MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV"

Transcrição

1 BIBLIOTECA DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV Bibliotecária Luzia Ribeiro 2010

2 Juarez Moraes Ramos Júnior Diretor Geral Luiz Cláudio Pereira Gerente Acadêmico Luzia Ribeiro Bibliotecária VILA VELHA

3 SUMÁRIO 1 Apresentação Atribuições Bibliotecária Auxiliar Administrativo Processos Desenvolvimento e Manutenção do Acervo Seleção e Compra Tratamento Técnico Preparo para Empréstimo Periódicos Multimeios Teses, Dissertações e Monografias Descarte Preservação do Acervo Empréstimo de Livros Empréstimo Domiciliar Renovação Empréstimo para Fotocópia/Visitante Devolução Reserva Empréstimo e Devolução de Periódicos, Teses e Mapas Empréstimo de VHS e DVD s Identificação de Usuário em Atraso Nada Consta Reserva de Cabines De Vídeo

4 3.7.2 De Estudo Solicitação de Artigos de Periódicos Através do Comut Inventário Reposição de Livros nas Estantes Uso de Equipamentos e Instalações Devolução de Material Permanente Inservível Recepção de Material Novo Rotinas Administrativas Requisição Periódica de Material de Consumo Requisição De Vale Transporte Conduta Pessoal Rede sem Fio Normas para Utilização da Biblioteca FESVV

5 1. APR ES E NT AÇ Ã O Es t e m an u al pr et en d e or i en t ar aos f unc i on ár i os d a Bi bl i ot ec a Es t ác i o d e S á d e Vi l a V el h a ap r es ent an d o u m m od el o d e es tru tu r aç ã o d os pr oc es s os e xec ut ad os a p art ir d a d es c riç ã o d et al h ad a d os pr oc ed i m en t os e r oti n as inc lus os em s u a op er ac i on al i z aç ã o. INST RUÇÕ ES PA R A U SO M an t er o p r es en t e m an u al em l oc al d e f ác il ac es s o p a r a c ons ul t a p or p art e d e t od os os f u nc i on ár i os q u e d es en v ol v em ati vi d ad es li g ad as às r ot i n as aq ui d es c r it as. P od er ão oc orr er al t er aç ões, c om p os s í veis i nc l us ões e/ ou e xc l us ões d e p ar t es d es t e m an u al, a p art ir d a oc orr ênc i a d e f ut ur as mu d anç as es tr ut ur ais, n or m at i vas e/ ou pr oc es s os e pr oc ed i m ent os. 5

6 A Bi b li ot ec a U n i vers it ár i a d a F ac ul d ad e Es t ác i o d e S á d e V il a V el h a f oi c ri ad a em , c om o in íc i o d a pr óp ri a F ac u l d ad e, t en d o c om o ob j et i vo, r eu ni r b i bl i ogr af i a b ás ic a e c om pl em en t ar d e ap oi o à f or m aç ão ac ad êm i c a. O m an u al d e n orm as e pr oc ed im en t os A d mi nis tr at i vo d a Bi b li ot ec a Un i vers it ár i a, r e vis t a e at u al i z ad a, or ig i n ou -s e d a n ec es s i d ad e d e vi ab i l iz ar a el ab or aç ão d e u m ins tru m en t o g er en c i al q u e r et r at as s e a es tr ut ur a or g an i z ac i on al d a Bi b li ot ec a e s eu r es p ec t i vo f unc i on am en t o. A S eç ã o Pr oc es s os : id en t if ic a os pr i nc i p ais c on ju nt os d e pr oc ed i m en t os e r oti n as d e m es m a n at ur ez a, agr u p ad os s ob a f or m a d e PR O C E SSOS. A S eç ão N or m as : d es c r ev e as n or m as q u e or i en t am o f unc i on am en t o g er al d a Bi b li ot ec a U n i vers it ár i a. 2. AT R I B U IÇ Õ ES 2. 1 BI B LI OT EC Á R I A a) C oor d en ar as at i vi d ad es ad m in is t r ati v as r ef er en t es à p es s oal, m at er i al d e c ons u m o, m an u t enç ão; b) E xec u t ar e s u p er vis i on ar as at i vi d ad es d e: s el eç ão e aq u is iç ão, tr at am en t o t éc nic o d e m at eri al b i bl i ogr áf ic o, r ot in as d e em p r és ti m os / d ev ol uç ões e ou tr os ; c) Pr ep ar ar b ib l i ot ec a p ar a a val i aç ão d o M EC ; d) El ab or ar r el at óri os r el at i v os a o f u nc i on am en t o d a BU Bi bl i ot ec a U ni v ers i t ári a; e) C oor d en ar o f u nc i on am en t o d o S IB Sis t em a Inf or m at i z ad o d e Bi bl i ot ec as ; f) Mi n is tr ar c urs os d e tr ei n am en t os a os us u ár i os ; g) At en d er a os us u ár i os (s er viç os d e r ef er ênc i a); h) C oor d en ar e s up er vi s i on ar at i vi d ad es d os au xi li ar es d e bi b li ot ec a e es t ag i ári os ; i) Z el ar p el a c ons er v aç ão d e m at er i ais, eq u ip a m en t os e ins t al aç õ es d o órg ã o; j) At en di m en t o d e s ol ic i t aç õ es atr a v és d o CO MU T ; 6

7 k) Ac es s o à B as e d e D ad os N ac i on ais e I nt er n ac i on ai s ; l) C ontr ol ar e r em et er a o R ec urs os H u m an os a f r eqü ênc i a d os f unc i on ár i os l ot ad os n a B ib li ot ec a, b em c om o ou tr os d oc u m en t os r ef er en t es a l ic enç as p ar a t r at am en t o d e s aú d e; m) M an t er at u ali z ad o o c ad as tr o d e i nf or m aç ões d os f u nc i on ár i os d a bi bl i ot ec a; n) M an t er c on tr ol e d e m at er i al p er m an en t e (i n v en t ári o) ; o) C ontr ol e d e s et or d e p er i ód ic os A UX IL I AR A DM I NIST R AT I V O a) R ec ep c i on ar e at en d er c om c or t es i a a o pú b lic o; b) E x ec u t ar r ot i n a d e em p r és t i m os, d ev ol uç ões e r e n ov aç ões ; c ) A u xi li ar aos us u ári os n a p es q uis a a os c at ál og os e s is t em a SI B; d) C on tr ol ar ac es s o aos t er mi n ais d e p es q uis a; e) R ep os iç ã o e or g an i z aç ã o d as es t ant es ; f ) Au xi l i ar n o tr at am en t o t éc n ic o e in v en t ári o; g) E x ec u t ar r ot i n as ad mi n is tr at i vas d o s et or. 3. PR O C ES S OS 3. 1 DES E NV O LV IM ENT O E M A N UT E NÇ Ã O D O AC ER VO Se l eç ã o e co m pra ( liv r o s, V h s, Dv d s, ma p as, et c.) Ati vi d ad es p ert i n ent es à s el eç ão, aq uis iç ão d o m at er i al a s er ad q ui ri d o atr a vés d e c om p r as, d o aç ão ou p erm u t a, d e ac or d o c om a p olí tic a g er al d e d es en v ol vi m en t o d as c ol eç ões : a) R ec eb er s u g es t ões d e m at er i al b i bl i ogr áf ic o e ou tr os ; b) S el ec i on ar, em t er m os q u an ti t ati v os / q u ali t at i vo s e d e pr i ori d ad es, as s ug es t õ es r ec eb i d as d os us u ár i os, c om b as e n a p olí tic a g er al d e d es en v ol vi m en t o d e c ol eç ões ; 7

8 c) C ons u lt ar o ac er v o d a bi bl i ot ec a a exi s t ênc i a, em q u an ti d ad e ou n ão, d o m at er i al bi bl i og r áf i c o s ol ic i t ad o; d) C ot ar m at eri ais i n e xis t ent es ou em n ú m er os i ns uf ic i en t e; e) Enc am i n h ar as c ot aç õ es e p ed i d os à d ir eç ão g er al/ ac ad êm ic a p ar a an ál is e d as p r op os t as ; f) R ec eb er c onf eri r e arq u i var c ópi as d e n ot as f is c ais e d e p ed id os d as ob r as r ec eb i d as T r at a me nt o T é cn i co (c l as si fi ca ç ão e ca ta lo g a çã o) Ati vi d ad e d e tr at am en t o d o m at eri al bi b li og r áf ic o e d oc u m en t al e pr ep ar o d o li vr o p ar a o em p r és t i m o. a) R ec eb er o m at eri al ; b) C ar i mb ar o m at er i al; c) F az er p l an il h a an ot an d o a qu an t id ad e ad q ui ri d a; d) V er if ic ar n o SI B (S is t em a d e B i bl i ot ec as ) s e a p ub l ic aç ão exi s t e n a R ed e; 1)C a so e xi st a: a) An ot ar o c ód ig o d a ob r a; b) Ir em m an u t enç ã o e i nc l ui r r eg is t r os ( p el o S IB ); c) An ot ar os r eg is tr os n a pl an i l h a e d ep ois n os e xem p l ar es ; d) En vi ar m at eri al p ar a pr ep ar o d e em p r és ti m os. 2)C a so n ão e x is ta o tí tu lo: a) Bus c ar n a b as e d e d ad os S IB d a Es t ác i o d e S á a c l a s s if ic aç ão e in d e xaç ã o a f i m d e d et er m in ar p ad r õ es c om vis t as à un if or m i z aç ã o; b) V er if ic ar s e h á n ec es s id ad e d e i nc l us ão d e au t or, edi t or a, d es c r it or, tr ad u t or ou d e es p er a p el a c l as s if ic aç ã o e in d e xaç ão p el o R i o; c) Inc lu ir n o vo li vr o ; d) An ot ar n a p l an il h a o c ód i g o d ad o à ob r a; e) Es p er ar h om ol og aç ão q u e s er á f eit o p el o b ib l i ot ec ár i o; f) Ir em M an u t enç ã o e i nc l ui r r eg is t r os ( p el o S IB ); g) An ot ar os r eg is tr os n a pl an i l h a e d ep ois n os e xem p l ar es ; h) En vi ar m at eri al p ar a pr ep ar o d e em p r és ti m os. 8

9 Pr ep ar o par a e m pré st i mo s a) C onf ec ç ão d e eti q u et as s eg ui n d o o p ad r ão d e al tur a p ar a c ol ag em ; b) An ot aç ão d a c l as s if ic aç ã o n o vers o d a f ol h a d e r os t o d o l i vr o; c) C ol ar p ael et a d e em p r és t i m os n a ú lt i m a f olh a d o li vr o; d) En vi ar m at eri al p ar a es t an t e n a ord em d a C D D Per i ód ic o s Int er câ m bi o e do a çõ e s a) O rg an i z ar e m an t er atu al i z ad o o pl an o d e p er m ut a d as pu b lic aç ões p er i ódic as ed i t ad as p el a F ac ul d ad e; b) O rg an i z ar e m ant er at u al i z ad o os ar q ui v os d e en ti d ad es e p es s oas f ís ic as, p ar a r em es s a d as pu b lic aç ões FE SV V; c) C onf er ir e an ot ar a q u an ti d ad e d e e x em p l ar es r ec eb i d os ; d) Pr een c h er o f or mu l ár i o C om u n ic aç ã o d a S eç ão d e I nt erc âm b i o e s olic it ar p er mu t a ou p u bl ic aç õ es edi t ad as p el as i ns t it uiç ões qu e ai n d a n ão en vi am m at er i al p a r a a bi bl i ot ec a; e) Im pr i mi r as et i qu et as c ons t ant es n o B anc o d e D ad os d e In t erc âm bi o, em p ac ot ar, et i qu et ar e en c am in h ar às ent id ad es c ad as tr ad as, vi a A p oi o Ad m i nis t r ati v o; Con tro le d e a s sin at ur a e r e nov aç ã o a) Im pr i mi r r el at ór i o d e r en ov aç ões t od o m ês ; b) Lis t ar p ed id os d e n ov as as s i n at ur as ; c) Li g ar p ar a as r e vis t as s olic it an d o r en o vaç õ es e/ ou as s in at ur a; d) En vi ar p ar a o s et or f i n anc eir o os b ol et os a s er em p ag os ou d ep ós i t os a s er em ef et u ad os p ar a as r en o v aç ões e/ ou as s i n atu r as ; e) S olic it ar a o f i n anc ei r o c om pr o van t e d e d ep ós i t o e p as s ar f ax p ar a o p eri ód ic o s ol ic i t an d o r ec i b o; f) M an t er r eg is t r os atu al i z ad os d as c ol eç õ es d e p er i ód ic os e c ad as tr ar os n ov os ; g) Im pr i mi r m ens al m en t e r el at ór i o d e p er i ód ic os atr as ad os ; h) C obr ar as f al h as n a c ol eç ã o d e p er i ód ic os l ig an d o p ar a os r es p on s áv eis ; 9

10 i) An ot ar n o r eg is t r o d e c ad a p er i ód ic o o m ot i vo d a f al h a n a c ol eç ão; j) D es c art ar p er i ód ic os n ão p er t in en t es à c ol eç ão. M ostru ár i o d e Per ió di co s a) R ec eb er o p er i ód ic o; b) Atr ib u ir n o vo n ú m er o, s eqü en c i al, às n o vas as s i n at ur a s ; c) R egis t r ar o p eri ód ic o n a p l a ni l h a e n a b as e d e d ad os SIB ; d) Eti q u et ar; e) R ec ol h er o n ú m er o an t er i or d o p er i ód ic o qu e es t av a n o m os tr u ári o e s u bs t it ui r p el o at u al ; f) C ol oc ar o p er i ód ic o n o m os tr u ári o em or d em n u m éric a d e as s i n atu r a; g) En vi ar o p er i ód ic o qu e f oi r et ir ad o p ar a as c ai x as n a es t a nt e ( em or d em n u m ér ic a) ; h) S e f or j or n al, r et ir ar d a c ai x a o d o 7º d i a p as s ad o e d es c ar t ar; i) C onf er ir d i ari am en t e s e o m os tr u ári o es t á c om p l et o; j) M an t er p eri ód ic os c i ent íf ic os d os ú lt im os tr ês an os ; k) D es c art ar p eri ód ic os c i en tíf ic os i nf or m at i vos ( V ej a, É p oc a, Is t o é) m an t er c ol eç ã o d o an o an t er i or M ulti m ei os a) O rg an i z ar e m an t er at u al i z ad os os c at ál og os d e m at eri ais c art og r áf ic os e áu d i o - vis u al ; b) R ec eb er m at er i al ; c) C ad as tr ar n a b as e d e d ad os c orr es p on d en t e; d) Eti q u et ar; e) En vi ar p ar a es t ant e/ m ap ot ec a. 10

11 T es e s/ D i ss er t a çõ e s e M on ogr af i as a) R ec eb er as t es es e m on og r af i as d as c oor d en aç ões d e c urs os ; b) C ol oc ar o c ar i m b o d a b ib l i ot ec a; c) F az er p l an il h as ; d) En vi ar r el aç ão d e au t or e d es c r it or p ar a s er em i ns er i d as ; e) Ins eri r a ob r a n a b as e d o SIB ; f) Es p er ar h om ol og aç ão f ei t a p el a B i bl i ot ec ár i a; g) Ir em m an u t enç ã o e i nc l ui r r eg is t r os ( p el o S IB ); h) Pr ep ar ar p ar a o em p r és ti m o ( eti q u et ar) ; i) En vi ar p ar a a es t an t e D e s ca r t e E xec u t ar o d es c art e d o m at er i al b ib l i ogr áf ic o, c om b as e n as di r etri z es es t ab el ec id as n a p ol ít ic a d e d es en v ol vi m en t o d e c ol eç õ es, ob ed ec en d o à l eg is l aç ã o em vi g or PRE SER V AÇ Ã O D O AC ERV O a) Pr o vi d enc i ar a r ec up er aç ão d e d oc u m en t os m u ti l ad os e/ ou d an if ic ad os um a v ez p or s em es tr e; b) Enc ad er n ar o m at eri al b i bl i ogr áf ic o d e ac ord o c om as pr i ori d ad es ; c) Es t ab el ec er p ad r ões d e enc ad er n aç ão p ar a v ári os tip os d e m at er i al b ib li og r áf ic o, d e ac or d o c om as n or m as d a A BNT ; 11

12 3. 3 EM PR ÉST IM OS DE L IVR O S E mpr é sti m o Do mi ci li ar d e Pub li c aç õ es a) S olic it ar d oc u m ent o c om f ot o r ec en t e a o us u ár i o (f u nc i on ár i o, pr of es s or ou al un o) ; b) D i gi t ar o n ú m er o d a m atr íc u l a d o us u ár i o (c onf eri r o n om e q u e ap ar ec e n a t el a) ; c) D i gi t ar o n ú m er o d o r eg is t r o d a pu b lic aç ão (c onf er ir o tít ul o q u e ap ar ec e n a t el a) ; d) S el ec i on ar a tr an s aç ã o s e c ons ul t a ou em pr és t i m o; e) S e f or c ons ul t a avi s ar ao us u ár i o q u e a d e vol uç ã o d ev e s er f eit a n o m es m o d i a; f) C ar i mb ar a p ap el et a d o l i vr o d e ac or d o c om a t r ans aç ão; g) S olic it ar a as s in at u r a d o us u ári o n o c om pr o v an t e d e em p r és ti m o; h) En tr eg ar s eg un d a vi a a o us u ári o e ar q ui v ar a p ri m ei r a. N ot a: O s i s t em a v er i f i c a o l i m i t e d a c ot a d o u s u á r i o e s e o m es m o en c on t r a - s e em d é b i t o c om a b i b l i ot ec a R e nov aç ã o da Pub li ca ç ão a) S olic it ar d oc u m en t o c om f ot o ao us u ári o; b) S olic it ar o l i vr o (s e h ou v er r es er v a n ão t em c om o r en o var ); c) D i gi t ar o n ú m er o d o r eg is t r o d a pu b lic aç ão (c onf er i r o tít ul o q u e ap ar ec e n a t el a) ; d) C ar i mb ar a p ap el et a d o li vr o c om d e v ol uç ão e n ov a d at a d o em p r és ti m o; e) S olic it ar a as s in at u r a d o us u ári o n o c om pr o v an t e d e em p r és ti m o; f) En tr eg ar s eg un d a vi a a o us u ári o e en t r eg ar a pr i m eir a. O B S : C as o h aja r es er v a p a r a o m es m o, an ot a r o n ú m ero d a m at r í c u l a d a r es er v a, n om e e a d at a l i m i t e p ar a r es er v a e a fi x ar n o l i v r o, s ep ar an d o - o em l oc al p r ó p r i o. 12

13 E mpr é sti m o par a F oto c óp ia /V is it ant e a) S olic it ar d oc u m en t o d e id en t if ic aç ã o ori g in al c om f ot o; b) D i gi t ar o C PF d o vi s i t ant e; c) D i gi t ar o nú m er o d e r eg is tr o d a pu b lic aç ão; d) Inf orm ar qu e a d e v ol uç ão d e v er á s er f eit a n o m es m o di a, n ão p od en d o o vi s i t ant e s air d as d ep en d ên c i as d a F ac ul d ad e c om o m at er i al em p r es t ad o; e) C ar i mb ar a d at a d e d e v ol uç ão n a p ap el et a pr óp ri a d o li vr o; f) S olic it ar a as s in at ur a d o vis it an t e n o f or mu l ári o d e em pr és ti m o; g) En tr eg ar s eg u nd a vi a a o us u ári o e g u ard ar a pr i m eir a j un t o a o d oc u m en t o apr es en t ad o q u e f ic a r eti d o at é a e ntr eg a d o m at er i al D ev olu ç ão d a Pu bl ic a ç ão a) R ec eb er a p u bl ic aç ã o d o us u ár i o; b) D i gi t ar o nú m er o d o r eg is tr o d a pu b lic aç ão; c) V er if ic ar s e a d ev ol uç ã o es t á n a d at a c orr et a; Ca so n ão e st e ja : a) C om un ic ar ao us u ár i o os di as d a p en al i d ad e(s us p ens ã o d o di r eit o d e em p r és ti m o/c ons u lt a d e m at er i ais ), s en d o d ois li vr os a vis ar s ob r e t erc ei r o atr as o; b) S olic it ar as s in at ur a d o us u ári o(s en d o o l i vr o d e ou t r a p es s oa p ed ir as s i n at ur a d e n om e l eg í vel ) ; c) En tr eg ar s eg un d a vi a a o us u ári o e ar q ui v ar a p ri m ei r a; d) C ar i mb ar a p ap el et a d e em p r és t im os ; e) G u ard ar p ar a r ep os iç ã o d as es t an t es. Dev o lu ç ão n a da ta c orr et a: i) En tr eg ar a s eg un d a vi a a o us u ári o e ar q ui v ar a pri m ei r a; j) C ar i mb ar a p ap el et a d o l i vr o; k) G u ard ar p ar a r ep os iç ã o d as es t an t es. 13

14 Ca so h aj a r e s er v a: a) S ep ar ar a p u bl ic aç ã o af i xan d o p ap el et a c om m atríc u l a d o al u n o qu e f ez a r es er va e s u a d at a l i mi t e p ar a em p r és t i m o R e s er v a a) S olic it ar d oc u m en t o c om f ot o ao us u ári o; b) Ef et u ar a r es er va; c) En tr eg ar c om pr o van t e d e r es er v a ao us u ár i o; d) C om un ic ar qu e a r es er va at en d i d a f ic ar á a es p er a d o us u ár i o p or 48 h or as R e s er v a On -L in e a) V er if ic ar n o e -m ai l d a bi b li ot ec a as r es er v as on - li n e t od os os di as ; b) S ep ar ar a ob r a e af i xar p ap el et a c om m atríc ul a, n om e e d at a li m it e d a r es er va ( o us u ári o t em 48 hs p ar a r et ir ar a r es er v a) EM PR ÉST IM OS E DE V OL U Ç Ã O D E PE R I Ó D IC OS / T ESES /M A PAS N ot a: o m at er i a l em p r es t ad o d e ve r á s e r d e v ol v i d o n o m es m o d i a d o em p r é s t i m o. a) At en d er a s ol ic it aç ã o d o us u ár i o m ed i an t e nú m er o d o c at ál og o; b) S olic it ar d oc u m en t o d e i d en tif ic aç ão c om f ot o (f ic ar á r et i d o n o c as o d e m ap as e o r eg is t r o e f eit o em c on tr ol e m an u a l); c) D i gi t ar n o s is t em a o n ú m er o d e r eg is tr o d o m at er i al ; d) S olic it ar a as s i n at ur a d o us u ári o n o c om pr o v an t e d e em p r és ti m o ou n o c ont r ol e m an u al ; e) Inf orm ar ao us u ári o q u e a d e v ol uç ão d o m at er i al d e ve s er f ei t a n o m es m o d i a. 14

15 3. 5 EM PR ÉST IM O DE V HS E DV D S N ot a: o em p r és ti m o d e vh s e d vd s s ó é p er mi ti d a aos d oc en t e s, s en d o s eu p r az o d e em p r és ti m o p or u m d i a. Doc e nt es a) At en d er a s ol ic it aç ã o d o us u ár i o m ed i an t e nú m er o d e c at ál og o; b) S olic it ar d oc u m en t o d e id en t if ic aç ã o; c) An ot ar n o c ont r ol e m an u al o r eg is tr o, n om e d o us u ári o, s u a m atr íc u l a, d at a d e em p r és ti m o e d e d e vol uç ã o; d) S olic it ar a as s in at ur a d o us u ár i o n o f or m u l ári o. Al un os e f unc i on ár i os a) At en d er s ol ic i t aç ã o d o us u ár i o m ed i an t e n ú m er o d e c a t ál og o; b) S olic it ar d oc u m ent o c om f ot o q u e f ic ar á r et i d o e nq u an t o o m at er i al es t i ver s en d o ut il i z ad o; c) A u ti li z aç ão d o m at er i al s ó p o d er á s er f eit a n a s al a d e ví d eo d a bi b li ot ec a; d) Inf orm ar ao us u ári o as n or m as d e ut il i z aç ã o I DE NT I FI C AÇ Ã O DE U S U ÁR I OS EM AT R AS O a) F az er c onf er ênc i a d o m o vi m en t o di ár i o (c onf er ênc i a d os p ap éi s d e em pr és t i m o); b) P ar a em pr és t i m os m an u ais v erif ic ar s e o m at er i a l es t á n a bi b li ot ec a, c as o n ã o t en h a s id o d ev ol vi d o t en t ar en tr ar em c on t at o c om o us u ár i o; c) O s alu n os s er ão inf or m ad os em s eu al u n o on -l in e atr a v és d e m ens ag em a n ec es s i d ad e d e d ev ol uç ão d o m at er i al. 15

16 N a d a C on st a a) V erif ic ar n o r el at ór i o d e em p r és ti m os d o SI B e n o c on tr ol e m an u al d e m at er i al s e e xis t e al g um m at er i al em pr es t ad o p ar a o al u n o; b) S e h ou ver d éb it o es t e d ev er á s er qu it ad o p ri m ei r am en t e. Al un os d e ved or es q u e v ã o r eq u er er d i pl om a, s ol ic i t ar tr ans f er ên c i a ou tr anc am en t o d ev e r ão qu it ar o d éb it o c om a bi b li ot ec a, p ois s er á e xi gi d o n a s ec r et ar i a o n ad a c ons t a d a bi b li ot ec a. O S et or d e R ec urs os H u m an os d e v er á s ol ic i t ar o N A D A C O N ST A d a b i bl i ot ec a d o f u nc i on ár i o/ pr of es s or, em ép oc a d e d em is s ão p ar a q u e o p atr i m ôn i o d a em p r es a n ão s ej a e xtr a vi ad o R ES ERV A S D E C A B I NE S D e V íd eo ( al un o s, fu nc io n ár i o e do c ent e s) a) R ec eb er d o al u n o s ol ic i t aç ã o d e r es er v a d e h or ár i o p ar a as s is t ir as f it as d e ví d e o ( t em p o d e d ur aç ão d a f it a ou D VD d ev er á s er an ot ad o) ; b) S olic it ar a en t r eg a d e d oc u m en t o d e i d en tif ic aç ão d o al u n o; c) En tr eg ar aos al un os a c h a ve, o m at eri al e as f ol h as qu e s er ã o pr een c hi d as n o c as o d e h or as r ac ; D e E st ud o - ( al un os, fu nc io n ár i o e do c ent e s) a) R ec eb er d o alu n o s ol ic it aç ão d e r es er v a d e h or ár i o d e us o d as c ab i n es ( m áxi m o d u as h or as ); b) S olic it ar a en t r eg a d e d oc u m en t os d e i d en tif ic aç ão d o s alu n os ; c) En tr eg ar as c h a ves d a c ab i n e; d) R ec ol h er as c h a v es ao t ér mi n o d o t em p o, en tr eg ar os d oc u m en t os. 16

17 3. 8 S O L ICIT AÇ Ã O DE AR T IG O S D E PERI Ó D IC O S AT R A VÉ S D O COM UT a) R ec eb er a s olic it aç ão d e C om ut aç ão B ib l i ogr áf ic a d e P er i ód ic o; b) V er if ic ar n o C C N em q u al bi bl i ot ec a d o B r as il exis t e o p eri ód ic o. c) V er if ic ar n o t er m i n al o c ód i g o d o p ed id o e o r es p ec t i vo v al or ; d) S olic it ar o p ag am en t o d as d es p es as c om a s olic it aç ão d o art i g o; e) D i gi t ar o p ed id o; f) R ec eb er a f ot oc óp i a d o p er i ód ic o s ol ic it ad o; g) C om un ic ar ao us u ári o q u e o p er i ód ic o c h eg ou r eg is tr an d o es t e c om u nic ad o n o f or m ul ár i o C on tr ol e C om u n ic aç ã o d e c h eg ad a d e p ed id o d o CO M U T I NV E NT ÁR I O a) Ef et u ar a c ad a s em es tr e ou c onf or m e ag en d am en t o d a C ent r al de Bi b li ot ec as, o i n ven t ár i o d e l i vr os d an d o b ai xa n os r egis t r os d es ap ar ec id os e r eti r ar os qu e n ec es s it am d e r es t au r aç ão R E POS IÇ Ã O D E L IV R OS N A S E ST A NT E S a) R ec ol h er li vr os q u e f or am d e vol vi d os n o b alc ã o; b) C onf er ir a e xis t ênc i a d e c ari m b o d e d e v ol uç ão em c a d a l i vr o e s e es ti v er s em c ar i m b o ver if ic ar s e f oi d ad o b ai x a e c ar im b ar ; c) R ec ol h er li vr os d as m es as ; d) F az er r ep os iç ão d as es t an t es ob ed ec en d o a nu m er aç ão C D D. 17

18 4. US O DE E Q U I PAM E NT OS E I NST A L AÇ Õ ES a) C om p et e a os f unc i on ár i os z el ar p el a ec on om i a d e m at e r i al e c ons er v aç ã o d o p atr i m ôn i o; b) N ão s ã o p er m it id as pr át ic as c om erc i ais ( v en d a ou c om pr a d e ob j et os ) ou f in an c eir as ( em p r és ti m os, r if as, etc ) n as ins t al aç õ es d a b i bl i ot ec a, d ev en d o s eu s pr at ic ant es ent en d e - l as c om o at i vi d ad es d e n at ur ez a p art ic u l ar n ã o c o n di z en t e c om o am b i en t e d e t r ab al h o; c) O t el ef on e d e ver á s er ut i li z ad o i nt er n am en t e d e m an ei r a ob j et i va e pr of is s i on al, t en d o pri or i d ad e os as s un t os d e in t er es s e d a bi b li ot ec a; d) F az er us o ad eq u ad o d o c el ul ar n ão d ei xan d o d e at e nd er s u as f unç ões ; e) M an t er u m am b i en t e d e t r ab al h o tr an q üi l o e s au d áv el DEV O L UÇ Ã O D E M AT ER I A L PERM A N E NT E I N SE R VÍV EL a) F az er o l e v an t am en t o d o m at er i al p ar a d e v o luç ã o ou m an ut en ç ão a o P atr i m ôn i o ou CPD ; b) El ab or ar m em or an d o em 2( d u as ) vi as c om o l ev an t am en t o d o m at er i al, c ons t an d o a d es c r iç ão d e c ad a i t em e o r es p ec t i v o nú m er o d o c ad as t r o ( pl aq u et a) ; c) Enc am i n h ar a pri m ei r a vi a d o m em or an d o ao s et or r e s p ons áv el, p ar a q u e es t e m an d e r ec ol h er o m at eri al ; d) En tr eg ar, m ed i an t e r ec i b o, n a s eg u n d a vi a, o m at er i a l ao s et or r es p on s áv el ; e) Arq u i va a s eg un d a vi a d o m em or an d o, p ar a p os t er i or c onf er ênc i a, n a ép oc a d o r el at ór i o d e i n v en t ári o d os b en s m óv ei s, s u bs eq ü ent e. 18

19 4. 2 R EC E PÇ Ã O D E M AT ER I AL N O V O V er if ic ar s e o m at er i al p erm an en t e es t á em p erf ei t as c on diç õ es, t es t an d o- o, s e p os s í v el : a) C as o h aj a n ec es s id ad e d a pr es enç a d e i ns t al ad o r p ar a o m at er i al, o t es t e d e f unc i on am en t o d e v er á s er f ei t o n a pr es enç a d o m es m o; b) C as o apr es en t e d ef ei t o, j us t if ic ar a n ã o r ec epç ão, s ol ic it an d o pr ovi d ên c i as d es s e j u nt o à f i r m a f or n ec ed or a; c) As s in ar a r eq u is iç ão d e en t r eg a em du as vi as p ar a a Di vis ão d e P atri m ôn i o; d) Arq u i var a ou tr a vi a d a r eq uis iç ão R OT I N AS A DM I NI ST R AT IV A S R e qu is i çã o pe r i ód ic a d e m ate r i al d e co n su m o a) T od a s ext a-f eir a o p ed id o d e m at eri al d e v er á s er en vi ad o a o s et or r es p on s áv el e es s e p ed id o d ev er á s er g u ar d ad o p ar a c onf er ênc i a n a en tr eg a d o m es m o, q u e oc orr e t od a t er ç a-f ei r a R e qu is i çã o de v a le -tr an s port e a) En tr eg ar at é o d i a 1 5 d e c ad a m ês, n o s et or f in anc ei r o, a es c al a d e qu e vai tr ab al h ar a os s áb ad os p ar a r ec eb im en t o d e v al e-t r ans p ort e e xt r a C O N D U T A PE SS O AL a) U s ar ves tu ár i o ad eq u ad o a o l oc al d e tr ab al h o, n ão s en d o p er mi ti d o o us o d e b on és, b er mu d as, m i nis s ai as e s i m il ar es ; b) N ão s e aus en t ar d o p os t o d e t r ab al h o s em d ei x ar s ub s tit ut o. 19

20 5. RE D E SEM FI O A F ac u ld ad e Es t ác i o d e S á of er ec e a s eus al u n os o us o d e in t er n et s em f i o, b an d a l ar g a e gr at u it a n as d ep en d ên c i as d a Bi bl i ot ec a. É s ó f or n ec er ao al u n o a r ed e e n ú m er o d a s en h a d e ac es s o. 20

21 6. NOR M A S PAR A UT IL IZ AÇ Ã O D A B I BL I OT EC A F ES VV 1 - OBJETIVO Art. 1º - As presentes NORMAS DE ATENDIMENTO regulam horário, consultas, empréstimos e cópias, compreendendo, ainda, disposições gerais atinentes à Rede de Bibliotecas da Faculdade Estácio de Sá. 2 - HORÁRIO DE ATENDIMENTO Art. 2º O horário de atendimento da Biblioteca será de 07:30 às 22:00h e aos sábados de 08:00 às 12:00h. Parágrafo Único - Aos visitantes será permitido a permanência até ás 17:00 (dezessete) horas e aos sábados de 08:00 às 12:00h. 3 - CONSULTAS E EMPRÉSTIMOS DO ACERVO DE LIVROS Art. 3º - As consultas e os empréstimos de livros das Bibliotecas Setoriais serão realizados através de Contrato de Empréstimo/Consulta, entre a Faculdade e o usuário. O Contrato de Empréstimo/Consulta será emitido pela Biblioteca Setorial, através do ticket gerado pela impressora "Bematec", e deverá conter as seguintes informações: I - Número do Contrato de Empréstimo/Consulta; II - Declaração do conhecimento e da aceitação das "Normas de Atendimento da Rede de Bibliotecas", pelo usuário; III - Termo de aceitação, emitido pela Faculdade, para a cobrança de livro extraviado, danificado ou não devolvido no prazo. Art. 4º - As consultas ao acervo de livros podem ser feitas através do sistema informatizado de bibliotecas (SIB-on line), observando-se os seguintes critérios: I - O acervo é franqueado a alunos, professores, funcionários administrativos e visitantes para consulta. II - Permite-se a consulta a até 2 (dois) livros de cada vez. III - As obras retiradas para consultas deverão ser devolvidas no mesmo dia. IV - As consultas a obras raras obedecem às normas de segurança cabíveis, por exemplo, só poderão ser consultadas em sala reservada, na presença de bibliotecário. Art. 5º - O empréstimo de obras da Biblioteca é permitido através de conferência automática da matrícula do aluno, professor ou funcionário administrativo, no SIA (Sistema de Informações Acadêmicas), observando-se o campus em que o usuário está matriculado. I - O aluno só terá acesso ao empréstimo de livros na Biblioteca do campus em que está matriculado, enquanto estiver vinculado por matrícula financeira. O próprio Sistema permitirá a retirada de livros em, apenas, uma Biblioteca. II - O professor só terá acesso ao empréstimo de livros em um campus à sua escolha, mesmo que ministre aulas em mais de um campus. III - O funcionário administrativo só terá acesso ao empréstimo de livros no campus em que trabalha ou no campus em que estuda, à sua escolha. IV - Não estão disponíveis para empréstimo as obras de referência (legislação e códigos, enciclopédias e dicionários), monografias de graduação, teses, periódicos, vídeos e exemplares únicos. 21

22 V - A retirada por empréstimo limitar-se-á a 3 (três) livros por usuário, mediante a apresentação de um documento de identidade com fotografia e assinatura do Contrato de Empréstimo/Consulta. VI - O prazo de empréstimo é de 7 (sete) dias corridos, podendo ser renovado, com apresentação do livro, desde que a obra não esteja reservada para outro usuário. Quando o sétimo dia for dia não útil a entrega deverá ser efetuada no primeiro dia útil subseqüente. VII - Não observado o prazo de empréstimo, o retardatário ficará impedido de tomar livros por empréstimo e para consulta, pelo dobro dos dias atrasados. No caso do atraso de dois livros, a suspensão será cumulativa. VIII O usuário terá sua inscrição cancelada após infringir pela terceira vez, indistintamente, os artigos 4º inciso III e o artigo 5º incisos VI e VII. A suspensão da inscrição será por 30 (trinta) dias após o cumprimento da suspensão gerada pelo atraso na devolução do(s) livros(s). Art. 6º - O valor da obra extraviada, danificada, ou não devolvida no prazo será cobrado do usuário, pelo preço de mercado, para reposição do acervo. Art. 7º - O SIB disponibiliza para seus usuários a Reserva Local e a Reserva On-Line, de 3 (três) livros por vez. O acesso será realizado através da matrícula no SAI. O sistema não permitirá reserva para a matrícula em penalidade. I Reserva Local Quando todos os exemplares do livro solicitado estiverem emprestados Os usuários poderão solicitar na biblioteca a reserva de livros, cujos exemplares já estiverem todos emprestados. Os usuários estarão na fila de espera. Após a devolução de um exemplar para a biblioteca o livro ficará disponível para o usuário pelo prazo de 48 (quarenta e oito) horas. II Reserva on-line Quando o livro encontra-se disponível na Biblioteca (ativo) Após a solicitação de reserva de livro, o usuário terá um prazo de 24 (vinte e quatro) horas, a partir do horário da solicitação da reserva, para retirar o livro na biblioteca. O prazo de retirada do livro expira automaticamente, caso o usuário não compareça à biblioteca. Quando todos os exemplares do livro solicitado estiverem emprestados Sistema SIB encaminhará o usuário para a fila de espera. Quando o livro for devolvido, o usuário terá um prazo de 24 (vinte e quatro) horas para retirada do mesmo da biblioteca. Ao término deste prazo, o SIB transfere a reserva para o próximo usuário. Art. 8º - O serviço de cópias é terceirizado e, mediante pagamento, fornece reprodução de artigos de periódicos e de textos da legislação e da jurisprudência de acordo com a lei nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998 (Nova Lei do Direito Autoral). Parágrafo Único - É vedada a reprodução total de trabalhos doutrinários, em observância aos direitos autorais envolvidos. Art 9º - Todo usuário, ao assinar o Contrato de Empréstimo/Consulta, estará declarando ter pleno conhecimento e aceitação destas normas e da cobrança do livro extraviado, danificado ou não devolvido no prazo. 22

23 4 - PROJEÇÃO DE VÍDEOS Art. 10º - Será concedida 1 (uma) hora para cada projeção, podendo ser marcados horários consecutivos, de acordo com a duração da fita de vídeo. Art. 11º - A projeção de vídeos será feita observando-se os seguintes critérios: I - Os usuários-alunos só poderão assistir aos vídeos no ambiente da biblioteca (sala de vídeo), não sendo permitido o empréstimo domiciliar. II - A projeção dos vídeos deverá ser previamente marcada. Será especificado o dia, hora, vídeo e o nome do aluno responsável pela sala de vídeo e sua projeção. III - Não poderão ser projetados vídeos que não sejam do acervo da biblioteca. Art. 12º - Os usuários-professores poderão permanecer, no máximo, com dois vídeos, por um dia, desde que o empréstimo seja previamente agendado. 5 - PESQUISA INFORMATIZADA Art. 13º - Para cada usuário será concedida uma hora para utilização dos terminais para pesquisa informatizada. Art. 14º - As consultas aos dados informatizados serão feitas observando-se os seguintes critérios: I - O acesso a pesquisas será franqueado a alunos, professores, funcionários administrativos, sem acompanhantes. II - Será solicitado aos alunos, professores, funcionários e administrativos um documento de identidade com fotografia. III - Será permitido o acesso à internet, bases de dados e CD-Roms, exclusivamente para pesquisa. IV - Não será permitido o acesso a sites de , bate-papo e demais que não envolvam pesquisa. V - Ao usuário, não será permitido modificar as configurações existentes nos equipamentos de informática. Art. 15º - Os recursos automatizados poderão ser acessados pelos usuários, com a devida orientação dos bibliotecários, no que se refere aos métodos de pesquisa, fontes indicadas e localização das informações, assim como da cópia dos documentos, em disquete. 6 - SALAS DE ESTUDO EM GRUPO Art. 16º - Serão concedidas 2 (duas) horas para cada grupo de no mínimo 3 (três) pessoas, agendadas previamente. 7 - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 17º- Não será permitido ao usuário entrar com bolsas, alimentos, bebidas e celular no interior da biblioteca. I - O espaço da biblioteca é de uso comum para estudo, portanto deverá ser mantido o silêncio não sendo permitido conversar nas mesas, o estudo é individual. II - A carteira da Faculdade é pessoal, não sendo permitido seu uso por outra pessoa, em caso de perda ou roubo da mesma comunicar à Biblioteca. III - Transferências e pedido de trancamento de curso só serão aceitos com o "Nada Consta" da Biblioteca. 23

24 Art. 18º - Fica instituída a adoção de um Livro de Ocorrências, segundo padrões especificados pela Biblioteca. Qualquer ocorrência de má-conduta do usuário será registrada no livro e notificada à Diretoria Acadêmica. Art. 19º - A desobediência às presentes normas importará no impedimento de acesso do usuário aos serviços da biblioteca. Parágrafo Único - Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria Acadêmica. Art. 20º- As presentes normas entram em vigor a partir desta data, revogadas as disposições em contrário. Vila Velha, 10 de agosto de Diretor Geral Juarez Moraes Ramos Júnior Diretora Acadêmica Luiz Claudio Pereira Bibliotecária Luzia Ribeiro 24

Regulamento Interno da Biblioteca da Estácio FAL CAPÍTULO I DO OBJETIVO

Regulamento Interno da Biblioteca da Estácio FAL CAPÍTULO I DO OBJETIVO Regulamento Interno da Biblioteca da Estácio FAL CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º - Este regulamento tem como objetivo definir normas para prestação e utilização dos serviços da Biblioteca da FAL - Faculdade

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE CATÓLICA SANTA TERESINHA NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CAICÓ-RN 1. DO OBJETIVO Art.1º - As NORMAS DE ATENDIMENTO regulam horário, consultas, empréstimo, renovação e cópias, compreendendo

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO

REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO 1. Apresentação Na Faculdade do Sudeste Goiano a biblioteca tem sido alvo de constante atenção, seu

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS 1. OBJETIVO As presentes NORMAS DE ATENDIMENTO regulam os procedimentos para utilização do espaço físico e acervo das Bibliotecas da Estácio. 2. DEFINIÇÕES Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas utilizado

Leia mais

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a A n t o n i o P a i m N o B r a s i l s e d i me nt o u - s e u ma v is ã o e r r a d a d a c id a d a n ia. D e u m mo d o g e r a l, e s s a c

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV.

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. O Conselho Superior - CONSU, aprovou em 30 de março de 2007, e eu, Prof. José Carlos Barbieri, Diretor da

Leia mais

REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE CRICIÚMA - ESUCRI

REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE CRICIÚMA - ESUCRI REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE CRICIÚMA - ESUCRI Capítulo I DO REGULAMENTO Art. 1º - Institui o regulamento da Biblioteca, com o objetivo de definir normas para prestação

Leia mais

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível Biblioteca Mercedes Silva Pinto Manual da Biblioteca Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível REGULAMENTO COMPLETO DA BIBLIOTECA I. Regulamento do Uso

Leia mais

REGULAMENTO PARA ACESSO E USO DO SERVIÇO DE BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

REGULAMENTO PARA ACESSO E USO DO SERVIÇO DE BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO REGULAMENTO PARA ACESSO E USO DO SERVIÇO DE BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO São Paulo 2014 CONSULTA E EMPRÉSTIMO DO MATERIAL BIBLIOGRÁFICO DAS FINALIDADES Art. 1º -

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB 1. INTRODUÇÃO O Sistema de Bibliotecas da UCB possui um acervo com mais de 200.000 volumes possibilitando o acesso dos usuários aos livros, sistemas de consulta,

Leia mais

BIBLIOTECA REGULAMENTO

BIBLIOTECA REGULAMENTO BIBLIOTECA REGULAMENTO Agosto, 2010 SUMÁRIO INFORMAÇÕES GERAIS... 3 DAS FINALIDADES... 4 DA CONSULTA AO ACERVO... 4 DO EMPRÉSTIMO... 5 DOS TIPOS DE EMPRÉSTIMO... 5 DA RENOVAÇÃO... 6 DA RESERVA DE LIVROS...

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Dr. Wladimir de Rezende Pinto

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Dr. Wladimir de Rezende Pinto FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. Wladimir de Rezende Pinto Missão: Promover o desenvolvimento humano e social através da difusão de conhecimento, da formação ética, da competência

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

RESOLUÇÃO 001/2013-CD. Aprovar o Regulamento da Biblioteca da Faculdade Intermunicipal do Noroeste do Paraná, conforme anexo.

RESOLUÇÃO 001/2013-CD. Aprovar o Regulamento da Biblioteca da Faculdade Intermunicipal do Noroeste do Paraná, conforme anexo. RESOLUÇÃO 001/2013-CD O Diretor da Faculdade Intermunicipal do Noroeste do Paraná FACINOR Professor Agenor de Oliveira Duarte, tendo em vista a decisão do Conselho Departamental desta Instituição de Ensino

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA SERRA SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA... 2 DOS OBJETIVOS:... Erro! Indicador não definido. DO HORÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO N 005/2012 - DG. Altera a Resolução n 002/2007-DG,que Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV

RESOLUÇÃO N 005/2012 - DG. Altera a Resolução n 002/2007-DG,que Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV RESOLUÇÃO N 005/2012 - DG Altera a Resolução n 002/2007-DG,que Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV Considerando o disposto na Resolução n o 002/07-DG e Considerando o parecer

Leia mais

REGULAMENTO I. FINALIDADE

REGULAMENTO I. FINALIDADE REGULAMENTO I. FINALIDADE Art. 1º As Bibliotecas do Centro Universitário Assunção UNIFAI, dispõe de 2 unidades distribuídas no Ipiranga e na Vila Mariana. Para melhor atender a todos que delas usufruem,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. A DIRETORA EM EXERCÍCIO DO CÂMPUS DE PARANAÍBA da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, resolve:

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA RESOLUÇÃO N.º 04 O Diretor Geral das Faculdades Integradas Santa Cruz de Curitiba, no uso de suas atribuições regimentais, estabelece o regulamento da Biblioteca das FARESC. A

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROFESSOR JOSÉ LOUREIRO FERNANDES SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE CURITIBA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROFESSOR JOSÉ LOUREIRO FERNANDES SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE CURITIBA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROFESSOR JOSÉ LOUREIRO FERNANDES SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE CURITIBA ALS.ADM15.FOR.03.03 Página 1 de 6 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. JOSÉ LOUREIRO FERNANDES, DA IRMANDADE

Leia mais

Regulamento Interno das Bibliotecas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim

Regulamento Interno das Bibliotecas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim Regulamento Interno das Bibliotecas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim Capítulo I DA ESTRUTURA E DA FINALIDADE Art. 1º Este regulamento disciplina o funcionamento

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS BIBLIOTECAS SENAC/RS

REGULAMENTO GERAL DAS BIBLIOTECAS SENAC/RS REGULAMENTO GERAL DAS BIBLIOTECAS SENAC/RS DA ADMINISTRAÇÃO Art. 1º - A administração da Biblioteca será exercida pelo Bibliotecário seguindo a orientação pedagógica adotada pelo SENAC/RS DAS CONDIÇÕES

Leia mais

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO 1 CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO Art.1º - Institui o regulamento da BIBLIOTECA DA FACULDADE UNISSA DE SARANDI, com o objetivo de definir normas para prestação e utilização dos serviços e garantir

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Autorizada pelo decreto federal nº 94.250 de 22.04.1987 CONSELHO UNIVERSITÁRIO - CONSU

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Autorizada pelo decreto federal nº 94.250 de 22.04.1987 CONSELHO UNIVERSITÁRIO - CONSU O CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU, no uso de suas atribuições, de acordo com o artigo 20 do Decreto Estadual nº 1.931/88 - Estatuto da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, e em consonância com

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA UAB DE ÁGUAS LINDAS. Capítulo I Da Finalidade

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA UAB DE ÁGUAS LINDAS. Capítulo I Da Finalidade REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA UAB DE ÁGUAS LINDAS Capítulo I Da Finalidade Art. 1º O presente regulamento tem por finalidade normalizar o serviço de circulação de obras da Biblioteca UAB de Águas Lindas,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAMILLO PEREIRA CARNEIRO BURLE CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA E SEUS OBJETIVOS

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAMILLO PEREIRA CARNEIRO BURLE CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA E SEUS OBJETIVOS SUMÁRIO CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO CAPÍTULO III DOS USUÁRIOS CAPÍTULO IV DO EMPRÉSTIMO CAPÍTULO V DAS PENALIDADES CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

REGULAMENTO UNIFICADO DAS BIBLIOTECAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO UNIFICADO DAS BIBLIOTECAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO DIRETORIA DE GESTÃO E APOIO AO ENSINO REGULAMENTO UNIFICADO DAS BIBLIOTECAS

Leia mais

3.1. Os alunos estarão automaticamente cadastrados como usuários após a efetivação da matrícula e a confecção da carteira de estudante.

3.1. Os alunos estarão automaticamente cadastrados como usuários após a efetivação da matrícula e a confecção da carteira de estudante. 1. A Biblioteca A Biblioteca é um órgão suplementar do UNIPINHAL, que tem como objetivo dar suporte informacional aos professores, alunos e funcionários, podendo ser utilizada pelo público em geral. 2.

Leia mais

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Biblioteca Etec João Maria Stevanatto Regulamento Art.-1º USUÁRIOS BENEFICIADOS I - A biblioteca atende a todos os alunos matriculados, professores e funcionários.

Leia mais

BIBLIOTECA FESPSP REGULAMENTO. São Paulo

BIBLIOTECA FESPSP REGULAMENTO. São Paulo BIBLIOTECA FESPSP REGULAMENTO São Paulo 2015 REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DA FESPSP I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO 3 II USUÁRIOS 3 III DO ACERVO 4 IV DO PRAZO DE EMPRÉSTIMO E QUANTIDADES DE VOLUMES 5

Leia mais

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Faculdade PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 Publicada no Boletim de Serviço nº 12, de 7 dez. 2011, p. 7-11 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o funcionamento da Biblioteca Ministro Victor Nunes Leal do Supremo Tribunal

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP SUMÁRIO DESCRIÇÃO PÁGINA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 02 TÍTULO II DOS USUÁRIOS 02 TÍTULO III DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

Sistema Integrado de Bibliotecas. Sistema Integrado de Bibliotecas

Sistema Integrado de Bibliotecas. Sistema Integrado de Bibliotecas Sistema Integrado de Bibliotecas Sistema Integrado de Bibliotecas Responsável: Cassiana Souza Coordenadora do Sistema Integrado de Bibliotecas FAEL CRB - 9/1501 Projeto Gráfico e Capa: Bruna Maria Cantador

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FAM

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FAM Capítulo I NATUREZA E FINALIDADE Art.1º As Bibliotecas da Faculdade das Américas, Campus Augusta e Campus Paulista, são de Acesso livre, tem por finalidade oferecer suporte aos programas de ensino, pesquisa

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A Biblioteca da ESIC - Business & Marketing School tem por objetivo principal reunir informações necessárias ao aprimoramento profissional, educacional e pessoal, preparando-as

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Autarquia Municipal ANEXO ÚNICO

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Autarquia Municipal ANEXO ÚNICO ANEXO ÚNICO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO AUTARQUIA MUNICIPAL 1. ACERVO DA BIBLIOTECA 1.1 A Biblioteca da Faculdade de Direito São Bernardo do Campo é dotada

Leia mais

FACULDADE MISSIONEIRA DO PARANÁ Biblioteca CINTEC REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPITULO I DA NATUREZA

FACULDADE MISSIONEIRA DO PARANÁ Biblioteca CINTEC REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPITULO I DA NATUREZA FACULDADE MISSIONEIRA DO PARANÁ Biblioteca CINTEC REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPITULO I DA NATUREZA Art. 1º - A Biblioteca CINTEC da Faculdade Missioneira do Paraná é um órgão suplementar subordinado à

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT 0 SUMÁRIO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 02 TÍTULO II DOS USUÁRIOS... 02 TÍTULO III DO FUNCIONAMENTO... 02

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada por professores, alunos e funcionários da UNIESP.

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada por professores, alunos e funcionários da UNIESP. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A Direção da UNIESP estabelece normas disciplinando o funcionamento da Biblioteca, no ano de 2013/1. CAPÍTULO I DO USO DA BIBLIOTECA Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º A Biblioteca da Faculdade de Tecnologia e Negócios será regida pelo presente Regulamento.

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º A Biblioteca da Faculdade de Tecnologia e Negócios será regida pelo presente Regulamento. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Art. 1º A Biblioteca da Faculdade de Tecnologia e Negócios será regida pelo presente Regulamento. CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. º A biblioteca é uma unidade subordinada,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 003/2011 CONSU/UEAP

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 003/2011 CONSU/UEAP UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 003/2011 CONSU/UEAP Normatiza os serviços disponibilizados pelas Bibliotecas da Universidade do Estado do Amapá-UEAP. A Presidente

Leia mais

Gerência e Segurança d e R ed es W irel es s Claudia Pereira c lp ereir@ c is c o. c o m 1 Aplicaçõ e s I n t e r at iv as X Aplicaçõ e s T r an s acio n ais 1950s-1990s C a r t a s e me mo r a n d o s

Leia mais

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Dos Clientes A Biblioteca Mère Blanchot presta serviços à comunidade acadêmica da Faculdade

Leia mais

Art. 1. O presente regulamento contém as normas que regem e orientam as rotinas dos serviços prestados pelas Bibliotecas da Faculdade FORTIUM.

Art. 1. O presente regulamento contém as normas que regem e orientam as rotinas dos serviços prestados pelas Bibliotecas da Faculdade FORTIUM. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE FORTIUM I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO Art. 1. O presente regulamento contém as normas que regem e orientam as rotinas dos serviços prestados pelas Bibliotecas

Leia mais

Regulamento da Biblioteca

Regulamento da Biblioteca Regulamento da Biblioteca SANTA CRUZ DO RIO PARDO SP 2015 I. Do regulamento e sua aplicação Art. 01. O presente Regulamento contém as normas que regem e orientam as rotinas dos serviços prestados pela

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIPAMPA SISBI REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIPAMPA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIPAMPA SISBI REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIPAMPA SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIPAMPA SISBI REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIPAMPA Art. 1º Este regulamento fixa normas e procedimentos para o serviço circulação das coleções pertencentes às bibliotecas

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DA UNIPAR

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DA UNIPAR REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DA UNIPAR 1 INTRODUÇÃO 1.1 Este regulamento estabelece condições de acesso e utilização de cada Biblioteca da UNIPAR, seja a Biblioteca Central, localizada no Campus Sede, sejam

Leia mais

Capítulo II DOS USUÁRIOS REGULARES E EVENTUAIS

Capítulo II DOS USUÁRIOS REGULARES E EVENTUAIS RESOLUÇÃO DA VRG Nº 03/2008 DISPÕE SOBRE O SERVIÇO DE ATENDIMENTO E FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA MARIO OSORIO MARQUES DA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL -

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA O êxito dos serviços da Biblioteca está condicionado ao bom uso que dela fizerem. Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão (FACEMA) Biblioteca Irmã Maria Gemma de Jesus

Leia mais

Regulamento da Biblioteca:

Regulamento da Biblioteca: Regulamento da Biblioteca: Professor Paulo Petrola CAPÍTULO I Do Regulamento Art. 1º O presente Regulamento normaliza o funcionamento da Biblioteca. CAPÍTULO II Do Funcionamento Art. 2º A Biblioteca funciona

Leia mais

Resolução Congregação 01/2007

Resolução Congregação 01/2007 Resolução Congregação 01/2007 Dispõe sobre os procedimentos da Biblioteca da FEAD. O Presidente da Congregação, no uso de suas atribuições regimentais, e considerando: a) a necessidade de adequar normas

Leia mais

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). RESOLUÇÃO Nº 001/2012 DA DIREÇÃO GERAL Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). O Diretor Geral, no uso de suas atribuições, resolve disciplinar as normas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DE NOVA VENÉCIA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DE NOVA VENÉCIA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DE NOVA VENÉCIA NOVA VENÉCIA 2013 SUMÁRIO 1 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DE NOVA VENÉCIA... 2 CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 023/2008

ATO NORMATIVO Nº 023/2008 EDIÇÃO Nº: 4600 DATA DE PUBLICAÇÃO:1/11/2008 SEXTA-FEIRA ANO:18 ATO NORMATIVO Nº 023/2008 Aprova o Regulamento do Sistema de Bibliotecas do Ministério Público do Estado da Bahia. O PROCURADOR-GERAL DE

Leia mais

Regulamento da Rede de Bibliotecas Ceuma

Regulamento da Rede de Bibliotecas Ceuma UNIVERSIDADE CEUMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO REDE DE BIBLIOTECAS UNICEUMA BIBLIOTECA PRESIDENTE JOSÉ SARNEY Regulamento da Rede de Bibliotecas Ceuma 2014 Normatizar procedimentos padrão para a disponibilização

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO BAIXO SÃO FRANCISCO DR. RAIMUNDO MARINHO FACULDADE RAIMUNDO MARINHO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Seção I Da Biblioteca Art.

Leia mais

FAE BUSINESS SCHOOL CENTRO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO DO SETOR DE REFERÊNCIA E CIRCULAÇÃO DA BIBLIOTECA FREI JOÃO CRISÓSTOMO ARNS

FAE BUSINESS SCHOOL CENTRO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO DO SETOR DE REFERÊNCIA E CIRCULAÇÃO DA BIBLIOTECA FREI JOÃO CRISÓSTOMO ARNS REGULAMENTO DO SETOR DE REFERÊNCIA E CIRCULAÇÃO DA BIBLIOTECA FREI JOÃO CRISÓSTOMO ARNS Este Regulamento normatiza os procedimentos a serem observados no tocante aos trabalhos desenvolvidos pelo Setor

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. DR. JOÃO FRANCISCO GONSALEZ

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. DR. JOÃO FRANCISCO GONSALEZ REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. DR. JOÃO FRANCISCO GONSALEZ Art. 1º - A Biblioteca Prof. Dr. João Francisco Gonsalez da Faculdade Catuaí é um órgão com administração própria, subordinada diretamente à

Leia mais

MANUAL INTERNO DA BIBLIOTECA

MANUAL INTERNO DA BIBLIOTECA As Bibliotecas da Universidade Braz Cubas são destinadas ao Corpo Docente, Discente e aos funcionários administrativos. As Bibliotecas utilizam o sistema Informatizado Pergamum, onde o aluno tem a comodidade

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CLARICE LISPECTOR

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CLARICE LISPECTOR REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CLARICE LISPECTOR CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1. A Biblioteca Clarice Lispector tem como finalidade proporcionar ao corpo docente, discente, pesquisadores e servidores do Instituto

Leia mais

Normas de Funcionamento da Biblioteca. Horário de atendimento: segunda a sexta: 07:30h às 22:30h / sábado: de 8:00h às 12:00h das 14:00h às 18:00h

Normas de Funcionamento da Biblioteca. Horário de atendimento: segunda a sexta: 07:30h às 22:30h / sábado: de 8:00h às 12:00h das 14:00h às 18:00h Normas de Funcionamento da Biblioteca Horário de atendimento: segunda a sexta: 07:30h às 22:30h / sábado: de 8:00h às 12:00h das 14:00h às 18:00h Inscrição de Usuários: Para inscrever-se na Biblioteca

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS FESB REGULAMENTO DA BIBLIOTECA WALDEMAR FERREIRA I DA FINALIDADE II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO III DAS CONSULTAS

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS FESB REGULAMENTO DA BIBLIOTECA WALDEMAR FERREIRA I DA FINALIDADE II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO III DAS CONSULTAS FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS FESB REGULAMENTO DA BIBLIOTECA WALDEMAR FERREIRA I DA FINALIDADE Art 1º - O regulamento da Biblioteca Waldemar Ferreira tem como finalidade disciplinar, normalizar os serviços

Leia mais

Regulamento Biblioteca

Regulamento Biblioteca Regulamento Biblioteca 2012 A Diretora Geral do Colégio e, no uso de suas atribuições regimentais, estabelece o presente regulamento da Biblioteca da Instituição. A Biblioteca do Colégio e, denominada

Leia mais

Apresentação. Como usar a Biblioteca

Apresentação. Como usar a Biblioteca Apresentação A Biblioteca FAAP, constituída pela Biblioteca Central e Salas de Leitura localizadas nas unidades de Ribeirão Preto, São José dos Campos e Centro de Excelência, tem por finalidade fornecer

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS - SIBI NORMAS E PROCEDIMENTOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS - SIBI NORMAS E PROCEDIMENTOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS - SIBI NORMAS E PROCEDIMENTOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB 2013 SUMÁRIO 1 DA INTRODUÇÃO... 3 2 DO OBJETIVO... 3 3 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO...

Leia mais

Capítulo I. Da Finalidade

Capítulo I. Da Finalidade Dispõe sobre o Regulamento do Serviço de Circulação do Sistema de Bibliotecas (SiBi), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovado em Reunião de Chefias em 26 de fevereiro de 2015. Capítulo I Da Finalidade

Leia mais

Resolução CTC Nº 001/2013. O CONSELHO TÉCNICO CONSULTIVO, no uso de suas atribuições regimentais (artigo 07 do Regimento Interno),

Resolução CTC Nº 001/2013. O CONSELHO TÉCNICO CONSULTIVO, no uso de suas atribuições regimentais (artigo 07 do Regimento Interno), Resolução CTC Nº 001/2013. Aprova a atualização do Regulamento da Biblioteca da Faculdade de Tecnologia Darcy Ribeiro. O CONSELHO TÉCNICO CONSULTIVO, no uso de suas atribuições regimentais (artigo 07 do

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIESP Unidade de Marília

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIESP Unidade de Marília REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIESP Unidade de Marília I MISSÃO Disseminar a informação de forma a apoiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão. II DA INSCRIÇÃO Art. 1º Todos os alunos, docentes e

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referente ao funcionamento da Biblioteca da Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, objetivando

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 1. USO DA BIBLIOTECA...3 2. ACERVO...3 3. ATENDIMENTO AO PÚBLICO...3 4. USUÁRIOS...3 5. INSCRIÇÃO...3 5.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA...4 6. SERVIÇOS...4 6.1

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários:

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários: REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 Este Regulamento normatiza o funcionamento das Bibliotecas da Universidade do Vale do Sapucaí Univás, mantida pela Fundação de Ensino Superior

Leia mais

COLÉGIO LOGOS BIBLIOTECA

COLÉGIO LOGOS BIBLIOTECA 0 1 COLÉGIO LOGOS BIBLIOTECA 1- Histórico A Biblioteca Maria do Socorro foi criada com intuito de disseminar o conhecimento entre pares, proporcionar atendimento preferencial a docentes, discentes e colaboradores

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ UBIRATÃ - PR 2013 REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA: DIRETRIZES GERAIS Art.1º- A Biblioteca apóia

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 3 - DAS INSCRIÇÕES... 3 4 - DO ACERVO... 3 5 - DO PRAZO DE EMPRÉSTIMO E QUANTIDADES DE VOLUMES... 4 6 - DA

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO SUMÁRIO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 DA INSTITUIÇÃO BIBLIOTECA... 3 DA FINALIDADE DESTE REGULAMENTO... 3 PRINCÍPIOS DA BIBLIOTECA...

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL

REGULAMENTO INSTITUCIONAL UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DA BIBLIOTECA KOSHITY NARAHASHI São Paulo 2010 SEÇÃO I DA COMPETENCIA Artigo 1º - À Biblioteca compete planejar, coordenar,

Leia mais

A qualquer usuário é permitido o acesso à Biblioteca de Saúde Pública, bem como a consulta aos seus acervos, nos dias e horários de funcionamento.

A qualquer usuário é permitido o acesso à Biblioteca de Saúde Pública, bem como a consulta aos seus acervos, nos dias e horários de funcionamento. A BIBLIOTECA DE SAÚDE PÚBLICA A Biblioteca de Saúde Pública, que integra a Rede de Bibliotecas da Fiocruz, foi criada em 1954 e tem como missão contribuir para o desenvolvimento da Saúde Pública através

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Setorial Campus COGEAE Consolação (BCC)

Regulamento da Biblioteca Setorial Campus COGEAE Consolação (BCC) 1 Regulamento da Biblioteca Setorial Campus COGEAE Consolação (BCC) Disposições Gerais A BCC Biblioteca COGEAE Consolação tem por objetivo desenvolver e disponibilizar à comunidade acadêmica serviços e

Leia mais

BIBLIOTECA: REGULAMENTAÇÃO E NORMAS ELABORAÇÃO: GISÉLIA FERREIRA DA SILVA Bibliotecária CRB-5/469

BIBLIOTECA: REGULAMENTAÇÃO E NORMAS ELABORAÇÃO: GISÉLIA FERREIRA DA SILVA Bibliotecária CRB-5/469 Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães, 222 Ponto Central CEP 44.032-620 Endereço

Leia mais

3. DAS INSTALAÇÕES E DA INFRA-ESTRUTURA

3. DAS INSTALAÇÕES E DA INFRA-ESTRUTURA Regulamento Interno da Biblioteca do Instituto J. Andrade 1. MISSÃO A biblioteca tem como missão atender às necessidades da comunidade acadêmica do Instituto J. Andrade, em suas atividades de estudo, ensino,

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

Regulamento da Biblioteca São José

Regulamento da Biblioteca São José 1 Regulamento da Biblioteca São José Pato Branco - PR 2 SUMÁRIO DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 DA NATUREZA E FINS... 3 DO ACERVO... 4 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO... 4 DA ORGANIZAÇÃO... 5 DO PESSOAL...

Leia mais

SETOR DE BIBLIOTECA REGULAMENTO

SETOR DE BIBLIOTECA REGULAMENTO SETOR DE BIBLIOTECA REGULAMENTO Capítulo I Dos Princípios Gerais Art. 1º O presente Regulamento visa disciplinar e normalizar o Serviço de Atendimento das Bibliotecas São Camilo Campus I e Campus II, no

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Regulamento do Setor das Bibliotecas

Regulamento do Setor das Bibliotecas Regulamento do Setor das Bibliotecas Título I Preâmbulo Art. 1º Este regulamento estabelece as regras e normas das bibliotecas dos Campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário Lusíada

Leia mais

SCIELO, BIREME, PERIODICOS CAPES, PUBMED, MEDLINE, DOAJ,

SCIELO, BIREME, PERIODICOS CAPES, PUBMED, MEDLINE, DOAJ, Apresentação: BIBLIOTECA DAS FIO A Biblioteca/FIO é um setor das Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) que possui no seu acervo obras de várias áreas do conhecimento, com a finalidade de dar suporte

Leia mais

FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA

FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA REGIMENTO INTERNO DISCIPLINAR DA BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA DA FACULDADE DE

Leia mais