetantes de uma curva

Cilindros projetantes de uma curva Cilindros projetantes de uma curva Dada uma curva C no espaço é possível obter tres cilindros retos cujas interseções fornecem a curva C. Estes cilindros são obtidos projetando-se a curva em cada um dos

Leia mais

1.4 Determine o ponto médio e os pontos de triseção do segmento de extremidades A(7) e B(19).

1.4 Determine o ponto médio e os pontos de triseção do segmento de extremidades A(7) e B(19). Capítulo 1 Coordenadas cartesianas 1.1 Problemas Propostos 1.1 Dados A( 5) e B(11), determine: (a) AB (b) BA (c) AB (d) BA 1. Determine os pontos que distam 9 unidades do ponto A(). 1.3 Dados A( 1) e AB

Leia mais

Capítulo Equações da reta no espaço. Sejam A e B dois pontos distintos no espaço e seja r a reta que os contém. Então, P r existe t R tal que

Capítulo Equações da reta no espaço. Sejam A e B dois pontos distintos no espaço e seja r a reta que os contém. Então, P r existe t R tal que Capítulo 11 1. Equações da reta no espaço Sejam A e B dois pontos distintos no espaço e seja r a reta que os contém. Então, P r existe t R tal que AP = t AB Fig. 1: Reta r passando por A e B. Como o ponto

Leia mais

Equações Paramétricas e Coordenadas Polares. Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados.

Equações Paramétricas e Coordenadas Polares. Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. 10 Equações Paramétricas e Coordenadas Polares Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. 10.3 Coordenadas Polares Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Coordenadas Polares

Leia mais

Função do 2 o Grau. 11.Sinal da função quadrática 12.Inequação do 2 o grau

Função do 2 o Grau. 11.Sinal da função quadrática 12.Inequação do 2 o grau UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Função do o Grau Prof.: Rogério

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE FUNÇÕES

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE FUNÇÕES 01. (ESPCEX-AMAN/016) Considere as funções reais f e g, tais que f(x) x 4 e f(g(x)) x 5, onde g(x) é não negativa para todo x real. Assinale a alternativa cujo conjunto contém todos os possíveis valores

Leia mais

CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA

CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA 04 CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA CAPÍTULO 0 TRANSLAÇÃO E ROTAÇÃO DE EIXOS TRANSLAÇÃO DE EIXOS NO R Sejam e O os eixos primitivos, do Sistema Cartesiano de Eixos Coordenados com origem O(0,0).

Leia mais

Lista de Exercícios de Geometria

Lista de Exercícios de Geometria Núcleo Básico de Engenharias Geometria - Geometria Analítica Professor Julierme Oliveira Lista de Exercícios de Geometria Primeira Parte: VETORES 1. Sejam os pontos A(0,0), B(1,0), C(0,1), D(-,3), E(4,-5)

Leia mais

Retas e círculos, posições relativas e distância de um ponto a uma reta

Retas e círculos, posições relativas e distância de um ponto a uma reta Capítulo 3 Retas e círculos, posições relativas e distância de um ponto a uma reta Nesta aula vamos caracterizar de forma algébrica a posição relativa de duas retas no plano e de uma reta e de um círculo

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M21 Geometria Analítica: Cônicas

Matemática. Resolução das atividades complementares. M21 Geometria Analítica: Cônicas Resolução das atividades complementares Matemática M Geometria Analítica: Cônicas p. FGV-SP) Determine a equação da elipse de centro na origem que passa pelos pontos A, 0), B, 0) e C0, ). O centro da elipse

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA 2015 NOTA AULA PRÁTICA No. 06 FUNÇÕES (PARÁBOLAS) PROF. ANGELO BATTISTINI NOME RA TURMA NOTA 1 Objetivos: Nesta aula estudamos um tipo específico de função matemática, a parábola.

Leia mais

Geometria Analítica. Katia Frensel - Jorge Delgado. NEAD - Núcleo de Educação a Distância. Curso de Licenciatura em Matemática UFMA

Geometria Analítica. Katia Frensel - Jorge Delgado. NEAD - Núcleo de Educação a Distância. Curso de Licenciatura em Matemática UFMA Geometria Analítica NEAD - Núcleo de Educação a Distância Curso de Licenciatura em Matemática UFMA Katia Frensel - Jorge Delgado Março, 2011 ii Geometria Analítica Conteúdo Prefácio ix 1 Coordenadas na

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios Resoluções de Exercícios MATEMÁTICA IV Co Capítulo 04 Ângulos entre Retas; Inequações no Plano; Circunferência 0 D Analisando o gráfico, tem-se que as coordenadas dos estabelecimentos são: 01 A) 03 C Assim,

Leia mais

Ponto 1) Representação do Ponto

Ponto 1) Representação do Ponto Ponto 1) Representação do Ponto Universidade Federal de Pelotas Cálculo com Geometria Analítica I Prof a : Msc. Merhy Heli Rodrigues Plano Cartesiano, sistemas de coordenadas: pontos e retas Na geometria

Leia mais

2.1 Representação Geométrica dos Números Reais

2.1 Representação Geométrica dos Números Reais Capítulo 2 Geometria Analítica Neste capítulo apresentaremos uma representação geométrica do conjunto dos números reais, o sistema de coordenadas cartesianas, a equação geral da reta, métodos gerais para

Leia mais

Curvas Planas em Coordenadas Polares

Curvas Planas em Coordenadas Polares Curvas Planas em Coordenadas Polares Sumário. Coordenadas Polares.................... Relações entre coordenadas polares e coordenadas cartesianas...................... 6. Exercícios........................

Leia mais

Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b. a) a = 3, b, b R. b) a = 3 e b = 1. c) a = 3 e b 1. d) a 3

Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b. a) a = 3, b, b R. b) a = 3 e b = 1. c) a = 3 e b 1. d) a 3 01 Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b a) a = 3, b, b R b) a = 3 e b = 1 c) a = 3 e b 1 d) a 3 1 0 y = 3x + 1 m = 3 A equação que apresenta uma reta com o mesmo coeficiente angular

Leia mais

1 a série E.M. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis

1 a série E.M. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis Módulo de Função Quadrática Noções Básicas: Definição, Máximos e Mínimos 1 a série E.M. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis Função Quadrática Noções Básicas: Definição, Máximos e Mínimos 1 Exercícios

Leia mais

TEORIA CONSTRUINDO E ANALISANDO GRÁFICOS 812EE 1 INTRODUÇÃO

TEORIA CONSTRUINDO E ANALISANDO GRÁFICOS 812EE 1 INTRODUÇÃO CONSTRUINDO E ANALISANDO GRÁFICOS 81EE 1 TEORIA 1 INTRODUÇÃO Os assuntos tratados a seguir são de importância fundamental não somente na Matemática, mas também na Física, Química, Geografia, Estatística

Leia mais

TEMA 2 PROPRIEDADES DE ORDEM NO CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS

TEMA 2 PROPRIEDADES DE ORDEM NO CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS TEMA 2 PROPRIEDADES DE ORDEM NO CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS O conjunto dos números reais,, que possui as seguintes propriedades:, possui uma relação menor ou igual, denotada por O1: Propriedade Reflexiva:

Leia mais

Pré-Cálculo, Vol. 2: Curvas Planas. Jorge J. Delgado Maria Lúcia Torres Villela

Pré-Cálculo, Vol. 2: Curvas Planas. Jorge J. Delgado Maria Lúcia Torres Villela Pré-Cálculo, Vol. 2: Curvas Planas Jorge J. Delgado Maria Lúcia Torres Villela IM-UFF 2007 C E D E R J 2 J. Delgado - M. L. Villela (IM-UFF) Conteúdo 2 Curvas no Plano 7 1. Coordenadas no Plano....................

Leia mais

RESUMO - GRÁFICOS. O coeficiente de x, a, é chamado coeficiente angular da reta e está ligado à inclinação da reta

RESUMO - GRÁFICOS. O coeficiente de x, a, é chamado coeficiente angular da reta e está ligado à inclinação da reta RESUMO - GRÁFICOS Função do Primeiro Grau - f(x) = ax + b O gráfico de uma função do 1 o grau, y = ax + b, é uma reta. O coeficiente de x, a, é chamado coeficiente angular da reta e está ligado à inclinação

Leia mais

Geometria Analítica. Estudo do Plano. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Geometria Analítica. Estudo do Plano. Prof Marcelo Maraschin de Souza Geometria Analítica Estudo do Plano Prof Marcelo Maraschin de Souza Plano Equação Geral do Plano Seja A(x 1, y 1, z 1 ) um ponto pertencente a um plano π e n = a, b, c, n 0, um vetor normal (ortogonal)

Leia mais