SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO"

Transcrição

1 SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO António Caxito Marques 1 SEMINÁRIO SOBRE A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO JULHO 2015

2 INDÍCE 1. REMUNERAÇÃO 2. TRABALHO EXTRAORDINÁRIO 3. SALÁRIO MÍNIMO NACIONAL 4. HORÁRIO DE TRABALHO 5. ESTATUTO DO TRABALHADOR ESTUDANTE 6. FALTAS AO SERVIÇO - REGIME DOS ACIDENTES E DOENÇAS COMUNS 7. COMPENSAÇÕES E INDEMINIZAÇÕES 2

3 REMUNERAÇÃO (art. 155º e segts) Principio Geral o que faz parte da remuneração? Todas quantias pagas de forma reiteradas e sistematica Direitos adquiridos? Exclusões trabalho extraordinário; contas finais na cessação da relação laboral; 3

4 REMUNERAÇÃO PAGAMENTO (Parte Pecuniária) Pagamento da Remuneração em numerário ou por depósito bancário à ordem do trabalhador A retribuição deve ser satisfeita até o ultimo dia útil de cada período a que respeite (semanal, quinzenal ou mensal) [art. 167º LGT] 4

5 Alguns casos especiais - remuneração adicional: trabalho por turnos; trabalho noturno; regime de disponibilidade (20%; 15%; 10%; 5% - de acordo coma dimensão da empresa) O trabalho extraordinário acresce aos adicionais. Privilégio creditório (art. 737º CC) mantém-se. (art. 176º) Requisitos. 5

6 TRABALHO EXTRAORDINÁRIO (art. 113º e segts) Limites máximos (mantém-se 2h dia/40h mensais/200h anuais) Quando pode ser prestado (necessidades imperiosas enunciação meramente exemplificativa) Obrigatoriedade da prestação desde que informado com antecedência, excepto em situações urgentes (al a, d, g); Excepção a esta regra razões poderosas invocadas pelo trabalhador; trabalho nocturno excepto em substituições e calamidades. 6

7 Trabalho prestado em dia de descanso semanal obrigatório 75%/Hora com mínimo de 3 horas pagas Forma de pagamento até 30h/mês (50%; 30%; 20%; 10% do valor hora normal acima de 30h mensais (75%; 45%; 20%; 10%) nas grandes, médias, pequenas e micro empresas. 7

8 Contabilização de 15m a 44m considera-se 30m e de 44m a 60m considera-se 1hora. Direito ao gozo de 1 dia de descanso na semana seguinte se o trabalho for superior a 4h ou meio dia se inferior. O trabalho em dia ou meio dia de descanso semanal complementar confere apenas ao descanso na semana seguinte. 8

9 SALARIO MINIMO NACIONAL (art.161º, ss) Principio geral. Limiar mínimo de existência condigna, impenhorabilidade; opção política; consultas (sindicatos e associações patronais) Forma Decreto Presidencial, com periodicidade presumivelmente anual, dependendo da evolução sócio-económica. 9

10 MODALIDADES SMN nacional garantido; SMN por grandes ramos económicos (petróleo/diamantes); SMN por áreas geográficas. 10

11 REMUNERAÇÃO DESCONTOS Descontos Permitidos Os descontos não podem ser superior a 25% do salário liquido Os legalmente previstos, incluindo os determinados por decisão judicial transitado em julgado; A pedido do trabalhador, as quotizações para o sindicato; Refeições fornecidas, telefone e outros equipamentos ou serviços solicitados pelo trabalhador; Mediante autorização da IGT, as amortizações de empréstimos concedidos para beneficiação, reparação ou construção de habitação própria do trabalhador; Adiantamentos e outros abonos feitos pelo empregador, não podendo exceder. 11

12 HORÁRIO DE TRABALHO (art.92º, ss). Noção Inicio, termo da prestação de trabalho e períodos de descanso; período de funcionamento vs horário de trabalho; 12

13 Sua fixação quando se dá? Regime de alteração do horário (desvio ao regime regra anterior ex vi art 94º) Afixação do Mapa de horário de trabalho 15 dias antes do seu início; Regimes especiais de horário de trabalho Por turnos, disponibilidade, a tempo parcial, alternância, estudante) O caso especial do regime de alternância Caso especial, formação no período off como deve ser remunerado?) 13

14 ESTATUTO DO TRABALHADOR ESTUDANTE (art. 105º,ss). Forma: escrita Negociação: semelhança ao regime anterior? Âmbito: horário, remuneração, condições de trabalho, dispensas, obrigações do trabalhador, suspensão e cessação do estatudo. Remuneração: Pode a remuneração ser inferior à mínima? Nada indica que não 14

15 REGIME JURÍDICO DAS FALTAS (art. 143º e segts) Justificadas/injustificadas violação do procedimento de justificação; Antecedência de 1 semana / imediatamente se o evento ocorrer na própria semana ou / logo que possível mas antes de retornar ao trabalho se imprevisível. Casamento: redução de 10 para 8 dias; Efeito nas férias Desconto de meio de férias por cada dispensa para provas escolares / 1 dias de férias por cada dia de falta injustificada / 1 dia de férias por cada 2 dias de faltas justificadas / gozando sempre o mínimo de 6 dias úteis de férias. 15

16 Doenças e acidentes comuns e assistência ao agregado familiar (art. 145º n.º al. g) e art. 149º) : Se INSS não assumir o pagamento de protecção na doença: Ausência paga a 100% do salário base até 2 meses nas médias e grandes empresas e 50% do salário base do 3º ao 10º mês; Na pequenas e micro empresas o pagamento será durante 90 dias findo o qual o contrato caduca. A assistência de inadiável a membros do agregado familiar: 8 dias úteis/ano Podem ser autorizadas outras ausências, sendo remuneradas se nada se disser no acto da autorização. O caso do regime da suspensão do contrato de trabalho. (art. 190º) 16 Direito de Regresso sobre o INSS?

17 INDEMINIZAÇÕES E COMPENSAÇÕES (art. 236º,ss) Critério: Proporcionalidade atenta a dimensão do empregador. Grandes empresas: 1 salário até 5 anos de antiguidade e 50% no remanescente; Médias empresas: 1 salário até 3 anos de antiguidade e 40% no remanescente; Pequenas empresas: 2 salários e 30% sobre o remanescente da antiguidade além dos 2 anos; micro empresa: 2 salários e 20% sobre a antiguidade além de 2 anos 17

18 Indeminização por não reintegração: Grandes Empresas 50% do salário base Médias empresas 40% do salario base Pequenas e Micro Empresas 20% do salário base Multiplicados pelos anos de antiguidade. 18

19 MUITO OBRIGADO 19

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA ÍNDICE PREFÁCIO 7 NOTA PRÉVIA 9 SIGLAS UTILIZADAS 13 Capo I - Algumas considerações introdutórias. A relação jurídica de emprego público na Administração Pública 15 Capo II - Âmbito de aplicação subjectivo

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Lei nº 23/2012, de 25 de Junho

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Lei nº 23/2012, de 25 de Junho ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO Lei nº 23/2012, de 25 de Junho Aproxima-se o dia um de Agosto, data em que entram em vigor as novas alterações ao Código do Trabalho, as quais foram já objecto de uma acção

Leia mais

C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017

C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A.S.P.A.S C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A Lei n.º 42/2016, de 28 de dezembro aprovou o Orçamento do Estado para 2017. A partir de 1 de janeiro de 2017, deve ter atenção às seguintes

Leia mais

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º.

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º. ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE (Lei nº 99/2003, de 27 de Agosto) CAPÍTULO I SECÇÃO II Preâmbulo Subsecção VIII Trabalhador-Estudante Artº 17º Trabalhador-estudante O disposto nos

Leia mais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais CÓDIGO DO TRABALHO Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Fontes e aplicação do direito do trabalho CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito

Leia mais

AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO

AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 2012, Outubro, 29 LEI Nº 23/2012, 25 DE JUNHO 2 ORGANIZAÇÃO DOS TEMPOS DE TRABALHO 3 1 BANCO DE HORAS 4 Lei nº 23/2012, 25 Junho Artigo 208º-A A partir de 1 de Agosto

Leia mais

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Junho de 2012

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Junho de 2012 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO Junho de 2012 CONTRATO DE TRABALHO A TERMO DE MUITO CURTA DURAÇÃO CONTRATO DE TRABALHO A TERMO DE MUITO CURTA DURAÇÃO Prazo inicial de 15 dias 70 dias, no mesmo

Leia mais

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória?

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? CADERNO DE EXERCÍCIOS 1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? 2) Vale transporte pago em dinheiro, vale refeição pago em dinheiro, concessão de

Leia mais

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS Quidgest rh@quidgest.com AGENDA: Q Q Q Q Q Q Q Q Q Q REMISSÃO CÓDIGO DO TRABALHO TRABALHO SUPLEMENTAR FÉRIAS, FALTAS E FERIADOS SUBSÍDIO NATAL E FÉRIAS DECLARAÇÃO MENSAL DE

Leia mais

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Formador: Carlos Varandas Nunes Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Apresentação Carlos Varandas Nunes 46 anos Mestre em Gestão- Administração Pública Organização da Formação Dúvidas que me fizeram

Leia mais

TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI

TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI Ficha n.º 4 TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Trabalhador-Estudante Trabalhador que frequenta qualquer nível de educação escolar, bem como curso de pós-graduação, mestrado ou doutoramento

Leia mais

NOTA INFORMATIVA. ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações

NOTA INFORMATIVA. ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações NOTA INFORMATIVA ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações Considerando o disposto na Lei n.º 83-C/2013, de 31 de dezembro, diploma que aprova o Orçamento de Estado para 2014, cumpre

Leia mais

CONTABILIZAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO

CONTABILIZAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO CONTABILIZAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO DEFINIÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO A Folha de Pagamento representa as obrigações do empregador com seus empregados, como salários, gratificações, comissões, etc., assim

Leia mais

TRABALHADOR-ESTUDANTE

TRABALHADOR-ESTUDANTE Direito do Trabalho Aspectos práticos com interesse para as Empresas de Contabilidade 18 de Abril de 2005 Albano Santos Advogado TRABALHADOR-ESTUDANTE Dispensas para frequência de aulas (Artº 149º RCT):

Leia mais

informação nº 95.v2 Data 1 de Setembro de 2010 actualizada a 5 de Julho de 2013 Assunto: Direito a férias Laboral Tema:

informação nº 95.v2 Data 1 de Setembro de 2010 actualizada a 5 de Julho de 2013 Assunto: Direito a férias Laboral Tema: Data 1 de Setembro de 2010 actualizada a 5 de Julho de 2013 Assunto: Direito a férias Tema: Laboral O tema «Férias» suscita sempre muitas dúvidas e questões aos nossos associados. Por isso procuramos reunir

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 S Sumário Introdução, 1 1 Folha de Pagamento, 7 1 Salário, 8 1.1 Salário-hora para 40 horas semanais: divisor 200 (duzentos), 9 1.2 Depósito de salários em conta bancária, 9 2 Horas extras, 10 2.1 Integração

Leia mais

REGULAMENTO DO HORÁRIO DE TRABAHO DO PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE S. SEBASTIÃO

REGULAMENTO DO HORÁRIO DE TRABAHO DO PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE S. SEBASTIÃO Regulamento do Horário de Trabalho do Pessoal da Junta de Freguesia de S. Sebastião Artigo 1º Âmbito de aplicação O horário de trabalho do pessoal da Junta de Freguesia de S. Sebastião (Setúbal), qualquer

Leia mais

Aquisição. Férias dos Funcionários: O que Pode e não Pode. Este conteúdo faz parte da série: Folha de Pagamento Ver 10 posts dessa série

Aquisição. Férias dos Funcionários: O que Pode e não Pode. Este conteúdo faz parte da série: Folha de Pagamento Ver 10 posts dessa série Este conteúdo faz parte da série: Folha de Pagamento Ver 10 posts dessa série As férias dos funcionários é um dos temas mais corriqueiros do mundo do trabalho, mas também dos mais complexos. Tentaremos

Leia mais

REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS

REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS DESPACHO Nº 5503/2015 Divisão de Recursos Humanos Modalidades de Horário - pág. 3 o Horário Flexível pág. 4 o Horário Rígido pág. 7 o Horário Desfasado pág. 8

Leia mais

FÉRIAS COLETIVAS Fracionamento, Abono Pecuniário, Regime de Tempo Parcial, Procedimentos

FÉRIAS COLETIVAS Fracionamento, Abono Pecuniário, Regime de Tempo Parcial, Procedimentos FÉRIAS COLETIVAS Fracionamento, Abono Pecuniário, Regime de Tempo Parcial, Procedimentos ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 2. FRACIONAMENTO E PERÍODOS MÍNIMO E MÁXIMO 3. MENORES DE 18 E MAIORES DE 50 ANOS 4. MEMBROS

Leia mais

AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. (introduzidas pela Lei nº 23/2012, de 25 de Junho)

AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. (introduzidas pela Lei nº 23/2012, de 25 de Junho) AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO (introduzidas pela Lei nº 23/2012, de 25 de Junho) INTRODUÇÃO Face à relevância prática das alterações introduzidas ao Direito do Trabalho pela Lei nº 23/2012,

Leia mais

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9 ÍNDICE NOTA PRÉVIA.............. 5 ABREVIATURAS 9.' 1.0 Direito do Trabalho: o quê, porquê e para quê?................... 11 2. Noção, objecto e características gerais do Direito do Trabalho....... 21

Leia mais

25 de Junho 2012 Direito do Trabalho

25 de Junho 2012 Direito do Trabalho TERCEIRA REVISÃO DO CÓDIGO DE TRABALHO A revisão ora em análise, publicada hoje, surge no âmbito do Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica de Maio de 2011 (doravante

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE ÍNDICE INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO... 014 Assédio moral no trabalho...

Leia mais

REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS TRABALHADORES TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS QUE PRESTAM SERVIÇO NO IST. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1.

REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS TRABALHADORES TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS QUE PRESTAM SERVIÇO NO IST. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1. REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS TRABALHADORES TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS QUE PRESTAM SERVIÇO NO IST Nos termos das competências que lhe são reconhecidas pelo disposto no n.º 5 do artigo 14º dos Estatutos

Leia mais

O que estudamos aula passada

O que estudamos aula passada O que estudamos aula passada Cessação, suspensão e interrupção dos contratos de trabalho Rescisão Contratual As formas de extinção do Contrato de Trabalho Pedido de demissão Dispensa sem justa causa Dispensa

Leia mais

VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR

VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR (Com subordinação trabalho dependente) Modalidades art.º 9º Nomeação âmbito (Inexistente nas autarquias locais) Contrato: - Âmbito (art.º 20º) e modalidades (art.º

Leia mais

Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março

Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março A legislação sobre o regime de trabalho do pessoal dos estabelecimentos hospitalares, que tem, em grande parte, carácter avulso, é, com frequência, diversamente interpretada,

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Férias. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Férias. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Férias Prof. Hermes Cramacon Férias art. 7º, XVII, CF. Conceito Período de descanso em que o empregado não presta serviços, mas possui o direito de receber a remuneração. Modalidade

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº /12/2000

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº /12/2000 ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº.2000 19/2000 de 20/12/2000 Nº de PAUTA 203.13 RECURSOS HUMANOS RECURSOS HUMANOS Assunto: Actividade Sindical Referência: Distribuição: Recursos Humanos Revogações: Enquadramento

Leia mais

Trabalhadores dependentes

Trabalhadores dependentes Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social - Principais alterações Trabalhadores dependentes Ana Duarte PwC Agenda 1. Base de incidência (novas componentes) 2. Taxas 3.

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Remuneração e salário. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Remuneração e salário. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Remuneração e salário Prof. Hermes Cramacon Remuneração Consiste na somatória da contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em pecúnia, seja em utilidades, com a quantia

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2014/ Janeiro / 28 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2014

Leia mais

Lei 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro.

Lei 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro. Lei 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro. A Lei 23/2012, de 25 de Junho, procede à terceira alteração ao Código

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE Artigo 1º O presente Regulamento aplica-se a todos os Refeitórios dos Serviços de Acção Social

Leia mais

RELAÇÃO JURÍDICA CONTRIBUTIVA

RELAÇÃO JURÍDICA CONTRIBUTIVA Delimitação da base de incidência contributiva Despesasresultantes da utilização pessoal pelo Trabalhador, de viatura automóvel que gere encargos para a entidade empregadora, previsto em acordo escrito

Leia mais

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações ÍNDICE 01 Acórdão n.º 602/2013, de 20 de Setembro, do Tribunal Constitucional Consequências 02 Lei n.º 69/2013, de 30 de Agosto Compensações

Leia mais

Essa aula será moleza!!!!

Essa aula será moleza!!!! Jornada de Trabalho Essa aula será moleza!!!! Jornada de trabalho Jornada normal Prestação de serviço à disposição do empregador Com habitualidde 8 horas diárias ou 44 semanais Jornada de trabalho empresa

Leia mais

Pagamento do salário aos trabalhadores

Pagamento do salário aos trabalhadores Pagamento do salário aos trabalhadores A empresa tem pagar um salário ao trabalhador como contrapartida do trabalho prestado. Este salário é composto por prestações de vários tipos e o seu pagamento obedece

Leia mais

24/02/2015 GP II 1. Tópicos

24/02/2015 GP II 1. Tópicos Tópicos pg 1. Tipos de Contrato 2 2. Prazo Indeterminado 3 3. Prazo Determinado 4 4. Contrato de Experiência 5 5. Itens do Contrato de Trabalho 6 6. Remuneração 7 7. Descontos: INSS 9 8. Descontos: IRRF

Leia mais

EQUIPE DE PROFESSORES DE TRABALHO DO DAMÁSIO CURSO DE 2ª FASE DA OAB EXAME PLANO DE ESTUDO - DIREITO DO TRABALHO

EQUIPE DE PROFESSORES DE TRABALHO DO DAMÁSIO CURSO DE 2ª FASE DA OAB EXAME PLANO DE ESTUDO - DIREITO DO TRABALHO EQUIPE DE PROFESSORES DE TRABALHO DO DAMÁSIO CURSO DE 2ª FASE DA OAB EXAME 2011.2 PLANO DE ESTUDO - DIREITO DO TRABALHO 1ª SEMANA Princípios 1. Princípios norteadores do Direito do Trabalho: 1.1 Princípio

Leia mais

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO DE TRABALHO I. Enquadramento Geral A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas entrou em vigor no dia 1 de agosto de 2014. A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (adiante designada por LTFP) aprovada

Leia mais

Informação aos Associados nº 13.V3

Informação aos Associados nº 13.V3 Data 15 de setembro de 2006 atualizada em 22 de outubro de 2012 Assunto: Horário de Trabalho Tema: Laboral 1. Definição de Horário de Trabalho O horário de trabalho é o período de tempo durante o qual

Leia mais

Orientações Consultoria De Segmentos Licença Não Remunerada

Orientações Consultoria De Segmentos Licença Não Remunerada 11/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Solicitado pelo Empregado... 4 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES EM 2013 Tendo em atenção a necessidade de obtenção de melhores indicadores de gestão, que permitam

Leia mais

INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS. Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P.

INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS. Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P. BALANÇO SOCIAL 2004 INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P. Notas Explicativas do Balanço Social

Leia mais

Joana de Almeida Neves Advogada

Joana de Almeida Neves Advogada Adaptabilidade na Relação Laboral A Flexibilidade Temporal, os Horários Concentrados e os Bancos de Horas Joana de Almeida Neves Advogada PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO CÓDIGO DE TRABALHO INTERVENÇÃO DO LEGISLADOR

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. DATA: 2011/01/07 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2011 Face à Lei nº

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026019/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 12/05/2015 ÀS 09:44 FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS E TURISMO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS CLÁUSULAS JURÍDICAS E OUTRAS CONDIÇÕES GERAIS E ESPECIAIS A INCLUIR NO CONTRATO A CELEBRAR I GERAIS. Artigo 1.

CADERNO DE ENCARGOS CLÁUSULAS JURÍDICAS E OUTRAS CONDIÇÕES GERAIS E ESPECIAIS A INCLUIR NO CONTRATO A CELEBRAR I GERAIS. Artigo 1. CADERNO DE ENCARGOS CLÁUSULAS JURÍDICAS E OUTRAS CONDIÇÕES GERAIS E ESPECIAIS A INCLUIR NO CONTRATO A CELEBRAR I GERAIS Artigo 1.º Objeto do direito de exploração 1. O direito de exploração tem como objeto

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO SISTEMA DE REGISTO DA ASSIDUIDADE NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

NORMAS TÉCNICAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO SISTEMA DE REGISTO DA ASSIDUIDADE NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO NORMAS TÉCNICAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DO SISTEMA DE REGISTO DA ASSIDUIDADE NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Julho/2016 ÍNDICE Pág. 1. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 3 2. REGIMES DE TEMPO... 3 2.1. TRABALHO A TEMPO COMPLETO...

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO. Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST

JORNADA DE TRABALHO. Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST JORNADA DE TRABALHO Tempo efetivamente Trabalhado; Tempo à disposição do empregador Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST Conceito Jornada é o lapso de tempo durante o qual o empregado

Leia mais

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0 Página 0 Regime de Faltas e Licenças e seus Efeitos Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (LTFP) Todas as ausências ao serviço têm que ser obrigatoriamente comunicadas ao superior hierárquico, com antecedência,

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina DIR371 Direito do Trabalho II

Programa Analítico de Disciplina DIR371 Direito do Trabalho II 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 3 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 3 0 3

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA LEI Nº , DE 13 DE JULHO DE 2017

REFORMA TRABALHISTA LEI Nº , DE 13 DE JULHO DE 2017 REFORMA TRABALHISTA LEI Nº 13.467, DE 13 DE JULHO DE 2017 André Luís Saraiva Vice-Presidente de Relações do Trabalho e Sindical 1 As Relações do trabalho são reconhecidamente diferenciais para o crescimento,

Leia mais

Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001

Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001 Nº. Pauta 202.16 RECURSOS HUMANOS Assunto: ESCALAS DE SERVIÇO Referência: Distribuição: todas as unidades de estrutura Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001 Entrada em vigor: 15/06/2005

Leia mais

Código do Trabalho e Acórdão do Tribunal Constitucional

Código do Trabalho e Acórdão do Tribunal Constitucional Código do Trabalho e Acórdão do Tribunal Constitucional O Acórdão do Tribunal Constitucional nº 602/2013, de 20 de Setembro considerou inconstitucionais, com força obrigatória geral e com efeitos reportados

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Encerramento nas pontes, majorações, banco de horas

Encerramento nas pontes, majorações, banco de horas Saudade e Silva - Serviços de Contabilidade, Lda. Alterações ao Código do Trabalho - Lei nº 23/2012, de 25 de Junho Encerramento nas pontes, majorações, banco de horas Conheça as dez alterações que o código

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: (curso/habilitação) Ciências Contábeis Disciplina: Cálculos Trabalhistas Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo / Turno: 4º Semestre Professores:

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO MÓDULO II Matutino Prof. André Luiz Paes de Almeida Aula: 3

DIREITO DO TRABALHO MÓDULO II Matutino Prof. André Luiz Paes de Almeida Aula: 3 TEMA DE AULA DIREITO DO TRABALHO 1. 13º SALÁRIO - Lei 4.090/62 e art. 7 VIII, CF. - O 13º sala rio deve ser pago em até 2 parcelas: 1ª de fevereiro à novembro. 2ª até 20 de dezembro. - O 13º salário deve

Leia mais

PES/Subsídio de turno. Férias.

PES/Subsídio de turno. Férias. Informação n.º ID 1487852 Proc. n.º 2013.09.11.3965 Data 2013.11.20 Assunto PES/Subsídio de turno. Férias. Pelo Exº Senhor Presidente da Câmara Municipal foi solicitado parecer acerca do pagamento de subsídio

Leia mais

Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017

Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017 Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A partir de 1 de janeiro de 2017, por força da entrada em vigor do Orçamento do Estado para o ano de 2017, aprovado pela

Leia mais

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11)

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11) NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11) CUSTÓDIO NOGUEIRA Advogado militante especializado em Direito Civil e Processo Civil; Sócio da Tardem e Nogueira Assessoria

Leia mais

NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Em virtude de algumas dúvidas suscitadas pelos associados do SPLIU presta-se o seguinte esclarecimento: 1. O ECD prevê, para efeitos

Leia mais

CÓDIGO DO TRABALHO (Após a revisão) - Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho

CÓDIGO DO TRABALHO (Após a revisão) - Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho CÓDIGO DO TRABALHO (Após a revisão) - Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho CAPÍTULO I Fontes do direito do trabalho Artigo 1.º - Fontes

Leia mais

A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. A extinção do vínculo de emprego público

A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. A extinção do vínculo de emprego público A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas A extinção do vínculo de emprego público Lisboa e Porto, Outubro e Novembro de 2015 Extinção do vínculo 2 A cessação na TFP LTFP Caducidade Art.º 291.º Caducidade

Leia mais

A falta do trabalhador ao serviço enseja o desconto do dia respectivo em sua remuneração, salvo se a falta for considerada justificada.

A falta do trabalhador ao serviço enseja o desconto do dia respectivo em sua remuneração, salvo se a falta for considerada justificada. As faltas não justificadas por lei não dão direito a salários e demais conseqüências legais, e podem resultar em falta leve ou grave, conforme as circunstâncias ou repetição; mas podem ter justificativa

Leia mais

CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº Código do Trabalho

CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº Código do Trabalho CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Código do Trabalho (2009) Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática, Lda. É expressamente proibido

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 4 de Setembro de 2012

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 4 de Setembro de 2012 ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 4 de Setembro de 2012 1. INTRODUÇÃO Foi publicada no Diário da República em 25 de Junho de 2012 a Lei n.º 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II. Profa. Graciane Saliba

DIREITO DO TRABALHO II. Profa. Graciane Saliba DIREITO DO TRABALHO II Profa. Graciane Saliba - Apresentação do site - Apresentação do plano de ensino e temas que serão tratados - Horários de aula - Trabalhos em sala e em equipe - Ausência e chamadas

Leia mais

MÓDULO 2. Organização dos Serviços de Higiene e Saúde no Trabalho. Formadora - Magda Sousa

MÓDULO 2. Organização dos Serviços de Higiene e Saúde no Trabalho. Formadora - Magda Sousa Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local MÓDULO 2 Organização dos Serviços de Higiene e Saúde no Trabalho Formadora - Magda Sousa INTRODUÇÃO Se na empresa ou estabelecimento não houver

Leia mais

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local REGIME DAS FALTAS E LICENÇAS E SEUS EFEITOS Lei da Parentalidade - Decreto-Lei de 9 de Abril e Código do Trabalho (CT) Trabalhadora grávida Pelo tempo e número de vezes necessárias Prova ou declaração

Leia mais

A hora noturna não atende aos padrões temporais convencionados. A hora noturna não corresponde a 60 minutos, mas sim a 52 minutos e 30 segundos.

A hora noturna não atende aos padrões temporais convencionados. A hora noturna não corresponde a 60 minutos, mas sim a 52 minutos e 30 segundos. 1 Aula 04 1 Duração do trabalho 1.1 Repouso O legislador ordinário, buscando, dentre outros objetivos, preservar a saúde do empregado, previu regras atinentes ao repouso durante a jornada, bem como entre

Leia mais

Jornada de trabalho LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA

Jornada de trabalho LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA Jornada de trabalho 1 A jornada de trabalho normal será o espaço de tempo durante o qual o empregado deverá prestar serviço ou permanecer à disposição do empregador, com habitualidade, executadas as horas

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço

Confira a autenticidade no endereço ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2017/2018 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG003424/2017 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/08/2017 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR045925/2017 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004125/2017-81 DATA DO

Leia mais

Categorias econômicas e profissionais Cipa e ss. Citação Citação (para pagamento) Citação (por edital)...

Categorias econômicas e profissionais Cipa e ss. Citação Citação (para pagamento) Citação (por edital)... ÍNDICE SISTEMÁTICO Tema Artigo(s) Abono... 457 2 o Ação de cumprimento... 872 único Acidente do trabalho... 30 e 643 2 o Adicional noturno... 73 Adoção... 392-a Agravo de instrumento... 897, b Agravo de

Leia mais

O IRS no Orçamento do Estado para Audit Tax Advisory Consulting

O IRS no Orçamento do Estado para Audit Tax Advisory Consulting Audit Tax Advisory Consulting Tributação "Subsídio de Refeição" Tributado na parte que exceder em 50% o limite legal ou 70% se for atribuído através de vales de refeição Tributado na parte que exceder

Leia mais

Teorias. Tempo efetivamente trabalhado. Tempo à disposição do empregador (art. 4º CLT) Tempo in itinere (art. 58 CLT e Súm.

Teorias. Tempo efetivamente trabalhado. Tempo à disposição do empregador (art. 4º CLT) Tempo in itinere (art. 58 CLT e Súm. DURAÇÃO DO TRABALHO Teorias Tempo efetivamente trabalhado Tempo à disposição do empregador (art. 4º CLT) Tempo in itinere (art. 58 CLT e Súm. 90 TST) Geral Artigo 7º, XIII, CF/88 duração do trabalho normal

Leia mais

ÍNDICE REMISSIVO (Lei n 6.745, de 28 de dezembro de 1985)

ÍNDICE REMISSIVO (Lei n 6.745, de 28 de dezembro de 1985) ÍNDICE REMISSIVO (Lei n 6.745, de 28 de dezembro de 1985) AÇÃO DISCIPLINAR PRESCRIÇÃO 150, 151 ACESSO FIXAÇÃO VAGAS 53 CONCURSO 53, 55 INTERSTÍCIO 55 TREINAMENTO 57 REGULAMENTAÇÃO 58, 188 ACIDENTE EM SERVIÇO

Leia mais

Recibo de Pagamento. Del Pozo Transportes Rodoviarios Ltda Rua Otavio Palhano, Cx P CNPJ: / Competência: 05/2017

Recibo de Pagamento. Del Pozo Transportes Rodoviarios Ltda Rua Otavio Palhano, Cx P CNPJ: / Competência: 05/2017 Competência: 05/2017 00000000000000000000000000000000000000097073 FÉRIAS NORMAIS 30 1.952,00 0,00 1/3 S/ REMUNERAÇÃO DE FÉRIAS 0.33 781,66 0,00 MEDIAS S/ VARIAVEIS - FÉRIAS 30 392,98 0,00 INSS 11 0,00

Leia mais

1 Acordo, 1 Acordo de prorrogação da jornada de trabalho: hora extra, 2

1 Acordo, 1 Acordo de prorrogação da jornada de trabalho: hora extra, 2 SUMÁRIO Prefácio, xi 1 Acordo, 1 Acordo de prorrogação da jornada de trabalho: hora extra, 2 2 Acordo coletivo, 3 Acordo coletivo de trabalho, 4 Acordo de compensação de dias úteis intercalados durante

Leia mais

CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas. João Santos

CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas. João Santos CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas João Santos Enquadramento Legal Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social (CC) Aprovado pela Lei n.º 110/2009,

Leia mais

ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais

ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1 Objecto O presente Regulamento disciplina a atribuição de Bolsas

Leia mais

Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos

Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos www.fagnersandes.com.br Preparando você para o sucesso! Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos Regulamentado pela Lei Complementar n. 150/15, empregado doméstico é aquele que presta serviços

Leia mais

REGISTO DE ASSIDUIDADE - CÓDIGO DE FALTAS

REGISTO DE ASSIDUIDADE - CÓDIGO DE FALTAS REGISTO DE ASSIDUIDADE - CÓDIGO DE S ORACLE / 4 FALECIMENTO DE FAMILIAR + 5 INJUSTIFICADAS + 6 GREVE + 9 POR ISOLAMENTO PROFILÁTICO + 10 EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE SINDICAL + 11 ASSISTÊNCIA NA TUBERCULOSE

Leia mais

Curso de 13 Salário. Capacitação e Treinamento

Curso de 13 Salário. Capacitação e Treinamento Curso de 13 Salário Capacitação e Treinamento Conteúdo 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO... 3 1.1. Contagem de Avos... 3 1.2. Primeira Parcela Pagamento até 30/11... 3 1.3. Empregados não disponíveis durantes

Leia mais

Tabela Salarial / I Director Geral 1.822,00 II Director de Serviços 1.522,00 III Director Adjunto 1.216,00

Tabela Salarial / I Director Geral 1.822,00 II Director de Serviços 1.522,00 III Director Adjunto 1.216,00 Após processo de conciliação que decorreu no Ministério do Trabalho, foram concluídas as negociações do acordo de revisão do CCT para a Indústria de Carnes, para o ano 2009, do qual resultou a Tabela Salarial

Leia mais

Caderno de Exercícios - Departamento Pessoal - Aluno

Caderno de Exercícios - Departamento Pessoal - Aluno 1. O empregado na função de pizzaiolo foi contratado a tempo parcial com jornada de trabalho de 24 horas semanais. Os empregados na mesma função, com jornada normal de 220 horas, ganhavam o piso salarial

Leia mais

REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS

REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS 1 Conceito Salário complessivo corresponde aos pagamentos efetuados diretamente pelo empregador em favor do empregado, em virtude da vigência do contrato de trabalho, bem

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO. As IPSS e o normativo laboral aplicável

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO. As IPSS e o normativo laboral aplicável As IPSS e o normativo laboral aplicável Centro Local da Beira Alta junho 2016 Normativo jurídico-laboral essencial aplicável Código do Trabalho Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro Lei n.º 23/2012, de 25

Leia mais

Aprova modelos de Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho e implanta o Sistema Homolognet.

Aprova modelos de Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho e implanta o Sistema Homolognet. PORTARIA n.º 1.474, de 29 de JUNHO de 2010 Aprova modelos de Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho e implanta o Sistema Homolognet. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Remuneração 1. Sobre o salário utilidade, assinale a afirmação

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ANEXOS DOCUMENTAIS

PRESTAÇÃO DE CONTAS ANEXOS DOCUMENTAIS PRESTAÇÃO DE CONTAS ANEXOS DOCUMENTAIS ANEXOS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTAL 3 Mapa Controlo Orçamental da Despesa por Classificação Económica 4 Mapa Controlo Orçamental da Despesa por Classificação Orgânica 6

Leia mais

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte:

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte: Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO GESTÃO RECURSOS HUMANOS A autarquia refere o seguinte: QUESTÃO Dispõe o artigo 28.º n.º 2 da Lei 66-B/2012, de 31 de Dezembro (Orçamento de Estado

Leia mais

Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais

Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) 99112-3636 - netobv@hotmail.com Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais 1 As Férias é um direito do empregado e indisponível; As férias

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Posicionamento Consultoria De Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 11/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 4 5. Informações

Leia mais

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000.

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000. ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 01/2004 de 20/02/2004 Assunto: Férias Distribuição: Todas as Unidades de Estrutura Revogações: Orientação Normativa 1/2000 Enquadramento Convencional e Legal: Capítulo X do AE/REFER,

Leia mais